Últimas indefectivações

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Mais uma noite de Champions (E, na Luz... cumpriu-se o destino, que terá, um dia, de mudar!)

"Duas equipas de grande nível e alguns dos melhores na Luz; e um resultado negativo, mas com respostas para vários destinatários.

Noite sem sorte
Ontem, ... enorme Benfica!!! Num grande jogo de futebol, entre duas das oito melhores equipas da Europa, o Benfica deu um enorme exemplo de crença e de humildade. Mas mais que isso: da enorme alma benfiquista que existe em todos e em cada um de nós!!!
E, talvez, mesmo, mais que isso: um jogo de emoções fortes, onde voltamos a reescrever parte de uma história, apenas ligeiramente abalado com o facto de não termos seguido para as meias finais da Liga dos Campeões, perante o todo poderoso e temível Bayern de Munique.
Duas equipas de grande nível, com personalidade e grande qualidade futebolística, num palco de sonho. No relvado da Luz, alguns dos melhores jogadores da Europa. Um resultado negativo, mas com respostas para vários destinatários.
Em primeiro lugar, uma resposta para os adeptos! A fantástica massa associativa que não me canso de elogiar... Mais uma vez os adeptos, foram gigantes no apoio à equipa, embalando-a, com toda a fé, para aquele que era o desejo de todos nós... o da vitória. Adeptos esses que demonstraram que as meias poderiam ser o próximo desafio... Assim não quis o destino... cabendo a cada um de nós definir o que entendemos por... destino!
A cada um dos mais de sessenta mil espectadores da noite de ontem - e aos milhares que também lá queriam estar - só posso dar a garantia de que... vamos continuar juntos!!! Por muito que isso custe aos nossos adversários, aos que, nos outros lados... invejam a nossa grandeza. Numa união e sintonia perfeitas com dirigentes, equipa técnica e jogadores.
Resposta, também, para o próprio plantel e equipa técnica, que acreditaram, lutaram e nunca esmoreceram, fazendo dessa união um dos seus pontos fortes, uma arma permanente.
Embora não seja um fator totalmente decisivo, a união e entreajuda que se vive no clube é fundamental para que, perante tantas adversidades - lesões prolongadas e castigos disciplinares de alguns titulares da equipa - noites de gala, ou jogos de luxo, como o de ontem, possam acontecer.
Não nos sorriu o resultado, nesta edição da Liga dos Campeões, mas, um dia, estou certo, acabará por sorrir.
Acima, talvez, dessa união só um outro grande factor decisivo: o facto dos jogadores perceberem imediatamente e sentirem verdadeiramente os valores do clube, ainda que não sejam, como é evidente - para alguns - do Benfica desde pequeninos.
É essencial perceber logo o que é e o que representa jogar no Benfica e sentir o peso da camisola. E isso não depende, apesar de tudo, deles, mas da estrutura que transmite a mística benfiquista e que há muito percebeu que esse é o caminho...
Depende, ainda, dos adeptos - sempre fundamentais - que com as suas manifestações de apoio, quer no Estádio da Luz, quer nas deslocações fora, demonstram (e ensinam!) aos recém-chegados o que é ser do Benfica.
Uma resposta, por fim, para todos aqueles, sem exceção, que sempre acharam que seriamos goleados nesta eliminatória, talvez por ter sido esse o desfecho recente deles com o Bayern. Não o fomos... mas isso não nos desobriga de assumirmos, com a tristeza com que essa realidade se vive num clube com a dimensão do Benfica... a derrota!

Possibilidade de ganhar a champions... Parte II
Mas, ainda a propósito de ontem... da nossa participação deste ano na Liga dos Campeões podemos retirar uma só certeza. Não será loucura tão grande, assim, alimentar o sonho de ganhar, novamente, a Liga dos Campeões. Como tenho vindo há muito a referir. Apesar de, este ano, termos tido um plantel bem inferior ao de outros anos, num passado recente... Anos de luxo e de grande investimento em que não ganhámos, sequer, uma das duas finais em que estivemos, na Liga Europa, numa evidente demonstração das reais capacidades de comando de quem as tinha, na altura... ou da falta delas! 
Também por isso, deixem-nos sonhar!
Bem sei do cepticismo de alguns, que encaram essa visão como uma impossibilidade para o espírito humano... ou, no caso, para o espírito benfiquista.
E não me venham com histórias! Hoje, no Benfica, não se pode defender, quanto a este assunto, duas teses opostas, embora igualmente válidas. Terão, por isso, os cépticos - felizmente, cada vez em menor número - de abandonar as suas dúvidas metódicas.
Indo ao encontro da minha tese, recentemente José Mourinho afirmou que o Benfica «pode sonhar na Champions», uma vez que chegou aos quartos de final. E como tem razão... Se não acreditarmos (muito) que é possível vencer a Liga dos Campeões e se não fizermos também da ambição dessa conquista um objectivo permanente de época - ou até de vida - nunca a iremos vencer!
Até porque - como sempre digo, em relação a tudo na minha vida - 'nem sempre consigo o que quero, mas nunca consegui o que nunca quis'!
Percebido?

5 finais
Regressando ao que se vai passando por cá... O tricampeonato está cada vez... menos longe. Mas não os enganemos: irão fazer tudo, tudo mesmo, para que não sejamos nós a ganhar!
Em Coimbra, o Benfica fez um bom jogo, não obstante as compreensíveis limitações físicas - não jogamos apenas uma vez por semana - com a natural superioridade e coerência que nos vem habituando, contra uma equipa fechada, com um bloco baixo, bem posicionada e disposta, apenas, a explorar o contra-ataque. Tivessem jogado assim a época toda e a segunda liga não estaria, por certo, mesmo ali... ao virar da esquina (pese embora e enorme simpatia que tenho pela Académica... e por tudo o que ela significa). Grande vitória da persistência, da competência, da capacidade de sacrifício, da crença e da raça imposta em cada lance... Enorme atitude em Coimbra, à Benfica, à semelhança do que tem acontecido regularmente. Uma vitória, por isso, merecida, que prova que vale sempre a pena lutar e acreditar até ao fim.
Um jogo, onde uma vez mais, o estádio do clube adversário foi transformado num pequeno Estádio da Luz!
Fantástico o apoio dos nossos adeptos, que vão atrás da equipa, faça frio ou calor, chuva ou sol... e que mereceram aquela vitória arrancada a ferros. É também dessas vitórias que se fazem os campeões!!! Do jogo em Coimbra, ficam, também, as evidências do bicampeão português. 
Continuamos a ter o melhor ataque, com 78 golos... e a melhor defesa, com 20 golos sofridos!!! 
Continuamos, entre outras tantas coisas, a ser a melhor equipa em casa e... a melhor fora.
À Benfica!
Depois de mais uma vitória, já só faltam cinco finais!!!
Mais ainda faltam cinco finais... até porque não há jogos fáceis, nem equipas pequenas.
Cinco finais dos doze jogos consecutivos, até ao final do campeonato, que o Benfica teve e terá que ganhar... para ser tricampeão!
Ainda que a luta deste campeonato tenha ficado oficialmente após esta jornada, reduzida a duas equipas...
Quanto a nós, apenas temos de continuar com a mesma atitude e garra até aqui demonstradas. Rumo ao TRI!!!

A classe e experiência de uns, à... perda de tempo de 'outros'
Do jogo de Coimbra, retivemos, por fim, o regresso do capitão Luisão aos convocados, quase cinco meses depois!!!
O retorno do patrão da defesa à competição, que, não obstante a sua prolongada ausência, nunca deixou de ser um líder e uma voz de comando no balneário.
E como precisam, as equipas, de vozes experimentadas quer na alta roda do futebol, quer com história no Benfica... como a de Luisão.
Ou, noutra perspectiva, como Júlio César e do conforto que dá aos mais jovens, com toda a sua experiência e toda a sua classe. Contamos com eles, claro, como com todos os outros, para atacarmos o... 35!
Mas - à guisa de exemplo do que não queremos ver nos estádios portugueses - retenhamos o antijogo que vamos vendo em todos os jogos em que um clube grande não está a ganhar com um clube pequeno.
É um caso único no futebol europeu. E nem me digam que não referiria o mesmo se se tratasse de uma situação em que os papeis estivessem invertidos. Porque toda esta sem vergonha só acabará quando os árbitros - todos, sem excepção - tiverem a coragem de conceder, como tempo extra, os 12 ou 15 minutos de paragens que as equipas que não estão a perder... perdem. Porque, como se viu no jogo de Coimbra, todas aquelas perdas de tempo não passaram disso mesmo!
Então não é que, quem passou o jogo todo a inventar lesões em todas as zonas do corpo, nos últimos 11 minutos (os 5 que faltavam para os 90, depois do golo de Raúl, e os 6 dados de compensação), não teve qualquer recidiva dessas lesões nem outra qualquer nova que nos pudesse surpreender a todos? 
Enquanto não acabarem com isto, a vergonha do crime que compensa nunca mais acabará. Até porque... vamos ter disto até ao fim. Em cada e por cada uma das... 5 finais que nos faltam.
Vamos à próxima, BENFICA!!!"

Rui Gomes da Silva, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!