Últimas indefectivações

sábado, 22 de março de 2014

Líderes... com arte !!!

Benfica 3 - 1 Sporting

Pois é, dois jogos no Campeonato, contra o Sporting, duas vitórias!!! Mais do que a classificação final da fase regular, o facto, é que este Benfica, com estes jogadores, nos a contar com os Lagartos, ganhou sempre... e este facto, vai ter de certeza, impacto na maneira como as equipas vão encarar a mais do que provável Final do Play-off!!!
Recordo agora as declarações do treinador Lagarto, na Final da Taça de Honra da AFL, onde ganhou no último segundo, em 5x4, depois do mais uma arbitragem miserável, que perdoou uma expulsão ao Caio Japa, e permitiu, mais uma vez, defesas fora da área com as Mãos, ao Benedito!!! Dizia ele, todo histérico, eufórico - bêbedo se calhar -, que este Benfica com muitas estrelas, não jogava nada, que o resultado justo tinha sido uma goleada, que os jogadores dele, eram uns heróis, etc, etc,...!!! Pois, para já, as os que não jogam nada vão ganhando...  e ainda estão na Taça!!!

O jogo até começou mal para o Benfica, com o golo do Sporting, em mais um erro nosso... mas sinceramente, hoje, foi um daqueles jogos, onde a equipa me deu confiança!!! O Marcão fez alguma boas defesas, mas mesmo assim comparado com muitos outros jogos, onde o nosso guarda-redes leva com um 'massacre' de adversários isolados, hoje, defensivamente tivemos mais consistentes... E depois, com a nossa qualidade lá na frente, era só uma questão de tempo...
Apesar dos golos no meu entender parecerem inevitáveis, os nossos jogadores hoje esmeraram-se, pois só marcámos grande golos!!! Obras de arte... então o 1.º e o 2.º são para emoldurar!!!
O meu único receio, como já é tradicional era o 5x4 nos últimos minutos. Deste vez, o Sporting apostou no guarda-redes a mais de 7 minutos do final, logo a seguir ao nosso 3.º golo!!! Foram 7 minutos, onde defendemos muito bem, contei 3 oportunidades para o Sporting neste período, o que comparado com jogos anteriores, é melhoria (da nossa parte) considerável... E com um bocandinho mais de calma, até podíamos ter marcado o 4.º!!!
Além da vitória, também foi importante não sofrer golos, nesta situação de 5x4, pois transmite a mensagem aos Lagartos, que o 5x4 no final pode não lhes ser suficiente para vencer... algo que, nas últimas épocas tem parecido inevitável!!!

Curioso, que um jogo sem casos de arbitragem, tenha terminado com vitória para o Benfica... Eu sei que disse no início do post, que o 1.º lugar tem uma importância relativa, mas já que estamos à frente, por favor não estraguem a vantagem!!!

Sofrimento recompensado !!!

Benfica 4 - 3 Paços de Arcos

Mais um jogo sofrido, mais um jogo que podia ter sido resolvido de outra maneira...
A equipa pareceu-me demasiado ansiosa, e o facto dos 2 dos 3 golos do Paço de Arcos terem sido obtidos de penalty, e de Livre Directo, com 2 cartões azuis para o Benfica(!!!) e com o Benfica a desperdiçar o único penalty que beneficiou, não ajudou a acalmar a equipa...
É verdade que o jogo da 1.ª volta, e os jogos do ano passado, com o Paços, foram todos muito sofridos, mas podemos e devemos vencer com mais tranquilidade...
Para cumulo, acabou por ser um dos jogadores, com um rendimento mais baixo: Carlos López, perto do final do encontro a decidir a partida a nosso favor...


Juniores - 7.ª jornada - Fase Final

Benfica 1 - 0 Corruptos

Vitória importantíssima, num jogo atípico do Benfica!!! Com a vitória em Manchester na última Terça-feira, era expectável que a equipa hoje se apresentasse com algumas limitações físicas. O jogo em Inglaterra foi duro, num relvado impróprio, foram as viagens, foram as celebrações... No último sábado já tínhamos tido outro jogo complicado em Alcochete, tudo isto somado, transformou uma vitória fácil, numa vitória muito, mas muito, difícil. A classificação no Campeonato (mais 7 pontos para o Benfica), o trajecto na UEFA Youth League, e até os anteriores confrontos destes jogadores, noutros escalões etários, dizem claramente que este Benfica, é mais forte...
Mas hoje, principalmente na 1.ª parte, o Benfica jogou recuado, sem intensidade, dando a iniciativa do jogo aos Corruptos. Parece que os jogadores entraram em campo, com o 'chip' de Manchester!!! É verdade, que a primeira grande oportunidade até foi do Benfica, numa jogada do Romário, que cruzou para remate do Nuno Santos, e que foi salva em cima da linha de golo... Mas depois, até ao intervalo, fomos obrigados a ver o Graça a mostrar todos os seus reflexos em várias ocasiões... parecia a continuação do jogo de Manchester!!!
Mas a ida ao balneário fez bem à equipa, entrámos praticamente com o golo do Rochinha, em mais uma jogada iniciada pelo Romário. A partir daí, o jogo abriu-se e tivemos o melhor momento do Benfica, com várias oportunidades falhadas... Alguns minutos depois, o central dos Corruptos é finalmente expulso, já devia ter visto o 2.º amarelo na 1.ª parte!!! O jogo parecia estar decidido, o 2.º golo parecia inevitável, mas pouco depois o Alfaiate também é expulso!!! Voltámos a recuar, mas desta vez, conseguimos sair várias vezes em contra-ataques mortíferos, mas nestas situações o Romário decidiu quase sempre mal...
E assim, com a vantagem minima, lá tivemos que sofrer até ao fim da partida... com muitos livres perto da área do Benfica!!!

A arbitragem até começou relativamente bem, mas depois faltou-lhe coragem, para manter o critério, e expulsar meia-equipa Corrupta, que como é normal, a perder, foram aumentando o grau de agressividade, agredindo várias vezes os nossos jogadores, sempre com impunidade... E discutindo todas as decisões do árbitro, todas!!!
No final, tivemos mais um festival de mau perder, dos mesmos de sempre!!!

Com a qualificação para a Final 4 da UEFA Youth League, o calendário ficou ainda mais sobrecarregado. Creio que ao final da 1.ª volta, que o Benfica tem a equipa mais forte, e só a 'branca' com o Leixões no Seixal impede o Benfica de estar na frente isolado. Neste momento só o Braga e o Sporting podem-nos incomodar... Mas com os jogos em cima uns dos outros, não podemos facilitar outra vez... Sendo o próximo jogo em Matosinhos mais uma autêntica Final... será importante ganhar alguma vantagem antes do Final 4 da UEFA, para depois termos alguma margem de manobra.

Benfica.............16
Braga................16
Sporting............14
Corruptos...........9
Oeiras................8
Leixões..............8
Leiria.................4
Guimarães.........3

Tanta emoção!

"TABRIZ - A primeira passagem por estar enorme cidade iraniana levou-me a criar laços muito fortes com os fãs do Tractor. Uma empatia que nasceu logo nos primeiros dias da minha extraordinária aventura neste país, em Junho de 2012, e se foi cimentando ao longo de uma época. Houve períodos em que a equipa jogou um bom futebol, houve outros menos bons, mas os adeptos sempre me trataram com um carinho muito especial. Nenhum treinador fica indiferente a uma relação dessas e muito menos um treinador estrangeiro num país tão distante. Quando, no verão seguinte, faltavam apenas cinco dias para terminar a época, o presidente do Tractor decidiu dispensar-me, com a equipa então já apurada para a Champions asiática e como vice-campeã do Irão. Isso provocou uma onda de indignação entre os fãs, que se foi prolongando ao longo dos tempos até quase forçar o meu regresso, há quase dois meses, ao comando do Tractor... Chegado aqui, é importante que os meus novos leitores sintam também que há muito mais vida para lá do futebol. Há momentos do ponto de vista desportivo que jamais esquecerei, como a emocionante chegada a Tabriz neste meu regresso, com milhares e milhares de pessoas à minha espera no aeroporto, no dia em que se abateu sobre a cidade o maior nevão deste inverno, como jamais esquecerei o dia da final da Taça do Irão, que jogámos fora de casa, a 14 de Fevereiro último, dia em que o Tractor conquistou o primeiro troféu da sua história, e o regresso a Tabriz, por volta da uma da manhã, recebidos por uma multidão em euforia, a saudar os seus heróis e a viver, assim, um dos momentos de maior felicidade enquanto massa adepta desta equipa à qual sinto, cada vez mais, profunda e afectiva ligação... Momentos únicos de quem sabe há muito, fruto da experiência de vida e de futebol, que a glória, mesmo sempre efémera, não deixa de promover um lastro de felicidade, momentânea sim, mas inolvidável... Nessa onda de euforia que o futebol do Tractor trouxe à cidade de Tabriz, tive oportunidade de viver, pela segunda vez na minha vida, uma outra experiência marcante... a visita às crianças, ao ambiente e às emoções fortes de um hospital pediátrico de oncologia... semelhante à visita que fiz, há muitos anos, em Lisboa... Voltei agora, em Tabriz, a viver e a sentir, uma experiência a que regressarei numa próxima crónica. Até lá, perdoem-me, mas preciso de digerir também as emoções de ir perdendo amigos, como acaba de acontecer com a partida do meu amigo Manuel Barbosa."

Toni, in A Bola

Eliminados da Taça de Portugal...

Castêlo da Maia 3 - 1 Benfica
16-25, 25-20, 26-24, 25-22

Objectivo falhado. O Campeonato é o principal objectivo, mas a Taça também era para ganhar...
O Castêlo subiu bastante de rendimento nos últimos meses, o nosso último jogo na Maia (vitória à rasca...), no final da 1.ª fase deveria ter servido de aviso. Não vi o jogo, mas parece que a Recepção foi uma desgraça... cá para mim, depois das facilidades do 1.º Set, a equipa pensou que estava ganho!!!
Amanhã vamos voltar a defrontar o Castêlo, no mesmo Pavilhão, mas para o Campeonato. Neste momento somos líderes isolados, mas ainda temos que ir aos Açores, portanto se quisermos ir para a Final do Campeonato, com a vantagem do factor casa, é melhor não perdermos nenhum ponto, para não dar esperança à Fonte do Bastardo

Ninguém quer a Juventus

"Começo pela perda de um amigo, Medeiros Ferreira, com quem partilhei uma amizade de sete anos na Assembleia da República, e quase vinte dum benfiquismo comum. Sempre aquela lucidez, aqueles SMS optimistas quando tudo corria mal, mas por outro lado aquela inteligência arguta e serena quando tudo corria bem a convocar-nos para o efémero da alegria e da tristeza à Luz da grandeza do nosso Benfica. Só lhe posso publicamente agradecer tanta amizade, tanta paciência e tantos ensinamentos. Morreu um dos últimos homens verdadeiramente livres, num país em que quase todos estão em cativeiro. Medeiros Ferreira só se deixava aprisionar pelas suas convicções e pelas suas paixões e basta isto para o tornar singular.
Guardiola respondeu a todas as nossas dúvidas, quando esta semana desabafou que a mulher discorda das opções tácticas dele. O futebol é assim um espaço e liberdade. Onde o racional é constantemente cilindrado pela emoção, onde a lógica vem do coração e a matemática perde com várias outras ciências menos exactas.
Em Inglaterra a dança de Jesus foi mais comentada do que o banho de táctica que Jesus deu a Sherwood. Na Madeira um abraço de Shéu a Jesus foi mais notado que o estupendo golo de Rodrigo. Mas a matemática ajuda, o Benfica leva sete pontos de avanço do Sporting e doze do FC Porto. Não perde na Liga desde o jogo com Jorge Sousa da primeira jornada, e não perde na Taça desde o jogo com Jorge Sousa do Jamor. O empate de ontem com os ingleses mostrou que para ganhar são necessários os melhores. O objectivo foi conseguido e o Benfica da era Jesus está pelo quinto ano consecutivo nos quartos de final de uma prova europeia. No sorteio de hoje ninguém quer a Juventus, embora haja outros a evitar. Qualquer serve desde que se consiga estar no próximo sorteio."

Sílvio Cervan, in A Bola

sexta-feira, 21 de março de 2014

Os bons da fita

"Nem um golo que ninguém viu, nem um penálti teatralizado por Capel (ambos no jogo de Setúbal), impediram as hostes sportinguistas de passar uma semana inteira a coagir os árbitros, vitimando-se até à náusea, numa prática que tem sido imagem de marca do clube de Alvalade.
O folclore é habitual, mas já era tempo de todos os agentes (sobretudo árbitros, mas, também, comunicação social) o reconheceram, reduzindo-o à sua real insignificância.
Infelizmente, não só um corrupio de comentadores logo se dispôs a assegurar que sim - que o Sporting tem sido 'o mais prejudicado' -, como as arbitragens na jornada seguinte vieram confirmar o velho ditado popular segundo o qual: 'quem não chora, não mama'.
Eis que o clube do luto, dos comunicados, dos movimentos 'basta', das montras de talho partidas, e dos depósitos na conta bancária de fiscais-de-linha, ganha com um golo irregular, vê um penálti por assinalar na sua área, e assiste à expulsão injusta de um jogador adversário - tudo compondo uma espécie de evangelho segundo Proença. No outro campo onde se jogava para o título, um árbitro que entretanto viu ameaçados os seus bens e a sua família, tendo sido ferozmente acusado de 'benfiquismo' pelo próprio presidente do Sporting, rapidamente se apressou a demonstrar uma estranha 'isenção', assinalando um penálti inexistente aos cinco minutos de jogo, e poupando a expulsão de um jogador madeirense pouco tempo depois.
Não sei como vai a contabilidade de Bruno Carvalho quanto a pontos ganhos e perdidos. Assim de repente, recordo-me do empate no 'dérbi' da primeira volta com um golo em fora-de-jogo de Montero, e um penálti por marcar sobre Cardozo; de golos irregulares em Coimbra e em Olhão; de um penálti fora... do campo, contra o Belenenses; de outros penáltis inexistentes em Alvalade, contra V. Setúbal e Marítimo; para além dos já mencionados benefícios das duas últimas jornadas. Quantos pontos aqui vão?... é fazer as contas.
Será que, perante tudo isto, não podemos também nós dizer 'basta'?"

Luís Fialho, in O Benfica

Ah! Fadistas!

"1. Se eu fosse árbitro (credo!) e entrasse em campo com o propósito vincado de prejudicar uma equipa, podia muito bem anular-lhe um golo limpo por um pretenso fora-de-jogo mas não trataria de validar de imediato outro golo que ninguém consegue dizer ao certo se o foi ou não. Aliás, se canalhamente tivesse a vontade de esbulhar essa tal equipa, também não iria oferecer-lhe um «penalty» muito duvidoso a cinco minutos do fim. A menos que além de desonesto fosse estúpido. Muito estúpido.

2. De olhos esbugalhados a aguar por postas de vitela, de bolsos cheios pela venda de opiniões a jornais e televisões sobre matérias das quais só exibe uma confrangedora ignorância, um dos mentores desta épica jornada agora inventada para limpar o futebol em Portugal (onde andavam eles quando o Apito Dourado emporcalhava definitivamente estes velhos senadores que ainda por aí vegetam?) tratou de juntar à mesa um belo grupo de atoleimados de garfo em riste e copo em punho prontos a tornar públicos os seus vapores alcoolizados. O Eça é que os topava: «No fundo são todos fadistas! Do que gostam é de vinhaça e viola e bordoada e viva lá o seu compadre!»

3. Para se ser o melhor treinador do mundo e arredores e andar nas palminhas dos jornais portugueses não basta mostrar três dedos ao adversário. É preciso espetar-lhes nos olhos e de preferência à traição. O Mourinho que o diga..."

Afonso de Melo, in O Benfica

Resgate emocional

"Eusébio partiu. Fê-lo cruelmente. Coluna partiu. Fê-lo cruelmente também. No espaço de poucos dias, o Benfica perdeu duas das suas maiores referências emblemáticas numa história centenária. Há horas, recebemos a notícia da morte de José Medeiros Ferreira, conhecido intelectual, político saliente, benfiquista entranhado.
Sem embargo da sua reconhecida maturidade cívica, foram muitas as divergências que tivemos. De natureza ideológica, numa acentuada cifra de discrepâncias nas abordagens a uma sociedade pautada por gritantes desigualdades e não menos injustiças. Já quanto ao Benfica, o cumprimento fraternal que trocávamos, as palavras de assentimento que transmitíamos, revelavam, no essencial, quase absoluta sintonia.
Medeiros Ferreira acaba de nos deixar. Porventura, outros ilustres benfiquistas, mais ou menos anónimos, mas igualmente importantes no nosso universo grandioso. Com excepção de Eusébio ou Coluna, poucos mais, não existem apaniguados da causa de diferentes categorias. Somos todos iguais no apego ao Clube, na veneração ao seu historial, na ovação ao seu presente, na persuasão ao seu futuro reluzente.
Perdemos Eusébio, perdemos Coluna. Perdemos, mas ganhamos ainda mais emoção. Aquela que Medeiros Ferreira tinha, outros também, na hora da partida. Para mitigar a nossa dor, felizmente, vivemos um período entusiasmante em termos competitivos na mais predilecta das modalidades. O ano parece mais vermelho do que os últimos. Por Eusébio e por Coluna, ainda por José Medeiros Ferreira e outros associados ou simpatizantes da razão rubra."

João Malheiro, in O Benfica

Goleada televisiva

"1. O Benfica-Estoril, transmitido pela Benfica TV, teve uma audiência de 4,1 por cento, contra 3,3 por cento do Setúbal-Sporting, emitido pela Sport TV à mesma hora (17h de domingo). Triunfo retumbante da nossa TV e do nosso Clube que, à partida, estavam em desvantagem: o jogo de Setúbal foi muito mais emocionante em termos de resultado que o da Luz, resolvido (2-0) logo no primeiro quarto-de-hora; a Sport TV tem mais assinantes (cerca de 450 mil) que a Benfica TV (mais de 300 mil); a generalidade dos benfiquistas terão visto a Benfica TV, enquanto a generalidade dos adeptos dos restantes clubes, para além dos sportinguistas, não sendo assinantes da nossa TV, estariam naturalmente inclinados a ver a Sport TV; e, além de tudo isto, não estavam em casa cerca de 55 mil benfiquistas (que foram à Luz), contra escassos milhares de sportinguistas (em Setúbal). Pois, apesar de tudo isso, o Benfica e a nossa televisão ganharam e por boa margem. É a diferença da grandeza dos clubes.

2. Demos dois passos importantes nas duas principais competições que estamos a disputar. Em Londres, grande exibição e excelente resultado, que se espera confirmado na segunda mão, entretanto já realizada quando este jornal chegar aos benfiquistas. No Funchal, num sempre difícil e imprevisível campo, começamos praticamente a perder, demos a volta com uma excelente primeira parte, gerimos na segunda e 'matámos' o jogo depois de um pequeno susto. É preciso é continuar com este espírito, sempre 'desconfiados' dos adversários que aí vêm. E, claro, somando vitórias...

3. Espero que o Sporting desconte dois pontos ao seu (muito parcial) 'deve-e-haver' da arbitragem neste campeonato. A equipa de Pedro Proença conseguiu ajudar o Sporting a ganhar o jogo, embora não se vislumbre isso nas capas dos dois 'desportivos' lisboetas de segunda-feira passada, que se esqueceram de referir esse benefício, ao contrário do que havia acontecido (e bem) duas semanas antes, aquando do nosso golo no Restelo... A campanha sportinguista da última semana, pelos vistos, deu resultado, no campo e... nas capas dos jornais!"

Arons de Carvalho, in O Benfica 

Contra as injúrias da sorte

"Quando o Benfica já estava a aviar com 3 golos o Tottenham Hotspurs, o que se ouvia em White Hart Lane, Londres, era 'Só mais um, só mais um, só mais um...', em língua portuguesa. A verdade é que ainda com o marcador por estrear o que se ouvia era 'SLB, SLB, Glorioso SLB'. Isto acontece seja qual for a cidade do Mundo onde jogue o Benfica, é único em relação a clubes portugueses e será muito raro para qualquer clube do Mundo. O Benfica não tem fronteiras.
Estas vitórias são um justíssimo motivo de regozijo para os Benfiquistas e para Portugal. Independentemente dos Benfiquistas que se deslocam a acompanhar a equipa, o Benfica tem adeptos, na planetária dispersão do povo português, prontos a apoiar o Clube. E na realidade, o Benfica também os apoia.
Portugal sempre tem sido, e é agora uma vez mais, um País de emigração, o que não é motivo de grande orgulho para o País, que não assegura o presente e o futuro dos seus filhos, mas é um imenso motivo de orgulho para os portugueses, um povo desenrascado, sempre disposto a arregaçar as mangas, pôr a trouxa às costas e procurar oportunidades onde elas existam. Para esses muitos milhares de portugueses, uma visita do Benfica e uma vitória do Benfica lá fora compensa muitas das frustrações da vida. O Reino Unido é actualmente o principal destino de emigração dos portugueses, que têm vindo a fugir da crise, e do país, à razão de 120 mil por ano. Em Londres, na passada quinta-feira, 13 de Março, o Benfica deu a muitos desses portugueses o conforto de uma vitória, o aconchego de uma alegria, o amparo de um desforra 'contra as injúrias da sorte', como se canta no poema de A Portuguesa. Esta crónica, com vossa licença, é dedicada ao meu filho Manuel, em Londres."

João Paulo Guerra, in O Benfica

Estupor

"A crueldade de ver partir em tão pouco tempo gente que tanto se admira e de quem tanto se gosta.

Perder qualquer pessoa de quem se gosta e se admira é sempre um murro no estômago. Quando se perde um amigo a dor é ainda maior. Partiu esta semana um homem de quem muito gostava e admirava, e acaba de partir um amigo de quase trinta anos. Levei um murro no estômago e sinto, agora, uma dor profunda. Não me levem os leitores a mal a intimidade que aqui partilho.
A partida de Medeiros Ferreira deixou-me muito triste; o desaparecimento, ontem, de Manuel Barbosa deixou-me em lágrimas.
Não se trata de ser ingrata a vida, trata-se de a sentirmos cruel quando nos leva assim em tão pouco tempo gente de quem tanto gostamos, e a mim, ultimamente, a vida tem-me dado fortes murros no estômago. Na família e nas amizades e em gente que admirámos.
Sé este ano, já vi partir Eusébio... o senhor Ferreira... e o senhor Coluna... duas das figuras do futebol que, conhecendo, mais admirei, e já me despedi esta semana do professor Medeiros Ferreira, que acompanhei até à última morada, no Cemitério dos Prazeres, e chorei ontem pela partida de Manuel Barbosa, com quem tanto me zanguei, discuti, me alegrei, convivi, partilhei e emocionei praticamente ao longo de toda a minha vida de jornalista.

Não faço a menor ideia se alguma vez Medeiros Ferreira e Manuel Barbosa privaram um com o outro, mas não será difícil presumir que, pelo menos, se conheciam, quanto mais não fosse pela paixão benfiquista de ambos. Mas não tinham apenas isso em comum.
Além de fervorosos adeptos encarnados, que tanto desejavam ver o Benfica este ano campeão, diziam ambos as palavras com todas as letras até pela afirmação das pronúncias açoriana e minhota de que os dois tanto se orgulhavam.
Adoravam uma boa conversa, de preferência dura, exigente e suficientemente argumentativa para nunca se ficar pelas meias-tintas, e tinham ambos um sentido de humor, embora diferente na acidez e na subtileza, capaz de os levar a rirem-se até deles próprias.

Medeiros Ferreira era historiador, homem inteligente e culto, professor e político, sempre com activo exercício da cidadania, figura incontornável da democracia portuguesa e de integração de Portugal na União Europeia. Era um extraordinário conversador e - como bom conversador -, igualmente um extraordinário ouvinte e ainda um verdadeiro.. encantador de histórias.
Conheci-o, há um bom par de anos, através dos meus amigos Leonor Pinhão e João Botelho, com quem Medeiros Ferreira tinha relação muito próxima e de quem foi, durante anos, vizinho.
Fora de combater político, do palco público e da actividade profissional, Medeiros Ferreira quase sempre tinha um sorriso. Foi assim que o encontrei, sucessivamente, ao longo dos anos, com aquele sorrido que lhe vinha também do jeito de ser e de estar.
Se partilhava com Manuel Barbosa a paixão pelo Benfica, o professor Medeiros Ferreira, como carinhosamente sempre o tratei, partilhava comigo a paixão pelo futebol e pela história do futebol, pela comunicação e pela história da comunicação e dos media, como bom historiador que também era.
Tive o privilégio de conviver com o professor Medeiros Ferreira em muitos momentos ligados ao futebol, à cultura e até mesmo à vida política.
Na Ponta Delgada que o viu nascer, fez 72 anos em Fevereiro, quando A BOLA o convidou para a ímpar iniciativa de homenagear o futebolista açoriano Pauleta, e partilhámos ainda a experiência sul-africana do Campeonato do Mundo de 2010, onde esteve como comentador de um diário generalista e eu como enviado-especial deste jornal.
Era um homem bom e um homem simples, um apaixonado pelas coisas da vida, das mais às menos profundas, e um extraordinário orador, que dava, naturalmente, gosto ouvir. Como bom cavalheiro, era um admirador das mulheres e, por muito tempo sem o sabermos, partilhávamos até a admiração pela encantadora e combatente Joana Amaral Dias, com quem o professor dividiu muitas horas de debate político na televisão e eu uma relação platónica de admiração profissional.
Não fui aluno nem companheiro de luta nem amigo íntimo do professor Medeiros Ferreira mas posso dizer que gostávamos francamente um do outro e gostávamos francamente de conversar um com o outro, ao ponto de o professor ter aceite o meu convite para estar como comentador num dos espaços de informação desportiva do então recém-criado canal de televisão de A BOLA, quando A BOLA TV era ainda uma televisão apenas na Internet.
Como eu gostava do professor Medeiros Ferreira.

Custa-me mais falar de Manuel Barbosa porque a Manuel Barbosa ligam-me muitos anos de amizade, muitas tardes de discussão e muitas noites de futebol.
Nos últimos tempos, fui percebendo e testemunhando como lhe fugia a vida que tão intensamente vivia, e foram então mais as horas de conversas pelo telefone do que os momentos de sorrirmos na cara um do outro.
De Manuel Barbosa escrevi o possível nas páginas centrais desta edição, e dele me esqueci ter sido responsável pela saída do primeiro treinador português de futebol para o estrangeiro, quando na década de 80 levou o saudoso - mas felizmente bem vivo - Quinito para o Kuweit.
Se me esqueci de mais alguma coisa é apenas porque escrevi o possível sobre um amigo que só não foi capaz de resistir ao estupor do cancro.
E me fez chorar."

João Bonzinho, in A Bola

Desejo concedido...

Ontem, pedi o AZ, hoje as bolinhas deram o AZ, portanto não me posso queixar!!!
O único perigo potencial, é os jogadores acreditarem na campanha de desvalorização do adversário que já começou... mas felizmente os jogadores do Benfica, já estão habituados a este tipo de analises canestras!!! Aliás, antes do Sorteio desta manhã, houve mesmo alguém que afirmou (sem se rir...!!!) que o Benfica tem a obrigação de derrotar a Juventus!!! Portanto, mesmo se tivéssemos como adversário, o antecipado Campeão Italiano, teríamos muitas 'facilidades'!!! Portanto, com o AZ como adversário, será mais do mesmo...!!!

Também como é habitual, já existem Benfiquistas a pensar nas Meias-finais, são os mesmos que quando as coisas não correm bem, parecem 'loiras histéricas'!!! A falta de humildade e atitude, que muitas vezes é apontada aos jogadores, normalmente começa nas bancadas (neste caso nos teclados!!!), sem respeitar o adversário, que com sorte ou azar, foi com competência que chegou aos Quartos-de-final da Liga Europa, e sendo assim, não será tão mau, como alguns vão querer fazer passar...

Pedi o AZ, porque ontem foi visível, que a equipa do Benfica está perto do limite físico. Neste momento em que o Campeonato Português ainda não está decidido, seria muito perigoso ter dois jogos Europeus, muito competitivos, com adversários de grande valia, como a Juventus, o Valência ou o Sevilha (e até os Corruptos)... e mesmo o jogo físico (porrada) do Basileia não seria agradável. Assim, na 1.ª mão na Holanda, o Jesus vai de certeza absoluta, manter a rotação profunda do plantel, e no segundo jogo, consoante o resultado do primeiro, vai ponderar as prioridades... Seria 'interessante' que até lá, o Sporting perdesse no mínimo 2 pontos, e o Benfica mantivesse o caminho das vitórias, porque nessa situação, já poderíamos arriscar mais um bocadinho na Europa.

O AZ Alkmaar na fase de grupos do Liga Europa ficou no mesmo grupo do PAOK, empataram os dois jogos entre eles, e acabaram empatados no final da fase grupos, com vantagem para os Holandeses nos 'golos'!!! Não estarei errado, ao pensar que o valor das duas equipas, é similar... Estão em 7.º na Liga Holandesa, não têm nenhuma estrela, mas têm alguns jogadores interessantes lá na frente... Destaco somente a muita experiência internacional do Dick Advocaat, treinador do AZ.

Será a primeira vez que defrontamos estes Holandeses, mas recordo-me da eliminatória emocionante do AZ com o Sporting... Neste momento, o Campeonato continua a ser a prioridades das prioridades, em 2.º vem a Liga Europa, e pessoalmente coloco a Taça de Portugal no 3.º lugar. E prevejo, que o sucesso desta eliminatória, vai depender muito da rotação que o Jesus, vai fazer na 1.ª mão da Taça de Portugal no Dragay!!!

quinta-feira, 20 de março de 2014

Susto com final feliz !!!

Benfica 2 - 2 Tottenham

Foram 78 minutos controlados, em ritmo de treino, e 15 minutos finais (já com os descontos) de susto, com o Oblak a evitar um chato e imprevisível prolongamento!!! O jogo foi jogado a baixa velocidade, muito por culpa da pouca ambição dos Ingleses (eles é que tinham que correr os riscos), com o Benfica a manter o jogo longe da nossa área, e a criar esporadicamente oportunidades de golo, tendo marcado numa delas...
A eliminatória parecia decidida, os jogadores Ingleses pareciam resignados, até que, marcaram o 1.º golo: numa jogada em que o Luisão não pode perder a bola no ar, algo que aconteceu várias vezes... e a nossa defesa tem que ganhar a 2.ª bola, e nunca pode permitir na sequência da bola disputada no ar, um situação de 1 para 1 a caminho da baliza!!! Já se sabia, com um golo os Ingleses iriam-se entusiasmar, e na jogada imediatamente a seguir, em fora-de-jogo (ligeiro, mas em fora-de-jogo), o Tottenham faz o segundo, sem fazer praticamente nada para o merecer... O Benfica tremeu (mas não caiu...), o Oblak foi resolvendo as situações, mas foi notório as dificuldades físicas de vários jogadores do Benfica: Salvio, André Gomes, Siqueira, Sulejmani, Amorim... Já depois da hora (já com os descontos esgotados), o Lima sofre um penalty óbvio, marcou-o, e evitou a derrota na Luz, para bem da estatística!!!
Por razões opostas, tivemos vários jogadores nos minutos finais completamente rotos!!! A gestão das substituições acabou por ser mal feita... tínhamos que ter refrescado o meio-campo defensivo.
A Leonor Pinhão recordou hoje na crónica, que a diferença do orçamento do Tottenham para o Benfica, é parecida com a diferença de orçamento do Benfica para o Nacional da Madeira!!! Ao contrário daquilo que foi escrito, e que vai ser escrito, sou obrigado a recordar que o Tottenham jogando mal, é o 5.º classificado do Campeonato Inglês... É verdade, que hoje jogou desfalcado de muitos jogadores, mas isso neste final de tarde até acabou por ser benéfico para eles, porque estas segundas opções, não demonstraram o desgaste físico (que o Benfica teve...), e até os Centrais adaptados acabaram por demonstrar mais agilidade e rapidez, do que os Centrais titulares, muito pouco móveis...
Independentemente dos últimos 15 minutos é ridículo colocar em causa a justiça do resultado, é verdade que apanhámos um susto, podíamos ter ido a prolongamento, mas num jogo em que dominámos durante 78 minutos, não merecíamos perder...
O Oblak finalmente teve um jogo com bastante trabalho, e como não teve culpa nos golos, salvou mesmo a equipa em várias ocasiões, a nota é bastante positiva; O  Maxi foi um dos jogadores que nos últimos minutos sentiu mais dificuldades, enquanto teve pernas, foi, como é habitual dos mais esforçados...; O Siqueira rebentou por completo nos últimos minutos... é obrigatório no próximo Domingo dar descanso ao Siqueira. E não é uma questão de poupanças para o jogo da Taça de Portugal. Para Domingo o Sílvio é a melhor opção para defesa-esquerdo (é o jogador que poderá apresentar melhor rendimento); O Garay voltou a marcar, e voltou a jogar bem, mas com o Siqueira todo o roto, o Garay não conseguiu fechar as costas do Brasileiro nos tais últimos 15 minutos; O Luisão voltou a fazer um bom jogo, mas com a entrada do Kane teve muitas dificuldades no jogo aéreo. Além do lance do 1.º golo do Tottenham, o Luisão deslocou-se demasiadas vezes para a zona do Maxi, para tentar disputar lances no ar, destapando o seu lugar no meio, onde o Rúben não compensava com a competência do Fejsa. Ficámos em várias ocasiões com um 'buraco' na linha defensiva; O Amorim foi outro dos jogadores que deu o berro, tal como o Siqueira devido ao excesso de jogos na última semana. Enquanto o pulmão aguentou foi dos mais esclarecidos...; O André Gomes, estava a fazer uma boa exibição... efectuando inclusive alguns passes longos, algo raro nos nossos centro-campistas titulares (Enzo incluído), mas nos últimos minutos, também 'rebentou'... neste caso por falta de ritmo, e nessa altura aquela atitude molengona fez-se notar para irritação de todos; O Salvio, fez provavelmente o melhor jogo desde que regressou da lesão, mesmo assim ainda falta-lhe velocidade, e como é típico no Toto, quando não está bem fisicamente agarra-se em demasia à bola... mas tal como o André Gomes, por falta de ritmo, acabou por dar o 'berro' nos últimos minutos; O Sulejmani fez um jogo razoável, numa ou noutra jogada devia ter passado a bola mais cedo, mas quando 'fugiu' para o meio, acabou por ser importante no início do processo ofensivo... acabou por se magoar naquele lance onde os Ingleses pediram penalty, e foi outro que ficou em dificuldades físicas, até ser substituído; O Djuricic voltou a não aproveitar a oportunidade... Este é um claro caso de falta de auto-confiança... E já agora, alguém tem que lhe dizer, que pode e deve, usar os braços, para proteger a bola...; O Cardozo continua o seu calvário no regresso após a lesão. Com um Benfica a jogar longe da área, as coisas tornam-se ainda mais complicadas para o Tacuara... hoje, na única vez, em que a bola lhe ficou ao jeito no pé esquerdo, devia ter passado, mas como a 'fome' do golo é muita rematou, mas eu, perdoou-o !!!
O Lima entrou bem, ganhou algumas bolas, inventou o penalty, e converteu-o... Naqueles minutos finais, pedia-se ao Enzo para congelar a bola, algo que ele sabe fazer, mas não conseguiu... O Markovic foi só para queimar tempo.
Desconheço a razão da ida para a bancada do treinador do Tottenham, desconheço se a explicação dada no final era uma piada, ou se estava a falar a sério. Mas se foi a sério, então o Tim Sherwood depois do espectáculo que deu no Domingo na linha lateral do Tottenham-Arsenal, conseguiu em poucos dias, depois do gesto 'desnecessário' do Jesus, ultrapassar o Jesus na tal falta de 'classe' que ele tanto reclamou...
Para as virgens ofendidas da nossa praça, que na semana passada, ficaram escandalizados com o Jesus, nada tenho a dizer... o meu único desejo, é ver o Jesus a mostrar os dedos, a muitos outros treinadores, durante muitos anos, como treinador do Benfica, porque se isso acontecer, é sinal que o Benfica estará de volta aos triunfos regulares... para desespero das tais virgens ofendidas!!!
Não posso acabar a crónica sem falar do filho-da-puta do Skomina!!! Mais uma exibição vergonhosa. Imagine-se marcou 3 faltas a favor do Benfica em todo o jogo!!! Nos momentos de maior sufoco do Benfica, deixou passar pelo menos 3 faltas claras a favor do Benfica, duas delas perto da área do Tottenham. Não tivemos um livre lateral ofensivo... É verdade que no tal lance com o Sulejmani podia (mal) ter marcado penalty contra o Benfica, mas teve algum pudor!!! Este filho-da-puta tem como Padrinho da UEFA o Alguidar (sim, o Alguidar, aquele que vomita ódio ao Benfica às segundas-feiras à noite na XIC-Notícias), este foi o 4.º jogo que apitou do Benfica, e ainda não se conseguiu 'enganar' uma única vez a nosso favor!!! Em Marselha, e em Stanford Bridge foi uma roubalheira descomunal; na Luz com Man United o jogo não lhe deu trabalho; hoje a eliminatória parecia estar decidida, mas no final quando 'cheirou sangue' deu um empurrãozinho... é verdade, que o fora-de-jogo no 2.º golo Inglês não é da sua responsabilidade directa, mas no resto do jogo não deixou dúvidas....
Amanhã temos o sorteio, mas o mais importante é jogo com a Académica. Muitos dos titulares vão regressar, espero que o Nico e o Fejsa sejam opção, porque o Rúben está a precisar de descanso, e o Sulejmani saiu tocado... Como já disse anteriormente, o Sílvio tem que jogar no lugar do Siqueira, as dificuldades físicas do Brasileiro foram evidentes. Estamos numa série de jogos com menos de 72 horas de recuperação entre as partidas. Não se trata de poupar, trata-se de ter o jogador com melhor disponibilidade para Domingo. O Maxi, o Luisão e o Garay também estão perto do limite, mas os Centrais aguentam mais... Mas deixo o aviso, que para o jogo da Taça, metia o Jardel, e fazia descansar o Maxi, com o Sílvio ou mesmo com o André Almeida!!! O jogo com a Académica não vai ser fácil, basta recordar o jogo do ano passado, e ainda por cima vamos ter o ladrão do Rui Costa a apitar... Que o susto de hoje sirva de aviso para os jogadores, que nada está conquistado, até o árbitro apitar... muito cuidado com as 'gestões' de resultados. Este ano estamos melhores nesta fase do jogo (gestão), mas a margem de erro continua a ser mínima...
Nos últimos 3 jogos sofremos 5 golos. Todos eles com a sua história, mas para quem vinha de uma série de partidas (muitas...) sem sofrer golos, estes 5 golos, devem ser entendidos como um sinal... Nada de amolecer...
Para o sorteio, desejo uma viagem à Holanda, o AZ é o meu 'favorito', seguido do Basileia, e em 3.º lugar na lista de preferência, desejo o Lyon. A evitar completamente, como é óbvio, a Juventus. E como ainda temos provavelmente 4 jogos esta época com os Corruptos a nível interno, não vejo razão para aumentar esse numero para 6 !!! Também não me agrada jogar com as equipas Espanholas, não costumamos ter sorte... Se não for pedir muito desejava mesmo, um Juventus-Corruptos (dois clubes dignos um do outro!!!) e de um Valência-Sevilha!!!

A Académica é que é do nosso campeonato

"O Benfica recebe hoje o Tottenham. Faço votos para que ninguém se magoe, porque verdadeiramente importante é o jogo que temos no domingo contra a Académica.

O Sporting quer ser o rei da selva. Está no seu direito. É leão. Corre um rumor na selva. O rei da selva em exercício está em decadência. Há quem acredite. Há quem, antes pelo contrário, duvide. Durante o longo reinado que muitos insistem estar a acabar, o Sporting foi um aliado. Excepção feita aos consulados de João Rocha, na década de 80 do século passado, de Pedro Santana Lopes, no virar do século e de Dias da Cunha, já em pleno século XXI. Estes primaram por outra coisa. A ideia que se transmite a um observador externo é que o Sporting, que manteve relações cordiais com o reinado em alegada decadência, pretende agora apanhar os cacos da derrocada para a qual tão pouco trabalhou. Também está no seu direito. Não se trata de oportunismo. Trata-se de oportunidade. Embora haja quem pense que se trata, na verdade, de puro oportunismo. Muito têm apreciado os benfiquistas o silêncio oficial do seu clube. O presidente do Benfica ficou-se por se mostrar satisfeito por não descer de divisão se lhe forem subtraídos os pontos reclamados. Teve a sua graça. Mas deseja-se que se fique por aqui. Já os portistas não terão apreciado o silêncio do seu presidente durante a semana de lançamento do movimento Basta. E agora dizem que é tardio o comunicado anti-viscondes. Estas coisas não costumavam acontecer. Uma coisa é certa. A selva está virada do avesso.

O segundo golo do Nacional, na noite de segunda-feira, foi marcado por Djanniny, jogador emprestado pelo Benfica aos madeirenses. Boa, Djanniny!
Sempre que o Benfica tenha de sofrer golos pois que sejam marcados por jogadores do Benfica-emprestados ou mesmo por ex-jogadores do Benfica com forte ligação às origens.
Isto para calar as vozes moralistas que, por exemplo, se levantaram em coro há coisa de poucas semanas quando o Benfica visitou o Restelo e Miguel Rosa nem sequer foi para o banco de suplentes por opção da SAD do Belenenses – conforme viria a ser noticiado – e não por imposição do patrão ou do ex-patrão, que é o que para o caso menos importa…
E, já agora, sempre que o Benfica tenha de sofrer golos pois que marque sempre mais golos do que os do adversário. Não se esqueçam deste pormenor.
É que é assim que se ganham os jogos, por enquanto.

O jogo do Funchal decorreu sem incidentes dentro e fora das quatro linhas. Refiro-me a incidentes daqueles que dão que falar durante a semana inteira.
No entanto, seja qual for o resultado de um jogo de futebol haverá sempre gente insatisfeita e predisposta a analisar a menor ocorrência sob a perspectiva dos seus interesses.
E nisto, tenham lá paciência, somos todos iguais. Iguais até um certo ponto, como poderão constatar.
Do lado do Benfica, por exemplo, no fim do jogo, não se ouviu nem um rumor sobre o trabalho do árbitro. E Manuel Mota – com todo o respeito pela semana de angústias que teve de suportar -, se acabou por não ter influência na decisão da partida, já não se esmerou, propriamente, num modelo acabado de arbitragem anti-caseira.
Do outro lado, não do lado do Nacional mas do lado dos adversários do Benfica nesta corrida pelo título de 2013/214, ouviu-se porém lamentar que o penalti assinalado a Luisão «foi cedo demais».
E, de facto, foi cedo, aos 6 minutos de jogo. O «cedo» aceita-se por isso mesmo.
Já o «demais», francamente, reza o bom senso que é má política contar como garantidos penaltis assinalados à hora mais conveniente em função do resultado e dos interesses em jogo.
Manuel Mota apontou para a marca da grande penalidade aos 6 minutos porque entendeu que Luisão jogou com a mão a bola que lhe ressaltou da coxa. Interpretação discutível mas aceitável.
Eu não marcava o penalty. Para mim era bola na mão e não mão na bola. Mas eu sou do Benfica e Manuel Mota é árbitro, são coisas diferentes, podem crer. Temos três décadas de História que o provam.
Criticam-no agora os nossos adversários por ter assinalado esse castigo máximo e acusam o árbitro de ter, com essa decisão, provocado a cavalgada do Benfica que daria magnificamente a volta ao resultado até ao intervalo.
«Foi um penalti cedo demais!»
Isto já é demência. Mas não deixa de ter piada.

A transmissão televisiva não mostrou mas, no dia seguinte, os jornais contaram-nos que Manuel Machado, o treinador do Nacional, se virou para a bancada onde se acomodavam os adeptos do Benfica e contemplou-os com um rijíssimo manguito no momento em que Djanniny reduziu para 2-3.
Machado foi instado a explicar o seu gesto no fim do jogo e explicou-se bem. Não gostou de ouvir as tropas forasteiras brindar com «olés!» a exibição valorosa dos jogadores do Nacional quando o resultado estava num confortável 3-1 a favor do Benfica e ainda faltavam muitos minutos por jogar.
Lamento se ofendo os espíritos mais sensíveis do benfiquismo mas, neste episódio, estou do lado de Manuel Machado. Também não gostei dos «olés». E, aliás, nunca gosto desse comportamento arrogante e vexatório. Cantar «olés» é cruel. A crueldade é sempre detestável.
Julgo que os próprios jogadores da equipa que está por cima, e neste caso era a do Benfica, não gostam, por razões muito válidas, de ouvir os seus adeptos humilhar em coro os seus colegas de profissão que estão do outro lado.
Manuel Machado, ainda a propósito do seu manguito, censurou os «olés» em função dos orçamentos das duas equipas. Fez notar a disparidade e o sem valor daquele tipo de celebração quando estavam em campo duas equipas com níveis de vida e privilégios tão opostos.
Mais uma vez lamento aborrecer os meus consócios e amigos mas, neste pormenor da crueldade versus orçamento, também estou do lado de Manuel Machado.
Quanto ao manguito, considero-o um gesto muito português. E é tudo o que se oferece dizer sobre este episódio funchalense.

CALCULO que em Inglaterra, onde reina o Special One, já chamem ao nosso Jorge Jesus o Special Three e com todo o cabimento depois do grande momento cómico que foi a sua explicação em língua inglesa para o facto, amplamente documentado, de ter mostrado três dedos ao treinador do Tottenham que se chama Tim Sherwood e também terá o seu mau feitio.
Na noite de quinta-feira última, depois de o Benfica ter vencido o Tottenham em Londres por 3-1, uma plêiade de comentadores e de opinantes imparciais, como se impõe, lavou a vitória e a bela exibição do Benfica durante os 90 minutos de White Hart Lane com as ânsias de motim do treinador do Benfica que, bem ao seu estilo, provocaram meio minuto de folclórico caos à beira das quatro linhas.
Gostei? Não, não gostei.
Foi curioso, no entanto, assistir aos debates sobre o assunto. Havia, ao que parece, um crime que precisava de ser lavado. Só que o crime não era o comportamento do nosso Special Three. O crime que precisava de ser lavado era o da autoritária vitória do Benfica no campo de um adversário que, em termos de orçamento, está para o Benfica como o Benfica está para o Nacional da Madeira. E para isso serviu que nem ginjas o momento não singularmente destravado do nosso treinador.
Foi com esta ideia que fiquei.
Travões nisso, mister!
Entretanto passou-se uma semana e hoje à noite o Benfica recebe o Tottenham para o jogo da segunda-mão dos oitavos-de-final da Liga Europa. Faço votos para que ninguém se magoe porque importante, verdadeiramente importante, é o jogo que temos no domingo contra uma equipa valorosa de um emblema histórico, a Associação Académica de Coimbra. E a Briosa é que é do nosso campeonato.
O resto são peaners.
Na verdade, o Benfica tem tudo. Só não tem é comparação.

JOSÉ MEDEIROS FERREIRA era um homem admirável que gostava de futebol por uma questão filosófica e era do Benfica por uma questão política. Não estou a inventar. Foi ele próprio quem mo disse inúmeras vezes. 
Fomos, durante duas décadas, vizinhos do lado no antigo Estádio da Luz. No novo Estádio da Luz passamos a ser vizinhos da frente. Fomos sempre próximos em muitas coisas, em muitos lugares, em muitas situações. A coisa não se reduziu apenas ao Estádio da Luz. O que, só por si, já teria valido a pena mas que seria, e não foi, um imenso desperdício porque o Medeiros Ferreira tinha muito mais para oferecer do que o incomensurável amor pelo seu clube. Foi com enorme tristeza que recebi a notícia da sua morte. Recordo-o na política, na universidade e no país. Recordo-o no estádio novo e no estádio velho, recordo-o no bairro. Hoje passei pela Císter e não entrei. Fui tomar café a outro lado."

Leonor Pinhão, in A Bola

Engenheiro Hélder...!!!

quarta-feira, 19 de março de 2014

Luisão

"No Benfica já houve jogadores com o nome próprio Luís e Luisinho. E até com a grafia antiga, o (David) Luiz. Mas apenas há um Luisão (na verdade, Anderson Luís), na 11.ª época no Benfica.
Hoje, com 33 anos, atingiu a idade em que, no futebol, se é definitivo. É consensual afirmar-se que, em mais de uma década em Portugal, Luisão está a fazer a sua melhor temporada. O defesa-central do SLB exprime agora a plenitude da sua capacidade. Com a precisão de um relógio suíço, sabe conjugar eficiência, experiência, autoridade, discernimento, rigor, solidariedade, inteligência, posicionamento. Uma trave-mestra que qualquer treinador gosta de ter. Para isso dois factores contribuíram decisivamente: o primeiro, a serenidade emocional que advém de não se pensar em transferências que, não raro, obnubilam mesmo os espíritos mais estáveis; o segundo, a habitual mestria de Jorge Jesus que é o melhor treinador a extrair competências de jogadores.
Parte significativa deste Benfica deve-se à acção de Luisão. Capitão da equipa (depois da catadupa de capitães efémeros ou em fila de espera) transmite vigor nos relvados e respeito pela camisola que enverga. E até juventude, pois tal como ele disse há tempo sente-se «como um adolescente a desfrutar da profissão». A sua apurada forma exprime-se por, em muitos jogos, não cometer sequer uma falta, o que é obra para um defesa-central.
Não sei se Scolari o chamará para o Mundial, perante a abundância da escolha ao seu dispor. Mas que a sua notável forma o justifica, disso não há dúvidas.
Luisão jamais foi ilusão, palavra que, curiosamente, tem as mesma letras..."

Bagão Félix, in A Bola

A águia no coração do veado branco!

"Londres: a grande capital do império onde o sol nunca se põe! Tottenham Hotspurs-Benfica: um jogo que ficou para a história da Taça dos Campeões Europeus...

Chegou a hora de um confronto que ficou marcado a letras de ouro na história da Taça dos Campeões Europeus. Agora na Liga Europa. Vão-se os nomes, ficam os emblemas com a sua maravilhosa pátina dos mármores antigos. Dêem-me licença para recorrer de novo ao «Viagens em Redor do Planeta Eusébio». Com fui eu quem o escreveu, começo por dar licença a mim próprio para me citar.
Abril de 1962 - Primeira página do «Daily Sketch», jornal londrino: «BENFICA! OH, WHAT A DRAW! Meet the Lisbon Millionaires...» Logo abaixo desta manchete garrafal, as fotos tipo-passe de oito jogadores do Benfica, adversário do Tottenham Hotspurs, campeão inglês, na meia-final da Taça dos Campeões Europeus. Sobre cada foto, um carimbo com o valor que lhes era atribuído.
Oito jogadores; oito preços:
Costa Pereira   3.600 contos
Cruz              4.000 contos
Coluna           6.800 contos
Ângelo           2.400 contos
José Augusto  8.000 contos
Germano        6.400 contos
Eusébio        20.000 contos
Preços em Libras Esterlinas, claro está: em 1962, uma Libra Esterlina valia 84$00.
Com estes montantes, não haveria equipa mais valiosa em todo o Mundo. E Eusébio, embora valesse mais do dobro que qualquer um dos seus companheiros, era dado pela imprensa inglesa como certo no Real Madrid.
Tottenham Hotspurs: fundado em 1882, é um dos grandes conquistadores da Taça de Inglaterra, apesar de contar apenas com dois títulos de campeão; primeira equipa britânica a ganhar uma competição europeia (a Taça das Taças, em 1963), viveu durante a década de 60 o seu período de maior fulgor.
Tottenham Hotspurs: a equipa de Danny Blanchflower, de Dave Mackay, de Cliff Jones, de John White e, acima de todos, de Jimmy Greaves.
Jimmy Greaves: houve quem atrevesse a chamar-lhe o «Pelé de Inglaterra»; nascido em 1940, jogou no Chelsea passou fugazmente pelo Milan antes de se instalar no Tottenham ao qual custou a módica quantia de 99.999 Libras (o manager, Bill Nicholson, não quis criar-lhe a acrescida responsabilidade de ser o primeiro jogador inglês a custar 100 mil Libras); terminaria a carreira no West Ham martirizado por problemas com o álcool. Esquerdino, foi um goleador temível: fez 44 golos nas suas 57 «internacionalizações» e 357 em jogos do campeonato inglês, tendo, por três vezes, marcado cinco golos num só jogo.

Enorme ovação em White Hart
Na edição da Taça dos Campeões de 1961-62, o Tottenham Hotspurs chegava às meias-finais com uma terrível veia goleadora nos jogos caseiros, marcando oito golos ao Gomik Zabrze, da Polónia; quatro ao fortíssimo Dukla de Praga; e vencendo o Feynoord, em Roterdão, por 3-1. No ano seguinte venceria a Taça das Taças, batendo o Atlético de Madrid, na final de Roterdão, por expressivos 5-1.
De nada lhe serviu. Em Lisboa, na Luz, o Benfica foi empolgante: aos vinte minutos já vencia por 2-0; aguentou o contragolpe de Smith, aos 54 minutos; fechou a conta por José Augusto, aos 64. Em Londres, no White Hart Lane, o Benfica foi científico: logo aos 15 minutos marcou um golo, por Águas; depois aguentou estoicamente a pressão de um adversário revoltado e de um público à beira do fanatismo. A derrota por 1-2 garantia-lhe a sua segunda final consecutiva.
White Hart, o veado branco, era o centro do escudo de Ricardo II, rei de Inglaterra, filho de Eduardo, o Príncipe Negro, neto de Eduardo III. Ah! Como é cheia de lendas a história da velha Inglaterra!
Bélla Guttmann, o «Feiticeiro», sentenciara antes do jogo de Lisboa: «O difícil, para o Benfica, não será vencer o Real Madrid na final, mas sim eliminar o Tottenham. Na final, os espanhóis não terão a mínima chance de nos vencerem. Mesmo que o Real chegasse ao fim da primeira parte a ganhar por 2-0».
Terá Guttmann dito tais palavras? Ou nasceram elas da pródiga imaginação de quem tem escrito a história do futebol até aqui? Vá lá saber-se. Por isso é que Guttmann tem direito a estátua no Estádio da Luz. Vão lá e vejam-na.
Eusébio não marcou golos aos ingleses. Todavia, mais uma vez, Londres fora palco de uma das suas soberbas interpretações desse jogo que os britânicos tinham inventado mas já não dominavam. Duramente marcado pelo escocês MacKay, foi exemplo deabnegação e valentia. Sairia ovacionado como só em Inglaterra se sabe fazer aos que saem de lá vencedores.
Tottenham-Benfica; Benfica-Tottenham: tomáramos nós que houvesse todas as semanas jogos assim.
Desfrutem-nos porque são uma raridade."

Afonso de Melo, in O Benfica

O futuro é nosso !!!

Manchester City 1 - 2 Benfica

Grande vitória dos nossos miúdos, não posso fazer muitas considerações sobre a exibição, porque não vi o jogo: o jogo não foi transmitido em nenhum canal, por imposição da UEFA!!! Assim restou as infos escritas em alguns sites... Mas mesmo assim, há distância, a alegria da vitória não foi menor, bem pelo contrário...
Olhando para as estatísticas, este foi um daqueles jogos, onde o City atacou muito ( e deu muita porrada!!!), e o Benfica defendeu muito e bem (vejam esta defesa do Graça!!!), os postes ajudaram, e no contra-ataque fomos mortíferos:
Remates à baliza - City 14 (1 golo); Benfica 3 (2 golos)
Postes - City 2; Benfica 0
(...)
O apuramento para a Final 4 na Suíça, é uma prenda merecida para esta equipa, que tem feito uma prova Europeia exemplar. Se a nível interno temos tido algumas desilusões, na Europa, tem sido só alegrias. Mas esta vitória, prova mais uma vez, o crescimento exponencial da formação do Benfica nas últimas épocas - pessoalmente até acho que a geração da época anterior era melhor, e na próxima época podemos ter um plantel ainda mais forte!!! Para quem acompanha a formação do Benfica na BTV, é notório que o futuro da formação está garantido, por vários anos!!!
Agora vamos jogar com o Real Madrid que eliminou o PSG (nosso adversário da fase de grupos) com um difícil 1-0. É verdade que o Real jogou com 10 jogadores bastante tempo, mas o Benfica goleou o PSG em Paris, e no Seixal, num jogo a feijões para o Benfica, só permitimos o empate nos minutos finais, depois de falharmos muitos golos. Portanto, a ambição de chegar à Final é legitima. Mas para já, temos que pensar no jogo com os Corruptos já no próximo fim-de-semana...
PS: Parece que existe problemas de contrato com um jogador desta equipa. Como não conheço pormenores, não me quero alongar.
Mas quando me dizem que jogadores Juniores, que ainda são projectos de jogadores (nada mais...) aparecem a negociar com empresários, com exigências financeiras, fico furioso... Quando depois ainda vêm alegar, que são Benfiquistas desde pequeninos, ainda fico pior... porque a definição de Benfiquismo não é com certeza a mesma da minha.
E deixo aqui um aviso, que vale o que vale: perguntem hoje ao Rony (que custou ao Man City 1 milhão de euros, e está de certeza a ganhar mais, do que estaria a ganhar no Benfica), com que camisola ele gostaria de ter jogado este jogo?!!! E mesmo em relação à sua evolução como jogador duvido, que tenha beneficiado alguma coisa em ter ido para Inglaterra...

terça-feira, 18 de março de 2014

Lixívia 23

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica......58 (-7) = 65
Sporting......51 (0) = 51
Corruptos...46 (+4) = 42
Braga.........31 (+2) = 29

A falta de vergonha não tem limite... Esta semana, serviu pelo menos, para mostrar a todos (eu já estava convicto disso...), que a cruzada esverdeada pela verdade desportiva, não passa de uma tentativa, bem planeada, de tomada de poder na cúpula do Sistema. Não se trata de acabar com o dito Sistema, trata-se exclusivamente de uma tentativa de Bruno Basta auto-proclamar-se sucessor do Pintinho!!! Essa é estratégia... e ninguém melhor para o ajudar, do que Inácio: que como jogador testemunhou, em directo, e ao vivo, à construção do Sistema, com os Abéis e afins...!!!
A influência dos Mafiosos, não se limita aos jogos de bastidores, onde influenciaram - e influenciam - directamente os resultados das partidas, como as escutas provaram... Mas além das acções criminosas efectivamente perpetuadas, muitos dos benefícios dos Corruptos, e prejuízos dos outros, deram-se - e dão-se - devido à projecção do poder de influência... O próprio Pintinho chegou a admitir em entrevista, que ele próprio alimentava essa estratégia de intimidação.
O que se está a passar é uma cópia mal feita, da mesma estratégia, a única diferença, é a substituição do tom de voz seminarista, por um tom queque de Cascais!!! E até ressuscitaram os Abéís, através de ameaças anónimas, atentando contra a vida de árbitros e das saus famílias...!!! Não é por acaso, que o clube mais profícuo em comunicados, ainda não teve tempo para se demarcar publicamente, condenado sem reservas, as ameaças deixadas no Talho do Mota!!!
O silêncio estratégico do Benfica nisto tudo, incomoda-me. Não acredito que o Presidente Vieira, não tenha percebido o que se está a passar. Independentemente de outros objectivos: na Liga, na FPF, com o Oliveirinha, etc... o Benfica não pode anuir através do silêncio a isto tudo... e se ontem à noite a equipa foi capaz de dar a volta ao resultado, poderá haver dias, onde podemos não ter força, para o fazer...


O Desdentado foi consistente!!! Em Alvalade foi ele que decidiu o vencedor, como sempre o fez!!! E ao contrário do que possa parecer, manteve a consistência no prejuízo: o Benfica!!! O silêncio da 'estrutura perfeita' após o jogo de Alvalade, só pode dizer que o Pintinho ficou contente com o resultado...!!! Manteve o Benfica pressionado no Campeonato, dificultou a campanha Europeia do Benfica, e ao mesmo tempo facilitou a vida dos Corruptos nas Taças internas (Liga, e Portugal): com o Benfica pressionado no Campeonato, vamos ter quase de certeza, um Benfica desgastado, e em poupanças, nas Meias-finais das Taças...
Penalty claro sobre o Jackson; golo em fora-de-jogo do Sporting; e expulsão exagerada do Fernando. Acho que o amarelo ao Abdoulaye foi bem mostrado...
É preciso ser muito hipócrita, depois de todo este beneficio, vir no dia seguinte, lamentar-se das arbitragens... usando inclusive truques neolíticos, como mostrar imagens do Fora-de-jogo do André Santos, antes do passe ser feito, e depois do passe ser feito, como isso fosse importante!!! O curioso é que os avençados Lagartos, como o Freitas d'A Bola, comeu a palha toda, e logo a seguir ao monologo, mascarado de conferência de imprensa, concordou com tudo!!!
A maneira como um fora-de-jogo de mais de 1 metro, é transformado num fora-de-jogo milimétrico, e como na situação inversa, um fora-de-jogo que não existiu (como por exemplo o 1.º golo do Vitória de Setúbal a semana passada) é imediatamente considerado o roubo século... é digno do cumulo da bipolaridade!!!
Não quero perder mais tempo a escrever sobre os movimentos Bastas e as suas Tabelas imaginárias, o Águia E Pluribus Unum, no blog E Pluribus Unum, fez uma excelente critica à Tabela das Lamentações!!! Aconselho o visionamento.
Eu faço aqui neste espaço a minha Tabela, e tive o cuidado, de dizer mais de uma vez, que este trabalho, será sempre subjectivo. Pois bem, Bruno Basta apresenta a Tabela, como um FACTO!!! Admite, alguns dos prejuízos mais evidentes do Benfica, admite alguns dos benefícios indesmentíveis do Sporting, mas esquece-se deliberadamente dos outros prejuízos do Benfica, e esquece-se deliberadamente dos outros (muitos) benefícios do Sporting, soma e subtrai, e marcado menos golos, sofrendo mais golos, perdendo no confronto directo, jogando muito pior futebol, beneficiando ainda de um calendário muito menos sobrecarregado, depois de todas as 'somas e subtracções' facciosas, e o Sporting estaria na frente...!!!
Eu não sou psiquiatra, mas tenho a certeza que existe uma doença especifica, para aquelas pessoas, ou grupo de pessoas, totalmente alucinadas, que vivem no mundo de fantasia, e que se recusam a aceitar a realidade!!! Quando afirmam que na época anterior ficaram fora das competições europeias por causa das arbitragens, então o problema é mesmo muito grave!!!!!!
Será até normal, que os adeptos acéfalos, comam toda esta palha, agora já não é aceitável, é que pessoas com deveres de imparcialidade, levem esta treta a sério!!! Os avençados jornaleiros levam isto tão a sério, que mais uma vez, num jogo onde o Sporting, além do golo irregular, só teve mais uma oportunidade flagrante - num canto, no início da 2.ª parte -, foi considerado um vencedor justíssimo, isto após os Corruptos terem atirado duas bolas aos ferros, e do Jackson ter permitido um corte ao Dier sem guarda-redes na baliza, além do tal lance onde o Cedric faz penalty sobre o Colombiano quando este estava perto de marcar... Este capacidade absurda de elogiar exibições medianas do Sporting, algumas delas sem qualquer remate à baliza, é algo que também deveria ser alvo de um estudo psiquiátrico...!!!


Apesar de todo o prejuízo de ontem, ainda tenho esperança no Manuel Mota. Admito, que depois de todas as ameaças não terá sido fácil para o árbitro agir de consciência tranquila. Também compreendo que se a nomeação tivesse sido alterada, isso seria um precedente grave, para o futuro... sempre que algum clube não gostasse da nomeação, bastaria fazer uma ameaça.
Dito isto, o passado do Manuel Mota com o Benfica, não é famoso, mas também não é muito grave. Pelo menos que eu me recorde ainda não conseguiu influenciar um resultado negativo contra o Benfica. Apesar do ano passado no Marítimo-Benfica não ter marcado 2 penalty's sobre o Cardozo na parte final da partida!!! A primeira memória que tenho do Manuel Mota, é num Benfica - Beira-Mar, na Luz, com pouca história, e com uma arbitragem 'à Inglesa'... no ano seguinte apitou um Beira-Mar - Benfica, onde até marcou bem um penalty a nosso favor, por braço na bola do Hugo (mas esqueceu-se de outros...), e voltou a demonstrar vontade em deixar jogar... Mas a partir do momento em que foi publicamente 'acusado' de ser Benfiquista, tenho notado que o tal critério 'Inglês' é só usado quando o Benfica sofre falta, porque quando são os jogadores do Benfica, a cometer as supostas faltas, o critério é o mais apertado possível!!!
Mesmo assim, comparando com outros (os Internacionais à cabeça), este é dos melhorzinhos. Mas depois do Sporting-Nacional duvido que volte a ter paz na sua carreira!!! Eu defendi aqui que o golo anulado ao Slimani, foi bem anulado. Parece que a Comissão de Arbitragem concordou comigo, após a queixa do Sporting, que pediu a revisão da nota - para baixo -, a Comissão reviu a nota para cima!!! Considerando a falta do Slimani sobre o Miguel Rodrigues, mas os Lagartos quando metem uma coisa na cabeça...
Ontem, penalty mal marcado contra o Benfica: a bola bate na perna do Luisão, e raspa no ombro do capitão. Não existe qualquer falta, só na cabeça do atrasado mental do Barroso dos Maus-Fígados!!! De lembrar ainda que este ataque do Nacional começou com uma falta não assinalada sobre o Markovic, além disso no momento do cruzamento do Candeias, o Djaniny parece estar na área em fora-de-jogo; Expulsão perdoada ao Marçal, por 2.º amarelo, a lenga-lenga da preservação do espectáculo é usada somente quando é conveniente; O canto que dá 3.º golo do Benfica nasce de um lançamento lateral longo, marcado pela Maxi, onde o Luisão é mais uma vez agarrado, e atirado ao chão... eu sei, que estes lances são sempre duvidosos, mas o Rafa foi outro dos jogadores do Nacional que foi escapando aos cartões durante a partida; O amarelo ao Gaitán é absurdo... e a cara de mau do Mota, foi ainda pior; Várias faltas mal assinaladas contra o Benfica, que deram quase sempre livres para dentro da área... Sendo que numa delas - o Nico escorregou simplesmente -, já com 2-3, o Nacional esteve quase a empatar, apesar do jogador do Nacional, Gomaa, estar aparentemente em fora-de-jogo!!! A PorkosTV não se interessou muito com isso, mas o fora-de-jogo como podem ver, existiu!!!
Curiosamente o mesmo jogador, Gomaa, logo a seguir fez falta para 2.º amarelo, e tal como aconteceu com o Marçal, ficou em campo até ao fim!!!
É verdade que acabou por não ter influência no resultado, mas dizer que foi um trabalho imparcial, é mentira. Concedo ao árbitro, que após as ameaças, muitos outros teriam feito pior, mas isso para mim não é suficiente...
Sabendo já, que na próxima jornada vamos levar com o Rui Costa, no Benfica-Académica, e suspeitando que a pressão vai continuar, com um Benfica desgastado de mais um jogo Europeu, e com um jogo no Dragay dias depois, aquilo que normalmente seria uma vitória fácil, poderá tornar-se num obstáculo intransponível!!!
Agora reparem bem na Tabela ao cimo do post. Pois é, são 14 pontos de diferença!!! Qual seria o comportamento do Benfica na Liga Europa, na Taça de Portugal, e na Taça da Liga, com um avanço destes no Campeonato?!!!


O Braga empatou 1-1 em Coimbra. O golo da Académica criou alguma polémica, mas muito sinceramente depois de ver muitas repetições, a única coisa que eu consigo ver é, mais um, frango do Eduardo!!!



Anexos:
Benfica
1.ª-Marítimo(f), D(2-1), Jorge Sousa, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)
2.ª-Gil Vicente(c), V(2-1), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
3.ª-Sporting(f), E(1-1), Hugo Miguel, Prejudicados, (0-2), (-2 pontos)
4.ª-Paços de Ferreira(c), V(3-1), Paixão, Nada a assinalar
5.ª-Guimarães(f), V(0-1), Bruno Esteves, Prejudicados, Sem influência no resultado
6.ª-Belenenses(c), E(1-1), Jorge Tavares, Prejudicados, (2-0), (-2 pontos)
7.ª-Estoril(f), V(1-2), Manuel Mota, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8.ª-Nacional(c), V(2-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
9.ª-Académica(f), V(0-3), Hugo Pacheco, Prejudicados, Sem influência no resultado
10.ª-Braga(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, Sem influência no resultado
11.ª-Rio Ave(f), V(1-3), Paixão, Nada a assinalar
12.ª-Arouca(c), E(2-2), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
13.ª-Olhanense(f), V(2-3), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
14.ª-Setúbal(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, (0-3), Sem influência no resultado
15.ª-Corruptos(c), V(2-0), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
16.ª-Marítimo(c), V(2-0), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
17.ª-Gil Vicente(f), E(1-1), Paixão, Prejudicados, (1-2), (-2 pontos)
18.ª-Sporting(c), V(2-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
19.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-2), Duarte Gomes, Prejudicados, Sem influência no resultado
20.ª-Guimarães(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, Sem influência no resultado
21.ª-Belenenses(f), V(0-1), Jorge Ferreira, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
22.ª-Estoril(c), V(2-0), Paulo Baptista, Beneficiados, Prejudicados, (3-1), Sem influência no resultado
23.ª-Nacional(f), V(2-4), Manuel Mota, Prejudicados, (1-4), Sem influência no resultado

Sporting
1.ª-Arouca(c), V(4-1), Rui Costa, Nada a assinalar
2.ª-Académica(f), V(0-4), Soares Dias, Beneficiados, Sem influência no resultado
3.ª-Benfica(c), E(1-1), Hugo Miguel, Beneficiados, (0-2), (+1 pontos)
4.ª-Olhanense(f), V(0-2), Benquerença, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
5.ª-Rio Ave(c), E(1-1), Xistra, Prejudicados, (2-1), (-2 pontos)
6.ª-Braga(f), V(1-2), Paulo Baptista, Nada a assinalar
7.ª-Setúbal(c), V(4-0), Duarte Gomes, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
8.ª-Corruptos(f), D(3-1), Soares Dias, Nada a assinalar
9.ª-Marítimo(c), V(3-2), Bruno Esteves, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
10.ª-Guimarães(f), V(0-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
11.ª-Paços de Ferreira(c), V(4-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
12.ª-Gil Vicente(f), V(0-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
13.ª-Belenenses(c), V(3-0), Hugo Pacheco, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
14.ª-Nacional(c), E(0-0), Miguel Mota, Nada a assinalar
15.ª-Estoril(f), E(0-0), Proença, Nada a assinalar
16.ª-Arouca(f), V(1-2), Cosme Machado, Beneficiados, Impossível contabilizar
17.ª-Académica(c), E(0-0), Paulo Baptista, Prejudicados, (1-0), (-2 pontos)
18.ª-Benfica(f), D(2-0), Marco Ferreira, Nada a assinalar
19.ª-Olhanense(c), V(1-0), Hugo Miguel, Prejudicados, Sem influência no resultado
20.ª-Rio Ave(f), V(1-2), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
21.ª-Braga(c), V(2-1), Soares Dias), Nada a assinalar
22.ª-Setúbal(f), E(2-2), Vasco Santos, Prejudicados, Beneficiados, (1-1), Impossível contabilizar
23.ª-Corruptos(c), V(1-0), Proença, Beneficiados, (0-1), (+3 pontos)

Corruptos
1.ª-Setúbal(f), V(1-3), João Capela, Beneficiados, Impossível contabilizar
2.ª-Marítimo(c), V(3-0), Jorge Ferreira, Beneficiados, Sem influência no resultado
3.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-1), Rui Costa, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
4.ª-Gil Vicente(c), V(2-0), Hugo Pacheco, Prejudicados, (3-0), Sem influência no resultado
5.ª-Estoril(f), E(2-2), Rui Silva, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
6.ª-Guimarães(c), V(1-0), Proença, Beneficiados, (0-0), (+2 pontos)
7.ª-Arouca(f), V(1-3), Vasco Santos, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Sporting(c), V(3-1), Soares Dias, Nada a assinalar
9.ª-Belenenses(f), E(1-1), Miguel Mota, Beneficiados, (2-1), (+1 ponto)
10.ª-Nacional(c), E(1-1), Xistra, Nada a assinalar
11.ª-Académica(f), D(1-0), Capela, Beneficiados, (2-0), Sem influência no resultado
12.ª-Braga(c), V(2-0), Paulo Baptista, Nada a assinalar
13.ª-Rio Ave(f), V(1-3), Bruno Esteves, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
14.ª-Olhanense(c), V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicados, (5-0), Sem influência no resultado
15.ª-Benfica(f), D(2-0), Soares Dias, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
16.ª-Setúbal(c), V(3-0), Hugo Pacheco, Nada a assinalar
17.ª-Marítimo(f), D(1-0), Nuno Almeida, Nada a assinalar
18.ª-Paços de Ferreira(c), V(3-0), Cosme Machado, Prejudicados, Beneficiados, Sem influência no resultado
19.ª-Gil Vicente(f), V(1-2), Paulo Baptista, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
20.ª-Estoril(c), D(0-1), Vasco Santos, Nada a assinalar
21.ª-Guimarães(f), E(2-2), Marco Ferreira, Nada a assinalar
22.ª-Arouca(c), V(4-1), Hugo Miguel, Beneficiados, Impossível contabilizar
23.ª-Sporting(f), D(1-0), Proença, Prejudicados, (0-1), (-3 pontos)

Braga
1.ª-Paços de Ferreira(f), V(0-2), Bruno Paixão, Nada a assinalar
2.ª-Belenenses(c), V(2-1), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar
3.ª-Gil Vicente(f), D(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, Sem influência no resultado
4.ª-Estoril(c), V(3-2), Capela, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
5.ª-Arouca(f), V(0-1), Marco Ferreira, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
6.ª-Sporting(c), D(1-2), Paulo Baptista, Nada a assinalar
7.ª-Nacional(f), D(3-0), Soares Dias, Nada a assinalar
8.ª-Académica(c), D(0-1), Benquerença, Beneficiados, Sem influência no resultado
9.ª-Rio Ave(c), D(0-1), Jorge Tavares, Nada a assinalar
10.ª-Benfica(f), D(0-1), Nuno Almeida, Beneficiados, Sem influência no resultado
11.ª-Olhanense(c), V(4-1), Soares Dias, Nada a assinalar
12.ª-Corruptos(f), D(2-0), Paulo Baptista, Nada a assinalar
13.ª-Setúbal(c), V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
14.ª-Marítimo(f), E(2-2), Rui Costa, Nada a assinalar
15.ª-Guimarães(c), V(3-0), Benquerença, Nada a assinalar
16.ª-Paços de Ferreira(c), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
17.ª-Belenenses(f), D(2-1), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
18.ª-Gil Vicente(c), V(4-1), Capela, Nada a assinalar
19.ª-Estoril(f), D(2-1), Xistra, Nada a assinalar
20.ª-Arouca(c) E(2-2), Duarte Gomes, Nada a assinalar
21.ª-Sporting(f), D(2-1), Soares Dias, Nada a assinalar
22.ª-Nacional(c), V(2-1), Nuno Almeida, Nada a assinalar
23.ª-Académca(f), E(1-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar

Jornadas anteriores:

Épocas anteriores: