Últimas indefectivações

sábado, 14 de dezembro de 2013

Da Catalunha, com bons ventos, e alguns golos !!!

Vendrell 3 - 6 Benfica

Nova visita à Catalunha, nova vitória... fazendo o pleno na Liga Europeia, ao fim da 1.º volta: 3 jogos - 2 fora -, 3 vitórias. Ainda não chegámos a meio da época e o Vendrell já perdeu 3 vezes com o Benfica, os gajos já devem estar fartos da gente... mas ainda falta mais uma derrota!!!
O jogo nem começou bem, com o golo dos espanhóis, mas até ao intervalo demos a volta ao marcador.
No segundo tempo, aumentámos a vantagem, e tivemos o jogo sempre controlado, com uma diferença segura...
Além do natural destaque para o marcadores dos golos: todos jovens portugueses; o Trabal voltou a deixar a sua marca na partida...
Agora, é regressar a Lisboa, e começar a preparar o jogo de Quarta-feira, na Luz, com a Física do nosso Vítor Fortunato... adversário sempre difícil, mesmo com alguns problemas de lesões.

Laranjinha, campeão...!!!

Em mais uma edição do Bigger's Better, no Pavilhão da Luz (com honras de directo na Eurosport), o Laranjinha depois de uma lesão prolongada, regressou com uma vitória, que dá o título mundial da WKN (Kickboxing) na categoria de -67 Kg.

Emoção, desnecessária...

Benfica 4 - 2 Fundão

Mais uma vitória difícil, decidida só nos últimos segundos da partida. É verdade que somos líderes, é verdade que temos ganho, quase sempre... mas raramente conseguimos resultados tranquilos, parece que existe uma especial atracção pela emoção!!!
O Fundão é uma boa equipa, e com os árbitros a permitirem níveis de agressividade altos, o jogo não foi fácil... Começamos bem, mas num minuto permitimos a reviravolta no marcador, e nos minutos seguintes, perdemos a cabeça, facilitando vários contra-ataques em superioridade numérica ao adversário, que podia ter aumentado a vantagem...
Pouco tempo antes do intervalo, a equipa voltou a raciocinar um pouco, o Bruno primeiro, numa bola parada, mandou à trave, e logo a seguir não falhou o empate, em mais uma excelente jogada colectiva.
Na 2.ª parte, continuamos a ser melhores, mas a bola não queria entrar, fizemos pontaria aos ferros várias vezes, até que num livre 10 metros - que chegou atrasado, tantas foram as faltas não assinaladas...!!! - o Joel não perdoou...
O Fundão tentou o 5x4, mas o Benfica 'retirou-lhe' a bola, os últimos minutos passaram rapidamente com a bola nos pés do Benfica, como devia ser sempre... e numa dessas jogadas, com muita calma, o Joel chegou ao hat-trik!!!

Regresso às vitórias... sem convencer !!!

Avanca 22 - 29 Benfica

Não foi tão fácil como parece, ao intervalo estávamos a perder por 13-12, depois de uns primeiros minutos muito maus... resultado surpreendente, que a ausência do Carneiro não explica... o Avanca - último classificado - ainda conseguiu discutir o resultado até ao 17-17, mas no final o Benfica foi mais forte...
Não sei se a exibição da última quarta-feira ainda estava na cabeça dos jogadores, mas não é normal tantas dificuldades (três livres de 7 metros falhados!!!)... O próximo jogo é na Maia, com o Águas Santas, a jogar assim, vai ser muito complicado.

Muito bom

Madalena 0 - 3 Benfica
19-25, 10-25, 17-25

Sinceramente esperava mais oposição, mas também é verdade que o Benfica jogou muito bem, não dando hipóteses adversário... Parece que finalmente, estamos a jogar com a formação mais forte que temos disponível...!!!

Tranquilo...

Benfica 90 - 58 CAB Madeira
24-14, 28-13, 25-8, 13-23

Já se sabia que ia ser fácil, o CAB tem 3 jogadores da rotação lesionados, mesmo assim o Benfica durante os 3 períodos foi extremamente competente, e venceria sempre este encontro... Em sentido contrário, o Benfica finalmente tem o plantel todo disponível!!! 
A descompressão no 4.º período foi exagerada, o Ferreirinho e o Castela deviam ter tido mais tempo de jogo... A percentagem da linha de lance livre, também não foi famosa!!!

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Antevisão da Liga Europa

Na Segunda-feira vamos saber qual será o futuro próximo do Benfica na Liga Europa. O facto de sermos cabeças-série não é garantia de eliminatória fácil. Antes do sorteio, e antes da campanha de desvalorização do adversário do Benfica (seja ele qual for...), aqui fica a minha analise:

Muitíssimo complicado
JUVENTUS
Com este, até os avençados teriam dificuldade em baixar o grau de dificuldade da eliminatória!!! A Juventus tem uma equipa fortíssima, joga num raro 3-5-2, e historicamente o Benfica tem pavor a Italianos...

Difícil, mas ultrapassável
AJAX
LAZIO
SWANSEA
DÍNAMO DE KIEV
Não gostaria de fazer uma viagem a Kiev em Fevereiro, a Lazio tem a tal aura do Benfica-ser-normalmente-lixado-pelos-Italianos!!! O Jesus já matou alguns 'borregos' internacionais, mas por acaso os sorteios têm nos afastado dos Italianos, espero que continue assim...!!! O Ajax e o Swansea estão ao nosso alcance, viagens fáceis, e ambientes positivos... Mas nunca se pode desvalorizar a mecanização no jogo dos Holandeses, e o plantel rico dos Galeses, que são das equipas da Liga Inglesa que joga futebol mais positivo...

Traiçoeiras
PAOK
DNIPRO
BETIS
VIKTÓRIA PLZEN
Os Ucranianios têm dinheiro, e uma equipa de contra-ataque, além disso temos a viagem e as potenciais condições climatéricas adversas... O PAOK tem sempre um ambiente especial, seria o reencontro com o Miguel Vítor e Katso (além do Dino!!!)... e mais alguns Internacionais Gregos. Recordo que o Paok ficou fora da Champions num Play-off muito disputado com o Schalke 04... O Betis é daquelas equipas chatas, a viagem era curta, mas recordo-me de um particular em Faro na época passada, que nos deu muito trabalho...!!! Os Checos são uma equipa que nas últimas épocas ganhou alguma experiência de Champions, com resultado negativos é verdade, mas...

Benfica favorito, mas viagem/tempo/relvados...
CHORNOMORETS
ANZHI
ESBERG
MACCABI
Aqui o problema será as viagens (Ucrânia e Rússia/Tchetchena!!!) e os muitos prováveis relvados impraticáveis... A deslocação a Israel também não é curta, e nossa última viagem para aqueles lados, não foi nada boa... Deste lote, os Dinamarqueses parecem ser os mais tenrinhos, apesar dos bons resultados que fizeram nesta fase de grupos!!! O Anzhi depois da loucura das super-contratações, o nível da equipa baixou, é verdade que ainda têm alguns bons jogadores (Jucilei, um dos que chegou a ser falado para o Benfica...!!!), mas a viagem seria a principal dificuldade...
Esta questão das viagens, também não pode ser desvalorizada: nos 16 avos-de-final, vamos jogar a Paços primeiro - depois de na 4.ª-feira anterior, potencialmente jogarmos a 1/2 final da Taça da Liga (Corruptos ou Sporting)!!! -, e com o Guimarães no fim-de-semana entre a 1.ª mão e a 2.ª mão; e se passarmos aos Oitavos-de-final, jogamos com o Estoril na Luz, depois da 5.ª-feira jogamos a 1.ª mão, vamos à Choupana - mais uma viagem -, jogamos a 2.ª mão, e recebemos a Académica!!!

Benfica favorito, os meus preferidos!!!
SLOVAN LIBEREC
MARIBOR
O meu favorito é mesmo o Maribor, mas são duas deslocações relativamente curtas... Pelo que vi do Slovan, o maior problema seria a quantidade industrial de porrada que dão!!! Nos jogos com o Estoril mostraram eficácia no contra-ataque...

No emparalhamento para os Oitavos, já não haverá cabeças-de-série - e até nos pode calhar os Corruptos -, o grau de dificuldade aumenta. Divido assim por categoria:
Rubin Kazan
Fiorentina
Tottenham
Nápoles
Shakhtar
Mais uma vez, longas viagens a leste, e equipas com bons plantéis - o Shakhtar tem uma super-equipa brasileira do meio-campo para a frente...!!! -, mas com pouca carisma, que potencialmente podem dar eliminações pouco dignificantes; Italianos a evita, principalmente o Nápoles, grande plantel e Rafa Benitez!!!

Valência
Basileia
Sevilha
Boas equipas, mas tanto o Valência como o Sevilha com a crise que se tem abatido sobre Espanha, estão um pouco mais acessíveis... apesar do Benfica, historicamente, não se dar bem com os Castelhanos!!!

Eintracht
Lyon
AZ
Trabzonspor
Seria interessante ver o regresso do Luisão a Frankfurt!!! Um pouco mais a sério, a equipa do Eintracht pode não ter muito talento individual, mas usam e abusam do físico... O potencial do Lyon baixou muito... O AZ é complicado, é uma equipa competitiva... Além da viagem à Turquia ser desaconselhável, recordo que da última vez jogámos Istambul, e não no Estádio do Trab... onde o ambiente é muito mais complicado!!!

Ludogorets
Salzburgo
Genk
Claramente os mais acessíveis, e com a sorte que normalmente acompanha os Corruptos nestes sorteios, os mais prováveis adversários deles!!!

PS: Não costumo comentar as nomeações dos árbitros da Liga, até porque não tenho confiança em nenhum deles, mas existem uns piores que outros, e o Vasco Santos é dos mais anti-benfiquistas!!! Numa altura onde o Benfica demonstra algumas fragilidades, onde os Corruptos estão aflitos, e em vésperas do clássico na Luz, parece que o Sistema está a mandar toda a artilharia pesada, depois do Rui Costa com o Arouca, agora o Vasco Santos - logo em Olhão onde já nos espera um relvado impraticável... -, mais valia mandarem o Macaco apitar o jogo...!!!

Dignidade

"Eusébio da Silva Ferreira, o incomparável, disse recentemente que no Benfica também aprendeu «a perder com dignidade». E é assim. Ser Benfiquista é como no casamento, para o melhor e para o pior. E então na 12.ª jornada do Campeonato, o Benfica, que começou a etapa com líder da classificação em igualdade pontual com os de Alvalade, após uma emocionante recuperação de sete pontos - de menos cinco para mais dois -, deixou-se empatar em casa com o último da tabela.
Não ponho em causa a dignidade da equipa do Benfica. Para mim, o Benfica é sempre digno, seja digno vencedor ou digno vencido. Perder, toda a gente perde, excepto os batoteiros que compram resultados e títulos. No jogo com o Arouca, o Benfica foi um digno empatado: esteve a perder por duas vezes, por duas vezes chegou ao empate, não passou disso, correu sempre atrás do prejuízo, como usa dizer-se, e não alcançou nunca o benefício.
O Benfica tinha em relação ao seu adversário, o neo-primodivisionário Arouca, um avanço de 18 pontos, vinha de cinco vitórias seguidas para o Campeonato, ao passo que o Arouca ia na sexta derrota consecutiva, pelo que o empate em casa a dois golos tem um amargo travo a derrota. Pelo menos, dois pontos o Benfica perdeu e pontos fazem muita falta a um Clube com o historial do Benfica e a natural ambição dos Benfiquistas. Com o empate em casa frente ao Arouca, o Benfica deixou fugir o Sporting, proporcionando-lhe a liderança, e perdeu o avanço sobre o Porto. No próximo jogo em casa para o Campeonato vamos encher a Catedral, apoiar a equipa e exigir-lhe, em nome da dignidade Benfiquista, que seja uma digna vencedora. O Benfica dá todas as condições à equipa para tanto. E para frustração bastou a época passada."

João Paulo Guerra, in O Benfica

Erros e falhas incomprreensíveis

"O problema do Benfica não é a classificação, pois estar emparalhado com o outro candidato ao título, após tantas asneiras e um início de campeonato desastroso é até bom. O problema maior são as exibições permanentemente aquém do exigido, e uma inconstância permanente. Empatámos em casa com o Arouca, como podíamos ter empatado com o SC Braga ou o Gil Vicente. As equipas de Jorge Jesus sempre jogaram bem, mesmo quando os resultados finais não eram os melhores. Era preciso melhorar os resultados, e não piorar as exibições.
Ver este Sporting, em primeiro lugar, com inteira justiça, devia ser humilhante para o FC Porto e Benfica. De facto, os recursos são tão dispares, que só ver o Sporting lutar pelo título é já um título para o Sporting.
O Benfica fez na Liga dos Campeões o suficiente para passar aos oitavos, não fora a mala pata de Atenas, ou o dilúvio de Lisboa contra os gregos, e teria sido óptimo. Os adeptos não criticam a prova europeia, mas não aceitam o empate com o Arouca. Dez pontos numa Liga dos Campeões é positivo e raramente não dá uma classificação. Contra o PSG ganhámos o jogo e fizemos um milhão de euros. Quantos dos adeptos não davam um milhão de euros para ter ganho ao Arouca?
O Benfica que jogou na Europa seria certamente campeão em Portugal. A consciência do potencial do Benfica torna mais intolerante o adepto com erros e falhas incompreensíveis. O empate contra o Arouca custou dois pontos, custou a liderança, custou capital de esperança e tirou mais de dez mil adeptos dos próximos jogos.
A eliminação da Liga dos Campeões, desta forma, deu esperança e um sinal de que podemos ganhar títulos, não permaneça a errática vocação de fazer asneiras nos ditos momentos mais fáceis. O Benfica de terça faz acreditar! Esperemos não ver mais o da última sexta."

Sílvio Cervan, in A Bola

O passo seguinte de Bernardo Silva

"Luís Filipe Vieira percebeu os desafios do futuro e apostou fortíssimo no Futebol Caixa Campus do Seixal, infraestrutura que colocou o Benfica no caminho certo como potência formadora no contexto do futebol nacional. Graças a esta decisão estrutural, os encarnados, a pouco e pouco, aproximaram-se do Sporting, a quem chegam a superar, hoje em dia, em vários capítulos, nomeadamente nos títulos da formação e no número de internacionais em cada escalão. Porém, perdem de goleada para os leões num outro aspecto: o da coragem de apostar nos jovens da casa. Poder-se-á dizer que a recente crise do Sporting acelerou o crescimento de alguns jogadores, com o caso mais flagrante a ser o de William Carvalho; mas outros momentos houve, sem crise de qualquer espécie, em que Quaresma, Hugo Viana, Cristiano Ronaldo, Rui Patrício, Moutinho ou Veloso foram lançados. Ou seja, o clube de Alvalade, talvez por ter começado mais cedo nesta prática, assume com a naturalidade o que ainda falta ao grémio da Luz, a aposta na produção própria.
O Benfica, neste momento, tem excelentes jogadores jovens, que pedem uma oportunidade séria. Ivan Cavaleiro é um deles, João Cancelo, outro, e Bernardo Silva, que acaba de renovar contrato até 2019, é visto pela generalidade dos observadores como a mais séria revelação encarnada desde Rui Costa. Porém, se continuar a marcar passo na equipa B, se as portas da turma principal se mantiverem fechadas, atrasará a evolução que se lhe antevê.
Seguramente, com o caminho que o País leva, a aposta na formação é o único caminho viável para manter bons níveis de competitividade. Mas não vale a pena ter formação se o objectivo for o de vencer títulos. Porque o mais importante é ganhar jogadores."

José Manuel Delgado, in A Bola

«Resultadismo»

"1. Antes do Benfica-Arouca da semana passada, recorde-me do encontro com a Académica (então treinada por Pedro Emanuel) de há duas épocas, jogo bem triste pela atitude anti-desportiva da equipa visitante, com anti-jogo desde os minutos iniciais e um 'autocarro' de dois andares estacionado na sua baliza. Quase no final, fez-se finalmente justiça e ganhou a única equipa que quis jogar. Este Benfica-Arouca só foi diferente no resultado... injustíssimo. O Benfica, que fez uma boa primeira parte, poderia ter chegado ao intervalo com três ou quatro golos de vantagem, tantas as oportunidades flagrantes falhadas. O Arouca foi lá À frente duas vezes e marcou um golo. A segunda parte foi mais do mesmo. No final, um injustíssimo empate.
Claro que, depois do jogo, só se falou em muito má exibição do Benfica, em crise disto e daquilo. Se alguma ou algumas da inúmeras oportunidades de golo iniciais se tivessem concretizado, o Benfica teria conseguido muito provavelmente uma vitória folgada e, depois só se falaria na recuperação da equipa, com uma série invejável de triunfos consecutivos. É o resultadismo a condicionar as apreciações. Pois eu, que ficara muito feliz com a vitória sobre o Sp. Braga e naturalmente muito contrariado com este resultado, não gostei mesmo nada da exibição (e da atitude) com os minhotos e achei positiva a exibição (e a atitude) frente ao Arouca. E, face ao que fui lendo e ouvindo, até falei com alguns amigos benfiquistas em quem confio (há outros que rapidamente passam do aplauso ao assobio e são normalmente mal dizentes), os quais corroboraram a minha opinião. O mal foi na concretização, não na exibição. O mais difícil é criar as ocasiões, principalmente com um autocarro de dois andares frente à baliza e um guarda-redes tão eficiente quanto 'fiteiro'. Não se pode é falhar tanto frente à baliza.

2. O jornal do Sporting está a 'revisitar' o Apito Dourado. Finalmente! Ao fim de tantos anos de silêncio (com a honrosa excepção do presidente Dias da Cunha), parece que o clube acordou. Já era sem tempo...

3. O nosso presidente foi absolvido num processo movido por Antero Henriques. Nada que surpreenda. Mas gostaria de saber quem pagou as despesas, se o próprio que se disse ofendido (olha quem...) se a SAD do seu clube..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Virar costas

"O nosso Benfica empatou em casa com o Arouca. Perdemos ingloriamente dois pontos, virámos (por agora) as costas ao primeiro lugar e, se não aprendermos com os erros cometidos, poderemos acrescentar outros tantos “perderes” a este perder.
Nós, benfiquistas nas bancadas, começámos a perder quando percebemos (e foi logo nos minutos iniciais) que pagáramos para ver um jogo de futebol e assistiríamos a um anti-jogo de futebol. Aquilo foi um não acabar de simulações de lesões, perdas de tempo absurdas, gente a cair fora do campo e arrastar-se para dentro do campo no intuito de queimar tempo… e o árbitro a promover que aquele triste espectáculo de anti-jogo se transformasse em regra aceite e legitimada. Foi igualmente notório que a sorte nos virava costas nas ocasiões de golo que se não conseguiam concretizar. No entanto, as costas que a sorte nos voltou não são suficientemente largas para arcar com as responsabilidades todas. Também a qualidade e a competência nos viraram costas nos golos sofridos e nos golos esbanjados. Além disso, a atitude que se exige aos nossos profissionais virou-nos costas, quando percebemos que os nossos encararam aquele jogo como um jogo que se “ia resolvendo” em vez de ser um jogo “para resolver”. O treinador, na bancada, teve opções que viraram costas ao senso comum de quem, também na bancada, não percebia as opções tomadas.
Para cúmulo dos cúmulos, no final do jogo, enquanto esperávamos que os futebolistas (como exige a tradição benfiquista) se dirigissem ao centro do relvado para agradecer aos que na bancada sempre os apoiaram, observámos que a nossa equipa nos virava as costas. No final de tudo isto, fica a certeza de que nós, os amadores, não viramos costas à equipa e continuaremos lá, na bancada, a abraçar o Benfica."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Paris e... mais

"O Benfica protagonizou uma bela noite europeia. O objectivo primacial não foi alcançado, o apuramento para a fase seguinte da Liga dos Campeões? Verdade que sim. Só que o triunfo foi de inequívoca justeza e já se admitia, à partida, que na Grécia os ventos não iriam soprar de formar favorável à prossecução dos novos intentos.
Deu muito Benfica e limitado PSG. Os franceses subestimaram o embate? Uma falácia. Com menos alguns jogadores, em tese titulares, nem por isso deixam de ser ma equipa rica e uma... rica equipa. E o Benfica? Continuou ou não com a ausência forçada de unidades nucleares? Salvio, Cardozo, pelo menos esses. Com que resposta? Empreendedora, exclamativa, triunfante.
Esta campanha europeia fica, dramaticamente, marcada pelo desaire em Atenas. Na capital helénica, a formação rubra autenticou um dos melhores desempenhos de todo o seu historial europeu. Perdeu o jogo, naquela que constituiu uma das maiores mentiras de sempre. Foi o domínio do jogo, amplo e convincente, foram oportunidades de golo desperdiçadas em série. Aconteceu. Dolorosa e não menos injustamente.
Importante, agora, é que se reúnam vontades para atacar a Liga Europa com, pelo menos, a mesma maturidade que aquela que patenteámos na pretérita temporada. Só? Também que este justo êxito, frente ao PSG, tenha ultrapassado o trauma do empate com o Arouca. A Liga nacional exige muita competência, para já não falar de persuasão, do Benfica nos próximos capítulos. Importa vencer o Olhanense, também o Vitória de Setúbal, para rececionar o FC Porto, no mínimo, em igualdade pontual. E decidir o Campeonato? Decidir uma etapa de quem aspira a um futuro vermelho."

João Malheiro, in O Benfica

Nesta data querida

"A Benfica TV festejou esta semana o seu quinto aniversário. E se há projectos com bastos motivos para festejos, este é seguramente um deles. Poucos acreditariam, em 2008, que tão ousada iniciativa redundasse no êxito que hoje se vê. Depois de um período de amadurecimento, a estação entrou numa nova era da sua existência quando, no último Verão, passou a transmitir os jogos da nossa equipa principal de futebol, juntando também à grelha de programação aquela que é, indiscutivelmente, a mais empolgante liga europeia da actualidade.
Devo confessar que, durante algum tempo, duvidei que tal fosse possível. Parecia-me um sonho demasiado alto, e uma iniciativa demasiado arriscada, avançar para um canal de TV com as características daquele que temos hoje, e que faz as delícias de todos os benfiquistas. Tenho de dar a mão à palmatória.
Assinante deste o primeiro momento, vejo a programação melhorar dia após dia, vejo os meios técnicos envolvidos trazerem qualidade superlativa às transmissões – não só do futebol, como também de todas as modalidades que compõem o puzzle do ecletismo encarnado. Vejo! Sobretudo vejo, com gosto, fervor clubista, mas também com a exigência de um telespectador atento, que aprecia o trabalho de profissionais de excelência, os quais, dia após dia, hora após hora, fazem o Benfica entrar-nos pela casa dentro. Não podemos adormecer à sombra do êxito conquistado. Há sempre espaço para melhorar, para inovar, e essa deve ser a matriz de pensamento daqueles que trabalham na casa. Mas o que foi feito nestes cinco anos constitui matéria suficiente para que todos os envolvidos estejam de parabéns.
Deixando uma palavra especial para o Ricardo Palacin (profissional, benfiquista e, se me permitem, também amigo), e, nele, para todos os restantes colaboradores da Benfica TV, não posso deixar de saudar aquele que é o principal obreiro de todo o projecto: o Presidente Vieira, cuja sucessão de realizações vai tendo cada vez menos paralelo na história centenária do clube da Luz."

Luís Fialho, in O Benfica

Sobrevoando os picos da Europa

"Mais uma viagem em patins sobre a história europeia do Benfica, desta vez na Taça das Taças (já extinta) e na Taça CERS. Momentos de brilho e uma promessa final.

O Hóquei em Patins do Benfica está no topo do Mundo. Taça dos Campeões Europeus; Supertaça Europeia; Taça Intercontinental - num ano tudo ganhou em termos internacionais. A semana passada falei aqui da história do Benfica na Taça dos Campeões, das suas presenças nas finais, e da própria história da prova, agora disputada em novos moldes, tal como acontece com o Futebol, largamente dominada pelas equipas espanholas. Mas o Benfica tem mais finais europeias do que as que soma na Taça dos Campeões (seis). Vamos a elas!
Se a Taça dos Campeões começou a ser disputada em 1965/66, a segunda prova do CEHR, Comité Européen de Rink-Hockey, a Taça das Taças, teve a sua primeira edição onze anos mais tarde, em 1976/77. Curiosamente, e ao contrário do que sucedeu na Taça dos Campeões, as equipas portuguesas rapidamente dominaram os acontecimentos, sobretudo graças às três primeiras vitórias inaugurais do Oeiras, a primeira sobre o Arenys de Munt, e as seguintes sobre o Voltregá, ambos espanhóis. O Benfica só chegou pela primeira vez a uma Final da Taça das Taças em 1982/83 (ano europeu brilhante também para o Futebol), sendo derrotado pelo FC Porto. Depois de um empate prometedor nas Antas (2-2), os 'encarnados' viriam a perder, por 5-6, no velho pavilhão Borges Coutinho, situado debaixo do Terceiro Anel, num jogo fantástico do qual me recordo bem e testemunhado por público vibrante.
A uma Final, seguiu-se outra: em 1983/84, o Benfica disputou o jogo decisivo com os espanhóis do Reus (4-6; 5-4), falhando de novo a conquista do troféu. Parecia que a sina das finais perdidas estava para durar. Sporting (1980/81) e 1984/85), FC Porto (1981/82 e 1982/83) e Sanjoanense 1985/86) juntariam os seus nomes ao do Oeiras. Daí até 1995/96, época em que a Taça das Taças se extinguiu e que os vencedores das taças de cada país passaram a integrar a Liga dos Campeões, só houve mais duas vitórias lusitanas, uma do Sporting (1990/91) e outra o Óquei de Barcelos (1992/93). Giovinazzo, de Itália (1979/80); Reus, de Espanha, como já vimos (1983/84); Barcelona, de Espanha (1986/87); Noia, de Espanha (1987/88); Roller Monza, de Itália (1988/89), 1991/92 e 1994/95); Liceo da Corunha, de Espanha (1989/90 e 1995/96) e Amatori Lodi, de Itália (1993/94) completam a lista de vencedores. O Benfica não voltou à Final. E a Taças das Taças já não terá lugar no novo Museu.

A sina das finais ganhas
ENFIM, para consolo, embora um bom consolo, cabem no Museu duas Taças CERS, o equivalente, se assim o podemos dizer, à velhinha Taça UEFA, agora travestida de Liga Europa.
Disputada desde a época de 1980/81, primeiro em regime de taça e depois já com uma «final four» a partir de 2007/2008, é outra competição dominada pelos espanhóis que somam até agora 14 vitórias (Liceo da Corunha, 3; Reus, 2; Tordera, Noia, Voltregá, Vilanova, Vic, Barcelona, Tenerife, Mataró e Vendrell, todos com uma) contra dez de equipas italianas (Novara, 3; Verecelli, 2; Bassano, HC Monza, Amatori Lodi, Seregno, e Follonica, todos com uma) e nove de equipas portuguesas (Benfica, 2; FC Porto, 2; Paço de Arcos, Óquei de Barcelos, Sesimbra, Sporting e Oliveirense, todos com uma).
Aqui, e ao contrário do que sucedeu na Taça dos Campeões e na Taça das Taças, não há lugar a finais perdidas. Foram precisos dez anos para que o Benfica chegasse pela primeira vez à Final da Taça CERS. Estávamos em 1990/91 e o adversário foi o sempre poderoso Reus. Depois de uma derrota na Catalunha, por 4-6, os 'encarnados' impuseram-se, de que maneira, em Lisboa por conclusivos 10-3. A final seguinte já foi no sistema de «final four» que vigora hoje em dia nas duas provas europeias de Hóquei em Patins - não esquecer que a Taça Continental é somente um troféu. O adversário foi outra equipa espanhola, o Vilanova, e o Benfica venceu, por 6-4. Não foi assim há tanto tempo: 8  de Maio de 2011.
Mas, vinda do passado, existe outra vitória histórica: a do Torneio de Montreux, em 1962. única de uma equipa portuguesa nessa famosa competição que se disputa, com altos e baixos, desde 1921.
Falaremos sobre isso. Palavra de honra!"

Afonso de Melo, in O Benfica

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Nem tanto ao mar nem tanto à terra

"Não me digam que para sermos campeões devíamos ter ficado em 7.º lugar na época passada para não irmos à Europa cansarmo-nos e para apostarmos nos talentos da formação

ALEMANHA, Estados Unidos e Gana são os adversários de Portugal na fase de grupos do próximo Mundial.
Perdi a aposta que fiz comigo. E, por ter perdido, quase posso jurar que o sorteio foi limpo, ao contrário do que se sussurra um pouco por todo o mundo, aquele mesmo mundo onde as teorias da conspiração têm altar próprio e devotos inabaláveis.
Não deixa de ser verdade que a boa estrelinha da França causou inveja nos cinco continentes. Mas partir daí para a conclusão de que Michel Platini tem super poderes, parece-me para o exagerado.
Antes de o sorteio se efectuar, em Salvador da Baía, apostei na certeza da viciação do dito sorteio porque tinha para mim, inabalável, que Portugal cairia no grupo da Argentina. E porquê?
A FIFA, A NASA, o FMI, Hollywood e a banca mundial não poderiam deixar passar a oportunidade, raríssima, do frente-a-frente Cristiano Ronaldo - Lionel Messi, no esplendor das suas respectivas formas, no palco de um Campeonato do Mundo sob todos os holofotes do planeta.
Quanto renderia só no grande mercado audiovisual uma coisa destas?
Nem Messi nem Ronaldo vão para novos e quem sabe se no Mundial que se seguirá ao do Brasil, em 2018, estarão os dois aptos ou com disposição para o evento?
Era agora ou nunca. Argentina e Portugal juntos no mesmo grupo no arranque da competição, jogando pelo seguro os manipuladores do sorteio, já que, caindo em grupos diferentes, seria muito incerto que as duas selecções se viessem a encontrar.
Foi com grande desapontamento que, assistindo ao evento, reconheci que nos tinha calhado a Alemanha e não a Argentina. Uma pífia, Alemanha, imagine-se... Quando bom, genial mesmo, seria a Argentina de Messi. Seria bom para milhares de milhões de telespectadores em todo o mundo e seria genial para o negócio. Ou duvidam?
Posto isto, concluo que o sorteio da FIFA foi limpíssimo. Com muita pena minha, porque também aprecio uma boa teoria da conspiração.
Quem é que não gosta?
Alemanha, Estados Unidos e Gana. Conhecendo o que a casa gasta, diria que é preciso ter muito cuidado e grande concentração no jogo com o Gana, o adversário mais difícil do nosso grupo visto que é o capaz de melhor pôr em evidência um dos nossos piores e mais trágicos defeitos: a sobranceria.
É que, ouvido-vos falar, até parece que já ganhámos aos ganeses.
Perante as manifestações nacionais de optimismo desenfreado no que respeita ao resultado do jogo com o Gana no próximo Verão, no Brasil, lembrei-me imediatamente do caso de Matic em Vila do Conde, quando o resultado já estava escrito, fazendo o sérvio de propósito para levar com um cartão amarelo, certamente porque o jogo seguinte, era com o Arouca, tinha tal grau de facilidade que lhe dispensava os préstimos. Foi assim que entendi a mensagem: o jogo com o Arouca não era importante.
Penso que, pelo contrário, o jogo com o Arouca era muito importante. Gostaria muito de acreditar que, nesta edição do campeonato, o Benfica vai voltar a ter jogos tão importantes como foi de sexta-feira passada com o Arouca.
Voltemos a Vila do Conde.
O momento em si, Matic forçando o cartão amarelo, poupando-se para jogos mais importantes - já que o Arouca, enfim, é o Arouca -, transportou-me para o final da temporada passada.
Precisamente para aqueles momentos de euforia no Funchal, festejando por antecipação um título quando ainda faltava para o garantir, ganhar pelo menos ao Estoril-Praia no Estádio da Luz.
Na última jornada, com tanta ilusão de grandeza, o Benfica comportou-se como uma equipa pequena. Não aguentou a pressão de ser primeiro. Ou de ser segundo, como queiram. Terá sido por isso?
Para o Benfica, também à sua maneira fidalgo, se calhar, ser líder é ser primeiro mas ser primeiro é tão somente estar sozinho no topo da tabela. Não pode haver misturas, nem lideranças bicéfalas como na política.
Vai daí e trata de andar para trás.
É a única explicação plausível.

O Sporting é o líder isolado do campeonato porque ganhou em Barcelos por 2-0, com dois golos regulares de Montero.
Nas últimas edições da prova houve sempre intrusos na discussão pelo acesso à adorada Liga dos Campeões. Por três vezes coube ao Sporting de Braga desempenhar esse papel e, na época passada, coube a um sensacional Paços de Ferreira surpreender tudo e todos com um terceiro lugar altamente conseguido em função das disfunções dos demais concorrentes.
Ajuizadamente, os sportinguistas combinaram todos entre si jamais dizerem que a sua equipa é candidata ao título. Fazem bem. Nem o Sporting de Braga de 2009/2010, que discutiu o título até ao fim com o Benfica, se atreveu a assumir-se cedo como candidato, preferindo proteger-se com o bem mais leve estatuto de outsider.
No entanto, este ano, toda a gente leva a sério o Sporting, incluindo, naturalmente, os sportinguistas. E ninguém acredita que ao Sporting de Leonardo Jardim satisfaça, saldadas as contas, ser apenas olhado pela História como o Paços de Ferreira de 2013/2014 ou como o Braga de 2010/2011 que até foi finalista da Liga Europa, o que não é para qualquer um.
Voltemos à actualidade.
As três últimas jornadas do corrente campeonato foram riquíssimas em golpes teatrais, sendo que todos se espalharam pelas tábuas, menos o Sporting. Por isso vai à frente e quando olha para o lado não vê ninguém.
Um dos argumentos científicos para explicar a boa temporada em Alvalade aponta para a ausência de jogos das competições europeias como factor de estabilidade e da boa saúde da equipa. Menos jogos, mais treino. Menos viagens, mais treino. E, sobretudo, mais descanso quando a temporada se aproxima do meio.
O futebol é no presente e o que lá vai, lá vai. Esta é uma chamada de atenção para os meus companheiros benfiquistas.
Amigos, se a coisa correr mal este ano, esperamos que não aconteça, não me venham dizer que para sermos campeões em 2013/2014 devíamos ter ficado em 7.º lugar na época passada para não irmos à Europa cansarmo-nos e para, muito principalmente, fazermos uma aposta enérgica e decidida nos jovens talentos da nossa formação.
Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

ENZO PÉREZ apanhou um jogo de suspensão por ter simulado gestualmente que os ponteiros do relógio do árbitro Rui Costa estavam a precisar de manutenção técnica. Aconteceu já em período de descontos quando os jogadores do Benfica desesperavam por fazer em 4 minutos aquilo que não fizeram em 90.
O castigo fará a sua jurisprudência, naturalmente.
Este ano já ficámos a saber que cuspir num adversário vale um jogo de suspensão, pena igual à de rodar a mão para o árbitro e para as câmaras de televisão.

NENHUMA equipa portuguesa conquistará esta Liga dos Campeões na final marcada para o Estádio da Luz.
Paciência.
E, ao mesmo tempo, uma certa dose de alívio atendendo às mais recentes tendências.

EMITIR através do sistema sonoro do estádio, e bem alto, o Hino da Champions antes de cada jogo do Benfica para o campeonato nacional talvez seja a solução tipo ovo de Colombo para a desgraça que, há anos, vem afectando o nosso emblema: a série de títulos perdidos nos jogos em casa é, admitamos, uma vergonha.
Só nesta temporada, já lá vão 4 pontos com os promovidos Belenenses e Arouca.
Na temporada passada, foi o que foi. Na anterior, a mesma coisa.
É tocarem-lhes o Hino da Champions nos jogos de trazer por casa. Pode ser que resulte. Na terça-feira, contra o PSG, a motivação esteve bem à vista de todos ainda que o jogo fosse para cumprir calendário.

BENFIQUISTAS e portistas terão muito com que se entreter nos próximos dias, atirando uns aos outros a ignomínia de uma eliminação precoce na prova que é rainha na Europa. Já ouvi isto de um portista:
- Pois, o Roberto não abriu o galinheiro e vocês foram à vida.
E logo ouvi a retorquir:
- Oh pá, se não fosse o Hulk falhar aquele penaltizinho contra o Porto vocês nem à Liga Europa iam.
Maldades."

Leonor Pinhão, in A Bola

O palco

"Ontem escrevi sobre a paupérrima actuação do Benfica no jogo com o Arouca. Hoje poderia falar sobre a boa exibição contra o PSG. Os mesmos jogadores, incapazes de vencer os remediados, foram depois competentes para vencer os milionários.
Várias explicações (que não razões) para tal. Desde logo, jogando na Champions com 11 e não om 10+ Cortez, o que é de todo diferente. Agora ainda menos percebo a escolha do brasileiro quando, afinal, André Almeida não jogou na Champions.
Depois, o efeito-montra no subconsciente de alguns atletas. O que correu Gáitan no jogo europeu comparado com o frete arouquense! E Markovic acordou de um sono pesado de há dias. Já Matic faz toda a diferença porque além de bom jogador, jogo com a mesma intendidade em todos os jogos, seja qual for o opositor. O mesmo se diga de Enzo Perez e do esforçadíssimo Maxi Pereira.
Por fim, a dificuldade (por vezes aliada à desconcentração) que o Benfica sempre tem contra equipas fechadas a sete chaves, situação que, na Luz, terá que saber ultrapassar com quase todos os adversários na Liga.
Apesar dos 10 pontos conseguidos, fica o regresso à Liga Europa, o seu habitat natural. E ironia das ironias: Roberto impediu o Benfica de golear em Atenas e Saviola marcou os golos decisivos na derradeira jornada.
Acabou o sonho (fantasia) do presidente do SLB de chegar à final pela circunstância (logística) de esta se realizar na Luz. Já agora, a Luz bem merece um relvado em condições que não seja o deplorável estado actual. Não apenas para a gala de Maio mas sobretudo para os benfiquistas.
E que Benfica para Olhão? O arouquês ou o parisiense?"

Bagão Félix, in A Bola

Futuro...

Foi hoje anunciado, que o Bernardo Silva renovou com o Benfica, até 2019. E o Rochinha assinou até 2018.
É curioso, como uma notícia claramente positiva, é imediatamente interpretada das formas mais diversas, tentando sempre, atingir o Presidente ou o Treinador...
Ainda esta semana se falou que o Rochinha ia para os Corruptos, ou para Itália. Se por acaso isso tivesse acontecido, imagino o rol de criticas que seriam disparadas.

Ambos têm uma grande vantagem: são Benfiquistas de coração...!!! O Bernardo, devido à sua presença nas Selecções ganhou muita visibilidade nos últimos tempos, o valor é inequívoco... Se tudo correr bem, para o ano fará parte do plantel principal, e com um bocadinho de boa vontade, até pode ser chamado esta época... Quando vejo a impunidade como as sucessivas faltas sobre ele são cometidas na II Liga, até me arrepio!!!
Admito que tenho mais dúvidas sobre a evolução do Rochinha. Os 5 golos marcados no UEFA Youth League são o seu maior trunfo... tem qualidade, é um '10' que sabe finalizar, mas vamos ver como é que fisicamente vai evoluir...

Depois do Nelson Oliveira - entretanto emprestado... -, depois do André Gomes (que continua a não se impor) - o André Almeida foi formado no Belenenses -, esta época temos o Ivan Cavaleiro a dar os primeiros passos na equipa principal... acredito que o Bernardo será o próximo... A seguir temos o Cancelo, o Cardoso, o Hélder Costa, o Rúben Pinto, o Bruno Varela... todos eles têm potencial para serem chamados, nos Juniores temos o Gonçalo Guedes, o Romário, o Nuno Santos, o João Nunes, o Rebocho, o Alfaiate, o João Gomes... etc., etc.,...
Nas próximas épocas temos seguramente vários miúdos a subirem até à equipa principal, independentemente do Presidente, independentemente do treinador... isto é a consequência de um longo trabalho, que começou com as Escolinhas e depois ganhou 'forma' com o Seixal. Pelo caminho alguns miúdos não vão 'entrar', podemos discordar das opções, mas é a lei do mais apto...

A questão sérvia

"Há um ano e pouco, o Benfica vendeu dois médios de nível europeu – Javi García e Witsel –, mas, passados apenas 15 dias, Jesus tinha refeito a equipa, adaptando Matic à posição de Javi e pondo Enzo Pérez no lugar do belga. Neste ano, o Benfica não vendeu ninguém, comprou uma mão-cheia de jogadores – mas, percorrido um terço do campeonato, ainda não encontrou um onze-base nem um modelo de jogo. 
Só pode haver uma explicação para isto: os jogadores sérvios vieram complicar o que estava feito. Não acrescentaram muito e baralharam o treinador que ainda não sabe bem o que há de fazer com eles: Markovic joga às vezes a extremo onde é fraquinho, Sulejmani é pouco utilizado e Djuricic desapareceu. E esta reduzida utilização deve irritá-los, criando possivelmente problemas no balneário.
Diz-se que o Benfica tem um grande plantel. De facto, é grande, mas não é excecional. Tirando Salvio, que se lesionou, não tem nenhum extremo de classe.
Tem uma molhada de defesas-laterais, mas nenhum também com classe indiscutível. Maxi ainda é o melhor, mas está gasto. E Sílvio e Siqueira estão constantemente magoados.
No meio-campo, após a lesão de Amorim, não houve ninguém para o substituir – e foi necessário mudar a ideia de jogo. E para o ataque há gente a mais: Lima, Rodrigo, Cardozo, Djuricic, Markovic, Salvio, Gaitán, Cavaleiro, Ola John, Sulejmani, Funes Mori… São muitos, mas quando Cardozo se lesiona também não há ninguém que faça aquela posição. Como se vê, o plantel não é nada de extraordinário – e é extraordinariamente desequilibrado.
Tem-se discutido muito a má prestação do Porto, mas eu acho que o caso do Benfica é mais grave. O Porto tem tido um problema de resultados – mas o Benfica tem um problema de identidade. Os resultados é que, ainda assim, têm salvado a equipa. Enquanto o Porto mantém os princípios, o Benfica perdeu-os. Seja por lesões ou por excesso de opções, em cada desafio alinha uma equipa diferente – e o modelo de jogo ressente-se. Aquele grupo alegre e goleador que Jorge Jesus montou quando chegou ao Benfica apenas surge em lampejos. Em Atenas jogou bem, ontem também. Mas percebe-se que o treinador ainda não agarrou uma equipa."

Filip

Bom

Benfica B 3 - 1 Sporting B

Mais uma grande vitória da equipa B, hoje num jogo menos intenso do que a recepção aos Corruptos B, mas com uma boa reacção à desvantagem, permitida mesmo antes do intervalo.
Houve momentos que a equipa me pareceu amorfa, principalmente a defender, pouco agressiva, mas nos momentos decisivos, perto da área, fomos objectivos.

Os 'reforços' foram os Centrais e o Funes Mori, mas em contrapartida além do Cavaleiro e do André Gomes, também não jogou o Hélder Costa, que ultimamente tem demonstrado estar em forma. No outro lado também havia vários jogadores que já jogaram na equipa A do Sporting: Dier, Mané, Esgaio, Fokobo, Marcelo...

Dois grandes golos (1.º e 3.º), e um desvio inteligente do Steven no 2.º. Nota-se que a equipa está unida, motivada, e não fosse aquela rotação do plantel algo errática que o Hélder decidiu fazer durante algumas jornadas, e a classificação seria ainda melhor...

O Varela voltou a estar bem, sem erros. O Mitrovic e o Steven estiveram razoáveis... Nota-se no Cancelo, uma maior preocupação em defender bem, gerindo melhor as cavalgadas ao ataque. O Gianni esteve bem, mas admito que depois dos jogos da Selecção do Uruguai esperava mais. O Lindelof parece-me fora de forma... Em sentido contrário o Rúben Pinto nestas novas funções está a renascer, mais um grande jogo a '8', coroado com um excelente golo. O Urreta é outro dos jogadores que com os minutos, tem vindo a subir de rendimento. O Flip Markovic fez um jogo fraquinho. O Bernardo mais um grande jogo, decisivo, mesmo levando muita, mas mesmo muita porrada... a impunidade como se dá porrada ao Bernardo, assusta. O Funes Mori estava a fazer um jogo fraquinho, até que marcou um bom golo, e mais tarde ainda assistiu o Rúben para o 3.º golo!!! Do banco vieram três carraças: Lolo, Rojas e João Teixeira... tenho gostado da evolução do Teixeira nos últimos jogos, está a pedir um jogo completo.

Para finalizar tenho que falar das agressões. Em primeiro lugar tenho que realçar um mistério: como é que o Fokobo não foi expulso durante a partida?!!! Só dá porrada, incrível.
A cena final, começou uns minutos antes, quando o treinador do Sporting, andou a empurrar e quase a rasteirar o Lolo, numa bola que saiu pela linha lateral, a partir daí, as picardias - que estavam contidas nas faltas sobre o Bernardo... - alastraram-se!!!
No último lance da partida, a entrada sobre o Lindelof é criminosa. Num país civilizado, com uma CD com tomates, o jogador Lagarto não levava menos de 10 jogos... O Mitrovic inicialmente teve uma reacção normal, dentro do contexto, e só quando o banco do Sporting entra dentro do campo liderado pelo guarda-redes suplente, é que o caldo se entornou... Se o cartão vermelho ao Mitrovic até se aceita - que peitada tão bem dada...!!! -, como é que é possível, mais uma vez, o Fokobo não ver o Vermelho directo?!!! Como é que é possível o Luís Ribeiro não ter visto o Vermelho directo?!!! E se o árbitro não viu, então agora temos as imagens da Benfica TV, ou não se pode usar as imagens para castigar os Lagartos?!!!
Na NBA existe um regra muito simples, qualquer jogador do banco que entre dentro do campo, num cenário de agressões, é expulso!!! Basta pisar a linha lateral... Problema resolvido.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Mau


Benfica 25 - Sporting 30

É extremamente frustrante, uma jornada após a vitória histórica no antro dos Corruptos, perder desta forma em casa... pensava que estas 'brancas' monumentais estavam finalmente afastadas desta equipa, enganei-me.

Uma 1.ª parte verdadeiramente miserável, com turnovers em catadupa, falhanços aos 6 metros, defesa inexistente.... ainda por cima com o Álamo em noite não!!! Sofrer 17 golos em 30 minutos é um exagero!!
Mais com o coração do que com a cabeça, a equipa tentou recuperar na 2.º parte, quando chegámos aos 21-24, andei pensei que íamos conseguir dar a volta, havia tempo suficiente no cronometro... mas após um desconto tempo pedido pelos Lagartos, voltámos a cometer erros estúpidos, e o jogo ficou perdido.
Só o Pedroso, se safou... até o Dario, que é um jogador muito regular, esteve mal...

Quando vi que o jogo ia ser apitado pelos intragáveis Brothers Martins, fiquei logo com o pé atrás, mas hoje nem foi preciso... cometeram erros, mas o Benfica é que perdeu o jogo.
Perdemos uma excelente oportunidade de cavar uma diferença pontual significativa para os Lagartos, assim passamos para 3.º a um ponto dos Corruptos e do Sporting, é verdade que já jogámos os dois jogos mais difíceis desta 2.ª volta, mas com esta irregularidade, ainda vamos ter mais dissabores... as deslocações à Maia e a Braga vão ser muito complicadas.

Apesar da justiça do resultado, gostaria de perguntar uma coisa: como é que uma equipa, que em todos os seus ataques, passa entre 1 a 2 minutos, a passar a bola lateralmente, sem qualquer progressão, ou tentativa de remate, e não lhe é marcado jogo passivo?!!!

Para memória futura

"Escrevo antes do jogo do Benfica com o PSG. Um encontro importante (pelo menos financeiramente), mas bem atrás da relevância do jogo da 6.ª-feira passada com o modesto Arouca.
Quase sempre os campeonatos se perdem ou ganham nos confrontos ditos mais fáceis. No ano passado, o carrasco do Benfica foi o Estoril (então de volta à 1.ª Liga) na Luz. Este ano, 4 pontos desperdiçados contra dois clubes igualmente promovidos à 1.ª Divisão: Belenenses e Arouca. O clube do Restelo deveria ter servido de sério aviso, uma espécie de empate para memória futura. Mas, pelos vistos, não.
Não compreendo o modo como muitas vezes de encaram estes jogos. Como se o simples andamento dos ponteiros fabricasse vitórias. Como se os primeiros minutos fossem tão-só um treino para aquecer. As equipas que assim encaram estes jogos não se podem queixar das contingências próprias do futebol, nem de autocarros ou aviões das equipas adversárias que, aliás, jogam com as armas que têm.
Não entendo alguns equívocos da equipa técnica. O fiasco Bruno Cortez ainda cá anda porquê? Que motivação terá para jogar quando sabe que vai ser em breve recambiado? André Almeida não se poderia cansar antes do jogo com o PSG? Mas os jogadores não aguentam 2 jogos em 5 dias? Porque diabo se escolheu um momento tão complicado de um jogo para o enigma Funes Mori se estreasse na equipa principal, adiando, aliás, a entrada de Ivan Cavaleiro que sempre dá velocidade e genica ao ataque? O que se passa com os jovens sérvios que se arrastam pelos relvados? Quando se dará uma oportunidade a Oblak até para que Artur sinta que não é dono da baliza?"

Bagão Félix, in A Bola

PS: Eu também sou treinador de bancada tal como o consócio Bagão, também tenho as minhas tácticas, as meus onzes, as minhas substituições, os meus preferidos e os meus mal-amados... somos adeptos, e tudo isto é normal. Agora, isso não quer dizer que temos razão. Até porque as nossas 'escolhas', opostas aquelas que foram tomadas, não foram testadas, e como tal são de eficácia desconhecida... Sendo assim, vou fazer um pequeno exercício do contraditório, brincando com o treinador 'Félix', respondendo a algumas das perguntas deixadas pelo cronista:
a) Cortez - ainda ontem ouvi um dos novos heróis do Benfiquismo - como se pode ler em vários post's hoje escritos pela gloriosasfera -, Carlos Daniel, disse ele: o Cortez não é tão mau como se diz, só precisa de mais tempo de adaptação!!! Disse mesmo que contra o Arouca, sem o Cortez, o Benfica não melhorou!!!
b) André Almeida - gosto do André, mas se tenho toda a confiança quando o André joga na direita, quando é adaptado a defesa-esquerdo fico preocupado: recordo-me da péssima exibição no Jamor... e para quem tem memória mais curta, cometeu um erro grave em Vila do Conde, que deu em golo do adversário!!!
c) Funes Mori - sem o Cardozo, tem sido o Lima a jogar a '9' e as exibições do brasileiro não têm sido boas, marcou golos em 2 penalty's e 1 livre directo, mas de bola corrida, tem irritado muitos. Não tem claramente as características de 'pinheiro', sendo assim a chamada do Funes até peca por tardia...!!!
d) Sérvios -  é verdade que o rendimento não tem sido o melhor, mas se eles não jogarem, como é que podem melhorar!!!
e) Oblak - e se quando o Artur sentir o lugar em perigo, reagir com mais tremedeira?!!!
Tanto os treinadores de bancada, ou sofá, como os gestores de bancada, ou de teclado, podem fazer as dissertações mais brilhantes sobre os mais diversos temas, mas ninguém pode garantir que tem a solução mágica, porque as consequências de cada decisão, têm sempre um grau de incerteza elevado, por mais estudos, ou garantias que possam ser dadas... Compreendo o argumento do desgaste de imagem, tanto do treinador como do presidente, mas esta procura doentia de supostos erros de 'la palisse' cometidos pelos dois... já irrita.

MLS


Jogou-se no último sábado a final da MLS, que foi transmitida no nosso canal. Passou um pouco despercebida, pois a Benfica TV - a celebrar o 5.º aniversário - ainda não encontrou a melhor formula para vender os bons conteúdos que tem (extra-futebol-Benfica). O jogo pode não ter sido tecnicamente bem jogado, mas teve emoção e espectáculo nas bancadas, tudo isto com temperaturas negativas!!!

Os mais cépticos dizem que o Futebol nunca vai conquistar a América do Norte, mas quem acompanha o fenómeno mais próximo, afirma que as coisas estão a mudar... deixo aqui o excelente exemplo da cidade de Portland... o documentário já tem um ano, por isso os adeptos entrevistados não sabiam que a sua equipa esta temporada, chegou às Meias-finais, algo que aparentemente eles não estavam habituados, bem pelo contrário!!!

Obrigação... insuficiente !!!

Benfica 2 - 1 PSG

O jogo foi disputado em ritmo baixo, muito por culpa do estilo de jogo do PSG - parece que querem imitar o Barça!!! -, o Benfica estava com medo de pressionar muito alto, com razão, já que quando o PSG conseguia 'fugir' à 1.ª linha de pressão, os Franceses em ataques rápidos, criavam sempre muito perigo, mesmo com as ausências, o valor individual dos jogadores do PSG é altíssimo... Mesmo assim, as melhores oportunidades da 1.ª parte, foram quase todas do Benfica, sendo o remate do Nico e o cabeceamento do Matic os lances mais escandalosos (pelo menos tinham que acertar na baliza...!!!), mas como vem sendo habitual, canto contra o Benfica: golo do PSG!!! Desta vez além da sorte de um ressalto, existe um jogador do PSG em ligeiro fora-de-jogo... mas já chateia sofrer golos nestas jogadas. Respondemos bem, e numa falta infantil, mas clara, do Traoré, dentro da área, Lima não perdoou, e marcou de penalty - muito bem marcado ao contrário do último!!!
O Benfica entrou mais agressivo na 2.ª parte - provavelmente foram informados que o Olympiakos estava também empatado ao intervalo -, e até aparecer o golo do Nico, o jogo foi todo nosso... Em vantagem, recuámos, o PSG também não queria muita velocidade, e só em erros nossos - passes mal feitos -, os Franceses criaram perigo. Com um bocadinho mais de calma - ou se o Rodrigo tem entrado para o lugar do Lima, para refrescar... -, também podíamos ter marcado o golo da tranquilidade...

Devido ao fortíssimo meio-campo do PSG - posse-de-bola ao estilo Barça -, o Jesus finalmente colocou o Enzo claramente no meio. Ele vai dizer que o Enzo jogou no lugar do Rodrigo, e que não colocou 3 jogadores do meio-campo, mas isso pouco interessa, o importante é que um jogador com as características do Enzo naquela posição, dá uma ajuda ao Matic e ao Fejsa, que um jogador com as características de avançado, não consegue dar... É verdade que depois quando efectuamos cruzamentos, falta jogadores perto do Lima, mas nestes jogos mais complicados, esta tem que ser a estratégia... Sendo que o Lima - ou o ponta-de-lança que jogar... -, tem que ser mais fixo, não pode sair tantas vezes do meio, como costuma acontecer; e o Matic com o Fejsa nas costas, tem que subir mais, sem medos... nota-se que esta mecânica entre os Sérvios ainda não está acertada, às vezes atrapalham-se os dois, na zona perto dos centrais...
Hoje, grande jogo do Luisão, do Sílvio, e do Enzo... boa entrada do Cavaleiro.


Vitória inglória, que nos empurra para a Liga Europa. Desta vez 10 pontos não foram suficientes. Os jogos com os Gregos foram decisivos, e se em Lisboa jogámos mal na 1.ª parte (na 2.ª parte com a chuva, fomos melhores, e merecemos o empate), a derrota na Grécia foi de uma tremenda injustiça...
Não vi o Olympiakos - Anderlecht, mas 3 penalty's e 3 expulsões não é normal... já não bastou ser o Saviola a marcar 2 dos golos do Gregos (outro daqueles que na Luz, acabou em desgraça perante os adeptos!!!), parece que tivemos um 'amigo de peito' do Proença a apitar o jogo na Grécia. Recordo que na época transacta, na última jornada,  e depois de muitos golos falhados em Barcelona, depois de um mau jogo em Moscovo, acabámos eliminados da Champions, a 5 minutos do fim do jogo, com um penalty fantasma, num mergulho mal dado pelo Samaras em Glasgow... e o árbitro também era Alemão!!!

Tenho defendido aqui no blog, o erro (campanha orquestrada, digo eu...) em desvalorizar as ausências forçadas no Benfica. Hoje, o jornal A Bola, esqueceu-se nos seus quadros estatísticos, de colocar o Salvio como um dos ausentes!!! Tenho a certeza que as ausências no PSG vão ser recordadas sempre que alguém recorde a vitória desta noite, mas aparentemente é proibido realçar as nossas limitações...

O meu problema com a Liga Europa (além dos menores prize money's) é o calendário. No mês de Fevereiro a jogar Quinta - Domingo é muito complicado... é obrigatório recuperar os lesionados, e evitar novas lesões (não gostei da maneira como o Markovic saiu...!!!).
Ultrapassando as eliminatórias de Fevereiro, devemos manter os pontos no Ranking, e em consciência todos concordam que as verdadeiras hipóteses de vencer a Champions são muitíssimo baixas, enquanto o Liga Europa está ao nosso alcance, como se provou o ano passado...

Uma nota para o relvado: após a chuvada do Olympiakos, tem vindo a deteriorar-se rapidamente. Como vamos ter a final da Champions na Luz, não sei se o Benfica está a empurrar a factura para os chulos da UEFA... Seja como for, é preciso resolver rapidamente o problema, o Benfica sai prejudicado com este relvado, as equipas que quiserem montar 'autocarros' na Luz vão ser beneficiadas. O próximo jogo na Luz, será o da Taça de Portugal com o Gil Vicente, são 26 dias até lá, duvido que exista outro 'buraco' tão grande no calendário até final da época...

6-ª jornada - UEFA Youth League

Benfica 1 - 1 PSG

Grande golo do Gonçalo, num jogo onde o Benfica foi sempre superior... Se para nós, o 1.º lugar estava garantido, os Franceses aspiravam ficar em 2.º, já nos descontos, permitimos o golo do empate - curiosamente golo irregular por fora-de-jogo...!!! - e assim os Franceses passaram aos Oitavos!!!
O Benfica é muito mais equipa que o PSG, a única vantagem dos Franceses - todos Africanos!!! -, é mesmo na capacidade física...

Para já os nossos potenciais adversários são:
Shakhtar, Copenhaga, Man City, Schalke 04 e o Milan. Amanhã vai-se decidir os restantes dois grupos, as hipóteses são: Arsenal, Dortmund ou Nápoles; Atlético ou Áustria de Viena (creio que não será permitido jogos entre equipas do mesmo país, assim os Corruptos se passarem não são hipótese!!!).
O jogo dos Oitavos será no Seixal, e sendo assim temos tudo para seguir em frente. Apesar dos dois empates nesta fase terem sido exactamente no Seixal, em casa só vencemos ao Anderlecht...!!! Admito que não esperava, resultados tão positivos. Quase metade da equipa é Júnior de 1.º ano, acho mesmo que a equipa do ano passado era individualmente e colectivamente mais forte... e até o provável plantel da próxima temporada, será mais forte!!! Aliás os resultados no Campeonato Nacional não têm sido magníficos, acredito que o desgaste Europeu esteja a contribuir para isso, mas temos que reconhecer o excelente comportamento dos nossos jovens na Europa...

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Lixívia 12

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica......27 (-7) = 34
Sporting.....29 (-1) = 30
Corruptos...27 (+5) = 22
Braga.........15 (+2) = 13

Na Luz, tivemos mais um festival do FuteTuga do anti-jogo, com a total complacência do árbitro - aliás, até ajudou à festa... -, quando, depois de tanta simulação de lesão, tanta demora na marcação de faltas, pontapés de baliza e lançamentos laterais, depois das habituais rábulas absurdas nas substituições, o árbitro chega ao fim do jogo, e dá 4 minutos de compensação, só pode estar a gozar com tudo isto...
O mais engraçado é que para os Anti's, imagine-se, o Benfica foi beneficiado!!! Extraordinário!!!
Como afirmei na crónica, 90% dos ataques do Arouca foram da directa responsabilidade do árbitro. Ou por marcar faltas inexistentes contra o Benfica, ou por não marcar faltas sobre jogadores do Benfica. Sem estes 'empurrões', o jogo tinha sido jogado somente no meio-campo ofensivo do Benfica... A estratégia ofensiva do Arouca, era esperar pelo apito, e depois logo se via!!!
Se por acaso o Benfica adianta-se no marcador, o resultado ficaria 'fechado': aposto.
- Talvez por isso, o Bruno Amaro teve o direito de jogar por duas vezes a bola com a Mão dentro da área, e nada foi assinalado!!! Este é o principal erro do jogo. Porque influenciou tudo o resto, que se passou na partida...
- Logo a seguir, Roberto joga a bola com a Mão a meio-campo, na sequência do ataque, o Arouca marca golo!!! Esta é daquelas Mãos descaradas, que até de Marte se vê... Nesta altura, até podíamos pensar que o árbitro, se enganou na morada, e pensava que estava a apitar um jogo de Andebol, mas não, poucos minutos depois, lá assinalou uma Mão na bola, contra o Benfica  a meio-campo!!!
- Sim, Maxi fez penalty... mas nesta altura o Arouca estava a ganhar, e o empate era suficiente para a Fruta ser paga...!!!
- Sulejmani é empurrado, e tocado na perna direita. O Sérvio está no ar, qualquer toque, mesmo com pouca intensidade pode o desequilibrar... As imagens não esclarecem se também existiu toque na perna esquerda.

Repito, mais do que estes lances, a complacência disciplinar para as sucessivas faltas, algumas bastantes duras nos primeiros 60 minutos do jogo (cartões só na parte final, até porque assim dá para queimar mais alguns minutos), a dualidade brutal de critérios na marcação de qualquer contacto, são indícios mais do que suficiente, para provar que tivemos mais um trabalhinho... Uma das maneiras mais subtis de gerir estes jogos, são nas recuperações 'altas': quando a equipa que está jogar com o 'autocarro' tenta sair para um ataque rápido, e perde a bola, normalmente fica desequilibrada. O Benfica nunca conseguiu uma situação destas, porque na recuperação de bola, foi sempre assinalada falta...

Não satisfeitos com o que se passou no campo, os jornaleiros estão a tentar criar mais um caso: Enzo. Por acaso a falta assinalada ao Enzo é mais uma daquelas invenções do Rui Costa para impedir um ataque ao Benfica, e dar mais uns minutos de 'segurança' ao adversário... Curiosamente o Enzo vira-se para o banco do Benfica, e efectua o sinal de roubo, aparentemente é crime trocar sinais com o banco...!!! Mais do que nós nas bancadas, os jogadores sentem dentro do campo, a inclinação dos campos... tentar castigar um jogador por aquilo, é tão ridículo, que devia deixar envergonhado quem o defende, mas estamos em Portugal, e estamos a falar de um jogador do Benfica, portanto tudo é possível...

Independentemente da má exibição do Benfica, existem coisas que me deixam irritado:
- A desvalorização das ausências (por lesão, ou castigo) no Benfica, por parte dos Benfiquistas é absurdo. Ainda esta semana tanto os Corruptos como os Lagartos, venceram por 2-0, com dois golos dos seus melhores marcadores. O Benfica tem o seu melhor marcador, no estaleiro à um mês. Jogador que já esta época, nos deu muitos pontos. Mas aparentemente, nada disso interessa... Temos o nosso maior desequilibrador ofensivo - Salvio - lesionado desde da 2.ª jornada, mas também não interessa... Tivemos 2 defesas esquerdos lesionados ao mesmo tempo, temos ainda aquele que seria o substituto natural do Salvio, Rúben Amorim, lesionado... E neste jogo, tivemos o nosso motor, Matic, castigado... Se fizerem um exercício comparativo, com qualquer outra equipa, simulando ausências importantes pelo mesmo motivos, durante o mesmo espaço de tempo, aposto, que essas equipas estariam agora, com muitos pontos perdidos... A verdade, é que o Benfica apesar das más exibições, tem passado por este período de muitas ausências, muito melhor do que em teoria, qualquer um de nós pensaria...
- A desvalorização dos adversários. Os jornaleiros no pré-Arouca, como é habitual desvalorizaram o adversário do Benfica ao limite. Se o fazem com os nossos adversários Europeus, porque não o fazer com os nacionais?!!! O problema aqui, é que os Benfiquistas antes dos jogos, acreditam, naquilo que os jornaleiros avençados dizem... Uma coisa é a ambição, legitima e obrigatória, do Benfica vencer todas as partidas, isso ninguém nos tira... outra coisa completamente diferente, é o desrespeito pelos adversários. O Benfica pode ter muitos adeptos, o Arouca poucos, mas durante o jogo são 11 contra 11 (neste caso 11 contra 14!!!) e a bola é redonda... Sinceramente não vi ninguém utilizar mesmo discurso, perante a derrota do Mourinho esta semana (só mais um desaire, contra uma daquelas equipas, que nem vêem no mapa!!!)... Bastava fazer uma rápida analise aos jogos do Pedro Emanuel contra o Benfica, para perceber que o jogo nunca seria fácil.
- O Benfica, devido aos árbitros - e com alguma culpa no cartório -, podia estar neste momento isolado na liderança, com excelentes perspectivas de ser Campeão, tudo isto é indesmentível. Mas ao contrário do que nos querem fazer pensar (ou sentir), continuamos na luta em todas as frentes, dependemos somente de nós, e com o regresso dos lesionados, só podemos melhorar... esta tentativa constante de tentar destabilizar, criando cenários catastrofistas, só servem os interesses de outros... mas muitos, que se dizem Benfiquistas, parece que gostam destes momentos.
Criticar a exibição do último jogo é legitimo, e até pode ter efeitos positivos, servindo para espicaçar os jogadores. Alfredo Farinha, jornalista, Benfiquista, normalmente antes dos jogos, criticava sempre a equipa, dizia ele mais tarde, que era para ninguém adormecer, para ninguém achar que seriam favas contadas... Agora, para entrar no jogo dos Anti's Vieira e dos Anti's Jesus, não contem comigo...


Não vi as outras partidas, mas ninguém se queixou das arbitragens. Nos resumos, gostei de ver os fiscais-de-linha do Jorge Sousa, a decidirem bem, situações de fora-de-jogo, afinal os golos que o Benfica sofreu em fora-de-jogo, com este árbitro, foram um percalço!!!
No jogo dos Corruptos, também gostei de ver a bonomia como a derrota foi aceite pelos derrotados... e já agora gostei de ver, a forma inequívoca como todos aceitaram a legalidade no 2.º golos dos Corruptos, com o Jackson às cavalitas do Nuno André Coelho. É daqueles bom exemplos, que podem ser usados no futuro...

Anexos:
Benfica
1.ª-Marítimo(f), D(2-1), Jorge Sousa, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)
2.ª-Gil Vicente(c), V(2-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
3.ª-Sporting(f), E(1-1), Hugo Miguel, Prejudicados, (0-2), (-2 pontos)
4.ª-Paços de Ferreira(c), V(3-1), Paixão, Nada a assinalar
5.ª-Guimarães(f), V(0-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
6.ª-Belenense(c), E(1-1), Jorge Tavares, Prejudicados, (2-0), (-2 pontos)
7.ª-Estoril(f), V(1-2), Manuel Mota, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8.ª-Nacional(c), V(2-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
9.ª-Académica(f), V(0-3), Hugo Pacheco, Prejudicados, Sem influência no resultado
10.ª-Braga(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, Sem influência no resultado
11.ª-Rio Ave(f), V(1-3), Paixão, Nada a assinalar
12.ª-Arouca(c), E(2-2), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)

Sporting
1.ª-Arouca(c), V(4-1), Rui Costa, Nada a assinalar
2.ª-Académica(f), V(0-4), Soares Dias, Beneficiados, Sem influência no resultado
3.ª-Benfica(c), E(1-1), Hugo Miguel, Beneficiados, (0-2), (+1 pontos)
4.ª-Olhanense(f), V(0-2), Benquerença, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
5.ª-Rio Ave(c), E(1-1), Xistra, Prejudicados, (2-1), (-2 pontos)
6.ª-Braga(f), V(1-2), Paulo Baptista, Nada a assinalar
7.ª-Setúbal(c), V(4-0), Duarte Gomes, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8.ª-Corruptos(f), D(3-1), Soares Dias, Nada a assinalar
9.ª-Marítimo(c), V(3-2), Bruno Esteves, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
10.ª-Guimarães(f), V(0-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
11.ª-Paços de Ferreira(c), V(4-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
12.ª-Gil Vicente(f), V(0-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar

Corruptos
1.ª-Setúbal(f), V(1-3), João Capela, Beneficiados, Impossível contabilizar
2.ª-Marítimo(c), V(3-0), Jorge Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
3.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-1), Rui Costa, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
4.ª-Gil Vicente(c), V(2-0), Hugo Pacheco, Prejudicados, (3-0), Sem influência no resultado
5.ª-Estoril(f), E(2-2), Rui Silva, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6.ª-Guimarães(c), V(1-0), Proença, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
7.ª-Arouca(f), V(1-3), Vasco Santos, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Sporting(c), V(3-1), Soares Dias, Nada a assinalar
9.ª-Belenenses(f), E(1-1), Miguel Mota, Beneficiados, (2-1), (+1 ponto)
10.ª-Nacional(c), E(1-1), Xistra, Nada a assinalar
11.ª-Académica(f), D(1-0), Capela, Beneficiados, (2-0), Sem influência no resultado
12ª-Braga(c), V(2-0), Paulo Baptista, Nada a assinalar

Braga
1.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-2), Bruno Paixão, Nada a assinalar
2.ª-Belenenses(c), V(2-1), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar
3.ª-Gil Vicente(f), D(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, Sem influência no resultado
4.ª-Estoril(c), V(3-2), Capela, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
5.ª-Arouca(f), V(0-1), Marco Ferreira, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
6.ª-Sporting(c), D(1-2), Paulo Baptista, Nada a assinalar
7.ª-Nacional(f), D(3-0), Soares Dias, Nada a assinalar
8.ª-Académica(c), D(0-1), Benquerença, Beneficiados, Sem influência no resultado
9.ª-Rio Ave(c), D(0-1), Jorge Tavares, Nada a assinalar
10.ª-Benfica(f), D(0-1), Nuno Almeida, Beneficiados, Sem influência no resultado
11.ª-Olhanense(c), V(4-1), Soares Dias, Nada a assinalar
12ª-Corruptos(f), D(2-0), Paulo Baptista, Nada a assinalar

Jornadas anteriores:

Épocas anteriores: