Últimas indefectivações

sábado, 9 de março de 2013

Mais uma...


Benfica 8 - 3 HC Braga

Depois do suspense da semana passada, uma jornada calma... hoje não havia armadilhas !!!

Capicuas na vitória !!!


Sampaense 55 - 88 Benfica
11-21, 16-17, 12-24, 16-26

Vitória convincente, num local onde o ano passado perdemos, surpreendentemente... O Dunn, após resolvido o problema das lesões, continua a marcar pontos atrás de pontos...!!!

5.º Campeonato Nacional em 9 anos...


Mais um título Nacional para as nossas meninas no Rugby... com uma vitória por 38-0 sobre a Agrária, o nosso principal adversário, o Benfica confirmou hoje - jogo da consagração, já que o título, matematicamente, já era nosso antes da partida começar... -, o título de Campeão Nacional 2012/13. Em 9 anos a praticar esta modalidade, este é o 5.º Campeonato!!! No total 17 troféus, magnifico...!!! Parabéns a todas...

Os perdões são como os almoços

 " “Como sócio do Sporting, tem todo o direito a expressar a sua opinião sobre a situação financeira do clube”, ouvi esta semana dizer a mais do que um benfiquista a propósito das declarações públicas de Luís Filipe Vieira sobre os zunzuns que dão como possível um perdão da dívida do Sporting à Banca. Normalmente são os sportinguistas que gostam de picar os benfiquistas com o tema dos anos de associado que o presidente do Benfica já somou ou vai somando em Alvalade.
Esta semana aconteceu o contrário. Perante a estupefacção que as palavras de Luís Filipe Vieira sobre a dívida do Sporting e o tal perdão da Banca causaram em Alvalade, resolveram os benfiquistas contra-atacar com uma porção do mesmo veneno com que são habitualmente seringados pelos vizinhos da Segunda Circular. E trataram de responder à indignação dos rivais com suprema perversão. Pois se Vieira é sócio do Sporting está autorizado a emitir opinião sobre os temas correntes do clube, não é verdade?
Se muitos adeptos e sócios do Benfica não encaram com bom humor a matéria em causa, também é verdade que muitos outros, provavelmente a maioria, terão apreciado a oportunidade da tirada do seu presidente. “Mete-me confusão que bancos que despejam pessoas das suas casas por falta de pagamento possam vir agora admitir perdões aos clubes de futebol”, disse o presidente do Benfica. E, independentemente das paixões clubistas, é muito difícil, quase impossível, não concordar com a ideia expressa pelo presidente do Benfica.
Saberá a Banca o que faz com o seu dinheiro, com as dívidas que tem por cobrar e com os seus clientes preferidos. Mas não é difícil de imaginar um descrédito do sistema financeiro e uma considerável agitação no país todo se a Banca, que não perdoa nada ao cidadão comum e nadinha ao empresário comum, proclamasse o perdão das dívidas dos clubes de futebol em troco de… nada. Seria, aliás, surreal que assim acontecesse. Se o Capital não tem pátria, muito menos tem emblema de futebol. O que o Capital tem é voragem. Um “perdão” seria o princípio do fim da autonomia dos clubes de futebol, tal como os conhecemos e os vimos crescer, construir estádios e endividarem-se. Os perdões são como os almoços. Nunca são grátis.

ERRAR É HUMANO
Um grande desperdício de árbitro
Os desacatos na tribuna VIP do Estádio de Alvalade nasceram de um facto insólito. Um antigo e muito respeitável dirigente do Sporting, Paulo Abreu, homem cordato e de maneiras, insurgiu-se contra a expulsão de Jesualdo Ferreira e de Oceano e não se coibiu de falar alto contra “o sistema” nas barbas de Pinto da Costa e de toda a comitiva oficial portista, incluindo os seguranças. Os visados reagiram em defesa do seu bom nome e em defesa do ambiente de tranquilidade e civismo exigível numa tribuna VIP, atmosfera que os próprios sempre proporcionam quando lhes cabe o papel de anfitriões.
Não foi, naturalmente, em defesa do árbitro Paulo Baptista que se terão erguido as vozes de Pinto da Costa e de outros convidados portistas quando Paulo Abreu tratou de pôr com extrapolações sobre as três expulsões até ao momento somadas. Paulo Baptista nem sequer reúne gabaritos que levem a defendê-lo. 
Baptista não é árbitro internacional, nunca lá chegou apesar de ser um dos nossos árbitros mais asizados e discretos e já se sabe que o FC Porto só quer árbitros internacionais nos seus jogos. E aquelas expulsões todas nem sequer davam jeito ao FC Porto. Porque empatar e ficar com a fama de mandar no árbitro, bem-feitas as contas, já são contratempos a mais.

POSITIVO
Jesualdo “boys”
O desejo de Jesualdo Ferreira seria ter condições para fazer uma revolução silenciosa numa casa onde todos gritam. Contra o FC Porto motivou a miudagem, defendeu-se como pôde e sorriu.

Estoril ao Sol
O Estoril de Marco Silva foi ganhar a Vila do Conde e está agora a 1 ponto do acesso à Liga Europa. Percurso absolutamente notável para uma equipa no seu não de regresso à I Divisão.

Rodrigo acertou
O Benfica vai a Bordéus com o conforto de um resultado de 1-0 na Luz, graças a um tiro de Rodrigo que terá ainda tido a colaboração infeliz do guarda-redes dos Girondins. Independentemente do autor, foi um belo golo.

PÉROLA
“O SPORTING JOGA PARA NÃO DESCER DE DIVISÃO", Rodolfo Reis
Não se entende se o antigo capitão do FC Porto, um histórico do clube, pretendeu com as suas declarações à Radio Renascença mandar abaixo o Sporting, o que seria crueldade desnecessária, ou se pretendeu mandar abaixo Vítor Pereira, o que seria extemporâneo porque ainda falta muito campeonato."

Ansiedade mora na Luz

"Gestão de recursos do Benfica ainda vai dando, mas futuro tem que se lhe diga.
O saldo competitivo dos encarnados, na corrente época, é sem dúvida positivo, mas todas as "poupanças" estão investidas em produtos de alto risco e, apesar de alguns sinais de confiança, não se sabe como é que os "mercados" irão reagir. A Taça da Liga foi negócio que, sobre a hora, deu para o torto e todo o cuidado é pouco para evitar que, na sequência do "flop", as outras aplicações de talento sejam alvo do chamado efeito-dominó. É que todas as transacções estão interligadas, restando saber se o "cash-flow" vai chegar para tudo.
Para o 1-0 sobre o Bordéus ainda chegou, sim, e aí Jesus, uma vez mais, não jogou todas as fichas de que dispunha, que outras operações se perfilam no horizonte e há que ser comedido. Para esta aventura europeia, o Benfica apresentou como grande novidade a dupla Roderick-C.Martins, à frente do quarteto defensivo. A suspensão de Matic, se bem que sempre inconveniente, acabou por ter um lado positivo (forma de dizer, claro), ao facilitar as escolhas, mas daí à aposta no duo eleito vai aquela distância... 
Também no miolo foi a vez de Salvio descansar, entrando de início Gaitán, enquanto na frente, em detrimento de Lima, surgiu Rodrigo, no apoio a Cardozo. De fora, portanto, alguns titulares a precisar de descanso, nesta fase crítica em que gerir os activos se afigura tarefa primordial. Apesar das boas intenções de Jesus, a verdade é que a equipa não rendeu o esperado e o espectáculo ressentiu-se claramente disso. Por culpa não só do Benfica, mas também de um modesto Bordéus.
Nem o golo a meias de Rodrigo-Carrasso (21') viria a alterar fosse o que fosse, já que as duas equipas mantiveram a sua toada morna e de pouco acerto, com os encarnados a revelarem total ausência de engenho para criar lances com princípio, meio e fim (e, dessa forma, ampliar a marca) e o Bordéus, aparentemento satisfeito pela desvantagem mínima concedida, sem qualquer capacidade ofensiva. Alguns remates de Obraniak (à falta de Rolan, muito vigiado) não chegam para o desmentir.
Na 2ª parte, Enzo e Salvio e, depois, Lima foram chamados ao palco mas também eles não alteraram as deixas e a trama continuou sem alma. O que foi tanto mais decepcionante quanto é certo que o adversário, bem "conversado", poderia ter levado que contar. Na verdade, este Bordéus está a anos-luz da actual elite francesa (PSG, Lyon, Marselha, por exemplo) e não parece em condições de fazer muito melhor do que aquilo que realizou agora na Luz.
O futebol é, contudo, prenhe em ironias. Se o 2-0 esteve à vista, num lance em que Melgarejo poderia ter servido o ponta de lança, o empate também se pavoneou com desplante, através das intervenções dos substitutos Traore e Ben Khalfallah. O que teria sido um resultado exagerado, pois se o Benfica se quedou uns furos abaixo do normal, ainda assim ficou acima do seu adversário, merecendo inteiramente o triunfo. O que permite também concluir que, com um pouco mais de "andamento" na segunda ronda de negociações, o apuramento será uma (tranquila) realidade."

sexta-feira, 8 de março de 2013

Divagações sobre ranking's !!!

O Benfica, matematicamente, ainda pode conseguir ficar no Pote 1 no sorteio da Champions, para a próxima época, não é fácil, depende de várias variáveis, mas ainda é possível...
Mas a curiosidade maior, na minha opinião, não é essa:
No início da próxima época, a temporada 2007/2008 será 'deitada fora' - ano Quique -, uma das nossas piores performances na UEFA, assim passam a contar para o Ranking oficial as últimas 4 épocas - todas as épocas de Jesus no Benfica -, e se tudo correr bem, na próxima semana em Bordéus, o Benfica irá começar a época 2013/2014, muito provavelmente, no 6.º lugar !!! Só atrás do Barça, do Real,  do Bayern, do Man United, e do Chelsea !!! Isto porque o Valência já foi eliminado, e o Arsenal,  e o Inter estão praticamente fora... Com a passagem aos Quartos da Euroliga, só uma grande campanha dos Corruptos na Champions deste ano, poderá retirar o 6.º lugar ao Benfica, e nesse caso, seremos na pior das hipóteses sétimos no início da próxima temporada!!!

Eu trocaria esta regularidade Europeia por um título Europeu, sem a mínima hesitação, mas com todas as vicissitudes internas, tanto dentro do Clube, como a nível Nacional, este Ranking é um 'quase' milagre... A aparente pouca Militância demonstrada no jogo de ontem - tanto pelos números da assistência, como pelos assobios no final -, perante estes resultados é preocupante...
Questionar a renovação do treinador é algo que me deixa muito confuso, não sei se é por pura embirração com o Jesus, se é pura estupidez, ou pura ignorância... Assobiar a equipa, que tem duas derrotas oficiais nos 90 minutos esta época, ambas na Champions, que é o melhor ataque no Campeonato, que em 90% dos jogos, pratica futebol com elevada nota artística, só pode ser estupidez... e se o único argumento que encontram é um suposto grau de exigência elevado, eu respondo que o meu grau de exigência, para com o apoio devido à equipa, por parte dos adeptos, obriga-me a apelidar o gang do assobio, como os piores adeptos do mundo!!!

Meio caminho andado

"Se foi uma surpresa o FC Porto perder dois pontos em Alvalade, num jogo onde o Sporting até teve as melhores ocasiões de golo, também constituiu espanto a forma intranquila como o Benfica foi jogar a casa do último classificado. Sem tirar o mérito a Costinha, que soube orientar de forma sagaz o Beira-Mar, a verdade é que o Benfica parecia estar à beira de um ataque de nervos.
Jorge Jesus, que sabe mais de futebol a dormir que a maioria acordada, não pode deixar de ter ficado preocupado. Não se conseguia posse de qualidade, o jogo encarnado era desligado, e os nossos atletas jogavam sob brasas sem se perceber muito bem a razão.
Dirão os cientistas da bola que ganhar por 1-0 quando se joga mal é de campeão. Talvez, mas não gostei nada daquela exibição descolorida.
O percurso de excelência das equipas de Jorge Jesus mostra que para se chegar ao triunfo o caminho mais rápido e seguro é jogar bem. Essa é a razão pela qual não me canso de defender o treinador do Benfica e essa é também a razão pela qual não gostei do jogo de Aveiro.
Seria tolo se estivesse a festejar a liderança isolada quando sempre aqui me bati pela qualidade de futebol do Benfica.
Estou certo que a regularidade das boas exibições regressará a tempo de defender esta posição na tabela.
Este Benfica e este treinador já mostraram ser capazes.
O resultado de ontem com o Bordéus é bom. Ganhar 1-0 em provas europeias é sempre mais de meio caminho andado. De todas as equipas que estão em prova, basta ao Benfica regressar à sua qualidade individual para só o Chelsea e o Tottenham serem adversários de fasquia muito elevada.
Ontem, o melhor de Jorge Jesus foi quando na conferência de imprensa disse que a prioridade são as três competições que faltam."

Sílvio Cervan, in A Bola

Fábio Faria

Força Fábio... outros desafios irás ganhar.

Dia da Mulher Benfiquista !!!

Assobiar de barriga cheia

"A forma como os adeptos do Benfica se despediram ontem da equipa, com uma forte assobiadela, não deixa de ser intrigante. Que raio!, com a equipa em 1.º lugar no campeonato; com um pé na final da Taça de Portugal e bem encaminhada para os quartos-de-final da Liga Europa, qual a razão de ser para aquela vaia no final do jogo com o Bordéus?
O Benfica exibiu-se a um nível modesto? É um facto. Está a faltar a nota artística? Com certeza que sim. Já foi assim com o Beira-Mar (vitória 1-0), já foi assim em Braga (na eliminação da Taça da Liga) e já tinha sido assim também com a Académica (vitória 1-0, no último minuto) e o Bayer Leverkusen (2-1, na Luz, com muita felicidade). Mas mesmo com este ciclo de exibições tristes, mastigadas, pálidas e até sofridas, assobiar uma equipa com tão impressionante dinâmica ganhadora é qualquer coisa que não se compreende. 
Por vezes é preciso recorrer aos números para se chegar à verdadeira dimensão das coisas: o Benfica realizou ontem o 39.º jogo da temporada, tendo somado a 29.ª vitória. De resto, oito empates e apenas duas derrotas, ambas em outubro, em jogos da Liga dos Campeões. A primeira frente ao Barcelona e a segunda, em Moscovo, com o Spartak. Será que o “cliente” tem sempre razão?
João Moutinho vai falhar o segundo jogo consecutivo no FC Porto. Esta noite, contra uma das boas equipas da Liga (Estoril), os dragões estão confrontados com a mesma realidade que viveram em Alvalade: como fazer a máquina levantar voo quando não há motor de arranque? Sem Moutinho nem é tanto a capacidade de construção que fica comprometida. O que passa a estar em causa é a eficácia na reação à perda da bola. Com o pequeno-grande médio em campo, o FC Porto volta à posse mais rapidamente e em zona mais adiantada. Faz toda a diferença.
André Villas-Boas é um dos treinadores do momento: o Tottenham, que já ia de vento em popa na Premier League (3.º lugar), passou ontem por cima do Inter com um concludente 3-0. AVB bem pode citar Mark Twain: “As notícias da minha morte foram manifestamente exageradas.” "

Brandos costumes

"Na semana passada, o autocarro que transportava os profissionais seniores do futebol do Benfica saiu de Braga debaixo do arremesso de calhoada perpetrado por um grupelho de cobardes. Não sei se aquele grupelho é uma cópia dos originais e inspiradores ou se são os originais que se fizeram passar pela cópia. Seja como for, a cobardia não tem rosto nem cor, porque é semelhante em todo o lado. Para reflexão futura fica a informação de que o nosso futebolista Salvio costuma ser convocado para mais de 95% dos jogos do Benfica. Por um mero acaso, não fora convocado para esse jogo com o Braga. Os pedregulhos que entraram pelo autocarro atingiram exactamente o lugar que, nessa viagem, ficara vago pela ausência de Salvio. Entre um golpe de sorte e o lamento de uma morte vai uma distância tão curta como a que vai do crime à impunidade.
‘Mutatis mutandis’, quase dois meses depois de as imagens televisivas terem mostrado o guarda-redes de hóquei em patins do FCP, Edo Bosch, a agredir um adepto benfiquista, a Federação Portuguesa de Patinagem deliberou um castigo de três (3!) joguitos de suspensão para o guarda-redes. No enquadramento dos regulamentos da dita competição prevê-se um castigo de quatro a seis jogos para as tentativas de agressão e seis a doze jogos para a agressão consumada. O castigo de três jogos deve estar enquadrado naquela parte oculta dos regulamentos que se ocupa das decisões em que subsiste a dúvida se estamos perante uma agressão ou uma tentativa de agressão da Justiça.
Num âmbito completamente diferente, os dirigentes do Fafe acusam dirigentes, treinador e adeptos do Boavista de terem agredido, no acesso aos balneários, os atletas do Fafe. Como reacção, o mundo do futebol optou pelo silêncio. O resultado de tudo isto acaba por ser o mesmo e esta indiferença perante o crime amesquinha qualquer possibilidade de esperança futura. Os que dirigem o desporto em Portugal maceram, propositadamente e sem remorsos, os valores que juraram servir."

Pedro F. Ferreira, in Record

Desequilíbrios são fundamentais

"Que Benfica vamos ter e como o vamos ver? Para que nenhum plano de jogo saia fora do contexto, todas as expectativas não sejam defraudadas e os muitos emigrantes que já preparam o jogo da segunda mão tenham a festa que merecem, o Benfica de hoje tem de mostrar muito;e se se esforçar, como estou convicto de que irá acontecer, as entradas e saídas de jogadores em nada podem mudar, apenas acrescentar. Atitude e vontade de ganhar, estou em crer, vai haver hoje à noite.
A entrada de André Almeida, mais posicional, no onze permitirá à equipa uma melhor gestão dos esforços individuais, pois passará a ter mais gente próxima e um colectivo a formar um bloco. Assim, abdica das correrias dos médios e passa a ter mais bola no momento da transição ofensiva, assegurando uma circulação mais demorada, sem deixar de ser incisiva na hora de lançar Lima, ficando Cardozo mais posicional.
Nos corredores, os desequilíbrios são fundamentais para que o jogo possa fluir, de maneira a que a linha do fundo seja conquistada. Para que tal aconteça, Gaitán e Salvio precisam de ter bola e tratá-la como eles o sabem fazer. E, numa eliminatória a duas mãos, é fundamental marcar e não sofrer qualquer golo em casa. 
Mas, atenção!, o favoritismo não pode cegar os adeptos encarnados, que esta temporada, mais uma vez, têm sido exímios a apoiar a equipa. Eles têm de ter presente que as transições podem até não sair e que os rasgos individuais podem carecer de imaginação, mas o principal objetivo é o conjunto das duas mãos. 

Bolas paradas
Este Bordéus, disfarçado de vítima, com algumas baixas, é verdade, joga nesta eliminatória todo o investimento de uma época. O conjunto francês assenta normalmente o seu jogo num 4x3x3, apesar de estar em crer que hoje poderá apresentar-se num 4x2x3x1, utilizando um duplo pivô.
Em termos individuais, referência para Trémoulinas, internacional francês de grande qualidade, que confere profundidade ao lado esquerdo. Ele está bem secundado por Plasil, um checo que aporta sentido e ordem ao jogo algo lento desta equipa francesa, que tem no polaco Obraniak o seu elemento mais criativo e que se encarrega de quase todos os lances de bola parada, capítulo em que esta equipa é realmente forte e pode criar perigo... Atenção!, Sané e Henrique são os alvos.
De resto, sublinhe-se a deficiente transição defensiva e o espaço entre linhas, pouco assertivos na hora de unir o bloco. Mas falamos de um jogo em que certamente o bloco vai andar muito juntinho e em que a aposta nos lançamentos longos pelas faixas será uma constante, por forma a explorar o ataque rápido – porque o contra-ataque está proibido. E, insista-se, o Bordéus tentará ganhar faltas e cantos, para aproveitar algo em que se sente forte e confortável, a estratégia com bola parada.

Notas soltas sobre o desafio
- Artur respondeu de forma silenciosa às críticas de que foi alvo, mas em campo está a ser demolidor, fantástico e decisivo – é a classe ressurgida na baliza do conjunto encarnado. Ser guarda-redes de uma grande equipa é isto que o brasileiro tem mostrado nas recentes partidas.
- Desde a saída do médio-ofensivo Gouffran para o Newcastle, em janeiro passado, e do defesa-central Ciani para a Lazio, em agosto de 2012, este Bordéus caiu da quarta para a décima posição do campeonato francês.
- O Benfica precisa de recuperar o fulgor exibido em outros jogos e este desafio europeu será mais um teste à capacidade física e mental de uma equipa que definiu o campeonato como prioridade, mas que tem tudo para continuar na competição da UEFA."

Jorge Trapattoni Jesus !!!


Benfica 1 - 0 Bordéus

A 'gestão' também me irritou, a lentidão também me irritou, os 'buracos' na defesa (meio-campo) também me irritaram, o resultado foi escasso... mas a vitória foi nossa, e o 1-0 na Europa é um bom resultado... Dificilmente o Benfica não marcará em Bordéus, e isso dará quase de certeza a qualificação...
Sempre tive muitos problemas em aceitar assobios de Benfiquistas ao Benfica, se calhar o problema é meu, mas esta gente não deve andar muito atenta: após as férias do Natal - 2 meses e 1 semana -, o Benfica tem jogado sempre duas vezes por semana - a única excepção foi uma Quarta-feira de Fevereiro, onde muitos dos nossos titulares representaram as suas Selecções... -, é óbvio que só a rotação do plantel tem permitido manter o Benfica no caminho das vitórias, é óbvio que apesar da rotação, a equipa está cansada... hoje, mais do que gerir o esforço, nos últimos minutos, pareceu-me mesmo, muito cansada...
Os últimos minutos do Luisão, deixaram-me mesmo muito preocupado, porque o nosso Capitão praticamente não correu, pareceu-me lesionado - tem feito os 90 minutos de todas a partidas -, e não é só um cansaço psicológico, como alguns defendem.
Eu sei que existem sempre os optimistas, que exigem rolos compressores em todos os jogos, que alegam constantemente, que lá fora também jogam duas vezes por semana, que os jogadores são bem pagos, que não fazem mais nada... mas a diferença, é que os nossos próximos dois adversários do Campeonato, não tem esta sobrecarga no calendário, estão folgados, e quando jogarem contra o Benfica, vão dar tudo, e mais alguma coisa, com amarelinha, com o homem da mala, com batatais, e com apitadeiros amigos... Estas são as grandes diferenças...
Este Benfica pragmático, defensivamente consistente, que praticamente não sofre golos, quase ao estilo de Trapattoni, está a deixar muitos Benfiquistas chateados, mas creio que os nossos inimigos Corruptos  devem estar ainda mais preocupados, porque aparentemente o Jesus não está a repetir os erros das épocas anteriores, e não se importa nada de deixar a nota artística no balneário em prol do resultado...!!!
Os próximos 3 jogos são muitos importantes, porque logo a seguir temos uma paragem para as Selecções: se após o jogo de Guimarães, o Benfica estiver na liderança isolada do Campeonato, e se manter na Euroliga, então troco o meu pessimismo, por algum optimismo... porque o calendário em Abril, e Maio não será tão sobrecarregado... e não é preciso nota artística!!! 

O Bordéus demonstrou limitações, falharam vários passes sem pressão, mas não são tão fracos como os habituais avençados querem fazer passar... São uma equipa fisicamente forte - cuidado com as bolas paradas... e com o possível regresso do ponta-de-lança matacão, ainda serão mais perigosos -, têm jogadores rápidos, são das equipas na Liga Francesa com menos golos sofridos, têm movimentações simples no ataque, com os médios a aparecerem na área, atacam bem o espaço entre os Centrais e os Laterais, e têm alguns jogadores muito bons - daqueles que passaram ao lado do estrelato, que só as grandes equipas garantem: Bellion, Faubert, Trémoulinas, Obraniak... -, sendo que o Plasil é daqueles jogadores que estranhamente nunca foi contratado por um grande Clube da Champions!!! Mas nota-se que têm problemas colectivos, e golo do Benfica provou que têm fragilidades psicológicas, já que o melhor momento do Benfica, foi logo a seguir ao golo, e nós não aproveitámos...
Todas as decisões do Jesus, foram a pensar no Gil Vicente. A substituição do Ola John é prova disso. O Benfica tinha melhorado com o Nico no meio, a ajudar o Roderick e o Enzo, mas para descansar o Ola, tivemos que regressar à formula inicial... Sendo assim, até é normal que o Artur, o Luisão e o Garay tenham sido os nossos jogadores mais influentes... sendo que no ataque o Rodrigo deu tudo, até rebentar... Sendo que mesmo com toda a gestão - e mau jogo - até tivemos 4 oportunidades claras para marcar o 2.º !!!

Continuo à espera de uma arbitragem caseira na Luz, nas competições Europeias!!! Este Israelita e os seus auxiliares devem ter pensado que os Benfiquistas eram Palestinianos!!! Como não vi as repetições, posso afirmar com a certeza de um adepto no Estádio, deixaram passar pelo menos 3 foras-de-jogo claríssimos ao Bordéus, e em todas as jogadas divididas, apitou sempre em favor do Bordéus...!!!

PS: Continuo à espera que os petardeitos sejam identificados, e impedidos de assistir a jogos do Benfica. As câmaras de vigilância estão desligadas?!!! Sinceramente não percebo...

Estrelinha séria vai até ao fim

"Só um rei Salomão pode resolver a contenda entre os sportinguistas e os portistas que anseiam por Jorge Jesus nos seus respectivos clubes. Vai metade do treinador do Benfica para cada lado.

ESTA noite o Benfica joga com o Bordéus para a Liga Europa e o presidente do Bordéus, o senhor Jean-Louis Triaud, tenta fazer aos seus jogadores aquilo que Jorge Jesus fez à equipa do Sporting antes do jogo com o FC Porto de sábado passado.
«Espicaça-los!» - é o termo correcto.
Não é que seja uma coisa bonita de se assistir mas, diz-se que às vezes funciona. Ou parece que funciona. Como a História é sempre escrita pelos vencedores e, neste fim-de-semana o FC Porto empatou e o Benfica ganhou, foi o treinador do Benfica quem saiu a ganhar no despique particular que manteve com Vítor Pereira a propósito da real valia e maturidade da equipa do Sporting que iria defrontar os campeões nacionais.
Quem diz a verdade não merece castigo, não é? O treinador do Benfica apontou as debilidades do Sporting B nas vésperas da recepção ao FC Porto, debilidades que foram plenamente confirmadas por Jesualdo Ferreira ao colocar em campo sete jogadores com menos de 23 anos, com três juniores, liderados pelo veterano Miguel Lopes, com a provecta idade de 26 anos.
Jesus fê-lo com o intuito óbvio de espicaçar a juventude leonina a provar em campo a sua questionável valia. E também com o não menos perverso intuito de atirar com uma tonelada de pressão sobre os ombros de quem estava obrigado a contornar tão incipiente adversário.
Vítor Pereira, um tanto despropositada e inadvertidamente, saiu em defesa da honra do Sporting e ainda piorou mais as coisas para o seu lado porque, em Alvalade, o discurso de simpatia do treinador do FC Porto pode até ter soado a comiseração e a dispensável e abusivo paternalismo.
É verdade que o treinador do FC Porto esteve bem quando lembrou a Jesus o sórdido empate do Benfica em Barcelona com o Barcelona B ou mesmo com o Barcelona C. Mas ao lembrá-lo não se pôs ao abrigo de ter de concluir, por experiência própria, que, aborrecimento por aborrecimento, deve ser infinitamente menos aborrecido empatar 0-0 em Nou Camp com o Barcelona C do que empatar 0-0 em Alvalade com o Sporting B.
Neste fim-de-semana correu tudo bem ao Benfica e correu quase tudo bem ao Benfica e correu quase tudo mal ao FC Porto. É verdade que empatar não é perder mas para as contas entre os dois rivais é praticamente a mesma coisa. O Benfica tem um árduo caminho pela frente, está envolvido em três provas e não tem uma segunda linha do nível da primeira linha.
O que me poderá fazer acreditar num Benfica campeão são as recentíssimas manifestações públicas de mau humor dos nossos rivais mais ou menos encartados. Isso é que tem sido um espectáculo!

VOLTEMOS ao caso do presidente do Bordéus que resolveu espicaçar os seus jogadores nas vésperas do jogo de hoje.
Os Girondinos saíram de um mau resultado no campeonato francês e Jean-Louis Triaud, com a autoridade de patrão, não os poupou. E com uma crueldade de termos nunca ouvida em Portugal: «Sou levado a pensar que temos um plantel de galinhas e passarinhos. São incapazes de se transcender, são incapazes de ganhar dois jogos seguidos. Estes rapazes empenham-se muito quando negoceiam o contracto ou quando negoceiam a renovação», disse Triaud ao quotidiano desportivo francês L'Équipe.
São estes rapazes que vão entrar hoje na Luz para defrontar o Benfica na 1.ª mão dos oitavos-de-final da Liga Europa, na certeza de que, verifique-se qualquer resultado, vão sempre ter de voltar juntos a França. Com o presidente. E no mesmo avião.
É para isto que o Benfica tem de estar preparado hoje à noite se quiser continuar a fazer boa figura nas competições internacionais. E de preferência que não se magoe ninguém.

coisa de poucas semanas, gostei de ouvir António Salvador, o presidente do Sporting de Braga, pedir desculpa aos adeptos do Paços de Ferreira que foram empurrados para fora do estádio Axa por um grupo em fúria organizada.
Não é muito comum no nosso país ouvirmos um dirigente de um importante clube desportivo pedir desculpa pelo mau comportamento dos seus adeptos ou de organizações que se fazem passar por adeptas em beneficio próprio.
No estrangeiro acontece com mais frequência. Ainda este fim-de-semana aconteceu. Em Londres, no jogo entre o Arsenal e o Tottenham, um adepto do Arsenal atirou com uma banana a Gareth Bale, o esquerdino dos Spurs (o próximo-melhor-jogador-do-mundo), atitude considerada altamente ofensiva e com razão.
Desconheço se o Arsenal já pediu desculpa ao Tottenham. Certo é que o Arsenal já pediu a colaboração da polícia e das câmaras de vigilância de White Hart Lane de modo a poder identificar o seu adepto energúmeno. E a bani-lo dos estádios ingleses.
Voltemos a Portugal.
Na semana passada voltei a gostar de ouvir António Salvador pedir desculpa ao Benfica pelo terrorismo anónimo que, de uma ponte, atirou com blocos de cimento sobre o autocarro do Benfica no início da viagem de regresso a Lisboa.
Salvador até acrescentou algumas boas palavras ao seu pedido de desculpas anterior, definindo o ataque como «um acto que, certamente, envergonha todos os bracarenses e que não deve ficar impune».
No que diz respeito à impunidade, temo que os justos e responsáveis votos do presidente do Sporting de Braga não se venham a materializar.
Gostaria de não voltar ouvir António Salvador a pedir desculpa a nenhum outro clube por razões idênticas às que motivaram os dois pedidos de desculpa citados. Seria sinal de que este tipo de comportamento tinha sido erradicado, o que muito de duvida que venha a acontecer em Braga e pelo país todo. É pena. E grande vergonha.

SÓ um rei Salomão de espada em punho pode resolver a contenda entre os sportinguistas e os portistas que anseiam por Jorge Jesus nos seus respectivos clubes já a partir da próxima época.
Com um rei Salomão, e se ninguém se comover, é certo e sabido: vai metade do treinador do Benfica para cada lado. E se ambas as partis ficam melhor servidas com meio-Jorge Jesus resolve-se assim a questão.
Não deixa de ser verdade, então nesta altura do campeonato... que os nossos rivais anseiam sobretudo por chatear os benfiquistas com tudo o que esteja à mão e o assunto da renovação do contracto de Jorge Jesus, sendo muito apetitoso, cumpre com esse requisito.
É tudo o que tenho a dizer sobre o assunto.

BENFICA em Aveiro. Só gostei do resultado. Minto. Também gostei da estrelinha. Que não se apague. Estrelinha séria vai até ao fim.

O Barcelona tem contratada uma equipa de detectives para espiar o comportamento social dos seus jogadores. A notícia veio de Espanha e teve impacto em Portugal porque fez lembrar uma das acusações contra Paulo Pereira Cristóvão. O ex-vice-presidente do Sporting terá tido precisamente a mesma ideia.
Provará o super-Barcelona estar correcto Cristóvão? Ou o que serve para o Barcelona não serve igualmente para o Sporting? Abstenho-me na questão. A verdade é que desde que a notícia saiu em Espanha o Barcelona conseguiu a proeza de perder duas vezes com o Real Madrid em menos de uma semana. Feitios.

NANI foi mal expulso no jogo com o Real Madrid? Dizem que sim. O jogador português do Manchester United entrou de pé alto na luta com um adversário e o árbitro pô-lo imediatamente na rua. O lance e a sanção disciplinar do árbitro turco em Old Trafford fazem lembrar a expulsão de Pablo Aimar em Olhão na temporada passada. O árbitro era português. Aimar foi mal expulso em Olhão? Disseram que não."

Leonor Pinhão, in A Bola

quinta-feira, 7 de março de 2013

Crédito zero

"Quando um banco decide riscar o futebol da lista de clientes de crédito, está a reconhecer dois factos. O primeiro é o de que os clubes pertencem, perdoem-me a expressão, ao mundo dos caloteiros. O segundo é o de que, além de mais, são perigosos: que banco manda executar um clube e corre o risco de reputação junto da sua massa associativa? Nenhum.
É difícil perceber como há bancos que emprestaram tanto dinheiro a clubes que ficariam falidos. Mas assim foi, o que demonstra também incompetência desses bancos. Há muitos casos perdidos, sendo o maior deles o Sporting. Por isso se fala há muito de uma reestruturação da dívida, que é uma forma educada de dizer “perdão”. E por isso Luís Filipe Vieira saiu a terreiro dizendo que se o Sporting tiver perdão de dívida, o Benfica também quer.
Vieira é esperto que nem um alho e, para mais, tem razão: se um clube (ou uma empresa) quebra e é perdoado, então a sua má gestão é compensada, em detrimento de quem geriu sem ajudas. Mas a reclamação de Vieira também trará água no bico: ao Benfica não caía mal uma folga da banca. O clube da Luz, além de ter o maior passivo bancário, tem também sido forçado a reduzi-lo, o que tem feito através de receitas de jogadores vendidos e através de emissão de obrigações (cujo encaixe na prática serve para pagar dívida aos bancos).
O Benfica anda de peito feito mas tem uma dívida atrelada aos pés que tem de gerir com cuidado. Nesse sentido, o investimento na Benfica TV agora reforçado com a inesperada compra de direitos da liga britânica parece ser um passo entre a coragem e a loucura. Porque ou o Benfica tem aliados por ora desconhecidos, ou a guerra aberta à Sport TV pode até ser vencida, mas custará balúrdios antes de gerar lucro. Disso seremos espectadores. Atentos."

Benfica TV

"Já aqui escrevi sobre a decisão corajosa de o Benfica cortar com o protectorado monopolista dos direitos televisivos, com assinaláveis implicações no coração do sistema.
Sabemos agora mais: que a Benfica TV vai sair do seu casco e transformar-se num canal pago. E que já assegurou os direitos da Liga Inglesa para as próximas épocas.
Uma estratégia sedutora e certeira, dada nos propósitos e bem delineada nos pressupostos. Mas contendo uma não negligenciável dose de risco, sobretudo pelo momento do seu arranque. Tempos de retracção económica, de rarefacção do mercado publicitário, de desemprego, de diminuição do rendimento familiar.
Li que o valor mensal de assinatura do canal não será superior a 10 euros. Partindo deste valor, 200.000 assinantes darão uma receita anual de 24 milhões de euros, montante superior ao oferecido pelo actual detentor de direitos e não considerando as receitas com publicidade.
Há risco de não se atingir tão rapidamente este número de assinantes? Sim. Primeiro, porque assinante quer dizer famillas ou estabelecimentos e não pessoas individuais, o que torna o objectivo mais difícil. Segundo, porque apesar de uma mais rica e diversificada oferta, o canal continuará a ser visto como hostil pelos adeptos dos rivais. Terceiro, porque a subscrição da Benfica TV não implica necessariamente que se saia de outros operadores (jogos do SLB fora de casa ou na Europa e outras competições), pelo que o custo pode ser cumulativo para os assinantes, pese embora a provável desvalorização e preço da Sport TV.
Se tiver êxito – como espero - é bom para o meu clube... e para a verdade desportiva."

Bagão Félix, in A Bola

Grande Malha do Malheiro !!!

Tudo mudou

"Há um mês, o FC Porto revelava uma pujança impressionante, parecendo imparável na caminhada para o título, enquanto o Benfica dava mostras de uma quebra física e exibicional.
Há um mês, o Barcelona passeava-se no campeonato espanhol, com 16 pontos de avanço, e o Real Madrid era humilhado. Messi acabava de conquistar pela quarta vez o ceptro de melhor do Mundo, batia recordes atrás de recordes, enquanto Ronaldo roía as unhas.
Um mês depois, o Benfica está com 2 pontos de avanço na Liga, o Real Madrid venceu duas vezes o Barça em quatro dias, Ronaldo agigantou-se e Messi apagou-se.
Isto mostra a imprevisibilidade do futebol – e devia aconselhar calma aos mais exaltados. No ano passado, Jesus foi crucificado por deitar a perder 5 pontos de avanço em relação ao Porto. Ora, quando nada o fazia prever, o Porto perdeu de repente 4 pontos neste campeonato.
O futebol é isto. Não vale a pena procurar bodes expiatórios. E só há um modo de os clubes crescerem de forma sustentada e chegarem aos títulos: com serenidade e estabilidade.
O FC Porto é o exemplo máximo disso: tem um presidente há 30 anos e os resultados vêem-se. O Benfica está no bom caminho, e nas últimas épocas recuperou muito terreno em relação ao Porto. Quanto ao Sporting, espero que aprenda estas lições – e dê tempo à próxima direcção  dê tempo a este treinador, para se consolidarem processos, rotinas, padrões de jogo.
Só com estabilidade se alcançam vitórias. A instabilidade gera necessariamente uma “espiral recessiva”, de que o Sporting foi este ano a grande vítima. O Sporting é hoje a prova mais eloquente dos malefícios da instabilidade interna."

quarta-feira, 6 de março de 2013

As pessoas mudam !!!

Ontem, após a vitória do Real em Manchester, além da fúria Inglesa - jogadores, treinadores e adeptos -, contra o árbitro - com razão, a expulsão do Nani foi um tremendo erro... e ainda houve um possível penalty do Sérgio Ramos sobre o Evra!!! -, José Mourinho surpreendeu pela forma como assumiu a 'sorte' da sua equipa, na conferência de imprensa, pedindo quase desculpa pela forma como passou a eliminatória!!!
Sou regularmente acusado de ser casmurro, e de ter uma memória 'demasiado' longa... mas recordo-me muito bem da forma como os Corruptos treinados pelo Mourinho ganharam títulos - nacionais e internacionais -, não me esqueço que o treinador dos Corruptos, durante as escutas do Apito Dourado era José Mourinho, e também recordo-me das muitas declarações ofensivas para com o Benfica, do mesmo José Mourinho, chegando ao ponto de após jogos, onde era descaradamente beneficiado - por exemplo, um Guimarães-Corruptos em Felgueiras, onde o Rafael, então jogador do Vitória, é expulso prematuramente, de forma ridícula pelo Martins dos Santos!!! Coincidência do carago...logo o Martins dos Santos!!! -, acusando o Sistema de beneficiar o Benfica!!! Quando ele tinha perfeita consciência - porque burro nunca foi!!! -, da forma como os bastidores do futebol português, trabalhavam - e continuam a trabalhar... -, em prol dos Corruptos... tendo inclusive, tido o descaramento de assumir, em entrevista ao Nojo, sem pejo nenhum, em tom de gozo, que "...para ganhar, vale tudo"!!!
Só os burros é que não mudam, como o Mourinho nunca foi burro, é natural que tenha mudado de opinião, talvez as várias épocas noutros clubes, onde foi prejudicado pelas arbitragens - algumas de forma claramente premeditada... -, o tenha ajudado a abrir os olhos... talvez!!!
Mais vale tarde, do que nunca... mas não lhe faria mal nenhum, assumir publicamente as 'ajudas' que teve no início da sua carreira... porque se no Chelsea, no Inter e no Real já venceu competições jogando com 10, contra 11, nos Corruptos, isso é matematicamente impossível!!!

A questão do respeito

"Paulo Baptista, um árbitro avesso a polémicas, não hesitou em expulsar o treinador do Sporting mais o seu adjunto quando faltavam poucos minutos para o fim do clássico de Alvalade e a jovem equipa do Sporting já alinhava com menos um jogador.
Desfalcado em campo, desfalcado no banco e desfalcadíssimo na Banca, o Sporting segurou o empate num assomo de fidalguia e complicou as contas do FC Porto quando poucos o imaginavam. Jesualdo Ferreira queixa-se do árbitro que desrespeitou "quarenta anos de carreira". Também o professor não imaginava que uma coisa destas lhe pudesse acontecer. E logo a ele, um "infiltrado"…"

Benfica: enfim só

"Foram 17 jornadas taco a taco, ponto a ponto, vitória a vitória, mas o Benfica conseguiu finalmente a primeira distância do FC Porto na corrida pelo título.
Desde a 4ª ronda, desconsiderando as semanas em que os portistas penduraram o jogo do Bonfim até acertarem calendário e classificação, a diferença entre os dois candidatos media-se apenas pela diferença de golos, mas o clássico de Alvalade apresentava-se como marco complicado e correspondeu às expectativas dos encarnados. Em Aveiro, o Benfica jogou q. b. para não imitar o deslize que os portistas tinham vivido há três semanas quando os lisboetas cederam dois pontos na visita ao Nacional. Com algum nervosismo, bloqueio funcional do sistema ofensivo, mas com segurança na retaguarda, o Benfica salvou o essencial, consentindo ao último classificado mais posse de bola e um número de remates que só o Sp. Braga registara até agora. O FC Porto acusou a ausência forçada de Moutinho e não conseguiu vencer a resistência de uma equipa leonina muito jovem, determinada e organizada para não perder. Terá sido o empate com um rival direto, em casa, mais festejado da história do Sporting, o que só se compreende pelas dificuldades que o clube atravessa, até porque ofereceu a liderança ao Benfica e está cada vez mais longe da Europa. Na luta pelos lugares secundários, o P. Ferreira decidiu finalmente assumir a candidatura europeia e mantém a Liga dos Campeões na mira sob pressão do Braga, numa noite de grande infelicidade do Olhanense e do seu esteio Maurício. No entanto, o resultado mais significativo foi o triunfo do Estoril em Vila do Conde, ficando a um ponto da 5ª posição e já com vantagem direta sobre o Marítimo."

À beira (mar) da surpresa

"Benfica arrecadou e depois aguentou.
Assoberbados, desde o início da época, com uma série infindável de compromissos, os encarnados começam agora a sentir os efeitos de tão prolongada presença competitiva. Se a isso se juntar a garra e empenhamento dos adversários, como aconteceu, domingo, em Aveiro, então a tarefa torna-se mais complicada e nem a cuidada gestão de recursos humanos pode ser suficiente. Mas, para já, ainda vai dando...
Frente ao Beira-Mar, o Benfica viu-se e desejou-se para carimbar os três pontos (1-0). A equipa começou muito bem (o problema foi depois) e os primeiros minutos até foram de franco assédio às redes de Rui Rego, por força de um dispositivo atacante protagonizado por Cardozo e Lima, com Enzo Perez no apoio, além de Salvio e Ola John, nos flancos.
Lima podia mesmo ter marcado no primeiro lance do jogo, mas a festa não ficaria adiada por muito mais tempo. Aos 16', Cardozo, dentro da área, cabeceou e Hugo, de costas, cortou com o braço. Não houve intenção, é facto, mas a recomendação de recolher os braços não foi acatada pelo defesa, para além de que a bola seguia na direcção da baliza. A grande penalidade, indiscutível, seria convertida por Cardozo, que, decididamente, já atina com a melhor forma de desfeitear guarda-redes.
O golo acabou por mexer mais com o Beira-Mar, que, a partir daí, perdeu o respeito ao adversário e passou a controlar a situação. Muito por mérito de um meio-campo esclarecido, no qual Ruben Ribeiro foi a grande figura, não apenas no municiamento do seu ataque, onde a dupla Camara-Yazalde já teve melhores dias, mas também no duelo com Matic, de que não saiu a perder.
O último quarto de hora foi, pois, de preponderância aveirense, com Artur a ser chamado várias vezes a intervir com a eficácia que se lhe reconhece. Ao contrário do que se esperaria, essa disponibilidade dos da casa no ataque, mas com epicentro no miolo, manteve-se no 2º tempo. Porém, Jesus só procedeu à primeira alteração a meio deste período e para deixar tudo como estava (Ola John por Gaitán), ganhando apenas no refrescar da equipa, o que, convenhamos, também não é pouco.
Seria, de resto, Gaitán a contrariar o ascendente dos anfitriões, num lance por si iniciado e em que o Benfica podia ter arrumado de vez o assunto. Contudo, o pé direito de Cardozo não tem, como se sabe, a "fluência" do outro e a bola passou frente à baliza do irremediavelmente batido Rui Rego sem qualquer assinatura do paraguaio.
Para os últimos 15' de jogo, e tentando preservar a vantagem, Jesus apostou na contenção, reduzindo a frente de ataque a Lima, enquanto Cardozo cedia o lugar a Carlos Martins. Enzo recuaria, fazendo então companhia a Matic (não tão decisivo), como médios mais defensivos. Até final, o que se viu foi um Beira-Mar inconformado em busca do empate que chegou a justificar. O Benfica já teve exibições mais fulgurantes..."

Lixívia 21

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica.........55 (-6 ) = 61
Corruptos......53 (+6 ) = 47
Braga...........37 ( +2 ) = 35
Sporting.........23 (+6 ) = 17


A propaganda Corrupta não dorme!!! Nos programas se segunda-feira já se ouviu: «...estão a levar o Benfica ao colo...», nos cafés já se ouvem as anedotas: «...vão de penalty em penalty...»!!! A capacidade de inverter a realidade, que esta gentalha demonstra, é digna dos elogios mais corruptos possíveis...!!! Vamos só analisar as últimas 4 jornadas:
18.ª) O Benfica é roubado na Choupana pelo Proença, perde 2 pontos, 2 penalty não assinalados, e pelo menos uma expulsão completamente absurda; os Corruptos empatam em casa com o Olhanense, apesar de todas as ajudas do seu consócio Cosme, que perdoa um vermelho directo ao Mangala, e marca o penalty da praxe a favor dos Corruptos (daqueles penalty's que contra os Corruptos nunca são marcados)!!!
19.ª) O Benfica vence a Académica, com um penalty, bem marcado, no último minuto, sendo que no início da 2.ª parte já tinha ficado um penalty a favor do Benfica por marcar; os Corruptos em Aveiro são mais uma vez beneficiados disciplinarmente: mais uma vez o Mangala devia ter sido expulso, ainda com o resultado do jogo em aberto... acabou por ser expulso, quando o resultado já estava 'fechado'!!! O primeiro vermelho da época!!!
20.ª) O Benfica vence o Paços de Ferreira facilmente sem casos; os Corruptos vencem o Rio Ave, com dois penalty's a favor (o 2.º é daqueles que não é marcado contra eles...), e ainda beneficiam da não marcação de um claríssimo penalty contra, que na altura daria o 1-2 para o Rio Ave!!!
21.ª) Nesta jornada como vamos ver o Benfica vence, justamente, com pelo menos 1 penalty a favor, não marcado...; os Corruptos empatam em Alvalade com uma arbitragem do mais tendencioso possível, com a impunidade disciplinar Corrupta a reinar...!!!
Qual a conclusão dos tarecos e bobby's avençados?!!! O Benfica está a ser levado ao colo!!! Esta gentinha não tem carácter, isto não é uma questão de clubite, estes animais são mentirosos patológicos, a corrupção está-lhes no sangue... Para esta gentinha uma boa decisão a favor do Benfica  como o penalty da Académica, é um 'roubo'!!! Quando um árbitro decide bem, nestas circunstâncias tem que ser castigado, nem que seja na (des)comunicação social!!! A forma, serviçal e submissa como quase todos permitem este vergonhoso branqueamento, mete nojo...!!!
O Benfica - e os Benfiquistas em geral -, têm que ser mais activo a desmascarar esta campanha de desinformação, a foto-montagem esta semana está engraçada, mas não chega, é preciso mais, principalmente através da Benfica TV...


Em Aveiro mais do mesmo: admito que este jovem árbitro - Manuel Mota -, parece-me bem intencionado. Deixa jogar, permite contactos, não mostra muitos cartões, esta foi a ideia que fiquei dele em jogos anteriores... falta-lhe a prova de fogo, em jogos com mais pressão. Neste jogo não esteve perfeito, longe disso: nos contactos, deixou-se levar pelas muitas simulações dos Aveirenses nas faltas a meio-campo, não marcando praticamente nenhuma falta a favor do Benfica, em acções ofensivas. Nos penalty's só marcou 1, claríssimo, por indicação do fiscal-de-linha (o Hugo aumentou o volume do seu corpo, com a clara intenção de impedir que a bola fosse para a baliza, intencionalmente...), antes já tinha havido um corte com o braço na área do Beira-Mar (daqueles penalty's que eu acho que não são... mas que em Portugal, principalmente a favor dos Corruptos, são sempre marcados!!!), no início da 2-ª parte existe um contacto sobre o Lima, é ao de leve, mas desequilibra o Lima, que como não caiu imediatamente, deu a sensação de não ser falta...!!! Ao minuto 75, Lima é completamente agarrado na área do Beira-Mar, penalty descarado, o facto de ser um pontapé de canto não desculpa. O agarrão é ostensivo, e a bola podia ter sido perfeitamente jogada pelo Lima.
Só houve um lance na área do Benfica que devia merecer o rotulo de duvidoso: o do Luisão, mas como é habitual tiveram que inventar outros...!!! No caso do Luisão, não existe qualquer intencionalidade: o Luisão não tenta jogar a bola com o braço, nem aumenta o volume do seu corpo, é simplesmente o ressalto, com a bola a bater-lhe na coxa... Perto do fim, o Garay com total limpeza, corta uma boa de cabeça, sem qualquer falta, discutir este lance é criminoso!!! Também se alegou uma cotovelada do Cardozo, num lance onde o jogador do Beira-Mar faz uma falta muito perigosa sobre o Óscar, que por acaso não acertou nas pernas do Tacuara... o facto do Cardozo ser alto, e o adversário ter entrado por 'baixo' não obriga o Óscar a 'cortar' os braços!!!
Por último tenho que deixar uma nota sobre o lance mais perigoso do Beira-Mar no jogo: ao minuto 80, num canto contra o Benfica, o Luisão sofre uma falta ostensiva, e premeditada: o Yazalde empurra o nosso capitão, e o Camará, salta à 'maluca' para cima do Luisão!!! Na defesa à zona que o Benfica efectua nas bolas paradas, o posicionamento do Luisão é muito importante, o objectivo aqui foi tirar o Luisão da jogada, e foi conseguido, com a total indiferença do árbitro... e não foi golo, porque não calhou...!!!
No final deste jogo, com todos estes casos, é extraordinário, como é que alguém consegue descrever esta arbitragem como favorável ao Benfica!!! Na SIC logo a seguir ao jogo, no resumo, consideraram duvidoso, o penalty do Hugo, e deixaram dúvidas sobre o lance do Luisão na área do Benfica!!! O resto foi apagado da memória colectiva...!!!
adenda: Esqueci-me de referir ao trabalho de um dos fiscais-de-linha, que marcou vários foras-de-jogo erradamente... para os dois lados!!!





Em Alvalade mais do mesmo: total impunidade disciplinar para os Corruptos, total ausência de faltas em zonas perto da área dos Corruptos, faltas atrás de faltas em zonas perto da área do Sporting!!! Esta receita é mais discreta do que os penalty inventados, golos foras-de-jogo... mas igualmente eficaz. Sendo que sem o Mangala e o Moutinho em campo, coube ao Fernando dar porrada sem 'vermelho'....!!!
adenda: Para não deixar dúvidas, a expulsão do Rojo foi absurda, porque o Argentino deu um pontapé ao Rinaudo (seu companheiro e compatriota), e não ao adversário...

Nada a assinalar no Olhanense-Braga.

Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
3ª-Nacional(c) V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4ª-Académica(f) E(2-2), Xistra, Prejudicados, (0-3), (-2 pontos)
5ª-Paços de Ferreira(f) V(1-2), Marco Ferreira, Prejudicados, (1-5), Sem influência no resultado
6ª-Beira-Mar(c) V(2-1), Rui Costa, Prejudicados, Beneficiados, (3-1), Sem influência no resultado
7ª-Gil Vicente(f) V(0-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
8ª-Guimarães(c) V(3-0), João Ferreira, Prejudicados, (4-0), Sem influência no resultado
9ª-Rio Ave(f) V(0-1), Bruno Esteves, Nada a assinalar
10ª-Olhanense(c) V(2-0), Rui Silva, Nada a assinalar
11ª-Sporting(f) V(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Marítimo(c) V(4-1), Hugo Pacheco, Prejudicados, (5-0), Sem influência no resultado
13ª-Estoril(f) V(1-3), Duarte Pacheco, Nada a assinalar
14ª-Corruptos(c) E(2-2), João Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Moreirense(f) V(0-2), Capela, Nada a assinalar
16ª-Braga(f) V(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
17ª-Setúbal(c) V(3-0), Vasco Santos, Beneficiados, Sem influência no resultado
18ª-Nacional(f) E(2-2), Proença, Prejudicados, (2-4), (-2 pontos)
19ª-Académica(c) V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, Sem influência no resultado
20ª-Paços de Ferreira(c) V(3-0), Capela, Nada a assinalar
21ª-Beira-Mar(f) V(0-1), Manuel Mota, Prejudicados, (0-3), Sem influência no resultado

Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
-Marítimo(f) E(1-1), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
4ª-Gil Vicente(c) V(2-1), Vasco Santos, Beneficiados, Prejudicados, (2-2), (+2 pontos)
5ª-Estoril(c) E(2-2), Nuno Almeida, Beneficiados, (2-3), (+1 ponto)
6ª-Corruptos(f) D(2-0), Jorge Sousa, Prejudicados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Académica(c) E(0-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
8ª-Setúbal(f) D(2-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
9ª-Braga(c) V(1-0), Proença, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
10ª-Moreirense(f) E(2-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
11ª-Benfica(c) D(1-3), Marco Ferreira, Nada a assinalar
12ª-Nacional(f) E(1-1), Soares Dias, Nada a assinalar
13ª-Paços de Ferreira(c) D(0-1), Rui Silva, Nada a assinalar
14ª-Olhanense(f) V(0-2), Hugo Pacheco, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Beira-Mar(c) V(1-0), Cosme, Nada a assinalar
16ª-Guimarães(c) E(1-1), Xistra, Beneficiados, (1-2), (+1 ponto)
17ª-Rio Ave(f), D(2-1), Capela, Beneficiados, Sem influência no resultado
18ª-Marítimo(c) D(0-1), Duarte Gomes, Nada a assinalar
19ª-Gil Vicente(f) V(2-3), Soares Dias, Prejudicados, Beneficiados, (3-4), Sem influência no resultado
20ª-Estoril(f) D(3-1), Hugo Miguel, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
21ª-Corruptos(c) E(0-0), Paulo Baptista, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado

Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicado, Sem influência no resultado
3ª-Olhanense(f) V(2-3), João Ferreira, Nada a assinalar
-Beira-Mar(c) V(4-0), Manuel Mota, Nada a assinalar
5ª-Rio Ave(f) E(2-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
6ª-Sporting(c) V(2-0), Jorge Sousa, Beneficiados, (1-0), Sem influência no resultado
7ª-Estoril(f) V(1-2), Capela, Nada a assinalar
8ª-Marítimo(c) V(5-0), Cosme, Nada a assinalar
9ª-Académica(c) V(2-1), Hugo Pacheco, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
10ª-Braga(f), V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Moreirense(c) V(1-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
12ª-Setúbal(f) V(-3), Proença, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
13ª-Nacional(c) V(1-0), Rui Costa, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
14ª-Benfica(f) E(2-2), João Ferreira, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
15ª-Paços de Ferreira(c) V(2-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
16ª-Gil Vicente(c) V(5-0), Paulo Baptista, Beneficiados, Sem influência no resultado
17ª-Guimarães(f) V(0-4), Marco Ferreira, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
18ª-Olhanense(c) E(1-1), Cosme Machado, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
19ª-Beira-Mar(f) V(0-2), Xistra, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado
20ª-Rio Ave(c) V(2-1), Soares Dias, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
21ª-Sporting(f) E(0-0), Paulo Baptista, Beneficiados, Impossível contabilizar no resultado

Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
3ª-Paços de Ferreira(f) D(2-0), Pedro Proença, Nada assinalar
4ª-Rio Ave(c), V(4-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar
5ª-Guimarães(f), V(0-2), Paulo Baptista, Prejudicados, Sem influência no resultado
6ª-Olhanense(c), E(4-4), Jorge Tavares, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7ª-Marítimo(f), V(0-2), Benquerença, Nada a assinalar
8ª-Gil Vicente(c) V(3-1), Rui Silva, Beneficiados, Impossível contabilizar
9ª-Sporting(f) D(1-0), Proença, Prejudicados, (1-1), (-1 ponto)
10ª-Corrutpos(c) D(0-2), Xistra, Prejudicados, Impossível contabilizar no resultado
11ª-Académica(f) V(1-4), Soares Dias, Nada a assinalar
12ª-Estoril,(c) V(3-0), Nuno Almeida, Beneficiados, (3-1),Sem influência no resultado
13ª-Moreirense(c) V(1-0), Jorge Sousa, Nada a assinalar
14ª-Nacional(f) D(3-2), Hugo Miguel, Nada a assinalar
15ª-Setúbal(c) V(4-1), Duarte Gomes, Beneficiados, Prejudicados, Sem influência no resultado
16ª-Benfica(c) D(1-2), Bruno Esteves, Nada a assinalar
17ª-Beira-Mar(f) E(3-3), Hugo Pacheco, Beneficiados, Prejudicados, (4-2), (+1 ponto)
18ª-Paços de Ferreira(c) D(2-3), Paulo Baptista, Nada a assinalar
19ª-Rio Ave(f) E(1-1), João Ferreira, Beneficiados, (1-0), (+1 ponto)
20ª-Guimarães(c) V(3-2), Jorge Sousa, Nada a assinalar
21ª-Olhanense(f) V(0-1), Bruno Paixão, Nada a assinalar

LINK's
16ªjornada
17ªjornada
18ªjornada
Épocas anteriores:

terça-feira, 5 de março de 2013

Erros de Nazaré, o «timão» de Dé e 60 mil a aplaudir de pé...

"No último dia de Março de 1974, o estádio de Alvalade despediu-se de Marcello Caetano com enorme entusiasmo e com um Sporting-Benfica inesquecível (3-5)!

Faltava pouco para que os militares de Abril pusessem fim a uma regime apodrecido. Faltavam cinco jornadas para o fim do Campeonato. O Sporting era «leader», assim mesmo, inglesado porque era a moda da época. O Benfica era um campeão muito à beira de deixar de o ser. Alvalade encheu: 60.000 pessoas. Números extraordinário. Confiavam os «leões» numa vitória que, a cinco jornadas do fim, lhes haveria de quase garantir as faixas.
Havia razões para optimismos. Jogadores de excelência: Damas, Marinho, Dinis, Dé, Chico, Yazalde...
Somavam os verde-e-brancos seis vitórias consecutivas: Oriental, 8-0 (c); Farense, 2-0 (f); CUF, 6-0 (c); Montijo, 4-1 (f); FC Porto, 2-0 (c); V. Guimarães, 1-0 (f). Um ataque remível; uma defesa resistente.
Qualquer vulgar jogador de totobola faria a cruzinha na coluna da direita. Era assim que ordenava a lei das probabilidades.
No início da época, o treinador do Benfica era Jimmy Hagan. Ganhara três Campeonatos consecutivos e era uma figura indiscutível do Clube... Até que...
À terceira jornada do Campeonato, o técnico inglês, viciado na disciplina, proíbe Humberto Coelho, Toni e Nelinho de participarem na festa de despedida de Eusébio. Motivo? Terem chegado atrasados a um treino. O presidente Borges Coutinho interpreta a posição do técnico como um excesso de autoridade. Liberta os jogadores do castigo. Jimmy Hagan sai do Benfica e vai treinar o Estoril, na altura da II Divisão.
Fernando Cabrita toma o posto de treinador principal.

Marcello Caetano e Raul Nazaré
As últimas jornadas tinham sido penosas para o Benfica: derrota nas Antas (1-2); vitória na Luz sobre o V. Guimarães (5-1), empate em Aveiro (1-1).
Não havia razão para muito optimismo na visita a Alvalade.
Cabrita faz jogar: José Henrique (Bento, 45m); Artur, Humberto Coelho, Barros e Adolfo; Toni, Vítor Martins e Simões «cap»; Nené (Diamantino, 74m), Jordão e Vítor Baptista.
Mário Lino, o treinador responde com: Damas; Manaca, Bastos, Alhinho e Carlos Pereira; Vagner «cap», Nelson e Dinis (Dani, 74m); Marinho, Yazalde (Chico, 66m) e Dé.
Minutos antes de se iniciar a partida, 60.000 pessoas levantaram-se para aplaudir com entusiasmo o Presidente do Concelho, Marcello Caetano. Quem diria? Estávamos no dia 31 de Março de 1974. Menos de um mês mais tarde, a 25 de Abril, Marcello Caetano era vilipendiado pelas ruas das cidades de todo o País.
E o Benfica dessa tarde de Alvalade? Ah, pois, o Benfica...
«Insólito inesperado, sensacional...», pôde ler-se. «A superioridade dos 'monstros da Luz' foi tão evidente e continuada que nem 'os penáltis do árbitro', o senhor Raul Nazaré, conseguiu fazê-los parar».
Sim porque houve casos. Dois penáltis a favor do Sporting a merecerem notas à margem. Mas isso lá mais para o fim da contenda que até começou sorridente para o Sporting, com um golo logo aos 8m apontado por Yazalde. Se já havia confiança antes do jogo, ela cresceu depois desse minuto: os adeptos leoninos viam-se já campeões antes do tempo. Excitação natural, mas sem motivos. Quatro minutos depois já Humberto Coelho empatava e ao rodar da meia-hora Nené fazia o 1-2, e o 1-3 logo a seguir, aos 35m. A excitação tornou-se triste. Mas quase sobre o intervalo, Yazalde fez o 2-3 (42m). De penálti. Penálti estranho, tal como o segundo. Assim descritos por quem viu e registou nas páginas de «A Bola»: «O seu erro maior, porém, foi deixar-se impressionar, duas vezes, por reclamações de Marinho, que ainda tentou outra vez mas foi, então, desatendido. Até onde nos é possível confiar apenas naquilo que vimos, em nenhuma dessas ocasiões o avançado sportinguista foi rasteirado, empurrado, ou de qualquer modo impedido de jogar a bola por um adversário, em falta. No primeiro lance ainda admitimos a hipótese de um defesa benfiquista lhe haver tocado porque a bola estava a ser disputada por ambos e num jogo de futebol é impossível evitar que os jogadores toquem uns nos outros. No segundo, porém, nem isso. Bem sucedido na sua primeira tentativa, Marinho terá procurado repetir a cena, mas agora sem o mínimo vislumbre de autenticidade».
De pouco serviu a manha de Marinho. Aos 58m já Jordão assinara o 2-4, cabendo a Vítor Martins o 2-5 aos 70m. O tal penálti manhoso terminou com o encontro, no último minuto, apontado por Dé. Dé, brasileiro de categoria que passou pelo Sporting, e no final diria, admirado: «O Benfica venceu à custa de uma exibição sensacional! Me disseram que era um time de velhos mas se aquele timão é velho, como seria se os caras fossem novos?»
Era o primeiro «derby» de Dé. Inesquecível."

Afonso de Melo, in O Benfica


É só para dizer...


... que ainda ando por aqui de olho em vocês.
Não pensem que fugi ou algo do género.

Já agora... aqueles? Meh...
E os outros? Double meh...

Os nossos? Ai deles que agora percam esta (magra) vantagem! Ai deles!

Somos todos Benfica !!!

segunda-feira, 4 de março de 2013

A camisola do ridículo

"Ser árbitro em Portugal é bom. É mais do que bom, é óptimo. Ser árbitro em Portugal também roça, na maior parte das vezes, o ridículo. Mas aí a culpa não é do País, é dos árbitros. Os árbitros em Portugal estão acima da lei. Isto é, não têm de prestar contas a quem quer que seja pelas poucas vergonhas que cometem. Ou melhor, prestam contas a si próprios o que vai dar no mesmo. Há países em que os árbitros vêm a público falar dos seus erros. São países onde não fica bem a um árbitro visitar um presidente de clube na véspera de arbitrar um jogo desse mesmo clube. São países onde não fica bem a um árbitro frequentar as casas dos presidentes ou dirigentes de clubes e ponto final. Em Portugal os árbitros não têm vergonha. Não têm vergonha de, em pleno relvado, tirarem as insígnias da FIFA para oferecerem ao treinador de uma das equipas que acabaram de dirigir.
O recato não é palavra importante. Pelo contrário, é o exibicionismo que lhes marca a existência. Em qualquer país civilizado, um árbitro teria vergonha de beijar os pescoços dos jogadores no final dos jogos. É uma questão de decoro. Em Portugal, o mais barato dos árbitros faz gala em abraçar jogadores (sempre os da mesma equipa) e ser fotografado com eles exibindo sorrisos macabros. É uma questão de decência. Neste caso, de falta dela. Poderíamos ter visto tudo, mas não. Em Portugal, os árbitros fazem sempre questão de nos surpreender. Por isso até já vimos um árbitro tirar a camisola no final de um jogo e, como se fosse um jogador, oferecê-la ao público. É por isso que ser árbitro em Portugal é bom. Mas mete nojo."

Afonso de Melo, in O Benfica

Rabo competitivo

"A frase é de Bélla Guttmann, proferida em 1962. Na altura, o Benfica bicampeão da Europa, depois de aviar Barcelona e Real Madrid, perdia o Campeonato Nacional para o Sporting. Como era possível? Na fortaleza de Costa Pereira, Germano, Cavém, Coluna, José Augusto, Águas, mais os emergentes e sensacionais Eusébio e Simões. “Não há cu para duas cadeiras”, judiciou o técnico austro-húngaro, ainda hoje considerado um mago da bola.
O Benfica acaba de perder a hipótese de reconquistar a Taça da Liga. Há meses, perante o mesmo adversário, o FC Porto foi afastado da briga na Taça de Portugal. O problema é de rabo e de cadeiras? É, é mesmo. Por mais consistente que uma equipa seja, o futebol tem uma lei terrorista, mesmo cruel, essa que reza o empeço de vencer todas as competições. Guttmann tinha razão. Os rabos, maiores que sejam, não cobrem todas as cadeiras competitivas.
Surpresa com a eliminação do Benfica na Liga? Surpresa na anterior eliminação do FC Porto na Taça? Sem fundamento. Afinal, que aconteceu, recentemente, ao Barcelona, a melhor equipa mundial da actualidade  O Real Madrid, dos nossos Mourinho e Ronaldo, esmagou a turma catalã, em recinto familiar, sem ponta de controvérsia. Faltou rabo ao colectivo de Messi? Faltou mesmo. A cadeira escaqueirou-se, outras se vão fragmentar. Com rabo alheio. Rabo competente que até não é síncrise de outro rabo não menos competente. Mas menos rabo para o imperativo de mais rabo.
Guttmann introduziu a doutrina do rabo. Fê-lo sabiamente. Já lá vão anos, muitos anos. Já lá vão rabos, muitos rabos. O povo adepto fica rabioso, mas não adianta rabujar. Rábula de Guttmann? Rabugice com rábida."