Últimas indefectivações

sábado, 17 de março de 2012

No bom caminho...



ERG Iserlohn 2 - 8 Benfica



Só falta um pontinho!!! Mas não será fácil, o último jogo na Luz vai ser uma autêntica final. O Vic venceu hoje pela margem mínima o Lodi, assim na última jornada Benfica e Vic lideram com 10 pontos, e o Lodi é segundo com 9. Sendo que os Italianos na última ronda vão receber e seguramente vencer o Iserlohn, assim o vencedor do jogo da Luz, Benfica-Vic, será o 'premiado'. Não conheço os critérios de desempate, mas creio que o empate será suficiente, o Benfica (33-16) neste momento tem uma vantagem enorme sobre todas as outras equipas (Vic 20-14, Lodi 21-19), mas como jogar para o empate é muito perigoso, acredito que com um Pavilhão composto, podemos repetir o jogo contra o Lodi... mas é necessário muito cuidado, porque estas equipas Espanholas jogam quase sempre muito bem, no 'contra'!!!

Sem abrandar...



Benfica 7 - 1 Boavista



Vitória esperada, depois de começar a perder logo no primeiro minuto!!! Num 'estranho' jogo, onde o Benfica marcou 3 golos de penalidade!!! Com um calendário muito apertado, o Benfica tem conseguido gerir bem o esforço, e apesar da lesão do Joel, os resultados e as exibições têm sido convincentes.

Não é impossível, mas está difícil...



HC Celje 29 - 23 Benfica


O Benfica não tem qualquer grau de favoritismo para esta eliminátória, o curriculum dos Eslovenos tanto a nível do clube, como a nível das Selecções é muito superior ao nosso, mas a bola é redonda... Seis golos é uma vantagem ultrapassável, com um grande jogo do Benfica, com muita crença e muito apoio, se os Eslovenos pensarem que a eliminatória está ganha podem ter 'azar', mas o contrário também pode acontecer: com o Benfica a baixar os braços caso o resultado não seja favorável!!! Temos que acreditar...!!!

Objectivo falhado



Benfica 62 - 66 Corruptos

21-15, 17-17, 10-15, 14-19



Não vi o jogo, portanto só posso analisar as estatísticas: O Benfica teve melhor percentagem nos lançamentos de 2, o Benfica teve melhor percentagem nos lançamentos de 3, o Benfica concretizou mais pontos, tanto nos lançamentos de 2, como nos lançamentos de 3, o Benfica ganhou mais ressaltos defensivos e ofensivos, o Benfica fez mais assistências, e mais desarmes de lançamento... fizemos mais um 'turnover' do que o adversário, e permitimos mais roubos de bola, mas a estatística mais 'estranha' - e que explica o resultado - foi a dos lances livres. O Benfica marcou 7 em 9 tentativas, os Corruptos marcaram 19 em 24 tentativas!!!! São 12 pontos de diferença!!! Os Corruptos foram para a linha de lance livre, praticamente, 3 vezes mais do que o Benfica!!! Repito não vi o jogo, mas com jogadores como o Betinho, o Scott, e o Carreira a fazer muitos minutos, jogadores que habitualmente abusam das entradas para o cesto, é estranho, muito estranho, que o Benfica tenha ido somente 9 vezes para a linha de lance livre...!!!

Aparentemente, desta vez não foi a defesa que 'cedeu', mas a equipa tem que encontrar a formula para dar a volta à situação nos Play-Off's, tínhamos ganho os 2 primeiros jogos da época contra os Corruptos, perdemos hoje, confirmando a tendência de abaixamento de forma, será o regresso do Sérgio - habitualmente o homem das decisões nos últimos segundos nos jogos grandes - suficiente?!!! Hoje tivemos à frente nos 3 primeiros períodos, e só cedemos no 3º!!!

Também não vale a pena nesta altura da época questionar o treinador, porque não haverá alterações, depois, no 'defeso' haverá tempo para isso...!!!

Gerir

Benfica 3 - 1 Beira Mar


Vitória clara, em jogo aborrecido, contra uma equipa pouco competitiva... os golos acabaram por aparecer naturalmente, em bonitas jogadas colectivas, mas com os 3 pontos garantidos o Benfica que já estava a jogar devagar, conseguiu jogar ainda mais lento!!! Acabou por ser um jogo 'conveniente', já que a série de jogos que se segue, promete muita intensidade, assim esta noite deu para gerir o esforço... os adeptos queriam uma goleada, o próprio Jesus queria mais golos, mas ficamos só com os 3 pontos!!!

É óbvio que o calcanhar do Nelson no 3º golo 'marca' o jogo, mas isso não pode esconder os naturais erros cometidos pelo Nelson durante o resto do jogo. É verdade que com a sua velocidade, e com a sua força, desgasta qualquer defesa, mas tem que 'crescer' nos passes, não pode exagerar nos dribles, nem nos toques bonitos, mas temos claramente jogador... O golo sofrido era completamente desnecessário (o Jesus tem razão), mas ao contrário do que os 'assobiadores' profissionais de bancada, a responsabilidade, foi toda do Jardel, e não foi do Emerson... O Jardel que estava a fazer uma exibição perfeita!!! Com o calendário apertado que temos pela frente, é necessário ter todos os jogadores disponíveis a qualquer momento, por isso mesmo, não gostei nada das entradas no jogo do Nolito e do Rodrigo...

Reparei que muitos benfiquistas saíram do Estádio, chateados!!! O jogo foi fraquinho, o adversário tentou montar o 'autocarro', não conseguiu, e nada fez para merecer o golo... mas esta falta de competitividade é a marca do Campeonato Nacional, e quem dizer o contrário está mentir (incluindo o Jesus!!! Não vencemos por causa do árbitro, não vencemos injustamente com uma enorme 'vaca', o opositor não fez mais, porque simplesmente não sabe mais (e o treinador também não ajuda!!!), portanto não veio fazer nenhum frete... sendo assim, só podemos estar contentes pelo vitória...!!!

sexta-feira, 16 de março de 2012

Chelsea



O pedido de Jesus foi respeitado (e o da UEFA também: com uma muito provável final Barça-Real!!!), em condições normais temos equipa para ganhar ao Chelsea (com o seu ex-treinador estava garantido!!!), mas as recentes vitórias moralizadoras dos Ingleses alteraram um pouco o cenário, é verdade que neste último jogo com o Nápoles, o Chelsea teve muita sorte, pessoalmente acho que os Italianos não mereciam ter sido eliminados, mas a confiança que faltava ao Chelsea, regressou, independentemente da maneira como a vitória foi alcançada.

Sendo verdade que temos legitimas aspirações, também é verdade que só um Benfica, no seu máximo poderá ser feliz, com humildade, garra, ambição e sem lesões... e no meio disto tudo não nos podemos esquecer que vamos ter que jogar com o Braga na Luz, no intervalo dos dois jogos com os Londrinos, e não tenho hesitações em afirmar que o jogo para o Campeonato é sem dúvida o mais importante (neste momento ainda não se sabe, mas será de grande importância, jogar a 1.ª mão na Luz, à Terça-feira e depois jogar na Quarta-feira em Londres, o contrário é muito penalizador)!!!

Resumindo: o sorteio podia ter melhor, mas também podia ter sido pior!!! A única mágoa que fica, é o facto de ter que receber o David Luiz e o Ramires como adversários!!! Mas se com o Zenit, encavámos um ex-Corrupto (sempre Corrupto!!!), agora é a vez de encavar outro ex-Corrupto (sempre Corrupto!!!), Meireles de seu nome!!! E se passarmos vamos jogar com o vencedor do Milan-Barça, e que grande noite Europeia teríamos!!!

quinta-feira, 15 de março de 2012

Este é o momento ideal para embalar...!!!

Terceira Basket 55 - 102 Benfica

17-36, 15-19, 9-21, 14-26




Vitória esperada, com muitas facilidades... Para mim a grande nota deste jogo foi o regresso do Tomás Barroso, após uma lesão muito prolongada, finalmente regressou... agora só falta o Sérgio!!!

O jogo ainda não acabou - no momento que escrevo este post -, mas vamos quase de certeza jogar contra os Corruptos nas Meias-finais no próximo Sábado. Os resultados e as exibições não têm sido as melhores, por isso mesmo, a vitória ainda é mais importante!!!

Mil 'likes' para o delegado Armindo

"O delegado Armindo segundo a comunicação social, foi «suspenso», o que não é a mesma coisa que ser, por exemplo irradiado

«O que é preciso o Orelhas fazer barulho e logo os árbitros beneficiam o Benfica... entreguem-lhes as faixas.»
«O Presidente Pinto da Costa tem de abrir a boca e falar sem medo. O Vieira descascou no árbitro e viram que resultou logo mandarem um árbitro para prejudicar o FCP.»
«Segundo o porco do J. Jesus todos gostariam de ir no lugar do Benfica, não tem jeito de treinador, parece um chulo do Bairro Alto.»

COM toda a franqueza, não percebo a razão deste escândalo. Para que serve um delegado da Liga? É esta a primeira questão que nos devemos colocar quando surge de rompante na ordem do dia essa grande anedota do delegado da Liga que, no domingo à noite, foi para o Facebook desabafar a sua desilusão e revolta consumado que estava o empate do FC Porto frente à Académica.
Portanto, voltamos ao início. Para que serve um delegado da Liga?
Quais são as suas áreas de jurisdição? Analisa o trabalho dos árbitros? A sua capacidade de observação tem poder efectivo e disciplinador sobre a organização dos jogos, sobre o comportamento do público, dos dirigentes e dos adeptos? Os seus relatórios à Liga podem induzir castigos ou louvores a terceiros, promoções ou despromoções na carreira?
Um delegado da Liga é uma espécie de polícia da Liga?
Ou é um detective?
Ou é um pau mandado, um verbo-de-encher, um papel de embrulho?
O senso comum presume que um delegado da Liga será alguém, em primeiro lugar, isento e, em segundo lugar, independente e distante dos clubes e dos interesses dos clubes da Liga.
Se for assim, o único interesse do delegado da Liga é pôr-se a milhas das máquinas de propaganda dos clubes, das discussões entre rivais. E pôr-se o mais perto possível dos sucessos da organização dos espectáculos e da justiça das decisões tomadas sobre os factos que observou com total isenção e que reportou à Liga, tal e qual como se passaram, sem tirar nem pôr.
Como se explica, então, que o senhor Manuel Armindo, delegado da Liga, de cabeça aparentemente perdida com o inesperado empate do FC Porto em casa, tenha escolhido expressar a sua mágoa e mais uns quantos insultos ao treinador e ao presidente do Benfica através de uma rede social?
Saberá o delegado da Liga o que é o Facebook?
À partida, quando se trata de Facebook, convenhamos que um delegado da Liga é exactamente igual a qualquer outro cidadão com conta aberta na dita rede social. E não há razão para que não seja igual aos demais.
De um modo geral, qualquer pessoa que poste do Facebook os seus pensamentos, desabafos e até confidências, fá-lo por duas razões:
1) Para que lhe achem piada.
2) E porque sabe que os relambórios por mais atrevidos ou melancólicos que sejam acabam sempre por ser inconsequentes.
No capítulo de lhe acharem os amigos piada, pode-se dizer que o delegado Armindo fez o mais do que merecido sucesso com que estava a contar. Terá tido, presumo, 954 likes, o que é bem bom, perto de um milhar de aprovações.
Já no capítulo da inconsequência prática da publicação dos seus pensamentos, o senhor Manuel Armindo espalhou-se ligeiramente ao comprido porque confiou em demasia na boa índole do seu amável grupo de amigos.
E o que dá ter tantos amigos. Acaba sempre por se apresentar um como delator e contravapor.
E agora, para cúmulo, está o bom do delegado Armindo suspenso pela Liga por ter violado de modo «grosseiro» os seus deveres e responsabilidades. Isto levanta questões constitucionais. Mas desde quando é que uma pessoa pode ser penalizada por dizer o que lhe vai na alma? Alguém duvida da sinceridade do delegado da Liga?
Sosseguem, caros leitores, porque o delegado Armindo, segundo a comunicação social, foi «suspenso» o que não é a mesma coisa do que ser, por exemplo, irradiado. E, assim sendo, mais dias, menos dia, vamos ter o delegado Armindo de regresso às suas funções que exercerá como sempre as exerceu: com isenção, distância e boas maneiras.
A única coisa que vai mudar no comportamento do delegado Armindo vai ser a sua relação com o Facebook. É, como todos sabemos, que não se pode passar do chat para o mural por dá aquela palha ou dá cá aquele penalty. Ou, mais estúpido ainda, consentir no roubo da password, que é precisamente o que lhe deve ter acontecido.
Ficará também para sempre a vontade de adivinhar qual seria a senha de acesso à página do Facebook do delegado Arlindo.
Têm sugestões? Qualquer coisa como Lisboareder ou mesmo 17551755, que é o ano do grande terramoto que destruiu a Capital, mas a dobrar.
Também é importante que o vasto público que tem acompanhado este drama (provocado pela porcaria das novas tecnologias) se sinta confortado num aspecto: o delegado Armindo é apenas um entre muitos delegados da Liga.
Ou seja: fundamental, nestes casos, é nunca cair na tentação de confundir a árvores com a floresta.
Respeite-se, portanto, a floresta. Excepção feita à aselhice cibernauta do delegado Armindo, todos os restantes delegados da Liga de Clubes são uns verdadeiros ases do Facebook.
Façam o favor de continuar a dormir descansados.

O Benfica mostrou uma boa atitude em Paços de Ferreira e não tremeu perante a responsabilidade que se lhe exigia: aproximar-se do FC Porto depois de os campeões nacionais, na véspera, terem tropeçado em casa perante a Académica de Pedro Emanuel, como era de esperar. Isto dando razão às palavras atribuídas ao delegado Arlindo no Facebook. Basta o Orelhas protestar que mandam logo um árbitro para roubar descaradamente o FC Porto.
Foi o que se viu no Dragão na noite de domingo. Noite e quase até de madrugada porque o jogo só terminou muitíssimo depois da hora prevista.
Voltemos a Paços de Ferreira. O Benfica esteve bem, soube mais uma vez reagir a um resultado negativo, marcou dois bonitos golos e tornou-se difícil eleger o melhor benfiquista em campo.
No entanto, e pedindo desculpa a Gaitán, que fez o seu melhor jogo em muitos meses, a Bruno César, que continua a ser decisivo, e a Javi Garcia, sempre igual a si próprio, o melhor benfiquista em campo foi Melagrejo que joga no Paços de Ferreira.
A sua exibição em 90 minutos foi altamente reconfortante para todos os benfiquistas por uma série de razões que nem vale a pena estar a enunciar.
Curiosamente, tenho um amigo portista que assim que acabou o jogo me mandou uma mensagem pelo telemóvel com os seguintes dizeres: «o Melagrejo estava tão condicionado que até conseguiu acertar uma bola no poste só para não marcar um golo contra o Benfas. Isto é sempre a mesma vigarice.»
É um bom amigo, a quem estes desabafos de perdoam.
Por isso mesmo, atrevo-me a sugerir à Liga que o contrate para seu delegado em substituição do delegado Armindo, enquanto este estiver suspenso. E eu nem sou pessoa de pedir empregos para ninguém.

ESTE alargamento da Liga para 18 clubes sem descidas de divisão é dos momentos mais tristes do futebol português. Se lêssemos que uma coisa destas se ia passar na Colômbia, no Senegal ou nas arábias, não faltariam os encolheres de ombros, as interjeições de desdém e de auto-conferida-superioridade perante os desgraçadinho do Terceiro Mundo que estão muito atrás de nós.
Mas é em Portugal que querem que uma anormalidade destas se passe. A um terço do fim do campeonato, muda-se o conceito da prova e passamos a ter 3 equipas que discutem o título, 3 equipas que discutem a Europa e 10 equipas que jogam a feijões. Entre essas 10 equipas que jogam a feijões há, no entanto, que contar com as equipas que não recebem salários há meses e que, por essa razão, não só jogam a feijões como têm de comer os feijões no fim de cada jogo."

Leonor Pinhão, in A Bola



PS: A Leonor à sua maneira relembra bem que no caso do delegado Armindo, mais do que as parvoíces escritas pelo ignorante Tareco Corrupto, aquilo que deve ser relevado é que este senhor, não é o único no 'meio', que pensa daquela maneira, a grande maioria dos delegados (observadores e afins) foram lá 'metidos' no reinado do 'Alguidar' e por lá continuam... liderados por um tal Óscar, ex-dirigente Corrupto!!!

É que alguém que escreveu aquelas alarvidades, não pode ter um comportamento civilizado, portanto seria impossível a todos os indivíduos que tivessem convivido, amigavelmente, ou profissionalmente com este animal, não notar as suas tendências... completamente impossível!!! E no entanto foi necessário ser 'apanhado' no Facebook... porque doutra maneira, nunca seria chamado à responsabilidade, podia fazer, dizer, ou escrever o que quer que fosse nos relatórios, podia comportar-se nas bancadas, ou nos túneis como bem entendesse e nada se passaria!!!

E da mesma laia (um bocadinho menos burros, talvez...!!!) são todos os outros, basta recordar as constante multas que o Benfica semanalmente é obrigado a pagar devido aos relatórios destes animais...!!!

Vale tudo

"In video veritas. Que é como quem diz: a televisão não mente, pelo menos nestes casos. À saída do Conselho de Presidentes, o senhor presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional engasgou-se uma ou duas vezes perante a mais linear das questões. Perguntavam-lhe se o alargamento do número de clubes na Liga ia ser consumado por conta da ausência de descidas. Mário Figueiredo rodeou, hesitou, procurou reanimar as suas boas intenções – a tal liguilha – e deixou perceber que, qual doutor Frankenstein, há muito tinha deixado de controlar o monstro que criou exclusivamente para conseguir ser eleito.

Escrevia-se um capítulo de vergonha e de perigo para o futebol português. O populista condutor, já responsável pelo pecado da gula, ao querer sentar 18 numa mesa que já não chega para alimentar 16, ainda fora ultrapassado pelos conspiradores que rapidamente concluíram o seguinte: para quê prolongar a época com uma liguilha, em que algum acidente de percurso ainda poderia deitar a permanência a perder, se a coisa poderia ficar resolvida de imediato com uma “passagem administrativa” que, a partir de agora, subverteria tudo e deixaria os potenciais aflitos à vontade para começarem já o “futebol de férias”?

Num espantoso golpe de rins, demonstrativo de uma flexibilidade que se estende ao raciocínio, disponível para abdicar de princípios e valores, o senhor presidente da Liga veio referir-se a uma teoria da cabala. Fica-me apenas uma dúvida: esta gente sonhará que, à sua volta, todos dormem e ninguém se apercebe do golpe palaciano e arruaceiro que pretende concretizar? A teoria de que já há quem não “lute por nada” na Liga é hilariante e só demonstra que Mário Figueiredo nem sequer acompanha de perto os acontecimentos. O Olhanense, sétimo classificado, está dez pontos acima da “linha de água” num momento em que falta disputar 24 pontos. Acontece que, até final, vai ter de encontrar-se com cinco dos seis primeiros da classificação. E isso significa a possibilidade – académica e real – de ainda poder passar por algum susto. Mais: os três candidatos ao título (FC Porto, Benfica e Braga) jogam cinco dos oito desafios que lhes restam com equipas localizadas nesta zona classificativa (7.º/16.º). O que legitima a ideia de que o título pode depender mais do empenhamento com os “pequenos” do que dos duelos com os “grandes”. Cabala? Não, uma cavalidade, isso sim.

Resta a esperança do bom senso federativo. Para poder explicar a estes cavalheiros que não basta eleger um testa-de-ferro para chegar ao ouro do bandido. Nos últimos dias, ouvi Manuel Cajuda falar em dignidade. Aí está uma palavra – e um conceito – que outros não são atrevem a pronunciar: enrola-se-lhes na boca…"


Ao ritmo do samba !!!

Benfica 4 - 1 Freixieiro
Diego Sol, Dentinho, Diece(2)



Excelente jogo, domínio total, grandes golos, Freixieiro competente a defender, mas incapaz de aguentar os 40 minutos de sufoco, a equipa deste ano está muito mais consistente, dá menos abébias e a entrada do Ricardinho foi a cereja em cima do bolo... Aliás acredito que com esta equipa na Final da UEFA Futsal este ano, seriamos novamente Campeões!!!
Agora na final da Taça vamos defrontar o Modicus, somos claramente favoritos, mas apesar do nome desconhecido (para muitos), o Modicus tem um dos melhores planteis do Campeonato. Aliás no jogo da 1ª volta no Campeonato vencemos com muitas dificuldades...

Proençada !!!



Benfica 22 - 22 Sporting



Tenho criticado aqui varias vezes as 'brancas' desta equipa do Benfica. Hoje, só posso elogiar a atitude desta equipa, foram uns verdadeiros heróis!!! Para quem não viu o jogo, pode parecer estranho este elogio, mas assistimos a mais uma vergonhosa actuação de uma dupla já conhecida: Nicolau & Caçador!!! Estes apitadeiros arraçados de Proenças já têm um vasto curriculum... quase sempre vergonhoso. Hoje, só um grande Benfica não perdeu este jogo... E depois de tantos e tantos erros, os Lagartos empataram nos últimos segundos, num lance com muita sorte!!! Isto quando nos últimos minutos foram anulados 3 ataques ao Benfica por um excesso de zelo asqueroso... Também cometemos alguns erros, falhámos 4 livres de 7 metros, mas qualquer outra equipa tinha perdido a cabeça com tanta roubalheira...

Ainda só dependemos de nós, mas as coisas estão cada vez mais difíceis, a equipa é inconstante, mas com 'encomendas' destas é impossível!!!

Uma nota: é irritante sempre que a equipa de Andebol do Benfica tem um resultado negativo, relembrar a saída do Donner!!! O Donner saiu do Benfica, assim como saiu de todos os outros clubes que treinou, quase sempre a mal... O Benfica depois da saída do Donner já foi Campeão. Aquilo que os Benfiquistas deviam perguntar, é o porque do Play-Off ter terminado. É que assim, sem Play-off, o Campeão é decidido em jogos que ninguém vê (como o ano passado: o golo desaparecido do São Bernardo!!!)... Este Benfica normalmente em jogos grandes raramente cede, só quando é empurrado vergonhosamente, como esta noite... Fomos Campeões pela última fez com um Play-off, e depois misteriosamente, 'acabou'!!! Uma modalidade à procura de visibilidade abdicar de um Play-off é incompreensível...

Neste fim-de-semana vamos jogar à Eslovénia, não somos favoritos, bem pelo contrário, humildade e luta... e depois logo se vê!!!

quarta-feira, 14 de março de 2012

A gravidez da liga

"Aí está a 1.ª Liga de esperanças, fruto de uma gravidez prematura. Por inseminação artificial ou reprodução eleitoralmente assistida para parir mais dois primodivisionários. Na Liga - a barriga de aluguer - já se iniciou o trabalho de parto.

Um parto que resulta de uma gravidez de risco e não (parcialmente) desejada. Uma gravidez batoteira e impúdica da qual, milagrosamente, não haverá verdadeiros nasciturnos porque a comissão de protecção de menores em risco vai impedir que dois filhos enjeitados pelas actuais regras domésticas continuem no seu seio a receber abono de família e rendimento mínimo. Filhos que, neste fim da gravidez, até não têm que se preocupar com nada, só têm que se equipar e acompanhar a grávida Liga... Assim se processa uma fertilização que até ignora os embriões excedentários da abortada liguilha.

Insolitamente, esta gravidez também tem efeitos retroactivos! É que em vez de os progenitores (creio que não incógnitos) esperarem pelos nove meses de gestação, decidiram antecipar-se e ir à conservatória registar a prole completa. Creio que é caso virgem, que nem a mais avançada biotecnologia justifica. Nem a patriarca UEFA o faz: quando muda uma regra define o período de abstinência e evita a promiscuidade de certas relações.

Enfim, vai ser uma festa de arromba: 304 encontros em vez de 240 (mais 27,5%). Uma inseminação in vitro que pode acabar numa disseminação de vitrina ou de... vitrolas.

Resta a esperança que, por razões de saúde pública e de objecção de consciência, os obstetras FPF e Conselho Nacional do Desporto abortem e produto desta relação incestuosa."


Bagão Félix, in A Bola

Lixívia Extra-Forte XXII

Tabela Anti-Lixívia Extra-Forte:
Benfica.......52 ( -8)...60
Corruptos...53 (+4)...49

Braga..........52 (+7)...45
Sporting.......41 (-1)...42


...continuação da roubalheira!!! A vergonha já foi perdida à muito tempo... Mas quando após uma das mais descaradas arbitragens anti-Benfica de sempre, ainda existem animais, que conseguem ir para os jornais e para as televisões defender que afinal o beneficiado supostamente teria sido o Benfica!!!!!!!!!!!!!!!! Noutro contexto até podia ter alguma graça, mas neste momento, nenhum de nós, tem vontade de rir, são muitos anos de pouca-vergonha...!!!

Tenho lido, ouvido e visto muitas análises à arbitragem do jogo de Paços, mas ainda ninguém teve a coragem de compilar todos os erros. 'Só' ficaram 5 penalty's por marcar a favor do Benfica!!! 'Cinco' !!! Não me enganei:
-Jardel agarrado. Não existe agarrão duplo. O defesa agarra, e o Jardel tenta libertar-se. O Jardel tenta jogar a bola, sempre com os 'olhos' na bola, apesar de agarrado ainda consegue cabecear (torto), o defesa nem sequer olha para a bola. Penalty óbvio.
-Saviola é pontapeado. Em cima da linha da grande área, Saviola toca na bola, e é violentamente pontapeado. Em cima do risco. Dentro da área. Seria penalty. Nem sequer marcou falta!!!
-Bruno César atropelado. Um dos mais penalty's mais nítidos algumas vezes cometidos, em qualquer Campeonato, em qualquer parte do Mundo...!!!
-Nelson Oliveira rasteirado. Compreendo que o árbitro não tivesse marcado, a exagerada queda do Nelson 'engana'. Mas é inaceitável que alguém vendo a repetição na televisão, não veja o toque claro na perna direita do Nelson...!!!!
-Novo derrube ao Nelson. Este é mais duvidoso, admito que não me pareceu penalty 'ao vivo', mas depois de visionar algumas repetições, parece-me evidente a falta. Não foi um empurrão, nem uma rasteira, foi uma 'paralítica'!!! O jogador do Paços, acerta na parte posterior da perna/anca/'bunda' do Nelson com a sua perna/joelho direito!!!
Além destas grandes penalidades - com uma enorme influência no desenrolar do jogo - ainda tivemos que 'aturar' um critério disciplinar absurdo. Principalmente na primeira parte, tudo foi permitido aos jogadores do Paços. Só o Michel (um avançado) foi amarelado (se calhar injustamente), mas aos defesas Pacenses tudo foi perdoado, alguns deviam ter sido expulsos antes do intervalo, em sentido contrário o Javi Garcia sem fazer qualquer falta, é amarelado logo no início do jogo. Intimidando toda a equipa do Benfica. Sim, muitos dos contra-ataques que o Benfica sofreu, só foram perigosos porque os jogadores do Benfica, 'entravam' aos lances com muita 'delicadeza', porque sabiam que facilmente seriam expulsos. Em sentido contrário, a confiança dos jogadores do Paços era ilimitada, sentiam-se impunes... Se calhar por isso - o sentimento de impunidade -, quando o Benfica 'matou' o jogo - com o 2º golo - as entradas assassinas continuaram e o árbitro foi obrigado a expulsar os Pacenses - até porque assim teve a oportunidade de 'limpar' a sua imagem -, e lá foi 'alegremente' expulsando jogadores do Paços!!! O primeiro é mais do que evidente; o vermelho directo na 2ª expulsão foi exagerado, se tivesse sido por palavras até podia aceitar (mas não foi), como não houve contacto, seria só amarelo. O Ricardo não tinha amarelo antes, mas já deveria ter tido - por exemplo no penalty sobre o Bruno!!! - portanto este erro acaba por corrigir um erro anterior!!!

O único erro em beneficio do Benfica, foi o cartão amarelo perdoado ao Bruno César. Sim, amarelo, e só amarelo. Sendo que o primeiro foi altamente injusto, nunca seria expulso. Os habituais propagandistas defendem o vermelho directo, mas as imagens não mentem: o Bruno inicialmente joga só a bola, e só a bola, quem tem uma entrada perigosa é o jogador do Paços. A bola ressalta na perna de apoio do adversário, e quando o Bruno muda de direcção, aí sim, o Bruno pisa o jogador do Paços, provavelmente poderia ter evitado o contacto, mas também não 're-pisa', não 'puxa a culatra atrás', parece-me sinceramente mais acidental do que maldosa... Agora. apesar deste erro, transformar esta arbitragem vergonhosa anti-Benfica, numa arbitragem pró-Benfica, é o cumulo do absurdo!!!


Sempre que oiço os Corruptos a 'chorarem' por causa dos árbitros sinto alguma náusea, não o consigo evitar!!! Curiosamente (ou não) o primeiro grande erro, foi um penalty a favor da Académica!!! Álvaro Pereira tenta evitar que o adversário chegue à bola, fazendo um bloqueio 'estilo' basket. O Academista tenta só chegar à bola, não faz qualquer falta, Álvaro Pereira cai, e no chão derruba claramente o adversário: penalty claro. No final da primeira parte é tirado um fora-de-jogo erradamente ao Givanildo, seria golo quase de certeza. Este é o único erro, importante, contra os Corruptos, na minha opinião. Mais tarde Givanildo cai na área, existe contacto com Nivaldo, mas a queda é totalmente criada pelo Givanildo, aliás o agarrão no braço, deveria inclusive impedir a queda do 'bébé chorão', é um lance no limite, admito, mas não acho que seja falta. Os Corruptos pediram mais 3 penalty's, todos eles inexistentes: no 1º a falta é cometida fora da área, o braço na bola não é deliberado; no 2º com o Sapunaru também não me parece que existiu intencionalidade; no 3º mergulho evidente do James. O penalty marcado no final da partida, que dá o golo do empate, é bem marcado. O jogador do Académica é ingénuo, como viu que não chegava à bola, fez uma 'defesa' à guarda-redes de Andebol!!!

Em Braga o tivemos uma arbitragem que 'virou' um resultado, completamente!!! Anulando um golo limpo ao Leiria, e não assinalando um penalty contra o Braga!!!

Os lagartos golearam bem, uma amostra da equipa que à pouco tempo derrotou o Benfica!!! Sem casos...

Anexos:

Benfica1ª-Gil Vicente(f) E(2-2), João Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Feirense(c) V(3-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Nacional(f) V(0-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
4º-Guimarães(c) V(2-1), Duarte Gomes, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Académica(c) E(4-1), Vasco Santos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
6ª-Corruptos(f) V(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Paços de Ferreira(c) V(4-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Beira-Mar(f) V(0-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Olhanense(c) V(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Braga(f) E(1-1), Proença, Prejudicados, (0-2), -2 pontos
11ª-Sporting(c) V(1-0), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Marítimo(f) V(0-1), Sousa, Nada a assinalar
13ª-Rio Ave(c) V(5-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
14ª-Leiria(f) V(0-4), Cosme, Nada a assinalar
15ª-Setúbal(c) V(4-1), Malheiro, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
17ª-Feirense(f) V(1-2), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
18ª-Nacional(c) V(4-1), Jorge Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado
19ª-Guimarães(f) D(1-0), Xistra, Prejudicados, (0-0), -1 ponto20ª-Académica(f) E(0-0), Hugo Miguel, Prejudicados, (0-3), -2 pontos
21ª-Corruptos(c) D(2-3), Proença, Prejudicados, (2-0), -3 pontos
22ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado


Corruptos1º-Guimarães(f) V(0-1), Olegário, Beneficiados, (0-0), +2 pontos
2ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Leiria(f) V(1-4), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Setúbal(c) V(3-0), Marco Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Feirense(f) E(0-0), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
6ª-Benfica(c) E(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar7ª-Académica(f) V(0-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
8ª-Nacional(c) V(5-0), Cosme Machado, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
9ª-Paços de Ferreira(c) V(3-0), Hugo Miguel, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Olhanense(f) E(0-0), Capela, Prejudicados, (0-1), -2 pontos
11ª-Braga(c) V(3-2), Soares Dias, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Xistra, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
13ª-Marítimo(c) V(2-0), Duarte Gomes, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Sporting(f), E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Rio Ave(c), V(2-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
16ª-Guimarães(c), V(3-1), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Gil Vicente(f), D(3-1), Bruno Paixão, Prejudicados, Impossível contabilizar
18ª-Leiria(c), V(4-0), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
19ª-Setúbal(f) V(1-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Feirense(c) V(2-0), Jorge Ferreira, Beneficiados, Impossível contabilizar
21ª-Benfica(f) V(2-3), Proença, Benefeciados, (2-0), +3 pontos22ª-Académica(c) E(1-1), Marco Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar

Sporting
1ª-Olhanense(c) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
2ª-Beira-Mar(f) E(0-0), Fernando Martins, Nada a assinalar
3ª-Marítimo(c) D(2-3), Proença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
4ª-Paços Ferreira(f) V(2-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
5ª-Rio Ave(f) V(2-3), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6ª-Setúbal(c) V(3-0), Cosme Machado, Nada a assinalar
7ª-Guimarães(f) V(0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(6-1), João Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Feirense(f) V(0-2, Gralha, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
10ª-Leiria(c) V(3-1), Manuel Mota, Beneficiados, Impossível contabilizar
11ª-Benfica(f) D(1-0), Capela, Beneficiados, Sem influência do resultado
12ª-Nacional(c) V(1-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
13ª-Académica(f) E(1-1), Rui Costa, Nada a assinalar
14ª-Corruptos(c) E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Braga(f) D(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Olhanense(f) E(0-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar(c) V(2-0), Duarte Gomes, Nada a assinalar
18ª-Marítimo(f) D(0-2), Cosme, Nada a assinalar
19ª-Paços de Ferreira(c) V(1-0), Jorge Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Rio Ave(c) V(1-0), Paulo Baptista, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
21ª-Setúbal(f) D(1-0), Gralha, Prejudicados, Beneficiados, (1-1), -1 ponto
22ª-Guimarães(c) V(5-0), Soares Dias, Nada a assinalar

Braga
1ª-Rio Ave(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiados, (1-0), +1 ponto2ª-Marítimo(c) V(2-0), Soares Dias, Beneficiados (1-0), Sem influência
3ª-Setúbal(f) V(0-1), Hugo Miguel, Beneficiados (0-0), +2 pontos
4ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Costa, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f) E(1-1), Pedro Proença, Nada a assinalar
6ª-Nacional(c) V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
7ª-Leiria(f) D(1-o), Marco Ferreira, Nada a assinalar
8ª-Feirense(c) V(3-0), João Ferreira, Nada a assinalar
9ª-Académica(f) E(0-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
10ª-Benfica(c) E(1-1), Proença, Beneficiados, (0-2), +1 ponto
11ª-Corruptos(f) D(3-2), Soares Dias, Beneficiados, Sem influência no resultado
12ª-Paços de Ferreira(c) V(5-2), Marco Ferreira, Nada a assinalar
13ª-Olhanense(f) V(3-4), João Ferreira, Nada a assinalar
14ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Rui Costa, Nada a assinalar
15ª-Sporting(c) V(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Rio Ave(c) V(2-1), Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado
17ª-Marítimo(f) V(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
18ª-Setúbal(c) V(3-0), Hugo Pacheco, Nada a assinalar
19ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Hugo Miguel, Nada a assinalar
20ª-Guimarães(c) V(4-0), Capela, Nada a assinalar
21ª-Nacional(f) V(1-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
22ª-Leiria(c) V(2-1), Xistra, Beneficiados, (2-3), +3 pontos

O maior perigo

"Invertidas as posições na frente da tabela classificativa, e perdida uma vantagem pontual que chegou a parecer confortável, ao Benfica não resta outra opção que seja lutar bravamente para vencer todos os jogos das nove jornadas que faltam realizar, e esperar que o principal adversário tropece em duas delas, para assim poder ainda chegar ao título.

Gigante em dimensão, e em ambições, o Benfica tem, porém, um problema com que costuma defrontar-se perante este tipo de cenário. Se na hora das vitórias a nossa força é normalmente avassaladoras, quando chegam as derrotas, o risco de desmobilização é, também ele, quase sempre muito grande. Este parece ser o maior perigo que resulta do desaire da sexta-feira passada.

O Benfica como qualquer outro clube, trata de afectos. Mas, neste momento, o que há pedir aos sócios e adeptos é, sobretudo, frieza, coisa que contraria a tendência natural de qualquer benfiquista calorosamente apaixonado. Esta antinomia é perigosa, e pode ser-nos fatal.

Independentemente das hipóteses que ainda nos restem de alcançar o título nacional - e, à luz da objectividade, as possibilidades matemáticas não são assim tão poucas -, o Campeonato apresenta-nos ainda outros objectivos de importância assinalável. Falo designadamente do acesso directo à Liga dos Campeões, que, sobretudo no plano financeiro, será crucial para fazer face a um contexto de crise económica, do qual, naturalmente, não nos podemos alhear.

Ignoro, no momento em que escrevo, o desfecho da eliminatória europeia com o Zenit. O nosso grau de militância não lhe será certamente indiferente, mas, mesmo na pior das hipóteses, não poderemos cometer o erro de dar a época por terminada.

Ainda que um 2-º lugar jamais possa ser objectivo particularmente estimulante para os benfiquistas, é imperioso que não desmobilizemos. Com toalhas no chão, não só estaremos a fechar a porta na cara de eventuais contingências da fortuna, como caminharemos rapidamente para um descalabro de consequências perigosas e imprevisíveis."


Luís Fialho, in O Benfica

A mentira continua

"Uma vez mais, a história repete-se. Como tantas vezes nos últimos trinta anos, o Benfica viu-se afastado do primeiro lugar por erros alheios, e absolutamente inaceitáveis, cometidos por quem teria a missão de fazer cumprir as regras do jogo. Foi assim nos Campeonatos de 1986, 1990, 1992, 1993, 1998, 2002, 2004, 2006, 2009 e 2011, para citar, de memória, aqueles em que os aspectos paralelos assumiram maior preponderância no balanço final.


A história repete-se

Nem é necessário irmos a tempos mais antigos. Ainda nos lembramos bem do que foi o início da temporada passada, e da sequência de jogos (curiosamente, Académica, Nacional e V. Guimarães) em que o Benfica foi espoliado dos pontos a que, mesmo sem jogar bem, tinha pleno direito. Depois foi a desmoralização e a descrença dos nossos, foi o empolgamento e a confiança do rival, e a época estava, num ápice, toda ela condicionada. E se dezoito vitórias consecutivas ainda ameaçaram a empreitada, rapidamente a coisa se compôs em Braga, com a expulsão caricata de Javi Garcia, e mais um resultado falseado. Não foi preciso fazerem mais nada.

Nesta época, as coisas até nem estavam a correr pelo por. No final de Janeiro, uma derrota do FC Porto em Barcelos deixou-nos com uma vantagem de cinco pontos na frente da tabela, e terá feito soar, em certas cabeças, as campainhas do alarme. O que se passou desde então para cá?

Logo após essa jornada, começou a pressão habitual sobre os árbitros, e sobre a opinião pública. Um 'escândalo', um 'atentado', um 'crime', e o 'diabo a sete', num jogo em que uma arbitragem infeliz prejudicou as duas equipas, com erros para ambos os lados. Mais do que os pontos perdidos, interessava-lhes criar, desde logo, um caldo onde cozer o clássico que se aproximava. E tal como nos anos anteriores, o FC Porto tinha de vir à Luz em vantagem pontual e psicológica, de modo a não correr riscos de montra.


Série negra

A sequência posterior é elucidativa. Logo na jornada seguinte, vimos Jorge Jesus assinalar, no nosso estádio, um penálti totalmente despropositado a favorecer o Nacional, que felizmente não teve consequências (a grande exibição do Benfica sobrepôs-se a elas), mas deixou o aviso daquilo que se seguiria. A altura, já preocupado, escrevi nestas páginas: 'daqui até final, nem todas as exibições do Benfica resistirão a erros tão absurdos como o penálti de sábado passado'. Não sou adivinho. Para o escrever, apenas precisei de andar de olhos abertos ao longo dos últimos trinta anos.

Infelizmente, estava carregado de razão. Em Guimarães, na ronda seguinte, Rodrigo foi pontapeado dentro da área vimaranense, mas Carlos Xistra ignorou o caso. A ser concretizada a respectiva grande penalidade, o Benfica poderia, pelo menos, ter mantido a invencibilidade, e, sobretudo, a moral em alta, mesmo não tendo jogado bem. Em Coimbra, mais dois penáltis por assinalar, um deles absolutamente claro e inequívoco sobre Pablo Aimar, que provavelmente nos teria permitido chegar à vitória. Duas exibições do Benfica menos conseguidas, que poderiam ainda assim ter valido 4 pontos, mas não resistiram a erros graves dos árbitros, lançando a nossa equipa nos mares da intranquilidade e da descrença. Metade do trabalho estava feito. O FC Porto voltava à liderança


O golpe final?

E eis que chegámos ao grande clássico da Luz, que poderia recolar as contas a nosso favor. Depois de um jogo disputado e equilibrado, com alguma infelicidade pelo meio (duas substituições por lesão), chegámos aos minutos finais com um empate que se ajustava ao desempenho das equipas, e deixava tudo na mesma. Desse mofo, ficava a faltar-lhe o golpe fatal, e a oportunidade surgiu quando, na sequência de um livre, um jogador do FC Porto em claro fora-de-jogo saltou com Artur, desviando a bola para dentro da nossa baliza. Impunha-se, naturalmente, que o golo fosse anulado. Mas, quem acompanhe o Futebol português sabe que isso jamais sucederia.

Da mesma forma que há três anos - quando Lisandro se atirou para o chão em lance com Yebda, e este mesmo árbitro entendeu assinalar grande penalidade, retirando na altura o Benfica da liderança -, o clássico, e o Campeonato, ficaram manchados pela ilicitude. Em quatro jornadas, percebeu-se porque o motivo é mais fácil, para qualquer treinador, ser campeão no FC Porto."


Luís Fialho, in O Benfica

Ordinary People

"A tradução vai a trouxe-mouxe, mas vulgar não chega. E assim sempre dá um ar cinematográfico com Robert Redford e tudo. Se um menino pequeno me estende a mão, eu dou-lhe a minha, feliz. É assim que se responde à ternura dos meninos. Se não responder ao seu gesto inocente e infantil, não sou vulgar, sou ordinário. Mas autorizo-vos a insultarem-me do pior. Escolham, no dicionário, os adjectivos que mais jeito vos derem: reles?, chulo?, desprezível?, pulha?, rasca?, vil?, escroque?, abjecto?, abominável? (este não que é ligeiramente simpático desde que meta neve), imundo?, infame?, miserável?, nojento?, patife?, salafrário?, repulsivo?, torpe?, velhaco?, Aceitemos, portanto, que qualquer destas definições casam na perfeição com qualquer sabujo que se recuse dar a mão a um menino que lha estende.

Agora, imaginemos que em vez de um são onze, os imundos. Não se trata de um grupo nem de um conjunto: é uma cáfila. Não deitem ainda fora o dicionário, pode vir a revelar-se muito útil. Quando alguém querido do meio morre, é habitual respeitar-se num espectáculo um minuto de silêncio em sua memória. Só que há gente que não tem respeito nenhum por coisa nenhuma. Gente ordinária, lá está. Se eu enlouquecer de repente e me apanharem a assobiar ou a soltar palavrões no decorrer de um minuto de silêncio, seja em alma de quem for, estão autorizados a considerar-me um ser inferior, um macaco, um cerdo, um tramposo, um marrancho, um lapuz e um esterco humano, todo junto. E eu nem reclamarei porque vocês têm toda a razão e cabe-me ir grunhir para uma cova sem fundo na qual caibam todos os cochinos do velho império, que são muitos.

Quando alguém abusa da pseudo-autoridade que um apito lhe confere para esculhar uns a torto e a direito e beneficiar outros como um capacho, sabendo que os uns serão sempre os mesmos uns e os outros sempre os mesmos outros, como poderemos classificar tamanho sevandija? De gente ordinária, claro está!"


Afonso de Melo, in O Benfica

O Madaleno vem à cidade

"O Madeleno está feliz. Volta e meia, o Madaleno está feliz porque vem à cidade. Parolo, semi-analfabeto, põe-se à estrada cantarolando musiquinhas ordinárias e recitando poemas que não sabe e nem sequer sabe que não sabe. A alegria do pacóvio estende-se à comitiva que o acompanha. Todos eles vão soltando umas porcarias avulsas à medida que a carroça tange pela velhinha Estrada Nacional 1, valentemente puxada por uma junta de vacas, uma de raça cachena e outra barrosã, animais tão servis e bem dotados de chavelhos como aqueloutros que se debruçam sobre o Madaleno, babando-lhe a fatiota grotesca, feita à medida para a cerimónia da viagem.

O Criado vem pendurado sobre uma das rodas, vomitando de quando em vez, por via do enjôo das curvas, as tripas enfarinhadas do almoço, enquanto repete para si próprio, como se rezasse o terço: «é um génio, é um génio, é um génio...» O Adiposo Sebento esforça o bestunto na invenção de mais boatos escabrosos. O Baladeiro de Tiques Afeminados, atira a melena para trás e ameaça trautear desafinadamente com a sua voz esganiçada. O Copiador de Livros Alheios grunhe o ódio que lhe atormenta mais o fígado e o baço do que as garrafas de uísque barato que costuma ingerir de golada. O Merceeiro Aldrabão vai de borco, encantado com a companhia do Madaleno que confunde erradamente com Deus, disponibilizando-se de dois em dois minutos para lhe engraxar os sapatos de pegamóide e gáspias brancas.

Parece um circo de aldeia com o palhaço na frente. O povo sai à rua para os ver passar, mas não se ri. Não suscitam alegria, provocam piedade. Vêm de véspera como os gaiteiros. Vão em charamela à bruxa da Rua da Primavera ver se todos juntos conseguem desvendar desgraças alheias. Porque, com o tempo, os homenzinhos de cócoras ficaram cada vez mais exigentes e não tarda muito já não haverá no País marafonas que chegue."


Afonso de Melo, O Benfica

terça-feira, 13 de março de 2012

Crime

"O alargamento da Liga portuguesa é um crime contra o futebol. E também contra o país. Mais uma vez os chamados clubes profissionais avançam para o abismo, ignorando a situação catastrófica da economia, a falta de recursos e a necessidade de regulação e estratégia. Quando todos os portugueses encolhem, procurando sobreviver, o futebol alarga, com perigo de rebentar – se esta decisão for homologada nas instâncias superiores.

Clubes sem público, equipas sem orçamento, competição sem impacto – eis a sequência estrutural da atividade futebolística em Portugal, recomendando, pelo contrário, mais concentração, mais pragmatismo financeiro e melhor adequação mediática. O espetro futebolístico nacional, o tamanho do país e a influência da grave crise económica e social recomendariam uma redução da Liga para 10, no máximo 12 clubes, respeitadores das boas práticas de gestão e de limitações quantitativas e qualitativas ao recurso a jogadores estrangeiros.

Com esta viciação descarada das regras do campeonato em curso, protegendo-se os piores ao desfecho da despromoção, os clubes voltam a glorificar essa incontornável tendência para nivelar por baixo. Fazer com que as piores equipas do ano não desçam de divisão é um atentado contra a moral desportiva, mais um passo atrás na formação das novas gerações de adeptos, cada vez mais convencidos de que só a vitória interessa, a qualquer preço.

A redução para 16, em 2006, decidida no Conselho Nacional de Desporto e aprovada pela Federação Portuguesa de Futebol, apesar de não acompanhada pela prometida regulação da utilização de jogadores estrangeiros nem pelo controlo financeiro, ajudou nas últimas seis temporadas a uma subida relativa dos índices competitivos internos, entre os clubes realmente estruturados, com mais equipas envolvidas na discussão dos primeiros lugares.

O atual ranking nas provas da UEFA, à beira de passar a ter três equipas na Liga dos Campeões, é uma das consequências positivas da redução do campeonato, ao deixar mais tempo aos clubes principais para prepararem as suas participações internacionais. Portugal nunca teve tantas equipas envolvidas nas provas europeias no segundo semestre da época como nos últimos quatro anos.

O alargamento não vai estancar a diáspora do jogador português, que se viu forçado a procurar conforto noutras zonas muitos anos antes de o Governo ordenar a emigração em massa aos nossos jovens. Não vai diminuir a atividade do presidente do Sindicato para minimizar os efeitos dramáticos do abuso sistemático do não pagamento de salários no tempo devido. Não vai aumentar o bolo de receitas publicitárias e de direitos de imagem, nem diminuir a terrível invasão cultural do futebol espanhol e inglês, através de centenas de horas de televisão, nos hábitos do português comum.

O alargamento, de facto, é só mais um sinal do regresso da malta dos xitos aos bons tempos do velho “Sistema”, que se mostra cada vez mais pujante e completamente restabelecido do susto das ameaças da Justiça."


Um líder

"From: Domingos Amaral
To: Jorge Jesus

Caro Jorge Jesus
Uma das principais doenças dos benfiquistas é, na hora da derrota, criticarem mais os erros próprios que os alheios. Na sexta da semana passada e nos dias seguintes, o que se ouvia mais eram críticas a ti, pelas supostas más decisões que tomaste; críticas a Emerson, que era péssimo e sem qualidade para o Benfica; e até críticas a Artur, por ter saído mal! A raiva e a frustração primeiro viraram-se para dentro, para o autoflagelamento.
Em vez de, como deviam, se virarem para fora. Na verdade, o Benfica portou-se bem e só as más decisões de Proença e dos auxiliares nos derrotaram. Não fomos vencidos pelo FCP mas pelos árbitros! A raiva não devia ser dirigida contra os nossos, mas sim contra quem nos prejudicou gravemente.
Graças a ti, ao teu discurso no fim do jogo, e também graças à excelente condução da equipa contra o Zenit, a partir de terça-feira já a maior parte dos benfiquistas não só voltara a acreditar no Benfica, como também já tinha aberto os olhos e percebido que só perdemos o jogo com os azuis porque fomos escandalosamente roubados.
O teu grande mérito esta semana foi teres sabido ser líder. A raiva profunda que sentíamos foi conduzida por ti no bom sentido, primeiro contra os verdadeiros responsáveis pela derrota, Proença e “sus muchachos”, e depois tornando-a numa estratégia inteligente que nos levou à vitória sobre o Zenit.
E de repente, o que acontece? O FC Porto empata em casa e, se amanhã ganharmos, estamos de novo em cima deles. Viram, gente de pouca fé, que afinal não está tudo acabado?"


Objectivamente (lamaçal)

"Ainda há muita gente que acredita na transformação (e regeneração) do Futebol português, quer pela abstinência dos habituais tubarões, quer pela reciclagem dos velhos hábitos que vão dando títulos aos tradicionais batoteiros! Desenganem-se! Esta gente não abdica. Não larga o «bem-bom» e não está a fim de deixar que a seriedade impere nos bastidores, mesmo depois de apanharem um grande susto com o processo «Apito Dourado». De pouco serviu. Os anos vão passando, os tribunais vão recebendo recursos e mais recursos e os processos vão sendo arquivados sem castigos para os vigaristas e corruptos. E a dança continua agora mais refinada!

Quem viu o último Benfica - FC Porto ficou com a nítida sensação que estávamos nos anos 80/90 e o árbitro, em vez de ser «FIFA» Proença, era António Garrido ou José Silvano!

Quem viu aquilo - e foi todo o Mundo - não tem dúvidas em corroborar a minha insistente e velha teoria que o cancro do Futebol são os árbitros. Eu defendo, há muito, uma parceria da FIFA com Bill Gates para inventarem qualquer coisa que tire essa rapaziada dos campos de Futebol!

Eu quero ir à bola e estar descansado na bancada. Quando a minha equipa perder é porque não jogou bem, ou porque falhou muitos golos, ou porque teve azar! Estou cansado de ver a minha equipa perder por «ERROS HUMANOS» dos árbitros! Não quero. Estou cansado de tantos erros dos seres humanos que apitam jogos de Futebol. Principalmente... porque se enganam sempre contra a minha equipa.

Não sei o que hei-de fazer. São muitos anos a levar com isto e já não tenho paciência para andar sempre a desculpar os erros humanos que prejudicam quase sempre a mesma equipa. Pelo menos, nos últimos 30 anos os humanos que erram são tão esquisitos!..."


João Diogo, in O Benfica

segunda-feira, 12 de março de 2012

FC P(roença)

"Até depois da recente exibição frente ao Zenit, tão convincente, apetece perguntar o que se passou com o Benfica nos últimos embates. Foi a derrota em Guimarães, foi o empate com a Académica, foi o desaire caseiro com o FC Porto. Em algum desses jogos, o colectivo 'encarnado' esteve em plano inferior ao dos seus opositores? Não esteve. Cometeram-se erros? Também é verdade. Ainda assim, oito pontos perdidos não era apenas um cenário improvável, constituiu uma enorme injustiça.

Já em Coimbra, a equipa de arbitragem prejudicou o Benfica de forma indecorosa em dois lances, ademais na véspera do confronto, tido por decisivo, frente ao FC Porto. E no jogo da Luz? O escândalo foi gigantesco. Entre outras decisões, sempre em prejuízo da nossa turma, o golo da vitória portista é anedótico.

Como é possível que tenha sido validado? Pode ou não pode falar-se em premeditação? Pode ou não pode falar-se em roubo?

Luís Filipe Vieira tem razão. Proença não tem condições para apitar o Benfica. Erra sempre, é um desastre. E ainda coloca aquele ar arrogante e não menos insuportável. Proença goza com o Benfica e goza há já muitos anos. Quem não recorda, na véspera do Natal de 2001 (já lá vai mais do que uma década!) daquela gatunice colossal no Bessa, jogo em que o Proença não viu duas penalidades escandalosas cometidas sobre Simão Sabrosa e Mantorras? Inclusive, foi na sequência dessa derrota que Toni acabou por ser dispensado da liderança técnica. O Proença e o Benfica são incompatíveis. O Benfica já percebeu. Demorará muito até que o néscio do Proença também perceba?"


João Malheiro, in O Benfica

Mau cheiro

"O que mais me indignou na derrota do Benfica contra a equipa das Antas foi o elogio do patrão do emblema que ganhou, com um golo irregular validado por um árbitro que erra sempre para o mesmo lado. Cheiro-me mal. Porque, na verdade, o que ficou provado naquele jogo não foi o »Benfica não deixa de ser uma grande equipa por ter perdido com o Porto». O que se provou foi que o Porto não passou a ser uma grande equipa por ter ganho ao Benfica com um golo irregular. De maneira que aquele elogio, em cima do nojo que foi o resultado martelado, causou-me vómitos.

Li a notícia e senti como que o braço tentacular de um ser gelatinoso a dar palmadinhas viscosas nas costas dos benfiquistas. O que quer o indivíduo? Uma trégua na vozeraria excessiva e incendiária? Uma pausa para mudança de adereços, de guarda-roupa e de cenário, surgindo o sujeito na cena seguinte no papel de cavaleiro da boa ordem, senhor da honra e campeão do fair play? Um compromisso, do género 'eu continuo a comer o bolo mas serei mais magnânimo na distribuição das migalhas?' Um golpe de mão para camuflar as pedras de um jogo de xadrez que desabou do tabuleiro, com Vítor Pereira salvo pela corda do gong, Vilas Boas e Paciência despachados a destempo e Jesus, do outro lado das águas, seguindo pelo caminho das pedras?

O Sistema continua. A baba da lisonja que pinga das palavras da personagem não muda nada. É apenas mais uma artimanha, um ardil, uma tramóia. Ou mera flatulência."


João Paulo Guerra, in O Benfica

Ganhar, ganhar...

"1. Têm sido semanas terríveis, em parte por culpa própria, em parte por culpas alheias (campo impraticável na Rússia, arbitragens 'impraticáveis' em Coimbra e contra o FC Porto), em parte, ainda, pelos imponderáveis do Futebol. Estamos com três pontos (e meio...) de atraso, quando deveríamos estar, pelo menos, com dois pontos de vantagem sem falhas de arbitragem (vitória em Coimbra, empate com o FC Porto). Agora, resta-nos ganhar o que há para ganhar daqui em diante, jogo a jogo, acabando com esta malapata e esperando que outros também e venham a sentir.

2. Estou a escrever antes do encontro com o Zenit e por isso mantenho-me no confronto com o FC Porto. Os protestos portistas por causa do jogo ter sido à sexta-feira foram ridículos. E mais ainda se se fizeram contas: os jogadores do Benfica somaram mais tempo nas selecções que os do FC Porto, conte-se todos eles ou apenas aqueles que foram titulares na jornada anterior. Mais importante: nenhum desses titulares portistas jogou mais que 45 minutos e Witsel 58 minutos. Gostaria de perguntar àqueles que se apressaram a fazer eco das críticas portistas se queriam que os 11 (ou 14) jogadores do Benfica (e não apenas 3 ou 4) jogassem com o Zenit dois ou três dias depois de defrontar o FC Porto...

3. Declaração do insuspeito Fernando Madureira, líder dos Super Dragões, ao JN: 'Nos outros anos, ficávamos divididos, porque metade do nosso ficava na parte de baixo do estádio e a outra na parte de cima. Agora vamos poder ficar todos juntos e isso é bom'. Tudo decorreu sem problemas (e o autocarro do FC Porto viajou e esteve em Lisboa continuando intacto...) e, afinal, a caixa de segurança não é nenhum papão, como quiserem fazer crer os responsáveis do Sporting, antes e depois do jogo.

4. Surgiu agora a ideia de que os árbitros deveriam boicotar o Benfica como fizeram ao Sporting, em função das declarações do treinador e do presidente. Simplesmente, há uma grande diferença que querem esquecer: o Sporting pressionou João Ferreira (e o 'bandeirinha', Pais António) antes do jogo, não o criticou depois. E foi por isso que ele se recusou a arbitrar."


Arons de Carvalho, in O Benfica

domingo, 11 de março de 2012

Vitória à Benfica !!!



Paços de Ferreira 1 - 2 Benfica



A saga continua... Se alguém continua com dúvidas sobre a premeditação criminosa das arbitragens nos jogos do Benfica, espero que ao fim de 5 jogos consecutivos (ou 6 !!! porque na Feira também tivemos vários prejuízos, apesar de um dos erros ter sido em nosso beneficio) a ser constantemente penalizados (Nacional, Guimarães, Académica, Corruptos, Paços), ninguém pode acreditar em coincidências. Recordo que esta nova saga começou no momento onde um treinador de ocasião resolver entregar as faixas ao Benfica!!!

Hoje, começamos bem, com algumas alterações no onze, criámos várias oportunidades de golo, com é habito, falhámos...!!! E na primeira verdadeira chance o adversário marca, completamente contra a corrente do jogo. Por esta altura, já tinha ficado um penalty por marcar por falta sobre o Jardel, além disso ficou bem marcado o critério do árbitro: onde basicamente, valia tudo para travar os jogadores do Benfica!!! O Benfica teve dificuldades em reagir, mas perto do fim da 1ª parte, não foi marcado um dos mais escandalosos penalty's de sempre da história do Futebol, logo de seguida várias entradas assassinas dos jogadores do Paços, passaram impunes, a mensagem estava dada!!! O Jesus mexeu na equipa ao intervalo, curiosamente começamos mal, não conseguíamos parar os 'contras' do Paços, o meio-campo andava perdido. Enquanto os nossos jogadores estavam intimidados, os Pacenses estavam com a confiança toda, peito cheio, pois sabiam que tinham as costas protegidas... O Artur, o poste e o desacerto dos Pacenses salvou o Benfica, nesta altura... Pouco depois, contra a corrente do jogo, após uma excelente jogada do Nélson, o Gaitán marcou. Quase a seguir o Bruno 'matou' o jogo, com um livre directo extremamente competente (quando todos, inclusive o Cássio, esperava pelo remate do Cardozo!!!)... as entradas assassinas dos homens de 'amarelo' continuaram... a 'pastilha' estava a dar as últimas, e se calhar por isso, as marradas não cessavam, sendo que o Bruno César - talvez por ser o mais 'redondo' - ia sendo a principal vitima!!! Resultado: dois 'raivosos' para a 'rua'!!! Expulsões que só pecaram por tardias...

Vitória importantíssima do Benfica, não vai ser nada fácil, mas ainda estamos na luta, as armas são desiguais, vamos ter os jogos da Champions para 'atrapalhar', mas não podemos desistir... Enquanto a semana passada após a vergonhosa vitória Corrupta na Luz, alguns dos seus fiéis tarecos vomitaram que tinha sido uma Vitória à Porto!!! E por acaso até foi!!! Pois bem, hoje, contra tudo e todos, o Benfica venceu, hoje foi uma vitória à Benfica!!!

Tal como no jogo com o Nacional na Luz, com uma arbitragem vergonhosa, conseguimos ganhar. Alguns julgam que temos a obrigação de vencer sempre estas partidas, mesmo com todos estes obstáculos, realisticamente afirmo: podemos ganhar alguns, mas concerteza que não vamos ganhar todos, é humanamente impossível vencer sempre estas jogos, podemos contratar os melhores jogadores do mundo, os melhores treinadores, e não vamos conseguir durante 30 jornadas ultrapassar todos estes xitos... isto enquanto os nossos adversários são levados de padiola, como por exemplo aconteceu esta semana em Braga.

Mais uma...


Benfica 3 - 1 Sp. Espinho

25-22, 25-17, 17-25, 25-23

Péssimo indicador..


Ovarense 96 - 78 Benfica

21-21, 20-22, 29-15, 26-20


Não vi o jogo, mas o resultado é muito preocupante. A equipa parecia querer melhorar nas últimas partidas, a entrada do Norris foi positiva (aliás foi só o melhor marcador da equipa), mas perder por 18 pontos é demasiado mau... Podemos nos queixar dos quase 60% do adversário nos triplos (foram 14 !!!!), mas esta equipa não pode sofrer quase 100 pontos numa partida da Liga Portuguesa... Hoje, perdemos qualquer esperança em ficar em 1º lugar na fase regular, e se não têm cuidado, ainda podemos perder o 2º !!!

Entrada demolidora !!!


Belenenses 0 - 6 Benfica


Ao fim de 11 minutos já havia 0-4, e o jogo estava decidido... depois demos alguns espaços mas o Marcão resolveu!!! Na próxima Quarta-feira jogamos na Luz, a meia-final da Taça de Portugal com o Freixieiro...