Últimas indefectivações

sábado, 22 de dezembro de 2012

Vitória no Pico...


Candelária 2 - 6 Benfica

O Candelária esta época não está tão forte, os resultados provam-no, mas contra o Benfica normalmente todos jogam bem!!! Felizmente esta noite o Benfica não deu hipóteses, entrou bem com 2 golos de rajada, e depois soubemos controlar, aumentando a vantagem... O Ricardo Silva foi importante ao defender um penalty, e um livre directo, e perto do final do jogo até conseguimos marcar um livre directo, pelo Tuco, algo em que nos últimos jogos, temos estado desastrosos!!! Vitória importante, já que o próximo jogo do Campeonato, é a recepção aos Corruptos...

Quebrando tradições !!!


Águas Santas 24 - 28 Benfica

Já se sabia que não seria fácil, a equipa acabou por não fazer um grande jogo, mas valeu pela entrega.
Vencer num local onde tradicionalmente fazemos resultados negativos, mesmo com a dupla Nicolau/Caçador a apitar, é digno de registo!!!

Susto !!!


Galitos 79 - 83 Benfica
21-17, 11-30, 18-19, 29-17

Depois de um começo 'perro' o jogo esteve completamente controlado... mas estivemos quase a perder tudo, num 4.º período onde sofremos 29 pontos!!! Quando se vence o duelo nos ressaltos por 45-24, é difícil de compreender, como é que o jogo termina com somente 4 pontos de vantagem!!!

Salvação na 2.ª parte !!!


Benfica 4 - 1 Fundão

Mais uma horrível 1.ª parte... lentos a atacar, pouco movimento sem bola, perdas de bola em situações proibidas, erros de posicionamento que provocam contra-ataques extremamente perigosos... portanto, nada de novo!!! A novidade acabou por ser a reacção na 2ª parte!!!  A atitude foi claramente diferente, o jogo foi durinho, havia jogadores picados, a arbitragem estava a ser miserável... tudo razões para a equipa acordar!!! Pressionámos mais alto, jogámos um pouco mais rápido e os golos apareceram com naturalidade... mesmo assim, continuámos a cometer alguns erros, pouco comuns na equipa o ano passado.
O campeonato só se vai decidir no Play-off, o Benfica muito sinceramente já não tem hipóteses de ultrapassar os Lagartos na época regular, mas os jogadores têm que encontrar motivação para os próximos meses, porque a jogar assim, vamos ter vários dissabores, e nem o 2.º lugar está garantido!!!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

E Pluribus Unum

A todos um bom Natal...

"É uma boa e doce rabanada de Natal passar a consoada em primeiro, mas, sejamos realistas, só haverá verdadeiro significado se formos primeiros no fim da 30.ª jornada. É esse o único momento em que um benfiquista festeja a sério o primeiro lugar.
Bela exibição, aquela que permitiu vencer de forma dilatada o Marítimo com novo hat trick de Cardozo que teima em fazer difícil a vida dos seus detractores. Diria que não está um bom momento a vida daqueles que não gostam dele.
Na Taça da Liga houve várias abordagens muito empenhadas. O FC Porto interessadíssimo em vencer a prova não poupou um titular, e ganhou com normalidade e justiça. O Benfica, igualmente interessado em vencer a prova, só iniciou o jogo de Olhão com um titular, e, quando se viu a perder, teve, e bem, que ir ao banco encontrar soluções que permitiram com mais qualidade e ritmo dar a volta a um resultado que estava difícil. Vencer o Olhanense e ganhar em Moreira de Cónegos permitirá descansar a quase totalidade dos jogadores no jogo com a Académica que antecede a recepção ao FC Porto. Gerir jogadores não pode ser abdicar da vontade de ganhar.
O Sporting também interessado em ganhar qualquer coisa conseguiu um empate empenhado na Madeira. Não posso deixar de comentar o quase único assunto de relevância desportiva dos media portugueses: a crise do Sporting. Depois de contratar um treinador para treinar os jogadores, Vercauteren, o Sporting contratou um treinador para treinar os treinadores, Jesualdo Ferreira. Aguardamos a todo o momento a contratação de um treinador para treinar o presidente, que é, como se tem visto, aquele que tem tido piores exibições.
Saiu em sorte o Bayer Leverkusen, desportivamente será dos adversários mais difíceis, mas só pela saudade de lembrar os míticos 4-4 e a exibição de Kulkov valeu a pena. Foi um dos jogos mais marcantes da história europeia do Benfica dos últimos 40 anos."

Sílvio Cervan, in A Bola

A máscara

"Assustado, o homem escondeu-se. Havia razão para tanto medo? Algo parecido com uma manta negra tapou-lhe a cabeça por inteiro. Uma máscara: sinistra, por sinal. Quem se cobre assim tem motivos muitos fortes para o fazer.
Geralmente, quem se cobre assim são os cobardes ou os bandidos. Não era o caso, certamente, ninguém acreditaria em tal. No dia seguinte, sem máscara, rodeado pela falange, tinha a cara a descoberto. Não era agradável, mas estava à vista, que é como deve ser quando se trata de pessoas de bem. Esquecido dos medos, lançou-se em ironias bacocas de mau aprendiz de fraco mestre. Traçou cenários distantes e inverdadeiros, misturou-se palavras ocas e foi deixando pairar ameaças. É próprio de quem se sente protegido, resguardado.
De cara lavada, como costuma dizer-se, às vezes sem muito nexo. Podemos todos imaginar as expressões que se esconderam por baixo daquele pano negro, ou manta, ou cobertor ou lá o que era. Chamemos-lhe máscara. Imaginem para lá da máscara: era pavor aquilo que se escondia? Uma lágrima de cagaço? Não podemos saber, não é? É precisamente para isso que servem as máscaras, para nos deixar na dúvida. E na dúvida ficámos. Mas temos uma certeza: quando Vítor Pereira tirar a máscara surgirá por debaixo dela a sua verdadeira cara - a cara de Vítor pereira. Esse mesmo, o dos árbitros.

P.S. - Se há coisa deprimente num circo é ver o palhaço a tentar ter graça e não arrancar gargalhadas. Mas ainda mais deprimente é ver, atrás do palhaço, um servil jornaleiro a rir-se sozinho da piada inexistente só para agradar ao palhaço. Ficam bem um para o outro. São tristes."

Afonso de Melo, O Benfica

Adiou-se a verdade

"O futebol, tal como o teatro, é uma arte. Setúbal é uma honrada cidade marcada pelo teatro (veja-se a grande herança de Luísa Tody) e pelo futebol. Assim, poderemos dizer que, na passada sexta-feira, todos pudemos assistir, com a decisão de adiar o jogo entre o Setúbal e o FCP, a um golpe de teatro.
Jogar num relvado encharcado retira uma grande percentagem da vantagem técnica e da velocidade aos intervenientes no jogo. Logo, a equipa mais dotada acaba por ter mais dificuldades em fazer valer as suas valências. Todos vimos (até Pedro Henriques, o comentador da Sporttv, normalmente dócil para com o FCP) que o relvado do Bonfim estava em condições. Estava bem melhor do que o relvado de Coimbra, onde o Benfica viu, recentemente, a arbitragem tirar-lhe dois pontos. Todos vimos a representação de Proença (quem mais poderia ser?!), desesperadamente em busca de dois charquitos no imenso relvado, onde pudesse deixar cair a bola e demonstrar ao mundo que a bola não salta quando cai na lama. Estava feita a prova da legalidade da decisão e estava demonstrado como a verosimilhança é importante na representação teatral. No entanto, isso não basta para que se chame verdadeiro ao que é apenas verosímil. 
A pantomina continuou com as declarações servis do presidente do Vitória e a enternecedora imagem de Joaquim Oliveira, qual mordomo papal, a segurar o guarda-chuva do Sr. Costa. Seja como for, não era necessário tanto esforço para nos convencerem de que tudo aquilo foi legítimo e necessário. Pois, normalmente, naquele palco e com aqueles actores, costuma haver um par de servis e salvadoras substituições lá pelo minuto 58. Ou seja, por vários motivos, sabemos que não havia necessidade de Proença ter decidido, mais uma vez, adiar… a verdade desportiva."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

PS: 


Recordo aqui o Naval-Benfica, na Taça do ano passado:

André Gomes

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Sol na eira e chuva no nabal (a semana em revista)

"O presidente do FC Porto diz que é «estúpido» falar de árbitros. Terá exagerado. Ou então anda um artista à solta que lhe imita a voz na perfeição e que se anda a promover no YouTube

SEXTA-FEIRA, 14 DE DEZEMBRO
ESTAVA marcado para hoje o jogo de abertura da jornada número 12. Acabou por não se realizar porque o árbitro entendeu não haver condições para 90 minutos de futebol no relvado do Bonfim. Choveu. E quando chove já se sabe que o piso se ressente, seja o piso que for. Aparentemente, a decisão do árbitro satisfez os dois emblemas em causa porque ninguém protestou antes pelo contrário. O boletim meteorológico prevê fortes chuvadas para o fim de semana e a Protecção Cívil lançou o alerta amarelo para dez Distritos do país. Ou os tipos da metrologia são uns grandes nabos ou é de temer uma quantidade imensa de jogos adiados por todo o país e em todos os escalões das diversas provas oficiais por causa da maldita chuva que persiste em intrometer-se (abusivamente!) neste nosso Inverno.
É certo e sabido que nunca estão todos satisfeitos com o tempo que faz. São aquelas ganâncias humanas tão bem expressas no velho provérbio popular «sol na eira e chuva no nabal», ou seja, tudo a jogar a nosso favor e assim é que é bonito. Isso é impossível, meus bons amigos. Em relação ao adiamento do jogo de hoje não faltarão benfiquistas a elaborar intrincadíssimas teorias da conspiração com o intuito de explicarem a si próprias que a decisão do árbitro foi conivente com os obscuros interesses do FC Porto, a equipa visitante na presente ocasião. Imaginação não faltará com certeza.
Devo dizer, já que o assunto nos trouxe até aqui, que desalinho totalmente dessas teorias absurdas e considero-as mesmo infantis. A não ser que um bruxo qualquer tenha desaconselhado o FC Porto a jogar à chuva (reza o nosso anedotário que há 25 anos, em Tóquio, houve um bruxo que aconselhou a jogar na neve...), não vejo qualquer singular vantagem para o FC Porto pelo facto de Pedro Proença ter decidido adiar o jogo de Setúbal. Não vejo mesmo, sem qualquer espécie de ironia. Nem vantagem pontual, nem física, nem psicológica, nem mesmo vantagem meteorológica.
É que já disseram na rádio que o jogo pode vir a ser disputado a 23 de Janeiro mas, com todaa honestdade, e a mais de um mês de distancia quem é que pode garantir que a 23 de Janeiro não vai estar a chover na eira e no nabal, outra vez, para chatear? Só na NASA, francamente, trabalha com toda esta antecipação e mesmo assim tenho dúvidas que a agência espacial norte-americana possa garantir piso seco em profusão para o jogo em atraso. Veremos quando chegar o dia.
O campeonato só volta para o ano e hoje não houve jogo, nem golos, não houve nervos e não houve árbitro. E esta é a única parte que lamento e apenas por superstição, fraqueza minha. Lamento a parte de não ter havido árbitro. É que, em princípio e até em nome do bom senso, seria altamente improvável que Pedro Proença, nomeado para o jogo de hoje, viesse a apitar duas vezes a mesma equipa em três jogos, não lhe cabendo assim dirigir o Benfica-FC Porto do próximo dia 13 na Luz. Isto não passa de suposição, claro está.
Mas como hoje não houve jogo também não houve árbitro e agora Proença até pode vir a ser o escolhido de Vítor Pereira para o clássico que se avizinha. Não gosto da ideia, confesso, reconhecendo tranquilamente que Pedro Proença é o melhor árbitro português a actuar no estrangeiro ainda que, frequentemente, seja o pior árbitro do estrangeiro a actuar em Portugal. E é do Benfica. E a mim dá-me galo ver árbitros do Benfica em acção. É só por isto que lamento não ter havido jogo hoje em Setúbal.
Só mais uma coisinha de que me ia esquecendo:
E se o árbitro for Proença e estiver a chover a potes? Não há jogo a 13 de Janeiro? Ao menos que haja sol na eira e se houver chuva no nabal.

DOMINGO, 15 DE DEZEMBRO
O costume. O Benfica entrou lento, sofreu um golo e depois arrancou para uma bonita exibição. Por vezes até empolgante. Óscar Cardozo marcou 3 golos e atingiu (ou ultrapassou à vontade do freguês) a marca dos 100 golos na Liga portuguesa. Vá, assobiem-no lá mais um bocadinho a ver se ainda chega aos 125 golos até ao fim da saison. Esta noite, frente ao Marítimo, o segundo golo de Cardozo foi de penalty, concretizado com uma paradinha que nos ia parando o coração a todos. O castigo surgiu porque, bem dentro da área dos madeirenses, a bola sofreu um desvio depois de bater na mão de um jogador do Marítimo. Considerou o árbitro que foi um gesto intencional. No entanto, é um daqueles lances que se tivesse ocorrido no meio do campo nem se discutia: era falta. Mas dentro da área as mesmas faltas dão penalties e daí nascem as polémicas. O segundo cartão foi completamente escusado. O golo do Marítimo nasceu de uma situação irregular mas paciência. Estamos fartos de queixinhas.
O presidente do FC Porto também está farto de queixinhas, depreende-se da leitura dos jornais. E ainda foi mais longe. Diz que é «estúpido e ridículo» falar de árbitros. Neste ponto parece-me que terá exagerado. Ou então anda por aí à solta um artista que lhe imita a voz na perfeição e que se anda a promover à sua custa no YouTube. Nunca fiando.
Já à noitinha, o presidente do Sporting deu uma extensa entrevista num programa desportivo da RTP e, entre muitas coisas, disse que ao contrário de «outros que entraram e saíram», o Sporting «sempre esteve na Europa». Sobre a verosimilhança das coisas que disse sobre o Sporting opinarão os sportinguistas e entre médicos e engenheiros alguém terá razão. Sobre as coisas que disse sobre o Benfica, sentem-se os benfiquistas no direito de opinar.
E assim ao contrário do que disse Godinho Lopes esta noite, na RTP; o Sporting não «esteve sempre» ou «sempre esteve» na Europa. Na época de 1975/1976, o Sporting classificou-se em 5.º lugar e o vencedor da Taça de Portugal foi o Boavista. Na época seguinte, 1976/1977, o Sporting ficou fora das competições europeias. São coisas que acontecem e já aconteceram a todos, exactamente a todos. É estranho que o presidente do Sporting conheça melhor a história do Benfica do que a história do seu clube, pelo menos para o que lhe dê jeito. E mentir nunca dá jeito a ninguém.
Apesar deste deslize no compromisso com a verdade de Godinho Lopes continuo a considerar que, no final do jogo de Alvalade, na semana passada, o presidente do Benfica não deveria ter chamado o que chamou ao presidente do Sporting.
Felizmente, o tempo parece que amainou e não houve mais nenhum jogo adiado em Portugal e até em toda a Península Ibérica.

SEGUNDA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO
TODOS os jornais desportivos fazem manchetes com a contratação de Jesualdo Ferreira para o cargo de «treinador de todas as equipas do clube até à formação» ou «treinador dos treinadores». Será que alguém já avisou Franky Vercauteren de que foi despedido?

TERÇA-FEIRA, 18 DE DEZEMBRO
DE manhã ouço notícias de Paulo Pereira Cristóvão desancando em Eduardo Barroso e à tarde ouço notícias de Paulo Pereira Cristóvão acusado pelo Ministério Público de sete crimes em consequência da investigação do caso Cardinal que, recorde-se, já foi arquivado pela justiça desportiva. À noite o Sporting empata com o Marítimo no Funchal para a Taça da Liga. Se o Sporting tivesse ganho seria caso para se dizer: «J+a se vê o dedo de Jesualdo Ferreira». Assim fica para a próxima.

QUARTA-FEIRA, 19 DE DEZEMBRO
A coisa esteve mal parada em Olhão mas, depois, aconteceu o costume. O Benfica deu a volta ao jogo na segunda parte e acabou por vencer pela diferença mínima mas com toda a justiça. É bom começar com uma vitória a Taça da Liga. Houve cinco cartões amarelos para jogadores do Benfica e todos bem mostrados por Paulo Baptista, um árbitro competente cujo low-profile não o terá ajudado para se transformar numa vedeta. Melhor para ele."

Leonor Pinhão, in A Bola

Bayer - Benfica




É o regresso a Leverkusen, depois da histórica eliminatória, da antiga Taça das Taças... Neste Sorteio ser cabeça-de-serie trazia poucos, ou nenhuns, benefícios , já que a qualidade das equipas era muito igual... O Benfica costuma ter problemas nos jogos na Alemanha, mas com o Jesus já eliminamos algumas... Tenho que admitir que admiro no Bayer à bastante tempo um jogador: Kiessling, um daqueles avançados que passa um pouco despercebido na Alemanha, mas que no Benfica seria uma estrela... Dito isto, está tudo em aberto, vai depender muito do momento de forma, a Bundesliga vai parar, e o Benfica vai ter muitos jogos em Janeiro, além disso a nossa prioridade é o Campeonato... Resumindo temos equipa para eles, mas muita água vai passar por baixo da ponte!!!
Em caso de vitória vamos defrontar o vencedor da eliminatória entre o Dínamo Kiev e o Bordéus, equipas de valor similar, mas seria melhor evitar os Ucranianos, a viagem é muito longa, o frio ainda será muito em Março, e apesar de tudo, têm mais experiência Europeia...
Deixo aqui a memoria daquela Gloriosa noite, onde o Eusébio foi parar ao Hospital (o coração não aguentou!!!), mas a festa foi nossa:

As meninas da ribeira do Sado

"Afinal o futebol não é um desporto de inverno. Pedro Proença assim o sentenciou. No Bonfim, entre velhos amigos do Norte e do Sado.
Imagino até os jogos que o internacional juiz adiaria na inglesa serenata à chuva, perdão campeonato.
Ao contrário do lago em Alvalade para a L. Europa, no Bonfim até se viam relva e marcações. A bola rolava, mas - para o juiz - penosamente soluçava.
Não me ponho a conjecturar sobre quem é mais beneficiado ou deixa de o ser. Mas que deu jeito lá isso deu. Não só ao árbitro que se encharcou menos e manteve impecável o seu penteado, como aos clubes amorosamente entrelaçados.
Parece que o jogo é adiado por mais de um mês, contrariando o regulamento. Diz o seu art.º19 nº2: Os jogos das competições oficiais adiados no decurso da primeira volta têm de ser realizados obrigatoriamente no decurso das 4 semanas que se seguirem à data inicialmente fixada para o jogo, salvo casos de força maior devidamente comprovados e reconhecidos por deliberação da Comissão Executiva. A força maior deve ser o jogo da Luz em 13/1. E para que tudo seja claro como a água (outra vez a água) até já ouvi comentadores 'isentos' dizerem cristãmente que as 4 semanas se suspendem com o... Natal!
Volto a Proença. Tem razão, o futebol não é para meninas. Excepto para as meninas da ribeira do Sado. Como dia a canção:
As meninas da ribeira do Sado é que é
Lavram na terra com as unhas dos pés
As meninas da ribeira do Sado
São como as ovelhas
Têm carrapatos atrás das orelhas
É tudo uma questão de carrapato... Ou melhor, de cair com o carrapato na lama! Na lama do... bom fim."

Bagão Félix, in A Bola

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

'Remontada' até nos 'treinos' !!!


Olhanense 1 - 2 Benfica

Bom treino para dar ritmo aos jogadores menos utilizados, dos titulares - indiscutíveis - só jogou o Enzo, dos Bês acabou por jogar somente o Sidnei... Eu sei que a Taça da Liga é uma competição oficial, eu sei que o Benfica deve jogar sempre para ganhar, mas todos aceitam que a vitória da Taça da Liga não é a prioridade, nem a salvação da época, portanto os jogos desta Fase da Taça da Liga será sempre um 'treino', depois se chegarmos à Final, logo veremos...
É óbvio que a qualidade foi baixa, o adversário jogou com muita agressividade, o relvado é mau - é impossível fazer um passe rasteiro sem a bola andar aos saltinhos -, não é fácil dar velocidade às trocas de bola, o entrosamento não é o melhor, o apitador também não ajudou...
O jogo começou com uma oportunidade para o Olhanense, mas logo a seguir o Benfica criou várias jogadas onde podia ter marcado, com os minutos a passar o Benfica foi perdendo gás, mas sem o Olhanense se mostrar perigoso. No início da 2ª parte, com algum azar do Paulo Lopes, o Olhanense marcou - na minha opinião sem o merecer -, o Jesus mexeu na equipa, tirou o jogador mais apagado - Bruno César -, colocou o Gaitán e o Enzo no meio, e o Lima ao lado, do até aí muito isolado Rodrigo. A partir daqui, foi quase um massacre, e os golos eram inevitáveis - mesmo com o muito baixo aproveitamento do Benfica, algo que infelizmente já estamos habituados!!!
As 'remontadas' são bonitas, mas nem sempre vamos ter essa 'sorte', isto de dar 'avanço' ao adversário, não vai resultar sempre, é bom que o nosso aproveitamento aumente à frente da baliza, e não seja necessário passar por estes calafrios!!!
A arbitragem também foi má, mas também já estamos habituados... A complacência para a agressividade do Olhanense foi total, e até foram premiados com o apito em todas as simulações que os Algarvios fizeram... Exemplo: o Enzo sofre um penalty, o árbitro não marca, e no contra-ataque, o Sidnei leva amarelo, após mais uma simulação!! O 3-5 em amarelos que o Benfica 'venceu' é o melhor indicador para a roubalheira: como é que é possível, depois de toda a porrada que os jogadores do Benfica levaram?!!! No final do jogo, com o Benfica a aguentar os 3 pontos, com uma equipa obviamente desequilibrada defensivamente, foi 'bonito' ver o critério largo dado aos avançados do Olhanense na pressão alta, invertendo totalmente o critério que tinha sido usado quando o Benfica estava a correr atrás do prejuízo!!!

Agradável


Benfica 9 - 3 Oliveirense

Bom jogo, aberto, com velocidade, podíamos ter marcado mais golos, mas também podíamos ter sofrido mais... Continuamos a falhar nas 'bolas paradas'... O Miguel Rocha já é jogador, não pode fugir, está 'semi-emprestado', é bom que regresse brevemente...

Fácil...


Benfica 29 - 17 Belenenses

Jogo que a equipa tornou fácil...

Benfica de proximidade !!!

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

O Muller Cardozo

"Para quem acha que Cardozo tem dois ferros de engomar nos pés e um problema: marcar golos

Já era como nunca mais deixaria de ser: atarracado, desengonçado, com uma perna dois centimetros mais curta que outra - e uma tarde apareceu num treino do TSV Munique. O treinador deixou que se mostrasse mas, no final, murmurou-lhe, em tom decrépito:
- Não vais longe nisto. É melhor mesmo dedicares-te a outra coisa...
Trabalhava como tecelão, tratavam-no pela alcunha que trouxera da escola: der Dick, o Gordo. Aos 18 anos conseguiu, enfim, entrar no modesto Nordlingen 1861. Em 32 jogos marcou 51 golos, ganhou o campeonato da sétima divisão. Era Gerd Muller - e o presidente de um clube que acabara de se sagrar campeão da segunda divisão foi a Nordlingen, contratá-lo. Era o Bayern Munique - e Zlatko Cajkovski, o seu treinador, desprezou-o:
- Comigo não joga porque não tem corpo de futebolista, basta olhar...
À décima jornada andava o Bayern por ruas de amargura, o presidente entrou em ira no balneário a dentro, decretou:
- Acabou-se! Muller tem de jogar. Sou eu que quero, sou eu que mando...
Cajkovski fez-lhe, resignado, a vontade - e der Dick, o Gordo logo se transformou em der Bomber, o Bombardeiro. Que, já melhor marcador da liga, passou por nova provação: Helmut Schon não o levou ao Mundial de 1966 pelo mesmo:
- Parece um barril, não é grande jogador, os golos que marca é por sorte...
(O resto é o que se sabe e um dos sinais desse resto é o facto de Muller apenas ter perdido o recorde mundial de golos para aquele que provavelmente é o melhor jogador mundial de todos os tempos e também parece não ter o corpo bem desenhado para o futebol: Messi.)
Domingo, voltei a ver o que há muito vejo: o incompreendido Muller no Cardozo, no Cardozo a contar mentiras sobre o corpo (e o estilo e o mais...) que se dever ter para se jogar à bola, dizendo com os pés que só vêem baliza e lhe acertam:
- Não sei se o meu futebol é estranho ou não, nem me interessa. Só sei que sinto o golo com o mesmo instinto com que o predador sente o cheiro do sangue da vitíma, é o que me basta. (É.)"

António Simões, in A Bola

Chuva isola Benfica no comando

"Com chuva não há serenata, decidiu o árbitro Pedro Proença e o Vitória de Setúbal-FC Porto, o jogo mais importante da 12ª jornada, foi adiado para Janeiro.
O adiamento agradou aos visitados e aos visitantes, e resta desejar que a nova data seja um dia de sol radioso, vento fraco e zero de humidade, porque se cai uma chuvada no relvado do Bonfim fica difícil haver jogo sem que não dê vontade de sorrir. Estamos no Inverno e o campeonato chegou ao Natal com o Benfica isolado no comando por causa do boletim meteorológico. A situação em nada incomoda o FC Porto, que nem forçou a realização do jogo, confiante de que, a 13 de Janeiro, faça chuva ou faça sol, não sairá da Luz a 6 pontos de distância do Benfica e com um jogo fora em atraso.
O Benfica está bem como se tem visto. Persiste em sofrer primeiro para brilhar depois, como já acontecera em Alvalade, enquanto Óscar Cardozo persiste em provar que é o melhor jogador mal-amado de todos os tempos no Estádio da Luz. No grupo da frente, à 12ª jornada, assistiu-se ao regresso de um Sporting de Braga autoritário, e já terceiro, e à persistência do Paços de Ferreira em espantar tudo e todos, apenas um degrau abaixo dos minhotos.
Aproxima-se o Natal e nunca um fundo da tabela terá sido tão comprido: distam apenas cinco pontos entre o último classificado, o Moreirense, e o 8º, que é o Beira-Mar. Ver o Sporting neste grupo dos fundos é bastante estranho, ainda que a jornada tenha sorrido aos leões: um ponto ganho no campo do Nacional e abaixo do Sporting nesta jornada ninguém ganhou."

O goleador que irrita o treinador

"Pela segunda semana consecutiva, Cardozo marcou 3 golos num jogo, para totais de 13 em 12 jornadas da Liga e 17 em 17 chamadas à equipa, cinco como suplente utilizado.
Apesar do impacto do colombiano Jackson Martínez na Liga, o paraguaio que se tornou no melhor marcador estrangeiro da história do Benfica termina 2012 como o jogador mais valioso da Liga.
Um paradoxo, para quem tem sentido ao longo de seis anos tantas dificuldades em chegar ao coração dos adeptos e que terá sido o primeiro goleador internacional a ouvir do próprio treinador a confissão de que por vezes o irrita solenemente. Olhando para o que tem sido a época do Benfica, talvez tenha sido bem mais irritante para os benfiquistas a opção, mal fundamentada, de Jorge Jesus em preterir Cardozo das opções prioritárias na Liga dos Campeões, em que só foi titular uma vez.
O paraguaio traz à memória os tempos de Nené, o avan-çado que não sujava os calções e também era muito irritante. Sobretudo para os adversários."

8+10=18 em 180

"Entre Setembro e Outubro de 1965 o Benfica defrontou o desaparecido Stade Dudelange para a Taça dos Clubes Campeões Europeus. Mesmo com a equipa em poupanças, e com adaptados como hoje está na moda, as vitórias foram copiosas. Contas mais certas seriam difíceis de fazer...

O Stade Dudelange não existe mais. Agora existe um tal de F91 Dudelange, que tem nome de prova de automóveis mas é, de facto, o fruto da união entre o Stade Dudelange, o Aliance Dudelnage e o US Dudelange. A fusão deu-se em 1991, claro está!
No seu tempo de glória, o Stade Dudelange foi a melhor equipa do Luxemburgo. Nesse tempo bateu o Jeunesse Esch e o Spora Luxemburgo, seus grandes rivais. Nos anos 40 chegou a ser campeão quatro vezes consecutivas. Em 1964/65 foi campeão do Luxemburgo pela última vez. E, na época seguinte, coube-lhe defrontar o Benfica para a Taça dos Clubes Campeões Europeus. Logo na primeira eliminatória.
Na véspera de actuar no Estádio Émile Meyrisch, o Benfica deslocou-se a Glasgow para defrontar o Rangers, numa das suas muitas viagens que o prestígio internacional e os altos 'cachets' exigiam. E assim, em Ibrox Park jogaram os titulares, porque 'noblesse oblige', os mesmos que no fim-de-semana seguinte se deslocaram ao Porto para mais uma jornada do Campeonato Nacional.
Era  a contar para a Taça dos Clubes Campeões Europeus, mas não houve mais remédio senão recorrer a poupanças no Luxemburgo. Entraram os mais novos, com um ou outro mais velho à mistura. Assim: Melo; Augusto Silva, Germano, Calado e Jacinto; Neto e Santana; Iaúca, Pedras, Serafim e Guerreiro. 3-0 para o Benfica ao intervalo; 5-0 na segunda parte. Não houve motivos para 'reproches'. Pedras(3), Serafim(2), Iáuca(2) e Santana resolveram um problema que se relevou muito pequenino. Costa Pereira, Simões e Cruz lesionados, não foram sequer hipóteses; José Augusto, Eusébio, Coluna e Torres foram deixados em 'banho maria'. O Benfica tinha qualidade para se dar ao luxo de fazer avançar as segundas linhas. E mesmo assim vencer, por 8-0. 'Em Lisboa jogaremos muito melhor', garantia Nicolas Mahr vice-presidente do Stade Dudelange. 'A eliminatória já estava perdida desde o dia do sorteio. Em Lisboa procuremos dar o melhor possível e depois descansar uns dias gozando o sol do vosso belo país!'

Mudar aos 5, acabar aos 10
Entretanto, Eusébio e Flora casaram-se pelo civil. O casamento religioso prometia ser de arromba. O Stade Dudelange vinha à Luz para a segunda 'mão' da primeira eliminatória da Taça dos Clubes Campeões mas dava-se maior importância à visita do Eintracht Frankfurt que estava em Lisboa para um encontro particular contra o Benfica cuja receita reverteria para a Cruz Vermelha Internacional.
Os luxemburgueses vinham à procura do sol, mas choveu a potes em Lisboa. Choveu água e choveram golos. O Benfica não foi o Benfica do costume, jogara dias antes frente ao Varzim para o Campeonato, tinha o Eintracht à porta, houve mais poupanças, como agora está na moda, e escrever-se na Imprensa: '...o Benfica não esteve no ataque com a acutilância necessária para realizar exibição a nível europeu, mas também o antagonista não merecia melhor actuação...'. Ora vejamos: Melo; Augusto Silva (um adaptado, e esta?), Raul e Jacinto; Neto e Ferreira Pinto; Coluna, José Augusto, Eusébio, Torres e Guerreiro. Muito certo, certamente, mas a verdade é que, mesmo assim, marcaram-se 10 golos no Estádio da Luz e todos para o mesmo lado, o lado do Benfica, claro! Ao intervalo: 5-0. Três de Eusébio e dois de José Augusto, alguns deles verdadeiramente vistosos, como os dois de José Augusto. Na segunda parte: 5-0. Mais um de Eusébio, outro de José Augusto e os outros três de Torres, Ferreira Pinto e Guerreiro.
Amadores, os luxemburgueses não poupavam nos elogios. Tinham sido vergados a um recorde histórico nas  duas 'mãos' de uma eliminatória da Taça dos Clubes Campeões Europeus. Em 180 minutos, 18 golos para o Benfica. Contas mais certas não se podem fazer..."

Afonso de Melo, in O Benfica

A sucursal

"O Madaleno teve a ideia e pô-la em prática: queria na rua Herculano uma sucursal das trampolinices da Casa Iluminada Logo a Seguir ao Cemitério. O Madaleno sempre sonhou em invadir a Capital do Império. E tascar-lhe fogo. Sempre sonhou ver a cidade branca escurecida pelas poucas-vergonhas imaginadas pelo seu cérebro caliginoso. Estranhava que não lhe dessem valor a Sul. O seu lema - 'Vergonha é Roubar e não Saber Subornar um Juiz' - não se aplicava a todo o comprimento do Rectângulo e isso incomodava-o a ponto de se ver no centro de um vendaval de flatos. O Madaleno gosta de homenzinhos de cócoras. Os homenzinhos de cócoras são muito úteis na sua senda podre de enganar e destruir a verdade, e limitam-se a mendigar bilhetinhos para as grandes festas de tafularia.
O Madaleno trata os homenzinhos de cócoras como eles merecem: isto é, abaixo de cão. Ou mesmo abaixo de porco. O chefe dos homenzinhos de cócoras ergue-se nas patas traseiras e arfa de alegria, ganindo na ânsia de um afago nas orelhas. Acabou por ter um prémio: foi nomeado presidente da Sucursal. Na Sucursal da rua Herculano escolhe a dedo os homenzinhos de cócoras que não vêem mãos. Isto é: falsifica, abastarda, adultera, perverte, vicia, corrompe aquilo que se supunha ser limpo. É essa a sua missão e ele cumpre-a sem desvelo. Semana após semana observa a sua obra. Os seus sequazes marcham alegremente a Penouços para receberem medalhas de lata da boa obediência das mãos de um cavernoso pinto de bico recurvo e olhos de carneiro sinistro. São paus-mandados. Bem mandados para o mal."

Afonso de Melo, in O Benfica

Sinal aberto

" 'Jogos internos' em canal aberto perturbarão algumas consciências que se mostravam muito preocupadas com o 'futebol dito fechado'

1. Na pausa de Natal e do Novo Ano será o tempo da Taça da Liga, a última competição a ser criada no âmbito do futebol em Portugal. E, em concreto, do futebol profissional. Teremos jogos internos em sinal aberto, em razão do acordo celebrado entre a Liga Portuguesa de Futebol Profissional e a TVI. Todos nos recordamos que esta Taça da Liga esteve associada ao patrocínio da BWIN. Com a impossibilidade objectiva, em razão de decisões judiciais, desse patrocínio, e face à difícil e complexa realidade económica-financeira do País, era previsível que não fosse possível encontrar patrocinador equivalente. Os prémios são relevantes já que, ao que creio, o vencedor pode arrecadar um prémio acumulado superior a 500.000 euros. Como, também, não foi possível que qualquer canal televisivo de canal aberto concretizasse uma oferta razoável para um jogo por jornada da nossa principal Liga de futebol. E tal impossibilidade resultava da indefinição que atinge o futuro próximo da RTP, por um lado, e por outro, pela canalização de recursos financeiros específicos da SIC para a Liga Europa - onde, agora, acolherá o Benfica! - e no âmbito da TVI para um conjunto de jogos da Liga dos Campeões, onde se mantêm o Futebol Clube do Porto e os grandes monstros do futebol europeu. Perante este conjunto de circunstâncias - e, também, o acordo da TVI para a transmissão televisiva de 7 jogos em canal aberto a partir da 3ª fase de grupos das duas próximas edições da Taça da Liga -, era previsível a rescisão do contrato da Olivedesportos Profissional. Agora o que fica é uma disputa jurídica. Já que a disputa política há muito se iniciou. E iniciou-se com a vitória do Doutor Mário Figueiredo para a Presidência da Liga. Mas, aqui, recordo sempre Maquiavel: «Os que vencem, não importa como vençam, nunca conquistam a vergonha«! O que é certo é que nos próximos meses teremos jogos internos em canal aberto. O que perturbará algumas consciências que se mostravam muito preocupadas com o futebol dito fechado.

2. O Benfica passa o ano na liderança da nossa Liga. Sei bem que é à condição, em razão do adiamento do jogo do Bonfim. Não discuto a decisão de Pedro Proença. O que se nota é um desporto para o inverno habitual. Aquele em que chove e faz frio. Ou, em outro prisma, muitos dos nossos relvados já não aguentam, por falta de efectiva manutenção, chuvas mais intensas. Mas, no jogo frente ao Marítimo, Óscar Cardoso, ao fim de cinco anos e meio com a camisola do Benfica, chegou, no passado sábado, aos 100 golos. Como ele só símbolos imensos da nação benfiquista: Eusébio, José Águas, Nené, Arsénio, Julinho, José Torres, Rogério Pipi, Nuno Gomes e José Augusto. Sou daqueles que, aqui e ali, sempre defendeu a utilidade e o proveito de Cardoso. Tenho muito mais prazer com ele do que, naturalmente, e por vezes, algumas dores. É um homem da área. E não de fora da área, como bem explicou no seu estilo peculiar Jorge Jesus. De fora ficam os seus livres. Alguns deles mortíferos. E que nos proporcionaram já muitas e muitas alegrias. Parabéns Óscar Cardoso por este centenário!.

3. O Sporting, com o empate frente ao Nacional, está, à 12ª Jornada, a vinte pontos do Benfica. Com os seus doze pontos, o Sporting conquistou apenas um ponto por jornada. O que é pouco. Muito pouco. O anúncio de Jesualdo Ferreira para manager é, acima de tudo, e na minha leitura, mais uma chicotada psicológica. O que é fundamental é que o Sporting, no âmbito do futebol de topo, recupere desportivamente. Ganhe mais pontos por jornada. E que marque mais golos. Em 12 jornadas marque mais golos. Em 12 jornadas marcou 11 golos. E recordando nós que foi Fernando Peyroteo o mais rápido jogador português a chegar, entre nós, aos 100 golos. Foi a 30 de Março de 1941. Há tempo suficiente para recordar Dom Quixote: «A história é émula do tempo, repositório dos factos, testemunha do passado, exemplo do presente, advertência do futuro».

4. Na passada sexta-feira, bem ao final da tarde - como a lei e a prática determinam! - foi anunciada a fusão entre a Zon e a Optimus. Inicia-se, quero apostar um tempo de fusões entre emrpesas e um tempo de novas pracearias no sector das telecomunicações e das plataformas digitais com consequências ao nível do nosso audiovisual. E tais parcerias e consequências vão chegar ao núcleo central do futebol e aos titulares dos direitos com ele conexos. E se olharmos para o valor que se fala dos sete jogos da Taça da Liga em canal aberto é tempo de alguns gerirem, com todo o cuidado, o stress que os atinge. E de outros assumirem que, por ora, é o sonho que comanda a vida...

5. Miguel de Unanumo é, reconhecidamente, um dos grandes pensadores espanhóis dos finais do século XIX e da primeira metade do século XX. Uma das suas reflexões acerca de Portugal tem o sugestivo título: Portugal: Povo de suicidas. E ouso recordar um dos seus trechos: «O povo era formado de homens tristes e resignados, é certo, mas também inteiros e verdadeiros». E «ser homem inteiro e verdadeiro é mais do que ser semideus». Aqui lhes deixo, nesta semana que antecede o Natal, esta síntese que nos marca e que nos identifica. A partir de fora. Vendo Portugal em aberto!"

Fernando Seara, in A Bola

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Lixívia 12

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica......................32 (-4 ) = 36
Corruptos...(-1 jogo)...29 (+4 ) = 25
Braga........................23 ( 0 ) = 23
Sporting.....................12 (+5 ) = 7


Mesmo sem ter apitado, o desdentado Proença conseguiu ser mais uma vez o protagonista da jornada, adiando um jogo de forma vergonhosa. Choveu em Setúbal? Sim, choveu. O relvado estava em mau estado? Talvez. Impraticável? Não. Aliás, nas imagens disponíveis, até parecia estar em melhor estado do que o habitual. Tendo inclusive criado dificuldades aos apitadores!!! Descobir um poça de água, para atirarem a bola lá para dentro - uma 'jogada' claramente para a fotografia televisiva -, não foi fácil...!!! A bola rolava, e o pretexto de que as linhas não se viam é ridículo, nem que ao intervalo se tivesse que deitar mais cal... o jogo tinha todas as condições para ser jogado!!! Mas os Corruptos tinham outros interesses. Querem apostar que se os Corruptos ainda tivessem na Taça de Portugal o jogo não tinha sido adiado?!!! A conivência do Setúbal não é novidade, mas não deixa de ser nojenta, não sei se receberam algum dinheirinho para pagar ordenados em atraso, ou se receberam alguma promessa de manutenção... daqueles lados não espero outra coisa. O desdentado também mostrou um subserviência a toda a linha... também tudo normal!!!
A marcação do jogo para 23 de Janeiro é totalmente anti-regulamentar, o jogo devia ter sido jogado 30 horas após a data inicialmente prevista, se existissem motivos excepcionais, reconhecidos pela Liga, então o jogo tinha que ser jogado no máximo 4 semanas após!!! Nada disto foi respeitado...!!! Podemos perguntar, quais sãos os motivos, por trás deste esquema?!!! Alguns defendem que como o Benfica e o Sporting jogaram no Sábado,  não havia espaço para a Sport TV transmitir os três jogos na mesma noite, mas muito sinceramente, a mais provável é a da 'amarelinha', bem recordada pelo nosso colega Vermelhovzky: Após jogos com grande fulgor fisico, é normal nas equipas Corruptas - desde sempre... -, passarem outros momentos da época completamente rotos!!! Os avençados juram que é sinal de competência, dizem que é tudo planeado... mas quem anda nisto à muito tempo, com os olhos abertos, sabe muito bem que após grandes momentos eufóricos, vem sempre a ressaca, e quando o fazem várias vezes durante a época, é prova que utilizam meios ilícitos. Por isso, é que os tais jogos, com os mais fraquinhos, às vezes merecem uma atenção especial dos Frutados - como o tal em Aveiro, com a visita à Madalena, para o beija-mão... -, na última jornada com o Moreirense em casa, os Corruptos venceram à rasquinha, com um penalty perdoado... nesta fase da época o objectivo era o jogo de Paris, os Corruptos queriam mesmo ficar em 1º lugar no grupo da Champions - a rotação em Braga para a Taça, assim comprova... -, portanto logo a seguir veio a ressaca!!! Agora, é necessário começar a preparar o jogo da Luz... É só uma teoria, mas tudo bate certo...

Na Luz tivemos uma das arbitragens menos 'anti-benfiquista' que eu me recordo dos últimos tempos, mesmo assim quase 'sem querer', o Marítimo marcou um golo em fora-de-jogo, e ficou por marcar um penalty a favor do Benfica, sobre o Maxi!!!
Mas aquilo que me preocupa mais, é que esta equipa de arbitragem, apitou este ano os Corruptos-Académica, jogo onde os fiscais-de-linha foram muito, mas mesmo muito, 'amigos' dos Corruptos, e neste jogo os mesmos fiscais-de-linha, além do golo irregular do Marítimo, ainda marcaram erradamente um fora-de-jogo ao Ola John, numa jogada perigosa...!!!
Em relação ao árbitro - como estou bem disposto - até posso perdoar a não marcação do penalty sobre o Maxi: o resultado já estava feito, e a marcação de um 2º penalty a favor do Benfica seria sempre polémico, com ou sem razão!!! Tenho mais dificuldade em compreender o cartão ao André Gomes. Ainda por cima quando 15 segundos antes o Danilo Dias fez exactamente a mesma coisa é não levou amarelo!!! É verdade que o Salvio, podia ter levado o amarelo antes - na falta do golo do Marítimo -, e portanto a 'equipa' do Benfica já tinha sido avisada, mas os jogadores do Marítimo também já tinham feito várias faltas mais agressivas, e só mais tarde foram amarelados... Sendo que o Rafael Miranda lá se foi safando, acho que nem ele saberá como!!!
Deixo para o fim o penalty assinalado. O lance é pouco discutível, só mesmo as mentes criativas dos anti-Benfiquistas podiam inventar alguma polémica neste lance!!! E nestes casos mais do que os avençados Corruptos, os avençados Lagartos costumam encontrar argumentos extraordinários, e este caso não foi excepção!!! Comecei por ouvir, no final do jogo, na Antena 1 - vulgo: Sporting FM, paga pelos contribuintes Portugueses já que as Osgas não têm dinheiro para mais... -, que o Matic tinha feito falta sobre o Roberge!!! Fiquei intrigado, mas nos dias seguintes foram vários que seguiram os mesmos argumentos, incluindo o Santolas... Vamos lá ver: como as faltas são iguais quando são cometidas pelos defesas, ou pelos avançados, aceitando o argumento da falta do Matic sobre o Roberge, sou obrigado a perguntar: será que, se o Roberge tivesse feito ao Matic, aquilo que alegadamente o Matic lhe fez, os Lagartos aziados estariam a reclamar que tinha ficado um penalty por marcar a favor do Benfica?!!! Creio que a resposta é óbvia!!! Mas também me parece óbvio que o Matic, não fez qualquer falta, foi o Roberge que tentou afastar o Matic da bola, usando os braços, que o Matic tentou contrariar, foi inclusive uma luta de braços de baixa intensidade, comparando com outros lances parecidos, que só o anti-benfiquismo primário desta gentalha, incapaz de reconhecer que o Benfica beneficiou de um penalty bem assinalado, pode transformar num potencial erro que favoreceu o Benfica...!!! Tudo isto porque a bola foi batida, junto da bandeirola de canto, a cerca de 40 metros de distância, não tocou, nem desviou em ninguém, e portanto a habitual alegação de ter sido à 'queima-roupa', era difícil de 'pegar'...!!!

Na Choupana não houve grandes casos, parece que o erro mais descarado foi um fora-de-jogo mal tirado ao Candeias. Mas não posso deixar aqui o meu testemunho daquilo que ouvi, também na Antena 1 - peço desculpa: Sporting FM!!! -, estava a caminho da Catedral em plena A8, e ia ouvindo as lamentações Lagartas na rádio, até que de repente o Sporting beneficiou de um penalty: os comentários orgásmicos antes do penalty ser batido foram hilariantes. O facto de o Sporting beneficiar de um penalty, parecia indicar o início de uma cavalgada histórica, os adjectivos elogiosos ao Wolfcoiso antes de marcar a grande penalidade foram estrondosos: raça, garra, galhardia... entre outros... Os poucos segundos que se seguiram ao falhanço do penalty, em completo silêncio, foram simplesmente deliciosos!!! É verdade que pouco depois o Sporting empatou o jogo, e os tais adjectivos foram todos repetidos, em relação ao marcador do 'golo do século'!!! É o que vale ao Sporting, ficam contentes com pouco...!!!

Em Braga ficou por marcar um penalty contra o Braga por falta do Ismaily...

Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
3ª-Nacional(c) V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4ª-Académica(f) E(2-2), Xistra, Prejudicados, (0-3), (-2 pontos)
5ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Marco Ferreira, Prejudicados, (1-5), Sem influência no resultado
6ª-Beira-Mar(c) V(2-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-1), Sem influência no resultado
7ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
8ª-Guimarães(c) V(3-0), João Ferreira, Prejudicados, (4-0), Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave(f) V(0-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
10ª-Olhanense(c) V(2-0), Rui Silva, Nada a assinalar
11ª-Sporting(f) V(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Marítimo(c) V(4-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, (5-0), Sem influência no resultado

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
-Marítimo(f) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Gil Vicente(c) V(2-1), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, (2-2), (+2 pontos)
5ª-Estoril(c) E(2-2), Nuno Almeida, Beneficiados, (2-3), (+1 ponto)
6ª-Corruptos(f) D(2-0), Jorge Sousa, Prejudicados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Académica(c) E(0-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
8ª-Setúbal(f) D(2-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
9ª-Braga(c) V(1-0), Proença, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
10ª-Moreirense(f) E(2-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
11ª-Benfica(c) D(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Nacional(f) E(1-1), Soares Dias, Nada a assinalar

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicado, Sem influência no resultado
3ª-Olhanense(f) V(2-3), João Ferreira, Nada a assinalar
-Beira-Mar(c) V(4-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
5ª-Rio Ave(f) E(2-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
6ª-Sporting(c) V(2-0), Jorge Sousa, Beneficiados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Estoril(f) V(1-2), Capela, Nada a assinalar
8ª-Marítimo(c) V(5-0), Cosme, Nada a assinalar
9ª-Académica(c) V(2-1), Hugo Pacheco, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
10ª-Braga(f), V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Moreirense(c) V(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
3ª-Paços de Ferreira(f) D(2-0), Pedro Proença, Nada assinalar
4ª-Rio Ave(c), V(4-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
6ª-Olhanense(c), E(4-4), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7ª-Marítimo(f), V(0-2), Benquerença, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
9ª-Sporting(f) D(1-0), Proença, Prejudicados, (1-1), (-1 ponto)
10ª-Corrutpos(c) D(0-2), Xistra, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Académica(f) V(1-4), Soares Dias, Nada a assinalar
12ª-Estoril,(c), V(3-0), Nuno Almeida, Beneficiados, (3-1),Sem influência no resultado

LINK's
1ª  jornada
2ª  jornada
3ª  jornada
4ª  jornada
5ª  jornada
6ª  jornada
7ª  jornada
8ª  jornada
9ª  jornada
10ªjornada
11ªjornada

Épocas anteriores:
2011-2012
2010-2011
2009-2010

Cardozo superstar

"Benfica de ataque mete Marítimo a pique
Uma mão cheia de oportunidades enjeitadas pelos encarnados, na 1ª parte, fizeram deste duelo um jogo equilibrado, mas só no marcador, que no resto foi o Benfica, sem contemplações, rei e senhor. Um domínio, de resto, tão intenso que, mesmo levando em conta os rotundos 4-1 finais, se poderá acrescentar que o desfecho peca por exíguo.
A formação da Luz é hoje uma equipa de forte pendor ofensivo, adaptado que está, finalmente, ao seu flanco esquerdo, o holandês Ola John, que, com Salvio no corredor contrário, faz uma dupla de se lhe tirar o chapéu. Faltava esta afirmação plena do reforço que veio do Twente para tirar todas as dúvidas a Jesus quanto aos detentores daquelas posições e remeter para o banco Gaitán e Nolito.
Actuando frente ao Marítimo no habitual sistema do 4.1.3.2, o Benfica apresentou, para além daqueles, Cardozo e Lima na frente, enquanto no meio o mais defensivo Matic e o criativo André Gomes, no apoio aos atacantes, completaram o sexteto. Um grupo de respeito que, desde cedo, tomou conta das operações, através de um futebol de alta voltagem, a que a defesa funchalense, com realce para o guardião Ricardo, se ia opondo com mérito e não menor dificuldade.
Foi, pois, com enorme surpresa e contra a chamada corrente do jogo que o "placard" conheceu a primeira alteração. Na sequência de um livre (só podia ser de bola parada), o Marítimo aproveitou uma aberta no muro contrário e chegou ao golo (Rodrigo António, 25'), mas nem isso fez abalar o ânimo e a convicção encarnada num bom resultado, tal a disponibilidade atacante até aí demonstrada, em contraste com a falta de argumentos dos visitantes, sem espaços concedidos para fazer melhor.
Um golo de Cardozo, a concluir solicitação de Sálvio, e mais algumas ocasiões desperdiçadas confirmariam essa ideia, mas o 1-1 ao intervalo continuava a não transmitir a diferença real entre as duas partes em confronto. Jesus trocou A.Gomes por Enzo, ao intervalo, numa tentativa de dotar a equipa de outra dinâmica, mas o Marítimo, com alguma sorte à mistura, soube fechar-se, através de duas linhas recuadas em bloco, apenas com Fidélis, muito isolado lá na frente, quase a fazer figura de corpo presente.
Claro que o golo do Benfica podia acontecer a todo o momento, que a equipa fez muito por isso, mas quis o destino que ele surgisse apenas de grande penalidade, após falta de Roberge, que acabaria também por ser expulso. Cardozo transformou o castigo máximo (65') e foi o fim do jogo, uma vez que, com 10 unidades - e logo sem um dos seus mais influentes jogadores -, o Marítimo "saiu" de cena. Cardozo faria ainda o seu "hat-trick" e Rodrigo, entrado para os minutos finais, fixou o resultado de uma partida que o Benfica ganhou sem discussão."

Contra-mão

"Uma ironia inabitual do presidente do Benfica reabriu a discussão sobre a muito cruel diferença de avaliação ao uso das mãos por jogadores que não os guarda-redes. O até agora muito discreto Alex Sandro saltou para a ribalta pelo inegável mérito em saber usar as mãos de acordo com o critério bom dos árbitros e até podia ser utilizado em workshop da Federação como modelo a seguir. O treinador Vítor Pereira, por exemplo, até meteu os pés pelas mãos ao incluir no célebre hat-trick de Duarte Gomes do Benfica-Guimarães da época passada o penálti de N’Diaye sobre Saviola, que nada teve a ver com jogadas de segundo guarda-redes. Apenas um exemplo da enorme confusão que se instalou a respeito de uma falta clássica do futebol que, outrora, no tempo dos ingénuos, era tão fácil de destrinçar entre voluntários e involuntários.
Por exemplo, o francês Roberge precisa urgentemente de uma reciclagem e deve ter saído ontem do Estádio da Luz apreensivo pela diferença que o separa daquele colega de profissão. Ao contrário do que o lateral do Porto habitualmente faz, com toda a impunidade, o central madeirense procurou esquivar-se ao contacto da mão com a bola, e se mostrou alguma voluntariedade, foi em evitar a falta e não em cometê-la.
Esta época, foram assinalados 13 penáltis por mão na bola, apenas um terço de todos os lances de contacto de mãos e braços com a bola dentro da área. São praticamente quatro lances controversos por jornada, o que justifica uma clarificação urgente, de uma das áreas mais cinzentas do subjetivismo dos árbitros.
E a solução só podia ser esta: falta em todos os contactos com a mão na bola, independentemente da vontade do jogador ou da subjetividade do árbitro. O que veríamos então seriam mais gestos como o de Roberge, a tentar tirar a mão do caminho da bola, e menos como os de Alex Sandro, a procurar aumentar a barriga. E a controvérsia simplesmente acabava."

Concludente

"1. Grande 2.ª parte do Benfica perante um Sporting que quase fazia o jogo da sua vida. Foi uma vitória importante na luta pelo título, que tem que ser feita jogo a jogo, sem distracções  sem excessos de confiança. Qualquer ponto perdido pode fazer muita falta nas contas finais...

2. Justamente elogiada a arbitragem de Marco Ferreira, quase impecável. É bom que apareçam outros árbitros nos grandes jogos. Estamos fartos dos Proenças, Olegários e Sousas.

3. Na base da tentativa de adiamento do Sporting-Benfica esteve o cancelamento do jogo com o Videoton, devido às péssimas condições do relvado de Alvalade. É certo que choveu bastante nesse dia. Mas também choveu bastante no sábado do jogo Benfica-Olhanense (até obrigou ao adiamento do Belenenses-Sporting B) e o relvado da Luz manteve-se impecável. Pelos vistos o de Alvalade, que tantos problemas já deu, é mesmo mau. O Sporting quis adiar o Sporting-Benfica. Está no seu direito. Não pode é querer adulterar regulamentos claros e que permitiam que o jogo fosse realizado três dias depois... como aconteceu no Sporting-FC Porto (três dias depois do Videoton-Sporting... na Hungria!) e no Sporting-SC Braga (três dias depois do Sporting-Genk). Então, não protestou nem tentou outras datas, agora fez declarações, comunicados, protestos. Acima de tudo para distrair os adeptos dos problemas do clube e 'acicatá-los' para irem ao estádio e apoiarem a equipa. Enfim, uma tristeza...

4. Até me deu vontade de rir. O Sporting tem muito pouco rigor histórico - um dos 'seus' medalhados olímpicos, o atirador, Armando Marques, embora sócio do clube, nunca o representou. E honestidade neste campo ainda menos - considera seus medalhados atletas 'alugados' para uma só competição (Taça dos Clubes Campeões Europeus), numa clara falta de respeito para com os seus verdadeiros medalhados, Carlos Lopes, Francis Obikwelu e Rui Silva. Pois agora vai ter que abater uma 'medalha de ouro' ao seu palmarés. O ucraniano, Yuri Bilong, que ganhou o peso nos Jogos de 2004, acaba de ser desclassificado por doping. Tal como nunca considerei um medalhado do Sporting, também agora não vou dizer que o clube andou a utilizar um atleta dopado...

5. Pelos vistos, o defesa portista, Alex Sandro, pode meter a mão à bola sem consequências. Foi assim em Braga, assim foi na recepção ao Moreirense quando ainda havia 0-0. Penálti a penálti..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Gostoso Benfica

"Ainda há quem se lembre daquele spot publicitário de apelo a uma marca de café, a tal "do gostinho especial"? Pois tem sempre um gostinho especial vencer o Sporting, mais ainda em Alvalade, mais ainda consumada uma excitante pirueta no marcador. E se fosse ao contrário? Na casa dos leões, este ano de rugido coitado, o triunfo sobre o Benfica valeria o maior fragor, assim ao jeito de quem mitiga as agruras de uma meia temporada à custa do histórico e maldito arquirrival, a presa sempre mais ambicionada no território verde.
O conjunto de Jorge Jesus venceu. Venceu bem, venceu sem mácula, venceu categoricamente. Foi melhor, incomensuravelmente melhor, sobretudo no desenho competitivo da metade complementar. Como dizia o meu amigo, António Simões, nossa grande glória, minutos depois do embate: "reparaste que o nosso miúdo do meio-campo foi melhor que os três jogadores do Sporting que atuaram naquela posição?". Pois foi. Ele e outros. Quase todos os outros. Subjugaram o antagonista com inusitada, ainda que previsível facilidade.
O Benfica deu mais um passo importante numa caminhada que se deseja, que se acredita balizada pelo sucesso. A Liga está quase no termo da sua primeira volta. A receção, em Janeiro, ao FC Porto, poderá ditar muita da trajetória subsequente. Até agora, o comportamento do coletivo "encarnado" tem sido brilhante. Até as duas únicas igualdades consentidas corresponderam (ante o Sporting Clube de Braga e a Académica) a outros tantos disparates das equipas de arbitragem.
Tem havido Benfica, esse Benfica da nossa consolação. Tem que continuar a haver Benfica, esse Benfica da nossa consagração."

João Malheiro, in O Benfica

Um quatro, um três e uma esperança

"Em poucos dias, o Sport Lisboa e Benfica deu-nos três diferentes motivos de orgulho.
A nossa Benfica TV cumpriu o seu quarto aniversário, afirmando-se cada vez mais como uma presença indispensável ao universo benfiquista. Nasceu de um projecto arrojado – como tantos que o Clube tem levado à prática -, e passados estes anos pode dizer-se que tem sido acompanhada de inteiro sucesso. A prova é que os rivais se apressaram a tentar copiá-la, uns com um arremedo de imitação barata, outros sem passar de pomposos, e eternamente adiados, manifestos de intenções. O futuro aponta para um reforço desta aposta, eventualmente em novas plataformas, e com um modelo que permita rentabilizar as transmissões dos jogos de futebol no nosso estádio.
Outro motivo de contentamento foi a vitória esclarecedora obtida em Alvalade, num jogo que até começou por nem correr de feição. Não sei, honestamente, se ganhar ao Sporting, mesmo fora de casa, significa hoje o que significava na minha infância. Sei que, terminada a partida, a incontrolável euforia com que outrora vivia estas jornadas se transformou numa agradável, mas simples e tranquila, sensação de dever cumprido. Sinal dos tempos. Sinal de um clube que soube retomar a sua dimensão, e manter-se na disputa pela liderança do futebol nacional, e de um outro que parece caminhar em direcção ao abismo.
Antes, em Barcelona, a nossa equipa ficara à beira de um feito histórico. Com uma pontinha de sorte teríamos vencido em Camp Nou, perante um adversário onde pontificavam Puyol, Pique, Song, David Villa, e…Lionel Messi, entre alguns jovens (Montoya, Tello, Thiago, etc) utilizados com maior ou menor frequência no onze principal – ou seja, perante uma grande equipa. O acumulado de resultados do grupo afastou-nos caprichosamente do apuramento. Mas não foi neste jogo que o Benfica sucumbiu. Pelo contrário, aquilo que fizemos em Camp Nou deve ser valorizado, e servir como uma boa base para a Liga Europa - que se aproxima, e para a qual devemos olhar com ambição."

Luís Fialho, in O Benfica

domingo, 16 de dezembro de 2012

Pareceu uma galinha a chocar um ovo !!!


Benfica 1 - 0 Trofense

Chegámos à vitória num lance trágico/cómico, com muita fortuna, mas com todo o mérito... a equipa não consegue atingir os patamares das primeiras jornadas da época, a ausência dos Andrés é fundamental, mas ninguém se pode queixar da atitude dos nossos jogadores, muitas vezes com pouca cabeça, mas sempre com muito coração têm conseguido bons resultados nesta Segunda Liga... e ao contrário de outros, sem ajudas de ninguém, hoje, mais uma vez tivemos que ultrapassar uma arbitragem aberrante de um trio que só teve um objectivo durante os 90 minutos: empurrar o Benfica para trás!!!
É com satisfação que vejo o Cafú a jogar a trinco, defendo à muito tempo que é a sua melhor posição, a única que lhe pode dar 'acesso' ao mais alto nível... Parabéns ao Rosa pelo merecido prémio de melhor jogador da 2ª Liga Outubro/Novembro.

Mar pouco agitado !!!


Leixões 0 - 3 Benfica
12-25, 15-25, 18-25

O Leixões este ano está muito fraco, vai quase de certeza descer de divisão - na melhor das hipóteses!!! Jogo calmo...

Benfica TV

"A Benfica TV fez quatro anos. Está de parabéns pelo aniversário, está de parabéns pelo trabalho realizado ao longo destes anos em prol da divulgação do benfiquismo.
Efectivamente, a BTV, mais do que simplesmente mostrar um Clube, tem familiarizado os benfiquistas com o ecletismo do Benfica, com as diferentes gerações de atletas e adeptos, com as diferentes formas de sentir e viver o Clube, com a multiplicidade de vozes que defendem o nosso Benfica em variados contextos. Lembro-me de que, no início, a BTV permitia-nos ter uma voz própria, sem concessões e sem que estivéssemos submetidos a qualquer poder televisivo dependente do ‘status quo’ do futebol português. Permitiu-nos denunciar todas as manobras do processo “Apito Dourado” e, sem tréguas nem medos, nomear todos os que alicerçam as suas vitórias em estruturas corruptas. Além disso, a BTV servia-nos documentos históricos de valor inestimável em programas marcantes como o “Vitórias & Património”. Enfim, a BTV, pelo pioneirismo e qualidade, consolidou-se como um marco essencial na modernidade do nosso Benfica.
Neste momento, impõe-se a referência ao Director da BTV, Ricardo Palacin. Tenho testemunhado no Ricardo, ao longo dos anos, uma liderança guiada pela procura do ‘mais’, nunca acomodada ao conforto. Vi-o obrigar-se a procurar impacientemente algo mais e algo mais além. Vejo-o com coragem para arriscar onde outros temem ousar e louvo-lhe a lealdade absoluta para com o Clube, ou seja, o profissionalismo ao serviço do benfiquismo. Agradeço-lhe a amizade e no Ricardo parabenizo toda a sua equipa por estes anos de BTV."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Uma notável falta de comparência

"Mais vale tarde do que nunca. Foi preciso que se passasse quase um ano para o presidente do Sporting reconhecer publicamente que há contas por saldar do episódio incendiário da sua última visita ao Estádio da Luz. E se há contas por saldar é porque há responsabilidades atribuídas. Também é verdade que não foram nada felizes as circunstâncias nem os termos em que Godinho Lopes se referiu ao incêndio de uma bancada da Luz.

A despropósito da inflacionada questiúncula do adiamento do último “derby”, veio o presidente do Sporting explicar à nação que Luís Filipe Vieira não lhe terá atendido o telefone por “razões completamente ridículas” tais como “o facto de as contas do incêndio na bancada da Luz não estarem ainda fechadas”.
O ridículo mata, tem razão Godinho Lopes. Mas nem o incêndio de uma bancada, nem a continha por pagar podem ser considerados temas ou razões ridículas a não ser para pirómanos ou para caloteiros o que, com certeza, não é o caso. Está desorientado o presidente do Sporting e não é por causa do Benfica nem de Vieira, por muito que isso lhe fosse convenientemente. Do ponto de vista estratégico em prol da sobrevivência do seu projecto já uni-pessoal para o clube que o elegeu (ou não…), falhou-lhe estrondosamente a tentativa de engodar as hostes sportinguistas num assomo de ódio contra os vizinhos da Segunda Circular nas vésperas do clássico.
Nem os adeptos do Sporting, cansados de tanta realidade, embarcaram nessa fantasia, nem o próprio Benfica se dignou a dar o troco tão ansiosamente esperado no gabinete presidencial e no gabinete da comunicação de Alvalade. À guerrinha do adiamento respondeu o presidente do Benfica com uma notável falta de comparência. “Não há pão para malucos”, como diz o povo com a sua imensa sabedoria. Da Luz não houve uma palavra, um ai, um suspiro em resposta aos disparates de Godinho Lopes nas vésperas do jogo. E quando o jogo acabou, a preocupação do presidente do Benfica nem sequer foi responder a Godinho Lopes ou reavivar o tema com a enorme vantagem de ter ganho o clássico na casa do velho rival. Voando sobre as dores de Godinho Lopes, Vieira virou-se para o que realmente o interessa e o preocupa: o andebol. O resto é conversa.

ERRAR É HUMANO
Opiniões respeitáveis contra metáforas assassinas
No fim do jogo de Alvalade, sem nomear o FC Porto, o presidente do Benfica assumiu as dificuldades de lutar pelo título quando há equipas em prova que “jogam com dois guarda-redes”. A trezentos quilómetros de distância a absurda metáfora de Vieira causou comoção. Um conjunto de individualidades – um ex-jogador, o treinador e o presidente - depreenderam que as palavras de Vieira lhes eram dirigidas e, reagindo, enfiaram o garruço até às orelhas (deles).
Rodolfo Reis, um ex-jogador, clamou que o Benfica estava a “preparar os árbitros” para o futuro, Pinto da Costa, o presidente (…já a quilómetros-luz da sua proverbial ironia do costume), afirmou desconhecer essa possibilidade regulamentar e Vítor Pereira, o treinador, relembrou a arbitragem de Duarte Gomes no Benfica-Vitória de Guimarães da última temporada.
São opiniões. E todas muito respeitáveis. Ficámos assim a saber que para estas três figuras os árbitros Carlos Xistra, Olegário Benquerença e Vasco Santos tiveram nota positiva, e positiva alta, nos jogos em que apitaram o FC Porto, os dois primeiros em Braga, o terceiro no Dragão frente ao Moreirense. Já o presidente do Benfica pensa de maneira diferente e não admirará se vier a ser suspenso pela Liga. Há metáforas que não podem passar impunes.

POSITIVO
Cardozo matador
Na segunda-feira, em Alvalade, o paraguaio voltou a mostrar os seus dotes de mata-leões e de inimigo público n.º 1 de Rui Patrício. Dois golos mais um golo a meias com Rojo e mais 3 pontos para o Benfica. 

Manita de Falcão
O colombiano está imparável. Marcou 5 golos ao Deportivo da Corunha, é obra. O presidente do Real Madrid já nem esconde a vontade que tem de desviar Falcão do Vicente Calderón para o Santiago Bernabéu.

NEGATIVO
Boulah… atroz
Mais um jogo desgraçado do infeliz Boulahrouz. É da sua responsabilidade o penalty com que o Benfica iniciou a reviravolta e que lhe valeu um vermelho directo. O holandês não acerta uma.

PÉROLA
Estamos a fazer um trabalho de grande dimensão.”, GODINHO LOPES
Não será essa a opinião generalizada entre os sócios e adeptos do Sporting Clube de Portugal mas é de louvar a confiança e, muito principalmente, a auto-estima do presidente no momento mais conturbado da história do clube. E confiança e auto-estima é o que mais tem faltado à equipa de futebol."


PS: Na mesma semana, duas das melhores crónicas da 'nossa' Leonor!!!

Um Natal bem vermelho !!!


Benfica 4 - 1 Marítimo

O Benfica desta época, poderá ser descrito como uma equipa tipo: 'falso lento'!!! Explico: não fazemos as cavalgadas da época do último título, com o Coentrão, o Ramires e o Di Maria sempre a grande velocidade, mas a verdade é que mesmo sem 'forçar' - aparentemente - criamos oportunidades claras de golo em catadupa, umas atrás das outras, só que como tem sido regra, falhamos a grande maioria!!! Hoje, com um aproveitamento aceitável tínhamos marcado o dobro ou mesmo o triplo dos golos!!!

O Matic está numa forma verdadeiramente brutal, tenho-o elogiado praticamente em todos os jogos, hoje voltou a fazer um jogo 'enorme'... neste momento, já é mais jogador do que o Javi: faz aquilo que o Javi fazia na defesa, mas faz mil vezes mais em ataque... Notou-se a vontade da equipa em dar um golo ao Lima, que está a jogar bem, melhorou bastante nas recepções de costas, e nas tabelas 'entre-linhas', mas está-lhe a faltar os golos na Luz com a regularidade que todos desejamos. O Cardozo começou por falhar alguns golos incríveis,  mas ainda foi a tempo do hat-trick (será que o rascord vai atribuir o hat-trick ao Cardozo, ou será que vão descobri que afinal os golos foram marcados por um qualquer homem invisível que andou a passear na relva da Catedral?!!!). O Ola continua a estar em praticamente todas as jogadas de perigo do Benfica... e até um adepto - sentado nas minhas redondezas - pouco crente no potencial do Holandês - passou o jogo quase todo a criticar... -, no final do jogo, estava rendido!!! Parecia que estava a aplaudir o Mantorras!!! O Salvio continua trapalhão, mas pelo menos está muito esforçado defensivamente - o Maxi obriga...!!! O André Gomes entrou algo envergonhado, só depois do golo do Marítimo, é que percebeu que tinha que entrar na área contrária, em tabelas, ou com desmarcações... foi nesta altura que o Benfica na 1ª parte criou mais perigo. Foi bem sacrificado ao intervalo, por que o Enzo é muito melhor nos duelos individuais, perto da área adversária... O Melga esteve um pouco trapalhão no momento das decisões perto da área do Marítimo, mas acabou por fazer uma assistência para golo... Garay e Jardel voltaram a estar imperiais, e não foi tão fácil como pode ter parecido, já que o Fidelis tem muita força, e o Maxi abriu demasiados 'buracos'!!! O Maxi começou mal a época, depois melhorou, mas agora parece que voltou a cair... é verdade que não é fácil marcar o Sami, mas cometeu demasiados erros. Acho mesmo que neste momento, o André Almeida defensivamente dá mais garantias!!! O Artur praticamente não teve trabalho, acho mesmo que jogou mais vezes a bola com os pés, do que com as mãos!!! O Gaitan entrou concentrado - algo raro - mas nem tudo lhe saiu bem. O Rodrigo finalmente conseguiu marcar, não foi no primeiro toque na bola, mas deve ter sido ao 3º...!!!