Últimas indefectivações

sábado, 13 de dezembro de 2014

Remontada desnecessária...!!!

Benfica 5 - 2 Quévert

Qualificação garantida, num jogo que tornámos muito difícil. Com 1-0 ao intervalo, obtido nos últimos minutos, entrámos muito mal na 2.ª parte, permitimos contra-ataques perigosos aos Franceses, que acabaram por dar a volta ao resultado... a equipa parecia perdida no meio do estilo conflituoso do adversário, sofremos mesmo um penalty um 1-2, que o Trabal defendeu (e a recarga também, e a recarga à recarga também!!!)... Após o desconto de tempo, a equipa voltou a jogar com cabecinha, e os golos foram aparecendo naturalmente...

O próximo jogo é com os Corruptos, não sei se isso afectou a concentração para este jogo, mas podíamos e devíamos ter jogado melhor...

Curiosamente na Liga Europeia, vamos decidir o 1.º lugar do grupo com o Barça na Luz, e se quisermos evitar os Corruptos nos Quartos-de-final temos que vencer o Barça!!!

Vitória na Maia

Maia 59 - 84 Benfica

Jogo controlado praticamente desde do início.
A nota mais importante, acaba por ser a ausência do Carlos Andrade: parece que a lesão é mais grave do que se pensava inicialmente... depois do Carreira, e do Ferreirinho, temos outro lesionado de longa duração!!! Isto já começa a ser problemático, ainda por cima tudo jogadores exteriores... a confirmar-se, creio que já começa a fazer sentido um retoque no plantel. Só falta um jogo Europeu, mas mesmo para os play-off's, é arriscado jogar com tão poucas opções para a posição 1, 2 e 3 !!!

Liderança incontestável...

Benfica 4 - 0 Fundão

A equipa continua a demonstrar muita garra, e muita inteligência, na forma como disputa as partidas. Tivemos alguns jogos onde o problema foi a finalização, mas quando marcamos cedo, tudo fica mais fácil... Nem mais uma arbitragem surreal, acabou por nos retirar pontos!!!

2.º tempo demolidor

Santo Tirso 17 - 31 Benfica

Os parciais são esclarecedores, 1.ª parte: 12-14; segundo tempo: 5-17 !!!

Só nas 'vantagens'...

Esmoriz 0 - 3 Benfica
15-25, 22-25, 26-28

Primeiro Set tranquilo, mas depois muito equilíbrio... estivemos mesmo a perder no 3.º Set na parte final, mas conseguimos dar a volta, e vencer nas vantagens...

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Fazer um bom jogo no domingo

"Esta quarta-feira houve sorteio da Taça da Liga, prova que Benfica e FC Porto querem muito ganhar. Um porque ganhou quase todas as edições anteriores e o outro porque nunca ganhou nenhuma vez a competição.
Talvez por isso Benfica e FC Porto utilizaram a Liga dos Campeões para testar jogadores e soluções e soluções para a Taça da Liga. Em ambos os casos há motivos de sobra para Jorge Jesus e Lopetegui estarem satisfeitos, são os grandes candidatos à vitória na importante prova nacional. Há recursos e matéria-prima.
Embora eu não acredite numa palavra do que disse o presidente leonino sobre a equipa que irá apresentar nesta prova. Penso mesmo que jogará com os melhores, e faz muito bem se assim for, porque há muito mérito do Sporting e dos seus dirigentes na génese desta competição. Eu, como a generalidade dos benfiquistas, quero muito ganhar a Taça da Liga.
Com a nomeação de Jorge Sousa as hipóteses do Benfica no Dragão estão reduzidas a quase zero. Mas sobre este tema não direi mais nada, porque há um histórico de factos que durante dez anos o ilustra. Imaginem os adeptos do FC Porto se nomeassem para este jogo o árbitro Bruno Paixão. Já sabem agora como nos sentimos nós benfiquistas, mas neste caso, com dez vezes mais razões de queixa.
Resta ao Benfica tentar em campo fazer um bom jogo, contra um adversário que tem muitos e bons jogadores e que será o nosso rival na luta pelo título até ao fim.
Na semana passada foi lançado um livro, Plantel Glorioso, que tem como co-autor João Tomaz, filho de um dos maiores benfiquistas que conheci, daqueles que servem o clube de forma altruísta e apaixonada, sem nada pedir que não seja um Benfica sempre mais forte e mais vencedor. Só o ADN do autor merece uma visita ao livro por parte dos benfiquistas."

Sílvio Cervan, in A Bola

Transparência ou boas-fés?

"Defendo, há muito, a impossibilidade de clubes do mundo escalão partilharem direitos sobre um mesmo jogador - seja a título de empréstimo, seja mediante qualquer outro enquadramento contratual.
Todavia, a regulamentação em vigor (ainda) não apronta nesse sentido, privilegiando os interesses dos atletas, e acreditando que a boa-fé proteja, por ela própria, o interesse do adepto pagante e a verdade desportiva.
Neste contexto, parece-me mais razoável que um ou outro jogador, num ou outro jogo, se vejam impedidos de defrontar clubes com os quais têm ligação, do que fazê-lo, e, então sim, abrir espaço a todas as suspeitas - sobretudo se o seu desempenho não foi o mais feliz.
Vivemos no país do Apito Dourado. Vivemos num país em que uma partida decisiva para a atribuição do título teve frente a frente aqueles que viriam a sagrar-se campeões, e seu futuro treinador e alguns dos seus futuros jogadores.
Vivemos num país em que certas exibições, de certos defesas ou guarda-redes, deixaram no ar um certo sentimento de estranheza, sempre que enfrentavam clubes com os quais se viriam a vincular pouco depois. Ainda me recordo, também no caso Cadorin, e, mais remotamente, de um autogolo de Manaca. Tudo isso deixou-me um irreversível sentimento de desconfiança no futebol português, e na grande maioria dos seus agentes. Por isso, quando se trata de futebol português, a boa-fé é uma treta.
O Benfica-Belenenses foi um jogo transparente. Não que, com a presença de M. Rosa e Deyverson, deixasse de o ser. Mas, nestas coisas, além de ser, é importante parecer. Quer se trate de um Benfica-Belenenses, de um P. Ferreira-FC Porto, de um Leixões-FC Porto, ou de um V. Guimarães-Sporting.

PS: No domingo a liderança estará em jogo. Não sendo uma partida decisiva trata-se, porém, de um momento importante para o futuro do campeonato. Espero que tudo decorra dentro da normalidade, e que não haja qualquer interferência externa ao normal desempenho dos jogadores. Assim, o Benfica ficará mais perto da vitória."

Luís Fialho, in O Benfica

O momento decisivo

"Agora sim, o Benfica aproxima-se de um primeiro momento decisivo na época 2014/2015. Para além de uma competição que, em termos de motivação, vai exigir um esforço suplementar por parte do plantel comandado por Jorge Jesus - nomeadamente pelas mais que conhecidas razões financeiras - os jogos com o FC Porto e com o Sporting de Braga constituem, de facto, os desafios mais importantes até agora impostos pela presente temporada.
O jogo frente ao FC Porto dispensa razões justificativas da sua importância. Para além do clássico do futebol português, apenas três pontos nos separam dos nossos adversários nortenhos. O Sporting de Braga, por sua vez, já demonstrou que, quando a arbitragem não brilha pelas melhores razões, é capaz de causar sérios problemas ao Benfica.
Temos, portanto, dois gigantescos desafios pela frente, que representam uma prova de fogo à capacidade de liderança deste Benfica. Vencer o colectivo de Lopetegui será fundamental para nos isolarmos na liderança e começarmos a solidificar a primeira posição já para a segunda volta do campeonato nacional. Derrotar a equipa minhota é imprescindível para deixar claro que a derrota em Braga foi um desaire auxiliado por uma péssima arbitragem... e nada mais!
O jogo frente ao FC Porto terá ainda, no entanto, outro nível de importância: será o desafio da cultura de jogo frente à irregularidade. O confronto entre a cultura de jogo consolidado de Jorge Jesus com a mal afamada rotatividade persistente de Lopetegui. A magia de Gaitán e a beleza concretizadora de Talisca frente aos possantes Brahimi e Jackson Martinez. A vitória do Benfica será, por isso mesmo, a vitória da táctica e da cultura de jogo ofensivo e do risco. Jesus gosta de assumir riscos... e nós gostamos de ver jogar um Benfica assim."

André Ventura, in O Benfica

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

A paixão, o 'fair play' e a ciência

"Uma coisa é certa: não foi por causa dos apanha-bolas que, segundo Mourinho, derrotaram o Chelsea em Newcastle, que o Benfica saiu tão cedo da Europa.

O Benfica despediu-se anteontem da Europa. Para recordar de bom desta campanha triste, apenas três situações:
1) Na Luz, os aplausos do público a recompensar a exibição digna e em inferioridade numérica no jogo com o Zenit. É a paixão.
2) Em São Petersburgo, a atitude de Nico Gaitán interrompendo o jogo quando se isolava ao dar conta que o adversário que o perseguia, Javi Garcia, caiu redondo a contas com uma distensão muscular. É o fair-play.
3) De novo na Luz, e no jogo da despedida, a apresentação em público do resultado de um trabalho laboratorial de aparente sucesso: a transformação de Pizzi num clone de Enzo Pérez. É a ciência.
A campanha foi triste mas não foi infame. O Benfica terminou o seu percurso europeu com 5 pontos que não lhe valem de nada mas que valeram, por exemplo, os mesmos 5 pontos ao Liverpool para seguir para a Liga Europa.
Já na temporada anterior, o Benfica somou 10 pontos na fase de grupos da Liga dos Campeões, 10 pontos que o relegaram para a Liga Europa enquanto noutros grupos o mesmo número de pontos chegou e sobrou a quem os somou para seguir em frente na competição mais importante.
Em Londres, o nosso Mourinho, na mesma semana em que acusou os apanha-bolas de serem responsáveis pela derrota do Chelsea em Newcastle, mostrou-se estupefacto com os «falhanços» europeus do Benfica.
É porque não viu os nossos jogos. Quem os viu constatou que o Benfica perante três adversários de igual valia, só se conseguiu superiorizar-se ao Mónaco perdendo inapelavelmente nas duas mãos dos confrontos directos com o Zenit e com o Bayer de Leverkusen.
E porquê? Porque os adversários foram substancialmente melhores em campo. Não foi, certamente, por causa dos apanha-bolas que o Benfica saiu da Europa.

O denominado «caso dos casuals», que, na verdade, fez correr pouca tinta no rescaldo extra-futebol do último FC Porto-Sporting a contar para a Liga, volta agora aos jornais. O Ministério Público entendeu acusar 87 cidadãos do crime de «participação em rixa» e pede para todos a mesma pena: a proibição de entrada em recintos desportivos.
Foi também assim que a solene Inglaterra resolver de uma penada o seu problema com os hooligans. Obrigando-os a apresentar-se em esquadras de polícia à hora dos jogos e, para reforçar a ideia, estacionando à porta dos estádios umas quantas carrinhas - vans em inglês -, logo humoristacamente apelidadas de hollivans, que se destinavam a arrecadar da via pública qualquer espectador que se portasse mal ou que, pelos seus maus modos, constituísse ameaça ao decorrer pacífico da função.
Entre os 87 acusados de participação em rixa figuram adeptos de ambos os clubes - deveremos chamar-lhes adeptos? - e entre eles figura Fernando Madureira, o líder dos Super Dragões e autor da mais confessional autobiografia que honra a biblioteca do futebol português.
Cumprindo-se a vontade do Ministério Público, o que seria de pasmar, Fernando Madureira fica impedido de entrar em recintos desportivos. Fica, portanto, com mais tempo livre para emprestar toda a sua vasta gama de conhecimentos teóricos e práticos em acções de formação para jovens árbitros sob o alto patrocínio da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol, vulgarmente conhecida por APAF.
Chegamos assim ao fim do ano com duas notícias - ainda longe de estarem confirmadas, note-se bem - que destituiriam o futebol português de duas das suas mais carismáticas personalidades. Ou não é?
1) O árbitro Pedro Proença garante que não apitará mais em Portugal.
2) O Ministério Público não garante mas recomenda a interdição do estatuto de espectador a Fernando Madureira.
Se assim acontecer, prevê-se um ano de 2015 com menos polémica estéreis e com mais, muito mais acções de formação.
Querido Rúben Amorim, não voltes a cair na esparrela.

O Rio Ave encerrou o ano em bom estado. Um resultado liquído positivo de 20 mil euros foi apresentado e aprovado pelos sócios. É o sexto ano consecutivo em que o Rio Ave apresenta lucro. Estas coisas impressionam sempre. Parabéns ao Rio Ave, campeão das boas contas.

VAMOS perder Maxi Pereira. Tenho muita pena. Basta ler os jornais para adivinhar que o uruguaio, cujo contrato com o Benfica termina no próximo verão, certamente sairá neste Janeiro de modo a ainda permitir um pequeno encaixe ao clube que representou e defendeu (sim, defendeu muito) durante meia dúzia de anos. Pelas minhas contas, Maxi Pereira nunca gozou férias, tantas foram e continuam a ser as deslocações intercontinentais para jogar pela selecção do seu país. Nunca gozou férias nem nunca se queixou.
É verdade que algumas vezes nos fez perder a paciência mercê de umas paragens em campo, parte, Maxi nunca parou de correr por aquele corredor direito acima e abaixo, as vezes que fossem necessárias.
Leio hoje que o Liverpool se prepara para dar 5 milhões ao Benfica no Ano Novo pelos serviços do uruguaio que sairá de borla da Luz se cumprisse o seu contrato até ao fim. Por um lado, estou conformada. Por outro lado, ainda acredito no Pai Natal.

NO sábado à tarde, na Luz, o Belenenses rematou pouco à baliza do Benfica. Rematou mesmo muito pouco. Um dos poucos lances perigosos do Belenenses aconteceu ao minuto 34 quando Fredy, depois de se desembaraçar de André Almeida, rematou fraco e ao lado do poste esquerdo da baliza de Júlio César.
No momento, dei comigo a pensar:

- Se fosse o Deyverson ou o Miguel Rosa a fazer um remate destes íamos de ter de ouvir das boas dos nossos impolutos rivais durante uma semana!
Mas o Deyverson e o Miguel Rosa, como é do conhecimento geral, nem sequer se equiparam à pala de um eventual acordo entre as SAD do Benfica e do Belenenses, ambas detentoras em percentagens desiguais dos direitos de transferência da famosa dupla ausente do antiquíssimo clássico lisboeta.

É o que se diz.
Nunca o Belenenses, nunca o Benfica falarem oficiosa ou oficialmente sobre este assunto. Perante o silêncio, a imprensa supõe e a opinião pública vive de suposições, o que sempre vai ajudando à festa.
Eu, por exemplo, suponho que se a moda pega internacionalmente qualquer dia deixa de haver jogos da Liga dos Campeões porque as grandes estrelas, pertencendo a clubes diferentes mas a fundos de investimento comuns, passam a constituir matéria permanente de conflito de interesses e, por essa legítima razão, nem se podem equipar.
Compreendo a revolta dos adeptos do Belenenses. Seria exactamente igual à minha se o caso se desse ao contrário. Trata-se de um episódio lamentável, dispensável independentemente das cores.
E causa-me incómodo e desgosto só de pensar que daqui a uns meses, no jogo da segunda volta, vamos ter de passar por isto tudo outra vez. Para quê?

TALISCA entrou a matar na sua época de estreia na Europa e agora, que o fim do ano se aproxima, parece ter perdido gás e fulgor. Ouço dizer aos areópagos benfiquistas que a ida ao escrete lhe fez mal. Não concordo.
Outros, mais minuciosos, explicam a quebra de Talisca pelo facto de não gozar férias há mais de um ano. Concordo. Em questão de férias por gozar e de trabalho acumulado ao mais alto nível não é Maxi Pereira quem quer, só é Maxi Pereira quem pode.

PS: Ontem, vendo Matic com a corda toda tive, por vezes, o adoce sensação de que o Benfica, afinal, ainda estava na Europa."

Leonor Pinhão, in A Bola

A lição vinda de Dortmund

"A entrada para a última jornada, o Dortmund era o lanterna vermelha na Bundesliga. Ganhando sofridamente no sábado, continua, ainda, na zona de despromoção. Ao invés, na Liga dos Campeões e, à 5.ª jornada, já estava apurado para os oitavos de final com 4 vitórias em 5 partidas.
Estranho, não é? Um clube que está entre os melhores da Europa, o único que, de ora em vez, se atreve a incomodar o imperial Bayern, está a fazer campeonato para esquecer. Bem sei que foi atingido por onda de lesões e que o seu avançado Lewandowski foi para o rival bávaro.
Acontece que isto se passa tudo no país que agora está na moda criticar por todo e qualquer motivo: a Alemanha. O seu campeonato de futebol não será (faca ao inglês e espanhol) o mais espectacular, mas, para mim, é o mais consistente no jogo jogado e o mais racional e sustentável no jogo financeiro. E o mais competitivo de todos (à parte do Bayern orientado pelo melhor treinador do mundo, Pepe Guardiola).
Só assim se pode entender esta descida (temporária) ao inferno do clube treinado pelo carismático Jurgen Klopp. Mas também só neste clube é possível ver o seu Signal Iduna Park sempre cheio, independentemente dos resultados, e apoiando incondicionalmente jogadores e técnico. Notável e comovente o cartaz exibido pelos sócios no último jogo: «Und wenn du fallst, bin ich bei dir (quando tu caíres, eu estarei contigo)»!
Imagino como seria bem diferente um jogo de um dos nossos grandes estando no último lugar da tabela... E onde já estaria qualquer «treinador forever»... Os alemães podem não ter todas as qualidades, mas têm o essencial: qualidade."

Bagão Félix, in A Bola

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Injusto... e mais alguma coisa!!!

Benfica 32 - 32 Sporting

Final de jogo impressionante: Sporting empata num livre de 7 metros, que contraria todo o critério usado durante o resto do jogo; o Benfica tem quase 1.30m para atacar; marca inclusive um golo que é anulado, para se marcar um Livre de 9 metros, quando a falta da defesa do Sporting, devia ter dado Livre de 7 metros, e exclusão de 2 minutos; faltas constantes do Sporting para parar o ataque do Benfica, sem que o relógio tivesse sido parado; a 8 segundos do fim, mais uma falta, onde o jogador do Sporting pega na bola e atira-a para longe, já depois do apito... consequência: José Costa, pivot do Benfica, excluído por protestos; como não bastasse o Livre de 9 metros marcado no último segundo a favor do Benfica, com a barreira do Sporting que devia estar nos 6 metros, a avançar, e quando o Borragan rematou estavam a menos de 1 metro!!! E assim se resolve um jogo de Andebol, e mesmo assim foi quase golo...!!!
O Benfica cometeu alguns erros durante o jogo, mas cometer tantos erros, em menos de 1.30m, sempre para o mesmo lado, é muito difícil de compreender... E não se pense que o resto da partida foram só boas decisões... mas este final de jogo foi absurdo...

O Benfica aplicou a receita do costume, muita rotação, muita entrega, mas com os impedimentos o plantel está curto... e depois somos 'obrigados' a jogar largos minutos, com o Pedroso a defender, e o Cavalcanti a atacar!!!
Mantenho tudo o que tenho dito, esta equipa tem tudo para melhorar, principal a defender, e acredito que no Play-off vamos estar mais fortes...

Boa réplica... mas insuficiente

Benfica 86 - 96 Nanterre
14-27, 17-27, 28-20, 27-22

Um Benfica a 100%, numa noite inspirada poderia vencer... mas além das lesões prolongadas (Carreira e Ferreirinho), o Carlos Andrade também ficou de fora, e assim ainda foi mais complicado.

O jogo dificilmente poderia ter começado pior 0-11 !!! Aliás estes tipo de parciais acabaram por marcar o jogo, sempre que o Benfica ameaçava aproximar-se os Franceses 'cavavam' a diferença... no final do 2.º período aconteceu o mesmo, com um 4-16... E mesmo no 3.º período onde jogámos muito bem, nos últimos minutos voltámos a permitir um 'pequeno' parcial de 2-6... que nos mandou para os últimos 10 minutos com 15 pontos de atraso em vez de 11 !!!
Mesmo assim, nos últimos 2 minutos do jogo, conseguimos reduzir para 6 pontos de diferença, mas não deu... Num jogo onde chegámos a ter mais de 20 pontos de desvantagem, acabou por ser um resultado 'agradável', houve momentos que os Franceses afrouxaram um pouco, mas a recuperação deveu-se essencialmente ao facto do Benfica não ter desistido.

Nós temos vários Americanos de qualidade, mas são todos veteranos, os Franceses têm ainda mais, e todos na flor da idade... O Weens, o Shuller e até o Passave seriam 'reis' em Portugal!!!

O João Soares até me tem surpreendido pela positiva, mas a saída do Betinho foi muito importante, nestes jogos a combinação Jobey/Betinho ofensivamente daria outra dimensão ao jogo do Benfica, e mesmo defensivamente o Betinho era muitas vezes o nosso melhor ressaltador.

Falta um jogo Europeu, apesar da vitória na Finlândia, o jogo não será fácil, mas temos a oportunidade de terminar esta aventura Europeia com uma vitória na Luz, mas não podemos ter as 'brancas' que tivemos hoje!!!

A propósito do último jogo para a Liga

" «A Bola» sempre foi um espaço de liberdade. É com esse estado de espírito que escrevo sobre a crónica do Benfica-Belenenses na edição do passado domingo. Para a contrariar, sabendo, de antemão, quão subjectivo e discutível é analisar um jogo. E tendo consciência de que, face ao meu clube de coração, não me consigo libertar de uma natural parcialidade.
Transcrevo algumas frases de Hugo Vasconcelos no seu resumo do jogo: «Como símbolo de uma exibição desastrada do Benfica, sem imaginação, (...) foi o lance perfeito (referindo-se aqui ao atraso em balão de Benito para Júlio César, quase no fim dos 90 minutos).» Mais à frente: «Hoje a pressão sobre o adversário é uma utopia, e em vez de um ataque do Benfica demorar cinco segundos demora agora um ou dois minutos». Para concluir: «A águia continuava uma nulidade (...) mal justificava o bilhete de metropolitano», rematando com uma imagem (no mínimo estranha) referindo-se a Gaitán que «será uma flor ainda mais bonita por nascer no meio do alcatrão».
O Benfica não fez uma exibição de encher o olho, claro. Aliás, nem era possível dada a atitude do Belenenses que só pôs onze jogadores à frente da baliza. Mas daí a epitetar a exibição de desastrada equiparando-a ao estúpido e caricato lance de Benito, dizer que a pressão sobre o adversário é uma utopia, que a exibição foi uma nulidade e que o plantel é alcatrão vai a distância entre a hipérbole e a exactidão. Que me perdoe o excelente profissional de A BOLA, mas talvez tenhamos visto jogos diferentes de uma equipa que, pese embora não estar aos níveis exibicionais de 2013/14, vai em primeiro lugar no campeonato."

Bagão Félix, in A Bola

PS: Infelizmente, este exemplo não é único, bem pelo contrário, é a regra... o ex-oitavo classificado no actual campeonato, actualmente no maravilhoso 4.º lugar, é que pratica futebol do mais alto nível...

6 anos BTV

Parabéns à nossa Televisão, projecto unânime no universo Benfica, uma das principais armas contra o Sistema, e que ainda hoje deixa muita gente nervosa...

Objectivo Coimbra...

Realizou-se hoje o sorteio para a fase de grupos da Taça da Liga. O calendário será assim:
Benfica - Nacional
Benfica - Arouca
Moreirense - Benfica

Em caso de vitória no grupo, vamos cruzar com o vencedor do grupo C, na Luz:
Sporting (juniores?! Equipa B?!), Guimarães, Belenenses, Setúbal, Boavista (Sim, com 5 equipas!!!)

Como todas as competições são para ganhar; ainda ontem as nossas segundas opções deram excelentes indicações...; e como nesta Taça até temos um historial engraçado!!!
Objectivo Coimbra...

Despedida... com sinais positivos

Benfica 0 - 0 Bayer Leverkusen

Normalmente sou eu a tentar convencer os outros a irem à Catedral, hoje, foi ao contrário!!! As expectativas eram baixas, e as muitas alterações no onze, num cenário pessimista, até podiam dar em desgraça... Mas apesar do frio, não fiquei arrependido em ter ido à Luz. O jogo até foi agradável, e as segundas opções, deram excelentes indicações... Agora no final do jogo é fácil falar, mas quando o onze foi anunciado, poucos (além do Jesus!!!), acreditavam num resultado positivo!!! E a vitória só não apareceu, porque voltámos a falhar muitos golos, alguns escandalosos... com o Lima mais uma vez em destaque!!! E assim, ficámos a zero na Luz, algo que é muito raro, na era Jesus... Isto contra um Bayer que precisava de ganhar, para garantir o 1.º lugar, e que jogou com a equipa base, dando descanso somente aos dois avançados, que entraram na 2.ª parte...
Esta Champions começou a correr mal no sorteio; no 1.º jogo aos 20 minutos tínhamos 2 golos sofridos, e 1 jogador expulso (nos restantes 2 jogos, e 70 minutos, não voltámos a sofrer um golo na Luz!!!); terminámos 3 jogos em inferioridade numérica; e tanto no Mónaco como na Rússia falhámos golos incríveis, em dois jogos onde não fomos inferiores, e não conseguimos ganhar!!!
A juntar a isto, este Bayer que é claramente a melhor equipa deste grupo, perde os dois jogos com o Mónaco...!!! Nada correu bem, nesta edição da Champions... agora, que nada pode ser alterado, é aproveitar esta eliminação precoce, e pôr toda a carne no assador do Campeonato!!!
Só alguém muito mal intencionado, poderá ignorar a qualidade do trabalho que é efectuado no Benfica. Este jogo provou mais uma vez, que o nosso treinador é competente. Não é nada fácil (nem habitual), num jogo da Champions, que uma equipa consiga mudar tanto, e mesmo assim mantenha a estrutura de jogo... Faltou algum do aroma artístico (do Nico por exemplo...), mas o posicionamento, as movimentações são as mesmas. Basta analisar a exibição dos nossos Centrais (César, Lisandro), e comparar as primeiras exibições, com a performance desta noite... Muitas melhorias... Nos últimos anos tem sido raro o jogo, sem o nosso Capitão lá atrás... Hoje, quase, passou despercebido a sua ausência!!!
Não sei se alguém já fez as contas, mas o Benfica estreou hoje - a titular -, na Champions: César, Benito, Pizzi, Bebé... tenho algumas dúvidas no Cristante (em Milão?!)... e ainda a estreia absoluta do João Teixeira. O Nelson não sei... e não esquecer que o Talisca e o Lisandro só este ano jogaram na Champions!!!
O resultado até podia ter sido muito negativo, mas o Jesus fez aquilo que tinha que fazer (apesar de 98% dos treinadores nesta posição, não terem coragem para arriscar tanto!!!), os próximos 3 jogos são muitíssimos importantes... não é só o jogo com os Corruptos; o jogo da Taça com o Braga, é um jogo de Taça, portanto: decisivo; e mesmo o jogo com Gil Vicente não vai ser fácil, pois vamos ter pouco tempo de recuperação...
Para o jogo não ter sido aborrecido, o Bayer também  ajudou. A forma de defender deste Bayer é muito especial. A 1.ª linha de pressão, é feita com 6 jogadores, num espaço curtíssimo... às vezes até parece que estávamos a defrontar uma equipa de Futsal!!! O Benfica, na maior parte das vezes, conseguiu sair bem da pressão, jogando de primeira, procurando as variações de flanco... Notou-se nos últimos minutos do 1.º tempo algum cansaço (provavelmente devido à falta de ritmo); o Bayer tentou entrar muito forte no 2.º tempo, e demorou para o Benfica assentar o jogo, mas quando conseguimos dar a volta ao colete de forças do Bayer, voltámos a criar muito perigo...

O balanço geral é muito positivo, é verdade que tivemos uma ou outra perda de bola 'proibida' (Benito, Ola John, Pizzi, Lima...), mas a equipa foi solidária, e resolveu os problemas...
O Artur esteve muito bem, com poucas intervenções, mas acabou por ser decisivo em pelo menos duas ocasiões...; o Lisandro já tinha jogado na Champions e tinha dado boas indicações... agora, o César surpreendeu-me bastante pela positiva, melhorou bastante, inclusive no passe...; o André Almeida estreou-se a Capitão, e fez mais um excelente jogo defensivamente...; o Benito, teve uma exibição irregular, nota-se melhorias no posicionamento e decisão defensiva, mas com a bola nos pés, não dá nenhuma confiança... ofensivamente quase sempre mal na decisão... com vários passes à 'queima' para o companheiros; o Cristante voltou a fazer um excelente jogo, no meio daquela enorme pressão Alemã, tomou quase sempre a melhor opção... não me recordo de uma perda de bola comprometedora. Defensivamente falta-lhe alguma velocidade, mas no corpo a corpo está mais agressivo; o Pizzi também fez um bom jogo, é diferente do Enzo: não tem a capacidade de protecção da bola que o Argentino tem, não tem a capacidade de decisão ofensiva, mas usa muito bem a velocidade, para compensar um ou outro erro defensivo, e procura sempre jogar vertical...; o Bebé mostrou as suas limitações, mas fez uma boa 1.ª parte... foi um dos jogadores que mais sentiu a falta de ritmo...; o Ola John, voltou a irritar o 3.º anel, aquele estilo molengão não ajuda, mas o Liberiano/Holandês esteve em quase todas as nossas jogadas de perigo... Creio que foi evidente, após o primeiro lance que lhe correu mal, a forma como ficou nervoso... Mas gostei de o ver na 1.ª parte, quando ainda estava fresco, a lutar contra aquela pressão Alemã, feita a grande velocidade...; o Lima voltou aos falhanços absurdos, apesar do golo com o Belenenses parece que ainda não foi desta que a confiança voltou...; o Derley voltou a fazer um jogo de entrega total, contra uns Centrais que dão muito pau, o Derley não se intimidou... foi pena que por duas vezes, onde se podia ter isolado, os companheiros não lhe tenham feito o passe!!!
O Talisca até entrou bem, mas aquela lesão assustou (assusta)... foi ainda vitima de um estranho caso de 'racismo' por parte do árbitro!!! O Nélson Oliveira na minha opinião voltou a não aproveitar os poucos minutos que teve. Pode alegar que os minutos foram muito escassos, mas perdeu todas as bolas pelo ar... acabou por fazer uma boa assistência, mas...; o João Teixeira, entrou muito bem na partida, 'sacou' um Vermelho, e deu ao meio-campo do Benfica algo que o Pizzi não tinha feito: progressão com bola controlada, algo que nos últimos minutos, com mais espaços era mais fácil... mas nota-se que o João tem faro para a coisa!!!

O problema se calhar é meu, mas mesmo num jogo a feijões, irritei-me com o apitador... aquela perseguição ao Talisca, aquela falta marcada ao Nelson, quando é o guarda-redes adversário que salta para cima dele, fora da pequena área...; aquela tendência para não marcar entradas duras, para depois marcar faltinhas de nada; começar a mostrar bem amarelos, para logo a seguir mudar de critério, com medo de expulsar alguém cedo...!!! Repito, se calhar o problema é meu... ou não!!!


PS: O novo sistema de som, até pode ser bom para o pessoal do Piso 0, para para quem o Piso 3, o volume está altíssimo...!!!

UEFA Youth League - 6.ª jornada

Benfica 4 - 1 Bayer Leverkusen

1.º ligar garantido (vamos jogar em casa nos Oitavos), com uma excelente vitória, num jogo complicado (os Alemães dão muito pau!!!), que só ficou decidido nos últimos minutos!!! Os golos foram todos na 2.ª parte; o 2-1 só surgiu aos 79m; e os últimos dois golos, só apareceram nos descontos...!!!
Destaque para o nosso banco: André Ferreira, Renato Sanches, Romário, Sarkic, Pedro Rodrigues, Ricardo Carvalho e Buta... quase todos supostamente 'titulares'. Temos um excelente plantel, com muitas opções, para quase todas as posições (creio que as laterais defensivas são o nosso ponto menos forte).
Destaque ainda para a veia goleadora do Gilson (trinco) que na UEFA já marcou vários golos... Se calhar temos aqui um ponta-de-lança escondido!!!

Benfica..........13
Zenit..............10
Bayer..............6
Mónaco...........6

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Irritaram a «Pantera Negra»!

"Em 1965, Benfica e Braga tiveram um embate duplo nas meias-finais da Taça de Portugal. No Minho, os assobios a Eusébio fizeram-lhe «saltar a tampa» e desfazer o adversário. Na Luz, um daqueles jogos à moda antiga (9-0).

Benfica-SC Braga, para a Taça de Portugal, foi assim que mandou o sorteio,obedeça-se ao sorteio que é para isso que ele serve. Confesso que depois de ter arrostado com a chuva para dar uma saltada à Azinhaga dos Alfinetes, ali em Marvila, para ver o velhinho Oriental, o Cê-Ó-Éli, eliminar o Vitória de Setúbal, fiquei com esperança de ver um Oriental-Benfica nessa eliminatória que aí vem. Eu e o presidente Nabais, que dá cartas na arte de bem receber a gente no Carlos Salema. Até já tinha deitado o olho para um bom episódio de Taça entre ambos os clubes de Lisboa, o Benfica mais para Ocidente e o Oriental, como está bem de ver, mais para Oriente. Deixá-lo. Tratarei aqui o episódio mais cedo ou mais tarde se não vos causar maçada.
Em troca, falo de Benfica e SC Braga na Taça de Portugal, duas eliminatórias dos anos-60 com algo de especial, uma a valer para cada lado, fica já à laia de aviso para 'os encarnados'.
Vamos então até Junho de 1965. O Benfica acabara de ser Campeão, tinha aquela equipa a pêras que metia medo à Europa toda, estava também lançado para conquistar a Taça de Portugal depois de ter perdido aquela vergonhosa Taça dos Campeões cuja final foi metida à força em San Siro tal era a vontade dos manda-chuvas do Futebol que o riquíssimo Inter de Milão a levasse para as suas vitrinas.
Estávamos nas meias-finais. Ainda se jogavam todas as eliminatórias a duas mãos, como muitos de vocês se lembrarão. O Benfica tratara de ir resolvendo os seus problemas - Atlético (F 0-3; C 9-2); FC Porto (C 4-1; F 1-1); CUF (F 1-2; C 3-0); Olhanense (C 4-1; F 2-3). Quanto ao SC Braga, ia pelo mesmo caminho, embora contra adversários mais simpáticos - Sintrense (C 5-1; F 1-2); Famalicão (C 4-2; F 2-3); Micaelense (F 1-0; C 2-1); Sanjoanense (F 3-2; C 4-1). E assim sendo, ao correr dos jogos, ficou estabelecido que o Benfica se deslocaria a SC Braga no dia 20 de Junho, recebendo o seu opositor no dia 27, derimindo-se assim um dos finalistas.
No decorrer da época já fora o Benfica vencer a SC Braga para o Campeonato (2-1) e aplicaria, na Luz, um correctivo dos valentes aos bracarenses com nada menos de 7-0. Mas enfim, Taça é Taça, havia na cidade dos arcebispos uma esperançazinha, ainda que ténue de depenar a águia arregaçam-se as mangas e foram à peleja como valentes.
Durou 20 minutos.

SC Braga: duas idas à Luz, 16 golos sofridos!
Dizem as crónicas da época, sempre por mim gulosamente lidas e relidas porque nelas muito se aprende, ao contrário de agora, infelizmente, que durante 15 minutos o SC Braga, comandado por José Maria, foi batendo o pé ao seu poderosíssimo adversário. Depois surgiu Coluna e fez um golo ao rondar dos 20 minutos, e o ânimo esmoreceu. Em seguida, Eusébio fez 0-2 (31m) e houve nova revolta. Ferreirinha, Morais e Canário forçam a defesa do Benfica, Cruz, Neto e Raúl são obrigados a trabalho extra, e o SC Braga consegue reduzir quase em cima do intervalo por António Teixeira. Pelo menos no que respeita ao resultado, o equilíbrio ainda existe, por frágil que seja. No segundo tempo, Eusébio preparou-se para marcar um livre directo. Chutou com a potência que só ele tinha, mas a bola saiu torta e longe da baliza. O público pateou, como se estivesse no teatro. Ouviram-se assobios e até chacota. Ah! Mas quem é tão ingénuo que resolva irritar a «Pantera Negra»? Logo em seguida, Eusébio faz o terceiro golo do Benfica e reduz o adversário a destroços. Mas continua irritado. Aos 60 minutos pega na bola e corre para a grande-área minhota passando por vários adversários. O remate sai a milímetros da baliza de Armando. Aos 67 minutos, faz o quarto golo encarnado e o público de Braga rende-se: devota-lhe uma enorme ovação. De braço no ar, Eusébio agrade. Passara-lhe a raiva.
Mas não passara a raiva dos restantes companheiros. Uma semana mais tarde vergam o SC Braga a uma derrota humilhante. Uma tarde tórrida de Verão na Luz derreteu a equipa do Minho. Ao intervalo, o resultado já era de 5-0, golos de Morais Rodrigues na própria baliza, Yaúca, Pedras e Eusébio (2), com o guarda-redes Armando a ser substituído por Torres, de tal forma fora sujeito à pressão encarnada. Na segunda, mais quatro, com um «hat-trick» de Yaúca e mais um de Simões. «E podiam ter sido mais!», escrevia-se na imprensa. Depois de sofrer sete golos para o campeonato, o SC Braga encaixava agora mais nove. O pesadelo da Luz!
O Benfica estava de novo na final da Taça de Portugal, iria defrontar o V. Setúbal que despachara o Sporting depois de dois empates a uma vitória por 2-0 no jogo de tira-teimas. E não foi além disso. No Jamor, uma derrota por 1-3, deu aos sadinos o troféu e embaciou as categóricas exibições encarnadas das meias-finais.
No ano seguinte haveria mais Taça, pois então. E outra vez dois confrontos com o SC Braga. Dessa vez as coisas não correram bem... nada bem. Mas, para a semana conto."

Afonso de Melo, in O Benfica

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Lixívia XII

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica............. 31 (-1) = 32
Sporting............ 23 (+2) = 21
Braga............... 22 (+2) = 20
Corruptos......... 28 (+8) = 20


Dentro do campo até foi uma semana estranhamente calma, mas no falatório a merda foi a mesma!!!
A pseudo-novidade da Semana, foi a não utilização do Miguel Rosa, e do Deyverson contra o Benfica. No momento para o outro, após anos e anos de aparente ignorância os jornaleiros e cumentadores, acordaram para o problema dos jogadores emprestados (o que por acaso não é o caso!!!). Depois de tantas ausências estranhas e inexplicadas, que nem nota de rodapé merecem, esta semana tivemos 1.ªs páginas cheia de indignação!!!
Ainda recentemente assistimos à irritação pelo facto do Tozé no Estoril-Corruptos ter marcado com um penalty contra a sua ex-equipa, foram muitos os opinadores indignados com a opção do Couceiro... e muitos decretaram na altura, que achavam que o jogador não devia jogar, pois ficaria protegido!!! Poucas semanas depois, mudaram de opinião... Hipocrisia?! Não, populismo ignorante, para a carneirada festejar...!!!
Neste caso especifico, nem sequer estamos a falar de um empréstimo: os jogadores foram dados (gratuitamente) ao Belenenses, o Benfica ficou com uma opção de re-compra, e em caso de venda a outro clube, haverá um divisão da quantia (não sei se é 50/50...). Parece-me que a tal 'cláusula' diz que o Belenenses perderá a tal percentagem, em caso de utilização em jogos oficiais contra o Benfica. Esta foi a teoria que me 'venderam'... não sei se é verdadeira. Não concordando com este tipo de impedimentos, acho que esta situação é menos má do que outras... já que a decisão final, cabe ao Belenenses: se eles jogarem, o Benfica indirectamente, recebe um pagamento (a tal percentagem!) pela 'transferência'...
Mesmo assim, o mais engraçado é ouvir supostamente adeptos do Belenenses também indignados com a SAD... Quer dizer, conseguiram contratar 2 jogadores a custo zero, que por acaso estão fartos de marcar golos... e que ainda lhes podem valer um bom encaixe financeiro no futuro!!! É sempre difícil deixar toda a gente contente...!!!
Mas esta caso extrapolou em muito, o caso especifico. O tratamento diferenciado que foi dado a estes dois jogadores, em comparação com tantos outros, tanto dos Lagartos como dos Corruptos, transformou este caso, em mais um triste exemplo, de como os supostos profissionais independentes dos desconsideração social desportiva, vendem a sua integridade... são meras putas de beira-de-estrada.

Na Luz tivemos um artista, que na 1.ª parte usou um critério largo, permitindo jogo duro, perdoando vários cartões aos de Belém... com vistas largas também em dois lances na area azul: bola na mão do Brandão; e braço na barriga do Enzo...!!! No 2.º tempo, mudou de critério, lá começou a dar amarelos: o cartão do André Almeida é igual ao penalty que o Enzo pediu no 1.º tempo!!!
O penalty que foi marcado, é evidente. O defesa do Belém chega atrasado, e empurra o Enzo, com o braço nas costas... Ele entrou como se fosse fazer carga de ombro, mas o Enzo ganhou posição, e foi claramente empurrado.

Nos outros jogos não houve polémica, o golo ao Jackson logo no início do jogo, foi bem anulado, estava mesmo em fora-de-jogo... ; os Lagartos não choraram, afinal o curto plantel do Boavista, na jornada anterior, levou com 3 expulsões!!! Em Braga, houve 3 expulsões, umas bem outros nem por isso, mas foi praticamente no final da partida, e acabou por não ter influência no resultado...!!!

Anexos:
Benfica
1.ª-Paços de Ferreira(c), V(2-0), Cosme, Prejudicados, Sem influência no resultado
2.ª-Boavista(f), V(1-0), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
3.ª-Sporting(c), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Setúbal(f), V(0-5), Capela, Nada a assinalar
5.ª-Moreirense(c), V(3-1), Luís Ferreira, Prejudicados, (4-1), Sem influência no resultado
6.ª-Estoril(f), V(2-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
7.ª-Arouca(c), V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Braga(f), D(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-3), (-3 pontos)
9.ª-Rio Ave(c), V(1-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
10.ª-Nacional(f), V(1-2), Bruno Paixão, Prejudicados, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
11.ª-Académica(f), V(0-2), Jorge Ferreira, Beneficiados, (0-1), Sem influência no resultado
12.ª-Belenenses(c), V(3-0), Manuel Oliveira, Nada a assinalar

Sporting
1.ª-Académica(f), E(1-1), Soares Dias, Beneficiados, (2-1), (+1 ponto)
2.ª-Arouca(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, (2-0), Sem influência resultado
3.ª-Benfica(f), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Belenenses(c), E(1-1), Cosme Machado, Nada a assinalar
5.ª-Gil Vicente(f), V(0-4), Xistra, Beneficiados, (1-4), Sem influência no resultado
6.ª-Corruptos(c), E(1-1), Benquerença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
7.ª-Penafiel(f), V(0-4), Rui Costa, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Marítimo(c), V(4-2), Manuel Oliveira, Beneficiados, (4-3), Sem influência no resultado
9.ª-Guimarães(f), D(3-0), Hugo Miguel, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
10.ª-Paços de Ferreira(c), E(1-1), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-2), (+1 ponto)
11.ª-Setúbal(c), V(3-0), Soares Dias, Beneficiados, Impossível contabilizar
12.ª-Boavista(f), V(1-3), Jorge Sousa, Nada a assinalar

Corruptos
1.ª-Marítimo(c), V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
2.ª-Paços de Ferreira(f), V(1-0), Mota, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
3.ª-Moreirense(c), V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4.ª-Guimarães(f), E(1-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
5.ª-Boavista(c), E(0-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
6.ª-Sporting(f), E(1-1), Benquerença, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Braga(c), V(2-1), Proença, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
8.ª-Arouca(f), V(0-5), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, (1-6), Sem influência no resultado
9.ª-Nacional(c), V(2-0), Nuno Almeida, Nada a assinalar
10.ª-Estoril(f), E(2-2), Soares Dias, Beneficiados, (3-2), (+1 ponto)
11.ª-Rio Ave(c), V(5-0), Benquerença, Beneficiados, (1-2), (+3 pontos)
12.ª-Académica(f), V(0-3), Manuel Mota, Nada a assinalar

Braga
1.ª-Boavista(c), V(3-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-0)?!, Impossível contabilizar
2.ª-Moreirense(f), E(0-0), Paixão, Prejudicados, (1-0), (-2 pontos)
3.ª-Estoril(c), V(2-1), Hugo Miguel, Prejudicados, (3-1), Sem influência no resultado
4.ª-Arouca(f), D(1-0), Proença, Nada a assinalar
5.ª-Nacional(f) E(1-1), Jorge Tavares, Prejudicados, Impossível contabilizar
6.ª-Rio Ave(c), V(3-0), Bruno Esteves, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Corruptos(f), D(2-1), Proença, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)
8.ª-Benfica(c), V(2-1), Marco Ferreira, Beneficiados, (2-3), (+3 pontos)
9.ª-Académica(f) E(1-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
10.ª-Gil Vicente(c), V(2-0), Manuel Oliveira, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
11.ª-Penafiel(f), V(1-6), Hugo Miguel, Nada a assinalar
12.ª-Guimarães(c), E(0-0), Xistra, Nada a assinalar

Caixa Futebol Campus...

Mais um empate...

Benfica B 1 - 1 Freamunde

O objectivo da equipa B não são os resultados... mas esta equipa tem desperdiçado muitos pontos ingloriamente... podíamos estar confortavelmente na liderança da II Liga... E normalmente somos nós a não conseguir segurar as vantagens...!!!

Varela; Valente, Lindelof, Nunes; Semedo, Menga; Amorim, Pinto (Sanches, 68'); Santos (Andrade, 84'), Costa; Fonte (Romário, 80').

domingo, 7 de dezembro de 2014

Mais um 3-0...

Atlântico Madalena 0 - 3 Benfica
22-25, 21-25, 23-25

Jogo bem disputado, equilibrado, mas com o Benfica no final dos Set´s a conseguir superiorizar-se... depois da 'aventura' a caminho da Sérvia, foi importante regressar ao Campeonato com um 3-0, contra uma boa equipa...

Vitória sobre patins...

Juventude Viana 4 - 5 Benfica

Vitória importantíssima, num pavilhão onde realizámos provavelmente a pior exibição o ano passado e saímos de lá com uma derrota pesada... Ainda por cima nas vésperas de visitar o antro Corrupto, na próxima jornada. Mas antes, ainda temos o Quevért na Luz, onde a vitória praticamente garante o qualificação...