Últimas indefectivações

sábado, 15 de setembro de 2012

Jantarada dos Campeões !!!


Como já é tradição a Associação de Futebol do Porto, não se esqueceu de homenagear os verdadeiros Campeões deste futebolzinho Tuga !!! O rol dos antigos homenageados é ilustre, não deverá haver à face da Terra, prémio, entregue a gente mais nojenta, do que este...!!! Talvez em privado, organizações criminosas, tenham por hábito reconhecer, com homenagens, os serviços dos seus membros mais fiéis. Em público, só mesmo nesta Republica das Bananas é que isto é possível... e como o descaramento é total, até dão entrevistas!!!
Desta vez, com total justiça diga-se, foi a vez de Proença e dos seus lacaios... Ricardo Santos, mostrou-se realizado, já que o erro (que acabou por decidir o campeonato): "... serviu para evoluir..." !!!
O 'desdentado' disse ainda, que outros também cometeram erros!!! Eu por acaso, até concordo!!! Sendo que o maior erro, foi cometido pelo Benfiquista do Colombo!!! Não se devia ter ficado pelos dentes, devia ter terminado com o 'serviço'!!! Seria um verdadeiro serviço público...!!!

PS1: E como não podia deixar de ser, nas entrelinhas, continuam a tentar transmitir a ideia que este foi o único erro em toda a partida, quando os 90 minutos foram uma aula de ladroagem...!!!

PS2: As arcas do Reinaldo, esta noite, devem estar cheias...!!!

Hóquei Champions



Não foi mau o sorteio da Liga Europeia - a Champions do Hóquei !!! -, dos 3 cabeças de série que nos podiam sair, ficámos com o Reus - Barça e Liceo eram os outros -, acho que é o mais acessível.
No 'pote Italiano' - invenção minha !!! -, calhou-nos o Viareggio - os outros eram o Lodi, o Valdagno e ainda os espanhóis do Noia (ou do Blanes, depende do castigo do Liceo...!!!) -, que me parece o mais fraco - já estou 'farto' de jogar com o Lodi e fiquei farto do Valdagno nos Quartos-de-final na Final 8 da época passada!!!
Do último 'pote' ficámos com os Alemães do Cronenberg - os outros eram os Franceses do Quevert, ou do St. Omer, e os Suíços do Geneve -, neste 'pote' não havia muito por onde escolher, talvez para os Benfiquistas emigrantes as outras deslocações fossem mais interessantes, mas desportivamente pouco importa...

Tal como o ano passado temos 3 equipas de nível idêntico, para 2 lugares, portanto prevejo uma qualificação apertada. O calendário obriga-nos a vencer as primeiras 3 jornadas - 2 jogos em casa com o Reus e Viareggio e deslocação à Alemanha, depois na 2ª volta logo se vê...!!!

Calendário
1.ª jornada (10/11/2012):
Benfica – Reus
Viareggio - Cronenberg

2.ª jornada (24/11/2012):
Cronenberg – Benfica
Reus - Viareggio

3ª jornada (15/12/2012):
Benfica – Viareggio
Reus - Cronenberg

4.ª jornada (19/01/2013):
Viareggio – Benfica
Cronenberg - Reus

5.ª jornada (16/02/2013):
Reus – Benfica
Cronenberg - Viareggio

6.ª jornada (16/03/2013):
Benfica – Cronenberg
Viareggio - Reus

Contribuição moral e em notas

"A selecção está obrigada a devolver a auto-estima ao país?
O campeonato nacional está parado há duas semanas por força dos compromissos da selecção nacional que pretende assinar a sua quarta presença consecutiva em fases finais do Mundial de futebol. Não há adepto português, por mais pessimista, que admita a ausência da nossa selecção no Mundial do Brasil, em 2014.
Na teoria já lá estamos porque em português nos entendemos com os donos da organização. Na prática, a caminhada começou bem porque já estão somados seis pontos nos dois primeiros jogos. E, daqui até ao torneio no Brasil, ninguém se irá lembrar da exibição frouxa contra o Luxemburgo.
Muitos têm sido os títulos dos jornais apelando à selecção para que devolva aos portugueses, na medida possível, a auto-estima perdida com as agruras sociais dos tempos presentes. Aparentemente, cabe ao futebol e, neste caso, à selecção de Paulo Bento vingar nove milhões de portugueses, mais português menos português, do saque e das humilhações em curso decretadas pelos oligarcas da alta finança do mundo civilizado. O futebol a tudo se presta, docilmente.
Para aliviar as dores do país, em termos morais, a nossa selecção tem feito o que lhe pedem. Mas a contribuição do futebol para a “crise” não se fica por aqui. O futebol também vai contribuir em termos práticos, isto é, em notas.
Na sequência do contrato de trabalho assinado há uma década entre João Pinto e o Sporting, o Tribunal Criminal de Lisboa deu como provado o crime de fraude fiscal e para além das penas suspensas de prisão aos envolvidos – João Pinto, José Veiga, Luís Duque e Rui Meireles -, o Tribunal condenou-os individualmente ao pagamento de uma indemnização ao Estado no valor de 169.629 euros, o que é muito euro por cabeça.
Os condenados irão, naturalmente, recorrer das sentenças e nem a Luís Duque, alto responsável do Sporting, nem a João Pinto, alto responsável da Federação Portuguesa de Futebol, passa pela cabeça demitirem-se das suas funções actuais. João Pinto recebeu logo o apoio da estrutura dirigente da FPF e Luís Duque foi rápido a definir a sua situação em breves palavras: “são os ossos do ofício do Sporting”. Como é que Paulo Pereira Cristóvão foi na cantiga da demissão e não se lembrou de dizer uma coisa destas? Auto-estima em baixo, é o que parece."

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Palhaçada nº 9878526 !!!



Os 2 meses de suspensão para o Luisão não são surpresa para ninguém. As reacções em Portugal no próprio dia, assim o 'obrigavam'!!!
Agora, estamos perante mais um - dos muitos - malabarismos do Sistema:
O jogo foi particular, o árbitro simulou claramente um desmaio, o árbitro não expulsou ninguém em campo, o relatório não foi assinado pelos Clubes, o árbitro no relatório não fala em agressão, o relatório médico da clínica Alemã que 'tratou' o árbitro no final da partida desmentiu as afirmações do palhaço apitador - aliás facilmente visionando as imagens, sem ser especialista médico, percebe-se que não existiu qualquer desmaio!!! Resumindo: um autêntico Circo, onde o jogador do Benfica é o único castigado!!!
O Luisão não devia ter feito o que fez, o Luisão devia ser castigado, mas nunca com o enquadramento de agressão, ou tentativa de agressão. Se o Luisão tivesse sido castigado com a justificação de Comportamento Negligente, ou Comportamento Anti-Desportivo, aceitava-se...
O mais engraçado é ler e ouvir Benfiquistas, a achar justo o castigo, isto depois de toda a campanha premeditada para condicionar a decisão do CD, que teve na última semana, mais um capitulo, com o ridículo castigo ao Jorge Jesus!!!
A falta de memória é um dos grandes problemas de muita gente... num País minimamente civilizado, no limite até podia-se aceitar a argumentação contra o Luisão, mas em Portugal, onde um jogador que atira uma bota a um árbitro leva 2 jogos de castigo; num País onde um jogador dá três peitadas consecutivas a um árbitro e leva um  amarelo; num País onde um bando de bandidos persegue um árbitro de uma baliza à outra, e nada acontece; num País onde um Apito Dourado deu em quase nada; num País onde uma manada de incendiários resolveu atear fogo a um Estádio e 1 anos depois nada foi decidido; num País onde um dirigente deposita dinheiro na conta bancária de um fiscal-de-linha e nada acontece; num País onde treinadores e dirigentes tentam condicionar as arbitragens às claras, todas as semanas, e ninguém é castigado; num País onde um grupo de jogadores resolve agredir ao murro e pontapé, cobardemente, 2 Stewart's, e no final são castigados, com 10% do 'tempo' da pena mínima, com qual foram condenados!!! Etc., etc., etc,... Numa Republica das Bananas chamada Portugal, este castigo 'exemplar' ao Luisão, é só mais uma das muitas palhaçadas, cometidas pelos chulos e corruptos doutores deste País, invertebrados nojentos... e depois ainda há quem vá na conversa!!!
A próxima fase da vergonha, é a pressão que vai ser feita ao nível da FIFA para alargar o castigo às competições europeias. Quando esta tarde foi anunciado o castigo, ler os jornaleiros com orgasmos múltiplos, afirmar a pés juntos, que o Luisão não podia jogar a Champions, foi somente, mais uma cena desta novela cheia de 'maus-caracteres' e xico-espertos... que nem se lembram que o castigo do 'mostrengo verde' ter tido efeito somente em Portugal!!!

PS: Por falar em 'mostrengo verde' e... Admito: a derrota do Zenit neste final de tarde teve graça!!! Não ganho nada com este contentamento interior, mas soube bem...!!!

A não-inscrição

"O pensador José Gil explicou muito bem a sua tese acerca da não-inscrição na sua obra, já com uns aninhos, “Portugal, Hoje - O Medo de Existir”. José Gil atirou-nos à cara com a incapacidade que temos em fazer da experiência uma acção transformadora do real. Nada é, tudo é foi e a realidade acaba por ser uma espécie de espantalho de vento. Nada se inscreve, tudo é superfície, nada aconteceu nem acontece, tudo é conformismo e inércia. Se isso é Portugal, o futebol em Portugal é tudo isso com publicidade paga ao segundo e reportagens em directo.
Só assim se explica que o facto de um dirigente do Sporting ter enviado um funcionário seu depositar dinheiro na conta bancária de um fiscal-de-linha antes de um jogo que envolvia o referido clube e o dito fiscal ter ficado, como diria Alexandre O’Neill, numa “coisa em forma de assim”. Ou seja, passou, não se inscreveu, foi com a espuma dos dias. E o que dizer das inconsequências para o acto criminoso que gente identificada perpetrou ao atear fogo a uma bancada do nosso Estádio da Luz? Tudo passou, nada ficou. E o tal Sr. Costa que, há poucos meses e de acordo com os relatos públicos de um jornalista agredido, esbofeteou publicamente o dito e ainda gozou com a situação? E as acusações do mano Oliveira mais novo que repetidamente garante que o mano Oliveira mais velho manipula os títeres engravatados que decidem os destinos do futebol português? E os juízes que, nos camarotes, combinam com os réus as absolvições douradas entre apitos, charutos e gargalhas? E os agentes da PJ que previnem atempadamente os suspeitos do dia e hora das buscas domiciliárias? E os dirigentes desportivos e federativos sentenciados a penas suspensas de cadeia?
Nada disto aconteceu. Foi público, visível e nada disto foi real, porque nada disto se inscreveu e tudo é fátuo. Onde nada se inscreve fica a dor sem cicatriz e sem redenção. Eis Portugal, eis o futebol português."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Acabar com a euforia escocesa

"Os portugueses agora suspiram para que não haja jogo da selecção nacional, desde que passou a ser padrão meia hora antes anunciar as medidas de austeridade que lhes serão impostas. A violência do anúncio da última sexta-feira foi tal que serão poucos os que se lembram do resultado contra o Luxemburgo, e terça-feira o ministro das Finanças acrescentou razões para que o jogo contra o Azerbaijão fosse pouco importante. Bem percebo os jogadores da selecção a atirar à trave sem parar, estavam em linha com o país. Paulo Bento, no entanto, manteve a selecção na rota do triunfo e está de parabéns, mesmo percebendo que teremos de jogar muito mais para vencer a Rússia. Muito bem também a federação ao optar por preços económicos para os bilhetes e assim conseguir um estádio cheio. Numa altura de aguda crise económica e social algum bom senso das instituições e dos responsáveis é fundamental.
Na sequela das saídas e do fecho de mercado, tivemos um Benfica-Bétis para treinar, manter o ritmo e melhorar rotinas. Foi um jogo morno onde as melhores indicações vieram de Matic.
O castigo de Jorge Jesus foi o golo fora de jogo na Luz que valeu um campeonato, não foram 15 dias de suspensão.
O Benfica inicia na quarta-feira, no mítico Celtic Park, a sua difícil caminhada Europeia, não vejo razões para não acreditar, apesar das muitas dificuldades. Num ambiente absolutamente único, talvez mesmo o mais fantástico e saudável de todos os palcos mundiais de futebol, que venham pontos e golos para as nossas cores. O Celtic é o menos favorito do grupo e por isso aquele com quem é mais importante não perder pontos. Numa altura em que a Escócia está em alta, com Andy Muray e a sua inédita vitória no US Open para gáudio de Sir Alex Fergunson e Sir Sean Connery, bem pode o Benfica travar esta euforia escocesa."

Sílvio Cervan, in A Bola

Maxi, um dos nossos...


Nos dias de hoje é arriscado confiar nas relações sentimentais entre jogadores os Clubes e os respectivos adeptos... mas existem excepções que confirmam a regra: o Maxi não engana, a mim nunca me enganou...

Hillsborough, revisitado...



Existem acontecimentos que por razões desconhecidas nos marcam mais do que outros... apesar da tragédia de Heysel (1985) ter tido um tratamento mediático mais 'barulhento' na altura, pessoalmente fiquei muito mais impressionado com a tragédia de Hillsborough (1989)... Se em Heysel assistimos a um acto criminoso cometido por alguns - premeditadamente ou por negligência... -, em Hillsborough aparentemente tinha sido um 'acidente', e se calhar por isso, como espectador futebolistico 'profissional' - desde de sempre -, senti-me mais próximo de Hillsborough. Numa altura onde a organização dos jogos era mais amadora, também passei por alguns 'apertos' - a sensação de andar pelo 'ar', empurrado... ou comprimido numa multidão, sem 'vontade' própria, é algo que não se esquece facilmente... -, talvez por isso, por poder ter-me acontecido, Hillsborough marcou-me.
Acompanhei de perto toda a polémica que se seguiu... Com os adeptos do Liverpool a acusarem a organização e a policia, desde do primeiro minuto... Mas com a fama que os hooligans de Liverpool tinham desde Heysel, foi fácil 'empurrar' todas as responsabilidades para cima dos adeptos... Não foi por falta de testemunhos, que a investigação não apurou a verdade, fizeram-se inclusive documentários apontando as falhas da organização e as incongruências do relatório oficial inicial...
Mas foram precisos 23 anos, para finalmente as autoridades reconhecerem a VERDADE. A Policia Inglesa, infelizmente, já tem um curriculum longo de encobrimentos, mas também é verdade que a sociedade Inglesa tem esta extraordinária capacidade de não deixar enterrar as questões e reconhecer os erros, nem que seja 23 anos depois!!!
Foram vendidos bilhetes a mais, os adeptos queriam ocupar outros sectores mas a organização empurrou-os a todos para o mesmo, quando a Polícia temia a existência de problemas fora do Estádio, alguém resolveu abrir uma porta que devia estar fechada e que encaminhou os adeptos para um sector que já estava cheio, a Policia inicialmente não permitiu que os adeptos fugissem para o relvado, a segurança passiva do recinto também não ajudou, a coordenação da acção de socorro foi péssima... 41 vidas podiam ter sido salvas, se o socorro tivesse sido feito com eficácia...!!!







No Estádio da Luz, nas últimas épocas, principalmente nos jogos com os Corruptos, a PSP tem tido atitudes absurdas, provocatórias, chegando mesmo a incentivar a violência... Em todos os Clubes existem adeptos indesejáveis, infelizmente o Benfica não é excepção... mas aquilo que tem acontecido junto da Estátua do Eusébio - recentemente baptizada Praça dos Heróis -, quando os adeptos Corruptos estão a entrar no Estádio a centenas de metros de distância, é ridículo. A carga policial dentro do espaço comercial foi criminosa, felizmente não houve fatalidades - mas houve feridos graves... -, como é costume em Portugal, o encobrimento tem sido total - com a comunicação social a ajudar... com os jornaleiros 'infiltrados' na Polícia de Intervenção, a passarem a imagem de 'zona de guerra'...!!! -, em vez de se questionar as razões dos conflitos, fazem-se julgamentos baseados em preconceitos, misturando tudo... ao não separar os actos criminosos ou de vandalismo cometidos nos recintos desportivos, com os excessos de 'zelo' policiais, que acontecem no Portugal desportivo, mais vezes do que aquilo que as pessoas podem pensar (por exemplo Setúbal-Benfica à 2 épocas!!!), estamos a ser cúmplices de uma situação, que no limite pode-se transformar num Hillsborough II !!! Se ninguém assume os erros, não se pode melhorar os procedimentos...

O pedido de desculpa do Primeiro-Ministro Inglês (personagem que até nem gosto...) é um exemplo de como numa verdadeira Democracia, com uma sociedade livre, com uma comunicação social agressiva e sem medo, se pode ambicionar Justiça para todos... nem que seja 23 anos depois!!! Em Portugal, se daqui a 23 anos, alguém reconhecer o estado totalmente Corrupto do desporto Português já ficava feliz, mas nem com as principais personagens enterradas, isso vai acontecer... afinal de contas estamos em Portugal!!!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

A Selecção não é o clube do regime (fica esta nota para o futuro)

"Uma lástima, nos seus detalhes, o castigo a Jesus. Temo, para compensar, degredo disciplinar de 10 anos na Sibéria para Luisão

NA noite de terça-feira, 15 minutos antes do pontapé de saída do jogo da selecção portuguesa, um governante anunciou ao país um pacote brutal de medidas anti-populares.
Assim que acabou de falar tocou o Hino no estádio de Braga e começou a bola a rolar.
O futebol é o ópio do povo, já se sabia. A cartilha é a mais bafienta mas terá sempre os seus aprendizes.
No entanto, em nome da decência e da mais elementar justiça, espera-se que no futuro, não apareçam uns idiotas a dizer que a selecção nacional foi o clube do regime.
Há gente capaz de tudo.

AS recentes vendas de Hulk e de Witsel ao Zenit de São Petersburgo produziram na nossa sociedade um milagre bem mais difícil de antever do que o das fortunas pelas quais foram transaccionados os dois jogadores.
Sem cair no pecado das generalizações, é caso para se dizer que, por uma vez na vida, muitos adeptos do FC Porto e do Benfica, por vibrarem mais com o futebol-jogado do que com o tráfego dos milhões, puseram-se de acordo em considerar tão ridículas quanto lamentáveis a gabarolice e as trocas de acusações entre os seus dois emblemas no que diz respeito à esperteza e ao volume dos respectivos negócios.
Lendo os comunicados e contra-comunicados do Benfica e do FC Porto, ouvindo falar alguns responsáveis, é-nos sugerido em palavras vibrantes um facto novo e de que ninguém estaria à espera: ao fim de uns quantos anos, com a transfiguração dos clubes em SAD's o objecto dos seus responsáveis e accionistas maiorias deixou de ser desportivo e passou a ser comercial.
Em poucas palavras: os adeptos do FC Porto e do Benfica choraram sa saídas de Hulk e de Witsel tendo bons motivos para isso e os dirigentes do Benfica e do FC Porto festejaram-nas rijamente e sem pudor, tendo também bons motivos para isso.
Haverá também, naturalmente, adeptos que se dispõem a seguir de alma e coração estes duelos financeiros com o mesmo fervor com que seguem as competições desportivas e, incrivelmente, por singular osmose, quase sentem entrar nos seus mais ou menos esfarrapados bolsos a batelada de milhões encaixada por sociedades anónimas onde não têm assento.
Assim acontecendo, a alienação dos activos será sempre bem recebida por uma batelada de indefectíveis alienados desde que as notas lhes surjam, na imaginação, pintadas ou de vermelho ou de azul, conforme os gostos.
Saiu da forja, portanto, e veio para ficar um novo campeonato capaz de despertar paixões: o da caixa registadora. Parece que é o Benfica que vai à frente nesta prova. É, sem dúvida, uma liderança heróica à custa de danos colaterais no meio campo da equipa pretendente ao título de futebol.
Isto está mau para os românticos quando a saída de jogadores importantes passa a ser encarada como inevitáveis episódios de danos colaterais.
Os 40 milhões por Witsel e os 40 milhões por Hulk tiveram um impacto tal nas conversas de café, na imprensa, na sociedade, alcandorando o Benfica e o FC Porto a um patamar de luxo e de suprema distinção, que a SAD do Sporting, para não ficar atrás e poder dar uma alegria aos seus adeptos, renovou em 48 horas o contrato com Adrien e anunciou garbosamente a adenda da felicidade: uma cláusula de rescisão no valor de 40 milhões. Nem um cêntimo a mais num um cêntimo a menos.
É caso para se dizer, no final de contas, que o grande vencedor deste campeonato da caixa registadora nem foi o Benfica nem foi o FC Porto. Foi Adrien. Tem graça como numa guerra destas entre dois arquirrivais a vitória acabou por tombar para um observador alheio. E nem se pode falar em danos colaterais. Acabou tudo em bem para todos, ainda que o Sporting, ao contrário de Adrien, tenha de esperar.

Teve de vir um jornal inglês, 'The Guardian', explicar por que razão falhou à última hora a transferência de João Moutinho para o Tottenham. Acontece que a Liga inglesa não permite participação de terceiros nos passes dos jogadores e 15 por cento dos direitos económicos do jogador pertencem a um investidor.
Ah, a Inglaterra...

NOTÍCIAS mais recentes desmentem vibrantemente que tenha sido o Benfica ou, muito menos, o FC Porto a conquistar o título de campeão da caixa registadora no fecho do mercado de Verão. Afinal, estava toda a gente muito bem enganada.
O campeão foi o Sporting.
Não interessa que em Alvalade não tenham facturado tanto, ou metade, ou um terço, ou dois quintos do que facturaram Benfica e FC Porto. Isso são amendoins.
O que interessa é que se não facturaram foi porque não quiseram. Não lhes apeteceu. O presidente Godinho Lopes veio a público anunciar que tinha recusado seis propostas do estrangeiro para igual número de jogadores. A sorte ajuda os audazes. A vida sorri.

A caminhada para o Mundial do Brasil começou bem com duas vitórias nos dois primeiros jogos. O que querem mais? Tratasse-se de um campeonato do mundo de tiros aos postes com certeza já estaríamos apurados e com distinção. Só contra o Azerbaijão foram 5 vezes em cheio no poste e qual delas o melhor. Ou terão sido 6? Tanto faz, na verdade.
O primeiro jogo desta saga, no Luxemburgo, na semana passada, foi um grande aborrecimento. Com o devido respeito, o melhor momento nacional foi o golo do Luxemburgo da autoria do luso-luxemburgês Daniel da Mota, contabilista de profissão. Coube-lhe o melhor momento artístico da noite à custa de João pereira e de um remate de autor. O nosso meio-compatriota voltou na terça-feira a marcar na Irlanda do Norte e o Luxemburgo empatou o jogo.
Anteontem foi diferente, para melhor, a exibição da equipa portuguesa que esteve perto de golear não fossem os malditos postes. O Sporting de Braga ofereceu o estádio à selecção e, como se não bastasse, ofereceu o banco inteiro à selecção. Eram 6 jogadores do Braga à espera de entrar. Entraram dois, Ruben Amorim e Éder, mas a entrada que mexeu com o jogo foi a de Varela, o chaveiro da selecção.
Os Paulos Bento estão no bom caminho, essa é que é essa.

UMA lástima a demora de meio ano para aplicar uma suspensão de 15 dias num espaço sem competições. É tudo tão excessivamente ridículo que só pode ter um propósito. Depois disto e para compensar, temo que o Luisão se arrisque a um degredo disciplinar de dez anos na Sibéria.
É uma situação que, por absurdo, faz lembrar uma outra que ocorreu precisamente há um ano. Ou seja, por esta altura do campeonato. O Benfica ganhou na Luz ao Vitória de Guimarães com três grandes penalidades assinaladas pelo árbitro Duarte Gomes. Ainda a procissão não tinha saído do adro e os adversários do Benfica clamavam contra a superior influência dos da Luz no sector da arbitragem.
E depois foi o que se viu quando a procissão chegou ao adro.
Neste momento o Benfica não se livra da fama de mandar na Justiça da Federação Portuguesa de Futebol. Temo o pior para o Luisão.

ONTEM, em Portimão, o Benfica empatou com o Bétis de Sevilha num jogo-treino. Aos 35 minutos da primeira parte, Matic caiu no chão agarrado a um joelho e o comentador da Benfica TV, que transmitiu o jogo, assustou-se e assustou-nos com a eventualidade de uma lesão do sérvio.
Afinal não passou disso mesmo, de um susto.
Mas deu que pensar. O que será do meio-campo do Benfica quando o Matic se lesionar? Ou estiver impedido de jogar?
Voltaremos aos saudosos anos 60, quando o Benfica e os outros todos jogavam em 4x2x4? Será que Jorge Jesus vai conseguir o milagre do anacronismo em 2012? Uma coisa é certa: temos jogadores para fazer duas linhas avançadas. Importante era que começassem a acertar na baliza."

Leonor Pinhão, in A Bola

E agora?

"Compreendo os dilemas das principais equipas portugueses entre manter um jogador fundamental ou realizar um excelente encaixe financeiro. E o desconforto dos adeptos que, no fundo, sempre querem a impossível quadratura do círculo: manter os craques e reforçar os cofres dos clubes.
Concentrando-me apenas no meu clube, solidarizo-me com as declarações do presidente ao referir-se à angústia perante o dilema da '25ª hora' do mercado. Fez bons (e provavelmente inevitáveis) negócios que desafogam os próximos tempos. Todavia, a equipa está tendencialmente mais debilitada. Ou melhor, mais desequilibrada. A saída simultânea de Javi e Witsel não é fácil de colmatar. Sobretudo para o palco europeu.
Foi de todo imprevisível a saída destes dois jogadores? Certamente que não. E, por isso, me interrogo sobre um plantel que tem uma catadupa de extremos (aplaudo, mesmo assim, o regresso do excelente Salvio) e que contrata um suplente avançado por um valor que não deu por um lateral esquerdo. Imagino, com preocupação, uma situação de lesão ou castigo simultâneos de, por exemplo, Matic, Aimar e C. Martins.
O desfecho do defeso foi o oposto do esperado e anunciado. Defesas laterais nem vê-los, a não ser a esperança adaptada Melgarejo. Ola John junta-se a Gaitán que afinal ficou. Cardozo não sai e Lima custa mais do que um lateral. Planos a mais e planeamento a menos e ao sabor da improvisação do dia seguinte?
Costuma-se dizer que um jogo se ganha com um grande ataque (e o SLB tem-no abundantemente), mas um campeonato só se ganha como uma grande defesa e meio-campo. Este é o grande desafio de Jorge Jesus."

Bagão Félix, in A Bola

Grande galo !!!



Sorte maldita, dificilmente poderíamos ter tido um sorteio mais difícil, recordo que só o primeiro classificado passa à Final Four... Vamos encontrar na Ronda de Elite da UEFA Futsal Cup (Grupo D):
Gyori ETO (Hun)

Os Campeões Italianos - Luparense -, são velhos conhecidos - e por acaso temos bons resultados com eles... -, mas temos sempre que contar com o seu famoso cinismo, e eficácia... O Húngaros - ETO -, supostamente seriam os mais acessíveis, mas olhando para os resultados da 1ª fase, ficamos a saber, que ficaram em 1º lugar no grupo, à frente do Araz!!! Os Georgianos - Iberia Star -, vão jogar em casa, têm experiência nesta competição - o ano passado empataram com os Lagartos em Odivelas -, e praticamente todos os jogadores são Brasileiros... Arrisco mesmo um prognóstico: apesar do favoritismo teórico do Benfica e do Luparense, todas as equipas podem passar...!!!

O Futsal do Benfica faz hoje 11 anos... não merecia uma prenda destas, ainda por cima, olhando para os Grupos A e B, ficámos mesmo com a fava...!!!

Grupo A:
Barcelona (Esp)
Litija (Esl)
Araz (Aze)
Split (Cro)

Grupo B:
Kairat Almaty (Caz)
Ekonomac (Ser)
Slov-Matic (Svk)
Chrudim (Che)

Grupo C:
Murcia (Esp)
Dinamo Moscovo (Rus)
Lviv (Ucr)
Riga (Lit)

Grupo D:
Benfica
Luparense (Ita)
ETO (Hun)
Iberia Star (Geo)

PS: O problema familiar do Ricardo Fernandes acabou da pior forma... desconheço qual foi o acordo feito com o jogador, nem sei se o ingresso no Benfica está a ser ponderado para esta época. Mas depois deste sorteio, creio que é importante neste momento afirmar, que o Ricardo Fernandes seria uma peça fundamental para o Benfica entrar nesta competição com melhores probabilidades de sucesso - falta cerca de 1 mês -, nem sempre as coisas correm como nós queremos, mas temos que olhar em frente...

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Justo...



Benfica 1 - 1 Bétis

Matic, o melhor em campo... ontem, esteve no banco no jogo da sua selecção, viajou, e hoje jogou muito bem. Além do golo, Gaitán, mostrou vontade de reconquistar o seu lugar na equipa... Defendi a venda do Nico, mas admito que apesar da sua irritante irregularidade, nos jogos decisivos, esteve quase sempre bem...
Não gostei da utilização do André Almeida a defesa-direito. Não está em causa a clara evolução do André esta época, nem sequer o seu rendimento esta noite. O Benfica precisa de um Plano B defensivo na zona central do meio-campo. O André é neste momento a melhor opção para fazer dupla com o Matic, num esquema mais defensivo. O André tem que jogar no meio-campo.
A estreia do André Gomes - logo substituindo o Aimar!!! - foi meritória. Tem uma qualidade de passe, muito acima da média... mas ainda demonstra inexperiência: na pressão alta do Benfica, foi ultrapassado com demasiada facilidade; e foi surpreendido pela pressão dos adversários, 'pelas costas'. Em jogos mais fáceis poderá ser opção, mas não é um reforço de 'músculo' no meio...
O Lima demonstrou vontade, mas pouco entrosamento... creio que o Lima vai combinar melhor com o Cardozo (ou mesmo jogar sozinho) do que com o Rodrigo: são demasiados parecidos!!!
A timidez do Ola John nos confrontos físicos continua, o Bruno César está pouco rodado, o Miguel Vítor deverá ser a opção para Glasgow, até porque o Celtic vai apostar tudo - ou quase tudo - nas bolas paradas, o Melga continua a evoluir, o Luisinho entrou bem, o Jardel teve nervoso, o Aimar jogando a '8' não pode arriscar os toques artísticos, o Nolito precisa de um golo para 'acalmar'!!! O melhor Rodrigo está de volta... Artur, com boas defesas, mas levou com um 'chapéu' que ninguém gosta de levar, Salvio em poupanças e Luisão à patrão...

Nem num jogo particular o senhor Hugo Miguel consegue esquecer a alergia ao vermelho, o Bétis é uma boa equipa, troca bem a bola, tem jogadores aguerridos, mas também gostam de dar no 'pau', e com os apitadores a ajudar... felizmente, parece que ninguém se lesionou.

Perplexidades

"1. Além da inconsistência de o mercado fechar com os campeonatos a decorrer, por que razão há mais uns diazitos para a Rússia? Não pertence à UEFA? Será um prémio à plutocracia russa? Uma pequena diferença que faz toda a diferença: ficam sós e sem concorrência a socorrer clubes aflitos e atletas frustrados!
2. Estou curioso sobre a posição que a CMVM vai tornar (?) quanto ao negócio Hulk. A bem da transparência dos mercados. Como, aliás, o exigiu - e bem - ao Benfica numa certa operação há tempos.
3. Se o FCP comunicou que receberá 40 milhões por 85% dos direitos de Hulk, a aritmética é implacável: 100% são 47,058 milhões. Cadê o resto para os tão propalados 60 milhões?
4. Ao contrário dos órgãos de soberania democraticamente eleitos, os árbitros e ajudantes não podem ser objecto de remoque sob pena de o autor do delito de opinião ser castigado. A liberdade de expressão no futebol está ainda no tempo das trevas.
5. Paradoxalmente, não se podendo criticar depois dos jogos, são admissíveis todas as formas explícitas e camufladas de pressão e condicionamento antes dos jogos.
6. J. Jesus foi apanhado neste regime inquisitorial: 15 dias de castigo por um'delito' de há 6 meses, que coincide com um período sem jogos. Independentemente da injustiça do castigo, porque não se aplica aos treinadores o sistema de punição por jogos e não por tempo, como acontece com os jogadores?
7. O anúncio da Cidade do Futebol no Jamor (10 milhões!) foi presidido por um governante quase ao mesmo tempo que o seu chefe anunciava mais uma dose brutal de austeridade!
8. Cristiano Ronaldo tem andado triste..."

Bagão Félix, in A Bola

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Coisas com alma



"A camisola e as botas do médio centro que deu a mística ao Benfica

Quando, há uns anos, me deparei com as botas de Cosme Damião, apostei comigo que as chuteiras de hoje seriam facilmente consideradas no tempo dele sapatilhas de ballet. Acredito por contraponto, que um Ronaldo com as botas de Cosme teria provavelmente a mesma sensação que um bailarino de socas. Mais recentemente, admirei de perto a camisola do homem que representa como ninguém a alma benfiquista. Igualzinha às primeiras que o clube comprou num alfaiate em Alcântara. Fabricadas em flanela, garantiam o efeito de sauna durante o verão e o de esponja nos dias chuvosos e lamacentos do Inverno. Com o futebol do século XXI em mente, a primeira coisa que me ocorre quando olho para uma camisola como a de Cosme Damião é a de que ela se encontra despida. Despida de tudo o que veste hoje uma camisola de futebol. Despida do emblema. Despida do número. Do nome. De todo e qualquer signo mercantil. Despida, tal como veio ao mundo em 'mil novecentos e troca o passo'. Simplesmente, despida. Mas toda vestida de alma!
Tenho de admitir que as camisolas modernas trouxeram o conforto, eliminando problemas como a 'sauna' e a 'esponja', mas, ainda que respeite outras ideias e compreenda as exigências da indústria futebolística, confesso que gostaria de ver jogar o Benfica sempre de vermelho e sem reclames, bem como gostaria que se (re)adoptasse exclusivamente o branco para o alternativo. As nossas cores, criteriosamente escolhidas por Cruz Viegas em 1904, foram eleitas por serem 'as que melhor se fixam na retina dos jogadores nos ardores da luta'. Em resumo, as nossas cores vestem a nossa identidade.
Passa-se com as botas mais ou menos a mesma coisa. As clássicas, de cor preta, têm gradualmente vindo a ser substituídas por um arco-íris esquisito, que vai do branco à 'cor-de-burro-quando-foge'. Hoje, os jogadores trocam de botas a toda a hora, ao invés de antigamente, quando eram as botas que trocavam de jogador. As do tempo em que nasceu o Benfica eram dispendiosas, de execução complexa, mas feitas para durar uma vida! Só para se ter uma ideia, o antigo guarda-redes Inglês John Robinson, contemporâneo de Cosme, chegou a fazer mais de 400 jogos, durante oito épocas consecutivas, com o mesmo par! Quando as arrumou, garantiu que estavam em condições de realizar outros tantos.
É, todavia, preciso dizer que estrear umas botas naquele tempo era o mesmo que ter ferrada nos pés uma matilha de cães raivosos. Na literatura técnica do futebol de então constavam avisos como: 'Nunca entres em campo com um par de botas novo!' Sugeria-se que se retirassem os pitons e se utilizassem como calçado normal, se possível em condições atmosféricas adversas e terrenos acidentados. Só depois e que estariam em plena forma.
Quem não esteve para se arreliar com isso foi a selecção de futebol da Índia, que, em 1950, disputou descalça toda a fase de apuramento para o Mundial, no Brasil. Quando tocou a reunir no país da ordem e do progresso, veio a FIFA e estipulou imediatamente a autocracia da bota, colocando em situação condicional o povo de Ghandi:
'Se querem sambar, tratem de vestir os pezinhos'. Ai é? Fiel ao princípio da autodeterminação desportiva, a Índia fincou mais do que nunca os pés no chão e decidiu preservar a sua ideia romântica de futebol com alma.
Mais ou menos a mesma que sustentou o sonho de Cosme e de todos aqueles que o acompanharam no tempo da baliza e do balde de cal às costas. Mais ou menos a mesma que fez de um clube humilde e descalço o mais português de Portugal."

Luís Lapão, in Mística


Paralímpicos...

Popularidade...

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Não matem a cegonha!

"O Olhanense tem uma cegonha como mascote. Boa escolha. A cegonha é um pássaro simpático, anunciador de meninas e de meninos, de voo bonito e ninho vistoso. Não passa pela cabeça de nenhum ser minimamente humano querer matar cegonhas. Houve tempos tristes em que estiveram à beira da extinção. Nesse tempo dir-se-ia delas o que Harper Lee dizia da cotovia: Por favor não matem as cegonhas! E as pessoas decentes deram ao bicho pernalta uma nova vida. A cegonha do Olhanense ainda não é bem como a águia do Benfica, não voa de asas largas em redor do estádio para pousar depois no sítio escolhido pelo seu tratador. É uma cegonha mais abonecada, chamemos-lhe assim, com um homem dentro a dar-lhe vida e movimento, acenando aos adeptos e alegrando as crianças. E assim, com homem e tudo, seria ainda mais lógico que não passasse pelo bestunto de um qualquer imbecil a ideia de a matar. Mas passou. Ou quase.
Segundo rezam as crónicas, o imbecil lançou-se ao pescoço de cegonha e arrancou-lhe a cabeça, ficando muito perto de arrancar a cabeça ao pobre infeliz que nela se escondia.
Geralmente a imbecilidade e a desonestidade andam de mãos dadas. Sem cabeça, indefesa, a cegonha, ou o homem no seu interior, ficou à mercê do criminoso. E viu desaparecerem-lhe a carteira e o telemóvel.
Pois é: que porcaria de mamífero se lembraria de assaltar uma mascote? Esse mesmo que se deu ao trabalho de viajar até ao Algarve sabe-se lá com quantas mais malfeitorias na agenda. Os jornais descrevem o acto vil, mas não põem o nome ao boi. Dizem-nos só o clube do qual o animal é adepto. Mas isso já todos sabemos, não é?"

Afonso de Melo, in O Benfica

Objectivamente (início de época...)

"Os benfiquistas têm razão para estar contentes neste início de época. Não apenas pelo Futebol - com a equipa a dar mostras de ser capaz de conseguir grandes resultados, quer a nível nacional, quer internacional - mas também pelas modalidades onde o Benfica conseguiu dois importantes títulos este fim-de-semana. No Andebol, Supertaça conquistada aos nossos eternos rivais de Alvalade e no Futsal com a conquista de mais um troféu dando oficialmente o Benfica como o Clube mais titulado do Futsal português.
Esta Supertaça é o título nº18 do Glorioso, confirmando, assim, a sua superioridade nos últimos anos sobre o Sporting que, tradicionalmente, liderava a modalidade. E o Benfica mostrou também o seu potencial a nível internacional com o título europeu conquistado em 2010 na UEFA Futsal Cup.
Cumpre-se assim mais uma promessa da actual Direcção de trazer de volta as chamadas «modalidades amadoras» aos títulos e ao mais amplo ecletismo que o Benfica sempre teve e que outros nos quiseram tirar sem poder para isso.
De realçar a grande organização no Centro de Desportos e Congressos de Matosinhos onde a festa e o fair-play marcaram nota positiva com cerca de 2000 espectadores a vibrarem com o espectáculo. Uma nota que sensibilizou os nossos adversários foi o túnel de honra que os jogadores do Modicus percorreram sob aplausos do Campeão Benfica com o público a sublinhar esta nobre atitude do Benfica! É assim que o Desporto deve ser.
No Andebol o técnico, Jorge Rito, estreou-se nas conquistas pelo Benfica e o clube arrecadou a sua quarta Supertaça batendo o Sporting na final em Fafe. O actual técnico 'encarnado' já não ganhava desde 2008, com o ABC de Braga, e ingressou no clube certo para voltar às conquistas.
Os adeptos foram extraordinários no apoio à equipa e ficou mais uma vez provada a grande força do Benfica em todo o norte do País.
Mal terminou o jogo houve invasão pacífica e emocionada dos adeptos que festejaram com os jogadores e equipa técnica e foram ao rubro quando Carlos Carneiro, o capitão, levantou a Taça.
Este é o Benfica ecléctico e ganhador que todos queremos."

João Diogo, in O Benfica

Rumo certo

"Sexta-feira, 31 de Agosto. Em gozo de férias, a opção recaiu no Porto, bem no coração da cidade. Em plenos Aliados, uma banda de música latino-americanos fez as delícias da noite. Surpreendidos com a minha presença, muitos transeuntes abordaram-me, tanto mais que era o dia do fecho das inscrições de Verão.
'O Vieira não deveria ter vendido o Javi', confesso que ouvi da boca de um adepto. Objectei de pronto, ainda que a saída dos quadros do Clube do médio espanhol me provocasse um sentimento de aperto emocional. 'Então não foi um bom negócio?' ripostei, que acaba de se comprometer com o Benfica, tão namorado pelo FC Porto, não conta?', joguei ao ataque.
O meu interlocutor, passe a imodéstia, pareceu-me convencido e, mais ainda, quando lhe dei conta de que o presidente Luís Filipe Vieira poderia, num ápice, engordar os cofres, mas havia optado (e bem) por manter, no essencial, a estrutura da equipa. A transferência ulterior de Witsel acabou por ser uma inevitabilidade, constituindo-se na maior transacção financeira do historial benfiquista.
A temporada começou. O empate caseiro, frente ao SC Braga, não satisfez, mas as prestações subsequentes, ante o V. Setúbal e o Nacional, foram de molde a inspirar confiança. Melhor, muito melhor, a recepção (volto a falar em imodéstia) que tive no Norte, em plena cidade do Porto. Tantos e tantos benfiquistas se me dirigem, sempre com declarações de incentivo, de entusiasmo.
A minha ideia, tantas vezes dita ou escrita, está mesmo provada. Qual é o maior clube do Norte? Inesquestionavelmente, o Sport Lisboa e Benfica. Até no centro da cidade do Porto se respira mais vermelho do que azul. E viva o Porto... vermelho. De coragem, de prazer, de ambição, de certeza."

João Malheiro, in O Benfica

Gregos, viram-se Gregos... com os miúdos do Benfica !!!




Aris Salónica 0 - 1 Benfica B

Mais um teste ultrapassado, com grande classe... mesmo sem alguns dos habituais titulares (André Almeida, André Gomes, Cancelo...) a equipa voltou a exibir um futebol agradável... concentrados, agressivos, competitivos, lutadores...
O adversário - equipa que regularmente se qualifica para as competições Europeias - jogou com a sua equipa principal, até apresentou algumas contratações - ex-Liga Espanhola -, com alguns nomes facilmente reconhecidos, mas honestamente, creio que já tivemos jogos mais difíceis na II Liga Portuguesa!!! Agora o ambiente - vindo das bancadas - em Salónica, é sempre muito especial!!! 
Não vi o jogo todo, mas tive atento à actuação de duas recentes contratações, que ainda não se tinham estreado. Ambos foram anunciados como defesas-centrais, mas hoje jogaram noutros lugares: O Mvom a defesa-direito fez um jogo seguro, demonstrou ser forte fisicamente, com algumas dificuldades a atacar, mas gostei, jogador a rever... O Ascues jogou a trinco, e fez uma excelente partida - eu sei que as aparências podem enganar!!! -, muito forte nos duelos defensivos, bem na colocação, e não se atrapalha com a bola nos pés, não é um 'criativo' - obviamente -, mas para trinco parece ter a técnica necessária, além disso mostrou personalidade, é daqueles jogadores que parece não enganar, temos jogador...!!!
O Sidnei regressou à competição, se tiver com a cabeça - e o estômago - no sítio, é jogador para o plantel principal, o Paulo Lopes ganhou ritmo, o Cardoso ganhou 'calo', o Carole esteve bem, o Pimenta está cada vez melhor, e devido à experiência que já tem, pode ser uma das opções para o meio-campo debilitado dos A's, o Cavaleiro voltou a demonstrar velocidade, o Duarte regular, o Elvis é daqueles jogadores onde se identifica talento, mas depois falta um pouco de 'chama'... O João Mário voltou a surpreender-me, admito que o ano passado nos Juniores não me convenceu, mas esta época tem aproveitado bem os minutos, e demonstra qualidades... o golo foi do Miguel Rosa, mas a jogada é toda do João Mário!!! Dos suplentes utilizados, além do Miguel Rosa que entrou para marcar, relevo a estreia do Cafú nesta equipa B, e logo a jogar a trinco, a melhor posição para ele - penso eu de que...!!!
Será interessante, até no aspecto motivacional, dar alguns minutos na quarta-feira, a alguns destes jovens, no jogo contra o Bétis, eles merecem...

domingo, 9 de setembro de 2012

"É no Benfica que sou feliz"


"...
- Como analisa, no plano futebolístico, o seu início de época, no regresso ao Benfica? É o que esperava?
- Está a ser ainda melhor. Não esperava começar tão bem e por isso estou ainda mais satisfeito. Marquei no primeiro jogo, frente ao SC Braga, e foi uma sensação linda. Espero dar sequência aos grandes jogos até final da época.

- Quem é que fez mais força para regressar ao Benfica?
- Todas as partes. Eu sempre quis voltar. Nunca quis sair depois de ter estado aqui uma época (2010/2011). Hoje estou feliz. A minha mulher também sabia que aqui é que eu era feliz. O clube também fez um esforço para que eu voltasse e agradeço esse esforço.

- Isso de ser o jogador mais caro de sempre do clube é uma grande responsabilidade?
- Nem penso nisso. Estou muito tranquilo, estou no Benfica com a mesma esperança de ganhar de todos os meus colegas, com os mesmos objectivos e tentarei ajudar a equipa ao máximo.

- Já notou diferenças entre 2011 e 2012?
- Nos jogadores que não conhecia. Mas o que não mudou foi aquilo que é o Benfica: a grandeza do clube. Há muita gente de fora que não sabe o que é o Benfica. Felizmente tive a oportunidade de conhecê-lo e por isso quis regressar.

- O que lhe oferece o Benfica que outros clubes não lhe dão?
- Uma felicidade única, talvez só comparável aos tempos em que comecei a jogar na equipa principal do meu clube, o Lanús. E depois há essa oportunidade de jogar na Champions: é a melhor competição, na qual quero chegar o mais longe possível.

- E o que mudou em si, além de ter sido pai?
- Na forma de jogar não sei... Bom, eu tento sempre evoluir e crescer como jogador e como pessoa. E com a chegada do meu filho Valentino a minha vida mudou, mas para melhor.

IMPRESSIONADO COM RODRIGO
- Dos jogadores que só agora conheceu, qual deles o impressionou mais?
- Witsel. Mas Rodrigo também é um grande jogador. Na minha primeira época só fiz três treinos com ele (o avançado foi entretanto emprestado ao Bolton, de Inglaterra). É muito bom jogar com ele.

- Jorge Jesus já admitiu a possibilidade de você jogar a avançado. Testou-o na frente com Rodrigo e gostou muito dessa solução. O que pensa dessa hipótese?
- Não penso muito nessa hipótese porque gosto mais de jogar a extremo-direito, embora não tenha quaisquer problemas em jogar como avançado. Porque é um lugar onde joguei no Atlético Madrid, no Lanús e nos juniores da selecção argentina. Não tenho problemas, porque estou mais perto do golo, mas...

- ...prefere actuar nas alas, é isso?
- Sim. Mas, como disse, não terei problemas se o mister decidir colocar-me a avançado porque é uma posição que posso fazer.

«PRIORIDADE É VENCER O CAMPEONATO»
- Volta à Champions. Na sua primeira época as coisas não correram bem na prova. O que espera em 2012/13?
- Ajudar a equipa ao máximo, para torná-la competitiva. Vamos tentar chegar o mais longe possível numa competição onde estão as melhores equipas. Na época passada o Benfica teve uma participação muito boa mas espero que este ano façamos ainda melhor.

- Qual a prioridade do clube?
- Com a grandeza que tem o Benfica, temos de conquistar muitos títulos. O grande objectivo é ganhar o campeonato e o máximo de títulos que possamos vencer.

- Gostou muito da sua primeira época na Luz mas o clube venceu apenas uma Taça da Liga. O desejo de voltar também foi alimentado pela vontade de ganhar mais coisas?
- Sempre vou querer ganhar mais. Se tivesse sido campeão no ano em que estive no Benfica e conquistado a Taça de Portugal e a Taça da Liga, nos anos seguintes iria ter a mesma vontade de vencer. Em 2010/11 só conseguimos ganhar a Taça da Liga mas agora espero conquistar mais coisas.

- O final da sua primeira época na Luz terminou mais cedo, com uma lesão contraída em Eindhoven, a 15 de Abril, fracturando o quinto metatarso. Hpuve quem dissesse que, se tivesse continuado, o Benfica teria mais hipóteses na Liga Europa (foi eliminado nas meias-finais pelo SC Braga). Sente que ficou algo por fazer?
- Fiquei muito triste pela lesão e não gostei da forma como encerrei a minha primeira etapa no Benfica, com uma paragem de três meses. Gostaria de ter ido até ao fim até porque tinha esperança de chegar à final da Liga Europa e ganhá-la. Mas não foi possível e agora espero chegar o mais longe possível na Liga dos Campeões.

- Nessa época marcou 10 golos em todas as provas. É uma marca para ultrapassar já este ano?
- Marcar mais de 10 golos é um dos meus objectivos. Quero superar-me sempre.

- Cristiano Ronaldo revolucionou o papel de um extremo. Um jogador da posição de Salvio é agora obrigado a marcar mais golos do que, por exemplo, há cinco anos?
- Bom, jogadores como Cristiano Ronaldo e Messi são de outro mundo. Juntos, marcam mais golos do que muitas equipas inteiras. Tentarei marcar o maior número de golos possível e melhorar dia a dia. Trabalho dia a dia para superar-me.

- Nota-se nas suas palavras que acredita numa grande época...
- O Benfica tem tudo para ser campeão e conseguir outros títulos. E eu espero ajudar muito.

«Barcelona não é invencível»
...
- Estamos a falar da melhor equipa do Mundo, juntamente com o Real Madrid. Serão jogos muito difíceis mas o Barcelona não é invencível. O Benfica também tem grandes jogadores e tentaremos aproveitar todas as oportunidades para marcar.
...

«Temos de pensar nos que cá estão»
...
- Javi Garcia e Witsel são grandes baixas na equipa mas temos outros jogadores que podem fazer tranquilamente esse trabalho.Matic é muito bom e para a posição de Witsel temos Carlos Martins e Aimar.
Temos que pensar no Benfica e na equipa que temos. Os que saíram são grandes jogadores mas há que pensar nos que cá estão e na força que teremos todos juntos.
... (Saviola)...
- Gostaria que ele tivesse ficado, pela amizade que tenho com ele, mas o futebol é assim... Se ele se der bem em Málaga, ficarei feliz."

Salvio, in A Bola, por Fernando Urbano

Em grande

"1. Domingo em grande. Começou com duas saborosas vitórias nas Supertaças de Futsal e Andebol. Terminámos a época passada com quatro títulos nacionais, iniciámos esta já com duas Supertaças. Excelente.
Depois, um complicado mas indiscutível 3-0 sobre o Nacional. Antes e depois, duas 'sombras': as saudades de Javi Garcia e Witsel e a preocupação por algum desequilíbrio que se nota no plantel - muitas (e boas) opções atacantes, bem escassas alternativas do meio-campo para trás.

2. Carlos Barbosa da Cruz, na sua coluna de opinião no Record, vem, à boa maneira sportinguista, desvirtuar a história, referindo que o Sporting cedeu os seus direitos ao Benfica, quando o nosso Clube ficou sem o seu campo das Amoreiras (para possibilitar a construção da auto-estrada) e passou para o Campo Grande. E, pelo meio, ainda diz que o nosso Clube 'já nessa altura se encostava bem', falando em 'pressões políticas'. É preciso lata! Tão bem se 'encostava' que veio a fazer a inauguração do novo campo a 5 de Outubro (de 1941) data da implantação da República e que tão mal vista era pelo regime de Salazar. Pois acontece que o campo onde o Benfica passou a jogar (o campo do Campo Grande) nunca pertenceu ao Sporting, foi sim arrendado ao clube até 1936, ano em que o Sporting ali deixou de jogar. E o Benfica passou a utilizá-lo pagando uma renda de 600$ mensais à Câmara. E enquanto fez obras no campo e bancadas o Benfica utilizou para os seus jogos também os campos do Belenenses e a da Cuf e não só o do Sporting.

3. A propósito das colunas de opinião dos jornais, continuo a dizer que o Benfica está, de uma forma geral, mal representado. Em A Bola, registou-se a inacreditável exclusão do Ricardo Araújo Pereira (com medo de perderem Miguel Sousa Tavares!). No Record, muito estranhamente, entre os seus 'opinadores' que escrevem semanalmente artigos nos dois espaços diários do jornal e não estão na condição de jornalistas independentes, nada menos de quatro são assumidamente do Sporting (Alberto Rosário, Daniel Oliveira, Carlos Barbosa da Cruz e Miguel Salema Garção), um do FC Porto (Júlio Magalhães) e um do Benfica (Rui Rangel)... que ainda por cima só escreve de duas em duas semanas, alternando em Salema Garção. Uma grande discriminação! E a António Pedro Vasconcelos, que há algumas semanas fez dois excelentes artigos de defesa do Benfica, terão dito que não lhe poderiam pagar..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Castigo duplamente ridículo

"O meu camarada Nuno Farinha denunciou aqui, esta semana, a brincadeira constituída pelo castigo a Jorge Jesus, mais um caso revelador do estado a que chegou, a exemplo do país, o futebol português. Começa por ser ridícula, e injusta, a punição em si, já que o técnico do Benfica disse a verdade e nada mais que a verdade. O árbitro auxiliar viu claramente Maicon adiantado - nós todos vimos e vimos que ele viu - e não levantou a bandeirola porque não quis?
Certamente, já que na clareza das imagens televisivas não se vislumbra qualquer arma apontada ao seu peito, nem existe, ao que se julga, nos dossiers do sr. Vítor Pereira, declaração médica que certifique a impossibilidade de o ajudante levantar o braço que segura a bandeirola no décimo de segundo imediato à ordem emanada da sua cabecinha. E sendo assim, Jorge Jesus ofendeu quem? Depois, claro, temos o timing escolhido, que é desde logo a passagem de um atestado de estupidez a toda a gente, pois nasce do princípio de que talvez ninguém se aperceba da habilidade.
Não culpo as estruturas do nosso futebol por mais esta macacada. Afinal, elas tornaram-se num estado dentro do Estado e aproveitaram a independência que a lei lhes confere para construírem uma moral feita de cumplicidades, erros e compensações que, com as nuances decorrentes da maior ou menor qualidade dos seus intérpretes, procura ir agradando aos baluartes do poder, os grandes clubes, mas criando sempre, a ilusão de pairar sobre eles e até de os ignorar.
É preciso ter arte para se funcionar assim. Aliás, a timidez das críticas a este comportamento diz bem do que de facto interessa: que na próxima vez, quando me tocar a mim, haja uma espécie de mão dura - para me poder armar em vítima - e logo a seguir um arremesso de punição... para não me atrapalhar a vida.
É o que temos e, para ser franco, estou mais preocupado com o novo assalto ao meu bolso, ontem anunciado pelo sr. primeiro-ministro. Que se amanhem, ora."