Últimas indefectivações

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Entrevista a Maxi Pereira



"...
-Nesta casa sabemos bem o nível de exigência e nunca nos demitimos de lutar por todas as provas em que estamos inseridos. Mas não vale a pena apregoar títulos ou conquistas, publicamente, temos sim de estar todos focados em melhorar todos os dias, tendo em vista um objectivo comum, que é ganhar. O nosso primeiro jogo é com o Braga, em casa, e é nesse que temos de estar focados. Não faz sentido estarmos a pensar na última jornada se ainda nem sequer disputámos a primeira. Há uma coisa que os adeptos do Benfica podem contar: vamos lutar pela vitória do primeiro ao último minuto de cada jogo...
-... o actual plantel é melhor que o da época passada...
-Essa não é uma avaliação justa de se fazer...
Não gosto de entrar em comparações. Importante, nesta altura, é estarmos a trabalhar bem, crescendo juntos diariamente para estarmos prontos para o arranque oficial da temporada. Temos um plantel de qualidade, unido e solidário, que está a cimentar a sua qualidade para a exigente época que se aproxima.

ENTRAR A GANHAR NA LIGA
-O Benfica não tem sido particularmente feliz nos arranques do campeonato... e na era Jorge Jesus nunca conseguiu entrar a ganhar...
-Estamos a trabalhar bem, consolidando um estilo de jogo que nos caracteriza e que é uma das nossas imagens de marca, existindo uma identificação muito clara em relação às ideias do treinador. Neste plantel, sabemos o que temos de fazer e existe uma união muito grande entre todos. Estamos a evoluir diariamente para entrarmos bem no campeonato, perante o nosso público, com a certeza que tudo iremos fazer para conquistar a vitória...
-... De onde vem, afinal, tanta energia?
-Quando começa uma época nunca penso se vou fazer 10, 20 ou 50 jogos, mas sim em preparar-me bem para estar em condições para todas as partidas. Não há uma fórmula secreta, mas sim a conjugação de vários factores, que passam por estar sempre disponível para competir, em termos mentais. Adoro estar dentro de um relvado a fazer o que mais gosto.

ELOGIOS A JOÃO CANCELO
-... é para já, o concorrente de Maxi...
-Miúdo com muitas ganas e qualidade, que entrou bem no grupo... rápida integração...


«Sinto muito esta camisola»
Sente-se «orgulhoso e privilegiado» pelo carinho dos adeptos e o percurso no clube
-Apontado por muitos como exemplo que deve ser um jogador à Benfica...
-Não gosto muito de falar de mim... Agradeço a distinção e sinto o carinho das pessoas, mas esta é a minha maneira de ser, tanto num estádio como na vida. Sinto muito esta camisola e este clube, e tenho um enorme orgulho em representá-lo, mas não me vejo como um símbolo. Símbolo é o Eusébio. Mas, é claro, fico muito orgulhoso por sentir o apoio de uma massa associativa que é única e tento sempre retribuir esse carinho, com a certeza de que sempre farei tudo para honrar esta camisola e este símbolo.
-... não imaginava construir um percurso tão marcante.
-Sinceramente não, porque no futebol tudo se passa muito rápido. Agora, olhando para trás, sinto-me um privilegiado por já ter atingido esta marca (206 jogos oficiais). É, de facto, um motivo de orgulho e uma responsabilidade extra para continuar sempre a aplicar-me nos treinos e nos jogos.
-...terminar a carreira no clube.
-Ainda tenho muito para dar. Renovar contrato pelo Benfica foi um sinal claro da confiança das pessoas nas minhas qualidades. Foi um passo conjunto que sempre quisemos dar e que me deixou muito orgulhoso. Adoro estar no Benfica, que é um dos grandes clubes europeus, sinto-me realizado em Portugal e a minha família também gosta muito de cá estar. Não vejo motivos para pensar em sair... mas também ainda não penso em acabar a carreira...

-...
-Um jogador com a qualidade e o carácter de Salvio é sempre bem vindo, especialmente se já está ambientado e sabe da grandeza e nível de exigência do Benfica. O Salvio, assim como todos os jogadores do plantel, irá ajudar-nos a sermos mais fortes. Se vou reeditar a dupla de sucesso com ele? Essa é uma questão para o mister Jorge Jesus..."

Gonçalo Guimarães, in A Bola

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

No bom caminho...



As nossas 'meninas' Teresa Portela e Joana Vasconcelos, acompanhadas pela Helena Rodrigues e a Beatriz Gomes, conseguiram qualificar-se directamente para a Final do K4 500m, sem ter que passar pelas respescagens. Nas duas eliminatórias os vencedores tinham acesso directo à Final, Portugal ficou em 2º, mas como foi dos 'não qualificados' a equipa mais rápida, teve acesso directo, à Final.
Depois do mau início dos Jogos para Portugal, antevi que a Canoagem seria a nossa melhor hipótese para conseguir Medalhas... para já as coisas estão a correr bem, mas é preciso lembrar que a Alemanha e a Hungria são as grandes favoritas (quase impossível derrotar estas duas equipas), e que nas repescagens (meias-finais) que se seguiram... que qualificaram a Polónia, a Bielorússia, a Rússia, a Grã-Bretanha e a França para a Final, só as Franceses fizeram pior tempo que as Portuguesas (na Canoagem o vento condiciona muito as marcas, portanto pode não ser significativo...), isto pode dizer que as equipas que foram às repescagens, sabendo que a Hungria e a Alemanha são muito fortes, resolveram poupar-se nas eliminatórias... portanto o '3º lugar' de Portugal no dia de hoje, não faz da tripulação Portuguesa favorita ao Bronze... será muito duro, mas é possível, nesta final Olímpica totalmente Europeia (recordo que recentemente esta equipa ficou em 5º lugar no Europeu, nesta prova, atrás da Alemanha, Bielorússia, Hungria, e Grã-Bretanha).

Amanhã a Teresa Portela vai competir no K1 500m, onde é uma das favoritas à final (recentemente ficou em 3º lugar no Europeu no K1 200m), e a Joana Vasconcelos (com a Beatriz Gomes) também vão competir no K2 500m, onde também são favoritas para chegar à final (recentemente ficaram em 3º lugar nos Europeus no K2 200)... A Canoagem de velocidade ao contrário por exemplo do Remo, é um desporto dominado normalmente pelos Europeus, portanto estes resultados recentes das nossas canoístas dão-nos esperanças...

PS1: No K2 1000m a dupla Portuguesa, Emanuel Silva, Fernando Pimenta, também conseguiu a qualificação para a Final, mas tiveram que ir às repescagens (meias-finais), depois de na elminatória terem sido ultrapassados nos metros finais pela Hungria, depois de um erro infantil do Pimenta!!! E o esforço extra das eliminatórias, podia ter sido fatal nas repescagens (1 hora depois), onde conseguiram o 3º lugar, o último que dava a qualificação!!! Também aqui a Hungria e a Alemanha são as grandes favoritas seguidas da Eslováquia...

PS2: Depois do início desastroso da comitiva Portuguesa nos Jogos, os resultados 'estabilizaram'!!! A Natação (com excepção do recorde nacional do Pedro Oliveira) e o Judo, colocaram uma carga muito negativa em cima da missão Portuguesa (além da derrota do João Monteiro no torneio dos singulares de Ténis de Mesa, a prova do Marcos Chuva no Comprimento e do Ganchinho nos trampolins, e ainda alguns resultados da Vela...), a verdade é que também temos tido vários resultados satisfatórios, com várias classificações nos 16 primeiros (meias-finais), e até nos 8 primeiros (finalistas), com direito a diploma Olímpico... 

Um olhar sobre os Jogos

"Os primeiros dias de competição nos Jogos Olímpicos de Londres não têm trazido boas notícias para o Desporto português. Para além da derrota daquela que era, à partida, a principal estrela da companhia lusa (...), as eliminações têm-se sucedido a ritmo acelerado, e - oxalá me engane - não é expectável que no momento em que o leitor tiver este Jornal em suas mãos, o panorama se tenha alterado substancialmente.
O Futebol, e os seus sucessos relativos (Selecção no Euro 2012, Ronaldo, Mourinho, Benfica na Champions), distraem-nos muitas vezes de um dado objectivo, que competições como as Olimpíadas revelam de forma avassaladora: a nossa pequenez desportiva e não só.
Nem falo das superpotências China, Estados Unidos ou Rússia. Quando vemos países como Quénia, Etiópia, Jamaica, Coreia do Norte, Cazaquistão, ou Geórgia passarem-nos destacadamente à frente, percebemos que algo vai mal por aqui. E creio que tudo começa no praticamente inexistente Desporto Escolar, e nas inultrapassáveis barreiras que um jovem encontra para conciliar os estudos com a prática, a sério, de uma modalidade desportiva. A falta de infra-estruturas, e a hegemonia cultural e mediática do Futebol, fazem o resto. O resultado está à vista.
Noutro plano, os Jogos têm trazido alguns resultados surpreendentes. Phelps, Kitajima, ou Federica Pellegrini mostraram, na Natação, que os seus melhores dias talvez já não sejam estes. Em contrapartida, o veteraníssimo Alexandre Vinokourov - que anunciara o fim de carreira após grave lesão em 2011 -, arrecadou o Ouro no Ciclismo, numa prova cujo perfil fora desenhado à medida do britânico Mark Cavendish. Destaque ainda para a armada chinesa, que não pára de conquistar medalhas; e para a eliminação da Espanha no Futebol.
Em termos televisivos, há que saudar a ampla cobertura da RTP (que tantas vezes tenho criticado a outros propósitos), e lamentar a total inexistência da Sport TV (que tão bem estivera no Europeu), canal desportivo que nem parece sê-lo."

Luís Fialho, in O Benfica

domingo, 5 de agosto de 2012

Um satisfatório 13º !!!


Boa maratona da Marisa Barros, melhorou bastante em relação às últimas Olimpíadas (32ª), não conseguiu melhorar o 9º lugar do ano passado no Campeonato do Mundo, onde tinha sido a 2º Europeia. Desta vez foi 13º, sendo a 6ª Europeia. Quando as Quenianas e as Etíopes atacaram, teve algumas dificuldades, por esta altura chegou a 'correr' no 17º lugar, mas acabou por conseguir recuperar algumas posições, terminando numa posição satisfatória... talvez se tivesse tido uma atitude mais prudente no início, colocando-se mais protegida no meio do grupo, pudesse ter chegado ao final mais folgada... mas as medalhas eram impossíveis...

PS: Prova muito inteligente da Jessica Augusto, que conseguiu um excelente 7º lugar... A Ana Dulce Félix, depois do Ouro, nos 10000m, dos Europeus, acabou por terminar a Maratona em muitas dificuldades, no 21º lugar, mais uma evidência, para a minha teoria, que os Europeus de Helsínquia, não fizeram nada bem aos atletas, que participam nestes Jogos Olímpicos!!!

Objectivamente (Telma)

"Foram muitas as lágrimas que se juntaram às de Telma Monteiro na desilusão que na manhã de segunda-feira as Olimpíadas de Londres trouxeram aos portugueses!
A nossa Telma, Bicampeã do Mundo e Campeã da Europa não conseguiu passar a primeira fase dos Jogos Olímpicos de Londres. Ficou triste e chorou connosco, mas não deixa de ser a judoca mais medalhada e com mais títulos nos últimos cinco anos em todo o Mundo! Por isso não vamos soçobrar perante uma tristeza - que acontece muitas vezes a quem compete ao mais alto nível - e vamos dar todo o apoio à Telma Monteiro para que o «luto» (como ela disse) passe rapidamente e volte às suas grandes actuações nas provas internacionais onde sempre está tão bem a representar o País e o Glorioso SLB!
Parece-me que Telma Monteiro, à semelhança de todos os atletas que vão às Olimpíadas, são demasiado pressionados à conquista de medalhas como se o Mundo acabasse logo ali! Não vale a pena tanto desespero, tantas visitas protocolares aos presidentes de tudo e mais alguma coisa antes da partida e durante os Jogos! Tantas presenças de políticos para se valerem do mediatismo da competição para falarem daquilo que mais lhes interessa! Enfim, vamos tirar o ar do balão, nas calmas, regressemos à Terra e continuemos a nossa vida, nas calmas, como se pede a qualquer atleta que se treina todos os dias de forma intensa para objectivos bem definidos e não pelos objectivos que o mediatismo dos Jogos Olímpicos exige!
Vá lá, calma, que a Campeã do Mundo e da Europa ainda é Telma Monteiro!
Campeã Olímpica este ano ainda não foi, mas daqui a quatro anos ele lá estará de novo para com mais experiência e mais desconcentração (sobretudo isso) possa tentar então o ouro olímpico!"

João Diogo, in O Benfica

Foi injusto e era legítimo sonhar...

"A primeira medalha destes Jogos foi conquistada no Ciclismo de Estrada, para o Cazaquistão e, nos dias seguintes, a queda de alguns gigantes do Desporto mundial, foi a nota principal de toda a Imprensa. Entre eles estão os super favoritos Michael Phelps, na Natação, que foi apurado no limite e terminou em quarto na final dos 400 metros estilos e a nossa Telma Monteiro, segunda no ranking mundial, e que no tatami não conseguiu ultrapassar a primeira adversária. O currículo e momento da carreira de ambos é, sem dúvida, diferente, mas a expectativa e a esperança de todos, relativamente ao ouro olímpico, era a mesma.
Outra diferença, é que na prova de Phelps - apesar do desaire do mesmo - o ouro acabou por ser ganho por outro americano, tendo assim agregado no medalheiro de Obama mais uma medalha. Relativamente a Telma - Capitã de uma Nação - a carga de um País de apenas 11 milhões de habitantes estava toda sobre a atleta benfiquista. Realidades diferentes, atletas diferentes mas, sem dúvida, a mesma desilusão e, no caso de Telma, a queda de um sonho construído em mais de seis anos, onde o talento, trabalho, dedicação, construção de uma carreira de sucesso, nunca foi dúvida para ninguém.
Ainda antes de Telma sair do tatami, o silêncio entre todos que a acompanharam, na esperança de Portugal no Excel London, era geral e as primeiras palavras que surgiram foram de espanto e do quão injusto para Telma estava a ser aquele momento. Telma Monteiro estava indescritivelmente triste e surpreendida e nada nem ninguém, naquele momento, conseguiu encontrar as palavras certas de consolo para que aquele fosse um dos dias mais felizes da sua vida.
Foi injusto, muito injusto e era legítimo sonhar."

Ana Oliveira, in O Benfica

sábado, 4 de agosto de 2012

Cuidado! Armadilhas!

"Tal como tem acontecido ao longo dos últimos trinta anos, o Campeonato desta época está naturalmente armadilhado. Talvez mesmo mais armadilhado do que nunca, visto que há nítida falta de dinheiro para os arredores da Madalena e Contumil e, assim sendo, é preciso não correr riscos desnecessários. Significa isto que nenhum optimismo é válido. Ser melhor não basta, ser mais forte não conta. Do lado de lá da fronteira da seriedade preparam-se as tranquibérnias.
Valerá tudo! Mas tudo mesmo! E os homenzinhos-de-cócoras, anões morais neste circo governado por um palhaço, farão alegremente o seu papel submisso e desequilibrador. Quem tomou as oligofrénicas declarações do Cabeça-de-Unto por mera bazófia de alguém que se sentiu de repente no centro do Mundo, desengane-se. Estava lá tudo. Sobretudo as ameaças. A figurinha acha-se acima da lei e assume-se como um regulador do Universo. Fará justiça pelas próprias mãos, castigará aqueles que se atreveram a negar a sua competência, fará o favor aos adeptos de arrastar com Direcções de clubes que investem mais do que aquilo que ele entende proporcionado, voltará a beneficiar escandalosamente aqueles que são responsáveis pela sua tão súbita quanto bacoca ascensão. Que fazer?, perguntarão aqueles que têm paciência para me ler. A resposta não é fácil, é mesmo quase impossível. Talvez exija medidas muito drásticas. É fundamental denunciar. Apontar a dedo os ladrões na rua. A grande virtude deles é a absoluta falta de vergonha!

P.S. - Parece que o cúmulo da fina ironia é uma messalina levar o seu machão para casar numa terra chamada Touros..."

Afonso de Melo, in O Benfica

Chamam-lhe justiça

"A notícia surgiu na semana passada, o Presidente do Benfica foi castigado pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de incidentes ocorridos no final do jogo com o Sporting, no passado dia 26 de Novembro de 2011. O Castigo implica uma suspensão de 45 dias e uma multa no valor de 2500 euros.
Quem tem obrigação de fazer justiça levou oito meses para ditar uma sentença contra o Presidente do Benfica. Sentença que surge na sequência de um jogo em que adeptos do Sporting deliberadamente incendiaram uma bancada do Estádio da Luz, depois de mais uma derrota e após declarações deliberadamente incendiárias por parte de dirigentes do Sporting.
Um provérbio latino dizia “Quod licet Jovi non licet bovi” – o que é permitido a Júpiter não é permitido ao boi. Ou seja, o que é permitido a uns não é permitido a outros, daqui decorre que muitas coisas são permitidas ao boi que não são permitidas a Júpiter. Longe de mim estar a comparar um presidente do Benfica (seja ele qual for) a Júpiter, mas não posso ignorar que a uns foi permitido tudo – incendiar ânimos, incendiar um estádio, colocar em risco a vida de terceiros, agredir bombeiros e impedir a prestação de auxílio – e a outros não foi permitido protestar contra uma arbitragem vergonhosa (mais uma). Com esta espécie de justiça da lavra da Federação Portuguesa de Futebol do senhor Fernando Gomes, o que se conseguiu foi colocar uma ignomínia em cima de um acto criminoso. Ou seja, deliberaram uma ignomínia em cima de outra. Nenhuma das duas é inocente.
Perante isto, resta recusar. Recusar e não transigir. Recusar qualquer apoio pedido por cristãos-novos da verdade desportiva. Não transigir, em nome de desculpa alguma, para com aqueles que, independentemente dos sorrisos com que nos pedem apoio, escondem na agenda o desejo de nos derrotar."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Carlos 'renovado' Martins !!!



A renovação do Carlos Martins era uma notícia esperada, as indicações têm sido as melhores dentro do campo, as lesões chatas não têm aparecido... a 'cabeça' do Carlos está de certeza mais 'leve' depois de todos os problemas familiares resolvidos... e a identificação dos Benfiquistas com a garra do Carlos saiu ainda reforçada nos últimos tempos...
Critiquei algumas actuações do Carlos no passado, mas sempre achei que com a cabeça no lugar é um jogador bastante útil...

Aquém do potencial...



Com a estreia do Atletismo nos Jogos, o Benfica teve 4 atletas no Estádio Olímpico.
A época do Marco Fortes, após ter batido o recorde nacional do lançamento do peso, acima dos 21 metros, tem sido relativamente fraca, com poucas marcas superiores dos 20 metros... Com a forma do ano passado (sempre com marcas entre os 20,60m e os 20,80m) o Marco hoje tinha ido à final, e teria inclusive um lugar entre os 8 primeiros, mas as marcas dos últimos tempos já indicavam que chegar à final seria difícil... Assim o 15º lugar, com um lançamento de 20,06m acabou por ser o esperado, ficando a 19cm da qualificação para a final!!!

A grande vitoria do Jorge Paula foi a qualificação, com a forma que demonstrou o ano passado (49s altos), poderia ter algumas ambições em passar a 1ª eliminatória e em bater o recorde nacional, mas as lesões esta época, não permitiram ao Jorge boas marcas, assim esta participação foi essencialmente um prémio, a um atleta de 27 anos, que pode não 'chegar' ao Rio!!! Fez 51,40s nos 400m barreiras, teve 'ainda' o azar de participar na eliminatória mais rápida... as repescagens ficaram pelos 49,39s, mas até houve atletas qualificados com 50,13s!!!

O Alberto Paulo é outro atleta que esta época, não tem conseguido repetir as marcas do ano passado, tem feito quase toda a época a 20s do seu melhor!!! Hoje, ainda teve o azar/azelhice de cair numa barreira nos 3000 obstáculos, por sua culpa!!! A qualificação para a final já era difícil, com queda ficou impossível, levantou-se, terminou a corrida... a marca de 8m40s74 acabou por ser um resultado esperado, a cerca de 18s da qualificação, algo que o ano passado teria sido possível!!!

O Marcos Chuva, no salto em comprimento, também nunca conseguiu esta época aproximar-se das marcas que fez o ano passado, é importante o Marcos resolver de vez, o problema com as lesões (creio que é uma chata pubalgia)... Mesmo assim, esta época o Marcos já se aproximou dos 8m (nos Europeus), mas hoje esteve muito mal: 7,55m é um resultado muito difícil de 'engolir'!!! A qualificação para a final ficou nos 7,92m (parecida com o Europeu), marca perfeitamente ao alcance do Marcos...

PS: Neste primeiro dia de competições na pista, tanto com as participações dos atletas Portugueses, como com as participações de outros atletas Europeus, chego à conclusão, que quem não participou nos Europeus de Helsínquia está em melhor forma...

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

A aposta em Melgarejo

"Quando todos esperam que o Benfica vendesse, o Benfica comprou. Salvio regressa e acrescenta valor, embora não fosse a posição em que se reclama maior carência.
Melgarejo deverá ser portanto o nosso defesa esquerdo. Aposta clara da administração e treinador vejamos até onde chega o paraguaio. Jogou muito bem contra o Real Madrid, parece forte e tecnicamente superior a atacar, percebendo-se que não está habituado a defender e por isso terá ainda longo caminho de melhoria. Contra equipas mais modestas, nos jogos em que o Benfica ataca quase sempre, não vejo problemas, mas aguardo para ver até onde conseguirá ir em jogos da Liga dos Campeões e contra as melhores equipas do nosso campeonato. Verdade que nunca pensei que Coentrão chegasse ao lateral que é hoje.
Este Benfica contra o Real Madrid, Gil Vicente e Juventus mostrou estar quase afinado. Há Benfica.
Espero que corra bem o empréstimo do Nélson Oliveira. Primeiro porque gosto do jogador e das suas características, velocidade e poder de choque, depois é português. Um dia ainda será ponta de lança titular do Benfica e ficará por muitos anos.
Os jogos Olímpicos mostram que os campeões são outra coisa diferente de bons atletas. Os campeões superam-se, transcendem-se não se justificam nem se desculpam. Na delegação Portuguesa, verdadeiramente campeã, é Rosa Mota, mas infelizmente já não participa.
Federer multimilionário leva ao limite a ambição de dar uma medalha à Suíça. Vinokurov aos 38 anos, depois de anunciar a sua retirada, mostra a fibra de ouro de um supercampeão. Phelps despede-se, mostrando que não há mesmo limites para o sonho de um super homem. Wiggins, depois de vencer o Tour, feito único para um britânico, não se pôs a dar entrevistas, optou por fazer duas provas de sacrifício e vencer o ouro do contra relógio.
Será destes o Olimpo, a imortalidade e o respeito do mundo do desporto."

Sílvio Cervan, in A Bola

Juntos... a cantar...

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

100% confiante no vice-versa

"Salvio regressou por uma pequena fortuna e veio preencher uma lacuna. É verdade que sim. Se o Benfica quiser chegar à dúzia de extremos, ainda faltam alguns. Não serão muitos, no entanto

NÃO houve medalha. Não houve telegrama do presidente da República. Não houve nenhum ministro à sua espera. Para as fotografias. Nem secretário de Estado. Com ramo de flores e garantia de posteridade. Não houve emissões televisivas em directo do aeroporto. Ninguém se colou à derrota de Telma Monteiro em Londres.
A judoca portuguesa foi afastada pela norte-americana Marti Malloy e reagiu à derrota com sensibilidade e bom senso: «Já ganhei muitas coisas por Portugal. É o fim de um ciclo que foi espetacular.»
Que não fique triste a Telma. Não foi a primeira vez nem será a última que campeões da Europa e do Mundo soçobram nos Jogos. Mal comparado, repare no que aconteceu à super-vaidosa selecção espanhola no torneio olímpico de futebol, vinha toda engalanada e espalhou-se ao comprido.
Telma Monteiro, pelo contrário, nunca foi vaidosa e não se espalhou ao comprido. Limitou-se a perder um combate que tinha de ganhar. Acontece. Continuam intocáveis os créditos com que chegou a Londres. Mas nem tudo podem ser coisas boas.
E, por outro lado, nem tudo podem ser coisas más. A judoca do Benfica até se safou de boa. Sem telegramas, sem ministros, sem fotografias, ninguém dirá mais tarde que a Telma Monteiro foi uma atleta do regime.

O empresário de Gaitán chama-se José Iribarrem e esta semana disse o seguinte: «O Gaitán vai continuar no Benfica.»
Posta a coisa assim, a seco, mais parece uma ameaça.
Na temporada passada, o jovem argentino começou muito bem. Jogando a fazendo jogar. Marcou um golo no estádio do Dragão que até poderia ter sido muito importante para o desfecho do campeonato isto se, no jogo da segunda volta, não acabasse por valer mais para o tal desfecho o golo marcado por Maicon à beirinha do fim em posição irregular.
O futebol tem destas coisas e não há que chorá-las. Garantem os estudiosos na matéria que, feitas as contas, fica tudo muito equilibrado lá para o fim. Porque sofrer beneficiar com os lapsos involuntários dos árbitros toca a todos e democraticamente.
E assim, cientes, vamos vivendo na convicção de que não há maior injustiça no mundo do que o vento a soprar forte numa tarde de praia. Para reforçar o paradigma dizem também que há uma lei geral da compensação pelo que, mais cedo ou mais tarde, quem sofeu contem, ri-se amanhã e vice-versa.
É precisamente por este conjunto fortíssimo de razões que, para a temporada, que se avizinha devo confessar que estou 100% confiante na parte específica do vice-versa. Se toca a todos, então toca mesmo a todos...
Voltemos a Gaitán que, em 2011, do Verão até ao Natal é bem capaz de ter sido o melhor e mais profícuo jogador do Benfica. Nos dois jogos com o Manchester United ainda na fase de grupos da Liga dos Campeões, Nicolas Gaitán jogou que se fartou, literalmente.
Depois desapareceu e, com muita pena, constatei que nunca mais o vi até Maio. Não é que não tivesse jogado, não, nada disso. Jorge Jesus bem apostou nos seus serviços na esperança vã de que o primeiro-Gaitán da época regressasse e mandasse recolher o segundo-Gaitán da época. Aquele que, com toda a franqueza, bem merecia o epíteto de «o alheado» de tal forma parecia suspenso numa realidade que não era a mesma onde se encontrava.
Coincidentemente ou não, diga-se que foi a nossa baixa do mercado de Inverno. Uma baixa, enfim, espírito ausente e de corpo presente mas uma baixa séria.
Como no futebol, tal como em outros espectáculos, as derradeiras impressões são as que ficam, é por isso que esta coisa de empresário do Gaitán vir agora dizer que o jogador vai continuar no Benfica quase soa a ameaça o que não faz sentido porque o argentino é um artista de altíssimo valor.
Gostava muito que o primeiro-Gaitán da época passada ficasse mais um ano no Benfica. Quanto ao segundo-Gaitán da época passada, francamente, não sei, não conheço.

O presidente da Câmara de Lisboa deu uma entrevista ao Correio da Manhã. Foi-lhe colocada a questão de uma sua eventual candidatura ao cargo de secretário-geral do Partido Socialista e António Costa respondeu desta maneira: «Se me perguntarem se eu posso ser guarda-redes do Benfica, digo-lhe claramente que não posso ser guarda-redes do Benfica. Ser secretário-geral do PS é diferente...»
Não cometendo nenhuma inconfidência, acrescentando à frase do autarca o seu cartão de adepto do SLB - o  próprio António Costa nunca teve problema em assim se afirmar, tal como é -, constata-se com acuidade que, à partida para a nova época, o Benfica tem o problema do guarda-redes muito bem resolvido.
Jamais António Costa se atreveria a enveredar pela analogia com o guarda-redes do Benfica se o dito fosse ainda o infeliz Roberto espanhol.
Ou, então, optando pelo humor negro, o presidente da Câmara de Lisboa exporia a imagem numa perspectiva diferente. Assim: «Se me perguntarem se eu posso  ser guarda-redes do Benfica, digo-lhe claramente que sim, até eu posso ser guarda-redes do Benfica. Ser secretário-geral do PS é diferente...»
Vem isto a propósito de como é bom para o Benfica, e para qualquer outro clube, conseguir resolver situações difíceis.
Pelo andar da carruagem, temo, no entanto, que se no próximo ano algum jornalista se lembrar de perguntar a António Costa se encara a possibilidade de se candidatar a secretário-geral do seu partido, o autarca resolva, com toda a legitimidade, responder assim: «Se me perguntarem se eu posso ser lateral-esquerdo do Benfica, digo-lhe claramente que sim, que se foi adaptado até eu posso ser lateral-esquerdo do Benfica. Ser secretário-geral do PS é que já é uma coisa diferente, implica outras responsabilidades, como se compreende...»
Sobre o assunto, tenho dito.

NA última sexta-feira, na Luz, o Benfica ganhou por 5-2 a um Real Madrid desfalcado. Tratava-se da Eusébio Cup, tradicional evento de Verão. De uma maneira geral ficou tudo muito admirado com a expressividade do score, ainda que os campeões espanhóis não se tenham apresentado com a galáxia completa.
Não se compreende tanto pasmo. Sempre que se encontra com o Real Madrid, fora de Espanha, o Benfica exibe uma regularidade assinalável. É sempre aos 5. Em Amesterdão, na final da Taça dos Campeões de 1963 foram 5-3. Dois anos depois, na Luz, numa eliminatória da mesma competição foram 5-1. E na sexta-feira foram 5-2.
José Mourinho, naturalmente, não achou graça nenhuma à manita da semana passada. E a imprensa de Madrid também não. O Real Madrid levar 5 é sempre inaceitável. Precisamente por essa razão, já a imprensa de Barcelona achou um piadão à Eusébio Cup.
Compreendem-se bem a aceitam-se estas emoções tão díspares mesmo num jogo de carácter amigável. No fundo, cada um puxa a brasa à sua sardinha.
Em 2008, quando Mourinho veio a Lisboa com o seu Inter de Milão vencer a mesma Cup no desempate por grandes penalidades já o jogo e o troféu lhe pareceram, certamente, muito menos a brincar.

SALVIO regressou à Luz por uma pequena fortuna e veio preencher uma lacuna. É verdade que sim. Se o Benfica quiser chegar à dúzia de extremos, ainda faltam alguns. Não serão muitos, no entanto.
Do meio campo para trás já, aparentemente, não falta mais ninguém. Tudo e todos são adaptáveis, ao que parece.
Depois chora-se, claro está.

ONTEM, em Genéve, aos 90 minutos do jogo, o Benfica vencia a Juventus por 1-0 com um golo do inevitável Óscar Cardozo. Era caso para se dizer que na pré-temporada o Benfica tinha arrumado com o campeão espanhol e com o campeão italiano. Mas o caso mudou de figura já no tempo de descontos com o golo do empate da Juventus. Nem vou perder tempo a constatar que o lance nascer de um lapso no lado esquerdo da defesa do Benfica. Presumo, no entanto, que vá ser essa ladainha do ano."

Leonor Pinhão, in A Bola

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Salvio



O regresso do Toto à casa de onde nunca devia ter saído, deixa-me muito satisfeito. Não só pelas suas qualidades futebolisticas, que são inegáveis, mas também pelo seu comportamento fora do campo, onde nunca negou a sua ligação sentimental ao Benfica, mesmo após o regresso a Madrid. Não tenho informações confidenciais, mas tenho quase a certeza que o Salvio só não foi para os Corruptos, porque recusou!!!
Estranhamente (ou não!!!) muitos Benfiquistas não ficaram contentes!!! Ou porque foi caro, ou porque já tínhamos muitos extremos:
-Primeiro, a partir deste momento o Salvio é somente o nosso melhor flanqueador, melhor que todos os outros...!!! E tal como para as duas posições de avançado, o Jesus tem exigido 5 opções, também sou da opinião que para os extremos também devemos ter no mínimo 5 opções válidas (sem adaptações). Aliás nas últimas épocas, as lesões, ou a fadiga dos nossos alas, tem sido fundamental para as nossas quebras físicas nos finais de época...!!! 
-Em relação aos Euros, não vou comentar notícias de jornaleiros avençados... são os mesmos que quando os Lagartos vendem jogadores, incluem no preço, os ordenados que o clube ainda tinha que pagar, caso o jogador ficasse nas Osgas até ao fim do contrato, ou então os outros que se 'esquecem', convenientemente, de quando custou a compra das diversas tranches do passe do Givanildo, entre outros exemplos ridículos como a recente venda do Matias para a Fiorentina... Estes mesmos animais quando se trata de negócios envolvendo o Benfica, utilizam critérios completamente diferentes: quando o Benfica vende, os números são 'puxados' para baixo, e quando o Benfica compra são 'puxados' para cima!!!

Empate


Benfica 1 - 1 Juventus

Mais um teste interessante, contra um adversário que é o actual Campeão Italiano - sem derrotas -, que tem a 'base' da selecção Italiana - vice-campeã Europeia -, que tem um estilo de jogo tipicamente Italiano - com muita pressão sobre a bola, e muitos jogadores atrás da 'bola'!!! -, por tudo isto o resultado foi agradável, mas podia ter sido melhor... É verdade que a Juve está com a preparação ligeiramente mais atrasada, mas isso nem se notou, tal a postura das duas equipas, com muita entrega, em muitos momentos até parecia um jogo a sério.
Com a ausência do Aimar, o Carlos Martins tem sido o 'patrão' da equipa, com a habitual substituição do Carlos, têm-se notado alguma dificuldade da equipa em manter a posse de bola em ataque continuado... Apesar das melhorias do Melga, continuo a pensar que é fundamental contratar um defesa-esquerdo de raiz. Alguns jogadores têm efectuado quase sempre os 90 minutos nestes jogos de preparação, se no caso do Javi isso deve-se claramente à lesão do Matic, noutras posições isso acontece ou por falta de opções, ou por falta de confiança nas opções disponíveis, algo que deveria ser resolvido... Não gostei da opção Michel 'sozinho' na frente, creio que o Brasileiro deve jogar sempre no apoio ao ponta-de-lança...


Mourinho não viu o Benfica!

"Embora a opinião sobre um treinador seja sempre matéria discutível e com um elevado grau de subjectividade, é insofismável que José Mourinho estará sempre entre os melhores. Os seus resultados objectivam essa posição. Nos treinadores, apreciamos certas características que outros desconsideram a vice-versa. Mourinho será, por certo, um dos que mais controvérsia suscita. Homem determinado, competente e, ao mesmo tempo, polémico e de uma ironia abrasiva.
Vem isto a propósito das suas declarações após o jogo na Luz para a Taça Eusébio (expressão que prefiro a essa modernices de qualquer coisa Cup...). Entre outras frases algo enigmáticas de quem a custo tentou tornear a manita encarnada, disse: «Não estive atento nem preocupado com o Benfica.»
E ainda: «Espero que o resultado sirva para aumentar a auto-estima do Benfica, mas de forma equilibrada, porque se aumenta demasiado por ganhar 5-2 a esta equipa pode ser complicado.»
Além de descortês para com o Benfica (manda a memória e a gratidão referir que foi o clube que o lançou como treinador...) e com Eusébio através de uma taça com o seu nome, foi também infeliz. Levou 5 com a mesma equipa que, dias antes, deu 5 ao Oviedo. A que displicentemente chamou «esta equipa» (certamente baratucha) que, assim ouvindo, deve ter ficado motivadíssima...
Não é só com os melhores entre os melhores que um treinador é o melhor. Também o deve ser com os «candidatos a melhores» que, mesmo assim, se juntaram a Di Maria, Kaká, Higuain, Benzema, Diarra, Calléjon... «Esta equipa» não deixou Mourinho ver o Benfica... Nem sequer um tal belga Witsel?"

Bagão Félix, in A Bola

O 'polvo' é global

"Os terramotos em Itália sabe-se quando começam mas não quando acabam. Foi assim nas regiões de Emília e Veneza onde nos meses de Maio e Junho houve sismos durante semanas e é assim no processo Calciocommesse, o escândalo que abala o futebol do país e que avança a passo de caracol sem fim à vista. Com o risco de não ficar concluído antes de 26 de Agosto, data do início do campeonato. Neste caso, porém, há uma justificação: foi necessário solicitar a colaboração das polícias de vários países da Europa, Ásia, África e América do Sul, o que mostra até que ponto o polvo é global. Embora, estranhamente, só se dê por ele no bel paese de Berlusconi. Em Junho foram conhecidos os arguidos do Ministério Público de Cremona e na passada quinta-feira os de Bari mas, pelas minhas contas, ainda faltam os de Nápoles.
Desta vez, os réus são 58: 13 clubes (entre os quais Bolonha, Siena, Torino, Sampdoria e Udinese, da Série A, que provavelmente começarão a prova com pontos negativos) e 45 filiados (entre os quais o treinador da Juventus campeã, Antonio Conte, e os jogadores Simone Pepe, ambos por omissão de denúncia, e Leonardo Bonucci por ilícito desportivo, ou seja, ter participado na combinação de resultados a troco de dinheiro). Nas divisões inferiores haverá várias despromoções. Conte tem a defendê-lo uma equipa de príncipes do foro, que já escolheram o pattegiamento (pacto, concertação), previsto no direito desportivo caseiro, como estratégia a seguir. Vai propor uma pena de 4 meses de suspensão e uma pesada multa. Se o procurador federal aceitar a sugestão, o assunto fica arrumado. Se não, terá que sofrer os constrangimentos e incertezas do julgamento."

Manuel Martins de Sá, in A Bola

Empréstimos

"O Benfica tem em Nélson Oliveira e Roderick Miranda dois jovens futebolistas de elevado potencial. Nesta fase da carreira, um e outro precisam, acima de tudo, de competição, de minutos a doer, de desafios que os façam evoluir e os levem ao patamar que o talento que Deus lhes deu justifica.
Os encarnados, na presente temporada, no que respeita a Nélson e Roderick, tinham quatro possibilidades. A primeira, mantê-los no plantel, onde não seriam primeira opção (só por demagogia ou má fé se dirá o contrário...) era a que por um lado criaria menos celeuma, mas aquela que, a prazo, mais penalizaria os jogadores, atrasando a sua evolução. A segunda seria colocá-los na equipa B, fazendo-os jogar no segundo escalão, mantendo aberta, a qualquer momento, a porta da equipa principal. Esta opção levaria não só à desmotivação como ainda à estagnação. A terceira passaria pelo empréstimo a um clube da Liga Zon Sagres, situação conhecida de Nélson Oliveira que já teve passagens por Vila do Conde e Paços de Ferreira. Seria uma saída airosa, aceitável e positiva. A quarta levaria ao empréstimo dos jogadores a um clube de uma liga estrangeira, à imagem do que aconteceu, em 2011/12 com Roderick Miranda, que representou o Servette, do principal escalão suíço.
Foi por aí que o Benfica decidiu ir, abrindo a dois dos mais promissores jogadores portugueses da actualidade a possibilidade de darem um salto qualitativo no Desportivo da Corunha, que milita em La Liga. É uma boa notícia para o Benfica (que mantém com ambos vínculos de longa duração) e também para Paulo Bento que terá, com a mais do que previsível titularidade de ambos, soluções renovadas para posições que necessitam de reforço na equipa de todos nós.
É obrigação dos clubes a valorização dos seus activos. E quando eles têm a qualidade destes dois jovens futebolistas, a responsabilidade aumenta bastante. Por isso, uma decisão lúcida e corajosa, a do Benfica."
José Manuel Delgado, in A Bola