Últimas indefectivações

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Momentos !!!





Foto BnR B
Video nesciopt

adenda:

António Pedro Vasconcelos

"Caros amigos,
Fico subjugado com tantos comentários. Na verdade, eu não fiz nada de extraordinário: limitei-me a dizer aquilo que qualquer pessoa de bem pensa, perante escutas que foram, na altura, devidamente autorizadas por um juiz de instrução e que, inexplicavelmente (a não ser por intervenção de forças exeriores à justiça) não foram tidas em conta pelos tribunais civis e levaram à absolvição de todos os arguidos.

Ao contrário do que se passou na Justiça Desportiva, que agiu em conformidade com a Lei e o Estado de Direito (os arguidos, perante os indícios de crime, foram acusados por um instrutor e julgados pela Comissão de Disciplina, com direito a defesa e prova, para que se respeitasse o exercício do contraditório, e foram punidos dentro do que a moldura penal permitia), os tribunais civis desvalorizaram as escutas e o testemunho de Carolina Salgado e ilibaram os acusados.
O país inteiro que se interessa por futebol e que não está de má-fé, ouviu e confirmou o que há muito se suspeitava: que, durante anos, houve batota no futebol português e a intervenção ilegítima de um clube - o F.C. Porto - sobre a arbitragem e a disciplina.

Sou benfiquista desde que me fiz à vida, os meus filhos e netos são benfiquistas; e, para além da paixão clubista, que é irracional e inexplicável, o que o Benfica representa para mim, para além de festejar as vitórias e sofrer com as derrotas, é o exemplo como clube: um clube onde sempre houve eleições, um clube popular mas que atravessa todas as classes sociais, que tem adeptos em todos os países e em todos os cantos do Globo, que sempre foi um exemplo de democracia e de liberdade, e que soube correr a tempo com os que quiseram desviá-lo dos seus princípios, como foi o caso, de má memória, de Vale e Azevedo.

Uma coisa eu tenho por certa, e por isso me surpreende e me indigna a atitude dos que condenam a divulgação das escutas e não o que lá se ouve: se, algum dia, um presidente do meu clube ou alguém em seu nome, dissesse ou fizesse metade do que se sabe agora que foi dito e feito pelo presidente do F.C. Porto e pela sua entourage, eu pedia a sua demissão e não descansava enquanto ele não se demitisse.

E a razão porque me orgulho de ser benfiquista, é que tenho a certeza que a esmagadora maioria dos benfiquistas pensa e faria como eu. Assim como sei que nunca, por mais razões que tivesse para isso, o Benfica se comportaria como alguns adeptos do F.C Porto (friso o "alguns", porque conheço imensos portistas do Norte, que são gente de bem, cordata e pacífica), que agem perante o silêncio e mesmo a cumplicidade dos seus dirigentes, se comportaram nestes últimos anos e continuam a comportar, quando o Benfica vai jogar à sua cidade. E se os imitassem, estou certo que seriam repudiados pela direcção e pela maioria dos benfiquistas.

É isso que nos distingue, e é pior isso que o Glorioso é, para mim e para os meus filhos e netos, uma paixão e um exemplo.

Saudações benfiquistas.
A-PV"
António Pedro Vasconcelos, in Master Groove, em resposta a este post

Peçam lá para repetir o jogo!

"Na noite da passada segunda-feira, o simpático jogador uruguaio Jorge Fucile fez ao FC Porto em Guimarães precisamente a mesma coisa que umas semanas antes, no mesmo recinto, o árbitro Olegário Benquerença fizera ao Benfica.
Para quem ande distraído ou sofra de compreensão lenta, talvez seja necessário explicar melhor a ideia expressa no parágrafo anterior.
Tal como Olegário Benquerença, de apito na boca, enterrou o Benfica, na 4.ª jornada do campeonato, sonegando pontos aos campeões nacionais, Jorge Fucile, à 7.ª jornada, enterrou o FC Porto, que é a sua equipa, com uma exibição deplorável: numa desatenção sua nasceu o golo do Vitória de Guimarães, terminou o jogo mais cedo do que os companheiros porque foi expulso, e muito bem expulso, acrescente-se.
Fucile, ainda na primeira parte, rubricou ainda um outro momento que poderia ser fatal se o árbitro, Carlos Xistra, não tivesse deixado passar em claro a falta sobre um atacante adversário que cometeu dentro da sua área e que não foi sancionada com a grande penalidade que consta das leis do jogo tal como as conhecemos.
Tal como já lhe tinha acontecido na temporada passada, em Londres, no jogo com o Arsenal para a Liga dos Campeões, Fucile teve em Guimarães uma noite que gostará de esquecer porque foi altamente penalizadora para o seu clube.
Entre alguns benfiquistas mais versados no tema conspirativo das arbitragens, até há quem sugira que a expulsão de Fucile foi uma encomenda gritada do banco do FC Porto para o sempre obediente Carlos Xistra.
Qualquer coisa assim:
- Expulsa-nos lá o Fucile antes que ele dê mais cabo da equipa!
O que explicaria o momento dramático furioso de André Villas Boas, no fundo um grande canastrão, gritando junto à linha lateral a sua falsa revolta pela expulsão que tinha pedido. Ou seja, era para disfarçar.
Mas a coisa saiu-lhe mal porque o actor, como já referimos, também não é grande espingarda e o próprio árbitro acabou por se sentir incomodado coma péssima representação do moranguito que é como por aqui se chamam aos actores que estão em início de carreira.
Carlos Xistra, antes de lhe mostrar o cartão vermelho, ainda lhe recomendou:
- Menos, André, menos…
Mas foi em vão.
Também há quem defenda uma ideia contrária. É que não foi nada para disfarçar. André Villas Boas foi expulso para imitar José Mourinho, sua referência de palco. O problema aqui é que não é José Mourinho quem quer, só é José Mourinho quem pode, como o próprio, aliás, tão bem vem demonstrando ao longo de dez anos de carreira.
Depois enfim, aconteceu o que já se sabe.
O moranguito induziu-se por sua alta recreação num monólogo desastrado, clamou por imagens que lhe dessem razão, prometeu arrependimento público no caso de estar enganado e acabou sozinho em palco a meter os pés pelas mãos num ror de petulâncias que José Mourinho jamais assinaria porque ninguém o imagina a expor-se, assim, ao ridículo de ter de se desmentir a si próprio.
O desvario cénico por um empatezinho, para o qual o árbitro não foi tido nem achado, não acrescenta louros ao brasão de um treinador que segue isolado no comando da tabela com 7 pontos de avanço sobre os seus mais directos perseguidores e que ainda não perdeu um jogo oficial na corrente temporada.
Mas se não sabemos ainda se André Villas Boas tem mau perder, já é um dado adquirido que tem péssimo empatar.
Quanto às suas queixas sobre dois fora-de-jogo mal assinalados ao ataque portista, a que se juntou a voz sempre autorizada, quando se fala de árbitros, de Pinto da Costa, é o caso para lhe dizer:
- Peçam lá para repetir o jogo!
Comemorou-se o centenário da República e um novo pacote de escutas do processo Apito Dourado foi disponibilizado no Youtube certamente com o intuito de acrescentar algum brilho cívico à efeméride.
O inevitável constrangimento de alguns opinantes leva-os a indignar-se muito com o assunto.
E, em nome da nossa República, da democracia que é de todos e das boas maneiras, que nem todos têm, reclamam um silêncio total sobre esse material não só porque é «ilegal» como também porque é feio escutar as conversas dos outros.
Discordo da argumentação. É muito importante para o triunfo dos ideais republicanos sobre a chafurda reinante tomar o povo conhecimento, por exemplo, da escuta do «nosso amigo juiz». Já ouviram?
Então vão ouvir como é que um juiz de um tribunal civil, trata como «o nosso amigo juiz», depois de passar uma manhã a ajuizar sobre uma questão que diz directamente respeito a um clube de futebol, finda a sessão pede, republicanamente, dois convites para ir ver a bola com o filho na tribuna presidencial de estádio do dito clube.
Liberdade, Igualdade, Fraternidade.
Principalmente uma grande fraternidade.

CARLOS Martins foi chamado à Selecção Nacional por Paulo Bento, treinador com quem teve alguns conflitos quando ambos eram funcionários do Sporting.
As razões desses conflitos nunca foram bem conhecidas mas, se fosse hoje, com o código Costinha para vestuário e comportamentos já em vigor, certamente que não teriam acontecido porque quer Paulo Bento quer Carlos Martins só teriam a lucrar humana e profissionalmente com os ensinamentos e ditames do actual director do Sporting, tal como já estão a lucrar os jogadores que compõem o actual plantel de Alvalade.
Mas, para Paulo Bento e Martins, os tempos já são outros. E Carlos Martins merece, sem dúvida, a confiança de Paulo Bento porque está a jogar que é uma maravilha. É até estranho como é que um jogador com esta qualidade, que foi criado nas escolas de Sporting, está hoje ao serviço do Benfica…
Enfim, foi um que escapou para o clube rival ao contrário de alguns outros, também de excelente dimensão, que de Alvalade rumaram alegremente para um clube amigo, como Ricardo Quaresma, Varela e, mais recentemente, João Moutinho. Com certeza que são rapazes que não se vestem bem."
Leonor Pinhão, in A Bola

Presidente na Antena 1

Ilegalidades é que não!

"Rui Moreira nunca festejou um título comprado no supermercado. Rui Moreira não torce por clubes que são punidos com subtracção de pontos por tentativa de corrupção. Nunca festejou um resultado positivo que tenha sido alcançado através de um penalty inexistente, de um golo em fora de jogo, de um tento mal anulado ao adversário, com a ajuda de um árbitro que tenha sido agraciado com uma viagem ao Brasil, com fruta de dormir, com envelopes com quinhentinhos, ou com aconselhamento matrimonial a um familiar. Nunca votou em receptores de marfim, nem em corruptos, nem em proxenetas. Jamais o viram misturado com pessoas que assaltam estações de serviço, pilham free shops de aeroportos ou atentam contra a integridade física de cidadãos de Estados de direito. Para este homem, a lei é o mais importante, ele não pactua com nada que a belisque. A sua noção de respeito pela legalidade é tão vincada, que julgo que Rui Moreira é menino para processar, por violação de propriedade privada, o bombeiro que lhe entra pela casa adentro para apagar um fogo. Por isso, ontem, no programa Trio de Ataque, quando APV lhe explicou que cores estava ele ali a defender, Rui Moreira encheu-se de vergonha e bateu em retirada. Foi muito digno. Que pessoa de bem poderia dar a cara por aquele pot-pourri de ilegalidades? O YouTube faz mais pela justiça em Portugal que quinhentinhos juízes mortáguas, essa é que é essa"

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Fazer História !!!




Admito, após o primeiro jogo fiquei com dúvidas, felizmente os meus receios saíram furados. Esta vitória é um reencontro com a nossa História, tive o privilégio de assistir ao vivo a vários jogos Europeus no antigo pavilhão nº2, curiosamente aquele que permanece mais vibrante na minha memoria foi uma derrota com o Panathinaikos do Niko Gallis, do Yannakis, do Volkov, do Vrankovic, que grande ambiente...

Parabéns a toda a secção, jogadores, treinadores, e seccionistas, obrigado à Direcção por continuar a apostar nas modalidades, e agora vamos a eles...

Ficámos no Grupo C da edição 2010/2011 da Eurochallenge da FIBA, com o Tartu Rock da Estónia, o Lukoil da Bulgária, e o Lugano da Suiça.

Aqui fica o calendário:
16 de Novembro: PBC Lukoil Academic - Benfica
23 de Novembro: Benfica - Lugano Basket
30 de Novembro: Benfica - Tartu Rock
7 de Dezembro: Benfica - PBC Lukoil Academic
14 de Dezembro: Lugano Basket - Benfica
21 de Dezembro: Tartu Rock - Benfica

Fantoche!!!

Bem, neste vídeo ficamos a saber que o Rui Oliveira e Costa já foi deputado!!! No dia em que se comemorou os 100 da República, temos aqui um perfeito exemplo da decadência de um órgão de soberania!!!

É curioso verificar que mais uma vez o Lagarto concorda com tudo o que Corrupto diz!!!

Inquisição, tortura, auto-fé?!!! É o desespero total. É o desrespeito total por aqueles que foram vitimas da Inquisição em Portugal, verdadeiras vitimas, e não criminosos assumidos que tentam escapar entre os buracos deixados premeditadamente na Lei, e quando isso não é suficiente ainda aparece um Juiz 'amigo'...!!!

E que tal os 'senhores' mostrarem a mesma indignação para com os Corruptos, (Proxenetas, Traficantes de Marfim, Traficantes de Influências, Falsificadores de Documentos, Abusadores de Poderes Públicos, Falsificadores da Verdade Despotiva, etc) do que mostram para com a divulgação das Escutas?!!!

Escutas essas que foram autorizadas por lei, e controladas por um Juiz!!!

E mais uma vez ninguém desmentiu o conteúdo das escutas!!! Ainda estou à espera, se calhar é melhor esperar sentado...

adenda: O grupo de defensores públicos ao serviço dos Corruptos tem um discurso muito repetitivo, por exemplo todos dizem que no Apito Dourado foi tudo arquivado!!! Algo que é totalmente mentiroso, no processo principal foram praticamente todos condenados, e a Relação já confirmou, baixou as penas, mas confirmou a culpa. Nas certidões retiradas não houve condenações é verdade, mas isso aconteceu com uma grande ajuda de Juízes 'amiguinhos', isto apesar de alguns dos processos ainda estarem à espera de decisões dos Tribunais de Apelo. Ao nível da justiça desportiva o Apito Dourado acabou por condenar praticamente todos os envolvidos, as penas foram ridículas, os regulamentos não permitem castigos a sério, mas tanto o CD da Liga, como o CJ da FPF confirmaram a culpa, mesmo com todos os obstáculos, e artimanhas maquiavélicas que foram activados para abortar o processo.

Agora os tais defensores públicos dos Corruptos, dizem que as escutas já foram analisadas pela Justiça e ninguém foi condenado, portanto deveriamos esquecer que as Escutas alguma vez tenham existido!!! Ao fazer este exercício mental cobarde, estão a dar um credito enorme à Justiça Portuguesa, eu pergunto: Se a Justiça Portuguesa é assim tão eficaz, então várias meses após a publicação das primeiras Escutas no YouTube, depois de tantas queixas, e inquéritos abertos para saber quem divulgou as Escutas, depois de tantas ameaças à Benfica TV e a todos os órgãos de comunicação social caso retransmitissem as Escutas, ainda ninguém foi acusado, e muito menos condenado!!! Aliás as Escutas ainda estão disponíveis no YouTube, então a tão eficaz Justiça Portuguesa nem sequer conseguiu retirar as Escutas do YouTube?!!! (Algo que a Controlinveste faz todas as semanas, com videos da Liga...!!!)

Então a Justiça Portuguesa é eficaz quando absolve os Corruptos, mas é uma merda quando permite que as Escutas sejam tornadas públicas?!!!

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Perguntas de um ministro

"1. Enquanto os “pequenos poderes” da bola se reorganizam nos sofás dos hotéis e nas mesas das marisqueiras, o ministro que tutela o desporto em Portugal foi ver um jogo de futebol europeu no estádio do FC Porto. Fez bem em escolher um jogo internacional, integrado numa competição organizada pela UEFA, para regressar aos campos. Fez bem, digo, porque assim terá assistido serenamente a um jogo, sem se questionar em demasia.
Façamos o exercício alternativo de a visita ministerial coincidir com um jogo a contar para o campeonato principal de futebol. Enquanto titular dos poderes públicos que o Estado detém na organização e disciplina das atividades desportivas, delegados, para o futebol, na Federação e na Liga, o ministro Silva Pereira teria necessariamente que se interrogar se o jogo organizado pela Liga estaria em conformidade com a lei do país – uma vez que estamos já muito longe do dia 1 de Julho de 2010, data a partir da qual, segundo alguns, deveria estar em vigor a nova distribuição de competências entre a Federação e a Liga. Esta interrogação encerra um dado muito simples: estarão a Federação e a Liga a respeitar a lei nas suas provas durante esta época desportiva? E um outro: terão poderes para fazerem o que atualmente fazem?

Imaginemos, pois, que Silva Pereira arriscaria presenciar, naquele estádio ou noutro qualquer, um jogo da liga principal. E, como jurista que é, arrisquemos conjeturar sobre as perguntas que faria a si mesmo.

Ao ver os árbitros entrar em campo com os jogadores, perguntar-se-ia:
– será que a Comissão de Arbitragem da Liga podia ter nomeado a equipa de arbitragem?
Ao ver o árbitro mostrar um vermelho a um jogador e expulsar um treinador, questionar-se-ia:
– será que a Comissão Disciplinar da Liga poderá “castigar” estes jogadores e este treinador ou estes poderão alegar que não têm que cumprir os “castigos” da semana por falta de poderes da CD para os punir?
Ao ver duas decisões surpreendentes do árbitro numa das áreas e ao pensar nas suas consequências, indagar-se-ia:
– será que o observador da equipa de arbitragem, nomeado também pela CA, pode avaliar o desempenho dos árbitros e dar-lhes a nota do jogo, que contribuirá para a respetiva classificação no fim da época?

E, já assoberbado com tão poucas perguntas, pararia por aqui. Ainda concluiria o nosso ministro que é mais fácil embrulhar um líder da oposição partidária com um orçamento de chumbo do que responder a perguntas difíceis.


2.O futebol e Carlos Queiroz foram usados durante este Verão para uma sibilina manobra de diversão. O bombeiro de serviço foi Laurentino Dias, autorizado a sair da sua habitual discrição, e a causa ideal foi a luta contra o doping. A máquina de propaganda só parou quando Passos Coelho disse a frase mágica: “Com mais impostos, não há orçamento.” Entrincheirado o líder do PSD, Teixeira dos Santos fechou-se nos números da crise financeira, Silva Pereira (é o mesmo das perguntas) dramatizou com a crise política e Laurentino Dias saiu de cena (mas será recompensado!). Foi bem jogado. Mas não abusem! Ainda não estamos todos a dormir…"
Ricardo Costa, in Record

Regresso às vitórias !!!


NeoBlanc 7

Tabela Anti-NeoBlanc:

Benfica......... 12 (-9)... 21
Corruptos..... 19 (+7)... 12
Braga............ 11 (+1)... 10
Sporting........ 9 (+3)... 6




E ao Sétimo dia (jornada) empataram!!! O verniz estalou, e o Conde mostrou a sua verdadeira cara. Uma tremenda falta de carácter, falta de maneiras, fazendo birra porque lhe roubaram o 'brinquedo', mostrando nervosismo, insegurança!!! Isto de um treinador que continua com uma vantagem enorme, agora imaginem se o Benfica tivesse à frente?!!!
Os Corruptos Assumidos decidiram também demonstrar toda a sua ingratidão, empurrando as culpas para cima do Xistra !!! Já não bastava ter o Coroado como sogro, já não bastava ouvir o chorrilho de ofensas ditas pelo próprio Padrinho nas Escutas!!! O Xistra é um 'mártir', é um 'saco de batatas', onde todos batem, e ninguém respeita!!! Ninguém lhe reconhece mérito, o homem esforça-se mas nada lhe sai bem !!! Parece aqueles aspirantes a Mafiosos, que nos filmes fazem tudo para agradar aos chefes, mas no fim acabam sempre por ser gozados!!! Os Palhaços...








Na Luz tivemos que aturar outro 'Benfiquista'!!! Aqueles que para demonstrarem que são imparciais, roubam ainda mais do que os outros!!! Foi uma daquelas arbitragens inteligentes, controlando o jogo a meio-campo, com uma tremenda dualidade nos critérios disciplinares. É verdade não houve 'grandes' casos, mas quando no inicio da partida o Lima empurra o Javi à descarada junto da área do Benfica, vira-se, remata à baliza, e o árbitro nada marca, fiquei seguro que iríamos assistir a mais um jogo com o campo inclinado, e com um declive bem acentuado...!!!
-Como é que o Vandinho não levou um único amarelo?
-O Luís Aguiar só leva amarelo ao segundo agarrão!!!
-Simulador Alan, completamente impune...
-Percas de tempo constantes, principalmente pelo Filipe, e nem sequer um aviso!!!
-Agressão para vermelho do Paulão, nem sequer foi falta!!!
-No primeiro ataque do Benfica ficou um livre directo por marcar em zona perigosa, por falta sobre o Saviola!!!(aliás em 7 jogos tivemos 1 livre directo em zona frontal!!! Foi contra a Académica, e curiosamente o remate do Cardozo bate do Saviola que estava na barreira!!! Só no jogo com o Hapoel tivemos mais livres do que em 7 jogos apitados pelos Ladrões Nacionais!!!)
-Depois de tantos amarelos ridículos mostrados a jogadores do Benfica, o amarelo ao Javi é um sério candidato ao mais ridículo de todos...!!!
-
O 'declive' ficou ainda mais acentuado com a golo do Benfica, a sequência de faltas, e cantos marcados contra o Benfica foi ridícula. Tentei confirmar os erros na transmissão televisiva mas as repetições não 'apareceram' (se calhar temos que fazer uma conferência de impressa, a exigir as imagens!!!). A falta ofensiva marcada ao Sálvio, foi a cereja em cima do bolo, um lance exemplar de Bola na Mão...
-Os do Braguinha (e amigos) ainda se queixaram de um cotovelo do Maxi. Na minha opinião nem sequer existe falta. Nas imagens vê-se perfeitamente que é uma jogada de 'ombro com ombro' e só depois o braço do Maxi escorrega para a cara do Alan, que caiu como se tivesse levado um soco do Mike Tyson!!!
-O fora-de-jogo marcado ao Lima foi bem marcado. O Lima faz-se à bola, corre, e só quando aparece o Alan é que ele desiste. Este tipo de fora-de-jogos depende muito dos critérios, mas este pareceu-me bem marcado. Registo que o Alan não ficaria isolado, já que o David tinha feito a diagonal. Já na segunda parte também foi mal marcado um fora-de-jogo ao Saviola.
O Choramingas demonstrou mais uma vez a total ausência de espinha dorsal, depois de 'encavado' no Dragay com um penalty, calou-se!!! Agora já ganhou coragem, e falou de um fora-de-jogo bem marcado...!!!
Resumindo muito erros, mas sem influência no resultado, a canhota do Martins resolveu o problema!!!
Uma nota final para o Rui Gomes da Silva: Aquilo que se passou no Dia Seguinte foi na minha opinião, muito grave. Já estamos habituados ao excremento que sai da boca do Alguidar todas as semanas, mas esta semana o recurso à ofensa pessoal foi demasiado óbvio. Exige-se no mínimo um pedido de desculpa...











Não vi o jogo em Aveiro, mas os Lagartos queixaram-se de dois penalty's. A bailarina Postiga parecia que estava a dançar o Lago dos Cisnes!!! É óbvio que não foi falta, a outra suposta falta só o Paliteiro viu...!!! Já agora a parceira do Postiga no ballet deve ser o Rui PATrOcío, aquele movimento acrobático merece destaque!!!
Portanto parece ter sido um jogo sem casos...
Admito que entre os supostos novos códigos de conduta anunciados pelos Lagartos, e os comunicados negando a existência dos mesmos, com o capataz a assistir a tudo por trás da porta, não sei de qual me dá mais vontade rir...!!! É caso para dizer, a realidade Lagarta ultrapassa em muito qualquer ficção...








Provavelmente o jogo de Guimarães vai ser repetido!!! Só assim se compreende as palavras do Birras-Boas!!! A figura ridícula feita pelo Conde das Birras, ficou ainda mais evidenciada com as repetições do tal 'roubo' escandaloso, um lance onde não existe rigorosamente nada...!!!
Liguei a televisão, tirei o som!!! Comecei a ver um filme no computador, ocasionalmente olhava para televisão, e ia assim acompanhando o jogo (isto assim já parece uma cronica do Barroso!!!). Portanto houve muitas situações que me escaparam, inclusivamente só soube do penalty do Fucile por SMS!!! Mas curiosamente das poucas vezes que olhei para a televisão, lá estava o Xistra a errar!!! Aceito que o primeiro cartão ao Fucile é forçado, ele toca na bola, mas com a perna de 'apoio' toca no adversário. Mas logo se seguida dá um monumental mergulho junto do fiscal-de-linha, o árbitro bem nada marca, o Uruguaio fica a protestar, e o cartão ficou no bolso!!! Aqui ainda na primeira parte seria o segundo amarelo, depois faz um penalty óbvio, e se o árbitro podia ter a vista tapada, o fiscal-de-linha tinha a obrigação de ver. No golo do Guimarães o Fucile na minha opinião faz penalty!!! Dá claramente um pontapé no adversário (jogo perigoso activo), como não existe lei da vantagem nos penalty's, o golo devia ter sido anulado, o Fucile expulso com segundo amarelo, e devia ser marcado um penalty contra os Corruptos!!! Não contente com tudo isto o Fucile (novamente) pisa o calcanhar de um Vimaranense propositadamente. Falta para vermelho directo, só levou o segundo amarelo, mas pronto é melhor do que nada!!! Agora vejam bem, tudo aquilo que um jogador Corrupto tem que fazer para ser expulso, agora imaginem um jogador do Benfica a fazer metade disto?!!!
Na parte final da partida houve um fora-de-jogo mal marcado ao Falcão. O Nilson ainda defendeu a bola, mas o jogo já estava parado.
Recordo ainda que o Guimarães também acabou o jogo com 10 jogadores, já que o Faouzi saiu lesionado, quando as substituições já estavam esgotadas.
Assumindo como 'normal' o critério disciplinar assustadoramente ridículo do Xistra, o único erro de verdadeiramente importância foi o penalty do Fucile sobre o Edgar Costa. O 'atraso' na expulsão do Fucile, e o fora-de-jogo ao Falcão acabam por ser pormenores... (atenção à adenda!!!)






adenda: Normalmente quando escrevo esta cronica, já passaram 24 horas sobres os jogos, tenho tempo para me distanciar um pouco, e ler o que os outros escreveram, desta vez isso não aconteceu, porque os dois últimos jogos foram na Segunda, assim escrevi madrugada dentro, em cima do acontecimento, e por isso 'escaparam-me' algumas observações:
-Em Aveiro ficou ainda na primeira parte um fora-de-jogo mal assinalado ao Beira-Mar.
-Em Guimarães o cartão ao Edgar Costa é de bradar aos céus.
-Os comentários da TVI, e da Sporttv em directo, aquando do penalty do Fucile foram ambos cobardes, imbecis!!! O comentador da Sporttv disse mesmo que o Fucile fez o que tinha a fazer, sem nunca admitir o penalty!!! Este lance ainda teve outro pormenor 'delicioso', o Xistra marcou falta ao jogador que foi agarrado!!!
-O fora-de-jogo mal marcado ao Falcão, fez-me pensar muito no 'assunto'!!! Devia ou não considerar um golo 'roubado'? Como por exemplo os do Saviola e do Cardozo também em Guimarães? Nem todos os foras-de-jogo mal marcados são potenciais golos, a 'fronteira' não é de definição fácil. Neste caso o Nilson acaba por defender, apesar dos jogadores aparentemente já terem se 'desinteressado' da bola. O ângulo era apertado, o Nilson saiu-se bem, e estava em cima do Colombiano, mas... Decidi mudar de opinião. Assim além do penalty não assinalado ao Guimarães, considero o fora-de-jogo mal assinalado como um golo 'quase' feito. O 1-1 final seria transformado num 2-2!!!
-Deixo aqui um carton extraordinário publicado pelo Constantino, no A Mão de Vata:




Anexos:


Benfica


1ª-Académica, Prejudicados, Com 3 pontos
2ª-Nacional, Prejudicados, Com 3 pontos
3ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Guimarães, Prejudicados, Com 3 pontos
5ª-Sporting, Nada a assinalar
6ª-Marítimo, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
7ª-Braga. Nada a assinalar



Corruptos

1ª-Naval, Beneficiados, Com 3 pontos
2ª-Beira-Mar, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
3ª-Rio Ave. Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
5ª-Nacional, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
6ª-Olhanense, Nada a assinalar
7ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado



Braga

1ª-Portimonense, Nada a assinalar
2ª-Setúbal, Nada a assinalar
3ª-Marítimo, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
5ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
6ª-Naval, Nada a assinalar
7ª-Benfica, Nada a assinalar



Sporting

1ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Marítimo, Nada a assinalar
3ª-Naval, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Olhanense, Beneficiados, Com 1 ponto
5ª-Benfica, Nada a assinalar
6ª-Nacional, Nada a assinalar
7ª-Beira-mar, Nada a assinalar

domingo, 3 de outubro de 2010

A 'ferros' !!!

cacau


Depois da 'festa' da Supertaça podia existir algum relaxamento. Ainda por cima com uma das deslocações mais difíceis da temporada logo na entrada do Campeonato, tudo conjugado podia podia trazer dissabores. Por tudo isso esta vitória é muito importante para dar continuidade ao espírito vitorioso, deste inicio de época.
Não vi o jogo, mas pelo andamento do marcador, dá ideia que o Benfica tinha o jogo 'seguro' ao intervalo 1-4, mas depois permitiu o empate, tendo conseguido o golo da vitória por Cacau perto do final da partida.
O ano passado perdemos muitos pontos nos últimos segundos das partidas, espero este ano inverter essa terrível tendência...!!!
adenda: Depois de ler as cronicas ao jogo, e ver o resumo na Benfica TV, sou obrigado a acrescentar: Que grande vitória, mais uma vez vencemos contra tudo, e contra todos!!! Estou curioso para ver quantos guarda-redes vão levar cartão azul por aquilo que o Ricardo Silva fez!!! Estou ainda mais curioso para ver quantas vezes o próprio Ricardo Silva vai ser excluído...!!!

Mais uma goleada...



O Xico este ano está bastante mais fraco, mas na época anterior os resultados com vantagens significativas foram poucos, este ano nos 3 jogos em casa o resultado mais 'apertado' foi com o Madeira SAD e a vantagem foi de 10 golos!!! Portanto a equipa parece estar no caminho certo...

sábado, 2 de outubro de 2010

Mais algumas conversas, com muita 'classe' !!!











O Totobola da opinião


""A Bola tem três cronistas portistas – o Francisco José Viegas, o Rui Moreira e eu próprio. E, fora os da casa, tem três benfiquistas: o RAP, o Sílvio Cervan e a Leonor Pinhão. Nós, os três portistas, todos aqui escrevemos que (apesar do túnel da verdade, de quase metade dos jogos terminados com superioridade numérica e tudo o resto), o campeonato do ano passado ganho pelo Benfica foi inteiramente justo, porque jogou o melhor futebol. (…) Mas alguém já viu algum dos cronistas benfiquistas reconhecer mérito (…) a uma vitória do FC Porto (…)?"
Miguel Sousa Tavares
28 de Setembro de 2010

"Durante muito tempo, achei (…) que, com túnel ou sem túnel, o Benfica merecia ganhar este campeonato, porque era a equipa que melhor jogava (…). Mas a verdade é que um campeonato não são 15, nem 20, nem 25 jornadas: são 30 e o saldo final deve-se fazer às 30. E, no último terço do campeonato, desapareceu aquele Benfica que jogava mais e melhor"
Miguel Sousa Tavares
11 de Maio de 2010


“O Fernando Guerra pode, pois, tomar nota desde já: dificilmente os portistas e os bracarenses irão reconhecer o mérito de um campeonato ganho pelo Benfica nestas circunstâncias"
Miguel Sousa Tavares
16 de Fevereiro de 2010

NÃO tenho outro remédio senão admitir que Miguel Sousa Tavares tem sempre razão. Ter sempre razão não é fácil, e MST consegue-o da maneira mais trabalhosa. MST não tem sempre razão por conseguir exprimir constantemente a opinião mais correcta, mas sim por exprimir uma grande variedade de opiniões sobre o mesmo assunto. Nisto das convicções, MST joga com múltiplas. Acerca do último campeonato, às segundas, quartas e sextas reconhece o mérito do Benfica; às terças, quintas e sábados assegura que o Benfica não teve mérito nenhum. Aos domingos, provavelmente, descansa a espinha dorsal, que deve chegar dorida ao fim-de-semana. No entanto, mais notável do que a capacidade para estar sempre certo é o talento para manter a mesma superioridade moral quando diz uma coisa e o seu rigoroso inverso. É muito raro uma trampolinice ser eticamente irrepreensível, mas para MST não há impossíveis. Nos dias em que garante que os portistas são os únicos que reconhecem o mérito dos adversários, MST tem a superioridade moral dos que aceitam a derrota com desportivismo; nos dias em que exige que fique registado que os portistas nunca reconhecerão o mérito dos adversários, tem a superioridade moral dos que não pactuam com fraudes.

Quanto a mim, é evidente que não possuo arcaboiço para competir neste campeonato de moralidade com MST – quer com o que tem a nobreza de reconhecer méritos, quer com o que tem a dignidade de não reconhecer méritos nenhuns. Só posso prometer que, se o presidente do Benfica for apanhado em escutas a indicar o caminho para sua casa a um árbitro nas vésperas de um jogo, a Leonor Pinhão, o Sílvio Cervan e eu viremos aqui escrever que esse tipo de conduta nos envergonha. E daremos razão a todos os adversários que não reconhecerem mérito a títulos conquistados à custa desse modelo de dirigismo desportivo. É pouco, mas é o que tenho para oferecer.

"Realmente, Luís Filipe Vieira e Ricardo Araújo Pereira têm razão: O Hulk é uma banalidade. Deve ser por isso que tão empenhadamente manobraram para o tirar de jogo"
Miguel Sousa Tavares
28 de Setembro de 2010


COMO se não fizesse já demasiado, MST ainda tem a simpatia de ser meu arquivista. E dos mais competentes: tanto colecciona o que vou dizendo, como também arquiva o que nunca disse. Na verdade, eu nunca disse que o Givanildo era banal. Posso ter tido o atrevimento de pensar, como o seleccionador do Brasil, que não é igualável. Talvez tenha a insolência de acreditar – como, aparentemente, a generalidade do mercado -, que não vale 100 milhões de euros. Mas, no que diz respeito a críticas, nunca fui tão violento como o vigilante Rui Moreira, que ainda há um ano escrevia: «Hulk (…) não sabe jogar de costas para a área (…). Além disso, parece ter entendido mal os recados do treinador e o mais que dele se viu foi que se entreteve a adornar as jogadas, a tentar ‘quaresmices’ e a simular faltas.» Nunca fui tão acintoso como o mesmo Rui Moreira, que dois meses depois acrescentou: «Gostei de ver Hulk sentado no banco. (…) talvez lhe devessem ter explicado que fora preterido por causa dos seus tiques e individualismo, das suas inócuas simulações. Talvez assim tivesse optado por uma outra atitude, logo que surgisse a oportunidade de jogar. Em vez disso, e como tem sido costume, Hulk foi de pequena utilidade quando entrou.» E nunca disse que, na época passada, as prestações do Givanildo estavam «a léguas do desempenho do ano anterior», como escreveu aqui MST escassos 40 dias antes de o jogador, talvez por causa do fraco desempenho futebolístico ter resolvido dedicar-se ao pugilismo.

Por outro lado, sou dolorosamente forçado a reconhecer que MST me desmascarou quando revela que, em concluio com o presidente do Benfica, eu «manobrei empenhadamente para tirar o Givanildo de jogo». Normalmente, as teorias da conspiração consistem em palermices mais ou menos lunáticas, sem qualquer sustentação em provas. Não é o caso desta. A pujança da minha influência no futebol português é bem conhecida. As conversas conspiratórias que mantenho com Luís Filipe Vieira estão amplamente documentadas no YouTube. MST e Rui Moreira ainda tentaram enganar-me, escrevendo várias vezes que o rendimento do Givanildo era pobre, para que eu fosse levado a pensar que o jogador não era assim tão fundamental na manobra da equipa do Porto, na época transacta. Mas a mim ninguém passa a perna, e fui precisamente o Givanildo que eu escolhi para tirar de jogo através das minhas maquinações. Confesso: o castigo do Givanildo foi ideia minha.

Por absoluta falta de espaço, deixo para a semana a confissão do meu envolvimento na morte do Kennedy."

Ricardo Araújo Pereira, in A Bola

Presidente inseguro

"Foi azar. Na semana em que Pinto da Costa, aludindo à conferência de imprensa de Vítor Pereira, veio dizer que nunca viu um responsável, seja do que for, censurar publicamente aqueles que dirige, José Mourinho – uma das mais reconhecidas autoridades do Mundo em matéria de liderança – criticou em público um dos seus jogadores. E para isso nem foi preciso que o jogador do Real Madrid em questão tivesse errado em quatro lances de golo iminente. Na realidade, Pedro León limitou-se a não seguir as instruções que lhe deram antes de um jogo. Um erro que, a bem da verdade, Olegário Benquerença nunca comete.

Mas voltando atrás, a infelicidade das declarações do presidente do FC Porto não me surpreendeu. Pessoalmente, nunca julguei que Pinto da Costa possuísse competências de liderança. Um líder deve confiar plenamente nas suas capacidades. Pinto da Costa, pelo contrário, é demasiado inseguro: contrata jogadores e treinadores que lhe parecem mais competentes, mas, à última da hora, não acredita nas escolhas que fez, e tenta resolver a coisa de outra forma. Um internauta que vá ao youtube, por exemplo, não encontra uma única conversa telefónica de ou para Pinto da Costa sobre atletas promissores ou treinadores talentosos. Talvez por isso muitos dos jogadores do FC Porto digam que assinaram em quatro ou cinco minutos – o presidente do clube deve, em seguida, ser libertado para tarefas mais decisivas.

De resto, fala-se muito nos valores de Pinto da Costa, mas o certo é que as escutas revelam um homem preocupado com o nosso planeta. Vê-se que está assustado com a pegada ecológica deixada pelos árbitros nas suas deslocações até aos estádios, quando repete várias vezes frases como “esse é de muito longe!”, ou “porque é que não pões um do Porto?”"

Miguel Góis, in Record

Imerecido !!!



É irritante ver uma equipa a trabalhar, e trabalhar, e trabalhar, para marcar um golinho, e depois os outros que defendem, defendem, defendem, fazem uns contra-ataques e marcam...!!!
Muito injusto...

Falta de 'pernas'...



Ao 4º dia, o 3º jogo!!! E ainda com viagem longa até à Ucrânia no inicio da próxima semana!!! Calendário nacional inapropriado para as competições Europeias...
O Heshimu não jogou, nem ontem, nem hoje...

Ganhar ritmo...



Primeiro troféu oficial da época (Troféu António Pratas), que serve essencialmente para ganhar mais algumas rotinas, preparando a decisiva deslocação à Ucrânia na próxima semana.
Jogo teoricamente fácil, que se complicou no ultimo período, depois de acabar o terceiro período com 10 pontos de vantagem, foi necessário um lançamento no último segundo do Sérgio para garantir a vitória!!! Aliás o regresso do Sérgio Ramos à competição é o principal destaque deste jogo...

"O senhor, na Funerária, vira à esquerda" ou como no GPS Dourado não há túneis

"O presidente do FC Porto disse esta semana que ao FC Porto «só falta o título dos túneis». É capaz de ter razão porque no caminho que levou o árbitro Augusto Duarte até sua casa, na Madalena, com as indicações preciosas e precisas que Pinto da Costa foi prestando ao condutor do veículo, qual GPS Dourado, nunca houve que passar em nenhum túnel.
Bendita seja a Madalena que não tem túneis, que alimentem suposições estéreis!
Mas se não tem túneis, pois tem rotundas. E por lá passaram. «Na rotunda, vem para baixo», disse.
E também tem edifício dos CTT. «Vai passar por uns correios» e «na rua larga vira à esquerda». Então tem correios e também tem uma rua larga e não tem sequer um mísero túnel?
E também passaram por outros lugares bem identificados pela voz monocórdica como convém ao GPS Dourado disponível no youtube para todos os automobilistas que não acreditem que não há túneis na Madalena.
«Tem uma escola do lado direito», «o senhor na Funerária, vira à esquerda», «vai passar nuns columbófilos», «vira à esquerda, sempre para baixo», «passa o Orfeão», «passa a Junta de Freguesia da Madalena», «a clínica dentária», «na rua larga vira à esquerda», «vai passar no Clube da Madalena», «tem uma tabuleta que diz Porto», «passa o estaleiro», «sempre para baixo, sempre para baixo», «tem uma seta que diz praia» até chegar «a uma casa iluminada» …
Incrível, não é? E nem um único túnel!
E, pronto, está explicada a razão que impediu o FC Porto de arrebatar o título dos túneis. Também não lhe faz falta nenhuma.
Eu, por exemplo, dispensaria bem o regozijo se visse o meu clube a ganhar o maldito campeonato das suposições estéreis numa enfiada de títulos, como o título da fruta, o título do café com leite, o título das viagens ao Brasil, o título do sprint de José Pratas, o título do marfim, o título do chefe da caixa, o título dos quinhentinhos…


O facto de não terem acontecido condenações no processo que ficou conhecido como Apito Dourado poderá explicar o actual regabofe no sector da arbitragem. É natural, é humana, e até pode ser subconsciente em alguns casos, esta pândega que não é mais do que a celebração do triunfo do estatuto de impunidade avalizado pelos tribunais civis.
E este, sendo o primeiro campeonato que se disputa depois do coro de absolvições de dirigentes e árbitros reputadamente promíscuos nas suas relações, não podia deixar de ser um campeonato muito, mas mesmo muito especial.
Pois se ninguém, foi de cana, o que era impensável, e nem uma simples irradiação desportiva emanou de tanta matéria de prova, como impedir este fartar de folia que tem vindo a marcar as primeiras jornadas da nossa Liga e que já obrigou o próprio Vítor Pereira, presidente do sector, a vir a terreiro meter os pés pelas mãos, que foi, precisamente, o que fez o árbitro Bruno Paixão, na ilha da Madeira, quando viu Rolando, o central portista, meter as mãos pelos pés na sua área?
Estes velhos protagonistas, dado que o tempo é de justificada descompressão judicial, dão-se a luxos que os põem a jeito das interpretações mais torpes.
Noticiada por um jornal generalista e até hoje ainda não desmentida por nenhum dos presentes, a madrugada de convívio de Bruno Paixão com Lourenço Pinto, presidente da Associação de Futebol do Porto, e com José António Pinto de Sousa, ex-presidente absolvido do Conselho de Arbitragem da FPF, no bar de um hotel de Lisboa, depois de consumada a discutida arbitragem de Paixão no Nacional - FC Porto, só poderá fazer adivinhar, além da bonomia geral, uma próxima homenagem pública da AF Porto a Bruno Paixão, na sequência de idêntico preito em oportuna hora prestado a Olegário Benquerença.
Lamentavelmente, nunca a opinião pública conhecerá o teor dos diálogos entre Bruno Paixão, Lourenço Pinto e Pinto de Sousa visto que os tempos da perseguição policial e das escutas ilegais estão mortos e enterrados e não é de crer que, estando todos juntos na mesma assoalhada, tenham falado pelo telemóvel uns com os outros.
É assim a vida. Se há conversas que ficam legitimamente entre quem as conversou, outras há que nascem para saltar para a praça pública com a naturalidade das coisas naturais.
Por exemplo, no sábado passado, Olegário Benquerença que ficou de fora do calendário desportivo do fim-de-semana por razões sanitárias, aproveitou a mais do que merecida folga para receber uma nova homenagem. Sim, porque não há maior homenagem do que o desafio de ensinar os mais jovens a trilhar os bons caminhos de uma profissão, de um mister, de uma carreira.
Olegário Benquerença, na sua qualidade de émulo, ou seja, de modelo a seguir, a igualar ou a superar, respondeu afirmativamente ao convite do Encontro Nacional do Árbitro Jovem, organizado em Rio Maior pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e foi dar uma lição a 60 árbitros com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos.
Como seria de esperar numa iniciativa pedagógica do género, as incidências do seu trabalho no último Vitória de Guimarães - Benfica mereceram a curiosidade da juvenil plateia de educandos que questionaram o educador sobre as sequelas desse seu estrondoso sucesso. O mestre, num incentivo claro à formação de herdeiros que não temam protestos de ninguém, respondeu: «Esta capacidade só está ao alcance de meia dúzia de predestinados. Não tenho dúvidas de que todos vocês gostariam de ser atacados como eu e os outros colegas porque isso significa que chegaram ao patamar mediático.»
Anda um pai a mandar o filho à escola (de árbitros) para isto.


O próximo Benfica - Braga promete. Mais do que em função do campeonato português, em função dos dois respectivos estampanços europeus desta semana. É verdade que o resultado do Benfica foi menos mau do que o do Sporting de Braga. Mas também é verdade que o Braga vai chegar à Luz com um dia a mais de descanso do que o Benfica. E estas coisas têm a sua importância. O Sporting que, por exemplo, lamentou ter dado tantos dias de descanso ao Benfica antes do derby, vai agora jogar a Aveiro contra o Beira-Mar que tem quase mais uma semana de descanso do que os leões. São as contas..."
Leonor Pinhão, in A Bola
PS: A noticia publicada no Correio da Manha, sobre o 'encontro' de Bruno Paixão, com Lourenço Pinto, e Pinto de Sousa foi entretanto desmentida por Bruno Paixão. A publicação de noticias falsas por parte do Correio da Manha não me surpreende, mas este desmentido não me convence!!! 'Cheira-me' a ameaça de levar o assunto para tribunal, e o jornal não ter os 'tomates' para acreditar na fonte!!!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Com quantos Olegários se faz um Villas Boas???

"Há um curiosíssimo conto de Luiz Pacheco que tem um sonâmbulo como personagem principal. Escritor de profissão, levanta-se de noite nos mais profundo dos sonos, retira um livro da estante e senta-se à máquina de escrever, copiando diligentemente parágrafo a parágrafo. Pelas manhãs, quando acorda, vê as resmas de papel que encheu durante a noite com prosa da melhor e pensa para consigo: ' Sou um génio!'
Da mesma forma funciona o Mourinho de pacotilha que o FC Porto foi buscar às Ilhas Virgens Britânicas (onde parece ter feito uma extraordinária inovação com a introdução de cocos do mar nos lances de bola parada) que se julga um génio no final de cada jogo, ignorando o solícito trabalho de quem lhe escreve o livro das vitórias e dos pontos conquistados à custa de penáltis marcados e por marcar neste campeonato trapalhão e insalubre, que poderá muito bem ganhar e epíteto de 'Campeonato do Olegário'.
É tão ridículo o fungagá da criatura que se sujeitou ao grotesco de se abraçar alegremente a Domingos depois da vitória da sua equipa (com mais um penálti perdoado no último minuto) como se a palhaçada fosse estendível a toda a gente e, sobretudo, aos adversários que têm de sofrer tais esbulhos.
Mas, em Portugal, o ridículo não mata. Nem empáfia. Tanto assim que esse inacreditável representante da classe que não se deixa governar, e que dá pelo nome já de si ridículo de Olegário Benquerença, se deu ao luxo de levantar a possibilidade de calar a crítica à bofetada.
Que sina a nossa, em ter que aturar tais figurões. Um em estágio para ser chutado para um Málaga qualquer depois de ganhar um ou dois daqueles campeonatos que Alex Fergunson intitula, com humor britânico, de «comprados no supermercado» (até já há quem se esqueça que Mourinho foi o grande Campeão do 'Apito Dourado'...); o outro sempre disponível para a submissão, seja para não ver bolas que entrem dois metros para lá da linha de golo seja para carregar ao colo o tal de amigo Mourinho até à final dos Campeões. Ah! E como é bem paga a incompetência... Pelo meio das bofetadas, Olegário que nos diga quanto ganhou no Mundial. E é assim que os árbitros 'amiguinhos' chegam todos a internacionais. O problema é que enquanto estes sonâmbulos dormem o sono profundo da sua própria mediocridade, os titeiros que lhes puxam os cordões estão bem acordados."

Afonso de Melo, in O Benfica

Desonestidade e intelecto

"Sousa Tavares algo Miguel, não tem vergonha, nem honestidade intelectual. Para este 'arauto'(?) do Estado de Direito, a ambiguidade e incoerência vivem alegremente de mãos dadas, como o seu clube vive com o guarda Abel, a 'fruta', os 'quinhentinhos', as viagens pagas ao dissimulado José Amorim ou José Pratas, correndo à frente de impunes jogadores. Jornalistas agredidos nas Antas, um consultório matrimonial, para árbitros e familiares dos mesmos, 'montado' em casa do presidente da agremiação, com o Kit GPS para árbitros e empresários, (sempre em frente), os tratamentos por 'Engenheiro Máximo', 'Gerente de Caixa', à vista de todos no YouTube, menos para os imparciais tribunais, do Porto e Gondomar, e o ST algo Miguel.
Tribunais com gente como Lúcio Barbosa, a quem V. Loureiro congratulou-se por estar no lugar capaz de ilibar os arguidos do 'Apito Dourado', ou Mortágua o tal que disse: 'Quinhentos contos é muito barato para corromper um árbitro', mas faz parte do tribunal de recurso da UEFA, onde o FC Porto conseguiu evitar as sanções desportivas pela acção desta criatura. Todos do FCP. alguns fizeram parte da direcção. Isto sim, gente impoluta.
Para este 'arauto' as escutas não valem e não ser as do Freeport. Desonestidade intelectual.
A ex-putativa candidata a cônjuge de Pinto da Costa teve credibilidade para viver com o credível presidente, seis anos. Falta de inteligência deste, pois o 'imparcial' tribunal, composto por amigos, conseguiu em muito menos tempo descobrir que se tratava, afinal, de uma ex-rameira.
E se a minha amiga, Filomena Morais resolver escrever um livro?"

António Melo, in O Benfica

Objectivamente

"Já dá vómitos a conversa do fanático portista Tavares com a «teoria Hulk» - esse grande génio do futebol - que segundo o porta-voz do PC foi arredado da competição pelo Benfica e por Luís Filipe Vieira, numa conspiração feita a preceito com a ajuda do sr. dr. juiz Ricardo Costa que abandonou a emporcalhada justiça do futebol português a tempo, não fosse o lobby portista mandá-lo prender por fazer cumprir a lei anti-corruptos e vigaristas!
Na realidade torna-se impossível a algum benfiquista suportar os ataques constantes deste miserável cronista que quando não lhe convém, diz o pior da Justiça portuguesa, mas quando lhe agradam as decisões que limpam os crimes cometidos pelos homens do 'Apito Dourado' que ajudaram o seu clube a ganhar tantos títulos imerecidos acha que a Justiça é célere e séria... Para este sujeito as centenas de escutas telefónicas onde se ouve toda esta pandilha a combinar resultados, a manipular influências, a afastar pessoas sérias de decisões, a nomear e a desnomear árbitros, etc, etc, não servem para nada. Isto é tudo mentira, é tudo ficção! A verdade é a teoria dele que defende a escusa dos tribunais em utilizarem as escutas como prova. Aliás, a única possível para punir corruptos e vigaristas! Ninguém está a imaginar nenhum corrupto confessar por sua livre vontade os actos que cometeu. E é por causa desta situação, que foi adaptada à medida para safar esta gente, e outros, com crimes tão ou mais perversos que estes, com 19(!!!) revisões do Código de Processo Penal e do Código Penal nos últimos anos, que vivemos de novo com esta situação de um FC Porto invencível. É claro que sim. No primeiro jogo da Liga com a Naval ganharam com um penalty que não foi. Nos jogos com o Rio Ave e com o Nacional tiveram o caminho aberto com ajudas que já não viam desde do tempo do José Silvano e José Guimaro. Enquanto isto o Benfica era roubado em Guimarães e na Luz com a Académica. São 9 pontos de distância porque não podem ser mais.
É assim que o Tavares gosta! Os árbitros a levarem o FCP ao colo e o seu genial Hulk a poder bater em tudo o que mexe nos túneis sem ser castigado pelos seus Conselhos de Disciplina e Justiça. Assim até o Clube da Foz é campeão nacional! Aliás, eles é que ainda não lembraram disso..."

João Diogo, in O Benfica

República

"A mudança da Monarquia para a República, no campeonato de Lisboa de futebol, significou a deslocação da liderança do Carcavelos para o Benfica. Com cinco aninhos de idade, no ano da República, o 'Glorioso' conquistou o seu primeiro título na Associação de Futebol de Lisboa. Vencedor crónico, o Carcavelos não resistiu à ultrapassagem e desistiu do campeonato. E a primeira década da República - cujo centenário agora se comemora - é a primeira década de Glória do Glorioso Benfica.
Na década entre 1910 e 1920, o Benfica venceu sete dos dez campeonatos de Lisboa. Eram os tempos de Cosme Damião, treinador, centro-campista e capitão do Benfica nos primeiros cinco anos da década, simplesmente treinador até ao final dos primeiros dez anos da República. O clube destinado a ser Glorioso jogou no emprestado campo da Feiteira, em Palhavã e em Benfica nos primeiros dez anos da República.
Disputando, em casa e fora, um total de 86 jogos, o Benfica venceu 70, marcando uma média de quatro golos por encontro e sofrendo uma média de meio golo por desafio!
O que aconteceu ao futebol, com a implantação da República, foi a passagem do testemunho do aristocrático e very british Carcavelos para o popular e Lisboeta Benfica, clube com nome escrito e prenunciado com uma letra no final. Aliás, o futebol era uma prática das elites, associadas no Carcavelos, no Internacional, no Sporting, até que o Benfica implantou a República no reino da bola. Nunca mais nada foi como dantes. E agora, no centenário da República o Benfica ostenta a faixa de campeão e tem no seu historial mais títulos e troféus que qualquer outro clube."
João Paulo Guerra, in O Benfica

Em nome da verdade

"A Benfica TV tem vindo a fazer serviço público benfiquista desde que as emissões regulares tiverem início, a 10 de Dezembro de 2008. E neste contributo ímpar para a reposição da verdade e para a defesa sustentada desta instituição centenária, há um programa que merece o aplauso e o agradecimento de sócios, adeptos convictos e simpatizantes do SLB. Arrisco-me a dizer que com ele a especulação se metamorfizou em certeza, tendo por base processos judiciais e revelações mantidas secretas durante demasiado tempo. Numa área onde se silenciavam inúmeras verdades importantes para nós, este programa permitiu descobrir e evidenciar figuras de conduta duvidosa que se tornaram felizmente merecedoras de crítica factual e bem fundamentada.
Falo-vos do “45 Minutos”, verdadeiro documento histórico capaz de nos esclarecer de forma inabalável. Este título da Benfica TV terá a sua frequência semanal interrompida a 4 de Outubro. As escutas do processo “Apito Dourado” e as evocações de casos internacionais, como por exemplo o Calcio Caos abasteceram horas e horas de conteúdo surpreendente até para os benfiquistas mais atentos e interessados na investigação criminal e futebolística. António Pragal Colaço, Pedro Guerra e Afonso Melo foram os protagonistas do “45 Minutos”, que mais cedo ou mais tarde virá a ser repetido na íntegra, desde o seu primeiro episódio, na antena do canal do Estádio da Luz.
Esta coluna do Jornal permite-me homenagear quem jamais deixará de defender o Clube, algumas vezes até com prejuízo para a vida particular e sabendo que ganhou o estatuto de impopular entre os seguidores dos nossos adversários. O António, o Pedro e o Afonso souberam e sabem colocar o Sport Lisboa e Benfica acima dos seus interesses e ambições, souberam e sabem igualmente que a Benfica TV continuará a contar com o seu precioso contributo. Porque é em nome da verdade, porque é em nome do SLB e de todos quantos o enaltecem e defendem."
Ricardo Palacin, in O Benfica

Discurso de Luís Filipe Vieira na AG Ordinária

“Permitam-me que comece esta minha intervenção dando conta de uma obra que está a ser realizada junto à porta 18 – cuja conclusão está prevista para as próximas semanas – e que é, para esta Direcção, motivo de grande satisfação.

Como todos sabem, para mim uma promessa é uma dívida, e havia uma promessa antiga que por diversas razões ainda não tinha sido possível cumprir até aqui. Felizmente, chegou o tempo de saldar essa divida, que é uma divida de gratidão.
Dentro de poucos dias será erguido o ‘mural’ com os nomes de todos os sócios ‘fundadores’ do novo estádio.

Sócios que, num momento difícil da nossa vida associativa, ajudaram o Sport Lisboa e Benfica a construir a sua ‘nova’ casa.


Sócios que num momento em que era necessário recuperar a nossa auto-estima, disseram presente!

Sócios que ajudaram financeiramente a erguer o estádio de que hoje todos nos orgulhamos.

Sempre fui agradecido a quem me ajudou na minha vida! Como presidente do Benfica a minha postura não podia ser diferente!

Este mural representa o nosso obrigado a todos esses sócios que num momento de incerteza nos ajudaram a escolher o caminho do crescimento e da modernização!

Obrigado a todos!!

Continuamos a viver, economicamente, tempos difíceis, o que nos obrigou a enfrentar novos desafios, definindo uma estratégia clara que nos permitiu chegar onde chegamos. Temos vindo a saber encontrar o bom caminho nos momentos mais difíceis.

Conseguimos melhorar em muitos capítulos, sem nunca desistir do rigor nas nossas contas. Não é um exercício fácil, mas é necessário se pretendemos manter o Clube no patamar onde ele chegou.

Como poderão ver no relatório que vos foi entregue, o Clube obteve um lucro de 2,4 milhões de euros, mas a vida do Clube vai muito para além dos seus mapas contabilísticos. É evidente que compete-nos gerir com prudência, principalmente em função da degradação económica que vivemos, mas continuam a ser os êxitos desportivos que orientam a nossa acção diária.

Como sempre foi assumido por esta Direcção, os sócios vão continuar a estar no centro da nossa estratégia de desenvolvimento, sem eles nada disto faz sentido. Mas é, igualmente, importante que se mantenha a dinâmica de crescimento do número de associados. Os 300 mil é a próxima meta, atingi-la é responsabilidade de todos e a melhor manifestação da nossa vitalidade e do nosso dinamismo.

A responsabilidade de continuar a fazer o Benfica crescer não é apenas da Direcção – desta ou de qualquer outra. É responsabilidade de todos os sócios, é responsabilidade de todos os adeptos.
Este deve ser o tempo em que todos aqueles que ainda não são sócios devem formalizar a sua relação com o Clube. Quanto maior for a nossa força mais fácil será enfrentar as dificuldades que se avizinham.

No que se refere às modalidades a nossa aposta mantêm-se com o reforço de todas as equipas, mas com a certeza da necessidade de alcançar resultados equilibrados. O nosso propósito é que todas as modalidades tenham a capacidade de lutar por todos os títulos em discussão.

Podemos não os ganhar todos, mas temos a obrigação de estar em todas as finais. É essa a responsabilidade que os nossos técnicos sabem que têm, é essa a meta que deve ser partilhada por todos os nossos atletas!

Permitam-me que saúde aqui a nossa equipa de hóquei em patins que conquistou de forma tão brilhante, no passado domingo, a Supertaça, algo que já não acontecia desde 2001. Esta deve ser a regra e não a excepção!

Essa é, pelo menos, a minha ambição!

No que toca a outra das promessas eleitorais da actual Direcção, o Museu continua a ser um dos objectivos do presente mandato, por tudo quanto ele representa para a preservação da nossa memória, mas principalmente no que ele representa a nível do legado que queremos deixar as gerações futuras.

Temos essa responsabilidade e essa obrigação e posso-vos garantir que eu estou empenhado em deixar – neste estádio – um Museu que orgulhe todos os Benfiquistas!

O nosso Clube também é a nossa história, e o nosso Museu deverá ser lugar de memória, de identidade, de renovação!

Quanto aos nossos meios internos, além da reformulação do Jornal do Benfica, do desenvolvimento e da internacionalização da Benfica TV, continuamos apostados em defender de forma intransigente os valores dos nossos direitos audiovisuais.
Dentro de poucas semanas vamos concluir algumas parcerias que vão permitir à Benfica TV chegar a mais uma série de países, algo que me deixa naturalmente satisfeito, tendo em conta não apenas a juventude do projecto, mas sobretudo a sua importância estratégica na afirmação dos valores universalistas do Sport Lisboa e Benfica.

Finalmente, uma palavra para as Casas do Benfica. A sua dinamização e a uniformização de toda a rede contínua a ser uma prioridade, por tudo quanto representam a nível da expansão e da defesa do Clube.

Se quiserem assumir a sua tarefa – e estou convencido que querem – as Casas serão fundamentais para o crescimento e consolidação do Benfica.

O nosso caminho vai continuar a ser feito de grande determinação, de muita inovação na acção e de absoluto rigor na gestão!”