Últimas indefectivações

sábado, 11 de maio de 2013

Agora, venha o Barcelona !!!

Benfica 7 - 0 Noia

Vitória clara, depois do empate em Espanha.
Nas meias-finais vamos defrontar o Barcelona, provavelmente a melhor equipa do Mundo. Numa eliminatória com dois jogos, acho que tínhamos mais hipóteses,  numa Final 4 não vai ser fácil... Se a Final 4 for na Luz é óbvio que as hipóteses aumentam, mas conhecendo a forma Corrupta como se move a Cerh, duvido que seja na Luz...

Triunfo dos porcos

Corruptos 2 - 1 Benfica

Hoje, não vale a pena falar muito, ainda não perdemos o Campeonato, mas acredito que esta semana vão descobrir petróleo em Paços!!!
Só uma coisa: esta semana a cassete já foi preparada, para justificar o injustificável, inclusive alguns Benfiquistas, começaram a dizer que se o Benfica perdesse o título este ano, seria por culpa própria, ao contrário do ano passado.
O Benfica não é Campeão neste momento, porque durante toda a época os Corruptos foram amparados, sempre que precisaram (as mãos na bola foram várias e variadas...), o Benfica não é Campeão neste momento, porque nas primeiras 4 jornadas roubaram-nos 4 pontos, o Benfica não é Campeão neste momento, porque a partir do momento que os Corruptos ficaram para trás, foram claramente amparados para não ficarem irremediavelmente perdidos... A cortina de fumo do Capela não pode ser usada, novamente, para limpar toda a merda que continua a poluir o Futeluso...

Independentemente daquilo que acontecer daqui até ao final da época, esta época, será sempre uma das melhores de sempre... o Benfica não pode voltar para trás... só não será melhor, porque vivemos em Portugal.

Finalistas


Ovarense 67 - 78 Benfica
16-18, 12-18, 15-18, 24-24

Fizemos a nossa obrigação, e em 3 jogos estamos na final do Play-off, sem complicar, jogando relativamente bem... hoje, o resultado nunca esteve em causa.
Na outra meia-final a Académica está a vencer por 2-1, tem a oportunidade amanhã, em Coimbra, de carimbar a passagem para a final. A ser assim, voltamos a encontrar os Estudantes numa final, algo que tem sido recorrente este ano, em diversas competições... sinceramente, prefiro a Académica, o CAB num dia 'maluco', pode criar muitos problemas, aliás já perdemos com eles este ano...!!!

Regresso à liderança


Benfica 31 - 14 ABC

Jogo que a equipa soube tornar fácil... este é daqueles jogos, que mete raiva aos Benfiquistas!!! Seria difícil jogar sempre assim?!!!

A tarde começou bem com a notícia da derrota dos Corruptos, em Odivelas, com o Sporting. Tenho que me penitenciar aqui, porque afirmei que o Sporting nunca iria tirar pontos aos Corruptos. Vi alguns minutos do jogo, e vi uma equipa do Sporting a jogar com atitude, algo que normalmente só acontece nos jogos contra o Benfica!!! Se calhar a ameaça de 'fechar' com secção - ao mais alto nível... - por parte da nova Direcção, os tenha acordado!!!
Com estes resultados, voltámos a liderar o Campeonato, em igualdade pontual com os Corruptos, isto quer dizer que o empate - na próxima jornada - pode chegar no antro da Corrupção (não garante, já que na última jornada recebemos o Sporting)... mas no Andebol não se joga para o empate, o importante é ter todos os jogadores disponíveis, e hoje jogámos sem o Pedroso, e o Dario foi poupado, entrando só no final da partida...

Juniores - 13.ª jornada - Fase Final


Benfica 1 - 1 Corruptos

Mais uma roubalheira monumental... portanto, nada de novo!!!
O Benfica marcou cedo, e cedo tentou gerir o marcador, talvez cedo demais, mas mesmo assim, em contra-ataque foi criando muito perigo, falhando algumas escandalosas oportunidades. Os Corruptos, curiosamente, foram mais perigosos na 1.ª parte, onde o Varela esteve muito bem... no 2.º tempo, o Benfica geriu melhor, e os Corruptos só chegaram ao empate numa jogada algo confusa, sem fazerem muito para o merecer.
No meio disto tudo, ficaram pelo menos 2 penalty's por marcar a favor do Benfica, então o 2.º, sobre o Hélder Costa é escandaloso... pessoalmente, a entrada de carrinho sobre o Bernardo também merecia penalty, mas essa dou de desconto!!! Além dos penalty's tivemos uma arbitragem com um critério disciplinar absurdo. Não expulsa um jogador Corrupto, que já tinha amarelo, e corta uma bola com o braço - numa jogada em que o Bernardo ficaria isolado!!! -, para no final da partida expulsar, directamente, o Rudy porque este chutou uma bola, que bateu num adversário - adversário que dá um pontapé no Rudy na sequência do lance!!! Mas os erros, não foram só estes, durante todo o jogo, foi disfarçando com um critério largo, as ajudas aos Corruptos. É engraçado que nos jogos no antro da Corrupção, as equipas da formação do Benfica, sejam constantemente empurradas, com arbitragens super-caseiras, que não permitem o mínimo contacto aos nossos jogadores, e que são coniventes inclusive com agressões descaradas sobre os nossos jovens... e depois no Seixal é este festival!!! Recordo que este apitadeiro, foi o também o felizardo que apitou o Sporting-Corruptos em Alcochete, onde expulsou um Lagarto bem cedinho, e marcou um penalty a favor dos Corruptos, que por acaso deu o golo da vitória Corrupta em Alcochete!!! Portanto, não faltará muito para esta ave rara chegar à 1.ª categoria!!! Temos aqui um internacional em potência!!! No final da partida tivemos ainda que aturar mais um festival de azia Corrupta, tentando expulsar ainda mais jogadores do Benfica... nada de novo, também!!!

Mesmo assim, está nos nossos pés, a decisão do título. Não será nada fácil, o Rio Ave tem uma boa equipa, tem sido muito forte em casa, e tenho a certeza que vamos ser empurrados com todas as armas possíveis e imaginárias... sem o Rudy, creio que o Cardoso também não poderá jogar... o Dino hoje, também saiu queixoso do músculo... Resumindo, falta mais uma batalha!!!

Benfica...........27
Corruptos.........26
Sporting...........24
Rio Ave............17
Braga..............17
Setúbal............14
Guimarães.........9
Nacional...........6

Tri-bronze !!!

E na terceira prova da temporada, João Silva, volta a terminar em 3.º lugar... O João tinha vencido aqui em Yokohama, nos últimos 2 anos, mas este ano não conseguiu repetir a proeza. Especulando, parece-me que o João prefere o calor húmido habitual nesta prova, ao nevoeiro molhado que com a prova foi realizada hoje de manhã...
Mesmo assim, com este resultado, o João mantém a liderança do ranking mundial.

Não nos desiludam hoje!

Hoje é o dia...
Hoje é a oportunidade de: ou acabar já com isto, ou então deixar a decisão para o último jogo.
 NEM SE ATREVAM A FAZER ALGUMA "BRINCADEIRA"!!!

E tú, ó Proença...
Porta-te bem... senão levas com a ira da nação Benfiquista!

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Só há razões para acreditar

"Como é que os benfiquistas a um empate de se sagrarem quase campeões, e a uns dias de uma final europeia (mais de 20 anos depois) estão deprimidos? Porque os benfiquistas sabem que o futebol tem uma história repetida e não gostam nada do seu passado recente.
O Benfica continua sem ganhar nada e a poder ganhar tudo. Neste momento, só há razões para acreditar na equipa e nos jogadores. Chegar a esta altura, nesta posição, é um privilégio.
Tenho acompanhado a época do Chelsea, e vi com atenção os últimos dois jogos, em Old Trafford e o derby londrino. Impressionante a intensidade a que se joga no final da época naquele campeonato. Ao plantel de luxo que tem o Chelsea deve-se somar a sageza do seu treinador.
Irei a Amesterdão com a ilusão que tudo pode acontecer numa final, mas o favorito é claramente o campeão europeu. Direi para a estatística que já da última vez que ganhámos em Amesterdão também o favorito era... o Real Madrid. No Benfica espero candidatos a substitutos de Eusébio da Silva Ferreira nesse jogo memorável.
Nove finais europeias são um palmarés invejável. Vencer a terceira seria o céu. O Benfica pode em Amesterdão homenagear a história e escrever o futuro. Mesmo sabendo que poucos acreditam que o Benfica pode vencer, basta que acreditem aqueles que até agora o têm feito: o treinador e os jogadores. Eu como adepto estou com eles. Com realismo mas muita esperança e orgulho no que têm feito.
No domingo o Benfica tentará sagrar-se Campeão Nacional de voleibol pela segunda vez na mesma semana. Querem matar a modalidade e por este andar vão conseguir. Para quem como eu gosta de voleibol e defende a modalidade é uma tristeza grande."

Sílvio Cervan, in A Bola

Recordar é viver (VI)

Somos Benfica

"Somos da cepa de que somos feitos. Somos feitos de uma cepa que se habituou a conquistar o que a outros é oferecido. Somos de uma cepa que sabe na pele (e de que maneira!) que, independentemente do exagero do optimismo, só pode gritar “vitória” depois de a termos conquistado e nunca na véspera. Da mesma maneira, sabemos que derrotados de véspera são os fracos. E a única ‘fraqueza’ que admitimos no nosso ADN é aquela paixão incondicional pelo nosso Benfica.
Recentemente, em nossa casa, tivemos um duro revés ao empatar com o Estoril. Foi duro, passou e já é passado. O futuro diz-nos que as dificuldades aumentaram, mas o nosso ADN também nos diz que, independentemente das dificuldades, independentemente dos métodos “camorristas” que alguns utilizam até à banalidade, teremos de ser fiéis aos nossos princípios. Particularmente ao princípio que nos obriga a nunca desistir de lutar, nunca desistir de vencer, enquanto houver uma gota de sangue e outra de suor para misturar no vermelho da nossa camisola.
E nós, os adeptos (nós, o Benfica), temos de ser fiéis a um outro princípio fundador: aquele “E Pluribus Unum”, que nos diz diariamente que apenas unidos podemos ser “De muitos, um”, tem de ser vivido na plenitude com os nossos atletas. Isso de ser unido na antecâmera da vitória esperada é muito fácil e óbvio. Mas também sabemos que as coisas fáceis são para os outros e que as difíceis são para nós. Como tal, cabe-nos, agora, saber ser unidos no momento em que temos de encarar o futuro com os dentes cerrados e uma abnegação sem limites."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Uma vitória, muitas vitórias

" «Vamos chegar às Antas e vamos ser campeões!», disse Maxi no fim do jogo de segunda-feira- E você duvida?

ESTA AUTO-CONFIANÇA da parte de um dos capitães da equipa, isto é, afirmada por alguém que melhor conhece do que fala, está fundada nos dados objectivos que constituíram o notável trajecto da nossa equipa principal de Futebol, ao longo desta época. Pode outra equipa portuguesa superar a qualidade e o brilho técnico de um tão grande número de jogadores, a consistência e o estofo tácticos fora do comum, ou a motivação competitiva, a impressionante capacidade de realização e o espírito de grupo que caracterizam esta equipa e todo o casulo estrutural que a rodeia?
Pode. O futebol e as competições desportivas sérias, implicam esse risco ocasional. Mas, o que a convicção de Maxi Pereira traduz é que desta vez só nos derrubam, se for através a obstinada introdução de 'factores exteriores' à essência do jogo-jogado por dois conjuntos de onze atletas; ou seja, só se for mediante 'aquelas' sistemáticas intervenções, caprichosas e intimidatórias, que o provincianismo caseiro e a comandita das justiças têm parido nas últimas décadas de competição.

A NOSSA INDOMÁVEL determinação deste ano não foi obra do acaso e tudo começou há muito tempo atrás. Numa caminhada muito segura em que a constância exibicional e a insubmissa vontade de vencer dos jogadores, como Maxi, constituíram regra de oiro, a equipa, sempre aclamada pelos Benfiquistas confiantes, foi construindo a sua própria afirmação, jornada, desde o início da época, confirmando-se como o poderoso cume simbólico de um esforço estrutural muito mais vasto.
Em todo o caso, nem mesmo nas presentes circunstâncias de euforia geral, à beira de conquistarmos um novo campeonato, mais uma taça e outro torneio europeu, ou ainda às vésperas da nossa definitiva alforria em termos dos direitos de comunicação, além de outras acções de fortíssimo impacto empresarial que em breve serão anunciadas, podemos reduzir esta caminhada triunfal do BENFICA  aos registos do (incontestável) sucesso mantido, pelo menos até agora, pelos grandes jogadores de Futebol e pela equipa, por um treinador e pelo grupo de especialistas que os envolvem.

ALGUMAS MEDIDAS e marcas alcançadas nos anos anteriores, na esfera do Futebol e em outras modalidades desportivas, já permitiam augurar que no nosso Clube. Eram reflexo - convirá lembrá.lo agora e sempre - de uma política global tecida de olhos postos no futuro, com persistência determinada e muita argúcia negocial pelo Presidente Luís Filipe Vieira que, desde o fim dos nossos 'anos negros', recupera precisamente as mais solenes tradições do Glorioso, atendendo aos mesmos modelos de matriz fundacional de 1904.

COMO TODOS ESTAMOS recordados, as eleições para os novos corpos sociais, em Outubro passado, surgiram num momento decisivo. E nesse início de época, eu próprio vi ainda que alguns Benfiquistas mais timoratos se chegaram a inquietar com uns fogachos da parte lista de oposição a Luís Filipe Vieira: mas tudo não passou, afinal, de meros frémitos de ocasião próprios da intensa democracia Benfiquista. A esmagadora vitória que consagraria a ligação do universo dos Sócios ao Presidente Vieira para o seu terceiro mandato, sedimentou definitivamente a solidez estrutural do SPORT LISBOA E BENFICA, estabelecendo o marco de entrada no terceiro dos ciclos definidos a partir de 2003: credibilizar, reconstruir e ganhar.

É AQUI QUE NOS ENCONTRAMOS. Pelos nossos próprios méritos, com as nossas próprias convicções e certezas. Imunes a todas as ameaças do presente e preparados para todas as armadilhas do futuro."

José Nuno Martins, in O Benfica 

Vozes do dono

"Lembram-se dos discos da 'His Master Voice'? Tinham um cãozito de orelhas arrebitadas para a boca de um gramofone. Estes cãezitos dos quais hoje falo não esticam as orelhas para a boca do gramofone, não vá sair de lá alguma das famosas Escutas. Mas obedecem cegamente à voz do dono. A uma patada do Madaleno, uivam, ganem, rosnam e ladram um uníssono. Seja onde for: em jornais ou em programas de televisão. Cailhes da boca a baba da raiva, numa aisiedade de serem solícitos para com o patrão. A vontade de agradar é tanta que chafurdam na mentira e na desonestidade. Algo os reduz a meros rafeiros, no entanto: a falta total de credibilidade!
Pois é... Que credibilidade pode ter um miserável que copia nacos inteiros de livros alheios? Que credibilidade pode ter um banqueiro de meia-tijela que leva o banco à falência e sai de lá rico? E um grávido atoucinhado e analfabeto espalhador de boatos? Já para não falar num baladeiro de churrascaria de melenas oleosas... Ou de um merceeiro de tiques abambalhados com contas estranhas por explicar. Se são tão vagabundos estes mariolas, como levar a sério qualquer numa das suas porcarias escritas (com erros de ortografia e de sintaxe) ou esganiçadas até ao histerismo? Deixá-los portanto, entregues à sua tarefa torpe. Receberão, em troca, do dono que idolatram, biscoitos velhos e pontapés nos focinhos...

P.S. - Vítor Pereira, o do FC Porto, largou uma pilhéria. Ou talvez repetisse apenas aquilo que o rapazito do lado lhe segreda sempre ao ouvido. Foi ao seu estilo. Não sujinho, mas até um bocado para o porco."

Afonso de Melo, in O Benfica

Objectivamente (tolinho)

"E o tontinho continua a dar-lhe com o sujinho, sujinho!
Vítor Pereira, que foi inventado para treinador do FC Porto pelo absolutista presidente dos andrades, depressa aprendeu a lição de provocador! Sem capacidade para orientar uma equipa campeã, agarra-se à habitual política provocatória que se institui no clube azul e branco há muitos anos para denegrir a imagem dos jogadores, técnicos e dirigentes do Clube que seriamente luta para ser campeão e o tem feito de forma ´seria, LIMPA e vertical! A mesquinhez desta gente que exibe diariamente em declarações à Imprensa e aos seus habituais veículos transmissores chega a irritar qualquer ser humano por mais pacífico que seja!
Não me lembro de uma única vez destes provocadores saudarem com sinceridade quem lhes ganha! Uma única vez que seja! Há sempre um culpado! Ou é o árbitro, ou a bandeirola de canto ou as redes da baliza. Eles é que nunca têm culpa de qualquer derrota! A culpa é sempre de alguém! É por estas e outras que a intolerância faz parte da cartilha dos adeptos fanáticos que não perdoam deslizes nem aos seus próprios atletas.
Será que Vítor Pereira ainda não se apercebeu que já não é treinador do FC Porto há vários meses? De nada lhe adianta andar a engraxar o presidente e os adeptos de modo a perdoarem-lhes os sucessivos desaires da equipa que tão mal orienta...
Engraçado também é a velha aliança Porto/Sporting para derrubar o Benfica e retirar mérito a tudo o que tem feito até agora! O Sporting ainda não entendeu que anda a ser gozado há anos por quem nunca enxergou além do seu próprio umbigo!
É pena porque só irão ver quando lhes levarem mais um Futre ou um Mourinho quase de borla!"

João Diogo, in O Benfica

Confiança

"O sonho lindo terminou? Não, definitivamente  O jogo do FC Porto, que tinha tudo para não ser decisório, pode ser ultrapassado com sucesso pelo colectivo 'encarnado', ainda que se saibam as implicações do empate caseiro frente ao Estoril. Num momento emocional extraordinário, até desusado, o Benfica, mercê da igualdade, desperdiçou um capital de enorme valia, transferindo-o para o seu antagonista de amanhã, que já vivia uma fase de total desnorte, inclusive com o anúncio público da impotência para revalidar o título.
Ante um valoroso Estoril, intérprete de uma prestação irrepreensível, o Benfica acusou demasiada fadiga, consequência de uma carga competitiva quase brutal, ademais com a importância determinante dos respectivos desfechos em todas as competições. Não se pode falar de negligência, de laxismo, de subestimação do adversário. Pode falar-se de um jogo em que nada ou quase nada correr bem, testemunhado por um público fervoroso que fez tudo para empurrar a equipa na direcção do triunfo.
O Benfica não era tão forte como muitos consideravam antes da partida com o Estoril, da mesma forma que não é tão débil quantos muitos consideram após o encontro. E é um Benfica que ainda tem trunfos para jogar. Em condições normais, a turma de Jesus, a despeito de disputar a Final da Liga Europa quatro dias depois, desfruta de amplas possibilidades para não escorregar no Dragão.
A derrota equivale a um sonho mau, mas outro resultado será sinónimo de encantamento. Importa ter confiança, não permitir que o alicerce anímico se amarrote, antes se fortaleça. É ou não é verdade que este Benfica tem sido protagonista de uma temporada magnífica? Falta um jogo de dimensão transcendente. Que pode valer a dimensão do júbilo."

João Malheiro, in O Benfica

Estamos na frente

"1. Grande exibição na Liga Europa frente ao Fenerbahçe numa noite europeia 'à antiga'. Natural cansaço, muitas oportunidades desperdiçadas, um golo sofrido de forma irregular, uma lesão muito importante, uma expulsão escusada - em suma, uma noite em que tudo nos correu mal, segunda-feira, frente ao Estoril. Estamos em mais uma Final europeia e... continuamos à frente no Campeonato, embora não com a 'confortável' vantagem anterior. Vamos ao campo do FC Porto liderando a classificação. Há que acreditar na equipa.

2. A propósito de mais uma Final europeia - a nona - em que estaremos envolvidos, os jornais têm recordado as anteriores e lá vem o inevitável 'mão de Vata'. Volto a recomendar que vejam o filme do golo no YouTube. Se o árbitro tivesse visto a mão do Vata teria tido a obrigação de marcar penálti - foi nítido o puxão do defesa francês ao nosso avançado que, ao procurar desenvencilhar-se, empurrou a bola com a mão. Aliás, Mozer, então jogador do Marselha, que esteve nesse jogo, ainda na semana passada o confessou na Imprensa.

3. Execrável o artigo de Miguel Sousa Tavares em A Bola de terça-feira da semana passada. Infelizmente, a sua conhecida desonestidade intelectual - bem expressa nesse artigo - não tem resposta adequada naquele jornal, já que os nossos representantes raramente defendem os interesses do Clube e quem lhe fazia frente - o nosso Ricardo Araújo Pereira e o sportinguista, José Diogo Quintela (este 'oportunamente' afastado) - já lá não escrevem.

4. O nosso Voleibol parece ter que ir à bruxa. Ao longo dos últimos anos marcou nítida superioridade no decorrer de toda a época mas falhou os títulos mesmo no fim, nos jogos decisivos. Desta vez, finalmente, derrotou o Sp. Espinho numa final mais uma vez emocionante... mas a Federação de Voleibol, devido a um protesto do clube adversário, mandou repetir o jogo. Espero que se faça justiça!"

Arons de Carvalho, in O Benfica

Acreditar

"Não há que iludir a realidade: o empate frente ao Estoril foi um resultado decepcionante, que nos deixou angustiados, e que torna mais difícil o caminho que conduz ao título. Esperávamos chegar lá por uma larga avenida, mas teremos de fazer um desvio por uma estrada um pouco mais estreita. Não deixaremos, porém, de chegar ao destino.
O Futebol é isto. Numa quinta-feira saímos do Estádio em clima de justificada euforia, ao garantirmos presença numa final europeia, 23 anos depois da última vez em que tal aconteceu. Quatro dias volvidos saímos cabisbaixos, tristes, e com a sensação de termos desperdiçado uma oportunidade óbvia de quase garantir ali a conquista do Campeonato. Alegrias e tristezas. É precisamente o que o Futebol oferece aos adeptos, e por isso cativa tanta gente com a sua magia.
Agora vamos a factos. O Benfica é líder isolado da classificação e, se vencer o próximo jogo, sagra-se de imediato Campeão Nacional. Em caso de empate, deixa também o título muito bem encaminhado.
Depois, na quarta-feita, em Amesterdão, poderá voltar a erguer um trófeu europeu, 51 anos depois de na mesma cidade - Eusébio e seus pares terem mostrado o Glorioso ao mundo. Dia 26, no Jamor, podemos também conquistar a Taça de Portugal, prova que nos escapa desde 2004. Ou seja, estamos, continuamos a estar, a três vitórias da melhor temporada de todos os tempos. E se os dissessem, no início da época, que chegaríamos a esta data com tão grande possibilidades de fazer história, tal seria suficiente para nos deixar empolgados, e ansiosos por cada um desses embates, por cada uma dessas finais.
A primeira é amanhã. Eu arriscaria a dizer que é a mais importante de todas. Depois de uma temporada brilhante, não ser Campeão seria, não só uma injustiça, como uma anormalidade. Perder no Dragão poderia também afectar o ânimo da equipa para as decisões seguintes. Por isso, estou convicto de que iremos ter em campo o melhor Benfica. E, a ser assim, as hipóteses de sucesso serão muitas. Serão todas!"

Luís Fialho, in O Benfica

Obrigatório ser limpinho

"O melhor árbitro do Mundo nomeado para o jogo que vai decidir o campeonato parece, à partida, uma decisão normal. Deveria ser assim, mas não é. Porque o melhor do árbitro do Mundo acumula um histórico pavoroso em clássicos entre FC Porto e Benfica. Pedro Proença não teve apenas influência directa em dois jogos recentes entre dragões e águias. Foi mais do que isso.
Foram duas decisões erradas em dois duelos que tiveram impacto decisivo no desfecho dos respectivos campeonatos, ambos a favor do FC Porto. Um deles em 2008/09 e o outro em 2011/12. O primeiro é ainda hoje lembrado como o jogo do falso penálti de Lisandro. O segundo foi aquele em que Maicon marcou o golo da vitória, aos 86 minutos, em posição irregular. Erro já admitido pelo assistente do árbitro (Ricardo Santos).
Pedro Proença escolhido para o clássico mais importante dos últimos anos – e se calhar de sempre – é uma decisão natural. Só que é igualmente uma medida desprovida de bom senso. Sabe-se há muitos anos que Proença é adepto do Benfica, mas a relação entre ele e os responsáveis do clube anda muito perto da raiva. Não adianta escondê-lo: essa antipatia bilateral percebe-se facilmente em qualquer referência que Luís Filipe Vieira faz ao árbitro e vice-versa.
Proença apitou apenas um jogo do Benfica esta temporada. Foi na Madeira, frente ao Nacional: 2-2. Expulsou Cardozo (bem), mas o paraguaio puxou-lhe a camisola e... Proença perdeu a cabeça. Poucos minutos depois mostrou um vermelho a Matic absolutamente injustificado. E até hoje não voltou a dirigir qualquer desafio do Benfica. Ficou guardado para este superclássico. O quinto que vai apitar. Até hoje, nem uma vitória dos encarnados."

Crença, amanhã e sempre...

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Apesar de tudo o resto, a Fé nunca será questionada !!!

Lixívia 28

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica.........74 (-6 ) = 80
Corruptos......72 (+7 ) = 65
Braga...........49 ( +1 ) = 48
Sporting.......36 (+12 ) = 24





Este manual de como roubar, não trás nada de novo... para quem está minimamente atento ao Futebol Tuga, estes esquemas são mais do que conhecidos. Mas existem algumas variações, tudo depende do objectivo. Por exemplo neste Benfica-Estoril o objectivo era fazer o Benfica perder pontos, não era necessário o Benfica perder o jogo, o empate chegava!!! Assim, a queda do Luís Leal não deu penalty (pisadela involuntária, mas faltosa do Artur), pois o resultado naquele momento estava 0-0, se por acaso o Benfica estivesse a ganhar pela diferença mínima, nos últimos minutos, com ou sem pisadela do Artur, seria sempre penalty e vermelho para o Artur!!! Foi visível, no início da 2.ª parte, com o Benfica a entrar mais forte (tipo Marítimo na jornada anterior), a estratégia de empurrar o Benfica para longe da área do Estoril. Quando uma equipa começa a 'sufocar' o adversário, não há nada melhor, do que um apito salvador, permitindo à equipa respirar, empurrando o jogo para o outro lado do campo!!! Por exemplo o lance do golo do Estoril, começa com um alívio desesperado do Estoril, o Garay protege a bola, para o Artur chutar para a frente, mas o Luís Leal empurra descaradamente o Garay para atrapalhar o Artur, mas como o Estoril precisava de respirar: siga para bingo!!! Logo a seguir lançamento para o Benfica, invertido...!!! Logo a seguir, jogador do Estoril atira-se para o chão: falta contra o Benfica. Livre marcado, jogador do Estoril em fora-de-jogo (mais uma vez, numa bola parada), e golo para o Estoril!!! O Benfica reagiu, o público reagiu, o Benfica foi à procura do empate, e poucos minutos depois conseguiu... Estava perigoso, o Benfica ia pressionar, o público ia empurrar... Carlos Martins protesta uma falta, inexistente de Salvio, leva amarelo (critério totalmente torto, já que Carlitos passou o jogo todo a protestar tudo e mais alguma coisa e não viu o amarelo...), logo a seguir faz uma falta a meio-campo (falta estúpida  mas...) igual a muitas outras, mas a oportunidade não pode ser desperdiçada, Carlos Martins expulso, e o potencial ímpeto ofensivo do Benfica nos últimos minutos, travado... com 'classe' e sem dar nas vistas: objectivo cumprido!!!

Esta tabela tenta contabilizar os erros mais importantes, durante uma época inteira, mas além de subjectiva é incompleta!!! Por exemplo, aquilo que aconteceu na Choupana não pode ser contabilizado: quantas são as equipas, que abrem literalmente as pernas aos Corruptos, em troca de Fruta, contractos, comissões, favores, permanências de divisão e afins?!!! O cretino do Machado achou importante deixar 3 titulares indiscutíveis no banco, mas mesmo assim não foi suficiente: golo em fora-de-jogo claro, penalty forçado (que existiu), e bolas na linha fundo, com muitas dúvidas se saíram ou não (que a Sport TV fez o favor de esconder!!!), e pronto aos 20 minutos o jogo estava decidido!!! E até deu para marcar um penalty contra os Corruptos, tal foi o à vontade!!!

O Braga beneficiou por 2 vezes do critério largo do Benquerença, em ambas as vezes o Douglão jogou a bola com o braço na área do Braga: no primeiro não acho que seja deliberado (mas já vi penalty's serem marcados a favor dos Corruptos, esta época, em jogadas iguais!!!); no segundo, acho que era mesmo penalty...

Deixei para o fim a crítica aos jogo dos Lagartos por duas razões: primeiro pelo critério alucinado como a maioria dos avençados analisa os supostos penalty's a favor dos Lagartos: então o Cássio faz uma grande defesa aos pés do Wolfcoiso, e a crítica é unânime a afirmar que é penalty?!!! Está tudo maluco...!!!; segundo, para minha surpresa o Proença foi nomeado para o jogo do próximo sábado no antro da Corrupção. Em Paços voltou a ter uma interpretação criativa do atraso para o guarda-redes, mas desta vez os Lagartos não aproveitaram... Ajuizou (bem) uma Bola na Mão do Ilori, vamos ver se o critério será o mesmo no próximo sábado!!! (lance que passou despercebido na maior parte dos avençados...)

Pensei que fosse o Jorge Sousa o escolhido para o jogo de sábado, enganei-me, a falta de vergonha é maior  do que eu pensava!!! Nem vale a pena apresentar o rol completo das queixas do passado, basta dizer que o Benfica nunca ganhou um Clássico ou um Derby com o filho-da-puta do desdentado a apitar, NUNCA!!! E os Corruptos nunca perderam em situações idênticas... quem achar que isto é consequência, é parvo.
Recordo também, que o primeiro grande roubo do filho-da-puta foi no Bessa, no jogo onde o Mantorras foi literalmente 'assassinado', além do penalty sobre o Simão!!! Recordo ainda, aos mais esquecidos  inclusive alguns Benfiquistas, que o ano passado, o golo do Maicon não foi o único erro: primeiro no golo do Maicon, aquilo que se diz, é que foi ele, que não avisou o Ricardo Santos, do momento da marcação do livre; segundo, no 2.º golo dos Corruptos existe uma falta claríssima sobre o Witsel junto da área dos Corruptos; mesmo no 1.º golos dos Corruptos existe um pé alto sobre o Aimar; também perdoou vários cartões aos Corruptos, expulsou o Emerson (curiosamente, quando o Benfica estava em vantagem!!!) perdoando pelo menos a expulsão ao Djalma; teve ainda tempo de não marcar (bem) um penalty contra o Benfica, por mão involuntária do Cardozo num canto, quando o jogo estava empatado (resultado satisfatório para os Corruptos)  e o Benfica jogava com 10 !!!
Recordo ainda, que além das festivais de ladroagem dentro do campo, o desdentado têm-se destacado na presença em homenagens públicas Corruptas... não falha uma... além de presenças em jogos dos Corruptos, onde saí discretamente pelas traseiras, para não ser visto!!!
Se alguém pensa que o filho-da-puta se vai sentir condicionado pelos prejuízos anteriores ao Benfica, acordem...!!!
Se fosse eu a decidir, o Benfica nem sequer deveria comparecer... estou-me a cagar para as consequências. Recordo que os objectivos do Benfica esta época, vão mais além do que este jogo: primeiro, os Corruptos se puderem vão fazer tudo para condicionar os próximos jogos do Benfica, com o Chelsea através de lesões (observem atentamente o Fernando e o Mangala, principalmente quando estiverem perto do Matic, do Salvio, do Nico, do Lima e do Cardozo), e com o Moreirense com castigos (e se der para esticar o castigo para o Jamor, melhor!!!!) pois os Corruptos precisam da vitória em Paços para serem Campeões e portanto a última jornada vai contar, e basta ouvir as escutas para perceber que eles nunca deixam nada ao acaso!!!
Espero que desta vez, pedradas, bolas de golfe, balneários impróprios ou outras coisas parecidas, seja suficiente para dar meia-volta e regressar a Lisboa....

Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
3ª-Nacional(c) V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4ª-Académica(f) E(2-2), Xistra, Prejudicados, (0-3), (-2 pontos)
5ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Marco Ferreira, Prejudicados, (1-5), Sem influência no resultado
6ª-Beira-Mar(c) V(2-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-1), Sem influência no resultado
7ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
8ª-Guimarães(c) V(3-0), João Ferreira, Prejudicados, (4-0), Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave(f) V(0-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
10ª-Olhanense(c) V(2-0), Rui Silva, Nada a assinalar
11ª-Sporting(f) V(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Marítimo(c) V(4-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, (5-0), Sem influência no resultado
13ª-Estoril(f) V(1-3), Duarte Pacheco, Nada a assinalar
14ª-Corruptos(c) E(2-2), João Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Moreirense(f) V(0-2), Capela, Nada a assinalar
16ª-Braga(f) V(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
17ª-Setúbal(c) V(3-0), Vasco Santos, Beneficiados, Sem influência no resultado
18ª-Nacional(f) E(2-2), Proença, Prejudicados, (2-4), (-2 pontos)
19ª-Académica(c) V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Paços de Ferreira(c) V(3-0), Capela, Nada a assinalar
21ª-Beira-Mar(f) V(0-1), Manuel Mota, Prejudicados, (0-3), Sem influência no resultado
22ª-Gil Vicente(c) V(5-0), Duarte Gomes, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
23ª-Guimarães(f) V(4-0), Paulo Baptista, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
24ª-Rio Ave(c) V(6-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
25ª-Olhanense(f) V(0-2), Hugo Miguel, Prejudicados, Sem influência no resultado
26ª-Sporting(c) V(2-0), Capela, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
27ª-Marítimo(f) V(1-2), Manuel Mota, Prejudicados, (1-4), Sem influência no resultado
28ª-Estoril(c) E(1-1), Paulo Baptista, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
-Marítimo(f) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Gil Vicente(c) V(2-1), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, (2-2), (+2 pontos)
5ª-Estoril(c) E(2-2), Nuno Almeida, Beneficiados, (2-3), (+1 ponto)
6ª-Corruptos(f) D(2-0), Jorge Sousa, Prejudicados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Académica(c) E(0-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
8ª-Setúbal(f) D(2-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
9ª-Braga(c) V(1-0), Proença, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
10ª-Moreirense(f) E(2-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
11ª-Benfica(c) D(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Nacional(f) E(1-1), Soares Dias, Nada a assinalar
13ª-Paços de Ferreira(c) D(0-1), Rui Silva, Nada a assinalar
14ª-Olhanense(f) V(0-2), Hugo Pacheco, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Beira-Mar(c) V(1-0), Cosme, Nada a assinalar
16ª-Guimarães(c) E(1-1), Xistra, Beneficiados, (1-2), (+1 ponto)
17ª-Rio Ave(f), D(2-1), Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
18ª-Marítimo(c) D(0-1), Duarte Gomes, Nada a assinalar
19ª-Gil Vicente(f) V(2-3), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-4), Sem influência no resultado
20ª-Estoril(f) D(3-1), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Corruptos(c) E(0-0), Paulo Baptista, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
22ª-Académica(f) E(1-1), Hugo Pacheco, Nada a assinalar
23ª-Setubal(c) V(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
24ª-Braga(f) V(2-3), Jorge Sousa, Beneficiados, (3-3), (+2 pontos)
25ª-Moreirense(c) V(3-2), Soares Dias, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
26ª-Benfica(f) D(2-0), Capela, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
27ª-Nacional(c) V(2-1), Jorge Ferreira, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
28ª-Paços de Ferreira(f) D(1-0), Proença, Beneficiados, Sem influência no resultado

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicados, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicados, Sem influência no resultado
3ª-Olhanense(f) V(2-3), João Ferreira, Nada a assinalar
-Beira-Mar(c) V(4-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
5ª-Rio Ave(f) E(2-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
6ª-Sporting(c) V(2-0), Jorge Sousa, Beneficiados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Estoril(f) V(1-2), Capela, Nada a assinalar
8ª-Marítimo(c) V(5-0), Cosme, Nada a assinalar
9ª-Académica(c) V(2-1), Hugo Pacheco, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
10ª-Braga(f), V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Moreirense(c) V(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
12ª-Setúbal(f) V(-3), Proença, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
13ª-Nacional(c) V(1-0), Rui Costa, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
14ª-Benfica(f) E(2-2), João Ferreira, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Paços de Ferreira(c) V(2-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
16ª-Gil Vicente(c) V(5-0), Paulo Baptista, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Guimarães(f) V(0-4), Marco Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
18ª-Olhanense(c) E(1-1), Cosme Machado, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
19ª-Beira-Mar(f) V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Rio Ave(c) V(2-1), Soares Dias, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
21ª-Sporting(f) E(0-0), Paulo Baptista, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
22ª-Estoril(c) V(2-0), Nuno Almeida, Beneficiados, Sem influência no resultado
23ª-Marítimo(f) E(1-1), João Capela, Beneficiados, Prejudicados, (1-2), (-2 pontos)
24ª-Académica(f), V(0-3), Bruno Esteves, Prejudicados, Impossível contabilizar
25ª-Braga(c), V(3-1), Proença, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
26ª-Moreirense(f), V(3-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
27ª-Setúbal(c), V(2-0), Xistra, Beneficiados, (1-2), (+3 pontos)
28ª-Nacional(f), V(1-3), Cosme, Beneficiados, Impossível contabilizar

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicados, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
3ª-Paços de Ferreira(f) D(2-0), Pedro Proença, Nada assinalar
4ª-Rio Ave(c), V(4-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
6ª-Olhanense(c), E(4-4), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7ª-Marítimo(f), V(0-2), Benquerença, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
9ª-Sporting(f) D(1-0), Proença, Prejudicados, (1-1), (-1 ponto)
10ª-Corrutpos(c) D(0-2), Xistra, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Académica(f) V(1-4), Soares Dias, Nada a assinalar
12ª-Estoril,(c) V(3-0), Nuno Almeida, Beneficiados, (3-1),Sem influência no resultado
13ª-Moreirense(c) V(1-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
14ª-Nacional(f) D(3-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
15ª-Setúbal(c) V(4-1), Duarte Gomes, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Benfica(c) D(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar(f) E(3-3), Hugo Pacheco, Beneficiados, Prejudicados, (4-2), (+1 ponto)
18ª-Paços de Ferreira(c) D(2-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
19ª-Rio Ave(f) E(1-1), João Ferreira, Beneficiados, (1-0), (+1 ponto)
20ª-Guimarães(c) V(3-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
21ª-Olhanense(f) V(0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
22ª-Marítimo(c) V(2-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
23ª-Gil Vicente(f), V(1-3), Xistra, Nada a assinalar
24ª-Sporting(c), D(2-3), Jorge Sousa, Prejudicados, (3-3), (-1 ponto)
25ª-Corruptos(f), D(3-2), Proença, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
26ª-Académica(c), V(1-0), Hugo Miguel, Nada a assinalar
27ª-Estoril(f), D(2-1), Bruno Paixão, Prejudicados, (2-2), (-2 pontos)
28ª-Moreirense(f), V(2-3), Benquerença, Beneficiados, (3-3), (+2 pontos)

LINK's
Épocas anteriores:

O passado não importa mesmo

"Quanto ao Benfica, se quiser ser campeão, tem de ir ao Porto fazer, no mínimo, aquilo que o Olhanense já lá fez esta época.

Quinta-feira, 2 de Maio
O dia começou com a leitura dos jornais e com os ecos das declarações de Vítor Pereira entregando o título ao Benfica, dando-lhe por garantida a vitória sobre o Estoril na próxima segunda-feita, lançando suspeitas sobre a intervenção do presidente do Marítimo no desfecho do jogo do Benfica no Funchal e desvalorizando com grande azedume a Liga Europa, competição de que o seu FCP se viu sonoramente afastado na última época vergado ao peso de uma inóspita goleada na casa do tal Manchester City que haveria de ser, logo a seguir, eliminado pelo Sporting na mesma competição e, algumas semanas mais tarde, campeão de Inglaterra.
O último campeonato inglês resolveu-se, aliás, de modo pouco menos do que alucinado. O City conquistou o título que lhe fugia há décadas nos últimos instantes do tempo complementar do último jogo da prova. Coisas que acontecem no estrangeiro.
No momento mais quente do último campeonato que o Benfica ganhou, vai para três anos, também veio a terreiro o treinador do FC Porto no tudo-por-tudo que lhe competia em função dos interesses do emblema. Só que, ao contrário de Vítor Pereira, Jesualdo Ferreira não se apresentou sozinho na sala de imprensa.
Antes pelo contrário. Levou consigo a equipa toda do FCP. E nem teve que abrir a boca porque a responsabilidade do discurso político foi entregue ao guarda-redes suplente Nuno Espírito Santo. Lembram-se?
Curiosamente, os únicos 2 pontos que o FCP perdeu em casa no campeonato em curso foram-lhe sacados pelo mesmo Nuno Espírito Santo, na pele do treinador do Olhanense que foi ao Dragão cometer o desacato de empatar o jogo.
Imagine-se... logo o Olhanense que desde cedo luta para não descer, que de tão titubeante até já vai no quarto treinador e que, há coisa de semanas, só conseguiu reunir os seus jogadores para a recepção ao Benfica porque um amigo anónimo do presidente apareceu com uma mala forrada a notas para pagar os ordenados atrasados dos seus profissionais.

Carlos Pereira, ponha os olhos nisto!
A solidão de Vítor Pereira na sala de imprensa do Dragão confere-lhe, caso o FCP venha a revalidar o título, mérito total e exclusivo. Abandonado pela estrutura, pelos adeptos e até pela crítica, Vítor Pereira foi sozinho ao tudo por tudo, sem medo das palavras, das apostas feitas e sem medo do ridículo que, nestes casos, é sempre o que mais se deve temer.

O dia terminou com a qualificação do Benfica para a final da Liga Europa onde terá como adversário o Chelsea, apenas o campeão europeu em título. Os ingleses são claramente favoritos e essa é, vista à distância, a vantagem maior do Benfica que não tem de modo algum uma segunda linha de qualidade da segunda linha ao dispor de Rafa Benítez.
Nesta altura da época, em que tudo se decide, o pormenor da segunda linha é muito importante. O Benfica tem vindo a fazer uma época muito valorosa considerando, por exemplo, que só dispõe de dois médios: Matic e Enzo Perez, sendo o argentino uma adaptação feliz ao posto.
Os demais ou são muito novos e inexperientes ou são entradotes na idade e cheios de maleitas pelo que nunca foi possível contar nem com uns nem com os outros de modo regular, efectivo e satisfatório apesar da boa vontade geral.
Mas foi uma bela jogatana contra o Fenerbahçe, lá isso foi. Agora é atirar com a pressão toda de ter de ganhar para cima do Chelsea e esperar, tranquilidade, que ninguém de crucial se lesione até à final de Amesterdão.
Este Benfica tem lidado com muita pressão e até sabe bem passar esse peso, essa responsabilidade, para o adversário que é, francamente, mais poderoso.

Sexta-feira, 2 de Maio
ENTREVISTADO pela Benfica TV, Luís Filipe Vieira escolheu o dia de hoje para afirmar que Jorge Jesus é o seu treinador e que, por isso mesmo, «vai continuar de certeza».
Sobre o assunto já ouvi de tudo. Até adeptos que ansiavam há meses pela notícia ouvi virarem-se contra o presidente. Gente supersticiosa, naturalmente.

Sábado, 4 de Maio
FOI um passeio a viagem do FCP ao Funchal para jogar com o Nacional que se despediu sem mágoas e alegremente do sonho da Liga Europa.
Tão alegremente se despediu o Nacional que, nos últimos instantes do jogo, os seus adeptos desataram a cantar «SLB, SLB, Glorioso, SLB» para espanto e repúdio dos comentadores da televisão que logo censuraram com palavras avisadas o canto dos tresloucados insurrectos.
O presidente do Marítimo que ponha os olhos no presidente do Nacional.

Domingo, 5 de Maio
ENTÃO, Pepe? O que é isso de vir agora atirar-se ao seu treinador, e ainda para mais um seu meio-compatriota, em defesa do Iker Casillas?
Há brechas no castelo português de Chamartín depois da eliminação nas meias-finais da Liga dos Campeões. Isto é mau para a nossa imagem externa. Dá ideia de desunião nacional.
«Em relação ao Casillas tem de haver um pouco mais de respeito. As declarações do treinador não foram as mais adequadas, Casillas é uma instituição no Real Madrid e em Espanha», disse o Pepe que, por sua vez, era uma instituição no eixo central da defesa do Real Madrid até chegar Varane.
O Paços de Ferreira segue embalado para a Liga dos Campeões. Hoje à noite, no seu campo, venceu o Sporting por 1-0, com alguma felicidade, é verdade, mas também conta. Queixam-se os sportinguistas de uma grande penalidade perdoada aos amarelos por Pedro Proença a cumprir o seu jogo de rodagem para o clássico que se avizinha no Dragão. Só pode ser, não é? Tem de haver coerência.
No entanto, foram mais os sportinguistas a queixarem-se das palavras de Jesualdo Ferreira na antecipação ao jogo por ter concedido, sendo o treinador do Sporting, o favoritismo ao Paços de Ferreira. Talvez porque o dito Paços de Ferreira seguia (e segue) no 3.º lugar com mais 14 pontos (agora 17 pontos) do que o Sporting.
O realismo do professor caiu mal. O que não o impede de ser realista. O tempo em que o treinador do Sporting garantia que «ganhar é como lavar os dentes» já lá vai. Respeito.

Segunda-feira, 6 de Maio
MARCO SILVA, é mais um jovem treinador português com muita qualidade e isso mesmo ficou provado hoje na Luz. O seu Estoril jogou quase sempre muito bem, travou o Benfica e esteve sempre mais perto de ganhar o jogo do que de o perder. O resultado para os donos da casa que jogaram os últimos quinze minutos com menos um jogador por causa do tal problema dos médios que já tinha vindo a propósito na última quinta-feira.
Enzo Perez magoou-se e foi substituído por Carlos Martins que só esteve 9 minutos em campo tal foi a rapidez com que acumulou dois cartões amarelos. Faltou «inteligência emocional» a Martins disse Jorge Jesus no fim do jogo recorrendo a um eufemismo no mínimo generoso. Cá está, na fase decisiva da época, o problema da segunda-linha no meio-campo do Benfica em todo o seu esplendor.
No fim do jogo, natural e merecidamente feliz, o treinador do Estoril atirou-se a quem tinha condenado o Estoril a uma derrota certa e inapelável na Luz. Ou seja, atirou-se ao Vítor Pereira. Porque, na verdade, nem o treinador, nem o presidente, nem os jogadores do Benfica cometeram a imprudência de vir a público considerar o jogo com Estoril como de 3 pontos em caixa.
A pressão do título volta assim para o Dragão, obrigado a vencer o Benfica para se recolocar na liderança a uma jornada do fim do campeonato. Quanto ao Benfica, se quiser ser campeão, tem de ir ao Porto fazer, no mínimo, aquilo que o Olhanense já lá fez esta época.
Às vezes, acontece.

Terça-feira, 7  de Maio
«O problema de Pepe chama-se Varane. É frustrante para um jogador de 31 anos ser atropelado por um miúdo de 19 anos. Toda a gente compreende isto», disse Mourinho. É verdade. Até eu tinha percebido.

Quarta-feira, 8 de Maio
«O passado não importa», disse recentemente Jorge Jesus. Houve quem não gostasse. Mas à luz do resultado com o Estoril e da obrigatoriedade de fazer bom papel no Dragão esta coisa do «passado não importa», se calhar, não está mal vista. Antes pelo contrário. O passado não importa. Gosto."

Leonor Pinhão, in A Bola

PS: Hoje, a Leonor, cometeu alguns erros pouco habituais: confundiu o Cajuda - treinador do Olhanense - com o Nuno Espírito Santo; e esqueceu-se das muitas oportunidades de golo que o Benfica teve durante o jogo com o Estoril... mas acertou em cheio na nomeação do Proença!!! Mas essa, dirão alguns, era fácil!!!

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Recordar é viver (V)

Meia-dúzia !!!


Benfica 6 - 2 Candelária

Jogo agradável, rápido, com remates, oportunidades, e boas defesas... Vitória clara, da equipa mais forte.
Estamos a chegar aos momentos das decisões, no próximo sábado recebemos o Noia na Luz na 1.ª mão dos Quartos-de-final da 'Champions', e a seguir vamos ao antro dos Corruptos, onde estamos obrigados a vencer (por 2 de preferência!!!), é verdade que os Corruptos, ainda têm um jogo pseudo-complicado em Oliveira de Azeméis, mas as motivações das outras equipas, é coisa que o Benfica não controla!!!

Novo empate...


Benfica B 1 - 1 Corruptos B

Jogo morno, na 1.ª volta tinha ficado 2-2, agora ficou novamente empatado. Creio que no total do jogo, criámos mais oportunidades, mas continua-se a falhar golos de maneira incrível...

Carga a mais

"Há pequenos factos que decidem tudo. Uma época inteira de êxitos pode ser comprometida por um simples pormenor. No jogo com o Estoril, que relançou todas as dúvidas sobre o título, houve dois momentos decisivos:
1. A cabeçada de Lima aos 10 segundos, que milagrosamente (para o Estoril) saiu na direção do guarda-redes;
2. A lesão de Enzo Pérez aos 19m, substituído por Carlos Martins. O facto de o Benfica não conseguir marcar cedo começou a enervar os jogadores, que falharam depois vários golos fáceis (com destaque para Lima).
E à fadiga nervosa associou-se a partir da meia hora cansaço muscular, potenciado pela lesão de Enzo, um carregador de pianos que muitas vezes levou a equipa às costas. Até porque o seu substituto, além de não estar ao mesmo nível, despediu-se do campo aos 78m, deixando um enorme buraco.
Aqui, veio ao de cima outra realidade: o Benfica não tem plantel para uma carga de jogos e de responsabilidade tão grande. No meio-campo só tem Matic e Enzo. As alternativas são Aimar (que acabou), André Gomes (muito verde) e Carlos Martins (inconstante).
A carreira da equipa esta época foi tremenda, e todos os adeptos devem estar orgulhosos do trabalho feito. Mas deverão ter consciência de que, daqui para a frente, vai ser dificílimo. O plantel está espremido ao máximo. Jesus fez invenções atrás de invenções. Agora já não dá para inventar mais – e há jogadores que estoiraram.
Portanto, benfiquistas: se nada está perdido, tudo daqui para a frente vai ter de ser arrancado a ferros. Até porque o FC Porto normalmente não falha nestas alturas. E o Chelsea é uma constelação europeia de estrelas."

terça-feira, 7 de maio de 2013

Aguarela do Brasil...

"Epidemia sentimental, chamaram-lhe depois das vitórias frente ao Peñarol no Maracanã e ao palmeiras no Pacaembu. O Benfica ganhava prestígio. De Lisboa as felicitações viajavam para o lado de lá do Atlântico.

uma semana falei aqui da primeira deslocação do Benfica ao Brasil. Da festa, do ambiente acolhedor e amigo que a comitiva 'encarnada' foi encontrar, da derrota inicial frente ao Flamengo, por 0-1.
Mas essa digressão não se fez de derrotas, não foi de derrotas que o Benfica construiu a sua história. Por isso, prossigamos. Já no Brasil, claro está! nos dias que se seguiram ao embate com o Flamengo no Maracanã. Acrescente-se que essa estreia na América do Sul foi longuíssima. Os 'encarnados' saíram de Lisboa a 17 de Junho e 1955 e só regressaram a 3 de Agosto, com jogos no Rio de Janeiro e São Paulo para o torneio Charles Miller, e em Caracas para a Pequena Taça do Mundo.
Fiquemo-nos, para já, pelo Brasil. Haverá tempo e espaço, certamente, para batermos de novo nesta tecla sul-americana das viagens do Benfica. O Torneio Internacional do Brasil, ou Torneio Charles Miller (o homem que levou o Futebol de Inglaterra para o velho país irmão) teve a presença de quatro equipas brasileiras (Flamengo, Corinthians, América FC e Palmeiras) e dois convidados especiais, o Peñarol de Montevideu, do Uruguai, e o Benfica, de Portugal. Gente para ninguém botar defeito, como diriam os que falam português com sotaque de açúcar e manga.
Pois, pode dizer-se que, sem ser excelente, o Benfica portou-se à altura. Sobretudo por ser uma primeira vez. Derrotas perante o Corinthians (1-2) e o América FC (2-4) e vitórias sobre o Palmeiras (2-1) e Peñarol (2-0). Valeu! Por isso escrevia-se na imprensa portuguesa, logo após o jogo com os uruguaios: «Que o Maracanã perdeu a cabeça, que o Benfica se transformou na epidemia sentimental e que o Sport Lisboa e Benfica escreveu uma linda página das relações desportivas luso-brasileiras - eis o que é já hoje uma consoladora certeza!».

Palmeiro marcou ao Palmeiras
O Benfica jogara no Maracanã como se fosse em casa. A massa de gente que recebera a comitiva portuguesa no aeroporto e se deslocara ao estádio para ver treinar os homens de Otto Glória - também ele mais uma ponte de aproximação entre o Benfica e o Brasil - adoptara os 'encarnados' como centro do seu maior carinho. E isso foi inegável para os enviados-especiais dos jornais portugueses. «A quem jamais viveu semelhantes momentos de entusiasmo, de verdadeira loucura, será melhor que não tentemos explicar o que se passa nesta soberba capital do Rio de Janeiro». As bancadas do Maracanã agitavam-se vermelhas. Bandeiras e camisolas e gritos de Benfica!, Benfica!, Benfica! Portugueses e brasileiros misturados. À distância do tempo, que tudo reduz a uma insignificância igualitária, não é possível perceber o impacto que a vitória do Benfica sobre o Peñarol, com golos de Coluna e Águas, o primeiro num remate fantástico com o pé esquerdo, o melhor que teve no Futebol português da época. Os adjectivos perdiam-se de vista. As Direcções do FC Porto e do Belenenses trataram de expedir, com carácter de urgência, telegramas para o lado de lá do Atlântico felicitando os dirigentes benfiquistas pelas exibições e resultados obtidos no Brasil. Outros tempos...
No Pacaembu, cheio a rebentar pelas costuras, Águas e Palmeiro marcaram ao Palmeiras. E foi inenarrável o que aconteceu após o jogo. Leiam, não fui eu quem escreveu: «O Benfica, delirantemente aplaudido pelo público que pejava as bancadas deu uma volta de honra ao gramado enquanto que ao ar subiam dezenas de foguetes e morteiros que estralejavam festivamente, dando ao ambiente um ar alacre de alegria vibrante. Nas tribunas, os repórteres brasileiros abraçavam os portugueses presentes exclamando: o Benfica é na realidade um grande Clube! O resultado justo seria de 4 a 1...» Entre o colorido da festa, o Benfica fincava nome por mais um lugar do Mundo. Não tardaria a partir para a Venezuela. O destino da águia é voar..."

Afonso de Melo, in O Benfica

Uma conspiração de estúpidos

"«Quando aparece no Mundo um verdadeiro génio é possível reconhecê-lo através deste sinal: todos os estúpidos se unem contra ele.» É assim que começa o livro de John Kennedy Toole «Uma Conspiração de Estúpidos ». A frase é tirada de Jonathan Swift, alguém que percebia bem o que era a estupidez. Por isso, quando ouvi a fandangueira figura dizer, alto e bom som, que só os estúpidos falam de árbitros, fiquei com a certeza de que estava a preparar-se para falar daquilo que só os verdadeiramente estúpidos falam: ou seja, de árbitros.
Uma vez vi uma cena digna de um filme do Buster Keaton: um grupo de rapazes com camisolas às riscas corria atrás de um árbitro a todo o comprimento de um campo de Futebol; o árbitro era rápido, esquivava-se como uma lebre por entre galgos, corria aos ziguezagues, e a rapaziada às risquinhas atrás dele. Foi grotesco. A fandangueira figura não falou de árbitros nesse dia. Mas, excepto ele, toda a gente falou. Estúpidos, é claro! Uma conspiração de estúpidos!
Um dos empregados da fandangueira figura fala de árbitros todos os dias. Mas esse não é estúpido, é só mandado. Nem todos os estúpidos falam de árbitros; outros falam, mas pouco. A regra mantém-se: são estúpidos que conspiram contra o génio que ilumina o Mundo.
A fandangueira figura fala de árbitros a torto e a direito, mas além disso fala com árbitros, o que o iliba de qualquer género de estupidez.
São assim os estúpidos: dividem-se em classes. Admito que seja um estúpido de primeira classe quando, volta e meia, falo de árbitros. Ou quando os vejo a fugir, ou então aos beijos e abraços aos rapazes de camisolas às riscas. E pergunto-me: o estúpido serei mesmo eu?"

Afonso de Melo, in O Benfica

Falta o... quase

"1. Decisiva (espera-se) vitória na Madeira coloca-nos na rota do título. Está quase. Mas ainda falta o quase e teremos que o garantir em campo. O Estoril não será 'pêra doce' na próxima segunda-feira. Será mais uma final rumo ao principal objectivo da época - o título nacional.
Na Madeira, jogámos bem melhor à procura do golo do que defendê-lo. Chegou a ser enervante a exibição a seguir ao nosso 1.º golo. Foi brilhante a actuação a caminho do 2.º tento. Mas a vitória foi justíssima e... importantíssima. Vamos a isto Benfica! Vamos encher o Estádio na 2.ª feira e levar a equipa a novo triunfo, a caminho do título. Está quase. Mas falta esse... quase!

2. Tive oportunidade de assistir ao Benfica-Fenerbahçe nas novas (e excelentes) instalações da Casa do Benfica no Porto, com três andares na Rua de Santa Catarina, onde a Casa, aliás, foi fundada, em 1988. Só foi pena apenas ter sabido da mudança depois do Benfica-Sporting, razão por que, com outros consócios, fiquei à porta da Rua de Camões, onde a Casa esteve instalada nos últimos anos. Ter-se-ia imposto uma melhor divulgação da mudança de instalações... que só na passada semana foi finalmente actualizada no nosso site...

3. Admitamos que João Capela não assinalou duas grandes penalidades no Benfica-Sporting. Mesmo assim, o Benfica ainda tem saldo negativo neste Campeonato: foi mais prejudicado (em dois jogos - quatro pontos) que beneficiado (um jogo - dois pontos). Bem ao contrário do Sporting, beneficiado numa série de jogos... incluindo o desta última jornada. Quanto ao FC Porto, que ao longo de anos e anos teve os árbitros na mão (e ainda agora há dúvidas relativamente a alguns...), não tem qualquer moral para falar. E nunca vi ou ouvi o comentador Rui Santos, que agora vem falar em 'Liga Capela', escrever ou falar em 'Liga Proença', por exemplo...

4. Soma e segue. Infelizmente. A (triste) actuação dos No Name no Benfica-Sporting custou ao Clube mais 12.750 euros, ou seja, a quota de 1062 sócios. Ao longo do campeonato já vão 130.128 euros. Estiveram 10.844 sócios a pagar as suas quotas para isto. Já sem falar nos 72 mil euros de multas da UEFA só esta época. Volto a perguntar: até quando?"

Arons de Carvalho, in O Benfica

Humildade

"Quatro pontos de avanço, a escassas três rondas do termo da competição, ficam bem ao Benfica, na antecâmara do título nacional. A trajectória tem sido fulgurante, também na Taça de Portugal, projectando uma "dobradinha" que o nosso Clube não consegue há mais de duas décadas.
Nesta altura, vive-se uma atmosfera de euforia nas hostes "encarnadas". Sem qualquer derrota nas provas domésticas, o Benfica tem patenteado uma superioridade inequívoca, de resto aceite até por alguns dos seus habituais opositores ou mesmo detractores. O entusiasmo faz todo o sentido, é contagiante, é estimulante, é excitante. Ainda assim, tal como insistentemente têm referido os principais responsáveis, em particular o presidente, Luís Filipe Vieira, e o treinador, Jorge Jesus, importa não subestimar os antagonistas (Estoril, FC Porto, Moreirense e V.Guimarães) e cultivar humildade.
Que também fica bem ao Benfica. A luta, em particular com o rival do Norte, vem sendo titânica. Em desespero, do Dragão disparam-se atoardas com o fito de inquinar o previsível desfecho das competições. Com elevação, mas também com firmeza, a estratégia tem sido denunciada, tem sido desmontada. O Benfica não marca só (muitos) golos no campo, marca também (muitos) golos nas palavras.
Sem sobranceria, sem jactância, sem triunfalismo exacerbado, esta temporada pode ficar nos anais do Clube como uma das mais saborosas e produtivas. Pode e vai ficar, certamente. Da mesma forma que se prova à saciedade quão importante é manter a humildade, ao invés de outros que tudo prometeram, inclusive a Liga dos Campeões. Eles pagam a factura da arrogância, nós ganhamos o registo da modéstia. Da modéstia vitoriosa e convincente."

João Malheiro, in O Benfica

Praia à vista

"No momento em que esta edição chegar às bancas, já será conhecido o desfecho da meia final da Liga Europa. Já saberemos se o Benfica regressou a uma Final, 23 anos depois de Viena, ou se, pelo contrário, se quedou por uma presença honrosa - que, em condições normais, será suficiente para na próxima temporada nos colocar como cabeça-de-série do sorteio da Fase de Grupos da Champions League, e como brilhantes sextos classificados no ranking da UEFA, apenas superados por Barcelona, Bayern de Munique, Real Madrid, Manchester United e Chelsea.
Independentemente do que a frente europeia nos tenha reservado, o principal objectivo da temporada (a conquista do Campeonato) está cada vez mais perto de ser atingido. Há umas semanas atrás, nestas mesmas páginas, referi ser minha convicção que cinco vitórias consecutivas seriam suficientes para, senão festejar o título, pelo menos encomendar as faixas. Essa série de cinco jogos termina justamente na próxima segunda-feira, quando, no nosso Estádio, recebermos uma das grandes revelações da época: o Estoril-Praia.
Caso consigamos ultrapassar esta etapa - cuja dificuldade, para além do valor do adversário, encontrará razão no desgaste do jogo com o Fenerbahçe, e de toda a época cada vez mais longa -, entraremos no Estádio do Dragão com uma vantagem que nos põe a salvo, quer de uma noite menos conseguida, quer dos subterfúgios a que o FC Porto recorre quando vê as coisas escaparem ao seu controlo (chamem-se Proenças, Casagrandes ou bolas de golfe). Pelo contrário, uma escorregadela diante do Estoril deixar-nos-á à mercê de todos esses factores, podendo pois dizer-se que - segunda-feira sim - estamos perante 'o' jogo do título. Importa deste modo perceber a relevância da ocasião, e criar uma onda de apoio capaz de, a partir das bancadas, ajudar a equipa a chegar à vitória. Um Estádio cheio será a força suplementar que, depois de tanto mar (como dizia Chico Buarque), nos conduzirá à terra prometida e ao cheiroso alecrim da festa."

Luís Filho, in O Benfica