Últimas indefectivações

sábado, 25 de agosto de 2012

Perguntem aos fundadores



"Uma das variadíssimas coisas que me emocionam sempre no Estádio da Luz (e, em dia de jogo, sinto quase tantas emoções quanto o elenco da Anatomia de Grey durante uma operação à vesícula) é o facto de um consócio meu considerar relevante levar para o estádio uma enorme tarja com o rosto de um dos fundadores do Benfica. Talvez o conceito de sofisticação ditasse que fosse mais apropriada a imagem de um jogos jogadores 'encarnados' em campo. Mas, por outro lado, é inegável que a opção escolhida tem a vantagem de, caso não haja nenhum imprevisto de última hora, Cosme Damião já não vir a mudar de clube. Seja como for, a imagem que essa tarja proporciona - a de Cosme Damião olhando o relvado, as bancadas, os jogadores, os adeptos, os adversários, os dirigentes - presta-se a uma reflexão mística: perante tudo isto, o que estará ele a pensar?
Este exercício de imaginação não se torna assim tão esotérico, uma vez concluída a leitura da biografia de Cosme Damião, assinada por Ricardo Serrano (Editorial Zebra). Eis uma passagem muito esclarecedora sobre a natureza do nosso clube: 'A certa altura, Artur José Pereira é carregado de forma violenta por um adversário galego. Arrependido da entrada, o jogador espanhol dirige-se ao jogador português para o ajudar a levantar. Artur José Pereira (compreensivelmente magoado e no calor do jogo) responde com algumas injúrias na linguagem fluente do bom futebol, e com tal intensidade que feriu os castos ouvidos de algumas senhoritas que se encontravam perto do local da ocorrência. Cosme Damião, zangado com a atitude menos correcta do seu jogador, expulsa-o de campo, obrigando-o a recolher aos balneários. Para vincar o desagrado pela acção pouco correcta do seu médio, fechou-o no quarto de hotel justamente na altura em que, a convite do Real Clube da Corunha, se realizava um banquete de homenagem à equipa benfiquista." (pp. 87-88).
E outra: 'Menos de dois meses depois, o Benfica receberia uma das melhores equipas estrangeiras que passaram por Portugal nessa década: os escoceses profissionais do Third Larnack. Em jogo apitado por Cosme Damião (provavelmente por estar ainda magoado), o Benfica perde por 4-1." (pp, 97-98).
Quando uma instituição se encontra numa encruzilhada - desportiva, financeira, ética -, há uma boa alternativa a painéis de comentadores e a sondagens junto de notáveis do clube. Essa alternativa é perguntar aos fundadores. Testemunhar, ainda que de forma indirecta, a vida de Cosme Damião é muito esclarecedor, não só do ponto de vista de identidade do nosso clube, mas também no que diz respeito ao questionamento dos nossos próprios valores pessoais.
Há muitos benfiquistas, ainda para mais numa altura em que se aproximam eleições, que pensam poder vir a influenciar os destinos do clube.
Mas, bem vistas as coisas, é muito mais provável que seja o Benfica, a sua história e os seus valores, a influenciar o nosso destino pessoal."

Miguel Góis, in Mística

Nem há culpas nem há desculpas

"“Não há desculpas”, disse Vítor Pereira aos jornalistas na véspera do jogo em Barcelos que significaria o arranque do campeonato para os campeões. Era forte a convicção do treinador do FC Porto na vitória sobre o Gil Vicente. E tão confiante estava nos primeiros 3 pontos que se atreveu a dizer, antes do jogo, que não haveria desculpas para qualquer outro resultado. Vítor Pereira, no entanto, sabia ao que ia. Nem sequer poderia estar à espera de um Gil Vicente de ataque, a disputar taco-a-taco o jogo. Vítor Pereira avisou-se a si próprio: “O adversário vai ser uma equipa organizada, compacta, com linhas bem fechadas”, dissera na véspera.
Concluindo, não havia desculpas. Palavra do treinador antes do jogo. Depois do jogo a primeira desculpa foi de índole vegetal.
- A relva estava altíssima.
A segunda desculpa foi para o anti-jogo do adversário que se apresentou, tal como Pereira tinha previsto, organizado, compacto e com linhas bem fechadas. Para quem não saiba, o resultado saldou-se num 0-0 que não estava nas contas. Também é verdade que a relva por estar altíssima não ajudou nada. Começou assim o campeonato de 2012/2013. Uns culpam a relva e outros culpam-se a si próprios, como aconteceu na Luz depois do empate de estreia, depois de 2 pontos perdidos de modo absurdo e depois de, por unanimidade, os 50 mil presentes terem absolvido de qualquer culpa o infortunado Melgarejo. Trata-se, para quem não sabe, de um jovem paraguaio a quem cabe, temem os mais pessimistas entre os benfiquistas, representar este ano o papel que no ano passado representou Emerson e que há dois anos representou Roberto, outros dois infelizes estrangeiros que passaram pela Luz carregando às costas a maldição das indecisões alheias.
No Benfica, no entanto, não há só profetas da desgraça. Também há benfiquistas muito optimistas para quem a assinatura indelével de Melgarejo nos dois golos do Sporting de Braga foi um momento de sorte que poderá valer uma época inteira no sentido em que só um duplo falhanço daquele calibre logo de entrada poderá obrigar a SAD da Luz a contratar, finalmente, um lateral-esquerdo. No que diz respeito à relva na Luz, nada a apontar. Está impecável. Não teve culpa nenhuma.

ERRAR É HUMANO
Revivendo o passado em Portimão
Com o ingresso das equipas B dos grandes na II Liga, a competição viu o seu estatuto melhorado e passou a merecer grande atenção. Com os grandes-B em acção, a II Liga até pode vir a ter uma importante função social: lá mais para diante, se alguns dos grandes forem perdendo fulgor e ambição na I Liga, será na II Liga que se refugiarão os adeptos na procura de entretenimento e de consolos mais à mão de semear.
Na última jornada, em Portimão já foi grande o entretenimento, fazendo até recordar os tempos da épica e desproporcionada rivalidade entre o Portimonense e o FC Porto na década de 80 do século passado, quando umas quantas indizíveis arbitragens em jogos entre os dois emblemas deixaram a cidadezinha do Sul em polvorosa. Passaram-se muitos anos mas no último Portimonense-FC Porto fez-se jus à tradição. O Portimonense vencia por 1-0 aos 94 minutos mas o FC Porto empatou aos 95 minutos do tempo suplementar que, por exemplo, foi considerado excessivo pelo articulista do “Record”. O golo do FC Porto chegou tarde, dirão os portistas. Já os portimonenses dirão outra coisa: que o golo do FC Porto nem chegou a chegar porque a bola não entrou na baliza de Márcio Ramos. Houve zaragata e houve expulsões. Saíram todos zangados. Temos II Liga!

POSITIVO
Nélson já brilha
No seu primeiro jogo oficial coma camisola do Corunha, Nélson Oliveira saltou do banco aos 64 minutos para assinar o golo mais espectacular da primeira jornada do campeonato espanhol. Que chapéu!
Der Gaag na frente
Excelente o arranque do Belenenses na II Liga sob o comando do treinador holandês Mitchell Van der Gaag. Três jogos, três vitórias e a liderança isolada da tabela. Sinais de esperança no Restelo, finalmente.

NEGATIVO
Pobre Melga
Ninguém merece uma coisa daquelas. E Melgarejo muito menos. A estreia oficial do paraguaio adaptado a lateral-esquerdo ficou marcada por um auto-golo e um atraso fatal que resultou no golo do empate do Braga.

PÉROLA
“GOSTAVA DE JOGAR EM ESPANHA.”, James
Calma aí, rapaz, ainda há muita gente à tua frente nessa repartição. Ninguém duvida de que o futebol português é o portal para outras Ligas mais sonantes para os sul-americanos que aterram cá no burgo. Mas com os caso de Hulk por resolver, ninguém no Dragão quer um caso James em linha."

O nojo e a falta dele

"Inimputável, o Gaseificado tece considerações neurasténicas sobre a vergonha, que é coisa que não tem. Fala, desesperado para que o ouçam, mas a sua voz é entaramelada de mentiras e saliva velha. Os seus acólitos, viciados no jogo e em prostitutas, riem-se mais pela força do hábito do que pela obrigação de untar o chefe. Há já muito pouca gente que lhe preste atenção, tão dementes são as suas frases, tão tacanho é o seu raciocínio. Ainda assim, o Gaseificado abre e fecha a boca como um peixe fora de água, largando chalaças pobres enquanto cospe. O mundo está do avesso e ele sabe-o. Lançar um saco de pedras de calçada do alto de um viaduto sobre um carro em movimento não é crime. Os autores da façanha riem-se em casa quando a noticia passa na televisão. Terão a sua recompensa. Inepta, a polícia ri-se também: há lugares do país onde ela não foi criada para perseguir celerados e sim para proteger os mentores de tais façanhas.
Perguntem-lhes, por exemplo, sobre um fotógrafo que foi atropelado. Houve investigação? Claro que não! Que importância tem tal episódio? Perguntem-lhes pelos jornalistas agredidos, um até em directo na televisão. Podem perguntar. Eles não respondem. Perguntem-lhes por aqueles que atiraram bolas de golfe e pedras para dentro de um relvado. E, de novo, o silêncio. O Gaseificado é mais do que inimputável, é protegido por quem tinha obrigação de nos proteger dele. Os polícias tapam os ouvidos, fecham os olhos, calam as bocas como os macaquinhos da história. Os árbitros às vezes estão de cócoras, outras vezes rastejam: compram-se facilmente a preço da chuva, graças a fruta e café e chocolate e, se calhar, até a um carro para o chefe. Os juízes vergam a cerviz, sujando miseravelmente a nobreza da profissão em troca de viagens e bilhetes para o camarote do figurão. Já não se trata de vergonha, trata-se de nojo. E tudo isto mete nojo. Muito nojo!"

Afonso de Melo, in O Benfica

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Ivan Cavaleiro até 2018



Mais uma renovação de contrato com um jovem esperança do Benfica. O Cavaleiro é neste momento o melhor marcador da equipa B... algo que merece realce, até porque estamos a falar de um extremo...
É rápido, tem força, gosta de driblar, falta-lhe maturidade, ainda demonstra alguma ingenuidade, tem que aprender a manter a concentração durante os 90 minutos... mas temos aqui, claramente, muito potencial.
Creio que o Ivan será um dos grandes beneficiados com a equipa B... e se tudo correr bem, irá ao Mundial Sub-20 (acompanhado, provavelmente, pelo Bruno Varela, o Daniel Martins, o Cancelo, o André Gomes, o Cafú, e o Dino...), que servirá de 'montra' internacional, para demonstrar todo o seu talento...

Melgarejo pode ser novo Roberto

"O FC Porto com Hulk e João Moutinho teve galo em Barcelos e não aproveitou a ajuda de Lorenzo Melgarejo.
Melgarejo tem tudo para ser um grande jogador e titular permanente do Benfica e está a um passo de se tornar no Roberto desta época.
Um autogolo e um passe para o adversário tiraram ao Benfica o direito de se queixar de um terceiro golo limpo, de uma falta sobre o Rodrigo ou de um segundo amarelo ao Alan que ficou no bolso. Sem erros de arbitragem tínhamos ganho no sábado, mas devíamos ter feito mais para ter outro resultado.
Bem o SC Braga, que tem um excelente treinador e só não é candidato ao título por ter um guarda redes caricato que optou por atitudes circenses o jogo todo, simulou faltas, e beneficiou da desatenção de Soares Dias que não voltará a cair naquelas fitas. Mas o elogio ao SC Braga é devido e merecido.
Ninguém elogia tanto Jorge Jesus como eu, mas não percebi porque não jogou Carlos Martins que foi, para mim, o melhor jogador na pré-época.
Duarte Gomes esteve melhor que Soares Dias num aspecto irritante do nosso futebol: SC Braga e Gil Vicente usaram os truques do anti-jogo para queimar tempo e qualquer pequena brisa atirava os jogadores para o chão. Em Barcelos jogou-se mais 5 ou 6 minutos, na Luz apenas 4. Tudo o que se puder para combater o anti-jogo é bom.
Uma maratona de 30 jogos não dá para lamentos e Jorge Jesus tem que pôr as tropas alinhadas para o combate de Setúbal. É lá o combate de Domingo e é lá que teremos que nos pôr no trilho do campeonato."

Sílvio Cervan, in A Bola

Entre o ensaio e a estreia

"A pré-época é constituída por um equilíbrio difícil, pois pede-se que se experimentem possibilidades e se sedimentem realidades. Vive-se entre a possibilidade e a realidade. Vive-se entre o ensaio e a estreia.
Nesta pré-época, o Benfica defrontou, essencialmente, equipas fortes, bem estruturadas e pôde ensaiar várias possibilidades. Vimos bons jogos do Rodrigo Mora (entretanto dispensado do plantel); vimos excelentes jogos do Carlos Martins (entretanto dispensado da titularidade no primeiro jogo da época); percebemos que Ola John tem um imenso talento, mas ainda precisa de se adaptar a novas exigências; sentimos um bom potencial em Luisinho e no adaptado Melgarejo, mas sentimos também que, apesar do valor que poderão vi a ter, o lado esquerdo da defesa pede tempo de adaptação à equipa e esta não tem tempo para dispensar. Sentimos que Maxi é super, mas continua a precisar de uma alternativa (aparenta ser Cancelo, grande esperança que encanta na equipa B). Assim, também aqui apostamos na possibilidade, enquanto nos preocupamos com a realidade de não ter, efectivamente, dois futebolistas de nível idêntico para o lado direito da defesa.
A pré-época serviu para tudo isso e para muito mais. Serviu, por exemplo, para mostrar como a equipa está muito rotinada em jogar apenas com um ponta de lança e com um povoamento maior do meio campo. Entretanto, o começo da época chegou. Acabou-se o ensaio e chegou a estreia. A estreia serviu para perder dois pontos, serviu para ver um árbitro português em acção, serviu para perceber que muito do ensaiado não foi estreado. Serviu para acordar o cepticismo dos adeptos e deseja-se que tenha servido como um alerta bem claro, óbvio e sonoro de que algo está a correr mal, apesar de serem dadas todas as condições para que corra bem."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

A glória discreta

"Nunca teve perfil de 'estrela'. Mas dentro de campo era craque e operário ao mesmo tempo. Fora dele, continuou a ser pedra basilar no clube

O nome que baptiza o mito: Jaime Silva Graça. A cidade onde nasceu: Setúbal. Data de 10 de Janeiro de 1942. Tudo começou no Palmelense. Depois o Sado. Com jeito para a bola (tal como o irmão, Emídio, que jogou no Sevilha), Jaime Graça singrou no Vitória de Setúbal, onde se estreou aos 17 anos.

ÍDOLO NO BONFIM E NA LUZ
Ali ganhou fama, não só pelas qualidades técnicas e visão de jogo como também pela garra com que actuava no meio campo dos sadinos. Até 1966, foi no Bonfim que brilhou, consquistando mesmo uma Taça de Portugal numa final em que até fez o gosto ao pé. Talento reconhecido, tornou-se internacional. O Benfica não esperou mais tempo. E em boa hora contratou Jaime Graça. Venceu, de águia ao peito, o Campeonato Nacional nas épocas de 1966/67, 1967/68, 1968/69, 1970/71, 1971/72, 1972/73 e 1974/75 e a Taça de Portugal nas épocas de 1968/69, 1969/70 e 1971/72. Pelo meio, uma final da Taça dos Campeões Europeus jogada em Wembley, mas infeliz no resultado. 4-1 para o Manchester United, num jogo que até foi resolvido apenas no prolongamento. Tudo porque Jaime Graça apontou o belíssimo golo benfiquista que obrigou aos 30 minutos extra.
No Benfica, totalizou 159 jogos e marcou 19 golos.

O DIA EM QUE SALVOU EUSÉBIO
Mas foi de extrema importância também fora dos relvados, quando salvou a vida de Eusébio e de Malta da Silva ao aplicar os conhecimentos de electricista e ao desligar rapidamente o quadro de electricidade depois de um curto circuito durante uma sessão de hidromassagem que, infelizmente, tirou a vida a Luciano.
Na Selecção Nacional jogou em 36 ocasiões, 12 delas pelo V. Setúbal, entre 1965 e 1972. Muitos ainda se recordam da estreia. Uma partida fulcral no apuramento para o Mundial de 1966, em que Portugal goleou a Turquia e em que Jaime Graça atirou a contar. Na fase final, integrou mesmo o lote de 22 'Magriços', tendo sido totalista na competição que valeu o terceiro lugar a Portugal. Ponto alto da carreira, espalhou magia e classe por terras de Sua Majestade. A despedida das Quinas surgiu em 1972, quando Portugal terminou a Minicopa em segundo lugar. Mas ajudou José Torres, como adjunto, no Mundial de 1986.

DEDICADO À FORMAÇÃO
Depois de ter abandonado os relvados, dedicou-se ao futebol jovem, onde foi bicampeão nacional de juniores e ajudou a formar muitos jogadores que vão trilhando carreiras por esse Portugal fora. Nélson Oliveira, por exemplo, é um apoio fulcral no processo de aprendizagem e de adaptação a uma nova realidade.
Faleceu a 28 de Fevereiro de 2012, aos 70 anos. O mundo benfiquista prestou-lhe sentida homenagem. Um sentimento comum a todos os portugueses, ou não fosse Jaime Graça um marco representativo do período mais dourado do futebol português."

Ricardo Soares, in Mística

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

(A)Gosto

"1. A Volta a Portugal é (com boa vontade) uma volta. Mas não é a Portugal. Talvez ao Minho e Beiras. Cada vez mais se ignora o Sul, o Alentejo e o Algarve. Coisa de somenos.
2. Há equipas ciclistas que equipam de amarelo, assim se confundindo com o camisola amarela. É como no futebol o árbitro equipar-se como os jogadores de uma equipa.
3. Gostaria de adivinhar quantos jogadores mudarão de clube até 31/8, por causa de uma estapafúrdia disposição que favorece escandalosamente os tubarões compradores e as mais endinheiradas ligas?
4. O Benfica, pela primeira vez em 108 anos, iniciou o campeonato com 14 jogadores estrangeiros. No ano passado, em Barcelos, ainda jogou Rúben Amorim, lembram-se?
5. As pré-épocas devem premiar quem melhor as inicia. Carlos Martins foi provavelmente o grande destaque do SLB. Supreendentemente não jogou contra o Braga. Diz a BOLA que jogará em Setúbal. Oxalá!
6. Ainda vamos na 1.ª jornada e já há treinadores, como o do FCP, a culpar o árbitro, por maus resultados. Mal habituado, pelos vistos...
7. Estou curioso em ver o excelente guardião Beto e essa invenção de craque chamado Rúben Micael a fazerem no Dragão o que fizeram na Luz. O primeiro a demorar eternidades a despachar a bola (e sem amarelo!) e o segundo a sorrir desde o aquecimento até ao fim do jogo como se estivesse a gozar num parque infantil.
8. Por que será que quando o FCP não está a ganhar o tempo de desconto estica para além do generoso bónus exibido pelo 4.º árbitro? Em Barcelos foram 5+2 (ou seja 16% de 45 minutos...)"

Bagão Félix, in A Bola

Crescer... nas vítórias e nas derrotas !!!



Naval 2 - 1 Benfica B

Na era do Online, é estranho este jogo não ter sido transmitido por ninguém!!!
Assim, as estatísticas dizem que rematamos mais, tivemos mais cantos... mas, começamos a perder aos 3 minutos, e ainda na 1ª parte ficamos a perder por 2-0... Marcámos perto do fim, ainda tivemos oportunidades de empatar, mas não conseguimos...
Sem o Jardel, voltámos a jogar com jogadores adaptados na zona Central da defesa, um problema que com a entrada do Ascues poderá ficar remediado... Defendo a algum tempo que o Cancelo tem um potencial enorme - antes de se ter tornado 'conhecido'!!! -, mas tem que melhorar a concentração defensiva, e hoje parece que os golos da Naval foram 'construídos' na sua zona de influência...
A Naval é uma das equipas mais experientes nesta Liga, a época passada teve quase a subir... é verdade que este ano, na 1ª jornada perdeu em casa, mas foi com o Soares Dias a marcar 3 penalty's contra, nos últimos 5 minutos!!!
Mesmo assim o pior momento do jogo poderá ter sido a lesão do Luciano Teixeira, espero que não seja grave...

PS: Deve ter sido coincidência, mas os Corruptos B em Portimão empataram ao minuto 95 numa bola que não entrou na baliza... de seguida, praticamente toda a equipa técnica do Portimonense foi expulsa!!!
Os Lagartos B, em Rio Maior receberam o Sporting da Covilhã, foram completamente dominados, os Serranos fartaram-se falhar golos, mas numa discussão entre um jogador da Covilhã e o treinador Lagarto - Oceano -, o jogador foi expulso!!! E os Lagartos em superioridade numérica venceram... E para não destoar, praticamente toda a equipa técnica do Sporting da Covilhã foi expulsa no final da partida!!!
Tão amigos que eles são...!!!

Os bons costumes da Cochinchina

"O presidente do FC Porto diz que não sabe porque foi o presidente do Benfica à Alemanha pedir desculpa. A gente explica-lhe: pedir desculpa é acto de nobreza

COM uma semana de atraso, o presidente do Benfica fez o que devia. Foi à Alemanha pedir desculpa ao presidente do Fortuna de Dusserdorf e ao presidente da Federação alemã pelo incidente entre Luisão e o árbitro Fischer.
E como o jogo não chegou ao fim, por abandono do árbitro com ou sem «comoção cerebral», como preferirem, adianta a imprensa que Luís Filipe Vieira terá ido à Alemanha também para devolver o cachet cobrado pelo Benfica pela sua presença no desgraçado jogo.
O comportamento do presidente do Benfica honra o clube, honra-o a ele, ainda que tenha demorado a seguir viagem, e honra também Luisão e todos os jogadores do Benfica porque ficaram a saber que o presidente dá a cara por eles e pede desculpa por eles quando não se comportam como lhes é, certamente, recomendado.
O mundo não é perfeito, já sabíamos. Há quem goste de cenas de empurrões aos árbitros e há até quem veja nessas práticas uma escola de sucessos. Delinquentes e gente com má formação há em todos os clubes, não é?
Depois de ir ao estrangeiro provar que o Benfica é um clube de bem e quem a delinquência não é a bandeira mais vibrante da nossa história e que a impunidade jamais será um distintivo que nos faça crer que somos melhores e mais espertos do que os demais, depois disto tudo, ainda o presidente do Benfica viajava no avião de regresso a Lisboa e já o presidente do FC Porto perorava sobre o assunto.
«Não sei porque é que foi a correr entregar o dinheiro e pedir desculpa», disse.
A imprensa publicitou o comentário do presidente do FC Porto que não mereceu maior revelância nem mais psicanálise do que mil outros já ensaiados e debitados por Pinto da Costa sobre a vida do rival. Mais do mesmo, disseram todos. Mas não é assim.
Atente-se, uma vez mais, nas palavras do presidente do FC Porto:
«Não sei porque é que foi a correr entregar o dinheiro e pedir desculpa.»
Com todo o respeito pelo FC Porto, um grande clube que, ao contrário do que se possa supor não nasceu há trinta anos e tem uma longa, bonita e honrosa história pré-Pinto da Costa, nunca o presidente do FC Porto disse nada de tão gravemente preocupante como o que afirmou a propósito da expedição à Alemanha do seu homólogo do Benfica.
Não sabe porque é que Vieira foi a correr pedir desculpas?
Não sabe porque é que Vieira foi a correr entregar o dinheiro?
Incrível, para mais tratando-se de um dirigente com muitos e muitos anos de experiência e de vida. Acreditará piamente Pinto da Costa que os actos não têm consequências? Permanece insondável o que o leva a ver as coisas por esse prisma tão ligeiro e peculiar num adulto quando até às crianças se ensina, desde a tenra idade, que os actos têm sempre consequências e que saber pedir desculpa é o primeiro passo de entrada numa vida em sociedade.
Se é verdade que Pinto da Costa não sabe porque é que Vieira foi à Alemanha pedir desculpa e devolver o dinheiro, também é verdade que qualquer escuteiro de 12 anos lhe pode explicar.
O presidente do Benfica foi pedir desculpa ao presidente da Federação alemã e ao presidente do Fortuna de Dusseldorf porque um jogador do Benfica, o capitão, sem senso nem parcimónia, derrubou um árbitro no decorrer de um amigável entre o Benfica e o Fortuna de Dusseldorf e o jogo não chegou ao fim.
O presidente do Benfica foi pedir desculpa porque para o Benfica, um grande clube que também tem uma história pré-Vieira, não é motivo de orgulho nem atirar com árbitros, nem atira-lhes com botas ou peças de fruta, nem persegui-los pelo campo fora.
E, por isso mesmo, o pedido de desculpas de Luís Filipe Vieira é mais do que justificado, ainda que tardio. Óptimo teria sido que o presidente do Benfica tivesse ido à Alemanha mesma a correr, como disse Pinto da Costa. Ou seja, logo no dia seguinte ao episódio Luisão.
O presidente do FC Porto disse também não saber porque foi o presidente do Benfica «a correr entregar o dinheiro» ao presidente do Fortuna de Dusseldorf.
Incrível, outra vez. É que entra pelos olhos dentro que cabendo ao Benfica a responsabilidade pela interrupção do jogo para que fora contratado não podia, de maneira alguma, ter veleidades de receber o cachet por inteiro. De outra maneira era vigarice. Ou não é assim?
Mas em que Cochinchina, em que mundo é que vive o senhor Pinto da Costa onde as coisas se passam de maneira tão diferente? Que mundo é esse, tão diferente dos padrões da desejável normalidade, onde, aparentemente, é impossível um dirigente pedir desculpa a quem quer que seja sem lhe caírem aos pés os galões?
Como resolveria o presidente do FC Porto o caso se o dito caso lhe dissesse respeito?
Não havia desculpas para ninguém? Não devolveria o guito?
Com um cafezinho ao árbitro é que não ia a lado nenhum, certamente.

LUÍS FILIPE VIEIRA jantou secretamente com José Eduardo Moniz e o secretismo foi tal que no dia seguinte havia fotografias nos jornais. Há três anos, a hipótese de uma candidatura de José Eduardo Moniz suscitou grande e efémero entusiasmo entre alguns benfiquistas decididamente menos afectos à obra do presidente em exercício. A coisa pôs-se até feia entre Vieira e Moniz e não foram nada suaves as acusações trocadas entre os dois na altura.
Tudo isso, espera-se, deve ter sido ultrapassado neste jantar secreto de terça-feira porque é precisamente para isso que o secretismo também serve. Para as conciliações em público serem em voz baixa. E como são os dois benfiquistas decerto que pediram desculpa um ao outro, como mandam as boas regras de conduta.
E pronto. Está resolvido o assunto, vai uma aposta? José Eduardo Moniz não se candidatará contra Vieira em Outubro. Mas o progresso não fica por aqui. Com um bocado de jeito, Moniz ainda vai a votos, mas na lista de Luís Filipe Vieira, num cargo que possa ser considerado como um desafio irrecusável por qualquer escuteiro de 12 anos.
A situação não deixaria de ser curiosa sobretudo porque muitos benfiquistas acreditam que o próximo triénio será o do tão anunciado combate final contra Joaquim Oliveira e a sua Olivedesportos. E, nesse combate específico, a peça Moniz estava a fazer muita falta. Ou não estava? A seu tempo se verá.

NINGUÉM foi a jogo com a Sport TV e a estação de Joaquim Oliveira vai transmitir todos os jogos do Campeonato Nacional em sinal fechado. É assim que se apresenta a situação no arranque da temporada. Futebol na televisão é a pagar. A não ser que venha por aí um ministro plenipotenciário que obrigue a RTP a gastar os seus últimos milhões e a dar uma mãozinha à Sport TV na despesa. Chama-se a isto dividir o bem pelas aldeias. O importante é o serviço público. E trocos são trocos. No mundo da bola não há cá troikas a mandar na gente.

PRIMEIRA jornada completa com um número imenso de empates. Não houve grandes casos de arbitragens, o que se saúda. Só no jogo da Luz entre o Benfica e o Braga é que um árbitro conseguiu estragar o panorama geral invalidando um golo limpo ao Benfica e expulsando indevidamente um jogador do Braga. Como estas coisas sempre acontecem e tocam a todos, não vamos entrar em desatinos com o assunto. Espera-se apenas que a próxima má arbitragem não calhe outra vez ao Benfica. É só confiar nas estatísticas e na sorte. Felizmente que ninguém responsável do Benfica se pôs a criticar o árbitro e o sistema. Grande fair-play porque aquele golinho valia mais 2 pontos. Mas ninguém atirou com o árbitro ao chão. Nem ninguém se zangou com o pobre do Melgarejo. Não houve escândalo na Luz, ainda bem. Assim sendo, ficou só e desacompanhado o único escândalo da primeira jornada, lamentavelmente e dissecado até ao pormenor nos dias seguintes por eminentes teóricos. O escândalo foi este: o Gil Vicente, imagine-se, jogou todo fechado com o FC Porto e, assim, obviamente, não facilitou nem um bocadinho a missão dos campeões nacionais. E no fim nem sequer pediram desculpa."

Leonor Pinhão, in A Bola

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Rodrigo até 2019



Aposta forte do Benfica, num contrato de 7 anos (!!!), com Rodrigo... Gostei.

Obsessões !!!

Vivem-se no Benfica momentos difíceis, as eleições de Outubro têm contribuído para um clima quase irrespirável, num autêntico 'vale tudo'... Nestes quase 3 anos que escrevo aqui, foram muito poucas as vezes que escrevi post's em resposta directa a opiniões expressas noutros blog's, mas hoje de manhã ao fazer zapping na Gloriosesfera, fiquei com os 'cabelos e pé'... - não respondi na caixa de comentários do dito blog, porque já lá fui censurado... -, mas decidi logo, que desta vez, não deixaria passar o absurdo.
O tema principal era o projecto Olímpico do Benfica e por arrasto a formação, principalmente nas modalidades... e a critica à Direcção - ao Presidente Vieira -, era que a estratégia do Benfica, resumia-se ao comportamento dos 'abutres', comprando jogadores/atletas já feitos, não apostando no desenvolvimento dos atletas e das modalidades, com a excepção do Atletismo!!!
Pois bem - vou tentar ser sintético -, nunca na Gloriosa História do Sport Lisboa e Benfica, uma Direcção investiu tanto na Formação - no futebol, como nas modalidades -, repito: NUNCA!!! A criação de equipas B, no futebol, no Basket, no Hóquei são alguns exemplos... nesta última época o Benfica venceu todas as categorias de formação no Basket; no Hóquei vencemos em Juniores, e tivemos na Fase Final em Iniciados e Juvenis, no Andebol voltámos a jogar a 1ª Divisão nos Juniores e chegámos à Fase Final, no Volei fomos vice-campeões de Juniores, etc., etc., etc... Repito: NUNCA houve um investimento tão grande na formação das modalidades do Benfica, primeiro nas infra-estruturas, depois com os quadros técnicos, e depois na aquisição de jovens promessas, inclusive alguns jovens não-portugueses - no Hóquei!!!
A contratação de grandes 'estrelas' como a Telma, o Fortes, a Vanessa, entre outros, é só uma das fases do projecto Olímpico, mas não é a única... Nenhum outro Clube em Portugal aposta tanto na formação - sem apoios públicos -, a contratação dos grande valores do Desporto Português será sempre necessário, até como exemplo para os mais novos, é importante ter os nossos Campeões 'perto' dos jovens... No Triatlo por exemplo, temos nos nossos quadros o jovem promessa Alexandre Nobre - creio que o seu treino é executado no CAR da Federação -, que ainda não é um atleta Olímpico, mas tem potencial para o vir a ser, e o Benfica muito bem, está a apoiá-lo. Não existe nesta situação, nada que deva envergonhar o Benfica, bem pelo contrário...
Em muitas modalidades - principalmente as individuais -, o treino em Portugal é 'responsabilidade' das Federações, através dos CAR, os Clubes acabam por ter um papel secundário, e o Benfica não deve ter a intenção de se sobrepor às Federações... além disso o Benfica apesar de ser bastante ecléctico - outro ponto onde a actual Direcção têm um mérito indiscutível... -, não tem a obrigação de ter secções em todas as modalidades, até porque existem limites financeiros... aquilo que tem acontecido - bem, e deverá acontecer mais vezes... -, é a assinatura de parcerias, com outros Clubes 'especialistas' em determinadas modalidades - Canoagem por exemplo -, com experiência, técnicos, instalações, com uma enorme capacidade em encontrar novos talentos, com benefícios para os três lados: o Benfica, o Clube formador, e o Atleta.
Num País, onde o investimento no Desporto é cada vez menor - o próximo ciclo Olímpico ainda vai ter menos dinheiro... -, existir Clubes, como o Benfica, que estão dispostos a apoiar atletas com potencial, nunca deverá ser criticado...
A obsessão doentia de alguns em criticar tudo o que o Vieira fez, cheira mal... Criticar o Vieira por falta de investimento na Formação, é um absurdo tão grande, que até é difícil de qualificar... Esta estratégia propagandista, de meias-verdades, insinuações, meias-mentiras, mentiras completas, manipulações... com o objectivo de criar um sentimento anti-Direcção - desgaste -, para que em Outubro apareça um desconhecido qualquer como salvador - e aparentemente com uma única ideia: derrubar Vieira!!!... -. não engana ninguém... mas deviam ter um bocadinho mais cuidado, em escolher as criticas, porque às vezes caiem no ridículo.

Os galos do costume

"Relva altíssima, antijogo e árbitro, assim explicou Vítor Pereira os dois pontos deixados em Barcelos depois de uma semana em que no quartel-general portista, com grande prosápia e inabalável optimismo, foi dito e redito que o tropeção da época passada não seria repetido.
O Gil Vicente não foi na conversa e a equipa de Paulo Alves voltou a surpreender os campeões nacionais com uma exibição de solidariedade e abnegação, com destaque para três obreiros muito especiais: o guarda-redes Adriano, simplesmente imbatível, e os alas Luís Carlos e Pedro Pereira, que nunca se cansaram de baralhar o jogo do FC Porto. Foi um grande galo."

Esse clube tão especial

"Voltemos ao tema. Há gente que pelo seu carácter define de caras a que clube pertence. Lá está: não é uma questão de cultura, é uma questão de incultura. Ora vejam, se tiverem paciência.
Há um rabiscador medíocre da nossa praça que, por lhe faltar sentido de humor, resolveu enfeitar a sua primeira obra com umas pilhérias de autoria de uma dupla de escritores, roubando pura e simplesmente uns poucos parágrafos de livro já publicado. Que porcaria!, dirão vocês. Sim, de facto. Uma porcaria. Justifica o figurão que isso não tem importância. Que são meia dúzia de parágrafos num volume de 600 páginas? Para o ladrão, não interessa se pilha seis maças ou sessenta...
Cada um de vós que faça a leitura do caso. Sobretudo quando se sabe que no seu livro seguinte voltou a cometer a mesma canalhice. Ah! Obviamente assume-se adepto fanático de um clube bem conhecido. Qual? Respondam vocês.
Agora falamos de um juiz, mas não de um juiz de linha. De um juiz, desses de beca enfiada pelos ombros. Inqualificável como chefe de tribunais, ei-lo presente na tribuna de honra de um estádio, lado a lado com o também inqualificável presidente do respectivo clube. E ei-lo de malinha na mão a viajar como convidado do mesmíssimo clube, bebendo como um lorde, visitando casas de meninas, rindo-se como um alarve. Daí a ser cabecilha de um gang que se disfarça de conselho discricionário de uma federação apodrecida foi um ai. E desde que aí se mantenha irá favorecer aqueles que lhe pagavam viagens e jantares e meninas. Imaginem a preferência clubística de tal mamífero? Isso... Isso...
Poderia continuar por aí fora até à inconsciência. Mas seria certamente maçador. Fiquemos pelo desafio. Deixei aqui cinco bons exemplos, cada um na sua função, todos eles extremamente considerados por esta sociedade profundamente corrupta. É o país que vamos tendo e nunca deixaremos de ter..."

Afonso de Melo, in O Benfica

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Lixívia 1

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica.........1 (-2 ) = 3
Sporting........1 ( 0 ) = 1
Corruptos.....1 ( 0 ) = 1
Braga............1 (+1) = 0

A época passada prometi ser curto - e grosso -, nesta crónica, mas não cumpri !!! Vou voltar a tentar encurtar as palavras, mas os erros - deliberados e não só... -, são tantos, que às vezes é difícil... Aviso também que só muito contrariado vou assistir a jogos da Liga nacional, sem a presença do Benfica!!! Algo que nesta 1ª jornada consegui fazer, assim estou dependente dos resumos para analisar os 'casos' dos outros jogos...

As estórias do Soares Dias com o Benfica já dão para uma enciclopédia... este fim-de-semana tivemos mais um capitulo:
- Expulsão perdoada ao Alan. Em condições normais acharia o segundo amarelo um exagero, mas com o critério usado durante toda a 1ª parte, o Alan tinha que ser expulso, já que de todas as faltas amareladas esta foi a mais violenta... Ainda o ano passado o Emerson na Luz com os Corruptos, é expulso com duplo amarelo, por muito menos, e as 'lavandeiras' do costume, acharam que foi bem expulso!!! Pois acham que o golo em fora-de-jogo dos Corruptos foi o único erro do Proença, e nesse caso nem foi ele, o culpado...!!!
- Amarelos injustos ao Maxi e Cardozo. O Maxi salta atrasado com o Amorim, fez falta, mas nunca seria amarelo. Cardozo vitima do nojento teatro do Beto...
- Derrubes a Salvio e Rodrigo na área. Se no lance do Salvio não me parece existir falta, porque o Argentino procura o contacto. Agora com o Rodrigo, o Salino não tem qualquer intenção de jogar a bola, faz obstrução, não faz carga de ombro, e não é um choque... Admito que é um lance no 'limite', que se fosse ao contrário teria sido o escândalo da jornada, mas como foi 'contra' o Benfica, nem sequer é 'caso'!!!
- Expulsão errada do Douglão. O árbitro pode-se defender dizendo que a culpa foi do fiscal-de-linha, mas ele tinha a obrigação de ver... Mas este é um duplo-erro, porque o cartão tinha que ser vermelho: o Luisão cabeceia para a baliza, a bola é cortada com a Mão, portanto era vermelho... Se o Custódio deveria ter sido castigado com a expulsão, portanto o Braga ficaria com dez jogadores na mesma... (curiosamente, o Custódio já fez este tipo de penalty's várias vezes na sua carreira... salta sempre com os braços por cima da cabeça, tapando 'espaço', e 'arrisca' sempre cometer penalty...!!!)
- Golo mal anulado ao Benfica. Mais uma simulação do Palhacito Beto, o Cardozo não toca, na minha opinião nem raspa... e a existir contacto, é provocado pelo próprio Beto (sim, os guarda-redes devem ser protegidos dentro da pequena área, mas se são eles a provocar o contacto - como no lance do amarelo ao Cardozo -, não é falta.
- Bebedeira do Peseiro!!! No final da partida, o treinador do Braga, mantendo a tradição (todos os treinadores do sistema o fazem...!!!), depois de ser beneficiado na Luz, chega à conferência de imprensa e queixa-se da arbitragem!!! Desta vez foi uma suposta Mão do Cardozo no lance do 1º golo do Benfica: Jogada onde quem toca com a Mão na bola é o Douglão no momento do cruzamento do Rodrigo... sendo que depois, a bola parece tocar no braço do Cardozo após um estranho ressalto, de forma completamente involuntária...
Beto: formado nos Lagartos e com passagem pelos Corruptos... já tem atrás de si uma longa, e triste, carreira na arte do Teatro!!! Na Roménia onde esteve recentemente, deixou a sua marca, deixo aqui dois exemplos:
Concluindo foram retirados ao Benfica 2 pontos, e foi oferecido 1 ponto ao Braga.
ADENDA: Esqueci-me de referir os vergonhosos 4 minutos de compensação!!! Num jogo onde anti-jogo do Braga foi gritante. Em Barcelos, com muito menos paragens foram dados 5 minutos, que acabaram por ser 7 !!!


Em Barcelos, voltámos a ouvir o choradinho do Vitinho Pereira (treinador), que aparentemente ainda não resolveu o seu problema de dupla personalidade: durante a semana é treinador dos Corruptos, e depois quando não vence, pensa que é Vítor Pereira, Presidente do Conselho de Arbitragem!!! Transformando as conferências de imprensa, em seminários dirigidos aos apitadores... que como são Tarecos (mais do tipo Lulu's) obedientes, respeitam sempre as indicações do Guru Pereira (o treinador)!!! Já a época passada, depois da derrota dos Corruptos na Luz, para a Taça da Liga, Vitinho o treinador, pronunciou-se sobre os supostos bloqueios nas bolas paradas do Benfica, e partir desse momento, em cerca de 80% dos lances de bola parada a favor do Benfica, foram marcadas faltas ofensivas aos jogadores do Benfica!!!
-Penalty Otamendi. Este é um daqueles lances, onde eu não marcaria penalty, mas dentro do critério normalmente usado em Portugal, especialmente contra o Benfica, seria sempre um penalty indiscutível!!!
- Penalty Kléber. Este é ao contrário, eu marcaria penalty, mas em Portugal raramente se marcam penalty's em lances de 'agarrões' nos cantos, ou livres laterais... Até foi bastante ostensivo, mas como a bola foi para uma zona diferente, o árbitro, se calhar, não viu...
-Penalty Mangala e James. Não me parece ter existido penalty sobre o Mangala, e tenho a certeza que o James se atirou para a 'piscina'... 
Concluindo, ficou um penalty por marcar para cada lado...


Vi somente alguns minutos do jogo em directo dos Lagartos em Guimarães, deu para a assistir a uma simulação grosseira do Insua, que deu um amarelo para um Vimaranense!!! Mas nos resumos, ninguém se queixou, portanto parece que não houve 'casos'!!!


Anexos:

Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicado, Beneficiado, (3-2), (-2 pontos)

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)

domingo, 19 de agosto de 2012

Excelente resultado na Feira !!!




Feirense 2 - 4 Benfica B

Quando liguei a televisão já estávamos a vencer... e assim fiquei a ver o jogo com mais atenção!!! Na primeira parte tivemos algumas dificuldades em parar o Feirense, as desconcentrações nas bolas paradas foram muitas, felizmente os remates dos adversários foram quase todos altos!!! Num contra-ataque rápido, após duas entradas de carrinho 'duvidosas' sobre os nossos avançados, o Feirense empatou, temi o pior, mas o golo no final da 1ª parte foi muito importante (Rosa 'à Nolito'!!!), o Benfica entrou melhor no segundo tempo, com confiança, e quando o Djaniny entrou, ao segundo toque na bola marca e faz o 3-1 (e lesiona-se tendo que ser substituído!!!), o jogo ficou decidido. A partir daqui o Benfica podia ter goleado - estávamos a jogar contra '10'... -, tantas foram as oportunidades perdidas, algumas escandalosas, com vários contra-ataques em superioridade numérica dentro da área adversária!!! Mas a 3 minutos do fim após mais uma dupla desoncentração o Feirense fez o 2-3, mas no último suspiro marcámos o 4º golo em grande estilo, com mais uma subida do Cancelo, assistindo o Cavaleiro para uma excelente finalização...
Contra uma equipa, que manteve muitos jogadores da época passada, com experiência de 1ª Liga, que normalmente faz os seus pontos em casa, onde raramente perde... assim, só podemos elogiar o comportamento de todos...
A entrada do Jardel na equipa foi muito importante, deu bastante tranquilidade à equipa... os erros nas bolas paradas defensivas continuam a ser muitos... o Miguel Rosa fez um grande golo (com alguma sorte!!!), mas tem que soltar a bola mais depressa... o Carole se mostrar um pouco mais de entusiasmo pode ser opção para a equipa principal... o Cancelo quer ser conhecido como Maxi 2... mas para mim o André Gomes é o jogador com o maior potencial, nesta equipa...!!!

PS: A transmissão do Brasileirão na Benfica TV é uma excelente notícia, mais importante do que alguns possam pensar!!! É importante (para o Benfica) que a PT perceba que tem espaço e conteúdos, para ter um canal de Desporto, competindo com a Sport TV...!!!

Dupla Campeã na areia !!!



O Roberto Reis e o Kibinho, sagraram-se hoje Campeões Nacionais de Voleibol de Praia, pelo terceiro ano consecutivo...
Parabéns aos dois, e que este triunfo seja um bom presságio para a época oficial de Voleibol no Pavilhão...

Estou cansado...


Benfica 2 - 2 Braga

Estou cansado!!! O meu cansaço não está ligado à politica de contratações, às decisões do técnico, nem sequer aos movimentos anti's, internos!!! O meu cansaço também não está ligado ao jogo desta noite, já durante o defeso, o sentia...!!!
Hoje não fui à Luz, por razões profissionais  - algo que aconteceu muito poucas vezes nos últimos 20 anos em jogos oficiais, nunca em jogos desta importância!!! Mesmo nos momentos muito maus... -, só vi algumas partes do jogo, mas pelo que me apercebi o Benfica teve dificuldade em ter a bola nos pés. As equipas do Peseiro gostam de ter a bola (ao contrário do que o Jardim fazia nos jogos com os 'grandes'), e o Benfica sem o Aimar - ou o Martins - demonstra sempre dificuldade em controlar o jogo... é a velha questão na 'manta', se o Martins tem jogado no lugar do Rodrigo, estaríamos todos a queixar que Cardozo tinha jogado 'sozinho', na frente!!! Eu sempre defendi que em jogos equilibrados - e este era um deles -, o Benfica tem que reforçar o centro do campo, porque os adversários tentam povoar essa zona, e o Benfica só com o Javi e o Witsel, fica normalmente em inferioridade numérica, em jogos contra adversários mais acessíveis já podemos arriscar mais... Mesmo assim, sem dominar o jogo por completo o Benfica marcou 3 golos na baliza contrária - um foi mal invalidado -, o problema acabou por ser os erros defensivos: se no primeiro foi 'azar' (sem que o Braga o tivesse merecido, mas acabou por mudar claramente a ascendência psicológica do jogo ...), no segundo foi claramente falta de experiência... Ao contrário de outros jogos, o Benfica não massacrou, não teve uma posse de bola avassaladora, e por isso, muitos vão caracterizar a exibição como fraca... O ano passado no jogo com o Braga na Luz, o Benfica até teve um domínio territorial ostensivo, mas foi o Braga em contra-ataque a criar muito perigo, hoje talvez o Jesus tenha pensado recuar as linhas, para não permitir as bolas nas costas dos nossos defesas, não sei...
Agora também sei que quem antes do jogo, já tinha o Jesus, o Melga, e a Direcção 'atravessada na garganta', vai continuar ainda com mais força a barafustar, mas também se o golo mal anulado fosse marcado e o Benfica tivesse vencido, a história seria a mesma, porque contra obsessões pouco se pode fazer...
O meu cansaço também não é com os jogadores (excepto animais tipo Mossoró e Beto!!!), nem com os técnicos, nem com os dirigentes do Benfica...
Estou cansado de gente corrupta até ao tutano, que há muito perdeu a vergonha na cara - apitadores, jornaleiros, dirigentes... A época passada o Emerson fazia duas faltas inócuas, era bem expulso; hoje o Alan faz falta para segundo amarelo: perdoa-se!!! Isto depois de se mostrar uma amarelo ao Maxi por uma falta normalíssima; O Maxi junto à bandeirola de canto é claramente empurrado pelas costas, à frente do fiscal, pelo Ruben, nada é marcado, 5 segundos depois o Maxi 'sopra' no Ruben é falta contra o Benfica!!! Etc., etc., etc... Nem vale a pena de falar sobre lances junto das áreas, o jogo é condicionado desde do primeiro, em todas as faltinhas não marcadas, ou marcadas erradamente... todas... !!!
A Lagartada e a Pocalhada ainda vão ter o descaramento de defender que o Benfica foi beneficiado, porque o Douglão foi mal expulso. Esquecendo-se que naquele momento o Benfica, se marcasse o penalty empatava o jogo, não passava para a frente, e esse pormenor fez toda a diferença!!! Porque uma das tácticas dos Ladrões Apitadores mais experientes, é, num jogo deste tipo, 'forçar' o empate, porque a derrota com erros claros de arbitragem seria sempre muito mais polémica, assim com o empate os erros são analisados mais 'discretamente'. E perder 2 pontos para o Benfica equivale a uma derrota.
Estou cansado porque os criminosos que andam com o apito na boca, com tudo o que se passou no defeso (ao Proença e afins...), saíram ainda mais convencidos da impunidade a que tem direito... Estou cansado porque tenho a certeza que o Benfica não vai ser Campeão, não por falta de potencial, mas porque os agentes Corruptos não querem. Com laterais esquerdos, até com Ronaldo's ou Messi's, o resultado final seria o mesmo...!!!
Alguns vão insisitir na argumentação: se tivéssemos um lateral esquerdo de qualidade, tudo seria diferente. O curioso é que os Corruptos a época passada jogaram sem defesa direito, e sem ponta de lança, e foram Campeões!!! À quem julgue que o Benfica tem a obrigação de ser 1000 vezes melhor que todos os adversários, e assim garantir a vitória, sempre. Algo que eu respondo: como sendo impossível fazer durante 10 meses de competição...
Em qualquer Campeonato no Mundo, com 30 jornadas, não ganhar o primeiro jogo, tem uma importância relativa, e não impede ninguém de ser Campeão, mas nós vivemos num lugar especial, cheio de fenómenos... e isto só acontece em Portugal com o Benfica porque os Corruptos são supersticiosos, e acreditam na repetição das receitas!!! Mas desta vez - os roubos são tantos que eles já se esquecem de alguns... -, se calhar não se recordaram que a última vez que o Benfica empatou o jogo da 1ª jornada em casa, num jogo apitado - roubado -, pelo Soares Dias, fomos Campeões - Benfica 1 - 1 Marítimo!!!!!!!
Estou cansado e desmotivado... porque não existe solução à vista, e não vale a pena vir argumentar com Movimentos e Benfiquismos superiores... E digo mesmo que num País onde a Corrupção, os jogos sujos, o abuso de poder... são aceites como factos da vida e inclusivamente elogiados socialmente, até é 'apropriado' o Benfica não ser Campeão...!!!