Últimas indefectivações

sábado, 14 de maio de 2011

A Taça é para voltar a ganhar !!!

Carvalhos 5 - 11 Benfica


Curiosa a súbita subida de forma do Caio, após rumores da sua provável saída...!!!

Espelho da época...




...o Benfica a assumir o jogo, a procurar o resultado, a falhar vários golos, o guarda-redes adversário a ser o melhor e campo, mas neste caso a passar para a frente no marcador... depois a cometer erros parvos, normalmente aproveitados pelos adversários, que sem fazerem nada para o merecer são recompensados, mesmo assim o Benfica não desistiu, voltou à frente do marcador, o jogo mais ou menos controlado, sem o brilhantismo de outros tempos, e a 'variável' do costume a desvirtuar o resultado!!! (Denotando o Benfica, quase sempre, dificuldades no meio-campo defensivo, quando é preciso defender resultados). Agora, quantos jogadores adversários do Benfica, foram expulsos em circunstâncias idênticas ao Luisão?!!! O fora-de-jogo tirado ao Jara, mesmo com o jogo a acabar, quando o Argentino estava mais de um 1 metro em posição legal, é bem demonstrativo das 'dificuldades' extra que o Benfica tem, para ganhar jogos em Portugal, mesmo a feijões...!!!

Foi pena, porque o jogo 'cheirou' a despedida para alguns, que mereciam outro resultado...!!!

Não me importo de repetir, é um privilégio ter o Aimar no Benfica, e que falta fez nos últimos jogos...

Mau sinal...






...ainda temos dois jogos na Luz para rectificar, mas sem o Joel, e com o César em baixo de forma, parece que ninguém sabe marcar golos...

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Esperar não é saber

"Uma das mais famosas e eficazes canções criadas e cantadas no Brasil durante a ditadura militar era do cantautor Geraldo Vandré e tinha como título irónico e inteligente 'Para Não Dizer Que Não Falei de Flores'. Tornou-se um poderoso hino da luta pelas liberdades e pela Democracia naquele país, tendo sido também muitas vezes entoado pelos estudantes portugueses antes do 25 de Abril, quando ainda não havia 'Deolindas' nem 'Homens da Luta', estes a fazerem a caricatura festivaleira do que nessa época era mesmo a doer e não fingimento de protesto. Depois de ter escrito sobre a final de Dublin, sem saber quem lá ia estar, não posso vir dizer nesta crónica que não falei de flores. Falei, sim senhor, e só tenho pena que o meu Benfica mesmo com o tónus muscular e anímico em baixo, não possa ser candidato à coroa de louros da vitória. Só não digo paciência, pois esse é o apelido de um treinador pelo qual confesso que não nutro particular simpatia. Paciência, de qualquer modo, porque não me ocorre de momento outra palavra com virtudes apaziguadoras.

E, dito isto, volto à já clássica e hoje praticamente esquecida canção de Geraldo Vandré e ao seu notável refrão, com as seguintes palavras:

'Vem, vamos embora

que esperar não é saber

quem sabe faz a hora

não espera acontecer'.

Algo me diz que, por razões geracionais, os jogadores brasileiros do Benfica nunca ouviram esta canção nem sequer ouviram falar nela. Pela ordem natural das coisas, já nasceram depois. Se houvesse algum desse tempo, já tinha - pelo menos - idade para ser treinador.

Seja como for, o que se aplica neste final de época ao Benfica é o melhor do refrão de Geraldo Vandré:

'Vem, vamos embora

que esperar não é saber'.

Resta-nos pois, o que está para vir e não lágrimas caídas sobre leite derramado. Um verdadeiro Campeão não deixa de o ser só por não ter revalidado o título. Por isso, vamos embora, que esperar não é saber, e temos o futuro inteiro à nossa espera. E mais não digo."


José Jorge Letria, in O Benfica


O Regabofe...

"Eis que então, no seu linguajar tacanho, o Palhaço ordenou:

-'Idem e divertem-se!'

E eles foram. Esfregaram-se com giz, como se isso servisse para branquear a sua escura podridão, e saltaram grotescamente como orangotangos paraplégicos, estranhando não haver ninguém para insultar ou espancar.

O Palhaço, agarrado, à barriga de tanta galhofa, voltou a rosnar:

-'Apaguem as luzes!'

Sim. E as luzes foram apagadas. E tudo ficou na escuridão da qual o Palhaço tanto gosta, brilhando apenas as cabeças de giz como se carregadas de bolor.

-'Não esqueçais as criancinhas', disse o Palhaço.

Confusos, entreolharam-se. «São, portanto, estas criancinhas diferentes das outras às quais não podemos dar a mão?», terão pensado. E o Palhaço ensinou-lhes que há crianças que nascem dos ovos das serpentes; crescem a saber odiar e a recitar insultos como quem recita a tabela dos logaritmos. E então eles perceberam. E esfregaram as cabeças das criancinhas com o giz bolorento até que elas se parecessem com fungos e, hílares, atiraram-nas para o centro do regabofe.

-'Não deixeis de fora as meretrizes, como eu nunca deixo as minhas!', roncou o Palhaço.

E as meretrizes também tiveram o seu lugar no sórdido bacanal em que todo aquele carrossel simiesco se ia transformando, como princesas da Babilónia carregando o furdão dos seus vícios. A grande exaltação da fraude, do embuste, da corrupção e do logro. Festejavam-se os mais baixos instintos da condição humana e tudo aquilo que acabrunha os homens sérios e da espinha direita. Feliz, o Palhaço contemplava a sua obra pérfida.

E enquanto os infelizes joguetes da sua peça de teatro se esfregavam uns nos outros, soltando impropérios e sons animalescos, transformando-se aos poucos numa pasta fétida de suor e giz, o Palhaço saiu pé ante pé. Um pobre infeliz, de cócoras, esperava-o para jantar."


Afonso de Melo, in O Benfica

José Mourinho e o Benfica

"Na passada terça à noite, no aniversário do Rio Ave, fui abordado por um adepto do Benfica que muito simpaticamente me dizia: «No Benfica não têm de rolar cabeças, têm é de levantar a cabeça». Mote simples e directo no qual vale a pena reflectir.

Mourinho consegue proezas não só quando ganha mas também quando perde. Depois de não conquistar o título e de não chegar à final da Liga de Campeões, quando o normal seria a desmotivação e os desaires, Mourinho consegue um Real Madrid a golear e um Cristiano Ronaldo a lutar e, provavelmente, a ganhar, o prémio de melhor marcador a Messi. Será seguramente pouco, mas esta ambição permanente, esta capacidade de recriar objectivos e de os alcançar mantém viva a chama de um clube imenso como o Real Madrid. Gostava que o Benfica, mesmo quando não consegue os objectivos prioritários, conseguisse esta atitude, em vez do descalabro de ânimo e resultados. Esta é também uma prova da excelência, na derrota como na vitória poderemos ser mais exigentes.

O Paços de Ferreira, mesmo reduzido a dez jogadores, manteve o feito de Jimmy Hagan inalcançavel. Não reduz o mérito da época de Villas Boas este ano, mas aumenta e do Benfica de 72. O resultado é nosso e inigualável.

Este fim-de-semana, expectativas sobre uma despedida positiva nos seniores e sobretudo uns juvenis campeões.

O Benfica atingiu quatro meias-finais europeias (futebol, hóquei, futsal e andebol) mas deve querer ganhar ainda mais, mesmo sabendo que tanta ilusão, por vezes, pode redundar em grande desilusão.

É um preço de uma grandeza que devemos querer pagar. Depois da conquista de uma Taça CERS, duas décadas passadas sobre a primeira, temos no domingo a nossa primeira final europeia no andebol.

Parabéns ao hóquei e boa sorte ao andebol. Reconhecimento ao mérito e apoio ao esforço."


Sílvio Cervan, in A Bola

Que não se calem!

"Terminada a meia-final da Liga Europa, o senhor Costa não resistiu à “fina ironia” e, pormenor que parece ter escapado à maioria, perdeu a compostura enquanto levantava a voz para exigir que os benfiquistas que, semanalmente, participam em debates televisivos se calassem. “Que se calem!”, vociferou por duas vezes o senhor Costa.

Compreendo o aborrecimento. O clube do senhor Costa ganhou com mérito, mas também ganhou de forma suja. Semanalmente, alguns dos benfiquistas recordaram essa mesma sujidade. Para o senhor Costa eram mais fáceis os tempos em que a docilidade de alguns comentadores e as pressões de alguns canais televisivos faziam com que essa sujidade se pudesse varrer para baixo do tapete, enquanto assobiavam para o ar. Agora não. Além da Benfica TV, há outros canais e outros comentadores que, sem medo, recordam a forma suja com que se alcançaram algumas vitórias. De entre as vozes que merecem o nosso apoio, destaco a de Manuel dos Santos (em debates radiofónicos) e a de Rui Gomes da Silva (em debates televisivos). É importante que sejam os benfiquistas e o Benfica os primeiros a defenderem quem nos defende de forma convicta e que, sem pejos e colocando em risco a própria integridade física, recorda as verdades que tanto incomodam o senhor Costa.

No entanto, as pressões que os amigos do senhor Costa fazem para silenciar essas e outras vozes começam a medrar. Vejo, com um misto de estupefacção e incredulidade, que há quem prefira, em nome de um silêncio ensurdecedor, que essas verdades incómodas não sejam recordadas. Foram demasiados anos a “comer e calar”. Foram demasiados anos a sujeitarmo-nos à ordem “Que se calem!”. Agora não se pode permitir que essa ordem volte a silenciar os benfiquistas. Ceder a essa renovada retórica do politicamente correcto é ceder à ordem do senhor Costa, é deixar de o incomodar com a verdade, e isso já não é admissível. Não é admissível em lado algum e muito menos dentro da nossa casa."


Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Muito mau...







...a continuar assim, sem atitude defensiva, e sem organização ofensiva, não vamos ganhar um único jogo. Desta vez nem foram os triplos, com 13 lances livres falhados, e menos 10 ressaltos do que o adversário, não se pode ambicionar vencer...

A pedagogia do erro

"Na entrevista de 2.ª-feira, o presidente do Benfica reconheceu erros e equívocos que conduziram a uma época mais decepcionante e apontou alguns caminhos para o futuro.

Concordo com a essência do que de expressou, aliás, de um modo bem sincero.

O pecado original começou com a Supertaça, em ambiente excursionista de veraneio. Ali jogavam-se não só um troféu e prestígio, como o primeiro embate com o principal adversário com um novel treinador.

Houve erros na gestão desportiva, dando uma ideia de precariedade e de instabilidade.

Se a saída de Ramires era inevitável (embora o Benfica deva evitar ser placa giratória) e a de Di Maria foi um excelente negócio (e veio Gaitán, potencialmente mais completo), é de todo incompreensível a saída de David Luíz em Janeiro (o próprio Chelsea não o podia utilizar na Champions...). Terá sido uma 'imposição' dos fundos financeiros sobre a gestão desportiva. Mas não se pode prescindir de um jogador fundamental a meio da época, quando se estava em todas as frentes, substituindo-o por um esforçado Jardel, alcandorado directamente da 4.ª divisão do Brasil, via Olhanense! O certo é que o SLB sofre golos há 18 jogos consecutivos! Um mau recorde.

Depois, há o caso mal gerido do Roberto, lançado às feras sem adaptação gradual e a demora em substituir os alas (foi o caso do excelente Salvio) quando, há meses, se sabia da saída de Di Maria e Ramires.

Por fim, fazendo fé no que li em A BOLA, não pareceu avisado Luís Filipe Vieira ter ido a Madrid precisamente na semana que antecedeu a meia-final em Braga, negociar (?) um (o) jogador fundamental Fábio Coentrão.

Erros severos que, ao menos, servirão, pedagogicamente, de lição. Ainda bem."


Bagão Félix, in A Bola

Já não há amor à camisola

"SE o Benfica fosse um clube pequeno (ou mesmo médio) teria concluído na última quinta-feira uma época notável: tinha conquistado um título oficial, a Taça da Liga, tinha sido semi-finalista da Taça de Portugal e da Liga Europa e iria acabar o campeonato no lugar de vice-campeão.

Felizmente, o Benfica é um clube grande e não é um clube pequeno ou médio. Portanto concluiu, lamentavelmente, na última quinta-feira uma temporada muito má. E como se não lhe bastassem os resultados desportivos, para piorar as coisas, ainda fez questão de primar por momentos sociais e de comunicação entre o apatetado e patético.

Foi um Luís Filipe Vieira acabrunhado, e isso só lhe fica bem, que falou na noite de segunda-feira aos benfiquistas através da estação de televisão do clube. Fez bem o presidente do Benfica em oferecer a cara ao descontentamento popular, sujeitando-se ao crivo das opiniões a favor e contra as suas palavras. Foi humilde ao reconhecer erros da casa, da estrutura e os seus próprios erros. E ainda foi mais humilde ao prometer que, na Luz, ninguém mais voltará a prometer títulos em tempo de defeso.

Pode ser que fique esta lição, que já é bem importante de aprender.

Por não ser um clube pequeno nem médio, os benfiquistas exigem ao Benfica que reaja como grande Benfica, um clube grande, o maior do país, num momento tão frustrante como este que está a viver. Por essa razão talvez fosse dispensável, até em nome do bom senso, aquela parte do discurso de Luís Filipe Vieira em que o presidente do grande Benfica assegurou 'todos os sacrifícios' para garantir a continuidade de Salvio.

Que o tempo - pois, pois, esse grande escultor...- não venha a reduzir ao estatuto de pequeno Benfica esta garantia de Vieira, é o que se deseja.

De todos os modos, um verdadeiramente grande Benfica, à dimensão do seu poderio histórico e mítico, estaria hoje muito pouco preocupado em fazer 'todos os sacrifícios' por Salvio. Estaria, porventura, mais empenhado em bater os 20 milhões da cláusula de rescisão de Falcao. Isso, sim, é que era grande. Até porque já não há amor à camisola.




DOMINGOS PACIÊNCIA vai estar em Dublin com todo o mérito a dirigir o Sporting de Braga na final da Liga Europa mas os adeptos minhotos já foram informados, com mais de uma semana de avanço, que o próximo clube do seu treinador é outro.

Inácio, que foi treinador campeão em Alvalade, já desejou felicidades a Domingos mas ressalvou um pormenor de grande importância: 'Vamos ver se Domingos tem no Sporting parede para se segurar', disse.

Não haja dúvida de que o futebol português tem muitas metáforas. Agora chegámos às metáforas da construção civil. Mas Inácio deve saber de que 'parede' está a falar porque, certamente, não lhe faltou 'parede' quando foi campeão com o Sporting.




UM rapazinho chamado Pizzi, nascido em Bragança, prestou um belo serviço à memória de Jimmy Hagan e apontando de rajada três golos ao FC Porto conseguiu que o recorde do treinador inglês se mantivesse imbeliscável. Hagan conduziu o Benfica ao título de campeão em 1972/1973, um campeão sem derrotas e apenas com dois empates.

Fraco consolo este para os jovens benfiquistas do presente. Salvou-se o velho recorde de Jimmy Hagan e ainda bem porque Hagan não merecia ser arrolado como destroço nesta época tão desastrosa do Benfica.

Villas Boas, no 3-3 de domingo com o Paços de Ferreira, também quebrou uma série muito vincadamente sua neste campeonato. Pela primeira vez conseguiu não ser expulso tendo empatado o jogo.

Nos dois empates anteriores, com o Vitória de Guimarães e com o Sporting, Villas Boas viu sempre o cartão vermelho e, inteligentemente, nas semanas que se seguiram a esses únicos contratempos, fez com que o mau tema dos pontos perdidos fosse substituído nas conversas de rua e na comunicação social pelo bom tema da injustiça de que foi alvo o jovem treinador do FC Porto em defesa dos interesses da sua equipa.

Mas ao terceiro empate, com o título ganho, já nem valia a pena dar-se a tal trabalho. E também é verdade que o terceiro golo de Pizzi chegou apenas nos descontos. Já nem deu tempo para pensar no assunto.




O futebol português reuniu-se em congresso na Maia e os árbitros tiveram direito à palavra. Vítor Pereira, o presidente da referida classe, fez uma afirmação interessante e que dá que pensar sobre o estatuto de amadorismo dos árbitros: 'Ninguém é amador a ganhar 40 mil euros por ano, Os árbitros não são o parente pobre do futebol e em alguns casos ganham mais do que alguns jogadores profissionais das competições profissionais.'

Deve ser felicitado Vítor Pereira por revelar sem meias palavras uma realidade de que o adepto comum andava, por certo, distante de imaginar.

Seguindo uma lógica de mercado, os melhores árbitros portugueses são os que apitam mais vezes os jogos mais importantes e, por isso mesmo, são muito bem pagos.

Conclusão: acabou-se o tempo do amor à camisola.

Jorge Sousa, árbitro do Porto, também falou na Maia e escolheu como tema a liderança como requisito fundamental da arte de bem apitar. Para tornar as suas ideias mais claras, Jorge Sousa disponibizou-se para se dar a si próprio como exemplo: 'Se em nossa casa quem manda é a nossa mulher dificilmente num jogo conseguiremos liderar', disse.

Conclusão: ah, valente!




A propósito desta tirada de Jorge Sousa, tão rica de materiais sociológicos, vem-nos à ideia de que seria importante deixar os árbitros falar no fim de todos os jogos. Pois se são eles tão bem ou melhor pagos do que muitos jogadores profissionais, se são parte preponderante nos desafios, porque razão estão impedidos de assumir a sua merecida quota-parte de protagonismo deixando-nos ouvir as suas vozes formulando em voz alta os seus pensamentos?

Muitas vezes, para desculpar más decisões das equipas de arbitragem, se diz que errar é humano e que sendo os juízes humanos também podem errar sem que venha ao mundo maior desgraça do que essa mesmo, a de errar. Mas, precisamente, para lhe conferir perante o adepto comum o estatuto de humanidade era urgente ouvi-los falar todos os fins-de-semana. Ficavam iguais aos demais, a jogadores, a treinadores, a presidentes, a deixavam de ser aquelas figuras misteriosas e silentes que emprestam tão pouco de si próprios à indústria.

No nosso futebol só conhecemos os raciocínios, os dons particulares de expressão, a lógica, as metáforas mais utilizadas, a eloquência, o saber estar dos árbitros quando estes acabam as suas carreiras e passam a comunicar directamente connosco através dos jornais onde escrevem ou das estações de rádio e de televisão com quem colaboram. E aí, sim, finalmente conhecemos de perto essas pessoas que, já não sendo árbitros, estão finalmente autorizadas a revelar quem são, como pensam, como falam.

É, no entando, tarde para o efeito de humanização pretendido. Por já não serem árbitros já não lideram o que importa e já estão, perante a opinião pública, num patamar abaixo do já de si incrivelmente baixo patamar das mulheres que não mandam nas suas casas.

E esta já é uma grande inferioridade."


Leonor Pinhão, in A Bola

"...todos mamavam..." !!! (e continuam a mamar)

Devido à manutenção do Blogger, os meus últimos post's 'desapareceram'!!! Devido à importância do tema, deixo aqui o vídeo da 'confissão' do Jacinto Paixão:




No post original, questionei a relevância que foi dada à decisão do Tribunal Administrativo no dia anterior, e o quase 'esquecimento' que esta confissão teve, por parte dos mesmos avençados.

Os Benfiquistas não podem ignorar que estes métodos continuam a ser utilizados...

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Fábio Coentrão

"Não sei se Fábio Coentrão é benfiquista desde pequenino. Até creio que não. Mas que joga à Benfica como ninguém é uma realidade. No clube que o catapultou para o topo desportivo, Coentrão foi o que toda a equipa deveria ter sido. Determinante, virtuoso, incansável (literalmente), fulminante. Jogos houve em que ele, praticamente só, transportou a equipa e animou os benfiquistas.

Nele tudo transparece com vivacidade e autenticidade, como que vindo vulcanicamente das entranhas da alma. Um golo por si marcado e festejado ou uma vitória espelham-se naquele corpo franzino e rosto esguio, de um modo superlativo e contagiante. Assim como o desaire é por ele vivido com a estampa de um rosto revoltado, amargurado e sofrido.

É por todas estas razões e pelo que já deu ao meu clube, que o admiro e felicito vivamente. Não esquecendo Jorge Jesus que o moldou como um jogador de elite, porventura o melhor jogador mundial na sua posição.

Sei que não é fácil segurá-lo, num tempo de ditadura dos milhões. Mas não é impossível. Coentrão tem dito repetidamente que adora o clube e tem muitos anos pela frente. Sem Fábio, o Benfica fica acentuadamente diminuído porque ele é meia-equipa. E leva multidões ao estádio. Os 30 milhões da cláusula de rescisão são uma minudência face ao que pode dar de retorno para o futuro do Benfica. Não há euros que compensem a alma futebolística de Coentrão.

Será um erro que se pode vir a pagar bem mais caro, aceitar a sua transferência. Como, aliás, se viu este ano com outros jogadores fundamentais. Não há equipa e treinador que resistam à saída constante dos seus melhores. Coentrão é dos nossos, é o melhor e cá deve ficar. Bem compensado, evidentemente."


Bagão Félix, in A Bola

Altos & Baixos !!!






Desta vez foi mais um 'baixo' !!! Entre o mérito dos guarda-redes adversários, o demérito dos nossos jogadores ao falharem inúmeros golos aos 6 metros isolados, uma defesa 'mole' já a pensar na final da Challenge, com jogadores lesionados, ou 'meio' lesionados, e um duo de patetas mal intencionados com um apito da boca !!! Somando tudo, podemos encontrar as explicações para a derrota...

Benfica processa judicialmente Sportinveste Multimédia

"Muitos sócios do Sport Lisboa e Benfica foram surpreendidos esta terça-feira à tarde, dia 10 de Maio, ao receberem no seu mail uma newsletter do FC Porto. Mais do que de mau gosto ou incompetência ficam no ar as reais intenções de quem na Sportinveste Multimédia, gere a distribuição do correio electrónico do Sport Lisboa e Benfica. Situação que decorre, por contrato, desde 2003.
Além da indignação que a situação motiva, esta acção justifica a não renovação de contrato que o Conselho de Administração da Benfica Multimédia tinha assumido em Fevereiro deste ano e que se efectiva a partir do próximo mês de Novembro.
As pessoas são responsáveis pelos seus actos e as empresas devem ser responsabilizadas pelas acções dos seus funcionários. Face a gravidade da situação o Sport Lisboa e Benfica irá agir judicialmente contra a Sportinveste Multimédia."



Da entrevista de ontem, gostei bastante do que ouvi em relação aos Direitos Televisivos. E nem sequer foi a afirmação, que o Benfica e o Oliveirinha nunca estiveram tão afastados.

Se ninguém oferecer o que o Benfica quer, o Benfica assume a transmissão dos jogos (não foi dito, mas foi insinuado), provavelmente através de um canal Pay-Per-View do Meo. Acho que pagar €5 (à volta disso) para ver o jogo em directo na TV (300 mil pagantes é um numero razoável), é um bom negócio para o Benfica, agora mais a publicidade, tudo isto vezes 15, é só fazer as contas...

Este incidente com a Newsletter, não sei se foi premeditado, ou pura incompetência, mas o Benfica faz muito bem aproveitar esta situação, para 'cortar' definitivamente com estes 'chupões'!!!

segunda-feira, 9 de maio de 2011

NeoBlanc 29

Tabela Anti-NeoBlanc:
Benfica...... 62 (-14)...76 (-5)
Corruptos..... 81 (+12)...69
Braga............46(+5)...41
Sporting........ 45 (+6)...39



Anexos:

Benfica

1ª-Académica, Prejudicados, Com 3 pontos
2ª-Nacional, Prejudicados, Com 3 pontos
3ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Guimarães, Prejudicados, Com 3 pontos
5ª-Sporting, Nada a assinalar
6ª-Marítimo, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
7ª-Braga. Nada a assinalar
8ª-Portimonense, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Paços Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Corruptos, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Naval, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar, Prejudicados, Sem influência no resultado
13ª-Olhanense, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Rio Ave, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
15ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Académica, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Nacional, Prejudicados, Sem influência no resultado
18ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
19ª-Guimarães, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Sporting, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Marítimo, Prejudicados, Sem influência no resultado
22ª-Braga, Prejudicados, Com 3 pontos
23ª-Portimonense, Nada a assinalar -- (equipa B -2)
24ª-Paços Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
25ª-Corruptos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
26ª-Naval, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado -- (equipa B -3)
27ª-Beira-Mar, Prejudicados, Sem influência no resultado
28ª-Olhanense, Prejudicados, Com 2 pontos
29ª-Rio Ave, Nada a assinalar


Corruptos

1ª-Naval, Beneficiados, Com 3 pontos
2ª-Beira-Mar, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
3ª-Rio Ave. Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
5ª-Nacional, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
6ª-Olhanense, Nada a assinalar
7ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Académica, Nada a assinalar
10ª-Benfica, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
11ª-Portimonense, Nada a assinalar
12ª-Sporting, Prejudicados, Com 2 pontos
13ª-Setúbal, Beneficiados, Com 3 pontos
14ª-Paços de Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Marítimo, Nada a assinalar
16ª-Naval, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar, Beneficiados, Com 2 pontos
18ª-Rio Ave, Beneficiados, Com 2 pontos
19ª-Braga, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Nacional, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Olhanense, Nada a assinalar
22ª-Guimarães, Nada a assinalar
23ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência do resultado
24ª-Académica, Nada a assinalar
25ª-Benfica, Beneficiados, Prejudicados, Impossível de contabilizar no resultado
26ª-Portimonense, Nada a assinalar
27ª-Sporting, Beneficiados, Com 2 pontos
28ª-Setúbal, Nada a assinalar
29ª-Paços de Ferreira, Prejudicados, Com 2 pontos


Sporting

1ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Marítimo, Nada a assinalar
3ª-Naval, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Olhanense, Beneficiados, Com 1 ponto
5ª-Benfica, Nada a assinalar
6ª-Nacional, Nada a assinalar
7ª-Beira-mar, Nada a assinalar
8ª-Rio Ave, Nada a assinalar
9ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Guimarães, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Académica, Nada a assinalar
12ª-Corruptos, Beneficiados, Com 1ponto
13ª-Portimonense, Nada a assinalar
14ª-Setúbal, Nada a assinalar
15ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
16º-Paços de Ferreira, Prejudicados, Com 3 pontos
17ª-Marítimo, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
18ª-Naval, Nada a assinalar
19ª-Olhanense, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Benfica, Beneficiados, Sem influência no resultado
21ª-Nacional, Beneficiados, Sem influência no resultado
22ª-Beira-Mar, Beneficiados, Com 3 pontos
23ª-Rio Ave, Nada a assinalar
24ª-Leiria, Nada a assinalar
25ª-Guimarães, Beneficiados, Com 1 ponto
26ª-Académica, Nada a assinalar
27ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
28ª-Portimonense, Nada a assinalar
29ª-Setúbal, Nada a assinalar


Braga

1ª-Portimonense, Nada a assinalar
2ª-Setúbal, Nada a assinalar
3ª-Marítimo, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
5ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
6ª-Naval, Nada a assinalar
7ª-Benfica, Nada a assinalar
8ª-Olhanense, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave, Nada a assinalar
10ª-Beira-Mar, Prejudicados, Com 2 pontos
11ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Nacional, Beneficiados, Com 2 pontos
13ª-Leiria, Nada a assinalar
14ª-Académica, Nada a assinalar
15ª-Sporting, Prejudicados, Com 1 ponto
16ª-Portimonense, Nada a assinalar
17ª-Setúbal, Nada a assinalar
18ª-Marítimo, Nada a assinalar
19ª-Corruptos, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
21ª-Naval, Nada a assinalar
22ª-Benfica, Beneficiados, Com 3 pontos
23ª-Olhanense, Nada a assinalar
24ª-Rio Ave, Beneficiados, Com 2 pontos
25ª-Beira-Mar, Nada a assinalar
26ª-Guimarães, Nada a assinalar
27ª-Nacional, Nada assinalar
28ª-Leiria, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
29ª-Académica, Nada a assinalar

domingo, 8 de maio de 2011

Dia Histórico para o SL Benfica





Pela segunda vez na nossa História, vencemos uma Competição Europeia de Hóquei em Patins, em ambas as situações a Taça Cers. 20 anos foi o tempo 'necessário' para reconquistar o troféu!!! Podem tentar desvalorizar esta vitória (não é a Liga dos Campeões), mas a forma como foi conquistada é merecedora de todos os elogios. Para chegar aqui eliminámos provavelmente a 2ª melhor equipa desta competição, os Italianos do Lodi, e hoje na final defrontámos a equipa da casa, num ambiente extremamente adverso. E se não fosse a vantagem confortável conquistada durante o jogo, os últimos 5 minutos poderiam ter sido fatais, já que os árbitros não 'aguentaram' a pressão (para minha surpresa, até tiveram a um nível aceitável durante os primeiros 45 minutos), o regabofe foi total, só faltou pegar na bola, e meterem-na dentro da baliza do Ricardo!!! Mas o próprio Ricardo Silva, e os postes não deixaram...

Grande jogo de toda a equipa, mas com o Expresso de Turquel (Alcobaça): Diogo Rafael em grande evidência, com golos, assistências, sacando faltas, e muita, muita entrega, aliás como é habitual...

Para o ano vamos estar na Liga dos Campeões, já se fala em 'mudanças', mas eu prefiro falar no final da época após as confirmações, mas adianto que não são necessárias grandes revoluções, porque a base está criada, só espero que na ânsia do reforço imediato, com jogadores supostamente mais experientes, não se vá desperdiçar o talento mais irreverente... existe espaço para rectificar, até porque o Barcelona, o Réus, e o Liceo estão a um nível mais elevado, mas...



PS: As celebrações do Paulo Almeida eram desnecessárias, eu sei que não deve ter sido fácil, estar todo o jogo a ser ofendido por parte dos muitos 'aziados' Catalães, mas não vale a pena...

Só faltam 90 minutos !!!

Rio Ave 1 - 2 Benfica

Cardozo(2)



Até foi mais fácil do que eu estava à espera (excepto os últimos minutos!!!). Como é óbvio esta vitória vale quase nada, mas uma 'não vitória' seria sempre muito valorizada. Nestes momentos de final de época, onde nada se decide, onde inclusive existe uma forte carga negativa, com muito sonho perdido, é muito fácil, tornar as coisas ainda piores daquilo que já estão, por tudo isso, e muito mais, estes 3 pontos são muito úteis. Nada rectificam, mas pelo menos não abrem novas feridas.


Mais um bom jogo de Carole, um Gaitán a jogar solto, como ele mais gosta. Finalmente um Cardozo efectivo. Segunda parte em descompressão com algumas distracções. Acabámos com um meio-campo defensivo extremamente reforçado, um exemplo daquilo que às vezes é necessário fazer, não se pode jogar sempre para a 'frente'... Os apitadores definitivamente não dão 'descanso'!!! Nos foras-de-jogo até tiveram quase sempre bem, mas o 'principal' deu Show!!! É inacreditável a facilidade como se marca faltas ofensivas ao Benfica, sempre que os nossos avançados pressionam os defesas adversários!!! Nos Cartões, mais um 'festival'...!!!

...e aí está, a esperada Final

Académica 63 - 80 Benfica


Obrigação cumprida. Este será concerteza o Campeonato mais difícil dos últimos 3 anos: não temos a vantagem de jogar em 'casa', e o nosso adversário está mais forte. Durante a época já vencemos 2 títulos, em finais com os Corruptos, ambos pela diferença mínima, em sentido inverso nos outros jogos, fomos derrotados por larga margem. Sendo que os triplos dos Corruptos foram sempre o factor decisivo nesses jogos. Se os Corruptos repetirem as percentagens completamente anormais de triplos, com jogos onde quase 2/3 dos seus pontos são consequência dos triplos, então teremos poucas hipóteses, se nesse aspecto forem jogos 'normais', o Benfica estará na luta. Na minha opinião no jogo interior temos larga vantagem, mas o Minhava e o Ben não tem substitutos ao mesmo nível, o que os sobrecarrega com minutos. O Chandler inspirado ofensivamente poderá ser um arma, mas tem que se empenhar mais na defesa, e discutir menos todas as situações do jogo...

Será também importante não responder às provocações nos jogos fora, principalmente o Ben tem que ter calma, e pensar exclusivamente no jogo. Uma vitória no antro da Corrupção poderá ser essencial para criar o ambiente desejado nos jogos da Luz!!!

Não gostei

Benfica 2 - 3 Sporting


Voltámos a entrar mal no jogo, voltámos a dar de 'avanço' (desta vez dois golos!!!). E se até agora, a nível interno as 'remontadas' têm acontecido, internacionalmente as coisas já têm corrido mal... E se até agora tínhamos um importante ascendente psicológico sobre os Lagartos (sem derrotas), a partir de agora as coisas mudaram...
Mesmo assim, e após muito esforço, conseguimos empatar a 56 segundos do fim da segunda parte, o que só tornou o erro do Diece que deu o 3º golo Lagarto (no início do prolongamento), ainda mais cruel. Também tenho dificuldades em explicar, a razão pela qual o Benfica quando ataca 5 para 4, não consegue criar qualquer perigo!!! Bem pelo contrário...
A competição mais importante do ano, vai agora entrar na fase decisiva, é bom que a equipa respire fundo, recupere todos os problemas físicos (hoje faltou o Joel no máximo), e entre em todos os jogos, com 'fome' de vitórias, porque não interessa (interessa pouco) o numero de títulos que estes jogadores já 'entregaram' ao Benfica, a memória é curta, e o presente exige vitórias...

Juvenis - 5ª jornada - Fase Final

Diego Lopes






Ao intervalo, pensei que finalmente tinha descoberto a 'utilidade' dos Lagartos!!! Já que estavam a ganhar 0-1 com os Corruptos, mas foi 'sol de pouca dura'!!! Rapidamente voltaram ao seu estado 'natural' de perfeita inutilidade!!! Assim, ainda não somos Campeões. Na próxima jornada, recebemos os Corruptos, podemos inclusive perder por um golo de diferença!!! Mas acredito na vitória, temos melhor equipa, jogamos em casa (lá vencemos por 3-2), e estes jogadores no passado já mostraram não tremer. Ainda por cima o 'goleiro' lá de cima, parece que costuma 'frangar'!!! Não temos nada a temer, mas também nada de facilidades...


Benfica........13 (12-6)

Corruptos....10 (9-6)

Sporting.......5

Padroense....0