Últimas indefectivações

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A 'nova' FPF de Fernando Gomes

"O triunfo de Infantino foi também a vitória da FPF e dos quadros federativos que se envolveram, ao mais alto nível, no processo...

A eleição de Gianni Infantino para a presidência da FIFA mostrou que não há causas perdidas e que vale sempre a pena porfiar. A vitória do sheikh Salman Bin Ibrahim Al-Khalifa, apoiado pelas confederações africana e asiática, era dada como praticamente certa, não só pela generalidade dos observadores mas também (e sobretudo!) pelas casas de apostas que, como se sabe, nunca brincam em serviço. Porém, como corolário de um trabalho bem feito, «de pesca à linha» - assim se referiu à metodologia utilizada um dos responsáveis pelo campo de Infantino - foi possível levar um candidato, que só a dois meses da ida às urnas confirmou a sua disponibilidade, ao lugar mais alto da hierarquia do futebol mundial. Portugal, através da FPF, decidiu envolver-se no processo eleitoral da FIFA há pouco mais de um ano, quando apoiou a candidatura de Luís Figo. Nessa caminhada, que foi dada por terminada antes do ato eleitoral, por ter sido entendido (e bem, como veio a constatar-se) que o polvo ao serviço de Blatter impedia qualquer alternativa, ficou claro que a FPF tinha voz própria, marcava um território relevante e estava apta a sair da mediania onde tinha permanecido. É verdade que os anos de Gilberto Madail foram de progresso para a FPF e por isso o futebol português deverá estar-lhe grato. Mas em boa hora Madail deu o seu ciclo por cumprido, abrindo caminho para a renovação promovida por Fernando Gomes. Com o antigo presidente da Liga e ex-administrador da SAD do FC Porto ao leme, a FPF racionalizou a gestão, concretizou a Cidade do Futebol e passou a ter uma palavra efectiva nos areópagos internacionais. O papel que Tiago Craveiro, director-geral da FPF e Onofre Costa, diretor de comunicação, tiveram no desenvolvimento e êxito da campanha de Gianni Infantino traduz uma nova realidade que apraz registar. Conheço, porém, aquela tendência mesquinha - provavelmente a pior característica dos portugueses - de apoucar tudo o que é nosso ou realizado pelos nossos, feita de um misto de inveja e despeito e que já se sente, aqui e ali, a propósito deste feito...
Mas vamos ao que interessa: a partir de agora, Portugal possui canais de comunicação com a FIFA como nunca teve, e passa a estar perto do mais importante dos centros de decisão. Honra ao mérito.

O que pensará disto Bruno de Carvalho?
«Nos últimos seis anos, quando eu estava no outro lado, o Sporting nem contava
Jorge Jesus, Treinador do Sporting
Jorge Jesus é um excelente treinador. Porém, por vezes, fruto de um ego maior que o Everest, parece que não mede bem o que diz. De acordo com as suas mais recentes afirmações - deselegantes para quem esteve em Alvalade de 2009 para cá - é ele o princípio e o fim de tudo o que de bom está a acontecer (ou seja, estar a lutar pelo título). Defeito ou feitio? Megalomania, pelo menos...

ÁS
Stephen Curry
O que o atirador dos Warriors fez no último sábado, em Oklahoma, anda perto do impossível e parece saído de um daqueles argumentos de Hollywood onde, de repente, por artes mágicas, o herói do filme fica dotado do dom da infalibilidade. Com Curry está a nascer uma nova forma de jogar basquetebol. Basta pontaria...

DUQUE
Ian Smith
A derrota de Portugal na Alemanha (50-27) passou a constituir o pior resultado do râguebi nacional de há muitos anos a esta parte. Será injusto pedir satisfações ao novo seleccionador nacional; mas é impossível não deixar aqui nota de uma tremenda preocupação pela perda de competitividade dos Lobos.

DUQUE
Cristiano Ronaldo
Um discurso baseado na presunção de que «eu ganhei, nós empatámos e eles perderam», nunca ficou bem a ninguém. Cristiano Ronaldo foi infeliz no que disse depois da derrota com o Atlético de Madrid; depois, tentou emendar a mão, mas o mal estava feito. O futuro dirá quais os danos irreparáveis provocados na cabina.

A pior política desportiva do mundo
O Real Madrid, maior clube do século XX, continua a desperdiçar grandeza, traído por uma política desportiva que varia entre a arrogância e o autismo. Dança errática de treinadores, plantel sem equilibro nem critério e feira de vaidades 'arround the clock', explicam a fraca prestação 'merengue'...

Marco Silva Campeão
um ano devolveu o Sporting à conquista das competições nacionais, vencendo a Taça de Portugal. Mal-amado nos gabinetes de Alvalade, rumou à Grécia onde está a realizar uma das melhores épocas da história do Olympiakos. Ontem - quando faltam três meses para acabar a época - sagrou-se campeão helénico, corolário de uma tremenda superioridade sobre a concorrência. Quando se fala de treinadores portugueses de sucesso, a quem se augura um futuro brilhante ao mais alto nível, o nome de Marco Silva merece estar na primeira linha."

José Manuel Delgado, in A Bola

Discurso de Vieira marca a diferença

"O discurso de Luís Filipe Vieira na Gala do 112.º aniversário do Benfica teve a grandeza do próprio clube e é justo que assim mesmo seja assinalado.
Num tempo em que não é moda admirar alguém, é bom dizer com clareza que o discurso do presidente do Benfica é, em si mesmo, admirável. Pelo que contém de exemplo, pelo que projecta de diferença em relação à maioria dos discursos presidenciais, muitas vezes caídos na tentação de agradar aos adeptos mais primários com ataques desproporcionados e despudorados assentes numa ideia de guerra aos adversários, tratados como inimigos.
Vieira teve a lucidez de aproveitar um período de enorme vulnerabilidade da justiça desportiva, que tarda em decidir sobre o caso do maior goleador do Sporting, para não apenas atacar a falta de celeridade da justiça, o que desde logo lhe diminui a eficácia e sensatez, mas pedindo que, se houver condenação, que ela não surja antes do próximo Sporting-Benfica.
Haverá certamente quem venha agora dizer que se trata de hipocrisia, ou de habilidade política. Não. Trata-se de uma afirmação sensata e elogiável de um presidente de um grande clube nacional e que contribui, de forma exemplar, para um ambiente de sanidade no futebol nacional e que, tal como afirmou Vieira, «combate o fanatismo mais agressivo e primário».
É bem verdade que esse fanatismo tem existido. É bem verdade que o futebol português precisa de travar essa estúpida tentação do abismo. E é bem verdade que ter um presidente de um grande clube do lado certo da barricada é um momento especial que o futebol português não pode deixar de registar e de agradecer."

Vítor Serpa, in A Bola

Benfiquismo (XXIX)

5 de Outubro de 1960
Inauguração do mítico 3.º anel...
Benfica 3 - 0 Hearts
2.º mão, da 1.ª eliminatória da TCCE da época 1960/61...

Redirectas XLI - Gangster da Bosta É Pela Não Violência?

Gangster da bosta ameaça que vai tratar da saúde a uns quantos elementos da família corrupta que quanto a ele se têm portado menos bem  nos últimos tempos. São eles os senhores do apito da família bosta. Depois do macaco ter feito o seu assalto à tasca veio agora o corrupto e putanheiro assumido mais famoso do mundo, fazer valer a sua força de chefe mor da vara porcina para deixar bem vincado que dentro de uma estrutura corrupta quem se julga livre para colocar a asinha de fora come pela medida certa.
Por isso mesmo senhora Leonor Pinhão mais uma vez eu digo que nunca em tempo algum um benfiquista que se preze deve dar algum crédito que seja a algo que venha da boca deste criminoso. Muito menos quando o mesmo tem o desplante de dizer que está junto com o Glorioso pela não violência.
E este reparo serve de aviso também para todos aqueles que acham que existe algo de bom a aproveitar num crápula como este. Que asco.
Quem é portista e apoia este criminoso não pode ser bom pai de família. Isso é mais do que certo.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

Gala do 112.º Aniversário do SL Benfica

Galardões Cosme Damião:
Revelação do Ano: Renato Sanches
Carreira: Carlos Lisboa
Formação: Equipa Júnior Masculina de Atletismo
Mérito e Dedicação: Jorge Arrais
Projecto do Ano: Best Academy of the year
Inovação: Caixa Futebol Campus Caixa 360s
Modalidade: Hóquei em Patins
Casas do SL Benfica: Montemor-o-Velho
Atleta de Alta Competição: Carlos Nicolia
Treinador do Ano: Joel Rocha
Parceiro do Ano: Huawei
Homenagem: Os Magriços
Futebolista do Ano: Jonas

Cerimónia marcada pelo adiamento do jogo da nossa equipa principal de Futebol... E sem surpresas na atribuição dos galardões. Acho justo recordar alguns não premiados, como a nossa secção de Voleibol e a Marisa Vaz Carvalho que só não venceu devido ao fenómeno Renato Sanches...
Mesmo assim o grande momento da noite foi a homenagem aos Magriços, com vários Benfiquistas e muitos Sportinguistas no palco... algo que em Portugal, só mesmo no Benfica é possível!!!
Não posso deixar de referir a presença do Pedro Proença na Gala. Eu compreendo que sendo Presidente da Liga, seria sempre 'indelicado' não convidar o 'animal', mas muito sinceramente, é muito difícil engolir a presença deste ladrão numa Gala do Benfica.
É só uma suposição, mas a atribuição do galardão referente ao Parceiro do Ano, à Huawei poderá estar ligado ao esperado anuncio no final da temporada, do Naming da Catedral!!!


Aqui está o discurso do Presidente do SL Benfica:
"Cada vez que nos reunimos para celebrar mais um aniversário do Clube, somos testemunhas da História, da capacidade mobilizadora dos nossos sócios e adeptos, mas acima de tudo somos responsáveis pelo legado daqueles que em 1904 deram início à nossa História.
Mas a História não é mais do que uma janela para o futuro, não é um capítulo fechado, é antes um espaço de inspiração e um desafio para a acção.
O futuro é o que fazemos hoje, porque o presente que hoje vivemos começou a ser construído com as decisões que tomámos há 10, 12 e 15 anos.
O trabalho que desenvolvemos até aqui serviu para transformar o Benfica num Clube vanguardista com ambição, onde sonhar voltou a ser permitido, onde voltámos a ser uma referência europeia. Um Clube respeitado e admirado, um Clube credível e cada vez mais observado além-fronteiras.
Acreditem que vivo hoje o mesmo entusiasmo e a mesma ilusão que experimentei no primeiro dia em que cheguei ao Benfica.
Os desafios de hoje não são menores que aqueles que encontrei há 15 anos, são apenas diferentes. Conseguimos chegar aqui porque acreditámos que era possível, porque avançámos sem medo, porque conseguimos transformar problemas em oportunidades.
Sempre tive o cuidado de olhar e cuidar da nossa História como algo fundamental para o Clube, porque nenhuma grande instituição sobrevive sem cuidar da sua memória.
As nossas referências devem estar sempre presentes como alicerces em que se constroem os novos projectos do Clube, devem ser referências de valores, devem ser os exemplos que nos inspiram em cada dia.
Mas também é verdade que a herança do passado só se torna viva se lhe juntarmos um permanente inconformismo e um desafio diário de pensar e construir o que queremos no futuro.
O Sport Lisboa e Benfica é hoje um Clube admirado, competitivo e global porque apostou na inovação como valor diferenciador.
Fazemos coisas diferentes, mas acima de tudo fazemos primeiro, e é por isso que somos admirados a nível internacional.
A inovação está presente no Seixal, na Luz, no marketing, nos recursos humanos, está presente em toda a nossa organização. A inovação é um valor transversal no actual Sport Lisboa e Benfica, e isso para mim é um motivo de orgulho.
Outro dos factores em que se alicerçou o nosso crescimento recente foi a união e a estabilidade que conseguimos ter durante os últimos anos. A estabilidade permitiu-nos pensar e planear a médio e longo prazo, permitiu-nos voltar a ser um Clube global.
O Benfica fez-se grande na união, construiu-se na diversidade de opiniões, na democracia das ideias, mas em questões estruturais sempre estivemos unidos nas opções a tomar.
Fizemos uma longa viagem num curto espaço de tempo. A viagem vai continuar, e vamos continuar a surpreender e a crescer de forma sustentada.
Uma palavra final em relação ao Futebol português.
Podemos continuar a aceitar aqueles que fazem da divisão, do conflito, da intimidação o seu modo de vida, e achar que o Futebol português pode sobreviver a isso.
Ou, então, temos de rejeitar tudo isto e exigir comportamentos orientados pela ética e pela responsabilidade. O Benfica está aqui e entende que não pode valer tudo.
Finalmente, para que não fiquem dúvidas, a justiça deve ser célere, deve castigar ou ilibar, mas tem de ser muito célere nas suas decisões.
Portanto, para evitar demagogias ou polémicas absurdas, digo hoje que espero que nenhum jogador da equipa que vamos defrontar na próxima jornada seja impedido de jogar contra nós.
A justiça deve actuar, aliás já o devia ter feito, mas, para que não haja nenhum tipo de suspeição, castiguem – se tiverem de o fazer – depois do nosso jogo.
Todos nós temos a obrigação de fazer crescer o Futebol em Portugal, de o projectar como produto de excelência, de o valorizar a nível internacional, e isso obriga-nos a ter de combater o fanatismo mais agressivo e mais primário.
Viva o Benfica!"

Juniores - 2.ª jornada - Fase Final

Benfica 1 - 0 Académica

Duarte; Buta, Azemovic, Escoval, Amaral; Pereira, Guga, Mendes (Alfa); Jota (Cabral), Zidane (Jorginho); Gomes

É verdade que o jogo foi fraco, a viagem à República Checa a meio da semana não ajudou, mas nota-se várias fragilidades na equipa... principalmente no controle de bola no meio-campo.
Mesmo assim criámos várias oportunidades, mas estivemos desastrosos na finalização... O golo surgiu antes do intervalo, no 2.º tempo tentámos gerir a vantagem mínima... o Zé Gomes falha um golo incrível... o vento também não ajudou: sempre que tentámos a bola longa no contra-ataque, com o vento favor, a bola saia sempre comprida demais; quando os Estudantes metiam a bola nas costas da nossa linha defensiva, com o vento contra, a bola praticamente 'parava'!!! Os últimos minutos foram mesmo minutos de sufoco!!!
Diogo Mendes
Com os melhores Juniores, na equipa A e B, as nossas aspirações são curtas... e é pena, porque tal como o ano passado, todos vão perder muitos pontos.. ao fim de duas jornadas, os três 'grande' já perderam jogos!!! Bastava uma campanha mediana e seríamos Campeões...

1.º-Paços de Ferreira ... 4
2.º-Sporting .............. 3
3.º-Guimarães ........... 3
4.º-Benfica .............. 3
5.º-Belenenses ........... 3
6.º-Rio Ave .............. 3
7.º-Corruptos ............ 3
8.º-Académica ........... 1

Uma lança em África

"1. Gianni Infantino é o novo presidente da FIFA. A sua vitória foi, na linguagem popular portuguesa, uma verdadeira lança em África! Venceu perante grandes obstáculos e claras dificuldades. Tal como, em outro momento histórico fez o nosso Santo Nuno Álvares Pereira, moldou uma estratégia e conquistou votos, aqueceu corações de diferentes cores e credos, revelou as suas inatas qualidades e chegou, tal como nós em 1415, à sua Ceuta. Secretário Geral da UEFA até ao momento conquistou, com mérito, o lugar cimeiro de uma organização sob forte escrutínio mundial e que exige um homem - e uma equipa - que utilize com sabedoria contemporânea: uma verdadeira vassoura. Suíço mas também italiano, adepto do Inter e utilizador comum de seis línguas é um exemplo deste tempo que vivemos. Licenciado em Direito, estagiou na liga espanhola e dedicou-se totalmente ao futebol. Agora vai liderar uma das maiores organizações deste nosso Mundo. E com ele vai o empenho e a excelência de Portugal.
2. Na verdade, parte da vitória de Gianni Infantino é uma vitória portuguesa. Fernando Gomes, após a constatação da impossibilidade de participação eleitoral de Michel Platini, estimulou o avanço de Infantino. E colocou a nossa Federação na liderança desse apoio. Tiago Craveiro dedicou-se em pleno, nos últimos meses, a esta vitoriosa candidatura. Onofre Costa foi o ponta de lança comunicacional como bem percebermos no seu abraço - o primeiro! - ao novo presidente no momento imediato ao anúncio da sua categórica vitória no segundo escrutínio da votação ocorrida na tarde da passada sexta feira. E outros portugueses, alguns bem conhecidos do mundo do futebol, não deixaram de estar envolvidos no apoio directo a esta candidatura europeia que juntou um número significativo de apoios para além da Europa. Infantino conquistou votos, acredito em todos os continentes. E mesmo em África que, num primeiro momento, proclamava que votaria em bloco. Mas os portugueses sabem desde Ceuta há 600 anos, como meter lanças em África! E daqui a algum tempo leremos, com atenção, um novo livro acerca da FIFA, e destas eleições, que salientarão uma nova nossa lança em África. Parabéns, muitos parabéns, a Onofre Costa e, em particular, ao Tiago Craveiro. Acredito que para o Tiago Craveiro um recente fim de semana pela linda zona de Sintra foi o derradeiro estímulo para esta vitória que, acredito, foi o maior desafio profissional da sua vida. Por mim gostaria que continuasse por cá. Mas, acredito, que a FIFA e o novo presidente não deixarão de o chamar para novas e enriquecedoras funções no mundo do futebol. E das mudanças que se adivinham e se antecipam.
3. Fernando Gomes continuará, com mérito, a liderar a Federação Portuguesa de Futebol. Sem qualquer oposição. E com unânime reconhecimento. E agradecimento. Nos últimos anos mostrou imensa capacidade interna e claramente projectou Portugal nas principais instâncias do futebol mundial. Soube ser indiferente a alguns que o provocaram e soube ser diferente em relação a alguns que o criticaram. Soube atrair competências e nunca negou apoios e solidariedades. Mesmo em circunstâncias difíceis. Com o apoio da Família - e em particular de sua querida e dedicada mulher - ultrapassou, nos últimos tempos, um delicado problema de saúde. Tudo ultrapassou. Tudo mesmo. Na UEFA ganhou, com a sua inata sabedoria, lugar de destaque. E acredito que, em próximo e necessário Congresso desta organização europeia do futebol, terá todas as condições para alcançar o lugar que desejar. Mas com a próxima inauguração da Cidade do Futebol evidencia o seu sentido estratégico, a consciência do futuro e cria as raízes para que todo o futebol português se pense a partir de uma casa comum. E no arranque de um novo mandato lá estará no Europeu de França e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. E depois da vitória de Infantino na FIFA e da sua reeleição na FPF a cereja seria um lugar cimeiro das nossas selecções em França e no Brasil.
4. A FIFA nasceu em maio de 1904. O Benfica nasceu a 28 de Fevereiro desse mesmo ano. Faz precisamente hoje 112 anos. Que assinala, com reconhecido fervor, com os Galardões Cosme Damião numa cerimónia a realizar, sugestivamente, no Teatro Camões. Mas, horas antes, terá de ultrapassar o União da Madeira e conquistar três pontos. E, mesmo com este frio que nos perturba, com todos a cantarem, com alegria, os parabéns a uma instituição de referência de Portugal e do futebol mundial. E esta comum e anual comemoração acontece na semana que antecede a visita a Alvalade para um novo e decisivo confronto com o Sporting. O que eu sei é que fui Menino da Luz - como orgulhoso aluno do Colégio Militar - e sou homem do Benfica. Como o meu Querido e saudoso Pai foi Presidente do Viseu e Benfica! Como menino comecei a ter a Luz - a velha - como paixão. Que permanece, agora, já na companhia feliz do meu amado neto Alexandre Maria, na nova Luz. Em cada 28 de Fevereiro é o reencontro entre o Benfica de ontem e o Benfica do amanhã. Já que o presente, este presente, é, tão só, a ponte entre o passado e o futuro. E este, para mim, será, como sempre, encarnado. Sempre vermelho! Com uma chama imensa!"

Fernando Seara, in A Bola

Vitória de Infantino e de Portugal

"Gianni Infantino foi ontem eleito o 9.º presidente da FIFA. Uma vitória expressiva: dele e também de Fernando Gomes, da FPF e do futebol português. Porquê?
1. Por ter sido a FPF uma das subscritoras da candidatura e por, na cerimónia de apresentação oficial, em Londres, Infantino aparecer entre José Mourinho e Luís Figo, na companhia de Fernando Gomes.
2. Por ter sido a FPF a federação mais empenhada no sucesso da candidatura.
3. Por ter sido Fernando Gomes o líder federativo mais votado para o comité executivo da UEFA e com base nesse estatuto de exceção ter contribuído para engrossar o número de apoiantes de Infantino.
4. Por ter sido Tiago Craveiro, diretor-geral da FPF, o cérebro da operação, como director de campanha de Infantino.
5. Por ter sido Onofre Costa, responsável pela comunicação da Selecção lusa, o assessor de imprensa, além de discreto e diligente companheiro de Infantino nas incontáveis viagens que este fez por todos os continentes a fim de passar o seu projecto.
Tudo isto é verdadeiro. Por isso, confirmada a vitória eleitoral, poucas pessoas se terão apercebido, o primeiro abraço do novo presidente da FIFA foi partilhado, precisamente, com Onofre Costa, prova inequívoca de que a palavra gratidão significa muito para o sucessor de Blatter, o que, só por si, é sinal de mudança.
Os portugueses têm em má conta os governantes por pouca ou nenhuma influência exercerem nos gabinetes de Bruxelas, mas o futebol representa a antítese e merece ser aplaudido de pé. Sendo o País o mesmo, a diferença está nas pessoas. Na Federação de Futebol, Fernando Gomes e a sua equipa projectam o nome de Portugal no Mundo através do saber fazer. Senhores ministros, aprendam se quiserem..."

Fernando Guerra, in A Bola

Questão 'desportiva' ou 'usurpação'?

"Depois da conversão do processo de averiguações da FPF em processo disciplinar contra Slimani (alegada agressão no Sporting-Benfica da Taça), o CJ veio censurar esta semana o CD pelo arquivamento das queixas contra condutas de Jardel e Eliseu nesse jogo e remeteu o processo para apuramento probatório dos factos e nova decisão do CD. Além de tudo o mais, pergunta-se: seria o CJ competente para se pronunciar em via de recurso da deliberação do CD?
A regra vigente é as deliberações do CD serem objecto de recurso para o TAD. A excepção é serem recorridas para o CJ se tiverem resolvido "questões emergentes da aplicação das normas técnicas e disciplinares directamente respeitantes à prática da própria competição desportiva" (as "questões estritamente desportivas", na formulação da Lei do TAD e do actual RJFD). A meu ver, estas questões revelam-se - e só se revelam - nas decisões que convocam e aplicam as "leis" e "regras" da modalidade desportiva (e do respectivo jogo), ainda que através da tradução normativa nos regulamentos (das provas, disciplinares e de arbitragem) dessas modalidades e suas competições. Se estiverem em causa actos e decisões que se fundamentem nesses regulamentos mas não correspondam a determinações técnico-disciplinares da modalidade/jogo, a competência de reapreciação cai na esfera do TAD. Por ex., a Lei 12 do Jogo de futebol elenca e sanciona tecnicamente infracções de "falta grosseira" (com disputa de bola). "conduta violenta"/"agressão física" (sem disputa de bola) e de "gestos ofensivos/injuriosos/grosseiros" dos jogadores, dando origem a ilícitos disciplinares e sanções: serão "questões desportivas" e serão competência do CJ em sede de recurso.
Quando o CD delibera não converter um processo de averiguações em processo disciplinar, tendo por fundamento a soberania da apreciação da equipa de arbitragem e o princípio expresso na Lei 5 do Jogo e no art. 206°, 2, do RD da FPF (não são sindicáveis as decisões dos árbitros sobre os factos do jogo em aplicação das Leis do Jogo), essa decisão, à primeira vista, versa sobre "questão estritamente desportiva". Ou será que esse princípio não é "regra técnica" do jogo? E a deliberação de não converter não será acima de tudo adjectivo-processual, reveladora de um juízo (e fundamentos) sobre a prática de ilícito disciplinar? Se assim for, poderá essa deliberação ser "não desportiva". E, tendo por isso o CJ usurpado o poder jurisdicional do TAD, poderá o CD recusar a ordem do CJ? Tem a palavra o CD da FPF."

Quando, como e o que se vislumbra?

"Uma questão que tem captado a atenção de adeptos e imprensa é a relativa às queixas apresentadas pelo Benfica e Sporting, na após o jogo disputado, a 21 de Novembro de 2015, para a Taça de Portugal. Redobrou a atenção com a recente decisão do Conselho de Justiça, publicada na página da FPF, que aceitou parcialmente os argumentos do Sporting. Segue-se contributo informativo.
1.º A 22 de Janeiro o CD decidiu: arquivar a queixa apresentada pelo Sporting e instaurar processo disciplinar contra o jogador do Sporting.
2.º Quanto ao processo do jogador do Sporting, aguarda-se a decisão: Pode haver recurso? Sim. Tem feitos suspensivos? Não.
3.º Do arquivamento das queixas, o SCP recorreu para o CJ. É só sobre este recurso que se ocupa a decisão do CJ.
4.º Para o CJ a afirmação do árbitro «não vislumbro qualquer agressão», pode ter dois sentidos: os factos não existiram ou, tendo existido, o árbitro não deu conta deles no jogo. O árbitro afirma «não vislumbro»; porventura, deveria ter dito «não vislumbrei» e aí estaria a referir-se ao momento do jogo e não àquele em que visiona as imagens.
5.º Para o CJ, fica afastada a interpretação de que os factos foram avaliados e analisados pela equipa de arbitragem.
6.º O processo baixa ao CD «para apurar a matéria de facto para tanto relevante e decidir em conformidade».
Segue-se análise dos factos e nova decisão do CD. Depois, uma decisão igual ou a abertura de processos disciplinares a jogadores do Benfica. Nova hipótese de recurso para o CJ. Sem efeitos suspensivos. Aqui, já a 29 de Novembro, afirmámos «tudo pode estar em saber se o árbitro observou e avaliou as acções em causa». No fundo é disso que se trata."

José Manuel Meirim, in A Bola

Benfiquismo (XXVIII)


António Severino, Francisco Calisto, Francisco dos Reis Gonçalves, João Gomes, João Goulão, Joaquim Almeida, Joaquim Ribeiro, Jorge Augusto Sousa, Jorge da Costa Afra, José Linhares, Manuel França, Raul Empis, Virgílio Cunha, António Rosa Rodrigues, Cândido Rosa Rodrigues, José Rosa Rodrigues, Daniel Brito, Eduardo Corga, Henrique Teixeira, Carlos França, Abílio Meirelles, Amadeu Rocha, Manuel Gourlade e Cosme Damião.

112 anos Gloriosos e muitos mais a caminho...


#Juntos desde 1904.
Estamos TODOS de parabéns, BENFIQUISTA! Como te sentes ao rever estes momentos? #112Anos #EPluribusUnum
Publicado por Sport Lisboa e Benfica em Sábado, 27 de Fevereiro de 2016

Canalhice... mais uma !!!

Parece que ser canalha é requisito para ser Presidente de um clube de Futebol da I Liga!!!
Pois bem, já devem saber, o Benfica-União vai ser adiado para segunda-feira para as 19h45 (para já... até parece que alguns querem às 22h!!!). Porque o avião que trazia o União da Madeira foi cancelado (agora os meninos parece que também não querem viajar para Lisboa às 7 da manhã...!!! O melhor é nem sequer meterem cá os pés!!!).
Para mim, não faz diferença, irei na mesma ao Estádio, ms para muitos Benfiquistas que já tinham comprado o bilhete, vão ter que desistir... Causando obviamente prejuízos graves aos adeptos e ao Benfica.

Vamos lá ver, hoje, Sábado, houve 56 voos que chegaram a Lisboa vindos do Funchal, todos chegaram bem... Pois bem, o União resolveu vir no último, aquele que devido ao vento, estava em perigo de não se realizar!!!
Se o avião tivesse chegado a horas, teria chegado por volta da Meia-noite, com a espera pelas Malas, a equipa do União nunca estaria na 'cama' antes das 2h da manhã... isto com o jogo no outro dia às 17h!!!
Alguém acredita que isto não foi propositado?!
Isto depois de todas as declarações aquando do jogo da 1.ª volta...

Este filho-da-mãe do Presidente do União devia ir a nado para o Funchal... Mais um canalha Andrade, a contaminar o Tugão!!!

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Campeões Nacionais: Cross Curto; Marcha... Disco e Martelo!!!

Em dia de vários Campeonatos Nacionais, apesar da intempérie, o Benfica sagrou-se colectivamente Campeão Nacional de Cross Curto (Tetracampeões) e na Marcha ambos em Masculinos...
No Cross com uma equipa 'sub-23' dominámos (1.º André Pereira, 4.º Paulo Pinheiro, 5.º Samuel Barata, 7.º Ruben Pessoa, 8.º Miguel Borges), na Marcha com os melhores nacionais a vitória era inevitável (1.º Pedro Isidro, 2.º Sérgio Vieira...).
Realce ainda na Marcha para as vitórias da Maria Ribeiro (Campeã Nacional de sub-23, Mariana Mota ficou em 2.º), e do Vítor Ramos (Campeão Nacional Júnior). Miguel Carvalho ficou em 2.º nos sub-23 masculinos.
O Campeonato de Cross Curto, acabou por ter muitas ausências, já que os principais atletas estão concentrados no Cross Longo... o Benfica acabou mesmo por não apresentar equipa no sector feminino.
Individualmente, nos Campeonatos Nacionais de Lançamentos Longos, o Jorge Grave venceu o Disco, e o Vital da Silva o Martelo...

Objectivo cumprido... agora é lutar!

Benfica 40 - 30 Madeira SAD
(17-16)

Boa vitória, e qualificação para as Meias-finais carimbadas, num jogo complicado, o marcador não reflecte as dificuldades. O marcador esteve sempre apertado, só nos últimos 10 minutos com a quebra física dos Madeirenses, e com finalmente o Benfica a jogar em superioridade numérica, o jogo ficou resolvido...

Objectivo mínimo cumprido, numa Meia-final com os Corruptos, não temos obrigação de ganhar... mas temos obrigação de dar tudo...

Os 11 golos do Ronny, não são surpresa, mas eu recordo que o nosso Lateral esteve lesionado várias vezes durante a época, e em alguns dos momentos mais importantes, não esteve presente! É claramente a nossa maior arma ofensiva... mas a sua condição física é sempre muito frágil, aquele agarrar da coxa deixa-me muito preocupado!!!

PS: O Benfica anunciou, com bastante antecedência, uma contratação para a próxima época: Stefen Terzic! É um nome surpresa, um jovem Sérvio, Lateral-direito, internacional pelo seu País, que aos 18 anos jogava no Hamburgo (talvez a Liga mais forte na Europa), que à primeira vista parece bom demais para Portugal!
Estava a jogar em Espanha, mas teve uma lesão grave no joelho. Veio para a Luz, fazer a recuperação da lesão, e acabou por assinar... Vamos esperar para ver!!!
Uma nota ainda: o nosso departamento médico já é procurado para fazer recuperações de lesões em atletas profissionais de outras modalidades, além do Futebol! Muito bom... pode trazer benefícios no futuro, e como se viu neste caso, até permitiu a 'aproximação' com um reforço!!!

Líderes...

Barcelos 70 - 88 Benfica
13-28, 12-16, 21-16, 24-28

Entrada demolidora, grande vantagem ao intervalo... no 3.º período permitimos a recuperação do Barcelos, mas o jogo esteve sempre controlado.
É impossível não destacar os 31 pontos do Cook, que nos últimos jogos tem marcado muito... parece que acordou!!!

Excelente início desta nova 2.ª fase (com as melhores 6 equipas), onde temos como objectivo manter o 1.º lugar, para garantir vantagem nos Play-off's.

O autocarro da nossa equipa foi apedrejado no final do jogo. Eu até suspeito que o acto de vandalismo foi cometido por energumes ligados ao jogo de Hóquei... mas, pronto...

Estamos de volta !!!

Burinhosa 2 - 5 Benfica
Patias(2), Brandi, Nino(a.g.), Coelho

Este jogo confirmou, que o Benfica (Futsal) está de volta! Depois de uma fase má, com a paragem para as Selecções, a equipa parece que voltou ao 'normal'!!!
A história do jogo foi os ataques do Benfica, muita intensidade, as cacetadas dos jogadores do Burinhosa, e as defesas do guarda-redes da Burinhosa!!!
Os árbitros bem tentaram retardar, mas as expulsões eram inevitáveis... na 2.ª parte dois vermelhos para os jogadores da casa, e o jogo resolvido...
Recordo que o Burinhosa é o 4.º classificado do Campeonato, e luta com o Braga. pelo 'título honorifico' de 3.º melhor equipa portuguesa!!!
Espero que as lesões do Hemni e do Patias não sejam graves, vitimas de duas entradas a 'matar'.



PS: O senhor funcionário da RTP, desta vez até esteve um  pouco mais discreto no seu anti-Benfiquista primário... mas mesmo assim conseguiu-me surpreender pelo tom condescendente que se referiu à 'província' de Alcobaça!!! Não sabia, mas aparentemente vivo no fim-do-mundo, pois para o funcionário da RTP, é extraordinário existir equipas de Futsal, Pavilhões cheios no Oeste de Portugal!!!

Assalto... de 2 pontos!!!

Barcelos 3 - 3 Benfica

Segunda 'não vitória' do Campeonato (dois empates), num jogo que já se esperava difícil... Tivemos a ganhar 0-2, mas da forma como o jogo decorreu, a conquista de 1 ponto até não é mau resultado...
Como é habitual, o jogo foi mais uma vez decidido pelos apitadeiros, que são incapazes de resistir a ambientes de pressão mais pesados nos pavilhões... quando as faltas sobre jogadores do Benfica, são assinaladas ao contrário, praticamente durante todo o jogo (principalmente a seguir ao segundo golo do Benfica) é difícil vencer o jogo... Sendo que os golos do Barcelos, nasceram quase todos de 'bolas paradas', sendo aquele que não foi de 'bola parada', o Benfica tinha o guarda-redes, e dois jogadores de campo!!!

Muitos Benfiquistas na bancada e parece que houve 'molho' antes do jogo ('vingança' depois da vergonha do ano passado). O Basket também jogou hoje em Barcelos, e não me admirava nada que os 'meninos' do HóKuei tivessem sido os autores dos actos de vandalismo (partiram o vidro da frente do autocarro) no Vermelhão do Basket... Esta gente, devia ser proibida de entrar em qualquer recinto desportivo. E os dirigentes que os apoiam, também...
Eu até não sou contra as Tochadas no Estádio, mas dentro dos pavilhões, acho que não deviam acontecer... ao cuidado dos nossos.

Continuamos a liderar, agora com 8 pontos de diferença, e muito sinceramente, além do jogo no Dragay Caixa, temos tudo para ganhar todos os jogos. Em Valongo, num ambiente parecido, prevejo mais um 'roubo' épico, mas temos tudo para vencer... além desse jogo, só o jogo na Luz com a Oliveirense será perigoso!

Agora, temos Liga Europeia e o Vendrell...

Muito injusto

Benfica B 0 - 1 Chaves


Já critiquei aqui a nossa equipa B, várias vezes. Já fizemos jogos muito maus... Mas hoje nada disso se passou! Cometemos um erro grave (Guzzo), que deu o golo ao Chaves... e de resto foi o Benfica a atacar, o Benfica a desperdiçar, e o Manuel Mota a fazer tudo para o Benfica não marcar...!!!
Tivemos um golo limpo mal anulado (com 0-0), e perto do final ficou por marcar um penalty claríssimo sobre o Bilal... pouco depois, o Benfica até meteu a bola dentro da baliza, mas o árbitro resolveu marcar falta antes... curiosamente, só marcou a falta (que parece ter existido) depois de ter sido golo!!! Foi um fartar de vilanagem, nos cartões, com os cantos e lançamentos, nas faltas a meio-campo... muito, muito mau! Manuel Mota acabou por fazer tudo para afastar o estigma de ser Benfiquista!!!!
É engraçado, ver este Chaves que o ano passado não subiu, com algumas arbitragens duvidosas pelo meio... e este ano, com outro treinador, tudo mudou...! É a experiência!!!

Passando por cima do resultado e da arbitragem, destaco provavelmente o melhor jogo do Bilal no Benfica!!! Está mais móvel, melhor fisicamente... agora só falta passar a bola!!!
Mas a grande surpresa, foi o Alan Benitez, lateral-direito Paraguaio, contratado em Janeiro. Creio que fez os primeiros minutos oficiais, não o conhecia, e gostei bastante. Muito rápido, bom com a bola no pé, de cabeça levantada... é agressivo (como os defesas Paraguaios costumam ser) e mesmo fisicamente, parece ser forte... Ainda falta analisar outros pormenores (posicionamento defensivo por exemplo...), mas as primeiras impressões são importantes, e estas coisas de ser ou não ser bom, às vezes não é preciso muitas analises... e este, pareceu-me de facto, er muito bom jogador...!

O que é um lagarto?

"A propósito das tácticas ultradefensivas de algumas equipas, o treinador do Sporting disse um dia destes que o único 'autocarro' que conhece é «o que vai para Carnide». E fez sucesso. Também o presidente do Sporting, querendo em tempos explicar a deserção de uma mão cheia de anunciados reforços, disse que Mitroglou «foi para o Carnide» porque «aquilo fica em Carnide». Outro sucesso, não 'aquilo' mas Carnide. Nem sequer é uma originalidade portuguesa a arte do desprimor para com o adversário. Acontece por todo o mundo civilizado os adeptos gostarem de tratar os rivais por epítetos que supostamente os menorizam.
Ora não há razão alguma que os benfiquistas se arrepelem com o uso do Carnide. Nem o seu estádio, nem a sua fundação, nem a sua sede alguma vez foram em Carnide, uma freguesia de Lisboa igual em dignidade às demais e que até tem viscondes desde o século XIX. É que em 1805, por decisão do nosso rei D. Luís, foi outorgado o título do 1.º visconde de Carnide a José Street de Arriaga e Cunha que, de certeza, nem sabia o que era uma bola de futebol.
Falando nestes aspectos da nossa nobreza, é justo relembrar que também o estádio do Sporting, na verdade, não fica em Alvalade mas no Lumiar. Entre estes dois bairros vizinhos ainda há a Torre do Tombo e o Hospital Júlio de Matos, lugares sem qualquer espécie de dúvida com as suas tradições. Mas, com toda a franqueza, desde quando é que uma pequeníssima imprecisão geográfica pode ofender alguém? Se, por exemplo. na opinião do treinador do Sporting, a Sibéria fica mais longe do que a China, trata-se apenas de uma questão de perspectiva e não se fala mais disso.
Também os sportinguistas não se deveriam ofender quando os rivais os chamam de lagartos. Na história e na cultura do nosso futebol, o que é um lagarto? É o nome que o próprio Sporting atribuiu aos títulos de subscrição- «nunca inferiores a 10 escudos» - na campanha de recolha de fundos para a construção do velho Estádio José de Alvalade no início da década de 50.
«Já se começa a designar por toda a parte os títulos de subscrição por LAGARTOS» - lia-se no jornal oficial do clube em Fevereiro de 1951. «Congratulamo-nos com o sucedido» - seguia a notícia - «e felicitamos todos os lagartos por preferirem os LAGARTOS, o que significa que o nosso alvitre foi bem acolhido». E não foi mesmo?"

A justiça e a arbitragem no futebol

"Critico o sistema, com reuniões em dia certo da semana, como se fosse um cozido à portuguesa num restaurante de bairro.

O futebol português está nos primeiros lugares do ranking mundial. Nenhum outro setor da vida nacional tem tanta expressão e é tão considerado e admirado no Mundo. Isso deve-se, muito em especial, a um povo que ama profundamente o futebol, aos clubes, que ao longo dos anos, com alguns vícios, mas com muita criatividade, souberam crescer, desenvolver-se, modernizar-se nas suas velhas estruturas de rapazes generosos, mas amadores, deve-se (muito) à elogiável capacidade e competência dos treinadores portugueses, que muito evoluíram nas plurais áreas do conhecimento aplicáveis ao jogo, e deve-se, também, a pessoas diversas e dispersas, pessoas qualificadas e muito profissionais que integraram áreas de responsabilidade de gestão e de liderança em associações e na Federação Portuguesa de Futebol.
Temos, portanto, de assinalar, em primeiro lugar, que o futebol português, em razão de todos os padrões em que o país se pode comparar com outros países, nomeadamente os europeus, está muitos furos acima do que seria expectável e do que lhe poderia proporcionar os escassos meios financeiros de que dispõe. Há, no entanto, setores que não souberam ou não puderam acompanhar este crescimento. Setores onde, por ironia, nem sequer faltam bons técnicos, gente competente e qualificada para a função, mas que acabam submersos, nas ideias e na acção, por organizações decrépitas, ultrapassadas, isoladas e sustentadas numa ideologia amadora.
A pior de todas as organizações do futebol profissional português é a da justiça desportiva. Não quero, obviamente, colocar em causa a capacidade técnica dos seus elementos e gostaria de também poder não pôr em causa o virtuosismo da independência dos jurídicos que têm por obrigação julgar de camisola despida. O que coloco em causa é o sistema. Esse sistema bacoco e desatualizado, esse sistema de reuniões, discussões e decisões em dia certo, como se fosse o cozido à portuguesa na ementa de um restaurante de bairro. Esse sistema que se alimenta de todos os piores dos vícios e apenas de algumas virtudes do sistema judicial comum, que já não é, como se sabe, compatível com o constitucional direito à justiça do cidadão e se torna totalmente desacreditado na justiça desportiva. 
Os exemplos sucedem-se e os mais recentes, com os casos Slimani e, agora, também de Jardel e Eliseu, são tão ridículos que, por si só, matam qualquer laivo de decência na justiça desportiva.
A arbitragem, como se reconhece, também não está bem. Apesar de tudo, não me cansarei de o dizer, nada está a necessitar de maior urgência na reforma, profunda e drástica, do que justiça no futebol profissional.
O problema da arbitragem é outro. É o da insustentável convicção de que o mundo da arbitragem deve continuar a viver assente numa ideia de organização secreta, onde só a família tem assento, quer para agir, quer para influenciar.
Toda a organização que se esconde, procura o escuro das azinhagas do futebol, se torna vulnerável à especulação e à suspeição. Quem não percebe isto, em particular nos dias de hoje, não pode ter lugares de responsabilidade no futebol profissional.
As emoções e as paixões que o futebol desperta, em especial em Portugal, obrigam a uma ainda maior clareza de processos, a uma indiscutível transparência de acções. O risco de perturbação, de falsas acusações, de indícios fabricados, quer seja por maldade, quer seja por interesses inconfessáveis, é enorme, num sistema de quarto fechado e de sociedade secreta. E os árbitros, importará dizê-lo, são os que ficam mais expostos e os que mais sofrem com isso."

Vítor Serpa, in A Bola

Benfiquismo (XXVII)

Platina, Ouro e Prata...

"Caros benfiquistas,
A vossa presença aqui, hoje, projecta o Sport Lisboa e Benfica na sua verdadeira e mais importante dimensão: os sócios. Homens e mulheres que ao longo destes 112 anos construíram a História do Clube.
A vossa presença neste pavilhão representa exactamente aquilo que somos: um Clube que é dos seus sócios. Um Clube que se mantém fiel às suas origens e à vontade dos seus fundadores.
E essa realidade nunca mudará, pelo menos enquanto eu for presidente do Sport Lisboa e Benfica. Os sócios asseguram a transmissão desta herança gigantesca que vem desde 1904 e asseguram a sua permanente renovação.
Vocês são testemunho de uma História centenária, mas são, ao mesmo tempo, os responsáveis pelo crescimento, pela transformação, pela mudança que o Clube sofreu ao longo dos últimos 15 anos. 
Não há segredos ou fórmulas mágicas, sem os sócios, sem o vosso entusiasmo e apoio, não teríamos chegado aqui. É isso que hoje celebramos, a vontade, a determinação, a liderança, e a fidelidade dos sócios a um projecto que cada ano se renova.
Os anéis de platina e os emblemas de ouro e prata, que vão ser entregues dentro de alguns minutos, representam a melhor homenagem do Clube a todos aqueles que foram responsáveis por parte da sua História.
Por que cada um de nós neste pavilhão, de diferentes maneiras, participou na construção de uma parte da História do Benfica.
Vivemos um tempo de muitas exigências e de muitos desafios, mas tenho a certeza que com o vosso apoio, com a capacidade de todos quantos formam parte desta realidade, vamos conseguir ultrapassar todos os obstáculos, por maiores que possam parecer.
A História do Benfica é – e vai continuar a ser - uma história de superação, de inconformismo.
A vossa ambição é a minha ambição: construir um Benfica cada vez maior e cada vez melhor!
Esta cerimónia tem para mim – como facilmente vão perceber – um significado especial, porque também vou receber o meu emblema de ouro. Será o emblema correspondente aos meus 50 anos de filiação.
Mas gostava de evocar aqui a memória do presidente Jorge Brito, que há muitos anos, me entregou e colocou na lapela, como seu fiel depositário, o seu emblema do Benfica, dizendo-me que eu estaria a altura do desafio e da História do Clube.
Onde quer que ele esteja, espero que sinta orgulho do seu Benfica e do homem a quem entregou o seu emblema.
Viva o Benfica!"

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Domingo será a próxima final

"Faltam onze jornadas para concluir um Campeonato onde, até agora, o Benfica foi o clube dos três primeiros mais prejudicado e no entanto só se ouve a berraria alheia. O mais grave é que enquanto a berraria injustificada não for penalizada, fica a sensação imoral que compensa.
O Benfica passou em Paços com alguma tranquilidade, num jogo que sem ser espectacular pareceu sempre controlado por parte do Benfica.
Esta semana recebemos o adversário que nos causou maior dissabor na primeira volta. Para relativizar esse passado só ganhando de forma clara este jogo contra o União da Madeira se apaga o nevoeiro deixado na primeira volta. Rui Vitória sabe que domingo é a nossa próxima final da Liga dos Campeões, e relaxar é entregar o direito já conquistado até aqui de lutar pelo Tri.
No topo da Europa o Benfica fez o melhor resultado de todos os clubes do Pote 2 na Liga dos Campeões, e é talvez aquele que vindo de não cabeça de série no último sorteio disputa com mais possibilidades a passagem (penso que o Chelsea também está em aberto).
No escalão europeu abaixo, SC Braga passa com dificuldades, mas mantém o sonho europeu. FC Porto e Sporting estão livres do stress do sorteio de amanhã. O Sporting só queria não ser atropelado pelos alemães e conseguiu sair, a falar do Campeonato.
Este FC Porto nada podia fazer contra este Dortmund e nada fez.
Mesmo quando não há glória tem que haver honra. Em São Petersburgo poderemos ganhar ou perder, mas nunca deixar de lutar e prestigiar o Benfica. Não podemos passar um ano a lutar por provas europeias e depois desistir de as disputar, é um contra-senso.
Uma palavra de elogio aos nossos jovens nos quartos de final da Youth League. Nos 16 melhores em seniores e nos oito melhores da Europa em juniores mas sempre no topo."

Sílvio Cervan, in A Bola

Virgolino Faneca enaltece o super gastrónomo Madureira

"Madureira, o líder da claque dos Super Dragões, é um incompreendido. Dizem que intimida árbitros mas é tudo mentira. Na realidade o homem é um apaixonado pela gastronomia de palato exigente.

Prezado senhor Madureira
Lamentavelmente, só o conheço de ouvir falar, pelo apelido Madureira, ou pela alcunha o Macaco, que presumo derivar do facto de na sua infância ter feito muitas cabriolices, mas a realidade é que o senhor  se tornou numa personalidade incontornável da vida portuguesa. O seu estatuto de líder da claque do FC Porto, o seu desempenho como jogador de futebol de uma equipa apropriadamente chamada Canelas 2010, patrocinada por um clube de strip, e a sua paixão pela gastronomia transformaram-no, ouso dizer, numa figura pública.
Eu de futebol não percebo nada, pelo que a razão desta carta tem a ver exclusivamente com assuntos gastronómicos. Neste contexto entendo perfeitamente que se tenha deslocado do Porto a Fafe, propositadamente para jantar no restaurante Taberna da Esquiça, que por acaso é propriedade de um senhor que é pai de um árbitro de futebol, de quem vocês não gostam e dizem que beneficiou o Benfica. Ó ignomínia! Nunca, em tempo algum, se viu o FC Porto ser ajudado, voluntária ou involuntariamente por árbitros, pelo que até percebo o azedume, mas sei que você é superior a tudo isso a encara o futebol com um fair-play capaz de fazer os ingleses corar de inveja.
Dizem que foi à Taberna da Esquiça com intuitos intimidatórios, interpretação da qual discordo veementemente. Basta olhar para a sua cara para concluir que é daquelas pessoas capazes de ir até Caminha só para comer uma lampreia à bordalesa no afamado restaurante Amândio ou rumar a Sul, a Cabanas de Tavira, ao incomparável restaurante Noélia & Jerónimo, para degustar umas pataniscas de polvo.
Acredito piamente em si quando afirma que entrou no dito cujo restaurante por sugestão de um amigo, que não sabia que o mesmo era propriedade do senhor pai do árbitro Jorge Ferreira, e que ficou agastadíssimo por não o servirem, a tal ponto que pediu o livro de reclamações e solicitou a presença da GNR no local.
Conta você que percebeu que algo não estava bem na Taberna da Esquiça quando viu as pessoas 'ficarem um pouco em pânico' com a sua presença. Claro que ficaram! Saber que os seus pratos iam ser avaliados por um gastrónomo emérito deixa qualquer nervoso e eles, medrosos, não se quiserem submeter ao seu exigente crivo crítico e vieram com a desculpa do futebol.
Repare que estou a escrever isto sem me rir - e mesmo que estivesse com essa expressão facial decorrente da contracção dos músculos das extremidades da boca isso não seria visível nesta missiva. Aliás, segundo amigos seus me confidenciaram você, Madureira, é fã do Mastercard Austrália, espectador assíduo do 24 Kitchen e o filme da sua vida é o Ratatui. Quando precisa de carne, da boa e de confiança, para confeccionar fondue, vai dereitinho a Vila Vrde, ao Talho do Mota, propriedade do senhor Manuel Mota, que por acaso é árbitro de futebol. E gosta tanto de 'chefs' que já comprou uns óculos igualzinhos aos de Heston Blumenthal, que, como é do conhecimento geral, é um mago da cozinha molecular. É também em função do seu desvelo pela arte da culinária que, enquanto líder da claque dos Super Dragões, utiliza para os seus adversários frases como 'até os comemos' ou 'vamos fazê-los em picadinho'.
Depois do jogo do Porto deste domingo contra o Belenenses, no Restelo, independentemente do resultado, já estou a vê-lo convidar o árbitro João Capela para irem ao Salsa & Coentros degustar uma empada do cozido do porco preto e um arroz de pombo bravo, brindando ao futuro do futebol e fazendo votos de amor eterno pela excelência da culinária.
Você, Madureira, é um incompreendido e eu compreendo que se sinta agastado com isso. Não ligue e dê-lhes com força (ler como uma metáfora.

Com os melhores cumprimentos,
Virgolino Faneca"

Joseph Goebbels não faria melhor !!!

Aquilo que escrevi na última Lixívia, e no post onde denunciei o tratamento diferenciado entre o Jonas e Mini na última jornada, foi mais uma vez confirmado hoje!!! E logo nas capas dos dois principais jornais desportivos nacionais! É vergonhoso a forma como se tenta branquear uma eliminatória da Liga Europa, onde Lagartos e Andrades, em 4 jogos, obtiveram 4 derrotas, com 1 golo marcado e 7 sofridos... e com os adversários a fazerem exibições q.b.!!!
Alguns Benfiquistas ingenuamente defendem que o Benfica só tem que estar preocupado com o que passa nas quatro linhas, mas eu recordo que com este barulho todo, já conseguiu inverter a ónus dos benefícios da arbitragem: o Benfica ao longo da época foi claramente a equipa mais prejudicada, não só no Campeonato, mas também na Supertaça e na Taça de Portugal...; sendo os mais beneficiados, têm conseguido passar a imagem inversa...!!!
Sendo que tudo isto, está a ser usado da forma mais descarada como Coação, sobre todos os agentes desportivos... E tudo isto só acontece, porque os pasquins, não só coniventes, são colaborantes e alguns casos são eles mesmo quem produz o 'material' propagandista!!!
Hoje foram vários os Benfiquistas a denunciar esta vergonha: Gauchos, Red Pass, Antitripa, Universo... não tenho muita paciência para escrever sobre a total falta de ética profissional dos responsáveis pelos pasquins... Só tenho pena do Benfica, continuar a ter relações 'normais' com esta gentalha e até lhes conceda entrevistas exclusivas regularmente!!!

Ao trabalho!

"O Sport Lisboa e Benfica saúda a eleição do novo presidente da FIFA e espera que Gianni Infantino, eleito esta sexta-feira, consiga recuperar o respeito para o órgão que superintende o Futebol mundial. O Futebol é um dos desportos mais praticados no planeta e, como ponto de encontro de culturas transversal a todos os estratos sociais, precisa de uma instituição com imagem renovada e credível.
Ao trabalho, Gianni Infantino!"


PS: Se calhar sou eu que sou desconfiado por natureza, mas muito sinceramente não acredito nas melhoras da FIFA... e não tenho nada contra o Infantino, mas os 'vícíos' das organizações são tantos, que parece impossível 'matar' o monstro!!!
E ao contrário do que se pode pensar, seria muito importante para a regeneração do Futebol português, existir lá fora, na UEFA e na FIFA, lideres respeitados... a bandalheira dos últimos tempos só dá força aos bandidos que nos rodeiam...!!!

Circo de feras

"As pressões sobre a arbitragem não são, infelizmente, novidade. Desde os tempos de Pedroto, recordo inúmeras situações em que os agentes desportivos tentaram, usando e abusando da comunicação social, condicionar o consciente e o subconsciente dos árbitros para os jogos seguintes. Outrora ou hoje, a receita é sempre a mesma, e bastante simples. Acusação, vitimização e queixume, tudo devidamente emoldurado numa sonora e persistente gritaria, capaz de transformar verdades em mentiras, e mentiras em verdades. Naqueles tempos, a coisa até tinha piada. Em 2016, confesso que já não lhe acho graça nenhuma. Com o avançar da idade, parece-me tudo demasiado óbvio, demasiado básico. E aquilo que os responsáveis do Sporting têm feito ao longo deste campeonato, de tão ridículo, chega a ser penoso. O ponto mais absurdo desta estratégia - e por si só capaz de descredibilizar todos os outros - terá sido a algazarra em torno da partida com o Tondela, onde uma boa arbitragem foi devastada pelos muitos apaniguados que o Sporting tem na comunicação social. 
Esta semana, mais do mesmo: um penálti assinalado a favor do Benfica, num lance difícil de analisar, e eis que se reabriu a torneira da desfaçatez, com o objectivo único de condicionar as arbitragens seguintes, nomeadamente a do próximo dérbi.
Quero acreditar que, em 2016, os árbitros não sejam tão maleáveis como há vinte anos. Isso deixa-me esperança de que todo este ruído não passe de folclore. Mas também é verdade que água mole em pedra dura tanto bate até que fura, sendo que neste caso, nem a pedra é muito dura, nem a água é muito mole."

Luís Fialho, in O Benfica

Vozes de burro

"Nas últimas semanas temos assistido a um acompanhamento mediático da carreira de Ricardinho, o melhor jogador de Futsal do mundo. Falou-se dos seus belos golos no Europeu da modalidade e da modesta prestação da seleção nacional, mas aquilo que realmente teve destaque nos jornais e sites desportivos foi o Benfica, o seu antigo Clube. Primeiro com a declaração de Ricardinho sobre o ordenado de Taarabt e, mais recentemente, a novidade dada pelo astro português de que o Sporting estaria interessado em contratá-lo. Ou seja, tudo o que possa surgir como um ataque ao SL Benfica tem honras de lugar nobre nas páginas virtuais e em papel. É assim com o maior Clube do mundo.
Não se questiona o facto de um clube que não tem sequer um pavilhão onde se possa jogar Futsal - e que está na situação financeira que tanta gente quer ocultar - poder ter 50 mil euros por mês para pagar a Ricardinho. Não se põe em causa que Ricardinho possa querer ir para uma agremiação que, nos últimos anos, o tem hostilizado e perseguido judicialmente. Não se pergunta como é possível o Futsal gerar, em Portugal, receitas para permitir que um praticante possa ultrapassar um milhão de euros (brutos) por ano em ordenados. Aceita-se que antigos dirigentes falem do que não sabem e apontem Daequan Cook, norte-americano do basquetebol do SLB, como exemplo de ordenados milionários, quando este valor equivale a uma décima parte daquilo que Ricardinho anuncia. Tudo é possível desde que o nome do Benfica venha à baila.
Pode ser que haja igual destaque na comunicação social e na net quando o Glorioso conquistar a final a quatro da UEFA Futsal Cup com uma equipa sem loucuras orçamentais."

Ricardo Santos, in O Benfica

Galardões Cosme Damião

"É com grande entusiasmo que participo anualmente na votação dos galardões Cosme Damião. Esta iniciativa, que rápida e meritoriamente se tornou imprescindível no âmbito da comemoração do aniversário do nosso querido Sport Lisboa e Benfica, é um veículo promotor por excelência da incomparável grandeza e inigualável glória do mais ecléctico e vencedor Clube português. Tanto que se torna injusto preterir da lista de candidatos modalidades e treinadores campeões, como é o caso do Atletismo, na categoria modalidades, e de Carlos Lisboa e José Jardim, nos treinadores, cujo trabalho desenvolvido ao longo da temporada passada se traduziu em plenos de conquistas nacionais e, no caso do Voleibol, houve inclusive a presença inédita numa final europeia. No futuro, se as temporadas, como todos desejamos, sejam de enorme e generalizado sucesso, sugiro que se alargue o leque de opções à escolha dos Sócios.
Passo a revelar a minha votação. Revelação: Renato Sanches; Formação: Basquetebol sub-16 e Sub-20; Modalidade: Voleibol; Atleta de alta competição: Nicolia; Treinador: Pedro Nunes; Futebolista: Jonas; Inovação: "Activação Emirates". Sobre esta última, considero de extrema importância fazer sentir aos nossos parceiros que o seu investimento no Clube é bem-vindo e estimado. No caso particular da Emirates, que se trata de uma marca global de reconhecida importância, importa relembrar, além do avultado montante envolvido, que a sua ligação ao Benfica ocorreu num período em que os nossos rivais se deparavam com dificuldades na angariação de um patrocinador principal. Aqui está um claro sinal do prestígio e notoriedade além fronteiras do SLB."

João Tomaz, in O Benfica

Justiça no futebol, uma tragicomédia

"O Sporting-Benfica da Taça de Portugal jogou-se no Estádio de Alvalade, a 21 de novembro de 2015. Ontem, 25 de Fevereiro de 2016, estando já pendente uma decisão sobre uma alegada agressão de Slimani a Samaris nessa partida, ficou a saber-se que vão ser enviados ao CD da FPF outras quatro situações do mesmo jogo com jogadores do Benfica a vestir a pele dos réus.
É evidente que, estando um Sporting-Benfica, que pode ser o jogo do título, marcado para o próximo dia 5 de Março, toda esta envolvência produz o efeito da gasolina sobre uma fogueira. Não irei usar este espaço nobre do jornal A BOLA para quaisquer considerando específicos sobre cada um dos lances. Porém, creio que a situação é por demais grave para que, no Editorial de A BOLA, se exija uma justiça desportiva que esteja de acordo com as necessidades da competição profissional. É literalmente impossível credibilizar o futebol ao mais alto nível em Portugal quando não existe a mínima preocupação em tornar célere e produtiva uma área fundamental como a justiça. Podemos ir à procura de culpas individuais que expliquem o estado das coisas e que nos acalmem as preocupações. Se o fizermos estaremos a fugir ao cerne da questão. A justiça do futebol, que só funciona se, entre outros atributos, for rápida e certeira, está entregue ao mais coubertiniano dos amadorismos; vive como se estivesse na primeira metade do século XX, quando não havia televisão nem computadores; e funciona segundo a vontade de umas quantas boas almas que se reúnem de vez em quando para deliberar sobre tão candentes matérias.
É hora de dizer basta!"

José Manuel Delgado, in A Bola

Vídeo-árbitro é bom sinal

"Era expectável que, à medida que se fosse aproximando o último terço do campeonato, aumentasse o tom de contestação em relação às arbitragens. Uma situação que, infelizmente, tem sido, habitual no futebol português, e que ganha maior ruído este ano; por termos três candidatos ainda com possibilidades de conquistar o título. A provável chegada do vídeo-árbitro às nossas competições talvez possa trazer alguma tranquilidade ao sector da arbitragem. Mas será isso suficiente?
Em primeiro lugar, no que respeita às críticas aos árbitros, é importante constatar 'o óbvio'. Quem mais chora, ou seja, os três grandes, são por norma os clubes mais beneficiados pelas arbitragens. Estão envolvidos nos jogos de maior mediatismo, onde se concentram as atenções de todos os adeptos, e acaba-se por omitir que os clubes mais pequenos são, na maioria das vezes, aqueles que tem maior razão de queixa.
Por outro lado, há a questão do erro humano. E isso vai sempre acontecer, fazendo parte da essência do jogo. Ainda esta semana no jogo entre Chelsea e Valencia para a UEFA Youth League, que foi decidido por grandes penalidades, vimos um golo dos espanhóis a ser invalidado, porque nenhum dos juízes (nem mesmo o de baliza) se apercebeu que a bola, depois de passar a linha de golo, embateu num ferro e voltou para trás.
O exemplo acima é precisamente um tipo de situação que poderá ser resolvido com o recurso ao vídeo-árbitro, cenário que parece estar em vias de ser testado em breve nas competições de nove federações internacionais, Portugal incluído. Cabe agora ao International Board decidir na próxima semana quando é que os testes poderão arrancar.
Aproveitar as novas tecnologias para auxiliar o difícil trabalho dos árbitros parece uma ideia muito positiva e vai ajudar a diminuir o número de decisões incorrectas, contribuindo para a verdade desportiva. E se esta situação for uma realidade ainda durante a presente época, bem que ajudaria a diminuir os níveis de contestação existentes. Em boa hora a FPF assumiu este desígnio de ser uma das federações pioneiras.
É importante também perceber que o vídeo-árbitro não vem eliminar os erros todos de arbitragem e erradicar todos os males, mas é um passo em frente, essencial para o futuro da modalidade e de uma indústria que movimenta imensos milhões. Certamente existirão lances de fora-de-jogo ou de grande penalidade, que nem com recurso a imagens permitirão decisões consensuais, pela sua complexidade. Basta ver o tão falado penálti cometido sobre Jonas no Paços de Ferreira-Benfica, que levantou opiniões diferentes entre especialistas, com a maioria a dizer que foi mal assinalado, mas com o observador do jogo a dar o lance como bem decidido.
É também por aqui que há por fazer algo pela arbitragem nacional. Tornar mais explícitas as avaliações que são feitas pelos observadores ao desempenho dos árbitros, para que não voltem a acontecer casos como os de Marco Ferreira, despromovido num ano em que foi nomeado para a final da Taça de Portugal. Além disso, um sistema de nomeações mais coerente parece ser necessário.

PS: Vítor Pereira vai deixar o Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) no final do mandato. Face ao rol de críticas que se vem acentuando onde para além dos clubes, segundo notícias recentes, parece haver também uma contestação interna no CA, a decisão não surpreende. O desgaste da liderança de Vítor Pereira era evidente."


PS: Têm sido vários os colunistas a escrever sobre o video-árbitro, após ter sido anunciado que Portugal vai ser cobaia numa experiência patrocinada pelo International Board.
Pessoalmente sempre defendi o vídeo-árbitro, muito antes da grande maioria dos actuais paladinos!

Agora, parece que se estão a esquecer daquilo que diariamente se passa nas televisões, rádios e jornais desportivos deste País, em alguns casos com ex-árbitros, supostamente especialistas independentes a passarem atestados de estupidez a todos os espectadores!
Com vídeo-árbitro o penalty do Naldo em Arouca será marcado?! O penalty e expulsão do Patrício com o Tondela serão assinalados?! O Jonas mesmo sofrendo um toque em Paços (como por exemplo o Pedro Henriques admitiu), será assinalado penalty?! (ou como o Pedro Henriques defendeu: houve toque, mas não o suficiente para ser falta)!!! O Slimani teria sido expulso no jogo da Taça com o Benfica?! A falta do Renato em Belém, no penúltimo ataque do Benfica, será suficiente para anular o golo do Jonas?! E o Almeida em Paços, anula-se o golo do Jota?!
Desconfio que com os 'expert's' nacionais à frente da TV o Benfica vai marcar talvez 10 golos por época (os outros 90 vão ser anulados!); e vamos uma média de 3 a 4 penalty's por jogo, contra...!!!