Últimas indefectivações

sábado, 12 de janeiro de 2013

Suada, mas muito saborosa !!!


Benfica 25 - 24 Sporting

Jogo aos repelões, com cada equipa a ter momentos muito maus, estando vários minutos sem marcar, começou o Sporting a marcar, com 3-0, depois o Benfica, com 7-0, e por aí a fora...!!!
O Benfica atacou quase sempre mal, notou-se em excesso a paragem do Campeonato - com muitos jogadores na Selecção, ao contrário do Sporting -, mas a entrega defensiva acabou por ser determinante... Tal como nas outras modalidades - como se viu hoje no Hóquei... -, defrontar o Benfica para os jogadores Lagartos é sempre o jogo do século, e este Sporting que tem efectuado alguns jogos miseráveis esta época, fez hoje provavelmente o seu melhor jogo... portanto nada de novo!!! Em inferioridade numérica nos últimos minutos, só um Benfica com muita vontade em ser Campeão, conseguiu 'aguentar' a vantagem mínima, com Cutura a ser decisivo.
Apesar dos deméritos do ataque do Benfica, e dos méritos da defesa do Sporting, este jogo só foi equilibrado porque, mais uma vez, tivemos um duo de apitadores, possuídos pela doença do anti-benfiquismo!!! Se no início do jogo, ainda pensei que os árbitros estavam a tentar ter um critério largo, não levou muito tempo para perceber, que esse critério largo, tinha limites!!! O jogo terminou com 7 livres de 7 metros para o Sporting e 2 para o Benfica; curiosamente nas exclusões de 2 minutos o resultado foi o inverso: 7 exclusões para o Benfica e 2 para o Sporting!!!

Difícil...


Sporting 3 - 4 Benfica

Se por um lado os resultados conseguidos pelo Sporting neste regresso à primeira divisão - inclusive a cabazada que levaram dos Corruptos -, podiam antever um jogo fácil para o Benfica, nós, os Benfiquistas mais avisados, sabem que qualquer jogo com os Lagartos, em qualquer modalidade, nunca é fácil, nunca, aquela Gloriosa camisola vermelha, tem sempre um efeito 'doentio' no nosso 'querido' vizinho... hoje parece que não foi diferente!!! Mas no final o mais importante foi conseguido: os 3 pontos.

Invencibilidade perdida !!!


Benfica 84 - 93 CAB Madeira
15-17, 20-10, 18-25, 14-15, 9-9, 8-17

O CAB é o melhor plantel a seguir ao do Benfica, mas mesmo assim esta derrota não era esperada, só um 'acidente grave' podia dar neste resultado, e ele aconteceu mesmo: em 23 triplos tentados o Benfica marcou 1 !!! Não me recordo, de estatística parecida, em qualquer partida, um autêntico fenómeno!!!
É verdade que o Benfica, além dos triplos não fez um bom jogo, mostrando-se muito trapalhão no ataque, as férias Natalícias talvez expliquem alguma coisa, os continuados problemas físicos no plantel não ajudam, mas temos que jogar , muito melhor...
Este resultado tem poucas consequências, no resultado final da época, que todos desejamos, mas que pelo menos sirva de aviso...

PS: Os árbitros servem para apitar as faltas, nada mais, não devem servir para equilibrar as partidas, a tolerância que foi dada aos jogadores do CAB, principalmente no jogo interior defensivo era escusada... parece que era proibido excluir jogadores do CAB!!!

Modernidade e parcerias comerciais

"A transferência de Izmaylov do Sporting para o FC Porto foi o assunto da semana. Temem os sportinguistas mais prudentes que o russo, qual Lázaro da bola, ressuscite na Invicta e lhes venha a atirar estrondosamente à cara a incompetência do departamento clínico que têm por casa ou, pior ainda, a incompetência do departamento jurídico que também têm por casa.
Izmaylov, entretanto, fez a sua primeira aparição pública como jogador do FC Porto na noite de quarta-feira no Dragão assistindo da bancada ao jogo a contar para a Taça da Liga com o Vitória de Setúbal.
No momento em que o seu ex-companheiro João Moutinho apontou com sucesso a grande penalidade que haveria de dar o triunfo ao FC Porto, Izmaylov foi filmado pelas câmaras da TVI a festejar o golo. A boa notícia para os sportinguistas que levam estas coisas a sério é que, em boa verdade, Izmaylov mal celebrou o golo de Moutinho. Limitou-se a receber distraidamente uma palmadinha na mão que lhe foi fornecida por um funcionário do seu novo clube sem esboçar uma emoção sequer, um sorriso, qualquer coisa. Poderá vir a curar-se de todos os seus males mas, nas primeiras impressões, pode-se concluir que de Alvalade para o Dragão o pequeno russo manteve a mesma cara de pau de sempre. Que sirva de consolo.
Estas modernas parcerias comerciais entre clubes grandes são sempre bem-vindas porque fornecem aos adeptos e à crítica vastíssimos motivos de interesse e garantem à competição momentos de inesperado suspense. O Benfica, por exemplo, tem com o Real Madrid uma espécie de parceria em tudo semelhante à que, desde há anos, vem unindo o Sporting e o FC Porto. Atente-se nas trocas comerciais entre os da Luz e os do Santiago Bernabéu:
De Madrid para Lisboa já viajaram jogadores como Javi Garcia, Rodrigo e Garay enquanto de Lisboa para Madrid já foi fornecida ao campeão espanhol em título uma asa esquerda completa, constituída por Fábio Coentrão e Di Maria. E se a dita asa se encontra hoje desactivada esse já não é um problema do Benfica. Importantes são as boas relações entre os clubes. As parcerias entre grandes são desejáveis. Sobretudo quando vivem em países diferentes e não competem pelos mesmos objectivos. Não vá o diabo tecê-las.

ERRAR É HUMANO
Chama-se a isto puxar dos galões
Não há penalti sem senão. Para os adeptos, obviamente. Ou se gosta, ou se não gosta. O penalti que deu a vitória tangencial ao FC Porto no jogo com o Vitória de Setúbal é um bom exemplo. Gostaram os da casa entendendo que Nelson Pedroso derrubou Sebá sem margem para dúvidas. Não gostaram os visitantes para quem Pedroso se limitou a ganhar a posição ao avançado do FC Porto sem nada mais fazer que pudesse derrubar Sebá. Mas o árbitro apitou e pronto.
Ser árbitro é esta vida de convívio permanente com o agrado e com o desagrado. E, como em todos os sectores profissionais, há árbitros que convivem melhor e outros que convivem pior com o mundo em redor. O melhor árbitro português da actualidade é, por inerência do posto que ocupa, o que melhor convive com o agrado e com o desagrado do público em geral. Por isso é o melhor. Quando pressente qualquer tipo de ameaça mundana ou climatérica ao desenrolar ordeiro do jogo mete o apito no bolso e dá o assunto por encerrado. Aconteceu assim em Setúbal na noite chuvosa da visita do FC Porto e ia acontecendo assim em Guimarães, no jogo com a Naval para a Taça da Liga, quando Proença reparou que o policiamento do estádio deixava muito a desejar e ameaçou não apitar. Chama-se a isto puxar dos galões.

POSTIVO
Gaitán com arte
Andava “desparecido” há meses um dos melhores artistas que mora na Luz. Regressou para um momento de alto nível, marcando de calcanhar o primeiro golo do Benfica no Estoril.
Cristiano vingou-se
O número 7 do Real Madrid resolveu a eliminatória com o Celta de Vigo, para a Taça do Rei, com um sonoro “hat-trick”. A Bola de Ouro foi para Lionel Messi e o português vingou-se em golos.
Bebé em cheio
Alex Ferguson mandou-o para Vila do Conde ganhar ritmo e jogos. E Bebé correspondeu marcando ao serviço do Rio Ave o golo que valeu a qualificação para as meias-finais da Taça da Liga.

PÉROLA
“Jesualdo é o mestre do 4x3x3”, Jorge Jesus
Inesperadas mas sempre bem-vindas estas cordialidades entre o treinador do Benfica e o recém-empossado treinador do Sporting. Dirão as más-línguas que o elogio a Jesualdo Ferreira é também uma “alfinetada” a Vítor Pereira, treinador do FC Porto. Em Portugal as homenagens são sempre contra alguém."

A caminho da revalidação do 'caneco' !!!


Benfica 5 - 2 Modicus

Jogo sempre controlado, apesar das muitas ausências, o Benfica, demonstrou muita superioridade... Com as coisas a correram mal no Campeonato, a Taça de Portugal poderá ser uma boa oportunidade para recuperar ânimo...

Mais complicado, do que o esperado...


Marítimo 0 - 3 Benfica
29-31, 17-25, 19-25

Vitória por 3 secos, apesar de no 1.º e no 3.º Set's, o Benfica ter sido obrigado a recuperações, depois de ter estado com desvantagens relativamente grandes....!!!

A torre da águia...


Em exibição já este Domingo (amanhã)!

Benfica melhor

"Escrevo sem conhecer o nome do árbitro de domingo. Facto que deveria ser irrelevante numa competição de futebol séria. Quem arbitrar deve fazê-lo honestamente. Assim resta-me 'sonhar' que assim seja.
O Benfica está bem e, sem euforias deslocadas da realidade, parece ser equipa que assimilou a ideia de jogo do seu treinador, e esta é excelente. Jorge Jesus, independentemente do que venha a conseguir esta época, devolveu o gosto de ver bom futebol aos benfiquistas. O Benfica joga bem, por vezes muito bem. Contra o Estoril foram 70 minutos de um grande Benfica e, na Taça da Liga, contra a Académica foi o necessário para carimbar a passagem.
Do outro lado estará uma equipa equilibrada, mais forte hoje do que quando jogava para um jogador. O facto de gostar do jogo do Benfica não me limita a reconhecer o adversário como colectivamente competente e equilibrado. Mesmo antes de o ver jogar com a camisola do FC Porto, não tenho dúvidas de que Izmailov foi uma bela aquisição que só no Kosovo em guerra não jogava.
O Benfica tem que respeitar o FC Porto, mas não deve ter nenhum receio. Até hoje ganhou os jogos todos deste campeonato, e só erros de Soares Dias e Xistra conseguiram arrancar empates numa campanha sem mácula. Benfica e FC Porto são as duas únicas equipas que aspiram com realismo ao título, e o Benfica tem vindo a jogar melhor.
O SC Braga pode na Taça ou Taça da Liga fazer uma surpresa mas não numa maratona consistente de 30 jornadas. À qualidade colectiva de jogo e categoria individual de muitos jogadores do Benfica quero ver acrescentada uma indomável vontade de ganhar no domingo. Ganhar domingo e quinta-feira dava ao Benfica a possibilidade de fazer a sua melhor época de sempre dos últimos 20 anos.
É muito difícil mas é possível. Eu, tradicionalmente pessimista, desta vez acredito. Não pelo que temo, mas pelo que vejo. E vejo o Benfica a jogar muito bem."

Sílvio Cervan, in A Bola

PS1: É preciso muito cuidado na conferência de imprensa do Jesus, em não responder à letra, às provocações de hoje do Vitinho Corrupto... não vale a pena dar 'armas' aos Corruptos!!! A resposta tem que ser dada dentro do campo.

PS2: As declarações do Balboa também são interessantes... digo à muito tempo, que qualquer coxo, nos Corruptos, rapidamente é considerado um grande jogador!!! O Balboa seria só mais um...!!!

PS3: O João Ferreira não faz parte do grupinho dos Frutados, mas tem passado os últimos anos, a tentar convencer o resto do Mundo e arredores, que não favorece o Benfica, e por isso, é sempre perigoso...!!!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Coisas do outro mundo

"Gosto de quem fala de futebol com saber simples de experiência; aprecio menos quem fala como se fosse necessário uma pós-graduação

O Benfica ganhou por 3-1 ao Estoril e Óscar Cardozo não marcou nenhum golo. Está, portanto, em crise, dirão os seus críticos.
Se o paraguaio está em crise é crise de crescimento, caros amigos.
Nesta primeira metade da temporada, Óscar Cardozo não tem parado de nos surpreender. Esqueçam até o mais óbvio, como o impressivo número total de golos ou à sucessão de hat-tricks com que nos vinha contemplando antes de entrar em crise no Estoril.
Concentremo-nos noutros pormenores que têm marcado este Cardozo com um toque de graças anteriormente inimagináveis num tosco, como alguns lhe chamam. Ou melhor, chamavam.
- O homem até já sabe marcar penalties - dizia-me na semana passada um amigo do Benfica.
Referia-se à preciosidade de técnica com que o paraguaio resolveu os dois pontapés de 11 metros na conversão dos respectivos castigos máximos nos jogos com o Sporting, para o campeonato, e com o Moreirense, para a Taça da Liga.
- Uma categoria! - concluiu o citado novo convertido à importância de Óscar Cardozo.
Ainda há, no entanto, resistentes.
Por exemplo, no jogo do Estoril, quando Jorge Jesus insistiu com Cardozo para marcar, pela segunda vez, um pontapé de canto (o primeiro resultara em nada), logo se ouviram estridentes protestos teóricos vindos da bancada. Onde já se viu uma coisa destas, agora o Cardozo a marcar cantos?
Mas à segunda tentativa a coisa correu lindamente. Junto à bandeirola, o paraguaio tomou curto balanço e de pé esquerdo fez a bola cair no calcanhar de Nico Gaitán que, por sua vez, fez o resto. Golo.
- O homem já sabia marcar penalties e agora até sabe marcar cantos - foi o que mais se ouviu de norte a sul do país.
A explicação do treinador chegou no fim do jogo. Pragmático, Jorge Jesus veio-nos dizer que, assim como assim, se o Cardozo raramente faz golos na sequência de pontapés de canto e tendo ele um bom pé esquerdo mais vale tirá-lo da área e pô~lo a bater os castigos.
Sou fã deste modo de trabalhar do nosso treinador. O futebol tem coisas muito complicadas mas também tem outras muito simples. E ele sabe. Gosto de quem fala de futebol com este saber simples de experiência feito, tudo menos a armar ao pomposo. Aprecio menos quem fala de futebol como se para tal fosse necessário uma pós-graduação feita na NASA e um dicionário de sinónimos.

GAITÁN acordou no Estoril. Que bela notícia. E Aimar regressou. Outra boa notícia. A confirmar-se que o Benfica pode contar a 100 por cento com estes dois argentinos para a segunda metade da época podem passar sem ânsias o mercado de Inverno, sem ter de mexer uma palha. Esta é a visão optimista dos adeptos. Aos dirigentes e a outros responsáveis, lembra-se, no entanto, que o optimismo é uma manifestação infantil própria da massa adepta e imprópria de quem comanda.

um género cinematográfico com muitos entusiastas no mundo inteiro que é o género dos filmes-catástrofe. Quando são bons e à série, são normalmente grandes produções de Hollywood com títulos que contam logo a história para todos saberem ao que vão: Tornado, Terramoto, Titanic, Os Últimos Dias de Pompeia, Asteróide...
Há público que tira prazer (que não é doentio) da representação de desgraças e, sabendo que o fim jamais pode ser feliz, vibra intensamente com as peripécias românticas das assustadas personagens e vibra ainda mais com os efeitos sonoros dos efeitos especiais.
É o que passa actualmente com a transmissão televisiva dos jogos do Real Madrid.
Os campeões de Espanha já se despediram da luta pelo título, estão a uma distância obscena do Barcelona, mas em todo o mundo há quem não perca um jogo do Real Madrid na televisão porque as condicionantes de um bom filme-catástrofe estão lá todas: Mourinho, sempre Mourinho, o protagonista. Vai ser vaiado ou vai ser aplaudido? É hoje que vai embora? Joga o Casillas ou joga o outro? E o Silvino já fala ao Iker? E o Florentino Pérez, viram a cara dele?
Isto para dizer que a crise do Real Madrid vende tanto como o Real Madrid em grande, privilégio que não está ao alcance de todos.
No entanto, o mau momento do campeão de Espanha na corrente Liga espanhola terá custado a José Mourinho e a Cristiano Ronaldo os troféus com que a FIFA distingue no início de cada ano o melhor treinador e o melhor jogador do mundo. Andasse o Real Madrid na liderança da sua Liga com meia dúzia de pontos de avanço sobre os da Catalunha e outras decisões teriam emanado da festa de Zurique.
Não são as embirrações dos oligarcas da FIFA contra fulano ou contra sicrano ou, muito menos, movimentos organizados contra este ou aquele país, que explicam a atribuição de prémios de importância mundial. São os resultados. Como sempre, em futebol, são os resultados que mandam em tudo.

MANUEL MARTINS DE SÁ assina há uns bons anos uma coluna neste jornal. Martins de Sá vive em Itália e é de lá que nos escreve todas as semanas pondo-nos ao corrente das grandezas e das miudezas do calcio, da sociedade Italiana e de outras ocorrências de variadas sociedades. É sempre um prazer lê-lo.
Na semana passada, Manuel Martins de Sá, que tem um imenso reportório, foi até à América do Sul para nos contar uma história de arrepiar: «Mais estranho e intrigante é o que acontece na Argentina, onde as claques mais violentas gerem o tráfico de bilhetes e da droga com o apoio da polícia».
Coisas do outro mundo.

AO contrário de Radamel Falcao, que saiu do FC Porto como um fenómeno local para se transformar numa estrela de dimensão mundial ao serviço do Atlético de Madrid, Hulk ainda não conseguiu convencer nem os adeptos do Zenit nem a imprensa russa de que foram bem empregues os 40 milhões de euros que o passe do jogador brasileiro custou aos magnatas de São Petersburgo.
No último fim-de-semana aconteceu até que um jornal russo, o LifeSports, - um jornal russo com nome inglês, onde é que isto já se viu? -, elegeu Givanildo Hulk como o flop do ano, considerando exíguos os 4 golos e as 3 assistências do brasileiro em 16 jogos e considerando excessivos os 7 cartões amarelos na folha do jogador.
Não acompanhando senão ocasionalmente o campeonato russo não há muito com que ter opinião na matéria. Mas é de crer que os árbitros na Rússia apitam à Inglesa. Ou seja, de uma maneira geral não são de interromper o jogo sempre que um dos atletas cai no chão. E em Portugal, onde também fo um fenómeno local, Hulk caía muito, e ao primeiro encosto, o que muito o beneficiava. Aliás, nunca se tinha visto por cá um rapaz tão grande, tão forte e tão facilmente derrubável.

JESUALDO FERREIRA sabe o que é ser técnico de um clube em frangalhos dissecado diariamente por mil notáveis porque era técnico do Benfica no período da guerra cívil que marcou a transição de Jorge de Brito para Manuel Damásio e no período não menos conturbado em que Manuel Vilarinho sucedeu a Vale Azevedo. Agora viu-se técnico do Sporting no pico da maior crise estrutural de sempre do clube de Alvalade. Ninguém merece.

ONTEM foi a noite de Lima que procurou sem sucesso, mas com muita vontade, o hat-trick frente à Académica. A Briosa deu que fazer a um Benfica com dez novidades em relação ao último jogo no Estoril. Mas voltou a acontecer o costume: o Benfica deu a volta ao jogo quando decidiu correr um bocadinho."

Leonor Pinhão, in A Bola

Mais um !!!

Não vi, mas o Master Groove teve a amabilidade de colocar no blog o video dos disparates do Jorge Baptista e do Ribeiro Cristóvão, ontem no pós-jogo do Benfica-Académica, na Sic Notícias... Infelizmente, não fiquei surpreendido, a verborreia destes já é conhecida...
Mas chamo a atenção a um noviço nestas andanças: fiquei de olho nele, logo na sua primeira crónica no pasquim Rascord, desde então não tem parado, regularmente vomita ódio ao Benfica... chama-se Fernando Esteves, e é o director da revista Sábado, um verdadeiro e obediente aluno da filosofia Sousa Tavares:  quando a canalhice, e a ignorância se junta à arrogância e à falta de carácter, ficamos com um cocktail perigoso, para piorar o cenário, tal como o plagiador, parece ser daqueles que tão embevecido, pelas suas palavras, nem se preocupa em perceber se os factos alucinados, batem certo com as ficções, imaginadas logo a seguir as bebedeiras diárias...!!!
Estive quase para fazer um 'desenho', por causa dos disparates ditos por esta pevide cerebral, na sua crónica desta semana, mas o Daniel Faria do blog Benfica Eternos Campeões, adiantou-se... e fez muito bem, só tenho uma discordância o Saleiro não está em fora-de-jogo, mas no geral fez um excelente trabalho, apesar de muito resumido!!!

Benfica favorito

"Nos últimos anos tenho apresentado sempre o FC Porto como favorito dos clássicos com o Benfica, quer no Dragão quer na Luz. Este ano, pela primeira vez, tenho a opinião contrária: o Benfica é favorito.
E é favorito por várias razões. O FC Porto apresenta um futebol muito estereotipado, com poucas soluções (o “quadrado de Aljubarrota”, como já lhe chamei). Tem pouca criatividade (com a agravante de o seu jogador mais criativo, James Rodríguez, estar lesionado e não poder jogar). Vive de um único goleador (Jackson Martínez) e, fora isso, de uns remates de longe de Moutinho ou Lucho. E tem um plantel muito curto, que não permite grandes variações. A saída de Hulk começa a fazer-se sentir, faltando à equipa um grande desequilibrador.
O Benfica não tem a solidez “histórica” do FC Porto mas apresenta hoje infinitamente mais soluções. Tem um plantel variado (sobretudo no ataque), tem uma dinâmica ofensiva muito criativa, consegue meter muitos jogadores na área, tem vários avançados que rematam bem (além de Cardozo, Lima, Rodrigo e Salvio). E, em relação a anos anteriores, defende muito melhor, sufocando os adversários ainda no seu meio campo. 
Tudo somado, e se a lógica prevalecer, o resultado será 3-1 a favor do Benfica.
Claro que isto é a teoria. Um amigo meu diz que, em 85% dos casos, os favoritos ganham. Mas sobram os 15%. E se o Real Madrid, treinado pelo melhor treinador do Mundo, com dinheiro para contratar os melhores jogadores do Mundo, perde com o Getafe – o Benfica, por maioria de razão, pode ser derrotado na Luz pelo FC Porto."

Benfica cheio de saúde

"Exibição superior determina claro triunfo na Amoreira.
Afigurava-se ingrato o teste que se deparava ao Benfica e logo em vésperas de clássico, sem esquecer o "dossier" Taça da Liga, a meio da semana. A tudo isso juntava-se a qualidade do Estoril, que, vindo do escalão secundário, tem surpreendido com o seu futebol criativo mas também pragmático que a actual classificação bem traduz.
Mas este Benfica está imparável e cedo o viria a demonstrar, comandando o jogo através de uma maior capacidade de circulação de bola, que lhe permitiu desde logo ocupar com mais insistência o meio terreno do adversário. As tentativas iniciais dos seus avançados, com realce para uma perdida de Cardozo, que terá trocado o pé na altura do "encosto", acabariam por ter resposta só a partir dos 25', valendo então Artur para evitar maiores transtornos.
Foi no decorrer desse período de maior réplica estorilista que o Benfica abriu o marcador, num toque de calcanhar de Gaitán, tão espectacular quanto fortuito, a corresponder a um canto de Cardozo. Era merecida a vantagem, já que a equipa estava a carburar em pleno, face à clarividência dos dois homens do eixo, Matic e Enzo Perez, e à classe do regressado Gaitán.
Para o período complementar, Jesus repetiu a dose de outras ocasiões, fazendo entrar Lima para o lugar de Rodrigo, mantendo o falso lento Cardozo em palco para dar cabo do juízo a Bruno Miguel ou a quem o procurasse manietar. A nova dupla fez acelerar o futebol dos visitantes, cujo pendor ofensivo se tornou ainda mais evidente. Tanto mais que Salvio também surgiu mais determinado e consequente.
Destas alterações de lugar e ânimo resultaram mais dois golos, precisamente de respeitáveis remates de Lima e Salvio, que, a pouco menos da meia hora do fim, deixaram o Benfica em total tranquilidade. Para além de Ola John, no lugar de Gaitán, os 0-3 forneceram também pretexto para fazer entrar o mágico Aimar, retirado das lides há muito, assim se poupando Cardozo para outras e mais animadas lutas.
Esta natural descompressão teve, contudo, os seus custos, já que o Estoril soube explorá-la devidamente, acabando por reduzir a desvantagem (Gonçalo Santos), embora com culpas para Artur, isto depois de Carlitos ter falhado outra ocasião para facturar. Mas seria exagero, uma vez que os encarnados, com um futebol atacante de primeira água, é que ficaram a dever golos a si próprios.
O Estoril, que se tem revelado um verdadeiro problema para quem o defronta, não conseguiu, desta vez, impor a sua lei. O Benfica soube dar-lhe a volta, vulgarizá-lo e, ainda por cima, resolver cedo a contenda. Quando assim é, não há nada a opor ao desfecho."

No poupar está o ganho !!!


Benfica 3 - 2 Académica

Apesar das muitas ausências, o Benfica dominou o jogo praticamente todo, mesmo sem fazer uma grande partida, longe disso... a Académica marcou 2 golos, é verdade, mais por demérito do Benfica, revelando uma eficácia de quase 100%...
Os minutos ganhos pelos jogadores menos utilizados nestes jogos das Taças, têm sido interessantes, notando-se especialmente no André Gomes, um crescimento assinalável... Hoje tivemos o regresso do Roderick e do Carlos Martins, e ainda a 'confirmação' do retorno do Aimar... mas tenho a certeza que apesar dos dois golos do Lima, o homem mais feliz, foi o Kardec !!!
De todas as competições que o Benfica pode ganhar esta época, a Taça da Liga é aquela que eu dou menos importância, mas nas vésperas do jogo com os Corruptos era importante vencer, mesmo com todas as poupanças... agora vamos jogar as Meias-finais em Braga, num jogo que será muito complicado, até porque é das poucas competições que os Bracáros podem verdadeiramente ganhar esta época. A 'maldição' do Peseiro das competições 'não ganhas', pode ajudar!!! Mas não poderemos 'poupar' tanto...
Agora, é esperar por Domingo - e pela nomeação arbitral!!! -, para o jogo com os Corruptos, sabendo que para a semana voltamos a jogar com a Académica em Coimbra para a Taça de Portugal, num jogo onde será necessário jogar com mais dos habituais titulares...


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Sai James, entra Aimar

"Foi uma jornada sem casos. Melhor assim para que os ânimos não cheguem à Luz mais inflamados do que o tristemente normal. Benfica e FC Porto ganharam sem penáltis e a derrota do Sporting frente ao Paços de Ferreira nem se pode considerar um caso.
O momento marcante da ronda terá sido, por exclusão de partes, aquele em que o colombiano James pediu para ser substituído ainda na primeira parte do FC Porto-Nacional. James, que foi o carrasco do Benfica no último Benfica-FC Porto, está aparentemente de fora do clássico. Vantagem para o Benfica? Jorge Jesus poderá responder dizendo que joga sem meio-campo desde o início da temporada. Aimar regressou no Estoril, é verdade, outro caso da jornada."

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Lixívia 13

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica......................35 (-4 ) = 39
Corruptos...(-1 jogo)...32 (+4 ) = 28
Braga........................26 ( 0 ) = 26
Sporting.....................12 (+5 ) = 7


A calmaria antes da tempestade?!!! Será?!!! Jornada calma, sem grandes casos... Desta vez só vi mesmo o jogo do Benfica, dos outros, nem resumos!!! Para os jornais, o único erro, terá sido um penalty não assinalado sobre o Moutinho...
No Estoril apesar do critério disciplinar torto do Duarte Gomes - perdoou vários amarelos aos canarinhos, para depois demonstrar muito zelo com os de vermelho!!! -, e pelo menos de um fora-de-jogo, que devia ter sido tirado ao Estoril, nada de especial se passou...

PS: Só hoje vi o resumo da deslocação da equipa B a Ponta Delgada - coloquei o video no meu post sobre o jogo, aqui, se quiserem ver -, onde o Benfica foi premiado com duas expulsões!!! Na segunda não existe imagens, mas na primeira - do Mvon -, é um critério engraçado!!!

Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
3ª-Nacional(c) V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4ª-Académica(f) E(2-2), Xistra, Prejudicados, (0-3), (-2 pontos)
5ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Marco Ferreira, Prejudicados, (1-5), Sem influência no resultado
6ª-Beira-Mar(c) V(2-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-1), Sem influência no resultado
7ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
8ª-Guimarães(c) V(3-0), João Ferreira, Prejudicados, (4-0), Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave(f) V(0-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
10ª-Olhanense(c) V(2-0), Rui Silva, Nada a assinalar
11ª-Sporting(f) V(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Marítimo(c) V(4-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, (5-0), Sem influência no resultado
13ª-Estoril(f) V(1-3), Duarte Pacheco, Nada a assinalar

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
-Marítimo(f) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Gil Vicente(c) V(2-1), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, (2-2), (+2 pontos)
5ª-Estoril(c) E(2-2), Nuno Almeida, Beneficiados, (2-3), (+1 ponto)
6ª-Corruptos(f) D(2-0), Jorge Sousa, Prejudicados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Académica(c) E(0-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
8ª-Setúbal(f) D(2-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
9ª-Braga(c) V(1-0), Proença, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
10ª-Moreirense(f) E(2-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
11ª-Benfica(c) D(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Nacional(f) E(1-1), Soares Dias, Nada a assinalar
13ª-Sporting(c) D(0-1), Rui Silva, Nada a assinalar

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicado, Sem influência no resultado
3ª-Olhanense(f) V(2-3), João Ferreira, Nada a assinalar
-Beira-Mar(c) V(4-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
5ª-Rio Ave(f) E(2-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
6ª-Sporting(c) V(2-0), Jorge Sousa, Beneficiados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Estoril(f) V(1-2), Capela, Nada a assinalar
8ª-Marítimo(c) V(5-0), Cosme, Nada a assinalar
9ª-Académica(c) V(2-1), Hugo Pacheco, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
10ª-Braga(f), V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Moreirense(c) V(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
13ª-Nacional(c) V(1-0), Rui Costa, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
3ª-Paços de Ferreira(f) D(2-0), Pedro Proença, Nada assinalar
4ª-Rio Ave(c), V(4-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
6ª-Olhanense(c), E(4-4), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7ª-Marítimo(f), V(0-2), Benquerença, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
9ª-Sporting(f) D(1-0), Proença, Prejudicados, (1-1), (-1 ponto)
10ª-Corrutpos(c) D(0-2), Xistra, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Académica(f) V(1-4), Soares Dias, Nada a assinalar
12ª-Estoril,(c) V(3-0), Nuno Almeida, Beneficiados, (3-1),Sem influência no resultado
13ª-Moreirense(c) V(1-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar

LINK's
1ª  jornada
2ª  jornada
3ª  jornada
4ª  jornada
5ª  jornada
6ª  jornada
7ª  jornada
8ª  jornada
9ª  jornada
10ªjornada
11ªjornada
12ªjornada

Épocas anteriores:
2011-2012
2010-2011
2009-2010

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Um deus passeando pela brisa da tarde...

"Certa vez, em Parma, dois jogadores que haviam passado pelo Benfica (Paulo Sousa e Rui Costa) estiveram frente a frente. A exibição do 10 foi inesquecível. Eu vi ! Talvez um dos melhores jogos da sua vida. Os Italianos chamaram-lhe 'Sua Exc.ª Rui Costa, o Magnífico !'... Passam agora 13 anos...

No dia seguinte o 'Corriere dello Sport' escreveu na sua primeira página: 'Rui Costa divino'. Por mim, peço desculpa ao Mário de Carvalho por lhe roubar o título do seu livro mais famoso, mas vinha a propósito, não sairia mesmo mais a propósito se fosse encomendado.

Dirão os picuinhas das factualidades que o jogo não foi à tarde, foi à noite, e que isso desmente, portanto, a realidade da imagem. Eu digo: neste caso, nesta caso concreto, primeiro vem a imagem e só depois os factos!
Há dias (ou noites) assim, é um dos privilégios da profissão. No estádio Ennio Tardini, em Parma, foram precisos todos os adjectivos tal foi a qualidade da exibição de Rui Costa. Dir-se-ia que a perfeição do seu futebol foi aumentando a um ritmo insustentável, duplicando-se para aí de quinze em quinze minutos.

Fui a Parma, dessa vez, para ver o confronto entre portugueses. Dois antigos jogadores do Benfica: Rui Costa de um lado, Paulo Sousa do outro. Mas, no confronto entre Parma e Fiorentina, só foi possível ver Rui Costa - o 10.
Naquela noite do Ennio Tardini ele fez tudo, mas tudo! E continuaria a fazer tudo o que lhe fosse exigido ou lhe desse na real gana, nem que nesse tudo estivesse incluída a obrigação de apontar um penálti com uma bola de ping-pong ou um livre directo com uma ameixa raínha-cláudia. É um exagero, obviamente. Mas o exagero não é meu, é dele. Foi ele que exagerou na qualidade de oitenta e cinco minutos fantásticos, inesquecíveis.

'Sua Majestade, o futebol'
Para os que julgam que tudo isto não passa de um laivo serôdio de um patriotismo saloio, eis as palavras dos outros que defendem aquilo que aqui fica escrito. Aliás: dêem-se simplesmente ao trabalho de contar quantas vezes por mês, ou até mesmo por trimestre  é que os avaros jornalistas da 'Gazzeta dello Sport' se dão ao luxo de atribuir a nota de 8,5 nas apreciações individuais dos jogadores do seu Campeonato. Garanto-vos: contam-se pelos dedos de uma mão. O nosso camarada Alessandro Calò, escreveu assim do Rui: «Dos seus pés sai sempre qualquer coisa de importante. Jogou como um 'fuoriclasse' e matou o jogo. (...) A diferença entre as duas equipas foi feita por um Rui Costa de trato imperial. Joga por todo o campo, é insuperável nas coberturas e impossível de parar nas suas arrancadas». Continuam ainda a pensar que é exagero? Pois há mais: «O númerp 10 'viola' sai do meio-campo com a bola controlada e cabeça alta tal como fazia Cruyff. (...) Como mereceu a 'standing ovation' do desportivíssimo público do Ennio Tardini». Vêem? O seu treinador da altura, Giovanni Trapattoni, outra figura querida da história do Benfica, também não lhe poupou elogios na conferência de Imprensa que se seguiu ao jogo: «Rui Costa foi estrepitoso! Superlativo! Foi o melhor em tudo». Nem Massimo Basile, do 'Corrierer dello Sport: «O seu primeiro tempo foi grandioso. O segundo tempo fantástico. (...) É evidente que se diverte. E fez dois golos com a arte dos grandíssimos». Nem Alberto Poverosi, do mesmo 'Corriere dello Sport, que iniciou a sua crónica desta forma emocionada : «Quando, no minuto 40 do segundo tempo de uma partida histórica, Giovanni Trapatoni chamou Rui Costa, todo o Tardini se pôs de pé e acompanhou com aplausos intermináveis a saída de campo de Sua Majestade, o futebol !». Pier Paulo Catosi, da RAI, chamou-lhe «Sua Exc,ª Rui Costa, o Magnífico!» E mais e mais ainda. Tanto cujas transcrições se tornariam fastidiosas. Eis porque o principal na exibição de Rui Costa foi a imagem. A imagem forte de um artista em noite de dominar o palco e transformar os outros actores em meros figurantes. Poucas vezes escrevi sobre um jogo em que um só jogador invadisse a cena com a arte de Lawrence Olivier ou Sarah Bernhardt em noite de estreia memorável. E, se calhar, em momentos como esses, as crónicas têm que começar pelo fim, pelo minuto em que o artista sai do palco envolvido nos aplausos da sua glória. Em Parma, as duas equipas entraram em campo ao som dos acordes da Marcha Triunfal da Aída, de Verdi. Escrevi, então, que Rui Costa tinha merecido sair de campo ao som da mesma marcha triunfal. É algo que Parma fica a dever-lhe para sempre. Porque o que ele fez no relvado do Ennio Tardini dificilmente se repete."

Afonso de Melo, in O Benfica


Diferenças

"1. O Benfica teve um presidente que roubou o Clube. Os sócios 'correram' com ele da presidência nas eleições seguintes e expulsaram-no de sócio em Assembleia Geral. Parece que o Sporting teve um vice-presidente (por sinal com grande visibilidade no caso da rede de segurança no nosso Estádio...) que igualmente se serviu dos dinheiros do seu clube, para além de ter conseguido uma base de dados com aspectos da vida privada dos árbitros (para que seria?...) e de ter contratado uma empresa (por sinal sua...) para vigiar os jogadores do clube - para já não falar no caso-Cardinal, com dinheiro a aparecer na conta de um árbitro assistente que pelos vistos não dava jeito.
Tudo isto com a complacência do (ainda) presidente do clube, que então nada fez para correr com ele da Direcção e agora nada diz sobre o caso... nem coloca o clube (moral e financeiramente prejudicado) como assistente no processo. Para além de tudo isto, o antigo dirigente tem como advogado de defesa o ex-presidente da Assembleia Geral.
Enfim, se eu fosse sócio desse clube sentir-me-ia profundamente envergonhado. Como me senti envergonhado quando tive como presidente alguém que tão mal representou o Benfica. Embora esteja de consciência tranquila, pois, modestamente e dentro das minhas possibilidades, lutei, como muitos outros, para que ele saísse o mais rapidamente possível e não causasse ainda mais prejuízos do que causou. Felizmente, agora, o problema não é nosso. Já tivemos a nossa conta...
2. Jogámos pouco, não merecemos mais que o empate mas estamos a caminho das meias-finais da Taça da Liga. Porventura pouco cuidadosos, os defesas do Moreirense cometeram dois penáltis claros. Foi o bastante para que os jornais do costume (O Jogo, JN) aproveitassem (nas respectivas capas) para salientar o facto de termos tido duas grandes penalidades a favor.
3. Título de 1.ª página de A Bola: 'Sem intervenção do Governo a Luz teria perdido a final da Champions'. Fui ler, a ver que benfeitoria havia feito o Governo no nosso Estádio. Afinal, o Governo resolveu um problema no âmbito da batalha antidoping, que nada teve a ver com o nosso Clube. Enfim, o Benfica dá sempre jeito para vender jornais..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Com todo o respeito

"O treinador do Paços de Ferreira fez uma declaração surpreendente no final do jogo de ontem em Alvalade, ao manifestar-se crítico da exibição da sua equipa. O Paços, realmente, já tinha feito esta temporada muitos jogos melhores, na sua longa série de 15 seguidos sem derrotas, mas o adversário não exigiu mais.
Quem não tenha visto o encontro pode descortinar no comentário um laivo de imodéstia, quiçá, desrespeito pela grandeza alheia, mas o realismo de Paulo Fonseca só pode chocar quem não consiga olhar de frente para a crise leonina.
A crueza de algumas análises realizadas aos processos técnicos seguidos em Alvalade nos últimos anos, a partir da inversão da política de aproveitamento sistemático da formação, que coincidiu com a dispensa de Paulo Bento, encontrou sempre uma reação negativa da parte dos responsáveis e da generalidade dos adeptos, encerrados numa rotina viciosa de clube rico ao qual nada de mal pode acontecer.
Foram raros os críticos em tempo real dos desmandos da gestão desportiva, que contou com boa imprensa nos momentos eufóricos das contratações, mas ficaram suficientes páginas escritas com autênticos relatórios à incompetência. Alguns dos críticos arrostaram com ameaças, insultos e desconsiderações, mas fizeram o seu trabalho, tiveram razão fora de tempo, alertaram para os perigos que o Sporting corria, com todo o respeito.
Hoje, parece bem fácil, até fácil de mais, assumir que os jogadores não têm a qualidade que as pretensões justificam, embora a conivência de alguns analistas de referência, para quem a qualidade dos jogadores é sempre condicionada pela cor da camisola que vestem, continue a prejudicar a recuperação do clube. Estes são mais nefastos do que os tiveram a hombridade de ir contra a corrente em tempo real, sem receio de serem desmentidos pelo impossível, ou do que a seriedade de um treinador como Paulo Fonseca."

Sport Europa e Benfica

"Escrevo este texto no dia 1 de Janeiro. Feriado, dia de folga? Para mim, o Benfica não permite ripanço, não se compadece com abstinência. Para mais o seu Jornal, a mais antiga publicação desportiva do País.
Mas, em convívio familiar, curtos são os minutos, alguém leva a mal a reprodução de um texto? Um escrito da minha lavra? Depois de uma meia temporada sem derrotas para consumo doméstico e com uma trajectória desejavelmente vitoriosa na Liga Europa. Aqui vai, seguindo a lei do arreigado deslumbre vermelho.
A eternidade tem pouco mais de 50 anos. O Benfica Campeão Europeu rompeu as fronteiras convencionais da bola. De acento tónico na cobiça, no ritual das suas belas aguarelas, espreguiçou-se por toda a parte onde o Futebol reclamou um vencedor.
Na verdade centenária do Benfica, Berna e Amesterdão foram os elevadores da glória total. Já a Taça Latina, dez temporadas atrás, havia amanhecido a madrugada do Futebol benfiquista com o pitoresco de uma prenda ressonante. Ainda nos refractários anos 60, o cortejo desconcertante voltou a cruzar-se com momentos mágicos que apenas esbanjaram um pequeno toque resolutivo. A história teve três réplicas na década de 80, o aprumo do Benfica vestiu a Europa com a melhor indumentária para novas cerimónias de apoteose.
Clube mítico, dos poucos do Mundo, desde os seus triunfos continentais, o SLB ergueu, majestático, o palácio da Mística. Com 'orgulho muito seu', abriu as janelas ao sol da vitória. Libertou o génio de Eusébio e de outros artistas com a medida do sonho bom. Fez-se mensageiro do exército libertador do sucesso, recebido com a sensação incontida de agrado pelas massas populares da mais diferentes latitudes. A construção europeia da bola só pode ter uma dívida perpétua ao Benfica. Vamos repetir os melhores desideratos? Por que não já neste novo ano?..."

João Malheiro, in O Benfica

domingo, 6 de janeiro de 2013

Golos com nota artística !!!





Estoril 1 - 3 Benfica

Três golos de antologia, para fechar o fim-de-semana em beleza !!! O jogo não foi fácil, o adversário tem valor, têm feito uma excelente época, os Corruptos sem poupanças, só conseguiram o empate, nos últimos minutos, com muita dificuldade, a semana passada... o relvado atrapalha as equipas mais habilidosas, o árbitro passou o jogo todo a ameaçar os Estorilistas - para a próxima levas amarelo!!! -, permitindo que o jogo faltoso fosse usado estrategicamente para 'quebrar' o ritmo ofensivo do Benfica...
No geral todos tiveram bem - até aos 80 minutos!!! -, o Artur que resolveu oferecer uma prenda no final da partida, esteve bem no resto do jogo, o André na minha opinião defensivamente dá mais garantias do que o Maxi, os centrais conseguiram aguentar a velocidade do Luís Leal - algo que não é fácil !!! -, o Melga esteve quase a marcar, o Enzo foi um autêntico saco de porrada, o Matic voltou a estar bem, mas como é óbvio o destaque vai todo para os marcadores dos golos: o Gaitán marcou o mais espectacular, sem saber como!!! O do Lima é extremamente complicado de executar, tanto na recepção como o remate: qualquer outro jogador chutaria a bola para as nuvens!!! E o do Salvio, de 'moinho', também foi espectacular!!! O Cardozo, desta vez ao 'sétimo dia', descansou!!! Pena a lesão do Rodrigo, nota-se claramente uma subida de forma, espero que não seja grave...
O regresso do Pablito é uma dádiva...!!!

Importante


Benfica 3 - 2 Fonte Bastardo
25-21, 19-25, 23-25, 25-22, 15-9

Excelente vitória, num jogo muito difícil, contra o nosso principal adversário - com muito melhor plantel que o Sp. Espinho -, voltámos a não fazer um grande jogo, cometemos algumas falhas, o nosso serviço não está a ser decisivo, e notou-se nestas duas partidas alguma dificuldade em lidar com a pressão, mas mesmo assim conseguimos a vitória.
Os jogadores têm rodado, os centrais vão jogando todos, o Reffatti está quase a regressar, o Miguel  e o Magalhães têm jogado, mas parece-me que o Ché devia ser utilizado mais vezes. A posição de Oposto é decisiva ofensivamente, o Gaspar tem jogos muito bons, mas tem outros onde é muito irregular, hoje perdemos o 3.º Set após vários erros consecutivos do Gaspar, ontem após a 'roubalheira' foi o Gaspar que se enervou mais... O Ché também falha, como qualquer outro jogador, mas não podemos voltar a tremer em momentos decisivos. 

Épico !!!


Santa Clara 1 - 1 Benfica B

Não vi o jogo, mas uma equipa que começa a perder aos 19 minutos por 1-0, que ainda na 1.ª parte fica reduzida a 10 por expulsão de um dos centrais, que aos 76 minutos fica reduzida a 9 jogadores, por mais uma expulsão, e que mesmo assim consegue empatar o jogo aos 80 minutos, só pode merecer os meus elogios... Isto num jogo que fica marcado pelo momento de luto, de um dos nossos jogadores, que como é óbvio não jogou, com os centrais habituais também ausentes, com o Correa na selecção, e com vários Juniores em campo...
Repito não vi o jogo, mas não posso deixar de ficar intrigado com as duas expulsões dos jogadores do Benfica, isto uma semana depois do Santa Clara ter sido muito prejudicado em Santa Maria da Feira, com um penalty inventado pelo Proença - só podia ser...!!! -, já nos descontos. Sabendo das relações próximas de alguns membros da Direcção do Santa Clara, isto à distância, cheira-me a compensação... O Sistema também funciona assim...!!!

Em frente na Taça, este 'caneco' não vai fugir !!!


Benfica 102 - 64 AngraBasket
Doliboa(20), Betinho(17), Heshimu(16), Elvis(12), Franklin(9), Fonseca(9), Belo(7), Barroso(4), Carreira(3), Rosa(3), Castela(2)

Na próxima ronda será mais complicado, vamos ao Funchal defrontar o CAB, hoje cumprimos a nossa obrigação, curiosamente na próxima jornada para o Campeonato, recebemos o CAB !!!

De alma e coração é que não

"Entre muitas outras coisas, Paulo Pereira Cristóvão disse ao “Expresso” que o Sporting era “um clube de loucos” e houve quem tivesse ficado desagrado com a oportunidade concedida pelo semanário de Pinto Balsemão ao ex-vice-presidente para dizer de sua justiça num caso de justiça em que é o primeiro e único protagonista. Compreende-se que a gente de bem do Sporting prefira nunca mais ouvir falar o ex-inspector da PJ cujos métodos de trabalho em prol do clube do seu coração o colocaram numa situação complicada perante a opinião pública e, possivelmente, perante os tribunais.
Por exemplo, para Carlos Barbosa da Cruz, um sportinguista de mérito com coluna semanal de equilibrada opinião no “Record”, o facto de o “Expresso” ter dado guarida à defesa de Pereira Cristóvão é mais grave do que o facto de o mesmo semanário ter dado guarida, por engano, às proclamações de Artur Baptista da Silva, o falso conselheiro da alegada ONU que andou por aí a enganar meio mundo. Duvido que sejam acontecimentos classificáveis na mesma ordem das grandezas e misérias do jornalismo em Portugal mas, sem qualquer esforço, reconheço as boas intenções do sportinguismo do citado colunista do “Record”.
A entrevista de Paulo Pereira Cristóvão não fazia falta nenhuma ao Sporting. Mas não devemos cometer o pecado da generalização. A entrevista não fazia falta nenhuma, sobretudo, à clique que manda em Alvalade. Nem a alguns dos já demitidos ou já demissionários do colectivo original, bem eleito ou mal eleito em Março de 2011. Acontece que entre a gente de bem do Sporting corre com insistência a reclamação de que o clube se constitua como assistente no caso Cristóvão em defesa, precisamente, do bom nome da instituição. Ora a entrevista de Paulo Pereira Cristóvão ao “Expresso” encerra forte ameaça a que isso alguma vez venha a acontecer.
“Todos sabiam da rede de informação” e “havia pessoas pagas para isso” e mais a junção de um role de nomes de altíssimos coniventes em parte das matérias, colocam grande dificuldade a que o presidente do Sporting decida constituir-se, de alma e coração, assistente no processo judicial em curso. E é esta a culpa do “Expresso”, foi o mensageiro da mensagem. Valha-nos a ONU.

ERRAR É HUMANO
Venha de lá esse chinês
Aproxima-se a data do primeiro clássico do ano – trata-se da visita do FC Porto ao Estádio da Luz – e avoluma-se a vontade de adivinhar o nome que Vítor Pereira, o presidente do Conselho de Arbitragem, vai atirar para o palco da Luz. Entre os dois estados-maiores em disputa a questão do árbitro tem implicações diferentes. Por exemplo, para os campeões nacionais, na verdade, tanto faz. O árbitro não passa de um assunto sempre encarado com incrível tranquilidade. É o que se depreende, uma vez mais, das palavras de Pinto da Costa para quem o árbitro do Benfica-FC Porto “até pode ser um chinês”.
Para Luís Filipe Vieira a chinesice é outra. A arbitragem é uma missão a quem falharam os tribunais, como afirmou no início de 2013. E, neste capítulo, limitou-se a dar razão imagine-se a quem… a Pedro Proença que, no fim de 2012, lamentou a inoperância da Justiça no velho e arquivado caso do Apito Dourado. Sobrepondo a política ao jogo, o presidente do Benfica fez suas as palavras do árbitro acusado de ter “roubado” o título da época passada ao Benfica em vésperas de mais um emotivo Benfica-FC Porto. Que esta sinergia teórica não redunde no fracasso das respectivas intenções é o que todos desportistas desejam para 2013. E venha de lá esse chinês!

POSITIVO
Cardozo imparável
Enquanto persistir em assinar “hat-tricks” com a naturalidade das coisas naturais, dificilmente o paraguaio deixará de abrir o top mais da semana. A última vítima de Cardozo foi o Desportivo das Aves.
A bomba Moutinho
O pequeno dínamo do meio campo dos campeões nacionais nunca dá sinais de cansaço e continua preponderante nos sucessos da equipa. Foi à bomba que, no Estoril, Moutinho impediu a derrota do FC Porto.

NEGATIVO
Crise Coentrão
O jogador que fez as delícias da Luz e foi vendido por 30 milhões transformou-se num incómodo descartável para o Real Madrid. Chegou atrasado ao primeiro treino do ano, vai ser multado e já nem Mourinho o segura.

PÉROLA
“Estamos a assistir à sportinguização do país.”, António Victorino D’ Almeida
Benfiquista dos sete costados, o maestro mais popular e querido do país ofereceu um pequeno consolo retórico aos amigos sportinguistas. O problema maior reside no país e não é propriedade exclusiva Sporting Clube de Portugal, um “grande” a contas com a mais grave crise da sua história."

Roubados


Sporting 2 - 4 Benfica

A época de Futsal do Benfica, não tem corrido bem - excepto a vitória na Supertaça -, a equipa tem jogado mal, em alguns jogos muito mal, temos tido lesões com recuperações difíceis, neste momento o Nené e o Teka não são opção, o Diece tem jogado às pinguinhas, hoje voltou a não jogar... as declarações do Ricardinho não ajudaram... Também estou à vontade para criticar o trabalho do Paulo Fernandes, porque critiquei - muito - a sua contratação, dos blog's que normalmente discutem as modalidades, não me recordo de ler opiniões mais 'agressivas' do que as minhas, sobre o ex-treinador do Sporting... E este ano também já critiquei várias vezes a atitude dos jogadores.
Hoje voltámos não fazer um bom jogo, tivemos dificuldade em ultrapassar a pressão alta do Sporting, obviamente que a ausência do Diece, e a ultra-sónica expulsão do César, foram importantes, já que um, é o nosso jogador mais rápido, e o outro, é o melhor jogador em Portugal a 'segurar' a bola...
Mas hoje não perdemos por estes motivos, hoje perdemos exclusivamente devido a erros dos árbitros. Falhámos alguns golos, como é normal em qualquer jogo - aquele do Davi ao poste...!!! -, mas não foi por aí que que fomos derrotados. Foram 2 penalty's que ficaram por marcar a favor do Benfica, o Benedito devia ter sido expulso 2 vezes - por defender a bola fora da área -, e o Paulinho no primeiro penalty também ia para a rua!!! Isto além de outros erros, como a escandalosa falta do Djo sobre o Gonçalo, quando o Benfica estava a ganhar. Aliás como a maior parte destes erros foram cometidos na 1.ª parte, também seria natural o Sporting ter atingido o limite de faltas bem cedo... mesmo se o Benfica falhasse os Livres de 10 metros, pelo menos a atitude de pressão alta do Sporting, tinha sido completamente diferente...
Nada disto é novo, enquanto não houver tomadas de força da Direcção, nada se vai alterar - no Futsal e nas outras modalidades... -, recordo-me muito bem como os Lagartos foram Campeões com Paulo Fernandes... com agressões, cuspidelas, placagens ao Ricardinho, golos irregulares, etc., etc,... Isto só se vai decidir no Play-off, não vamos ter o factor casa, como eu já tinha dito antes deste jogo, mas com o plantel completo, sem lesões, não somos inferiores, ao contrário do que muitos pensam, agora com apitos destes, nem vale a pena entrar em campo...

PS1: Espero ter percebido mal, mas fazendo zapping passei pela Bola TV, e pareceu-me ouvir um funcionário do Benfica - Alípio Matos -, a dizer que o Benfica não tinha perdido por causa dos árbitros!!!

PS2: Os comentários da RTP também não me surpreenderam, o senhor narrador é um veterano destas andanças - e do Hóquei também... -, que desta vez teve o desplante de perto do intervalo afirmar que os árbitros tinham errado, mas para os dois lados !!! Quando analisando as palavras do próprio, até aquele momento tinha havido 5 erros graves contra o Benfica, e 1 contra o Sporting !!! Este tipo de argumentação também não é nova... já no futebol, basta o Benfica ser supostamente beneficiado de um erro, num determinado jogo, para ser roubado o resto da época em dezenas de jogo, sempre justificados pelo o tal erro anterior...!!!