Últimas indefectivações

sábado, 20 de dezembro de 2014

Sem dramas...

Cascais 0 - 9 Benfica

Na deslocação ao Dramático de Cascais, mais um jogo consistente deste Benfica, líder destacado do Campeonato.

PS: Realce para mais uma vitória da nossa secção de Rugby, no derby com os Lagartos (12-19), estava 0-19 ao intervalo, parece que no 2.º tempo tivemos pena deles...!!! Estamos a fazer um Campeonato regular, com hipóteses de lutar pela subida... mas aquele castigo estranho pode estragar tudo. Como se viu no jogo da Taça, ainda não temos equipa para a 1.ª Divisão, mas estamos a melhorar...
Agora, fique um pouco triste quando a subida administrativa do Sporting à 1.ª Divisão não se concretizou, como chegou a ser falado, pois seria uma fartote semanal... na casa das centenas!!!

Dezena...

Benfica 10 - 0 Valongo

Pouco a dizer num jogo de um só sentido, com o Benfica a confirmar o grande momento de forma em que nos encontramos... Acho mesmo que o jogo com o Barça devia ser já amanhã!!! Com o Trabal a defender assim, é quase impossível sofrer golos!!!
Curioso que mesmo num jogo tão desequilibrado, seja exigido aos jogadores do Benfica, tanta cabeça fria, para não protestarem com as decisões absurdas que são tomadas, por quem de direito.

Ao ver este jogo, não pude evitar perguntar: como é que perdemos a Supertaça?!

Centena...

Benfica 100 - 86 Barcelos
28-21, 23-14, 27-28, 22-23

A equipa está bem, este é provavelmente o melhor Benfica, da era Lisboa como treinador!!! O facto de jogo após jogo, chegarmos aos 100 pontos, é sinal da 'alegria' que existe no grupo. Mesmo com muitas lesões, a equipa não se ressente!!!
Hoje, além do Carreira, do Ferreirinho e do Andrade, o Tomás Barroso também não saiu do banco. E o reforço Fábio Lima ainda ficou na bancada.

A vitória nunca esteve em causa, o Benfica em bom ritmo abriu uma vantagem considerável, e nunca deixou o adversário aproximar-se. Recorde-se que este Barcelos, é conjuntamente com o Guimarães os nossos dois adversários mais difíceis internamente.

O Mário Fernandes antes de chegar ao Benfica fartava-se de marcar pontos, hoje parece que finalmente percebeu que pode e deve assumir mais vezes o jogo, principalmente com penetrações... Uma nota também para o Slay, que tem melhorado significativamente... até a defender nota-se outra atitude. Eu gosto de ver o João Soares a afundar em contra-ataque, mas não gosto de ver o João abdicar de defender, para sair em contra-ataque quando a posse de bola ainda não está garantida!!!

O Jobey é realmente um espectáculo, aquele cesto no final do 1.º período foi magnifico, às vezes nos últimos segundos os jogadores acertam uns 'chouriços' de longa distância e a bola caí... mas este foi 'premeditado', apontou, fez o gesto técnico, e a bola caí, sem espinhas...!!!

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Espírito de vitória...

Passos Manuel 23 - 33 Benfica

Jogo tranquilo, com o início mais ou menos equilibrado, mas à medida que o tempo foi passando, a diferença foi aumentando... Isto contra uma equipa que já nos deu trabalho na pré-época, e que também já deu trabalho aos supostos favoritos do actual Campeonato.
Apesar das ausências (Pujol, Carneiro, Pedroso, Fortes, Carvalho, Figueira), a equipa continua a vencer os jogos que tem que vencer...!!!

3 pontos

Benfica 3 - 0 Sp. Caldas
25-20, 25-16, 25-13

Obrigação cumprida, mesmo com algumas ausências, o equipa não deu hipótese...

Para todos um bom Natal

"Domingo passado, no Estádio do Dragão, contra o FC Porto o Benfica segurou a liderança do campeonato, mas não conquistou o título nacional. Faltam 63 pontos, ou seja, uma eternidade de minutos que têm que ser vencidos.
No último ano o FC Porto chegou a ter cinco pontos de vantagem, e perdeu por muitos mais. Na penúltima temporada, o Benfica esteve quatro pontos à frente, isolado na liderança, e deixou fugir o título. Antes disso, no ano anterior a equipa de Jorge Jesus dispunha de cinco pontos de vantagem no fim de Janeiro, e não foi campeã.
Podemos ser campeões se fizermos bem o que nos falta, e não apenas pelo que foi realizado até agora. Dito isto, não nos podem pedir para não estarmos contentes por ir em primeiro, com seis pontos de avanço.
O último fim-de-semana mostrou aquilo que já aqui escrevi várias vezes: a luta pelo título será com o FC Porto, será difícil e disputada até ao fim. Não seria sagaz não o perceber.
Contra o Gil Vicente no próximo domingo, nem os castigos nem as lesões podem tirar a margem de uma vitória essencial para um Natal tranquilo.
A Taça de Portugal mostra sempre muitas curiosidades. O Sporting teve mais dificuldades em eliminar o Vizela que o FC Porto nesta prova, e está apurado para os quartos-de-final.
O Benfica perdeu com um SC Braga muito competente e perde uma hipótese clara de ganhar a Taça de Portugal. Resta o campeonato e a Taça da Liga.
Domingo voltamos ao objectivo principal: ser bicampeão.
Naquela que é a minha última crónica antes do Natal não posso deixar de enviar os meus votos para esta quadra festiva: «Para todos um bom Natal»."

Sílvio Cervan, in A Bola

Maioridade

"Puxemos o filme atrás, até à pré-época, até às 6 derrotas nos 7 jogos de preparação que antecederam a Supertaça, e ao cepticismo com que muitos olhavam para a debandada de jogadores como Oblak, Garay, Siqueira, Markovic, André Gomes, Rodrigo ou Cardozo. Recordemos o que então se disse.
Depois de anos sucessivos em que um forte investimento na equipa escancarava as portas à esperança, o último Verão parecia deixar-nos uma amarga sensação de fim de festa: por motivos vários, o Benfica deixaria inevitavelmente a dianteira do panorama futebolístico nacional, devolvendo-a ao todo poderoso, e reinventado, FC Porto.
Confrontemos com a realidade actual. 11 vitórias em 13 jogos do Campeonato, 6 pontos de vantagem para o 2º classificado, e vitória categórica no reduto do principal adversário. Nem os mais optimistas julgariam possível tão eloquente desempenho. Mas ele aí está, e tem um nome: Jorge Jesus.
Se em épocas anteriores alguns argumentavam que o técnico do Benfica usufruíra de plantéis luxuosos, com os quais qualquer um seria capaz de brilhar (afirmação que, diga-se, está longe de corresponder à realidade do futebol moderno), nestes meses, com uma equipa desfalcada – além dos que saíram, também as lesões de Sílvio, Eliseu, Ruben Amorim, Fejsa, Jara e Sulejmani reduziram o lote de opções -, o que Jesus conseguiu é digno dos mais vivos encómios. E a vitória no Dragão (a sua 8.ª sobre o FC Porto), alicerçada numa estratégia de jogo imaculada, apenas confirmou aquilo que se vai tornando evidente desde 2009: temos, neste momento, um dos melhores treinadores da história do Benfica.
O triunfo de domingo significou, também, o atingir de uma certa maioridade desta equipa, na qual poucos confiavam no início da temporada. Aqueles jogadores mostraram estofo, e garantiram-nos que podemos contar com eles.
Com um calendário desanuviado, com uma vantagem pontual confortável, a aposta no Bi-Campeonato terá, agora, de ser um desígnio de todos. Chegados aqui, não podemos deixar escapar este título."

Luís Fialho, in O Benfica

De Maputo...

"Mais uma viagem, mais um universo de pessoas, de sensibilidades e de locais. No caso de Moçambique, locais deslumbrantes, capazes de cativar mesmo os mais exigentes turistas. E, claro, a pessoas... os cidadãos anónimos e as massas de que tão deliciosamente nos falava Ernest Hemingway nas suas crónicas de viagens. É sobre essas pessoas e o incrível universo Benfica que vos quero falar esta semana. Estava a pisar solo Moçambicano quando o nosso fabuloso Lima fazia o segundo golo. Enviaram-me entusiastas mensagens de confirmação da nossa superioridade. Não foi tanto isso que surpreendeu, visto que somos verdadeiramente uma grande família. Extraordinário foi ver nas ruas de Maputo, de rádios ao ouvido, crianças, velhos e mulheres a celebrar a mais que certa vitória do clube das águias. Foi o entusiasmo dos seguranças à porta do hotel e, claro, a nossa BTV sempre ligada no bar do hotel.
Pelo contrário, quando o FC Porto se aproximava da nossa baliza, o silêncio era a reacção unânime e as amplas avenidas da capital moçambicana cobriam-se de um manto de quietude impressionante. Quando o jogo terminou, voltei a ter o privilégio único: apitos de automóveis, camisolas do Benfica nos transeuntes eufóricos e faixas vermelhas em restaurantes, bares e casas anónimas.
Bem sei que a vitória seria um momento decisivo na revalidação do título nacional. O banho de táctica e técnica de Jorge Jesus a Lopetegui era uma revelação importantíssima nesta fase. Mas a celebração da vitória nas ruas, e tantos quilómetros de Portugal, por homens e mulheres anónimos, numa expressão incondicional de amor ao Benfica, fez-me recordar as palavras de Luís Filipe Vieira: 'O Benfica é a marca da lusofonia'. Quer se queira, quer não, há por detrás desta constatação uma verdade que todos deviam aprender, desde o Presidente do Bayern de Munique até ao Sr. Pinto da Costa: de Maputo a Lisboa, é só Benfica. E é o Benfica que a todos relembra Portugal!"

André Ventura, in O Benfica

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Um Brahimi não vale uma torre de Lopetegui

"Jamais Maxi Pereira conseguiria arremessar a bola até ao coração da área e à anca de Lima se à sua frente, no lugar de Brahimi, estivesse a torre de 7 metros de Lopetegui.

SE para alguma coisa haveria de servir a imponente estrutura de sete metros na vertical que Lopetegui mandou erguer no campo no Olival para, lá do alto, semi-divino, observar a evolução de los chicos, serviria muitíssimo bem para, postada à frente de Maxi Pereira, impedir que o tal lançamento de linha lateral resultasse em golo.
Se alguma utilidade prática um dia se iria descobrir para o objecto em aço inoxidável plantado no relvado de modo que os jogadores passam o tempo a esbarrar naquilo que, ainda assim, deve ter custado uma pipa de massa, descobrir-se-ia que com um campanário daquela envergadura a dois metros de distância jamais Maxi Pereira conseguiria fazer a bola por si arremessada chegar ao coração da área e à anca de Lima.
Se um qualquer destino grandioso de fulgor tecnológico e de benefício estava reservado para a Torre de Lopetegui pela sua altura de majestade, desperdiçou-se a ocasião ao minuto 35, o minuto em que alguém da casa com autoridade na matéria, querendo legitimamente ver rentabilizado o projeto metálico e querendo ao mesmo tempo ganhar o jogo, deveria ter gritado da tribuna presidencial para o relvado:
- Julen, tira o Brahimi e mete mas é a tua torre à frente do Maxi!
É que, numa circunstância daquelas, um Brahimi não vale uma Torre de Lopetegui.

CONFIRMOU-SE, quase na plenitude, o difícil que é jogar para a Europa a meio da semana e jogar em Portugal uns poucos dias depois.
Das cinco equipas portuguesas que estavam ainda nas competições da UEFA na semana passada apenas o Benfica, que já se despediu dessas bonitas andanças internacionais, conseguiu vencer o seu jogo a contar para o nosso campeonato.
O Rio Ave e o Estoril, que também já estão fora da UEFA onde nem fizeram má figura, foram no fim-de-semana empatar a Guimarães e ao Funchal, o que nem é mau de todo tendo em conta as suas respectivas e legítimas pretensões internas.
Já o Sporting, que segue para a Liga Europa, só conseguiu arrancar um precioso e muito festejado empate em tempo de compensação no seu jogo caseiro com o insolente Moreirense.
Quanto ao Porto, que segue para a Liga dos Campeões com o seu plantel de luxo, perdeu o seu jogo caseiro a contar para o campeonato porque, porventura distraído com as suas glórias internacionais ou imbuído do espírito da tão celebrada “aliança”, abdicou de montar aquele sempre profícuo clima saudável de confrontação nas vésperas do encontro.
Esse suposto e inaudito desconchavo político e institucional, tão criticado nos dias seguintes por gente de altíssima categoria, teve, naturalmente, consequências. E grandes.
Ao ponto de o árbitro nem se ter sentido na obrigação de validar, como era da tradição, a Jackson Martínez aquela única bola que o colombiano fez entrar na baliza de Júlio César depois de a ter ajeitado para o pé com a mão.
Lamentável anulação de um golo irregular, francamente. Com o melhor árbitro do mundo em campo, meus amigos, outro galo cantaria. Enfim…
Cabe agora aos vencedores do jogo do Dragão não confundir os 6 pontos que levam de avanço com a ideia absurda de que está garantida a revalidação do título.
E cabe aos vencidos, por amor à retórica sem dor, continuar a cantar loas ao actual plantel de luxo confundindo-o com o já desaparecido plantel do Lucho, que sempre era outra música.

ESTA é a semana de Jorge Jesus ser bestial. Há semanas assim na vida de um treinador. Jesus que até subiu ao relvado do Dragão com as orelhas a arder.
'Ardem-me tanto as orelhas', confidenciou Jesus a Pietra, em voz muito baixa para não alarmar ninguém, enquanto se dirigiam para o banco antes do jogo começar.
Pietra, grande conhecedor da alma benfiquista, explicou-lhe com a maior calma do mundo: 'É o pessoal todo furioso contigo por meteres o Lima e não meteres o Jonas.'
Ao que Jesus, encolhendo os ombros, logo respondeu a Pietra olhando-o de soslaio: 'Ah, é por causa disso? Então já passa e não tarda nada.'
E, mais uma vez, não se enganou.

JÚLIO CÉSAR esteve em excelente plano no domingo. O guarda-redes brasileiro tem contrato por duas temporadas e muito gostaria de o ouvir dizer em Junho de 2016, quando terminar o seu vínculo com o Benfica e, provavelmente, a carreira:
- Comecei no Flamengo onde fui campeão e termino no Benfica onde fui campeão. Entre estes dois colossos joguei uns anitos em Itália e também por lá ganhei umas coisas…
Sonhar é bom.

TENHO vindo a dar conta de que a derrota do Porto frente ao Benfica, que é sempre notícia, provocou e provoca maiores enguiços de alma e maioríssimos prantos de revolta entre os sportinguistas do que, como seria natural, entre os portistas.
E aproveito para os avisar:
Amigos portistas, vejam bem como esta aliança com o Benfica vos é contra-natura. É o Sporting que é o vosso grande amigo, não duvidem nem por um segundo.
De portistas anónimos, conhecidos e amigos, obviamente tristes com o resultado, ouvi dar os parabéns aos vencedores, ouvi as inevitáveis críticas ao treinador e constatei uma indisfarçável irritação com Brahimi por o argelino, segundo dizem, já estar 'com a cabeça noutras paragens' para além de umas outras leves irritações com uns quantos dos seus jogadores.
Com toda a franqueza vos confesso que, vindo de um portista, foi isto o mais insultuoso que ouvi na noite de domingo:
- Olha, resumindo, o Benfica parecia o Porto e o Porto parecia o Sporting!
O que não deixa de ter a sua grande graça pelo que nem insulto se pode considerar. Eu, pelo menos, não considero.
A outro portista, meio a sério e meio a brincar, ouvi acusar o seu treinador pela campanha impecável na fase de grupos da Liga dos Campeões:
- Este é que era o nosso ano de estarmos na Liga Europa e nem a Liga Europa este ano podemos ganhar! 
O que tem a sua lógica, ainda que derrotista. Convém lembrar a todos os interessados que o campeonato nacional está longe de estar entregue a quem, quer que seja quando ainda há 63 pontos por disputar e que a própria Liga dos Campeões ainda não tem vencedor embora tenha alguns fortes candidatos.
Já a amigos e a conhecidos sportinguistas ouvi coisas de outro jaez, mais sofrido, mais inconformado. A um até ouvi dizer que a vitória no Dragão tinha sido do Sporting porque 'o Jesus é um sportinguista doente' e o que conta nestes jogos 'é o treinador' pelo que, 'uma vez mais' o Benfica 'beneficiou, sabe-se lá como, de 3 pontos caídos do céu sem fazer nada por isso'.
Eu respeito todas as opiniões. Mas uma coisa é certa: se Jorge Jesus for mesmo um sportinguista doente, como dizem, nesse caso é o único sportinguista doente que não ficou doente esta semana.

PINTO DA COSTA foi visitar à prisão o ex-primeiro ministro. Que bom. É que, muito simplesmente por não gostar de ver o envolvimento de símbolos do meu clube com a política e com a justiça, fiquei um bocadinho incomodada com a visita dos populares adeptos benfiquistas, 'Barbas' e Jorge Máximo, ao ex-primeiro ministro detido. Respeitando, como é óbvio, todas as vontades e sem fazer juízos morais.
Agora com a visita de Pinto da Costa pelo menos neste capítulo já estamos empatados.
Que alívio."

Leonor Pinhão, in A Bola

Eliminação prematura...

Benfica 1 - 2 Braga

Quando foi o sorteio, avisei logo que este jogo devia ser adiado para outra altura. Independentemente do resultado no Dragay, a equipa nunca iria estar a 100% nesta semana. Além dos impedimentos do 'costume': Fejsa, Amorim, Eliseu e Sílvio (aparentemente o Jara e o Sulejmani não são opção), nestes últimos dias perdemos o Salvio e Luisão, e durante o jogo ainda ficámos sem o Enzo. São demasiadas ausências.. E o Jesus ainda optou por dar descanso ao Samaris e ao Talisca!!! Ainda por cima num jogo, onde voltámos a defrontar uma equipa caceteira, que mais uma vez teve a colaboração do apitador (menos que no Campeonato, é verdade... mas o Pardo tinha que levar vermelho. No início do lance o André Pinto desvia a bola com o braço, e só depois o Jardel joga a bola com o braço).

Entrámos muito mal nas duas partes... Se na 1.ª parte o Júlio César resolveu, a entrada no 2.º tempo foi suicida (com o 1.º golo do Braga a ser obtido irregularmente, pois o Éder toca a bola com a Mão)!!! No final da 1.ª parte podíamos ter 'matado' o jogo, falhámos demasiados golos, tempo 2.º tempo voltámos a desperdiçar muito... sendo que o guarda-redes (agora, outro...) foi novamente o melhor em campo!!! O Jonas que marcou o golo, acabou depois por ser o principal esbanjador...
Depois das boas indicações com o Bayer, as segundas opções que jogaram hoje não impressionaram tanto, como no jogo com o Alemães. Eu avisei que os adversários eram diferentes, as equipas Tugas estrategicamente usam outro tipo de artimanhas, e por isso o César e o Pizzi tiveram muito mais dificuldades... Creio que só o Cristante acabou por confirmar as qualidades.
Muitas vezes fazem-se avaliações prematuras, creio que hoje foi evidente que o Enzo não tem actualmente substituto no plantel...

Este jogo não apaga em nada, o que foi conseguido no Campeonato até agora, em nada... apesar da campanha de desinformação que se vai abater nos próximos dias nos mérdia. O importante é recuperar as forças para o jogo de Domingo, onde não vamos ter o Enzo, o André Almeida, e o Salvio... estando o Luisão em dúvida. Tal como aconteceu após a eliminação da Champions, o 1.º objectivo mantém-se intacto, aliás a partir de agora até é mais evidente...

Para o Benfica vencer um jogo apitado pelo Soares Dias, é preciso ser dia Santo... Além de ter atrasado ao máximo os amarelos aos caceteiros (por exemplo o Tiba...), o Pardo tinha que ser expulso, pois o Jonas ia isolado... Além disso permitiu a irregularidade no 1.º golo do Braga, e não marcou um penalty do Djavan sobre o Lima na parte final do jogo... Também não deixa de ser engraçado o zelo nos 4 minutos de compensação, depois de todo o anti-jogo permitido, com substituições que levaram eternidades, e já nos descontos permitiu ao Pardo ficar na relva mais de 1 minuto... mas aos 4.01m parou o jogo!!!
Mas o mais irónico, é que provavelmente amanhã, os avençados vão falar de um suposto penalty do Jardel, quando a falta é do Central do Braga!!!

Curiosidades e lições da Champions

"Na fase de grupos da Champions houve quase uma correlação perfeita entre a classificação final e a divisão por potes no sorteio. Em 5 dos 8 grupos acabou-se tal qual o ranking. Em outros dois, a alteração foi quase imperceptível (troca de Arsenal cm Dortmund ou Roma com Dínamo de Moscovo). Mas houve um grupo onde a classificação foi exactamente a inversa da que presidiu ao sorteio, que, assim, transgrediu a 'norma'. Precisamente a do Benfica:
Clube........Pote.........Classificação
Benfica........1.º ................ 4.º
Zenit..........2.º ................ 3.º
Bayer.........3.º ................ 2.º
Mónaco.... 4.º ................. 1.º

Poderemos especular sobre as razões deste desvio. Evidentemente que a principal explicação está nos próprios jogos efectuados. Mas há uma outra razão: a lógica do sorteio, ao seriar os clubes apenas pelo seu anterior desempenho, não tendo tanto em conta o respectivo país. Neste caso, o sorteio ditou que a 3.ª e 4.ª equipas proviessem de fortes campeonatos como o alemão e o francês. Já noutros grupos, a 4.ª equipa (ainda que campeã no seu país) proveio de Chipre, Suécia, Bulgária, Eslovénia, Bielorrússia e Bélgica...
Todavia, , nada disto explica o lugar do Benfica. Curiosamente, embora último, foi quem venceu e empatou com o 1.º (Mónaco), tendo-lhe marcado o único golo que os monegascos sofreram (!).
Por sua vez, o BATE Borisov conseguiu a proeza de sofrer 24 golos em 6 jogos! Uma equipa houve (Basileia) que se apurou para os oitavos com 7 pontos, quando, na época anterior, o Benfica com 10 não o conseguiu. Esta 'vaquinha suíça' calhou agora ao Porto."

Bagão Félix, in A Bola

O 'cocktail' de Lima em porto 'ruby'

"Antes do jogo, lia-se e ouvia-se que a vitória do Porto era mais ou menos inevitável. Que tinha melhor e mais motivada equipa. Que, no Benfica, a (não) Champions deixara marcas. Que os tremeliques no Dragão iriam acontecer.
Um resultado, porém, tudo muda. Dos mesmos, li e ouvi o oposto. É assim a magia do futebol. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. O Benfica venceu porque os seus astros virtuosos foram sobretudo operários solidários na virtude do conjunto. No Dragão, o Benfica de Jesus foi, afinal, o que o Porto costuma ser nestes jogos: consciente, com capacidade de luta, eficácia e cultura de união. O Porto foi uma união desunida, com buracos de alguma sobranceira no relvado e no banco. Os BATE Borisov habituaram mal Lopetegui...
Um jogo sem casos, hélas! Sem a obsessão de se tentar, numa imagem repetida pela 50.ª vez, dissecar um fora-de-jogo ou um penalty duvidosos. Um encontro sem marcas negativas por parte de quem esteve nas bancadas. Tudo limpinho! Lima foi segredo de Jesus para um cocktail com porto ruby que, como dizem os entendidos, tem sabor de fruta silvestre.
Com pouco mais de um terço do campeonato, ainda há muito a percorrer. Todavia, o Sporting está já fora da corrida e restam os dois do costume. O Moreirense não teve procuração do SLB para responder ao vídeo da saudade dos 7-1 de há 28 anos, mas contribuiu para aquela festiva celebração de efeméride.
Dos 3 grandes, o Benfica venceu 85% (11 em 13) dos jogos. O Porto não ganhou 39% (5 em 13). E o Sporting 54% (7 em 13)."

Bagão Félix, in A Bola

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Épico... em mais um Roubo descomunal !!!

Corruptos 3 - 7 Benfica

Parece estranho o adjectivo 'épico' num jogo que nada decide, a meio da época, mas a Roubalheira esta noite atingiu proporções gigantescas, foram agressões, resmas de simulações, faltas marcadas ao contrário sucessivamente, faltas não assinaladas, valeu tudo, valeu literalmente tudo, penalty's e Livres Directos uns atrás dos outros (que o Trabal defendeu uns atrás dos outros!!!), em desespero mandaram mesmo repetir os penalty's que o Trabal defendeu...!!! Não é surpresa, também não é a primeira que somos Roubados no Hóquei (bem pelo contrário), já tivemos jogadores que foram obrigados a sair do jogo e a ir directamente para o Hospital por interferência do público, o historial é longo, mas se este não foi um maior Roubo, estará lá perto... agora, terá sido a 'maior' vitória, no antro Corrupto, apesar do Roubo, isso provavelmente foi!!!

Só foi possível vencer este jogo porque o Trabal fez uma exibição estrondosa... O 2.º e o 3.º golo que sofremos, foram em inferioridade numérica (e o 3.º foi mesmo um auto-golo), além das bolas paradas (e foram tantas que eu perdi a conta!!!), defendeu tudo, um autêntico muro...
O Nicolia voltou a espalhar magia, é verdade que defensivamente dá algumas abébias, mas com a bola no stick compensa... maravilhoso!!!

A diferença de qualidade entre as equipas é brutal: Valter, Diogo, João, Nicolia, Carlitos são melhores do que qualquer jogador Corrupto!!! Só um Sistema extremamente corrupto, permite que uma equipa destas esteja a lutar pelo título, ainda por cima treinada por um nojento incompetente.

Eu sei que os jogadores até são 'amigos', mas perante os comportamentos asquerosos dentro das quatro linhas, com as constantes simulações, as queixinhas, as agressões, tenho alguma dificuldade em compreender os cumprimentos no final da partida... Por isso, é que não consigo entusiasmar-me com as Selecções, é impossível esquecer comportamentos de tão baixo nível...

PS1: Aquele cartão azul ao Jorge Silva a 48 segundos do fim, depois de tudo aquilo que ele fez durante o jogo, só pode ter sido para a graçola!!!

PS2: O Benfica venceu, apesar do roubo, provavelmente a secção não vai tomar uma posição pública, sobre o que se passou... algo que é completamente errado. Isto de nos queixarmos só quando não ganhámos, não é coerente...

Vitória na Europa

Benfica 3 - 1 Partizan Belgrado
17-25, 25-19, 25-14, 25-18

Nova vitória sobre os líderes da Liga Sérvia, passagem aos Oitavos-de-final, onde vamos defrontar quase de certeza, os nossos rivais internos, a Fonte do Bastardo!!!
Começamos novamente mal, a dormir literalmente, mas no 2.º Set acordámos, e não demos qualquer hipótese aos Sérvios... Nota-se claramente, que a equipa está motivada nesta aventura Europeia.

Antes e depois

"Há um antes e um depois do clássico de domingo. Basta que se recupere um pouco do que se dizia até ao jogo e o que se pode hoje afirmar.
No lançamento da partida, era voz corrente que, superada a inexplicável rotatividade dos titulares e a fase de adaptação de jogadores e treinador ao futebol português, o FC Porto estava em crescendo de forma e que a pressão estaria toda do lado do Benfica. Afinal, apesar de liderar, o Glorioso soçabraria no Dragão face a um FC Porto com mais talentos individuais. Mais: era-nos dito que a equipa de Jesus, não podendo pôr em prática o carrossel atacante que está na base do seu modelo de jogo, tinha invariavelmente dificuldades em gerir as partidas contra equipas mais fortes, como ficara visível nos jogos da Champions. No fundo, o Benfica sairia derrotado do Dragão e a liderança do campeonato era sol de pouca dura. Viu-se.
Contra todas as expectativas, o Benfica venceu e, mais importante, fê-lo com uma exibição incomum.
 Quase tão importante como ter vencido, foi tê-lo feito contrariando a asserção que parecia mais sólida em relação ao modelo de jogo de Jesus: o Benfica é incapaz de controlar um jogo, ocupando espaços sem posse de bola. Ora, o que se viu no Dragão foi uma equipa muito competente, a fazer pressão alta, com uma defesa subida (uma manobra de risco face ao talento individual dos portistas) e com uma organização colectiva notável nos (muitos) momentos em que não teve bola. É evidente que nada disto seria possível sem talento individual, mas foi claramente mais importante como cada jogador (mesmo um artista como Gaitán) soube participar nas tarefas da equipa. E é também nisso que reside a grande diferença entre Benfica e FC Porto. Enquanto o Benfica tem um modelo e uma organização de jogo que condicionam o lugar de cada jogador; o FC Porto que tem talentos de sobra para formar uma superequipa, continua a não funcionar enquanto tal. Como é sabido, são as equipas que ganham campeonatos."

Despedida com vitória...

Benfica 107 - 82 Kataja
24-23, 29-13, 25-21, 29-25

Num jogo que nada decidia, o Benfica fez uma excelente exibição, mesmo com as muitas ausências, e com a expulsão do João Soares antes do intervalo... Acabámos por fazer um excelente jogo, com destaque para a percentagem nos lançamentos de dois (estatística onde temos estado mal...).
Foi uma despedida da Europa (este ano...), com a segunda vitória (contra o mesmo adversário). Com as lesões, sem o Betinho (muito importante, em várias áreas do jogo...), e com um sorteio madrasto... foi o melhor que se arranjou. Temos uma equipa veterana, com um orçamento baixo comparado, com os nossos adversários Europeus, e neste caso especifico, os ordenados pagos aos Americanos normalmente decidem as partidas...
Agora, é concentrar as forças nas competições internas, recuperar os lesionados, e vamos ver se mais ninguém se lesiona!!!

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Até Cavém foi preso!

"Na época anterior, o Braga levara da Luz dois cabazes valentes (7-0 para o campeonato e 9-0 para a Taça de Portugal), mas desta vez revoltou-se e vencendo o Benfica por 4-1 no Minho abriu caminho para conquistar a sua única vitória no Jamor.

Vamos lá então a isto, que vinha prometido da semana anterior. Se se lembram, e é se se lembram, trouxe à memória destas páginas uma eliminatória da Taça de Portugal entre Benfica e Braga, disputada na época de 1964/65 e que, a duas mãos, valeu 4-1 e 9-0 para os 'encarnados'. Isto é: sem espinhas. Pois muito bem, na época seguinte, Benfica e Braga voltarem a defrontar-se para a Taça e as coisas já não correram da mesma forma, bem pelo contrário.
É assim mesmo. O Futebol é feito de vitórias e de derrotas (e já agora de empates...), não me cabe falar só dos momentos bons, nem me ficaria bem. Portanto, vamos aos factos.
Em 1964/65, o confronto entre as duas equipas valeu para as meias-finais da competição. Em 1965/66, eis que se encontraram nos quartos-de-final. O formato da prova alterara-se. Até à terceira eliminatória passou a haver apenas um jogo em vez de dois. E, assim sendo, o Benfica despachou a Oliveirense (2-0 C), o Alhandra (4-1 F) e o Portimonense (2-2 F; 5-1 C), enquanto o Braga resolveu a sua vida à custa da Ovarense (5-2 C), do Atlético (3-2 C) e do Lusitânia dos Açores (3-0 F; 3-2 C). Não se podia dizer que não houvesse claro favoritismo do Benfica, que até era campeão nacional. Só que...
No dia 10 de Abril, no Estádio 28 de Maio (que assim se chamava o mais tarde rebaptizado 1.º de Maio), um inspirado Braga comandado por um ainda mais inspirado Canário, arrasou o Benfica. Consta que a sorte do jogo também tombou para o lado dos minhotos, já que Nelson e José Augusto viram remates seus devolvidos pela trave. Mas manda dizer a verdade dos factos que depois de ter aberto o marcador por Nelson aos 34 minutos, o campeão nacional foi completamente dominado por um adversário que provocou a muitos jogadores benfiquistas um estado de nervos tão alterado que Cavém chegou a ser detido no final do encontro e levado para a esquadra por se ter envolvido em chatices com alguns espectadores. A coisa ficou por uma mera repreensão. No que a Cavém diz respeito, porque em relação ao Benfica ficou por uma derrota feia como poucas.
A segunda parte foi um caos. Aos 53 minutos, Adão empatou. Depois, fez o 2-1 aos 61. O 3-1 foi obra de Bino (63m). E o 4-1 (74m) teve a assinatura de Perrichon, um argentino que a malta do norte chamava por pirraça de sotaque Perrichão. Ficaria para sempre ligado à história do clube por ter marcado igualmente o golo solitário que valeu ao Braga a vitória nessa edição da Taça de Portugal, na final frente ao Vitória de Setúbal que na época anterior tinha também chegado ao jogo do Jamor e vencido o Benfica. Com Luciano, Estevão e Adão a acolitarem o endiabrado Canário,os bracarenses deixavam os lisboetas em muito mais lençóis, embora ainda houvesse o jogo da Luz para completar o acerto contabilístico.

Nem Eusébio chegou...

Pois, na semana seguinte, eis que vai o Braga a Lisboa para a segunda mão desses quartos-de-final tão surpreendentes até ao momento. Até certo ponto assistia-se à revolta dos arsenalistas do Minho que na época anterior tinham levado do Estádio da Luz dois cabazes valentes - 7-0 para o campeonato e 9-0 para a Taça. Irra! Que era dose cavalar!
E a revolta deu-se mesmo porque o Benfica não foi capaz de dar a volta. Havia, pelo que se lê na imprensa da altura, uma grande confiança do lado encarnado. Todos pareciam convencidos de que era mais do que possível dobrar o cabo dos trabalhos daqueles 1-4 da ida.

Não ficou longe, mas o golo inicial de Adão (21m) tornou logo a tarefa mais complicada. Eusébio, que não jogara em Braga, ainda foi fazendo das suas. Marcou dois golos (40 e 53m, este de grande penalidade) e arrastou a equipa consigo para o assalto à fortaleza bracarense. Com tanto tempo para jogar, embora desfalcado de Jacinto, que fora expulso, os benfiquistas lançaram-se na busca incessante dos golos. Torres fez o 3-1 a vinte minutos do final, e o público acreditou mais do que nunca. Armando, Canário, José Maria, Estevão e Perrichon deram à equipa uma tranquilidade fundamental que os comandados de Belá Guttmann não foram capazes de quebrar. Os esforços de Torres e Simões para acompanharem as explosões de Eusébio caíram em saco roto. A estreia de Loio, que jogara pelo Flamengo antes de vir para o Benfica, e que merecerá um dia uma destas linhas que por aqui rabisco, foi frustrante. O Braga seguia para as meias-finais, e o Benfica que fora um mês antes eliminado de forma estrondosa pelo Manchester United (1-5 na Luz) da Taça dos Campeões Europeus, via-se arredado de mais uma competição. A maldição de Guttmann caía, pelos vistos, sobre o próprio.
Não contentes com a proeza de eliminar o Benfica, os minhotos viriam também a deixar o Sporting pelo caminho (1-1 e 1-1 e 1-0 no desempate) até ao Jamor e à única Taça de Portugal conquistada na sua história. Quanto aos confrontos com o Benfica, não tarda está aí outro à porta. E quem te avisa..."

Afonso de Melo, in O Benfica

Jesus e a BTV


Entrevista de Jorge Jesus - 6 Anos BTV - 10.12... por AsPapoilasSaltitantes

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Lixívia XIII

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica............... 34 (-1) = 35
Braga................ 25 (+2) = 23
Sporting............ 24 (+2) = 22
Corruptos......... 28 (+8) = 20


Pois é, pré-jogo calmo, jogo sem casos, Benfica vencedor... sem caceteiros (excepto o Casemiro... e o Indi... e o Danilo!!!), sem parte-pernas, sem manhosos, é mais fácil ganhar.
Tal como disseram na caixa de comentários, noutros tempos, noutros ambientes, com outros apitos, e o 1.º golo tinha sido anulado, por suposta Mão na bola do Lima (além do Brahimi estar aos saltos junto da linha, em frente ao Maxi...), o 2.º golo tinha sido marcado (erradamente) fora-de-jogo, e finalmente o golo bem anulado aos Corruptos por Mão na bola do Jackson, tinha sido validado... e assim, o jogo tinha terminado 1-0 a favor do visitado, com a crítica unânime a elogiar o 'bom' jogo dos Corruptos, a criticar o 'mau' jogo do Benfica, e a desvalorizar os potenciais erros do árbitro, já que o resultado tinha sido justo!!! Já vimos tantas vezes o mesmo Filme, que já nada nos poderá surpreender... a não ser um jogo sem casos!!!

Já fomos várias vezes prejudicados pelo Jorge Sousa (os últimos dois jogos: Guimarães Jamor, Marítimo Funchal, são belos exemplos...), mas curiosamente este é o segundo jogo para o Campeonato no Dragay, onde a arbitragem do ex-Super Dragay é satisfatória!!!
Quando vi o 1.º amarelo ao André aos 2 minutos, temi o pior, mas depois conteve-se... talvez por isso, não marcou uma falta óbvia ao Danilo sobre o Talisca, por volta do minuto 22, que daria o 2.º amarelo ao caceteiro lateral... Tal como podia ter mostrado o amarelo ao Enzo mais cedo. Os outros dois erros, terão sido a Mão na bola do Maxi (fora da área), e a não mostragem do amarelo ao Jackson na luta de galos com o Samaris (aliás nesse lance foi marcada a falta do Danilo sobre o Ola John, onde mais uma vez podia ter sido mostrado o 2.º amarelo...).

Mais uma vez, tenho que realçar a tremenda azia na PorkosTV, parecia um funeral... Além de mais uma vez, provarem desconhecer as leis do jogo, mostraram que continuam com uma linha editorial, anti-Benfica. Algo que realmente tenho muitas dificuldades em perceber: como é que os novos Accionistas da PorkosTV (que já vieram queixar-se publicamente da falta de rendimento do canal!!!), mantém a confiança nos pseudo-jornalistas que têm na redacção, alienando assim a maior massa associativa do País!!! Além da clubite doentia (anti-benfiquismo militante), não entendo como é que esta situação não é alterada... Deve ser caso único no Mundo, onde aparentemente a Administração, não se importa em perder dinheiro, só para agradar ao ego clubista de uma minoria!!!

Nos outros jogos nada de muito importante se passou (aparentemente)!!! O Braga em Belém acabou o jogo carregadinho de amarelos, parece que o Paulo Baptista, andou a escolher a dedo, a quem mostrar Cartões, para que ninguém faltasse ao jogo da Taça com o Benfica!!!
No Alvalixo, a melhor equipa do Mundo e arredores, voltou a safar-se da derrota no último minuto, após uma descoordenação defensiva do Moreirense... durante o jogo o Maurício voltou a provar que a impunidade compensa!!! O canto, que dá o golo ao Moreirense, tem origem num lance duvidoso: depois de rever as imagens não consigo ter uma opinião definitiva, a bola bate na fronteira entre o Braço e o Ombro, o remate é à queima... mas como do canto resultou o golo, este lance acabou por ser irrelevante para o resultado final.

Anexos:
Benfica
1.ª-Paços de Ferreira(c), V(2-0), Cosme, Prejudicados, Sem influência no resultado
2.ª-Boavista(f), V(1-0), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
3.ª-Sporting(c), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Setúbal(f), V(0-5), Capela, Nada a assinalar
5.ª-Moreirense(c), V(3-1), Luís Ferreira, Prejudicados, (4-1), Sem influência no resultado
6.ª-Estoril(f), V(2-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
7.ª-Arouca(c), V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Braga(f), D(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-3), (-3 pontos)
9.ª-Rio Ave(c), V(1-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
10.ª-Nacional(f), V(1-2), Bruno Paixão, Prejudicados, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
11.ª-Académica(f), V(0-2), Jorge Ferreira, Beneficiados, (0-1), Sem influência no resultado
12.ª-Belenenses(c), V(3-0), Manuel Oliveira, Nada a assinalar
13.ª-Corruptos(f), V(0-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar

Sporting
1.ª-Académica(f), E(1-1), Soares Dias, Beneficiados, (2-1), (+1 ponto)
2.ª-Arouca(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, (2-0), Sem influência resultado
3.ª-Benfica(f), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Belenenses(c), E(1-1), Cosme Machado, Nada a assinalar
5.ª-Gil Vicente(f), V(0-4), Xistra, Beneficiados, (1-4), Sem influência no resultado
6.ª-Corruptos(c), E(1-1), Benquerença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
7.ª-Penafiel(f), V(0-4), Rui Costa, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Marítimo(c), V(4-2), Manuel Oliveira, Beneficiados, (4-3), Sem influência no resultado
9.ª-Guimarães(f), D(3-0), Hugo Miguel, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
10.ª-Paços de Ferreira(c), E(1-1), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-2), (+1 ponto)
11.ª-Setúbal(c), V(3-0), Soares Dias, Beneficiados, Impossível contabilizar
12.ª-Boavista(f), V(1-3), Jorge Sousa, Nada a assinalar
13.ª-Moreirense(c), E(1-1), Jorge Ferreira, Nada a assinalar

Corruptos
1.ª-Marítimo(c), V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
2.ª-Paços de Ferreira(f), V(1-0), Mota, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
3.ª-Moreirense(c), V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4.ª-Guimarães(f), E(1-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
5.ª-Boavista(c), E(0-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
6.ª-Sporting(f), E(1-1), Benquerença, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Braga(c), V(2-1), Proença, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
8.ª-Arouca(f), V(0-5), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, (1-6), Sem influência no resultado
9.ª-Nacional(c), V(2-0), Nuno Almeida, Nada a assinalar
10.ª-Estoril(f), E(2-2), Soares Dias, Beneficiados, (3-2), (+1 ponto)
11.ª-Rio Ave(c), V(5-0), Benquerença, Beneficiados, (1-2), (+3 pontos)
12.ª-Académica(f), V(0-3), Manuel Mota, Nada a assinalar
13.ª-Benfica(c), D(0-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar

Braga
1.ª-Boavista(c), V(3-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-0)?!, Impossível contabilizar
2.ª-Moreirense(f), E(0-0), Paixão, Prejudicados, (1-0), (-2 pontos)
3.ª-Estoril(c), V(2-1), Hugo Miguel, Prejudicados, (3-1), Sem influência no resultado
4.ª-Arouca(f), D(1-0), Proença, Nada a assinalar
5.ª-Nacional(f) E(1-1), Jorge Tavares, Prejudicados, Impossível contabilizar
6.ª-Rio Ave(c), V(3-0), Bruno Esteves, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Corruptos(f), D(2-1), Proença, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)
8.ª-Benfica(c), V(2-1), Marco Ferreira, Beneficiados, (2-3), (+3 pontos)
9.ª-Académica(f) E(1-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
10.ª-Gil Vicente(c), V(2-0), Manuel Oliveira, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
11.ª-Penafiel(f), V(1-6), Hugo Miguel, Nada a assinalar
12.ª-Guimarães(c), E(0-0), Xistra, Nada a assinalar
13.ª-Belenenses(f), V(0-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar

On Tour...

Cota no antro...

domingo, 14 de dezembro de 2014

Natal vermelho !!!

Corruptos 0 - 2 Benfica

Nas habituais conversas entre Benfiquistas antes do jogo, defendi que actualmente a melhor dupla de ataque do Benfica será o Jonas/Derley. Desconheço qual seria o resultado se estes dois têm jogado, mas ao contrário de outros 'experts', quando o Jesus não segue os meus conselhos, não costumo crucificar-lo. Uma coisa é a opinião dos treinadores de bancada, outra coisa são as opções do treinador. Hoje tivemos mais uma prova, que afinal o treinador pode ter razão, mesmo quando vai contra a opinião da grande maioria dos adeptos, que não desejavam (ou esperavam) o Lima a titular...!!!

Não sei se reparam mas esta noite, a melhor equipa do Mundo e arredores, que joga maravilhosamente bem, ficou a 10 pontos do Benfica; e a outra equipa, que tem feito 'grandes' exibições na Champions, ficou a 6 pontos (que podem ser 7)!!! Também não sei se reparam, que a tal equipa maravilha, do tika-taka, que aumentou a massa salarial em mais de 50%, que contratou tudo o que havia para contratar, voltou a não ganhar, contra um adversário bonzinho: Lagartos Taça perderam; Shakhtar empataram os dois jogos, no finalzinho de ambas as partidas; e agora com o Glorioso, novamente em casa, perderam... e isto contra um Benfica, somente 'regular'!!!

Depois de mais umas semanas, onde o Benfica vendeu supostamente todo o plantel, depois de mais umas semanas onde o Benfica está à beira da catástrofe: somos líderes, com uma vantagem confortável... mas os outros, é que estão bem!!!
No rescaldo deste jogo, tenho a certeza que vão utilizar milhares de vezes a palavra: sorte!!! Mas depois de tanto azar (e afins) que tivemos neste antro, um bocadinho de sorte, até já vem atrasada!!!
Não é fácil fazer destaques individuais, fizemos um bom jogo colectivo, pragmático, entrámos mal no jogo, com um Amarelo aos 2 minutos, que condicionou mentalmente a nossa equipa, mas por volta dos 15 minutos, equilibrámos a partida... Fomos eficazes, mas a reacção dos Corruptos nunca assustou... só a lesão do Luisão abalou um pouco a nossa equipa, as duas bolas nos ferros, foram logo a seguir, mas mais uma vez, a equipa voltou a encontrar-se, e os últimos minutos acabaram por ser estranhamente 'tranquilos'!!!
O Júlio César voltou a estar muito bem, o André assustou-se com o Amarelo prematuro, mas aguentou-se...; o Maxi fez um jogo gigante; p Luisão e o Jardel resolveram os problemas, o César entrou num momento perigoso, levou alguns minutos a encontrar o posicionamento, mas...; o Samaris confirmou o crescimento; o jogo pedia mais um Enzo de contenção...; o Salvio ofensivamente esteve discreto, mas cumpriu defensivamente; o Nico voltou a ser o mais brilhante...; o Talisca foi importante tacticamente, foi importante no 2.º golo, mas devia ter aparecido mais em jogo; o Lima marcou os dois golos, e não precisava de fazer mais nada!!!
Temi o pior com o critério disciplinar, mas o árbitro aguentou-se... Esteve bem, na Mão do Jackson. Já é o segundo jogo do Jorge Sousa no Dragay com o Benfica, onde fez um trabalho razoável, parece que é mais perigoso longe de casa...

A má notícia da noite, foi a lesão do Luisão. Espero que não seja grave. O nosso Capitão não teve muitas lesões na carreira, mas quando tem problemas, normalmente as recuperações são lentas. O César e o Lisandro têm dado boas indicações, mas não são a mesma coisa... Para o jogo com o Gil Vicente, também ficámos sem o André Almeida e o Enzo com o 5.º amarelo. Se o Luisão não recuperar, vamos ser obrigados a fazer 3 alterações, duas delas na defesa... O Benito deverá ser a opção para a lateral esquerda, e o Pizzi (ou o Cristante, ou até o Talisca) deverá ser a opção para o lugar do Enzo.
Os 3 pontos de ganhámos hoje, valem o mesmo, que os 3 pontos em disputa com o Gil Vicente. Com o jogo do Braga para a Taça no meio, o jogo de Domingo com o Gil Vicente, na véspera de Natal, pode ser perigoso!!!

Muito mau...

Braga B 3 - 2 Benfica B

Jogámos cerca de 76 minutos com mais um, e mesmo assim não soubemos aproveitar... acreditando nas crónicas, até foi o Braga em contra-ataque a criar sempre mais perigo!!!
Mesmo com o árbitro, a tentar compensar a expulsão aos 10 minutos do guarda-redes do Braga, o Benfica podia e devia ter feito mais e melhor.
O Rui Fonte é um jogador que neste momento não tem substituto nesta equipa, enquanto não regressar da lesão, o Benfica terá muitas dificuldades em marcar...

M. Santos; Nunes, Valente (Amorim, 32'), Cardoso, Menga (Rebocho, 45'); Lindelof, Pinto; Teixeira (Andrade, 77'), Costa, N. Santos; Guedes.