Últimas indefectivações

sábado, 21 de maio de 2011

Abanar, mas não cair !!!






Jogo mais complicado do que estaríamos à espera, estivemos em desvantagem durante bastante tempo, mas o espírito da equipa não quebrou, mesmo com mais uma abominável arbitragem...!!!

Amanhã, é para repetir !!!




Paixões

"Recentemente surgiram declarações de um ex-árbitro, Jacinto Paixão, em que este confessava ter sido corrompido, para beneficiar o clube do Sr. Costa em troca de favores sexuais. E que, além disso, tal como a família Calheiros em tempos idos, também viajou por conta, através da agência Cosmos.

Não são boatos, não é o “disse-que-disse”, não são escutas telefónicas. É uma declaração confirmada. Um ex-árbitro declarou, sem margem para dúvidas, que fez parte de um esquema de corrupção desportiva. Ou seja, declarou-se como fazendo parte de um esquema criminoso e colocou em cima da mesa o nome da instituição que o aliciou. Não fosse o caso estranho, pioneiro e absurdo de em Portugal se poder dar a situação de se reconhecer a existência de corrupção e de corrompidos sem que se consiga provar a existência de corruptores e diríamos que tudo isto não passa de “fina ironia”. Uma ironia que escarnece da Justiça e envergonha o País.

Chegados aqui, é importante que os benfiquistas não percam a orientação. Este Paixão que agora denuncia a corrupção é o mesmo que, alegadamente, aceitou favores sexuais para prejudicar… o Benfica. Ou seja, esta paixão súbita pela verdade desportiva já se manifestara anteriormente em paixão duradoura contrária à mesma verdade e com claro prejuízo do nosso Benfica.

É importante, é mesmo essencial, que tenhamos presente a lição do provérbio bíblico que nos diz: "A sabedoria do prudente é entender o seu próprio caminho, mas a estultícia dos insensatos é enganadora". Ou seja, o caminho do Benfica não pode ser calcorreado na companhia da estultícia dos insensatos. Por mais arrependidos que se mostrem."


Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Artur Moraes

Está confirmado, o Benfica contratou um novo guarda-redes, supostamente para titular. Defendi o Roberto durante toda a época, continuo a achar que o Espanhol tem qualidades para ser guarda-redes do Benfica, mas compreendo que o Roberto neste momento, não tem 'ambiente' para jogar no Benfica.

Desejo acima de tudo ao Artur, a sorte que o Roberto não teve, e que não sofra na pele uma campanha assassina do tipo que o Espanhol foi vitima por parte da descomunicação social, e consequentemente por parte de muitos Benfiquistas.


Observo no Artur qualidades, tanto técnicas, como uma aparente serenidade e confiança na baliza. Não arrisca muito nas saídas aos cruzamentos (joga pelo seguro), parece ser eficaz dentro dos postes, não se atrapalha a jogar com os pés, precisa de melhorar as saídas fora da área, relembro uma saída falhada em Kiev, quase junto à linha lateral, que não deu em golo, por acaso...!!! É um jogador com alguma experiência portanto prevejo uma adaptação rápida...


Toda a fortuna do mundo, e muitos sucessos no Benfica, são os meus desejos. Bem-vindo Artur.


Estamos vivos !!!






Boa reacção, mas é necessário melhorar ainda mais... é verdade que alguns jogadores estão presos por 'arames', por isso não é justa uma critica muito agressiva. Temos que pensar positivo, e se tudo correr bem, só faltam mais 3 jogos, no máximo 4, e depois haverá tempo para sarar as feridas!!! Já agora para bem da saúde dos Benfiquistas, os últimos minutos eram desnecessários...!!!

Objectivamente (Obssessão)

"A cega obssessão que P. da C., presidente do clube das riscas, tem pelo Benfica leva-o ao mais completo desnorte, a ponto de começar a aborrecer mesmo alguns indefectíveis adeptos daquela legião que já o ousam criticar! Atente-se no que essa insigne figura, com sotaque «morcão», disse acerca da presença do FC Porto na final da Liga Europa, apregoando que o clube dele não acede às finais europeias com golos obtidos com a mão e com batota! Uma clara referência ao célebre golo de Vata, frente ao Olympique de Marselha, de Bernard Tapie, que, curiosamente, tal como Pinto da Costa, foi condenado por corrupção no Futebol francês, só com uma pequena diferença: Tapie foi preso e P. da Costa está sendo absolvido nas várias instâncias dos tribunais portugueses...

Mas dizia essa figura, que tem a sombra do Glorioso Benfica, a persegui-lo dia e noite, que o seu clube, sim, é o símbolo da honestidade e de todas as virtudes e que é por isso um exemplo no Mundo do Futebol!

Nós todos sabemos disso! Aliás, como a Imprensa espanhola e italiana têm relatado muitas vezes nos últimos meses, sabemos quais são os clubes da Europa que mais ganham com os favores dos árbitros... Nós bem nos lembramos como foi anulado aquele golo ao Manchester United na célebre meia-final da Liga que Mourinho ganhou no FCP. E também sabemos, tal como contava em público o antigo árbitro Jacinto Paixão, como se ganhavam jogos durante anos a fio!... Não com as mãos, como o Vata, mas com outras partes do corpo bem mais susceptíveis de provocar o êxtase total das vitórias!!!

Desde que o FCP ganhou o título e conseguiu presença nas finais da Taça e da Liga Europa não houve dia em que esse «fantasminha brincalhão» não se tivesse metido com milhões de pessoas que adoram o Benfica! As graçolas sem jeito e a obssessão pelo enxovalho aos rivais, faz o modo de vida desde charlatão. Mas, muito sinceramente, já ninguém tem paciência para o aturar!"


João Diogo, in O Benfica

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Andámos a sonhar...

"1. Na semana passada, duas novidades sobre o Apito Dourado:

1.º) Afinal, a reunião do Conselho de Justiça que castigou Pinto da Costa e levou à descida de divisão do Boavista, 'cirugicamente' terminada pelo presidente que ia perder a votação, não valeu. Se calhar, o melhor é acabar de vez com todos os processos e fazer um louvor público a Pinto da Costa, Valentim Loureiro, Pinto de Sousa, etc. pelos altos serviços prestados ao Futebol e ao Desporto. Todos nós, que gostamos de um Desporto limpo, andámos estes anos todos enganados e ouvimos mal o presidente do FC Porto a indicar o caminho de casa ao árbitro; lemos mal a factura do FC Porto a pagar uma viagem a Carlos Calheiros (ou, antes, Carlos Amorim); não ouvimos sequer dirigentes a combinar com elementos do conselho de arbitragem a nomeação de árbitros, etc., etc, Andámos todos a sonhar...

2.º) Foi divulgada uma gravação na qual o antigo árbitro, Jacinto Paixão, confessa que o FC Porto o contactou para influenciar jogos do FC Porto e do Benfica. Nada que fosse novo, mas agora com mais elementos. O FC Porto, claro, veio logo dizer que é tudo mentira. Pois é. É mentira o que diz Jacinto Paixão, é mentira a conversa com Augusto Duarte em casa de Pinto da Costa, é mentira a história dos 'quinhentinhos'. Andámos e, pelos vistos, continuamos andar todos a sonhar...


2. Incompreensível. Benfiquistas a insultar a nossa equipa e os nossos jogadores. Eu também gosto muita da forma de jogar (´à Benfica') do Fábio Coentrão ou do Maxi Pereira. Mas tenho que reconhecer que nem todos os jogadores têm as mesmas características e que Cardozo, por exemplo, com a sua estatura, com o seu fraco poder de arranque, nunca será um desses jogadores. Entusiasma (pelo vistos só alguns) adeptos pelos seus golos, não pela forma como joga. E estive completamente de acordo com o nosso consócio Sérgio Bordalo (que aparece às quartas-feiras na Benfica TV) quando, logo após o golo de Cardozo, no sábado passado, gritou várias vezes, em plena bancada, perto de mim: 'Vai-te embora Cardozo, não vales nada, só meteste 100 golos em quatro épocas, não vales nada, volta para a tua terra...' Excelente reposta àqueles que passam a vida a criticá-lo e a assobiá-lo. Como certamente faziam com Nuno Gomes, anos e anos assobiado e, agora, muito justamente, venerado. É o 8 ou 80 dos benfiquistas, dos portugueses, ainal..."


Arons de Carvalho, in O Benfica

...já não há pachorra !!!

A regularidade com que todos os dias são publicadas notícias falsas sobre o Benfica até 'assusta'!!! Contratações, dispensas, reestruturações, dirigentes que entram, e outros que vão embora, declarações bombásticas, citações subtis mas de extrema gravidade caso fossem verdadeiras, comentários fora de contexto, revoluções, sangue, etc, etc, etc...


Algumas destas notícias, 'confirmadas' por fontes 'seguríssimas', até demonstram alguma criatividade (Couceiro...!!!), mas outras são bastante repetitivas... por exemplo desde que o Rui Costa passou a ser Director Desportivo, quantas vezes já se incompatibilizou com o Presidente?!!!


Mas mais grave, é que mesmo quando as notícias são desmentidas categoricamente, o impacto da notícia mentirosa é sempre maior que o desmentido, e passado algum tempo, poucos se recordam do desmentido, e muitos lembram-se da mentira...!!!


O mais espantoso é que 90% das notícias falsas sobre o Benfica têm origem em dois grupos e comunicação social, a Cofina, e a Controlinveste!!! (sendo mais 9% responsabilidade da Média Capital!!!) A insistência que os vários jornais destes grupos, MENTEM despudoradamente é extraordinária. Conseguem inclusive desvalorizar os desmentidos oficiais, mesmo quando eles são concludentes...


Felizmente, já estou imune a estas novelas, mas sendo estes factos de conhecimento público, sendo admitido entre todos os Benfiquistas que estes avençados jornaleiros além de incompetentes, são maliciosos, que mentem premeditadamente (supostamente para aumentar as vendas, mas no fundo fazem-no exclusivamente para agradar ao poder Corrupto instituído...!!!).


Com todas estas evidências, diariamente, além de ler as notícias falsas com intenções incendiárias, como Benfiquista, sou obrigado a ler e ouvir, histéricos Benfiquistas a comentarem estes chorrilhos de asneiras, como fossem verdade, ontem foi o Salvio, hoje foi o Rui Costa, amanhã será o tio-avó do Roberto, depois da amanhã será o melhor jogador Chinês da actualidade... estou farto, já não há pachorra...!!! Ou existe mesmo Benfiquistas muito ingénuos, ou então estão completamente obcecados com o 'bota-baixismo' interno, não tendo pejo em usar o mais baixo e sujo jornalismo português como arma de ataque...

A malta das bancadas

"Mais uma temporada de Futebol chega ao fim e milhares de pessoas vão ter de reorganizar a sua agenda até poderem voltar às bancadas dos estádios, onde, regularmente, torceram pelas equipas dos seus corações, gritando, chorando, perdendo a cabeça por elas. Para muitos vai ser, como sempre acontece, um vazio difícil de preencher.

Falo da malta das bancadas e, sobretudo, da malta benfiquista que viu os seus sonhos desta época ficarem aquém daquilo que desejavam e previam, mas que nem por isso deixarão de ter o coração a bater pelo seu Benfica, de olhos postos num futuro que todos desejamos mais auspicioso e portador de maiores alegrias.

Falo da nossa malta das bancadas. Dos pais, dos filhos e dos netos, das mulheres e dos homens que, com cachecóis e bonés orgulhosamente visíveis, pediram camisolas aos seus ídolos, com cartazes improvisadamente desenhados em casa, nos intervalos das tarefas domésticas. Eles são sempre a alma de um clube, mas também os seus mais implacáveis juízes, porque não gostam de ver gorados os sonhos que deram mais sentido às suas vidas.

André Brun, escritor, dramaturgo e humorista, que foi major no Corpo Expedicionário Português que combateu na Flandres, durante a I Grande Guerra, escreveu um livro intitulado 'A Malta das Trincheiras', verdadeiro clássico da literatura de guerra, mas carregado de sensibilidade e ternura. Nesse livro descrevia os soldados portugueses que mostravam o seu heroísmo nas trincheiras enlameadas de uma guerra de sangue, suor e lágrimas como viria também a ser o segundo conflito mundial.

Apetece-me adaptar o título e falar da Malta das Bancadas, que talvez possa vir a ser título de um livro, mas também, e desde já, homenagem a todos aqueles que semana a semana choram e riem, vociferam e aplaudem a equipa do seu coração, emblema de uma paixão a que nada se sobrepõe, por vir do fundo mais fundo dos sentimentos que não se alteram ao sabor das modas e dos ventos. Que viva, pois, a nossa malta das bancadas!"


José Jorge Letria, in O Benfica

Benfica sempre!

"Há uma frase feita da língua portuguesa que traduz um estado de espírito, uma atitude, e tem grandes responsabilidades em diversos desastres nacionais. É quando se diz, perante qualquer coisa que corre mal, que «isto é para esquecer». Não. Se corre mal é para recordar e, recordando, para que não se repita. A frase poderia aplicar-se, e já a vi aplicada, à época 2010/2011 do Sport Lisboa e Benfica, não só no Futebol mas no conjunto das Modalidades em que o Glorioso tem história e responsabilidades.
No Futebol, a época começou mal e acabou pior, com um período intermédio de fulgor que deu para garantir o 2.º lugar no Campeonato e a Taça da Liga. E o que aconteceu é bom que não se esqueça, para que não se repita. É indiscutível que o Benfica foi, em diversas circunstâncias, prejudicado por arbitragens incompetentes e tendenciosas, na mesma proporção em que outros foram como habitualmente nas últimas décadas, beneficiados. O ex-árbitro Jacinto Paixão diz que acordos desses, entre outros, são habitualmente firmados em jantares em determinada marisqueira. Mas isso não explica nem justifica tudo. No ano passado o 'Sistema' não era melhor nem pior, era a podridão de sempre, e o Benfica ganhou porque foi indiscutivelmente melhor. E este ano não foi, e isso não é «para esquecer».
A despedida da época foi deprimente. Mas uma coisa é sofrer com os desaires da equipa, criticar o que supostamente está mal nos lugares e pelos meios adequados. Outra, será vaiar a equipa e insultar os dirigentes eleitos. Isso é de quem substituiu o clubismo por algo de irracional, pelo derrotismo ou pela traição. O Benfica não existe para compensar frustrações individuais. O Benfica existe porque existem milhões de benfiquistas que entendem que, no melhor e no pior, Benfica sempre!"

João Paulo Guerra, in O Benfica

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Com mais onze Coentrões teria sido melhor

"DOMINGO, 15 DE MAIO


PRONTO. Agora é que acabou mesmo o campeonato finou-se com mais um resultado desconsolador, um empate frente ao União de Leiria, e com Fábio Coentrão a receber uma agradecida e calorosa salva de palmas vinda das bancadas, quase em regime de excepção visto que os demais colegas foram frequentemente vaiados ao longo do jogo e no final, o que é lamentável.

Coentrão foi, na verdade, a excepção neste Benfica de 2010/2011 e por isso não é de estranhar o carinho que recebeu do público. Aquela malta percebe de futebol e quis recompensar Coentrão. Não é a primeira vez que tal acontece no Estádio da Luz. No final da época de 2000/2001, outra época medíocre, também Pierre Van Hooijdonk e Robert Enke, os únicos que se salvaram do desastre geral, deram uma volta ao relvado no fim do jogo da última jornada do campeonato, para receberem do público a recompensa devida.

Dizem os jornais que os aplausos a Coentrão caíram mal no balneário benfiquista porque uma equipa de futebol são onze, o que não deixa de ser verdade e o que explica a época toda. Com onze Coentrões teria sido bem diferente.

Honestamente, o campeonato para o Benfica acabou logo à quarta jornada, ainda um bom bocado antes do tempo das vindimas. Com três derrotas nos primeiros quatro jogos da prova, os campeões em título capricharam num arranque que tão cedo não será esquecido pelo que teve de caricato. E no futebol a sério não há nada que mande mais abaixo uma equipa do que deixar-se posar para a caricatura que é sempre impiedosa no exagero dos defeitos.

E se não é mentira que foram medíocres e tendenciosas as arbitragens de Cosme Machado, no jogo inaugural com a Académica, e de Olegário Benquerença, no jogo de Guimarães, à quarta jornada, também é verdade que o Benfica se pôs muito a jeito para o conflito com os corporativos do apito ao produzir um futebol sem fio e sem brio, excessivamente dependente das decisões dos árbitros para fazer valer a justiça dos resultados que lhe interessavam mas que não interessavam nada aos seus rivais e adversários mais ou menos históricos.

Há quem defenda que o momento decisivo da época foi logo em Agosto, ainda em tempo de praia, quando o Benfica foi a Aveiro discutir a posse da Supertaça com o FC Porto com uma tal tranquilidade de espírito que só podia acabar em desaire, tal como acabou.

Outros encontram razões mais específicas. E culpam o guarda-redes. Culpam Júlio César por ter cometido uma falta para penalty no jogo da terceira jornada com o Vitória de Setúbal, tendo-se feito expulsar e, obrigatoriamente, feito substituir por Roberto que já estava a posto no banco depois de duas exibições altamente comprometedoras do campeonato. E, não menos embaraçante, depois de toda uma pré-temporada em que o gigante espanhol se foi comprometendo sempre que chamado a justificar o investimento.

Há, portanto, quem entenda que o momento-chave desta temporada aconteceu precisamente nesse jogo com o Vitória de Setúbal quando Roberto saltou do banco para ir defender a grande penalidade e, para espanto geral e, se calhar, para seu próprio espanto, adivinhou que Hugo Leal ia rematar para o seu lado direito, atirou-se, e sacudiu a bola com destreza, salvando o resultado e salvando-se a si próprio como guarda-redes titular do Benfica até ao final da época.

Tal como este Benfica de 2010/2011 chegou a ter um comportamento competitivo brilhante, entre Novembro e o princípio de Março, quando perdeu em Braga pondo fim a uma série empolgante de 18 partidas a vencer, também Roberto, depois desse seu arranque aterrorizador, se exibiu em bom plano ao longo da temporada. Esteve em bom plano até ao jogo da segunda volta com o FC Porto, na Luz, em que foi muito mal batido no primeiro golo. No segundo golo do FC Porto, de grande penalidade apontada por Hulk, calhou-lhe ter a sorte de adivinhar que o brasileiro ia rematar para o seu lado esquerdo, atirou-se mas não se atirou o suficiente para impedir a bola de entrar na baliza.

Também se deve dizer em abono da verdade que Hulk marca muito melhor grandes penalidades do que Hugo Leal.

Se Roberto tivesse conseguido defender o penalty de Hulk impedindo o FC Porto de fazer a festa do título às escuras na Luz, talvez o Benfica, com outro moral, tivesse partido para a ponta final da época com capacidade para assegurar a presença nas meias finais que tinha em mente, a Liga Europa e a Taça de Portugal e, de uma maneira ou de outra, teria a época política e desportivamente salva.

Mas não foi nada disso que aconteceu.

Jorge Jesus vai ficar mais uma época. Foi uma boa decisão de Luís Filipe Vieira. Com Jesus o Benfica ganhou 3 títulos oficiais e, sobretudo, com Jesus o Benfica foi capaz de jogar o melhor e o mais empolgante futebol depois de muitas, mas mesmo muitas épocas a jogar pouco e ganhar nada.

A próxima época apresenta-se por tudo isto aliciante de desafios para Jorge Jesus e também para Vieira, ambos por inerência de cargos que são tudo menos eternos neste mundo do futebol e das paixões.




SEGUNDA-FEIRA, 16 DE MAIO


O FC Porto e o Sporting de Braga partiram hoje para Dublin. O presidente da Câmara de Braga disse à partida que o adversário mais fácil nesta Liga Europa foi o Benfica. Não é bem assim. O percurso do Sporting de Braga teve grande mérito mas eliminar o Benfica a equipa de Domingos Paciência teve de sofrer e trabalhar muito e ainda teve ajudas dos postes e das traves, enfim, é futebol.

O presidente do FC Porto também não quis deixar de falar no Benfica ainda no aeroporto de Pedras Rubras. E disse que o seu clube tinha chegado à final «sem batotas» e «sem golos com a mão», aludindo ao golo de Vata com que o Benfica afastou o Olympique de Marselha para chegar à final da Liga dos Campeões em 1990.

Francamente, não se entende a acuidade deste remoque de Pinto da Costa. Nunca se ouviu ninguém insinuar que o FC Porto chegou à final da Liga Europa com golos com a mão. Foi apenas com marisco que os espanhóis da Marca quiseram denegrir o percurso dos campeões portugueses até Dublin.




TERÇA-FEIRA, 17 DE MAIO


DOMINGOS PACIÊNCIA vai levar consigo o central Rodriguez para Alvalade. O guarda-redes Artur, entretanto, terá assinado pelo Benfica. Sílvio está certo no Atlético de Madrid. O desmantelamento público do Sporting de Braga nas vésperas da sua final da Liga Europa é assumido sem qualquer tipo de preocupação face à importância da final europeia que se aproxima.




QUARTA-FEIRA, 18 DE MAIO


VI a final da Liga Europa com grande interesse porque se diz que Artur, o guarda-redes do Sporting de Braga, será jogador do Benfica na próxima época. Esteve muito bem. No golo de Falcao muito dificilmente poderia fazer melhor. O colombiano apareceu-lhe pela frente e embalado e não deu hipóteses. Antes e depois desse lance que decidiu o resultado, Artur não tece mais nada que fazer.

E foi com grande frescura que se apresentou na área de Helton, nos instantes finais, para tentar ser ele o homem-golo que, ontem, o Braga nunca teve. E foi assim mesmo que a final de Dublin acabou: uma bola pingada para a área do FC Porto e Artur, de cabeça, a desviá-la para as mãos de Helton que segurou sem grande incómodo. Teria sido um inesquecível golo do Benfica.

Mas não há nada a opor à vitória do FC Porto. Até porque também o Sporting de Braga pouco se opôs embora ainda tivesse tentado."


Leonor Pinhão, in A Bola

A pátria do futebol

"Uma verdadeira lição aconteceu na última jornada da Liga escocesa. Os dois clubes de Glasgow, candidatos ao título, jogaram, no domingo, a cartada decisiva. Ao Rangers bastava ganhar no estádio do Klimarnock. Ao Celtic, além de vencer o Motherwell, tinha de esperar pelo desaire do seu rival.

O que vi na televisão foi a prova de que o futebol pode e deve ser um jogo de fortes emoções, de vibrante espectáculo, mas sempre leal. Uma festa que está para além do sempre contingente resultado.

Terminados os jogos, com vitórias de ambos, o Rangers e seus adeptos festejaram, com garbo e nobreza, a vitória na Liga. À mesma hora, no estádio do Celtic, cheio com 60.000 espectadores, ninguém dele saiu, homenageando os atletas, com galhardia e reconhecimento. As duas faces do futebol competitivo - ganhar e perder - ali separadas fisicamente, mas irmanadas na natureza contagiante do entusiasmo e na beleza dos cânticos entoados.

Jogos que são também a festa de famílias inteiras de duas ou três gerações, que fazem daqueles momentos um tempo de comunhão e de gosto pela vida. Os jogos são à tarde, a horas de família, favorecendo a liturgia de um tempo de delicioso e saudável descanso de trabalho e escola.

No dia anterior, vi a final da Taça da Inglaterra, como novo Wembley cheio de pessoas, de júbilo, de festejo, de musicalidade, de cor, entre o Manchester City e o Stoke City. O que seria, por cá, com uma final entre equipas, que não os três grandes?

Não muito longe da pátria do futebol, em Dublin, joga-se, hoje, a euro final portuguesa Porto-Braga. Que este ambiente contagie todos: os que jogam e os que assistem. Vencedores ou perdedores."


Bagão Félix, in A Bola

terça-feira, 17 de maio de 2011

Para o ano há mais

"Há que pensar positivo. O Benfica até pode ter alguma vantagem pelo facto de ter tudo decidido, quanto à presente época de Futebol Sénior, no final da primeira semana de Maio, faltando apenas cumprir calendário e defender a honra do emblema e da camisola. De resto, o Benfica ficou em segundo lugar no Campeonato - com acesso à Europa - e ganhou melancolicamente a Taça da Liga. Até não é mau, dado o desastroso começo e final da temporada, mas graças ao fantástico percurso entre fins de Dezembro e a primeira semana de Março, com particular realce para o mês de Fevereiro.

Todos os clubes têm altos e baixos. A diferença é que as equipas do «Sistema» - com a locomotiva à cabeça - são puxadas para cima, nos baixos de forma, enquanto o Sport Lisboa e Benfica é sistematicamente arrastado para baixo. E esse é um combate tão importante como ganhar pontos nas competições: lutar pela verdade desportiva que é cada vez mais um mito em Portugal. Ao contrário da mentira desportiva que é cada vez mais global e transversal ao leque das modalidades.

Quanto à próxima época de Futebol, que é do que falávamos a abrir, o Benfica bem pode começar já a erguer o edifício para o ano que vem para o que, aliás, já tem e lançou alicerces: mantendo o que é de manter para o sucesso da equipa - não se pode começar cada época do zero -, suprindo conhecidas fragilidades e eventuais novas baixas, dando alma, qualidade, coesão e competividade a um plantel que tem que ter na defesa da honra da camisola a primeira das motivações e na conquista de todas as competições em que participa o primeiro dos objectivos. Os benfiquistas têm direito a essa aspiração. Mas, mais que isso, o Benfica merece esse respeito."



João Paulo Guerra, in O Benfica

Objectivamente (Fim de época)

"Este final de época tem sido realmente bastante triste para os benfiquistas porque o Futebol não conseguiu os títulos que tanto desejávamos! É verdade que poderíamos ter ido mais longe e por isso dói ainda mais! Nem o êxito europeu do Hóquei em Patins consegue compensar-nos deste vendaval que varreu a enorme possibilidade de conquista da Liga Europa! Mas resta-nos agora preparar a próxima época e, sem desatenções, municiarmos a nossa equipa de alta qualidade que faça a diferença! E, já agora, que saibamos preservar os grandes valores que temos no actual plantel. Mesmo com algum sacrifício. É melhor a garantia do que a incerteza. Por essa razão quão feliz fiquei em ver Cardozo a fazer os golos da vitória em Vila do Conde e a confirmar a sua grande qualidade que o coloca entre os melhores goleadores de sempre no SLB. Não percebo, por isso, as dúvidas quanto à sua qualidade e, principalmente, quanto à sua utilidade. É o melhor marcador do Sport Lisboa e Benfica, foi a época passada o melhor marcador do Campeonato e há quem o deseje ver fora do Benfica! Espero que isso não aconteça porque ficaríamos muito mais frágeis! Nós somos diferentes do Sporting e não façamos o mesmo que eles fizeram a Liedson, o seu melhor goleador...
E por falar em diferença, os nossos rivais de Alvalade podem, através do seu presidente, Godinho, para porem os cachecóis e festejaram... as nossas derrotas! Dizia ele pomposamente que «mesmo não ganhando nada peço para porem os cachecóis e festejemos as tristezas dos outros...»! Que medíocres! Que tristes! Não conseguem cumprir um único objectivo na competição, mas deliciam-se com as nossas derrotas! Talvez seja por isso que são castigados pela Justiça dos Deuses do Futebol..."

João Diogo, in O Benfica

Boa e má época

"1. Pois é: não foi boa a época do Benfica, que tinha a obrigação de fazer melhor, falhando, nomeadamente, na Liga dos Campeões e me momentos chaves do Campeonato. Mas o grande problema está numa época espectacular do FC Porto (com fortes ajudas iniciais para 'dar balanço', não o esqueçamos) e numa excelente recuperação do SC Braga na segunda metade. Com um FC Porto 'normal' (70 pontos, média dos anteriores seis anos, dos quais foi campeão em quatro), o Benfica estaria agora em muito boa posição para renovar o título, já que deverá somar 65 pontos, foi altamente prejudicado nas jornadas iniciais e abandonou a luta há várias semanas, perdendo, pelo menos, cinco pontos por isso.

Imaginemos ainda que o FC Porto não estava na Liga Europa e que o Benfica chegava à meia-final e era eliminado pelo Dínamo de Kiev, que por bem pouco (já se esqueceram?) não eliminou o SC Braga. A esta hora estaríamos todos a pensar que fora uma pena não continuarmos a belíssima presença na Europa, na qual há 17 anos não íamos tão longe. Repito: ficámos bastante aquém das nossas expectativas. Mas tudo teria sido bem diferente com um FC Porto 'normal' e sem o SC Braga na Liga Europa. Se calhar, a hora até era de festa!...


2. O nosso presidente foi muito calmo e ponderado na entrevista que deu à Benfica TV. E deu uma grande lição... que não vi salientada nos jornais desportivos do dia seguinte. Quando o entrevistador falou nos ataques às Casas do Benfica ao longo do país, Luís Filipe Vieira atalhou e generalizou: 'ataques às Casas do Benfica, do FC Porto, do Sporting'. E criticou-os a todos. Que diferença para um presidente que passou todo o ano a falar mais do Benfica que no seu próprio clube, sempre que apareceu em público ou deu entrevistas, incendiando cada vez mais o ambiente...


3. Não há mais espaço. Mas não deixo de recordar que, na semana passada, se voltou a ouvir falar em António Garrido (como pode a Federação designá-lo?) e em Martins dos Santos. Eles continuam activos..."


Arons de Carvalho, in O Benfica

O homem certo

"Escrevi aqui mesmo, na passada semana (antes do jogo de Braga), que a continuidade de Jorge Jesus não merecia sequer ser posta em causa, e que tal discussão apenas interessava aos nossos adversários - que, de resto, a fomentavam. Disse então que não podia ser um jogo, uma competição, ou mesmo uma temporada, a liquidar todo um trabalho que já deixou marca de competência. Não seria pois a noite de Braga - por muita dor que tenha causado - a alterar uma vírgula àquilo que então escrevi. Hoje, para que não fiquem dúvidas, reitero em absoluto a mesma opinião.

Jesus é um extraordinário treinador, e, no contexto actual, não vejo qualquer opção disponível que dê garantias de o poder substituir com vantagem. Trata-se de alguém que já conhece o clube, que conhece muito bem o futebol português, que foi campeão e ganhou outros troféus, que valorizou os jogadores, e que, com um pouco menos de azar, pode devolver o Benfica ao lugar que todos desejamos. E se não o conseguir fazer (os outros também jogam, e estão muito fortes), não creio que possamos necessariamente inferir que mais alguém o consiga.

Não sou amigo de Jorge Jesus (troquei com ele duas ou três palavras de circunstância), nem sei se é simpático ou antipático, ou se é muito ou pouco popular entre os seus. Nada disso me interessa. Sei que muitos jornalistas não gostam dele, o que não é necessariamente um mau sintoma.

Sei também que, quem trabalha diariamente com ele, quem conhece os planos de trabalho, os problemas da equipa, e a forma como ele os resolve, estará obviamente em melhores condições para o avaliar - e, pelo que se percebe, essa avaliação tem sido positiva. Mas quem tenha como base de análise apenas aquilo que se vê do lado de fora (e é esse o meu caso, como o da generalidade dos opinadores), só por má vontade poderá questionar as suas qualidades. Até porque, vendo as coisas friamente, esta terá sido (com Taça da Liga, 2º lugar, e meias-finais europeias) a quarta melhor temporada do Benfica nos últimos 15 anos."


Luís Fialho, in O Benfica

Facada na alma

"Digo-o a frio, e sem hesitações: a derrota de Braga significou a maior desilusão desportiva de toda a minha vida.
Nem os 7-1 de Alvalade, nem os 7-0 de Vigo, nem mesmo os penáltis de Estugarda, me feriram mais fundo que a dramática oportunidade perdida que esta maldita meia-final representou. Perante a ocasião histórica de, 21 anos depois, voltar a um grande palco europeu, o Benfica soçobrou diante de uma equipa valiosa, mas que, sobretudo atendendo ao contexto internacional em que a eliminatória se realizava, não deixava de ser um adversário relativamente acessível – mais ainda depois da vantagem, ainda que curta, lograda na partida da primeira-mão.
Há derrotas e derrotas. Algumas esgotam-se em si mesmas, ou, no máximo, na temporada em que decorrem. Outras entram, como uma seta, para a eternidade da dor e das lágrimas. Esta meia-final fará doer a alma sempre que vier a ser evocada, e nem daqui a décadas nos esqueceremos dela. Por isso, por se ter passado precisamente numa esquina da história, ela se tornou tão cruel, e tão difícil de digerir. Por isso, os momentos vividos no estádio, no fim do jogo, e perante a festa bracarense no relvado, foram os mais angustiantes que o futebol alguma vez me proporcionou.
Faltou apenas um golo. Com um simples golo (uma bola dentro de uma baliza), estaríamos agora a preparar-nos para discutir o segundo troféu mais importante da Europa, e prontos para tocar nos céus. Esse golo poderia ter acontecido num dos remates aos postes (Cardozo em Lisboa, Saviola no Minho), podia ter ocorrido no cabeçeamento de Kardec tirado sobre a linha, poderia ter resultado do tiro de Gaitán a que o guarda-redes contrário se opôs com brilho, ou do remate em arco de Jara, que saiu muito perto do poste. Em cada uma dessas situações, uns centímetros mais para um lado, ou mais para o outro, dariam um rumo totalmente diferente à história, e desenhariam as cores da nossa felicidade. Como é ténue a linha que separa a felicidade da tragédia…
É necessário, pois, não desprezarmos o grau de aleatoriedade que o fenómeno desportivo sempre incorpora, e que tantas vezes é incorrectamente negligenciado. É necessário, pois, perceber que com os mesmos jogadores, com o mesmo treinador, com o mesmo sistema táctico, com as mesmas substituições, com o mesmo fulgor físico, poderíamos ter sido bastante mais felizes, e poderíamos estar agora a festejar ardentemente. É assim, afinal, o futebol: ora mágico, ora verdadeiramente bárbaro na forma como, a partir de pequenos detalhes, devasta as nossas emoções até aos limites da mais profunda angústia.
Vamos ter muito tempo para chorar. Não devemos, portanto, precipitar atitudes e comportamentos, nem deixar que sejam as emoções a falar por nós. É preciso não esquecermos que o Benfica perdeu numa meia-final europeia, à qual só chegaram 4 dos 200 clubes que participaram na prova. Não há muitos anos atrás estávamos no 91º lugar do ranking da UEFA, terminávamos o Campeonato Nacional em 6º lugar, e éramos eliminados da Taça de Portugal, em nossa casa, aos pés do modesto Gondomar. Não podemos confundir a tristeza de uma oportunidade desperdiçada (por mais difícil que ela seja de suportar), com qualquer sentimento de humilhação, vergonha ou desonra, palavras que não devem, sequer, ser aqui chamadas.
2010-2011 será, inquestionavelmente, uma temporada traumática para os benfiquistas. Mas é preciso manter a lucidez suficiente para perceber que esse trauma se deveu mais ao modo como se foram desenrolando, e aniquilando, as expectativas de vitória nas várias competições, do que propriamente aos resultados finais em si mesmos – pobres, é certo, mas muito longe de serem os piores dos últimos 15 anos.
Esta época trouxe-nos emoções extremamente negativas, mas não foi uma época extremamente negativa. A nossa angústia provém mais dessas emoções, do que dos resultados que lhes deram origem. Provém mais da forma, do que do conteúdo.
Foi, de facto, a forma como nos vimos afastados do Campeonato (vendo o principal rival festejá-lo em nossa casa), da Taça de Portugal (deitando para o lixo uma vantagem de 2-0 obtida fora), e da Liga Europa (com uma equipa portuguesa, teoricamente mais modesta, e depois de um triunfo na primeira-mão), que nos deixou destroçados, pois Campeonatos perdidos houve, infelizmente, muitos nas duas últimas décadas, finais de Taça já não as temos há seis anos, e meias-finais europeias não as disputávamos desde 1994. Sobrou ainda assim uma Taça da Liga, uma qualificação para a Champions, uma subida no ranking da UEFA, um recorde de vitórias consecutivas, e momentos de futebol espectáculo que as últimas semanas não podem fazer esquecer.
Qualquer análise objectiva à presente temporada terá de contemplar todos estes aspectos, e relativizar os estados de alma decorrentes de elevadas expectativas que não se puderam concretizar."


Luís Fialho, in O Benfica

Alerta à Nação

"A depressão que atingiu o Benfica no último mês competitivo, excepção feita à conquista da Taça da Liga, obrigou o presidente do Clube a fazer o diagnóstico da crise e a projectar o futuro imediato. Luís Filipe Vieira fez bem ao recusar-se a tecer comentários avulsos em climas emocionais sofridos. Optou por uma entrevista longa, bem adubada, metódica e serena.

Luís Filipe Vieira fez bem em reconhecer carências no plantel. Uma equipa Campeã Nacional, e com legítimas ambições europeias, não pode depender da utilização de um ou dois jogadores para atingir as perfomances pretendidas. Da mesma forma, por imperativos desportivos e financeiros, a margem de erro nas aquisições tem que ser limitada ou mesmo nula.

Luís Filipe Vieira fez bem ao reiterar a confiança em Jorge Jesus. Aqueles que pedem a cabeça do treinador ou sustentam que o seu ciclo está encerrado são os mesmos que criticariam, porventura com maior veemência, a substituição do técnico caso não surtisse o efeito desejado. Ademais, é com projectos continuados, pautados pela estabilidade e sem alterações profundas, que se constroem as grandes equipas.

Luís Filipe Vieira fez bem em criticar o excesso de euforia decorrente da última temporada vitoriosa e apelar para que o trabalho de casa tenha mais consistência. Trata-se de um apelo à humildade e à labuta. Só faltou falar no trabalho fora de casa. É mesmo necessário? Não, não é necessário. Necessário é saber anular os ímpetos perversos de outros que tanto têm inquinado o Futebol em Portugal."


João Malheiro, in O Benfica

Regresso inesperado !!!

Pois é, os dois post's que tinham 'desaparecido' durante a manutenção do Blogger, reapareceram!!! Para que os comentários não fiquem 'perdidos', não vou apagar os post's, ficam deslocados no tempo, mas ficam para a posteridade...!!!

Sem ressaca !!!

"...todos mamavam..." !!! (e continuam a mamar)

Ontem, os profissionais de limpezas, que poluem a descomunicação social, passaram o dia com ejaculações precoces, celebrando mais uma decisão completamente oca dos Tribunais portugueses, onde mais uma vez, a defesa usou unicamente argumentos processuais, nunca alegando inocência, nunca argumentando que a acusação é falsa ou mentirosa. Defendendo exclusivamente supostos erros processuais, sendo que neste caso, o tal erro, foi objectivamente provocado, premeditadamente, pelos próprios!!! Para cúmulo neste caso, o Clube Corrupto em causa, nem sequer apresentou recurso!!!







Hoje, os mesmos profissionais de limpezas, os mesmos avençados, depois de ouvirem as declarações de Jacinto Paixão, vão calar-se!!! Silenzio!!! Nada se passa...


Nós, neste momento de rescaldo da época, onde estamos a avaliar os nossos deméritos, perspectivando a próxima época, não podemos esquecer, que aconteça o que acontecer, com mais um jogador contratado, ou mais um jogador vendido, com um treinador, ou com outro treinador, com um director, ou com outro dirigente, aquilo que se passou com o Paixão, continua a passar-se com todos os actuais árbitros, e para o ano, vai continuar a passar-se, e nos próximos anos vai-se continuar a passar!!! O Benfica começa todas as épocas com uma pontuação 'negativa', e o nosso principal inimigo começa todas as épocas com a garantia de vários pontos de 'bonús', venham eles dos árbitros, dos jogadores adversários, dos treinadores adversários, dos dirigentes adversários, ou de outro qualquer 'agente'... tudo isto com a complacência, cumplicidade, de Tribunais, Policias, Políticos... e isto é um facto.

segunda-feira, 16 de maio de 2011

As Bestas !!!

A primeira página do desperdício de papel higiénico, Rascord, já foi desmentida, ninguém agrediu Aimar, houve 'simplesmente' uma discussão...


Isto deveria deixar-me descansado, mas não deixa!!!


Nos últimos tempos, o Benfica (incluo Direcção, treinadores...), têm dado demasiada importância, a um grupo especifico, de supostos Benfiquistas, que só se evidenciam pelas ofensas a jogadores e directores do Benfica, e ainda por entradas 'forçadas' em treinos, 'esperas' nos aeroportos (ou do autocarro), ou ainda por manif's frustradas.


Com esta gente não se pode ser politicamente correcto, não existe meio termo, não se pode alimentar o ego destes frustrados da vida, com manias de grandeza, que desconhecem a História do Benfica, desconhecem o que é ser Benfiquista, por muito que 'gritem' o contrário.


Desta vez não houve agressões, mas com o ambiente que está a ser criado, elas vão acontecer mais tarde ou mais cedo. Prevejo para o início da próxima época um ambiente de 'cortar
à faca', onde qualquer deslize vai ser usado para fazer a 'cama' à Direcção, e ao treinador, e onde não haverá pejo nenhum em usar os jogadores, e os possíveis maus resultados da equipa, para satisfazer as obsessões pessoais...


Esta gente tem os seus líderes 'espirituais' que normalmente não dão a cara, mas que alimentam as 'ilusões' destes 'geniais' treinadores de bancada, gestores de FM, ou até potenciais Eusébios!!! Alguns bem identificados (aqui), (aqui), (aqui) entre outros...


Aqueles que hoje assobiam e ofendem o Cardozo, são os mesmos que durante anos e anos assobiaram o Nuno Gomes, e provavelmente são os descendentes daqueles que assobiaram o Nené, e o Magnuson, são exactamente os mesmos ignorantes, Eles sim, indignos de 'vestirem' o Manto Sagrado...


Esta época correu mal, podemos especular sobre as várias razões, podemos apontar erros, agora ninguém poderá defender que os jogadores não foram profissionais, ou que não respeitaram a camisola. Por isso os cânticos ofensivos, e o clima de hostilidade criado, sobre praticamente os mesmos jogadores que na época passada festejaram o título connosco, é uma perfeita imbecilidade. É um acto de terrorismo interno, que poderá ter inclusive um impacto profundo, e muito negativo, na próxima época, tanto na formação do plantel, como depois no desenrolar das jornadas...


Só tenho pena que o Aimar não tenha assistido ao primeiro episódio do Vitórias e Património, onde o nosso ex-goleador Julinho (recentemente falecido, um dos melhores goleadores da História do Benfica), explicou que num jogo onde foi apupado e ofendido por adeptos do Benfica durante o jogo, e especialmente ao intervalo (jogo que Julinho jogou, apesar de uma lesão grave, e dolorosa!!!). Mais tarde, no final da partida, depois de ter contribuído para a vitória do Benfica, quando um desses 'adeptos' o vinha felicitar, enfiou-lhe o melhor murro da sua vida no focinho da besta!!! Aimar aprende...

NeoBlanc 30

Tabela Anti-NeoBlanc:
Benfica...... 63 (-14)...77 (-5)
Corruptos..... 84 (+12)...72
Sporting.........48(+6)...42
Braga............46(+5)...41





Anexos:

Benfica


1ª-Académica, Prejudicados, Com 3 pontos
2ª-Nacional, Prejudicados, Com 3 pontos
3ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Guimarães, Prejudicados, Com 3 pontos
5ª-Sporting, Nada a assinalar
6ª-Marítimo, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
7ª-Braga. Nada a assinalar
8ª-Portimonense, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Paços Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Corruptos, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Naval, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar, Prejudicados, Sem influência no resultado
13ª-Olhanense, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Rio Ave, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
15ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Académica, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Nacional, Prejudicados, Sem influência no resultado
18ª-Setúbal, Prejudicados, Sem influência no resultado
19ª-Guimarães, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Sporting, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Marítimo, Prejudicados, Sem influência no resultado
22ª-Braga, Prejudicados, Com 3 pontos
23ª-Portimonense, Nada a assinalar -- (equipa B -2)
24ª-Paços Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
25ª-Corruptos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
26ª-Naval, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado -- (equipa B -3)
27ª-Beira-Mar, Prejudicados, Sem influência no resultado
28ª-Olhanense, Prejudicados, Com 2 pontos
29ª-Rio Ave, Nada a assinalar
30ª-Leiria, Nada a assinalar


Corruptos

1ª-Naval, Beneficiados, Com 3 pontos
2ª-Beira-Mar, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
3ª-Rio Ave. Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
5ª-Nacional, Beneficiados, Impossível de contabilizar no resultado
6ª-Olhanense, Nada a assinalar
7ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Académica, Nada a assinalar
10ª-Benfica, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
11ª-Portimonense, Nada a assinalar
12ª-Sporting, Prejudicados, Com 2 pontos
13ª-Setúbal, Beneficiados, Com 3 pontos
14ª-Paços de Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Marítimo, Nada a assinalar
16ª-Naval, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar, Beneficiados, Com 2 pontos
18ª-Rio Ave, Beneficiados, Com 2 pontos
19ª-Braga, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Nacional, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Olhanense, Nada a assinalar
22ª-Guimarães, Nada a assinalar
23ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência do resultado
24ª-Académica, Nada a assinalar
25ª-Benfica, Beneficiados, Prejudicados, Impossível de contabilizar no resultado
26ª-Portimonense, Nada a assinalar
27ª-Sporting, Beneficiados, Com 2 pontos
28ª-Setúbal, Nada a assinalar
29ª-Paços de Ferreira, Prejudicados, Com 2 pontos
30ª-Maritimo, Nada a assinalar






Sporting

1ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Marítimo, Nada a assinalar
3ª-Naval, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Olhanense, Beneficiados, Com 1 ponto
5ª-Benfica, Nada a assinalar
6ª-Nacional, Nada a assinalar
7ª-Beira-mar, Nada a assinalar
8ª-Rio Ave, Nada a assinalar
9ª-Leiria, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Guimarães, Beneficiados, Sem influência no resultado
11ª-Académica, Nada a assinalar
12ª-Corruptos, Beneficiados, Com 1 ponto
13ª-Portimonense, Nada a assinalar
14ª-Setúbal, Nada a assinalar
15ª-Braga, Beneficiados, Com 2 pontos
16º-Paços de Ferreira, Prejudicados, Com 3 pontos
17ª-Marítimo, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
18ª-Naval, Nada a assinalar
19ª-Olhanense, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Benfica, Beneficiados, Sem influência no resultado
21ª-Nacional, Beneficiados, Sem influência no resultado
22ª-Beira-Mar, Beneficiados, Com 3 pontos
23ª-Rio Ave, Nada a assinalar
24ª-Leiria, Nada a assinalar
25ª-Guimarães, Beneficiados, Com 1 ponto
26ª-Académica, Nada a assinalar
27ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
28ª-Portimonense, Nada a assinalar
29ª-Setúbal, Nada a assinalar
30ª-Braga, Nada a assinalar


Braga

1ª-Portimonense, Nada a assinalar
2ª-Setúbal, Nada a assinalar
3ª-Marítimo, Beneficiados, Com 2 pontos
4ª-Corruptos, Prejudicados, Com 1 ponto
5ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
6ª-Naval, Nada a assinalar
7ª-Benfica, Nada a assinalar
8ª-Olhanense, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave, Nada a assinalar
10ª-Beira-Mar, Prejudicados, Com 2 pontos
11ª-Guimarães, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Nacional, Beneficiados, Com 2 pontos
13ª-Leiria, Nada a assinalar
14ª-Académica, Nada a assinalar
15ª-Sporting, Prejudicados, Com 1 ponto
16ª-Portimonense, Nada a assinalar
17ª-Setúbal, Nada a assinalar
18ª-Marítimo, Nada a assinalar
19ª-Corruptos, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Paços de Ferreira, Nada a assinalar
21ª-Naval, Nada a assinalar
22ª-Benfica, Beneficiados, Com 3 pontos
23ª-Olhanense, Nada a assinalar
24ª-Rio Ave, Beneficiados, Com 2 pontos
25ª-Beira-Mar, Nada a assinalar
26ª-Guimarães, Nada a assinalar
27ª-Nacional, Nada assinalar
28ª-Leiria, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
29ª-Académica, Nada a assinalar
30ª-Sporting, Nada a assinalar

domingo, 15 de maio de 2011

Iniciados - 1ª jornada - Fase Final

Romário Baldé






Este ano vai ser mais complicado, mas o Tri é possível, força miúdos...



E ainda a vitória por 3-2 dos Juvenis B sobre o Sporting, e ainda o rescaldo do título na nacional de Juvenis.

Iniciados:
Benfica.........3

Sporting.......1

Braga...........1

Corruptos....0

Juvenis - Campeões






Enfim, justiça... Venceu o Benfica, venceu o Futebol, venceu a melhor equipa, que joga o melhor Futebol, a equipa mais ofensiva, com melhor talento individual e melhor organização colectiva. Uma época com 34 jogos, 112 golos marcados e 18 sofridos!!! Eu, esperava celebrar este titulo mas cedo, com menos ansiedade, mas o empate em Alcochete não permitiu os festejos antecipados. No Futebol de hoje, muitas vezes a melhor equipa (a mais ofensiva) não ganha, este Benfica joga com 4 avançados puros, e os dois médios centro, em qualquer outra equipa seriam "10's" !!! E mesmo os laterais são muito ofensivos, por isso temia que hoje uma equipa matreira, pudesse estragar a festa, mas felizmente tudo correu bem.

Até a azia do Capucho no banco soube bem!!!


Ainda acredito !!!






Acredito porque ficou provado hoje que o Benfica não é inferior, o valor das equipas é semelhante, e com um melhor conhecimento do adversário o Benfica poderá melhorar no segundo jogo, principalmente na defesa. Além disso o Zaikin terá mais alguns minutos...!!!

Mas também acredito que as dificuldades no segundo jogo vão ser maiores, porque ao contrário de hoje, a arbitragem na Eslovénia vai ser quase de certeza, caseira... aquilo que se passou o último minuto do jogo foi escabroso!!! Se o delegado não viu treinador do Cimos pedir o tempo de desconto, não é no contra ataque do Benfica, quando o Tavares já está a rematar, que se vai parar o jogo, e ainda por cima dá-se a bola aos Eslovenos!!! (que nos segundos que restavam ainda conseguiram empatar). Um jogo que deveria ter acabado com 2 golos de vantagem para o Benfica, terminou empatado. Garanto que no segundo jogo, numa situação semelhante a decisão será outra...!!!

Isto para não falar de um critério extremamente permissivo durante todo o jogo, que beneficiou a equipa mais forte fisicamente, que abusou dos contactos e agarrões, chegou-se inclusive ao ponto de ainda se mostrar amarelos, na segunda parte!!!

Curiosamente, o final da primeira parte também foi 'caricato': O Zaikin remata, sofre falta, mas marca golo, os árbitros anulam o golo, e marcam livre de 9 metros, sem que o Zaikin tenha feito 'passos'!!! De seguida, o Benfica tenta uma jogada de duplo jogo aéreo, e o Carneiro é 'bloqueado' por dois adversários a defender dentro da área!!! Segue jogo...!!! Aliás foi recorrente ver Eslovenos dentro da área a defender, e raramente era marcada falta, e quando marcavam raramente marcavam o respectivo livre de 7 metros...





PS: Uma nota para o completo desinteresse que aparentemente as televisões Portuguesas tiveram, por uma Final Europeia!!! Recordo-me por exemplo que o ano passado, na mesma competição, o destaque dado a outra equipa...!!!

Todos mamavam

"Não sei bem porquê, mas, quando alguém refere o facto de Pinto da Costa ser o dirigente com mais títulos do Mundo, isso lembra-me sempre aqueles taxistas que não se cansam de nos lembrar de que no tempo de Salazar quase não havia criminalidade. Suponho que aquilo que me choca nos dois casos é a total descontextualização.

Contextualizemos então, pelo menos uma dessas situações: esta semana, veio a público uma gravação em que Jacinto Paixão, depois de uma longa carreira na arbitragem, dá a sua primeira contribuição para a verdade desportiva. Na sequência das suas declarações, o país ficou boquiaberto por ouvir falar de viagens pagas a árbitros através da Agência Cosmos, de favores sexuais em troca de resultados adulterados, e de jantares de António Garrido com elementos de equipas de arbitragem. Em rigor, a afirmação mais duvidosa do vídeo é a de que o processo Apito Dourado poderá vir a ser reapreciado pela justiça portuguesa. “E agora? Será que a justiça vai, finalmente, agir?” Esta é fácil. A resposta é, obviamente: sim, até porque o Pai Natal e o Coelhinho da Páscoa entretanto chegam a Portugal e envolvem-se pessoalmente na causa.

Mas o principal mérito da gravação é oferecer-nos a possibilidade de ver como aqueles que até hoje acusavam os outros de terem teorias da conspiração em relação aos campeonatos conquistados pelo FC Porto conseguem eles próprios tecer maquinações notáveis. Repare-se, dizem eles, que Jacinto Paixão diz “ex-árbitro” e, em 2004, ainda apitava. Note-se também que ele parece estar a ler. Assinale-se, já agora, que a gravação veio a público na semana em que a justiça deu mais uma vitória ao FC Porto. Fica-se a saber, pois, que é impossível dizer a verdade em 2011, enquanto se lê um texto previamente escrito, e sobretudo numa semana em que o FC Porto vence um processo em tribunal."




Aqui fica a 'nova' versão da confissão do Jacinto:


Suplício