Últimas indefectivações

sábado, 24 de agosto de 2013

Tem a palavra...


Foi talvez a melhor entrevista do Presidente, muito por culpa do Hélder Conduto - que num órgão comunicação social oficial do Clube, fez 'mais' que outros em órgãos supostamente imparciais!!! -, não vou esmiuçar todos os temas, até porque subscrevo a opinião do Carlos Alberto... mas acrescento um ponto: a mensagem principal que o Presidente deixou logo no início da entrevista, foi para mim o mais importante: Militância, algo que eu próprio ando a dizer à muito tempo. O Futuro sucesso do Benfica, depende exclusivamente da Militância dos Benfiquistas, tal como o Presidente disse.... As únicas manifestações de Benfiquismo têm de ser de apoio... ler supostos Benfiquistas a desejar derrotas, para fragilizar o treinador e o presidente é execrável (sim, isto é que é execrável, não foi a entrevista)!!! A critica é válida, e benéfica, mas tem o seu momento e a sua forma...
Na 2.ª parte da entrevista, relembrou que o sucesso do projecto da Benfica TV (direitos televisivos), é fundamental não só internamente no Clube, como no abalar do famoso Sistema Mafioso no Futebol Português. Pessoalmente, até acho que é mais importante a falência do Oliveirinha, do que as estratégias eleitorais na FPF e na Liga.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Objectivamente (tudo na mesma)

"Começou mais um Campeonato de vergonha. Nada mudou. Tudo o que vem acontecendo de benefício ao habitual vencedor de taças e campeonatos aí está em todo o seu esplendor! Em Setúbal, quando se adivinhava um final diferente do habitual, eis que Capela alterou tudo a favor dos portistas em poucos minutos. Penálti inexistente (não venham confirmar a opinião dos cobardolas dos ex-árbitros que sempre defendem a classe), golo e expulsão do guarda-redes sadino. A partir daí foi a auto-estrada do costume, sem portagens nem trânsito... No penálti, Jackson caíu a um ligeiro toque. Falta nenhuma.
Quando muito amarelo ao avançado por simulação. Na expulsão do guarda-redes Kieszek, pergunta-se se não foi Josué que o empurrou e provocou acabando os dois por se envolverem em agressões? Porquê só um expulso? Porque é sempre assim. O FC Porto tem de ganhar e pronto! É porque sim! Mas o caso do jogo é outro bem mais grave e fora das quatro linhas.
O delegado da Liga, Luís Baptista Rodrigues, que se encontrava no camarote presidencial - com a ausência notada de Fernando Oliveira que preferiu o banco de suplentes - acusou de agressão um dos elementos do FC Porto repetindo para quem o quisesse ouvir que lhe tinham batido. Os jornalistas presentes confirmaram estas declarações de Baptista mas no final do jogo quando foram saber pormenores das agressões o Delegado da Liga negou a agressão:
«Não. Não foi nada»! Ponto final.
Parágrafo; digo eu. E segue a música. Nada muda. Tudo na mesma.
Medo de denúncias por parte de quem tem a responsabilidade de zelar pela segurança de todos e pela seriedade da Liga.

Nota: Tudo começou quando o árbitro Capela expulsou o guarda-redes do Vitória e após um penálti que os adeptos do Setúbal muito contestaram virando-se para o camarote onde estava Pinto da Costa. Gritaria dentro do camarote. Chamada a Polícia e seguranças privados do FCP. Discussão entre Polícias públicos e privados bem acesa. Foi isto e deu em... nada!"

João Diogo, in O Benfica 

Todos com a equipa

"1. Mais uma vez não começamos bem o Campeonato. Neste aspecto, infelizmente, não houve novidade. Se nos anos anteriores não foi por isso que deixámos de lutar pelo título, não será agora que o deixaremos de fazer. Estas 1.ª jornada também nos faz recordar outras 'infelicidades' do passado em alturas cruciais da época: grandes penalidades que se marcam num lado e não se marcam no outro, grandes penalidades que se marcam a favor de outros; expulsões que acontecem e não acontecem. Sem esses 'ingredientes', o resultado até poderia ter sido diferente. Mas o certo é que a equipa jogou mal, mantendo os 'pecados' da pré-época, embora não nos possamos esquecer que o adversário também conta e o Marítimo, muito fechado e a aproveitar a escassa largura do campo (repararam na larga faixa de relvado entre a linha lateral e aquilo que antigamente era uma pista de Atletismo?), defendeu sempre bem e saiu rápido para o contra-ataque. Agora, o que interessa é o jogo deste domingo, em nossa casa, com o Gil Vicente. É a altura própria para começarmos a dar a volta à situação. E todos teremos que ajudar. Não interessa quem é o ponta-de-lança - e sabemos que muitos daqueles que agora assobiam já os idolatraram. Interessa é o Benfica. Este jogo será como que a primeira de muitas finais. Teremos todos que lá estar a apoiar a equipa.

2. O nosso guarda-redes, Artur, foi expulso num jogo de preparação e cumpriu o jogo de suspensão no jogo de preparação seguinte. O guarda-redes, Rui Patrício, foi expulso do último jogo de preparação do Sporting e cumpriu o jogo de castigo no encontro do Sporting B... ou seja, nem chegou a cumprir castigo nenhum.
Sabendo-se que os jogadores só são castigados nesses jogos de preparação se o árbitro for português, temos que concordar que seria pouco justo que um jogador expulso num jogo 'a feijões' (e nem em todos) tivesse que cumprir o castigo num jogo a sério. Mas é bem pouco lógico que se utilizem jogos da equipa B para tal. Enfim, os regulamentos que temos não há meio de impedirem anomalias.

3. A Benfica TV vai começar a transmitir os nossos jogos na Liga, algo de histórico no futebol... mundial. Mas já se ouvem vozes muito preocupadas com aquilo que as câmaras mostrarão e não mostrarão. Como se a Benfica TV e o Porto Canal não transmitissem há bastante tempo os jogos das modalidades dos respectivos clubes. E nunca vimos ninguém preocupado com a 'equidade'..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

PS: O precedente aberto com esta decisão sobre o Patrício, é bastante grave. A utilização das equipas B's para despenalizar jogadores, é um muito mau princípio... recordo que os Campeonatos das Reservas acabaram, por causa destes expedientes.
Mas as decisões dos CD e CJ e afins, são normalmente favoráveis aos Lagartos, hoje foi o Bruma - contra todas as opiniões jurídicas... - o processo do incêndio na Luz demorou meses, e o castigo foi o mais leve possível... As pedradas em Alcochete tiveram o vergonhoso desfecho conhecido... Até o Tribunal mais alto deste País, já condenou um jornal por difamação, por ter publicado uma notícia, assumidamente verdadeira, sobre o Sporting!!!
É o que fez ter adeptos sem vergonha, bem colocados!!!

Queremos ganhar títulos

"O Benfica jogou mal na Madeira e foi ajudado a perder. O FC Porto jogou mal em Setúbal e foi ajudado a ganhar. Assim posto, e sem nenhuma novidade, o Benfica sabia que para vencer na Madeira teria que jogar muito melhor e correr muito mais. Sabia, desde a nomeação de Jorge Sousa, que só um jogo perfeito daria três pontos. Assim sendo, o jogo pobre e sem chama fica muito mais inexplicável. Jorge Jesus é o alvo mais fácil, mas com a sua experiência ele sabe que tem que dar a volta por dentro e por fora. Veremos quem sai e quem entra até ao fim do mês, mas fica claro que Salvio e Markovic fizeram falta. Os adeptos estão sem tempo, com pouca paciência e não têm vontade de esperar mais por vitórias. O pior não são os 20 ou 30 que mostram lenços brancos, o mais grave são os 20 ou 30 mil que perderam vontade de ir ao estádio. Desta vez tem que ser a equipa a ajudar a dar a volta ao clube, e ao seu estado anímico. Precisamos de serenidade mas também de não nos afundarmos num mar de justificações. Nesta fase, só vitórias, muitas e seguidas podem fazer renascer a fé numa época como aspiramos. Ganhar ao Gil Vicente de forma clara,com uma exibição clara e categórica é o primeiro passo dos 29 que faltam. Vamos tratar deste primeiro passo. Eu que nunca assobiei o Benfica, que nunca mostrei lenços brancos, nem quero trocar de treinador todas as semanas, gostava de bater palmas de pé no fim do jogo de domingo e dizer «assim sim». Até para ouvir o sorteio da Liga dos Campeões, na próxima semana, é preciso o ânimo da vitória contra o Gil Vicente.
Ao fim de muitos anos voltamos ao pote 1, cabeças de série da Liga milionária. No ranking actualizado, somos a sexta equipa da Europa mas queremos mais, queremos ganhar títulos. Não tenho vocação para adepto do Arsenal, é sempre o que joga melhor e mais bonito, faz bons negócios, mas não ganha títulos."

Sílvio Cervan, in A Bola

Mais do mesmo

"Seria preciso recuar até 2004 para encontrarmos uma vitória do Benfica em jogo de abertura do Campeonato. Daí para cá, pese embora algumas pré-temporadas bastante prometedoras, entrámos invariavelmente com o pé esquerdo – mesmo em 2009, quando, meses depois, viríamos a conquistar o título. Ao longo destes anos, nessas partidas iniciais, sofremos muitas vezes os efeitos de arbitragens habilidosas, mas também nos deparámos, com demasiada frequência, com jogadores ainda de chinelos e toalha de praia aos ombros, esperando que as camisolas do Benfica fossem suficientes para garantir os pontos. Pode dizer-se que no jogo da Madeira as duas situações se cruzaram, pelo que o resultado acaba por nem surpreender.
Um penálti sobre Lima, nos instantes finais da partida, poderia ter-nos poupado à derrota. Mas a indolência revelada pela equipa durante longos minutos também nos deixou distantes da vitória. O valor do adversário fez o resto, cumprindo-se, pois, a negra tradição. Não acredito em gatos pretos, nem em gatos brancos, pelo que tento sempre encontrar uma razão para tudo. E, neste caso, talvez o calendário das competições ajude a explicar alguma coisa.
Com o mercado em aberto, com jogadores a sair e a entrar, e muitos debaixo da ombreira da porta, é impossível manter uma equipa concentrada a cem por cento. A qualquer pessoa de bom senso parece absurdo iniciar um Campeonato nestas circunstâncias, e se os poderes internacionais insistem em colocar o Futebol ao serviço dos interesses parasitários de uns quantos agentes, a Liga Portuguesa, caso quisesse, teria um bom remédio: começar o Campeonato em Setembro, reservando o mês de Agosto, por exemplo, para a Taça da Liga. O que é certo é que ninguém dá o primeiro passo nesse sentido, e o Benfica parece sentir particular dificuldade em lidar com esta situação. Até porque outros, quando a sentem, têm uma mão protectora a impedi-los de cair – bastando lembrar os penáltis que deram ao FC Porto 3 vitórias nos últimos 4 começos de época."

Luís Fialho, in O Benfica

Apocalípticos e preocupados

"O campeonato começou da pior maneira possível, com uma derrota que calcou o sangue pisado das feridas não cicatrizadas do final da época passada. Dor em cima de dor, frustração a calcar frustração e montou-se imediatamente o auto de fé mediático em que, à vez, se pede a cabeça do treinador, do presidente, dos futebolistas do plantel, da “estrutura” e de quem mais estiver à mão de semear. Agora, é chegado o tempo do discurso do “eu bem disse” que alterna com o do “estava-se mesmo a ver”. Exige-se um sangue sacrificial para aplacar a ira. Percebo e partilho totalmente a preocupação perante a situação actual do nosso Benfica.
Não estar preocupado com o presente do Benfica seria de uma insensatez imensa. No entanto, esta preocupação não pode nem deve dar lugar ao discurso apocalíptico de que o futuro está hipotecado e de que a única solução é a política de terra queimada. Esta visão apocalíptica conduz apenas à desesperança, à desunião e à derrota. Enfrentar o problema com preocupação e pragmatismo é a única solução. Quem toma decisões deve tomá-las de acordo com as suas convicções (não teimosias) e, se assim for, deve estar à altura das decisões tomadas. Uma decisão tomada em consciência é uma decisão honesta e perante uma decisão honesta não há muito espaço para o arrependimento. Podemos e devemos corrigir o rumo, se assim o entendermos. Recordo Raul Brandão como o homem que, olhando retrospectivamente para os enganos e desenganos da sua existência, assumiu que repetiria o calvário da vida sem lhe alterar o itinerário. Uma liderança deve ter esta grandeza e lealdade: saber que o passado não se pode mudar e que o futuro depende das respostas que hoje lhe consigamos dar. Para que se encontre uma solução, importa que as lideranças tenham um pensamento preocupado, mas nunca apocalíptico."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

A mais velha história

"O clássico circuito de relações do futebol português nunca nos surpreende. Menos de seis meses depois de ter abjurado, tripudiado e deixado ameaças veladas à Liga por causa de uma questão meramente disciplinar que pôs em causa a continuidade da equipa na Taça da Liga, o presidente do FC Porto deixou-se fotografar numa tribuna presidencial com o outrora “candidato do Marítimo”. Aconteceu na mesma tribuna e poucos dias depois de ter deixado o presidente da Federação de mão estendida. Não podia ser mais explícito.
As relações de poder nesta divertida família gerem-se pela velha máxima da política de que é preciso fazer mudanças para que tudo fique na mesma.
Depois de ter provocado um cisma interno e o caos entre os aliados ao apoiar a candidatura de Mário Figueiredo, por razões difíceis de entender, o Benfica tirou-lhe o tapete ao tornar impossível de viabilizar a principal promessa eleitoral daquele, a da centralização dos direitos de televisão. Estavam unidos no objectivo de combater Joaquim Oliveira, mas os processos não podiam ser mais antagónicos.
Mas a concretização e aparente sucesso do projecto encarnado tornou-se assustadora para os principais adversários, ao reduzir o campo de manobra do controlo das imagens e da informação, que durante tantos anos esteve sob alçada do mesmo sistema. A única forma de combater esta força é recuperar o protagonismo entre os clubes. E a melhor forma de o conseguir poderia ser o dar a mão a um presidente de Liga à beira do precipício, depois de perder consecutivamente todas as ideias de reforma que foi lançando, desde os direitos de TV aos quadros competitivos, sem esquecer a falência da Taça da Liga, que já quis extinguir depois de a ter vendido a uma televisão por valores abaixo do futebol feminino ou do futsal. 
Tratando-se de um “homem do passado”, como o presidente do FC Porto chamou a Mário Figueiredo no momento da eleição, fica por entender o que tem a oferecer, para lá de uma nova frente contra o Benfica, pois colide com os interesses de Joaquim Oliveira, accionista de referência dos clubes principais. Na verdade, parece mais uma boleia caridosa antes da estocada final, como uma última vontade de um condenado. O presidente da Liga está isolado, preparando-se para deixar a instituição sem concerto e sem futuro, no final do mandato.
A menos que do horizonte sombrio lhe tenha saído ao caminho um anjo salvador, um amigo para a ocasião."

Luisão: uma raridade, nos dia que correm...

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Não há caso Jesus, nem caso Cardozo. Há caso Benfica.

"Por norma, aos adeptos pede-se o mesmo que se pede aos guarda-redes. Isto é, que defendam o indefensável. Às vezes é muito difícil.

Sexta-feira, 16 de Agosto
Pronto, já começou. Agora é a sério. O Sporting de Braga é o primeiro líder do campeonato de 2013/2014. A equipa de Jesualdo Ferreira foi vencer a Paços de Ferreira aquela que foi a equipa sensação da última temporada. Na verdade, pouco resta da tal equipa sensação. Saiu o treinador, saíram jogadores importantes. É o que, normalmente, sucede quando uma equipa pequena, com o devido respeito, surpreende tudo e todos como aconteceu com o Paços de Paulo Fonseca em 2012/2013.
Hoje a vitória do Braga foi clara. Pela noite, os serviços noticiosos dão conta do resultado do jogo inaugural do campeonato e dão conta também daquilo a que chamam um Paços de Ferreira «irreconhecível». Mas verdadeiramente irreconhecível, em relação ao último campeonato, esteve o Sporting de Braga e para melhor.
Um Sporting de Braga irreconhecível bateu um Paços de Ferreira irreconhecível – assim é que se conta bem e em poucas palavras a história do primeiro jogo da nova Liga.
O futebol, no entanto, é cruel nestas conclusões. Responderá José Peseiro, e com razão, que a sua equipa poderá não ter feito uma época à altura das ambições do emblema e da cidade mas conseguiu aquilo que faltava em Braga há décadas, ou seja, um título oficial. Para mais conquistado numa final bem disputada com um FC Porto irreconhecível. Refiro-me à Taça da Liga, lembram-se?

Sábado, 17 de Agosto
Um sábado de raridades no que diz respeito a gente nossa conhecida e que actua agora em campeonatos de outros países. Na Grécia, o Miguel Vítor marcou pelo PAOK e, em França, o Nelson Oliveira marcou pelo Rennes. Ainda em França, também o João Moutinho e o James, que vendiam saúde, estão lesionados e não vão defrontar o Montpellier.
O dia de amanhã perspetiva-se emocionante. Há quase 30 anos que não acontecia uma coisa destas. Os três “grandes” jogam todos no mesmo dia e entram em acção a horas desencontradas de modo a poderem ser seguidos através da televisão pelos numerosíssimos interessados. Arranca em primeiro lugar o Sporting com transmissão na Sport TV às 4 da tarde, praticamente à mesma hora em que a Benfica TV transmite o jogo do regresso oficial de José Mourinho à liderança do Chelsea.
Futebol à tarde em Inglaterra é uma tradição. Em Portugal já foi, no tempo em que a ditadura dos horários das transmissões televisivas não era a pedra basilar do edifício em causa.
Com o Benfica em modo autónomo na sua própria estação televisão e com o campeonato inglês também em carteira na Benfica TV sobram mais horários para os demais clubes poderem impor as suas legítimas vontades à Sport TV. Nesta primeira jornada, o Sporting quis jogar à tarde e vai fazê-lo porque o Chelsea-Hull City, à mesma hora, é da estação concorrente.
A concorrência é uma coisa boa.

Domingo, 18 de Agosto
Por norma, aos adeptos pede-se o mesmo que se pede aos guarda-redes. Isto é, que defendam o indefensável. Às vezes é extraordinariamente difícil.
O Benfica apresentou-se hoje, 18 de Agosto, no Funchal num estado alma que se aceitaria se estivéssemos a 27 de Maio, o dia seguinte à final da Taça de Portugal perdida para o Vitória de Guimarães Aceitava-se à míngua de tempo, esse grande escultor, como diz o povo.
Do Jamor aos Barreiros já lá vão quase três meses espampanantemente desaproveitados. Isto se o objectivo da Sociedade Anónima Desportiva que gere o futebol for, precisamente, esculpir vitórias em jogos de futebol, de preferência, umas atrás das outras. Refiro-me às esculturas.
Desconheço, naturalmente, quais seriam as expectativas dos nossos altos comandos para o jogo inaugural do campeonato. Entre os adeptos, custa-me dizer que não conheço um único – e conheço muitos numa amostra vasta e heteróclita – que acreditasse que seria hoje no Funchal que o Benfica ia, abnegadamente, colocar um ponto final a uma inenarrável série de anos a desperdiçar pontos à primeira jornada sob o comando de vários treinadores, nacionais e estrangeiros.
Lamento ter de dizer que o desastre frente ao Marítimo estava anunciado. É este o caso da jornada. Não é o caso Jesus, nem o caso Cardozo. É o caso Benfica.
Entretanto, por ter goleado o Arouca por 5-1, o Sporting é o primeiro líder do campeonato. Que eu não tenha de ouvir ninguém dos meus dizer que é uma grande vantagem não se ser oficialmente candidato. Há limites.

Segunda-feira, 19 de Agosto
Com a tristeza de ontem só hoje reparei que o FC Porto ganhou em Setúbal por 3-1, um resultado que, lendo os jornais, não espelha as dificuldades do campeão nacional nem, muito menos, as dificuldades do árbitro.
Adiante. Falar de árbitros é uma coisa que hoje até fica mal aos benfiquistas. Haja decoro.
O golo de Quintero é fenomenal. Ainda agora começou o campeonato e Quintero já produziu obra candidata ao prémio do melhor golo do ano. Faltam 29 jornadas para o fim da prova e, com toda a certeza, muitos mais belos golos surgirão com a assinatura de outros artistas e, provavelmente, até do mesmo artista. Há que aguardar.
No entanto, o prémio para a melhor frase da temporada, provavelmente da década, na minha opinião, já está atribuído e não há quem o conteste e lhe possa chegar aos calcanhares, embora as competições oficiais só se encerrem em Maio e ainda falte muito para lá chegar.
O prémio para a melhor tirada de 2013/2014 vai direitinho para o presidente do FC Porto que, de acordo com os relatos da imprensa, do seu posto presidencial do camarote do Bonfim, a determinado momento, incomodado que estava com o comportamento de alguns adeptos vitorianos, gritou:
- Chamem a polícia!
Quem poderá competir com isto? Pinto da Costa chamando pela polícia.
Nem o bom do Funes Mori que aterrou hoje em Lisboa. Mal pôs o pé na capital afirmou, galantemente, que tinha preferido o Benfica ao FC Porto no momento de assinar contrato. Tão escusado que era…
Se isto é que é a estrutura, antes não ter estrutura.

Terça-feira, 20 de Agosto
Por estes dias, entre benfiquistas, fala-se do Benfica como se fala à beira do leito de um doente não o querendo, de modo algum, despertar. Fala-se em voz baixa, quase num sussurro, num tom de consternação que só um Camilo Castelo Branco saberia pintar.
«Quando o sofrimento nos ameaça, e receamos que as forças defensivas nos faleçam, suspendem-se os outros movimentos do nosso coração, e então pouco há que esperar de nós, por que se torna incerto o nosso destino», escreveu Camilo em Cenas Inocentes da Comédia Humana. E muito nos faleceram também as nossas forças defensivas na ilha da Madeira, o que já aborrece.
O doente aparenta estar no nível zero no que respeita a capacidade de reacção. Pura e simplesmente, não reage. E já lá vão três meses desde os primeiros sintomas de ataraxia. Não se entende, por exemplo, a não-resolução do caso Cardozo com data de 26 de Maio. Não se entende se é uma impossibilidade do mercado, o que seria compreensível, ou se a manutenção do paraguaio em stand-by é uma arma de arremesso para disparar a conta-gotas contra o treinador, o que seria lamentável.
À noite, o Paços de Ferreira bateu-se valentemente contra o Zenit de São Petersburgo mas acabou goleado no estádio do Dragão. Os russos trouxeram até ao Porto gente bem nossa conhecida como Witsel e Dany. Witsel, que não sabe jogar mal, esteve discreto. Dany meteu mais reboliço no jogo e quando foi substituído levou uma enorme vaia das bancadas. Que estranho. O que terão os adeptos do Paços contra o internacional português?

Quarta-feira, 21 de Agosto
Os jornais contam-nos hoje que Luís Filipe Vieira foi ao Seixal apoiar Jesus e, consequentemente, desapoiar o seu vice-presidente que foi à televisão dizer que estava farto de notas artísticas. Triste enredo de final previsível.

Leonor Pinhão, in A Bola

Isaías: estilo inconfundível, mesmo a ofegar !!!

Falta de 'calo' !!!

Beira-Mar 2 - 2 Benfica

Não vi a 1.ª parte (estava a ver os Juniores, só depois me lembrei do jogo...!!!), mas os minutos que vi na 2.ª parte, confirmaram a minha opinião: esta equipa, deste ano, joga mais bonito (às vezes exagera nas habilidades mesmo....), mas falta-lhe maturidade (o que é natural), e matreirice...!!!
O Beira-Mar jogou quase sempre no erro, o Benfica pegou no jogo, criou várias oportunidades, deu a volta ao marcador, e depois a jogar com mais um jogador, acabou por ceder o empate, numa jogada evitável... mesmo assim, nos descontos voltámos a falhar vários golos...!!!

O Cavaleiro está com muito confiança, e o Bernardo está cada vez melhor... Não desgostei do Hélder Costa a defesa esquerdo (apesar de ter sido ultrapassado no 2.º golo)... pode-se fazer!!! Mentalizado para o facto... Não seria a primeira vez que um extremo passava a lateral!!! Tem características parecidas com o Miguel... E como extremo não me parece que tenha um futuro, ao nível necessário para o Benfica.

Até terminar a janela de transferências é preciso de 'retocar' o plantel: se o Gianni não ficar precisamos de um defesa-esquerdo; e precisamos de um ponta-de-lança, os golos do Deyverson e do Miguel Rosa vão fazer muita falta!!!

Não consigo terminar sem falar da arbitragem: os dois amarelos ao Benfica foram ridículos, nem o Cavaleiro nem o Rúben Pinto os mereceram, é muito fácil mostrar amarelos aos jogadores do Benfica!!! No penalty a favor do Benfica, só tenho uma pergunta: então o jogador do Beira-Mar impediu supostamente um golo do Benfica com o Mão, e só levou amarelo?!!! Digo: 'impediu supostamente', porque a bola parece mesmo que tinha entrado, mas...!!!


PS: Já agora a vitória dos Juniores por 4-1, foi um massacre, com mais um festival de golos falhados, e com o Hildeberto em grande destaque!!!

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Ana Dulce Félix

Nos últimos dias já se tinha comentado a possibilidade... mas hoje confirmou-se: Dulce Félix é atleta do Benfica. Excelente contratação para a nossa secção de Atletismo e para o nosso projecto Olímpico.
A Dulce é neste momento, na minha opinião a melhor atleta do meio-fundo e fundo Português (ambos os sexos), só a Sara Moreira se aproxima do potencial da Dulce.
É verdade que a nível Mundial, como se viu recentemente a Dulce não tem hipóteses, na Pista. Na Maratona, creio que vale mais, talvez um lugar no Top 8, nos Mundiais ou Jogos Olímpicos, mas para isso tem que existir uma preparação adequada (isso quer dizer que no ano em causa, tem que abdicar de uma das Maratonas comerciais)... É verdade que os Jogos no Rio de Janeiro, não vão ser fáceis para os Maratonistas, com as condições atmosféricas, mas gostaria de ver o Dulce na Maratona...
Nas competições Europeias, tem tudo para conquistar medalhas, principalmente nos 10000m...

Lixívia 1

Tabela Anti-Lixívia:
Sporting..... 3 (0) = 3
Braga..........3 (0) = 3
Corruptos... 3 (0) = 3
Benfica....... 0 (-1) = 1



Como escrevi na crónica do jogo: nada de novo, a palhaçada continua...!!! A única novidade é concordar com alguma coisa que o José Mota diz !!! Dizer que os Corruptos são beneficiados, é de facto uma banalidade, já cansa... Enquanto tiver paciência, aqui fica a Farsa Competitiva Tuga 2013/14 !!!
Nos Barreiros, tendo em conta tudo o que se passou no defeso e na pré-época, os dirigentes, o treinador e os jogadores, deveriam ter total consciência, que ao mínimo descuido, o Circo ficaria montado. Portanto a motivação, a concentração tinha que estar muito acima do normal. O Benfica deveria ter encarado este jogo como fosse a Final da Champions. E isso não aconteceu... Dessa responsabilidade, ninguém fica ilibado. Friamente, uma derrota nos Barreiros não seria o fim-do-mundo, num cenário normal, mas o Benfica não vive numa situação normal, por muitos e variados motivos, inclusive o lançamento da nova Benfica TV...!!!
Mas isso não desresponsabiliza a roubalheira do Jorge Sousa e dos seus auxiliares. O silêncio perante a roubalheira é cúmplice. Seja o silêncio da Direcção, seja o silêncio dos adeptos. Os únicos que acabaram por protestar foram os jogadores, e esses não o devem fazer, pois como a gente sabe, os castigos para o Benfica são rápidos e pesados!!!
Não é fácil descrever o critério torto, durante os 90 minutos nos jogos do Benfica, por isso deixo alguns exemplos: o Enzo recupera uma bola (de forma limpa), na meia-lua do Marítimo, sobre o Danilo, a bola sobra para o Lima em posição de remate perigoso. Jorge Sousa apita imediatamente, não fosse o Lima marcar!!! No final da 1.ª parte, Gaitán é pontapeado, e empurrado com os dois braços, no bico da área do Marítimo, seria um livre perigoso. Jorge nada marca, e na sequência da jogada, com a equipa do Benfica desequilibrada, é marcado penalty contra o Benfica!!!
Estas situações repetem-se durante os 90 minutos. É um massacre. Marcar faltas junto da área do adversário em posição frontal é quase impossível. Numa época inteira (30 jogos), não temos mais de 10 livres (curiosamente 5, é capaz de ser a média por jogo dos Corruptos)!!! O Cardozo não marca um golo de livre directo (competição nacional) à mais de 2 anos!!! Em 80% das bolas recuperadas pelo Benfica, em zonas adiantadas, que apanham o adversário desequilibrado, é sempre marcado falta contra o Benfica... O inverso raramente é falta... O critério disciplinar é uma anedota: o Ruben Ferreira corta um cruzamento com o braço, perto do risco da área, o árbitro até marca a falta, mas não mostra o amarelo, se fosse o Maxi ou o Cortez era amarelo, sem hesitações... Estas situações, normalmente não são considerados casos dos jogos, mas para quem assiste ao jogo, são demasiados evidentes. E é assim que os apitadores mais experientes, controlam os jogos... Intimidando os jogadores, que percebem muito bem o que se está a passar, enquanto os protegidos do Sistema, jogam com impunidade total... O Gaitán também tentou expulsar o Rossi, simulando uma agressão (estilo Josué), mas o Jorge Sousa nem hesitou: siga jogo!!!
- O lance mais evidente de prejuízo ao Benfica, foi o penalty no último minuto: não compreendo como é que alguém defende que o Artur fez penalty por tocar com o braço na coxa do Derley, e depois diga que o Lima, não sofre penalty, quando também é derrubado com um toque na coxa, e desta fez por trás!!!
- O fora-de-jogo milimétrico no 2.º golo do Marítimo até deixo passar, já que seria sempre difícil de marcar. Aceito que seja considerado 'em linha', só tenho 'pena' porque se fosse ao contrário, a bandeirinha seria levantada!!! Espero que não tenham sido enganados pela 'linha' da SportTV, que parou a 'linha' quando lhe convém!!! A mesma SportTV que no penalty do Derley, nunca mostrou a câmara de fora-de-jogo!!!

Em Setúbal, o Capela, conseguiu o milagre de sair da Jarra, onde acabou a época anterior, para o melhor árbitro da jornada!!! Sim, A Bola considerou o trabalho de João Capela, a melhor arbitragem da 1.ª jornada!!!
O facto de ter expulsado de forma ridícula o guarda-redes do Setúbal parece que não preocupa os funcionários do Censor Serpa... O facto do Setúbal ter marcado um golo, que não foi considerado, também não interessa... O lance na 1.ª parte, na baliza do Setúbal, também me deixa dúvidas, mas não existe maneira de tirar as medidas à posição da bola, agora o lance da 2.ª parte, o jogador dos Corruptos, tem a perna claramente dentro da baliza, quando tira a bola...
E pronto, depois do Celta, foi a vez do tradicional empurrão da 1.ª jornada. E é assim que se constroem equipas com confiança, grandes treinadores, e até jogadores banais passam a internacionais num instante!!!
Uma nota especial de agradecimento aos Setubalenses que souberam receber como merece a comitiva Corrupta:


Em Alvalade e em Paços, aparentemente nada de especial se passou, a não ser a euforia Lagarta... Parece que o Arouca foi Campeão Europeu na época anterior!!!

Anexos:
Benfica
1.ª-Marítimo(f), D(2-1), Jorge Sousa, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)

Sporting
1.ª-Arouca(c), V(4-1), Rui Costa, Nada a assinalar

Corruptos
1.ª-Setúbal(f), V(1-3), João Capela, Beneficiados, Impossível contabilizar

Braga
1.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-2), Bruno Paixão, Nada a assinalar

Épocas anteriores:

Uma coluna erguida no meio da Arena

"Recentemente, o Benfica viajou até Nápoles. Momento ideal para que se recorde aqui o primeiro jogo realizado em solo italiano, frente ao Milan, no longínquo 29 de Junho de 1956.

« alterações na linha do Benfica», anunciava Tavares da Silva, enviado a Milão. E prosseguia: «Palmeiro, em virtude do entorse no pé direito, com ligeiro derrame, sofrido no treino de quarta-feira, não alinhará, sendo substituído pelo jovem Isidro. (...) Deste modo, no Estádio Arena, a equipa do representante português alinhará com a seguinte formação: Bastos; Jacinto, Artur e Ângelo; Caiado e Alfredo; Isidro, Coluna, Águas, Salvador e Cavém. (...) Os jornais italianos, nas suas edições de hoje, salientam a classe do Benfica, dando a indicação dos jogadores internacionais que fazem parte da equipa, citando Ângelo como sendo o melhor defesa português, e Águas que classificam como 'mestre no remate'. Mostram ter, também, conhecimento perfeito do padrão de jogo e da colocação da defesa, da linha média e do ataque no grupo 'encarnado'. No entanto, todos os prognósticos se mostram favoráveis ao Milão, que alinhará com a seguinte disposição: Buffon; Maldini, Pedroni e Zaggati; Liedholm e Radice; Mariano, Bagnolo, Del Monte, Schiaffino e Frignani.»
Datam estas linhas de 29 de Junho de 1956.
O Benfica disputava a Taça Latina com o Milan, o Atlético de Bilbau e o Nice.
Agora que o Benfica acaba de jogar um particular, em Nápoles frente ao Nápoles, nada como recordar esse Milan- Benfica, primeiro de todos os jogos que o Benfica realizou em Itália. Mesmo que não seja assim de tão boa memória... Como aliás não têm sido de boa memória as viagens do Benfica a Itália. Só que a História é mesmo assim, e não se reescreve, pelo menos por gente séria já que a outros se lhes reconhece a arte para o revisionismo, conivente e conveniente.

Contra os ventos do infortúnio
O espanhol Arque foi o árbitro. O Benfica perdeu, por 2-4. Ficou afastado da final (que já tinha ganho em 1950), mas venceria depois o Nice para o terceiro e quarto lugares. Ainda assim mereceu elogios. Da pena de Tavares da Silva, que foi um dos grandes jornalistas da história do desporto em Portugal. Vamos lê-lo, que a sua verve é bem mais brilhante do que a nossa.
«Embora vencido, e tal hipótese figurava em todas as previsões, o Benfica teve, como se esperava, presença honrosa e digna, mas também desafortunada, na  primeira eliminatória da Taça Latina (7.ª Edição, ou Edição de 1956...). O sorteio caprichou em lhe opôr o Milão, segundo classificado do campeonato italiano e semi-finalista da Taça dos Campeões Europeus, e logo isso constitui uma desvantagem - porque o desafio seria em Milão, precisamente... Mas a fatalidade perseguia os vice-campeões de Portugal, brilhantes vencedores da taça de 1950.
Preparando-se cuidadosamente para o grande encontro, tratando de colocar a equipa 'au point', quer física quer psicologicamente, o SLB teve pouca sorte de se ver privado de Costa Pereira, 'keeper' de muitos recursos e um dos esteios da defesa, e de Palmeiro, seu melhor avançado, jogador de fibra e presentemente em óptima condição. Duas baixas, evidentemente, de muita importância, ambas influindo no rendimento e nas possibilidades da turma de Otto Glória. (...) Mas o azar dos portugueses não se ficou por aqui. A arbitragem do espanhol Arque foi manifestamente contra o Benfica, em especial na primeir aparte, durante a qual assinalou faltas inexistentes, quebrando o ritmo do grupo e perturbando o próprio público.»
Reza a crónica que o Benfica da segunda parte, com a subida de Caiado, foi mais pressionante, mais rápido e mais equipa do que os milaneses. De pouco serviu. A desvantagem de 0-2 trazida da primeira parte era excessiva para a voluntariedade dos portugueses. Mariani e Schiaffino tinham dado ao Milan um fôlego suplementar. E agora, com o relógio dobrando a esquina dura da segunda metade, nem o golo de Coluna, a reduzir para 1-2, serviu ao Benfica para assinar a reviravolta. Jogando em contra-ataque, os italianos estavam no seu elemento. Schiaffino, o predador uruguaio, fez o 3-1 e sentenciou a partida.
Caiado ainda voltou a reduzir a vantagem milanesa com um remate espectacular, de longa distancia, mas Bagnoli fez pouco depois o 4-2, segurando uma eliminatória que nem novo remate estrondoso de Caiado, à trave de Buffon, pôs em causa. Quanto às figuras de vermelho vestidas, que fique de novo Tavares da Silva com a firmeza do verbo: «No Benfica, Coluna foi o melhor de todos, impetuoso, abrindo sucessivas brchas na defesa oposta, fazendo boas passagens. Também Salvador jogou bem, particularmente no aspecto de manobra táctica, e Isidro cumpriu. Mas já a defesa, de modo geral, esteve abaixo das suas reais possibilidades, mesmo o fogoso Ângelo que não conseguiu atingir a craveira habitual.»
Itália de más memórias..."

Afonso de Melo, in O Benfica

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Peyroteo revisitado

"1. Fernando Peyroteo foi uma das maiores figuras da história do futebol do Sporting e, por arrasto, do futebol português. Em 1957, quase dez anos depois de ter pendurado as botas, publicou a sua autobiografia, agora a bom tempo recuperada por João Nuno Coelho e Francisco Pinheiro nas Edições Afrontamento. Vale a pena!
2. Peyroteo não tinha qualquer problema em adjectivar-se de 'lagarto' (que hoje tanto tonto toma por insulto) e não teve nenhum pejo em deixar escrito, preto no branco, que na hora da sua festa de despedida - uma reforma antecipada que lhe permitiu manter-se limpo no mundo dos negócios no qual já estava envolvido - o Benfica o tratou com mais dignidade e carinho do que o seu próprio clube do coração e de sempre.
3. Peyroteo será para sempre um desportista a merecer o respeito de todos quantos gostam de futebol, seja lá qual a cor que vestem. É dele este naco de prosa:
4. 'Tão impressionado fiquei que ainda hoje me lembro da infracção que motivou o castigo máximo. Dentro da grande-área do Sporting, um avançado do Porto meteu a mão à bola, intencionalmente. No mesmo instante ouviu-se uma apitadela e Jurado agarrou a bola com ambas as mãos para a colocar no sítio onde a falta fora cometida. Nisto, ouviu-se o apito do árbitro - Santos Palha - ordenando a marcação de um 'penalty'! Dera-se o caso de o árbitro só ter visto a falta cometida pelo Jurado e só por ela interrompera o jogo! Julgo que alguém, fora do rectângulo, utilizar um apito igual ao do juiz da partida e dessa brincadeira resultou ao Sporting Clube de Portugal a perda de um campeonato!...'
5. Corria o ano de 1937. Os métodos podiam cariar, mas indecência era a mesma dos dias que correm."

Afonso de Melo, in O Benfica

Funes Mori

Esta é de todas as contratações desta época (incluindo o Fariña e o Mitrovic), aquela que me deixa mais dúvidas sobre o real valor do jogador.
A posição de ponta-de-lança é muitas vezes ingrata, a avaliação das qualidades dos jogadores para esta posição, raramente inclui aspectos técnicos (e afins), normalmente, um ponta-de-lança é bom, se marcar golos, o resto, é folclore...
Muitas vezes tudo se resume a uma questão de confiança... ter ou não o faro para o golo, é uma discussão quase sempre subjectiva. Existem jogadores, que numa determinada equipa, num determinado momento, não conseguem marcar, e depois, sem aviso, começam a acertar no alvo...
O Funes Mori estatisticamente, naquilo que já fez profissionalmente, não é jogador para o Benfica. Os números não mentem. A festa feita pelos adeptos do River, com a sua venda, mete medo...!!! Com a cobrança que normalmente os Benfiquistas exigem aos seus pontas-de-lança, ainda menos... Pode ser que, o seu estilo de jogo, e a sua confiança, se adapte melhor ao Benfica, do que ao River, pode ser... espero que sim, mas tenho muitas dúvidas.
Neste momento nem sei se o Funes Mori será aposta para a equipa B, ou para equipa principal!!! Se alguém pensar que o Funes Mori pode ser uma alternativa ao Cardozo, poderá estar a cometer um erro fatal...
Dito isto, como todos os jogadores do Benfica, tem o meu beneficio da dúvida, só quando o ver jogar, de preferência ao vivo, terei uma avaliação mais correcta, mas a expectativa é baixa...

Faces pouco ocultas

"O Campeonato só agora vai começar, mas há muito que os nossos adversários o preparam a seu jeito. Não falo de jogadores e técnicos de outros clubes, nem mesmo daqueles que estavam (ou deveriam estar) de um lado no jogo decisivo da última jornada da época passada, e estão agora confortavelmente instalados na cadeira do lado oposto.
Falo antes de todo um vasto 'plantel' de tribunos que, com mais ou menos oratória, com mais ou menos verborreia, insistem em falar do que não sabem, escrever sobre o que não conhecem, sempre com o fim, mais ou menos explícito, de perturbar a estabilidade do nosso Clube. Ao fim e ao cabo, os mesmos que durante anos silenciaram tudo o que - então sim - sabiam acerca dos escândalos que as escutas do processo 'Apito Dourado' deixaram a nu.
Desde a Final da Taça de Portugal que não param de especular. Logo nessa tarde, e nos dias que a seguiram, o veredicto foi lançado: ou Jesus, ou Cardozo!
Primeiro, tentaram empurrar o nosso treinador para a porta da saída. 'Não ganhou nada', diziam, omitindo alguns dos motivos pelos quais não venceu, e esquecendo toda a valorização desportiva e financeira que implementou na equipa encarnada - que a levou, por exemplo, a um brilhante sexto lugar do ranking da UEFA.
Consumada a renovação de Jorge Jesus, os focos desestabilizadores viraram-se para Tacuára. Na impossibilidade de se verem livres do técnico que relançou o Benfica para a discussão de todos os títulos, tentaram então ver-se livres daquele que é o melhor goleador benfiquista deste século. E, ao verem-no desculpar-se perante as câmaras de televisão, o desespero lançou-os numa última empreitada, a de descredibilizar esse pedido de desculpas (claro que induzido pelo Clube, ou alguém esperaria outra coisa?).
É fácil percebê-los. É fácil entender porque motivo querem Jesus e Cardozo longe da Luz. Mas não podemos deixar que nos enganem. O Benfica é dirigido desde dentro, e jamais andará a reboque de comentadores televisivos ou jornalistas de duvidosa isenção."

Luís Fialho, in O Benfica

Objectivamente (obsessão)

"A Federação Portuguesa de Futebol está a fazer um esforço - reconheça-se - para modernizar a imagem do futebol português no que às «suas» competições diz respeito. Entenda-se Taça de Portugal, Taça de Honra da AF Lisboa e Supertaça Cândido de Oliveira.
O Estádio de Aveiro conseguiu finalmente encher com um jogo a ´serio e os cerca de 30 mil adeptos que ali acorreram deram um bonito colorido à festa com duas equipas que levam sempre bastantes adeptos e que por tudo isso merecia o aplauso dos dirigentes.
Mas há sempre quem não goste. Não ache piada a tudo o que seja fugir ao seu controle e domínio. E estou a falar do presidente do FCP que mais uma vez começou com as suas graçolas alarves para embevecer parolos e achou que o bonito troféu era feio. Depois que o jogo deveria ter sido noutro estádio (provavelmente nas Antas como o conseguiu algumas vezes nos gloriosos tempos de Adriano Pinto da AF Porto e «sus muchachos» na Federação da Praça da Alegria) e finalmente o recado ao Benfica dizendo que o Vitória de Guimarães soube perder...
Aquela irritante figura deita-se a sonhar com o Benfica, acorda a pensar com o Benfica, passa o dia a ver a melhor maneira de prejudicar o Benfica e deita-se com o emblema da águia a vaguear-lhe pela cabeça dando-lhe o mote para todos esses sonhos!...
O presidente de um clube que tem dado péssimos exemplos nas derrotas em modalidades como o Basquetebol (que extinguiu depois de ter perdido o título em casa para o SLB), no Hóquei em patins e no Andebol vem querer dar lições de desportivismo!
Não há maneira de aprender! A sua única preocupação é atacar e criticar o Benfica. Nem que seja em ocasiões onde o Glorioso não é tido nem achado!"

João Diogo, in O Benfica

Finalmente a sério...

"1. Finalmente, chegou a altura das competições a sério. Acabaram-se os jogos mais ou menos de treino e as experiências, embora, infelizmente (e lamentavelmente) a organização mundial de futebol continue a permitir as transferências por mais algumas semanas. Agora, todos os pontos ganhos ou perdidos serão bem importantes, todas as falhas poderão ser determinantes. Agora é que começa a valer.
A nossa equipa não fez uma boa pré-época, com várias falhas defensivas e pouca produtividade atacante. Mas o importante mesmo é começar o campeonato, com o Marítimo, com uma vitória. Nos últimos anos, por circunstâncias várias, o Benfica não tem sido nada feliz na jornada inaugural. Também por isso um triunfo na Madeira seria bem importante. De há seis anos para cá, o Benfica nunca ganhou na 1.ª jornada (uma derrota, cinco empates), mesmo jogando três vezes em casa. Só espero que esta triste tradição recente não se mantenha. Temos equipa para isso. Um bom arranque de campeonato é vital.

2. É sempre assim. Os últimos resultados é que contam. O Benfica perdeu, está mal; o FC Porto depois de perder voltou a ganhar e está na maior; o Sporting perdeu dois jogos no Guadiana mas deu três à Fiorentina e é só sorrisos de novo. Vamos a ver...

3. Ano (época) novo (nova), vida nova. É altura de as nossas claques, para além de manterem o seu incondicional (e bem importante) apoio à equipa, em todas as circunstâncias, nas horas boas e más (e nisso tem sido bem louvável a sua actuação), mudarem o seu comportamento no que ao lançamento de petardos diz respeito. O Clube não pode continuar a ser prejudicado por tristes procedimentos de alguns dos elementos das claques. E guerras particulares entre estas e a direcção não se resolvem prejudicando o Benfica, que está acima de todos. Espero que estes meses sem futebol tenham levado a uma mudança de atitude. E espero que, caso tal não se verifique, a polícia consiga finalmente descobrir os desordeiros e impedi-los de voltar ao Estádio. O Ministro da Administração Interna acaba de o prometer relativamente a todos os casos de violência nos estádios. Espera-se que a polícia cumpra... e que os nossos adeptos não a obriguem a actuar.

4. Parece que a nova secção de golfe do FC Porto ganhou um primeiro troféu. Parabéns..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

domingo, 18 de agosto de 2013

Época nova, nada de novo !!!

Marítimo 2 - 1 Benfica

Não sou bruxo, mas aquilo que escrevi poucos minutos antes de começar o jogo do Benfica, tornou-se realidade. Mas tenho que admitir, que não fiz nada de especial. Pensar que as coisas podiam ser diferentes, isso sim, seria uma atitude parva...

Só vi com atenção a 1.ª parte do jogo dos Barreiros, na 2.ª o trabalho não me permitiu acompanhar o jogo como desejava. O Jesus fez a vontade a muitos dos técnicos de bancada - apesar de agora ninguém o querer reconhecer!!! -, reforçou o meio-campo. Com a ausência do Salvio, podia ter feito uma substituição directa, mas resolveu colocar o Amorim. Eu próprio já tenho reclamado esta opção em alguns jogos. Mas a consequência natural desta opção, é a falta de jogadores na área (como eu também tenho recordado em várias ocasiões). Ainda por cima com o Djuricic no lugar que deverá ser do Markovic, ficámos com pouca presença na área. O jogo ficou lento, e com poucas oportunidades. O Benfica na 1.ª parte teve o domínio territorial, criou as jogadas mais perigosas (poucas), mas notava-se a ausência do Salvio, para carregar a equipa para a frente, e do Cardozo para marcar o território junto dos centrais.
O empate até seria justo ao intervalo. O penalty caiu literalmente do céu para o Marítimo. O Derley não está fora-de-jogo (apesar da SportTV ter-se esquecido de mostrar a repetição para o provar), o Garay atrasou-se a subir, também é óbvio que a queda foi teatral, mas existe contacto do braço do Artur com a coxa do Derley. O problema é que esta jogada tem início numa claríssima falta (empurrão e pontapé) sobre o Gaitán, no bico da grande área do Marítimo, que deu um contra-ataque perigoso do Marítimo, que o Garay ainda conseguiu o corte na 1.ª vaga, mas numa 2.ª vaga, com a equipa do Benfica ainda desequilibrada o Marítimo sacou a falta. Nada de novo, logo nos primeiros minutos quando vi o Enzo recuperar uma bola sobre o Danilo, na meia-lua do Marítimo, com a bola a sobrar para o Lima, em situação de remate, e o Jorge Sousa a interromper imediatamente a jogada marcando falta contra o Benfica, fiquei esclarecido: o jogo iria ser exactamente como eu pensava que seria!!!
Como não acompanhei o jogo com atenção na 2.ª parte, não vou entrar em pormenores. O Benfica entrou a marcar, mas pareceu-me que o jogo ficou mais partido, com ataques e contra-ataques. Com as substituições o Jesus voltou a táctica habitual. Até que o Sami, em fora-de-jogo, milimétrico, marcou... O guarda-redes adversário, 'mixou-se' todo, pelo menos em duas ocasiões, e a bola não entrou. No último minuto, o Lima sofre penalty, e o Jorge Sousa não marca. Não existe rasteira no pé, mas existe contacto na coxa do Lima, tal como o Artur tocou na coxa do Derley no penalty contra o Benfica... Mas também seria ingénuo da nossa parte pensar que alguém marcaria este penalty a favor do Benfica!!!
O Benfica jogou mal?!!! Provavelmente... O Benfica podia ter jogado melhor?!!! Provavelmente... As opções podiam ser outras?!!! Provavelmente... Agora a cantiga de quando jogamos menos bem, não nos podemos queixar dos árbitros, é completamente absurda. É daqueles argumentos fatais, pois contribui efectivamente para o branqueamento, jornada após jornada, da farsa que é o Campeonato Nacional... Quem quiser continuar a ser cúmplice está à vontade. Eu nunca serei...

Enquanto isso, em Setúbal, expulsa-se o guarda-redes do Setúbal, de uma forma totalmente absurda, e não se valida aquele que seria o golo do empate do Setúbal, a 2 (quando o Setúbal já jogava com menos um)!!! E assim o Capela voltou a cair nas graças do Sistema, não foi preciso esperar muito... É a palhaçada do costume... nada de novo.
Como já referi, não advogo ter a solução mágica... mas como Benfiquista, tenho a obrigação de exigir a todos: Militância... 

PS: Peço desculpa de ofendo alguém, mas os post's a pedir o despedimento do Jesus, depois deste resultado, ou são a concretização das obsessões mais pessoais... ou então é de gente atrasada mental. Quem quiser continuar a martelar no treinador nos dirigentes, ou nos jogadores, pode continuar a fazê-lo, mas não tenho muita paciência para os aturar... O Benfica começa esta época, com grande parte dos jogadores, com o treinador e com os dirigentes, que levaram o Benfica a ser no Ranking oficial da UEFA a 6.ª equipa Europeia (que entre todos os ranking's subjectivos, é o mais objectivo!!!). Não é um título. Mas é um indicador. Nem os jogadores são 'peseteiros', nem o treinador é incompetente, nem os dirigentes são criminosos, como vocês o querem fazer passar...

Começa...

... hoje, muito provavelmente, mais uma palhaçada Tuga.
Não, não estou a ser pessimista. Nada indica, que alguma coisa tenha mudado, bem pelo contrário. A pré-época, foi bem elucidativa: o jogo do Celta no antro; confissão do Vitinho Cócoras, que alguém - superior - martelou as classificações dos árbitros!!!
Alguns continuam a discutir contratações, vendas, jogadores, treinadores, directores, tácticas, substituições, politicas de comunicação, etc... No Benfica além dos habituais treinadores de bancada, nos últimos tempos desenvolveu-se uma nova espécie: os gestores de teclado (infalíveis, obviamente)!!!
Ainda ontem vi o Olarápio apitar mais um jogo da Liga... Durante os jogos, e alguns minutos após sermos mais uma vez roubados os Benfiquistas (todos) lembram-se que é esta gentalha que decide os Campeonatos, mas algumas horas depois, esquecem tudo, e voltam às recriminações internas, às tácticas, às vendas e contratações, aos directores e aos treinadores.
Vivemos numa República das Bananas, temos prova disso todos os dias... só em Portugal, é que um Campeonato com 30 jornadas, pode ser decidido à 3.ª !!!
Não estou pessimista, por causa do Jesus ou do Vieira, ou do Salvio, ou do Matic, ou mesmo do Cardozo, isso é indiferente, os Ladrões continuam todos no activo - impunemente -, nada mudou. O ano passado mesmo sendo cerca de 12 pontos superior ao adversário, não fomos Campeões, nada indica que isso, se vai alterar...
A nomeação de Jorge Sousa (Super-Dragay) é disso o melhor exemplo. O jogo em Leiria em 2009, quando fomos Campeões, onde ele marcou um penalty (evidente), a nosso favor, que nos deu a vitória, provocou uma 'espera' na sua casa (pelos seus antigos companheiros de claque), onde a sua família foi ameaçada. Nos jogos seguintes, a ira com que apitava os jogos do Benfica, parecia ter acalmado, talvez irritado pela tal 'espera'... Mas, na Final da Taça do ano passado, ficou demonstrado que já esqueceu tudo: o golo em fora-de-jogo nem foi responsabilidade directa dele, mas o critério disciplinar absurdo foi só da responsabilidade dele. Enquanto o Matic e o Enzo foram amarelados à primeira, os vimaranenses foram impunemente distribuindo porrada, com especial evidência para o Leonel Olímpio, e só nos últimos 20 minutos resolveu mostrar amarelos aos nossos adversários. Este tipo de comportamento não se deve a decisões, difíceis de julgar, os tais erros humanos, este tipo de critério torto, é consequência de estratégias bem cozinhadas, com a clara intenção de prejudicar uns, para beneficiar os outros... E é com esta gentinha que temos que viver...
A desvalorização destes factos, ou é ignorância, ou então corresponde a agendas escondidas... A solução, não a tenho, mas aquilo que se exige aos Benfiquistas: é Militância.