Últimas indefectivações

sábado, 18 de junho de 2011

O perigo da grandeza

"A enxurrada nos jornais continua. São reforços e outros reforços com origem nas mais desencontradas latitudes. Afinal, quantas equipas vai ter o Benfica na próxima temporada? Quantos plantéis? O povo vermelho incomoda-se com a tendência da imprensa para empurrar jogadores rumo à Luz. Tempo perdido, energias desperdiçadas. É sempre assim nos defesos. Foi, é e será. O Benfica vende como nenhum outro clube em Portugal.

Para onde devem os simpatizantes da causa rubra mobilizar atenções? Para outros folhetins, esses sim, perturbadores. Nos últimos dias, multiplicam-se referências a Luís Filipe Vieira, a Rui Costa, a Jorge Jesus, a Nuno Gomes, a Fábio Coentrão. Demasiado cirúrgicas e, no essencial, depreciativas. Pior, em alguns casos, provocatórias mesmo. Há aí muita matéria gizada com o intuito de criar divisões no seio da família benfiquista. Importa que todos o percebam a saibam responder em conformidade.

Infelizmente, alguns benfiquistas que escrevem nos jornais e debitam nas televisões e nas rádios, não entendem o que está verdadeiramente em causa. Embarcam nas esparrelas, quais inocentes úteis. A questão é simples, tão simples como isto: numa altura em que o futebol do Benfica procura corrigir erros do passado e criar condições para uma época vitoriosa, não falta quem tente fomentar uma atmosfera tensa, susceptível de criar rupturas internas e distrair os responsáveis daquilo que é primacial.

Os nossos adversários sabem o que fazem. O Benfica incomoda muita gente. Os nossos correligionários, ainda que só alguns, não sabem o que dizem. O Benfica é mesmo muito grande. Nas virtudes? Também nos pecados."


João Malheiro, in O Benfica

Papel

"Chega-se a esta época do ano, o chamado defeso no futebol, e é sempre a mesma farsada: o Benfica, por ser verdadeiramente o único clube que faz vender papel de jornal, é todos os dias sujeito das mais aparatosas 'notícias' sobre compras e vendas, chegadas e partidas, contratações, roubos e desvios, jogadores na mira e empresários à coca. Já cheguei a ler, em letras garrafais, a 'notícia' da transferência de Ricardinho, da equipa de futsal para o plantel de futebol do Benfica. De maneira que quanto mais sencionalista é o pasquim mais fácil se lhe torna vender papel impresso com balelas, e esgotar edições, desde que o Benfica venha no título.

E as 'notícias' são, a maior parte das vezes, tudo menos o que lá está. São jogadas de empresários, para apresentar, promover ou subir os preços da 'mercadoria', que é assim que muitos deles encaram os profissionais da bola: objectos de compra e venda. São meras invencionices para vender papel - como a ridícula 'notícia' sobre o craque Ricardinho a passar para o relvado. São jogadas para denegrir dirigentes que não vão em cantigas - atribuindo-lhes intenções de compra sucessivamente falhadas, que, somadas, dão um rotundo 'fracasso'. São jogadas de clubes, associados ou não a empresários, para encarecerem aquisições de adversários. São, enfim, jogadas de especulação e da má-fé sem a mínima consideração pela dignidade de pessoas humanas com que os atletas merecem ser tratados.

Agora, em tempos de crise, a situação agudiza-se. E lá vem o nome do Benfica a servir como benemérito involuntário dos vendedores de papel impresso com tretas, o que não é a mesma coisa que jornais."



João Paulo Guerra, in O Benfica

Olhos nos olhos

"Dizia-me recentemente um consócio benfiquista que é essencial olhá-los (aos obstáculos) olhos nos olhos. Nesta singela expressão de benfiquismo está o grande desafio de coragem lançado a Job “Olha de frente tudo o que é grande”. Ou seja, reconhece os obstáculos, reconhece a sua grandeza, e apenas sendo grande os poderás ultrapassar. Para os ultrapassar, olha-os de frente.

Por vezes, é a própria grandeza que se transforma no obstáculo. A dimensão gigantesca do nosso Benfica é a sua maior riqueza, mas essa mesma dimensão pode ser o maior dos obstáculos. Reconhecer, com coragem, esta realidade e olhá-la olhos nos olhos é a única forma de transformar a divisão provocada pela pluralidade na união necessitada pela realidade.

Como é que se pode aglutinar o que, por natureza, é diversificado? Como é que se pode unir o que, por natureza, é diferente? A aglutinação surge espontaneamente nos festejos das vitórias, tal como surge espontaneamente nos momentos em que sentimos em perigo a própria sobrevivência do Benfica. Ou seja, a união surge nos momentos-limite. E o que fazer nos momentos, como o actual, em que as vitórias não surgem, mas o Benfica não está (como esteve num passado não muito longínquo) em perigo de sobrevivência?

Nestes momentos, o único caminho aglutinador é a união em torno das referências, daqueles que têm sido exemplo e testemunho de benfiquismo, daqueles a quem vulgarmente chamamos símbolos do Benfica e exemplos de benfiquismo. Para seguir este caminho aglutinador é preciso olhar olhos nos olhos para tudo o que é grande. É um exemplo de grandeza manter os símbolos do benfiquismo na casa do Benfica. Se queremos unir os benfiquistas, não podemos desviar o olhar desta realidade, temos de nos olhar olhos nos olhos."


Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Estranha incapacidade...






...em 'segurar' o resultado!!! A equipa demonstrou uma péssima percentagem de concretização, mas quando se colocou em vantagem, as 'coisas' ainda correram pior, a incapacidade em 'matar' o jogo foi gritante em todos os jogos... hoje a história repetiu-se, curiosamente com o resultado em 3-3, depois da 'soneca', voltámos a dominar o jogo... cometemos vários erros individuais, principalmente a defender, a equipa necessita de sangue novo, mais velocidade... mesmo assim hoje, o momento do jogo foi o 4º golo do Sporting (já o 1º deixou muitas dúvidas, onde a ausência de repetição nada ajudou...) , seria falta em qualquer campo de Futebol de 11, quanto mais em Futsal (são proibidos 'carrinhos' frontais), as equipas estavam a arriscar pouco, já cheirava a penalty's. Já o ano passado no jogo decisivo, existiu um atropelamento do Cristiano sobre o Ricardinho para penalty não assinalado, isto depois de ter sido marcado um penalty inexistente contra o Benfica...

Das muitas incidências do jogo, realço somente o comportamento animalesco do treinador Lagarto, um hino ao anti-desportivismo, e não foi só neste jogo, este senhor não sabe mais, já na Selecção era sempre o mesmo festival... escrevi aqui, com bastante antecedência aquilo que esperava desta final, independentemente do resultado, e parece que não me enganei... a única coisa que me escapou foi o tremendo 'galo' contra o Benfica, houve méritos e deméritos, mas tirando o auto-golo que acabou por não ter qualquer influência no resultado, nos três jogos, não tivémos uma única 'carambola' a nosso favor...!!!

Fui contra a contratação do Paulo Fernandes, a saída do jogador mais influente, não ajudou, qualquer equipa sentiria a falta do melhor jogador do mundo, durante a época a equipa parecia estar equilibrada, mas nos jogos mais 'apertados' faltou o desiquilibrador, e quando a consistência defensiva que seria de esperar deste treinador não apareceu, os títulos fugiram... uma coisa é ganhar contra o Benfica usando a motivação anti-benfiquista básica, outra coisa é ganhar ao serviço do Benfica, sem jogadores a 'espumar pela boca'... Seria fácil para mim neste momento exigir uma mudança tecnica, mas não o faço, o Benfica tem que se reforçar, e o treinador deve ter mais uma oportunidade, mas é só mais uma...

Nuno fará parte da nossa história

"Há dois anos defendi que Nuno Gomes, então com 33, devia renovar por um ou dois anos com o Benfica. Fui criticado por vários benfiquistas, abordado de forma desagradável porque Nuno Gomes estava velho e já não era solução.

Há dois anos prolongar o contrato era uma asneira, Vieira e Rui Costa tinham protegido um amigo que já pouco daria ao clube no entender de muitos. Dois anos volvidos parece que houve um clique colectivo com a saida do avançado aos 35 anos.

Imaginem a saída de Raul no ano passado, mais novo e ainda mais ligado ao Real Madrid e à sua história. Eu sei que Maldini e Nesta jogaram até mais tarde mas não eram avançados.

Muitos dos hipócritas que hoje criticam a sua saída foram os mesmos que criticaram a sua permanência em 2009.

Posso referi-lo até porque foi pública a minha admiração e defesa de Nuno como jogador. Como pessoa, foi simplesmente o jogador de futebol mais gentil e educado com que alguma vez me cruzei. Um principe no trato, um cavalheiro na postura e um profissional sempre que vestiu a camisola de águia ao peito.

Só não esqueço aquela Taça, que ao serviço do Boavista nos venceu por 3-2, com erros de Paraty mas uma soberba exibição do Nuno.

Nuno Gomes pelo que foi, e ainda pode vir a ser no Benfica, tem o direito de não ser usado como arma de arremesso. Nuno Gomes fará sempre parte da nossa história.

A ser verdade o que os jornais noticiam já estamos perto dos 150 jogadores. Tenho uma curiosidade monstra em ver quantos aparecem dia 22 na porta do Centro de Estágio do Seixal.

Verdadeiramente preocupante é o facto da nossa defesa estar a disputar a Copa América na altura das pré eliminatórias da Champions. Aí pode Jorge Jesus ter uma dor de cabeça.

«O que torto nasce, tarde ou nunca de endireita», e por isso a época tem mesmo que começar bem... Dia 22 começa."



Sílvio Cervan, in A Bola

Exemplar (mais uma vez...)

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Ir à bruxa...

"1. Não há nada que não nos aconteça esta época, já não falando no futebol. Com excelentes equipas nas modalidades, capazes, todas elas, de chegarem aos títulos nacionais, estamos em risco de não ganhar nenhum, sempre 'morrendo na praia'. Dominámos por completo toda a época de Voleibol e perdemos incrivelmente na final. Andámos na frente no Hóquei em Patins e ficámos 'colados' ao FC Porto que, com estranhas ajudas pelo meio, ficou campeão (mas ganhámos a Taça CERS). Dominámos a época no Futsal e, na final (que ainda não está perdida!), perdemos de forma incrível os dois primeiros jogos em casa (o de sábado, então...). No Basquetebol lutámos até à última (7ª partida) da final mas... não ganhámos. Só no Andebol não estivemos tão bem no Nacional embora tivéssemos brilhado na Taça de Portugal e chegado à final da competição europeia. A juntar a todos estes segundos lugares haverá que juntar, muito provavelmente, o do Atletismo... cada vez mais perto do Sporting. Claro que é mais fácil (e barato...) apostar em duas ou três modalidades (como fazem Sporting e FC Porto) do que em todas as cinco de pavilhão e ainda no Atletismo e no Projecto Olímpico. Mas, apesar dos vários 'murros no estômago' sofridos nas últimas semanas, continuo a sentir-me orgulhoso pelo facto de o Benfica estar em todas e a lutar pelos títulos até ao fim. O azar não haverá de estar sempre a bater-nos à porta...


2. Por princípio, não discuto as opções dos treinadores. Eles sabem (muito) mais que eu, têm dados que eu não possuo (por exemplo, como treinou cada um dos jogadores ao longo da semana), estão tão interessados, quanto eu (embora admita que por motivos diferentes) numa vitória do Benfica. Também quanto às escolhas dos jogadores para o plantel, não discuto as opções da direcção e do treinador - eles é que têm os dados todos do problema. Vem isto a propósito de Nuno Gomes. Sou dos que sempre gostaram do nosso avançado e não daqueles que passaram anos a assobiá-lo e agora ficam todos excitados quando ele sai do banco para o aquecimento. Também eu gostaria de continuar a vê-lo a vestir a nossa camisola. Mas respeito as opções do treinador (que porventura entende que já não é necessário) e do jogador (que pelos vistos prefere continuar a jogar mais uma época, eventualmente noutro clube). Não façamos disto mais um caso..."


Arons de Carvalho, in O Benfica

Grande reforço para o Hóquei

Aqui está o primeiro reforço para a próxima temporada, para a secção de Hóquei Patins, Carlos López, goleador, internacional Argentino, passou os últimos 7 anos no Barcelona, antes tinha jogado 7 anos no Liceo da Corunha!!! São vários os jogadores veteranos a jogar ao mais alto nível, parece-me uma excelente aquisição tendo em conta o Nacional, mas também a Liga dos Campeões.
Nos últimos dias também foi anunciado as renovações de contrato, com os nossos jovens, João Rodrigues e Diogo Rafael...

Coulrofobia

"É comum entre crianças, dizem os psiquiatras, mas também ocorre com adolescentes e adultos. 'Ao deparararem-se com um indivíduo vestido de palhaço, os portadores dessa fobia têm ataques de pânico, perda de fôlego, arritmia, suores frios e náusea'.

D. Palhaço é um destroço. Está velho e senil. Diz coisas sem sentido. Rosna, late e, sobretudo, grunhe. Ainda assim mete medo. Coulrofobia, dizem os médicos. Talvez isso explique a subserviência e o lambe-botismo dos que escrevem opiniões nas quais nada opinam, dos que deviam investigar e não investigam, dos que deviam esclarecer e não esclarecem.

Quem tem medo de D. Palhaço? Toda a gente! Pseudo-jornalistas, pseudo-políticos, pseudo-juízes. D. Palhaço está podre. Por mais que ameace entrar-nos pela casa dentro todas as semanas com um número de circo. Ele sabe de verdade comprovada que o ridículo não mata: é a personificação do ridículo e não está morto. Fede, mas ainda não está morto.

Por haver tanta gente a sofrer de coulrofobia, D. Palhaço julga-se eterno. O medo dá-lhe vida. O medo alheio alimenta-lhe o ego. Pobre palhaço pobre. Há nele o esgar bacoco de quem não concebe o mundo sem medo, sem violência, sem ameaças. Pintando a giz sobre a boca, um sorriso estúpido: o sorriso macabro que vem do pânico dos outros. Muitos fogem, muitos calam-se, muitos mais dobram a cerviz e obedecem às suas ordens enlouquecidas pelo ódio. D. Palhaço já não é mais do que um farrapo, mas ainda há tanta gente com medo de palhaços...

A cada grunhido de D. palhaço, multiplicam-se os ataques de pânico. A cada rosnido de D. Palhaços há milhares que perdem o fôlego. A cada gracejo imbecil de D. Palhaço, é um não mais acabar de arritmias e suores frios.

Outros há, como eu, que dispensam tudo isso: só sentimos náusea."


Afonso de Melo, in O Benfica

D. Palhaço e a sua irresistível atracção por mulheres baratas

"Se há algo de que não se pode acusar D. Palhaço é de não se interessar por mulheres. De diversas idades, diversas cores e de diversos preços... Há quem diga que cada vez mais baratas, mas já se sabe como são as más-línguas no que a mulheres diz respeito.

Maio é mês de Rosas e de Fátimas. E com Maio no fim, D. Palhaço não perdeu a oportunidade de, meloso, rogar a Fátima:

-Fátinha, faz!...

E Fátinha fez.

-Um luxo!, disseram logo alguns.

-De génio!, disse logo o Lambe-Botas, de língua negra de azeviche de tanto andar com ela para cá e para lá em superfícies engraxadas.

-Uma obra de joelharia acrescentou um terceiro, convencido de que as obras de joelharia são assim chamadas porque se fazem de joelhos.

D. Palhaço brilhou. Os palcos são lugares onde se sente bem.

Sobretudo quando lhe dão carta branca para largar as suas porcarias, as suas breijeirices insuportáveis com o maior dos à-vontades. D. Palhaço mentiu. Mentir para ele é uma arte. Arte de palhaço pobre que a mentir ganhou a vida.

D. Palhaço insultou. O insulto é para ele a expressão natural da sua falta de educação, da sua tacanhez, do seu cérebro caliginoso.

D. Palhaço, exigiu:

-Fátinha, lava!...

E a Fátinha lavou, o mais branco possível, tudo o que o freguês deu ao rol. Cantando:

«Ó rio não te queixes

Ai o sabão não mata

Ai até lava os peixes

Ai põe-nos cor de prata...»

A D. Palhaço dá sempre jeito ter uma Fátinha que lave mais branco. À Fátinha dava jeito um bocadinho de dignidade, ou pelo menos uma pontinha de nojo. Fátinha canta:

«Um lençol de pano cru

Vê lá bem tão lavadinho

Dormindo nele, eu e tu...»

D. Palhaço, sempre irresistivelmente atraído por mulheres (há quem diga que cada vez mais baratas), católico apostólico e romano como poucos, já deixou Fátima para trás: vai a caminho de Lurdes, Ou de Roma, quem sabe?"


Afonso de Melo, in O Benfica

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Nuno Coelho

No meio de tantos nomes, até agora só o Bruno César, o Matic, e o Artur tinham sido oficializados. Portanto aqui está o 4º reforço confirmado para a próxima época:



Lembro-me bem dos jogos do Nuno Coelho nas Selecções jovens, era um jogador diferente, um médio-ofensivo com bastante qualidade de passe. Com a idade, acabou por recuar no terreno, mas não é um trinco, na minha opinião tem muitas parecenças com o Ruben Amorim...

Um grande departamento de ralações

"O Nuno Gomes vai para o Sporting? A questão pairou ontem na nação benfiquista nas horas que se seguiram ao anúncio da despedida do jogador. Se em vez de ter jogado durante uma década no Benfica, Nuno Gomes tivesse sido jogador do FC Porto e o clube entendesse que não havia interesse em mantê-lo por mais um ano no activo, certamente que Nuno Gomes iria para o Sporting.

Tal como fez Fernando Gomes, uma glória do FC Porto. Quando o FC Porto não o quis mais como jogador, o bi-bota rumou a Alvalade e ainda conseguiu provar a sua utilidade ainda que num patamar abaixo da qualidade da competição. E, vinte anos depois dessa sua experiência na casa de um rival, Fernando Gomes haveria de regressar ao FC Porto onde ocupa, actualmente, um posto profissional no departamento de relações do clube que foi sempre o seu.

Nuno Gomes, no seu caso, ainda não está virado para o departamento de relações e muito certamente, com a sua saída, deixará aberto na Luz um grande departamento de ralações. A dispensa fria de um jogador carismático, sendo uma opção técnica com superior aval político, poderá constituir uma forte ralação para todos os responsáveis do Benfica caso os projectos de renovação em curso não dêem logo nas primeiras semanas da próxima temporada os resultados ambicionados.

Entre os dois Nuno Gomes há pontos comuns e pontos díspares. Por exemplo, Nuno Gomes, deixando de usar chuteiras, nem teria de esperar os vinte anos que Fernando Gomes esperou para regressar à casa-mãe visto que, justamente com a guia de marcha do balneário, recebeu um convite para integrar a estrutura da SAD do Benfica não aceitou porque pretende prolongar a sua carreira como jogador por mais um ano.

Compreende-se. E quem viu, este ano, um Nuno Gomes ultra-certeiro, a facturar golos nas raras vezes que foi mandado saltar do banco para o relvado, só pode respeitar e levar muito a sério esta vontade do jogador de continuar a fazer golos com uma outra camisola e com um outro emblema.

Será com a camisola do Sporting que Nuno Gomes vai voltar a fazer golos? Ou com a camisola do FC Porto?

Os adeptos do Benfica interrogam-se porque estas coisas preocupam sempre. E mesmo aqueles adeptos do Benfica que nunca se cansaram de assobiar Nuno Gomes e só descobriram este ano, em que praticamente não jogou, que ele era indispensável, esses mesmo são os primeiros a arrepiar-se só de imaginarem um Nuno Gomes de verde ou de azul e às riscas, como é comum nos equipamentos dos dois maiores rivais do Benfica.

A decisão de não contar mais com Nuno Gomes no Benfica é muito discutível, vai ser muito discutida, mas é corajosa da parte de Jorge Jesus. Revela que o treinador do Benfica acredita nas potencialidades da equipa que vai dirigir e, não menos importante, acredita também nas suas próprias capacidades para cumprir um percurso que se advinha difícil.

Jorge Jesus será muito feliz em 2011/2012 se passar a época toda sem ter de ouvir falar de Nuno Gomes. E para isso acontecer o Benfica terá de jogar muito bem e de marcar golos, muitos golos. Dando-se o caso contrário, é certo e sabido que a cada falhanço dos avançados do Benfica diante da baliza adversária, logo se ouvirão milhares de vozes, vindas das bancadas, clamando vingativas:

-Eh pá, esta até o Nuno Gomes metia!

E é isto que se chama um grande departamento de ralações.




NA Suíça, o Servette subiu à primeira divisão pela mão de João Alves e presta-se agora a reforçar o contingente português com a contratação de Costinha para o cargo de director-desportivo. Costinha vai partir para mais uma aventura no estrangeiro sem rancores de qualquer espécie para com o Sporting, a sua última entidade patronal.

Costinha apenas lamenta que, ao contrário do que se passou no seu fugaz consulado em Alvalade, haja agora «dinheiro para tudo», referindo-se aos capitais necessários para comprar os jogadores que não teve autorização para ir buscar.

Mas o sportinguismo confesso de Costinha não pode ser minimamente posto em causa. «Amo o Sporting e vou estar na Suíça sempre com a televisão ligada para acompanhar a equipa», garantiu pondo até em risco a sua relação profissional com o clube suíço que lhe contratou os préstimos.

-Então mas o Monsieur Costinha está aqui para ver os jogos do Servette, que lhe paga o salário, ou do Sporting de Gijón? - vão-lhe perguntar, com cara de poucos amigos, os seus novos patrões.

-Não é o Sporting de Gijón, é o Sporting de Lisboa - há-de responder João Alves, apressadamente.

-Desculpa João, mas não é o Sporting de Lisboa, é o Sporting Clube de Portugal! - corrigirá Costinha, orgulhoso do já secular naming.

Mas esta parte final dos diálogos já nem sequer foi escutada pelos dirigentes do Servette que tinham saído porta fora, confusos e desanimados. Não têm, no entanto, motivos para tais sentimentos.

Costinha é um profissional e também vai gostar do Servette. Aliás, em toda a sua carreira como jogador, Costinha nunca marcou um golo ao Servette. E se marcou, de certeza que não o foi comemorar com danças desafiadoramente triunfantes para juntinho da bancada de sócios do popular clube suíço.




O Benfica contratou Melgarejo, um paraguaio goleador, para substituir Cardozo, outro paraguaio goleador. Lendo os jornais parece que ninguém avisou Cardozo que vai ser substituído por um compatriota, tantas são as declarações de afinco para a próxima época que o Paraguaio I vem produzindo nas últimas semanas. Isto ao ponto de recusar trocar o Benfica por propostas bem compostas vindas de outros pontos do globo.

O Paraguaio II, no entanto, tem a certeza do ao que vem. «É uma honra substituir Cardozo», disse e deve estar verdadeiramente muito bem informado.

Aqui, o negócio é golos. E Óscar Cardozo provou ser o melhor goleador do Benfica desde os tempos já longínquos de Matts Magnusson, facto brilhante que nunca chegou para convencer uma fatia larga de adeptos benfiquistas. E Cardozo até conquistou, no ano passado, uma Bola de Prata, troféu que nenhum outro jogador do Benfica, nem Nuno Gomes, conquistara desde a Bola de Prata de Rui Águas, em 1990/1991. E com isto passaram-se exactamente vinte anos.

Melgarejo nem sabe a alta exigência que o espera. É bom que venha preparado para superar esse choque. E o Paraguaio II começou mal a sua aventura portuguesa.

De acordo com os jornais, assim que desembarcou no Aeroporto da Portela foi logo arrecadado pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras que o obrigou a umas inesperadas horas de espera antes de poder, finalmente, ver o incomparável céu de Lisboa.

É que Melgarejo chegou a Portugal com passaporte de turista e o pessoal do SEF, todos benfiquistas danados, entenderam, e bem, que se Melgarejo vinha com passaporte de turista é porque estava a contar vir de férias para o Benfica, o que não se admite da maneira nenhuma. Esteve, assim, o nosso novo recruta detido por um aborrecido par de horas no aeroporto cumprindo, a mando das autoridades nacionais, um todo novo ritual de chegadas de jogadores.

Foi bom que tivesse acontecido como aconteceu. Até para provar, com grande honra para as nossas cores, que o Benfica não está acima da Lei.

Força Melgarejo! E não te ponhas também a falhar penalties porque foi por aí mesmo que o teu infeliz compatriota de desgraçou entre nós."


Leonor Pinhão, in A Bola

O erro de Fábio

"Muitos adeptos do Benfica estão desolados: a época “desastrosa” termina com um “desastroso” processo contra Fábio Coentrão.

Ora, nem a época foi desastrosa nem o processo é desastroso. O Benfica foi 2.º no campeonato, chegou às meias-finais da Liga Europa e da Taça de Portugal, e ganhou a Taça da Liga. É pouco? Segundo as contas que fiz, foi a terceira melhor época do clube nos últimos dez anos.

O problema está na comparação da época passada com esta. E nas “humilhações” contra o FC Porto – que os benfiquistas não perdoam, porque não aceitam que o FC Porto da época passada era quase imbatível.

Falando agora de Fábio, é óbvio que tinha de ser processado. Ao dizer que queria ir para o Real e até já lá tinha a cabeça, Coentrão fragilizou a posição negocial do Benfica. Se um jogador diz que a sua vontade é mudar de ares, o clube onde está perde margem de manobra e o valor da transferência baixa.

E se é certo que o Benfica deve muito a Fábio, certo é também que Fábio deve ainda mais ao Benfica.

Quando regressou à Luz, vindo do Rio Ave, Fábio Coentrão era um jogador vulgar, daqueles que abundam nas equipas do meio da tabela. Ora Jesus percebeu-lhe as qualidades, mudou-lhe a posição e o modo de jogar, motivou-o – e fez dele um dos melhores laterais do Mundo.

Fábio podia estar hoje numa cidade de província a marcar passo – e está em vias de ir para Madrid como grande estrela.

E é também por isso que um treinador pode ser importante: para identificar talentos, potenciá-los, pô-los a jogar e a deliciar os adeptos durante dois ou três anos – permitindo ao clube fazer amanhã bons negócios."


quarta-feira, 15 de junho de 2011

A torre de Babel

"Sassá. Imorou. Rodrigo Defendi. Sami. Balú. Kiko. Tinoco. Ouattara. Amessan. N'Jock. N'Djeng. Issan El Adoua. Barrientos. Josué. Balú. Dedé. Kelvin. Guardado. Rinaudo. Vitor Golas. Alex. Dzsudzsak. Bamba. Domeneghini. Fabiano Freitas. Uche. Jonathan Maidana. Jonathan Bottinelli. José Angel. Bobô. Christophi. Arias. Kerrouche. Sunnil Chhetri. Ivan Piris. Sotiris Ninis. Takashi Usami. Ansaldi...

Eis uma amostra de jogadores contratáveis ou simplesmente aflorados para jogar na nossa Liga. Principalmente pelos grandes de Lisboa. O defeso no seu esplendor!

Uma verdadeira torre de Babel de nacionalidades, de línguas e de culturas. A globalização futebolística, enxameada de intermediários que impingem jogadores por catálogo de conveniência e vídeos criteriosamente seleccionados ou amputados.

Nestas alturas, pergunto-me se, no nosso Portugal, não há jogadores capazes de ombrear com tão ilustres desconhecidos dos quatro cantos do mundo. E imagino os sonhos desfeitos, ou pelo menos adiados, de tantos jovens portugueses que fazem a sua iniciação futebolística e depois desaparecem no nevoeiro do esquecimento. Até nos escalões mais jovens, há já estrangeiros em boa dose.

Nada tenho contra jogadores de outros países. Mas já sou contra a xenofilia do estrangeirismo, como moda e cartão de modernidade. Porque, tirando alguns jogadores de excepção, as alternativas portuguesas em nada são inferiores às da estranja. Com uma diferença: falam a nossa língua, conhecem a nossa realidade e podem ser melhor acompanhados na fase crítica da juventude.

A liberalização deveria ter limites que defendessem o mercado interno. Como noutros países. E que evitassem equipas totalmente ou quase totalmente sem um jogador português."


Bagão Félix, in A Bola

Obrigado Nuno...

aqui escrevi o que penso da não renovação do contrato com Nuno Gomes, hoje tivemos a confirmação. Mesmo assim tenho que realçar um novo fenómeno Benfiquista: nos últimos meses, semanalmente, acontece sempre alguma coisa no Benfica, que leva a alguns Benfiquistas a escreverem nos seus Blog's frases do tipo: 'o Benfica acabou', 'tenho vergonha de ser do Benfica', 'os valores Benfiquistas já não existem', etc, etc, etc... A minha dúvida neste momento é a seguinte: o que é que vai acontecer para a semana?!!!


"Em virtude das muitas notícias publicadas sobre a minha situação no Benfica, venho, por este meio, esclarecer o sucedido. Hoje, fui informado, definitivamente, que o Benfica decidiu não renovar o contrato que tinha comigo.
É uma opção técnica que respeito como sempre respeitei, concordando ou não.
A partir deste momento sinto-me livre de analisar todas as propostas que possam surgir e escolher o meu futuro.
Despeço-me do Benfica, desejando toda a sorte do Mundo e com a certeza de ter dado tudo por esta camisola dentro e fora do campo.
Gostaria de me ter despedido dos adeptos dentro de campo para lhes agradecer tudo o que me deram mas encontrarei outra forma de o fazer. Obrigado por tudo
"
Comunicado de Nuno Gomes

"Até breve, Nuno!
Foi endereçado, de forma reiterada, um convite a Nuno Gomes para integrar, a partir da próxima época, a estrutura da Benfica, SAD. O atleta deixou claro que pretende jogar durante, pelo menos, mais uma temporada.
Agradecendo a Nuno Gomes o seu percurso, o seu trabalho e dedicação ao Clube, a Benfica, SAD quer desejar-lhe as maiores felicidades desportivas, deixando claro que as portas desta casa estarão sempre abertas para quando ele entenda terminar a sua carreira desportiva."


FIFA Kaos (caminho da perdição) !!!

Os principais Campeonatos Europeus terminaram, os jogadores foram para férias, mas o Futebol não parou!!!

Num ano sem Campeonato do Mundo, sem Campeonato da Europa, e sem Jogos Olímpicos, seria de supor algum descanso, mas não, bem pelo contrário:

Campeonato do Mundo de sub-17, Campeonato do Mundo de sub-20, Campeonato da Europa de sub-21, Copa América, Gold Cup...

Alguns são organizações FIFA, outros são torneios da responsabilidade da Confederação 'local'... Todas estas competições têm uma caracteristica especial:

Os jogadores profissionais que participam nestas provas são pagos pelos Clubes. E o gigantesco 'bolo' das transmissões televisivas destes torneios vai direitinho para a FIFA, para a UEFA, para a CONCACAF, CAF, CONMBOL... isto é que é um negócio da China!!! Ainda por cima os países organizadores pagam as infra-estruturas, e a logística...

Tudo isto sem o mínimo respeito pelos jogadores, e muito menos pelos Clubes, dou um exemplo:

O Benfica por causa do Mundial de sub-20 vai ficar sem o Nelson Oliveira, e o Roderick (falo destes, porque são os mais 'prováveis' no plantel principal), que não vão estar disponíveis para a pré-eliminatória da Champions. O Daniel Wass, está neste momento a jogar o Europeu de sub-21, quando acabar a sua participação o Benfica já vai estar a treinar. É verdade que nos últimos 6 meses foi 'encostado' no seu ex-clube, mas vai chegar ao Benfica sem férias. Na Copa América vamos ter o Luisão, e o Maxi (e ainda a possibilidade do Garay, e do Enzo Pérez caso se confirme as suas contratações). O nosso Capitão, e o nosso Tractor com 'tracção à direita', ainda não tiveram férias, mal acabou a época em Portugal regressaram aos seus Países e entraram imediatamente, na preparação das suas Selecções. Estes dois jogadores já o ano passado com o Mundial na África do Sul tinham tido o período de descanso curto.

Pergunto: Quando terminar a participação do Brasil, e do Uruguai na Copa América, será que o Benfica vai permitir a ambos os jogadores umas curtas férias (2 ou 3 semanas)?!!! Ou regressam imediatamente, para fazer uma longa e cansativa época sem férias?!!!

O International Board anda cego quanto às necessárias adaptações das regras, e dos métodos, aos novos tempos, e a FIFA anda cega com a cor do dinheiro que passa pelos bolsos dos seus funcionários. Tomar medidas em defesa do Jogo (dos Jogadores, dos Clubes, dos Adeptos...), que dificultem o lucro imediato, é algo impensável...

Não gosto de ser catastrófico, mas este é claramente o Caminho da Perdição...

Mundial de sub-20

Foi hoje divulgada a convocatória da Selecção para o Mundial de sub-20, que se vai realizar na Colômbia de 29 de Julho, a 20 de Agosto.

O Benfica fornece: o Roderick, o Luís Martins, o Sana, o Nelson Oliveira, e o Rafa. Na convocatória ainda estão dois ex-jogadores do Benfica: o Danilo, e o Mário Rui.
A ausência do Ruben Pinto é na minha opinião escandalosa (a ausência do Ruben Brigido também é estranha). Relembro que o Ruben Pinto no Europeu do ano passado (onde nos qualificámos para o Mundial), saindo sempre do banco, foi um dos melhores jogadores da Selecção, marcando inclusive golos (dessa equipa também saiu o 'nosso' Evandro Brandão)...

A presença do Luís Martins acaba por ser uma boa surpresa.

O Nelson, e o Roderick vão começar a pré-época na equipa principal, mas a meio de Julho vão ter que abandonar os trabalhos (espero que o Sana, e o Rafa tenham o mesmo 'problema')...

Não espero grandes feitos por parte desta equipa, o treinador é extremamente incompetente, é um daqueles que viu o seu trabalho 'super-valorizado' ao serviço dos Corruptos, portanto o Mundial deve acabar para Portugal no dia 5 de Agosto...!!!

adenda1: O Site do Benfica dá o Mário Rui como jogador do Benfica, e não se refere ao Rafa. Como expliquei na caixa de comentários, foi noticiado a não renovação do Mário Rui, que estará a caminho do Aris. O Rafa também foi anunciado como jogador do Benfica. Ficam as dúvidas...

adenda2: Além dos Portugueses, o Rodrigo também vai estar no Mundial, em representação da Espanha, e o Carole pelos Franceses. Dos jogadores ultimamente 'ligados' ao Benfica, pela descomunicação social, o Nigeriano Uche, e o Brasileiro Danilo também podem ser convocados...

Os 'filhos' do Sistema !!!

O discurso criminoso, bairrista, separatista, arruaceiro, mentiroso... que é utilizado pelo Pintinho à mais de 30 anos, vai fazendo doutrina, mas não são só os meninos da Ribeira que acolhem as atoardas do Bufas, o impacto é mais vasto, atinge todos os níveis da sociedade, e mesmo aqueles que pela sua formação académica tinham a obrigação de ter pelos menos um neurónio a funcionar, se deixam levar pelo discurso medieval...!!!

Aqui fica um exemplo, que foi postado no Bimbo-Lagartada, e que na minha opinião merece divulgação:

"

...

Querem ler o que o jornalista andrade Vitor Pinto, do Record, respondeu a um benfiquista de Viana do Castelo num blogue em 20/06/2008, há 3 anos, portanto?Dizia o benfiquista no final de um longo comentário:
“ As pessoas sabem perfeitamente que uma coisa é a LEI e outra é fazer justiça. E vcs portistas da vergonha, andam demasiado preocupados com a LEI, pq a justiça, essa já não vos acompanha há cerca de 30 anos!!Se nas escutas se ouve gente do porto a corromper árbitros dirigentes e outros clubes, pq é que continuam tão preocupados com a lei??.. pq se a lei fosse sinónimo de justiça vcs já estavam nos regionais há uns valentes anos!!A Lei da Liga e Federação foi feita por quem lá esteve durante anos e anos, pessoas como Guilherme Aguiar (arbitragem e executivo), Adriano Pinto (A.F.Porto), Poncio Monteiro, ultimamente ANDREIA COUTO (irmã do fernando couto), tudo gente que falsificou relatórios dos observadores dos jogos e manipulou classificações de arbitragem… vcs sabem do que falo!!”.
Resposta do jornalista Vitor Pinto, do Record:
“Morre MOURO, filho da puta.Sendo tu do Norte, ao que parece… devias ser enforcado. Deves ser trolha ou preto. Vai para a cidade do centralismo, pois lá é o teu lugar.Pelo Norte livre de vermes vermelhos”.
Eloquente. Não acham? E para acabar, mais uma resposta do mesmo troglodita a outro comentário.
“Pela Regionalização.Amo o FCPorto, porque nasci no Porto, amo o Norte porque nasci no Norte, tenho dignidade, tenho orgulho e não sou traidor.Para terminar devia dizer-lhe… “Passe bem”, mas não. Desejo que passe mal”.

...

"

terça-feira, 14 de junho de 2011

Sócios aprovam orçamento e plano de investimento para a nova época

Sócios aprovam orçamento e plano de investimento para a nova época

Sem tempo para perder tempo...

"As eleições de Outubro de 2012 já mexem com o dia-a-dia do Benfica. O que está em causa é tremendo (direitos TV) e a guerra já começou

Daqui a uma semana o Benfica está de regresso aos treinos para preparar a época 2011/12. Obrigado a entrar em competição a sério ainda durante o mês de Julho - se quiserem chegar à fase de grupo da Liga dos Campeões, onde está o dinheiro, os encarnados terão de ultrapassar a terceira pré-eliminatória e o play-off da Champions - o Benfica deve definir, ao longo da próxima semana, o plantel com que atacará as responsabilidades de 2011/12.

Neste momento, as dúvidas superam as certezas, sendo certo que Maxi, Luisão, Garay(') e Enzo Pérez não estarão disponíveis, para a primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Milionária. Ou seja, a turma da Luz precisa de entrar em regime de contra-relógio para evitar o risco de abordar a competição com onze jogadores e não com uma equipa.

Ao nível a que o Benfica pretende reforçar-se para as posições mais sensíveis, tendo em conta o orçamento disponível e a concorrência externa, a pressa será sempre um inimigo declarado. Mas, da mesma forma e com os mesmos riscos de danos irreversíveis, atrasar contratações (e saídas...) para posições-chave poderá não dar a Jesus o tempo necessário para as incontornáveis mecanizações.

Está à vista que 20011/12 será, para o Benfica, uma época exigente. O FC Porto, que deve deixar sair Rolando e Fernando e pode perder Falcao, não deixará, contudo, de apresentar um conjunto forte; o SC Braga, mesmo com as saídas anunciadas, vai continuar com um balanço europeu; e o Sporting, qual Fénix, está a renascer das cinzas, reforçando-se criteriosamente e preparando, claramente, o assalto a um dos lugares da Liga Zon Sagres que na próxima temporada darão acesso directo à Liga dos Campeões.

Porém, como tem estado à vista de forma pública e notória, os ataques ao Benfica não estão circunscritos ao âmbito desportivo. Em época que vai desembocar num acto eleitoral, com a magna questão dos direitos televisivos omnipresente, das áreas mais improváveis (para os menos atentos...) irão surgir, com uma intensidade directamente proporcional a eventuais maus resultados desportivos, investidas contra a liderança encarnada, seja contra Jorge Jesus, seja questionando Rui Costa, mas sempre com Luís Filipe Vieira como alvo a abater.

As eleições no Benfica estão marcadas para Outubro de 2012, pelo que o estado de espírito da nação encarnada, quando for a votos, não deixará de estar profundamente sensibilizado pelo que acontecer na época que agora se inicia. E é à luz desta realidade que devem ser lidas as sucessivas tentativas, em curso, de fragilização da actual direcção.

No Benfica, o tempo não está para tiros nos pés. As contratações que estão por realizar não podem ser enviadas para as calendas. Na certeza de que o marketing emocional, tão necessário nesta altura da época, será acelerado de acordo com a qualidade dos reforços e das garantias que a equipa der. Para já, Enzo Pérez é um nome galvanizador; Artur é uma espécie de seguro contra enfartes de miocárdio; Bruno César, Nolito e Matic são vistos com muita esperança. Se a estes nomes se somarem cinco indiscutíveis - defesa direito, defesa central, defesa esquerdo, box-to-box e ponta de lança - o Benfica ficará preparado para 2011/12 e blindado contra ataques, com agenda própria..."



José Manuel Delgado, in A Bola

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Nuno Gomes



Quando na última jornada, com o Leiria, o nosso capitão, apesar da expulsão de Luisão, entrou, quando a equipa precisava de defender a escassa vantagem, reforcei a minha convicção que Nuno Gomes não iria fazer parte do plantel do Benfica na próxima época. Por isso estranho ainda mais, a suposta surpresa que a não renovação do Nuno está a provocar. Nos Benfiquistas até compreendo algumas reacções emocionais, mesmo que muitos dos escandalizados tenham passado a 'vida toda' a assobiá-lo; Nos 'Não' Benfiquistas também compreendo, querem a máxima destabilização, mas mesmo assim ler diariamente Andrades e Lagartos (=anti-Benfiquistas) vomitarem opiniões de merda, já chateia...!!!

Desportivamente acho que o Nuno podia continuar a jogar no Benfica, com uma utilização parecida com a que teve esta época, jogando somente os últimos 15 minutos, podia ser útil. Pelos golos que podia marcar, mas também pela experiência que passaria aos mais novos.

Mas infelizmente o 'caso' Nuno Gomes ganhou outras dimensões: Num momento de contestação às opções do treinador, o Nuno passou a ser usado como arma de arremesso. Se o Nuno não era convocado, era incompetência do Jesus!!! Se ficava no banco, e não jogava, era incompetência do Jesus, se entrava na parte final da partida, e marcava um golo, era incompetência do Jesus (porque devia jogar mais!!!)...

Não renovar com o Nuno vai dar polémica neste defeso, manter o Nuno no plantel vai dar polémica todo o ano!!! Sim, porque com o Nuno na bancada, no banco, ou a jogar, o Jesus será sempre o 'culpado', e cada golo que o Nuno ouse marcar, será considerado uma 'traição' ao Jesus!!!

Infelizmente aqueles que hoje (e ontem) criaram esta polémica, são os principais culpados pela impossibilidade do Nuno se manter como jogador do Benfica. Mas é o que acontece quando se procura, por todos os meios possíveis, 'pedras' para atirar aos inimigos de estimação, seja o Jorge Jesus, seja o Presidente do Benfica, seja outro qualquer...

Não sei qual será o projecto de vida do Nuno Gomes após deixar de jogar futebol, se quiser ficar ligado ao desporto, o Benfica tem obrigação de lhe abrir as portas, se quiser fazer mais épocas como futebolista, terá toda a minha compreensão, mas o Benfica também não tem a obrigação de o aceitar no plantel eternamente...

Foram poucos os jogadores do Benfica que terminaram as suas carreiras no Benfica, NEM o grande Capitão Coluna, mesmo no tempo onde os Clubes tinham a famosa clausula de opção, nem José Águas, nem Torres, nem Eusébio terminaram no Benfica...

Eu faço parte da minoria de Benfiquistas que nunca assobiou Nuno Gomes, nunca o desejei fora do Benfica, nunca o quis dispensar, portanto estou à vontade para falar:

Muito Obrigado por tudo, Nuno, tive o privilégio de assistir à carreira (toda) de um dos nossos melhores goleadores de todos os tempos, as melhores felicidades, no Benfica, ou fora do Benfica, como jogador, ou em outras funções, ganhaste com mérito um lugar na história do Glorioso, não serás esquecido...

Tridente

From: Domingos Amaral
To: Luís Filipe Vieira, Rui Costa, Jorge Jesus

Caros Luís Filipe Vieira, Rui Costa e Jorge Jesus. Como os senhores decerto já repararam, está há várias semanas em curso a grande operação “VAMOS DESESTABILIZAR O BENFICA”. Depois de uma época que foi, todos o reconhecemos, francamente dececionante, há quem aposte na fraqueza e deseje ardentemente a vossa destruição. O mundo do futebol idolatra a força, e agora a força está, ao que parece, toda no Norte. A cada vez mais poderosa máquina de propaganda do FC Porto, com os seus escribas e serviçais, não descansará enquanto não vos destruir, bem como certa comunicação social, sempre pronta para causar danos, e certos empresários, sempre prontos para vos sorver as finanças. O descalabro do Benfica interessa a muitos.

A sequência de “casos” tem sido imparável. Primeiro, o “caso PJ”, cheio de “luvas”, “burlas” e outros horripilantes pecados. Depois, o “caso Coentrão”, intencionalmente inflamado com a nitroglicerina do costume. Pelo meio, os infindáveis casos das mil e uma “contratações”, com magotes de jogadores a entrarem todos os dias para o nosso plantel. E também o “caso Nuno Gomes”, para perturbar ainda mais as emoções dos sócios.

A intenção é óbvia: fragilizar-vos. Minar o tridente. Abalar um, dois, ou os três. Tentar que a vossa união se quebre. Tentar que Jesus desista, que Rui Costa se afaste, que Vieira ceda. Tentar, tudo por tudo, que até ao final do verão, na pior das hipóteses, o Benfica entre em convulsão.

Perante este cenário, só há uma resposta possível. Cerrar os dentes, cerrar as fileiras e aguentar. Os senhores, os três, têm de se unir, com laços de cimento se for preciso, e nem por um momento ceder a esta onda maligna. Espero que tenham força mental para lutar contra este bombardeamento permanente. O que não nos mata torna-nos mais fortes. E um Benfica forte incomoda muita gente..."


Trabalho sujo

"Segundo as minhas contas, há onze meses e sete dias que não faço qualquer observação depreciativa em relação ao talento de Carlos Queiroz para treinar equipas de futebol. Estou, como é biologicamente previsível, a ressacar. Várias vezes ao dia, assalta-me uma súbita vontade de assistir a um jogo particular do Irão, ou, quando a pulsão aditiva é tanta que já nem é necessária satisfazê-la com jogos em direto, a reposição de uma qualquer partida que Queiroz tenha orientado no passado e em que não tenha conseguido uma vitória. Convenhamos que a escolha é, neste último caso, enorme.
Mas o caso é mais grave do que parece. Aqui há uns tempos, a Federação Portuguesa de Futebol obrigou-me a fazer uma coisa muito desagradável, que ainda hoje lhes guardo ressentimento: a vir defender o ex-selecionador nacional, na sequência do processo disciplinar absurdo de que foi alvo. E hoje temo que o volte a fazer. A continuar a este ritmo, qualquer dia serei tão pró-Queiroz, que começarei a referir-me a ele como ele se refere a si próprio em todas as entrevistas que dá – “eu, que em 1989 e 1991 fui campeão mundial nos Sub-20…”
Mas tem de ser. Na semana passada, Raul Meireles, antes do Portugal-Noruega, declarou: “Portugal mudou, pois tem um treinador com métodos novos. E aí está a grande diferença. Hoje, os jogadores sabem o que têm de fazer.” Até no boxe, que é um desporto violentíssimo, há uma pessoa que está encarregue de interromper o combate, quando um dos lutadores está no chão, inconsciente, e o outro está no seu canto a festejar, com o seu treinador. Como se trata de futebol, alguém já devia ter dito que é feio continuar a bater em quem está no chão.
Por favor, não me obriguem a vir outra vez defender Carlos Queiroz, que em 1989 e 1991 foi campeão mundial dos Sub-20.
Pronto, já estou"

Miguel Góis, in Record

domingo, 12 de junho de 2011

Ser...

Costumo transcrever Colunas de Opinião, publicadas nos Jornais, mas não costumo fazer copy/pastes de Post's, abro aqui uma excepção. Num fim-de-semana onde as coisas não correram nada bem para o Benfica, esta liturgia do nosso Lucífer torna-se ainda mais pertinente. Apesar da minha mais reduzida experiência de vida, partilho inteiramente as palavras que seguem:


"Sem querer ser chato, volto à questão de como encaro o "Ser Benfiquista". Sou Benfiquista desde pequenino (desde que entrei para a Escola Primária, por obra e graça da Professora) e já ultrapassei as seis décadas de vida. Por isso penso que muito poucas pessoas me darão lições de Benfiquismo. Fizeram-me Benfiquista, ao mesmo tempo que me inculcaram determinados valores que se projectavam no Clube, que era afinal um conjunto de vontades irmanadas numa luta contra o sistema vigente, um grito de revolta das classes mais desfavorecidas, uma raiva angustiada de quem é explorado, um assomar de Orgulho nas suas modestas raízes, um hino de Vaidade de quem não tem mais que oferecer que a força de trabalho dos seus braços. Mesmo assim o Amor ao GLORIOSO temperou-se na rija determinação de desviar parcos recursos para ajudar a viver o...BENFICA. Tem o GLORIOSO, uma historial de actos que roçam o heroísmo, por parte dos seus Fiéis. Isso nos faz diferentes e superiores.
É isto que os senhores que "pensam" o BENFICA não conseguem entender. Como não entendem que se pare a guerras para ouvir relatos do BENFICA. E referem-se amiúde à História do GLORIOSO e não percebem nada de nada. Para eles a História do Eterno BENFICA começa na década de Eusébio. Dizem que aí sim fomos grandes, agora não. Eu contraponho que nascemos, somos e seremos grandes. Talvez que muitos que se arvoram de Benfiquistas e botam faladura, nem sequer lhes passe pela cabeça o que é ser verdadeiramente BENFICA. Ser Benfiquista é saber perder e ganhar, mas nunca assobiar quem quer que seja dos nossos. Ser Benfiquista, nao é só querer ganhar. Ser Benfiquista nao é conformar-se com os resultados menos bons. Ser Benfiquista é viver o BENFICA, nao é nem nunca será "vestir o fato de gala" nas vitórias. Ser Benfiquista é respeitar o Presidente, o cargo mais importante do Mundo, pois na noite negra do fascismo salazarento, ser-se Presidente do GLORIOSO era uma chapada de luva...vermelha à cara do regime, com eleições livres e bastante participadas.
Enormes Benfiquistas como a Enciclopédia-Viva Miguéis, preocupam-se em analisar quem tem mais títulos, se o BENFICA se os andrades. Quanto a mim erradíssimo. Estamos a ir na conversa dos andrades. Se eles querem ter mais títulos pois que os tenham. Nós devemos cingir-nos a dizer-lhes que foram necessários 30 anos de putas fatelas, alternadeiras, cafézinhos, envelopes vazios, árbitros subornados, arcas frigoríficas, jantares em marisqueiras, recibos de despesas apresentadas na torre das antas, agressões a jornalistas, jantes desaparafusadas, amarelinhas, penalties fantasmas, bolas de golfe, apitos dourados silenciados, aveiros conection sem efeito, pacotes de heroína, contrabando de dentes de elefante, chocolatinhos, clubes satélites, férias a árbitros pagas, bilhetes a juízes para jogos na estranja, conselhos matrimoniais, para poderem dizer que têm mais títulos que o BENFICA.

Outra questão é a dos Benfiquistas que apregoam contra o facto de termos muitos estrangeiros. E depois? Querem portugueses? Pois sim. Para ter exemplos como o Manuel Fernandes que agora quer regressar, Tiago idem idem aspas aspas, Pacheco, Miguel, Quim, Rui Águas, e o Benfiquista desde pequenino do Coentrão e mais uns quantos, que cospem no prato onde comeram...está tudo dito. Quero é jogadores que sintam a camisola, e se saírem do Clube, que se sintam honrados por terem vestido o Manto Sagrado.Para mim não me importa donde vêem, importa que lutem pelo Sagrado EMBLEMA da ÁGUIA."

Lucífer, in Em Defesa do Glorioso

Sina






Mais do mesmo, o Benfica a assumir o jogo, a atacar, a falhar golos, a falhar, a falhar e a falhar... a oferecer um golo ao adversário, e a continuar a falhar golos atrás de golos, e finalmente a empatar. Curiosamente os minutos a seguir ao empate foram os piores momentos do Benfica, mas depressa se voltou ao mesmo, isto é, o Benfica a falhar, a falhar, e o Sporting no contra, também falhou alguns (muitíssimo menos), mas a 1 minuto do fim, a marcar... Com o Benfica a tentar o 5 para 4, na primeira tentativa o Sporting sem guarda-redes na baliza marca!!! E o jogo acabou...

Será muito difícil (mesmo impossível) ganhar os próximos 3 jogos, não porque a equipa não tenha talento ou capacidade, mas porque além do tremendo 'galo' do nosso adversário, nós neste momento para marcar 1 golo, temos que falhar escandalosamente 20!!! E com esta média não se pode ganhar...

Tal como no Volei, depois de dominar a fase regular, vamos provavelmente perder o título no Play-Off, algo extremamente raro na história das modalidades em Portugal. O radical abaixamento de forma a seguir à UEFA Cup tornava este cenário previsível. Durante as lesões do César e do Diece a equipa conseguiu reagir, mas a lesão do Joel trouxe à equipa uma falta de confiança e uma ansiedade inexplicável, sendo que o César e o Diece nunca conseguiram atingir os mesmos níveis de forma após as lesões...

PS: Apesar da desilusão é inaceitável colocar-se em causa atitude dos jogadores do Benfica. Por outro lado, a atitude dos jogadores do Sporting, principalmente em vantagem, picando constantemente os adversários, agredindo e simulando agressões, tentando 'tirar' cartões ao Benfica constantemente, recusando-se a 'dar' os 5 metros nas faltas favoráveis ao Benfica, é altamente condenável. Não é surpresa, a cultura desportiva portuguesa está cheia destes exemplos, mas...

Marisco

"A grande novidade da época futebolística que agora findou foi o marisco. A substituição da fruta, de consumo interno, pelo marisco, para consumo externo, provocou um alteração qualitativa na avaliação do Sistema. O Sistema deixou de ser apenas uma vergonha nacional, confirmando-se, com a história do marisco, como uma vergonha internacional. Até porque a nível nacional, com a máquina de propaganda que o sistema controla, não há vergonha nenhuma. De maneira que foi necessário que um jornal lá de fora levantasse a lebre - ou mais propriamente, a lagosta - para que se soubesse que o Futebol não se tem andado a jogar apenas no relvado: também se tem decidido à mesa entre crustáceos e moluscos. Durante a temporada do marisco houve também notícias frescas sobre a velha fruta. Mas o Sistema, acontecendo os maiores escândalos, não acontece nada.

A segunda maior novidade, da época, como diria sir Alex Fergunsson, foi que eles lá continuam a comprar títulos no supermercado. Em saldo. Porque nisto da compra de títulos, quantos mais se compram,mais fácil se torna continuar a comprar. Com dinheiro dos títulos, roubam-se e compram-se jogadores para alimentar uma equipa principal e uma dezena de equipas B, colaborantes.

Com todo este sistemático arranjinho, cada vitória do Benfica vale simbolicamente a dobrar: pela vitória sobre um adversário e por uma derrota do Sistema. É difícil? Claro. Vida fácil têm as mães dos batoteiros.


Nota solta: O título de Hóquei em Patins não se decidiu à 30ª jornada; decidiu-se à 22ª, quando o Candelária, dos Açores, vencia por 3-1, a 50 segundos do fim e em menos de um minuto a equipa passou a mera espectadora, assistindo à reviravolta: 3-4 para os do costume. Deve ter sido efeito dos cavacos e cracas, mariscos locais."


João Paulo Guerra, in O Benfica