Últimas indefectivações

sábado, 5 de novembro de 2011

Manter a onda...



Loures 0 - 6 Benfica

Momentos positivos, e outros nem por isso...!!!



Benfica 81 - 66 Sampaense

19-7, 20-19, 22-14, 20-26



No ringue da Luz !!!



Foi assim ontem à noite...

Muito superiores



Benfica 3 - 0 Machico

25-8, 25-16, 25-12

Taça Continental

Este troféu teria outro sabor se tivesse sido conquistado no ringue, mas o Benfica não tem culpa na falta de comparência do Liceo da Corunha. Como o Comité Europeu se recusou pagar a deslocação e o alojamento aos Espanhóis, estes inventaram o argumento do campo neutro, para não aparecer... E fazendo as 'contas por alto' Viana do Castelo é capaz mesmo de ser a meio caminho entre Lisboa e a Corunha!!! Este episódio é só mais um exemplo, da falta de qualidade do dirigismo nesta modalidade... mais um prego para o caixão!!!

O Liceo é provavelmente a melhor equipa do Mundo neste momento, seria interessante ver o nosso Benfica, jogar de igual para igual com eles nesta Supertaça Europeia... assim o Benfica ficou com mais um troféu, de qual não deve ter vergonha, bem pelo contrário, e talvez lá para o final da época, na Final da Liga dos Campeões, este confronto seja finalmente realizado...

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Isto sim, é um Benfica grande

"Gosto de ver o Benfica triste depois de empatar em casa com o Basileia e estar em primeiro do seu grupo, com três pontos de avanço sobre o concorrente directo no apuramento. Gosto de ver Luisão zangado por não ter ganho.

Isto sim é m Benfica grande, que quer sempre mais, inconformado e ambicioso. Este era o Benfica que se havia temporariamente perdido, e parece ter voltado. Mais resultados, mais exigência e menos desculpas.

Corajosa a aposta em Luís Martins num jogo importante, espero vê-lo mais vezes e que tenha muita sorte que bem merece.

Desesperante deve ser para os adeptos do FC Porto não ganharem um jogo ao APOEL e ouvirem dizer que os cipriotas «não são uma equipa qualquer».

Não será fácil, e tenho pouca esperança num resultado positivo no mítico Old Trafford, mas não tenho dúvidas no apuramento para os oitavos-de-final da Liga dos Campeões, e seguramente iremos a Inglaterra tentar uma proeza. Teria ficado mais aborrecido se tivesse empatado com o Olhanense e ganho ao Basileia.

Era decisivo ganhar em Braga e desfrutar 20 dias da paragem doo campeonato para recuperar fisicamente uma equipa que dá alguns sinais de fadiga. Não percebo nada de preparação física, mas reconheço que as equipas de Jorge Jesus precisam de estar bem fisicamente para corresponder à ideia de jogo que pede aos seus jogadores.

Braga para nós é a final da Liga dos Campeões. A última derrota do Benfica foi há mais de seis meses precisamente em Braga, na meia-final da Liga Europa. Nesse jogo ganhou Artur, que agora é o nosso tranquilo guarda-redes, domingo espero que volte a ganhar... Artur. Há coisas que podem manter-se.

Benfica e Barcelona são as únicas equipas da alta-roda europeia que ainda não perderam este ano um jogo oficial. O Barcelona é porque joga bem. E o Benfica porque será?"


Sílvio Cervan, in A Bola

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Os Manducas

"O nosso Manduca só teve de esperar quatro anos até poder responder convenientemente a Pinto da Costa


EM 2007, o presidente do FC Porto lá foi dar mais uma grande entrevista à SIC e, sempre a pensar no Benfas como é seu apanágio, explicou ao país a receita do seu sucesso.

-Nós no Porto não andamos a comprar Manducas - disse com aquela autoridade papal que, por sinal, nem todos lhe reconhecem.

O nosso Manduca só teve de esperar quatro anos até lhe poder responder convenientemente.

E é caso para se dizer, Manduca, com a sua ironia do costume...


QUE estranho caso o de Hulk. Não pela tinta no cabelo que isso é coisa que não risca nada. Mas pelo destrambelhamento com que se apresenta em campo, a discutir com tudo e com todos que nem o João Pereira, a dar ordens aos colegas que nem o Messi, a assumir sobre os seus ombros bem largos o manto de honrarias e de responsabilidade com que Pinto da Costa o fez Cavaleiro da Causa quando afirmou, num púlpito qualquer, que o único elemento indispensável da equipa de Villas Boas era, nem mais nem menos, do que o próprio Hulk.

Pinto da Costa, embargado, falava depois do abandono de Villas Boas e quando toda a gente falava no interesse de clubes poderosamente mais económicos nos serviços de jogadores como Guarín, João Moutinho, Fernando, Rolando e Falcao, que acabaria por se transferir para o Atlético de Madrid onde se deve chatear de morte.

O presidente do FC Porto foi muito claro ao tranquilizar os adeptos. Podem ir-se todos embora, menos o Hulk.

Vendo, pela televisão, o jogo de Nicósia entre o Apoel e o FC Porto, e as pálidas movimentações em campo dos jogadores campeões nacionais, concluímos que foi isso mesmo que se passou.

Foram-se mesmo todos embora. E só ficou o Hulk. E so o Hulk não chega.


UM tanto ingenuamente, andam muitos benfiquistas contentes com a hipótese do FC Porto não se qualificar para os oitavos-de-final dos Campeões. As rivalidades são assim mesmo. Não se respeita a Pátria, não se respeita o desportivismo, não se respeita nada a não ser a vontade de gozar com os amigos, com os colegas e com os familiares adeptos do clube adversário, em paga por tudo o que já gozaram connosco.

É por esta razão que andam benfiquistas contentes com a carreira do FC Porto na actual fase de grupos da Liga dos Campeões. Pois fazem muito mal se souberem pensar à distância.

Se o FC Porto não se classificar nos dois primeiros lugares do seu grupo, classificando-se no terceiro posto tem acesso directo à Liga Europa, de que é detentor, uma prova que parece ser feita à medida dos clubes da meia-tabela europeia. Recorde-se que no ano passado os finalistas até foram os dois clubes portugueses, para grande desmaio do Michel Platini, e mesmo o Benfica, a viver um final de época horrível, conseguiu ser semi-finalista dessa Liga Europa.

Ou seja, se o FC Porto for parar à Liga Europa arrisca-se a ganhá-la pela segunda vez consecutiva. E então é isto que os benfiquistas querem? Não seria melhor vermos o FC Porto qualificado para os oitavos-de-final, com o seu treinador longe de focos agressivos de opinião, podendo-lhe sair na fase seguinte um Chelsea, de Villas Boas que faria, assim, ao Porto um regresso ainda mais espectacular do que o do Coliseu?

Pensem bem benfiquistas, pensem bem no que é melhor e deixem-se de festejos indignos pelos azares de terceiros.


GOSTO muito da cidade de Guimarães e não me refiro apenas ao centro histórico, mas a toda a cidade que é uma beleza com pontos de equilíbrio raros no desenho e na arquitectura das nossas urbes. E também gosto do Vitória de Guimarães. E do Rui Vitória também gosto porque fala a sério.

Fiquei, por isso, contente com os 3 pontos que o Vitória somou contra o Rio Ave, embora também goste do Rio Ave por causa do João Tomás e não é preciso dizer mais nada.

Do Carlos Xistra, com franqueza, já não gosto assim tanto. Não me refiro à pessoa, que não conheço, e que bem pode ser admirável. Mas como árbitro, aceite-se que não gosto do Carlos Xistra. Mesmo que um erro seu tenha oferecido a vitória ao Vitória de quem gosto o bastante para me alegrar com os seus sucessos mas de quem não gosto o suficiente para me impedir de registar a arte de Xistra no momento da alegre decisão.


EM declarações a uma agência de informação iraniana, Carlos Queiroz anunciou que vai votar em Lionel Messi para o Bola de Ouro de 2011. Trata-se do prémio que consagra o melhor jogador do ano e tem um grande valor simbólico porque é patrocinado pela FIFA e é atribuído por escrutínio das opiniões dos melhores treinadores do mundo. Queiroz é um deles e por isso é chamado a votar.

Na minha modesta opinião, votou bem porque Lionel Messi não só é o melhor jogador do mundo como este ano ainda caprichou ser o melhor jogador do mundo e dos arredores só para irritar Cristiano Ronaldo que leva estas coisas muito a peito.

Se, em vez de ser o seleccionador do Irão, Carlos Queiroz ainda fosse o seleccionador português também votaria, com certeza, em Messi ainda que por tal arrojo de personalidade tivesse de pagar bem caro o preço de ter ofendido Cristiano Ronaldo e 9 milhões de portugueses.

Ou não?


ESTAMOS em Novembro, este mês há derby! Nas cidades, nos campos, nos escritórios, nas fábricas, nos cafés e nas barbearias os dois valorosos campos já andam em despiques retóricos da mais alta intensidade.

-O Domingos não vai pôr o Rinaudo em Leiria para termos a certeza de que pode jogar contra vocês!

-Mas porquê?

-Porque já tem quatro cartões amarelos cirúrgicos para levar mais um em Leiria e não poder jogar com vocês.

-E faz-vos assim tanta falta o Rinaudo?

-O Rinaudo é apenas o melhor argentino de todos os tempos!

-Achas, portanto, que é o Benfica que está por trás desses quatro cartões amarelos ao Rinaudo?

-Evidentemente que está. Isto está a ser preparado há muito tempo para o Rinaudo não jogar contra vocês.

-Mas sabes que o Rinaudo na sua penúltima época no Ginásio de La Plata levou 11 amarelos e na última época levou 13 cartões amarelo=

-Não sei nem me interessa.

-Ah, pronto, está bem.

E até 26 de Novembro as respectivas retóricas não vão sossegar.


O jovem Luís Martins tem razões para estar satisfeito. Estreou-se num jogo da Liga dos Campeões e quando foi substituído o resultado era de um a zero a favor do Benfica. Assim que Luís Martins desapareceu no túnel e Miguel Vítor ocupou a sua posição, o Benfica sofreu imediatamente um golo e a partir daí, francamente, produziu uma exibição quase confrangedora.

Nem sei o que pareciam os jogadores do Benfica em campo. Talvez onze Manducas, mas daqueles Manducas a que Pinto da Costa se referia com desdém, em tempos passados, não aquele Manduca que na terça-feira beneficiou da pressa toda com que Hulk quis repor a bola em jogo depois de ter empatado, de penaltie, acabando por conceder ao jogo o tempo extra suficiente para o Manduca-bom ter assinado o golo da vitória do Apoel.

Ontem, em largos períodos do jogo, o Benfica, salvo honrosas excepções, esteve entregue a um conjunto de Manducas-maus. Aimar, por exemplo, que é um príncipe a jogar à bola, passou o tempo todo em quezílias com os adversários ao ponto de irritar o árbitro que, ao cabo de tantas, lhe deu um merecedíssimo cartão amarelo.

O árbitro esteve mal em muitas ocasiões, é verdade, ficou até por assinalar uma grande penalidade a favor do Benfica, mas o Benfica pôs-se muito a jeito para sofrer o dissabor que acabou por penar.

Uma coisa é certa: o nosso Jorge Jesus fez-nos muita falta."


Leonor Pinhão, in A Bola

Cantos do Benfica

"Há um ano o Benfica perdeu alguns jogos jogando bem; este ano já conseguiu algumas vitórias jogando mal.

Há uma razão para isso: a mudança de guarda-redes. Mas não é tudo. Jorge Jesus confidenciou a alguém que iria ser mais cauteloso este ano, e a equipa tem sido de facto mais cínica e mais calculista.

Mas há várias coisas a funcionar mal. As alas não correspondem. Emerson e Gaitán nunca se entendem – o mesmo sucedendo com Maxi e Bruno César. Julgo, aliás, que Emerson não tem lugar no Benfica. Quando apanha um extremo rápido é permeável a defender, e não sabe subir: não finta, não remata e tem medo de entrar na área. Que saudades das duplas Coentrão-Di María ou Maxi-Salvio! Eram duplas que criavam múltiplas situações e marcavam muitos golos.

Outra coisa que não se percebe é a total inépcia nas bolas paradas. Sendo o Benfica uma equipa que ataca muito, consegue sempre muitos cantos (10/15 por jogo) e muitos livres laterais. Ora, apesar de ter muitos jogadores altos, não consegue sequer criar perigo nestes lances! Os livres e os cantos são quase sempre mal marcados. É preciso treinar um ou dois jogadores para esta função, talvez Bruno César e Witsel, pois Aimar e Gaitán não servem.

Veja-se o Braga da época passada: muitos golos saíam de livres e cantos marcados por Hugo Viana. Foi assim, aliás, que o Benfica sofreu os dois golos que o afastaram da final da Liga Europa

Quando o Benfica aperfeiçoar os cantos e os livres laterais, atirando bolas tensas para as cabeças de Luisão, Garay, Javi (ou Matic), Witsel e Cardozo, tornar-se-á uma equipa muito mais perigosa."


A geometria no futebol

"O futebol bem poderia ser um quase compêndio de geometria. Joga-se com um esférico que tem uma estrutura poliédrica. Pratica-se num rectângulo com quatro cantos, um circulo central e dois semi-círculos junto à grande área, que, por duas vez, contém uma pequena área. E dos cantos sai o dito esférico com conta, peso e medida.

Joga-se em linha recta, lateral e em profundidade. Ou em diagonais. Sobretudo, diagonais interiores.

Na baliza - também ela rectangular - há tangentes. Ou o esférico embatendo num dos seus vértices superiores.

Quanto às tácticas, está na moda o losango. Às vezes invertido, o que não deixa de ser losango. Com ele ou sem ele, fazem-se triangulações para ultrapassar o quadrado da defesa. Ou com extremos (que às vezes trocam de posição). A propósito de quadrados, há também jogadores que merecem tal qualificação.

Ou porque estão mal posicionados, ou não criam espaços vazios, ou ficam fora da linha ou porque não dão uma para a caixa. Nos jogos mais desnivelados, vemos uma equipa cilindrar a outra. Que, assim, pode atingir o topo da pirâmide. Outras vezes, a vantagem é tangencial. E mais sofrida, se for no último terço do rectângulo, com medo de os outros darem a volta por cima. Também há a geometria do jogo chato. Que pode gerar uma bola de neve... Os pontapés podem ser rectos ou curvos. Curtos ou alongados. Quebrados ou lineares. Laterais ou verticais. Elípticos ou irregulares. Já o jogo áereo é noutro plano. Ou, se quisermos, sob um diferente prisma... Até há jogadores com nomes de inspiração geométrica: o Angulo que passou pelo Sporting, o Redondo que foi do Beira-Mar e o To Zé Marreco que joga no União da Madeira.

Faltam os cones? Ei-los: algumas taças viradas do avesso."


Bagão Félix, in O Benfica

Adiamento


Benfica 1 - 1 Basileia



Tivemos a qualificação na mão, e ela fugiu, o resultado é negativo frustrante mesmo (pior para os Suíços, digo eu...), o Basileia é de facto inferior (jogam simples, fisicamente muito fortes, com 1 jogador bom tecnicamente e com talento para o teatro...!!!), mas dito isto, nos dois jogos que faltam, 3 pontos chegam, e na última jornada recebemos os Romenos... Numa época com muito sofrimento, até parecia mal, uma qualificação tão precoce!!! (estou a ser irónico!!!)

O jogo pareceu uma fotocópia do jogo com o Olhanense, a diferença foi que no primeiro remate do Rodrigo a bola bateu no poste!!! 20 minutos muito bons, de entrada, um final de primeira parte em baixa, 15 minutos na segunda parte 'mais ou menos' e uns últimos 30 minutos com muitas dificuldades...!!!

Existem muitos teóricos 'da bola' (muitos deles benfiquistas...), alguns desses dizem que os jogadores são profissionais, recebem milhares ou milhões, não fazem mais nada, e portanto estão obrigados a correr a fundo durante os 90 minutos, em todos os jogos, durante toda a época... O facto, é que neste momento o Benfica não consegue fazer isso. No Sábado, com o Olhanense, os sábios da bancada diziam que os jogadores estavam todos a pensar na Champions!!! Hoje, se calhar estavam a pensar no Braga...!!! Para estes adeptos, quando um jogador não corre, é porque não quer, nunca é porque não dá mais...!!!

Na minha opinião o jogo na Suíça marcou muito negativamente a capacidade fisíca do Benfica. Acabámos a jogar com 9 (o Gaitán estava a fazer figura de corpo presente...), o próprio Bruno César, a defesa esquerdo, também acabou com queixas musculares... A seguir a este jogo, ainda por cima sem o Javi, o Benfica demonstrou sempre bastantes dificuldades nas segundas partes. E repito, não é uma questão motivação, ou de entrega. O Matic até tem estado bem, mas a experiência do Javi, 'empurra' a equipa mais para cima, recupera a bola mais rapidamente, e isto facilita o trabalho aos restantes companheiros, principalmente os nossos alas, que quando a equipa 'baixa o bloco' são obrigados a baixar para junto dos laterais. E quando recuperámos a bola, estão sempre demasiados recuados. Tem sido quase exclusivamente o Rodrigo a dar velocidade à equipa, a excepção que confirma a regra. E o próprio Rodrigo não aguenta os 90 minutos!!! A equipa está a precisar de 'respirar', a próxima paragem para as Selecções vem mesmo a calhar. O problema é que ainda falta um jogo, muitíssimo importante em Braga, que será concerteza muito difícil e desgastante. Deixo aqui o aviso, é necessário dar frescura à equipa: além do regresso do Emerson, e do Javi (presumivelmente), os jogadores menos utilizados nos últimos jogos como o Nolito e o Saviola podem (e devem) ser opção para o onze... Uma nota sobre o Luís Martins: defensivamente esteve melhor do que eu esperava... ofensivamente, arriscou pouco, mas ainda 'tirou' 3 ou 4 cruzamentos perigosos, que infelizmente não tiveram consequência...

Se calhar é sina, mas considero mais fácil eu ganhar o Euromilhões, do que o Benfica 'apanhar' uma arbitragem competente!!! (na Europa, porque em Portugal isso é mesmo uma impossibilidade estatística!!!) Trabalho vergonhoso, errando sempre para o mesmo lado (excepto o fiscal-de-linha do lado do banco do Benfica), além do penalty, o final da primeira parte é bem demonstrativo das intenções dos cabrons...

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Desnível demasiado grande para uma Liga profissional!!!



Benfica 87 - 30 Ginásio

20-9, 19-8, 29-5, 19-8



O adversário foi extremamente frágil, mas deu para ver que temos provavelmente o melhor plantel dos últimos anos...

Excelente entrada do Carlos Ferreirinho, 10 pontos em menos de 7 minutos... dou-lhe 2 anos para ser a referência portuguesa da equipa... aliás jogámos os últimos 5 minutos só com portugueses (sem o Sérgio), e 3 da formação!!!

O último cesto do Betinho, dava para entrar no top 10 semanal da NBA!!!

Invencíveis



Benfica 3 - 0 Esmoriz

25-15, 25-22, 25-19

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Lixívia Extra-Forte IX

Tabela Anti-Lixívia Extra-Forte:
Benfica.......23 ( 0)...23
Corruptos..23 (+3)...20

Sporting......20 (0)...20
Braga........18 ( +3)...15


Por uma questão de sanidade só vi o jogo do Glorioso, orgulhosamente voltei a não fazer parte das audiências televisivas Corruptas (e respectivos submissos)!!! Estranhamente no Dragay parece que nada de passou (além do auto-golo!!!), e em Coimbra também não...
Adenda: Tardiamente foi informado, que Kléber agrediu à cabeçada um adversário, o árbitro decidiu dar um amarelo para cada lado!!!


Os Lagartos, embalados pelos choradinhos, lá vão caindo ao som do apito... Não existe penaty sobre o Holandês 'mergulhador': o contacto existe, nas o sportinguista antecipou o contacto. O jogador do Feirense foi anjinho, mas o Lagarto arrastou a perna, provocou o contacto, talvez por falta de experiência começou a cair, antes do contacto com a perna esquerda... Em sentido contrário, devia ter sido penalty sobre o Elias, que só não foi marcado pelo exagero teatro do Brasileiro. Existiram dois foras-de-jogo mal marcados ao Feirense. O amarelo ao Rinaudo é mal mostrado, a falta sobre o Jefren para mim, merecia amarelo, arriscou o vermelho, mas o Jefren saltou, e evitou o contacto... De todos os erros, o segundo amarelo ao Henrique é completamente absurdo, e com um impacto decisivo no resultado do jogo...


Na Luz, tudo 'normal': golo mal anulado ao Benfica; Penalty sobre o Rodrigo, toque do Mexer no pé esquerdo do Rodrigo; falta na meia-lua sobre o Gaitán não marcada, como é habitual (o Cardozo podia marcar o livre...!!!); e um critério disciplinar ridículo, que permitiu sucessivas faltas dos Algarvios sem punição...!!!


Anexos:

Benfica
1ª-Gil Vicente(f) (2-2), João Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Feirense(c) (3-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Nacional(f) (0-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
4º-Guimarães(c) (2-1), Duarte Gomes, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Académica(c) (4-1), Vasco Santos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
6ª-Corruptos(f) (2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Paços de Ferreira(c) (4-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Beira-Mar(f) (0-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Olhanense(c) (2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado

Corruptos
1º-Guimarães(f) (0-1), Olegário, Beneficiados, (0-0), +2 pontos
2ª-Gil Vicente(c) (3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Leiria(f) (1-4), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Setúbal(c) (3-0), Marco Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Feirense(f) (0-0), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
6ª-Benfica(c) (2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Académica(f) (0-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
8ª-Nacional(c) (5-0), Cosme Machado, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
9ª-Paços de Ferreira(c) (3-0), Hugo Miguel, Beneficiados, Sem influência no resultado

Sporting
1ª-Olhanense(c) (1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
2ª-Beira-Mar(f) (0-0), Fernando Martins, Nada a assinalar
3ª-Marítimo(c) (2-3), Proença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
4ª-Paços Ferreira(f) (2-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
5ª-Rio Ave(f) (2-3), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6ª-Setúbal(c) (3-0), Cosme Machado, Nada a assinalar
7ª-Guimarães(f) (0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c, (6-1), João Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Feirense(f) (0-2, Gralha, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar

Braga
1ª-Rio Ave(f) (0-0), Duarte Gomes, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
2ª-Marítimo(c) (2-0), Soares Dias, Beneficiados (1-0), Sem influência
3ª-Setúbal(f) (0-1), Hugo Miguel, Beneficiados (0-0), +2 pontos
4ª-Gil Vicente(c) (3-1), Rui Costa, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f) (1-1), Pedro Proença, Nada a assinalar
6ª-Nacional(c) (2-0), Xistra, Nada a assinalar
7ª-Leiria(f) (0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
8ª-Feirense(c), (3-0), João Ferreira, Nada a assinalar
9ª-Académica(f), (0-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar

O plano anunciado

"No dia 9 de maio, o presidente da Liga de Futebol Profissional assumiu um compromisso: apresentar um plano para o futebol profissional até 30 de junho. “Um plano que engloba um modelo de desenvolvimento, quadros competitivos adequados, recursos financeiros disponíveis e mudanças regulamentarmente necessárias”, disse então Fernando Gomes. Percebemos mais tarde que, afinal, o plano não era para transformar o futebol organizado pela Liga e a sustentação dos clubes associados. Antes era, sem que os incautos o compreendessem, um plano para se transmutar: chegar a presidente da Federação.

Sendo assim, não admira que a Liga esteja parada no carril – para além da propaganda à volta de um “Congresso sobre o Futebol” – e convertida (nas mais diversas variantes, com exceção dos endereços de e-mail) na sede de campanha de “Gomes a Presidente” (numa espécie de “concorrência desleal” em relação à Câmara de Tondela). O que, ao que se aparenta, é aceite e estimulado pelos clubes, que deram a Gomes “mandato” para tal campanha. O que é manifestamente um sintoma de transparência. Nada como a limpidez de se assumir que há muitos meses nada de significativo se faz, a não ser o “mandato” para nomes, reuniões, telefonemas, visitas ao domicílio, sensibilidades, influências, estética, gerontologia e muito… muito “power point”!

Entretanto, em junho, a Universidade Católica entregou à Liga um pertinente estudo sobre as condições de viabilização do futebol profissional. Uma boa medida, mas, por ora, abafada pelas ambições de um “novo ciclo” de “regeneração” – outro, portanto – do futebol e, nesse ciclo, de uma Liga (norteadamente?) decadente…

A investigação concluiu que os instrumentos e as políticas para uma nova estratégia para a indústria do futebol passam por “3 grandes desafios”, que, acrescenta, “são também as grandes oportunidades identificadas para a indústria” aumentar as receitas. A saber: (1) “competitividade desportiva e futebol espetáculo” (bilheteira, direitos televisivos e “merchandising”); (2) “valorização do plantel e do futebolista português”; (3) “alargamento do mercado além-fronteiras e internacionalização”. Para atacar estes desafios seria preciso diminuir a distância entre os clubes de dimensão internacional e os restantes; reestruturar a segunda liga como competição semiprofissional; centralizar a negociação dos direitos televisivos na Liga; gerar na Liga a produção de serviços necessários aos clubes para que estes reduzam custos; criar modelos de apoio aos clubes que descem e sobem nas competições profissionais; estabelecer uma plataforma global de ingresso, valorização e transferência de jogadores estrangeiros jovens; enquadrar as competições “B” para capitalizar a formação do jogador português; alargar as competições aos “mercados” de língua portuguesa; redesenhar em coletivo as linhas de crédito para os clubes mais deficitários e desprotegidos.

No documento, propõe-se isto e mais para fazer. Repito: fazer. Tudo aquilo que Gomes, como “funcionário” mimético a tempo inteiro, não mostra ser capaz. Mudará a sua natureza nos corredores da Federação?"


domingo, 30 de outubro de 2011

Vitória, com golos bonitos...



Benfica 5 - 1 Operário



Tradição cumprida: o Benfica ganhou, e o guarda-redes adversário fez a exibição da sua vida!!!

Nova Luz

"Há oito anos, o povo vermelho rejubilou. O novo Estádio era inaugurado com entusiasmo incontido. A monumentalidade do novo anfiteatro benfiquista correspondia à reabilitação do Clube, após um dos períodos menos edificantes do seu longo historial.

A Nova Luz foi quase um milagre. Um milagre à Benfica. Erigida em tempo recorde, depois de inúmeras e talvez incontáveis peripécias, provou à saciedade o dinamismo espantoso do Benfica. Nenhuma outra agremiação desportiva, nacional ou internacional, quero acreditar, conseguiria erguer semelhante obra num tão limitado espaço de tempo e com recursos financeiros menos palpáveis. Recordo que o processo, desde a sua génese, não foi pacífico. Gente conservadora, ainda que benfiquista, chegou a objectar com ruído. Até Eusébio, símbolo maior, obrigou-se a intervir publicamente, dando o seu aval à demolição do velho recinto e sublinhando a necessidade do Benfica não perder a carruagem da modernidade.

Se na Nova Luz, hoje, é absolutamente consensual e motivo de orgulho de todo o Universo 'encarnado', justifica-se recordar a luta titânica empreendida por Mário Dias, então dirigente, cuja determinação foi imperativa para que o novo Parque Desportivo se tornasse uma realidade. Da mesma forma, no consulado ainda de Manuel Vilarinho, o actual presidente, Luís Filipe Vieira, pode reivindicar, sem qualquer laivo de imodéstia, um papel fundamental na engenharia financeira de todo o processo.

Passaram oito anos. O Benfica cresceu. Cresceu de forma inexorável. Cresceu em termos materiais? Cresceu muito. Cresceu em termos competitivos? Cresceu muito. O Benfica cresceu tanto quanto o registo hodierno impunha. Há uma nova Luz no século XXI. Há um novo Benfica? Há, seguramente, um Benfica que trata por tu a contemporaneidade. Agora, só precisa de andar um pouquinho à frente do futuro."


João Malheiro, O Benfica

Do antigo se fez novo

"Quis uma mente iluminada que o lançamento de um novo livro de Nuno Markl, com ilustrações de Patrícia Furtado, fosse feito na Secundária de Benfica, hoje Escola Secundária José Gomes Ferreira. A edição da 'Caderneta de Cromos' foi apresentada aos fãs no anfiteatro mítico - o das festas de final de período, do arranque da década de 80 e do som dos slows a 45 rotações - no bloco central dos cinco edifícios modernos erguidos em Benfica, em contraste com a vida e comércio típicos do Bairro. Além das linhas de eléctrico na rua que ligava as Portas a Sete-Rios, havia diversos elementos característicos da zona: o Mercado, a Fábrica Simões, o Bairro de Santa Cruz, a Mata, o Nilo, o Califa e o Estádio da Luz, colado à mais recente 2.ª circular, erguida acima ao ainda mais recente centro comercial Fonte Nova.

O Estádio da Luz era gigantesco, monumental, o maior do País e capaz de ser dos maiores da Europa, com três campos de apoio (um deles pelado, acolhia o Hóquei em Campo), uma pista de Atletismo, uma Piscina, dois Pavilhões e vários courts de Ténis. Marcou-me, enquanto sócio que saldava as suas contas em contacto com um cobrador do Sport Lisboa e Benfica que nos visitava em casa mensalmente. Nenhum miúdo daquele tempo imaginaria que uma obra daquelas pudesse vir abaixo. Veio, por uma boa causa. Hoje o centro dos festejos e origem das alegrias é mais moderno, apesar de já não poder albergar 120 mil espectadores. É ainda o maior do País e um dos melhores da Europa. Aqui se entra e daqui se sai em curtos minutos, ao contrário do antigo, havendo motivos de orgulho diferentes dos que foram encerrados no Estádio demolido. Oito anos de Nova Catedral significam outros tantos de dedicação a uma causa, com exemplos de entrega incondicional espalhados pelos diversos sócios fundadores. Pessoas comuns misturadas com os ídolos, juntos ergueram o símbolo adorado por todos quantos fazem o Benfica."


Ricardo Palacin, in O Benfica

Surreal



Benfica 2 - 1 Olhanense



Um jogo que devia ter acabado com uma goleada histórica, acabou em sofrimento, com o Capitão a dar o corpo ao manifesto!!!

Não estamos habituados a gerir vantagens desde do primeiro minuto, é verdade... facilitamos, é verdade... se calhar alguns já estavam a pensar na Champions, é verdade... tivemos o golo da tranquilidade (que podia abrir as 'portas' à goleada), mal anulado, é verdade... o Olhanense nada fez para marcar um golo, é verdade, mas marcou... dito isto, continuo com dificuldades em explicar o que se passou, o nosso grande Viriato fala em masoquismo, se calhar é isso mesmo...


Grande entrada do Rodrigo (temos que começar a recalcular a transferência do Di Maria, semanalmente, após cada golo do nosso Rodri...!!!), temos jogador, como já se 'cheirava', agora nada de exageros, o Rodrigo ainda tem que evoluir muito, principalmente a jogar de costas para a baliza, nas recepções...

Passou despercebido, mas voltou a fazer um excelente jogo. A evolução é enorme. O Matic aproveitou bem os problemas físicos do Javi, já se sabe pocisionar, já joga na antecipação, já mete o pé de outra forma, ainda falta soltar a bola um pouco mais rápido, mas temos jogador...


Não gostei de um comentário que ouvi na rádio, sendo assim esclareço: no golo sofrido a culpa é do Emerson, e do Matic, e do Bruno César, e do Garay, e do Luisão, e do Maxi (o Gaitán até estava na zona da bola, mas a responsabilidade daquela cobertura não é dele)... já estou farto de embirrações teimosas e parvas com jogadores do Benfica!!!

Também pode ficar registado, que o nervosismo que se instalou nos Benfiquistas (no Estádio e em casa), deveu-se essencialmente, ao Benfica... friamente, o Olhanense além do golo, só teve mais uma oportunidade (nos descontos), o Artur não fez uma única defesa... Em Portugal habitualmente elogia-se este tipo de equipas, inventa-se histórias de jogo repartido e mais algumas coisas absurdas... neste jogo chegámos ao cumulo de ter sido o Benfica, a 'apressar' o jogo, mesmo a ganhar, e o guarda-redes Algarvio a perder, ia queimando tempo!!! Só em Portugal....


PS1: Sim, nos últimos 20 anos, este é o melhor arranque do Benfica!!! Sim, com o Jesus!!! Sim, com o Vieira!!! Sim, com sofrimento desnecessário...

PS2: Alerta para Quarta. As previsões são de temporal, chuva e vento!!! Espero que os responsáveis pelo relvado estejam preparados.


Excelente vitória



Fonte Bastardo 1 - 3 Benfica

25-19, 20-25, 26-28, 20-25

Primeira vitória



Benfica 11 - 1 Riba d'Ave



Show de bola, ou show de Viana...!!!

Mais um massacre...



Benfica 41 - 21 Xico Andebol



...este ano em várias modalidades o desequilíbrio em alguns jogos vai ser gritante, falta o carcanhol dos Municípios!!!

Jogo com pouca história, onde o Benfica repetiu a dose dos últimos tempos: entrada a matar, a defender e a contra-atacar (23-9 ao intervalo!!!), e depois, a controlar... e é assim que deve ser sempre.