Últimas indefectivações

sábado, 1 de novembro de 2014

Encaminhados...

Benfica 7 - 3 Bassano

Jogo muito complicado, resolvido na 2.ª parte, com um João Rodrigues inspirado (tem que ser ele a marcar todos os penalty's...) na finalização... O Bassano é actualmente uma equipa completamente acessível, mas é cínica (não têm qualquer pejo em usar todos os truques para travar os adversários...), defendeu muito tempo à zona, com todos os jogadores dentro da linha dos 3 pontos do Basket, muitas vezes com todos os jogadores dentro da área do Hóquei!!! O Trabal acabou por ser decisivo travando vários contra-ataques Italianos... Rodámos todo o plantel, e com uma arbitragem equilibrada, acabamos por triunfar com naturalidade...

Com esta vitória fazemos 4 pontos, com os seis pontos esperados dos confrontos com o Quevert (o ano passado o jogo em França foi muito complicado 4-5...e mesmo na Luz não foi fácil 7-5), somaremos 10 pontos, o que muito provavelmente será suficiente para a qualificação. Por isso é que o próprio João Rodrigues disse antes do jogo, que esta partida era uma Final. Vamos ver como vai decorrer os dois jogos entre o Barça e o Bassano...

Bonita a homenagem ao nosso Capitão Valter Neves, já são muitos anos envergando o Manto Sagrado.

PS: Parabéns à nossa equipa de Duatlo, que hoje se sagrou Campeã Nacional por equipas, com o Gil Maia, Bruno Pais e o Rafael Domingos.

A verdade da mentira

"Uma mentira, mesmo que repetida por comentadores de gravata e por jornalistas em peças cuja base é apenas a mais pura das especulações, não deixa de ser mentira.
Em função de uma situação de emergência vivida no Futebol português e que não se podia arrastar por mais tempo, sob pena de comprometer o Campeonato Nacional da I Liga, foi encontrado um consenso alargado a nível de clubes.
Não houve, como não há, nenhuma aliança do SL Benfica com o clube A ou B, o que houve foi um entendimento a favor do Futebol nacional.
Este é o facto que interessa destacar, a partir daí, por interesse ou por ignorância, há quem insista na ideia de uma aliança que não existe.
O Sport Lisboa e Benfica está focado na defesa dos seus interesses, mas não se exclui de procurar defender a indústria do Futebol, como fez em sede da Liga de Clubes."


PS: A direcção do Benfica podia ter aproveitado este comunicado, e num segundo ponto, com o mesmo título, podia realçar o absurdo, das analises à arbitragem do Benfica - Rio Ave:
É verdade que o fiscal de linha estava mal colocado, mas é mentira o golo ter sido mal invalidado, por muito que isso seja responsável pela monstruosa azia na escumalha...!!!

Regressos...

Benfica 104 - 71 Algés
21-20, 28-20, 28-13, 27-18

Em véspera da estreia Europeia, nada melhor que o regresso dos lesionados, mesmo que não estejam todos com o ritmo ideal de jogo, é sempre agradável ter todos os jogadores do plantel disponíveis, nem que seja para dar minutos de descanso aos companheiros...
O jogo desta noite até nem começou da melhor forma, com o Benfica a falhar muito, e o Algés a acertar todos os Triplos tentados (3/3)!!! Chegámos ao fim do 1.º período a vencer por um, depois de uma boa recuperação!!! A acumulação de faltas, e a diferença natural de valor entre os plantéis a partir daí fez-se notar no marcador... é verdade que só no 3.º período abrimos uma diferença substancial, mas depois da replica inicial foi notório que o vencedor seria sempre o Benfica.

Tranquilo

Benfica 3 - 0 Ac. Espinho
25-10, 25-17, 25-16

Jogo tranquilo, que até ao primeiro tempo técnico estava estranhamente equilibrado, mas depois, só deu Benfica... deu inclusive para rodar praticamente todo o plantel.

Bomba colocada...

Benfica 1 - 0 Rio Ave

Foi até um jogo insonso, mas valeu 3 pontos... se em Braga tivemos talvez os melhores minutos da época - no início... -, mas perdemos, hoje, jogámos menos, mas ganhámos.
Desde do início da época que temos uma equipa condicionada pelas lesões (Fejsa, Sílvio, Sulejmani...), e a situação em vez de melhorar, está cada vez pior!!! Ola John que até estava a fazer um bom início de época; Jardel que era titular; e agora foi a vez de Eliseu, que ainda não tinha convencido (defensivamente), a ficar de fora... por tempo indeterminado.

A 1.ª parte de hoje, foi a prova das dificuldades em construir um 11. Com o Nico também tocado, ficámos 'mancos' na ala esquerda: com um Talisca sem rotinas de extremo, e com o Almeida a defender bem, mas sem pé esquerdo no ataque... Isto para além do problema já conhecido do Trinco: onde o Samaris sentiu novamente muitas dificuldades, e desta vez além das insuficiências na marcação e na recuperação, o Samaris também falhou alguns passes fáceis... E se todos estes problemas não fossem suficientes, resolvemos inventar mais um: passar em vez de rematar !!! Chegou a ser exasperante os 'não remates', sempre com mais um passe para o lado, ou para trás...!!!

Independentemente destas 'intermitências', a vitória foi justa, até porque a atitude receosa do Rio Ave não merecia mais. Que só quando se viu a perder tentou 'construir' alguma coisa, até lá a preocupação foi bloquear o Benfica... E mesmo com o Benfica em baixa rotação, só com muita 'sorte' (azar do Benfica!!!), é que nos vários ressaltos - após erros defensivos do Rio Ave -, a bola foi sempre parar aos pés dos vilacondenses!!! E basta uma olhada ao resumo da partida: mesmo na 1.ª parte, onde o Benfica jogou lento, para confirmar que as oportunidades foram praticamente só nossas...

Aquilo que gostei menos, foi a forma deficiente como o Benfica geriu a vantagem mínima. Mais uma vez em vantagem permitimos contra-ataques perigosos ao nosso adversário... e acabámos por ter 'sorte' em apanhar um fiscal-de-linha que teve a coragem de decidir bem... Se a aposta do André Almeida a defesa-esquerdo for para continuar, então quem vamos ter no banco, sempre que quisermos reforçar o meio-campo defensivo?! Como o Cristante parece ainda não ser opção válida, não sobra ninguém...
O Salvio foi eleito MVP do jogo, melhorou em relação a recentes exibições, mas pessoalmente gostei bastante do Enzo, inclusive na função de '6' - no 2.º tempo -, agarrou-se em demasia à bola em alguns lances, mas esteve quase sempre bem. O Lisandro tem vindo a melhorar (e hoje com o André ao lado, a defesa ficou mais equilibrada), está mais seguro no passe, mas ainda arrisca em demasia quanto tenta jogar na antecipação, e depois é ultrapassado, mas acaba por compensar com uma excelente atitude. Admito que fiquei surpreendido com a titularidade do Júlio César, até porque o Artur esteve bem em Braga... mas é notório neste momento que o Júlio César transmite uma 'onda' positiva para o resto da equipa, nem que seja pela maneira calma como resolve os problemas dos atrasos de bola. Tanto o Lima como o Jonas, ficam marcados pelas indecisões no remate... foi o primeiro jogo que jogaram juntos, e nota-se que é preciso afinar o conhecimento mútuo nas movimentações... O Nico entrou muitíssimo bem, e a ser verdade os problemas físicos, só temos que agradecer o sacrifício... O Talisca, mal aproveitado na esquerda, algo perdido a '8', mas no meio de tanta gente envergonhada em rematar, acabou por ser ele, mais uma vez, a decidir o jogo... com um grande golo.
Tendo em conta, os elogios pangéricos que outros jogadores, de outros clubes, têm tido esta época, se o Talisca não vestisse o Manto Sagrado, e tivesse tido o azar de vestir a camisola de um dos outros clubes, tenho a certeza que já haveria colunas de opinião a exigir a presença do Talisca na corrida à Bota de Ouro, mas como está no Benfica...
Sobre a arbitragem, estiveram bem na decisão mais difícil... mesmo mal colocado, o fiscal-de-linha decidiu bem, o fora-de-jogo existiu (curiosamente a semana passada, no 1.º golo do Braga, numa situação parecida, o fiscal-de-linha também mal colocado, decidiu bem, validando o golo ao Braga, sendo assim - decisão contrária aos interesses do Benfica -, ninguém reparou que ele estava muito mal posicionado!!!). Mas apesar da boa decisão a 'cassete' até segunda-feira vai ser mais ou menos assim: '...Benfica vence, em jogo polémico... - onde por acaso a decisão até foi acertada...'!!! No resto do jogo, tivémos um Manuel Mota que tentou deixar jogar, o problema é que nem sempre consegue manter o mesmo critério... e hoje Mãos na Bola, parece que era legal!!!

A vergonhosa campanha de desinformação, que estamos a assistir na (des)comunicação social desportiva portuguesa, atacando o Benfica, especialmente o seu treinador não me surpreende... Aquilo que me surpreende mesmo, é como é que o Benfica continua a receber, na nossa casa, esses bandalhos todos, com as honrarias todas!!!
Este jogo não vai alterar em nada o discurso da corja, mesmo ganhando ao Mónaco, tudo ficará na mesma, até porque na próxima jornada, temos mais uma deslocação tradicionalmente complicada, portanto vamos continuar a ouvir e a ler que o actual Campeão Nacional, detentor da Taça de Portugal, detentor da Taça da Liga, detentor da Supertaça, líder isolado do Campeonato Nacional... está em crise profunda!!!

Como acabei de afirmar a pressão para Terça-feira vai-se manter... decidi-se não só a possibilidade de continuar na Champions, como até a Liga Europa. Sem o Lisandro e o Jonas de certeza, e provavelmente sem o Gaitán... o cenário é muito complicado. O Mónaco também jogou hoje, e poupou jogadores... Mesmo com um possível regresso do Jardel (sem ritmo), e até com um possível regresso do Sulejamni (sem ritmo nenhum!!!), não será nada fácil... ao contrário do que vai ser vendido nos próximos dias.

PS: Tenho que deixar aqui os Parabéns à nossa Telma Monteiro pelo regresso às vitórias na Taça do Mundo de Judo, desta vez em Abu Dahbi, numa prova onde era favorita, e dominou completamente...

No futebol só o resultado dita a lei

"O campeonato é uma maratona onde não há lugar para grandes lamentos pela existência de um resultado menos conseguido. Braga já foi. Perdemos três pontos num jogo onde aos 25 minutos devíamos estar a ganhar 3-0. Nessa fase inicial do jogo vi o melhor Benfica da época, mas em Portugal, e no futebol, só se comenta o resultado e só isso dita lei.
Sim, já sei sofremos em conta-ataque quando se estava a ganhar e que se desequilibrou o meio-campo na segunda parte. Já ouvi todas as explicações de quem depois de saber os números do euromilhões não falha na chave. Conclusão: perdemos, e por isso vamos em primeiro no campeonato.
Concentração contra o Rio Ave é o que se pede aos jogadores. O Rio Ave é uma excelente equipa, bem treinada, e com resultados recentes que dispensam apresentações. São as duas melhores equipas do último ano as que jogam logo à noite na Luz. Por isso será esse o respeito e preocupação que deverá merecer o nosso adversário para não haver surpresas.
O campeão será o que se levantar com mais rapidez dos percalços que tiver, porque todos os candidatos ao título terão percalços.
Há dois jogadores que numa análise individual subjectiva e superficial me agradam muito: Lisandro e Jonas são soluções e podem ser opções sempre que Jorge Jesus os chamar. Jonas num campeonato como o português tem tudo para ser dos melhores jogadores. Não enganam, já passaram no teste do algodão. Ali há qualidades e talento.
Será por isso um jogo apertado e de muita dificuldade o de logo à noite, mas é o líder do campeonato que joga em casa. Mas é campeão nacional que joga. Logo jogar bem e ganhar é o antídoto.
Na última semana o Académico do Porto homenageou entre outros, Ângelo Martins (bicampeão europeu), foi bonito ver um senhor voltar a ser feliz onde foi menino. Parabéns ao Académico e ao Ângelo Martins."

Sílvio Cervan, in A Bola

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A miséria, sempre a miséria

" «Nós sempre dissemos», disse o líder do FC Porto. Este 'nós' custa tanto ou mais a suportar que a derrota em Braga. Fosse ou supersticiosa e diria que as duas coisas estavam ligadas.

O Benfica é tão grande. E muito deve aborrecer os rivais com a sua grandeza. Atente-se neste episódio recente: o Benfica perdeu em Braga, mais vítima dos seus erros, é verdade, do que dos erros alheios que foram à fartazana, o que também não deixa de ser verdade.
Uma consulta à imprensa da especialidade, e não só, nos dias que se seguiram à derrota do Benfica poderá facilmente ter induzido em erro um leitor menos atento ou menos qualificado ou simplesmente mais distraído. 
Ao ponto de, confundido, chegar inapelavelmente a esta conclusão:
- O Benfica caiu para o último lugar na tabela do campeonato com 1 ponto de avanço sobre o FC Porto e com 3 pontos sobre o Sporting que é o líder isolado da prova.
Ou não parece?

O Comité de Controlo de Ética e Disciplina – nome pomposo – da UEFA considerou «inadmissível» o protesto do Sporting.
Assim sendo, o jogo Schalke 04, 4 -Sporting, 3 não vai ser repetido nem o clube português terá direito a receber o meio milhão de euros pretendidos a título de indemnização pelo golo sofrido nos instantes finais da partida de Gelsenkirchen em consequência de uma grande penalidade manhosa.
Não espanta em nada o veredicto da UEFA. Outra decisão, aliás, não poderia resultar da reunião do referido Comité sediado na neutral Suíça. O árbitro é soberano e as suas decisões são irrevogáveis. Daí a expressão 'inadmissível'. Acontece assim por todo o mundo do futebol.
O que não deixou de espantar foi o suspense formal criado no nosso país em torno das exigências do Sporting, aparentemente levadas muito a sério, como se fosse possível ou exequível vermos algum dia a UEFA ressarcir da forma pretendida pelo Sporting os valores de um qualquer clube prejudicado em campo. 
Foi o absurdo tema tratado tão respeitosamente por cá que conseguiu até entusiasmar uns quantos benfiquistas esta demanda internacional do Sporting junto da justiça europeia. Não por amor, mas por interesse, é óbvio.
Decidisse a UEFA a favor da repetição do jogo de Gelsenkirchen por motivo de flagrante roubalheira e teria então o Benfica toda a legitimidade para exigir a repetição da final de Turim da Liga Europa de 2014.
E até mesmo para exigir a repetição da final da Taça dos Campeões Europeus de 1963 frente ao AC Milan, tendo em conta que Pivatelli 'arrumou' com Coluna numa época em que não eram permitidas substituições. Coluna passou o tempo todo em campo a coxear no relvado de Wembley e Pivatelli não foi expulso como devia ter sido.
E, já agora, poderia ainda o Benfica exigir à UEFA a repetição da final da Taça dos Campeões de 1968 frente ao Manchester United, outra vez em Wembley, tendo em conta que Nobby Stiles, só no primeiro quarto de hora fez duas entradas a pés juntos sobre Eusébio objetivamente passíveis de expulsão ou mesmo de irradiação.
Paciência, fica tudo como estava. A queixa do Sporting não conseguiu impor à UEFA uma jurisprudência revisionista como, aliás, era de esperar.

ALIÁS, nem o próprio Sporting acreditava numa benesse destas. O Sporting entendeu apresentar uma queixa à UEFA não a pensar no passado mas a pensar no futuro imediato. Foi uma forma de pressão legítima, não temendo sequer o ridículo.
O importante é que os árbitros dos próximos jogos europeus do Sporting tenham conhecimento da indignação que grassou no Lumiar e que se ponham em sentido, com o sentido entre a comiseração e a reparação de injustiças, quando apitarem os subsequentes jogos dos ofendidos. O mesmíssimo já fez o Sporting este ano nas competições de trazer por casa, as nossas, as internas, e, diga-se, com êxito retumbante. E se pegou cá dentro por que razão não pegará lá fora? São mais espertos e menos impressionáveis os árbitros estrangeiros em comparação com os árbitros portugueses?
O árbitro nacional do Sporting de Braga-Benfica de domingo passado, por exemplo, só teve coragem intelectual para expulsar um jogador bracarense quando já corria o tempo de descontos, isto para não ofender o pranto do Sporting sobre os resultados dos jogos em que os adversários do Benfica se vão fazendo expulsar por acumulação de jogo violento.
A coisa aqui por casa está a resultar.
Veremos como corre lá por fora ou com gente estrangeira.

LUÍS DUQUE é o novo presidente da Liga de Clubes. Que seja um mandato próspero e feliz. O Benfica votou em Duque. O FC Porto e mais duas dezenas de clubes também votaram em Duque. Houve, no entanto, quem não votasse ou se abstivesse.
Houve também quem acusasse o Benfica e o FC Porto do comando ínvio de todo o processo eleitoral. Do Benfica não houve uma palavra sobre o assunto. Sobre o mesmo assunto, houve do FC Porto palavras do seu presidente.
Estas mesmas palavras: «Para que se não dissesse que era o FC Porto e o Benfica a dirigir o processo, nós dissemos sempre que não queríamos ninguém ligado ao FC Porto ou ao Benfica.»
«Nós sempre dissemos…», disse.
Este 'nós' é que custa tanto ou mais a suportar do que a derrota em Braga.
Fosse eu supersticiosa e até diria que as duas coisas estavam ligadas.

JESUS falha nos jogos importantes, lê-se. Sim, é verdade, que tem falhado em jogos importantes em Portugal e no estrangeiro. Se, em cinco temporadas na Luz, Jesus não tivesse falhado todos os jogos importantes que falhou, poderíamos já ter festejado cinco títulos de campeão nacional, cinco Taças de Portugal, três Ligas dos Campeões e duas Ligas Europa. E ainda mais uma Taça da Liga, aquela em que falhou em 2013. Em poucas palavras, o paraíso.

A miséria, sempre a miséria. Diz-se que foi a tal miséria impendente que obrigou ao recentíssimo movimento de contra-revolução na Liga de modo a garantir um futuro próspero a todos os clubes associados mais aos seus benévolos parceiros comerciais.
A bem da nação futeboleira, salvem-se os clubes, salvem-se os patrocinadores e salve-se a Olivedesportos se é verdade, como constou, que estavam quase à beira da ruína.
Que se salve tudo isto e o triplo, se for necessário. Haja dinheiro em caixa para todos. Saúde-se a renascida fartura e as renascidas concórdias. Vem aí uma nova época dourada do futebol português. Douradíssima. 
Mas, interrogo-me, se com tantas notas a entrar à catadupa nas devidas tesourarias, com tanta fortuna em emolumentos e em sentimentos, com tanta reestruturação, modernização e êxito empresarial, não conseguirá a renovadíssima Liga dispensar uns trocos para investir em sprays para os árbitros, pobres deles, não terem de perder tempo a discutir com os jogadores o lugar exacto onde se forma uma barreira?
Tempo é dinheiro, não é? E é absurdo o tempo que se perde nos jogos da nossa Liga nas marcações dos livres directos com o passinho à frente e com o passinho atrás, com o árbitro a voltar costas e a ser enganado, com o público pagante a impacientar-se à falta de tempo útil de jogo, isto sim, é que é uma real miséria.
A ver, portanto, se há uma alma caridosa, lá das altas esferas destas organizações, que se lembre de facilitar as tarefas dos árbitros e de corresponder aos legítimos anseios dos espectadores. Para tal, basta perder o amor a uns poucos euritos, agora que até há de sobra graças à nova gestão, e encomendar uma dúzia de sprays de bolso para que nos jogos da nossa Liga a cada livre directo não corresponda 2 minutos de tempo perdido.
Mais protagonismo para o spray e menos protagonismo para os árbitros é uma excelente solução, já internacionalmente aprovada nos palcos dos acontecimentos mais chiques da modalidade.
Faz alguma confusão que em Portugal, um país apaixonado por modernices, tarde a ser implementado este utensílio tão eficaz e tão alcance das bolsas mais modestas.

O Bayern e o Arsenal querem o Gonçalo Guedes, lê-se. Peter Lim, o dono do Valência, quer o Gonçalo Guedes, lê-se. Nós também queremos o Gonçalo Guedes. Se faz favor."

Leonor Pinhão, in A Bola

Unidos e Crentes

"Este é o momento para estarmos juntos. Não merecíamos uma derrota em Braga. O momento exige de todo os benfiquistas um forte sentido de união. Estamos num momento decisivo da 1.ª Liga: é fundamental voltar à rotina das vitórias e a um ritmo de consistência táctica, quer na Liga, quer na Champions.
Esse não é, no entanto, apenas um esforço que deve ser feito pelos jogadores e pela equipa técnica: é um esforço que Sócios e adeptos devem acompanhar com um apoio incondicional e uma confiança redobrada no Benfica. Continuamos a ser líderes. Na pontuação, na concretização, na consistência de jogo e no espectáculo. Continuamos a encher estádios, em casa e fora. A somar a tudo isto, uma extraordinária inconsistência dos nossos adversários directos, impossível de passar despercebida: um Sporting que se agiganta com os grandes e leva a cabo exibições sofríveis com os clubes mais modestos e um FC Porto que ficou de tal maneira obcecado com a relatividade que deixou de ter cultura de jogo. Temos, por isso, todos os motivos para continuar a acreditar que a liderança do Benfica é para durar, para chegar ao Natal e ao Verão de 2015, quando estaremos já na posse do 34.º título.
Quanto à Champions, nenhuma equipa se reequilibra de uma época de transferências agressiva de forma natural e imediata. É preciso tempo, construir hábitos de jogo e entranhar cultura táctica. Muito já tem feito Jorge Jesus. O caminho não é fácil de ser percorrido. Mas é possível e está ao alcance do sonho que sempre nos guiou. A palavra acreditar é, aqui, fundamental. Quer os jogadores, quer os Sócios ou os simpatizantes, quer o próprio Jorge Jesus têm de acreditar que voltar a erguer uma Taça dos Campeões Europeus está ao alcance do Benfica como renovar o título de Campeão Nacional ou voltar à final da Liga Europa.
A desistência e o cepticismo são, muitas vezes, os inimigos derradeiros da nossa equipa. Ultrapassar esta barreira é, logo à partida, deixar qualquer adversário nesta Europa a tremer de medo."

André Ventura, in O Benfica

Encarnado é o Vermelho-amor (diagnóstico... com omissão!!!)

"A primeira derrota do Campeonato aconteceu domingo, amarga como alguns remédios que tomávamos na infância, injusta como o Futebol é às vezes, revoltante por ser com um clube que se tornou tão anti-benfiquista.
Apesar de sabermos que era um jogo exigente, não acreditava que a derrota pudesse acontecer diante do Sporting de Braga. E ocorreu porque o futebol é assim mesmo, quem não mata, morre. Bem cedo poderia o Benfica ter resolvido aquele jogo. Depois o cansaço de uma quarta-feira europeia pesou nas pernas dos nossos jogadores e não conseguimos manter a pressão e os níveis físicos e, em consequência, o Braga afastado da baliza de Artur. Os do SC Braga e do FC Porto (dos muito que lá havia com a camisola do Braga) estavam mais fresquinhos e disso tiraram partido na segunda parte.

Mas, em meu entender, a derrota deveu-se sobretudo por duas falhas que passo a explanar: o Benfica não tem, até ao momento, um verdadeiro número 6, um trinco que equilibre a uma equipa tão ofensiva; um trinco que encoste aos centrais e defenda como este. Bem sabemos que será Fejsa a ocupar esta posição, pois o Benfica precisa dele mais do que de qualquer outro jogador, e, enquanto não recupera, não conseguiremos ter o alto desempenho de que nos habituamos naquela zona do terreno; a outra falha é a da concretização. Podíamos, e deveríamos, ter marcado três ou quatro golos, que para isso tivemos oportunidades de sobra. Mas Lima ainda desafinado (embora mantenha toda a raça e qualidade) e as bolas não entram nas balizas contrárias, principalmente, nos jogos mais exigentes. Jonas está quase aí e Jorge Jesus terá de se decidir se joga com dois avançados ou continua com Talisca a apoiar o único que vai a jogo. Mas Jonas faz-nos falta!
Logo que Fejsa recupere e Jonas esteja na sua plena forma, este Benfica será diferente. Será o Benfica mais próximo da ideia de Jesus: raçudo, veloz e mortífero. Até lá, resta-nos apoiar todos os que vestem o Manto Sagrado."


Carlos Campaniço, in O Benfica

PS: O diagnóstico interno até está acertado... mas a omissão 'dourada' era escusada !!!

Reagir

"Costuma dizer-se que ganhar e perder faz parte do desporto.
Poderá ser assim em muitos quadrantes onde existam provas desportivas, por este país e por esse mundo. Em modalidades várias, na alta, média ou baixa competição, em encontros de amigos ou de rivais, em quase tudo. Porém, quando se fala de Benfica, quando falo de Benfica, apenas admito um resultado: a vitória.
Um século de história gloriosa, e em particular o legado de Eusébio, ensinou-nos a ser assim. As últimas temporadas, em que a dupla Vieira-Jesus recolocou o Benfica no seu devido lugar, quer no panorama português, quer no panorama europeu, devolveram-nos também esse grau de exigência, que na transição do milénio quase havíamos hipotecado. Hoje, deixámos de conseguir encaixar uma derrota. E a de Braga doeu. 
Independentemente de podermos felicitar os vencedores, de lhes devermos respeito dentro e fora dos campos, admitir uma derrota não pode jamais constar da nossa matriz identitária. Temos de exigir de nós próprios, e de todos no clube, uma espécie de revolta interior, que não permita olhar, nem por um segundo, para as derrotas como coisa natural. Para o Benfica, perder não é normal.
Não pode ser normal. Após uma pré-temporada complexa, e a meio de uma Liga dos Campeões pouco entusiasmante, a vantagem pontual com que o Benfica liderava a classificação do Campeonato (principal objectivo da época) era a almofada onde a família benfiquista repousava a sua confiança.
Perder em Braga, naquele que era tido como o primeiro grande teste à equipa encarnada, representou um rude golpe nesse sentimento de confiança. Hoje, há nova partida do campeonato. E na terça-feira joga-se o futuro europeu. O que se espera de todos é um grito de revolta face ao que aconteceu no Minho. A mesma revolta que os adeptos sentiram ao ver fugir três pontos, ao ver a vantagem classificativa reduzir-se à sua mínima expressão, ao ver os rivais directos recuperarem ânimo e tranquilidade, numa luta que não permite falhas, hiatos ou hesitações."

Luís Fialho, in O Benfica

Portugal, UEFA e Platini

"Portugal atingiu, no ranking das competições europeias de clubes, o 5.º lugar. Pelos resultados obtidos pelo Benfica e Porto. Ultrapassou a França de Michel Platini e está (esteve) perto da Itália. Mesmo assim, continua a pertencer ao 'clube dos remediados' para a UEFA. O recente caso do prejuízo que a arbitragem provocou ao Sporting na Alemanha é uma elucidativa amostra. Como o foi o empurrão escandaloso (mas infrutífero) dado à Juventus em Turim nas meias-finais da Lida Europa da passada época, logo vingado pela fraudulenta arbitragem na final contra o Sevilha. Fosse um dos tubarões europeus ou simplesmente um clube gaulês e outro galo cantaria.
Já aqui me referi, por diversas vezes, àquelas figurinhas vestidas como árbitro que estão a fazer ginástica nas linhas de cabeceira das competições da UEFA. Às vezes estão a um ou dois metros das jogadas, mas conseguem uma de duas coisas: ou não ver o que toda a gente viu (lembro-me de uma mão de J. Terry do Chelsea na Luz, dos penáltis por marcar no Benfica-Sevilha, ou ainda nos metros bem à frente de Beto na marcação das penalidades do desempate) ou - mais grave - conseguem ver o que não existiu e ninguém viu (foi o caso do penalti a favor do Schalke 04 no último minuto do jogo contra o SCP).
Entretanto, o fogoso Platini - que detesta portugueses - criador destes (des)ajudantes e que pôs em marcha o 'fair-play financeiro', achará, por certo, que é só uma coincidência, a UEFA ter como um dos sete patrocinadores oficiais da Champions League a russa Gazprom, que, por acaso, também patrocina o Schalke 04 e que o árbitro do jogo com o Sporting foi também, por acaso, russo..."

Bagão Félix, in A Bola

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Premier League International Cup - 1.ª jornada

Schalke 04 B 0 - 1 Benfica B

Na estreia nesta nova competição, o Benfica venceu em Londres o Schalke por 0-1, com um golo do Renato (59'), nesta competição sub-21 (creio que é permitido, a utilização de 3 jogadores mais velhos!!!). As informações foram escasas, mas aparentemente foi um jogo totalmente dominado pelo Benfica, que merecia um resultado mais desnivelado... Nos últimos minutos um jogador Alemão foi expulso.

Recordo que o Benfica faz parte do Grupo C, onde vamos ainda defrontar o Leicester City, o Manchester City.

Jogaram: M. Santos; Semedo, Lindelof, Cardoso, Rebocho; Pinto, Sanches (Amorim, 75'); Costa, Guedes (Rochinha, 71'), N. Santos (Andrade, 60'); Fonte. Estiveram ainda no banco: Lopes; Valente, Alfaiate; Menga.

Benfica, derrota e tempo

"O Benfica perdeu em Braga. Perdeu como poderia ter ganho, num excelente jogo de futebol.
Mas este jogo veio confirmar:
1. O Benfica, em comparação com a passada época, não tem banco à altura do desgaste de todas as competições. À excepção de Jonas que entrou, Jorge Jesus tinha consciência de que outro jogador suplente nada mudaria:
2. O eixo central perdeu Garay, Matic (e Fejsa) e o verdadeiro Enzo. Em substituição, há o promissor mais ainda insuficiente Lisandro, um n.º 6 que oscila entre o adiado Samaris, o imberbe Cristante e o esforçado André Almeida. E Markovic passou de foguetão pelo clube:
3. Enzo está em trânsito para os laranjais valencianos: é um sócia e uma sombra do verdadeiro;
4. O Benfica não venceu nenhum jogo de dificuldade maior: Sporting, Braga e Champions, ou como escreveu J. M. Delgado não passou nos testes de stress;
5. Os adversários não precisam de ser iluminados para perceber que, jogando com velocidade pelas alas, tudo se torna mais possível.
Posto isto, não vale a pena discutir erros de arbitragens que têm que ser decididos num instante. Mas já registo a falsidade que foi a contagem do tempo. Não falo de nada de subjectivo, mas de uma métrica que é objectivável. Entre o minuto 85 e o 96,30 (um total de 12,5m) jogaran-se... 3 minutos! O jogo esteve interrompido 5m por causa de agitação junto dos bancos e é retomado já com 1 minuto para lá dos 90. Depois, ainda houve a obrigatória lesão do guarda-redes (quase 3m) e outras espertezas habituais, aliás, em todas as equipas. O árbitro precisava de um novo relógio e calculadora para somar e subtrair. Inaceitável!"

Bagão Félix, in A Bola

PS: Infelizmente, o consócio Félix, enferma de um mal generalizado no universo Benfiquista. Acha que para ter credibilidade, não se pode queixar das arbitragens... chegando mesmo, a desculpar os erros!!! Em vez de tentar arranjar um álibi para os instantes.. talvez pudesse ter escrito: "...apesar das insuficiências ou erros do actual Benfica - uma discussão válida... -, a arbitragem em Braga, acabou por ter influência directa no resultado... sendo que os erros, foram constantes, e sempre para o mesmo lado..." Não estaria a enfiar a cabeça na areia, assumia as limitações do actual Benfica, e ao mesmo tempo chamava a atenção para a Roubalheira da Pedreira... Ainda por cima num jogo, onde os instantes caíram sempre para o mesmo lado!!!

A posição 6

"Matic disse numa entrevista recente que Jorge Jesus considerava a posição 6 (leia-se, médio-defensivo) a mais importante da equipa. Porque, explicava, o número 6 é a última barreira antes de a bola chegar à defesa e a primeira peça a iniciar o jogo de ataque.
Olhando para trás, Javi Garcia foi dono indiscutível do lugar, a este sucedeu Matic, a seguir ceio Fejsa - e quando este se lesionou a confusão começou a instalar-se. Até porque Rúben Amorim, que o poderia substituir, também foi afastado dos relvados por uma lesão grave.
Daqui se conclui que, numa posição fulcral para a equipa, Jesus não tem tido sorte. Tem 'inventado' sucessivas soluções que, por saídas ou por lesões, vão caindo por terra umas atrás das outras. Nesta época já foram experimentados cinco jogadores na posição 6: Samaris, André Almeida, Talisca, Enzo Pérez e Cristante. E isto não por uma questão de rotatividade, mas porque Jesus anda positivamente à nora.
É evidente que nenhum dos jogadores experimentados convenceu o treinador do Benfica. André Almeida, para mim o melhor, tem limitações técnicas ao sair com a bola para iniciar o ataque. Samaris não tem a robustez nem o sentido posicional de Javi Garcia. Enzo Pérez é muito baixo para aquela posição, e vê-se à légua que aquele não é o seu lugar. Talisca não dispõe do rigor táctico nem do físico necessários para a função. E Cristante é demasiado verde e revela muitas lacunas a defender.
Na posição 6, Jesus tem um problema muito bicudo para resolver. E, enquanto não for resolvido, enquanto não houver um dono indiscutível do lugar, a equipa não estabilizará. O bom início de campeonato depressa se tornará uma ilusão."

Vanessa...



Não se deve ter expectativas elevadas, mas esta é uma excelente notícia. Se a Vanessa quiser voltar à competição, com entrega total ao treino, terá todas as hipóteses de voltar a dar alegrias a ela, à família, ao Benfica, e a Portugal...

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Parelhas de coices, socos e pontapés na cara!

"No início de 1913, o Benfica desloca-se ao Porto para conquistar o Torneio das Três Cidades, organizado pelo FC Porto em comemoração da inauguração do Campo da Constituição. Uma romagem de desportivismo que terminou da pior maneira.

Em 1913, o Benfica era um jovenzinho. Um jovenzinho a caminho do Porto para uma agradável aventura.
Em 1913, o FC Porto também se julgava um jovenzinho. Foi preciso muita ginástica para que esse jovem FC Porto de 1913 fosse, muitos e muitos anos mais tarde, transformado num adulto. Efeitos da progeria, essa doença terrível que destrói tanto como a mentira.
Deixemos isso. Vamos falar de outro clube portuense, esse sim, de uma digníssima antiguidade, o Oporto Cricket Law Tennis Club, fundado no ano de 1855 e que ainda vive orgulhosamente lá para os lados do Campo Alegre. E vamos falar também do Real Vigo Sporting Club que, fundado em 1905, se fundiria em 1923 com o Real Fortuna Football Club da mesma cidade para dar lugar ao Celta de Vigo de tão má memória para os 'encarnados'.
Deixemos isso também. Se resolvi ir tão atrás no tempo foi para falar da inauguração do velhinho campo da Constituição, um dos monumentos ao Futebol português que o FC Porto soube tão bem cuidar anos a fio. Vivam-se tempos de cavalheirismo. Os ingleses não só tinham trazido para Portugal o 'beautiful game' mas também arreigadas concepções de desportivismo, o famoso fair-play. Presidente da direcção portista, Joaquim Pereira da Silva, arquitecta um torneio internacional disputado por clubes de três cidades, Porto, Lisboa e Vigo, e assim chegamos aos quatro clubes até agora apresentados e citados acima.
Realizou-se a prova num sistema de poule, a uma volta, nos dias 31 de Janeiro, 1 e 2 de Fevereiro.
A primeira jornada colocou frente-a-frente o FC Porto, anfitrião, e o Real Vigo, com vitória dos primeiros por 4-0. Eram nesse tempo figuras da equipa azul e branca treinada pelo francês Adolphe Cassaigne, o guarda-redes Peter Janson, Mário Maçãs, Carlos Megre, Charles Allwood, Magalhães Bastos, Camilo Moniz, Constantino Encarnação e Ivo Lemos. Já o Benfica, como se sabe, actuava só com portugueses, tal como o Real Vigo exibia um conjunto totalmente formado por espanhóis, algo que não muito comum à época. Portugueses que marcaram a história do Clube da 'águia': Paiva Dimões, Henrique Costa, Carlos Homem de Figueiredo, Cosme Damião, Artur José Pereira, Álvaro Gaspar, Alberto Rio, Francisco Belas, Luís Vieira, Domingos Fernandes...
Frente ao Oporto Cricket Club, a vitória 'encarnada' foi expressiva (8-2), embora ligeiramente ensombrada pelo facto de os portuenses não terem conseguido apresentar um onze completo, ficando-se por um guarda-redes e nove jogadores de campo. As mazelas desse primeiro encontro reflectiram-se na segunda jornada, com o Oporto Cricket Clube a sofrer nova derrota, agora frente ao Real Vigo, por 0-3.

Mandando às malvas o desportivismo
Defrontavam-se então as duas equipas vencedoras da jornada inicial. Encheram-se de brios os portistas na vontade de bater os lisboetas no seu novo campo. E de tal forma que rapidamente chegou à vantagem, vantagem essa que logo tentou defender, recuando em bloco para junto da sua baliza e procurando frustrar as tentativas de Alberto Rio, Luís Vieira e Álvaro Gaspar, os benfiquistas em maior destaque. O inglês Janson, com uma série de defesas vistosas, foi adiando o empate. Debalde. A superioridade 'encarnada' era por demais evidente. O Benfica chegou ao 3-1 e poderia ter feito mais alguns golos, não fosse o acerto de guardião do FC Porto e o trabalho meritório de Webber e Camilo Moniz.
Decidia-se a conquista do belo troféu em prata, a «Taça Futebol Clube do Porto», na jornada derradeira que, como as anteriores, atraiu o interesse de muito público que não hesitou em desembolsar os 320 réis que permitiam assistir aos dois jogos.
O encontro entre FC Porto e Oporto terminou com a vitória dos primeiros, por 1-0.
Quanto ao confronto entre Benfica e Real Vigo, o Futebol foi, infelizmente atirado para segundo plano. Dia 2 de Fevereiro, domingo de Carnaval, e o embate não chegou ao fim. Toda a primeira parte foi um não mais acabar de picardias iniciadas pelos galegos, segundo crónica assinada por Rodrigues Teles, um dos historiadores do FC Porto que parecia desconhecer, na altura, que a data da fundação do clube não era a de 1906. O Benfica chegaria à vantagem (e o 1-0 manter-se-ia sem alterações) e reclamaria ainda outro golo prontamente anulado pelo árbitro, o britânico Janson, guarda-redes do FC Porto (algo muito comum nesses primórdios do Futebol) que considerou que a bola não tinha ultrapassado por completo a linha de baliza.
Azedaram-se os espíritos e mandou-se às malvas o tão saudado desportivismo. Na segunda parte o regabofe foi total. Ora leiam o que se escreveu: «O defesa esquerdo do Vigo, defendendo uma avançada de Luís Vieira, depois de dar um pontapé na bola, voltou-se, pôs as mãos no chão e recebeu a carga do jogador português com uma verdadeira 'parelha de coices'». Edificante, no mínimo. Mas não se ficou por aqui: «A seguir, caso que já não era sem precedentes, um jogador do Benfica, ao dar com a cabeça na bola, levou na cara um pontapé de um jogador espanhol, incidente que pouco depois de repetia, com a agravante de o homem de Vigo se rir do molestado, facto que este tornou como provocação e de que se desforrou dando um soco no adversário». Caldo entornado de uma vez por todas. Continua o cronista: «Imediatamente foi o campo invadido por muitos espectadores, formando-se dois partidos antagónicos, o que levou a autoridade a intervir e o árbitro a dar por findo o desafio faltando três minutos para completar o tempo. E assim a taça posta em disputa neste interessante torneio, pelos resultados obtidos, foi entregue ao Sport Lisboa e Benfica».
Não terão dado os 'encarnados' a viagem por mal perdida. Nem terão chorado certamente os adeptos os seus 320 réis..."

Afonso de Melo, in O Benfica

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Lixívia VIII

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica............. 19 (-3) = 22
Sporting............16 (+1) = 15
Braga............... 14 ( 0) = 14
Corruptos........ 18 (+4) = 14


O Roubo foi à descarada. E neste caso, a velha desculpa do erro humano, não é para aqui chamada. Houve premeditação. Às claras... Ao contrário de alguns que querem se cingir à discussão dos penalty's, eu deixei bem claro na crónica ao jogo, que mais do que as analises dos penalty's (onde o Benfica é claramente prejudicado, ao contrário daquilo que foi dito no final do jogo pelo treinador do Braga e repetido por alguns energúmes... inclusive alguns que se dizem Benfiquistas!!!), o critério disciplinar foi a principal arma de condicionamento do jogo. Não foi uma decisão. Foram dezenas de decisões, tomadas sempre em benefício de uma equipa, e sempre em prejuízo da outra, durante 96 minutos. De uma coisa ninguém poderá acusar Marco Ferreira, falta de consistência!!! Ele foi sempre consistente, no Roubo...!!!
Santos, Danilo, Micalela, André Pinto e até o Custódio tinham que ter sido expulsos. Os dois primeiros, dentro dos 20 minutos da 1.ª parte, os outros dois no 2.º tempo, e o Custódio que só jogou os últimos minutos, mas ainda foi a tempo de fazer 2 penalty's!!!
Já no jogo da 1.ª mão da Meia-final da Taça de Portugal do ano passado, no Dragay, com este árbitro, os jogadores do Benfica foram agredidos repetidamente à PATADA. Pelo menos por 3 vezes... a consequência, foi 1 amarelo !!! Esta consistência do Marco 'Patada' não pode deixar dúvidas...
A patada do Santos ao Talisca é para vermelho directo, mas mesmo se não fosse mostrado, o Santos fartou-se de fazer faltas durante o resto do jogo, várias para 2.º amarelo, e nada lhe aconteceu... sendo que na falta mais grave, o árbitro decidiu ignorar, e dar lançamento ao Benfica!!!

O Danilo, à 3.ª falta para amarelo, é que levou o 1.º !!! E depois com amarelo, nunca se coibiu de distribuir porrada...

A besta da Micaela, também só à 3.ª falta para amarelo, levou o cartão. Sendo que a patada no Jonas merecia um vermelho directo. E depois no banco, ainda foi um dos mais activos na caça ao Enzo...!!!
O André Pinto, depois de fazer penalty descarado sobre o Nico, ainda enfiou um murro no Nico quando este estava no chão!!!
O Custódio, em poucos minutos fez (possivelmente) 2 penalty's!!! Porquê possivelmente, porque a PorkosTV decidiu esconder as imagens no remate do Salvio, que aparentemente foi parado pelos braços do Custódio. Depois, derrubou o Eliseu: num lance onde o Eliseu falhou o cruzamento, mas depois é atropelado, o facto do Benfiquista ter falhado a bola, não desculpa o atropelamento!!!

Houve outros cartões perdoados, ou por faltas graves, ou por protestos, ou por simulações, mas estas foram as situações mais descaradas... Este ambiente de impunidade, deu aos jogadores do Braga uma confiança, na disputa de todos os lances, que em conjunto com a dose industrial de 'amarelinha' que eles tomaram, os tornaram quase indestrutíveis. Um jogo que estava totalmente controlado pelo Benfica, foi 'virado' totalmente com o critério disciplinar... Todas as outras teorias de cumentadores de sofá são absurdas...
Se alguém tem duvidas, basta rever o cartão ao Samaris... Depois de tanta impunidade, depois de tantos avisos, o Samaris que não tinha feito nenhuma falta, num lance onde sofre falta, é premiado com um amarelo!!! O critério, foi só um: prejudicar o Benfica.

Mas além dos cartões ainda houve os penalty's!!! Aqui o Marco Ferreira teve a preciosa colaboração da PorkosTV, aliás umas das suas especialidades!!!
- Num livre marcado pelo Talisca, pareceu-me ver o Luisão a ser puxado e derrubado pelo Santos, mas não houve uma única repetição!!!
- O lance do Gaitán é demasiado claro, até para se perder tempo a escrever o que quer que seja...
ADENDA: Inicialmente não tinha reparado, mas o Santos joga a bola com braço, neste lance!!!

- A Mão do Custódio também foi 'apagada' pela PoskosTV...
- O derrube do Custódio ao Eliseu foi recebido em silêncio, pelos incontinentes verbais da PorkosTV!!!
Nos penalty's pedidos pelo Braga, nenhum deles é legitimo:
- No lance entre o Eliseu e o Pardo, o Eliseu ganhou a frente da bola (ganha posição) e é o Pardo que tenta passar por um sítio onde já estava o Eliseu...
- No lance do Lisandro, apesar de todo espalhafato do Pardo, nem vale a pena perder tempo a analisar se o toque existe ou não, porque o Pardo parte de uma situação de claríssimo fora-de-jogo: mais de 1 metro...

ADENDA: Depois de alguns comentários a alertarem-me para mais alguns lances, fica aqui a adenda:
- Duas entradas faltosas do guarda-redes Matheus sobre atacantes do Benfica, onde são marcadas faltas contra o Benfica, em jogadas perigosas...
- Falta de Tiago Gomes sobre Salvio, já com um amarelo, que daria o segundo...
- Entrada de André Pinto ao joelho de Eliseu, com os pitõns...
- Falta mal assinalada ao Lima num ataque perigoso do Benfica, por Mão na bola inexistente...

Para memória futura, e para deixar claro que houve premeditação, deixo aqui anotado a observação do nosso consócio Bagão Félix, esta noite na Bola TV: '... nos últimos 15 minutos de jogo, foram jogados 2,30m...'!!! Além da paragem com a confusão entre o Enzo e o Danilo (quase 5 minutos), entre substituições, simulações de lesões, demora nas reposições de bola... etc... só se jogaram 2,30m nos últimos 15 minutos!!! E isto com o Freitas Lobo histérico na PoskosTV a dizer que já passava da hora...!!!

Não vale a pena falar muito dos outros jogos:
- Os Lagartos, já a ganhar por 1-0, beneficiaram de um fora-de-jogo muitíssimo mal tirado, ao Marítimo, que podia ter dado o 1-1...
- Os Corruptos foram treinar a Arouca, com o Xistra como mediador. Mesmo assim, sem nenhuma necessidade ainda deixou de marcar um penalty para cada lado!!! O homem não sabe mais...
O que fica de Arouca, é aquilo que todas as pessoas atentas já sabem: no rol de treinadores na I Liga, não temos treinadores ligados no seu passado, ao Benfica e ao Sporting, agora ex-jogadores, ou ex-funcionários dos Corruptos são às carradas... E depois, é só activar as cláusulas!!! Se alguém quiser comparar a atitude dos jogadores do Arouca nos jogos com o Sporting e o Benfica, com a atitude demonstrada no último sábado, esteja à vontade... Pessoalmente, acho que a diferença esteve na 'amarelinha', deve ter esgotado o stock esta semana, os de Braga compraram tudo...!!!

Anexos:
Benfica
1.ª-Paços de Ferreira(c), V(2-0), Cosme, Prejudicados, Sem influência no resultado
2.ª-Boavista(f), V(1-0), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-0), Sem influência no resultado
3.ª-Sporting(c), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Setúbal(f), V(0-5), Capela, Nada a assinalar
5.ª-Moreirense(c), V(3-1), Luís Ferreira, Prejudicados, (4-1), Sem influência no resultado
6.ª-Estoril(f), V(2-3), Vasco Santos, Nada a assinalar
7.ª-Arouca(c), V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Braga(f), D(2-1), Marco Ferreira, Prejudicados, (2-3), (-3 pontos)

Sporting
1.ª-Académica(f), E(1-1), Soares Dias, Beneficiados, (2-1), (+1 ponto)
2.ª-Arouca(c), V(1-0), Nuno Almeida, Prejudicados, (2-0), Sem influência resultado
3.ª-Benfica(f), E(1-1), Proença, Nada a assinalar
4.ª-Belenenses(c), E(1-1), Cosme Machado, Nada a assinalar
5.ª-Gil Vicente(f), V(0-4), Beneficiados, (1-4), Sem influência no resultado
6.ª-Corruptos(c), E(1-1), Benquerença, Prejudicados, Beneficiados, Impossível contabilizar
7.ª-Penafiel(f), V(0-4), Rui Costa, Beneficiados, Impossível contabilizar
8.ª-Marítimo(c), V(4-2), Manuel Oliveira, Beneficiados, (4-3), Sem influência no resultado

Corruptos
1.ª-Marítimo(c), V(2-0), Xistra, Nada a assinalar
2.ª-Paços de Ferreira(f), V(1-0), Mota, Beneficiados, (1-1), (+2 pontos)
3.ª-Moreirense(c), V(3-0), Bruno Esteves, Nada a assinalar
4.ª-Guimarães(f), E(1-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar
5.ª-Boavista(c), E(0-0), Jorge Ferreira, Nada a assinalar
6.ª-Sporting(f), E(1-1), Benquerença, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Braga(c), V(2-1), Proença, Beneficiados, (2-2), (+2 pontos)
8.ª-Arouca(f), V(0-5), Xistra, Beneficiados, Prejudicados, (1-6), Sem influência no resultado

Braga
1.ª-Boavista(c), V(3-0), Vasco Santos, Beneficiados, (1-0)?!, Impossível contabilizar
2.ª-Moreirense(f), E(0-0), Paixão, Prejudicados, (1-0), (-2 pontos)
3.ª-Estoril(c), V(2-1), Hugo Miguel, Prejudicados, (3-1), Sem influência no resultado
4.ª-Arouca(f), D(1-0), Proença, Nada a assinalar
5.ª-Nacional(f) E(1-1), Jorge Tavares, Prejudicados, Impossível contabilizar
6.ª-Rio Ave(c), V(3-0), Bruno Esteves, Beneficiados, Prejudicados, Impossível contabilizar
7.ª-Corruptos(f), D(2-1), Proença, Prejudicados, (2-2), (-1 ponto)
8.ª-Benfica(c), V(2-1), Marco Ferreira, Beneficiados, (2-3), (+3 pontos)

domingo, 26 de outubro de 2014

Festival do 'cacete', acaba em derrota...

Braga 2 - 1 Benfica
Talisca

Tinham saudades do Tugão?! É óbvio que se vai falar muitos dos erros do Jesus, das falhas dos nossos jogadores, e até das sortes e dos azares... mas este jogo, como muitos outros, foi decidido pelo Apito. Já são muitos anos a virar frangos, para perceber como os trafulhas funcionam: depois de tudo o que se passou dentro do campo, como é que é possível, o Braga ter somente um jogador expulso, e logo aos 91 minutos, e por algo que ele fez fora do campo?!!! Tanto o Santos como o Danilo tinham que ser expulsos nos primeiros 20 minutos, a Micaela tinha que ter ido para a rua... Foi um festival do arreio do mais asqueroso possível... E para cúmulo, o Samaris sofre falta, é empurrado, e leva amarelo!!! Aliás a foto em cima, é um resumo perfeito do jogo...!!!
O jogo foi todo condicionado pelo proteccionismo do Marco Ferreira, todo... A estratégia defensiva do Braga, foi uma: dar porrada!!! Eu sei que ninguém se vai importar muito com isto, dirão que foi uma arbitragem 'à Inglesa'!!! Se com o Arouca na Luz, o Emanuel antecipou a expulsão do Amaro e substituiu-o, hoje, o Conceição nem precisou de usar a mesma estratégia, tal era a confiança, que ninguém seria expulso...!!! É óbvio, que com um árbitro a sério, os jogadores do Braga tinham imediatamente adaptado a sua agressividade ao critério do árbitro, e as expulsões não tinham acontecido... mas nesse caso, o jogo ofensivo do Benfica teria sido completamente diferente. Especulando, muito provavelmente, teria sido um massacre de 90 minutos...
Depois daquilo que se viu ontem em Arouca, onde os Corruptos efectuaram um treino de descompressão, creio que é bastante claro as diferenças abismais do Tugão: enquanto o Benfica, vai enfrentar adversários, carregados de 'Amarelinhas', com motivação no máximo, os outros em metade dos jogos, até podiam levar a equipa Veteranos, pois ganhavam na mesma!!! E em cima disso, temos que levar com encomendas destas... e podem argumentar: o Marco Ferreira, nem é dos piores?! Pois não... Por isso imaginem os outros!!!
A 'culpa' do Benfica resume-se à forma previsível como nós sabemos que mais tarde ou mais cedo isto ia acontecer!!! Depois do Benfica ter beneficiado de algumas expulsões nas primeiras jornadas (justas), os do costume foram para as televisões, rádios e jornais, embalar a canção do 'colinho', e o Benfica ficou calado!!! E hoje, muito provavelmente, ninguém do Benfica vai publicamente criticar a arbitragem...!!! Esta estratégia não é nova, mas deixa-me fora do sério...!!!
E não foram só os cartões, houve penalty's (pelo menos dois: Luisão e Gaitán), faltas ofensivas marcadas ao Benfica, verdadeiramente abjectas: ao Lima e ao Salvio por exemplo... em jogadas perigosas. Houve jogadas perigosas do Braga, após faltas não assinaladas... resumindo, um Festival... O Homem do Jogo, é claramente o árbitro...
Espero atentamente, para ver a atitude do Braga nas recepções aos Corruptos e às Osgas, se calhar a 'amarelhinha' vai estar esgotada na farmácia, nestas semanas...!!!

Isto não absolve o Jesus e os jogadores do Benfica, que cometeram erros, mas eu não sou daqueles que acha que o Benfica é obrigado a jogar mil vezes melhor que os adversários, em todas as jornadas, e quando não jogamos mil vezes melhor, quando jogamos somente duas vezes melhor, então merecemos a derrota, porque nos pusemo-nos a jeito!!!
Os três erros do Jesus, na minha opinião, foi a não titularidade do Jonas (é óbvio que o Lima está num mau momento, insistir no Lima a titular, nem é bom para o próprio Lima); a não titularidade do André Almeida (este seria sempre um dos jogos mais difíceis da época, o André não custou €10 milhões, mas é o melhor '6' defensivo que temos, ponto final); e em último lugar, devia ter esgotado as substituições (a entrada do Jonas, e o recuo do Talisca, inicialmente até resultou, mas pouco depois ficou à vista, que o Braga tinha espaço aberto para o contra-ataque... tanto o Pizzi, como o André podiam ter entrado).

A equipa até entrou muito bem, e não foi só o golo... estávamos a jogar muito bem, quando num alivio de bico do Braga, a nossa defesa estava mal colocada, e levámos o golo do empate, completamente contra a corrente do jogo. Sentimos o golo, e com o critério disciplinar absurdo, a equipa perdeu confiança...
Voltámos a entrar mal no 2.º tempo, mas a tal substituição aparentemente suicida, do Jonas pelo Samaris inicialmente deu-nos algum gás... mas o Braga percebeu onde estava o buraco no meio-campo, e mais uma vez, numa altura até estávamos por cima, marcou o 2.º golo.
A perder foi um autêntico massacre, que só um guarda-redes do Braga inspiradíssimo, a habitual confusão com o banco do Braga, que parou o jogo mais de 5 minutos, e o habilidoso do apitador, que foi inventando faltas contra o Benfica, nos descontos de uma forma nojenta, nos impediu de chegar ao empate... mais do que merecido.

O Artur acabou por ser um dos melhores, sem culpa nos golos, e com algumas intervenções muito boas. O Lisandro e o Eliseu, foram mal 'comidos' no 1.º golo do Braga, mas no resto até estiveram razoáveis... O muito-campo funcionou mal, pouco agressivo. O Salvio continua trapalhão... O Talisca começou muito bem, com o golo, e com mais algumas grandes jogadas, mas devia ter sido substituído. Ninguém poderá acusar o Lima de falta de entrega, mas o golo não quer nada com ele... se não me engano, o último golo, de jogada 'corrida' que ele marcou, com na 1.ª mão da Meia-final da Liga Europa com a Juve...!!! Repito esta insistência do Jesus, está inclusivamente a prejudicar o próprio Lima.

Para terminar, é sempre bom recordar: o Benfica é líder isolado da Liga.

Vitória em São Miguel...

Clube K 0 - 3 Benfica
12-25, 15-25, 6-25

Regresso às vitórias como era esperado, o Clube K luta pela manutenção...

Empate em 'ervado' !!!

Portimonense 2 - 2 Benfica B

Jogo disputado num relvado inacreditável, onde jogar futebol é impossível.
O Hélder não sei se com medo das condições, inventou uma estratégia de 3 Centrais, que rapidamente percebeu não dar...!!! Tivemos sempre em vantagem (0-1; 1-2), mas o resultado acaba por ser justo...

Varela; Lindelof, Valente, Nunes (Rebocho, 31'); Semedo, Menga; Pinto, Amorim (Cardoso, 69'); Costa, Guedes (Romário, 78'); Fonte.