Últimas indefectivações

sábado, 30 de abril de 2011

... os merdas !!!

Todas os grupos, comunidades, clubes, ou afins têm entre os seus, todo o tipo de pessoas. O Benfica não é excepção. É com muita pena minha que escrevo este post, mas a paciência tem limites. Aviso já que estou-me marimbando se vou ferir as susceptibilidades dos tais 'merdas'. Não me considero mais Benfiquista do que ninguém, nem gosto deste tipo de discussões. Mas às vezes é difícil ficar calado... Podem-me chamar carneiro, seguidista, ou outra coisa qualquer, que é para o lado que eu melhor durmo... mas também não recebo lições de Benfiquismo de ninguém. E até dou um conselho: leiam com cuidado, tudo. Para não enfiarem a carapuça, injustificadamente.

Esta época desportiva do Benfica, no Futebol e nas várias modalidades, tem sido caracterizada pela inconstância. Já ganhámos várias competições, em todas as modalidades, e já perdemos outras. Mas duvido que tenha existido uma época, principalmente na última vintena de anos, que no final de Abril, principio do Maio, o Benfica tenha ainda tantas competições para ganhar, em tantas modalidades, tanto a nível interno, como Europeu!!!


Mas apesar disso, hoje com a desilusão do Voleibol (e ontem do Futsal), a pior forma de Benfiquismo voltou a dar sinal de vida!!! Está-se a tornar habitual, sempre que alguma equipa do Benfica tem um desaire, nem que seja ao berlinde, muitas vezes mesmo sem terem visionado o jogo, os 'merdas' reagem sempre da mesma maneira: Humilhação, Vergonha, falta de cultura de vitória, a culpa é do LVF, etc...

Informo que a vergonha que eu sinto, é ter como adeptos do Benfica, adeptos deste nível!!! Humilhação?!!! É ter adeptos do Benfica desta qualidade de 'merda'!!! Autênticos ratos de porão!!! Que infelizmente devido às novas tecnologias, escrevem, o que pensam, ou seja 'merda'!!!

Não confundir estes 'merdas' com a critica construtiva, que muitos outros fazem, aliás como é tradicional no Benfica. Os 'merdas' não 'ajudam', ofendem somente aqueles que representam o Benfica, sejam eles dirigentes, democraticamente eleitos, ou funcionários legitimamente ao serviço do Clube. Usam uma diarreira demagoga, fazem prognósticos sabendo os resultados finais, compram e vendem jogadores aos melhores preços, nos tempos certos, com uma facilidade inacreditável, reescrevem os factos para os adaptar às suas teorias conspirativas, quando é conveniente acreditam piamente em todas as noticias dos jornaleiros, mas noutras ocasiões acusam os mesmos de serem avençados da Direcção. Mas acima de tudo ofendem tudo e todos que 'vestem' o Manto Sagrado...

Independentemente daquilo que acontecer até final da época, nas várias competições onde as equipas do Benfica estão a disputar títulos, aquilo que já foi conseguido, merece ser elogiado. À pouco tempo atrás, se tivéssemos uma ou duas modalidades, neste momento a disputar títulos, nacionais e internacionais, era uma 'festa'!!! Hoje, estamos na luta em todas!!! E a nível nacional, as que não vamos ganhar, provavelmente vamos ficar em 2.º!!! Eu não gosto de ficar em segundo, mas é melhor que o 3.º ou o 4.º!!! Já li hoje, alguns 'doutos' 'merdas' a apelidar esta época nas modalidades como uma das piores de sempre!!! A falta de memória é preocupante. Até parece que estamos fartos de ganhar títulos nos últimos anos!!! O ano passado por exemplo, Campeonatos Nacionais, foi só o Basket!!! E nas competições europeias temos vencido títulos atrás de títulos!!! (estou a ser irónico!!! podia alguém acreditar!!!) Ainda por cima em algumas modalidades existe a 'variável' Sistema, sempre desvalorizada: No Hóquei, onde estamos dependentes de terceiros, sem os dois ROUBOS, que foram os dois jogos com os Corruptos, e as coisas seriam muito diferentes (bastaria duas vitórias nesses jogos, e hoje estávamos com 12 pontos de vantagem!!!).

Como em qualquer jogo de futebol, para marcar golos, é preciso criar oportunidades. E neste momento o Benfica em todas as suas vertentes, está a 'criar' oportunidades de ganhar títulos, em todas as modalidades (inclusive no Futebol), até agora, esta época, a percentagem de sucesso, está abaixo das expectativas criadas durante a época, mas isso não é um sinal de que tudo está errado, bem pelo contrário: é um sinal, que o Benfica está em clara recuperação, o Benfica nos tempos recentes nunca esteve tão forte, então nas competições europeias os vários trajectos têm sido altamente positivos, e em alguns casos surpreendente, o Benfica para a próxima época deverá pontualmente reforçar as equipas, mas a base em todas elas, deve-se manter, porque tantas vezes o 'cântaro vai à fonte', que os títulos vão aparecer, é uma questão matemática. Agora, se os 'merdas' ganham na sua 'intifada'!!! E se após um desaire, tudo seja posto em causa. Então os resultados nunca serão positivos. Porque pedir constantemente a 'cabeça' dos treinadores, dos dirigentes, e dos jogadores, nunca será solução...

Também não deixa ser 'engraçado' como o estado Mafioso do desporto Português (que é aceite por todos), é usado para criticar o actual Benfica!!! Obviamente não dizem que o Benfica é o beneficiado pelo Sistema, mas defendem que o Benfica e o seu Presidente são culpados pela perpetuação da Máfia em quase todas as modalidades. Isto é, defendem que após a Policia, os Tribunais, e os Políticos nada fazerem para terminar com todos 'arranjinhos', é o Benfica e o seu Presidente, que têm a obrigação 'divina'(!!!) de aparentemente sozinho conseguir 'derrotar' todo o edifício criminoso no desporto Português!!! Ao falhar este propósito, o ónus da culpa, para eles, não está na ineficácia ou cumplicidade da Policia dos Tribunais, dos Políticos, e dos Merdias, o entrave na luta contra os Corruptos é o Benfica e a sua Direcção!!!

Este tipo de 'apoio', alegadamente defendendo uma cultura de vitória do Clube, esconde uma enorme falta de cultura desportiva, onde se deve saber vencer, e saber perde. Obviamente a motivação para tudo isto (neste momento), é uma doentia obsessão anti-Vieira, mas quando o Vieira se for embora, haverá outro bode expiatório. A arrogância como tentam passar a ideia, de que todas as suas soluções são infalíveis, é ainda mais irritante... Aliás com tanta gente super-competente a dar 'postas de pescada', fico admirado como é que o País está na actual situação!!!

Se calhar este tipo 'apoio' sempre existiu, não sei. Mas o impacto desta destabilização interna, hoje, é maior. Seja por vicio, seja por inveja, seja por ressabiamento, seja unicamente por estupidez, o Benfica não merece este terrorismo interno, esta 'politica' de terra queimada é muito perigosa para o futuro do Benfica...


Como se canta na Luz: Eu sou Benfiquista, com Orgulho, e com muito Amor...!!! (na vitória e na derrota!!!)

Não foi fácil...

Benfica 5 - 3 Valongo



Podia ter sido mais tranquilo, bastava não falhar tantos livres directos (e/ou penalty)...!!!


Chegar a Dublin será um feito... Eu acredito!

"A vitória na Taça da Liga só foi possível graças a atitude inicial do Benfica, agressivo na primeira parte, mostrando vontade de ganhar, não esperando que chovesse a superioridade teórica.

Depois, na segunda parte, com jogadores muito cansados e com o infortúnio do autogolo, foi Jorge Jesus quem leu bem o jogo, equilibrou a equipa e segurou mais um título.

Há que dizer, no entanto, que foi bem mais difícil ganhar este ano do que no ano passado contra o Porto e Jorge Sousa juntos e esse mérito é do Paços Ferreira.

Depois da arbitragem do último ano o prejuízo deste já nem serviu para indignar.

A nossa prestação na Liga Europa decidirá se a época será positiva ou negativa e não é preciso negar essa realidade. Estamos aquém das expectativas e aquém das ambições.

Soube bem ganhar a Taça da Liga e teria sido um pesadelo perdê-la.

A semana que antecedeu o jogo com o Braga foi de drama permanente, notícias de lesões constantes, de jogadores que não recuperavam, foi criado um anticlímax para uma meia-final europeia.

O resultado foi bem mais traiçoeiro e perigoso que a exibição. Era merecido outro, mais volumoso. O que me preocupa é não ter Pablo Aimar no jogo da segunda mão, aquele qualidade de passe não é substituível.

Recuperados fisicamente e com o pensamento em Dublin, se formos defender o 2-1 poderemos não estar.

Com tantas lesões e condicionalismos, chegar a Dublin será um feito. Eu acredito."


Sílvio Cervan, in A Bola

Cruel






É muito frustrante terminar a época, e não ser Campeão. A equipa não merecia, e o professor Jardim também não.

Um calendário absurdo, e o 'azar' das lesões no final da época, explicam alguma coisa.

O Benfica nas duas fases da época regular, perdeu 3 jogos (o último já com o primeiro lugar garantido), a Fonte Bastardo perdeu 9!!! Na Taça ainda eliminamos a Fonte Bastardo nas Meias-Finais. Portanto em jogos oficiais, temos 3 derrotas, para 10 derrotas da Fonte!!! (antes deste Play-Off final).

Como meia-época não contou para nada (praticamente), a Fonte Bastardo aproveitou, e reforçou-se na parte final da época, poupando dinheiro o resto da época. Como o maior parte das equipas da divisão A1 são 'equipas municipais' (no caso da Fonte, é uma equipa financiada pelo Governo Regional) a FPV, 'preocupada' com a crise, e a falta de dinheiro das Câmaras, arranjou este esquema para 'perverter' a competição.

A juntar a esta 'manobra', o Benfica no momento decisivo da época, ficou privado de dois dos seus principais jogadores, devido a lesão. Que hoje até jogaram, mas...

Apesar da vitória na Taça de Portugal, a época acaba por ficar abaixo das expectativas. Agora ao contrário de alguns iluminados, após este resultado cruel, não deverá haver uma 'revolução' na secção, bem pelo contrário, a equipa deve ser reforçada, mas a 'base' é para manter, porque a 'fortuna' não será sempre madrastra!!! E até deve ser equacionada uma participação Europeia, desde que isso não tenha impacto negativo na formação do plantel...

Aqui está, mais um bom indicador... Campeões 25 anos depois!!!





A equipa de Juvenis B, sagrou-se hoje Campeã Distrital de Juvenis. Composta por Juvenis de primeiro ano (campeões nacionais de iniciados o ano passado), jogando contra equipas menos competitivas, mas com jogadores mais velhos, os jovens Benfiquistas dominaram completamente o Campeonato. É um título aparentemente secundário, até podem dizer que era 'fácil', que só fizemos a nossa obrigação, mas o facto é que não vencíamos este Campeonato à 25 anos!!! Sinal que algo está a mudar na Formação do Benfica...

PS: Já agora os Infantis B, em circunstâncias parecidas, também se sagraram Campeões no dia de hoje!!!

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Muito bom (quase sempre!!!)

Benfica 76 - 62 Académica


Jogo muito bom, principalmente a defender. Descompressão no 4.º período podia ter sido perigosa (até porque os árbitros 'acreditaram' que o resultado podia virar!!!). Gostei da confiança do Carreira, precisamos dele no máximo...


Aquilo que eu sei

"Eu sei que há coisas que não devem ficar sem resposta. Eu sei que neste Mundo global e mediático somos medidos pela força que demonstramos ter e que a linguagem de quem informa muitas vezes acirra e espicaça só para garantir audiências e tiragens altas à custa de incidentes e de 'casos'.

Eu sei que no espaço de paixão que é o do Futebol se tende a agir muito mais com o coração do que com a razão e que depois cada um cai em si e descobre que foi mais longe do que deveria ter ido.

Eu sei que há humilhações que é difícil digerir e aceitar e que andamos todos crispados por causa da crise que fustiga este País e compromete o nosso presente e o nosso futuro. Eu sei tudo isso, embora sinta quase sempre que sei muito pouco.

Mas a verdade é que também sei que a grandeza de espírito e a superioridade moral vêm da serenidade muito mais do que da beligerância. E também sei que quem usa a violência multiplica a violência e mancha a imagem daquilo que na realidade somos e valemos. E é muito.

O Futebol é importante, porque nele investimos paixão e esperança, mas existe muito mais vida para além dele. Existe a própria vida, com todos os problemas e desafios que desfilam perante os nossos olhos exigindo soluções e respostas. Será isso pouco?

Umas vezes ganham uns, outras vezes ganham outros. As guerras são noutros lugares. São na Líbia, no Afeganistão e noutros pontos do Mundo. Só a paz e a liberdade nos dão tempo e espaço para fruirmos o espectáculo do Futebol, sem medo, mas com regras, sobretudo as cívicas, que são as da cidadania e as da sã convivência. Há famílias inteiras que deixarão de ir aos estádios se deixarem de ser estas as regras do jogo.

E depois existe ainda uma outra coisa. Há uma medalha que nunca deve ser posta no peito do adversário, seja ele qual for: a de um campeão de cabeça perdida a ficar abaixo do muito que valem a sua história e o seu potencial de futuro. Ninguém nos tira o orgulho de sermos quem somos."


José Jorge Letria, in O Benfica

Os pilha-galinhas

"Eles não são ladrões porque até para roubar é preciso arte.

Eles não roubam, não assaltam, não furtam. São demasiados mesquinhos e tacanhos para isso. São forra-gaitas, mesmo quando só tocam concertina.

Eles esponjam-se na lama, figuras menores, tantas vezes estrafalárias, num esforço contínuo de se erguerem nas pontas dos pés no ridículo próprio dos insignificantes.

Como capachos, obedecem à ordem de D. Palhaço:

-De cócoras!

E eles acocoram-se. São pilhas-galinhas transformados em galinhas. Juntam-se, corporativamente na obediência ao chefe. Encolhem-se. Encostam-se uns aos outros tremendo e cacarejando, indecentes perpetadores de crimes semanais, de sorriso no rosto, felizes por serem objecto de desprezo e de humilhação.

Tudo neles é falso. São meros serventes de um poder que há muito lhe corroeu a dignidade. São funcionários do esbulho.

-De cócoras!

E eles de cócoras, felizes, esperando ansiosamente pelo grão de milho painço personificado em prostitutas baratas e em cenas de chinelo e alguidar nas pensões sebentas onde escondem os vícios das mulheres e dos filhos.

Infelizes escravos do Grande Palhaço do seu pequeno universo. Veneram-no como a um deus de pequenas coisas. E somam, semana a semana, ordenados chorudos de fazer escândalo num país de pobres que premeiam a sua competência em servir, em obedecer, em vergar a cerviz. Têm os seus empregos, mas pouco importa. É desta vassalagem que vão vivendo. Acatam, aquiescem, carregam abjectamente o jugo de quem os manda pilhar sempre a favor do mesmo como se fosse uma inevitabilidade das suas vidas mesquinhas e merectrícias.

-De cócoras, grita D. Palhaço.

E eles agachados, acobardados, acabrunhados.

-De cócoras!!!

E eles sempre de cócoras, continuamente de cócoras. Tão de cócoras, tanto tempo de cócoras, que já não sabem viver de espinha direita. Tão de cócoras que, um dia, como as galinhas, começarão, certamente, a pôr ovos. Podres."


Afonso de Melo, in O Benfica

Absurdo !!!





Um daqueles resultados, de tão injustos, que é difícil de explicar... Só uma equipa tentou jogar Futsal, a outra defendeu, e mandou pontapé para a frente, e para cúmulo, quem não quis jogar, por opção, ou por incapacidade, ganhou!!! Podíamos ter ficado a jogar o dia todo, e a bola não ia entrar!!!

A injustiça é em duplicado, pelo jogo, e pela época que esta equipa está a fazer...

Mas a época não acabou, temos duas competições internas para ganhar, e vamos ganhar...

Fica (tão) bem

"Isto de escrever uma prosa sobre o Benfica, antes de uma meia-final europeia, tem que se lhe diga. Ou que se lhe não diga. Afinal, o problema de sempre. As vitórias dão robustez ao alicerce emocional, as derrotas amachucam o estado de alma. Que olhos vermelhos lêem este texto? Lêem-no, sabido já o desfecho do embate na Luz, frente ao Sporting de Braga, disputado ontem. Haverá vermelho de raiva ou vermelho de alento? A segunda hipótese, horas antes do jogo, sempre me pareceu mais verosímil. Uma questão de crença? Também uma questão de crença, só que ainda uma questão de justiça.

O triunfo na Taça da Liga serviu de lenitivo a um período conturbado em termos competitivos. Não é, ao invés do que proclamam os nossos detractores, um troféu de somenos. Em boa verdade, sem arranjar desculpas para o imprevisto desaire com o FC Porto, a Taça da Liga até tem mais exigência competitiva do que a Taça de Portugal, embora não tenha ainda carimbado estatuto de maior prestígio no calendário das competições domésticas.

Abril foi um mês atribulado para o Benfica. Contas houve que saíram furadas, expectativas houve que saíram frustradas. Ainda assim, o que se questione tudo o que de importante foi feito e conseguido pelo Clube nos últimos tempos. Não é nas adversidades que importa reforçar as convicções, reforçar as afeições? Também por isso, haja quem seja mais benfiquista agora do que há umas semanas. E como isso fica bem ao Benfica..."


João Malheiro, in O Benfica

Conquistemos!

"Chegados aqui, a pouco mais de vinte dias do final da época, vivemos todos – adeptos, atletas, dirigentes – a ansiedade de saber, antecipar, adivinhar o futuro, o Destino.
Mas, ao contrário da “Anankê” grega, este é um Destino sobre o qual pode agir a condição humana. Escrevo este texto quando faltam dois jogos para atingir uma final europeia e três jogos para um título europeu. Três jogos para poder inscrever o nome na História, três jogos para que cada atleta, cada adepto, cada um dos que vive o Benfica possa inscrever o nome no tempo e, desta forma, transcenda a condição humana e se eleve à condição de herói.
A condição de herói não se consegue sem sofrimento. O saber latino ensinou-nos que “ad augusta per angusta”. Ou seja, alcança-se a glória através das provações. Pessoa dizia que “Quem quer passar além do Bojador / Tem que passar além da dor”. Também nós, benfiquistas, sabemos que o sofrimento está na antecâmara da glória. Na nossa História nada nos foi dado, nada nos foi facilitado e tudo o que conseguimos teve de ser conquistado com sacrifícios. Numa época em que se recordam, celebram e homenageiam os primeiros benfiquistas que conquistaram a Europa, tenhamos nos exemplos dos que eram liderados por Coluna e Águas a inspiração para perceber que a diferença entre a memória e o esquecimento está na capacidade de superarmos as nossas fraquezas. Ser Benfica é também isto. Exige o tempo presente que o saibamos ser de forma exemplar.
Escrevo este texto antes do primeiro jogo da meia-final da Liga Europa. Escrevo-o com a confiança de que todos os que são Benfica sabem o caminho para agir sobre o Destino. Sei que há que chorar juntos para podermos conquistar juntos. Esta época já chorámos. Agora chegou o momento de conquistar!"


Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Higiene

"As probablidades do Benfica ser eliminado da Taça de Portugal nas meias-finais, depois de ter vencido fora a 1.ª mão, por 2-0, eram reduzidíssimas: menos de 2 por cento, segundo notícia do Público de 20 de Abril. E então, como é que o 'Sistema' haveria de inverter probabilidades tão remotas? Chamando Carlos Xistra. E foi assim que o árbitro que afastou o Benfica da luta pelo Campeonato, também o afastou da final da Taça de Portugal.

A arrogância e a pesporrência dos vencedores, das suas agências de propaganda e dos seus meios de comunicação - quase todos - não conseguem repetir mentiras até que elas constituam uma verdade.

Quanto ao Campeonato, foi em Braga, no jogo da célebre expulsão de Javi Garcia - ao sofrer uma falta brutal - e do golo que saiu do livre correspondente.

Quanto à Taça, o momento decisivo do jogo e da eliminatória foi quando Xistra - cujos auxiliares passaram o jogo a descobrir foras-de-jogo que cortavam os ataques do Benfica - validou o segundo golo com Hulk fora de jogo. Isto para não falar da condescendência com a brutalidade de indivíduos, como Sapunaru e Rodriguez - a tesoura a Maxi é um acto bárbaro que passou impune -, que saíram pelo seu pé do terreno de jogo quanto tudo fizeram para merecer vermelho directo ou, no mínimo, segundo amarelo.

O Benfica deve usar todo o seu peso institucional e social para denunciar, no concreto e ao pormenor, a sucessão infinda de casos que desvirtuam a verdade e consagram a mentira desportiva do 'Sistema'. Por uma elementar questão de higiene e de transparência. E para vergonha de ouvirmos dizer lá fora que em Portugal os títulos se compram no supermercado."


João Paulo Guerra, in O Benfica

Bomba Paraguaia (até assobiou!!!)






Escasso, muito escasso!!! Merecíamos mais, muito mais!!! Teve que ser à 'bomba'!!!





Até agora este tipo de resultados, em casa, na Liga Europa, tem sido suficiente para seguir em frente, mas já chateia tanto golo falhado!!! E desta vez vamos defrontar provavelmente a equipa mais 'mijada' da história das competições europeias!!! (apanham um Liverpool de rastos, sem Gerard, e sem Suárez, e ganham com um penalty. Vão à Ucrânia e passam a eliminatória com um auto-golo!!!)... para cúmulo tem jogado todas eliminatórias sempre com 'meia' equipa lesionada, mas hoje, nem sequer uma 'caganeira'!!!




Impressionante como uma equipa treinada por um medroso chorão, que joga 90 minutos no erro do adversário, que a perder, mete mais trincos, e mais centrais, corre o risco de jogar uma final europeia!!!





Com este jogo são 15 os jogos consecutivos do Benfica a sofrer golos!!! Estatística repetida até à exaustão!!! Com 2-1 em casa, um golo do Benfica na Pedreira obrigará o Braga a marcar 2 golos para empatar, e 3 para ganhar, será que agora alguém vai relembrar a estatística, que diga qual foi o último jogo, onde o Benfica não marcou um golinho?!!!





A equipa do Benfica está cansada, mas tem um coração enorme (o que torna os 'acontecimentos' em Coimbra ainda mais ignóbeis!!!). Enquanto tivemos pernas, fomos imensamente superiores, quando faltaram as pernas fomos somente superiores...




O cansaço, é fácil de explicar: o Braga teve 10 dias para preparar este jogo, enquanto nós nesse mesmo período jogámos 2 jogos intensos. Para a semana já haverá igualdade nos tempos de 'descanso', o que nesta altura da época é muito importante, porque as 'recuperações' são muito mais lentas. Nos últimos jogos, da época passada o Benfica também demonstrou fadiga, e fomos eliminados prematuramente na Taça de Portugal, e na Liga Europa saímos nos Quartos-de-final. Este ano a 'carga' ainda tem sido superior, mesmo com os jogos do Campeonato com os 'menos utilizados'. Em Fevereiro, tivemos mesmo 4 jogos em 10 dias, praticamente, com os mesmo '11'!!! (com 'remontadas', e jogos em inferioridade numérica!!!) Na minha opinião a equipa nunca recuperou desse esforço, até porque os jogadores mais fatigados, quando podiam ter descansado, foram chamados às Selecções!!! Penso que a partir de agora, este problema vai ser diluído. Se tudo correr bem até final da época só vamos ter 2 jogos a 'sério', e nunca mais vamos estar desvantagem no tempo de preparação para os jogos, além disso a vontade de fazer história no Clube, irá fazer 'esquecer' qualquer cansaço...!!!









PS1: Creio ter sido o segundo golo do Cardozo de livre directo esta época, por coincidência ambos foram na Euroliga!!! O primeiro em Estugarda, e agora este. Se calhar devido a esta eficácia, é que a nível nacional, o Benfica deve ter beneficiado de 10 livres directos em todas as provas!!! Temos jornadas consecutivas sem um único livre directo...!!!

PS2: Com azar que temos tido com as lesões, peço a todos os santos, inclusive ao Jesus: Carlos Martins não pode jogar em Olhão. Sem Aimar castigado no Campeonato, jogue-se com 'outro' qualquer...!!! Em sentido contrário, o Gaitán precisa de alguns minutos para voltar a ganhar ritmo...








adenda:
1.
Não gostei dos árbitros (ainda não vi o jogo na TV), principalmente dos fiscais-de-linha, deixaram passar vários foras-de-jogo ao Braga. Já não tinha gostado deles no Benfica-Lyon (4-3). Deixou jogar a meio-campo, mas perto da área do Braga, marcou várias faltas ofensivas, por toquezinhos de merda!!!

2. Ambiente morno. Mais uma vez convites a torto e direito. Com muita gente pouco habituada a jogos de futebol. Só depois do golo do Cardozo, houve algum entusiasmo. É preocupante esta falta de militância numa Meia-final Europeia, a crise não explica tudo. O desgaste de 30 anos de Corrupção, está a 'quebrar' a base de apoio ao Benfica, o que é perigoso...

3. Os Bracáros, premeditadamente, na deslocação à Luz, copiaram à letra, tudo o que a 'casa mãe' fez no último jogo!!! O trajecto, o hotel, o passeio no Parque... que mediocridade.
No meu regresso a casa 'apanhei' a comitiva do Braga na A8!!! (A 110Km/h) Como contribuinte gostaria de saber quem paga a despesa!!! Nem o Presidente Americano deve ter tanta segurança!!! E eu, talvez por ingenuidade, não dei conta da existência de qualquer ameaça ao autocarro do Braga!!!



4. Vi e revi na televisão, com muita atenção o lance do amarelo ao Aimar, e muito sinceramente não consigo escrutinar qualquer contacto!!! Foi mais uma simulação do Alan. E recordo que além do amarelo ao Aimar, que o impede de jogar o segundo jogo, foi desta falta que nasce o único golo dos Bracáros!!!

Ah, mas estão verdes!

"SOFREM de falta de visão histórica e fazem mal os benfiquistas que desdenham a terceira vitória consecutiva na Taça da Liga atribuindo-lhe uma menoridade que não tem a partir do momento em que faz parte do calendário oficial de provas. Por muito zangados que estejam com a sua equipa, estão fora de razão os benfiquistas que desdenham a vitória de sábado à noite em Coimbra e se prestam a fazer coro com os portistas e os sportinguistas, cujo desapreço pela dita Taça de explica facilmente olhando para o respectivo palmarés.
Em quatro edições da Taça da Liga, o Sporting perdeu duas finais no desempate por pontapés de grande penalidade e o FC Porto perdeu a final do ano passado sofrendo um resultado pesado e um banho de bola que lhe foram infligidos pelo Benfica. Bons tempos! Mas são precisamente estas as razões que movem os portistas e os sportinguistas contra a nova competição.
Um pouco como na fábula de Esopo, reescrita por La Fontaine a propósito da raposa que queria comer uma uvas penduradas numa latada tão alta que, face à impossibilidade de lhe chegar, não querendo admitir o insucesso se saiu com a célebre frase: «Ah, mas estão verdes!».
Além do facto, um bocadinho ridículo, de o Benfica correr o grande risco de só vir a ganhar esta temporada a única competição de que ameaçou desistir, menosprezar a Taça da Liga hoje, em 2011, é tão patético como, por exemplo, terá sido, eventualmente rebaixar a Taça de Portugal em 1942, consumadas as quatro primeiras edições da prova que é hoje clássica e que teve como primeiros vencedores, por esta ordem, a Académica, o Benfica, o Sporting e o Belenenses.
A Taça da Liga é o que é. E é, sobretudo, o que vai ser no futuro porque nada indica que não venha a ter um largo porvir. A não ser que venha a ser extinta por bula papal visto não apresentar índices de sucesso que agradem ao Vaticano.
Sendo uma hipótese absurda, também não deixava de ter quase graça como a fábula de Esopo sobre a raposa e as uvas.
...Ah, mas estão verdes!
E estão mesmo verdes. E não me refiro às uvas.


AO abrigo de um protocolo entre os dois emblemas, o Benfica terá comprado ao Varzim três jovens jogadores portugueses praticamente desconhecidos das grandes plateias. É natural que assim o sejam. o Varzim, nome histórico do futebol português, luta actualmente pela sobrevivência no fundo da tabela da Liga de Honra e, assim, não espanta que os nomes de Neto, Rafael Lopes e Tiago Terroso - os tais três jogadores com guia de marcha para a Luz - não tenham propriamente o estatuto de galácticos capazes de levar ao transe os adeptos e os mercados.
Como os benfiquistas andam tristinhos, e têm bastas razões para tal porque nem a Taça da Liga lhes abriu um sorriso, não há notícia alguma que não provoque imediatamente esgares de desconfiança ou, pior ainda, de indiferença. A contratação de Neto, Lopes e Terroso não provocou nem uma coisa nem a outra. Veio apenas acentuar o masoquismo vigente depois das duas derrotas em casa com o FC Porto e mais o que isso significou, o que não foi nada pouco.
A contratação de três desconhecidos a uma clube que é o penúltimo classificado a um clube da Liga Orangina não podia, de modo algum, ter o condão de fazer arribar o ânimo dos benfiquistas, o que se compreende. Mas não é a primeira vez que o Benfica vai à Póvoa buscar jogadores em quem, à partida, ninguém acredita que possam vir a fazer a diferença. Em 1988, depois de Águas e de Dito terem trocado a Luz pelas Antas, provocando uma grave comoção na casa de partida, o Benfica foi buscar ao Varzim Vata e Miranda, o que foi entendido como um acto de grande incompetência para não dizer uma galopante burrice dos nossos dirigentes à época.
E foi de tal monta a reacção interna e externa que o próprio Pinto da Costa, com a ironia do costume, se abalançou a prédicas sobre o futuro e proferiu uma frase que haveria de ficar história: «Para o ano vão ser campeões com o Vata e com Miranda e com o Paneira!», sendo que «O Paneira!», que ninguém sabia quem era, acabadinho de comprar ao modesto e honesto Vizela, também não era nome que se apresentasse para animar uma massa de adeptos traumatizada com as deserções de Dito e Rui Águas.
O ânimo só chegaria no final da época seguinte quando o Benfica foi mesmo campeão com o Vata, o Miranda e o Paneira, dando razão a Pinto da Costa, o que também, por absurdo, teve a sua graça.
Por tudo isto será preferível que os benfiquistas se agarrem, durante o final desta época e durante todo o próximo defeso, aos nomes bem portuguesinhos do Neto, do Lopes e do Terroso em vez de passarem estes meses de calor a sofrer as agonias e o stress que, tradicionalmente, lhes provocam as notícias às sacadas de contratações de nomes estrangeiros mais fulgurantes e os consequentes desmentidos, como tem sido nossa sina suportar todos os Verões.
Verão como tenho razão.


O Sporting renovou com Izmailov até 2015 e Izmailov mostrou-se muito satisfeito. O russo, jogador muito talentoso ainda que intermitente, deu provas do seu estado de espírito declarado à comunicação social: «No Sporting sinto-me em casa.» Ora aqui está uma confissão bastante discutível porque, nestes anos que leva de Sporting, Izmailov raramente esteve em casa.
Foram mais os tempos passados suspenso de toda a actividade no clube, passados em hospitais em Portugal e no estrangeiro, passados em estadas autorizadas na sua Rússia do que, propriamente, os tempos passados em Alvalade. Mas, até 2015, Marat Izmailov vai, certamente, ter tempo para fazer do Sporting a sua casa. E já não era sem tempo.
Também Liedson, outra glória leonina, falou recentemente à comunicação social para expressar um sentimento não menos discutível em relação ao clube de Alvalade. Actualmente so serviço do Corinthians, clube da gigantesca metrópole de São Paulo, Liedson diz que tem muitas saudades do Sporting por causa... do trânsito. «Em Portugal eram 32 quilómetros até ao treino, era rapidinho, levava 30 minutos. Aqui em São Paulo o trânsito é mais complicado tenho de sair de casa 40 minutos antes.»
Mais 10 minutos, menos 10 minutos, francamente Liedson. Passa um homem anos e anos num clube a ser acarinhado pelos adeptos e depois sai-se com esta de ter saudades da auto-estrada...



HOJE o Benfica recebe o Sporting de Braga na primeira mão da meia-final da Liga Europa que é uma competição nova, inventada pela UEFA, e que tem ainda menos anos de existência que a nossa Taça da Liga caseira.
Além da curiosidade natural e sadia sobre o desfecho desta eliminatória em termos de resultados, tem vindo a sobressair uma outra curiosidade bem menos sadia e reveladora do fraco estatuto interno que os árbitros portugueses gozam. E o que eles têm gozado...
O presidente da Câmara de Braga já se regozijou com o facto de o árbitro de hoje à noite ser estrangeiro, facto que se repetirá de hoje a uma semana. Têm surgido outros regozijos do mesmo teor oriundos de áreas mais intelectuais da sociedade portuguesa.
O que esta malta aposta nos árbitros é mesmo impressionante...



COMEÇOU mal para o Benfica a jornada europeia de clubes com a sonora derrota do Real Madrid, em casa, frente ao Barcelona. Falo do ponto de vista financeiro, obviamente. De acordo com a imprensa, o Benfica teria a receber mais um milhão de euros se Di Maria fosse campeão europeu o que, este ano, dificilmente acontecerá. A não ser que o Real Madrid se arme em FC Porto e vá a Nou Camp dar a volta aos 2-0 da primeira mão. Mas é muito difícil. Aliás, o Real Madrid não é o FC Porto de Espanha. É mais o Benfica, para o bem e para o mal."

Leonor Pinhão, in A Bola

As meias-finais

"Os semifinalistas da Liga Europa que hoje se defrontam na primeira mão, assinalam duas novidades: três equipas portuguesas (o que assegura, pelo menos, um finalista) e a primeira vez que, duas delas, se encontram em disputa directa.

Uma Liga Europa que falará muito provavelmente apenas português na final. Em versão FMI, ou não estivesse marcada a final para um estádio da capital de outro país intervencionado: a Irlanda.

O Porto tem todos os motivos para se considerar favorito, embora o submarino amarelo da pequena cidade espanhola de Villarreal mereça todas as cautelas.

A outra semifinal entre Benfica e o Braga vai ser um emocionante duelo. Felizmente sem arbitragens titubeantes e permeáveis, como as que vimos assistindo no nosso campeonato. O Benfica vai jogar o seu prestígio e o favoritismo teórico. O Braga assume a sua maturidade internacional, depois de ter deixado pelo caminho equipas como Celtic, Sevilha e Liverpool!

Com os resultados dos jogos da Liga Nacional, o Benfica ficaria apurado por ter marcado um golo fora (1-0 e 1-2). Mas agora, esta eliminatória vai encontrar os minhotos num momento alto da temporada depois de um pequeno período cinzento e o Benfica num momento mais incerto depois de uma invulgar série de 19 jogos sempre a ganhar. Com a coincidência de haver um treinador, Jorge Jesus, que transitou de um para o outro clube.

É claro que desejo que o meu clube ultrapasse este difícil obstáculo, apesar de desfalcado por saídas e lesões. E espero que, na Luz e em Braga, se possa dar um exemplo de desportivismo sadio e um espectáculo inteligentemente fascinante. Sem fanatismos doentios, assumindo-se a vitória com elegância e a derrota com lucidez."


Bagão Félix, in A Bola

Hóquei em patins

"Numa semana crucial na Europa de futebol, escrevo sobre hóquei em patins, a pretexto do conhecido e pascal Torneio de Montreux (que o jornalista na TV pronunciava como montrô!).

Pertenço à geração que acarinhava o hóquei como razão do nosso orgulho desportivo, sobretudo em confronto com a odiada Espanha. Hoje, submergido pelo poder totalizante do futebol, o hóquei minguou no coração dos portugueses. Curiosamente, a isto não é indiferente a substituição do relato radiofónico pela transmissão televisiva. É que, no pequeno ecrã, não temos olhos para tanto movimento num tão estreito espaço e a bola não se vê a não ser em episódios encontros de quem descobre uma peça do meio de um puzzle de quinhentos bocados. Na rádio, nos tempos áureos do hóquei, era saboroso ver através dos ouvidos!

Mas também a invariável seriação das selecções em 3 níveis estanques (as favoritas, as 3 ou 4 do meio e as que fazem apenas turismo desportivo), a agora indesejada supremacia espanhola e as constantes mudanças de regras de jogo em nada têm ajudado a reabilitar esta belíssima modalidade. Por fim, a reprovação como modalidade olímpica nos Jogos de Barcelona veio esmorecer o futuro do hóquei.

Mas gostei da vitória portuguesa na cidade suíça. Através dela, recordei, gostosamente, Livramento, Adrião, Velasco, Bouços, Matos, Moreira, Edgar, Cruzeiro, Perdigão, Vaz Guedes e tantos outros, na minha infância e juventude. E os históricos confrontos com os espanhóis Zabalia, Orpinelli, Boronat e Puigbó, os italianos Panagini e Gelmini e até os suíços Monney. E sinto a falta de equipas adormecidas pela erosão do tempo, como o Campo de Ourique, Hóquei de Sintra, Paço de Arcos ou CUF."

Bagão Félix, in A Bola

quinta-feira, 28 de abril de 2011

O coração das trevas

"Quando as luzes se apagaram uma sensação de alívio tomou conta daquelas insalubres almas penadas às quais o sol faz mal como a qualquer vampiro chupa-sangue barato de novela pobre. Afinal, é a cobro da noite de vielas esconsas que se habituaram a agredir jornalistas incómodos com a cobardia própria de quem tem vergonha da cara com que nasceu.

É na escuridão de bairros suburbanos que conduzem árbitros corruptos para encontros secretos nos quais conbinam resultados falseados.

É na sombra húmida dos calores da noite que se apaixonam por prostitutas, as levam ao altar e as apresentam ao Papa como sobrinhas devotadas aos prazeres sórdidos dos tios decrépitos.

Ah! As trevas são o seu mundo. Apaguem-lhes as luzes; apaguem-lhes as luzes todas; apaguem até a luz do dia!

Quando as luzes se apagaram saltaram uns sobre os outros como animais esfaimados. Veio-lhes, de repente, uma fome de destruição e uma vontade ensandecida do caos que nasce da tibieza de quem se sabe protegido pelo manto negro do anonimato.

É assim que partem ao assalto de gente inofensiva, se enrouquecem em insultos torpes a famílias incautas, agridem crianças sem rebuço, apedrejam qualquer alvo que se mova na fuga a esta turba enlouquecida.

Mas que bichos são estes que assim se comportam?

Quem são esses peralvilhos que se orgulham do que roubam, do que esbulham?

Quem é esta caterva de solípedes que se retouça no própria excremento?

Quem são estas alimárias que se descobrem, por incompetência dos polícias e conluio dos tribunais, acima das leis da República e à margem das regras lhanas das relações humanas?

Gente não é.

Gente não se comporta assim. Por isso, apaguem-lhes as luzes! Apaguem-lhes todas as luzes! Afinal, é no conforto macabro das trevas que os vermes se multiplicam. E os fungos."


Afonso de Melo, in O Benfica

Às portas da história

"Um empate na Holanda selou, como se esperava, o apuramento do Benfica para as meias-finais da Liga Europa.

17 anos depois, o nosso Clube volta a estar em tão adiantada fase de uma prova internacional, feito que, independentemente do que suceder daqui em diante, já é digno de registo - pois se considerarmos os últimos 40 anos, verificamos que o Benfica apenas atingiu as meias-finais, quer da Taça dos Campeões, quer na Taça UEFA, em cinco ocasiões, de entre as quais somente três foram bem sucedidas (acesso consumado à respectiva final).

Segue-se uma inédita eliminatória diante de outra equipa portuguesa, e espera-se tudo menos facilidades. O Sp. Braga tem feito uma temporada europeia assinalável, de onde podemos destacar as eliminações de Celtic, Sevilha, Liverpool e D. Kiev, acrescida de uma histórica vitória sobre o Arsenal. Trata-se de um clube que tem crescido bastante nos últimos anos, e hoje pouco ou nada deve ao estatuto de 'grande' do nosso futebol. Infelizmente, tem também alimentado uma evitável postura de hostilidade para com o Benfica, fruto, por um lado, da política de alianças dos seus dirigentes e, por outro lado, da necessidade de cortar com o tradicional benfiquismo da cidade de Braga - entendido, mal ou bem, como principal obstáculo à emancipação do clube local. Essa hostilidade vai certamente voltar a notar-se.

Uma questionável decisão da UEFA alterou unilateralmente a ordem dos jogos, obrigando-nos a decidir a eliminatória no terreno do adversário, onde as coisas costumam ser-nos poucos simpáticas. É preciso dizer também que, na Luz, em três jogos disputados com o Sp. Braga de Domingos, vencemos sempre, e nunca sofremos qualquer golo. Entre a concentração competitiva de uma 1.ª mão na qual manter a baliza inviolável deverá ser a palavra de ordem, e o estofo mental para depois suportar a pressão de um ambiente hostil, irá traçar-se o destino da contenda.

Humildade, concentração e frieza, são pois as chaves que nos podem abrir a porta da ansiada final de Dublin."


Luís Fialho, in O Benfica

RTP N

N de Porto - A RTPN não consegue despir a camisola. Os poucos minutos dedicados ao jogo da Luz com o PSV foram passados a atacar Roberto, e a responsabilizar exclusivamente a defesa holandesa pelo gordo resultado. Méritos do Benfica? Não se ouviu um."

Luís Fialho, in O Benfica


PS: Por acaso vi o dito programa (5.ª-feira)!!! Foi um regresso ao passado (início de época), onde o ataque ao Roberto, foi essencialmente um ataque pessoal, principalmente por parte de um dos convidados: Augusto Inácio!!!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

O outro Portugal Europeu

"Se os golos e as boas exibições servissem para amortizar a dívida que deixou Portugal à beira do abismo, os das duas últimas jornadas europeias podiam, também a esse nível, ter prestado um bom serviço. Falo em particular daqueles que vi, ou seja, dos do Benfica frente ao PSV, forte equipa holandesa que não chegou para contrariar, nas duas mãos, o ímpeto ofensivo, a imaginação e o poder concretizador de jogadores da Luz.

Até parece que, nestas noites em que as equipas portuguesas tão bem se portaram, Portugal, mesmo com tantos estrangeiros em campo, quis dizer à Europa dos ricos, e ao Mundo em geral, que nem mesmo a adversidade económico-financeira é capaz de nos derrotar, de nos reduzir a uma sombra daquilo que sabemos valer. E o certo é que uma boa parte dessa Europa levou para contar.

O Benfica, mesmo tendo em conta o empate da segunda mão, esteve à altura de uma equipa experiente e perigosa. Foi impressionante ver jogadores já com tantos jogos no activo a demonstrarem uma vitalidade, uma energia e uma pujança física incomuns. Isso só acontece quando existe uma forte motivarão psicológica e uma efectiva liderança. Se tal não acontecesse, é bem possível que, depois de ter recebido o Porto na Luz, o Benfica se encontrasse animicamente enfraquecido. Mas não. Vimo-lo forte e determinado, demonstrando ter a capacidade, essencial no desporto, na actividade profissional, na política ou na vida, de se concentrar no essencial e de não perder tempo a lamentar o que ficou pelo caminho. Do caminho, o que verdadeiramente conta sempre é a parcela que ainda está por cumprir. E assim o Benfica europeu ajudou-nos a dizer e a pensar que quem joga assim não precisa de receber tácticas do FMI, pois apresenta saldo positivo. Todos sabemos que não é o Futebol que resolve os problemas de um País deprimido e empobrecido, mas em alturas como esta dá uma ajuda de peso."


José Jorge Letria, in O Benfica

Cada vez mais decisivos

"A derrota deixou-me muito triste e apreensivo, porque o andamento do jogo me fez sentir que os meus vaticínios se esbatiam, com a passividade que vi seguir-se ao primeiro golo do clube do Porto. Tanto mais que tendo a Equipa gerido relativamente bem, durante toda a primeira parte, a vantagem da vitória com que vínhamos da Lameira de Cima, doeu ver como faltou o ânimo (e as pernas) logo depois do segundo golo, aliás, marcado em evidente fora-de-jogo.

Se a Equipa se revelara, de início, devidamente cautelosa, respeitando mas também impondo respeito ao adversário, depois deste segundo golo deixou-se que a ansiedade prevalecesse, precisamente quando a concentração e o pulmão se tornavam mais decisivos.

Nós, os mais velhos, bem sabemos como qualquer derrota, todas as derrotas, não fazem parte do glossário do Glorioso. por isso a maior responsabilidade de uma derrota, clara como esta e nas circunstâncias em que ela aconteceu na quarta-feira, é a gama de lições que devem trazer ao próprio grupo de trabalho.

E estou seguro de que cada um dos nossos, nos diversos patamares e áreas do sanctus santorum em que a nossa Equipa tem sabido preservar-se, saberá extrair as devidas conclusões com que se emendam os erros e as falhas, de modo a que, já no próximo jogo da final da Taça da Liga, a Águia levante voo, para outra das viagens vitoriosas que marcam o registo fundacional do Sport Lisboa e Benfica.

É por isso, e com esse sentido que, apesar deste inesperado desaire, estou agora ainda mais inteiramente confiante do que estava, quanto ao desfecho do jogo de sábado, na final em Coimbra, assim como relativamente aos desafios da meia-final europeia.

Para já, teremos pela frente o valoroso adversário que o Futebol Clube de Paços de Ferreira demonstrou ser durante toda a época, sem precisar das mesmas sistemáticas ajudas institucionais de toda a sorte (até químicas, quem sabe?), que os outros não podem (e nem nunca foram capazes de) dispensar para ganhar, nos últimos vinte anos.

E logo a seguir, nos jogos de 28 de Abril e 5 de Maio, depara-se-nos um clube cheio de pretensões que, com alguma sorte e algum trabalho bem feito (ainda que com ajudas inequívocas e substanciais), aspira ascender a uma plataforma que, por enquanto, não parece ser a sua.

Com essa justa esperança chamo, pois, à colação, o carácter, a ambição, o espírito de sacrifício e de resistência, o sentido de responsabilidade e o talento colectivo, assim como a agudeza técnica dos nosso jogadores - sejam quais forem os que Jorge Jesus vier a escalar para cada um dos serviços.

De Jorge, por outro lado, sei que posso esperar a frieza de análise e a decisão rápida e eficiente que tantas vezes ele nos tem provado possuir, especialmente durante estes seus dois primeiros anos Benfiquistas.

O mesmo espero de toda a vasta equipa dos seus colaboradores, prudentemente gerida por Rui Costa, que trabalham os diversos sectores da Equipa.

O dos médicos, também: é fundamental que os melhores índices físicos dos atletas sejam repostos, de maneira a voltarem a garantir a maior fortaleza anímica a todos e a cada um deles.

Todos me são as garantias suficientes e bastantes para voltar a ver o Benfica ganhar de novo, e concludentemente, em qualquer dos três embates.

Cada vez mais decisivos, aliás."


José Nuno Martins, in O Benfica

Vêem mais?

"Os jornais escreveram, com a maior candura, que Eduardo Salvio «contraiu» uma lesão no jogo com o PSV em Eindhoven. «Contraiu» é uma maneira de dizer, própria de quem passa a vida a branquear toda a porcaria que inundou o Futebol. Porque a verdade é que, com frequência, atletas do Benfica «contraem» cotoveladas na cara, joelhadas nas costas, pontapés nas pernas e nos joelhos, no confronto com a numerosa descendência dos 'Paulinhos Santos' que proliferam no Futebol Nacional. E lá fora também acontece. Óscar Cardozo esteve dois meses parado devido a lesão que «contraiu» às patas de um sarrafeiro grego ao serviço do Schalke. E agora, Eduardo Salvio «contraiu» um dedo do pé partido por uma entrada assassina de Abel Tamata. Os jornais também se apressaram a publicar o acto de contrição do holandês ao saber da gravidade da lesão de Salvio. E ponto final: ninguém se interroga.


Salvio fez a 'cabeça em água' ao PSV no jogo de Lisboa: desbaratou a defesa dos holandeses, marcou dois golos, aos 45 e 51 minutos, que sentenciaram o resultado. No encontro da segunda mão, na cidade da Philips, o PSV tinha três golos de desvantagem e uma vaga esperança de inverter esse resultado. Para isso teria que tirar a iniciativa atacante ao Benfica e tentar marcar, sem sofrer golos. Tamata, que nem sequer alinhara em Lisboa, tentou resolver, logo aos oito minutos, com uma entrada criminosa que o alemão Wolfgang Stark sancionou, muito simplesmente, com cartão amarelo, o equivalente a um puxão de camisola. Salvio não joga mais esta época. Espero vê-lo a jogar na próxima época de 'águia ao peito'.


Diz a propaganda da UEFA que os árbitros agora vêem mais nas competições europeias. É bom que vejam, porque neste caso não viram."




João Paulo Guerra, in O Benfica




PS: Curiosamente, o mesmo árbitro, hoje, expulsou em Madrid, um jogador da casa, por uma jogada parecida, mas menos grave!!! 'Oferecendo' a eliminatória ao Barcelona!!! E recordo que em Eindhoven os sarrafeiros do PSV foram vários, e nenhum foi expulso...!!!

Objectivamente (Santa Aliança)

"Continua a saga portista com a obsessão de chegar ao final da época sem derrotas na Liga depois da conquista do título. Na última jornada, frente ao Sporting, uma vergonhosa arbitragem de Artur Soares Dias, do Porto, deu mais uma vitória para somar a tantas outras alcançadas esta época com ajudas dos amigos da arbitragem!

Pessoas há que acham já não valer a pena denunciar e lutar pela verdade desportiva. E, curiosamente, até por parte de alguns rivais que têm responsabilidade de representar uma grande fatia dos adeptos do Futebol em Portugal, como é o caso do Sporting!

Depois de terem sido «roubados» no Dragão, foram incapazes de denunciar a situação junto do «amigo» PC, resumindo com «falinhas mansas» critérios de arbitragem, «melhoras de visão», ou mesmo(!) mudança de banco dos suplentes da esquerda para a direita para evitar pressão sobre o árbitro auxiliar que sempre sofre por parte do banco portista.

Aliás, o próprio PC disse no final do jogo: «Não ouvi reparos dos dirigentes do Sporting e acompanhei-os sempre (situação confirmada com imagens onde estão os dois presidentes muito chegadinhos em cordial e amena cavaqueira)».

Os dirigentes do Sporting deveriam saber quem é que lhes tem retirado a hipótese de lutar por títulos nas últimas décadas. Basta olhar para o historial da Liga e ver... quem tem sido campeão! Continuem muitos deles obcecados pelo anti-benfiquismo primário, juntando-se sempre aos portistas, numa alternadeira situação de fragilidade que até dá pena! Mas o problema é deles! São capazes de tratar ainda com esta deferência um indivíduo que enxovalhou, humilhou e tratou 'abaixo de cão' o conhecido roupeiro, Paulinho, que é só uma das figuras mais consensuais do Futebol português e um homem que merece o carinho e todos nós! Só os sportinguistas não enxergam isto!"


João Diogo, in O Benfica

Não há pachorra

"Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Abram os olhos, que isto não é a cabra cega e muito menos a caça aos gambuzinos! Há para aí uma nova linha de apoio à vítima que só é explorada, aceite e mantida em funcionamento pelos que têm vistas curtas e horizontes estreitos. De repente os emissores da mensagem vestem-se de meninos do coro e apontam os pecados e pecadilhos aos que consomem a vida a queixar-se da falta de vergonha dos primeiros. R quando alguém lhes aponta o dedo transformam-se em virgens ofendidos e 'ai ai ai ai, ai ai ai', como diz o outro. Contudo, muito francamente, não sei quem é o pior, se os falsos puritanos ou os crentes que acreditam em tudo e acabam por lhes dar razão. Os actores que abrem a boca em sinal de reprovação, atiram bombas e ficam a rir-se atrás de um árvore, em regozijo por causa das vítimas e danos materiais causados deste lado.

Por cá há unidades que aceitam as indignações dos reprovadores como se fossem verdades sem merecer reparo nem argumentação. Aceitam, fazem da mentira um salmo inatacável e desatam a vociferar impropérios aos que necessitam de defesa contra os disfarçados de detentores da razão e respeitadores da lei.

Abram os olhos, não sejam ingénuos. Sabem que este canal de televisão existe para proteger o Sport Lisboa e Benfica? E que dá voz a quem tem opinião, obviamente contrária às daqueles que nos atacam? Porventura, parece-vos estranho que haja pessoas aqui, com nome expresso e perfeitamente identificadas na televisão, indignadas com décadas de inverdade desportiva?

Já não há pachorra para tanto truque de ilusionismo, já não há pachorra para o contra-informação, já não há pachorra para a defesa do indefensável.

Abram os olhos e não acreditem em tudo o que é dito e escrito, especialmente quando os emissores da mensagem desejam somente a desgraça do Sport Lisboa e Benfica."


Ricardo Palacin, in O Benfica

12ª jornada - Juniores - Fase Final



...terceiro lugar em risco, exige-se mais.

Adeus ao título (mais uma vez, será que vale a pena participar nas competições europeias?)







Como se temia, a marcação do 'jogo do título' a meio de uma eliminatória das competições europeias, não era uma 'boa ideia', se calhar a intenção era mesma essa, condicionar o resultado...!!!

O Benfica perdeu muitos pontos desnecessariamente durante a época, mas recuperou, e neste momento tinha aspirações legítimas ao título, mas caso já se tenham esquecido, este foi o Campeonato onde os Corruptos ganharam um jogo, porque a 'mesa', simplesmente esqueceu-se de contabilizar um golo ao adversário!!!

Mentira

"As legítimas ambições benfiquistas na revalidação do título terminaram, há semanas, no embate de Braga, palco de mais um escândalo protagonizado por um trio de árbitros que inquinaram o resultado. Também assim havia acontecido na fase embrionária da Liga nacional, altura em que o Benfica foi empurrado para a metade inferior da tabela, ademais com um atraso quase inultrapassável em relação ao guia da prova, o FC Porto. As contas estão fechadas há muito. Ainda assim, o que se viu no último fim-de-semana? Na Luz, uma equipa de arbitragem incompetente anulou aquele que seria o primeiro golo 'vermelho' frente ao Beira-Mar. Por que razão Aimar e Carlos Martins, para cúmulo, foram admoestados com cartolina amarelas? Deve ter sido por perguntarem ao juiz (?) da partida se conhecia as leis do jogo...

E no Dragão? A tal equipa, até à data invencível, sempre amparada por arbitragens generosas, viu um penálti ser-lhe perdoado a escassos segundos do termo da contenda perante o Sporting. Foi uma constante ao longo da temporada. O novo campeão nacional pode dever muitos pontos a Falcão ou a Hulk, mas deve muitos também ao desempenho viciado de muitos árbitros e respectivos auxiliares.

O recorde benfiquista de 72/73, consubstanciado num triunfo no Campeonato sem mácula da derrota, está quase a ser igualado pelo FC Porto. Está mesmo, só que a moral, essa, não é a mesma. O Benfica de Hagan foi intérprete de um trajecto limpo, o FC Porto está a ser intérprete de um trajecto borrado com o odor da desonestidade."


João Malheiro, in O Benfica

Duas vezes sem derrotas

"1. Estou farto de ler e ouvir dizer que o FC Porto está prestes a igualar a proeza de Jimmy Hagan em 1972/73, quando terminou o Campeonato sem derrotas. Mas todos se esquecem que, cinco anos depois (1977/78), o Benfica treinado por John Mortimore, também fez todo o Campeonato sem perder, só não tendo sido Campeão pela diferença de golos face ao FC Porto (empate em pontos e nos dois jogos realizados entre si).




2. Por mais vitórias que obtenhamos sobre o PSV, nunca esquecerei aquela triste tarde de Estugarda, em 1988, quando perdemos (mal) a final europeia, na 12.ª grande penalidade, a primeira não convertida. Mas soube bastante bem esta passagem às meias-finais, o Benfica tem agora 12 (metade), o dobro das do FC Porto (6) e o triplo das do Sporting (4). Boavista e SC Braga têm as restantes. O Benfica chegou a 8 finais, contra apenas 4 do FC Porto e 2 do Sporting.




3. César Peixoto foi o melhor, ou dos melhores, elementos do Benfica na Holanda, tendo sido decisivo no nosso segundo golo.


Estranhamente, não vi qualquer referência ao facto na crónica de Marta Rebelo no 'Record' de 2.ª feira. Ela que, sendo benfiquista, andou semanas a fio numa lamentável campanha contra o jogador. Deve ser do género daqueles que, quando as coisas não correm bem, assobiam a equipa, em vez de apoiar...




4. O nosso 'bloguer' Sérgio Bordalo esclareceu no programa seguinte da Benfica TV as suas muito comentadas afirmações relativas ao local dos festejos do próximo título do FC Porto por parte de Pinto da Costa e chegou a pedir desculpas a todos quantos terão interpretado mal as suas palavras da semana anterior. Lamentavelmente, a comunicação social, que tanto se referiu ao comunicado do FC Porto a propósito da 'desejada' morte do presidente do clube, não fez uma única referência às explicações do visado, antes continuando a fazer-se eco, em exclusivo, da campanha do FC Porto e do seu presidente contra a nossa televisão."




Arons de Carvalho, in O Benfica

De Victor Hugo a Eça

"Nos últimos meses, Pinto da Costa, que tem o exclusivo nacional daquilo a chamam “fina ironia”, chamou ‘filho da puta’ a um jornalista, ‘palhaço’ a um dirigente do Benfica e, recentemente, referiu-se a um adepto do Benfica como alguém sobre o qual Victor Hugo escreveu “Os Miseráveis”. Tudo se lhe aceita, nada se lhe condena.
No entanto, uma inquietação deveria atormentar esse varão pio da fina ironia. Referir-se à obra “Os Miseráveis” deveria obrigá-lo a conhecer mais da obra do que apenas a leitura do título. Saberia o dito varão que Jean Valjean foi o miserável condenado, perseguido e atormentado durante toda a vida por ter roubado um pão para alimentar a família. De entre os que o perseguiram, destacava-se Javert, o implacável, obsessivo e patético inspector de polícia. O mesmo que usava e abusava do seu poder, para, em nome de uma moral muito própria e questionável, perseguir Valjean. E como não recordar Thénardier?! O corrupto dono de uma estalagem que se viria a associar a um bando de criminosos, terminando os dias como traficante de escravos. Uns em nome da justiça, outros em nome do bom nome que herdaram se arvoraram em baluartes da ordem, da moral e dos bons costumes. Todos eles se demonstraram verdadeiros miseráveis. Abusaram do poder, chantagearam, perseguiram e, pontual e despudoradamente, vitimizaram-se. De entre todos, o que pôde terminar a longa saga de Victor Hugo sem o epíteto de ‘miserável’ foi Jean Valjean. A miséria humana ultrapassa a miopia dos homens e, para quem leu mais do que o título da obra, é óbvio quem são os miseráveis a quem Victor Hugo se refere.
Ao varão lusitano e ilustre detentor do exclusivo da ‘fina ironia’ recomendo a leitura dos grandes escritores do Século XIX. Pode começar por Vitor Hugo e terminar no nosso Eça. O mesmo Eça que escreveu “Que Deus o proteja, e a polícia o não incomode!”."


Pedro F. Ferreira, in O Benfica


PS: Devido aos feriados, e à 'rapidez' dos CTT, só hoje, 4.ª-Feira, recebi o jornal d'O Benfica!!! Assim, vou ter que 'encher' o Blog das já habituais crónicas, em uma só 'empreitada'...!!!

Silenzio !!!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Surreal

Em 56 anos de Competições Europeias, somente em 13 ocasiões chegámos às Meias-Finais (incluindo a próxima eliminatória)!!! Podemos alcançar a nossa 9.º Final Europeia (são tão poucos os Clubes que se podem orgulhar deste número)!!! Estamos a 3 jogos de vencer pela primeira vez na nossa História, a Liga Europa (ex-Taça UEFA, ex-Taça da Taças)!!! A última Meia-Final onde marcámos presença foi à 17 anos!!! A última Final que jogámos foi à 21 anos!!! A última vitória Europeia foi à 49 anos!!! No período pré-UEFA, vencemos uma Taça Latina, à 61 anos, e perdemos uma Final da mesma competição, à 54 anos!!!

Dito isto, nas vésperas de tão importante compromisso, nas vésperas de poder escrever mais uma brilhante página na História do SL Benfica, como é que muitos Benfiquistas decidem entreter o seu tempo?!!!

Falando mal da Direcção, criticando o treinador, achincalhando os seus jogadores. Segundo eles, o Benfica está a perder os seus valores, incluindo a cultura de vitória, e a culpa são dos dirigentes...!!!

Somos realmente um Clube diferente!!! No meio de uma crise económica como o País já não vivia à muito tempo, vivendo contra a nossa vontade, num sistema altamente Corrupto, que semana após semana, prejudica descaradamente os nossos resultados, condicionando as nossas receitas, ferindo a nossa militância, com um plantel limitado com lesões irritantes, a equipa mesmo assim, corre o risco de fazer História. E qual é a resposta dos adeptos?!!!

Além da quase certa 'não enchente' da Luz na próxima 5.ª-feira, inicia-se os preparativos para o 'funeral' da Direcção, dos técnicos, e de alguns jogadores!!!

Digo à muito tempo que o Benfica tem adeptos a mais, os recentes acontecimentos, infelizmente dão-me razão...

domingo, 24 de abril de 2011

Lavagem cerebral !!!

O Benfica ganhou a Taça da Liga, não empolgou, jogou abaixo das nossas potencialidades, mas foi claramente um vencedor justo, porque foi a melhor equipa em campo, sem qualquer margem de dúvida. Marcou dois golos, e ainda 'marcou' um auto-golo, o único golo dos adversários, mandou duas bolas aos ferros, e ainda ficaram dois penalty's por marcar sobre Saviola...


Só escrevo este post, porque nos resumos televisivos, nas crónicas jornaleiras, e nas entrevistas pós-jogo por parte de jogadores e técnicos do Paços, tentou-se reescrever a história do jogo!!! Houve mesmo alguém que disse: O Benfica teve a sorte do jogo, porque chegou duas vezes à área do Paços, e marcou dois golos!!!!!!!!!!!

Se os 'funcionários' do Paços têm alguma desculpa, os 'profissionais' avençados supostamente imparciais, não têm. Nada disto é novo, mas desta vez, está a ser ainda mais descarado do que o habitual. Até porque desta vez não houve um 'conflito' directo entre o Benfica e os Corruptos, ou Benfica e os Lagartos, desta vez o único 'gene' a trabalhar, é o do anti-Benfiquismo militante!!! Que aproveitando a ressaca de um recente desaire doloroso do Benfica, estão a tentar condicionar negativamente o resto da época desportiva (onde o Benfica ainda tem um título importante a conquistar), mas também a condicionar o próximo defeso...


PS: Esta minha teoria pode parecer prematura para alguns, mas já existem bandalhos Corruptos a 'ensaiar' campanhas anti-jogador do Benfica para a próxima época!!! O próximo 'caceteiro' do Benfica já está definido, chama-se Bruno César!!!

A verdadeira Sportinguização do Benfica...

...não passa pela Direcção, pelos treinadores, nem pelos jogadores, por incrível que pareça são alguns supostos adeptos, que estão dispostos a copiar os maus exemplos dos vizinhos. O que aconteceu em Coimbra, desta vez após uma vitória, não é virgem. Talvez nunca tivesse atingido patamares tão absurdos, mas no passado, muito provavelmente os mesmos energúmenos já ensaiaram, os mesmos insultos, a mesma má-criação, o mesmo mau-benfiquismo.

O cúmulo da situação chega ao limiar do absurdo, porque os recentes insucessos desportivos, até podem ser alvo das mais variadas discussões, mas em nenhum desses jogos houve falta de entrega, e de profissionalismo por parte dos jogadores, dentro do campo ninguém desrespeitou o Manto Sagrado. Mas a lenga-lenga do 'costume', repetida vezes sem conta, sempre que o Benfica não ganha um jogo: "Os jogadores do Benfica não correm, não tem garra... Os jogadores Corruptos correm muito, têm muita garra!!!" Está falácia aparvalhada, espalhada pela propaganda Corrupta, mas sustentada por muitos Benfiquistas, quando entra na cabeça acéfala desta gentalha, vira 'doença' mental. Portanto se têm algum problema curem-se, o Benfica é grande, mas não existe para resolver estes tipo de distúrbios...

Não existe espaço para o politicamente correcto, estes comportamentos Neandertais tem que ser banidos do Benfica. Não é a equipa que por perder um jogo, ou mesmo uma competição, que está a desrespeitar a História do Clube, são alguns supostos adeptos (que concerteza são muito ignorantes em relação à História do Benfica), que com esta falta de respeito pelos dirigentes democraticamente eleitos, e pelos profissionais escolhidos para representar o nosso Clube, se estão a esquecer do nosso lema: "De Todos, Um" !!! E esse "Um", é o Benfica. Não existe espaço para egos hiper-valorizados no Futebol Manager!!! Ou obsessões doentias anti-directores, funcionários, treinadores, ou jogadores. Todos nós temos o direito de discordar das opções tomadas, mas isso não dá a nenhum Benfiquista o direito de insultar, achincalhar (ou pior), aqueles que por direito legitimo, estão ao serviço do Clube. E que ainda por cima, recentemente, demonstraram competência desportiva. Além disso não me parece que alguém questione a honestidade da Direcção para com o Clube, ao contrário de um exemplo recente, portanto se a histeria é só uma questão de 'treinadores (directores) de bancada' então ainda mais ridícula se torna toda a situação...

Espero que este triste incidente, sirva pelo menos para acalmar as reacções histéricas de muitos, após um qualquer insucesso desportivo. Porque mesmo involuntariamente, muita gente acaba por alimentar uma mensagem de ódio interno, que estranhamente nasceu neste Clube, que só 'adormeceu' (ligeiramente) na época passada com o título nacional. Após a eliminação da Taça, houve mesmo alguém que se atreveu, a prever: Se o Cosme Damião fosse vivo, seria anti-Vieira!!!

Independentemente dos nossos gostos pessoais, se gostamos mais ou menos de determinadas pessoas, que servem o Benfica, nunca podemos esquecer que todas as nossas acções públicas devem ser sempre, para beneficio do Benfica. E se alguém pensa que estas atitudes delinquentes servem para espicaçar os jogadores, então estão redondamente enganados, e para isso temos os Lagartos como exemplo perfeito!!!

São este grupos, grupinhos ou grupetos, o grande perigo para o Clube, a União do Benfica é um principio que está connosco desde do inicio, é a nossa grande força. Nós não temos (nem devemos ter) associações de adeptos, ou qualquer coisa parecida. Este processo divisionário a acentuar-se, poderá 'acabar' com o Benfica, e não podem ser ressabiamentos de qualquer ordem, por não ter um 'tacho' no Clube, ou por o Clube não estar a ser dirigido pelas pessoas que nós desejamos, que deixaremos de apoiar incondicionalmente as nossas equipas em qualquer modalidade, em qualquer lugar... Aliás o Grande Objectivo da corja Corrupta, é exactamente esse: a desintegração interna do Benfica, provocada pela diminuição dos sucessos desportivos...


Relembrando o lema deste blog : Pelo Benfica! Sempre!