Últimas indefectivações

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Vitória saborosa... a caminho da final da Supertaça



Benfica 28 - 27 Corruptos

Bom indicador... Não vi o jogo, mas derrotar os Corruptos - logo no 1º jogo oficial da época -, é sempre motivador. Uma derrota hoje, depois de tantas alterações no plantel, teria sido, mentalmente, 'pesada'!!!
Pela marcha do marcador, dá para entender que entrámos bem, perto do final da 1ª parte 'adormecemos', no início da 2ª parte, continuámos a jogar mal, mas recuperámos e nos últimos minutos conseguimos a vantagem mínima...
Também não nos podemos esquecer que os Corruptos tiveram, pelo menos duas baixas importantes, para o jogo desta noite. Sendo assim, para conseguir o nosso objectivo principal - o Campeonato -, temos muito que melhorar...
Amanhã vamos jogar a final da Supertaça, defrontando os Lagartos, espero que não se repita história da semana passada em Viseu: onde derrotámos os próprios Lagartos nas meias-finais, e depois perdemos o jogo da final  - teoricamente mais acessível -, com o ABC!!! Aliás no jogo com o Sporting da semana passada, tivemos uma 'branca' durante alguns minutos, mas ainda fomos a tempo de rectificar...!!!Portanto, todos os cuidados são poucos...
Depois da desilusão da época passada, sem qualquer título, seria bom começar esta época com um 'Caneco'..!!!

Em prol do espectáculo

"Na primeira jornada, aos 44 minutos de jogo, o árbitro mostrou a intenção de dar um segundo cartão amarelo a Alan, do Sporting de Braga. Recuou na intenção e ficou-se. Numa conhecida estação radiofónica, o comentário foi de que se justificaria o segundo cartão amarelo, mas que, em prol do espectáculo, o árbitro agira bem em não expulsar o jogador…
Na segunda jornada, aos 8 minutos de jogo, Amoreirinha tentou arrancar Melgarejo do chão pelos pés. Entrada violenta, com o único objectivo de ir ao osso do adversário. O árbitro expulsou-o. Segundo alguns teóricos da bola, entre os quais o treinador de circunstância do Setúbal, aquela expulsão não deveria ter ocorrido porque foi aos 8 minutos de jogo. Não estava em causa a violência da entrada de Amoreirinha, não estava em causa a justiça da decisão do árbitro. Estava em causa o facto de ter sido aos 8 minutos, e isso não era em prol do espectáculo.
Em Fevereiro de 2010, aos 7 minutos, João Pereira teve uma entrada violentíssima sobre Ramires. O jogador do Sporting foi justamente expulso. Foi a histeria (mais uma) por parte dos de Alvalade, porque, em prol do espectáculo, dava-lhes jeito que o agressor ficasse em campo. Para abrilhantar o ‘freak show’ de comentários, o advogado sportinguista Rogério Alves chegou a defender uma “jurisprudência da indulgência” para ilibar uma conduta violenta de um jogador do seu clube.
Em Abril de 2009, ao minuto 58 de um FC Porto-Setúbal, Carlos Cardoso, treinador de circunstância do Setúbal, decidiu retirar do jogo Leandro Lima e Bruno Gama, jogadores emprestados pelo FC Porto ao Setúbal que estavam a ser os melhores em campo. Em prol do espectáculo, o jogo que estava empatado acabou com a derrota dos do costume. De facto, em Setúbal, fazem-se muitas coisas em prol do espectáculo… Tudo, menos expulsar justamente um jogador aos 8 minutos."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Objectivamente (Vale tudo...)

"Andei nas últimas semanas por outros lados fora da Europa e quando chego aquilo que me deixa mais perplexo é a forma como nos lamentamos, sempre choramingando, mas pouco de tomar atitudes.
E no que respeita ao futebol é a mesma coisa. Reclamamos todos os anos uma mudança, queremos mais e melhor justiça, mais rigor na competição e na regulamentação, mas o certo é que os anos passam e tudo continua na mesma.
Os clubes com dívidas vão inscrevendo jogadores e vão mantendo os calotes com a conivência de todas as autoridades que supervisionam o negócio do futebol. É uma mentira completa que leva muitas vezes os clubes mais débeis a recorrer a empréstimos de falsos amigos que só ajudam por interesse.
Vale no meio de tudo isto um arranque entusiasmante do SL Benfica que apesar do empate frente ao SC Braga soube redimir-se com uma goleada ao Vitória de Setúbal. Foi saborosa essa vitória e sobretudo moralizadora depois do que se passou com os nossos grandes rivais.
A estabilidade financeira do Benfica é a grande arma a esgrimir este ano onde o mercado não tem sido bom parceiro. O Benfica não tem necessidade de comprar e vender - embora os negócios tenham regras que surpreendem muitas vezes - e a continuidade, a estabilidade e sobretudo a serenidade com que tem encarado o Mercado podem ser o melhor argumento para o Benfica tentar recuperar o título de campeão."

João Diogo, in O Benfica

Opções acertadas de Jorge Jesus

"Não será motivo de grande euforia mas não nego que é bom liderar o Campeonato à segunda jornada. O Benfica cumpriu no Bonfim, com nota acima da média. Ganhar por cinco fora de portas é sempre de registar.
Esta semana, um jornal fez as contas aos montantes que o Benfica deixara fora dos convocados. Gaitán e Ola John perfazem mais de 16 milhões. Só não disseram, e deviam ter escrito, que os que Jesus escolheu para jogar foram os melhores em campo no Bonfim, logo a conclusão deveria ter sido que foram acertadas as opções do treinador. É bom ter soluções e alternativas. Uma boa equipa pode ganhar um jogo, mas só um bom plantel pode ganhar um Campeonato. O objectivo do Benfica é ganhar o Campeonato e não só um jogo, por isso precisa de todo o seu plantel.
Saviola saiu pela porta grande. Um grande jogador. Até na forma como se despede mostra a grandeza. Boa sorte Saviola, foi um orgulho ver-te com a camisola mais bonita do Mundo. Ganhou um campeonato e três Taças da Liga e fica na memória que foi decisivo em todas estas competições.
O sorteio da Champions não foi meigo para o Benfica, Barcelona, de Messi, Iniesta e companhia, os russos do Spartak, que foram recrutar um bom treinador a Valência e compraram jogadores de qualidade (está a fazer uma boa equipa), e o histórico Celtic, que domina o futebol escocês por ausência de concorrência, tradicionalmente difícil a jogar em casa. Temos legitimas aspirações à vaga que sobra de um Barcelona que não falha neste apuramentos. Em três anos de Benfica, Jesus chegou aos 'quartos' e meias-finais da Liga Europa e aos quartos de final da Liga dos Campeões, sempre participações positivas e de prestigio nas provas da UEFA.
Uma palavra final para a morte do nosso mais antigo associado. Tantos anos de tanta paixão merecem o respeito e admiração de todos que como ele amam tanto o seu clube."

Sílvio Cervan, in A Bola

Era uma vez, na Champions...



Grupo G
Barcelona
Spartak Moscovo
Celtic Glasgow

Celtic – Benfica (Quarta-feira, dia 19 de Setembro)
Benfica – Barcelona (Terça-feira, dia 2 de Outubro)
Spartak Moscovo – Benfica (Terça-feira, dia 23 de Outubro)
Benfica – Spartak Moscovo (Quarta-feira, dia 7 de Novembro)
Benfica – Celtic (Terça-feira, dia 20 de Novembro)
Barcelona – Benfica (Quarta-feira, dia 5 de Dezembro)


Foi por pouco, que no pote 3, não nos calhou a Juventus (!!!), o que teria sido demasiado... assim até podemos ficar satisfeitos: o Barça garante um grande ambiente na Luz, o Celtic vai trazer os seus magníficos adeptos, e a visita a Moscovo será ainda em Outubro, teoricamente longe dos horrores de Dezembro!!!
Os jogos com o Barça, desportivamente, não se pode esperar muito (numa grande noite na Luz tudo é possível...), mas teremos o Messi a defrontar o seu grande ídolo: Aimar!!! Nolito regressa ao Nou Camp!!!... Com o Celtic espero quebrar finalmente o enguiço de Glasgow, já que na Luz os escoceses costumam ser tenrinhos!!! Em Moscovo teremos o sintético como adversidade, e uma equipa com muitos não-Russos, que gosta de jogar no contra-ataque. Com alguns reencontros interessantes: o McGready ex-Celtic, o Bilyaletdinov ex-Everton, e  Kallstrom ex-Lyon!!!
Espero que esta época as prioridades estejam bem definidas na cabeça de todos: Campeonato acima de tudo... a Champions em 2º...!!!

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Ser fruto ou ser fruta, eis a questão

"O Benfica teve a vida facilitada em Setúbal, fruto da expulsão de Amoreirinha, teve sim senhor. Mas, atenção, foi 'fruto', não foi 'fruta', o que seria uma coisa completamente diferente

SE me permitem gostava de partilhar com os senhores leitores uma revelação, para mim foi uma revelação em Madrid no último fim de semana. Desde já prometo não vos maçar com outros temas que não seja o do futebol.
Três dias em Madrid para muitas coisas mais, no que diz respeito ao que vos interessa, foram três dias para chegar a esta conclusão:
-O futebol português não existe para lá de Badajoz.
Vivendo em Lisboa não tenho por hábito comprar a imprensa desportiva espanhola, o que seria uma despesa totalmente desnecessária já que os principais jornais desportivos portugueses concedem quase tantas páginas de informação dos assuntos do Real Madrid e do Barcelona quantas concedem aos assuntos dos clubes grandes e médios de Portugal.
Tendo por hábito e obrigação comprar a imprensa desportiva portuguesa, estou sempre a par de tudo o que se passa no Santiago Bernabéu e em Camp Nou. Se eu não fosse de comprar jornais em papel, se fosse mais de consultar as notícias na net, estaria igualmente muito em informada sobre as incidências da Liga espanhola porque os maiores jornais desportivos portugueses nos respectivos formatos disponíveis online abrem logo, na primeira página com caixas de informação sobre o Real Madrid, igualzinhas às caixas que disponibilizam sobre o Benfica, o FC Porto e o Sporting.
Deixem que vos diga que a coisa está longe, muito longe de ser recíproca. É verdade que o campeonato português não alberga os dois clubes financeiramente mais poderosos do mundo nem dá guarida aos dois melhores jogadores do mundo da actualidade, sendo que um deles até é português.
Também é verdade que o campeonato português, a ser visto de fora, não tem grandes interesse nem encerra supremas discussões. Normalmente, nas últimas três décadas, ganha sempre o mesmo clube, o que pode provocar grandes emoções cá na terra mas não ajuda a suscitar a curiosidade da imprensa estrangeira, como se compreenderá.
No Domingo e na Segunda-feira pela manhã, comprando num quiosque de uma qualquer rua madrilena A Marca, jornal da capital, jornal da capital, e o Mundo Desportivo, jornal da Catalunha, depara-se um português com o facto de nenhuma das referidas publicações conceder à jornada em curso do campeonato luso a menor das atenções nas suas respectivas páginas de noticiário internacional.
Lá vêm os resultados e as tabelas classificativas das ligas de França, de Itália e de Inglaterra, mas de Portugal... nada. O futebol português a nível interno não existe em Espanha, não tem expressão. Aparentemente é uma actividade clandestina.
James, o jovem talento colombiano do FC Porto, ainda há pouco tempo afirmou que gostaria de jogar em Espanha, o que causou algum embaraço no Dragão semelhante ao embaraço causado na Luz ou em Alvalade sempre que um jogador afirma a sua vontade de sair do futebol português. Temos de aceitar o seu desejo legítimo de exposição, não é?
Quando Falcao, outro colombiano, saiu do FC Porto para o Atlético de Madrid houve até quem o acusasse perentoriamente de descer uns quantos degraus na sua carreira. Prosápia de aldeia, podem crer.
Por tudo isto, gosto de ver Nélson Oliveira no Deportivo da Corunha em vez de o ver a pensar por cá na procura de uma oportunidade, ou de meia oportunidade, para fazer valer o seu valor. Duvido que, se as coisas lhe continuem a correr bem, queira um dia voltar. Compreendo-o. Por mim, está perdoado. Mas volta.

SE é diferente o tratamento dado aos assuntos do vizinho pela imprensa dos dois países ibéricos, já as aficións são muito parecidas no tratamento que dão aos infortúnios dos rivais.
O mau arranque do Real Madrid na sua liga motiva piadas catalãs como esta:
-Mourinho é único porque tem um único ponto.
Muito parecida com a piada corrente em Portugal sobre o mau arranque dos Sás Pintos na liga portuguesa:
-Até as reticências têm mais pontos do que o Sporting.
Estes exercícios de crueldade podem, na verdade, ser comparados embora provenham de realidade distintas em que pouco mais é comparável.

À mesma hora que o Sporting A sofria em Alvalade frente ao Rio Ave A as agruras de uma ineficácia que só pode ser temporária, o Benfica B destroçava sem cerimónia o Belenenses A. Faço votos, muito sinceros, para que este colapso estrondoso do Belém na jornada 4 da Segunda Liga não desmotive nem desmoralize a equipa de Van der Gaag na sua demanda pelo regresso à Primeira Liga. Pertenço a uma geração para a qual ver o Belenenses de fora das discussões principais é um absurdo que entristece.
Voltemos ao Benfica B que entretém e diverte quando joga bem e ganha, como aconteceu na segunda-feira. E que não preocupa nem nos faz zangar quando a sua excessiva juventude o faz perder, como aconteceu na jornada anterior.
As equipas B, por definição, são o paraíso da tal excessiva juventude que será sempre um pecado condenável nas equipas principais. Foi uma boa ideia, esta das equipas B dos clubes grandes passarem a disputar a divisão secundária, jogando seriamente todos os fins de semana durante semanas a fio.
Porque dá saúde e faz crescer uma multidão de jovens jogadores portugueses que, de outra maneira, se veriam perdidos em empréstimos avulso, em cedências que os levariam para longe do seu habitat natural e onde o início das suas vidas profissionais lhe seria bem mais difícil de suportar.
Na noite de segunda-feira, três mil e tal benfiquistas saíram muito satisfeitos do Estádio da Luz porque viram um grupo homogéneo de jogadores formados no clube produzir um esperançoso espectáculo de futebol.
E, no caso do Benfica, Luís Norton de Matos parece ter sido a escolha certa para tomar conta da rapaziada. Foi encorajador o sorriso com que presenteou Ivan Cavaleiro, autor de dois golos, quando o substituiu a dez minutos do fim do jogo com o Belenenses.
Foi encorajador para o jogador e foi encorajador para os adeptos que precisam de saber que o futuro, se todos assim quiserem, também se pode construir em casa, passo a passo, fora da órbita devoradora dos negócios de milhões e milhões onde se compram e vendem no estrangeiro jogadores já feitos ou nem por isso, como é o caso de Ola John.
Gosto do Benfica B. Gosto quando ganha e quando perde e quando empata, como aconteceu na primeira jornada frente ao Braga B. É um projecto estimável para ser levado a sério. Este é um bom caminho.

O Benfica A também esteve bem no fim de semana. Foi a Setúbal golear o Vitória por uma mão cheia de golos, apresentou bom futebol e uma dupla interessante lá na frente, Salvio e Rodrigo. É certo que beneficiou de jogar com mais um em campo do que o Vitória durante 82 minutos mais os tempos de desconto, fruto da expulsão mais do que merecida do Amoreirinha num daqueles lances que se for visto tranquilamente num jogo de futebol estrangeiro em que todos somos imparciais, o veredicto estabelece-se por unanimidade: este tipo tem de ir para a rua já.
O Benfica teve a vida facilitada em Setúbal, fruto da expulsão de Amoreirinha, teve sim senhor.
Mas, atenção, esse benefício da superioridade numérica do Benfica foi fruto, não foi fruta, o que seria uma coisa completamente diferente e que no caso, francamente, não colhe, por muito que venham agora os seus adversários letrados insinuar, sem grandes rodeios, que Amoreirinha se fez expulsar de propósito para, traindo os companheiros e quem lhe paga, oferecer a vitória de mão beijada ao adversário.
Enfim, uma espécie de tragédia grega que deve fazer parte do reportório corriqueiro de outros palcos pelo modo tão rápido e acintoso como alguma crítica mais especializada tratou de dissecar o momento do minuto 8 do espectáculo do Bonfim.
E nem sonham os caluniadores do Amoreirinha (de apelido) que o jogador é Eurípides (de nome próprio) provavelmente em preito ao grande poeta e dramaturgo grego do século V antes de Cristo que se chamava Eurípides e que é o autor de uma frase que, dois mil e quinhentos anos depois de ter sido escrita, explicaria na perfeição todo o caso passado no sábado com o Eurípides contemporâneo: «Um amigo seguro revela-se na adversidade.»
Convenhamos, no entanto, que a adversidade não era coisa do outro mundo aos 8 minutos do jogo, com o resultado em 0-0 e com tanto tempo para jogar. Mas tudo serve para comprar tragédias mesmo quando o que faz a diferença no topo da tabela é aquela coisinha mínima e singela do goal-average.
Golo à Braz, como escreveu há muitos anos um colaborador deste jornal, apreciador de bacalhau certamente, no mais fabuloso momento de tradução fonética de que há memória na imprensa desportiva e que faz parte do melhor anedotário de A Bola. Coisas antigas.
E de anedotas, por hoje estamos conversados.

QUE me perdoem os puristas da santa causa, mas vibrei com o sucesso do Braga em Udine. O Sporting de Braga, pelo menos no estrangeiro, é o terceiro grande de Portugal."

Leonor Pinhão, in A Bola

Saviola, para sempre... Benfica



Javier Pedro Saviola despediu-se hoje dos Benfiquistas... mas o Benfica ficará, para sempre, dentro do Saviola... e os Benfiquistas irão sempre o considerar, como um dos nossos... Saviola será, certamente, mais um dos Imortais do Benfica...

Creio que esta foi a melhor decisão para as duas partes, não fazia sentido manter um jogador pouco utilizado, com um ordenado elevado. Sendo que o Saviola, aos 30 anos, quererá ainda jogar mais alguns anos...

A História não esquecerá as jogadas, os toques, as tabelinhas, as assistências, os golos, os grandes golos, a classe, o estilo, a alegria, o respeito pelo Benfica, e pelos adversários...
Quando foi anunciada a contratação do Conejo pelo Benfica, fiquei incrédulo... é verdade, que aquele jovem, promessa, júnior, Argentino, que foi Campeão do Mundo de sub-20 em casa, nunca atingiu o patamar esperado (Maradona, Messi...), mas a classe nunca lhe faltou... a menor velocidade e a menor força nos contactos físicos, não lhe permitiu ir mais longe no Barça e no Real... mas mesmo assim, no Benfica, foi extremamente importante na época do título de 2009/10, e mesmo na época seguinte, teve um Inverno com muitos golos... na última época, as coisas não lhe correram bem, com o crescimento do Rodrigo acabou por perder minutos, mais tarde com o Nélson Oliveira a ganhar espaço, acabou por ser empurrado para o fim do banco... Apesar das pressões dos jornaleiros, nunca se queixou, nunca se armou em vedeta... foi sempre, modestamente: Saviola...!!!

Alguns momentos vão ficar na memória colectiva Benfiquista para sempre: o golo aos Corruptos na Luz..., o 'slalom' em Belém..., o 'chapéu' contra a Académica..., um 'golão' em Vila do Conde..., a sua participação nas grandes exibições com o Everton, e principalmente a sua cumplicidade com Aimar...
Obrigado por tudo... e toda a sorte do Mundo... até sempre...

Que outra face da lua? (II)

"Volto à outra face da lua da dopagem, Como leigo, pergunto: não se deverá ter em conta a regra jurídica basilar de que o ónus da prova pertence sempre ao acusador e in dubio pro reo? E em que circunstâncias se aplica a prescrição (8 anos) prevista no código de antidoping? Fará sentido a aplicação retroactiva a substâncias ou vias dopantes para as quais, antes, não havia meios de detecção? Se esta retroacção se aplicasse plenamente, quantos vencedores teriam sido desclassificados? E neste caso como se poderá atribuir a vitória a 2º e 3º classificados também eles manchados em outras ocasiões? Serão todos os laboratórios exemplos de pureza ou há quem escolha presas em função de mesquinhas motivações?
Escrevo agora e lembro-me de como Carlos Lopes viu um batoteiro especializado em auto-transfusões Lass Viren tirar-lhe o ouro. Ou de como atletas do ex-bloco soviético e da RDA ganhavam provas de atletismo com uma perna às costas. Vai-se também reescrever esta parte da história desportiva?
Volto a N. Armstrong ao alunar do Mar da Tranquilidade: «um pequeno passo para o homem, um grande salto para a humanidade», Com o caso Lance Armstrong pode-se agora dizer: «um pequeno(?) passo atrás para o ciclista, um grande salto atrás para a modalidade». Ou comparando com o que exclamou o outro cosmonauta B. Aldrin ao pisar solo lunar («Lindo! É uma desolação magnífica!»), se poder agora afirmar sobre o doping: «Lindo! É uma consolação estúpida!»"

Bagão Félix, in A Bola

Toto habla... Benfica...

Renascença V+Ver todos os videos
"O meu clube em Portugal é o Benfica"
Salvio regressou esta temporada ao Benfica e compromete-se a longo prazo
Rádio RenasceçaMais informação sobre este video

Forcado ou Cauteloso ?!!!


Pote 1
Chelsea
Barcelona
Manchester United
Bayern Munique
Real Madrid
Arsenal
FC Corruptos
Milan

Pote 2
Valência
Benfica
Shakhtar Donetsk
Zenit
Schalke 04
Manchester City
SC Braga
Dínamo Kiev

Pote 3
Olympiakos
Ajax
Anderlecht
Juventus
Lille
Spartak Moscovo
PSG
Galatasaray

Pote 4
Celtic
Dortmund
BATE Borisov
Dínamo Zagreb
Cluj
Málaga
Montpellier
Nordsjaelland

Existem normalmente duas formas diferentes de encarar estes sorteios da UEFA:
-O Forcado: que neste caso seria um grupo: Barcelona, Benfica, Juventus, Dortmund !!! Grande jogos, casas cheias, boas receitas, e em caso de derrota, ninguém ficaria escandalizado...!!!
-O Cauteloso: Arsenal, Benfica, Anderlecht, Nordsjaelland !!! Aqui no Pote 3, o Ajax também seria 'agradável'!!!
Como não sou 'mentiroso', admito, que não sou 'forcado'!!! Mas também reconheço a necessidade de ter Clubes com 'nome', que consigam atrair receitas de bilheteira - e ao mesmo tempo, evitar viagens longas e cansativas... -, mas o melhor é esperar, porque neste sorteio, creio que as bolas não estão quentes, nem frias!!!
Fica só um aviso: o PSG não vai estar tão fraco, como parece neste momento... e o Dortumund não é tão fraco, como demonstrou o ano passado na Champions...

Ponto da situação...

Está a começar a época oficial nas modalidades colectivas de pavilhão do Benfica.
O Andebol tem a honra de abrir as hostilidades - logo defrontando os Corruptos -, nas meias-finais da Supertaça.
A última época trouxe muitos títulos às modalidades do Benfica, sendo que o Andebol acabou por ser o 'patinho feio'!!! O investimento feito para esta nova época, é bem demonstrativo das intenções da Direcção, agora é preciso produzir dentro do recinto... As contratações do Álamo, do Tiago Pereira, do Cutura, do Álvaro Rodrigues, e do Dario Andrade, prometem. O plantel está recheado, só na posição de Pivot poderemos ter problemas, já que de raiz, só temos o José Costa (que só ataca...), mas as condições gerais são muito boas... agora é preciso acabar com as 'brancas' que têm afectado esta secção regularmente!!! A pré-época começou por correr muito bem, mas a derrota com o ABC (que não vi) - depois da vitória sobre o Sporting -, não foi um bom sinal, e parece querer dizer, que a inconsistência pode não ter acabado...!!! Notei também que os nossos Laterais, nesta pré-época, continuam a marcar poucos golos...
Pessoalmente coloco as arbitragens no Andebol ao mesmo nível do Futebol, Hóquei e Futsal... portanto muito más!!! Como não existe Play-off - estranhamente, é a uma das poucas modalidades 'amadoras' (além do Hóquei: que coincidência!!!) que abdica do Play-off (que atraí para as modalidades os holofotes da comunicação social durante algum tempo...), algo que aconteceu depois do Benfica ser ter sagrado Campeão num Play-off!!! -, é muito importante garantir os pontos nos jogos supostamente mais fáceis - algo que tem falhado -, e normalmente são nestes jogos que o Campeonato é decidido, enquanto nos jogos dos Corruptos as Mesas dos Oficiais, até se esquecem de apontar os golos aos seus adversários, com o Benfica esse tipo de 'folclore' não acontece... Portanto é necessário jogar, pelo menos, o dobro...

O Futsal também parece ter o plantel definido, com as entradas do Carlos Paulo, do Vítor Hugo e do Nené. Com o Ricardinho que tivemos na segunda parte da época anterior, penso mesmo, que temos um plantel mais forte esta época, onde todos - inclusive o Coelho e o Teka -, são opções válidas para o cinco inicial... Creio que a não-contratação do Ricardo Fernandes - poderá vir em Janeiro!!! -, a nível nacional terá pouco impacto, mas na UEFA Futsal Cup poderá se notar... Mas o objectivo é vencer tudo!!!
A pré-época está a decorrer normalmente, a derrota nos penaltis com os Lagartos, não é importante - a não ser a descontrolo emocional, que não deverá repetir-se... -, a Supertaça no Domingo, contra o Modicus não será fácil, basta recordar a Final da Taça de Portugal, contra esta mesma equipa...

O Hóquei em Patins é a secção com menos novidades, para a saída do Sérgio Silva entrou o Marc Coy, o melhor marcador do Campeonato Espanhol !!! O nosso principal adversário reforçou-se bastante - vamos ver se pagam os ordenados este ano!!! Com a presença de vários atletas na Selecção Nacional, que vai disputar o Campeonato da Europa, vamos ter uma pré-época a meio-gás, por isso é importante quando começar os jogos oficiais, estarem todos imbuídos do espírito de vitória - recordo que a época passada empatámos o 1º jogo em Braga!!! -, algo que este ano não pode acontecer, porque para repetir o título de Campeão, ainda vai ser mais difícil!!!

O Basket também começou nos últimos dias a pré-época, com uma grande surpresa: a manutenção do Ted Scott !!! Creio que ainda não foi confirmado oficialmente, mas tudo indica que o Ted vai ficar, com as contratações do Ricky Franklin e do Carlos Andrade, e a promoção do Pedro Belo, acho que o plantel desta época é ainda mais forte, do que o ano passado... sendo a concorrência supostamente menos forte, temos tudo para triunfar.
Saíram o Sérgio (que o ano passado já contribuiu pouco...), o Monteiro (para Angola, tenho esperança num futuro regresso, com maior maturidade...), e o Ferreirinho (acho que a equipa B seria uma boa opção, até porque com os prováveis problemas físicos dos nossos veteranos jogadores, teria hipótese de ser chamado à equipa principal). Tanto o Ricky com o Andrade vão quase de certeza, contribuir mais do que os jogadores que saíram.
O Minhava tinha anunciado a sua saída, mas acabou por ficar...!!!
Em relação à polémica instalada com a re-entrada do Carlos Andrade, repito aquilo que já disse: o caso do Carlos é completamente diferente do caso João Santos (e Diogo Correia), o Carlos saiu do Benfica para jogar em Espanha, numa altura, onde o Benfica decidiu sair da Liga e 'baixar' para a Proliga (2ª Divisão). Não me agrada alguns dos comportamentos do Carlos em campo, mas é a maneira de ele motivar-se, e de tentar destabilizar os adversários... sobre as ofensas a adeptos do Benfica, não me posso pronunciar... agora, admito que também não me agrada nada o comportamento de alguns adeptos do Benfica nos Pavilhões da Luz, - e já têm idade para ter juízo...!!! -, que passam os jogos todos a ofender os adversários, muitas vezes sem qualquer tipo de justificação (até porque muitas vezes os adversários, até são Benfiquistas... alguns até sócios!!!)... apoiar o Benfica, é puxar pelo Benfica, e não ofender os adversários...
Uma nota sobre o Pedro Belo: a aposta no Pedro já tem alguns anos, o potencial é grande - literalmente!!! -, mas muito sinceramente a evolução, na minha opinião, tem sido nula!!! O Pedro tem tido todas as oportunidades - não se pode queixar -, agora tem que trabalhar, nos jogos, e principalmente nos treinos... a vida de atleta profissional não é fácil, e é necessário alguns sacrifícios, será que o Pedro está disponível para isso?!!! 
Agora não podemos relaxar em demasia, porque as equipas insulares, vão continuar a ter orçamentos interessantes, o CAB já anunciou algumas boas contratações, e o Lusitânia que nos deu muito trabalho nas Meias-finais - apesar da saída do Franklin -, deverá apresentar-se forte. Sendo que a Ovarense e o Barreirense, mesmo só com a prata da casa, têm sempre equipas lutadoras... que na época anterior nos derrotaram - além do Sampaense!!!

O Voleibol é a secção com um programa de treino mais 'atrasado', mas aparentemente o plantel está definido. Para compensar a saída do Flávio Cruz, entra o brasileiro Willian Reffatti, mas a grande alteração é na Distribuição com a entrada do Vinhedo, e a promoção definitiva - e merecida - do Miguel Tavares.
Também parece que a maior dúvida do defeso acabou bem para o Benfica: o Honoré fica!!! As indicações dos reforços Brasileiros são as melhores, principalmente do Vinhedo. Com várias equipas com problemas de orçamento, inclusive o Sp. Espinho a Fonte Bastardo deverá ser o nosso grande adversário... mas com todas as desilusões que temos tido nas últimas duas épocas, nada deverá ser dado como garantido...

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Benfica nos Jogos Paralímpicos, Londres 2012



Com a cerimónia de abertura a decorrer neste momento, deixo aqui a referência que o SL Benfica vai ter 3 atletas nos Jogos Paralímpicos em Londres...
No Atletismo no Firmino Baptista e o Gabriel Potra - vão competir nos 100m, nos 200m e nos 4x100m -, e na Natação a Simone Fragoso - 50m livres e mariposa, 100m e 200m livres.
Com muito menos apoio, com muito menos visibilidade, sem profisionalismos, os atletas Paralímpicos Portugueses têm trazido para Portugal vários títulos - o Gabriel Potra tem um curriculum vasto com medalhas e recordes a nível Mundial...!!! Provavelmente estes vão ser os Jogos mais mediáticos de sempre, o ambiente deverá ser motivador - a cerimónia de abertura está a ser um exemplo disso... -, por tudo isto, não tenho nenhuma dúvida do total empenho de todos...
Boa sorte, para todos...

Que outra face da lua? (I)

"A semana passada foi a semana Armstrong. A da morte do primeiro homem a ir à lua, Neil Armstrong e a da decisão do ex-ciclista Lance Armstrong de desistir de provar a sua versão da outra face da lua no caso de alegado doping, depois de durante anos e anos ter estado nos píncaros da lua.
Sempre nutri admiração pelo heptacampeão americano. Sobretudo por causa da notável capacidade de luta e de coragem com que ultrapassou uma grave doença.
Não sei - se é que alguma vez saberemos - a verdade sobre as sofisticadas formas de dopagem de que foi acusado. Mas custa-me entender que tendo sido sujeito, sem mácula, a inúmeros controlos durante tantos anos nas mais importantes provas, tenham agora sido validados não dados insofismáveis mas testemunhos de ex-colegas a troco de bónus de arrependimento e não só. É até curioso saber-se que foi o colega Floyd Landis, o primeiro a acusá-lo, 4 anos depois(!) de lhe ter sido retirada a vitória por controlo positivo no primeiro Tour depois dos 7 ganhos por Lance...
Tudo isto marcará fortemente o ciclismo. Como no sofisticado mercado financeiro em que o polícia sabe menos que o vigário, também na dopagem a técnica de falsear a verdade quase sempre está à frente da técnica de a detectar.
Como conciliar a absoluta necessidade de erradicar a batota com a melhor ponderação das circunstâncias que evitem um fundamentalismo sanitarista em que um ciclista pode cair? Ou, pegando numa ideia de José M. Delgado no editorial de há dias, como distinguir a verdade de mentira da mentira da verdade? De outro modo, caminhar-se-à para um colapso no ciclismo. E não só..."

Bagão Félix, in A Bola

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Lixívia 2

Tabela Anti-Lixívia:
Benfica.........4 (-2 ) = 6
Corruptos......4 ( 0 ) = 4
Braga............4 (+1) = 3
Sporting.........1 ( 0 ) = 1

Jornada perigosa para o futuro do Benfica!!! Passo a explicar: o critério usado para expulsar o Amoreirinha, vai ser 'esticado' até à exaustão para tentar expulsar jogadores do Benfica, nas próximas jornadas, principalmente nos momentos chaves, tal como no ano passado...
Já o disse anteriormente, Jorge Sousa depois da 'espera' que foi vítima - por parte dos seus ex-camaradas do Super-Dragays!!! - após o Leiria-Benfica na época do último título (penalty sobre Aimar nos últimos minutos...), nunca mais foi o mesmo!!! Obviamente que não renunciou completamente as suas origens, mas passou a ser muito mais 'suave' nos jogos do Benfica!!!
-Amoreirinha. Não é habitual expulsarem-se jogadores aos 8 minutos, por faltas destas, é um facto. Mas sabemos que no último Europeu, houve indicações para apertar o critério e expulsar jogadores nestas circunstâncias. Enquanto no passado, num 'carrinho' com contacto na bola, podia-se 'partir pernas'(!!!), agora um 'carrinho' só não é falta, se tocar exclusivamente na bola!!! E consoante o nível de agressividade, pode-se marcar só falta, falta e amarelo, ou falta e vermelho.
Comparar esta falta, com o lance onde o Luisão foi amarelado, é um acto de profunda estupidez. Falta normal, com muitíssimo teatro por parte do Miguel Pedro, que muitas vezes nem sequer é marcada falta -perguntem ao Cardozo que sofre muitas... -, e raramente dá amarelo...
-Foras-de-jogo. Usa-se muitas vezes a expressão: o jogador estava em linha. Pois bem no 1º golo do Benfica, foi exactamente isso que aconteceu, os milímetros que colocaram o Melgarejo em fora-de-jogo, em velocidade normal, são impossíveis de distinguir... a existir erro foi no golo anulado ao Nolito, porque foi outra situação milimétrica, onde se deve dar 'vantagem' ao atacante... Bem anulado o golo ao Rodrigo.
-Miguel Pedro. Gosto deste jogador, tem qualidade... num jogo Académica-Benfica, admitiu no final do jogo, ser Benfiquista - são poucos os que arriscam tal declaração!!! Neste jogo, foi o jogador mais perigoso do Setúbal. Mas abusou claramente das simulações, os mergulhos foram constantes...


No Dragay, ficou um penalty por marcar a favor dos Corruptos, quando já estavam a ganhar por 1-0. Givanildo remata, e o N'Diaye usa os braços para ocupar 'espaço'... Só acho estranho, que os mesmos, que a semana passada ignoraram o braço do Otamendi em Barcelos, tenham reclamado este penalty a favor dos Corruptos!!!
Em Braga, e em Alvalade ninguém se queixou, portanto creio que nada se passou...


Anexos:
Benfica
1ª-Braga(c) E(2-2), Soares Dias, Prejudicado, Beneficiado, (3-2), (-2 pontos)
2ª-Setúbal(f) V(0-5), Jorge Sousa, Nada a assinalar
Sporting
1ª-Guimarães(f) E(0-0), Capela, Nada a assinalar
2ª-Rio Ave(c) D(0-1), Marco Ferreira, Nada a assinalar
Corruptos
1ª-Gil Vicente(f) E(0-0), Duarte Gomes, Beneficiado, Prejudicado, (1-1), Sem influência no resultado
2ª-Guimarães(c) V(4-0), Hugo Miguel, Prejudicado, Sem influência no resultado
Braga
1ª-Benfica(f) E(2-2), Soares Dias, Beneficiado, Prejudicado, (3-2), (+ 1 ponto)
2ª-Beira-Mar(c) V(3-1), Paulo Baptista, Nada a assinalar

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Muito bom !!!



Benfica B 6 - 0 Belenenses

Grande jogatana !!! Mais uma grande exibição, da nossa equipa B... que com os dois reforços 'Centrais' - Jardel, Miguel Vítor -, ganha uma enorme segurança lá atrás...
Se os elogios à equipa de Belém pelas 3 vitórias nas 3 primeiras jornadas, podem ter influenciado negativamente a prestação da equipa, espero que os elogios - merecidos - aos jovens Benfiquistas não façam mal, e quando a equipa estiver a jogar fora do 'ambiente' da Luz, mantenha a mesta atitude...

Até pode ser injusto fazer analises individuais, mas continuo a pensar que o André Gomes e o Cavaleiro são os jogadores com mais potencial para chegar à equipa principal... O Cancelo ataca bem - quando não exagera no individualismo -, mas tem que defender melhor. O André Almeida é um jogador completamente diferente quando jogo no 'meio'!!! Gostei de voltar a ver o Pimenta a jogar, simples mas muito útil... O Correa luta muito, mas os colegas não lhe estão a passar a bola nos momentos certos, ainda existe alguma descoordenação... O Miguel Rosa é jogador preferido de muitos Benfiquistas - na equipa B -, o amor à camisola é inquestionável... as semelhanças físicas com o Nolito são inegáveis... a forma quase idêntica de jogar com o Nolito são óbvias, mas pessoalmente - opinião completamente subjectiva -, acho que nunca será uma primeira opção na equipa principal do Benfica. Poderá ser um bom suplente, poderá ser um bom jogador nuna equipa do meio da tabela da 1ª Liga... mas enquanto ele tiver prazer em jogar na equipa B do Benfica, deverá ficar... até porque será de certeza um grande 'professor' na balneário para os mais novos!!!


Benfica B 6-0 Belenenses por simaotvgolo12

Vítima

"1. Mais uma vez não conseguimos chegar à vitória no jogo de abertura do campeonato. Culpas próprias, mérito do adversário, algum azar, um golo mal anulado (já...). E as críticas a recaírem, todas, sobre o nosso defesa Melgarejo, que não fez mais nem menos do que aquilo que desculpamos semrpe aos defesas - uma tentativa de corte que deu em auto-golo e, depois, um alívio para longe que foi parar aos pés de um jogador adversário, que (reiniciou) a jogada que viria a dar golo. Com outro qualquer, seria azar. Com Melgarejo é falta de aptidão para defender. Não estou a dizer que este nosso jovem jogador, que muito promete, seja o defesa de que necessitamos, nem sei prever a sua evolução. Mas acho injusto que ele seja o 'bombo da festa'. Em cada jogo é preciso arranjar um herói ou vilão para fazer a capa dos jornais. Às vezes é o avançado que +assou o jogo todo a 'apanhar bonés' mas teve a sorte de marcar o golo. Neste caso foi Melgarejo, que querem transformar à força no Roberto ou Emerson deste ano.

2. De resto, foi um fim-de-semana agradável. Não só porque os adversários directos não fizeram e principalmente, pelo bom triunfo da nossa equipa B em Santa Maria da Feira, perante um adversário difícil. Não estou muito preocupado com os resultados da equipa B e prefiro que ela venha a fornecer bons jogadores à formação principal. Mas é sempre bom ganhar...

3. Já o escrevi mas repito. É lamentável que alguns comentadores continuem a querer meter no mesmo saco os presidentes do FC Porto e do Benfica, quando é Pinto da Costa quem, reiteradamente e a propósito de tudo e de nada, se mete com o Benfica e com Luís Filipe Vieira. E este, algumas (poucas) vezes responde, como foi o caso, agora, de questão com Luisão, sobre quem o presidente do FC Porto é a última pessoa a ter moral para falar. Queriam que o nosso presidente ficasse calado? Ele respondeu e foi duro, como se impunha, Pinto da Costa contra-atacou e está feito: são os dois igualmente criticados, como se não houvesse quem lance constantemente a primeira (e a segunda...) pedra, tendo para mais o passado, enquanto dirigente desportivo, que se conhece (quanto ao resto, cada um faz as tristes figuras que quer...). Mas há sempre aqueles a quem interessa meter os dois no mesmo saco, quanto mais não seja para tentar realçar um terceiro..."

Arons de Carvalho, in O Benfica

Época oficial ainda não arrancou...

"Comunicado Futsal: a redactora já trabalha
As notícias de um conhecido jornal diário de informação desportiva, quando assinadas por Filipa Reis, são redigidas num certo sentido, servindo regularmente os interesses de um clube em particular e não o dos leitores, que deviam ler nas suas linhas apenas verdades confirmadas ou observadas por esta redactora.
Pelo contrário, não raras vezes, Filipa Reis prefere usar da sua criatividade, denotando também elevado grau de assertividade para com as suas fontes para dar nota de mentiras.
"Águias ameaçaram abandonar o jogo e equipa de arbitragem teve de ir ao balneário buscar os jogadores". Aquilo que se pretende passar com esta "notícia" não é verdade. Surpresa das surpresas, a referida redactora não esteve presente em Lamego no jogo sobre o qual escreve este domingo, mas nem por isso se sentiu mais condicionada para escrever, ou transcrever, algo que não viu nem ouviu. É o seu nome que fica impresso a letras negras no jornal."


Este comunicado só peca por tardio, e não devia ter sido somente a secção de Futsal a subscrever-lo - as outras modalidades de pavilhão também deviam-o ter feito -, a Dona Filipa já merecia à muito tempo estas palavras - se tivesse sido eu a escrever, tinham sido muito mais duras!!! Como todos os Lagartos, esta senhora é incapaz de escrever um texto sobre o Benfica, onde não faça uma piadola pacóvia e invejosa... Se fosse uma blogger qualquer, não seria grave... mas como escreve para um jornal de grande tiragem - que até tem a fama de ser afecto ao Benfica !!! -, é preocupante e escandaloso que o faça, repetidamente e livremente, sem qualquer sanção e reparo, é no mínimo triste... Não sou muito adepto de blackout's, nem de 'barragem', mas se fosse eu a mandar: não entrava nas instalações do SL Benfica.

domingo, 26 de agosto de 2012

Mão cheia... !!!



Setúbal 0 - 5 Benfica

Jogo com pouca história, com a vantagem numérica desde bem cedo, foi uma questão de paciência, com os golos a aparecerem naturalmente, e até podiam ter sido mais...
Muito se vai falar da expulsão, mas como tenho boa memória relembro, um outro aspecto: o jogo dos Corruptos a época passada em Setúbal, foi um autêntico passeio - algo normal por estas bandas -, com uma estranha equipa Setubalense completamente amorfa, só com o resultado feito, demonstraram algum empenho, hoje - como eu esperava - desde do primeiro minuto, tivemos um adversário extremamente agressivo, sempre à procura do contacto, atropelando - no mínimo -, os jogadores do Benfica, consecutivamente, em todas as nossas tentativas de ataque...!!! O único facto estranho, hoje, acabou por ser o critério apertado do árbitro, algo muito raro, nos jogos do Benfica em relação aos nossos adversários...!!! Obviamente os 'Zés Motas', deste País, estão mal habituados, e por isso, no final destilam a 'cassete' do costume!!! Só tenho pena é que o Miguel Pedro - que é um bom jogador (apesar do penteado!!!)... e até já teve a coragem de admitir publicamente o seu Benfiquismo!!! -, repetisse a 'cassete' no final partida, exigindo inclusive cartões para os adversários em jogadas onde ele mergulhou claramente para a piscina - algo que ele repetiu dezenas de vezes nesta partida!!!

Apesar de todas as facilidades, creio que ficou claro neste jogo, que o Salvio será o nosso principal desequilibrador esta época. Quem colocou em causa a sua contratação, deverá fazer uma reavaliação!!!
Os golos do Rodrigo demonstram que o nosso jovem jogador, está a caminho da sua melhor forma... deixando para trás o 'pós-Zenit' da época passada!!!

Mais uma vez, num jogo fora de casa, o Benfica foi obrigado a jogar num autêntico batatal!!! E não foi só a relva alta!!! São vários os relvados da 1ª Liga, onde ano após ano, seja Verão, Inverno, Outono ou Primavera, onde o Benfica encontra sempre autênticos 'campos de minas'!!! Setúbal, Olhão, Barreiros, Coimbra, Guimarães, Alvalade (!!!)... em Leiria também era garantido!!!
Existem muitos relvados nos Distritais com melhores condições... obviamente isto não acontece por acaso, temos treinadores e dirigentes que premeditadamente nas semanas antes da recepção ao Benfica, fazem de tudo para transformar o relvado, num pelado esburacado!!! Não acontece só ao Benfica, mas acontece muito mais vezes ao Benfica... A Liga tão preocupada com 'mariquices', mas depois, nas 'coisas' importantes, é só assobiar para o alto... Vejam-se as grandes Ligas Europeias, algumas disputadas em condições climatéricas muito mais extremas, e compare-se... De tempos a tempos, lá aparece um relvado, em mau estado, aqui em Portugal, é praticamente de duas em duas semanas, sempre que o Benfica joga fora...!!!

Descansa em Paz, José Gonzalez de Oliveira...


R.I.P., José Gonzalez de Oliveira, sócio número 1 do Sport Lisboa e Benfica. Eu, e acredito que muitos Benfiquistas, enviam as sentidas condolências à família.


sábado, 25 de agosto de 2012

Perguntem aos fundadores



"Uma das variadíssimas coisas que me emocionam sempre no Estádio da Luz (e, em dia de jogo, sinto quase tantas emoções quanto o elenco da Anatomia de Grey durante uma operação à vesícula) é o facto de um consócio meu considerar relevante levar para o estádio uma enorme tarja com o rosto de um dos fundadores do Benfica. Talvez o conceito de sofisticação ditasse que fosse mais apropriada a imagem de um jogos jogadores 'encarnados' em campo. Mas, por outro lado, é inegável que a opção escolhida tem a vantagem de, caso não haja nenhum imprevisto de última hora, Cosme Damião já não vir a mudar de clube. Seja como for, a imagem que essa tarja proporciona - a de Cosme Damião olhando o relvado, as bancadas, os jogadores, os adeptos, os adversários, os dirigentes - presta-se a uma reflexão mística: perante tudo isto, o que estará ele a pensar?
Este exercício de imaginação não se torna assim tão esotérico, uma vez concluída a leitura da biografia de Cosme Damião, assinada por Ricardo Serrano (Editorial Zebra). Eis uma passagem muito esclarecedora sobre a natureza do nosso clube: 'A certa altura, Artur José Pereira é carregado de forma violenta por um adversário galego. Arrependido da entrada, o jogador espanhol dirige-se ao jogador português para o ajudar a levantar. Artur José Pereira (compreensivelmente magoado e no calor do jogo) responde com algumas injúrias na linguagem fluente do bom futebol, e com tal intensidade que feriu os castos ouvidos de algumas senhoritas que se encontravam perto do local da ocorrência. Cosme Damião, zangado com a atitude menos correcta do seu jogador, expulsa-o de campo, obrigando-o a recolher aos balneários. Para vincar o desagrado pela acção pouco correcta do seu médio, fechou-o no quarto de hotel justamente na altura em que, a convite do Real Clube da Corunha, se realizava um banquete de homenagem à equipa benfiquista." (pp. 87-88).
E outra: 'Menos de dois meses depois, o Benfica receberia uma das melhores equipas estrangeiras que passaram por Portugal nessa década: os escoceses profissionais do Third Larnack. Em jogo apitado por Cosme Damião (provavelmente por estar ainda magoado), o Benfica perde por 4-1." (pp, 97-98).
Quando uma instituição se encontra numa encruzilhada - desportiva, financeira, ética -, há uma boa alternativa a painéis de comentadores e a sondagens junto de notáveis do clube. Essa alternativa é perguntar aos fundadores. Testemunhar, ainda que de forma indirecta, a vida de Cosme Damião é muito esclarecedor, não só do ponto de vista de identidade do nosso clube, mas também no que diz respeito ao questionamento dos nossos próprios valores pessoais.
Há muitos benfiquistas, ainda para mais numa altura em que se aproximam eleições, que pensam poder vir a influenciar os destinos do clube.
Mas, bem vistas as coisas, é muito mais provável que seja o Benfica, a sua história e os seus valores, a influenciar o nosso destino pessoal."

Miguel Góis, in Mística

Nem há culpas nem há desculpas

"“Não há desculpas”, disse Vítor Pereira aos jornalistas na véspera do jogo em Barcelos que significaria o arranque do campeonato para os campeões. Era forte a convicção do treinador do FC Porto na vitória sobre o Gil Vicente. E tão confiante estava nos primeiros 3 pontos que se atreveu a dizer, antes do jogo, que não haveria desculpas para qualquer outro resultado. Vítor Pereira, no entanto, sabia ao que ia. Nem sequer poderia estar à espera de um Gil Vicente de ataque, a disputar taco-a-taco o jogo. Vítor Pereira avisou-se a si próprio: “O adversário vai ser uma equipa organizada, compacta, com linhas bem fechadas”, dissera na véspera.
Concluindo, não havia desculpas. Palavra do treinador antes do jogo. Depois do jogo a primeira desculpa foi de índole vegetal.
- A relva estava altíssima.
A segunda desculpa foi para o anti-jogo do adversário que se apresentou, tal como Pereira tinha previsto, organizado, compacto e com linhas bem fechadas. Para quem não saiba, o resultado saldou-se num 0-0 que não estava nas contas. Também é verdade que a relva por estar altíssima não ajudou nada. Começou assim o campeonato de 2012/2013. Uns culpam a relva e outros culpam-se a si próprios, como aconteceu na Luz depois do empate de estreia, depois de 2 pontos perdidos de modo absurdo e depois de, por unanimidade, os 50 mil presentes terem absolvido de qualquer culpa o infortunado Melgarejo. Trata-se, para quem não sabe, de um jovem paraguaio a quem cabe, temem os mais pessimistas entre os benfiquistas, representar este ano o papel que no ano passado representou Emerson e que há dois anos representou Roberto, outros dois infelizes estrangeiros que passaram pela Luz carregando às costas a maldição das indecisões alheias.
No Benfica, no entanto, não há só profetas da desgraça. Também há benfiquistas muito optimistas para quem a assinatura indelével de Melgarejo nos dois golos do Sporting de Braga foi um momento de sorte que poderá valer uma época inteira no sentido em que só um duplo falhanço daquele calibre logo de entrada poderá obrigar a SAD da Luz a contratar, finalmente, um lateral-esquerdo. No que diz respeito à relva na Luz, nada a apontar. Está impecável. Não teve culpa nenhuma.

ERRAR É HUMANO
Revivendo o passado em Portimão
Com o ingresso das equipas B dos grandes na II Liga, a competição viu o seu estatuto melhorado e passou a merecer grande atenção. Com os grandes-B em acção, a II Liga até pode vir a ter uma importante função social: lá mais para diante, se alguns dos grandes forem perdendo fulgor e ambição na I Liga, será na II Liga que se refugiarão os adeptos na procura de entretenimento e de consolos mais à mão de semear.
Na última jornada, em Portimão já foi grande o entretenimento, fazendo até recordar os tempos da épica e desproporcionada rivalidade entre o Portimonense e o FC Porto na década de 80 do século passado, quando umas quantas indizíveis arbitragens em jogos entre os dois emblemas deixaram a cidadezinha do Sul em polvorosa. Passaram-se muitos anos mas no último Portimonense-FC Porto fez-se jus à tradição. O Portimonense vencia por 1-0 aos 94 minutos mas o FC Porto empatou aos 95 minutos do tempo suplementar que, por exemplo, foi considerado excessivo pelo articulista do “Record”. O golo do FC Porto chegou tarde, dirão os portistas. Já os portimonenses dirão outra coisa: que o golo do FC Porto nem chegou a chegar porque a bola não entrou na baliza de Márcio Ramos. Houve zaragata e houve expulsões. Saíram todos zangados. Temos II Liga!

POSITIVO
Nélson já brilha
No seu primeiro jogo oficial coma camisola do Corunha, Nélson Oliveira saltou do banco aos 64 minutos para assinar o golo mais espectacular da primeira jornada do campeonato espanhol. Que chapéu!
Der Gaag na frente
Excelente o arranque do Belenenses na II Liga sob o comando do treinador holandês Mitchell Van der Gaag. Três jogos, três vitórias e a liderança isolada da tabela. Sinais de esperança no Restelo, finalmente.

NEGATIVO
Pobre Melga
Ninguém merece uma coisa daquelas. E Melgarejo muito menos. A estreia oficial do paraguaio adaptado a lateral-esquerdo ficou marcada por um auto-golo e um atraso fatal que resultou no golo do empate do Braga.

PÉROLA
“GOSTAVA DE JOGAR EM ESPANHA.”, James
Calma aí, rapaz, ainda há muita gente à tua frente nessa repartição. Ninguém duvida de que o futebol português é o portal para outras Ligas mais sonantes para os sul-americanos que aterram cá no burgo. Mas com os caso de Hulk por resolver, ninguém no Dragão quer um caso James em linha."

O nojo e a falta dele

"Inimputável, o Gaseificado tece considerações neurasténicas sobre a vergonha, que é coisa que não tem. Fala, desesperado para que o ouçam, mas a sua voz é entaramelada de mentiras e saliva velha. Os seus acólitos, viciados no jogo e em prostitutas, riem-se mais pela força do hábito do que pela obrigação de untar o chefe. Há já muito pouca gente que lhe preste atenção, tão dementes são as suas frases, tão tacanho é o seu raciocínio. Ainda assim, o Gaseificado abre e fecha a boca como um peixe fora de água, largando chalaças pobres enquanto cospe. O mundo está do avesso e ele sabe-o. Lançar um saco de pedras de calçada do alto de um viaduto sobre um carro em movimento não é crime. Os autores da façanha riem-se em casa quando a noticia passa na televisão. Terão a sua recompensa. Inepta, a polícia ri-se também: há lugares do país onde ela não foi criada para perseguir celerados e sim para proteger os mentores de tais façanhas.
Perguntem-lhes, por exemplo, sobre um fotógrafo que foi atropelado. Houve investigação? Claro que não! Que importância tem tal episódio? Perguntem-lhes pelos jornalistas agredidos, um até em directo na televisão. Podem perguntar. Eles não respondem. Perguntem-lhes por aqueles que atiraram bolas de golfe e pedras para dentro de um relvado. E, de novo, o silêncio. O Gaseificado é mais do que inimputável, é protegido por quem tinha obrigação de nos proteger dele. Os polícias tapam os ouvidos, fecham os olhos, calam as bocas como os macaquinhos da história. Os árbitros às vezes estão de cócoras, outras vezes rastejam: compram-se facilmente a preço da chuva, graças a fruta e café e chocolate e, se calhar, até a um carro para o chefe. Os juízes vergam a cerviz, sujando miseravelmente a nobreza da profissão em troca de viagens e bilhetes para o camarote do figurão. Já não se trata de vergonha, trata-se de nojo. E tudo isto mete nojo. Muito nojo!"

Afonso de Melo, in O Benfica

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Ivan Cavaleiro até 2018



Mais uma renovação de contrato com um jovem esperança do Benfica. O Cavaleiro é neste momento o melhor marcador da equipa B... algo que merece realce, até porque estamos a falar de um extremo...
É rápido, tem força, gosta de driblar, falta-lhe maturidade, ainda demonstra alguma ingenuidade, tem que aprender a manter a concentração durante os 90 minutos... mas temos aqui, claramente, muito potencial.
Creio que o Ivan será um dos grandes beneficiados com a equipa B... e se tudo correr bem, irá ao Mundial Sub-20 (acompanhado, provavelmente, pelo Bruno Varela, o Daniel Martins, o Cancelo, o André Gomes, o Cafú, e o Dino...), que servirá de 'montra' internacional, para demonstrar todo o seu talento...

Melgarejo pode ser novo Roberto

"O FC Porto com Hulk e João Moutinho teve galo em Barcelos e não aproveitou a ajuda de Lorenzo Melgarejo.
Melgarejo tem tudo para ser um grande jogador e titular permanente do Benfica e está a um passo de se tornar no Roberto desta época.
Um autogolo e um passe para o adversário tiraram ao Benfica o direito de se queixar de um terceiro golo limpo, de uma falta sobre o Rodrigo ou de um segundo amarelo ao Alan que ficou no bolso. Sem erros de arbitragem tínhamos ganho no sábado, mas devíamos ter feito mais para ter outro resultado.
Bem o SC Braga, que tem um excelente treinador e só não é candidato ao título por ter um guarda redes caricato que optou por atitudes circenses o jogo todo, simulou faltas, e beneficiou da desatenção de Soares Dias que não voltará a cair naquelas fitas. Mas o elogio ao SC Braga é devido e merecido.
Ninguém elogia tanto Jorge Jesus como eu, mas não percebi porque não jogou Carlos Martins que foi, para mim, o melhor jogador na pré-época.
Duarte Gomes esteve melhor que Soares Dias num aspecto irritante do nosso futebol: SC Braga e Gil Vicente usaram os truques do anti-jogo para queimar tempo e qualquer pequena brisa atirava os jogadores para o chão. Em Barcelos jogou-se mais 5 ou 6 minutos, na Luz apenas 4. Tudo o que se puder para combater o anti-jogo é bom.
Uma maratona de 30 jogos não dá para lamentos e Jorge Jesus tem que pôr as tropas alinhadas para o combate de Setúbal. É lá o combate de Domingo e é lá que teremos que nos pôr no trilho do campeonato."

Sílvio Cervan, in A Bola

Entre o ensaio e a estreia

"A pré-época é constituída por um equilíbrio difícil, pois pede-se que se experimentem possibilidades e se sedimentem realidades. Vive-se entre a possibilidade e a realidade. Vive-se entre o ensaio e a estreia.
Nesta pré-época, o Benfica defrontou, essencialmente, equipas fortes, bem estruturadas e pôde ensaiar várias possibilidades. Vimos bons jogos do Rodrigo Mora (entretanto dispensado do plantel); vimos excelentes jogos do Carlos Martins (entretanto dispensado da titularidade no primeiro jogo da época); percebemos que Ola John tem um imenso talento, mas ainda precisa de se adaptar a novas exigências; sentimos um bom potencial em Luisinho e no adaptado Melgarejo, mas sentimos também que, apesar do valor que poderão vi a ter, o lado esquerdo da defesa pede tempo de adaptação à equipa e esta não tem tempo para dispensar. Sentimos que Maxi é super, mas continua a precisar de uma alternativa (aparenta ser Cancelo, grande esperança que encanta na equipa B). Assim, também aqui apostamos na possibilidade, enquanto nos preocupamos com a realidade de não ter, efectivamente, dois futebolistas de nível idêntico para o lado direito da defesa.
A pré-época serviu para tudo isso e para muito mais. Serviu, por exemplo, para mostrar como a equipa está muito rotinada em jogar apenas com um ponta de lança e com um povoamento maior do meio campo. Entretanto, o começo da época chegou. Acabou-se o ensaio e chegou a estreia. A estreia serviu para perder dois pontos, serviu para ver um árbitro português em acção, serviu para perceber que muito do ensaiado não foi estreado. Serviu para acordar o cepticismo dos adeptos e deseja-se que tenha servido como um alerta bem claro, óbvio e sonoro de que algo está a correr mal, apesar de serem dadas todas as condições para que corra bem."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

A glória discreta

"Nunca teve perfil de 'estrela'. Mas dentro de campo era craque e operário ao mesmo tempo. Fora dele, continuou a ser pedra basilar no clube

O nome que baptiza o mito: Jaime Silva Graça. A cidade onde nasceu: Setúbal. Data de 10 de Janeiro de 1942. Tudo começou no Palmelense. Depois o Sado. Com jeito para a bola (tal como o irmão, Emídio, que jogou no Sevilha), Jaime Graça singrou no Vitória de Setúbal, onde se estreou aos 17 anos.

ÍDOLO NO BONFIM E NA LUZ
Ali ganhou fama, não só pelas qualidades técnicas e visão de jogo como também pela garra com que actuava no meio campo dos sadinos. Até 1966, foi no Bonfim que brilhou, consquistando mesmo uma Taça de Portugal numa final em que até fez o gosto ao pé. Talento reconhecido, tornou-se internacional. O Benfica não esperou mais tempo. E em boa hora contratou Jaime Graça. Venceu, de águia ao peito, o Campeonato Nacional nas épocas de 1966/67, 1967/68, 1968/69, 1970/71, 1971/72, 1972/73 e 1974/75 e a Taça de Portugal nas épocas de 1968/69, 1969/70 e 1971/72. Pelo meio, uma final da Taça dos Campeões Europeus jogada em Wembley, mas infeliz no resultado. 4-1 para o Manchester United, num jogo que até foi resolvido apenas no prolongamento. Tudo porque Jaime Graça apontou o belíssimo golo benfiquista que obrigou aos 30 minutos extra.
No Benfica, totalizou 159 jogos e marcou 19 golos.

O DIA EM QUE SALVOU EUSÉBIO
Mas foi de extrema importância também fora dos relvados, quando salvou a vida de Eusébio e de Malta da Silva ao aplicar os conhecimentos de electricista e ao desligar rapidamente o quadro de electricidade depois de um curto circuito durante uma sessão de hidromassagem que, infelizmente, tirou a vida a Luciano.
Na Selecção Nacional jogou em 36 ocasiões, 12 delas pelo V. Setúbal, entre 1965 e 1972. Muitos ainda se recordam da estreia. Uma partida fulcral no apuramento para o Mundial de 1966, em que Portugal goleou a Turquia e em que Jaime Graça atirou a contar. Na fase final, integrou mesmo o lote de 22 'Magriços', tendo sido totalista na competição que valeu o terceiro lugar a Portugal. Ponto alto da carreira, espalhou magia e classe por terras de Sua Majestade. A despedida das Quinas surgiu em 1972, quando Portugal terminou a Minicopa em segundo lugar. Mas ajudou José Torres, como adjunto, no Mundial de 1986.

DEDICADO À FORMAÇÃO
Depois de ter abandonado os relvados, dedicou-se ao futebol jovem, onde foi bicampeão nacional de juniores e ajudou a formar muitos jogadores que vão trilhando carreiras por esse Portugal fora. Nélson Oliveira, por exemplo, é um apoio fulcral no processo de aprendizagem e de adaptação a uma nova realidade.
Faleceu a 28 de Fevereiro de 2012, aos 70 anos. O mundo benfiquista prestou-lhe sentida homenagem. Um sentimento comum a todos os portugueses, ou não fosse Jaime Graça um marco representativo do período mais dourado do futebol português."

Ricardo Soares, in Mística

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

(A)Gosto

"1. A Volta a Portugal é (com boa vontade) uma volta. Mas não é a Portugal. Talvez ao Minho e Beiras. Cada vez mais se ignora o Sul, o Alentejo e o Algarve. Coisa de somenos.
2. Há equipas ciclistas que equipam de amarelo, assim se confundindo com o camisola amarela. É como no futebol o árbitro equipar-se como os jogadores de uma equipa.
3. Gostaria de adivinhar quantos jogadores mudarão de clube até 31/8, por causa de uma estapafúrdia disposição que favorece escandalosamente os tubarões compradores e as mais endinheiradas ligas?
4. O Benfica, pela primeira vez em 108 anos, iniciou o campeonato com 14 jogadores estrangeiros. No ano passado, em Barcelos, ainda jogou Rúben Amorim, lembram-se?
5. As pré-épocas devem premiar quem melhor as inicia. Carlos Martins foi provavelmente o grande destaque do SLB. Supreendentemente não jogou contra o Braga. Diz a BOLA que jogará em Setúbal. Oxalá!
6. Ainda vamos na 1.ª jornada e já há treinadores, como o do FCP, a culpar o árbitro, por maus resultados. Mal habituado, pelos vistos...
7. Estou curioso em ver o excelente guardião Beto e essa invenção de craque chamado Rúben Micael a fazerem no Dragão o que fizeram na Luz. O primeiro a demorar eternidades a despachar a bola (e sem amarelo!) e o segundo a sorrir desde o aquecimento até ao fim do jogo como se estivesse a gozar num parque infantil.
8. Por que será que quando o FCP não está a ganhar o tempo de desconto estica para além do generoso bónus exibido pelo 4.º árbitro? Em Barcelos foram 5+2 (ou seja 16% de 45 minutos...)"

Bagão Félix, in A Bola

Crescer... nas vítórias e nas derrotas !!!



Naval 2 - 1 Benfica B

Na era do Online, é estranho este jogo não ter sido transmitido por ninguém!!!
Assim, as estatísticas dizem que rematamos mais, tivemos mais cantos... mas, começamos a perder aos 3 minutos, e ainda na 1ª parte ficamos a perder por 2-0... Marcámos perto do fim, ainda tivemos oportunidades de empatar, mas não conseguimos...
Sem o Jardel, voltámos a jogar com jogadores adaptados na zona Central da defesa, um problema que com a entrada do Ascues poderá ficar remediado... Defendo a algum tempo que o Cancelo tem um potencial enorme - antes de se ter tornado 'conhecido'!!! -, mas tem que melhorar a concentração defensiva, e hoje parece que os golos da Naval foram 'construídos' na sua zona de influência...
A Naval é uma das equipas mais experientes nesta Liga, a época passada teve quase a subir... é verdade que este ano, na 1ª jornada perdeu em casa, mas foi com o Soares Dias a marcar 3 penalty's contra, nos últimos 5 minutos!!!
Mesmo assim o pior momento do jogo poderá ter sido a lesão do Luciano Teixeira, espero que não seja grave...

PS: Deve ter sido coincidência, mas os Corruptos B em Portimão empataram ao minuto 95 numa bola que não entrou na baliza... de seguida, praticamente toda a equipa técnica do Portimonense foi expulsa!!!
Os Lagartos B, em Rio Maior receberam o Sporting da Covilhã, foram completamente dominados, os Serranos fartaram-se falhar golos, mas numa discussão entre um jogador da Covilhã e o treinador Lagarto - Oceano -, o jogador foi expulso!!! E os Lagartos em superioridade numérica venceram... E para não destoar, praticamente toda a equipa técnica do Sporting da Covilhã foi expulsa no final da partida!!!
Tão amigos que eles são...!!!

Os bons costumes da Cochinchina

"O presidente do FC Porto diz que não sabe porque foi o presidente do Benfica à Alemanha pedir desculpa. A gente explica-lhe: pedir desculpa é acto de nobreza

COM uma semana de atraso, o presidente do Benfica fez o que devia. Foi à Alemanha pedir desculpa ao presidente do Fortuna de Dusserdorf e ao presidente da Federação alemã pelo incidente entre Luisão e o árbitro Fischer.
E como o jogo não chegou ao fim, por abandono do árbitro com ou sem «comoção cerebral», como preferirem, adianta a imprensa que Luís Filipe Vieira terá ido à Alemanha também para devolver o cachet cobrado pelo Benfica pela sua presença no desgraçado jogo.
O comportamento do presidente do Benfica honra o clube, honra-o a ele, ainda que tenha demorado a seguir viagem, e honra também Luisão e todos os jogadores do Benfica porque ficaram a saber que o presidente dá a cara por eles e pede desculpa por eles quando não se comportam como lhes é, certamente, recomendado.
O mundo não é perfeito, já sabíamos. Há quem goste de cenas de empurrões aos árbitros e há até quem veja nessas práticas uma escola de sucessos. Delinquentes e gente com má formação há em todos os clubes, não é?
Depois de ir ao estrangeiro provar que o Benfica é um clube de bem e quem a delinquência não é a bandeira mais vibrante da nossa história e que a impunidade jamais será um distintivo que nos faça crer que somos melhores e mais espertos do que os demais, depois disto tudo, ainda o presidente do Benfica viajava no avião de regresso a Lisboa e já o presidente do FC Porto perorava sobre o assunto.
«Não sei porque é que foi a correr entregar o dinheiro e pedir desculpa», disse.
A imprensa publicitou o comentário do presidente do FC Porto que não mereceu maior revelância nem mais psicanálise do que mil outros já ensaiados e debitados por Pinto da Costa sobre a vida do rival. Mais do mesmo, disseram todos. Mas não é assim.
Atente-se, uma vez mais, nas palavras do presidente do FC Porto:
«Não sei porque é que foi a correr entregar o dinheiro e pedir desculpa.»
Com todo o respeito pelo FC Porto, um grande clube que, ao contrário do que se possa supor não nasceu há trinta anos e tem uma longa, bonita e honrosa história pré-Pinto da Costa, nunca o presidente do FC Porto disse nada de tão gravemente preocupante como o que afirmou a propósito da expedição à Alemanha do seu homólogo do Benfica.
Não sabe porque é que Vieira foi a correr pedir desculpas?
Não sabe porque é que Vieira foi a correr entregar o dinheiro?
Incrível, para mais tratando-se de um dirigente com muitos e muitos anos de experiência e de vida. Acreditará piamente Pinto da Costa que os actos não têm consequências? Permanece insondável o que o leva a ver as coisas por esse prisma tão ligeiro e peculiar num adulto quando até às crianças se ensina, desde a tenra idade, que os actos têm sempre consequências e que saber pedir desculpa é o primeiro passo de entrada numa vida em sociedade.
Se é verdade que Pinto da Costa não sabe porque é que Vieira foi à Alemanha pedir desculpa e devolver o dinheiro, também é verdade que qualquer escuteiro de 12 anos lhe pode explicar.
O presidente do Benfica foi pedir desculpa ao presidente da Federação alemã e ao presidente do Fortuna de Dusseldorf porque um jogador do Benfica, o capitão, sem senso nem parcimónia, derrubou um árbitro no decorrer de um amigável entre o Benfica e o Fortuna de Dusseldorf e o jogo não chegou ao fim.
O presidente do Benfica foi pedir desculpa porque para o Benfica, um grande clube que também tem uma história pré-Vieira, não é motivo de orgulho nem atirar com árbitros, nem atira-lhes com botas ou peças de fruta, nem persegui-los pelo campo fora.
E, por isso mesmo, o pedido de desculpas de Luís Filipe Vieira é mais do que justificado, ainda que tardio. Óptimo teria sido que o presidente do Benfica tivesse ido à Alemanha mesma a correr, como disse Pinto da Costa. Ou seja, logo no dia seguinte ao episódio Luisão.
O presidente do FC Porto disse também não saber porque foi o presidente do Benfica «a correr entregar o dinheiro» ao presidente do Fortuna de Dusseldorf.
Incrível, outra vez. É que entra pelos olhos dentro que cabendo ao Benfica a responsabilidade pela interrupção do jogo para que fora contratado não podia, de maneira alguma, ter veleidades de receber o cachet por inteiro. De outra maneira era vigarice. Ou não é assim?
Mas em que Cochinchina, em que mundo é que vive o senhor Pinto da Costa onde as coisas se passam de maneira tão diferente? Que mundo é esse, tão diferente dos padrões da desejável normalidade, onde, aparentemente, é impossível um dirigente pedir desculpa a quem quer que seja sem lhe caírem aos pés os galões?
Como resolveria o presidente do FC Porto o caso se o dito caso lhe dissesse respeito?
Não havia desculpas para ninguém? Não devolveria o guito?
Com um cafezinho ao árbitro é que não ia a lado nenhum, certamente.

LUÍS FILIPE VIEIRA jantou secretamente com José Eduardo Moniz e o secretismo foi tal que no dia seguinte havia fotografias nos jornais. Há três anos, a hipótese de uma candidatura de José Eduardo Moniz suscitou grande e efémero entusiasmo entre alguns benfiquistas decididamente menos afectos à obra do presidente em exercício. A coisa pôs-se até feia entre Vieira e Moniz e não foram nada suaves as acusações trocadas entre os dois na altura.
Tudo isso, espera-se, deve ter sido ultrapassado neste jantar secreto de terça-feira porque é precisamente para isso que o secretismo também serve. Para as conciliações em público serem em voz baixa. E como são os dois benfiquistas decerto que pediram desculpa um ao outro, como mandam as boas regras de conduta.
E pronto. Está resolvido o assunto, vai uma aposta? José Eduardo Moniz não se candidatará contra Vieira em Outubro. Mas o progresso não fica por aqui. Com um bocado de jeito, Moniz ainda vai a votos, mas na lista de Luís Filipe Vieira, num cargo que possa ser considerado como um desafio irrecusável por qualquer escuteiro de 12 anos.
A situação não deixaria de ser curiosa sobretudo porque muitos benfiquistas acreditam que o próximo triénio será o do tão anunciado combate final contra Joaquim Oliveira e a sua Olivedesportos. E, nesse combate específico, a peça Moniz estava a fazer muita falta. Ou não estava? A seu tempo se verá.

NINGUÉM foi a jogo com a Sport TV e a estação de Joaquim Oliveira vai transmitir todos os jogos do Campeonato Nacional em sinal fechado. É assim que se apresenta a situação no arranque da temporada. Futebol na televisão é a pagar. A não ser que venha por aí um ministro plenipotenciário que obrigue a RTP a gastar os seus últimos milhões e a dar uma mãozinha à Sport TV na despesa. Chama-se a isto dividir o bem pelas aldeias. O importante é o serviço público. E trocos são trocos. No mundo da bola não há cá troikas a mandar na gente.

PRIMEIRA jornada completa com um número imenso de empates. Não houve grandes casos de arbitragens, o que se saúda. Só no jogo da Luz entre o Benfica e o Braga é que um árbitro conseguiu estragar o panorama geral invalidando um golo limpo ao Benfica e expulsando indevidamente um jogador do Braga. Como estas coisas sempre acontecem e tocam a todos, não vamos entrar em desatinos com o assunto. Espera-se apenas que a próxima má arbitragem não calhe outra vez ao Benfica. É só confiar nas estatísticas e na sorte. Felizmente que ninguém responsável do Benfica se pôs a criticar o árbitro e o sistema. Grande fair-play porque aquele golinho valia mais 2 pontos. Mas ninguém atirou com o árbitro ao chão. Nem ninguém se zangou com o pobre do Melgarejo. Não houve escândalo na Luz, ainda bem. Assim sendo, ficou só e desacompanhado o único escândalo da primeira jornada, lamentavelmente e dissecado até ao pormenor nos dias seguintes por eminentes teóricos. O escândalo foi este: o Gil Vicente, imagine-se, jogou todo fechado com o FC Porto e, assim, obviamente, não facilitou nem um bocadinho a missão dos campeões nacionais. E no fim nem sequer pediram desculpa."

Leonor Pinhão, in A Bola