Últimas indefectivações

sábado, 2 de outubro de 2010

Mais algumas conversas, com muita 'classe' !!!











O Totobola da opinião


""A Bola tem três cronistas portistas – o Francisco José Viegas, o Rui Moreira e eu próprio. E, fora os da casa, tem três benfiquistas: o RAP, o Sílvio Cervan e a Leonor Pinhão. Nós, os três portistas, todos aqui escrevemos que (apesar do túnel da verdade, de quase metade dos jogos terminados com superioridade numérica e tudo o resto), o campeonato do ano passado ganho pelo Benfica foi inteiramente justo, porque jogou o melhor futebol. (…) Mas alguém já viu algum dos cronistas benfiquistas reconhecer mérito (…) a uma vitória do FC Porto (…)?"
Miguel Sousa Tavares
28 de Setembro de 2010

"Durante muito tempo, achei (…) que, com túnel ou sem túnel, o Benfica merecia ganhar este campeonato, porque era a equipa que melhor jogava (…). Mas a verdade é que um campeonato não são 15, nem 20, nem 25 jornadas: são 30 e o saldo final deve-se fazer às 30. E, no último terço do campeonato, desapareceu aquele Benfica que jogava mais e melhor"
Miguel Sousa Tavares
11 de Maio de 2010


“O Fernando Guerra pode, pois, tomar nota desde já: dificilmente os portistas e os bracarenses irão reconhecer o mérito de um campeonato ganho pelo Benfica nestas circunstâncias"
Miguel Sousa Tavares
16 de Fevereiro de 2010

NÃO tenho outro remédio senão admitir que Miguel Sousa Tavares tem sempre razão. Ter sempre razão não é fácil, e MST consegue-o da maneira mais trabalhosa. MST não tem sempre razão por conseguir exprimir constantemente a opinião mais correcta, mas sim por exprimir uma grande variedade de opiniões sobre o mesmo assunto. Nisto das convicções, MST joga com múltiplas. Acerca do último campeonato, às segundas, quartas e sextas reconhece o mérito do Benfica; às terças, quintas e sábados assegura que o Benfica não teve mérito nenhum. Aos domingos, provavelmente, descansa a espinha dorsal, que deve chegar dorida ao fim-de-semana. No entanto, mais notável do que a capacidade para estar sempre certo é o talento para manter a mesma superioridade moral quando diz uma coisa e o seu rigoroso inverso. É muito raro uma trampolinice ser eticamente irrepreensível, mas para MST não há impossíveis. Nos dias em que garante que os portistas são os únicos que reconhecem o mérito dos adversários, MST tem a superioridade moral dos que aceitam a derrota com desportivismo; nos dias em que exige que fique registado que os portistas nunca reconhecerão o mérito dos adversários, tem a superioridade moral dos que não pactuam com fraudes.

Quanto a mim, é evidente que não possuo arcaboiço para competir neste campeonato de moralidade com MST – quer com o que tem a nobreza de reconhecer méritos, quer com o que tem a dignidade de não reconhecer méritos nenhuns. Só posso prometer que, se o presidente do Benfica for apanhado em escutas a indicar o caminho para sua casa a um árbitro nas vésperas de um jogo, a Leonor Pinhão, o Sílvio Cervan e eu viremos aqui escrever que esse tipo de conduta nos envergonha. E daremos razão a todos os adversários que não reconhecerem mérito a títulos conquistados à custa desse modelo de dirigismo desportivo. É pouco, mas é o que tenho para oferecer.

"Realmente, Luís Filipe Vieira e Ricardo Araújo Pereira têm razão: O Hulk é uma banalidade. Deve ser por isso que tão empenhadamente manobraram para o tirar de jogo"
Miguel Sousa Tavares
28 de Setembro de 2010


COMO se não fizesse já demasiado, MST ainda tem a simpatia de ser meu arquivista. E dos mais competentes: tanto colecciona o que vou dizendo, como também arquiva o que nunca disse. Na verdade, eu nunca disse que o Givanildo era banal. Posso ter tido o atrevimento de pensar, como o seleccionador do Brasil, que não é igualável. Talvez tenha a insolência de acreditar – como, aparentemente, a generalidade do mercado -, que não vale 100 milhões de euros. Mas, no que diz respeito a críticas, nunca fui tão violento como o vigilante Rui Moreira, que ainda há um ano escrevia: «Hulk (…) não sabe jogar de costas para a área (…). Além disso, parece ter entendido mal os recados do treinador e o mais que dele se viu foi que se entreteve a adornar as jogadas, a tentar ‘quaresmices’ e a simular faltas.» Nunca fui tão acintoso como o mesmo Rui Moreira, que dois meses depois acrescentou: «Gostei de ver Hulk sentado no banco. (…) talvez lhe devessem ter explicado que fora preterido por causa dos seus tiques e individualismo, das suas inócuas simulações. Talvez assim tivesse optado por uma outra atitude, logo que surgisse a oportunidade de jogar. Em vez disso, e como tem sido costume, Hulk foi de pequena utilidade quando entrou.» E nunca disse que, na época passada, as prestações do Givanildo estavam «a léguas do desempenho do ano anterior», como escreveu aqui MST escassos 40 dias antes de o jogador, talvez por causa do fraco desempenho futebolístico ter resolvido dedicar-se ao pugilismo.

Por outro lado, sou dolorosamente forçado a reconhecer que MST me desmascarou quando revela que, em concluio com o presidente do Benfica, eu «manobrei empenhadamente para tirar o Givanildo de jogo». Normalmente, as teorias da conspiração consistem em palermices mais ou menos lunáticas, sem qualquer sustentação em provas. Não é o caso desta. A pujança da minha influência no futebol português é bem conhecida. As conversas conspiratórias que mantenho com Luís Filipe Vieira estão amplamente documentadas no YouTube. MST e Rui Moreira ainda tentaram enganar-me, escrevendo várias vezes que o rendimento do Givanildo era pobre, para que eu fosse levado a pensar que o jogador não era assim tão fundamental na manobra da equipa do Porto, na época transacta. Mas a mim ninguém passa a perna, e fui precisamente o Givanildo que eu escolhi para tirar de jogo através das minhas maquinações. Confesso: o castigo do Givanildo foi ideia minha.

Por absoluta falta de espaço, deixo para a semana a confissão do meu envolvimento na morte do Kennedy."

Ricardo Araújo Pereira, in A Bola

Presidente inseguro

"Foi azar. Na semana em que Pinto da Costa, aludindo à conferência de imprensa de Vítor Pereira, veio dizer que nunca viu um responsável, seja do que for, censurar publicamente aqueles que dirige, José Mourinho – uma das mais reconhecidas autoridades do Mundo em matéria de liderança – criticou em público um dos seus jogadores. E para isso nem foi preciso que o jogador do Real Madrid em questão tivesse errado em quatro lances de golo iminente. Na realidade, Pedro León limitou-se a não seguir as instruções que lhe deram antes de um jogo. Um erro que, a bem da verdade, Olegário Benquerença nunca comete.

Mas voltando atrás, a infelicidade das declarações do presidente do FC Porto não me surpreendeu. Pessoalmente, nunca julguei que Pinto da Costa possuísse competências de liderança. Um líder deve confiar plenamente nas suas capacidades. Pinto da Costa, pelo contrário, é demasiado inseguro: contrata jogadores e treinadores que lhe parecem mais competentes, mas, à última da hora, não acredita nas escolhas que fez, e tenta resolver a coisa de outra forma. Um internauta que vá ao youtube, por exemplo, não encontra uma única conversa telefónica de ou para Pinto da Costa sobre atletas promissores ou treinadores talentosos. Talvez por isso muitos dos jogadores do FC Porto digam que assinaram em quatro ou cinco minutos – o presidente do clube deve, em seguida, ser libertado para tarefas mais decisivas.

De resto, fala-se muito nos valores de Pinto da Costa, mas o certo é que as escutas revelam um homem preocupado com o nosso planeta. Vê-se que está assustado com a pegada ecológica deixada pelos árbitros nas suas deslocações até aos estádios, quando repete várias vezes frases como “esse é de muito longe!”, ou “porque é que não pões um do Porto?”"

Miguel Góis, in Record

Imerecido !!!



É irritante ver uma equipa a trabalhar, e trabalhar, e trabalhar, para marcar um golinho, e depois os outros que defendem, defendem, defendem, fazem uns contra-ataques e marcam...!!!
Muito injusto...

Falta de 'pernas'...



Ao 4º dia, o 3º jogo!!! E ainda com viagem longa até à Ucrânia no inicio da próxima semana!!! Calendário nacional inapropriado para as competições Europeias...
O Heshimu não jogou, nem ontem, nem hoje...

Ganhar ritmo...



Primeiro troféu oficial da época (Troféu António Pratas), que serve essencialmente para ganhar mais algumas rotinas, preparando a decisiva deslocação à Ucrânia na próxima semana.
Jogo teoricamente fácil, que se complicou no ultimo período, depois de acabar o terceiro período com 10 pontos de vantagem, foi necessário um lançamento no último segundo do Sérgio para garantir a vitória!!! Aliás o regresso do Sérgio Ramos à competição é o principal destaque deste jogo...

"O senhor, na Funerária, vira à esquerda" ou como no GPS Dourado não há túneis

"O presidente do FC Porto disse esta semana que ao FC Porto «só falta o título dos túneis». É capaz de ter razão porque no caminho que levou o árbitro Augusto Duarte até sua casa, na Madalena, com as indicações preciosas e precisas que Pinto da Costa foi prestando ao condutor do veículo, qual GPS Dourado, nunca houve que passar em nenhum túnel.
Bendita seja a Madalena que não tem túneis, que alimentem suposições estéreis!
Mas se não tem túneis, pois tem rotundas. E por lá passaram. «Na rotunda, vem para baixo», disse.
E também tem edifício dos CTT. «Vai passar por uns correios» e «na rua larga vira à esquerda». Então tem correios e também tem uma rua larga e não tem sequer um mísero túnel?
E também passaram por outros lugares bem identificados pela voz monocórdica como convém ao GPS Dourado disponível no youtube para todos os automobilistas que não acreditem que não há túneis na Madalena.
«Tem uma escola do lado direito», «o senhor na Funerária, vira à esquerda», «vai passar nuns columbófilos», «vira à esquerda, sempre para baixo», «passa o Orfeão», «passa a Junta de Freguesia da Madalena», «a clínica dentária», «na rua larga vira à esquerda», «vai passar no Clube da Madalena», «tem uma tabuleta que diz Porto», «passa o estaleiro», «sempre para baixo, sempre para baixo», «tem uma seta que diz praia» até chegar «a uma casa iluminada» …
Incrível, não é? E nem um único túnel!
E, pronto, está explicada a razão que impediu o FC Porto de arrebatar o título dos túneis. Também não lhe faz falta nenhuma.
Eu, por exemplo, dispensaria bem o regozijo se visse o meu clube a ganhar o maldito campeonato das suposições estéreis numa enfiada de títulos, como o título da fruta, o título do café com leite, o título das viagens ao Brasil, o título do sprint de José Pratas, o título do marfim, o título do chefe da caixa, o título dos quinhentinhos…


O facto de não terem acontecido condenações no processo que ficou conhecido como Apito Dourado poderá explicar o actual regabofe no sector da arbitragem. É natural, é humana, e até pode ser subconsciente em alguns casos, esta pândega que não é mais do que a celebração do triunfo do estatuto de impunidade avalizado pelos tribunais civis.
E este, sendo o primeiro campeonato que se disputa depois do coro de absolvições de dirigentes e árbitros reputadamente promíscuos nas suas relações, não podia deixar de ser um campeonato muito, mas mesmo muito especial.
Pois se ninguém, foi de cana, o que era impensável, e nem uma simples irradiação desportiva emanou de tanta matéria de prova, como impedir este fartar de folia que tem vindo a marcar as primeiras jornadas da nossa Liga e que já obrigou o próprio Vítor Pereira, presidente do sector, a vir a terreiro meter os pés pelas mãos, que foi, precisamente, o que fez o árbitro Bruno Paixão, na ilha da Madeira, quando viu Rolando, o central portista, meter as mãos pelos pés na sua área?
Estes velhos protagonistas, dado que o tempo é de justificada descompressão judicial, dão-se a luxos que os põem a jeito das interpretações mais torpes.
Noticiada por um jornal generalista e até hoje ainda não desmentida por nenhum dos presentes, a madrugada de convívio de Bruno Paixão com Lourenço Pinto, presidente da Associação de Futebol do Porto, e com José António Pinto de Sousa, ex-presidente absolvido do Conselho de Arbitragem da FPF, no bar de um hotel de Lisboa, depois de consumada a discutida arbitragem de Paixão no Nacional - FC Porto, só poderá fazer adivinhar, além da bonomia geral, uma próxima homenagem pública da AF Porto a Bruno Paixão, na sequência de idêntico preito em oportuna hora prestado a Olegário Benquerença.
Lamentavelmente, nunca a opinião pública conhecerá o teor dos diálogos entre Bruno Paixão, Lourenço Pinto e Pinto de Sousa visto que os tempos da perseguição policial e das escutas ilegais estão mortos e enterrados e não é de crer que, estando todos juntos na mesma assoalhada, tenham falado pelo telemóvel uns com os outros.
É assim a vida. Se há conversas que ficam legitimamente entre quem as conversou, outras há que nascem para saltar para a praça pública com a naturalidade das coisas naturais.
Por exemplo, no sábado passado, Olegário Benquerença que ficou de fora do calendário desportivo do fim-de-semana por razões sanitárias, aproveitou a mais do que merecida folga para receber uma nova homenagem. Sim, porque não há maior homenagem do que o desafio de ensinar os mais jovens a trilhar os bons caminhos de uma profissão, de um mister, de uma carreira.
Olegário Benquerença, na sua qualidade de émulo, ou seja, de modelo a seguir, a igualar ou a superar, respondeu afirmativamente ao convite do Encontro Nacional do Árbitro Jovem, organizado em Rio Maior pela Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e foi dar uma lição a 60 árbitros com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos.
Como seria de esperar numa iniciativa pedagógica do género, as incidências do seu trabalho no último Vitória de Guimarães - Benfica mereceram a curiosidade da juvenil plateia de educandos que questionaram o educador sobre as sequelas desse seu estrondoso sucesso. O mestre, num incentivo claro à formação de herdeiros que não temam protestos de ninguém, respondeu: «Esta capacidade só está ao alcance de meia dúzia de predestinados. Não tenho dúvidas de que todos vocês gostariam de ser atacados como eu e os outros colegas porque isso significa que chegaram ao patamar mediático.»
Anda um pai a mandar o filho à escola (de árbitros) para isto.


O próximo Benfica - Braga promete. Mais do que em função do campeonato português, em função dos dois respectivos estampanços europeus desta semana. É verdade que o resultado do Benfica foi menos mau do que o do Sporting de Braga. Mas também é verdade que o Braga vai chegar à Luz com um dia a mais de descanso do que o Benfica. E estas coisas têm a sua importância. O Sporting que, por exemplo, lamentou ter dado tantos dias de descanso ao Benfica antes do derby, vai agora jogar a Aveiro contra o Beira-Mar que tem quase mais uma semana de descanso do que os leões. São as contas..."
Leonor Pinhão, in A Bola
PS: A noticia publicada no Correio da Manha, sobre o 'encontro' de Bruno Paixão, com Lourenço Pinto, e Pinto de Sousa foi entretanto desmentida por Bruno Paixão. A publicação de noticias falsas por parte do Correio da Manha não me surpreende, mas este desmentido não me convence!!! 'Cheira-me' a ameaça de levar o assunto para tribunal, e o jornal não ter os 'tomates' para acreditar na fonte!!!

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Com quantos Olegários se faz um Villas Boas???

"Há um curiosíssimo conto de Luiz Pacheco que tem um sonâmbulo como personagem principal. Escritor de profissão, levanta-se de noite nos mais profundo dos sonos, retira um livro da estante e senta-se à máquina de escrever, copiando diligentemente parágrafo a parágrafo. Pelas manhãs, quando acorda, vê as resmas de papel que encheu durante a noite com prosa da melhor e pensa para consigo: ' Sou um génio!'
Da mesma forma funciona o Mourinho de pacotilha que o FC Porto foi buscar às Ilhas Virgens Britânicas (onde parece ter feito uma extraordinária inovação com a introdução de cocos do mar nos lances de bola parada) que se julga um génio no final de cada jogo, ignorando o solícito trabalho de quem lhe escreve o livro das vitórias e dos pontos conquistados à custa de penáltis marcados e por marcar neste campeonato trapalhão e insalubre, que poderá muito bem ganhar e epíteto de 'Campeonato do Olegário'.
É tão ridículo o fungagá da criatura que se sujeitou ao grotesco de se abraçar alegremente a Domingos depois da vitória da sua equipa (com mais um penálti perdoado no último minuto) como se a palhaçada fosse estendível a toda a gente e, sobretudo, aos adversários que têm de sofrer tais esbulhos.
Mas, em Portugal, o ridículo não mata. Nem empáfia. Tanto assim que esse inacreditável representante da classe que não se deixa governar, e que dá pelo nome já de si ridículo de Olegário Benquerença, se deu ao luxo de levantar a possibilidade de calar a crítica à bofetada.
Que sina a nossa, em ter que aturar tais figurões. Um em estágio para ser chutado para um Málaga qualquer depois de ganhar um ou dois daqueles campeonatos que Alex Fergunson intitula, com humor britânico, de «comprados no supermercado» (até já há quem se esqueça que Mourinho foi o grande Campeão do 'Apito Dourado'...); o outro sempre disponível para a submissão, seja para não ver bolas que entrem dois metros para lá da linha de golo seja para carregar ao colo o tal de amigo Mourinho até à final dos Campeões. Ah! E como é bem paga a incompetência... Pelo meio das bofetadas, Olegário que nos diga quanto ganhou no Mundial. E é assim que os árbitros 'amiguinhos' chegam todos a internacionais. O problema é que enquanto estes sonâmbulos dormem o sono profundo da sua própria mediocridade, os titeiros que lhes puxam os cordões estão bem acordados."

Afonso de Melo, in O Benfica

Desonestidade e intelecto

"Sousa Tavares algo Miguel, não tem vergonha, nem honestidade intelectual. Para este 'arauto'(?) do Estado de Direito, a ambiguidade e incoerência vivem alegremente de mãos dadas, como o seu clube vive com o guarda Abel, a 'fruta', os 'quinhentinhos', as viagens pagas ao dissimulado José Amorim ou José Pratas, correndo à frente de impunes jogadores. Jornalistas agredidos nas Antas, um consultório matrimonial, para árbitros e familiares dos mesmos, 'montado' em casa do presidente da agremiação, com o Kit GPS para árbitros e empresários, (sempre em frente), os tratamentos por 'Engenheiro Máximo', 'Gerente de Caixa', à vista de todos no YouTube, menos para os imparciais tribunais, do Porto e Gondomar, e o ST algo Miguel.
Tribunais com gente como Lúcio Barbosa, a quem V. Loureiro congratulou-se por estar no lugar capaz de ilibar os arguidos do 'Apito Dourado', ou Mortágua o tal que disse: 'Quinhentos contos é muito barato para corromper um árbitro', mas faz parte do tribunal de recurso da UEFA, onde o FC Porto conseguiu evitar as sanções desportivas pela acção desta criatura. Todos do FCP. alguns fizeram parte da direcção. Isto sim, gente impoluta.
Para este 'arauto' as escutas não valem e não ser as do Freeport. Desonestidade intelectual.
A ex-putativa candidata a cônjuge de Pinto da Costa teve credibilidade para viver com o credível presidente, seis anos. Falta de inteligência deste, pois o 'imparcial' tribunal, composto por amigos, conseguiu em muito menos tempo descobrir que se tratava, afinal, de uma ex-rameira.
E se a minha amiga, Filomena Morais resolver escrever um livro?"

António Melo, in O Benfica

Objectivamente

"Já dá vómitos a conversa do fanático portista Tavares com a «teoria Hulk» - esse grande génio do futebol - que segundo o porta-voz do PC foi arredado da competição pelo Benfica e por Luís Filipe Vieira, numa conspiração feita a preceito com a ajuda do sr. dr. juiz Ricardo Costa que abandonou a emporcalhada justiça do futebol português a tempo, não fosse o lobby portista mandá-lo prender por fazer cumprir a lei anti-corruptos e vigaristas!
Na realidade torna-se impossível a algum benfiquista suportar os ataques constantes deste miserável cronista que quando não lhe convém, diz o pior da Justiça portuguesa, mas quando lhe agradam as decisões que limpam os crimes cometidos pelos homens do 'Apito Dourado' que ajudaram o seu clube a ganhar tantos títulos imerecidos acha que a Justiça é célere e séria... Para este sujeito as centenas de escutas telefónicas onde se ouve toda esta pandilha a combinar resultados, a manipular influências, a afastar pessoas sérias de decisões, a nomear e a desnomear árbitros, etc, etc, não servem para nada. Isto é tudo mentira, é tudo ficção! A verdade é a teoria dele que defende a escusa dos tribunais em utilizarem as escutas como prova. Aliás, a única possível para punir corruptos e vigaristas! Ninguém está a imaginar nenhum corrupto confessar por sua livre vontade os actos que cometeu. E é por causa desta situação, que foi adaptada à medida para safar esta gente, e outros, com crimes tão ou mais perversos que estes, com 19(!!!) revisões do Código de Processo Penal e do Código Penal nos últimos anos, que vivemos de novo com esta situação de um FC Porto invencível. É claro que sim. No primeiro jogo da Liga com a Naval ganharam com um penalty que não foi. Nos jogos com o Rio Ave e com o Nacional tiveram o caminho aberto com ajudas que já não viam desde do tempo do José Silvano e José Guimaro. Enquanto isto o Benfica era roubado em Guimarães e na Luz com a Académica. São 9 pontos de distância porque não podem ser mais.
É assim que o Tavares gosta! Os árbitros a levarem o FCP ao colo e o seu genial Hulk a poder bater em tudo o que mexe nos túneis sem ser castigado pelos seus Conselhos de Disciplina e Justiça. Assim até o Clube da Foz é campeão nacional! Aliás, eles é que ainda não lembraram disso..."

João Diogo, in O Benfica

República

"A mudança da Monarquia para a República, no campeonato de Lisboa de futebol, significou a deslocação da liderança do Carcavelos para o Benfica. Com cinco aninhos de idade, no ano da República, o 'Glorioso' conquistou o seu primeiro título na Associação de Futebol de Lisboa. Vencedor crónico, o Carcavelos não resistiu à ultrapassagem e desistiu do campeonato. E a primeira década da República - cujo centenário agora se comemora - é a primeira década de Glória do Glorioso Benfica.
Na década entre 1910 e 1920, o Benfica venceu sete dos dez campeonatos de Lisboa. Eram os tempos de Cosme Damião, treinador, centro-campista e capitão do Benfica nos primeiros cinco anos da década, simplesmente treinador até ao final dos primeiros dez anos da República. O clube destinado a ser Glorioso jogou no emprestado campo da Feiteira, em Palhavã e em Benfica nos primeiros dez anos da República.
Disputando, em casa e fora, um total de 86 jogos, o Benfica venceu 70, marcando uma média de quatro golos por encontro e sofrendo uma média de meio golo por desafio!
O que aconteceu ao futebol, com a implantação da República, foi a passagem do testemunho do aristocrático e very british Carcavelos para o popular e Lisboeta Benfica, clube com nome escrito e prenunciado com uma letra no final. Aliás, o futebol era uma prática das elites, associadas no Carcavelos, no Internacional, no Sporting, até que o Benfica implantou a República no reino da bola. Nunca mais nada foi como dantes. E agora, no centenário da República o Benfica ostenta a faixa de campeão e tem no seu historial mais títulos e troféus que qualquer outro clube."
João Paulo Guerra, in O Benfica

Em nome da verdade

"A Benfica TV tem vindo a fazer serviço público benfiquista desde que as emissões regulares tiverem início, a 10 de Dezembro de 2008. E neste contributo ímpar para a reposição da verdade e para a defesa sustentada desta instituição centenária, há um programa que merece o aplauso e o agradecimento de sócios, adeptos convictos e simpatizantes do SLB. Arrisco-me a dizer que com ele a especulação se metamorfizou em certeza, tendo por base processos judiciais e revelações mantidas secretas durante demasiado tempo. Numa área onde se silenciavam inúmeras verdades importantes para nós, este programa permitiu descobrir e evidenciar figuras de conduta duvidosa que se tornaram felizmente merecedoras de crítica factual e bem fundamentada.
Falo-vos do “45 Minutos”, verdadeiro documento histórico capaz de nos esclarecer de forma inabalável. Este título da Benfica TV terá a sua frequência semanal interrompida a 4 de Outubro. As escutas do processo “Apito Dourado” e as evocações de casos internacionais, como por exemplo o Calcio Caos abasteceram horas e horas de conteúdo surpreendente até para os benfiquistas mais atentos e interessados na investigação criminal e futebolística. António Pragal Colaço, Pedro Guerra e Afonso Melo foram os protagonistas do “45 Minutos”, que mais cedo ou mais tarde virá a ser repetido na íntegra, desde o seu primeiro episódio, na antena do canal do Estádio da Luz.
Esta coluna do Jornal permite-me homenagear quem jamais deixará de defender o Clube, algumas vezes até com prejuízo para a vida particular e sabendo que ganhou o estatuto de impopular entre os seguidores dos nossos adversários. O António, o Pedro e o Afonso souberam e sabem colocar o Sport Lisboa e Benfica acima dos seus interesses e ambições, souberam e sabem igualmente que a Benfica TV continuará a contar com o seu precioso contributo. Porque é em nome da verdade, porque é em nome do SLB e de todos quantos o enaltecem e defendem."
Ricardo Palacin, in O Benfica

Discurso de Luís Filipe Vieira na AG Ordinária

“Permitam-me que comece esta minha intervenção dando conta de uma obra que está a ser realizada junto à porta 18 – cuja conclusão está prevista para as próximas semanas – e que é, para esta Direcção, motivo de grande satisfação.

Como todos sabem, para mim uma promessa é uma dívida, e havia uma promessa antiga que por diversas razões ainda não tinha sido possível cumprir até aqui. Felizmente, chegou o tempo de saldar essa divida, que é uma divida de gratidão.
Dentro de poucos dias será erguido o ‘mural’ com os nomes de todos os sócios ‘fundadores’ do novo estádio.

Sócios que, num momento difícil da nossa vida associativa, ajudaram o Sport Lisboa e Benfica a construir a sua ‘nova’ casa.


Sócios que num momento em que era necessário recuperar a nossa auto-estima, disseram presente!

Sócios que ajudaram financeiramente a erguer o estádio de que hoje todos nos orgulhamos.

Sempre fui agradecido a quem me ajudou na minha vida! Como presidente do Benfica a minha postura não podia ser diferente!

Este mural representa o nosso obrigado a todos esses sócios que num momento de incerteza nos ajudaram a escolher o caminho do crescimento e da modernização!

Obrigado a todos!!

Continuamos a viver, economicamente, tempos difíceis, o que nos obrigou a enfrentar novos desafios, definindo uma estratégia clara que nos permitiu chegar onde chegamos. Temos vindo a saber encontrar o bom caminho nos momentos mais difíceis.

Conseguimos melhorar em muitos capítulos, sem nunca desistir do rigor nas nossas contas. Não é um exercício fácil, mas é necessário se pretendemos manter o Clube no patamar onde ele chegou.

Como poderão ver no relatório que vos foi entregue, o Clube obteve um lucro de 2,4 milhões de euros, mas a vida do Clube vai muito para além dos seus mapas contabilísticos. É evidente que compete-nos gerir com prudência, principalmente em função da degradação económica que vivemos, mas continuam a ser os êxitos desportivos que orientam a nossa acção diária.

Como sempre foi assumido por esta Direcção, os sócios vão continuar a estar no centro da nossa estratégia de desenvolvimento, sem eles nada disto faz sentido. Mas é, igualmente, importante que se mantenha a dinâmica de crescimento do número de associados. Os 300 mil é a próxima meta, atingi-la é responsabilidade de todos e a melhor manifestação da nossa vitalidade e do nosso dinamismo.

A responsabilidade de continuar a fazer o Benfica crescer não é apenas da Direcção – desta ou de qualquer outra. É responsabilidade de todos os sócios, é responsabilidade de todos os adeptos.
Este deve ser o tempo em que todos aqueles que ainda não são sócios devem formalizar a sua relação com o Clube. Quanto maior for a nossa força mais fácil será enfrentar as dificuldades que se avizinham.

No que se refere às modalidades a nossa aposta mantêm-se com o reforço de todas as equipas, mas com a certeza da necessidade de alcançar resultados equilibrados. O nosso propósito é que todas as modalidades tenham a capacidade de lutar por todos os títulos em discussão.

Podemos não os ganhar todos, mas temos a obrigação de estar em todas as finais. É essa a responsabilidade que os nossos técnicos sabem que têm, é essa a meta que deve ser partilhada por todos os nossos atletas!

Permitam-me que saúde aqui a nossa equipa de hóquei em patins que conquistou de forma tão brilhante, no passado domingo, a Supertaça, algo que já não acontecia desde 2001. Esta deve ser a regra e não a excepção!

Essa é, pelo menos, a minha ambição!

No que toca a outra das promessas eleitorais da actual Direcção, o Museu continua a ser um dos objectivos do presente mandato, por tudo quanto ele representa para a preservação da nossa memória, mas principalmente no que ele representa a nível do legado que queremos deixar as gerações futuras.

Temos essa responsabilidade e essa obrigação e posso-vos garantir que eu estou empenhado em deixar – neste estádio – um Museu que orgulhe todos os Benfiquistas!

O nosso Clube também é a nossa história, e o nosso Museu deverá ser lugar de memória, de identidade, de renovação!

Quanto aos nossos meios internos, além da reformulação do Jornal do Benfica, do desenvolvimento e da internacionalização da Benfica TV, continuamos apostados em defender de forma intransigente os valores dos nossos direitos audiovisuais.
Dentro de poucas semanas vamos concluir algumas parcerias que vão permitir à Benfica TV chegar a mais uma série de países, algo que me deixa naturalmente satisfeito, tendo em conta não apenas a juventude do projecto, mas sobretudo a sua importância estratégica na afirmação dos valores universalistas do Sport Lisboa e Benfica.

Finalmente, uma palavra para as Casas do Benfica. A sua dinamização e a uniformização de toda a rede contínua a ser uma prioridade, por tudo quanto representam a nível da expansão e da defesa do Clube.

Se quiserem assumir a sua tarefa – e estou convencido que querem – as Casas serão fundamentais para o crescimento e consolidação do Benfica.

O nosso caminho vai continuar a ser feito de grande determinação, de muita inovação na acção e de absoluto rigor na gestão!”

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Vírus da nojeira alastra !!!

Ontem na curta cronica que fiz ao jogo não falei deliberadamente da arbitragem. Apesar de ter detectado erros, achei que a derrota deveu-se essencialmente a erros próprios. Mas esta manhã ao ler a cronica do jogo no jornal A Bola fiquei irado!!!
Passou a ser habitual nas últimas épocas, colocar na ultima pagina dedicada a cada jogo algumas fotos retiradas das transmissões televisivas, com os 'casos' de cada partida. Cada foto tem uma pequena legenda, onde normalmente se faz um juízo sobre a decisão do árbitro. Esta analise é feita na redacção, e não pelo jornaleiro destacado no Estádio. Curiosamente no Rascord, este trabalho é assinado, na Bola isso já não acontece.
Tenho reparado que esta época, na Bola, o nível destes juízos televisivos tem baixado imensamente. Tanto na avaliação de cada lance exposto, como inclusive na escolha dos lances. Até agora deixei 'passar', mas hoje aquilo que está lá escrito passou os limites do tolerável.


Colocaram 4 fotos de outras tantos lances 'duvidosos', e em 3 dessas analises 'espalham-se ao comprido'(!!!):



-Aos 17 minutos dizem que foi mal anulado um golo ao Schalke!!! E mostram a foto onde supostamente se prova o erro. O problema é que o fora-de-jogo que foi marcado aconteceu, vários segundos antes, no primeiro cruzamento que foi executado, onde as imagens provaram estarem 5 jogadores do Schalke em fora-de-jogo!!! Repito 5 jogadores em fora-de-jogo!!! Por acaso o Farfan até não estava fora-de-jogo, mas o cruzamento é efectuado para a zona onde estão os seus companheiros em posição irregular, portanto compreende-se o fora-de-jogo posicional que foi marcado. Pode-se discutir o critério, mas durante o resto do jogo os fiscais-de-linha tiveram sempre o mesmo critério, recordo um lance onde Luisão 'cortou' um passe para o Huntelaar, a bola foi para o David que estava 'apertado' por um adversário, e o árbitro sem o Huntelaar ter tocado na bola marcou fora-de-jogo. Agora a escolha da foto para ilustrar este lance por parte da redacção da Bola é no mínimo uma desonestidade intelectual, até porque na foto pode-se ver o fiscal-de-linha com a bandeira levantada, vários metros atrás da linha da bola.


-26 minutos, o Peixoto dá um pontapé no pé do Metzelder. Fiquei imediatamente com a ideia que tinha sido penalty. Um lance igualzinho à falta que o Javi sofreu no jogo com a Académica. Mas curiosamente na foto que a Bola mostra, ficamos quase com a certeza absoluta que falta foi cometida fora da área. E não é que o avençado que escreveu a legenda, mesmo com a foto à frente dos 'cornos', diz que a falta foi dentro da área!!! Só por esta merecia um bom enxerto de porrada!!!


-47 minutos, Sálvio é travado em falta pelo Metzelder. Esta falta foi óbvia, fiquei com a certeza que tinha sido penalty, mesmo sem a repetição, a única dúvida podia ser o local exacto onde a falta foi cometida. Mais uma vez a Bola colocou a foto, que demonstra claramente a falta a ser cometida dentro da área. E não é que o paneleiro do avençado, desta vez escreveu na legenda, que a falta foi cometida fora da área!!! Vergonhoso...

Se calhar a responsabilidade por estes 3 actos Premeditadamente Mentirosos, foi da redacção de Palermo da Bola, se calhar alguém na Bola acha que devido às acusações de serem um jornal ligado ao Benfica devem nestes casos ter opiniões Anti-Benfiquistas, para inverterem a imagem que têm!!! Sinceramente não sei, nem me interessa. As alarvidades ditas nesta cronica são tão graves, tão disparatadas, tão facilmente desmascaradas, bastando olhar com olhos de ver para as próprias fotos da Bola, que merecem um Comunicado do Benfica.


Isto tudo num jogo, onde pelas minhas contas ficaram pelo menos 4 livres frontais junto da área Alemã, onde o central Grego aprendiz do Bruto Alves ficou impune, onde um 'sopro' do Saviola foi suficiente para o árbitro marcar falta, quando o Conejo ficava isolado, onde o David (apesar da 'branca') no lance do segundo golo do Schalke sofre um empurrãozinho do Raul, e onde ficou um fora-de-jogo muito mal marcado numa jogada com o Saviola e o Coentrão. Um jornal Português, supostamente Benfiquista, numa competição Europeia (onde é normal com outras equipas existir um proteccionismo doentio em relação às analises das arbitragens), num jogo onde o principal erro foi a não marcação de um penalty sobre o Sávio com o resultado na altura a registar um empate a zeros, transforma tudo isto por artes de alquimia, numa arbitragem repleta de erros onde o Benfica terá sido supostamente 'super beneficiado', com golos mal anulados ao adversário, penalty's por marcar, etc...

SIMPLESMENTE VERGONHOSO, A BOLA A BAIXAR O NÍVEL, PARA SE APROXIMAR DO NOJO, E DO RASCORD...!!!
adenda: Acrescentei as respectivas fotos, a qualidade não é a melhor, mas a minha maquina não é grande coisa!!! Com pouca luz, sem tripé, praticamente sem bateria, e com um fotografo azelha!!! Mas como se costuma dizer uma imagem vale mil palavras. Se clicarem em cima das fotos são capazes de ver melhor!!!

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

...e o 'borrego' escapou, outra vez!!!




Jogo equilibrado, que foi decidido por dois erros individuais. Apesar de tudo o prejuízo maior para o Benfica após este jogo, poderá ser a lesão do Cardozo...!!!

Regresso amargo !!!


Heshimu(19), Henry(15), Tavares(14), Jordão(13), Reed(11), Elvis(11), Jenkis(8), Minhava(8), Mascarenhas(6), Eky

Jogo muito complicado, e passagem na eliminatória comprometida. Os Ucranianos estão mais rodados, o Benfica fez o seu primeiro jogo oficial da época, e isso notou-se muito nos primeiros minutos. Muitos Turnovers, quase todos estúpidos, nem sequer foi devido à agressividade dos adversários. Na minha opinião temos um plantel com mais opções, mesmo com as ausências do Sérgio e do Carreira. Mas nota-se claramente falta de ritmo, principalmente nos jogadores 'grandes'. Eles dependem muito do base e do Burns, têm bons lançadores exteriores, que aproveitam bem os 'dois para um' nas estrelas da companhia. Valeu a atitude, e o 'mau perder' dos nossos jogadores, para não sairmos derrotados do jogo, já que as 'coisas' não estavam a sair bem...

Não vi a parte final do jogo, mas no 2º período do António Tavares foi magnifico, para mim merece ser o principal destaque do Benfica, o nosso capitão esteve muito bem....

O segundo jogo vai ser muito difícil, além da viagem, e do ambiente, nestas deslocações ao Leste as arbitragens costumam complicar!!! Não acredito que na Ucrânia sejam marcadas as faltas que foram hoje marcadas aos nossos jogadores 'grandes' junto do cesto, condicionando muito a rotação da nossa equipa.


Este é o primeiro post sobre o Basket nesta nova época, assim aproveito para fazer um pequeno balanço. Um pouco contra a corrente sou da opinião que o plantel não está equilibrado, acho que falta um lançador exterior, para substituir o João Santos. Os reforços foram na maioria para o jogo interior, acho que perdemos poder de 'fogo' nos 3 pontos. Especulo que tenha sido uma opção, a pensar principalmente na Europa, mas com esta pré-eliminatória prematura, que inicialmente não estava prevista(nas últimas épocas não tem havido pré-eliminatórias, devido ao numero reduzido de equipas que se inscrevem nas competições), podemos ficar fora da Europa relativamente cedo.


Uma nota final para o vergonhoso desempenho da Selecção Nacional este Verão. A incompetência do Seleccionador foi demasiado evidente, tudo isto teria sido evitável, se a Federação não tivesse permitido que um treinador de Clube, fosse Seleccionador ao mesmo tempo. Ainda por cima o Minhava, o Jordão, e o Heshimu foram obrigados a participar nesta palhaçada, só espero que não se ressintam lá para o meio da época...!!!

A Ilustração da Roubalheira !!!

Mais um excelente trabalho do Luís Fialho, no Vedeta da Bola. A perfeita ilustração da Roubalheira. O mais engraçado é quando juntamos todos os dados estatísticos, aí as coisas começam a fazer sentido!!! Contabilizando as faltas e os cartões até à 5ª jornada, somos a equipa com uma percentagem maior de cartões por falta!!! (como demonstra o quadro em baixo feito pelo 11 encarnado) E o mais curioso é que apesar do Benfica ser praticamente sempre a equipa com mais cartões do jogo, somos a equipa com mais faltas sofridas (e estou a contar só com as que são marcadas), como o Mão de Vata analisou neste post!!!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Surreal (ou talvez não!!!)


O resultado estava em 19-25, o São Bernardo marcou um golo, e o resultado manteve-se em 19-25!!!
Estranho?!!!
Não, a equipa beneficiada foi a Fruta Putedo e Corrupção!!!
O resultado final da partida foi 33-34 para os Corruptos!!!
Apesar da responsabilidade principal ter sido da Mesa, não me surpreende que a dupla de arbitragem tivesse sido os Irmãos Martins, aqueles que têm um tremendo 'azar' sempre que apitam o Benfica!!! Prejudicando reiteradamente o Benfica...



Consequência natural disto tudo?!!!
NADA !!! O São Bernardo não protesta, a Federação demite-se das suas responsabilidades, e a classificação do Campeonato a partir deste momento é MENTIROSA...!!!

O atletismo do FC Porto

"O FC Porto resolveu suspender a sua secção de atletismo, dispensando a sua quase centena de atletas, devido à nova regulamentação que limita a participação de (alguns) atletas estrangeiros nos campeonatos nacionais de clubes. Vejamos:

1.º) O FC Porto ganhou os Nacionais de pista coberta e ar livre, interrompendo longas séries de triunfos do Sporting. No entanto, no campeonato de ar livre, por exemplo, utilizou oito atletas estrangeiras em 13 das 19 provas individuais. Atletas que, com uma excepção, se deslocaram naquele fim-de-semana unicamente para participar no campeonato (no atletismo, ao contrário da generalidades das modalidades, a competição realiza-se em apenas duas jornadas, sábado e domingo).

2.º) Pagar um fim-de-semana de provas a atletas estrangeiros sai muitíssimo mais barato que pagar mensalmente um subsídio a atletas nacionais.

3.º) Há muito se sabia da intenção da Federação em modificar o regulamento, de forma a evitar estas situações (Record deu conta disso) e a Assembleia Geral federativa decorreu em 24 de Julho, quase dois meses antes do início do período de transferências.

4.º) Os atletas estrangeiros (no máximo de dois por equipa), quaisquer que eles sejam, desde que residam em Portugal há pelo menos dois anos, continuam a poder participar nos campeonatos de clubes.

5.º) A Federação limitou-se (e bem) a defender os atletas portugueses e a verdade da competição. É verdade que o Sporting tem um orçamento no atletismo ao qual os outros não podem (não querem) chegar. Tal como o FC Porto (ao longo dos anos) e agora também o Benfica têm um orçamento no futebol inatingível pelo Sporting e por todos os outros. E ninguém deixa de competir por isso…

6.º) É pena que o FC Porto deixe o atletismo. Tinha uma promissora equipa júnior masculina, campeã nacional em 2009 e vice-campeã em 2010, em compita com o Benfica. E o orçamento do Sporting, que este ano já baixou, irá baixar ainda mais nos próximos…"
Arons de Carvalho, in Record
Existem algumas Federações desportivas em Portugal que se demitem das suas responsabilidades públicas: A defesa do interesse público, e a defesa da verdade desportiva. Felizmente existem excepções. É perfeitamente natural que o Clube mais Corrupto de Portugal não se identifique com os princípios básicos da convivência desportiva, a suspensão da secção de Atletismo do FC Porto é por isso, perfeitamente natural...
Para os mais distraídos não é o Benfica, o principal beneficiado desta decisão...

Xistra amarelo

1. Convicente triunfo sobre o Sporting, que poderia ter saído so nosso Estádio com uma derrota ainda mais larga, face às oportunidades desperdiçadas. Mas o importante foi a vitória e a demonstração de nítida melhoria na condição da equipa, mais próxima do rendimento da época passada. O objectivo, agora, é ir ganhando jogo a jogo, de forma a recuperar o atraso que algumas lamentáveis arbitragens nos impuseram. Desta vez, felizmente, não houve casos. Mas o árbitro Xistra, na linha de Machado, Proença, e Benquerença, andou sempre com o 'amarelo' na mão, pronto a punir os nossos jogadores, algumas vezes com razão, várias outras sem ela. À conta de amarelos mal mostrados, estaremos dentro de poucas jornaedas com várias baixas.Para além de já termos actuado ao longo de muitos minutos com jogadores condicionados. Neste aspecto, voltámos a ter razões de queixa.

2. Ao longo da semana, ouvimos a conversa habitual: 'Quando perdem, desculpam-se com a arbitragem e atacam os árbitros.' Pode colocar-se em causa, no comunicado dos Órgãos Sociais, o facto de se ter 'disparado' em várias direcções, numa altura em que o maior prejuízo vinha das arbitragens. Mas é inegável que o Benfica tem sido neste campeoanto muito prejudicado. E que ao longo de muitos e muitos anos - as escutas recentes, como as facturas das viagens ao Brasil e os 'quinhentinhos' das décadas passadas comprovam-no à evidência - houve um clube que comprou os árbitros e ganhou muito à conta disso. Além disso, as pessoas que subornaram continuam nos mesmos lugares, como se nada de mal tivessem feito. Será que teremos que continuar a 'comer e calar'? Ou, para sermos campeões, teremos que jogar sempre para ganhar por três ou quatro golos para no fim vencermos por um ou dois?

3. O treinador de basquetebol do FC Porto foi há cerca de um ano investido no cargo de seleccionador nacional, perante a reprovação geral. Um ano após, a Federação reconheceu que não devia ocupar estes dois cargos em simultâneo e dispensou-o. Mais vale tarde... que nunca, mas não havia necessidade de fazer a experiência...

Arons de Carvalho, in O Benfica

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

NeoBlanc 6

Tabela Anti-NeoBlanc:

Benfica......... 9 (-9)... 18
Corruptos..... 18 (+7)... 11
Braga............ 11 (+1)... 10
Sporting........ 8 (+3)... 5



A Lei continua a ser cumprida: Nenhum penalty será marcado a favor do Benfica!!! O fanatismo que esta recomendação é seguida leva-me a pensar que estamos perante o 11º Mandamento que Deus enviou a Moisés, o 'Mandamento Escondido' finalmente foi revelado...!!!

O Capela já o ano passado no Benfica-Leixões deixou 'passar' algumas penalidades, mesmo assim deu para golear (vá lá, expulsou um 'Bebé' ainda na primeira parte!!!). Desta vez apesar do desperdício industrial do nosso ataque, ganhámos por um...

Já tenho poucos adjectivos para qualificar o trabalho dos Ladrões, sendo assim chamo a atenção para o trabalho dos cumentadeiros de serviço. Curiosamente este fim-de-semana além da TVI, ainda tivemos que aturar os avençados da Sporttv no Hóquei, e os jornaleiros da RTP no Andebol!!! Como já escrevi, estou perfeitamente convencido que a Benfica TV é o canal menos comprometido clubistamente em Portugal!!! Apesar da Benfica TV ser um canal de Clube, são os outros canais que demonstram um maior fanatismo na sua linha editorial!!! Não estou a exagerar, o anti-Benfiquismo parece ser condição essencial para comentar jogos do Benfica, em qualquer modalidade...!!!
Oiçam o próximo video. O narrador apesar de anti-Benfiquista até faz um trabalho profissional, agora o Pedro Henriques a dizer que o Roberto foi feliz não deixa de ser 'engraçado'!!! (já agora o Javier 'berbequim' Saviola, é uma 'tirada' extraordinária do repórter de campo!!!)


Vou transcrever parte de um post do Master Groove, sobre a nojeira que se passou na TVI durante o jogo da Madeira, onde a dualidade de critérios por parte dos Avençados foi evidente:

"Minuto 34, Maxi faz um passe para Saviola este finta um defesa do Marítimo corre para dentro da área e após nova finta sobre outro defesa, é rasteirado, claramente.

Valdemar DuarteSaviola vai para o golo, pode marcar, faz a finta e…Saviola vai ao chão e João Capela manda seguir.
1.ª Repetição:
Valdemar Duarte: Revemos o lance
2.ª Repetição:
Valdemar Duarte: Dá mais a ideia de escorregar
3.ª Repetição:
Valdemar Duarte: Há um toque, há mesmo um toque, sem dúvida que é grande penalidade e que ficou por marcar.
1ª tentativa de desculpar o erro:
João Manha: sim dá para ver nesta repetição, mas acho que do lado do auxiliar é difícil ajuizar
4.ª Repetição:
Valdemar Duarte: Não deixa dúvidas a ninguém. Penalty por marcar sobre Saviola
2ª tentativa de desculpar o erro:
Comentador de Campo: João Capela olhou para o seu auxiliar mas este disse claramente que não é grande penalidade.
3ª tentativa de desculpar o erro:
João Manha: sim o árbitro dividiu a decisão com o seu auxiliar. Mas sejamos honestos, eu do lado onde estou não tive a certeza. Pareceu-me mas o árbitro estava muito perto do lance.

4ª tentativa de desculpar o erro:
Valdemar Duarte: É um facto uma vez que só na última repetição é que dá para confirmar que há falta. Nas repetições anteriores ficou sempre a dúvida. É um lance que à partida é sempre complicado, porque o jogador faz a finta na direcção da baliza, e é sempre mais perigoso, é sempre um lance a ter mais em dúvida, do que se o jogador faz o drible na direcção da linha de cabeceira.
5ª tentativa de desculpar o erro:
João Manha: penso que árbitro ficou um pouco mais nervos…porque de facto ficou a dúvida, e, no lance ainda, é Saviola contra uma linha de 3 jogadores do marítimo e vão 2 claramente sobre ele para tentar evitar a finta e o remate. Pode ter havido alguma obstrução do campo de visão, mas o árbitro estava muito perto da jogada, teve o controlo, teve o diálogo com o auxiliar e portanto dividiu a decisão, tomou uma má decisão, mas creio que o fez inconscientemente.

Minuto 41, Ricardo Esteves cruza para a área do Benfica, Maxi divide o Lance com Djalma, a bola sobra para Baba que remata e Roberto defende para canto.

Valdemar Duarte: Atenção Baba, Gooolo… Não ( percebeu-se na voz que o menino ficou triste ). A bola vai para fora. A ficar claramente a ideia que a bola ia para a baliza…
E ainda sem repetição:
João Manha: Grande oportunidade e creio que pode ter havido uma falta de Maxi Pereira sobre Djalma no inicio da jogada
1.ª Repetição:
Valdemar Duarte: Aqui. Há um empurrão de Maxi sobre Djalma
2.ª Repetição:
Valdemar Duarte: É o Roberto que defende, mas falta de Maxi sobre Djalma era grande Penalidade"

Vou fazer uma adenda ao texto do Master Groove: Nesta última frase do Valdemar, quando ele diz que o Roberto defende, ele realça a SORTE que o Roberto teve por ter defendido com o pé!!!
VERGONHOSO!!!




Nos Barreiros em obras o Benfica dominou, devia ter goleado, e por culpa própria sofremos até ao fim. Mesmo assim o Capela 'trabalhou' para a classificação!!! Acredito que será internacional brevemente, pois a maneira como Roubou descaradamente o Benfica demonstra muita 'qualidade'!!!
-Penalty por marcar sobre o Saviola. Ainda recentemente num jogo do Arsenal houve um penalty igualzinho, que não deixou dúvidas a ninguém...
-O Maxi não fez penalty sobre o Djalma. Uma invenção dos avençados...
-Fora-de-jogo mal marcado ao Baba. O erro neste caso foi do fiscal-de-linha(não do Capela), que estava mal colocado. Houve também um fora-de-jogo mal tirado a um jogador do Benfica. Os árbitros auxiliares tiveram bem ao marcar outros 2 fora-de-jogos ao Baba. A diferença entre estes erros nos foras-de-jogo, e jogo de Guimarães, foi que desta vez os erros foram repartidos entre as duas equipas, alguns podem considerar um pormenor, mas eu acho que faz toda a diferença...!!!
-Duplo Penalty sobre o Peixoto. Tanto o Roberto Sousa, como o Robson fizeram penalty sobre o César. O Roberto toca no pé direito do Peixoto, e o João Guilherme agride com o cotovelo, o nosso defesa esquerdo.
-Amarelo ridículo ao Coentrão. Mais um...
-Impressionante a quantidade de faltas que o Roberto Sousa fez, e mesmo assim conseguiu não ser expulso...!!!
O fora-de-jogo mal marcado ao Baba deixava o avançado numa posição muito boa, provavelmente o Roberto fazia outra grande defesa!!! Mas mantendo o critério com outros casos idênticos considero que o Benfica foi beneficiado neste lance, o problema é que voltamos a ser prejudicados com 2 clarissimos penalty's. Assim com a vitória do Benfica, os erros acabaram por não ter influência no resultado final.

O Olarápio contra-atacou!!! Como tem as 'costas quentes' encheu-se de coragem, e disse umas parvoíces. Aqui ficam com algumas das melhores 'tiradas'. A racionalização que os Ladrões fazem para se justificarem perante a sua própria consciência, é de facto um exercício ridículo. A sem-vergonhice no seu esplendor:
-"Não deve ser fácil levar com duas semanas como eu tenho levado. De todo o lado, ligo a rádio, ligo a televisão e vejo um jornal, não há só coisas boas, nem há só coisas más".
-"Não tenho dúvidas de que todos vocês gostariam de ser atacados como eu e os outros colegas somos. Se pudessem não ser, óptimo, mas porque significa que chegaram a um patamar, ao patamar mediático".
-"Só os fortes sobrevivem, porque se nós não fôssemos fortes, trucidavam-nos com toda a facilidade. Se não fossemos capazes de aguentar, fazíamos o que faz o comum dos mortais que era virarmo-nos e desatarmos à bofetada. Temos de ter a capacidade e a força de espírito para resistir".
-"Esta capacidade só está ao alcance de meia dúzia de predestinados, porque 90 por cento de quem nos critica, se algum dia lhe pusessem um apito na boca borravam-se todos, a começar por um senhor que eu não digo o nome, mas tem o cabelo encaracolado".
-"Tenho duas opções. Uma é ouvi-los, fazer-lhes a vontade e pensar que sou o pior árbitro do Mundo, a outra é não olhar para a árvore e olhar para a floresta".

via Pinceladas Gloriosas

Esta semana ainda fica marcada por mais uma 'Homenagem' desta vez a conversa foi entre o Bruno Paixão, o Lourenço Pinto, e Pinto de Sousa. O mais incrível disto tudo é que houve um jornal que publicou a noticia!!!

via Tertúlia Benfiquista


Na Pedreira uma Naval 'mole' em demasia facilitou o trabalho à filial Corrupta, nem foi preciso ajuda 'exterior'!!!


Os Corruptos ganharam, e pela primeira vez em 6 jogos não foram beneficiados!!! Algo verdadeiramente extraordinário!!! Proponho que este dia no futuro seja celebrado com um Feriado Nacional, aquilo que passou no Dragay é uma verdadeira raridade...!!!
-Golo bem anulado ao Givanildo por fora-de-jogo. Se os Corruptos não tivessem ganho este jogo, este fiscal-de-linha iria fazer o resto da sua carreira no Campeonato Regional das Berlengas!!!
-A bola vai ao braço do Álvaro Pereira, desta vez não existiu razões para marcar penalty...



No Alvalixo a trágico-comédia Lagarta continua!!!
No único lance difícil a equipa de arbitragem cometeu dois erros!!! Primeiro o Orlando Sá (já não está lesionado!!!) estava fora-de-jogo, logo de seguida o Carriço faz penalty sobre o Orlando. Seria penalty e expulsão. Mas como o primeiro erro tem precedente, podemos afirmar que os Ladrões de serviço acabaram por não ter impacto no resultado!!!
Uma nota para os avençados cumentadeiros. O Nelson (apesar de ter sido jogador Lagarto várias épocas, eu até sei que o rapaz 'cresceu' como Benfiquista!!!) é novo nestas andanças mas já percebeu como as 'coisas' funcionam, apesar do mau resultado os elogios aos Lagartos foram constantes. O Nacional teve vários contra-ataques muito perigosos durante todo o jogo, falhando quase sempre no último passe, é verdade que teve poucos remates à baliza, mas em várias ocasiões provocou o caos na defesa Lagarta. Tudo isto no final foi branqueado, tentado transmitir a ideia que o Nacional tinha marcado o golo, na única vez que passou o meio-campo...

Anexos:


Benfica


1ª-Académica, Prejudicados, Com 3 pontos
2ª-Nacional, Prejudicados, Com 3 pontos
3ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Guimarães, Prejudicados, Com 3 pontos
5ª-Sporting, Nada a assinalar
6ª-Marítimo, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado



Corruptos

1ª-Naval, Beneficiados, Com 3 pontos
2ª-Beira-Mar, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
3ª-Rio Ave. Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
5ª-Nacional, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
6ª-Olhanense, Nada a assinalar



Braga

1ª-Portimonense, Nada a assinalar
2ª-Setúbal, Nada a assinalar
3ª-Marítimo, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
5ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
6ª-Naval, Nada a assinalar



Sporting

1ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Marítimo, Nada a assinalar
3ª-Naval, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Olhanense, Beneficiados, Com 1 ponto
5ª-Benfica, Nada a assinalar
6ª-Nacional, Nada a assinalar

Coentrão renova...


Heresia !!!


"Este título criou uma onda de identidade e de paixão entre os nossos adeptos. É um factor muito importante, pois voltaram a vibrar e a adorar a equipa. O Benfica é mais do que um clube em Portugal, é quase uma religião."


Profunda heresia aquilo que o Jesus disse!!! O 'quase' é perfeitamente disparatado, é óbvio que o Benfica é uma Religião. Espero que tenha sido um problema de 'tradução'...!!! (ehehehehehe...)

Já tenho Saudades do Jamor !!!


Vamos receber o Arouca, na 3ª eliminatória da Taça de Portugal. Na Gloriosa época anterior esta foi a única competição onde não atingimos os objectivos mínimos, portanto este ano é para GANHAR...!!!

domingo, 26 de setembro de 2010

Super Equipa, com Super Caneco



Finalmente uma vitória contra os Corruptos, na modalidade mais Corrupta de Portugal!!!

Ao contrário de jogos anteriores (recentemente), nunca tivemos em desvantagem no marcador, esse factor aliado a uma maior experiência por parte dos nossos jogadores, e ainda ao maior poder de choque, talvez possa explicar o Glorioso triunfo. Mesmo contra um critério disciplinar ridículo, mesmo contra um critério nos bloqueios incompreensível (aliás os Corruptos podiam fazer bloqueios em todas as jogadas de ataque, e não estou a exagerar, o Benfica quando fazia era quase sempre falta), não demos hipóteses...
Tudo isto sem o Tiago Rafael, algo que afectou bastante a nossa 'rotação' defensiva. O jogo até podia ter ficado 'fechado' muito mais cedo, mas falhámos uma quantidade brutal de livres directos!!! Grandes golos: o 1º- Ricardo, o 3º- Abalos, e o 7º -João Rodrigues...

Os vencedores por 'decreto' demonstraram muito pouco, até podiam ter ganho, mas enquanto o Benfica funcionou como equipa, no outro lado era o Pedro Gil (um pouquinho do Reinaldo) sozinho. O equilíbrio no resultado durante a maior parte do tempo deveu-se essencialmente ao maior aproveitamento nos lances de bola parada (livres directos, e penalty's) por parte dos Corruptos...

O Abalos é mesmo reforço, o Luís Viana e o Cacau vão ser mais importantes quando jogarmos contra os 'autocarros', mas o grande reforço da época na minha opinião vai ser o João Rodrigues. Na desastrada segunda volta da época passada, o João já tinha demonstrado muita qualidade, creio que esta época vai ser a grande confirmação, daquele que muito provavelmente irá ser o melhor jogador Português dos próximos anos...!!!

Uma nota para a falta de carácter de alguns Corruptos, principalmente os Catalães!!! Já jogam nos Corruptos à muitos anos, portanto estão perfeitamente identificados com a cultura do clube. Porcos, e Nojentos. O João Rodrigues sem bola foi agredido pelo Pedro Gil. No final do jogo depois do Diogo Rafael ter falhado um livre directo, é cobardemente agredido pelo Edo Bosh. Durante o jogo já tinham existido várias situações para cartão azul, sempre perdoados aos Corruptos (aos Benfiquistas já não foi assim). Só com o aproximar do final do encontro, e com o resultado definido os árbitros resolveram mostrar os cartões, mais vale tarde do que nunca, mas...






adenda:

No caminho certo...




Após o desaire nos Açores a equipa parece que encontrou o caminho certo, num terreno tradicionalmente muito difícil, onde os Corruptos já perderam, contra uma equipa que estava invicta, vencemos sem espinhas, apesar da desnecessária recuperação adversária nos últimos 3 minutos. Recordo que jogámos 12 minutos em inferioridade numérica, contra os 4 minutos do adversário!!!


Estou cada vez mais convencido que os comentários da Benfica TV são demasiados imparciais!!! Depois de ouvir funcionários da RTP (serviço público, pago pelos contribuintes) durante os 60 minutos deste jogo, fazerem claque pelo seu clube: o anti-Benfica!!! Só posso chegar à conclusão que o canal desportivo menos comprometido clubisticamente em Portugal é a Benfica TV!!! Isto não é uma critica à Benfica TV!!! É só um indicador da 'qualidade' dos ditos canais independentes!!!

A mão (de Rolando) que segura o andor


"A dureza com que a equipa do Sporting foi criticada após a derrota na Luz deixa-me na posição ingrata de ter de a defender. Concedo que a exibição não foi boa, o que acaba por ser normal. Como já aqui escrevi, parece-me que o Sporting não está tão forte como no ano passado. No entanto, os riscos de desflorestação não se confirmam. É verdade que saiu uma maça e o pinheiro acabou por não vir, mas o modo como Aimar e Saviola se mexeram entre o meio campo e a defes
a do Sporting deu a entender que os jogadores leoninos estavam bem plantados na relva. No fim do jogo, pareceu-me ver o preparador físico do Sporting a desenraizar o Maniche da entrada da área. E um dos adjuntos teve de enxotar a águia Vitória, que se preparava para começar a fazer o ninho no ombro do Nuno André Coelho.

DESEJO aderir ao novo modelo de crónica futebolística em que o autor revela, para mais que previsível gáudio dos leitores, onde, como e quando, viu determinado jogo, e ainda tem a gentileza de fazer a resenha das opiniões emitidas por comentadores estrangeiros – que são sempre os mais perspicazes e informados sobre o futebol português.
Antigamente, o público não sabia se um cronista tinha assistido a determinado desafio em directo ou se tinha sido obrigado a ver uma gravação, se tinha visto a partida em território nacional ou estrangeiro. Esses tempos, felizmente, acabaram. Informo então que assisti ao Nacional – Porto no Brasil, através de um canal televisivo local. Estava uma temperatura agradável. Ingeri 72 tremoços durante a transmissão. Os comentadores consideram claríssimo o penalty não assinalado após evidente mão de Rolando na área (que bobagem!, exclamaram os comentadores) e perceberam, sem recurso à repetição, que tinha sido mal tirado o fora-de-jogo ao ataque do Nacional. Um dos comentadores, especialmente bem preparado, lembrou a propósito a célebre conferência de imprensa em que Alex Ferguson afirmou que o Porto comprava os seus títulos no supermercado. De facto, o futebol português, visto no estrangeiro, tem outro interesse.

MAIS um escândalo que resulta de inomináveis injustiças: o seleccionador do Brasil, evidentemente seguindo instruções do dr. Ricardo Costa, chamou David Luiz e deixou de fora da convocatória o inigualável Givanildo. Creio que se impõe uma vigília.

ACOMPANHEI, com alguma surpresa, as reacções da imprensa nacional à derrota do Braga frente ao Arsenal. Pareceram-me exageradas. É verdade que o Braga levou 6, mas a equipa portuguesa que lá foi no ano passado levou 5. É possível que, em Londres, ninguém tenha dado pela diferença. O único pormenor que verdadeiramente distinguiu as duas derrotas talvez tenha sido este: desta vez, o presidente da equipa goleada apareceu no aeroporto juntamente com a equipa, à chegada a Portugal.

O comunicado da direcção do Benfica continua a suscitar os mais variados comentários. Uns apoiam-no, outros reprovam-no, e até o treinador André Villas Boas fez uma observação da qual não retive mais do que o facto de incluir a palavra quaisqueres. Uma das críticas mais frequentes, e à qual sou particularmente sensível, tem a ver com a circunstância de o comunicado disparar em direcções tão díspares como a arbitragem e a comunicação social. Também me parece descabido. Ainda se tivessem sido publicadas escutas em que se ouvisse o presidente de um clube a dar indicações a um árbitro sobre o melhor caminho a tomar em direcção a sua casa, talvez se percebessem melhor as referências à arbitragem. Bem assim, se fosse pública outra escuta em que se ouvisse o presidente do mesmo clube a dar indicações a um jornalista sobre o que devia escrever, talvez se compreendesse a desconfiança relativamente à comunicação social - e talvez se percebesse que o tema é, afinal, mais ou menos o mesmo. Uma vez que nada disso sucedeu, o comunicado parece bater-se contra moinhos de vento que mais ninguém vê (nem ouve)."

Ricardo Araújo Pereira, in A Bola

O anti-Robson

"From: Domingos Amaral

To: André Villas-Boas

Caro André Villas-Boas

Lá diz o provérbio popular que mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo. Quando chegaste ao Estádio do Dragão, no discurso de apresentação, e na tentativa de romper com a sombra tutelar de José Mourinho, disseste que, a ser clone de alguém, o eras de Bobby Robson, e não do teu mentor português.
Ora, não foi preciso correr muito tempo para todos verificarmos que, infelizmente para ti, não é verdade. Podes falar inglês e ter o nariz grande, como dizias, mas nas atitudes não segues a escola do gentleman que Robson sempre foi. Em vários anos em Portugal, fosse ao serviço do Sporting ou do FC Porto, nunca o ouvi atacar os clubes adversários, ser provocatório ou acintoso. Era sempre correto e educado, e não perdia o seu tempo a lançar farpas aos outros clubes. Tu, pelo que vejo, vais por outros caminhos, e fazes uma marcação homem a homem, palavra a palavra, a tudo o que o Benfica diz ou faz. Pelos vistos, andas nervoso, e não perdes uma oportunidade para a provocação.
Em vez de te manteres alheio à polémica específica do Benfica com as arbitragens, não resististe e lá vieste perguntar se o Benfica tinha “vergonha de pedir a repetição do jogo Benfica-Guimarães”. É assim que caem as máscaras postiças que as pessoas colocam a si próprias para impressionar o povão.
Clone de Robson? Errado. Um cavalheiro como Robson nunca escolheria esse tipo de palavras, esse tipo de caminhos. Podes ser muita coisa, e até bom treinador, mas clone de Robson está visto que não és."

Domingos Amaral, in Record

Eu acredito!

"Pessoalmente, sempre gostei muito de ficção científica. Talvez por isso tenha apreciado de forma particular a seguinte pergunta que um jornalista fez, esta semana, a André Villas-Boas: “Coloque-se perante este cenário: no jogo com o Olhanense, o FC Porto é prejudicado pelo árbitro…”

Assim, de repente, lembro-me de vários episódios do “Star trek” com pontos de partida mais verosímeis. Por outro lado, na ressaca da falência do comunismo, podemos estar perante o dealbar de uma nova utopia vermelha – milhões de seres humanos, espalhados pelo Mundo inteiro, que acreditam ser possível construir uma sociedade onde um árbitro marque um penálti contra o FC Porto! Eu acredito! Junte-se o leitor também a este movimento! André Villas-Boas já o fez, nomeadamente quando, em resposta à pergunta acima citada, afirmou: “Há de chegar o dia em que nós nos sentiremos injustiçados (…).” Ele também acredita!

Mas o treinador do FC Porto ainda teve tempo para comentar a reação do Benfica à arbitragem de Olegário Benquerença: “O refúgio para as derrotas vai sempre ser o mesmo”. Isto vindo de um homem que nunca se refugiou na arbitragem para justificar as derrotas tem outra credibilidade. Infelizmente, André Villas-Boas não é esse homem. Basta recordar as suas palavras na última partida que o FC Porto perdeu, em agosto, no Torneio de Paris: “É um árbitro que ajudou à festa dos clubes franceses do torneio (…) Sinto um sentimento de injustiça perante o que se passou no golo”. Só quem já foi prejudicado num lance – e não em quatro – de um jogo particular – e não de uma partida a contar para o campeonato – é que consegue compreender este sentimento de revolta."

Miguel Góis, in Record