Últimas indefectivações

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Contagem de espingardas no Benfica

"Vêm aí as eleições. O cadáver desta época ainda não arrefeceu, e já se contam espingardas para a batalha de Outubro. É bom que assim seja. Não sou um crente convicto dos benefícios das democracias – é assustador pensar que o voto de um idiota vale tanto como o de um sábio e que há muito mais idiotas do que sábios – mas, já dizia o outro, ainda não se inventou um sistema menos mau. E o Benfica ainda vai sendo um clube dos sócios, saibamos, pois, reconhecer o privilégio que é ainda termos voto na matéria.
Nesta altura, porém, não são conhecidos os exércitos. Sabe-se que Vieira irá defender o forte, adivinha-se que alguém lhe irá fazer frente, e não se faz ideia de quem assumirá o papel de bombo da festa que se tornou tradicional em todos os actos eleitorais que já vivi.
No dia em que escrevo, há benfiquistas que estão com LFV, venha quem vier; há benfiquistas que estão contra LFV, apareça quem aparecer; e há benfiquistas que vão esperar por conhecer todas as propostas e então decidir dar o seu voto àquela que lhe parecer melhor para o clube. Já eu sou tão especial, que nem consigo encaixar-me em nenhuma das categorias que eu próprio defini. Estou com LFV neste momento, mas não cegamente – se aparecer um projecto melhor, admito mudar de trincheira. E não me considero mercenário nem vira-casacas, pois o meu objectivo é sempre o mesmo: defender os superiores interesses do clube. Sou fiel ao clube, não ao Luís nem ao Diniz.
Estou, portanto, com LFV. Não preciso de dizer porquê nem de tentar convencer ninguém de que deve fazer como eu. Para o bem e para o mal, sabemos quem é Vieira, do que é capaz e do que não é. Sabemos o que fez e o que lhe falta fazer. Interessa-me nesta altura conhecer as alternativas. Nota-se algumas ondas, mas não se conhece o(s) rosto(s) da oposição a Vieira. Eu, pelo menos, não conheço. Imagino que a malta que anda a pintar palavras de ordem nas paredes do estádio saiba mais do que eu a este respeito. Ou então são apenas os desiludidos que estão contra Vieira no matter what a que aludi no parágrafo anterior, ou, pior, são os tais idiotas que também têm direito a votar. Sejam quem forem, estão no seu direito.
Como sabem os que me lêem há mais tempo, não considero que o nosso insucesso desportivo esteja associado ao presidente que elegemos nem ao treinador que este escolheu. Aponto o dedo ao polvo. Vamos ser razoáveis, é muito difícil fazer melhor nestas condições. Há erros próprios da nossa parte, é inevitável que haja, mas há um baralho viciado há 30 anos. É como aqueles artistas da vermelhinha: deixam-nos ganhar ao princípio e depois ficam-nos com o dinheiro. Há marosca para que não consigamos acertar na vermelhinha: quando não é o gajo que manipula as cartas, é um comparsa na assistência. E depois há malta que crê verdadeiramente que perdemos o dinheiro porque somos nabos e não sabemos jogar aquilo? Não me fodam! Rotulo de idiota o primeiro que acreditar nisso. Gritas batota, chamam-te Calimero e acusam-te de estares apenas a tentar esconder os teus próprios erros. Chamas a polícia, dizem que não há provas. Arranjas provas, dizem que são ilegais. E tens de ir sempre a jogo, sabendo à partida que vais ser comido. Pensas: desta vez não me vão conseguir enganar, porque faço assim e assado, e o resultado acaba por ser o mesmo: escandaloso, nas barbas de toda a gente, mas parece que ninguém viu.
Vieira conseguiu ganhar duas vezes a estes trafulhas: numa, houve uma descoordenação pouco habitual entre os comparsas (três engravatados numa época, lembram-se?), e na outra a polícia estava a ver o jogo com um apito dourado na boca e deixou-os nervosos. Nesta época, fomos a jogo com uma táctica nova, na esperança de que desta vez não nos comessem – apoio a Fernando Gomes. Fomos novamente comidos, pois claro. Da maneira que toda a gente viu e da maneira que alguma gente jura não ter visto. Mas o homem tentou. Sabia que tinha de fazer alguma coisa diferente e tentou. Resultou? Não. Mas isso só agora se soube. Na altura parecia boa ideia. Quanto a mim, decisão inatacável, se a soubermos/quisermos compreender.
Não resultou, está na hora de fazer algo diferente uma vez mais. A entrevista de hoje de João Gabriel revela isso. Diz que os homens fazem batota, que há manipulação, que o baralho está viciado, que ninguém vai preso. É mentira? Não. Não é mentira, mas aparece uma besta conotada com a tal oposição a Vieira e diz que nós é que não sabemos jogar à vermelhinha. Ora, foda-se! Está um gajo à espera de que venha um projecto com novas ideias, e vem este idiota revelar com todas as letras que nem percebeu onde está o problema! Ou, então, sabe onde está o problema, mas atira poeira para o ar, crendo que os benfiquistas são todos parvos. Seja qual for o caso, este, para mim, está chumbado. Com chumbo grosso."


PS: Num curto espaço de tempo é a segunda vez que realço uma prosa do Boloposte (mais conhecido pelas piadas curtas e grossas!!!)... Concordo com praticamente tudo, mas tenho uma 'pequena' variação: tal como o Boloposte compreendi o apoio ao Nandinho das Facturas (uma tentativa desesperada de tentar algo diferente!!!), mas desde início também compreendi que não ia resultar, bem pelo contrário...!!! 

Lixívia Extra-Forte IXXX

Tabela Anti-Lixívia Extra-Forte:
Benfica.......66 ( -15)...81
Corruptos.....72 (+5)...67
Sporting.......52 (+2)...54
Braga..........62 (+10)...52


Nem com quase todas as classificações definidas a Máfia 'dorme'!!! A consagração do Proença (mais uma vez) no Dragay foi bonita!!! Como já muitos afirmaram: ao Proença 'Dente-Dourado', só faltou usar um gel azulado na cremalheira, para ficar mais enquadrado na festa pífia!!!
O curioso é que a 'receita' foi a mesma do jogo da Luz: impunidade total para aos jogadores Corruptos, e depois 'como não quer a coisa' dois amarelos ao mesmo jogador do Sporting, desta vez o 'Cabo' América, 'passou' por Emerson!!! Como mesmo assim, o golo não aparecia, lá deu mais um empurrãozinho com o penalty da praxe, com o Givanildo a empurrar o Pereirinha descaradamente no início da jogada!!! Os Lagartos queixam-se do vermelho ao Polga, mas essa até terá sido a única decisão acertada...
Os 'abraços' no final da partida foram comoventes... dignos dos seus protagonistas...
adenda: Ainda foi a tempo de expulsar o Fernando (que celebrou a dita expulsão da forma mais aparvalhada possível), naquilo que se pode chamar uma decisão estatistica!!! Daqui a uns anos o Proença poderá dizer que houve um jogo, onde até expulsou um jogador dos Corruptos, nessa altura ninguém se lembrará que foi aos 93 minutos, com o resultado em 2-0 para os Corruptos e com o adversário a jogar com 8 jogadores (2 expulsões e um jogador que saiu lesionado...)!!!




Na Luz tivemos que aturar o mano novo dos Costas. Levei um amigo ao jogo, que não costuma ir à Luz, que durante a partida ficou intrigado com a velocidade e agressividade do apitadeiro sempre que marcava uma falta a favor do Benfica!!! Passo a explicar: Quando a falta era a favor do Leria, não se aproximava da bola, deixava os jogadores colocarem a bola onde quisessem (no meio-campo do Leiria em média era 15 metros mais à frente, no meio-campo do Benfica, para não dar nas vistas, 5 metros no máximo!!!), quando o Benfica queria marcar um livre rapidamente, não deixava, colocava-se arrogantemente à frente da bola, e a bola tinha que ser colocada milimetricamente no sítio certo!!! Podem me dizer: mas isso não interessa para nada!!! São capaz de ter razão, nem estou a afirmar que neste jogo houve premeditação para prejudicar o Benfica, só estou a observar que o vício em prejudicar o Benfica é tão grande, que mesmo quando não têm 'encomenda' para entregar, acabam por prejudicar na mesma!!!
Marcaram erradamente um fora-de-jogo ao Leiria, e deixou passar pelo menos 3 faltas no meio-campo a favor do Benfica: sendo que duas tiveram como consequência ataques semi-perigosos do Leiria, e na outra ao não marcar falta, perdoou o 2º amarelo ao Ogu!!!

Do jogo de Braga não obtive informação.

Anexos:

Benfica
1ª-Gil Vicente(f) E(2-2), João Ferreira, Nada a assinalar
2ª-Feirense(c) V(3-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Nacional(f) V(0-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
4º-Guimarães(c) V(2-1), Duarte Gomes, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Académica(c) E(4-1), Vasco Santos, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
6ª-Corruptos(f) V(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Paços de Ferreira(c) V(4-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
8ª-Beira-Mar(f) V(0-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
9ª-Olhanense(c) V(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
10ª-Braga(f) E(1-1), Proença, Prejudicados, (0-2), -2 pontos
11ª-Sporting(c) V(1-0), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Marítimo(f) V(0-1), Sousa, Nada a assinalar
13ª-Rio Ave(c) V(5-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
14ª-Leiria(f) V(0-4), Cosme, Nada a assinalar
15ª-Setúbal(c) V(4-1), Malheiro, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
17ª-Feirense(f) V(1-2), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
18ª-Nacional(c) V(4-1), Jorge Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado
19ª-Guimarães(f) D(1-0), Xistra, Prejudicados, (0-0), -1 ponto
20ª-Académica(f) E(0-0), Hugo Miguel, Prejudicados, (0-3), -2 pontos
21ª-Corruptos(c) D(2-3), Proença, Prejudicados, (2-0), -3 pontos
22ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
23ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Manuel Mota, Nada a assinalar
24ª-Olhanese(f) E(0-0), Capela, Prejudicados, (0-2), -2 pontos
25ª-Braga(c) V(2-1), João Ferreira, Nada a assinalar
26ª-Sporting(f) D(1-0), Soares Dias, Prejudicados, (1-3), -3 pontos
27ª-Marítimo(c) V(4-1), Bruno Paixão, Prejudicados, Sem influência no resultado
28ª-Rio Ave(f) E(2-2), Olegário, Prejudicados, (2-4), -2 pontos
29ª-Leiria(c) V(1-0), Rui Costa, Nada a assinalar

Corruptos
1º-Guimarães(f) V(0-1), Olegário, Beneficiados, (0-0), +2 pontos
2ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
3ª-Leiria(f) V(1-4), Capela, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Setúbal(c) V(3-0), Marco Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
5ª-Feirense(f) E(0-0), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
6ª-Benfica(c) E(2-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
7ª-Académica(f) V(0-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
8ª-Nacional(c) V(5-0), Cosme Machado, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
9ª-Paços de Ferreira(c) V(3-0), Hugo Miguel, Beneficiados, Sem influência no resultado
10ª-Olhanense(f) E(0-0), Capela, Prejudicados, (0-1), -2 pontos
11ª-Braga(c) V(3-2), Soares Dias, Prejudicados, Sem influência no resultado
12ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Xistra, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
13ª-Marítimo(c) V(2-0), Duarte Gomes, Prejudicados, Sem influência no resultado
14ª-Sporting(f), E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Rio Ave(c), V(2-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
16ª-Guimarães(c), V(3-1), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Gil Vicente(f), D(3-1), Bruno Paixão, Prejudicados, Impossível contabilizar
18ª-Leiria(c), V(4-0), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
19ª-Setúbal(f) V(1-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Feirense(c) V(2-0), Jorge Ferreira, Beneficiados, Impossível contabilizar
21ª-Benfica(f) V(2-3), Proença, Benefeciados, (2-0), +3 pontos
22ª-Académica(c) E(1-1), Marco Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
23ª-Nacional(f) V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar
24ª-Paços de Ferreira(f) E(1-1), Pacheco, Beneficiados, (2-1), +1 ponto
25ª-Olhanense(c) V(2-0), Manuel Mota, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
26ª-Braga(f) V(0-1), Olegário, Beneficiados, Impossível contabilizar
27ª-Beira-Mar(c) V(3-0), Bruno Esteves, Beneficiados, Impossível contabilizar
28ª-Marítimo(f) V(0-2), Paulo Baptista, Beneficiados, Impossível contabilizar
29ª-Sporting(c) V(2-0), Proença, Beneficiados, Impossível contabilizar

Sporting
1ª-Olhanense(c) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
2ª-Beira-Mar(f) E(0-0), Fernando Martins, Nada a assinalar
3ª-Marítimo(c) D(2-3), Proença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
4ª-Paços Ferreira(f) V(2-3), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
5ª-Rio Ave(f) V(2-3), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6ª-Setúbal(c) V(3-0), Cosme Machado, Nada a assinalar
7ª-Guimarães(f) V(0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(6-1), João Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
9ª-Feirense(f) V(0-2, Gralha, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
10ª-Leiria(c) V(3-1), Manuel Mota, Beneficiados, Impossível contabilizar
11ª-Benfica(f) D(1-0), Capela, Beneficiados, Sem influência do resultado
12ª-Nacional(c) V(1-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
13ª-Académica(f) E(1-1), Rui Costa, Nada a assinalar
14ª-Corruptos(c) E(0-0), Proença, Nada a assinalar
15ª-Braga(f) D(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Olhanense(f) E(0-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar(c) V(2-0), Duarte Gomes, Nada a assinalar
18ª-Marítimo(f) D(0-2), Cosme, Nada a assinalar
19ª-Paços de Ferreira(c) V(1-0), Jorge Ferreira, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Rio Ave(c) V(1-0), Paulo Baptista, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
21ª-Setúbal(f) D(1-0), Gralha, Prejudicados, Beneficiados, (1-1), -1 ponto
22ª-Guimarães(c) V(5-0), Soares Dias, Nada a assinalar
23ª-Gil Vicente(f) D(2-0), Bruno Paixão, Prejudicados, Impossível contabilizar
24ª-Feirense(c) V(1-0), Vasco Santos, Nada a assinalar
25ª-Leiria(f) V(0-1), Proença, Beneficiados, Impossível contabilizar
26ª-Benfica(c) V(1-), Soares Dias, Beneficiados, (1-3), +3 pontos
27ª-Nacional(f) V(2-3), Xistra, Nada a assinalar
28ª-Académica(c) V(2-1), Hugo Miguel, Prejudicados, Sem influência no resultado
29ª-Corruptos(f) D(2-0), Proença, Prejudicados, Impossível contabilizar
Braga
1ª-Rio Ave(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiados, (1-0), +1 ponto
2ª-Marítimo(c) V(2-0), Soares Dias, Beneficiados (1-0), Sem influência
3ª-Setúbal(f) V(0-1), Hugo Miguel, Beneficiados (0-0), +2 pontos
4ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Costa, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f) E(1-1), Pedro Proença, Nada a assinalar
6ª-Nacional(c) V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
7ª-Leiria(f) D(1-o), Marco Ferreira, Nada a assinalar
8ª-Feirense(c) V(3-0), João Ferreira, Nada a assinalar
9ª-Académica(f) E(0-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
10ª-Benfica(c) E(1-1), Proença, Beneficiados, (0-2), +1 ponto
11ª-Corruptos(f) D(3-2), Soares Dias, Beneficiados, Sem influência no resultado
12ª-Paços de Ferreira(c) V(5-2), Marco Ferreira, Nada a assinalar
13ª-Olhanense(f) V(3-4), João Ferreira, Nada a assinalar
14ª-Beira-Mar(f) V(1-2), Rui Costa, Nada a assinalar
15ª-Sporting(c) V(2-1), Capela, Nada a assinalar
16ª-Rio Ave(c) V(2-1), Sousa, Prejudicados, Sem influência no resultado
17ª-Marítimo(f) V(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
18ª-Setúbal(c) V(3-0), Hugo Pacheco, Nada a assinalar
19ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Hugo Miguel, Nada a assinalar
20ª-Guimarães(c) V(4-0), Capela, Nada a assinalar
21ª-Nacional(f) V(1-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
22ª-Leiria(c) V(2-1), Xistra, Beneficiados, (2-3), +3 pontos
23ª-Feirense(f) V(1-4), Duarte Gomes, Nada a assinalar
24ª-Académica(c) V(2-1), Gralha, Beneficiados, (1-2), +3 pontos 
25ª-Benfica(f) D(2-1), João Ferreira, Nada a assinalar
26ª-Corruptos(c) D(0-1), Olegário, Prejudicados, Impossível contabilizar
27ª-Paços de Ferreira(f), E(1-1), Duarte Gomes, Nada a assinalar
28ª-Olhanense(c), D(1-2), Hugo Pacheco, Nada a assinalar
29ª-Beira-Mar(c), V(1-0), Bruno Paixão, Nada a assinalar

Neblina

"O processo Apito Dourado mostrou-nos a forma como certos clubes se movimentavam nos bastidores, e traficavam influências com vista à viciação de resultados desportivos. Dirigentes desportivos recebiam árbitros em casa nas vésperas de jogos, ofereciam-lhes prostitutas após os mesmos, adulteravam processos disciplinares, instrumentalizavam jornalistas, etc. Ficou à vista, e ao ouvido, de todos, que havia quem não olhasse a meios para atingir os seus fins, que havia quem fosse capaz de tudo para chegar às vitórias. À semelhança do que aconteceu em tantos outros casos no nosso país, questões processuais chocaram de frente com o apuramento da verdade, e promoveram a impunidade generalizada - aspecto que serviu para o branqueamento daquelas vitórias e daqueles títulos, convidando, simultâneamente, a que tias práticas continuassem, ou até que se intensificassem.
A quem conheça um pouco da história da corrupção no Desporto internacional (e, infelizmente, já houve vários e diferentes casos), não surpreenderia também que a vertente ligada à arbitragem, então desmascarada, fosse apenas a ponta de um iceberg onde outro tipo de elementos se misturasse. Dito de outro modo, quem acompanhe, por exemplo, o Ciclismo e os seus frequentes casos de doping, sabe que o tipo de controlo feito no Futebol não passa de uma brincadeira de crianças, à qual muitas práticas ilícitas, e actualmente bastante sofisticadas, podem facilmente escapar. E, quem tenha lido alguma coisa sobre o fenómeno das apostas ilegais (por exemplo na Ásia, mas também na Itália ou na Alemanha), perceberá como a um defesa-central, ou a um guarda-redes, é fácil fabricar um resultado, prejudicando a própria equipa, a troco de dinheiro, de um contrato, de um relação privilegiada com determinado empresário, de uma boa crítica num jornal, ou até de uma ameaça.
Quem já se mostrou capaz de corromper, e vive da impunidade de um sistema judicial obsoleto, não pode pois esperar as nossas felicitações, mas sim a nossa desconfiança."

Luís Fialho, in O Benfica

Cabeça fria

"1. Pronto, acabou. Tivemos o pássaro na mão, deixámo-lo fugir. O FC Porto nunca convenceu (nem sábado, na Madeira) mas acaba folgado campeão. Houve culpas de árbitros (ainda este domingo Benquerença se 'esqueceu' de marcar duas grandes penalidades...) mas também muitas culpas próprias. Não vale a pena, a quente, andarmos à procura de culpados. E adeptos que este domingo não apoiaram a equipa não têm moral para, no fim, a criticarem.

2. Infelizmente, as coisas no Futebol (campanha europeia à parte) não correram bem. Mas no Futebol jovem estamos bem lançados nos vários escalões, no Hóquei lideramos (finalmente!), no Voleibol começamos bem a final ) e espero que a esta hora já sejamos campeões), no Basquetebol respondemos com uma vitória categórica à inesperada derrota de sábado, no Futsal estamos bem lançados... e ainda houve a Corrida do Benfica - António Leitão, com milhares de participantes e um grand ambiente, apesar da chuva. Tudo isto (também) é Bnefica.

3. Esta quarta-feira passaram 50 anos sobre outra data memorável: 5-3 ao Real Madrid e segundo título europeu. Que grande jogo! Começamos por estar a perder, por 2-0, empatámos 2-2, o grande Puskas ainda fez o 3-2 na 1.ª parte mas, na segunda, fomos imparáveis e, com três golos, derrotámos a equipa que fora cinco vezes campeã europeia. Um ano antes, na estreia das transmissões da Eurovisão em Portugal, quase nada se vira do encontro com o Barcelona. Desta vez, pudemos seguir todo o jogo de Amesterdão em directo. Que grande festa!

4. A Inspecção-Geral da Educação arquivou a (ridícula) queixa de um pai a propósito de uma canção infantil na qual se dava um Viva o Benfica. A referida inspecção considerou que a 'actuação da escola não merecia censura jurídico-disciplinar'. A questão não foi tanto a queixa do pai da aluna mas o patético aproveitamento feito pelo FC Porto, que até emitiu comunicados afirmando que a actuação não se cingia a uma escola mas a toda a região, tipo plano de acção concertado a favor do Benfica. Têm que inventar guerras para manter a chama acesa..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Palavras

"Nesta fase do Campeonato, as palavras estão cansadas. E, assim, é difícil encontrar palavras frescas para fazer referências a um empate em Vila do Conde, com dois golos tão bem marcados, dois golos tão inacreditavelmente sofridos e tantos, tantos golos perdidos. E foi nesse dia e desse modo que o Benfica perdeu em definitivo a fé no Campeonato, cuja classificação comandava destacadíssimo no final de Março.
Ao longo da temporada vai-se dando uso às palavras, explicando aqui, justificando acolá. Chega-se a um ponto em que as palavras estão gastas, porque independentemente de tudo o que se joga e se decide à margem das quatro linhas, nas antecâmaras da mentira, não há palavra para justificar, perdas de tantos pontos assim.
E agora, que dizer quando o mais fraco FCP de que há memória nos últimos anos, com um plantel sem soluções e um treinador de recurso, celebra o título a duas jornadas do fim? Não há palavras. As palavras estão gastas.
Bem sabemos de grande parte do muito que se joga fora do campo, nas alfurjas do Sistema. Na véspera do jogo em Vila do Conde, assistira-se no Funchal ao que o jornal A Bola designou por «caricato», a cena com «dois jogadores do Marítimo a saltar juntos para cortar a bola com a mão», para o primeiro dos dois penálties da vitória portista. Provavelmente Sir Alex Fergunsson tinha razão quando sentenciou que há clubes que comprar títulos.
O Benfica , ao invés, comprou jogadores e formou para esta época um plantel que dificilmente repetirá, pela quantidade e qualidade de jogadores e pela diversidade de soluções. Mas chega-se ao fim do calendário e que dizer? As palavras estão cansadas e gastas."

João Paulo Guerra, in O Benfica

Festejos e lamentos

"Triste noite de domingo em que o Benfica, em Vila do Conde, entregou definitivamente o título ao FCP. Triste pelo choro que um miúdo benfiquista apresentava nos écrans televisivos; triste pela exibição descolorida que o nosso Benfica fez; triste porque percebemos que, na segunda metade do campeonato, abrimos, nós próprios, as portas de nossa casa, para que a corja do costume pudesse fartar vilanagem.
No ano passado, todas as virgens ofendidas do jornalismo e da opinião publicada rasgaram as vestes devido à lamentável atitude do Benfica ter apagado a luz e ligado a rega, aquando da festa do clube do sr. Costa. Estranhamente, este ano, ninguém se insurgiu contra o que foi documentado, visto, revisto e transmitido por vários canais televisivos: aquando dos festejos do FCP, gritavam em uníssono, jogadores e dirigentes, cânticos sucessivos de ódio e ofensa ao Benfica e aos benfiquistas. Aquela gente festeja o ódio e o insulto. Aquela gente fomenta o que festeja. Em redor, o silêncio conivente de uma comunicação social maioritariamente amestrada.
No meio da leda mansidão dos comentários que se ouviam pela televisão – e é tão fácil atirar para debaixo do tapete de uma vitória a sujidade com que a mesma foi conseguida – surgiu uma voz dissonante: Rui Santos, na SICN. Este jornalista disse que o campeonato foi uma farsa, disse que as nomeações dos árbitros são suspeitas e pediu que se investigasse um futebolista do Marítimo que ajudou o árbitro de circunstância a ajudar o campeão de circunstância. Em redor ficou o silêncio… entrecortado pelos que, do cimo de uma varanda, festejavam, insultando o adversário. E nesse insulto, nesse momento de afirmação de uma forma de ser e estar, demonstrava-se a pequenez de quem insulta e a grandiosidade de quem era insultado… o que não deixa de ser uma fina ironia."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

domingo, 6 de maio de 2012

5ª Taça de Portugal para o Benfica


Benfica 2 - 1 Modicus

Suado, muito sofrido, mas inteiramente justo... um jogo que teve momentos completamente absurdos com o Benfica a falhar golos impossíveis em catadupa!!! E depois quando finalmente conseguimos chegar ao golo (a 6 minutos do fim), o adversário recorre ao 5 para 4, e rapidamente volta a empatar!!! (já em épocas anteriores assumi o meu total desacordo com a possibilidade das regras permitirem o 5 para 4 no futsal), mas felizmente ainda fomos a tempo, e o inevitável Joel, aproveitou um dos poucos erros de marcação do adversário...
O Modicus não é o nome 'grande', mas é uma boa equipa, que no play-off vai dar muito trabalho, tem vários jogadores internacionais, ex-jogadores do Freixieiro, aproveitou-se também da 'morte' da Fundação Jorge Antunes... o massacre que o Benfica sujeitou o adversário em alguns momentos do jogo, pode levar a pensar que esta final deveria ter sido um jogo 'fácil', mas só a qualidade, a paciência e o respeito que o Benfica demonstrou pelo adversário, tornou possível a vitória...
Eu sei que este Caneco vai desvalorizado nos próximos dias, os que acusam o actual Benfica de ter perdido a cultura de vitória, quando se vence uma competição destas, rapidamente 'desaparecem'... aliás nos 'sites' desportivos só a Bola dá algum destaque, nos outros parece que nada se passou, sendo que a Renascença ignora completamente!!!
Para um clube 'morinbundo' também fiquei surpreendido com a moldura humana vermelha que marcou presença em Oliveira de Azeméis, que no final teve a merecida prenda...!!!

Na Final, com mérito...


Lusitânia 61 - 67 Benfica
13-20, 18-13, 12-19, 18-15

Jogo menos brilhante ofensivamente, mas conseguimos manter o adversário 'longe' dos pontos, e assim ganhámos em campo, o direito de disputar o título...
A desistência do CAB, se por um lado deu a Final aos Corruptos sem esforço, também os pode ter afectado no ritmo de jogo... É verdade que esta equipa do Benfica, durante toda a época, teve muitas 'brancas', denotou fragilidades, e transmitiu pouca confiança... também é verdade que ainda não jogámos um único jogo, com todo o plantel disponível devido às lesões, mas nos confrontos directos com os Corruptos temos estado razoavelmente bem: vencemos 3, e perdemos 1 (jogo estranho onde lideramos a estatística em todos os itens, menos no numero de vezes em que fomos para a linha dos lances livres!!!), portanto nada é impossível, será importante trazer pelos menos uma vitória, dos dois primeiros jogos no antro da Corrupção...!!!

Iniciados - Fase Final - 4ª jornada

Sporting 2 - 3 Benfica

Quarto jogo oficial da época com os Lagartinhos, quarta vitória!!! Mais um bom resultado, já cheira a título, faltam duas jornadas, vamos jogar ambos os jogos no Seixal, primeiro com o Vizela (para ganhar), e na última recebemos os Corruptos... se o Sporting fizer uma surpresa e conseguir pelo menos empatar no Olival, podíamos ser Campeões já na próxima jornada, mas não acredito nesse cenário, creio que o título será decidido no último jogo, com um empate a ser suficiente para o Benfica...

Benfica.........12
Corruptos.......9
Sporting..........3
Vizela.............0 

Juvenis - Fase Final - 4ª jornada

Guimarães  1 - 3 Benfica

Esta vitória, com estes números, num terreno tradicionalmente difícil para todos os escalões do Benfica, pode indicar uma subida de forma da equipa de Juvenis do Benfica... espero que tenha sido mesmo assim, porque o calendário não é nada fácil. Estamos sem segundo lugar, a um ponto dos Corruptos, na próxima jornada recebemos os Corruptos, mas uma vitória não chega, porque na última jornada vamos a Alcochete... Apesar do mau início da Fase Final, ainda vamos a tempo de rectificar, mas não existe margem de erro...

Coruptos..........10
Benfica............9
Sporting............4
Guimarães.........0

Devagar, devagarinho, até à Champions !!!


Benfica 1 - 0 Leiria

Começo dando os parabéns aos jogadores da União de Leria, que nestas circunstâncias difíceis, têm demonstrado enorme dignidade...

Foi um típico jogo de final de época, lento, e mal jogado... é verdade que o Benfica ainda não tinha a Champions garantida, mas estes objectivos secundários, raramente motivam as equipas...
Eu ainda me lembro de ir a Setúbal com o Shéu no banco, perder por 1-0 com um golo do Tõnito!!! Eu sei que ver este Benfica jogar assim, custa, mas acreditem: não é preciso muito esforço para recordar fins de época muito mais dolorosos...
Hoje, à lentidão, temos que juntar um Leiria bem organizado, com as linhas muito 'apertadas', com 4 Juniores (quase todos internacionais), mas todos tacticamente inteligentes, temos que recordar ainda as ausências: Nolito e Gaitán fizeram falta. A meio da 2ª parte, durante cerca de 5 minutos, com o 'berro' do Aimar o Benfica perdeu o meio-campo, só com a entrada do André Almeida a 'coisa' voltou ao normal, o Benfica também pecou, porque 'procurou' em demasia o Cardozo...
Com todos estes 'problemas' o 'nosso' Oblak foi o melhor em campo, porque mesmo jogando muito abaixo do nosso potencial, criámos várias oportunidades e não fosse o guardião adversário até podíamos ter goleado...

Com a entrada directa na Champions, garantimos uma pré-época 'descansada', sem inícios prematuros, com a garantia dos Milhões da UEFA... além disso a Champions também é uma boa 'bandeira' para atrair as eventuais contratações...

Mas mais do que a triste exibição da equipa, o comportamento de muitos adeptos do Benfica, deixou-me muito mais revoltado!!! Soube que houve inclusive agressões a quem não 'insultou' o presidente, o treinador ou os jogadores do Benfica...!!! Passei toda a época, com vizinhos de Red Pass, constantemente, a ofender, a insultar, todos os jogadores do Benfica, ostensivamente... Por favor fiquem em casa, mudem de Clube, desapareçam...!!!
Os Filhos-da-Puta dos grafiti's e das 'esperas', agora além dos insultos, recusam-se a festejar golos do Benfica!!! Vão para o caralho, vocês são a vergonha do Benfica... O Benfica não é vosso, ao contrário daquilo que pensam... O Benfica é obrigado a pagar as multas por mau comportamento dos adeptos (vosso), em todos os jogos, mas essa é a única ligação que vocês têm com o Clube, o resto é fruto da vossa imaginação... Vocês são lixo... Conseguiram ser mais assobiados que o árbitro, e que a equipa do Benfica num dos piores jogos da época, isso deveria ser suficiente, mas eu sei que vocês nem assim compreendem, porque além de todas as outras coisas: são burros...

PS: Mais burros que vocês só mesmo os jornaleiros que confundiram os assobios para vocês, com assobios à equipa!!!

Liderança...

Gulpilhares 3 - 8 Benfica

Mais uma final ultrapassada com distinção... continuamos a liderar, e continuamos a convencer...

Os Corruptos, tiveram a perder por 6-1 com o Juventude de Viana, e conseguiram vencer por 6-8 !!! As crónicas em cima da hora, destacam mais um descarado 'empurrão' corrupto por parte dos apitadeiros...!!! Tudo normal, portanto!!! Estamos à frente, mas nada está ganho... muito pelo contrário!!!

Agradável...

Benfica 35 - 27 Águas Santas

Vitória 'nomal', num jogo agradável... Com o Roque e o Costa a demonstrarem que se calhar mereciam ter sido mais utilizados durante a época... Importante a entrada do Ferreirinho, pois o Candeias não estava no seu dia...
Pode ter sido só a minha 'imaginação', mas neste jogo o Águas Santas com a época 'feita' jogou com uma entrega, podemos dizer 'normal', algo que contra o Benfica raramente acontece, pois os nossos adversários fazem sempre o jogo das suas vidas, mas hoje pareciam que estavam a jogar contra os Corruptos!!! E assim, mesmo com algumas ausências importantes, sem deslumbrar, o Benfica venceu com alguma facilidade!!! Se fosse sempre assim...!!! Mas deve ter sido só a minha 'imaginação'!!!

A uma vitória da Final...


Lusitânia 60 - 84 Benfica
16-24, 16-21, 9-19, 19-20

Importante vitória, rectificando a derrota no 1º jogo do confronto. Os números demonstram uma boa eficácia defensiva, e um pouco habitual acerto nos 3 pontos dos nossos atiradores...
Tenho que realçar os pontos obtidos pelos nossos jovens da Formação: Monteiro e Barroso. Já aqui defendi a maior utilização do António Monteiro, é um jogador que faz 'tudo' e numa equipa veterana é importante ter jovens com força e velocidade como o Monteiro...
Espero que amanhã seja o último jogo das Meias-finais...

Juniores - Fase Final - 13ª jornada

Braga 3 - 2 Benfica

Inacreditável !!! A vencer por 2-0 a 10 minutos do fim, acabámos por perder o jogo, e muito provavelmente 'entregámos' o título aos Lagartos!!! Parece que mais uma vez o apitadeiro teve influência, mas isso...!!!
Como é óbvio, estou bastante desiludido, mas é uma 'desilução' diferente em relação ao Volei: no início da época ninguém dava nada por esta equipa, ninguém esperava títulos desta equipa, foi a entrega e a capacidade de luta destes jogadores que me deu a mim (e a todos os Benfiquistas) a esperança que o título seria possível... matematicamente ainda é possível, basta o Sporting empatar na última jornada ( mas eu não acredito)... Terminámos a época a jogar praticamente só com jogadores de 1º ano, que vão regressar para o ano, o que faz deste Benfica o principal favorito para a próxima época, mas creio que depois de tanto suor merecíamos o título este ano...
É verdade que desperdiçar em Guimarães e em Braga, vantagens de 2-0 é muito difícil de aceitar, mas as arbitragens na Madeira e o golo anulado ao Cafú no jogo com os Lagartos (só este lance dá a liderança ao Sporting), também tiveram influência...
Uma última palavra de elogio para o Tralhão, que 'pegou' na equipa a meio da tabela, e conseguiu dar a volta...

Desilusão


Benfica 2 - 3 Sp. Espinho
23-25, 30-32, 25-12, 25-19, 13-15

Não vi o jogo... mas não é fácil entender como é que uma equipa que dominou por completo a época, acaba por perder esta final... se o ano passado existiram atenuantes extra-desportivos, esta época isso não aconteceu.
Perder os dois primeiros Set's após ter estado em vantagem é doloroso, a incapacidade em 'matar' o jogo é frustrante...
Dominar o Campeonato durante dois anos, e não conseguir ganhar o título é muito difícil de aceitar . O Benfiquismo do Professor Jardim nunca será posto em causa, a existência da secção deve-se muito à sua dedicação... mas neste longo defeso do Volei é preciso analisar bem o que se passou. O plantel é o mais forte, mas pode ainda ser melhor, mas não podemos voltar a falhar nos momentos decisivos...
Fica a Supertaça e a Taça, mas isso sabe a muito pouco... 

sexta-feira, 4 de maio de 2012

A festa parola dos pilha galinhas

"Ao ver aquela meia dúzia de alarves aos saltos numa festarola parola e sem sentido, fiquei com ideia de que era feriado na cadeia de Custóias e de que os criminosos tinham vindo apanhar ar numa noite deprimente de chuva ácida. A verdade é que eram poucos, muito poucos. Na sua maioria exibindo feições reveladoras de deficiências, tanto físicas como morais. Arranhavam as gargantas com insultos escabrosos e visavam as mães alheias com apodos que ficariam mais bem empregues nas suas próprias mães. Vista de fora, a funçanata metia nojo. Os pilha galinhas iam roubando carteiras uns aos outros e urinando nas pernas dos Homenzinhos-de-Cócoras, convidados especialíssimos por serem os verdadeiros cozinheiros de tamanha mixórdia.
Acabado de chegar da Meseta Ibérica, o Diabo Madaleno estava lá. Fora figura visível de mais uma bambochata. Na bancada presidencial, lado a lado com a sua messalina barata, tratara de amaldiçoar o dono da casa com uma derrota humilhante, para que este aprenda de vez que o lugar do Diabo é atrás da porta. Depois regressara a Mafamude deixando atrás de si um cheiro pestilento. Sim, porque o Diabo Madaleno não fede a enxofre, fede a podre e a excremento. Agora, no meio do baile dos lafargas, exalava o seu pivete com um sorriso crápula afivelado nos lábios e obrigava os saloios a taparem o nariz à sua passagem. Ninguém percebia ao certo as razões de tão estúpida alegria. Nada nela havia de orgulho, de prémio ou de autenticidade. E a dança grotesca dos Homenzinhos-de-Cócoras ao som dos palavrões e dos insultos estava aí para comprovar a salácia. Um grupelho de larápios brejeiros saiu à rua para festejar uma falcatrua. Saltaram sobre as capotas de automóveis, conspurcaram os passeios e gritaram porcarias. Ao vê-los, perguntei para com os meus botões se a imbecilidade e a indecência não terão limites? O sorriso flatulento do Madaleno garantiu-me que não..."

Afonso de Melo, in O Benfica

Respirar de alívio por Jorge Jesus

"Amanhã, o Benfica joga mais que uma finalíssima no campeonato de voleibol. Joga a conquista de uma época de luxo com Supertaça, Taça e Campeonato. Joga a vitória do primado dos jogadores portugueses, porque quatro dos seis jogadores-base são a base da selecção, Coelho, Roberto, Gaspar e Flávio. Joga a aposta numa das mais fantásticas modalidades de pavilhão.
A vitória do Benfica neste campeonato representaria a vitória da modalidade. Modalidade essa que só o Benfica torna nacional, todos os outros clubes ficam na cintura do grande Porto e nas ilhas. É importante que o voleibol mantenha os seus principais emblemas e possa conquistar mais clubes para ter futuro. O esforço de formação que o Benfica vem fazendo no voleibol merece ser recompensado. O esforço de José Jardim e Rui Mourinha, também.
O voleibol é uma modalidade olímpica em franca expansão e uma das mais espectaculares. Esta final ganha valor ao ser disputada contra um Sporting de Espinho de qualidade, com uma defesa baixa óptima e uma recepção apreciáveis. Por tudo isto seria inaceitável não ter um pavilhão ao rubro, cheio de apoio ao Benfica e respeito pelo adversário, que merece pela dedicação que dá ao voleibol.
Amanhã, queremos um ambiente fantástico para uma conquista ímpar. Amanhã, não há desculpas para não ir, por respeito ao Espinho, por gostar de voleibol ou por amor ao Benfica.
Notável entrevista de Jorge Jesus, ontem, neste jornal. Excelente no tempo, na forma e no conteúdo. «Sem casos de arbitragem o título seria do Benfica» era algo que lhe faltava ouvir. Quem como eu tanto defende Jorge Jesus como treinador e tanto o critica na sua estratégia de comunicação, ontem respirou de alívio. Parece estar a ganhar o que lhe faltava. Agora falta ganhar dois jogos... por muitos e preparar a próxima época para ganhar mais títulos."

Sílvio Cervan, A Bola

Entrevista completa de António Carraça

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Entrevista completa de Jorge Jesus

"O treinador do Benfica aceita que lhe apontem erros. Ele, de resto, aponta alguns. Garante, porém, ter a consciência tranquila relativamente às opções tomadas e caminhos percorridos. E diz-se, hoje, tão motivado para trabalhar no clube como em Junho de 2009, quando chegou. Diz que, quando sair, sairá por cima.
- Três anos à frente do Benfica representam um longo caminho. Sente-se com condições para enfrentar a próxima época, quer do ponto de vista pessoal, quer do apoio dos adeptos, atendendo a alguns sinais exteriores de contestação que têm sido perceptíveis desde a derrota em Alvalade?
- Quando se perde, o grau de desânimo é sempre grande, principalmente num clube como o Benfica e, portanto, esses sinais são naturais em momentos como este. Tenho de os considerar e compreender, porque eu próprio sinto essa frustração, mas posso garantir-lhe que tenho, hoje, a mesma ambição e a mesma vontade que tinha quando cá cheguei no primeiro dia. Podem acusar-me de muita coisa, mas há uma garantidamente de que não podem, de falta de dedicação e de não ter dado sempre tudo pelo Benfica.
- Sente um clima diferente, para pior, à sua volta, no universo dos sócios e adeptos, ou entende que os assobios vêm apenas de uma pequena franja mais radical, responsável pelas paredes pintadas na Luz e em Vila do Conde?
- Repito o que disse atrás, manifestações de frustração são naturais, principalmente quando tínhamos uma perspectiva bem diferente daquela que temos hoje. Como acham que vivi alguns dos dias que se seguiram a alguns jogos em que perdemos pontos? Mas alguém pode acreditar que não demos tudo para chegarmos ao fim em primeiro? Portanto, eu partilho dessa frustração e repito que temos de compreender a desilusão dos adeptos. Mas já não posso compreender, como também já disse no passado, as pinturas feitas, não se sabe por quem, e que colocam em causa a pessoa responsável por hoje existir o Benfica tal como o conhecemos.
- Está a referir-se ao presidente?
- Naturalmente. Alguém acha possível que o clube tenha o prestígio que hoje lhe reconhecem, ou tão simplesmente a existência do Benfica como clube se não fosse o seu trabalho? Nessa perspectiva acho perfeitamente injusto e aí sim acredito que essas iniciativas, que não são assumidas, não representam a massa associativa do Benfica.
- Para que não haja equívocos, e de forma muito frontal, por si continua no Benfica?
- Quando cá cheguei em Junho de 2009 vinha com uma ideia do que era o Benfica e com a ambição de ganhar. Efectivamente, estava longe de imaginar exactamente qual era a dimensão do Benfica e é evidente que gostaria de ter ganho mais títulos daqueles que ganhei, mas sinceramente sei que dei tudo e deixei o melhor de mim em cada dia de trabalho. Tenho a consciência tranquila em relação ao que fiz. A resposta é sim. Sim, vou continuar com a mesma vontade, com a mesma determinação. Continuo empenhado em fazer do Benfica aquilo que os sócios e adeptos esperam. É evidente que a emoção conta sempre em momentos como este, mas se forem fazer uma análise seria do trabalho que foi desenvolvido três anos acho que mereço pelo menos o benefício de provar que continuo a ser útil ao Benfica.

IDA PARA O FC PORTO VISTA COMO DISPARATE
-Teve, ou alguém teve por si, algum contacto com o FC Porto ou com outro clube, visando a próxima época?
-Estou farto dessa insinuação que é repetidamente feita com a única intenção desgaste. Estou no Benfica de corpo e alma e não estou interessado em qualquer outro projecto. Quando se chega ao maior clube português alguém pode querer andar para trás? Isso é um completo disparate. Já agora, também lhe devo dizer que estou farto de ouvir e ler que a questão de eu continuar ou não se deve simplesmente ao dinheiro. Totalmente falso. Não é pelo dinheiro que estou no Benfica. Se fosse por uma questão financeira teria saído do Benfica em Janeiro para o estrangeiro e o presidente sabe disso porque acompanhou a abordagem que me foi feita por um clube de outro país. Quero continuar no Benfica porque me sinto útil e porque as pessoas acreditam no meu trabalho.
- E como viu as palavras do professor Manuel Sérgio?
- Se quer que lhe diga, com muita surpresa. Tenho  toda a estima pessoal por ele, mas o que ele disse é um disparate e tenho pena porque tinha obrigação de me conhecer melhor e ao Benfica também. É uma boa pessoa que teve um momento infeliz e que, tal como garantiu ao Benfica, também me garantiu que não tinha dito nada daquilo. É apenas um episódio triste e absurdo, nada mais do que isso.
- Portanto, a questão FC Porto é um assunto encerrado?
- Esse é que é o problema, é que nunca foi assunto. A única coisa que quero do FC Porto é ganhar-lhes. Repito: quem alcança o topo não pode ambicionar a descer. Alguém dizia aqui há alguns meses que treinar determinado clube era a sua ‘cadeira de sonho’. Eu não estou na minha cadeira de sonho, estou na cadeira que qualquer treinador do Mundo ambicionava ter. Acha possível eu querer trocar de cadeira? O que eu quero é continuar nesta cadeira por muitos anos…
- Como tem acompanhado estes nomes que têm surgido na imprensa e aparentemente apontados ao seu lugar?
- Com a mesma naturalidade que vejo todos os dias seis ou mais jogadores serem apontados ao Benfica. É o preço de estar num clube como o Benfica, temos de estar habituados. Mas já agora também é bom dizer o seguinte: há muitos colegas seus que não fazem bem o seu trabalho. Ainda hoje (ontem) li alguns jornais que a equipa sentiu em Vila do Conde a falta do presidente e do Rui Costa. Isto é um atentado à seriedade. O Rui estava de luto, o presidente a trabalhar num processo que está pendente. Falar dos jogadores para justificar esta notícia não é sério. Portanto, voltando ao início, seguramente ainda vão aparecer mais nomes.
- Que sinais tem recebido do presidente, especialmente a partir do momento em que a vantagem no Campeonato se esfumou?
- O presidente é das pessoas que mais sofrem com tudo aquilo que tem acontecido nas últimas semanas e era a primeira pessoa a merecer ganhar este título. Já estamos a trabalhar na próxima época, a ver onde é que podíamos ter feito melhor, em que sectores é que temos de melhorar, é isso que temos vindo a fazer há algum tempo. Não é uma pessoa de baixar os braços...
- Disse, há umas semanas, que faria tudo igual e que manteria as mesmas opções que tomou, mas acaba de dizer que estão a analisar onde é que poderiam ter melhorado, portanto há coisas que faria de forma diferente?
- Quando respondi a essa questão, referia-me a opções técnicas e é evidente que na sua grande maioria as manteria. Se errei? É normal, só não erra quem não tem responsabilidades e já agora é muito fácil jogar ao Euromilhões ao sábado. Mas é evidente que mudaria algumas coisas nomeadamente algumas apostas que fiz em termos de Champions.
- Ou seja, o plantel do Benfica não era suficientemente forte para aguentar duas frentes de batalha? Teria colocado menos ovos no cesto da Champions, salvaguardando a Liga?
- Teria efectivamente colocado, usando a sua expressão, menos ovos na Champions, mas não por não termos um plantel suficientemente forte, mas porque a nossa vantagem na Liga não era suficientemente confortável para fazer o que fizemos.
- Apostou de mais na Champions?
- Quando se joga a esse nível é evidente que temos de aspirar a chegar o mais longe que pudermos, até porque a questão financeira é fundamental para o clube e tudo isso pesa. A partir do momento em que ultrapassamos a fase de grupos, quando se colocou em causa a calendarização dos jogos, hoje possivelmente assumiria opções diferentes, mas lá está, há sempre o reverso da medalha: há jogadores que se valorizaram como não teriam valorizado se não chegássemos onde chegámos, houve muito dinheiro a entrar no clube e tudo isso pesa nas opções que assumimos no momento. E já agora, não é para nos desculparmos, até porque seguramente errei em alguns momentos, mas houve a partir de determinado momento um vento contra que soprou muito forte.
- Está a referir-se às arbitragens?
- Efetivamente estou, mas não me peça para dizer o que penso de algumas porque senão não começo a próxima época no banco.
- Houve algumas arbitragens polémicas, nomeadamente com V. Guimarães, Académica, FC Porto e Rio Ave. Que influência teve esta circunstância no rendimento da equipa e como a explica?
- Se fizer as contas e a relação aos pontos perdidos nesses jogos, com os erros cometidos, faz toda a diferença. São erros que valem o campeonato. Mas por que razão os critérios para a marcação de penalties são uns para o Benfica e outros para outro clube? Há alguma razão? Porque é que uma mão na nossa área é sempre motivo para a marcação de um penalty e na área adversária nunca é? Porque se transforma um penalty em falta atacante na área adversária e noutras sucede-se o contrário? Levo três anos no Benfica e uma das coisas que mais sinto é que para ganharmos um campeonato aqui temos de jogar não apenas contra a equipa adversária, temos de fazer sempre muito mais, porque fazer o suficiente não chega.
- Portanto, do seu ponto de vista, sem casos destes jogos o Benfica teria sido campeão?
- Sem os casos desses jogos e de outros, não tenho dúvidas de que o Benfica teria sido campeão, mas não quero dizer mais nada, caso contrário, como já disse, posso não começar a próxima época no banco! Mas digo-lhe mais isto, os erros de arbitragem afectam desde logo a motivação dos jogadores nos jogos seguintes e, em consequência, o rendimento daqueles. A revolta e indignação na maioria dos casos retira tranquilidade e provoca um desgaste anímico muito grande. E em alta competição então nem se fala...
- O último treinador do Benfica a começar uma quarta época foi Jimmy Hagan em 1973/74 e era tricampeão; não teme que a forma como perdeu este campeonato lhe reduza bastante a margem de manobra junto dos adeptos, no início da temporada, deixando-o vulnerável aos resultados iniciais?
- Sinceramente não. Acho que temos uma equipa muito madura, muito boa do ponto de vista do talento, da entrega, até do ponto de vista humano. É um grupo muito unido e que dá garantias em relação ao futuro. É evidente que o facto de não ganhar o campeonato deixa sempre marcas e temos de estar preparados para elas, mas os tempos de hoje e os tempos de Jimmy Hagan são completamente diferentes, e a nossa missão é exactamente voltar a fazer com que o Benfica volte a viver no presente os tempos de Jimmy Hagan.
- Como explica ter o Benfica perdido uma vantagem de cinco pontos sobre o FC Porto, baixando bastante de produção no derradeiro terço da temporada?
- Já apontámos atrás para algumas explicações. É evidente que empatar na Luz com o FC Porto deixava-nos na frente com igualdade pontual, perder com um golo em fora-de-jogo deixou-nos atrás. Empatar em Coimbra com dois penalties que ficaram por assinalar retirou-nos dois pontos e assim por diante... E como disse, a dado passo há um desgaste e um cansaço psicológico que é difícil contrariar. Quando os jogadores interiorizam que estão a ser prejudicados e que não conseguem sair daquela situação, como é que isso se resolve? Também é verdade que em alguns jogos falhámos demasiadas oportunidades de golo e isso tem o seu custo, mas voltando ainda um pouco atrás como é que se explica a um jogador que vai ficar de fora dois jogos por uma entrada dura mas leal, enquanto os restantes jogadores que foram expulsos durante a época apanharam apenas um jogo, que um jogador que agrediu outro a soco levou apenas um jogo. Tudo isto pesa, não tenho dúvidas.
- Portanto, a todos os jogos anteriores ainda acrescenta o jogo de Olhão?
- Acrescento apenas pela questão do Pablo que não lembra a ninguém, um perfeito disparate. Mas também é verdade que em Olhão falhámos, foi um dos jogos em que claramente não estivemos ao nosso nível. Nos outros fizeram-nos falhar.
- A forma exuberante como o Benfica procura jogar, sempre de prego a fundo e como se não houver amanhã, não é incompatível com uma época que tem a exigência de cerca de 50 jogos oficiais? O modelo de jogo não deve ser repensado?
- Não penso que seja por aí. As grandes equipas europeias têm as mesmas exigências que nós e, se queremos estar a esse nível, e queremos, temos de jogar sempre com essa entrega e essa intensidade. Ao longo da época fomos a equipa que melhor praticou em Portugal, muitos jornalistas europeus elogiaram a forma de jogar do Benfica, foi essa intensidade e essa qualidade que fez os sócios voltar ao estádio.
- E no entanto, o Benfica não foi campeão?
- Sabe, podemos trabalhar bem, podemos fazer as melhores opções, mas há coisas que não se controlam, pelo menos no Benfica, o que é um bom sinal. Sinal da seriedade do clube.
- Considera que o plantel do Benfica é equilibrado? A estrutura que apoia a equipa sénior é sólida?
- A equipa é equilibrada, mas é evidente que há margem para crescer e melhorar. Quando termina uma época há sempre espaço para algumas mudanças. Há que reflectir onde é que se falhou, onde é que se pode melhorar quer no plantel, quer na estrutura, e isso também vai acontecer no Benfica. Seguramente que haverá áreas em que chegaremos à conclusão de que poderíamos ter feito de forma diferente ou que faltou alguma coisa, mas esse é o trabalho que iremos fazer mal o campeonato termine. Mas há uma coisa de que não me posso queixar que é o grau de profissionalismo de toda a estrutura que me rodeia, o António Carraça veio acrescentar valor ao grupo e isso é importante de destacar.
- Em 2012/13, com a previsível entrada directa na Champions, vai poder preparar a época com mais calma. Em termos de plantel prevê muitas mexidas, sente da parte dos responsáveis vontade de reforçar a equipa ou, ao invés, os sinais que lhe chegam apontam para a necessidade de vender os melhores jogadores?
- Já falámos sobre isso e é evidente que a situação económica que vivemos actualmente vai condicionar de alguma forma a preparação da próxima época, mas vai condicionar todos os clubes, não apenas o Benfica, portanto, é normal que havendo boas propostas alguns jogadores venham a sair e, nessa medida, outros irão entrar. Se olharmos para o Chelsea e para o Real Madrid, estão lá quatro jogadores que passaram pelo Benfica nos últimos dois anos e é assim que vamos ter de continuar: comprar bem, formar bem e vender melhor! Não há outro caminho. Quando cheguei ao Benfica, em 2009, o clube era a 23.ª melhor equipa da Europa, hoje somos a 9.ª melhor equipa, este é o melhor sinal daquilo que conseguimos crescer em três anos. Continuamos a vender para as equipas mais fortes do ponto de vista económico, e, ao mesmo tempo, continuamos a competir com elas, pelo menos chegamos onde algumas delas chegam. Nós formamos, eles compram feito e mesmo assim continuarmos a ser competitivos, isto também deve ser valorizado.
- Acusam-no de ser um treinador intenso, que desgasta muito rapidamente a relação com os jogadores. É justa esta crítica?
- Sou efectivamente um treinador exigente, mas todos eles sabem que trabalho de forma séria e que sou o primeiro a defendê-los. Que quando grito ou chamo a atenção é para o bem da equipa, mas admito que é um ponto em que posso melhorar. A verdade é que hoje sou mais paciente e mais tolerante do que era quando aqui cheguei. Os jogadores já sabem quando não fazem aquilo que eu espero deles. Já há cumplicidade, mas admito que sou exigente.
- Em três anos venceu um campeonato, três Taças da Liga, qualificou o Benfica três vezes para a Champions, foi a uma meia-final da Liga Europa e aos quartos-de-final da Liga Europa e da Champions. Estes resultados satisfazem-no ou sabem-lhe a pouco?
- Sinceramente, quando olho para trás sabem-me a pouco. Esta lista poderia ter no mínimo mais dois ou três troféus. Mas não vou ficar agarrado a olhar para trás, o que vou fazer é trabalhar para que no próximo ano alguns desses troféus que nos têm escapado possam estar nesta lista. Quando cheguei a minha ambição era ganhar dois campeonatos nos primeiros três anos. Não consegui, mas posso garantir-lhe que vou sair do Benfica com o Benfica por cima e que esse titulo terá de ser ganho no próximo ano. Há uma coisa que devo dizer, devo muito ao Benfica, o Benfica valorizou-me enquanto treinador. Sei que hoje, enquanto treinador, tenho o reconhecimento que não teria se aqui não estivesse, e é por isso que me dedico de corpo e alma, para poder retribuir tudo o que me deu.
- Na próxima época haverá o FC Porto do costume (este ano, sem deslumbrar, sagrou-se campeão), um Sporting mais forte e um SC Braga que se habituou aos lugares cimeiros. E que Benfica se deve esperar?
- Um Benfica que quer ser campeão, ganhar a Taça de Portugal e a Taça da Liga e chegar o mais longe que for possível na Champions.
- Que mensagem quer deixar aos adeptos? O que podem eles esperar de si na próxima época?
- Pedir-lhes que continuem a apoiar-nos. Sei a desilusão que estão a viver, mas também quero que saibam que essa desilusão não é maior que a minha, a dos jogadores, a do presidente. Fizemos um caminho difícil, por isso é fundamental estarmos unidos, porque só assim vamos conseguir alcançar os nossos objectivos.

CHAMPIONS E DEPOIS CARDOZO
Treinador fala ainda de Matic, Saviola, Emerson, Capdevila, Nélson Oliveira e Rodrigo
- O que quis com a troca, em Vila do Conde, de Matic por Saviola? Foi apenas uma substituição que correu mal?
-Quando faço a substituição estávamos a ganhar 2-1 e o Matic tinha um amarelo, a ideia era fazer o terceiro golo para depois voltar a mexer. A verdade é que sofremos o empate, mas o Saviola criou várias oportunidades de golo, entrou bem no jogo e acabou por sofrer um penalty, mais um não assinalado. Joguei para marcar o terceiro, porque essa deve ser a imagem do Benfica, jogar sempre para marcar, para ganhar. É isso que os adeptos exigem e foi isso que quis com essa substituição.
- Arrependeu-se da ousadia o FC Porto na Luz quando estava a ganhar por 2-1 e não resguardou o meio-campo?
- Já viu a contradição? Em cima acusam-me de ser um treinador demasiado ofensivo, aqui perguntam-me se não devia ter sido mais defensivo. Repito o que lhe disse atrás, é fácil fazer o Euromilhões ao sábado. A verdade é que podíamos ter feito o terceiro golo, mas acabámos, mais uma vez, a jogar com dez jogadores, e sofremos um golo em claro fora-de-jogo. Portanto, o futebol é isto. Se tivéssemos feito o terceiro golo ou se o fora-de-jogo tivesse sido assinalado, talvez hoje não se colocasse esta pergunta.
- Não se arrepende de ter apostado tanto em Emerson e tão pouco em Capdevila?
- Por uma questão de respeito para com os jogadores não vou justificar em público essas opções. São dois bons jogadores, excelentes profissionais e apenas posso assumir a responsabilidade pelas opções que tomei. Sempre o fiz na minha vida e assim continuarei. Acho que um treinador, qualquer que ele seja, não deve ser julgado pelas opções A ou B que toma, mas sim pelo seu trabalho, por tudo o que faz durante a semana. Os jogadores que se equipam no fim de semana são a parte mais visível do nosso trabalho é certo, mas é apenas uma parte daquilo que fazemos.
- Não foi um erro emprestar Rúben Amorim ao SC Braga?
- O Rúben foi uma questão disciplinar. Não se tratou de uma opção técnica, é bom que isso fique bem claro, mas é evidente que quando num determinado grupo se toleram alguns comportamentos isso prejudica toda a organização. E o comportamento que o Rúben assumiu teve consequências, só isso.
- Nélson Oliveira e Rodrigo podem ser titulares num futuro próximo?
- Têm características diferentes, mas são já hoje jogadores em quem podemos confiar. Vão ser seguramente titulares do Benfica no futuro e o Nélson, seguramente, vai mostrar todas as suas qualidades na nossa Selecção.
- Ajudar Óscar Cardozo a ganhar a Bola de Prata das parte da agenda da equipa nos dois jogos que faltam disputar?
- Primeiro estão os objectivos da equipa. Como tal, devemos concentrar-nos em ganhar o próximo jogo que nos dará matematicamente acesso directo à Liga dos Campeões. Depois, logo se vê. Agora, tenho a certeza de que o Cardozo tudo fará para ajudar a equipa e esta tudo fará para o ajudar a consagrar-se como o melhor marcador da Liga, prémio que bem merece. Muitas vezes é um jogador incompreendido, mas a verdade é que é um absurdo que algumas pessoas continuem sem reconhecer todo o potencial de um jogador que marcou 127 golos desde que chegou ao Benfica."

Jorge Jesus, entrevistado por Nuno Paralvas, in A Bola

«Ainda que muitos pretendam esquecer»

"Entre os benfiquistas o tema da continuidade de Jesus não é consensual. Já entre os adversários, há consensualidade: Jesus tem de se ir embora. E é isto que dá que pensar

(...)

INTERESSANTE e educativa semana foi esta com Vieira ausente e com Jorge Jesus lançado às feras e em comedido silêncio, apesar de ver notícias sobre o seu futuro em todas as primeiras páginas dos jornais.
Há, sem dúvida, muitos benfiquistas para quem a saída de Jorge Jesus e uns retoques no plantel significam a garantia automática de dias felizes gloriosamente a caminho.
Não são, no entanto, a maioria porque ainda há muitos mais benfiquistas que podem não perdoar ao seu treinador as apostas em Roberto e em Emerson mais a incapacidade genética da equipa para fazer contenção de bola quando é preciso, mas que reconhecem sem esforço o facto de Jorge Jesus ter posto em três anos um Benfica a jogar para a frente como não se via há muito (muitos) anos na Luz.
E ainda há os que se lembram destas coisas todas apontadas, as más e as boas, mas que também sabem fazer contas. E, por isso, concluem que em três anos de Jorge Jesus o Benfica ganhou 4 competições oficiais - recorde-se que, ainda bem recentemente, o Benfica passou uma década inteirinha sem ganhar um titulozinho sequer - e ainda conseguiu fazer uns brilharetes europeus como também há muito não se via, «ainda que muitos pretendam esquecer»...
Ou seja: entre os benfiquistas o tema Jesus não é consensual como jamais poderia ser no presente rescaldo de um campeonato perdido à antiga portuguesa. E com todos os matadores.
Já entre os adversários do Benfica, há grande consensualidade: Jesus tem de se ir embora rapidamente.
E é isto que dá que pensar.

PS - Sábado, em Vila do Conde, Olegário Benquerença, déjà vu, sempre! Olegário déjà vu Benquerença. Porque déjà vu é o seu nome do meio."

Leonor Pinhão, in A Bola

Quem vê TV sofre mais que no WC

" «Noventa por cento de quem nos critica, se algum dia lhes pusessem um apito na boca borravam-se todos, a começar por um senhor que eu não digo o nome, mas tem o cabelo encaracolado.»
Olegário Benquerença, Setembro de 2010, após críticas do Benfica a seguir a jogo em Guimarães

PRIMEIRA  jornada do campeonato 2011/12: em Guimarães, o FC Porto sente dificuldades; em cima do intervalo, Sapunaru é puxado na área - lance não é muito fácil de ver, mas penalty bem assinalado por Olegário Benquerença. Hulk marca e o FC Porto vence por 1-0.
28.ª jornada: Benquerença apita o Rio Ave-Benfica. Marca um penalty a favor do Benfica, mas não vê mais dois evidentes: empurrões a Cardozo e Saviola.
Há erros que se percebem, lances que a televisão esclarece com facilidade mas que no campo são difíceis de ver. E por isso acho fundamental pôr já a televisão ao serviço do futebol. Sim, ao serviço do futebol. Quem acha que a TV como auxiliar nas decisões dos árbitros prejudicaria a modalidade está a ver o filme ao contrário - como as coisas estão é que não podem continuar, com os erros de arbitragem e entrarem noite sim noite sim nas casas dos adeptos...
Mas não é necessária televisão para ver que Sony caiu em cima de Saviola na área do Rio Ave. Tenho de admitir que, vendo a repetição, Olegário Benquerença continuasse a achar que não era penalty, porque não aceito que não tenha visto bem da primeira vez. E se assim for tem de ser despedido. E se se fizesse isso não sobrariam árbitros.
Ou não... Afinal estamos a falar de Olegário, que na época passada, reconheceu Vítor Pereira, prejudicou o Benfica... em Guimarães, onde na primeira jornada desta Liga não hesitou. E que depois, perante as críticas, teve a tirada brilhante que transcrevi em cima. E que depois disto tudo continua a ser nomeado para jogos do Benfica. A coberto do facto de agora essas nomeações não serem divulgadas.
Assim vai o futebol português."

Hugo Vasconcelos, in A Bola

As Lanças Apontadas


Ontem só consegui ver os minutos finais do programa As Lanças Apontadas da Benfica TV, mas hoje ao rever a gravação, sou compelido a dar os Parabéns aos intervenientes, tal como fiz na Segunda-feira ao Relatório e Contras. O Ricardo Palacin, o Pedro F. Ferreira, e o Manuel dos Santos tiveram muito bem, usaram do seu direito de liberdade de expressão, criticaram, elogiaram, livremente... Para quem acusa a Benfica TV de seguidismo, não deve ver concerteza estes programas. Sem nunca renegarem o seu Benfiquismo, conseguem ter intervenções públicas mais equilibradas do que os supostos comentadores isentos, nos órgãos de comunicação social generalistas!!!
O Benfica precisa neste momento, de lucidez e serenidade... é fundamental para o futuro próximo do Benfica.

PS: Acho que ainda não 'falhei' um dos programas do Lanças Apontadas, sinal de que gosto do que se diz... mas tenho uma critica a fazer: não concordo com a discussão neste programa de questões ligadas à Politica e Economia do País. Não sou fundamentalista, acho que na Benfica TV existe espaço para temas extra-desportivos, mas não se devem misturar no mesmo local... Um programa especifico, bem 'assinalado', com os diferentes pontos de vista defendidos, pode ter sucesso... até porque nos canais generalistas, existe uma clara partido-dependência em todas as discussões, sendo assim existe um 'nicho' não explorado de perspectivas 'diferentes'!!!