Últimas indefectivações

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Добродошли Nemanja Matic



Como se pode perceber pelas imagens, parece ser um jogador com um excelente pé esquerdo, que sabe proteger a bola com o corpo, e com facilidade no passe curto e longo, fisicamente forte, e ainda estranhamente alto para a posição que ocupa!!! Provavelmente um '8', e não um trinco como já 'alguns' dizem. Com a saída do Ramires e a lesão do Rúben, pode ser muito útil...!!!



adenda: Só chega no Verão!!!

domingo, 30 de janeiro de 2011

'Fome' de títulos !!!



Como disse ontem, era muito importante vencer hoje. Com este triunfo garantimos o 1º lugar nesta 1ª fase que conta para muito pouco!!! Tínhamos perdido em Espinho em circunstâncias especiais. Vencer a 1ª fase com 2 derrotas, nos dois jogos com a nossa 'besta negra' das últimas épocas, seria complicado de gerir mentalmente. Ainda por cima a vitória foi por 3-0!!! No 1º set tivemos a perder por 3-10, e por 12-19 e no final ganhámos!!! No 3º set tivemos a perder por 10-14 e ganhámos!!! Inexplicavelmente na 2ª fase todas as equipas começam com os mesmos pontos, mas estou tranquilo, porque existe 'fome' de títulos na Luz...!!!

Competência




Superiores




David Luiz, o início

"No dia 8 de março de 2007 tive o privilégio de assistir ao vivo à estreia de David Luiz com a camisola do Benfica, no estádio do Paris SG. Se não me engano, a equipa técnica arriscou a utilização de Luisão a titular, apesar de este não ter recuperado plenamente de uma lesão que o afligia, precisamente porque preferia não dar a titularidade a um miúdo de 19 anos, que vinha da 3.ª Divisão do campeonato brasileiro. Bom, acontece que, ao minuto 33, Luisão ressentiu-se da lesão. Nesse momento, Fernando Santos olha para o banco: não tem Katsouranis, não tem Alcides, e, depois de considerar e abandonar a hipótese de se colocar a si próprio no eixo da defesa encarnada, lança a contragosto David Luiz na partida.

Em 1854, durante a Guerra da Crimeia, enquanto assistia a uma voluntariosa carga de cavalaria da Brigada Ligeira inglesa contra a bem defendida artilharia russa, o general Bosquet comentou para a pessoa que se encontrava ao seu lado: “É magnífico, mas não é guerra”. Pois bem, algo semelhante se poderia dizer sobre a inesperada estreia de David Luiz em Paris: era magnífico, mas não era futebol. Era só ainda bravura e resiliência.

Como seria de prever, David Luiz entrou visivelmente nervoso e até foi dele a culpa do primeiro golo adversário (mas até isso considero que foi um sinal de respeito pelo clube – digam o que disserem, não há nada pior do que um jogador que rubrica uma exibição sem mácula logo na primeira vez em que veste a camisola do Benfica. Pessoalmente, levo isso a mal. Um jogador que se estreie com a camisola do Benfica e a quem as pernas não tremam nas primeiras cento e cinquenta vezes em que toca na bola é alguém que não tem a mínima ideia da grandeza do Benfica). Depois, desde a segunda parte dessa partida até à atualidade, é o que se tem visto: um Beckenbauer, mas em bom. Se for para o Chelsea, muito e muito obrigado por tudo. Se não for, é possível que, na quarta-feira à noite, ele tenha umas contas a ajustar."

Miguel Góis, in Record

A lapa

"Há poucas coisas mais deprimentes do que o espetáculo de um medíocre agarrado à cadeira do poder. Um dia, já sabemos pela nossa história, acaba por cair do trono. Mas até lá, além do mal que nos faz, presta-se ao degradante espetáculo da sua própria agonia como governante. Assim está Gilberto Madaíl.

Em 14 anos, pode-se dizer que teve uma vitória: a organização do Euro’2004. Uma tragédia para as finanças do País, que ainda estamos a pagar, é verdade. Mas essa é responsabilidade do poder político. Fora isso, é tudo demasiado mau para ser verdade. Foram 14 anos de opacidade, falta de rigor e descrédito do futebol nacional. Das arbitragens à Seleção, passando pela ausência de regeneração e de profissionalismo, Madaíl é a personificação da incompetência e de cedência aos jogos de interesse que matam um jogo, um espetáculo e um negócio que vivem da credibilidade. E ele não tem nenhuma.

Os últimos anos foram trágico-cómicos e deviam servir para que o senhor percebesse que o seu tempo já acabou há muito. A novela de Carlos Queiroz, que culminou com o patético pedido a Mourinho para fazer uma perninha na Seleção. Os sucessivos episódios envolvendo arbitragens. A falta de autoridade em matéria disciplinar. A inadequação dos estatutos ao novo quadro legal. As trapalhadas sucederam-se. E, nem assim, Madaíl percebeu que está a mais. Para espanto dos mais ingénuos, que ainda acreditavam que havia, no futebol nacional, quem tivesse vergonha na cara, o presidente põe a possibilidade de se recandidatar. E, sabendo dos instintos suicidas da Federação, ainda pode ganhar. Faça um favor ao País e ao futebol, senhor Madaíl: vá-se embora enquanto ainda lhe sobra uma réstia de dignidade."

sábado, 29 de janeiro de 2011

Saber sofrer



Mesmo com as ausências o Benfica continua a ganhar, a grande diferença das épocas anteriores para a actual, está na forma como 'defendemos' hoje a vantagem, em anos anteriores até podíamos ter ganho com uma vantagem superior porque tínhamos continuado a atacar mesmo em vantagem, mas também poderíamos ter perdido, levando com golos em contra-ataque...!!!

Derby saboroso (mais um!!!)

Mais uma vitória na formação, desta vez em Juniores A, mesmo com alguns lesionados, e com 3 bolas no ferro!!! A qualificação para a segunda fase já estava garantida, foi só para decidir o 'campeão' da 1ª fase. Não resisti colocar aqui o resumo da partida, porque mais uma vez sofremos um golo caricato!!! Afinal em Alcochete existe uma Academia de Futebol e outra de Andebol!!! Jogar a bola com o braço duas vezes na mesma jogada, por dois jogadores diferentes, sem que o árbitro marque as respectivas faltas, acabando a jogada em golo, é obra...!!!


Vitória, com muitos condicionalismos...


Mais uma...



Amanhã com o Espinho é para ganhar, não porque tenha algum impacto na classificação, mas para 'marcar' psicologicamente o adversário para o que resta da época...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Bienvenue Carole

Pode não ser uma aposta imediata, é jovem, e tem pouca experiência, mas estamos a precisar de um defesa-esquerdo no plantel, para precaver qualquer problema com o Fábio. Entre ficar 6 meses sem jogar em França, e ficar 6 meses em Lisboa em fase de adaptação, creio que a opção foi a correcta. O Nantes neste momento está na segunda divisão, mas tem história, principalmente na formação.

Considerações

"Afinal, no último fim-de-semana, o novo ano começou como o velho acabou, ou seja, a gamar. Em Aveiro, foi o que se viu, com mais uma palhaçada do 'incrível' que vai ganhar a Bola de Prata através de grandes penalidades. O palhaço-mor que tanto falou do Elmano Santos esqueceu-se que só já estava a seis pontos se não fosse o mesmo Elmano a salvá-lo do K.O.!
Continuamos a praticar um futebol de eleição que é um regalo para a vista. E, por isso, volto a reafirmar que sem as três derrotas iniciais, estávamos à frente da classificação e iríamos fazer o Bi. Fomos roubados? Fomos! Mas tínhamos obrigação de ganhar, como ganhámos muitos e muitos outros ao longo dos anos, e sempre a sermos roubados.
Em Atletismo, femininos e masculinos, lá 'limpámos' os respectivos Campeonatos Nacionais, ao contrário de outros que desistem quando não têm argumentos para ganhar.
Em Portimão, quando todos esperavam um desastre da nossa equipa de Andebol, vencemos de forma categórica e sem margem para qualquer dúvida. O que vem demonstrar que algo estava errado com esta equipa de Andebol. E, com isto, mais um troféu para o nosso Museu.
Entendo que devemos começar a falar menos do cadáver adiado e dos seus acólitos e começar a divertir-nos, pois é mais salutar. Então onde é que eu fui no último fim-de-semana? Fui ao 'Jardim da Celeste, Giroflé flé flá'. O que é que eu fui lá fazer? Isso não posso dizer. Encontrei o Al-Capone agarrado a um trombone.
Estava lá o Rocky Balboa a ver se lhe iam à Broa, e ainda o Alguidar a ver quem lhe ia saltar. E também estava o fuínha, agarrado a uma flautinha, e ainda o merceeiro a ver passar o padeiro e com vontade de chorar pelo trio ter de deixar. Era tamanha a confusão que, no fim de tudo acabado, era vê-los, um a um, a mancar demasiado mas com vontade de voltar, ao sítio onde tudo foi aviado. E a Celeste ria a bom rir ao vê-los a partir, em fila indiana, a pensarem na iguana. Para a semana cá estarei, só não sei onde vou estar."

José Alberto Pinheiro, in O Benfica

Crença vermelha

"O que é que se dizia do mês de Janeiro? Que era um teste decisivo à capacidade do Benfica. Com intensa carga competitiva, várias provas em discussão, ou confirmava a disposição da equipa para atacar com audácia a segunda metade da temporada ou poderia conduzi-la ao precipício.
O que é que se tem visto no mês de Janeiro? Um Benfica mais autoritário, mais organizado, mais criativo, mais sedutor. Um Benfica mentalmente mais persuadido, mais consistente, mais forte.
Nem todos os jogos constituíram expressão cabal de uma equipa poderosa? Porventura, a tempo inteiro, já que a espaços emergiu, amiudadas vezes, o melhor Benfica, a réplica quase perfeita do grande Benfica da época transacta.
O que é que resulta deste mês de Janeiro? Uma campanha imaculada, um fluxo de moral, uma empatia com os adeptos que só pode traduzir-se num Benfica convincente até ao termo do ano futebolístico.
Com provas para vencer?
Com várias competições susceptíveis de serem ganhas. Todas elas?
Campeonato, Liga Europa, Taça de Portugal, Taça da Liga?
Fazer o pleno é improvável, ainda assim improvável é, também, que o Benfica não reforce, a breve trecho, a sua montra de troféus.
Há mais e melhor Benfica. Não fossem as imoralidades do começo da temporada e a situação até seria semelhante à do ano passado. A resposta às múltiplas adversidades, sobretudo no contexto doméstico, tem sido firme, corajosa e prometedora. Por isso mesmo é que vale a pena mobilizar vontades e acreditar neste Benfica."

João Malheiro, in O Benfica

Agressor à força...

"1. As imagens só mostram discussões, braços ao ar, empurrões. Não é possível ver se Jorge Jesus agrediu ou simplesmente esbracejou e empurrou. Mas há declarações (ainda por cima zangadas) do pretenso agredido, Luís Alberto, que não poupa Jorge Jesus mas afirma que 'ao tentar abraçar-me para apaziguar, acabou por empurrar-me'. Mais papistas que o Papa, logo alguns escreveram que Jorge Jesus agrediu ou, até, 'deu chapada'. Resta saber se por vontade de sensacionalismo ou de ver o treinador do Benfica suspenso...
2. Isso foi no domingo, porque, no sábado à noite, tive a primeira surpresa. O tema de abertura do programa Tempo Extra, da SIC Notícias, foi o breve desaguisado no final do Benfica-Nacional, com o comentador Rui Santos a 'pedir' forte punição para os implicados (neste caso Jorge Jesus). Estava com a ideia de (re)ver os golos do jogo e, afinal, vi breves imagens da confusão. Só não percebi foi a razão por que os jogadores do Nacional se foram meter ali quando a equipa do Benfica se preparava para a habitual saudação aos adeptos. Mas também é verdade que, passados uns segundos, todos (benfiquistas e insulares) se estavam a cumprimentar.
3. De penálti em penálti... Foi o sexto marcado por Hulk neste Campeonato, alguns deles (como este) inexistentes. A pressão exercida sobre o árbitro pelo treinador do FC Porto antes do jogo parece ter resultado. Quanto às declarações do seu presidente sobre Elmano Santos, essas, são ridículas. Mas dali já não há nada a esperar. O certo é que, de penálti em penálti (marcado ou... mandado repetir!), o FC Porto vai somando pontos e mantendo a distância.
4. Depois de derrotar Sporting e FC Porto, o Benfica ganhou de forma espectacular a Supertaça de Andebol, vencendo, claramente, o Águas Santas na final. Vitória saborosa de uma equipa que vinha fazendo uma época abaixo das expectativas e que se espera tenha ganho um novo alento com vista ao Campeonato Nacional. Sabor muito especial para mais uma vitória sobre o FC Porto nas modalidades, depois dos triunfos do Hóquei na Supertaça e do Basquetebol na final da Taça Hugo dos Santos."

Arons de Carvalho, in O Benfica

"Bate Boca"

"Um dos grandes ensinamentos que sempre retive do meu avô é que 'vozes de burro não chegam ao céu'. Vem isto a propósito do 'bate boca' que se instalou na Comunicação Social entre o treinador do Benfica e o 'menino' André Vilas-Boas. Parece que há uma estratégia concertada na comunicação do Porto. Tentam por todos os meios escamotear os reiterados favores das arbitragens, pois é urgente desviar atenções às grosseiras escandaleiras que se sucedem jogo após jogo e, por isso mesmo, sugeriram ao 'menino' Vilas-Boas para vir a terreiro atacar, indiscriminadamente, Jorge Jesus. Tal como o filho rebelde que se pretende emancipar, o treinador do Porto assume protagonismo, comportando-se antes como um vulgar dirigente, fazendo uma pressão inqualificável sobre as instâncias da justiça desportiva para punir terceiros por prática de actos que ele não viu e nem sabe porque aconteceram.
O que importa realçar é que a máquina comunicacional do Porto está a desvirtuar a mancha mediática do momento que é, ou deveria ser, os favores das arbitragens que acontecem domingo após domingo, e que no pretérito jogo de Aveiro teve mais um escandaloso episódio. Só não vê quem não quer. E escusa o senhor Vítor Pereira de vir, também ele, relembrar publicamente que o golo do Benfica obtido em Coimbra foi precedido de falta, porque o que está em cima da mesa é um assunto estrutural e não meramente de conjuntura. O Porto anda a ser 'levado ao colo' pelas equipas de arbitragem desde o início do Campeonato. E tem sido assim há muitos e muitos anos. E isto tem de ser denunciado, por muito que custe ao senhor Vítor Pereira e seus acólitos.
Para André Vilas-Boas deixo um conselho final: um treinador que se quer grande, que se quer emancipado, que se quer digno e respeitado não pode, nem deve, entrar por este caminho de discurso demagógico e truculento. Era bom que tivesse consciência do que diz mas, sobretudo, do que faz, para que um dia mais tarde não fosse apanhado na 'lama' das suas próprias palavras."

Luís Lemos, in O Benfica

Mentira

"O suposto engraçadinho, confiante que cada alegada piada que soltar cá para fora tem repercussão garantida e espaventosa nos numerosos 'jornais do partido' e outros meios equiparados, disse recentemente que do plantel do Benfica só lhe interessava... o Elmano Santos. O hipotético engraçadinho está sempre a dizer supostas graçolas, no que já fez escola entre o respectivo entourage: alguns figurantes, devidamente autorizados, soltam presumíveis gracejos na senda do supositivo gracejador-mor. E os 'jornais do partido' escrevem em coro que o figurado engraçadinho usou, mais uma vez, da sua proverbial veia satírica.
A presumível chalaça destinava-se a iludir a resposta a uma pergunta sobre o suposto interesse do conjecturado engraçadinho em relação a determinado jogador do plantel do Campeão Nacional. Anteriormente, cada vez que falou verdade num desmentido deste domínio caiu um braço ao alegado chistoso. Ou seja, a única verdade em toda esta anedota é a mentira.
A referência a Elmano Santos é, no entanto, uma metafórica piada que sai pela culatra da putativa ironia do seu autor - seja quem for o autor. Entre as mais recentes prestações do árbitro funchalense conta-se uma arbitragem que chegou a ser anedótica, em que imaginou um penalti para um lado e anulou um golo marcado de penalti para outro. Quem beneficiou com a facécia? Ora, quem havia de ser? Os do costume.
Post Scriptum: No fim-de-semana passado, terceira vitória tangencial de 'os do costume' à custa de um penalti duvidoso. Entre penaltis duvidosos a favor e penaltis por marcar contra, assim se ergue um líder da classificação! Quanto ao Campeão Nacional, já nos devem mais de uma dezena de grandes penalidades. E assim se constrói um avanço na classificação!"

João Paulo Guerra, in O Benfica

A indignação dos hipócritas

"No passado fim-de-semana houve atitudes reprováveis no final do jogo com o Nacional da Madeira. Um dos intervenientes foi Jorge Jesus, treinador do nosso Benfica.
Imediatamente se levantaram vozes indignadas, sedentas de sangue, a dar voz à medíocre moralidadezinha hipócrita dos opinadores de bolso. Rui Santos foi o primeiro a exigir uma punição exemplar para Jorge Jesus [que Jorge Jesus não se esqueça de lhe dar mais uma entrevista exclusiva no final desta época…]. E depois vieram todos os outros, com ar mais ou menos indignado, mais ou menos compungido, mais ou menos convincente, mas todos, todos sem excepção, com o ferrete da hipocrisia estampado na máscara de justiceiro de bairro com que se apresentaram.
Os que calaram perante as escutas em que um presidente de um clube recebe um árbitro na antevéspera de um jogo, os que calaram perante as escutas em que se ouvem árbitros a pedir prostitutas a dirigentes de um determinado clube em troca de serviços prestados, os que mascaram o crime de corrupção em malabarismos de linguagem e que à prática da corrupção chamam “estilo de liderança” são os mesmos que exigem punições exemplares para um ‘crime de lesa futebol’ constituído por uns empurrões e duas bofetadas que nem ao destino chegaram.
O que aconteceu no final do dito jogo foi lamentável, mas foi menos lamentável do que as exibições públicas de moralismo bacoco, parolo e pequeno que se lhe seguiram. Quem calou e ajudou a branquear a corrupção não tem qualquer autoridade para levantar a voz, exigindo punições sumárias e exemplares para… um par de empurrões.
Além destas reacções, uma outra houve, por parte do treinador do Porto, que merece uma resposta clara e inequívoca por parte de Jorge Jesus. Que a resposta lhe seja dada dentro do campo, num jogo de futebol que não esteja condicionado pela oferta de “fruta para dormir”."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

O formador J. Jesus

"Um dos critérios para avaliar a qualidade e mestria de um treiandor é o modo como potencia um jogador. Ou, ao invés, o desqualifica.
Tal medida exige sabedoria, esperiência, paciência. E capacidade de ver longe. Quantos excelentes jogadores não passaram de cepa torta ou da mediania por não terem tido a sorte de ser treinados por alguém que os valorizasse?
É preciso ter em atenção que estamos perante jovens na encruzilhada da vida. Onde é necessário juntar ao talento, o carácter e a progressão como pessoa. Onde é necessário prepará-los para o redemoinho entre o sucesso e o fracasso, a expectativa e a ilusão, o exigente escrutínio e o dinheiro. Duas escolas são bem representativas deste modo de olhar o futuro: a do Ajax e a do Barcelona.
Vem isto a propósito de que considero um dos grandes atributos de Jorge Jesus. Desde que chegou ao Benfica, fez resnascer das cinzas um talentoso Fábio Coentrão, catapultou um inconsciente e inconstante Di Maria para um sólido jogador de equipa, tornou plenas as capacidades de especialista flexível de Rúben Amorim, consolidou tudo o que Carlos Martins incorpora, deu tempo ao tempo para um promissor Salvio. E além disto, proporcionou um Luisão a tempo inteiro, um David Luiz imperial, um Cardozo mais assertivo e um Aimar redescoberto. Seguir-se-ão, por certo, Roberto, Gaitan, Airton e outros.
Os treinadores deveriam receber uma espécie de bónus pelas valorizações que proporcionam ou suportar um malus quando sucede o contrário. Compare-se só o Di Maria de Quique FLores com o de Jesus! Ou o Saviola de Jesus com o Balboa do Q. Flores (a propósito não quererá este ficar com o jogador por troca com o Salvio?)."
Bagão Félix, in A Bola
PS: Depois de transcrever três cronicas do jornal A Bola, não posso de deixar uma nota, sobre mais um vergonhoso editorial do senhor Vítor Serpa!!! Entre várias alarvidades este aborto de jornalista escreve:
"...
O jornalista, na sua incontornável missão de querer conhecer para os outros saberem, não pode deixar de perguntar:
-Que dorzinhas tão estranhas, aquelas, que levaram o central do Benfica, por várias vezes, à linha, tornando-se, subitamente, passageiras?
...
"
Este tipo de insinuações maliciosas, escritas por um director de jornal que se diz sério, é de bradar aos céus...

Falar de mais e falar de menos

"As opiniões dividem-se sobre a assinalável assiduidade com que Vítor Pereira, que é o presidente dos árbitros, tem vindo a público esmiuçar as exibições dos seus activos dos apitos e das bandeirolas na corrente temporada.
Francamente, sou a favor desta exposição mediática do presidente dos árbitros porque nada vejo nela de sombrio ou de escondido. Antes pelo contrário, só vejo transparência e linearidade. E, jogando-se o futebol dentro de quatro linhas, o que mais faz falta é, precisamente, a tal linearidade.
Vítor Pereira tem sido muito linear nas suas intervenções e isso é meritório. Foi no princípio desta semana que o presidente dos árbitros voltou a usar da palavra para nos falar sobre questões da arbitragem nacional que, como sabemos é, por excelência, o assunto que mais interessa o maior número de cidadãos nacionais.
Há quem defenda, por exemplo, que André Villas Boas condicionou a arbitragem de João Ferreira no último Beira Mar - FC Porto quando, na conferência de imprensa de lançamento do jogo, se referiu ao árbitro setubalense lamentando os seus «antecedentes infelizes».
E, pela mesma ordem de ideias, logo houve quem concluísse que a grande penalidade que permitiu ao FC Porto vencer em Aveiro teve muito mais a sua origem nas palavras bem amadurecidas do treinador do FC Porto do que na queda de Hulk na grande área do Beira Mar.
São opiniões, há que respeitar.
Vítor Pereira sobre este mesmo assunto ainda não formulou a sua opinião em termos públicos, visto que decidiu só se pronunciar sobre os casos da última jornada do campeonato na sua próxima alocução que ainda não tem data marcada. Está bem visto, sim senhor.
Sobre a decisão de Elmano Santos, outro seu pupilo, em mandar repetir a grande penalidade a favor do Vitória de Setúbal o Estádio do Dragão, Vítor Pereira também não emitiu o seu parecer e, verdade seja dita, dificilmente o faria. Não porque, eventualmente, não entenda o episódio como digno de uma frase ou duas. Mas porque nunca ninguém lhe perguntou o que pensava sobre o assunto.
Ficámos assim, depois da última palestra do presidente dos árbitros, um bocado à nora sem saber os pensamentos de Vítor Pereira sobre os casos que dizem respeito ao bafejado líder do campeonato. Já sobre o Benfica, o presidente dos árbitros tem montes de opiniões.
Diz que foi irregular o golo marcado pelos campeões nacionais em Coimbra - e foi, sim senhor - e diz que só viu uma grande penalidade que ficou por marcar a favor do Benfica em Coimbra mas, como se sabe, isso são coisas que acontecem.
Realçou, com frontalidade, que o Benfica foi beneficiado pelo árbitro no jogo, na Luz, com o Rio Ave visto que houve uma obstrução de David Luiz ao guarda-redes vila-condense que terá permitido a Salvio fazer o quinto, repita-se, o QUINTO golo dos donos da casa. É óbvio que esse golo não alteraria a questão essencial da conquista dos 3 pontos em causa mas as verdades são para se dizer e Vítor Pereira, linear, não tem medo delas, ou seja, das verdades.
Esmiuçando o passado recente das provas nacionais e em lances em desfavor do Benfica, Vítor Pereira optou por não se debruçar sobre factos menores. Como, por exemplo, a bola jogada com a mão por Djalmir no lance do golo do Olhanense, na Luz, para a Taça da Liga que o árbitro do Porto, Artur Soares Dias, não viu. E a grande penalidade que ficou por marcar no jogo com o Nacional quando Saviola foi rasteirado na área madeirense e que o árbitro do Porto, Rui Costa, também não viu o que nem fez grande mossa porque o lance prosseguiu e a bola acabou no fundo da baliza do Nacional.
É certo que estes dois lances não são tão chocantes como a obstrução de David Luiz ao guarda-redes do Rio Ave de que acabaria por nascer o QUINTO golo do Benfica no encontro da 15.ª jornada, mas umas palavritas de Vítor Pereira sempre teriam caído bem.
Estamos como estamos. E, por isto, mesmo não vejo razões para censurar Vítor Pereira por falar de mais. Já por falar de menos, vejo algumas, muito francamente.
Aguardemos serenamente pela próxima intervenção pública do presidente dos árbitros e, então, veremos o que tem a dizer linearmente sobre a grande penalidade que deu a vitória ao FC Porto no jogo de Aveiro.
E, já agora, sobre o trabalho do árbitro do Porto, Vasco Santos, no escaldante Beira Mar - Nacional da Madeira que se joga no próximo fim-de-semana e que decide um semi-finalista da Taça da Liga.
Vejam só este caso curioso.
Há coisa de duas semanas, na conferência de imprensa de lançamento do jogo FC Porto com a Naval 1.º de Maio, um jornalista presente, João Martins, da RTP, perguntou a André Villas Boas qual era, no seu entender, «a percentagem de possibilidades de o FC Porto perder o campeonato».
O treinador do FC Porto não encaixou a questão com fair-play e respondeu assim ao repórter: «Primeiro, há que enquadrar a pergunta com a tua cor clubística.»
A primeira curiosidade é esta espanholice muito em voga de tratar por tu os jornalistas, o que não é método nem de se dar ao respeito nem, muito menos, de rebaixar a plateia, é apenas uma imitação sem jeito das conferências de imprensa no futebol espanhol, onde toda a gente se trata por tu porque é assim mesmo, é cultural.
Ainda recentemente aconteceu comigo, em Espanha, mais precisamente em Ayamonte, quando me dirigi à caixa de uma estação de serviço para pagar a gasolina
-«Pagas em efectivo o con tarjeta?» - perguntou-me a funcionária com toda a delicadeza do mundo.
Espanholices, como concordarão.
Mas a curiosidade maior é mesmo a resposta de Villas Boas à pergunta do jornalista João Martins, acusando-o de que o seu suposto benfiquismo o estivesse a influenciar no trabalho. Trata-se, sem dúvida, de uma premissa tão abusiva quanto despropositada. Imagine-se só, na temporada passada, quando Villas Boa era treinador da Académica, se lhe aparecesse pela frente um jornalista a perguntar se a sua «cor clubístice» poderia interferir na preparação dos jogos com o FC Porto.
Não há paciência, pois não? Enfim, espanholices...
O Benfica eliminou ontem o Rio Ave e está nas meias-finais da Taça de Portugal. Agora vai jogar com o FC Porto em duas mãos. Não foi fácil o jogo de Vila do Conde porque o Rio Ave joga bem à bola. O árbitro também teve a sua dose de protagonismo assinalando quatro grandes penalidades. O Rio Ave falhou uma vez e o Benfica falhou duas vezes, por Cardozo e por David Luiz.
A culpa disto é dos árbitros. Decidiram que esta época não havia grandes penalidade a favor do Benfica e os nossos jogadores, naturalmente, estão muito destreinados em pontapés de 11 metros. Como se viu ontem."
Leonor Pinhão, in A Bola

De joelhos

"Eis que no passado sábado, em Aveiro, se descobriu um novo genuflexório: a macia relva de uma grande área. Um jogador (sempre o mesmo) fingiu ter apanhado uma joelhada e pediu, de joelhos, que o deixassem ajoelhado. O árbitro, influenciado, uns dias antes, por um malicioso elogio do sacristão credenciado, decidiu, em cima do joelho, que os joelhos do contumaz atleta não estavam em posição genuflectoriamente ortodoxa e puniu um virtual infractor à beira-mar plantado.
Já há tempos, na Figueira, o mesmo artista, sem joelheiras, havia dobrado os joelhos em sinal de cortesia. O árbitro ficou tão confuso que logo viu em tão insólito acto um putativo empurrão. Por isso se penitenciou, quase de joelhos, a seis minutos do fim.
Mas a acrobacia do grupo não se fica pela parte anterior e saliente da articulação da coxa com a perna a que se convencionou chamar joelho. Um outro jogador até já usou a quilha. Num jogo arbitrado por um famoso Elmano, o jogador quis fazer de falcão e, por acção da força da gravidade, caiu com a quilha na relva. Ficou tão quilhado que Elmano resolveu punir um jogador contrário que seguia noutra rota que não a de colisão. E mais tarde, até mandou repetir um penalty à equipa adversária e, caso a bola tivesse entrado, ordenaria um novo chuto com os... joelhos.
Entre joelhos e quilhas, esta métrica da anatomia já permitiu três 1-0. O que se somam os penalties por efeito amplificado do úmero, rádio e cúbito dos adversários e os não penalties do grupo por obra e graça de membros milagrosamente tornados insignificantes cotos, como se provou no jogo com o Nacional na Madeira.
Em suma, tudo de joelho em joelho até à joelhada final."
Bagão Félix, in A Bola

O verdadeiro Hulk

"Fazem-se muitas comparações entre Hulk, o futebolista, e o herói da banda desenhada. E, à força desses paralelos, o jogador Hulk tende a copiar esse herói. Na última jornada, quando viu um defesa do Beira-Mar aproximar-se dele, deu um salto e ao mesmo tempo gritou “Ahhhh!” Só faltou mesmo ficar verde. E o árbitro apontou para a marca de penálti. É a terceira vez nesta época que o FC Porto ganha 1-0 com um penálti-fantasma. As outras foram contra a Naval e o Setúbal.

Mereceu ganhar esses jogos? Talvez. Mas o que conta no futebol são os golos. E os golos que deram essas vitórias resultaram de favores dos árbitros.

Não quer isto dizer que o FC Porto não seja um líder justo. No cômputo geral, tem sido a melhor equipa. Mas também é impossível ignorar que tem “seis pontos seis” oferecidos de bandeja. E que o Benfica está hoje a praticar um futebol de melhor qualidade. No último domingo, contra o Nacional, chegou mesmo a deslumbrar. Deslumbrou tanto, que chegou a deslumbrar-se a si próprio – e, depois de marcar por três vezes e falhar sucessivas oportunidades, poderia ter consentido o empate.

Mas, voltando à vaca fria, é preciso dizer que há neste campeonato uma propensão nítida para marcar penáltis a favor do FC Porto. Às vezes, olhando para os árbitros, parece que só estão à espera de uma situação confusa na área do adversário do FC Porto para apontarem para a marca de grande penalidade. Porquê? Responda quem sabe. Até porque, noutros campos, verifica-se o oposto: há faltas claras que ficam por marcar. Mas é preferível isso. Péssimo para o futebol é os adeptos saírem dos estádios com a sensação (revoltante) de que a sua equipa foi derrotada pelo árbitro."

José António Saraiva, in Record

Dos pequeninos

"À hora a que termino esta crónica, a Comissão Disciplinar da Liga fez o que devia: vai proceder a um inquérito aos incidentes no final do Benfica-Nacional. Não custa a crer que, dentro da moldura de sentenças previstas para estes casos, Jorge Jesus, treinador dos campeões nacionais, venha a ser castigado: seja qual for a terminologia utilizada – e é curioso como nestes casos de imagens que não são rigorosamente conclusivas as paixões clubísticas servem para se ganhar certezas –, dos “vários empurrões” às “agressões e murros”, o quadro não parece de molde a que o técnico saia ilibado do caso. Se assim se entender, condene-se. Mas, de uma vez por todas, que não se crie um precedente que, depois, não tenha consequências na jurisprudência e que se julguem os prevaricadores sem se lhes olhar para o emblema. É o mínimo.

Dito isto, deixando claro que por aqui não passam esponjas nem branqueamentos, confesso a minha perplexidade por mais uma sessão de “desforra” vinda de André Villas-Boas, uma atoarda mesquinha que envolve “miúdos e graúdos”. O meu espanto tem a ver apenas com isto: a continuar assim, em campo e fora dele, o jovem treinador do FC Porto verá os seus méritos profissionais e técnicos reconhecidos; já a sua personalidade e o seu caráter serão objeto de acesas discussões.

Continuo a pensar que Villas-Boas reage mais como adepto ou, dentro da “escola” portista, como dirigente. Para seu bem e para sossego geral, deveria ser mais contido e mais inteligente. Deixando vir à superfície uma obsessão constante pelo Benfica e por quem o representa, está a apoucar-se, a si e a quem lhe dá emprego – a constante referência ao inimigo, as mordidelas guerrilheiras, o toca-e-foge com as palavras, a piada grosseira sempre dirigida ao mesmo alvo, as ingerências em assuntos que nada têm a ver consigo, ameaçam fazer de André Villas-Boas mais um caso patológico a juntar à lista que se julgava produto de um qualquer microclima da zona de Contumil.

As claques portistas podem estar a festejar seja o que for (até um penálti capaz de fazer de Hulk um atleta com dons de adivinhação…), mas nunca se esquecem de enviar um cântico “amigo” ao SLB, cuja sigla entoam mais vezes que a do próprio clube. Jorge Nuno Pinto da Costa pode ser questionado sobre eleições presidenciais, sobre gastronomia ou sobre vias rápidas e SCUT – qualquer que seja o tema, ele há de encaixar uma indireta ou uma diretíssima ao Benfica, com o qual parece sonhar acordado. Villas-Boas vai pelo mesmo caminho? Que seja feliz. Mas que não se esqueça que um treinador não faz uma vida só num clube. E que se recorde que José Mourinho, campeão a partir a loiça, nunca por nunca aceitou ser a voz do dono."

Passo de gigante !!!

Porto Santo 3 - 4 Benfica
Os jogos em Porto Santo nunca são fáceis, além da viagem não se pode desvalorizar o investimento do 'Governo Regional' na equipa insular!!!
Com a derrota dos Corruptos em Oliveira de Azeméis, o Benfica ganha uma vantagem considerável no campeonato, é muitíssimo importante manter esta distância, assim, mesmo na eventualidade de perdermos na deslocação ao antro Corrupto, ficaremos à frente. Todos os jogos vão ser complicados, mesmo aqueles aparentemente mais fáceis, também temos que jogar fora com a Oliveirense, claramente a 'terceira' equipa deste campeonato, mas neste momento tudo 'corre' a nossa favor, consequência da entrega total e da competência dos nossos jogadores, treinadores e directores.
Mas como diz o ditado: "Até o lavar dos cestos, é vindima", e nós até agora não ganhámos nada (excepto a Supertaça!!!)...

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Viciados no sofrimento



Voltámos a falhar golos, atrás de golos. O jogo podia ter ficado decidido muito mais cedo. Não há necessidade...
Júlio César 'imperial', para quem tem pouco ritmo, teve muitíssimo bem...
Agora venham os Corruptos, sem medo...
Não faço ideia quais vão ser os desenvolvimentos na 'novela' David Luiz: se o David é o 2º marcador de penalidades a seguir ao Cardozo, tudo bem, agora se a decisão de 'dar' o penalty ao David se deveu a uma suposta 'prenda' de despedida, acho que foi um tremendo disparate, o jogo não estava decidido. Agora independentemente deste lance o David fez um excelente jogo, ultrapassando inclusive uma possível lesão no final da primeira parte, para quem estava com a 'cabeça em água' como alguém escreveu esta semana, jogou como um verdadeiro titular da Selecção Brasileira!!! (Já agora será que alguém vai escrever como é que o Benfica consegue ter dois centrais convocados simultâneamente para a Selecção canarinha?!!!)

Se em Coimbra tentaram 'colar' a vitória do Benfica a um golo irregular, com o objectivo de 'calar' as nossas criticas (a 'coisa' só correu mal por causa de um pequeno pormenor: dois penalty's a favor do Benfica não foram marcados!!!), agora depois deste jogo, onde foram marcados 3 penalty's a favor do Benfica, ninguém os vai calar!!! Lembram-se do Estrela-Benfica para a Taça da Liga? Lembram-se da final da Taça da Liga com os Lagartos? Lembram-se do Benfica-Nacional para a Taça da Liga do ano passado? Pois bem, esta época o Rio Ave-Benfica para a Taça de Portugal será o 'álibi' para todas as Roubalheiras que já ocorreram esta época, e para aquelas que ainda estão para vir!!! Preparem-se para ouvir repetidamente referências a este jogo...!!!

Para memória futura deixo a minha opinião sobre os lances:
-Coentrão não faz penalty sobre João Tomas.
-Ricardo Chaves não faz penalty, o toque do Saviola é mesmo à 'queima'.(a marcação deste penalty deveu-se exclusivamente ao fiscal-de-linha)
-Zé Gomes faz penalty sobre Saviola. Ao contrário do Coentrão, o Vila-condense empurra claramente o Argentino.
-Jeferson faz penalty. O remate do Cardozo é à 'queima', mas o defesa usa os braços para 'tapar' ângulo ao Paraguaio





PS(1): Parece que houve outro lance passível de penalidade, devido a uma mão do Gaspar, nesse momento não estava a ver o jogo na televisão, portanto não vi o lance, provavelmente não vai aparecer nos resumos, portanto não me vou pronunciar.
PS(2): Hoje disputou-se um jogo antecipado da Liga, sem justificação aceitável, diga-se!!! Só vi os primeiros minutos, desisti rapidamente!!! É que uma das equipas, apresentou-se ao jogo, como tivesse a disputar um jogo particular com o Cascalheira de Baixo!!! Desta vez, não houve trincos nem trancas, 4 jogadores de caracteristicas ofensivas!!! É só coragem!!! Prevejo que esta equipa insular vá longe na Taça da Liga...!!!

Ambição

"A tirada fez manchete num diário desportivo. Só podia mesmo aparecer maiusculada na primeira página do jornal. 'Sou o melhor defesa-esquerdo do Mundo'. Quem disse? Fábio Coentrão, a mais recente coqueluche do Sport Lisboa e Benfica. Lida a frase, ficou a ideia de alguma sobranceria, de alguma arrogância, de alguma altivez. Quem conhece as Caxinas, região piscatória de Vila do Conde, berço de lateral benfiquista, sabe que se caracteriza por ser um local de gente humilde, gente franca, gente trabalhadora. Poderia Coentrão ser diferente? A expressão 'sou o melhor defesa-esquerdo do Mundo' tem de ser contextualizada. Ele até explicou o alcance. Fê-lo mesmo com a genuinidade que o caracteriza, que é bem apanágio dos seus conterrâneos.
'Se eu não acreditar em mim, quem vai fazê-lo?'. Está Fábio coberto de razão. Diz que é o melhor do Mundo pela elementar razão de que quer ser o... melhor do Mundo. A isso pode chamar-se altanaria? A isso pode e deve chamar-se ambição. Somente ambição.
O lateral canhoto do Benfica protagonizou uma ascensão repentina. Repentino, mas sustentado. No Benfica e na Selecção Nacional. Pela sua idade, não custa vaticinar uma larga margem de crescimento. Fábio Coentrão é um jogador excepcional? É mesmo. Fábio Coentrão pode ser um jogador fabuloso? Pode mesmo. Já é o melhor do Mundo na sua posição? É, pelo menos, o melhor do Mundo nessa ambição. Que não esconde, que não ilude. A isso se pode chamar também auto-responsabilização. Que só lhe fica bem. Como bem fica ao Sport Lisboa e Benfica..."
João Malheiro, in O Benfica

Objectivamente (Elmano)

"Elmano Santos é um verdadeiro artista! É demasiado previsível e interpreta como ninguém as ideias de um Sistema podre, mas que vai resistindo contra tudo e contra todos! Como é possível esta alma ter andado tantos anos na primeira categoria e sempre a merecer as boas referências dos seus superiores?! Só mesmo porque faz na perfeição o trabalho que os que habitualmente beneficiam desta vergonha gostam.
Como aquele que tratou de fazer em Coimbra! Na passada sexta-feira, programa «A Jornada», da BTV, tive oportunidade de avisar sobre o que iria ser a arbitragem deste artista. Disse que ele iria arranjar maneira «de pôr os nossos adversários a dizer que afinal o Benfica não tem de falar de arbitragens porque em Coimbra... houve um penalti mal assinalado a favor do Benfica, ou coisa que o valha». Afinal houve coisa que o valha, mais dois penaltis que não foram marcados e uma expulsão feia, tão injusta como cruel! Não me enganei porque conheço como funciona o sistema e ele não falha. Havia que arranjar maneira de fazer parecer que os árbitros também beneficiam o SLB e que são injustas as críticas aos benefícios que o FCP tem tido! Nada melhor que nomear árbitro bem identificado com este saber das coisas para - parecendo que beneficia, prejudica! Veja-se como o SLB foi prejudicado, mas na prática, porque só ganhou por 1-0, o golo obtido em fora de jogo serve de mote para as conversas que vão prolongar até Junho! O Benfica jogou melhor, criou oportunidades, rematou ao poste e dominou em toda a linha. Mas aquilo que se vai discutir é o lance do golo.
Houve até quem comentasse na Sportv que Saviola além de estar fora de jogo EMPURROU A BOLA COM O BRAÇO PARA A BALIZA! Tudo isto é muito mau! Um líder que leva vantagem com pontos amealhados com favores de árbitro. Jornalistas e comentadores que desprezam a verdade e a seriedade. Uma Federação que está ilegal perante a FIFA e a UEFA. O que é que se pode esperar deste pobre futebol português?"
João Diogo, in O Benfica

Dito por não Dito

"O jogo de Coimbra correu-nos de feição apesar de não termos feito uma exibição deslumbrante. O mais importante era ganhar, manter a pressão pontual para o 1.º classificado e somar a sexta vitória consecutiva no Campeonato. O objectivo foi, rigorosamente, cumprido com o Benfica a rubricar uma bela primeira parte onde conseguiu aplicar tudo o que de bom tem vindo a desenvolver nos últimos dois meses.
O Benfica marcou o golo (admito que possa haver fora de joga de Saviola) e uns minutos depois a Académica passou a jogar só com dez, fruto da expulsão de Pape Sow, que mais parecia um atleta de Karaté, ao pontapear o peito de Cardozo. Depois deste lance a nossa equipa entrou em gestão de esforço, pois percebeu que o que estava em jogo era tão somente a conquista dos 3 pontos.
Pelo meio um chorrilho de asneiras do árbitro Elmano Santos (já estamos habituados) que fez vista grossa a dois penáltis a favor do Benfica, sendo que num deles ainda castigou Fábio Coentrão com a amostragem de um amarelo (acabaria por ser expulso mais tarde com um segundo cartão).
Para quem diz que o Benfica saiu beneficiado do Estádio Cidade de Coimbra ou não percebe nada de futebol, nem de regras de arbitragem, ou só pode estar de má fé. E por falar em má fé, é caso para relembrar o que Dito (ex jogador do Braga, Benfica e Porto), comentador SportTV, disse a esse microfone no decorrer da partida. Para dito, o penálti sobre Coentrão não existiu e foi o jogador do Benfica que forçou a entrada que o levou a estatelar-se ao comprido. Logo, foi bem mostrado o amarelo. No lance da expulsão (lance muito feio e a colocar em causa a integridade física de Cardozo) o árbitro exagerou ao mostrar vermelho directo ao jogador da Académica uma vez que este quis jogar a bola. Para não falar de outras tantas alarvidades que este Dito por não Dito, bem como o seu comparsa de comentários, fizeram ao longo da partida. Só dá mesmo vontade de mandar a Sport TV para um sítio que eu cá sei mas não posso dizer."
Luís Lemos, in O Benfica

Factos

"O facto mais notável do último fim-de-semana benfiquista foi, quanto a mim, a vitória na Taça Hugo dos Santos, em Basquetebol. Os adversários bem se gabavam de favoritismo, até porque seguem na frente da 1.ª Fase do Campeonato da Liga Profissional. Mas a verdade é que o Benfica conquistou o quadrangular disputado no Sabugal, ganhando os três jogos que disputou, com gosto particular para o terceiro frente ao adversário mais directo. Aliás, independentemente da classificação na 1ª Fase da Liga, o Benfica conquistou este ano os dois troféus já decididos, frente ao mesmo adversário: a Supertaça e agora a Taça Hugo dos Santos.
Facto igualmente notável foi mais uma vitória internacional da judoca Telma Monteiro, no Masters de Baku, no Azerbaijão, conquistando mais uma medalha de ouro.
Notável foi também a facilidade com que as equipas de Hóquei e de Voleibol derrotaram os respectivos adversários, mantendo a liderança das classificações.
E notável foi a sexta vitória consecutiva para o Campeonato da Liga de Futebol, alternando com vitórias para as Taças de Portugal e da Liga. Embora com menos fulgor que em jogos imediatamente anteriores, o Benfica ganhou. E em boa verdade saiu de Coimbra com razões de sobra para apresentar na esquadra de polícia do Calhabé uma queixa contra um indivíduo por roubo de dois penaltis. O suspeito era pequenino e vestia de amarelo e parece ser reincidente em matéria de grandes penalidades. Aqui atrasado, viu uma para um lado que mais ninguém viu e mandou repetir outra para o lado contrário, que entrara à primeira mas já não entrou à segunda, assim fazendo o resultado. Que ninguém pense, portanto, que o Sistema meteu férias. E Fábio Coentrão que o diga."
João Paulo Guerra, in O Benfica
PS: Esta, e as próximas cronicas, estão um pouco atrasadas no tempo, por isso peço desculpas, mas o jornal O Benfica só hoje me foi entregue pelos serviços dos CTT!!! Só com 6 dias de atraso!!! Serviço de altíssima qualidade...!!!

Dia de São Eusébio


Ontem (já passa da meia-noite!!!) foi dia de São Eusébio, a gala foi uma prenda bonita para os 69 anos na vida do nosso símbolo vivo, que por mérito próprio já ganhou um cantinho na eternidade da nossa memória...

"Boa noite a todos!
Estamos aqui para celebrar Eusébio, o seu talento, sacrifício, dedicação. O seu carácter e a sua inspiração. Tudo isto e muito mais foi Eusébio.
Eusébio é património de todos os que gostam de futebol, porque ele foi - sem dúvida – um dos seus maiores intérpretes.
Eusébio é património do Benfica, mas também é património e marca de um país que por norma reconhece demasiado tarde o mérito daqueles que o projectaram.
Felizmente, para todos nós, não foi assim desta vez.
Num país que tem por hábito ser pessimista, Eusébio sempre foi uma referência de optimismo e de esperança.
O Benfica foi o seu destino, mas também o principal beneficiário do seu talento. Mas o Benfica nunca tornou Eusébio refém do clube, porque esse é o segredo da grandeza e da universalidade do Benfica: Os nossos valores e as nossas referências são valores e referências de Portugal.
Eusébio é a referência maior do Benfica, mas Eusébio foi, é e continuará a ser a referência maior do nosso país além-fronteiras.
Tenho a honra de ser seu amigo e admirador e por isso nada me é mais grato, neste dia de tão grande significado, na presença dos seus familiares e amigos, que prestar-lhe uma sentida e pública homenagem e dizer-lhe o nosso muito obrigado pelo seu exemplo e por tudo o que nos deixou.
Parabéns pelo teu aniversário e obrigado por estes cinquenta anos da tua vida que deste ao Benfica e a Portugal!"






A Palhaçada continua...

Nos últimos dias ficámos a saber que a Relação confirmou a absolvição de Pinto de Sousa e dos seus compadres, hoje o actual CD da Liga resolveu abrir um inquérito (primeira vez que tal acontece, e não é por falta de justificações!!!) ao Jorge Jesus. Parece que o treinador que critica nomeações de árbitros antes dos jogos( o Puto das birras), não teve a mesma sorte!!! E ainda temos que aturar o olho selectivo do capitão da escumalha a tentar construir a ideia que o Benfica é que é beneficiado pelas arbitragens, ignorando sempre que pode as ajudas aos Corruptos. Para finalizar o CA da FPF resolve nomear para o próximo jogo do Benfica, o mesmo árbitro que na última jornada ofereceu 2 pontos aos Corruptos...!!!
E a palhaçada continua...

Demasiados remendos





Sem Heshimu, e com o Jenkins condicionado podíamos ter ganho, só faltou alguma fortuna nos últimos segundos!!! O nível começa a ser muito 'apertado', só podemos aspirar às vitórias se tudo correr bem, e com 28% em lançamentos de 2 pontos, não dá...
Sinal positivo para o primeiro jogo a ' sério' do Mike Williams.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sete anos...


Faz hoje 7 anos que nos deixaste mas continuas enternamente nos nossos corações.

20/7/1979 — 25/1/2004

PARA SEMPRE MIKLÓS FEHÉR!!!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

NeoBlanc 17

Tabela Anti-NeoBlanc:

Benfica......... 39 (-9)... 48
Corruptos..... 47 (+10)... 37
Sporting........ 31 (+3)... 28
Braga............ 24 (0)... 24


A Palhaçada continua, tudo é feito à descarada, esta semana até se podia falar do festival ofensivo do Benfica em vários momentos da partida, podia-se relevar a sétima vitória consecutiva para o Campeonato do Benfica algo inédito esta época, podia-se até falar de mais um penalty inventado que deu a vitória aos Corruptos, podia-se continuar a discutir o vergonhoso processo da 'não' revisão de estatutos da FPF, podia-se até discutir o regresso das arbitragens favoráveis para os Lagartos, após uma semana de interregno, mas não, os Corruptos, e todos os seus papagaios, preferem falar de um suposto castigo de 9 meses a Jorge Jesus!!! Evocando imagens, que nada provam, contrariando inclusive as declarações de todos os intervenientes directos, tentam criar um Circo, onde nem sequer o Rui Corrupto Costa (irmão do Paulo Corrupto Costa, por favor não confundir!!!) relatou qualquer situação estranha. Só falta ouvir os defensores públicos Corruptos, apelar ao uso das imagens da televisão!!! Hipócritas sem vergonha, cambada de imbecis...




Na Luz a 'encomenda' não foi entregue!!! Ganhámos, mas ficou óbvio quando o Ruizinho não marcou o penalty descarado sobre o Salvio (mais um!!!), que trazia o jogo 'preparado', o cartão amarelo ao Maxi confirmou, o vermelho perdoado ao Luís Alberto foi esclarecedor, as 'milhares' de faltas assinaladas junto da área do Benfica só reforçam a minha convicção. E se às vezes fica a dúvida entre a incompetência, e a premeditação, desta vez tivemos a 'prova dos nove': quando o Benfica a ganhar por 3-0 parecia ter o jogo controlado o Ruizinho até parecia um árbitro a 'sério'!!! Bastou o Nacional marcar dois golos, para que o critério voltasse a mudar, ficando para exemplo uma falta não assinalada sobre o Jara, no centro do terreno, do tamanho do Evereste, permitindo um ataque rápido ao Nacional...
-Penalty sobre o Salvio. Penalty clássico, super-evidente. Na sequência da não marcação do penalty o Benfica marcou golo, este facto é totalmente irrelevante para a avaliação do trabalho do Boi Corrupto, quando a bola bateu no fundo das redes, o Ruizinho deve ter dito: porra, devia ter marcado penalty, talvez o Cardozo falhasse!!!
-Luís Alberto agride Aimar. Numa zona 'morta' do terreno, já depois de Aimar passar a bola, Luís Alberto dá uma cotovelada propositada, premeditada no pescoço/queixo/ombro do Aimar, talvez fosse consequência da vacina da 'raiva' que este jogador levou no início do jogo!!! Ruizinho não marca falta, dá a lei da vantagem, e depois quando o jogo pára, dá amarelo ao Nacionalista!!! Se não marcasse nada, e não mostrasse nenhum cartão até podia alegar que não viu, agora se mostrou amarelo é porque viu, e se viu, devia ter mostrado vermelho!!! Pior do que tudo isto, só mesmo o 'esquecimento geral' de todos especialistas!!!
-Não existe penalty sobre Coentrão no final da partida. Filipe Lopes toca primeiro na bola.
-Critérios. Mais uma vez sofremos uma avalanche de livres laterais, como tem sido normal, quando o Benfica pressiona, e sufoca os adversários, são os árbitros a 'oferecer' algum alivio às defesas contrárias, basta os jogadores levantarem os braços e a falta é logo marcada, em sentido contrário, para o Benfica beneficiar de uma falta em zona perigosa, é preciso 'arrancar pernas pela raiz' e mesmo assim só algumas são marcadas!!! As consequências deste critério Frutado são enormes, mudam muitas vezes a tendência dos jogos, e intimidam de forma tremenda os nossos defesas que começam a 'não meter o pé', e dão 'confiança' aos adversários que jogam com total impunidade.
Sobre o 'não caso' Jesus!!! Jesus não devia ter feito o que fez. Se no regulamento existir alguma norma que puna empurrões entre aqueles intervenientes então deve ser punido. Uma multa, uma semana no máximo seria a minha 'receita', desconhecendo eu o regulamento.
Agora o Circo montado pelo Rascord (com a colaboração de todos os avençados Corruptos) está a um nível completamente absurdo.
Em primeiro lugar, se o inquérito for aberto espero que a decisão seja conhecida no mínimo daqui a 2, ou 3 anos quando o Jesus já tiver a treinar outra equipa (ou não, espero eu!!!), estilo 'Paulo Fernandes' o nosso actual treinador de Futsal!!!
Em segundo lugar, estou curioso para saber as pressões em cima do Nacional para o jogador voltar atrás com a palavra. O jogador admitiu ter sido empurrado, aliás até se sentiu traído, porque o Jesus abraçou-o no início!!! Será que em fase de inquérito vai alterar o seu testemunho?!!! Será que daqui a alguns meses fará o contrato da sua vida?!!! Será que o Nacional vai ter 'sorte' com as arbitragens na Taça da Liga?!!!
Em terceiro lugar, estou curioso para saber se algum relatório dos oficiais ao jogo, tem alguma adenda.
Em quarto lugar, gostaria de ser esclarecido se as imagens da televisão podem ser usadas como prova. Neste caso estou curioso, para quem o ano passado não viu nada de especial nas chapadas ao Cardozo, e para quem nunca admitiu as várias agressões, de vários jogadores Corruptos na Luz mesmo após as imagens terem sido públicas, como é que agora com as imagens disponíveis conseguem ter 'certezas'!!!
Em quinto lugar, estou à espera do primeiro inquérito aberto por iniciativa do actual CD da Liga.
Em sexto lugar, considerando a actual benevolência do CD da Liga ao aplicar castigos ridículos em várias situações, comparando com a antiga 'excessiva' autoridade do ex-CD da Liga, recordando o castigo ao Givanildo o ano passado (como o Éter no Céu Encarnado muitíssimo bem recordou!!!) então Jesus levará menos de metade da pena mínima, porque não é reincidente!!! O que dá alguns dias...!!!



Em Aveiro nada de novo, se até o Coroado admitiu que o Givanildo antecipou a queda, o que é que eu posso dizer?!!! As pressões do Puto resultaram, o João Ferreira 'borrou-se' mais uma vez!!!
Eu não conheço os regulamentos, mas criticas aos árbitros antes dos jogos, por parte dos intervenientes das partidas, não dá castigo?!!! Será que o CD da Liga vai abrir um inquérito?!!! Será que alguém no Rascord, sabe qual será o possível castigo?!!!
Como alguém já identificou a Penalty Cup, está a ser um sucesso...!!!
Os Corruptos pediram penalty, numa bola na mão num pontapé de canto, curiosamente do André Marques novamente. Para mim não é penalty, porque um jogador Corrupto faz-se à bola, tenta (ou consegue) jogar a bola com a cabeça, e mesmo se não tocar, acaba por 'condicionar' o movimento do Aveirense, que se encolhe e 'fecha os olhos'!!!



Nos Barreiros, o contrato do Moutinho voltou a ser 'activado', o Soares Dias ficou com tantos remorsos que nem deu amarelo ao Djalma, quando este leva uma joelhada do Carriço. Com o resultado 0-0 a história do jogo seria diferente, o Sporting na segunda parte acabou por 'matar' o jogo em contra-ataque, com muitos golos falhados por parte do Marítimo...



Não vi, nem li nada sobre o Braga-Setúbal, supostamente correu tudo normalmente...



Anexos:


Benfica

1ª-Académica, Prejudicados, Com 3 pontos
2ª-Nacional, Prejudicados, Com 3 pontos
3ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Guimarães, Prejudicados, Com 3 pontos
5ª-Sporting, Nada a assinalar
6ª-Marítimo, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
7ª-Braga. Nada a assinalar
8ª-Portimonense, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Paços Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Corruptos, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Naval, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar, Prejudicados, Sem influência no resultado
13ª-Olhanense, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Rio Ave, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
15ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Académica, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Nacional, Prejudicados, Sem influência no resultado

Corruptos

1ª-Naval, Beneficiados, Com 3 pontos
2ª-Beira-Mar, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
3ª-Rio Ave. Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
5ª-Nacional, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
6ª-Olhanense, Nada a assinalar
7ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Académica, Nada a assinalar
10ª-Benfica, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
11ª-Portimonense, Nada a assinalar
12ª-Sporting, Prejudicados, Com 2 pontos
13ª-Setúbal, Beneficiados, Com 3 pontos
14ª-Paços de Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Marítimo, Nada a assinalar
16ª-Naval, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar, Beneficiados, Com 2 Pontos


Sporting

1ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Marítimo, Nada a assinalar
3ª-Naval, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Olhanense, Beneficiados, Com 1 ponto
5ª-Benfica, Nada a assinalar
6ª-Nacional, Nada a assinalar
7ª-Beira-mar, Nada a assinalar
8ª-Rio Ave, Nada a assinalar
9ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Guimarães, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Académica, Nada a assinalar
12ª-Corruptos, Beneficiados, Com 1 ponto
13ª-Portimonense, Nada a assinalar
14ª-Setúbal, Nada a assinalar
15ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
16º-Paços de Ferreira, Prejudicados, Com 3 pontos
17ª-Marítimo, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado

Braga

1ª-Portimonense, Nada a assinalar
2ª-Setúbal, Nada a assinalar
3ª-Marítimo, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
5ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
6ª-Naval, Nada a assinalar
7ª-Benfica, Nada a assinalar
8ª-Olhanense, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave, Nada a assinalar
10ª-Beira-Mar, Prejudicados, Com 2 pontos
11ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Nacional, Beneficiados, Com 2 pontos
13ª-Leiria, Nada a assinalar
14ª-Académica, Nada a assinalar
15ª-Sporting, Prejudicados, Com 1 ponto
16ª-Portimonense, Nada a assinalar
17ª-Setúbal, Nada a assinalar

domingo, 23 de janeiro de 2011

Campeões Nacionais de Juniores em Pista Coberta


Mais um titulo para a nossa formação, desta vez no Atletismo, destaco esta conquista essencialmente pela 'cabazada' que demos aos nossos adversários!!! Com competência, e paciência estes resultados daqui a alguns anos, podem-se repetir nos seniores, com impacto evidente nas Selecções Nacionais, em representação do País, nas grandes competições Mundiais e Europeias.

"
...
Os pódios ficaram ordenados da seguinte forma:
Sector Masculino:
1.º - Sport Lisboa e Benfica, 219.00 pontos
2.º - Grupo Atletismo Fátima, 67.50 pontos
3.º - Juventude Vidigalense, 66.00 pontos
Sector Feminino:
1.º - Sport Lisboa e Benfica, 246.50 pontos
2.º - Sporting Clube Portugal, 85.00 pontos
3.º - Juventude Vidigalense, 75.50 pontos"

Distorção de primeira

"Definitivamente algo vai mal quando os factos e as palavras dos protagonistas envolvidos num determinado episódio são deturpadas de forma grosseira por alguns (algum) jornalistas. Vem isto a propósito da capa desta manhã do diário desportivo Record.

No final do jogo entre o Sport Lisboa e Benfica e o Nacional da Madeira e a propósito dos incidentes que há poucos minutos se tinham verificado no relvado, no final do jogo, Jorge Jesus, na conferência de imprensa afirmou: “afastei Luís Alberto”; enquanto o jogador do Nacional da Madeira, já na zona mista, confirmou que foi "empurrado por Jesus”.

Destas declarações, reproduzidas com exactidão na peça que o jornal reproduz na sua página 13, o editor de fecho da primeira página do jornal preferiu, no entanto, mandando a isenção às malvas, destacar em jeito sensacionalista: “Jesus deu chapada em Luís Alberto”.

Desconhecemos, ou preferimos desconhecer, as motivações desta manobra. Temos a certeza que os responsáveis do jornal não poderão concordar com semelhante distorção e aguardamos que o bom senso prevaleça e que o jornal Record, na sua edição de amanhã, se retrate perante a adulteração do que foi escrito na página 13 e o que resulta da capa do jornal."

Desmentido do SL Benfica

Supertaça para moralizar


Mais um 'caneco' para a colecção, vitória mais do que merecida, pelo jogo da final, e pelos dois jogos precedentes. Numa época até agora abaixo das expectativas ainda podemos ganhar tudo, a irregularidade no campeonato tem que ser corrigida, exige-se concentração...
Tenho que realçar mais uma vez o regresso do Rui Silva, além dos golos que marca, na minha opinião é de longe o melhor 'central' no nosso sistema defensivo, os poucos golos que sofremos nestes 3 jogos, apesar das excelentes exibições dos nossos guarda-redes (principalmente o Ferreirinho) devem-se também à presença do 'nosso' Gigante!!!

Pedaços de magia



Este estranho vicio de sofrer 2 golos por jogo, que ultimamente tem afectado a equipa, necessita de tratamento rapidamente, existem clínicas de desintoxicação disponíveis!!! Os momentos mágicos que temos tido, e voltámos a ter em dose reforçada, merecem finais de jogos, mais folgados...
Começamos com eficácia, depois regressamos à praga do desperdício, voltamos a descomprimir demasiado cedo, ficámos nervosos, até que o Jara 'acabou' com o jogo. Podíamos ter goleado (mais uma vez), mas decidimos 'dar' emoção à partida...!!!

O sinal mais importante a retirar deste jogo, ao contrário daquilo que ouvi na rádio dito por supostos entendidos(!!!), não foi um mau jogo do Sidnei, nem do Roberto, a meio da segunda parte faltou ter o Rúben Amorim no banco, para poder entrar, para 'fechar' o meio-campo. O mercado está quase a fechar...


Com muita vontade...



Não será fácil o jogo em Itália, é verdade que os Italianos têm que ir à procura dos golos, mas é necessário relembrar que dos 7 golos do Benfica, 5 foram de penalty, ou livre directo, em Itália estas situações podem escassear...!!!

A 'ferros'...


A Taça, também é para ganhar



sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Czar Zaikin




Se o Zaikin jogasse todos os jogos assim!!!
Foi pena alguma descompressão a meio da segunda parte, senão tinha sido uma cabazada histórica...!!! A azia nos comentários só reforçou o sabor da vitória...
Mesmo descontando a má noite do adversário, este resultado só prova que a classificação do campeonato é mentirosa, este plantel do Benfica tem potencial para ganhar todos os jogos, os jogadores tem que se mentalizar que é para dar tudo, em todas as partidas.
Amanhã a final é com o Águas Santas, uma das equipas com que já perdemos esta época, mas depois destas duas saborosas vitórias, amanhã só pode ser para ganhar...

Só uma nota final: ganhámos ao Sporting, e aos Corruptos em dois dias consecutivos, em dois jogos com arbitragens 'calmas', sem casos, nem protestos, dos vencedores, e dos derrotados, porquê é que no campeonato as coisas são diferentes?!!!

Cumprir calendário com o último classificado



Bom regresso à competição




Depois de uma longa paragem, devido a compromissos da Selecção, o Benfica começou o novo ano com uma saborosa vitória no primeiro jogo da Supertaça. Saúda-se o regresso de vários lesionados, especialmente no nosso veterano Pivot, Rui Silva, após prolongada doença.

Esta vitória terá pouco significado, se amanhã não derrotarmos os Corruptos...!!!

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Mais ou menos (II)

"Hoje continuo a escrever um pontapé-de-saída «mais ou menos». Mas agora a propósito do desporto.
No futebol joga-se para o «mais ou menos», leia-se o empate. Já nos basquetebol não há esse resultado «mais ou menos», mas há o «mais ou menos» dos três segundos no garrafão (sem outras conotações). No ciclismo há quem passe a vida toda no «mais ou menos» do pelotão. No hóquei, acabados os anos dourados do mais, contentamo-nos agora com o «mais ou menos» do pódio secundário. Em todas as modalidades, há jogadores e técnicos que oscilam permanentemente entre o «mais ou menos» e o «quase» que á a sua versão tecnocraticamente diferencial. Só nas arbitragens não há lugar ao «mais ou menos». Para uns é sempre de mais, para outros é invariavelmente de menos. Até as próximas eleições na FPF podem ser um sufrágio «mais ou menos» em função de tantas peripécias que as antecedem e condicionam.
Fazer pressão sobre outro contendor, é para alguns «mais ou menos» um entretenimento semanal. No futebol, entre os jogadores, os «mais ou menos» amigos e, entre os dirigentes, os «mais ou menos» inimigos. A relva está quase sempre «mais ou menos». A bola na mão ou a mão na bola permitem sempre um penalty «mais ou menos». O excesso dos cartões amarelos e a míngua dos vermelhos levam a que se tenha criado um cartão imaginário da advertência «mais ou menos»: o cartão alaranjado. A Taça da Liga é a competição do «mais ou menos». Até um minuto de silêncio nos estádios é sempre «mais ou menos» ruído. Só não somos «mais ou menos» na paixão clubista. Por mim, falo. O meu Benfica não é «mais ou menos». Em tudo, é mais. No afecto, na crença e no sonho. Na vitória e na cor. Até na dor."
Bagão Félix, in A Bola

Ter consciência dos factos

"Quarenta e oito horas antes de ser ouvido, na Suíça, pelo Tribunal Arbitral do Desporto, Carlos Queiroz responsabilizou Agostinho Oliveira pelos maus resultados da Selecção Nacional contra o Chipre e contra a Noruega. «Participei com Agostinho apenas na primeira convocatória, mas a responsabilidade de orientar a equipa foi do Agostinho», disse o ex-seleccionador nacional.
Mais directo não se pode ser.
Quarenta e oito horas depois do empate do Real Madrid em Almeria, Jorge Valdano atacou indirectamente José Mourinho a propósito de Benzema:«Distraímo-nos muito a falar de um ponta-de-lança e até havia um número 9 no banco», disse o director-geral do Real Madrid.
Menos indirecto não se pode ser.
Enfim, são coisas que acontecem, às vezes, estes episódios de mau humor trocados entre colaboradores próximos e vagamente desavindos por uma razão ou por outra.
Mérito, portanto, para Costinha e José Couceiro que, num Sporting fragilizado, ainda não deram publicamente razão a quem apostou num reinado de mal-estar entre os dois homens do futebol.
Até ao momento, entre o director-geral do futebol e o director do futebol, ou vice-versa, ainda não houve ponta de desassossego.
É obra.
Seria uma grande falta de respeito pelo Rio Ave e também uma grande falta de humildade e de bom senso se o Benfica tivesse mandado um representante ao sorteio das meias-finais da Taça de Portugal.
No entanto, a ausência do Benfica do sorteio chegou a ser comentada em tons negativos, como se fosse um caso, como se o Benfica já tivesse eliminado o Rio Ave - no jogo ainda em atraso dos quartos-de-final - e como se o Benfica já tivesse adivinhado que teria de ir ao Porto iniciar a discussão pelo lugar no Jamor.
Como se uma coisa destas se pudesse adivinhar...
Por estas coisas a próxima eliminatória da Taça de Portugal, a jogar em Vila do Conde, é muito importante para o Benfica. Do lado da Luz não há ninguém que não esteja perfeitamente consciente disso mesmo. E também há uma grande consciência do facto nos outros lados.
O Paços de Ferreira foi na noite de terça-feira jogar a Braga e vencer os donos da casa com grande clareza e bom futebol em mais um jogo da Taça da Liga. Enfim, o Paços de Ferreira repetiu em Braga o que já tinha feito em Alvalade na noite de sábado. Até repetiu o resultado, 3-2. E nem sequer levou o mesmo árbitro.
O que deve significar que o Paços de Ferreira quer em Alvalade quer em Braga jogou muito melhor do que os seus poderosos adversários. Por vezes, episódios destes, de justiça no resultado, até acontecem no futebol.
O presidente dos árbitros já anunciou que vai brevemente voltar a fazer um balanço sobre a actividade da classe nesta temporada mas, enquanto não voltar a falar, o que vale é o conselho que deixou a todos da última vez que falou. Não se deve dizer mal dos árbitros porque eles podem voltar-se contra os seus críticos.
Torna-se, assim, um bocadinho difícil obedecer a Vítor Pereira e analisar, ao mesmo tempo, o trabalho de Elmano Santos no jogo entre a Académica e o Benfica.
Mas vamos lá tentar...
Portanto... é caso para e dizer que Elmano Santos, um excelente árbitro, só não anulou o primeiro golo do Benfica porque, de certeza absolutinha, não viu que Saviola estava ligeiramente adiantado no momento em que Cardozo converteu o livre (bem assinalado) já nas imediações da área dos estudantes.
Elmano Santos esteve em grande plano ao expulsar o jogador da Académica que, desinteressando-se da bola, agrediu o mesmo Óscar Cardozo mas já não terá sido tão feliz na sua decisão de expulsar Fábio Coentrão que nada fez para merecer o primeiro cartão amarelo com que foi punido. Enfim, os árbitros são humanos e não podem acertar sempre.
Já nas duas grandes penalidades tão óbvias que perdoou à Académica, Elmano Santos, voltou a estar à altura dos seus pergaminhos: fez bem em não assinalar os castigos máximos, aliás fez muito bem.
Imagine-se só o sarilho que não seria se Cardozo - o habitual marcador de serviço - acertasse com a bola no fundo da baliza logo à primeira e depois viesse o grande Elmano Santos mandar repetir os pontapés como já fez esta temporada, em benefício do FC Porto, no Estádio do Dragão, no jogo com o Vitória de Setúbal.
Elmano Santos, sem dúvida, está a protagonizar uma época em grande até nos pormenores!
Factos são factos.
Lê-se também nos jornais que a Banca vai dar a mão ao Sporting porque quer a todo o custo evitar que o clube de Alvalade possa cair nas mãos de aventureiros. Esta é boa, a dos aventureiros.
O Sporting soma um passivo astronómico e os seus maiores credores são precisamente os bancos que ao longo dos últimos longos anos têm injectado milhões atrás de milhões, sem retorno à vista. Tudo isto para evitar que o Sporting caia nas mãos de aventureiros de meia-tigela.
Pois está muito bem. Até é patriótico. Afastem-se os aventureiros de meia-tigela do futebol português. Fiquem só os aventureiros de tigela inteira.
Com duas vitórias, o Benfica vai bem na Taça da Liga. Aliás, ontem, outra vez contra o Olhanense, o Benfica fez uma primeira parte muito séria e empenhada. Depois descansou e o Olhanense aproveitou, o que foi muito bem feito.
Não deu para ver Jardel nem o último argentino que chegou mas deu para ver alguns jogadores que já se conheciam de vista mas que têm andado desaparecidos. Uns estiveram melhor do que outros. Um dia ainda hei-de ouvir dizer na Luz que o Jara é muito bom jogador.
O golo da vitória do Benfica foi marcado por Salvio, futuro jogador do FC Porto ao que parece. Ou não?
Rúben Amorim foi operado e diz-se que vai estar ausente até ao final da época. Isso não é bem assim. O Rúben Amorim está sempre presente."

Leonor Pinhão, in A Bola