Últimas indefectivações

domingo, 15 de dezembro de 2019

SL Benfica 4-0 FC Famalicão: 11.ª vitória consecutiva para fechar o ano no topo da Liga

"À 14.ª jornada, o SL Benfica, líder do campeonato, tinha pela frente a equipa sensação desta primeira parte da época, o FC Famalicão. Os encarnados vinham embalados da vitória europeia a meio da semana e queriam manter o registo imaculado na Liga Portuguesa, bem como a liderança isolada. Já os famalicenses, que já não venciam há quatro jogos, queriam voltar aos bons resultados e vencer no Estádio da Luz – caso acontecesse seria algo histórico.
Passados 20 minutos da partida, tínhamos o Benfica a controlar o jogo e o Famalicão atrevido, tentando através de transições rápidas conseguir criar perigo. Estava um jogo interessante, mas os remates enquadrados com a baliza? Esses haviam poucos ou nem sequer víamos… Não havia muito jogo perto de ambas as balizas, sejamos sinceros.
Aos 26 minutos, houve talvez a melhor oportunidade desta primeira parte. Novamente uma boa jogada por parte de Fábio Martins, que encontrou Pedro Gonçalves em zona frontal para a baliza de Vlachodimos. O número 28 famalicense viu uma brecha na defensiva encarnada e rematou com força para uma bela intervenção do guarda-redes grego do Benfica. Ficava o aviso para os encarnados que pareciam que tinha adormecido na partida.
O aviso serviu para alguma coisa, pois ao minuto 30 apareceu Pizzi a fazer a delícia dos adeptos. Pegou na bola e foi por ali fora e passou por tudo o que era jogador do Famalicão. No frente a frente contra Rafael Defendi foi o brasileiro que levou a melhor e deixou as suas redes invioláveis. Ainda no mesmo minuto, houve cruzamento de Rúben Dias para Cervi rematar e só um desvio de um jogador do Famalicão travou o que podia ter sido o primeiro da partida. Estava vivo o jogo tanto para um lado como para o outro, afinal.
Ao minuto 36, depois de um cruzamento encarnado e de um corte famalicense, a bola sobrou para Tomás Tavares, que com um pequeno toque encontrou Pizzi. O 21 encarnado rematou, mas, de novo, Rafael Defendi novamente a estar ao melhor nível e a não permitir o golo encarado, que tardava a aparecer. 
Tantas vezes lá foi o Benfica e com perigo que tinha mesmo de aparecer… Aos 38 minutos, Primeiro, foi Tomás Tavares que descobriu nas costas da defesa Chiquinho. Depois o 19 do Benfica fez um cruzamento a rasgar a defesa do Famalicão – e que passe! – e apareceu Vinicius que só teve de encostar. Estava feito o primeiro na partida e era encarnado (1-0). Destaque para o ponta de lança brasileiro que já marca há quatro jogos consecutivos a marcar em jogos da Liga e é já o melhor marcador do campeonato (dez golos).
O intervalo chegou e as duas formações recolheram para os balneários com a vantagem mínima para os encarnados. Nesta primeira parte, tivemos duas caras encaradas: uma primeira onde remates não existiram (até aos 30 minutos) e depois 15 minutos à Benfica onde apareceu muitos remates e um golo. O Famalicão estava muito bem na partida, mas faltava algo no último terço do terreno. Uma primeira parte muito equilibrada e interessante como há muito não se via sem ser em clássicos e derbis.
Se na primeira se demorou 30 minutos para a máquina olear, na segunda parte foram precisos só três minutos. Aos 48 minutos, oportuno o lançamento rápido de Tomás Tavares a lançar Chiquinho. O 19 do Benfica cruzou a bola que acabou por ser cortada por um defesa do Famalicão e depois apareceu Pizzi, que de primeira só teve olhos para a baliza e para o golo. Era o 2-0 na partida e era a melhor entrada que podiam ter os encarnados e o contrário para o Famalicão. Com este golo o capitão encarnado igualou Vinicius nos melhores marcadores da Liga.
Aos 63 minutos, Chiquinho podia ter feito um lance simples, mas quis brilhar nesta partida novamente com um excelente passe para Pizzi. Depois, o capitão encarnado recebeu a bola, deu um pequeno toque para o lado e de pé esquerdo marcou o segundo golo da sua conta pessoal e o terceiro na partida (3-0). Acho que é importante salientar o passe delicioso de Chiquinho e depois a jogada individual de Pizzi que está ao nível do passe.
Depois do terceiro golo, as trocas encarnadas levaram a um desacelerar por parte da equipa e o Famalicão meteu “a carne toda no assador”, mas sem grande sucesso, porque não houve grande oportunidade perto da baliza de Vlachodimos. As duas equipas pareciam já pensar muito nos seus compromissos para a Taça de Portugal. Contudo, enquanto escrevia isto… houve ainda tempo para mais um golo para o Benfica.
Ao minuto 89, um passe da grande área do Benfica para o meio campo que chegou a Seferovic e depressa se tornou um bom lance de perigo. O suíço tocou rápido para Pizzi, que depois encontrou Caio Lucas. O número sete galgou vários metros no campo e só teve de trabalhar o seu drible, marcando o quarto na partida (4-0).
Mais uma goleada do SL Benfica para fechar o ano civil de 2019 na Liga Portuguesa e para fazer um grande registo de onze vitórias consecutivas na competição – igualando o registo do FK Shakhtar Donetsk esta época. Os encarnados somam mais três pontos e são líderes isolados com 39 pontos, com mais sete pontos do que FC Porto se bem que com mais um jogo. Já o FC Famalicão não vence há cinco jogos, tem três derrotas consecutivas e mantém o seu registo negativo para o campeonato. As emoções da Liga volta só em 2020 tanto para encarnados como para os famalicenses.

Onzes Iniciais e Substituições:
SL Benfica Odysseas Vlachodimos (GR), Grimaldo, Ferro, Rúben Dias, Tomás Tavares, Gabriel, Taarabt, Pizzi, Cervi (79′, Jota), Chiquinho (84′, Caio Lucas) e Carlos Vinicius (69′, Seferovic) FC 
Famalicão Rafael Defendi (GR), Riccieli, Roderick Miranda, Nehuen Perez, Alax Centelles, Uros Racic, Gustavo Assunção (64′, Guga), Pedro Gonçalves, Rúben Lameiras (76′, Nico Schiappacasse) e Toni Martinez (64′, Anderson)

A Figura
Chiquinho Peça fundamental neste resultado encarnado. Participou (duas vezes directamente e uma indirectamente) nos três golos que houve na partida e fez uma exibição monstruosa. Parecia que estava em todo o lado e aproveitou muito bem as bolas em profundidade que iam sendo feitas pelos seus companheiros. A demonstrar que merece as oportunidades que tem tido. Acabou por sair aos 84 minutos e foi mais uma chuva de palmas por parte dos adeptos para outro jogador do Benfica. (Não podemos esquecer Pizzi, que fez novo jogo monstruoso com dois golos).

O Fora de Jogo
Toni Martinez O único momento em que realmente se viu a sua presença em campo foi numa recepção orientada incrível, que não deu em nada, e um lance aos 57 minutos em que apareceu em profundidade, mas a partir daí… nada. Também fica difícil quando a bola não chega lá e, portanto, pouco se falou de si no jogo, acabando por ser substituído aos 64 minutos."

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!