Últimas indefectivações

sábado, 10 de novembro de 2012

Entrada a 'matar' !!!


Benfica 7 - 1 Reus

Arranque Europeu, a fundo... tal como o López disse no final: o melhor jogo da temporada!!! Sem espinhas, curiosamente já o ano passado - pessoalmente -, o melhor jogo foi também na recepção Europeia ao Lodi...
Agora a cabazada, pode até ser importante no eventual desempate pontual, mas para já só temos 3 pontos. Os jogos com os Italianos não vão ser fáceis, são equipas cínicas, e o Benfica normalmente dá-se mal com isso.
Mas o próximo jogo é na Quarta-feira, com a Física, na Luz, e também não será fácil... portanto: Parabéns hoje, trabalho amanhã!!!

Vitória no batatal !!!


Oliveirense 1 - 2 Benfica B

Vitória na luta, no suor, na lama... no batatal !!! Num relvado em péssimo estado não se esperava 'notas artísticas', e por isso o jogo teve muito pontapé para a frente, mas curiosamente os dois golos do Benfica, foram ambos espectaculares: o do Miguel Rosa uma bomba, de livre directo, estilo Tomawank do Ronaldo!!! O do Deyverson, um excelente remate à meia volta.
(Fui dos poucos que gostei dos pormenores deste jovem Brasileiro, quando se estreou na Luz, hoje confirmou as minhas primeiras impressões: é tosco, mas é um finalizador... as movimentações na área são de 'matador'. O aspecto alto e descoordenado não ajuda, nós em Portugal estamos habituados a elogiar somente os 'brinca-na-areia', e depois queixámo-nos do Postiga ser o ponta-de-lança da Selecção!!! Repito o Brazuca de nome estranho: Deyverson Brum é ponta-de-lança, daqueles que não faz mais nada... mas empurra as bolinhas lá para dentro!!!)
Aliás basta olhar para o onze inicial, com o Luciano e o Ascues no meio-campo com o Pimenta - e ainda o Luís Martins a extremo esquerdo -, para adivinhar aquilo que passou pela cabeça do Norton!!!
Dar a volta a resultado, num campo destes, contra uma equipa competente - ainda por cima após mais um erro do nosso guarda-redes -, que é uma das favoritas à subida - com um excelente avançado: Barry, de muito difícil marcação -, não é para todos, ainda por cima após vários resultados negativos... a sorte que hoje tivemos, no final da partida, principalmente após a lesão do Sidnei - ficámos a jogar com 10 -, foi a mesma que nos faltou nas últimas jornadas...

Supertaça Oval, no feminino !!!


Benfica 43 - 5 Agrária de Coimbra

Mais uma Supertaça para o Benfica, desta vez foi o Rugby feminino... não é novidade, as nossas meninas, nos últimos anos, têm vencido vários troféus...
A secção masculina está a passar por momentos muito complicados, sendo assim estes triunfos ainda são mais saborosos...

PS: Quem reclama pelos resultados do Rugby masculino, e a suposta falta de vontade em apostar a 'sério' na modalidade, aconselho um reforço do pagamento da quota das modalidades, algo que no actual estado do País não me parece possível, se quando as finanças dos sócios estavam 'mais ou menos' havia tão poucos a pagar, duvido que seja agora...

Vitória, após susto...


Académica 62 - 71 Benfica
17-11, 13-18, 13-25, 19-17

Mau começo... vitória decidida no 3º período...

Sempre a vencer...


Benfica 30 - 19 Camões

As paragens para jogos da Selecção são perigosas, felizmente desta vez o calendário ajudou com um jogo acessível no regresso, e assim deu para rodar praticamente toda a equipa...

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Tristezas mil

"Mil, festejaram eles. Mil enganos. Mil cenas macabras. Mil histórias tristes. A memória já não abarca todas, tantas que são. Jornalistas espancados, quantos foram? Uns à porta de casa  outro à saída do Estádio Mário Duarte, em Aveiro (e era o mestre dos mestres!); outro no Estádio do Restelo; ainda mais um em directo na TV, em pleno relvado das Antas... E mais?
Um fotógrafo atropelado! Até as fotografias incomodam quem gosta de viver na escuridão, não é? Viagens oferecidas a árbitros com destino de Brasil. Um árbitro perseguido por uma equipa quase inteira para vergonha de quem ainda hoje assiste àquelas imagens sinistras. Árbitros intimidados, agredidos à força de peitadas por jogadores inimputáveis.
Árbitros escolhidos a dedo com o compadrio dos patrões da arbitragem para forjarem vitórias bufas, resultados martelados, conquistas sem valor...
Um árbitro convidado para um café e um envelopezinho recheado numa casa obscura da Madalena na véspera do jogo no qual deveria ser absolutamente imparcial. E quantos mais por lá passaram, com café e envelope? Tantos certamente... Jogadores insubmissos ameaçados com tiros nos joelhos. Treinadores insultados e com os seus carros destruídos. Prostitutas entregues a domicílio, em quartos de hotéis nos quais pernoitam juízes de linha. Quem as paga? A conta apresenta-se lá no alto da torre e arquiva-se como despesa de refeição. Árbitros estrangeiros refastelam-se nas marisqueiras de Matosinhos garantido finais europeias. Mais envelopes. Mais trabalho para a contabilidade da torre das Antas...
Do alto dos viadutos chovem sacos com pedras de calçada sobre viaturas inocentes. Tentativas de homicídio também valem. Das bancadas chovem pedras e bolas de golfe. Ninguém liga. É assim a vida e a lei a oeste de Pecos: não há vida nem lei. Ufa! Tanta porcaria também cansa!"

Afonso de Melo, in O Benfica

Sem piedade

"Estávamos em 2005. O Benfica sagrava-se Campeão após longo jejum. O Sporting chegava a uma final europeia, e discutia o título nacional até à penúltima jornada. O FC Porto, com três treinadores numa temporada, afundava-se em equívocos, via o seu presidente detido para interrogatórios - após uma fuga muito mal explicada -, e via tornarem-se públicas muitas das práticas de que tinha feito uso para dominar o Futebol português dentro e fora dos campos.
À oportunidade histórica que se deparava aos clubes lisboetas para acabar de vez com o polvo de Pinto da Costa, o Benfica respondeu afirmativamente, com a denúncia insistente daquelas práticas, com a luta pela verdade desportiva, e com a zelosa tentativa de trazer o Sporting para esse combate. Porém, o clube de Alvalade, tolhido pela cegueira de um eterno ódio ao vizinho, assobiou para o lado, e preferiu participar nas festividades do Tetra-Campeonato que, assente na impunidade, o FC Porto alcançou nos anos seguintes.
O tempo foi passando. O Benfica investiu fortemente na sua equipa, e recolocou-se, a par do rival nortenho, na luta pelos títulos. O Sporting foi caindo para níveis capazes de fazer corar de vergonha o seu respeitável historial.
Há agora quem, tocado pela comiseração, fale em solidariedade para com o 'Velho Rival'. Há quem diga que o Sporting, enquanto candidato a títulos, faz falta ao Futebol. Pois por mim, honestamente, não faz falta nenhuma. Na verdade, quando podia, e devia, ser útil - não ao Benfica, mas à verdade desportiva, e à purificação do Futebol português -, o Sporting demitiu-se das suas responsabilidades, preferindo obsequiar Pinto da Costa, e regozijar-se com os seus triunfos. Com mesquinhez e vistas curtas, falhou o encontro com a história. Perdeu, e perdeu-se nos seus próprios labirintos.
Se o Campeonato Nacional tender agora para uma bipolarização, não esperem pois as minhas lágrimas. Cada um tem o que merece. Afinal de contas, a liga Espanhola é disputada a dois, e nem por isso perdeu o seu encanto."

Luís Fialho, in O Benfica

Vitória amarga com o Spartak

"Vitória amarga na quarta-feira passada na Luz, muito por culpa de outras derrotas doces que havíamos tido. Ganhámos o jogo ao Spartak Moscovo com justiça, mas o Barcelona mostrou não ser um clube sério em Glasgow.
Resta ganhar ao Celtic em casa, dia 20, e garantir o apuramento para a Liga Europa. A Champions ficou em Celtic Park e será muito díficil não ser assim. Teremos, contudo, que fazer a nossa parte e esperar alguma conjugação astral diferente daquilo que vislumbro.
Na quarta-feira Artur steve intransponível, Garay esteve imperial, Ola John esteve endiabrado, Cardozo esteve letal e Enzo Pérez esteve em todo o lado. Jorge Jesus transformou Enzo Pérez num jogador de equipa, cria equilíbrios e é omnipresente, organiza e estabiliza o Benfica nos processos defensivos e ofensivos. O Benfica é mais colectivo e mais equipa com este Enzo que Jesus reinventou.
O jogo mais importante desta semana será jogado domingo em Vila do Conde. Nesse não se pode falhar. Ganhar onde a concorrência já empatou será muito difícil. O Rio Ave será melhor que o Spartak. Não poderemos dar aos de Vila do Conde metade das oportunidades de golo que tiveram os russos, porque João Tomas, Tarantini e companhia não perdoam tanto como os moscovitas. Ganhar em Vila do Conde e ver devolvido Luisão era uma excelente agenda para os tempos que se avizinham. Só um Benfica muito concentrado no jogo seguinte poderá chegar no fim aos objectivos.
Os espectadores fogem dos estádios. As assistências, mesmo dos clubes melhor classificados, estão a cair a pique. A crise económica, as dificuldades das famílias urgem respostas prontas e ágeis dos responsáveis. Os adeptos continuam a gostar de futebol mas não conseguem pagar estes preços, em resumo, querem mas não podem."

Sílvio Cervan, in A Bola

O complexo dos viscondes

"Já não é de aqui e de agora. É universal e já vem de antanho. Falo do complexo que o clube dos viscondes (termo carinhoso com que por vezes denominamos os rivais da Segunda Circular) tem relativamente ao nosso popular Benfica.
Aquilo começou com a birra de quem tinha o dinheiro, mas não tinha o talento para jogar no Benfica e foi pedir ao avô visconde que lhe desse um brinquedo. Aquilo prolonga-se até aos nossos dias. Por vezes, vai sendo negado ou atenuado, mas no fundo resume-se sempre ao mesmo: para nós, o Sporting é um rival; para os sportinguistas, o Benfica é um complexo. Recentemente, Paulo Bento referira-se-lhe (ao dito complexo) com a constatação de que o Sporting entrara em depressão profunda com a pré-época exclamativa do Glorioso, aquando da primeira época de JJ no Benfica. Anteriormente, já João Rocha mencionava que, durante o período Roquette, havia um grupo de notáveis sportinguistas dispostos a subscrever um estranho plano de cooperação e subalternidade com o FC Porto, para afastar o Benfica do sucesso… Este mesmo complexo é visível na forma submissa como encaram a derrota perante os “amigos” portistas e a sanha incendiária (literalmente) com que encaram as sucessivas derrotas frente ao Benfica. Este mesmo complexo está bem patente no facto de terem transformado em efeméride a data dos famosos 7-1, esquecendo que nessa época o Benfica festejou mais uma dobradinha (Campeonato e Taça).
Actualmente, os nossos ainda(?) rivais vão cumprindo mais uma via-sacra no actual campeonato. Após mais uma derrota (agora treinados por um belga que se apressou a dizer que nunca veste roupa… vermelha) que os condenou a estarem um ponto acima da descida de divisão com praticamente um terço do campeonato concluído, qual é a conclusão a que chega o seu representante televisivo Rui Oliveira e Costa? «Vamos em que lugar? No 13º? Se o Benfica estivesse em 14º, a crise era metade. Dói menos, dói menos.» (dito na RTPI). E eis o ‘complexo dos viscondes’ no seu esplendor."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

O Tacuara merece...




"MARCÓ DOS GOLES CONTRA EL SPARTAK DE MOSCÚ
ÓSCAR 'TACUARA' CARDOZO, EL BOMBARDERO INQUEBRANTABLE

- El delantero paraguayo rescató al Benfica frente al Spartak en 45 minutos soberbios
- Entró al campo tras el descanso, marcó dos goles y pudo anotar otros tres
- Es el máximo goleador extranjero en la historia del Benfica con más de 130 dianas
- Ha hecho frente a la enorme competencia que ha supuesto la llegada del brasileño Lima y el ímpetu del joven Rodrigo
- Ya lleva tres dobletes esta temporada

Óscar Cardozo es de esos futbolistas que luchan contracorriente y, además, lo hacen en silencio, sin dar la nota, lo que a veces se confunde con indolencia. Pero ahí están casi siempre, cuando más se les necesita y manteniendo un espíritu inquebrantable. Una de las características que mejor define a esta clase de futbolistas es que son amados y odiados casi a partes iguales. Nunca se libran de la crítica y sus méritos son evaluados con exagerada minuciosidad.
Es lo que le ocurre al delantero paraguayo del Benfica, al que muchos compatriotas no le perdonan el penalti fallado contra España en los cuartos de final del Mundial de Sudáfrica y que, de la misma manera, aún es discutido por parte de la afición lisboeta a pesar de sus magníficos números como goleador. El miércoles volvió a demostrar que lo suyo es hablar en la cancha e hizo gala de su matadora zurda y gran oportunismo en el área rival.
Cardozo marcó dos goles contra el Spartak de Moscú y permitió al Benfica seguir soñando con el pase a los octavos de final de la Champions League. El triunfo de los portugueses (2-0) deja muy comprimido el grupo G, donde cualquiera de los tres rivales del Barça pueden pasar a la siguiente ronda.
'Tacuara', apodo que le viene de la comparación de su espigado cuerpo con el de las cañas recias y consistentes que crecen en algunas zonas de Sudamérica, sólo necesitó 45 minutos para doblegar al Spartak. Entró en la segunda mitad para deshacer el empate a cero y rescató al Benfica con una soberbia actuación que también tuvo su contrapunto de reproche.
El delantero de 29 años cambió el guión del partido nada más entrar al campo en sustitución del español Rodrigo Moreno. En el minuto 50 marcó un gol que fue anulado por fuera de juego, cinco minutos después aprovechó su poderoso juego aéreo para conseguir el 1-0 tras un centro de su compatriota Lorenzo Melgarejo, en el 65' volvió a acariciar el gol con otro remate de cabeza que se marchó ligeramente alto y poco después aprovechó un nuevo centro desde la izquierda para enganchar un zurdazo imparable, otra de las especialidades del bombardero de Juan Eulogio de Estigarribia, la ciudad industrial y multicultural de la región de Caaguazú.
La noche hubiese sido perfecta para 'Tacuara' si no hubiese fallado el penalti que él mismo provocó en el minuto 77. El internacional paraguayo envió el balón al larguero y revivió un dolor que casi había olvidado. Fue apenas una ligera punzada en el corazón comparada con el terrible tormento que padeció hace más de dos años en el Mundial de Sudáfrica. El penalti atajado por Casillas en cuartos de final, que supuso la eliminación de Paraguay, será recordado durante muchos años como la mayor tragedia del fútbol guaraní y una tremenda mancha en la carrera de Cardozo.
Cardozo es un delantero de área, un rematador casi infalible que ha triunfado en todos los clubes en los que ha jugado. Tras destacar como goleador en el Club Nacional de Asunción llegó en 2006 a Newell's Old Boys, donde es recordado con cariño por los hinchas 'leprosos' debido a su enorme contribución a la salvación del equipo rosarino, amenazado por entonces con el descenso de categoría. Tras su grandísima campaña en el cuadro argentino, 'Tacuara' fichó por el Benfica, donde rápidamente se estableció como máximo goleador.
Anotó 22 goles en su primera temporada en el Benfica, la 2007-2008, cumpliendo la promesa que había hecho de marcar más de 20 goles al llegar. En su segunda campaña conquistó la Copa de la Liga y al año siguiente se convirtió en el máximo goleador de la Liga de Portugal con 26 dianas en 29 partidos y fue elegido mejor jugador de la temporada en la Primeira Liga. Acabó el curso 2009-2010 con 38 goles en todas las competiciones y se proclamó campeón de la Liga y la Copa.
Con el Benfica ganó dos Copas más, una Supercopa y obtuvo los dos últimos subcampeonatos de la Liga. Es el máximo goleador extranjero en la centenaria historia del club lisboeta con más de 130 dianas, y esta temporada ya lleva ocho goles en nueve partidos: seis en la Liga y dos en la Champions League. A pesar de la formidable competencia que ha supuesto la llegada del brasileño Lima y el ímpetu del joven Rodrigo, Cardozo sigue siendo el máximo goleador del equipo. El pasado sábado consiguió su segundo doblete en la Liga frente al Vitoria de Guimaraes, incluido un penalti convertido con su habitual resolución. Porque a pesar de lo que piensen algunos, 'Tacuara' es un fiable lanzador de penaltis."

O trabalho de Jesus

"Esta época, mais que qualquer outra, tenho visto um trabalho fantástico por parte do Jesus. Sim, mesmo sendo uma besta arrogante que não sabe lidar com pessoas e acima de tudo que é teimoso que nem uma mula e isso fará sempre com que nunca possa ser um Treinador de topo.
Onde?
Não tem meio-campo, fez do Matic um trinco muito forte, ele que era um gajo que atacava mal os lances (chave para ser-se trinco), que não era trinco de raíz, que não agradava quando substituía o Javi, que não chegava para o Benfica. Eu sempre achei isto e a evolução do jogador é demasiado notória mesmo para quem já gostava dele. Grande trabalho do Jesus.
Não tem meio-campo, inventou um 8 em Enzo Pérez que não fez ainda um único jogo mau e alguns tem sido dos melhores elementos em campo. Eu próprio o apontei como o mais provável 8 de tudo o que tínhamos no plantel, o Jesus achou o mesmo e conseguiu de facto que ele vingasse na posição, uma posição que fisicamente é muito mais exigente porque o "descanso agora aqui na linha" não existe, a concentração tem de ser constante. Grande trabalho do Jesus.
Não tem meio-campo e já inventou 1 puto e meio para essa zona do terreno (sim, também não tinha remédio). O Gomes tem classe, toque de bola e muito potencial, o Almeida tem recebido confiança, não o acho (como falado recentemente) jogador de futebol para o Benfica (vêm? já o acho para outros clubes!) mas a verdade é que já foi titular em 2 jogos de Champions (embora um a lateral, posição que não tem NADA a ver em termos de exposição ao jogo). Grande trabalho do Jesus.
Perdeu o capitão e voz de comando da equipa, só quem já andou a jogar futebol a sério é que sabe a importância que isto tem, não sou o caso mas conheço quem tenha sido e defenda de forma bem clara a importância que o capitão da confiança do treinador tem para o rendimento da equipa. O Luisão é o "limpa-neves" do Benfica há anos a fio, é o jogador estrangeiro com mais jogos pelo Benfica e uma figura incontornável. Até golos decisivos o tartaruga marca e é o treinador que pode estar dentro das 4 linhas. Grande trabalho do Jesus minimizar a níveis categóricos esta ausência.
Não tem defesa-esquerdo (ou tem mas não confia para titular) e vê no Melgarejo esse potencial. Todos os criticámos (e bem) por tê-lo lançado logo a frio (e deu merda) mas rapidamente percebemos que o puto é mesmo craque e tem tudo para vingar naquela posição. Como já disse no post anterior, até parece que o gajo joga ali há anos... Grande trabalho do Jesus.
O Lima chegou sob críticas, o Lima não jogou logo, o Lima começa a jogar e começa a marcar golos uns atrás dos outros. O timing foi muito bom e hoje temos 3 avançados que, esses sim, são suficientes para criar inveja a muitos clubes europeus. Grande trabalho de preparação do Jesus.
O Ola John veio por uma quantia astronómica e todos criticámos o facto dele não jogar sequer. Tanto dinheiro e nada? Demorou, demorou... O Jesus sempre disse que ele não estava preparado, que ele não percebia ainda o jogo do Benfica. Agora que o lançou, todos temos a esperança de ter ali o jogador que vimos jogar na época passada contra o Benfica, o jogador que afinal se calhar até vale o dinheiro investido, o jogador entusiasmante e que, repito, com confiança parte qualquer gajo no um-para-um. Grande trabalho de preparação do Jesus.
Agora imaginem que isto tudo foi em 3 meses... 3 meses... E nesses 3 meses, com um farrapo de plantel (no que toca a buracos por tapar, porque qualidade tem) estamos a dividir a liderança do campeonato, estamos na Taça de Portugal, estamos com dificuldades na Champions (embora com remotas hipóteses de passar), estamos em todo o lado... Eu não quero imaginar o que seria isto com um treinado banal que tivemos tantos, tantos anos seguidos...
Como já disse, o Jesus irrita-me e por vezes quero mais que ele... Mas por mim só sai se for para vir um daqueles nomes de topo infalíveis... Porque dos "medianos-mais" temos claramente o melhor deles todos."


PS: Discordo da conclusão, até porque todos os outros parágrafos anteriores provam que o homem não é tão mediano quanto isso - sendo que ele não é tão infalível, como julga... -, mas concordo totalmente com o espírito do artigo. Excepto o excerto da 'besta', aliás a única razão que fez - e vai continuar a fazer - do Jesus um treinador de sucesso no Benfica, é exactamente a sua teimosia, por alguma razão na história do Benfica, praticamente nenhum treinador Português obteve sucesso. Sem a teimosia - acertada uma vezes, errada noutras -, já tinha perdido o rumo, e andaria ao sabor das opiniões dos treinadores de bancada, pelo menos daqueles que fazem mais barulho...!!!

Destroçados!

"Sempre fui da opinião que só uma organização amadora, sem categoria, à deriva e sem ninguém que perceba de futebol, é que não compraria com antecedência um substituto para o André Almeida!
Vamos que o moço se aleija! Quem fará o lugar do Matic quando este estiver lesionado ou castigado? Quem dobrará o Maxi Pereira? E se o Luisão um dia não pode jogar? porque não se comprou atempadamente um central que substituísse o capitão?
Do Enzo Perez, acho que todos já perceberam que o treinador não percebe um 'charuto' do assunto - só um gajo que tem a mania que é o mestre das tácitas se lembraria de meter Enzo Perez no meio campo! Completamente perdido, talvez destroçado com mais uma invenção de Jesus, Enzo Perez é mais um jogador queimado pelo mestre da táctica! O gajo é extremo e ponto final - só o catedrático é que não vê isso... Percebe-se até pelo seu andar que é um jogador triste e com vontade de voltar para a mamã...
Por falar no catedrático...pode lá ser uma ala direita formada por dois tipos completamente destroçados pela prosápia estapafurdia de Jorge Jesus - é preciso não esquecer que já destroçara Ola Jonh com aquele célebre raspanete em público, e ainda esta semana mandou Melgarejo para o psiquiatra quando afirmou que ele nunca seria um avançado titular do Benfica!
Quando vi os dois, Ola Jonh e Melgarejo, correndo, defendendo, cruzando ou assistindo para golo, não pude deixar de ficar também destroçado ao ver uns mocinhos ainda tão novos e já destruídos psicologicamente! Via-se perfeitamente no rosto dos miúdos que estavam completamente arrasados! Eles bem queriam correr, mas as palavras e os gritos do catedrático não os deixavam - parecia que alguma coisa os puxava para trás!
Ainda calhou fazerem umas fintas e uns centros bem medidos para a área, que por acaso até resultaram em golos, mas isso foi só porque os Russos não valem nada e segundo fontes bem informadas até jogaram desfalcados! É. Para o Benfica ganhar só podiam ser reservas....
Além disso, estava um tipo alto e desajeitado acampado lá na área, (também ele mais ou menos destroçado por ter sido ser suplente), que ao querer aliviar a bola pela linha de fundo, acabaria por metê-la duas vezes na baliza do Spartak!
Consta que o destroçado Luisinho, ao ver a fraca exibição de Melgarejo, acabado que foi o jogo, terá ido a caminho do psiquiatra, completamente destroçado por ter voltado para o banco após magnifica exibição contra o Guimarães... O mestre das tácitas não tem emenda! São uns atrás dos outros...completamente destroçados!
Jesus não é treinador para o Benfica! Estou de acordo com as redes sociais, com os jornaleiros, cumentadeiros e outros paineleiros. O homem não sabe falar - não sabe dirigir homens e muito menos os sabe motivar! É um tipo que destrói o amor próprio dos jogadores, de tal forma, que por esta altura já os seus psiquiatras estarão eles próprios a precisar de ajuda...
Basta olhar para a equipa ontem na Luz, para perceber que é uma equipa arrasada psicologicamente, sem fio de jogo, cansada psicologicamente e com a maioria dos jogadores destroçados... O Benfica precisa urgentemente de um novo treinador! Só não vê quem não quer ver! E tenho quase a certeza que o Barcelona perdeu em Glasgow por sua culpa...ali houve 'dedo' de Jesus!
..."


PS: Mais uma enorme postada do Gauchos, que está como os Americanos dizem: 'in the zone...' !!!

Chegaram os Novos do Restelo

"Na última jornada de La Liga nem Cristiano Ronaldo nem Lionel Messi marcaram golos. Aqui está a prova, como se fosse preciso, de que em futebol tudo é possível.

O Benfica está muito bem encaminhado para a Liga Europa. Venceu o Spartak de Moscovo mas não pôde contar com a ajuda do Barcelona que perdeu em Glasgow. A Liga Europa também tem os seus encantos embora caiba à equipa lutar até ao fim pelo objectivo da Champions, o que parece desmedido face à situação na tabela e face às dificuldades naturais de uma equipa que fará toda uma poule da mais importante prova de clubes da Europa sem meio-campo e sem o seu capitão e defesa central Luisão.
Como estas situações - nem meio-campo nem Luisão - estavam perfeitamente delineadas desde o arranque oficial da temporada, o afastamento eminente da Liga dos Campeões não pode surpreender nem os adeptos nem os gestores financeiros da SAD.
E agora uma boa notícia: parece que temos Ola John.

O Clube de Futebol «Os Belenenses» é o primeiro histórico do futebol português a perder a sua autonomia. Sem querer meter-me em política, quase se diria que o Belenenses está assim mais ou menos como o país. O consolo é fraco, eu sei. Aconteceu que em assembleia geral de sócios do outrora grande clube do Restelo foi aprovada a venda da maioria do capital da SAD a um privado, à empresa de Rui Pedro Soares, que passa a gerir o património e os interesses do Belenenses como muitíssimo bem o entender e com toda a legitimidade.
Trata-se definitivamente de uma mudança de página. E a curiosidade sobre a página seguinte é mais do que muita. Conseguirá um velho histórico reerguer-se à sua antiga fama e voltar a lutar de igual para igual com os rivais de outros tempos por obra e graça de um magnata nacional que vê no Belenenses um negócio com grande potencial?
- O que era o Chelsea antes do Abramovich pegar nele? Era o Belenenses de Londres... - já ouvi dizer mais do que uma vez nestes últimos dias quanto se discute o caso do Restelo.
- Que venha já um árabe tomar conta disto! - também tenho ouvido dizer com alguma frequência nos últimos tempos sobre um outro caso actual do futebol português. São desabafos de desespero por um bom resultado que tarda e que, por isso mesmo, não são desabafos para levar em conta. O «árabe» aqui é só uma figura de estilo.
Também entre os do meu clube, nos seus anos mais sombrios, ouvi dizer coisa parecida:
- Quem me dera um russo em vez de... fulano... ou de beltrano.
Nestes casos é sempre o desespero a falar.
Por sua vez, o «árabe» do Belenenses não vem da Arábia, vem da PT que fica bem mais perto, e apesar de ser jovem já recebeu um Dragão de Ouro das mãos do presidente do FC Porto. Julgo ser precisamente esta a razão de esperanºa maior dos sócios do Belenenses. Rui Pedro Soares chega ao Restelo devidamente abençoado.
Chegaram os Novos do Restelo. Alguma coisa está a mudar.

VÍTOR PANEIRA lançou uma acusação grave sobre Bruno Esteves. Toda a gente sabe quem é o Vítor Paneira. Foi um extraordinário jogador de futebol e hoje é o treinador do Tondela. Quanto ao Bruno Esteves, é menos popular. Trata-se apenas de um árbitro de reputação desconhecida, o que normalmente até é bom sinal, pelo menos desconhecido da grande maioria dos adeptos do futebol. Vai na sua quarta temporada na I Liga, é relativamente jovem, não é árbitro internacional, enfim, não é nenhum Olegário Benquerença.
Bruno Esteves apitou o Tondela-Portimonense do último fim-de-semana e Vítor Paneira, no fim do jogo, lamentou «terem ficado duas grandes penalidades por assinalar» a favor da sua equipa, obviamente. Mas não foi esta a tal gravíssima acusação. Lamentar penalties por assinalar num jogo de futebol nada tem de francamente original, especial ou insultuoso. São apenas coisas da vida, desabafos e enquanto houver um árbitro e uma bola a rolar haverá sempre lamentos deste e de outros géneros.
Grave foi o que Paneira acrescentou: «Não sabia que o senhor árbitro era do Portimonense desde pequenino, pois disse 'vai buscá-la? quando o adversário marcou.» Importa-se de repetir? Vai buscá-la? Será possível que uma coisa destas possa suceder, que um árbitro equipado e de apito celebre um golo de uma equipa acirrando a outra? Não, não pode ser possível.
É de recear, no entanto, que o episódio em si de nada valha e que se junte na sua inutilidade a tantos outros que tornam farto o anedotário geral. E nisso somos fortes, não duvidem.
Em Inglaterra, há bem pouco tempo, um árbitro foi acusado de ter insultado um jogador durante um jogo da Premier League e a Federação lá deles não demorou vinte e quatro horas a tomar decisões para que se apurasse a verdade dos factos. Certamente que a ideia dos ingleses, muito picuinhas, é defender o jogo e dar oportunidades ao árbitro acusado de se poder defender refutando a acusação de que foi alvo. Ou, confirmando-se o despautério, defender o jogo afastando o árbitro amalucado dos relvados porque, em boa verdade, não faz falta nenhuma ao bom nome do negócio.
No nosso país estas coisas passam todas como anedotas e, por inacção de quem devia agir, deixam sempre manchas difíceis de tirar. Como ainda não li nenhuma notícia sobre a convocatória de Vítor Paneira e de Bruno Esteves para um frente-a-frente definitivo e esclarecedor na sede da disciplina federativa, atrevo-me a escrever estas linhas.

ENQUANTO corporação, ao bom e velho estilo português, os árbitros defendem-se uns aos outros quando algum deles sofre na pele as agruras da crítica feroz ou do facciosismo à solta. Acontece com os árbitros e acontece nas demais corporações nacionais. É uma que nos ficou entranhada, daí não haver espanto perante o facto. Se quisermos ser pessimistas será caso para dizer que fora da corporação a que pertencem, os árbitros são iguais ao resto da malta: ou pertencem a uma seita ou, então, não têm quem os defenda.
Por exemplo, o arquivamento do processo de averiguações do caso Pereira Cristóvão decidido pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol não defende de modo nenhum o bom nome dos nossos juízes porque passa a autorizar moralmente depósitos em numerário nas contas bancárias dos árbitros e dos fiscais-de-linha.
Pelo menos até aos dois mil euros não haverá problemas de espécie alguma para o benfeitor, quer se trate de um anónimo ou de um benfeitor perfeitamente identificado. Quanto ao árbitro, pois que esteja atento e consulte sempre o salto na véspera dos jogos.
É esta a conclusão que os leigos tiram do despacho federativo.

UM grupo de jovens benfiquistas porfiou na ideia de que fazia falta na rua de Belém uma placa que assinalasse o local onde foi fundado, em 1904, o Sport Lisboa e tanto porfiou que a inauguração da dita placa teve lugar no sábado passado. Gosto. Estiveram presentes no meio da miudagem velhas glórias do clube e o sócio número 1 a quem coube descerrar a placa. Gosto destas manifestações de amor e responsabilidade clubista emanadas da nossa sociedade civil e sem qualquer ligação ou dependência de poderes ou de contrapoderes. Simplesmente Benfica. Gosto muito. E agora os turistas que nos visitam, depois de tirarem fotografias nos Jerónimos e na Torre de Belém, já podem fazer-se fotografar junto ao local de nascimento do Glorioso.

NO Domingo, o Benfica ganhou a supertaça de basquetebol ao bater a Académica. Faltam só 49 títulos nas  modalidades para os 50 prometidos por Luís Filipe Vieira na sua reeleição. A gente vai lá chegar.

NO último fim-de-semana, disputou-se mais uma jornada da Liga espanhola, o Real Madrid e o Barcelona venceram. Nem Cristiano Ronaldo nem Lionel Messi marcaram golos. Aqui está a prova, como se fosse preciso, de que em futebol tudo é possível."

Leonor Pinhão, in A Bola

Futegol

"Entre uma pletora de frases feitas e desprovidas de sentido no futebol, há duas que me irritam sobremaneira: 'cada jogo é um jogo' e 'um jogo de cada vez'.
Todavia, atrevo-me aqui a exaltálas. Não mudei de ideias quanto à sua inutilidade, mas acontecimentos recentes proporcionaram-me uma diferente abordagem.
Passo a explicar: nas últimas semanas houve 4 jogos que deveriam figurar num manual: Como passar a gostar de futebol.
Refiro-me ao Alemanha-Suécia para o Mundial 2014. Em casa, os germânicos goleavam por 4 a 0 aos 60 m. Pois não é que no tempo restante, os nórdicos chegaram ao empate!
Depois, o Corunha 4 - Barcelona 5: um hino ao futebol, depois da melhor equipa do mundo até ter chegado com facilidade aos 3-0!
Há dias, para a Taça da Liga Inglesa (aquela que aqui se despreza enquanto não se é seu vencedor...), o Reading enfia 4 batatas ao Arsenal que empata no último minuto com a devolução dos referidos tubérculos, e no prolongamento o resultado final é mais próprio do hóquei em patins: Reading 5 - Arsenal 7. Se fosse cá, 5-7... só mesmo em cartões!
Por fim, ainda na Inglaterra (é lá que o futebol-jogo e o futebol-espectáculo se casaram indissoluvelmente) e para a mesma taça, Chelsea 5 - Manchester United 4, depois de os londrinos forçarem um prolongamento no derradeiro minuto.
Futgol: 38 golos (9,5 por partida!). Jogados como se a última jogada fosse a primeira. Onde não há impossíveis, mas a magia de imprevisibilidade. Como na final europeia de 62 (Benfica 5 - Real Madrid 3) e no Mundial de 66 (Portugal 5 - Coreia 3).
Pois é: cada jogo é um jogo e um jogo de cada vez. Assim sim!"

Bagão Félix, in A Bola

Para além do futebol

"Não pertenço ao grupo desportivo do futebol-e-mais-nada. Como espectador e seguidor, sou genuinamente ecléctico.  Acompanha as competições mais individuais, como o atletismo, mas também as colectivas. Felizmente hoje é possível ver pela televisão muitas dessas modalidades, que é como os desportos para além do futebol são secundariamente chamados.
Este jornal deu notícia, há dias, das 5 supertaças conquistadas pelo Benfica no dealbar desta temporada: hóquei em patins, voleibol, andebol, futsal e basquetebol. Luís Filipe Vieira vai bem na sua fórmula '3+1+50', pois que dos 50 títulos prometidos para as ditas modalidades já só faltam 45 e ainda tem 4 anos de mandato.
Pena é que nestes cinco desportos, apenas no andebol (por sinal, para mim, o menos empolgante) estejam representados os três grandes. O SCP está em três e o Porto (após a decisão sobre o basquetebol) limita-se a dois.
Aprecio também o facto de estes desportos terem promovido vitoriosos clubes de menor dimensão. Falo, por exemplo, da Ovarense no basquetebol, do Óquei de Barcelos no referido desporto com h, do Belenenses no futsal, do ABC no andebol com ou sem h, do persistente Sporting de Espinho e dessa surpresa açoriana da Fonte Bastardo no voleibol.
Regressando ao SLB, não há modalidades sem senão. Falo do râguebi (insisto: não se lê reiguebi...) onde sendo último classificado e jogando na Caparica em casa emprestada (!) perdeu há semanas por 0-127 (19 ensaios!) com o Direito, provavelmente a mais copiosa derrota da hist´ria centenária do clube e do mais antigo clube de râguebi em actividade. É obra!"

Bagão Félix, in A Bola

Vitórias e Património - Do Bessa para a Luz

Lanças Apontadas (ontem)...



PS: Não é a primeira vez que o canal do Benfica no YouTube, coloca alguns programas da Benfica TV completos, online... seria interessante se esta política fosse seguida todas as semanas, e não só de vez enquanto.

Inglório !!!


Benfica 2 - 0 Spartak Moscovo

Nesta temporada europeia tem-nos acontecido de tudo: começou com um penalty escandaloso em Glasgow não assinalado, com um auto-golo em Moscovo que nos 'ofereceu' a derrota - mesmo com a péssima 1ª parte -, com o Barça fizemos uma boa 1ª parte, mas sofremos um golo no primeiro remate dos Catalães, ainda tivemos que ultrapassar o completamente desajustado castigo do Luisão - e ainda o absurdo castigo do Matic, injustamente amarelado em Moscovo -, hoje, logo no 2º minuto, tivemos mais um penalty do tamanho da 'conta bancária do Platini' não assinalado - num jogo onde o constante recurso às faltas por parte do Russos não foi penalizado, como devia. O Carioca por exemplo fartou-se de abusar... -, fomos premiados ainda com um golo mal anulado por fora de jogo inexistente - além de outro fora-de-jogo escandaloso, marcado erradamente ao Rodrigo, no final da 1ª parte -, finalmente quando temos um penalty a nosso favor: atiramos à barra!!! No meio disto tudo, ainda temos tido os nossos dois '10': Aimar e Carlos Martins, constantemente lesionados...
Para cumulo, o Celtic teve uma vaca descomunal em Moscovo  vencendo no último minuto, num jogo totalmente dominado pelos Russos, e se pode-se queixar de algum azar ao perder no Camp Nou no último minuto - depois de uma quantidade absurda de falhanços do Barça -, hoje em Glasgow vence o Barça com mais algumas bolas dos Catalães nos ferros...!!!
Ainda não estamos afastados da Champions, mas está difícil, temos que vencer o Celtic- perfeitamente possível -, e fazer o mesmo resultado em Barcelona, do que o Celtic fará em casa com o Spartak - duvido!!! Do mal ou menos, a vitória de hoje, abre-nos a porta da pouco lucrativa Liga Europa, que nos poderá trazer problemas de calendário - excesso de jogos -, mas também poderá nos levar à ambicionada final Europeia!!! Não podemos também desvalorizar a soma de pontos para o ranking da UEFA, algo importante em futuros sorteios da Champions... estamos muito perto de conseguir entrar no Pote 1 numa futura edição da Champions, e assim evitar os 'Barcelonas' !!!

Amanhã as capas dos jornais vão justamente elogiar o Cardozo, mas além do Tacuara merecem referência muito positiva, o Enzo - enorme -, o Garay - patrão -,  Artur - decisivo -, e o Ola John - que mesmo mantendo a ingenuidade defensiva, com a bola nos pés está em clara subida de forma, tal como no Sábado passado voltou a participar em todas as jogadas dos golos!!! O Melga regressou e teve impecável a defender e a atacar - com uma assistência para golo -, o Maxi está de volta - espero que a substituição não tenha sido por lesão grave -, o Jardel esteve bem a defender, mas com a bola nos pés atrapalhou-se pelo menos duas vezes, felizmente sem consequências, o Lima e o Rodrigo lutaram, correram, mas os remates e os ressaltos não quiseram nada com os dois... Pessoalmente, continuo a pensar que o Salvio está a jogar muito mal, muito egoísta, complicativo, e até tem estado mal no remate, situação onde normalmente está bem... O Bruno voltou a entrar mal, e o André Gomes tem que 'acelerar' a recepção/passe, senão vai-nos dar muitos sustos!!!
Deixei para o fim o André Almeida, porque merece o destaque: esteve muitíssimo bem. Os receios do Jesus em colocá-lo na posição natural dele, provaram estar errados. Entrou um pouco nervoso, com medo em ter a bola no pé, mas ganhou confiança... No início da 2ª parte, cometeu alguns erros de posicionamento, não tapando as subidas do Maxi - as exageradas subidas do Maxi, diga-se... -, mas rectificou .. até teve uma boa oportunidade para rematar de longe - onde costuma estar bem -, mas falhou o alvo...

Resumindo, exibição agradável, contra uma boa equipa - que como é habitual vai ser desvalorizada!!! -, que troca bem a bola, com bons jogadores - são mais fracos na defesa -, gosto muito do pequeno Georgiano, Anandize. É fácil dizer agora que o Cardozo devia ter entrado de inicio, mas compreendi as razões do Jesus: com o André e o Enzo 'sozinhos' no meio-campo, zona mais forte do Spartak, quis acrescentar a garra e velocidade do Rodrigo na pressão alta, principalmente sobre o '6' adversário, algo que tinha faltado em Moscovo. Apesar do jogo ao intervalo estar 0-0 tivemos oportunidades, mas alguma atrapalhação, e azar nos ressaltos, não nos trouxe os golos...

Logo após a saída do Witsel - em conjunto com a saída do Javi -, escrevi aqui que tínhamos que baixar as nossas expectativas Europeias, e a Liga Europa passava a ser o mínimo exigível - antes os Oitavos da Champions eram o mínimo -, hoje após 4 jornadas, a classificação dá-me razão, mas sinceramente nunca pensei que as nossas dificuldades tivessem origem numa 'traição' do Barcelona!!!

PS: Hoje voltámos a ter 'petardos' - em quantidades industriais -, laser's, e conflitos com a policia antes do jogo!!! Como a UEFA não brinca nestas coisas, o Benfica irá pagar, e não será pouco... continuo a não perceber como é que esta gente não é identificada, e impedida de entrar no Estádio...

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Sport Peres e Benfica...

"Cumpriram-se há pouco 40 anos sobre o «Alegre Verão da Minicopa». No Brasil, Portugal e Eusébio voltaram a encantar o Mundo. E no ia 25 de Junho de 1972, a Selecção Nacional entrou em campo com dez jogadores 'encarnados'

Cumpriram-se há pouco quarenta anos. Em Junho de 1972, a Selecção Nacional viajava para o Brasil. Cento e cinquenta anos se comemoravam sobre a data da independência do Brasil e o fim da colonização portuguesa. A Confederação Brasileira de Desporto não deixara a coisa por menos: os 150 anos da Independência seriam motivo para a disputa de uma competição que pouco ficava a dever a um verdadeiro Campeonato do Mundo. Vinte selecções nacionais e continentais disputariam, em 12 estádios, aquela que ficou conhecida como Minicopa. Quinze equipas - Argentina, Selecção de África, França, Selecção da América Central, Colômbia, Equador, Perú, Bolívia, Paraguai, Irlanda, Venezuela, Chile, Irão, Jugoslávia e Portugal - seriam distribuídas por três grupos; outras cinco - Brasil, Uruguai, URSS, Chescolováquia e Escócia - ficariam isentas da primeira fase. Em seguida, formavam-se dois grupos de quatro equipas que decidiam o acesso à final em sistema de 'poule'. Portugal começou por ficar no Grupo II, juntamente com Equador, Irão, Irlanda e Chile.
O Seleccionador Nacional era José Augusto. levou consigo uma equipa inteira do Benfica: José Henrique, Artur, Humberto Coelho, Messias, Adolfo, Jaime Graça, Toni, Matine, (que acabara de cumprir um ano no V. Setúbal), Nené, Artur Jorge, Eusébio e Jordão, juntou-lhe Damas (Sporting), Mourinho (Belenenses), Laranjeira (Sporting), Murça (FC Porto), Peres (Sporting), Chico (Sporting), Abel (FC Porto) e Dinis (Sporting).
O comportamento dos portugueses na Minicopa foi brilhante. Vitórias sobre o Equador (3-0), Irão (3-0), Chile (4-1) e Irlanda (2-1) na primeira Fase; depois um extraordinário jogo contra a Argentina, no Maracanã (3-1). No jornal 'O Globo', o famoso jornalista brasileiro, João Saldanha, escrevia: 'Há muito tempo que não vejo um time jogar tão bem. Nenhumas falhas. Se caprichassem um pouquinho, eram cinco ou seis. Toni tem uma raça impressionante; Eusébio é a calma personificada; os laterais, perfeitos; Peres deu aula; Jordão fez miséria. A Argentina é um bom time, mas Portugal, ontem, não perdia para ninguém.'
Um empate perante o Uruguai (1-1) e novo triunfo, agora frente à URSS (1-0), a garantir lugar na final com o Brasil. Talvez a vitória seja uma doença que só o derrota cura, para seguir os pensamentos de Mário Filho, o grande cronista brasileiro. Portugal perdeu: 0-1, golo de Jairzinho a passe de Tostão no finalzinho do encontro. Eusébio encantara os brasileiros, tão imenso fora o seu futebol...

Aquela tarde, no Recife...
E agora voltemos atrás, recuperando o motivo desta crónica. A final do Maracanã foi no dia 9 de Julho, e eu quero falar do dia 25 de Junho. Cidade de Recife, no Estado do Pernambuco. Estádio do Rego Maciel, conhecido pelo Colosso do Arruda ou por Mundão do Arruda, com capacidade para mais de 60 mil espectadores, propriedade do Santa Cruz Futebol Clube. Foi aí. O árbitro era um argentino, Angél Coerezza. Até então, como já vimos, Portugal batera o Equador o Irão e o Chile (a primeira Fase era disputada em três grupos de cinco equipas). Quanto à Irlanda, a República da Irlanda, como está bem de ver, e não a sua irmã mais pequena Irlanda do Norte, vencera o Irão (2-1) e o Equador (3-2), perdendo com o Chile (1-2). Nada de muito entusiasmante.
Os irlandeses entraram em campo com: Kelly; Kinnear, Martin, Dempsey e Carol; Mulligham e Campbell; Rogers, Treachy, Givens e Leech.  Por seu lado, Portugal alinhava assim: José Henrique (Benfica); Artur (Benfica), Humberto Coelho (Benfica), Messias (Benfica) e Adolfo (Benfica); Toni (Benfica), Matine (Benfica) e Peres (Sporting); Nené (Benfica), Artur Jorge (Benfica) e Eusébio 'cap.' (Benfica).
Nunca uma Selecção Nacional fora tão vermelho-Benfica. Apenas Fernando Peres destoava. Não na qualidade, que tinha muita, mas na cor. Houve quem lhe chamasse o 'Sport Lisboa e Peres'. Ou o 'Sport Peres e Benfica'.
Peres não se acanhou e fez, até, o primeiro golo, aos 35 minutos; Nené fez os 2-0 aos 37'. Depois Leech reduziu, aos 38'. Tudo resolvido em três minutos. Quando às substituições, na primeira mantiveram-se os dez do Benfica; saiu Nené e entrou Jaime Graça. Depois foram reduzidos a nove minutos do final: saiu  José Henrique e entrou Mourinho. Mas nove benfiquistas na equipa titular, voltou a repetir-se. Dez é que não, embora contra a Argentina tivessem sido dez a acabar o jogo. Até à final, Fernando Peres manteve-se teimosamente titular. E Dinis para lá caminhou.
Ilhas verdes numa equipa vermelha..."

Afonso de Melo, in O Benfica

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Lixívia 8

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica.........20 (-4 ) = 24
Corruptos......20 ( 0 ) = 20
Braga............17 (+1) = 16
Sporting.........7 ( +3 ) = 4

Na Luz tudo 'normal': o grande erro foi o penalty que ficou por marcar a favor do Benfica - falta sobre o Lima, que por acaso daria o 2º amarelo ao defesa do Guimarães ainda na 1ª parte!!! -, e no final da partida, após muita insistência dos jornaleiros, o treinador adversário lá se queixou do árbitro!!! E no dia seguinte lá apareceu um vice-presidente com a mesma 'cassete'!!!
Extraordinária também a cegueira que afectou os radialistas-lagartos da Antena 1, que mesmo no final do jogo, e após muitas repetições continuaram a afirmar, que não viam qualquer falta sobre o Salvio, quando na repetição de ângulo inverso, nas costas dos jogadores, é perfeitamente visível o contacto - não intencional, admito -, na perna esquerda do Salvio, que depois acaba por tropeçar nele próprio!!!
No Estádio achei a expulsão do André Gomes absurda, mas vendo as imagens, mudei de opinião: a expulsão é justa, não existe intenção, o André chega atrasado à bola, mas devia ter tido mais cuidado, e pelo menos devia ter dado a ideia que queria retirar o pé...
Não posso deixar de passar, as várias faltas e faltinhas, ridículas marcadas a meio-campo, principalmente sempre que o Matic ganhava uma bola de cabeça, um pontapé de canto, a nosso favor, transformado em pontapé de baliza, logo no início do jogo, e um fora-de-jogo mal tirado ao Cardozo...

Os Corruptos não precisaram do apitador, já que o adversário resolveu abdicar dos pontos, desde do primeiro minuto, com uma atitude ridícula... Além de alguns lances de fora-de-jogo muito difíceis de decidir, nada de importante se passou... O Briguel podia ter levado vermelho, mas como retirou o pé quando sentiu a perna do adversário, safou-se!!! Complicado neste lance julgar a intenção, se houve mesmo premeditação, seria sempre vermelho...

Em Braga, um dos poucos condenados do Apito Dourado - Rui Silva -, voltou a fazer das suas!!! A Micaela protesta penalty, sem razão, leva amarelo, e continua a berrar... logo de seguida, um avançado do Braga atira-se para a piscina, e com as bancadas ainda em ebulição da jogada anterior, o árbitro marca penalty, isto tudo com o resultado empatado...!!!

Em Setúbal, alguns foras-de-jogo mal marcados, o Rinaudo e o Ricardo Silva se calhar deviam te sido expulsos, mas sem influência no resultado...
A notícia Lagarta da semana - e foram muitas -, para mim, foi o arquivamento vergonhoso do processo Pereira Cristóvão/Cardinal !!! Todos ficam a saber que quando um dirigente deposita dinheiro na conta de um árbitro, o CD da FPF, arquiva!!! Vivemos numa verdadeira República das Bananas...

Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
3ª-Nacional(c) V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4ª-Académica(f) E(2-2), Xistra, Prejudicados, (0-3), (-2 pontos)
5ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Marco Ferreira, Prejudicados, (1-5), Sem influência no resultado
6ª-Beira-Mar(c) V(2-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-1), Sem influência no resultado
7ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
8ª-Guimarães(c) V(3-0), João Ferreira, Prejudicados, (4-0), Sem influência no resultado

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
-Marítimo(f) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Gil Vicente(c) V(2-1), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, (2-2), (+2 pontos)
5ª-Estoril(c) E(2-2), Nuno Almeida, Beneficiados, (2-3), (+1 ponto)
6ª-Corruptos(f) D(2-0), Jorge Sousa, Prejudicados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Académica(c) E(0-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
8ª-Setúbal(f) D(2-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicado, Sem influência no resultado
3ª-Olhanense(f) V(2-3), João Ferreira, Nada a assinalar
-Beira-Mar(c) V(4-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
5ª-Rio Ave(f) E(2-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
6ª-Sporting(c) V(2-0), Jorge Sousa, Beneficiados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Estoril(f) V(1-2), Capela, Nada a assinalar
8ª-Marítimo(c) V(5-0), Cosme, Nada a assinalar

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
3ª-Paços de Ferreira(f) D(2-0), Pedro Proença, Nada assinalar
4ª-Rio Ave(c), V(4-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
6ª-Olhanense(c), E(4-4), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7ª-Marítimo(f), V(0-2), Benquerença, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar

LINK's
1ª jornada
2ª jornada
3ª jornada
4ª jornada
5ª jornada
6ª jornada
7ª jornada

O Baile dos Bombeiros

"D. Palhaço gostou do apagão. Sente-se bem às escuras. Esfregando as mãos sujas, soltou uma casquinada sinistra e disse para a sua habitual plateia de cretinos que apagões lhe davam gozo. O Lambe-Botas-e-Sapatos-de-Verniz deu um salto de felicidade incontida e gritou a plenos gargomilos: 'Genial D. Palhaço! Genial!' E D. Palhaço babou-se de uma baba bovina... Estes episódios repetem-se a esmo lá para os lados de Medancelhe e das Catrinas. Aceitemos como boa a decrepitude de D. Palhaço: os anos atropelaram-se sem piedade, já sem válvulas novas permitem maior circulação do sangue grosso e impuro. Quando ainda fala, na sua voz sumida e gasta de mentiras. E para ouvir os aplausos do grupelho imbecil que já não o suporta.
Podia muito bem ser um Dinossauro Excelentíssimo, como o de Cardoso Pires, mas nele de excelente nada há, bem pelo contrário. E, assim sendo, não passa de um mamífero que patina à toa nas vascas da agonia. O último filme de Milos Forman antes de deixar a Europa e partir para os Estados Unidos, chamou-se 'O Baile dos Bombeiros'. Nele havia uma cena na qual, tirando proveito de um apagão, certo personagem tratava de roubar os prémios do bingo, e que por acaso valiam pouco mais que um caracol. A cena da reposição dos objectos roubados é extraordinária mas não vem aqui à colação. O facto é que quem gosta de roubar também gosta da escuridão, e de apagões. Tal como no filme, na vida de D. Palhaço quem apaga as luzes é inocente e acaba por ser roubado. Geralmente por ele e pelo seu bando de sicários. Por mim, grave não é o momento em que se apagam as luzes. Grave, grave, é o momento em que se apaga a honestidade..."

Afonso de Melo, in O Benfica

O 'Euromilhões' oferecido à Olivedesportos

"O Governo acaba de retirar os jogos da Liga de futebol e das competições europeias de clubes da lista dos eventos de interesse público, o que afasta estes espectáculos desportivos das grelhas de programas dos operadores de acesso livre (RTP, SIC e TVI), limitando o direito à informação.
A chamada 'lista de acontecimentos de interesse generalizado do público', anualmente divulgada pelo Governo, ouvida a ERC, representa um limite à aquisição de direitos exclusivos, justificado em nome do direito dos cidadãos à informação.
Prevista na directiva europeia dos Serviços de Comunicação Social Audiovisual, visa assegurar que os operadores que emitem em sinal condicionado ou sem cobertura nacional «não transmitem com carácter de exclusividade acontecimentos que esse Estado-membro considere de grande importância para a sociedade, privando assim uma parte considerável do público (...) da possibilidade de acompanhar esses acontecimentos (...) na televisão de acesso livre».
Em Portugal, na prática, essa lista induz a tradicional detentora dos direitos de transmissão de grande parte dos eventos desportivos mais populares, a Olivedesportos/Sport Tv, a negociar com a RTP, a SIC e a TVI os direitos que possua sobre a sua transmissão, com o objecto de, através desses operadores, tornar esses espectáculos acessíveis a toda a população e não apenas às famílias que disponham de ligação às redes de cabo e similares e paguem os respectivos canais de acesso condicionado. Por outro lado, ao estabelecer que os detentores dos direitos de transmissão teriam de facultar o seu acesso a outros operadores 'em condições normais de mercado' e ao atribuir à ERC poderes para arbitrar com carácter vinculativo a ausência de acordo numa negociação sobre os valores relativos à venda dos direitos, o legislador quis garantir que a transmissão desses eventos em canais de acesso livre não ficaria impossibilitada por qualquer exigência de um pagamento exorbitante.
Neste contexto, a recente lista relativa a 2013, aprovada há poucos dias pelo Governo, é não só absolutamente surpreendente como, sobretudo, gravemente lesiva do direito dos cidadãos ao acesso esses acontecimentos.
Em primeiro lugar, foi retirado o jogo por jornada da Liga de futebol, que constava de todas as listas desde 1997, ano em que este mecanismo foi adoptado. Isso significa que fica reservado à Olivedesportos, que detém actualmente os direitos de transmissão desses espectáculos desportivos, o exclusivo desta competição, cabendo-lhe decidir, sem qualquer mediação ou arbitragem, se vende ou não esses direitos. bem como o restante montante, caso considere a hipótese de os vender. Na prática, Governo acaba de entregar a essa empresa a capacidade de decidir se os portugueses sem ligação às redes de cabo e similares e sem poder económico para a assinatura daquele canal desportivo podem ou não ter acesso a alguns dos jogos da principal competição desportiva nacional. É verdade que, nesta época desportiva de 2012-2013, os direitos de transmissão têm permanecido na Sport Tv, dado o aparente desinteresse dos operadores
RTP, SIC e TVI em os adquirirem pelo preço exigido. No entanto, a exclusão desta competição da lista anual tranquiliza a empresa detentora dos direitos: estes apenas poderão ser negociados pelo preço que ela impuser, inexistindo qualquer arbitragem da ERC que garanta um preço mais baixo e o acesso de todos os portugueses a essa transmissão, se qualquer daqueles operadores ainda ambicionasse transmitir o tradicional jogo por jornada...
Em segundo lugar, a lista relativa a 2013 não inclui a participação nas competições europeias de futebol ou até de um clube português numa final de uma competição europeia de futebol, ao invés do que sucede com outras modalidades desportivas, bem menos populares. Se for de hóquei, basquetebol... o evento é de interesse público. Se for uma final de futebol, já não é de interesse público! Deste modo, o detentor de direitos de transmissão de uma final europeia de hóquei em patins, andebol, ou basquetebol, por exemplo, em que participe uma equipa portuguesa, terá de negociar com a RTP, a SIC ou a TVI, se qualquer um destes operadores assim o quiser, sujeitando-se à arbitragem da ERC que vise garantir a transmissão dessa competição em sinal aberto. Mas se um clube português de futebol chegar à final da Liga dos campeões europeus ou da Liga Europa, o jogo poderá ser emitido por um canal de acesso condicionado como a Sport Tv, se for ele que tiver adquirido os respectivos direitos de transmissão, de nada valendo o direito dos portugueses à informação...
Estas insólitas alterações na lista dos acontecimentos de interesse generalizado do público foram justificadas com 'o actual contexto que o sector da comunicação social atravessa'. O argumento não colhe. As acrescidas dificuldades dos operadores de acesso livre (RTP, SIC e TVI) em adquirirem os direitos de transmissão não invalidam a obrigação do Estado de garantir os direitos dos cidadãos à informação. Ao contrário que alguns pensam a lei não obriga a RTP, a SIC ou a TVI a adquirir direitos de transmissão, mesmo de acontecimentos relevantes.  Mas não deve, como agora sucede, colocar obstáculos se e quando essa intenção existir.
A Olivedesportos tem todas as razões para estar grata ao Governo. Os portugueses, não..."


PS: Em Portugal costuma-se dizer: «Os almoços - ou jantares - nunca são de graça - muito menos no Gambrinus!!!». Nem as homenagens no Coliseu...

As equipas 'B'

"Normalmente, um grande guarda-redes vale por meia equipa. Quem não se lembra da influência de Mlynarczick no FC Porto, campeão europeu em 1987, ou de Schmeichel no Sporting, campeão nacional em 2000? Se, depois disso, essa mesma equipa puder juntar ao guarda-redes um grande ponta-de-lança goleador, tipo Drogba ou Falcao, então qualquer meta fica ao seu alcance. Não é preciso ir muito longe: com Cech e Drogba em grande forma, o Chelsea conquistou a Champions há apenas 5 meses, contra o Barcelona de Messi, o favorito de todos.
Liga dos Campeões que, a partir da próxima época, se vai alargar às formações B (sub-19), por um período experimental de dois anos, das 32 equipas apuradas para a fase de grupos. Por razões económicas, a composição dos grupos será a mesma e os jogos realizados nas mesmas datas. A única diferença verificar-se-à a partir dos oitavos, em que as eliminatórias serão dirimidas num só jogo e em que as meias-finais e a final darão lugar a uma final-four. Se vingará ou não, depois se verá.
Com Blatter na FIFA e Platini na UEFA, escusamos de ter veleidades sobre a entrada da tecnologia no futebol. A única concessão consistirá na introdução de equipamentos que evitem os chamados golos-fantasmas. Os dois boss entendem que a sacralidade do futebol não deve ser violada e, para defenderem a sua tomada de posição, usam de toda a ordem de argumentos, alguns bem caricatos: sociológicas, antropológicos, românticos, técnicos, financeiros... Mas, bem lá no fundo, as únicas razões que os movem são políticas. Ou seja, a tecnologia reduzir-lhes-ia poder e influência. E isso é coisa de que não abdicam."

Manuel Martins de Sá, in A Bola

Sistema

"«O Benfica pode liderar este processo até pela proximidade do término desse compromisso, que pelos vistos amarra toda a gente e ninguém se consegue libertar; tem aqui uma grande oportunidade de acabar com o SISTEMA, com tudo o que está errado para trás no Futebol português». A frase foi recentemente proferida por quem? Luís Filipe Vieira? Rui Rangel? Outro benfiquista envolvido na disputa eleitoral ou no rescaldo da retumbante vitória da Lista A? Nada disso. É da autoria de António Oliveira.
O antigo seleccionador nacional, um dos principais accionistas do FC Porto, destacada personalidade da bola indígena, não teve quaisquer pruridos em dizer o que disse. Oliveira disse e sabe bem o que disse. Tem muitos anos de Futebol, de Futebol visível e de Futebol invisível. Oliveira sabe tanto como os (poucos) que sabem tudo. Quando o Benfica alude ao SISTEMA, nos últimos 30 anos, os seus detractores acusam o Clube de procurar desculpas para algumas debilidades ou fracassos competitivos. E agora? O que dirão esses mesmos anti-benfiquistas da declaração de António Oliveira, sócio em tempos da Olivedesportos, ex-treinador do FC Porto, alguém que só pode conhecer o famigerado SISTEMA na perfeição?
Oliveira, ainda que verbalmente, deu uma valente machadada no SISTEMA e não se esqueceu de citar o Benfica como a estrutura susceptível de liderar o processo de transparência que urge implementar no Futebol lusíada. Oliveira fez bem em vir a terreiro. O Benfica ainda pode fazer melhor. De resto, já começou. A questão dos direitos televisivos é apenas o tiro de partida. A meta ainda está longe. Mas que ninguém subestime um Benfica unido, pujante e arrojado."

João Malheiro, in O Benfica

Objectivamente (cinismo)

"Quando a fanfarronice se junta com cinismo é o que dá! As frases de Pinto da Costa no Estoril depois do seu jogo mil (até rima) não são verdadeiras. Cheiram que tresandam e são apostas nos seus desejos maquiavélicos de sempre criticar, sempre desejar mal ao Benfica, seu ódio de estimação!
Alguém acredita que PC queira o Benfica em finais europeias, ou que estaria de bom agrado no estádio para ver o Benfica ganhar? As pessoas não precisam de ser tão mentirosas para falar da actualidade clubística da nossa terra e de aproveitaram todos os momentos para lançar veneno sobre os seus rivais. Disse PC (sempre gabando-se de uma amizade antiga com o ex-presidente do SLB, Fernando Martins) que até esteve no Estádio da Luz quando o Benfica recebeu e perdeu a final da Taça UEFA com o Anderlecht. Não disse que gostava que o Benfica tivesse ganho. Mas, também, mesmo que o dissesse era mentira!
Este cinismo irrita qualquer pessoa! Que necessidade tem esta figura de constantemente afrontar o Benfica? De que é que lhe serve andar a toda a hora a fomentar e instigar ódios antigos?
Faz parte da sua maneira de ser, dirão alguns dos seus defensores. Mas todas as pessoas de bem, que desejam paz no Futebol, que querem harmonia e SERIEDADE nesta modalidade, dispensam as repetidas observações cínicas, carregadas de ódio deste velho protagonista, chato e embirrante!
E neste seu velho e repetido discurso, aproveitou o facto de estar no Sul, na Capital do Terreiro do Paço do Poder Central, que tanto o preocupa mas não deixa de o exercer no seu pequeno país, sua habitual vítima quando se farta de estar sozinho contra o Benfica.

Disse: «A quebra do Sporting está ultrapassada, pois tem Liderança, Capacidade e grandes jogadores»! Oh, que sentimento de ternura! Isto é bom porque é sinal de que o Benfica está muito mais forte e ele precisa de pedir apoio ao nosso velho rival."


João Diogo, in O Benfica

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Quem são? Quem lhes paga?

"Do acto eleitoral do Sport Lisboa e Benfica resultaram duas conclusões muito claras.
Por um lado, a esmagadora maioria dos sócios votantes manifestou a vontade de que a difícil caminhada prosseguida na última década - que levou o Benfica da indigência competitiva, institucional e moral, até a um nível bem mais compatível com a sua história - não seja inflectida, nem deitada para o lixo.
Por outro lado, ficou provado que o ruído que se tem feito ouvir à volta do Clube, e por vezes da equipa de Futebol - recordemo-nos da inacreditável recepção após a Taça da Liga da época passada -, encontra raiz, não num movimento oposicionistas sério, forte e esclarecido, mas tão somente num pequeníssimo bando de arruaceiros, que, sob a forma de petardos, ameaças e insultos, usa a intimidação para fazer ouvir uma voz que, no contexto dos 250 mil sócios do Benfica espalhados pelo mundo, é absolutamente insignificante e residual.
Seria interessante, aliás, identificar tais indivíduos (nomeadamente os dez ou quinze que estiveram no pavilhão naquela sexta-feira, e desrespeitaram o Benfica, o seu Hino, os Órgãos Sociais democraticamente eleitos, e os milhões de benfiquistas que seguiam os acontecimentos via televisão), punindo-os com a expulsão do Clube - isso caso sejam efectivamente associados, e caso sejam efectivamente benfiquistas, coisa que não tenho por adquirida.
Quem procede daquela forma, está a mais no Benfica, envergonha os nossos sócios, e provoca a chacota dos rivais. Não falo aqui necessariamente dos 'No Name Boys', grupo que prezo, que tenho defendido em várias ocasiões, e que quero acreditar não esteja, pelo menos na sua maioria, envolvido no caso. Também não falo de alguns membros da lista perdedora, que, estou certo, não se revêem em tais atitudes.
Por isso mesmo devemos tentar perceber que figura está, de facto, por detrás daquele tipo de movimentações de guerrilha, que se estende igualmente a alguns campos da blogosfera e das redes sociais. Não sei quem é, mas desconfio."

Luís Fialho, in O Benfica

Taça da Liga


Realizou-se hoje o sorteio da Fase de Grupos da Taça da Liga, muito sinceramente não gostei... vamos ser obrigados a duas deslocações longas, que requerem viagens na véspera, a Olhão e a Moreira de Cónegos:
19 de Dezembro em Olhão, 30 Dezembro a 2 de Janeiro em Moreira de Cónegos, e a 9 de Janeiro na Luz com a Académica...
Em caso de qualificação, vamos jogar as Meias-finais, fora, com o vencedor do Grupo B: o Braga, o Guimarães, o Beira Mar e a Naval, provavelmente o grupo mais acessível...

Votação «à Benfica»

"Foi muito triste a campana eleitoral, foi excelente o dia da votação, a qual confirmou o largo favoritismo de Luís Filipe Vieira, que alguns cronistas da nossa praça chegaram a dar como estando em perigo depois da triste Assembleia Geral do relatório!
A campanha eleitoral viveu mais dos ataques às listas adversárias que de ideias novas ou de projectos. Falou-se demasiado de Vale e Azevedo (de um lado) e de montantes (falsos) do passivo (do outro) e de menos do futuro do Clube. Além disso, infelizmente, não houve qualquer debate, nomeadamente na Benfica TV. Se há três anos a lista que se apresentou como opositora à de continuidade não merecia qualquer crédito, a actual era preenchida por vários benfiquistas já com provas dadas e que merecem todo o respeito - e estou à vontade para o afirmar pois apoiei (sem a mínima hesitação) Luís Filipe Vieira. Daí que tivesse apreciado a existência de debates sérios (embora naturalmente acesos), a bem do Clube.
Recordo que em eleições anteriores, o nosso Jornal reservava duas páginas a cada lista, nos dois ou três números anteriores às eleições, as quais eram da inteira responsabilidade de cada uma das candidaturas. Defendo que a Benfica TV, para além de reportagens das cerimónias mais marcantes de cada lista e dos debates que se poderiam ter realizado, deveria ter também reservado algum 'tempo de antena' a cada uma das listas. O Benfica sairia dignificado e tenho a certeza que, no final, os resultados eleitorais não seriam substancialmente diferentes daqueles que se verificaram.
Felizmente tudo foi diferente no dia da votação. Houve uma votação recorde, 'à Benfica'. Houve um sistema electrónico que voltou a funcionar a cem por cento, permitindo uma votação (rápida) em todo o País e com resultados finais logo a seguir ao fecho das urnas (o Benfica fora mais uma vez inovador há três anos e continua muito à frente, também neste aspecto). E, finalmente, houve elevação de parte a parte nas declarações finais.

PS: No FC Porto, os sócios aprovaram por unanimidade o relatório e contas, com 10 milhões de prejuízo. Quanto tempo durou a Assembleia? Os jornais nada disseram sobre a reunião desta sociedade mais ou menos secreta..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Campeão de Democracia

"Para muitos este título pode não significar nada. Para alguns será mesmo algo risível. Um jornal chamou à votação dos sócios do SLB 'romaria' e à eleição 'um velho ritual'. Mas para os Benfiquistas, como se viu, escolher os dirigentes e participar nas decisões faz parte essencial da vida deste grande Clube, em certos aspectos únicos.
Alguém se recorda de ver uma imagem de uma assembleia eleitoral do FCP? Alguém se recorda de mais algum aspecto de eleições no SCP para além da imagem do presidente eleito a fugir da Juve Leo? No Benfica não há eleições à porta fechada, em cerimónias secretas, nem dirigentes e até presidente cooptados. No Benfica, as eleições são um acto levado muito a sério, há liberdade de apresentar listas e liberdade e sigilo de voto. E as eleições são um modelo de organização, de rigor e de eficiência. Tudo perfeito, limpo, rigoroso, transparente e escrutinado.
Os Benfiquistas em geral escolhem bem. O candidato vencido na semana passada disse que a sua candidatura serviu para acordar o Benfica. Pura presunção. O que acorda os Benfiquistas é a consciência de que a dimensão do Clube desperta muita ambição pessoal e aventureirismo e não pode ser entregue à decisão de uma minoria.
Desta vez, como quase sempre, os Benfiquistas escolheram muito bem. Quaisquer que fossem os candidatos em presença, Luís Filipe Vieira merecia sempre a reeleição, pelo que já fez pelo Clube e pelo que se propõe fazer. E obteve a reeleição com um resultado estrondoso na maior participação de sempre em eleições em 108 anos de história do Clube, com os Benfiquistas comprometidos apresentou e submeteu à votação. Isto é um exemplo único no Futebol.
O Glorioso merece juntar à galeria de troféus o título de Campeão de Democracia."

João Paulo Guerra, in O Benfica

domingo, 4 de novembro de 2012

Pleno histórico...!!!


Benfica 68 - 53 Académica
17-11, 15-19, 21-11, 15-12

Até ao intervalo a Académica ainda sonhou, mas depois do descanso não demos hipótese  com a inspiração do Franklin nos triplos e do Betinho nos afundanços, vencemos categoricamente a 10ª Supertaça de Basket para o curriculum do Sport Lisboa e Benfica.
Voltámos a demonstrar dificuldades no ataque, à defesa à zona do adversário, algo que deve ser rectificado, já que é bastante provável que vamos encontrar muitas defesas à zona durante a época, tendo em conta a nossa superioridade no jogo interior, é normal que os treinadores adversários apostem na zona... não podemos querer resolver estas situações sempre com os triplos. Bola dentro, bola fora, passes sem dribles, e depois a penetração, ou o triplo no final do tempo de ataque, pegar na bola e lançar à primeira, normalmente dá mau resultado...

Este Benfica esta época será sempre favorito, em todos os jogos, tem a obrigação de os vencer. Os adversários vão lutar com tudo, sempre. Em alguns jogos já foi notório que não será fácil manter a motivação, este Benfica vai cometer erros, e até poderá perder, um, ou outro jogo, agora espero que quando isso aconteçer seja mérito do adversário e demérito do Benfica. Digo isto, porque hoje mais uma vez assistimos a uma arbitragem quase sobrenatural!!! Eu sei que existe uma tendência natural nestes jogos - desequilibrados - dos árbitros tentarem equilibrar as coisas, como se tivessem com pena dos coitadinhos!!! Mas como nós sabemos o que a casa gasta, não podemos ficar descansados... As faltas técnicas ofensivas marcadas ao ataque do Benfica,  e o critério nos contactos defensivos, foi absurdo. Com uma arbitragem equilibrada, o jogo teria ficado decidido bem cedo, mesmo com o Benfica a cometer alguns erros, a emoção teria sido menor, mas não faz parte das responsabilidades dos árbitros equilibrar as partidas...!!!

Provavelmente a estatística mais impressionante nesta vitória, são as 5 Supertaças, este ano, nas 5 principais modalidades de Pavilhão, creio ser a primeira vez que tal coisa acontece em Portugal... Se juntarmos as vitórias no Atletismo, podemos afirmar sem falsas modéstias, que o Benfica actualmente domina claramente as modalidades mais importantes em Portugal... Haverá sempre aqueles que vão defender que isto aconteceu devido ao desinvestimento dos nossos adversários, a azia tem destas coisas!!! Se o Benfica manteve - ou até aumentou o investimento nas modalidades -, isso deve-se exclusivamente à competência da Direcção, e à militância dos adeptos, o Benfica não vive à custa de subsídios públicos, nem mecenas regionais, os sócios do Benfica são o suporte financeiro das modalidades do Benfica, o mérito do Clube nestes conquistas é total...