Últimas indefectivações

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Histórica !!!

Benfica 8 - 0 Lodi



Cabazada histórica, provavelmente a maior cabazada que o Lodi 'levou' nas competições europeias, e provavelmente a maior goleada Benfica que o Benfica 'deu' nas competições europeias contra um adversário dos principais Campeonatos (Italiano, Espanhol, Português)!!! Na primeira parte pareceu-me um Benfica muito ansioso, tentando atacar rápido, nem sempre com 'cabeça', na segunda parte a bola começou a 'entrar', os jogadores ganharam confiança, os Italianos baixaram os braços, e o Benfica deu festival... a 'rotação' do Benfica é muito forte, não é fácil encontrar um plantel com tanta profundidade, portanto nos jogos com ritmos elevados, as segundas partes normalmente são-nos favoráveis. O jogo no antro dos Corruptos já tinha relevado um Benfica muito forte, hoje tivemos a confirmação, a concentração defensiva subiu e o Ricardo tem tido menos 'trabalho'... neste momento, a jogar assim, só as vergonhosas arbitragens nos podem travar!!!

Uma palavra para o Sérgio Silva, que hoje voltou a ser decisivo com 3 golos. A sua contratação não foi unânime entre os Benfiquistas, a qualidade nunca esteve em causa, mas a idade levantou algumas dúvidas, eu próprio demonstrei alguma desconfiança... depois de um início de época mais discreto, nos últimos meses o Sérgio tem subido de rendimento, e tem inclusive marcado vários golos decisivos, hoje voltou a fazê-lo e acabou por sair do jogo a sangrar!!! Está indiscutivelmente a demonstrar no ringue, a sua utilidade...

A qualificação está mais perto, mas ainda falta o jogo na Luz com o Vic... a goleada de hoje até pode ser importante em caso de igualdade pontual com os Italianos. Na próxima jornada vamos à Alemanha e os 3 pontos devem estar assegurados... mas o resultado do Vic-Lodi vai ser muito importante:

Com uma vitória do Vic, ficamos empatados em 1º lugar com os Espanhóis, e na Luz com uma vitória vencemos o grupo, sendo que o empate pode chegar (4-4 em Espanha) para o 2º lugar; com um Empate, ficamos em primeiro lugar isolados (vantagem no goal-diference em relação ao Lodi), e a vitória na última jornada garante o primeiro lugar no grupo, sendo que o empate garante a qualificação em 2º lugar; uma vitória do Lodi, torna 'quase impossível' o Benfica chegar ao 1º lugar do grupo, mas faz com que o Vic tenha que ganhar na Luz para sermos eliminados!!! Conclusão: um empate no Vic-Lodi seria interessante, mas o mais importante é vencer calmamente ao Iserlohn... Para já, o próximo jogo é na Quarta-feira com o Braga, na Luz, depois do empate na 1ª volta, agora é para vencer...!!!


Lodi.............9

Benfica......7

Vic...............7

Iserlohn.....0

Excelente exibição...




Benfica 41 - 24 Energia Lignitul Pandurii
Tavares(11), Carneiro(5), Grilo(4), Roque(4), Pais(4), Pedroso(3), Silva(3), Carmo(2), Zaikin(2), Graça(1), Costa(1), Areia(1), Lopes, Ferreirinho, Candeias


Início equilibrado mas com o decorrer do jogo, a superioridade do Benfica foi inequívoca, com a nossa equipa a manter a concentração durante os 60 minutos, algo que raramente acontece.

Depois do descalabro com o Madeira SAD para a Taça, parece que ninguém quer repetir a má exibição... agora nos Quartos-de-final da Taças das Taças dos 7 'possíveis' (ainda faltam alguns resultados. Não sei qual será o alinhamento com os cabeças-de-série) adversários, só os Alemães (duas equipas) e os Espanhóis metem 'medo', os outros estão ao nosso alcance, inclusive os Ucranianos que derrotámos o ano passado!!!

Juniores - Fase Final - 1ª jornada

Cafú



Sporting 2 - 3 Benfica



Justiça divina!!! Após mais uma 'palhaçada Directiva', o Sporting volta a perder!!! Os indícios sobre o poder da Juve Leo dentro Sporting são muitos, mas esta estratégia de impedir os adeptos do Benfica assistirem a este jogo, é provavelmente o indicador mais significativo. A actual Direcção do Sporting fez aquilo que no famoso jogo das 'pedradas' as claques do Sporting exigiam à porta da Academia, gritando: 'vocês aqui não entram'!!! Contrariados na altura, iniciaram a 'chuva' de pedras!!!

Não vi o jogo (como é óbvio), mas pelos dados estatísticos, parece-me que os Lagartos se vão queixar do árbitro!!! Agora vi o Benfica-Sporting da 1ª fase, com o Sá Pinto no banco: um dos maiores festivais de pancadaria que alguma vez assisti num campo de futebol. E isto sem que nenhum Lagarto tivesse sido expulso. Por acaso o Betinho até foi um dos mais activos na arte da patada!!! Portanto não me surpreende... Mesmo em superioridade numérica, num ambiente adverso, nem sempre é fácil, passar de 0-2 para 3-2 !!! Parabéns rapazes...

Esta equipa do Benfica iniciou a época, com alguma descrença, com a mudança de treinador a equipa melhorou muito... com muitos jogadores de 1º ano, os resultados têm sido muito positivos. Combinada com a derrota dos Corruptos, em casa, frente ao Braga, esta vitória cria nos Benfiquistas a crença, que o título é possível, com trabalho e concentração, tudo é possível...!!!



Benfica..........3

Braga................3

Leiria................1

Nacional...........1

Guimarães........1

Setúbal............1

Corruptos........0

Sporting..........0


PS: Em Juvenis o Benfica venceu por 3-0 o Imortal, na 2ª Fase (ainda vai haver uma 3ª Fase). Só vi os primeiros minutos, mas tenho que fazer referência a um raro acontecimento: o 1º golo do Benfica nasceu de um penalty inexistente (algo tão raro, mesmo na Formação, que merece referência!!!)... aliás o jogo foi muito 'estranho': o árbitro marcou 3 penalty's a favor do Benfica (falhámos um!!!), e expulsou 2 jogadores Algarvios ainda na primeira parte!!!

Viagem complicada aos Açores, mas com um final feliz!!!



Operário 5 - 6 Benfica



Eliminatória muito difícil, ao intervalo perdíamos por 1-3, estes jogos após as longas paragens para as Selecções nunca são fáceis... mas felizmente no final a vitória não fugiu.

Agora nos Quartos-de-final da Taça de Portugal vamos defrontar os Lagartos, será a final antecipada...

Dominadores

Sp. Espinho 0 - 3 Benfica
19-25, 20-25, 18-25


Mais uma excelente vitória, é verdade que o Espinho nas últimas jornadas tem baixado de rendimento, neste momento o Castêlo da Maia parece o nosso adversário mais difícil, mas o Benfica continua a 'passear' a sua superioridade, com muito talento mas também com muito trabalho... hoje, tivemos muito bem na defesa baixa, conseguido marcar muitos contra-ataques.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O que há num nome

"Percebemos que algo de errado se passa com as nossas universidades quando constatamos que está por fazer um estudo sério sobre o nome do Sport Lisboa e Benfica. Já nem falo do clube inteiro,que exige tese muito alargada; eu não pedia mais do que um ensaio cuidado sobre o nome. Outros clubes têm nomes simples, pouco ou nada resistentes à compreensão, mas 'Sport Lisboa e Benfica' gera no hermeneuta mais distraído uma perplexidade imediata: porquê a particularização 'Lisboa e Benfica' se Benfica faz parte de Lisboa? Gostaria de propor uma hipótese de explicação.

Antes, talvez seja importante registar que não é só o nome do Benfica que coloca obstáculos à interpretação e provoca mal-entendidos. A maior parte das pessoas, leitor amigo, julga que E pluribus unum significa 'E Todos por Um'. A própria Benfica TV tem um programa chamado E Todos por Um, cuidando estar a citar o lema do Benfica quando está na verdade, a citar o dos mosqueteiros. Unus pro omnibus, omnes pro uno, sim, significa 'Um por todos, todos por um'. E pluribus unum quer dizer, na verdade, 'De muitos, um'. Parece que os rapazes que, naquele dis 28 Fevereiro de 1904, fundaram o clube que hoje conhecemos por Sport Lisboa e Benfica já sabiam, à distância de mais de um século, que os benfiquistas viriam a ser muitos, e que uma das suas principais grandezas seria também uma das maiores dificuldades: desses muitos, fazer um. Dificilmente os milhões de benfiquistas formam uma unidade. Há ricos e pobres, feios e bonitos, gordos e magros, inteligentes e ligeiramente menos inteligentes. À primeira vista terão, no máximo, uma coisa em comum: são pessoas que vestem bem, pelo menos em dia de jogo. Aquelas camisolas vermelhas ficam bonitas em qualquer fisionomia. E todos gostam de uma coisa chamada Benfica, mas têm dificuldade em entender-se sobre que coisa, ao certo, será essa e qual é a melhor maneira de a amar.

Há dias, um jornalista perguntava a uma velha glória do Benfica o que era afinal, a mística. O antigo jogador, sabendo que se estava a entrar no campo do inefável (e são conhecidas as dificuldades que os futebolistas têm com o 'fável' - palavra que julgo ter acabado de cunhar -, quando mais com o inefável), optou por uma resposta concisa: 'A mística', arriscou ele, 'a mística é ganhar'. É uma boa resposta, embora incompleta. A mística não é só ganhar. A mística é ganhar à Benfica. E ganhar de uma maneira que faz com que todos, adversários incluídos, saíam do estádio a dizer: 'Cáspite!, isto é que foi ganhar!', assim mesmo, com a interjeição 'cáspite!' metida ao barulho. É ganhar mesmo depois de se estar a perder por muitos, como se estivesse escrito em algum lado que se ia ganhar desse lá por onde desse. É ganhar à bruta, à campeão. E é ganhar empurrado pelo sofrimento de muitos. As vitórias partilhadas por milhões é que despertam a mística.

Retomemos, então, a pergunta inicial: porque é que um clube cuja vocação é extravasar os limites da cidade em que foi fundado para agregar milhões em todo o mundo manifesta no nome a intenção contrária - e absurda - de partir da cidade para uma pequena freguesia? Porque digo eu, em 'Sport Lisboa e Benfica', a palavra 'Benfica' não designa a freguesia com 7,94km2 de área e 38.523 habitantes. Benfica já era uma metáfora no nosso emblema antes de o ser nos livros de António Lobo Antunes. Benfica significa Europa, mundo, universo. Sport Lisboa e Benfica quer dizer: 'Aquilo que começa em Lisboa e não tem fronteira para acabar'."


Ricardo Araújo Pereira, in Mística

Favoritos a passar esta eliminatória

"Antes do jogo de S. Petersburgo começar, teria aceite como positivo perder por 3-2. Depois de ver o jogo fica a sensação que perdeu a melhor equipa. Aquela personalidade, um Benfica a esticar e assumir o jogo, com tanta posse de bola como a equipa da casa, a jogar num pelado congelado, só é possível porque está de regresso o velho Benfica Europeu.

Depois de ver aquela exibição, tenho a certeza que a Luz terá mais de 60 mil, e mesmo sem Aimar (amarelo inacreditável) somos favoritos a passar esta eliminatória. Em Lisboa poderemos atingir o Zenit!

A tentativa de assassínio de Rodrigo não foi consumada e por isso acrescem razões para quando o prodígio regressar aumentar novamente a qualidade e explosão do nosso jogo.

Rodrigo faz falta e será importante que volte rápido. Até se pode perder jogos e eliminatórias mas há outra atitude e outra dimensão no nosso futebol. Se o futebol for também espectáculo teremos que estar satisfeitos, mesmo sabendo que só os resultados nos farão rejubilar.

Temos a alegria dos espectáculos falta a felicidade dos títulos. Acredito que também este ano a teremos, porque é justa e merecida.

Das sete saídas que faltam ao Benfica neste Campeonato, a de Guimarães é das piores e por isso das mais decisivas. O embate contra o Nacional aguçou o apetite e perder agora embalagem seria amargo.

Ultrapassar dificuldades como aquelas que Jorge Sousa nos colocou também é importante e moralizador.

Que mal terão feito os sportinguistas para ter que assistir a tamanho descalabro do seu clube? Não jogam. Não ganham. Aquilo que parece mais estrutural é não haver nenhuma noção de como se pode inverter um ciclo que ameaça ser derradeiro e definitivo. É muito mau para o futebol e para o desporto ver o Sporting assim. Rivalidades à parte não me dá nenhum gozo ver esta agonia leonina."


Sílvio Cervan, in A Bola

Montagens do Artur e do Matic e um pequeno video...

Era para ter postado isto hà mais tempo mas fiquem lá com umas montagens que eu fiz à algum tempo do Artur e do Matic...

E ainda, sei que este video não tem nada a ver com o Benfica mas pensei que gostassem de ver até ao próximo jogo do Benfica...

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Mãos entusiáticas e incompetentes

" 'Falência técnica' é para o adepto o momento em que o técnico entra... em falência. O resto são números tão absurdos que o melhor é entregá-los em mãos entusiásticas e, por regra, incompetentes


POR coincidência ou talvez não, Carlos Barbosa, o vice-presidente do Sporting responsável pelo marketing e comunicação, demitiu-se do seu posto no dia em que o Sporting convocou os jornais, as televisões e todos os boletins informativos da nação, para comunicar aos portugueses em geral e aos seus jogadores e equipa técnica, em particular, que a tesouraria do clube vive uma situação de falência técnica.

Ficará a dúvida sobre os motivos da demissão de Carlos Barbosa que, pelo seu currículo, jamais poderá ser considerado um amador ou um inapto nestes domínios profissionais do marketing e da comunicação, como foi feito crer graças ao recurso às fontes anónimas de Alvalade.

E porque há coisas a mais que não fazem sentido algum no Sporting, poderia talvez fazer sentido a demissão do vice-presidente da comunicação por, eventualmente, discordar da divulgação pública dos resultados da auditoria externa nesta malfadada altura do campeonato.

Fosse o Sporting o comandante do campeonato - e bastava isso... -, o impacto da divulgação da tal auditoria não tinha tido dimensão apocalíptica, como teve. Provavelmente ainda seriam os leões elogiados pela coragem da exposição pública de uma década de gestão ruinosa. E como o presidente do clube, numa conjuntura mais festiva, já previra receitas de 40 milhões «sem contar com a Liga dos Campeões», todo este drama que se verificou não teria passado de um fait-divers sem nada de ameaçador.

Aos adeptos em geral, independentemente dos afectos clubistas, dizem pouco estas novas sobre as contabilidades mais ou menos dramáticas dos clubes. Porque o que interessa é futebol e ninguém ama um emblema ou desespera com um clube por causa do brilho e da alegria que emanam do departamento da tesouraria.

Falência técnica é para o adepto da bola aquele momento em que entram em falência as capacidades do técnico. O resto são números tão absurdos, tão longe dos números da vida real, que melhor será entregar essas responsabilidades em mãos entusiásticas e, por regra, incompetentes.

No entanto, para os especialistas na matéria falência técnica é outra coisa. Pedro S. Guerreiro, director do Jornal de Negócios, explicou recentemente a situação: «Se o Sporting vender tudo o que tem (a activo) para pagar tudo o que deve (o passivo) ainda ficariam por pagar 183 milhões de euros. É isso que quer dizer falência técnica.»

Potenciada por uma série de resultados negativos, esta realidade fria dos números deitou abaixo o moral sportinguista? Pelo menos deitou abaixo o moral da equipa de futebol do Sporting que, no seu primeiro jogo depois da revelação da notícia, soçobrou em casa perante o Gil Vicente de um modo um pouco mais do que chocante.

Seguiu-se a proeza nas meias-finais da Taça, frente ao Nacional, com pouco brilho e com os madeirenses e queixarem-se muito do árbitro. Mas também não é caso para andarem por aí a dizer que o Sporting, este ano, vai ganhar a Taça Pedro Proença. Depois, sem sair da ilha, novo tombo, desta vez com o Marítimo para o campeonato.

Será ilegítimo olhar para esta série de acontecimentos como uma sequência lógica em que, invariavelmente, cada facto suscita outro facto ainda pior?

O Sporting escolheu, na verdade, a pior altura para entrar decididamente em crise. Porque o mundo mudou, a banca mudou, as linhas de crédito estão fechadas e os tempos adivinham-se cada vez mais difíceis para todas as tesourarias. Em Portugal são muitos os clubes à beira de fechar as portas, declarados como insolventes pelos tribunais.

Na região da Madeira, o famoso buraco descoberto pela troika ameaça a sustentabilidade de dois clubes de futebol, o Marítimo e o Nacional, habituados a dispor de meios que lhes permitiram um nível competitivo de qualidade média-alta. Daqui por poucos anos, o panorama do futebol português e dos seus clubes e das respectivas fidalguias não vai ser o mesmo. Mas, evidentemente, o Sporting, ao contrário de outros, continuará a existir e, espera-se, que de melhor saúde.

Até lá, as coisas vão ficar mais ou menos na mesma no que diz respeito às relações emocionais dos adeptos com o clube. Como é suposto acontecer com todos os adeptos de todos os clubes, acrescente-se porque é verdade.

Há coisa de duas semanas, vi amigos sportingusitas francamente mais incomodados com ida do Yannick Djaló para o Benfica do que com as verdades da dita falência técnica. Isto não é normal.


DA Alemanha chegam notícias de uma boa acção cometida pelo Bayern de Munique. Em 2003, o poderoso clube bávaro salvou o Borrusia de Dortmund da falência através de um empréstimo de dois milhões de euros. «Quando eles tiveram consciência de que já não conseguiam pagar os salários, demos-lhe dois milhões sem garantias durante alguns meses», revelou Uli Hoeness, o presidente do Bayern.

O presidente do Dortmund, Hans-Joachim Watzke veio logo a público testemunhar a ocorrência. «É verdade, posso confirmar esse empréstimo», disse Watzke, ainda agradecido.

Como adepta, mas, sobretudo, como curiosa por estes fenómenos, confesso que não sei, mas muito gostaria de saber, como é que esta amizade solidária entre dois clubes que competem nas mesmas provas é vista, analisada e dissecada pelos adeptos de todos os outros clubes alemães. Isto é, por todos aqueles que não são nem do Bayern de Munique nem do Dortmund.

Quando o Dortmund joga com o Bayern e não ganha dizem os adversários que o Dortmund ainda está a pagar o favor do empréstimo? Em Portugal era o que aconteceria, ninguém duvida, pois não? Ou somos nós que somos diferentes?

Quero dizer diferentes mas para melhor, mais espertos...


NA velha história do futebol português, há meio século, quando entre Benfica e FC Porto as relações institucionais eram não só normais como até bastante calorosas, deu-se um episódio que já provara, a seu tempo, como nestas questões de solidariedade financeira nós somos bastante diferentes dos tais alemães.

Em 1960, o FC Porto vivia com dificuldades para pagar os salários dos seus jogadores. Nas vésperas de uma visita do Benfica ao Porto, um dirigente portista chamado Aníbal Abreu tomou a iniciativa de mandar um telegrama ao presidente do Benfica, Maurício Vieira de Brito, rogando-lhe que o Benfica prescindisse da sua parte da receita do jogo em favor do clube amigo e aflito.

O presidente do Benfica nem foi a tempo de responder porque Aníbal Abreu foi imediatamente demitido por Ângelo César que, à época, presidia à comissão administrativa que geria o FC Porto. O telegrama com que Ângelo César afastou Aníbal Abreu é uma pérola: «Acabo de ter conhecimento do telegrama enviado ao presidente do Benfica. Rogo V. Exa. Apresente pedido de demissão por esta via. O FC Porto não precisa de pedir esmolas. A atitude do sr. Aníbal Abreu deixou-nos a todos indignados. Benfica terá achado o seu pedido uma autêntica loucura, um disparate sem pés nem cabeça.»

Naquela tarde de 3 de Abril de 1960, ainda que por via indirecta, acabou por ser o Benfica a ajudar o FC Porto na superação da dita crise porque foi com a receita da parte da bilheteira que coube ao clube visitado (490 contos), em dinheiro vivo, que Ângelo César pagou os salários aos seus jogadores antes de o jogo começar.

E já agora, o resultado do jogo?

2-2

Igual ao do último FC Porto-Benfica.


NO sábado, o Benfica teve uma noite de grande categoria e venceu o Nacional por 4-1. É caso para dizer que foi melhor a exibição do que o resultado. E mesmo que o Cardozo não tivesse desperdiçado aquele pontapé de penalidade, mesmo assim, com 5-1, teria sido melhor a exibição do que o resultado.


ONTEM, em São Petersburgo, a quatro minutos do fim do jogo o resultado permitia aquele devaneio frequentemente fatal: «basta o 0-0 em casa.» Mas o Zenit marcou logo a seguir e agora já não basta o 0-0. Assim sendo, Nolito & Companhia, façam-nos o favor de entrar para o jogo da segunda mão com toda a valentia que ontem exibiram na Rússia. E a boa notícia é que na Luz não vão ter de jogar numa pista de gelo como a de ontem. E o que dizer de Bruno Alves? Pouca coisa... É aquele tipo de jogador que dispensa túneis. É que não precisa."


Leonor Pinhão, in A Bola

Aimar

"Pude ver (e ler) duas entrevistas com Aimar, que fugiram ao figurino estafado de frases feitas e lugares-comuns.

Confirmei o que já achava dele. Jogador de inigualável classe, atleta que irradia a felicidade de fazer o que gosta (basta, em jogo, ler-lhe os olhos), profissional exemplar, pessoa inteligentemente sóbria que não se inebria pelo fascínio do efémero. Simplesmente... simples.

Com ele, não se pode falar de nacionalidades. É universal. Logo, também português. Só outro jogador não português deixou para a história do Benfica o mesmo lastro de classe e exemplaridade: Preud'homme. Aimar enche os campos com sinfonia, mestria, perfume. É um dos jogadores de quem até a relva e a bola devem gostar...

Há tempos, foi homenageado pela embaixada argentina. Disse então o diplomata: «O seu modo de ser torna-o muito valioso pela qualidade futebolística, mas impressiona ainda mais pelo humanismo. E, como dizemos na Argentina, é uma pessoa muito 'familiera', privilegia o espírito de família.»

O presidente do Benfica, na sua mensagem foi também certeiro: «Há jogadores que deviam ser eternos, e tu és um deles. A camisola do Benfica será sempre tua. Gostaria que o Benfica fosse sempre uma das tuas 'pátrias'.»

Boa notícia, a da renovação do seu contrato. A idade pode diminuir certas destrezas, mas reforça a sabedoria, a arte e a liderança.

Ele que, numa entrevista recente, definiu assim magistralmente o Benfica: «Sinto-me sempre melhor a jogar num clube onde a exigência está presente todos os dias e não se festejam empates.»"

Bagão Félix, in A Bola

Amar Aimar

"Todas as massas associativas têm os seus bem-amados e os seus mal-amados. Na Luz, Oscar Cardozo, mesmo quando marca golos, é criticado – e Aimar, mesmo quando comete erros, é endeusado.

Sou vizinho de Aimar, pelo que posso testemunhar que é um homem simpático, afável e bom chefe de família. Tem três filhos pequenos, aos quais dá atenção. Dentro do campo, como todos veem, é um senhor. Mas já tem 32 anos e é fisicamente frágil, precisando de ser gerido com pinças. É capaz do melhor e do pior: tanto pode pôr ordem na equipa e lançá-la para a vitória como pode perder bolas em zonas perigosas.

Entretanto, o nome de Aimar no Benfica vai ficar ligado a outro, não argentino mas bem português: Jorge Jesus. Quando Jesus chegou à Luz, Aimar era um jogador em fim de carreira, que parecia já não ter muito para dar. Ora Jesus deu-lhe uma segunda vida.

Como deu uma nova vida ao Benfica – que em 2009 era uma equipa em trajetória descendente, com o desgaste de muitas épocas com péssimas classificações (apenas um título conquistado em 10 anos, vários terceiros lugares e um sexto), e hoje é uma equipa alegre, pujante, capaz de exibições sublimes.

Aimar, que agora renovou, já não vai ficar muito tempo na Luz. Mas Jesus pode ficar. Independentemente do que suceder esta época, já se viu que o Benfica com ele é outra loiça. Jesus já ganhou 100 jogos, tornando-se o melhor treinador da história do Benfica, com 71% de vitórias nos jogos disputados, à frente dos lendários Bela Guttmann (70%), Eriksson (68%) e Otto Glória (65%). Luís Filipe Vieira deveria, pois, fazer com ele um contrato a longo prazo – tornando-o, como um dia escrevi, o Ferguson do Benfica."


A verdade de hoje

"Está confirmado: qualquer “forever” no Sporting vale como morte anunciada e próxima. Menos taxativo do que José Eduardo Bettencourt com Paulo Bento, Godinho Lopes repete a dose com Domingos Paciência. E nem vale a pena evocar a máquina que sacrificou Carlos Carvalhal, Paulo Sérgio e José Couceiro. Vejamos. Há oito dias, escrevia-se aqui mesmo: “Deixa-me a pensar que seja o treinador – não o adepto – a definir a Taça como o grande objetivo da temporada quando, em termos futuros, o tal terceiro lugar no Campeonato será seguramente mais útil e mais agradável (…). É por isso que podemos questionar-nos se, com a sua escolha clara, inequívoca, Domingos Paciência dá sinais de uma personalidade romântica ou se, pelo contrário, quer ganhar a Taça por saber ou intuir que, na próxima época, já não estará no comando técnico do Sporting”. Afinal, nem a Taça o deixaram ganhar, desviando-o sumariamente da hipótese do seu primeiro título como técnico.

À falta de melhor, inventa-se um “adultério” com dirigentes do FC Porto, denunciado por fontes não identificadas. Domingos desmente. Pergunto: quando foram buscar o técnico a Braga e o jogaram como a mais poderosa arma eleitoral não sabiam do amor clubístico do antigo avançado? E não sabiam que ele era um dos candidatos ao posto de treinador no Dragão, desígnio que há-de confirmar-se mais cedo ou mais tarde? E não aceitaram esse pressuposto com base no profissionalismo imaculado do homem, demonstrado em Leiria, em Coimbra e em Braga?

No domingo, o presidente do Sporting Clube de Portugal disse – sem que ninguém lhe encomendasse o sermão – que “não fazia sentido” questionar a continuidade de Domingos, já que este fazia parte da estrutura do clube. Na segunda-feira, Domingos era despedido. Pode dar-se o caso de, com a ajuda de um qualquer CSI, os responsáveis leoninos terem descoberto os crimes de alguém que, de repente, num ápice, passou a ser fraco psicologicamente (usando até a leitura de lábios para seguir os seus desabafos no banco), a ser um tirano com os jogadores a quem “não justificava as convocatórias” (como Paulo Bento…), a culpado das lesões (exemplos citados os de Izmailov, Rodríguez e Jeffren, reconhecidos crónicos do estaleiro), a andar em más companhias (falamos de um clube que oferece trunfos como João Moutinho e Yannick Djaló aos adversários diretos).

O poder resvalou para a rua. Ou para a claque. Era dispensável que Godinho Lopes, como presidente, gastasse tantas palavras só para mostrar que é algo de que não dispõe: palavra. Bom será, para todos, que Sá Pinto não falhe, porque os ativos começam a esgotar-se. E até Vítor Pereira vai ter que olhar mais vezes por cima do ombro – agora, Domingos Paciência é um homem livre."


Paciência

"A demissão de Domingos pode ser um erro colossal para a vida do Sporting. Mais um. Confessa um erro de gestão, destrói a ideia de um projeto em construção, dilui o crescimento do entusiasmo, desmonta o álibi das culpas de terceiros e hipoteca a confiança num rumo sufragado há menos de um ano.

Alegando o incumprimento de objetivos para a crueldade de impedir Domingos de estar na final da Taça de Portugal, a direção do Sporting transmite uma imagem de descontrolo, que faz vacilar não apenas os jogadores, mas em particular os adeptos e investidores, não obstante o efeito psicológico que a ascensão de um ícone do perigoso mundo das claques causará nos primeiros tempos.

Esta fuga para a frente representa mais um episódio próprio da desculpabilização habitual das elites leoninas, que sempre as conduz para longe da realidade e lhes aumenta a frustração para limites insuportáveis. Afastar um treinador competente já não devia ser opção, quando se vê onde estão hoje Paulo Bento, Carlos Carvalhal, Paulo Sérgio ou José Couceiro.

Domingos entrou no Sporting com uma carteira de 20 milhões em jogadores, para concorrer num quadro competitivo muito adverso, com adversários muito mais avançados do que os sportinguistas conseguem admitir. A aposta num baralho próprio das brincadeiras do Championship Manager legitimou, inclusive, a suspensão da prioritária linha de abastecimento da academia, sem que fosse completamente assumida o evidente desvio da política de formação, deixando o espírito leonino de orgulho na matriz a vogar no limbo, revoltado, mas amordaçado, sobre uma panóplia de nomes, línguas, currículos, promessas, experiências e óbvias sobrevalorizações.

O que Domingos estava a realizar, de acordo com o que parecia ser o projeto da nova direção, apontaria para uma aproximação às três equipas que nas últimas três temporadas se tinham distanciado dramaticamente. O plantel necessitaria de alguns ajustamentos, mas havia uma evolução em curso em parâmetros aceitáveis.

Apesar da série de maus resultados, há sectores a funcionar muito pior na retaguarda da equipa de futebol que, ao contrário, em zonas que nada melhoraram desde os tempos de Paulo Bento: estratégia, comunicação e liderança. Pelo contrário, a estratégia revela-se cada dia mais confusa, a comunicação é babilónica e a liderança não resiste a uma gritaria na Portela.

Não havendo qualquer evolução desportiva no horizonte, a reorganização do plantel não deixará de custar mais uma pequena revolução, tamanha é a distância ideológica entre o treinador que sai e o que entra. Numa analogia à entrada de Paulo Bento, cujo sucesso se pretende agora reeditar com Sá Pinto, podemos esperar uma nova sangria, tentando corrigir alguns dos erros de casting cometidos na ânsia de causar impacto entre os adeptos: o atual selecionador nacional dispensou 18 e contratou ou promoveu da academia outros 13 nos primeiros seis meses de função.

Sem dinheiro e vindo de onde vem, seria normal que Sá Pinto também se virasse, de novo, para o alfobre de Alcochete. Valores como Cédric, Adrien, Wilson Eduardo ou Nuno Reis representam mais esperança no futuro, mas não garantem títulos. Haverá paciência?"


Só mesmo em Portugal !!!

No último fim-de-semana Marco Fortes bateu o Recorde Nacional do Lançamento do Peso, isto após protesto, já que o seu lançamento tinha sido considerado nulo pelos Juízes. Após o visionamento das imagens, ficou provado que o atleta tinha razão (o protesto incidiu somente sobre um dos lançamentos nulos, aquele com a melhor marca, mas eles foram dois!!!)... Já o ano passado com os mesmos Juízes, a história foi a mesma... com uma agravante, os lançamentos considerados nulos não foram medidos, tornando assim irrelevante o protesto.
O Marco em jeito de desabafo honesto, confessou que teve vontade em abandonar a prova, criticando a incompetência dos Juízes.
O normal, digo eu, seria um pedido de desculpas por parte dos Juízes e da ADAL (Associação Distrital de Atletismo de Leiria), reconhecendo os erros, e prometendo tomar medidas para melhorar a eficiência do seu trabalho, mas não...!!! Numa atitude cooperativista , no pior sentido da palavra, a ADAL emite um comunicado afirmando que no futuro não vão aceitar a inscrição do atleta Marco Fortes em provas organizadas pela ADAL!!!
O Benfica também já reagiu em comunicado, que na minha opinião é 'curto'!!! Porque a verificar-se no futuro esta situação, o Benfica deve recusar participar em qualquer prova organizada por estas bestas quadradas:
"Em resposta à ADAL
Comunicado: Todos têm de evoluir!

Em resposta ao comunicado emitido esta quarta-feira pela Associação Distrital de Atletismo de Leiria (ADAL), o Sport Lisboa e Benfica vem esclarecer:
- Nem o Clube nem os seus atletas – seja qual for a modalidade – pretendem ser beneficiados por qualquer tipo de arbitragem desportiva;
- A reacção do atleta Marco Fortes não pretendeu ser ofensiva para com os juízes de Leiria;
- A indignação do atleta referia-se a quem anulou um lançamento (e os seguintes) que, posteriormente, ao ser reavaliado (o segundo ensaio), acabou por ser validado e corresponder a um novo recorde nacional e oitava melhor marca mundial do ano;
- Este era um segundo lançamento (de quatro possíveis) cujos seguintes poderiam ditar uma história na competição, no placard e na carreira do atleta completamente diferente;
- Perante toda a carga emocional, será aceitável a reacção do atleta, considerando que esta situaçãonão foi inédita – há cerca de um ano, sucedeu o mesmo;
- Felizmente, este ano, ainda que no secretariado, o júri aceitou ver as imagens comprovativas da razão do atleta e, assim, o Atletismo português pôde ver legitimado mais um recorde nacional;
- Surpreende, no entanto, que, perante tanta competência, a ADAL tenha decidido reagir contra o atleta Marco Fortes, não mostrando possivelmente qualquer vontade de fiscalizar a acção de um juiz sob a sua responsabilidade organizativa e que, provavalmente, se não tivesse existido protesto do SL Benfica, teria anulado uma marca de grandenível e prestígio para o atletismo nacional;
- Quanto ao castigo atribuído pela direcção da ADAL – legítimo ou não –, não sairá o atletismo português mais penalizado que o próprio atleta?;
- O atleta não quis colocarem causa a idoneidade e responsabilidade da ADAL;
- "Juízes fracos" por não terem conseguido demonstrar capacidade de avaliar o lançamento em tempo real, evitando constrangimentos emocionais – se os atletas portugueses (e a modalidade no seu todo) têm vindo a evoluir ao longo dos anos, em particular nas disciplinas técnicas, por que não esperar semelhante grau de exigência para com os juízes que têm o poder e a responsabilidade de decidir sobre a validade dos resultados? Independentemente do distrito que representam."


Comunicado do SL Benfica

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Ingrato


Zenit 3 - 2 Benfica



Está tudo em aberto obviamente, mas perder um jogo desta forma foi frustrante, depois de tanto sofrimento deixar fugir o empate, soa a 'ingratidão'!!!
Num terreno de jogo absurdo para um jogo da Champions, que obrigou o Benfica a jogar como uma qualquer equipa do 'regional' com pontapé para a frente!!! Marcar o jogo para as 21h locais foi outro absurdo!!! Deixar um assassimo daquela estirpe em campo, foi o cumulo do absurdo!!! Absurdo ainda mais evidente, quando o Aimar (amarelado injustamente) não pode jogar o da segunda mão!!! Num jogo onde os Russos tiveram algumas oportunidades, mas o Arur praticamente não fez uma defesa, acabámos por sofrer 3 golos, dois dos quais absurdos...!!!
O Maxi e o Cardozo parece que 'gostam' do frio: quando vencemos 2-1 na Ucrânia com o Camacho, num ambiente gelado foram eles os protagonistas ofensivos...
Recordo, o ano passado fomos eliminados da Liga Europa, com o Aimar injustamente suspenso no primeiro jogo!!! O Zenit na Luz será diferente, vai ser mais cínico, provavelmente alguns lesionados vão recuperar, o guarda-redes será outro... que ninguém pense que vai ser fácil!!!

O grande objectivo da época não é a Champions, a Liga Nacional é indiscutivelmente a prioridade, por isso a lesão do Rodrigo é preocupante, espero que a dor tenha sido causada pelo frio, e que o 'gelo no ar' tenha imediatamente 'amortizado' o traumatismo!!!


szólj hozzá: GOLOSSLB

Lixívia Extra-Forte XVIII

Tabela Anti-Lixívia Extra-Forte:
Benfica.......48 ( -2)...50
Corruptos...43 (+1)...42

Braga..........40 (+4)...36
Sporting.......32 (0)...32

Deixei para hoje o habitual crónica da Lixívia, porque na Segunda à noite, fiquei, mais uma vez, perplexo com o branqueamento cobarde dos programas dos paineleiros no jogo dos Corruptos. Só na Terça-feira na RTPalermo, foram vistas as imagens da meiguice do Janko nas costas do Oblak!!! Imagine-se o Cardozo acertar 'acidentalmente' no guarda-redes adversário?!!! Imagine-se o numero de repetições?!!! Imagine-se o falatório?!!!


Bem, começo na Luz, tivemos um regresso ao passado!!! Explico: o Jorge Sousa depois do famoso Leiria-Benfica (no ano do último título), onde marcou um penalty decisivo a favor do Benfica a poucos minutos do fim (bem marcado)!!! Nessa noite, quando chegou a casa, tinha uma 'comissão de festas' à sua espera!!! Eram os seus ex-colegas dos Super-Dragay!!! Ele não gostou!!! Notei, depois destes acontecimentos, uma melhoria significativa das exibições do bicho!!! Vingança?!!! Por ver o seu 'espaço' familiar violado?!!! Não sei. Recordo inclusive de uma estatística que andou aqui pela Gloriosesfera, que dava uma média aproximada de 0,5 pontos por jogo para o Benfica em jogos apitados por ele, contra os 2,8 em jogos dos Corruptos!!! No último ano meio ganhámos vários jogos apitados por ele, algo que anteriormente era raríssimo... Pois bem, no último sábado, tivemos um regresso ao passado!!! O penalty mal assinalado contra o Benfica até podia desculpar, mas as faltas constantemente mal assinaladas contra o Benfica durante todo o jogo, e as faltas que ficaram por assinalar a favor do Benfica, principalmente a meio-campo, não me deixam dúvida nenhuma: o homem trazia uma encomenda!!! Só mesmo um Benfica em grande forma, conseguiria ganhar goleando, nestas circunstâncias!!! Recordo para os mais distraídos que esta jornada, deu-se a seguir à derrota dos Corruptos em Barcelos. Com 2 pontos de desvantagem, os Corruptos tinham a 'coisa' controlada, com os actuais 5 pontos, a poucas semanas do jogo que em caso de vitória do Benfica pode decidir o Campeonato, tudo será feito pelos animais do costume para mais uma vez condicionar o resultado do Campeonato!!! Por exemplo, passou despercebido mas os auxiliares neste jogo, foram os mesmos do jogo do ano passado em Braga, apitado pelo Xistra, aquele que acabou com a nossa esperança na vitória do Campeoanto!!!


No antro da Corrupção, num jogo apitado por um condenado no Apito Dourado, tudo 'normal'. Jogo completamente 'encravado', empatado: expulsa-se um jogador do Leiria (bem expulso, a intenção seria chutar a bola, mas...), e poucos minutos depois, num lance similar (mais grave, porque a intenção era claramente intimidar o guarda-redes adversário, já que não havia qualquer hipótese de jogar a bola) dá-se cartão amarelo ao jogador Corrupto...!!! Pouco tempo depois os Corruptos protestaram penalty: curiosamente no início da jogada o Givanildo estava fora-de-jogo, convenientemente esquecido, depois até se podia marcar penalty, já que existe toque na bola, mas também existe contacto no avançado... mas ainda na última jornada alguém se queixou (mal) de um fora-de-jogo antes de um penalty marcado contra os Corruptos!!!


Nos Barreiros aconteceu algo de extraordinário: o Cosme Machado teve uma arbitragem competente...!!! De resto a derrota dos Lagartos foi completamente natural!!!


Na Pedreira os de Setúbal queixaram-se de um penalty, por mão na bola, mas a mim pareceu-me casual... mesmo que não fosse, não me parece que teria impacto no resultado.



Anexos:


Benfica
1ª-Gil Vicente(f) E(2-2), João Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Feirense(c) V(3-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Nacional(f) V(0-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
4º-Guimarães(c) V(2-1), Duarte Gomes, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Académica(c) E(4-1), Vasco Santos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
6ª-Corruptos(f) V(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Paços de Ferreira(c) V(4-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Beira-Mar(f) V(0-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Olhanense(c) V(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Braga(f) E(1-1), Proença, Prejudicados, (0-2), -2 pontos
11ª-Sporting(c) V(1-0), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Marítimo(f) V(0-1), Sousa, Nada a assinalar
13ª-Rio Ave(c) V(5-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
14ª-Leiria(f) V(0-4), Cosme, Nada a assinalar
15ª-Setúbal(c) V(4-1), Malheiro, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
17ª-Feirense(f) V(1-2), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
18ª-Nacional(c) V(4-1), Jorge Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado

Corruptos
1º-Guimarães(f) V(0-1), Olegário, Beneficiados, (0-0), +2 pontos
2ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Leiria(f) V(1-4), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Setúbal(c) V(3-0), Marco Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Feirense(f) E(0-0), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
6ª-Benfica(c) E(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Académica(f) V(0-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
8ª-Nacional(c) V(5-0), Cosme Machado, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
9ª-Paços de Ferreira(c) V(3-0), Hugo Miguel, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Olhanense(f) E(0-0), Capela, Prejudicados, (0-1), -2 pontos
11ª-Braga(c) V(3-2), Soares Dias, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Xistra, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
13ª-Marítimo(c) V(2-0), Duarte Gomes, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Sporting(f), E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Rio Ave(c), V(2-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
16ª-Guimarães(c), V(3-1), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Gil Vicente(f), D(3-1), Bruno Paixão, Prejudicados, Impossível contabilizar
18ª-Leiria(c), V(4-0), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar

Sporting
1ª-Olhanense(c) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
2ª-Beira-Mar(f) E(0-0), Fernando Martins, Nada a assinalar
3ª-Marítimo(c) D(2-3), Proença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
4ª-Paços Ferreira(f) V(2-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
5ª-Rio Ave(f) V(2-3), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6ª-Setúbal(c) V(3-0), Cosme Machado, Nada a assinalar
7ª-Guimarães(f) V(0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(6-1), João Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Feirense(f) V(0-2, Gralha, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
10ª-Leiria(c) V(3-1), Manuel Mota, Beneficiados, Impossível contabilizar
11ª-Benfica(f) D(1-0), Capela, Beneficiados, Sem influência do resultado
12ª-Nacional(c) V(1-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
13ª-Académica(f) E(1-1), Rui Costa, Nada a assinalar
14ª-Corruptos(c) E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Braga(f) D(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Olhanense(f) E(0-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar(c) V(2-0), Duarte Gomes, Nada a assinalar
18ª-Marítimo(f) D(0-2), Nada a assinalar

Braga
1ª-Rio Ave(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
2ª-Marítimo(c) V(2-0), Soares Dias, Beneficiados (1-0), Sem influência
3ª-Setúbal(f) V(0-1), Hugo Miguel, Beneficiados (0-0), +2 pontos
4ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Costa, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f) E(1-1), Pedro Proença, Nada a assinalar
6ª-Nacional(c) V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
7ª-Leiria(f) D(1-o), Marco Ferreira, Nada a assinalar
8ª-Feirense(c) V(3-0), João Ferreira, Nada a assinalar
9ª-Académica(f) E(0-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
10ª-Benfica(c) E(1-1), Proença, Beneficiados, (0-2), +1 ponto
11ª-Corruptos(f) D(3-2), Soares Dias, Beneficiados, Sem influência no resultado
12ª-Paços de Ferreira(c) V(5-2), Marco Ferreira, Nada a assinalar
13ª-Olhanense(f) V(3-4), João Ferreira, Nada a assinalar
14ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Rui Costa, Nada a assinalar
15ª-Sporting(c) V(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Rio Ave(c) V(2-1), Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado
17ª-Marítimo(f) V(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
18ª-Setúbal(c), V(3-0), Hugo Pacheco, Nada a assinalar

A solidão de Álvaro

"Há pouco tempo, ouvi atentamente uma curta entrevista radiofónica de Álvaro Magalhães. Falava sobre o seu regresso a Angola como técnico do recém-promovido Nacional de Benguela. E denunciava a dificuldade que tem tido em exercer o seu ofício em terras portuguesas. Deste modo incisivo e directo: «Trabalho sozinho. Não pago a assessorias para colocar o meu nome nos jornais. Todos conhecem o meu trabalho como ex-jogador e como treinador. E tenho pena de ter sido forçado a emigrar outra vez (...). Infelizmente há um lobby que está a impedir que alguns treinadores competentes possam trabalhar no nosso futebol.»

Ora aqui está um testemunho lancinante sobre o que se passa (também) à volta do mundo do futebol. Das aparências de imagem, das não notícias meticulosamente transformadas em pseudonotícias, das espertezas de quem dribla melhor fora de campo do que neste, das pressões de intermediários cujo objectivo é a soberana comissão, das manobras de bastidores desumanizadas e enviesadas.

Enfim, de quem não joga ou treina... mas ganha sempre. Com a generosa compreensão do sistema e da sua entropia.

Por isso, Álvaro - que admirei como futebolista de raça e coração e que prestigiou o Benfica e o futebol português - é um treinador só. Uma solidão paradoxalmente por boas razões e decepcionantes consequências. Um emigrante - como outros bons treinadores - porque não entra na roda de certa engrenagem sórdida. Um benfiquista, que depois de ter contríbuido decisivamente para o seu clube ser campeão em 2005 em Trapattoni, foi dispensado como um qualquer."


Bagão Félix, in O Benfica

No mercado do sucesso

"O presidente do Benfica, em tempo útil e com sentido de responsabilidade, não deixou de fazer a advertência. O nosso Clube, a despeito de recuperação financeira que tem garantido nos últimos anos, não poderia exibir-se activo no chamado mercado de Inverno do Futebol.

Luís Filipe Vieira não fez demagogia, quando aludiu aos tempos ásperos que caracterizam a sociedade portuguesa e europeia, também no caso vertente em matéria de Futebol.

O líder Benfiquista, ainda assim, só por mosdétia não se referiu de forma mais altissonante à confiança que o actual quadro de jogadores lhe suscita. Da mesma forma, a todo o Universo Benfiquista.

Apesar de tudo, Djaló ingressou no Benfica? Foi uma questão de oportunidade, amplamente vantajosa, tendo por adquirido que o ex-sportinguista reúne bastante predicados para auxiliar o colectivo nas múltiplas frentes em que estará envolvido nos próximos tempos. Trata-se de um jogador credenciado, de nacionalidade portuguesa, subtraído aos principais rivais, decerto apostado em regressar à ribalta, para mais depois da rábula que o afastou durante alguns meses dos relvados.

Com Djaló e todos os outros, o Benfica tem tudo para manter a senda vitoriosa, marca (felizmente) distintiva da presente temporada. Já outros, em desespero de causa, investiram mais no mercado de Inverno (FC Porto) ou não o fizeram por manifesta fragilidade financeira (Sporting).

É este Benfica que agrada aos adeptos. Competitivamente sólido, financeiramente responsável. A luta, essa, vai continuar a ser árdua. O Inverno já exibiu um novo Campeão? A Primavera conformá-lo-à."


João Malheiro, in O Benfica

Venham mais 4

"Há 37 anos que vejo futebol, e não me recordo de, com cinco pontos de vantagem em plena segunda volta, o Benfica ter visto fugir-lhe um título nacional.

Lembro-me de dois pontos à maior com Quique Flores (na época de 2008/09), mas ainda durante a primeira volta. Lembro-me de ver escapar dois campeonatos nas jornadas finais (1977/78 e 1985/86) com John Mortimore, mas sem que as respectivas vantagens tivessem chegado a ser tão amplas. Ainda andámos pelo primeiro lugar com Paulo Autuori (1996/97) e Jupp Heynckes (1999/00), mas não resistimos ao Natal. De resto, sempre que vi o Benfica tão bem instalado na liderança, o Campeonato acabou vestido de vermelho.

No entanto, e como as estatísticas não marcam golos, ainda é cedo para festividades. Até porque o FC Porto é useiro e vezeiro em recuperação que desmentem qualquer lógica da psicologia de grupo. Existem as equipas normais (que se desmotivam com as derrotas, e se animam, por vezes em demasia, com as vitórias), e existe o FC Porto (cuja constante motivação parece ser totalmente impermeável às circunstâncias). Já os vimos, vezes sem conta, renascer do nada, dados como mortos, e encetar caminhadas triunfais. E não me admirava de os ver agora, com uma série de vitórias consecutivas que, ao mínimo deslize, voltasse a colocar em perigo a nossa liderança. Cinco pontos constituem uma vantagem importante, mas podem voar em duas jornadas, com duas derrotas, quando e onde menos se esperar.

Acredito, ainda assim, que vencendo os próximos quatro jogos (Nacional, viagens a Coimbra e Guimarães, e Porto em casa), só uma tragédia retiraria o título ao Benfica. Dito de outro modo, a partir dessa situação (mais quatro vitórias seguidas), o FC Porto já não poderia ganhar o Campeonato. Só o Benfica (então com, pelo menos, oito pontos para gerir, com vantagem no confronto directo, e apenas nove jogos por disputar) o poderia perder.

Vamos então a essas quatro vitórias. Depois delas, até a prudência parecerá exagerada."


Luís Fialho, in O Benfica

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Obrigado

"From: Domingos Amaral
To: Pablo Aimar

Caro Pablo Aimar
Um dia, com imensa pena, vamos ver-te partir. Regressar a casa, à tua pátria, quem sabe ao teu River Plate do coração, para por fim arrumares as botas. Nesse dia, vamos agradecer-te, vamos homenagear-te, vamos aplaudir-te todos de pé, num adeus sentido e emocionado. Nesse dia, vamos sentir saudades da tua arte, da tua humildade, do teu profissionalismo. Nesse dia, vamos sentir saudades do teu amor pelo nosso país, aonde tu e a tua família se sentem tão bem e toda a gente gosta de ti. Nesse dia, vamos sentir saudades do teu comportamento, em campo e fora dele, da tua forma honesta de jogares. Nesse dia, vamos sentir saudades das tuas tabelinhas, das tuas danças com a bola nos pés, dos teus passes de morte, da tua visão de jogo, da tua solidariedade para com os teus companheiros. Nesse dia, felizes, vamos dizer bem alto: eu sou do tempo de Aimar, eu vi o puro talento neste estádio a quem tu dás ainda mais luz, eu vi um homem cavalheiro como poucos com o emblema do Benfica ao peito, em vi um génio a honrar a nossa camisola. Nesse dia, vamos dizer que contigo ganhámos muito, títulos e taças, e que contigo sonhámos e os sonhos tornaram-se realidade, e o Benfica jogava como nós sempre imaginámos desde miúdos e ganhava e marcava golos, muitos golos. Nesse dia, vamos sentir um vazio nos nossos corações e no nosso meio-campo, vamos procurar-te com os olhos e tu não vais estar lá para nos resolver as nossas aflições e os nossos jogos e vamos ter saudades, tantas saudades que até vão doer. Graças a Deus, este não é ainda esse dia. Obrigado Pablo, por passares mais um ano connosco."


segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Rescaldo... só falta mais um bocadinho!!!

Os velhos senhores

"«La Vecchia Signora»: A Velha Senhora. É assim que lhe chamam. Poderia haver alcunha mais sinistra para um clube? Não é fácil encontrá-la. A Velha Senhora é o clube do poder. Não do poder eleito, mas do poder constituído. O poder das grandes famílias: o velho poder. A história da Velha Senhora é uma história muita antiga, cheia de episódios macabros. A Velha Senhora tem o armário cheio de esqueletos. Houve tempos em que os patrões da Velha Senhora eram, simultâneamente, os patrões da marca de automóveis que patrocinava os árbitros. Só uma voz se levantou, no Parlamento, para denunciar tal atrocidade. Calaram a voz. E os árbitros continuaram, por muito mais anos, a viajar em automóveis construídos pelos patrões da Velha Senhora são, também, patrões de uma poderosa cadeia de meios de Comunicação, à qual pertencem dois dos maiores jornais de Itália.

A Velha Senhora foi sempre tratada com a consideração que é devida a uma senhora velha nas páginas desses jornais. E a Velha Senhora tinha vícios secretos que não convinha serem divulgados, pois um manto de silêncio tratava de envolver confortavelmente os ombros da idosa figura. A Velha Senhora teceu durante décadas uma teia de sedosa corrupção. E viveu convicta de que nada poderia, alguma vez, pôr em causa o seu poder antigo. O problema dos velhos senhores é que o tempo passa por eles e eles não dão pelo passar do tempo. E a Velha Senhora sofreu a ignomínia do escândalo e o ferrete da vergonha.

A história parece-vos conhecida? Não estranhem. Há gente que além de carecer de seriedade tem falta de imaginação. Esta semana a Velha Senhora queixou-se dos árbitros. A falta de subservivência, a ausência dos favores de outrora, fazem confusão à anciã. Não apenas a ela. Também a outros esclerosados senhores cuja memória fede de episódios podres. A Velha Senhora dificilmente deixará de ser intimamente corrupta. Mas não é só ela, pois não?"

Afonso de Melo, in O Benfica

O aviso trágico de Port Said

"A primeira vez que li sobre a cidade de Port Said foi no livro 'O Egipto', de Eça de Queiroz, uma obra de juventude que revelava já o extraordinário talento literário e jornalístico daquele que viria a ser autor de 'Os Maias'. Port Said, num tempo em que se viajava pouco, devido às dificuldades com os transportes, ainda lentos e arcaicos, era um nome envolvido pelo mistério das paragens exóticas.

Desta vez o nome ressurgiu associado a uma das maiores tragédias de história do Futebol, com 74 óbitos registados em consequências da violência com que a equipa visitante, o Al-Alhy, treinado por Manuel José, mesmo perdendo, foi tratada pelos adeptos enfurecidos do Al-Masry, que cercaram a mataram pessoas totalmente indefesas nos balneários, no relvado e nas bancadas.

Este quadro de violência extrema só pode ser entendido se tiver em fundo a profunda tensão política, social, económica e religiosa que envolve um país de história milenar, com uma população de mais 80 milhões de habitantes.

Muito boa gente, no chamado Ocidente, convenceu-se de que a 'primavera árabe' iria franquear as portas a saudáveis e sustentáveis democracias de tipo europeu ou norte-americano. Esqueceram-se, porém, de que a realidade política e religiosa dessas países nada tem a ver com a nossa e também de que, na sombra, nunca deixaram de actuar, de forma sistemática e experiente, as forças do Islão radical, prontas a chegar ao poder por via eleitoral para depois imporem todas as restrições resultantes de uma leitura fundamentalista do Corão.

Foi o choque dessas forças com as restantes que deu origem a uma tragédia como a que ensombrou Port Said e a história do Futebol. Quem quer dar dimensão mediática à violência, escolhe, em regra, grandes espaços como os estádios de Futebol para que a mensagem se globalize e chegue a todo o Mundo. Foi o que aconteceu e poderá voltar a acontecer noutros países com idênticos problemas, caso não sejam tomadas a tempo as medidas adequadas."


José Jorge Letria, in O Benfica

Objectivamente (África)

"As recentes passagens por África da equipa de Juniores do Benfica têm entusiasmado não só os adeptos, que estão, assim, mais próximos do Clube do seu coração, como igualmente treinadores e dirigentes que têm sentido bem de perto aquele «calor especial» próprio das gentes africanas.

Recentemente foram duas deslocações à Guiné e Angola. Muito proximamente será a equipa principal que rumará a Luanda para participar num grandioso torneio Lusófono com Sporting, FC Porto e as melhores equipas angolanas - segundo anunciaram fontes próximos dos Ministros dos Desportos - o que levou de imediato a grandes ondas de entusiasmo, fazendo recordar os bons velhos tempos em que eram frequentes jogos entre Benfica e Sporting, quer em Angola, quer em Moçambique. Foi dessas ligações fraternas que Benfica, Sporting e a Selecção Nacional descobriram valores como Eusébio, Coluna, Hilário, Néné, Vicente e Matateu.

No início da semana, quando foi inaugurada a nova sede da CPLP em Lisboa, com a presença dos mais importantes diplomatas de todos os países lusófonos, foram muitas as ideias lançadas para fazer essa reaproximação ao grande continente. Falou-se muito na abertura e estudo de novas condições para igualdade de estatutos. Pode ser que seja desta a abertura de uma nova via de aproximação entre Portugal e estes países irmãos de África. Recordo que neste momento os jogadores brasileiros têm estatuto privilegiado em relação aos africanos. Estes têm de procurar parentes para que lhes seja concedido igual estatuto.

No Benfica veja-se como sempre foram acarinhados os jogadores africanos. Mantorras é um exemplo dessa extraordinária relação sentimental de carinho e afecto. Até Yannick Djaló, luso-guineense, foi recebido como um príncipe. Vai ser a nova coqueluche dos benfiquistas porque ele também merece pela sua humildade e profissionalismo. Somos assim, e não devemos perder esta virtude por razão nenhuma."


João Diogo, in O Benfica

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Campeões Nacionais Absolutos em Pista Coberta - Masculinos

O ano passado este Campeonato ficou marcado pela polémica, após várias decisões e atitudes 'estranhas' dos juízes, mas este ano, mesmo com algumas limitações na nossa equipa, devido a lesões, os nossos Homens sagraram-se Campeões Nacionais de Pista Coberta. Foram 106 pontos contra 103 do Sporting que assim não conseguiu o 17ª título consecutivo!!!
Vários atletas mereciam referência, mas realço as vitórias do Yazaldes nos 60m (derrotando o Obikwelu) e nos 200m (mesmo lesionado)!!! E o Marco Fortes, que bateu novamente o recorde nacional do lançamento do Peso, com 20,91m!!! Melhorando a marca obtida a semana passada na Polónia. Curiosamente tal como o ano passado, o seu lançamento foi anulado, mas desta vez mediaram a marca, e após o protesto ter sido considerado válido, a marca tornou-se oficial!!! A má vontade mantém-se, mas pelo menos aprenderam alguma coisa...!!!
A muito jovem equipa feminina ficou em 2º lugar, bastante longe do Sporting, mas praticamente todas as atletas pertencem aos nossos escalões de formação, num futuro próximo também podemos ambicionar à vitória no feminino.






Vencer sem convencer



Benfica 84 - 78 Guimarães

20-21, 16-28, 22-11, 26-18



É verdade a entrada na 2ª parte foi muito boa, mas toda a 1ª parte foi muito má !!! Os lesionados tardam em regressar, a rotação é curta, alguns jogadores parecem limitados, a equipa defende quase sempre mal, o ataque é demasiado individualista, hoje por incrível que possa parecer perdemos a luta pelos ressaltos, e provavelmente o mais grave: a equipa parece que está a regredir desde do início da época!!!

Mais uma vitória



Esmoriz 0 - 3 Benfica

16-25, 13-25, 15-25

Recital


RESUMO - Benfica 4-1 Nacional




Tugagolo Myspace Video





Benfica 4 - 1 Nacional



Um dos melhores jogos da época, mesmo sem dois titularíssimos, a equipa esteve implacável... acho mesmo que o Nacional teve muita sorte, porque a cabazada podia ter sido histórica!!! Os jogadores em destaque foram quase todos, tivemos momentos colectivos muito bons, mas realço o regresso do Gaitán à forma condizente com as suas qualidades.
Quando o Benfica começa a 'atropelar' os seus adversários mesmo quando joga em claríssima inferioridade numérica desde do 1º minuto, é um excelente indicador...
Faltam 12 jornadas, mas 10 vitórias nos próximos 10 jogos, é suficiente para cumprir os melhores desejos do Pablito...!!!
Agora temos a Champions. À nossa espera temos um inferno gelado. Mais do que a temperatura, as condições do relvado metem-me medo!!! Deverá ser 'pedra', além das potenciais lesões, o nosso jogo pelo 'chão' terá dificuldades em fluir... Já vi o Aimar, esta época, ser o melhor jogador na piscina da Figueira, mas para Quarta, se calhar será o sacrificado!!! O Matic hoje esteve muito bem, espero que mantenha o nível...




A caminho dos Quartos-de-Final !!!

Energia Lignitul Pandurii Targu-Jiu 27 - 33 Benfica
Tavares(9), Pedroso(5), Graça(4), Roque(4), Carneiro(3), Costa(3), Grilo(3), Carmo(1), Pais(1), Areia, Lopes, Silva, Zaikin, Candeias, Ferreirinho


Excelente vitória, na 1ªmão dos Oitavos-de-final da Taça das Taças, na Roménia... bom prenúncio para o jogo da Luz... Parece que a neve fora do pavilhão era muita, mas a equipa não se incomodou... São vitórias destas que dão moral, espero que os jogadores tenham compreendido que só dando 100% em todos os jogos, podemos triunfar, e assim acabar de uma vez por todas, com as 'brancas' desta equipa!!!

Imbatíveis




Benfica 3 - 0 Fonte Bastardo

25-19, 25-15, 26-24


Continuamos demolidores: no 1º Set houve equilíbrio mas na ponta final não demos hipóteses, no 2º Set os Açorianos cedo desistiram da vitória no Set!!! O último Set começou 'estranho', com ambas as equipas a marcarem vários pontos consecutivos, o Benfica chegou a ter uma vantagem 'segura' aos 20 pontos, mas permitimos a recuperação. No último fôlego, terminámos com o jogo...!!! Época perfeita, até agora...!!!

Jornada moralizadora !!!

Benfica 5 - 2 HC Tigres de Almeirim



Obrigação cumprida... Com a derrota dos Corruptos no Pico (o Quim Pinto não deve ter apitado o jogo, a semana passada esteve no nosso...!!!), neste momento voltámos a depender exclusivamente dos nossos resultados. É verdade que também temos que ir aos Açores, mas recebemos os Corruptos na Luz. Depois da desilusão da semana passada, é moralizador voltar a estar nesta posição... Agora, é só ganhar todos os jogos!!!