Últimas indefectivações

terça-feira, 16 de abril de 2019

Organograma...!!!

"Segunda-feira, 1 de Abril (!) de 2019. No programa "Dia Seguinte", João Rafael Koehler, em substituição de Pedro Marques Lopes - ávido leitor de emails - foi caixa de ressonância da ladainha concertada - para não utilizar termos ofensivos como cartilha - da nação verde-azul: "Fica claro que o Benfica exerce um grande controlo sobre o futebol português". Difunde a cartilha que é um poder tentacular, um polvo controlador de marionetas, uma máfia que garante o sucesso desportivo e financeiro do Maior Clube de Portugal.
Diz o saber popular, ou simplesmente o calão brejeiro, que cada um come onde quer. E não falta quem queira comer do prato desta retórica de conspiração. Cortinas, mas contas de outro rosário, portanto adiante.
O que nos motiva a escrever hoje, é ajudar à reflexão sobre os centros de poder e influência do Futebol Profissional em Portugal, deixando ao critério e à análise do leitor as verdadeiras cores da teia.
A pergunta que se impõe é: quais os órgãos de decisão, de disciplina, de arbitragem, de influência, de financiamento, e até de intimidação, determinantes para o controlo do futebol em Portugal?
A Federação Portuguesa de Futebol e os seus Conselhos de Justiça e Disciplina? A Liga Portuguesa de Futebol Profissional, vulgo Liga de Clubes? As Associações Distritais de Futebol? A Comunicação Social? O Estado, nomeadamente através do poder local? Profissionais da Insegurança?
Na verdade, todos eles, pelo que deverá o Benfica exercer o poder imperialista através do seu domínio. É que com Generais como Pedro Guerra e Adão Mendes, a "coisa" fica coxa.

Passamos de seguida a construir, ou desconstruir, o enredo, sem antes deixar de relembrar que Francisco J. Marques se confessou esta semana arrependido por ter intitulado a sua magnum opus "o Polvo Encarnado". A equipa do Polvo das Antas também faz mea culpa. Mais adequado seria a Pota das Antas.
E eis os seus filhos:

Liga de Clubes
Presidente
Pedro Proença
Fraco o Benfiquista que se ressente, qual estigma, de ser do Benfica. Foi assim enquanto árbitro, sublinhando a sua isenção, decidindo quase sempre contra a sua suposta cor clubística.
É de este tipo de carácter que os nossos adversários gostam.
Ora vejamos de que forma é eleito para a Liga de Clubes:
“Somos coerentes, votámos uma moção de confiança, que foi unânime no Conselho de Presidentes e voltada por maioria na Assembleia Geral da Liga, portanto, apoiamos a recandidatura de Luís Duque” - Luís Filipe Vieira.
"Quando apoiamos um candidato e ele vence da forma tão clara como o Pedro Proença venceu, é natural que fique satisfeito. O apoio não surgiu por uma questão de amizade ou de relação especial, que não tinha nem tenho, mas porque entendi que a Liga precisava de uma pessoa com prestígio internacional. Ninguém no mundo do futebol português tem mais prestígio do que o Dr. Pedro Proença" - Pinto da Costa.
O presidente do Futebol Clube do Porto destacou ainda a circunstância de caber por inerência a Proença o cargo de vice-presidente da FPF. "Tenho a certeza de que irá estar nas reuniões, debater as questões e não deixará que as coisas passem de qualquer maneira, em prejuízo dos clubes", disse.
Na verdade, a eleição do candidato apoiado pelo Futebol Clube do Porto evidencia também a influência sobre os clubes "amigos" que se limitam a cumprir o sentido do voto episcopal. Isto é que são missas! O Adão, desconfiamos que tão pouco come a Eva...

Federação Portuguesa de Futebol
Fernando Gomes
Presidente
Durante 15 anos, foi basquetebolista do FC Porto. Assumiu o cargo de director-geral e de administrador da SAD para a área financeira.
Foi eleito 6.º Presidente da Direcção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e, por inerência, vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol a 7 de Junho de 2010. Renunciou ao cargo a 16 de dezembro de 2011 para se tornar o 34.º Presidente da Federação Portuguesa de Futebol, tendo tomado posse a 17 de dezembro de 2011.

Federação Portuguesa de Futebol
Tiago Craveiro
Director Geral
Fernando Gomes levou para a Liga e depois para a FPF Tiago Craveiro, cuja alcunha entre os amigos é “Cachecol do Porto”. Fernando Gomes criou para o seu braço direito um cargo de CEO na FPF, esvaziando assim as funções dos vices na FPF.
Já em 2003, circulava nos meios do dirigismo de topo uma mensagem de telemóvel em que o presidente da Federação diz ao director-geral da instituição (na altura ainda não exercia este cargo) que têm um longo caminho a percorrer juntos e que além da amizade que os liga, também estão unidos pela "paixão ao azul-e-branco".

Federação Portuguesa de Futebol
Conselho de Disciplina
José Manuel Meirim
Presidente
Convidado por Fernando Gomes, José Manuel Meirim foi o candidato eleito a presidente do Conselho de Disciplina. É conhecido pela sua dualidade de critérios e por tentar castigar sistematicamente jogadores, dirigentes e o próprio Benfica e ignorar casos relativos ao FC Porto e ao Sporting CP. Quando questionado sobre o porquê de só punir o Benfica com jogos à porta fechada (dentro do “3 grandes”), Meirim justificou que FC Porto e Sporting não eram punidos porque não haviam cometido uma 3ª infracção. Só que é mentira, senão vejamos:
- SP. Braga – FC Porto, Dezembro de 2016: Invasão, petardos, tochas e galinha preta. Resultado? 20.500€ de multa.
- Estoril – FC Porto, 27 de Janeiro de 2017: Atraso no recomeço da segunda parte devido a 2 petardos lançados pelos super-dragões. FC Porto corria a pena de ser castigado com um a quatro jogos à porta fechada. Resultado? FC Porto absolvido por Conselho de Disciplina.
- Paços de Ferreira – FC Porto, 30 de dezembro de 2017: Jogo interrompido por arremesso de engenhos pirotécnicos e tochas para o relvado. Documento interno refere ainda rebentamento de petardos, potes de fumo, very lights e repetição do cântico “SLB, SLB, SLB, filhos da p*ta SLB”. Resultado? Multa num total somado de 18.935€.
- Paços de Ferreira – FC Porto, 11 de Marços de 2018: Jogo interrompido por lançamento de cadeiras e petardos em direcção ao guarda-redes do Paços de Ferreira. Resultado? Multa superior a 11.000€.
- Boavista-Sporting, 26 de Novembro de 2016: Arremesso de objectos perigosos atrasa a partida. Resultado? Sporting multado em quase 15.000€, devido a reincidência.
- Boavista – Sporting, 9 de dezembro de 2017: Atraso no início do jogo devido ao arremesso de tochas e petardos para o relvado. Resultado? Sporting multado em mais de 12.000€.
- Sporting – Benfica, 5 de Maio de 2018: Dérbi teve de ser interrompido no primeiro minuto devido a lançamento de material pirotécnico para o relvado por elementos da claque do Sporting. A presença dos artefactos pirotécnicos no terreno de jogo obrigou mesmo à entrada dos bombeiros para a remoção dos objectos. Resultado? Não se passou nada.
Mas há mais casos reveladores do modus operandi do Conselho de Disciplina, entre os quais a invasão de um adepto do FC Porto em pleno Estádio do Dragão e respectiva agressão a Pizzi, ou de quando o Director de Comunicação do Benfica foi castigado por dizer que o campeonato português era um campeonato “sujo”, mas quando o director do FC Porto disse no ano passado que era a “Liga Salazar” já não se passou nada, por aí adiante. Meirim é mais um que, à semelhança de Pedro Proença, se declara benfiquista. No entanto, é conhecido como portista pelos seus amigos.

Federação Portuguesa de Futebol
Conselho de Arbitragem Presidente
Fontelas Gomes
Convidado por Fernando Gomes para dirigir o sector da arbitragem, tem como principais competências:
- Nomear os árbitros para os jogos das competições nacionais;
- Tutelar e nomear os observadores de árbitros;
- Proceder à classificação técnica e final dos árbitros e observadores de árbitros de todas as categorias nacionais;
Pai de Alexandre Gomes, juvenil prontamente contratado pelo Sporting, meros 2 meses após a sua eleição em Junho de 2016.
Mantém o critério dos seus antecessores: nomear preferencialmente árbitros das Associações de Futebol do Porto e Braga para jogos do Benfica e Porto - à 28ª jornada, 12 (43%) e 13 (46%), respectivamente.
Facto recente e revelador - exclusivo do Polvo da Antas - Fontelas Gomes comunicou a João Pinheiro o seu desagrado pela marcação do penalty favorável ao Benfica em Santa Maria da Feira. Já o penalty que Brahimi "cavou" frente ao Boavista, não foi alvo de qualquer reparo a Rui Costa. Fica claro o padrão, em caso de dúvida.

Associação de Futebol do Porto
Lourenço Pinto
Presidente
Advogado e conselheiro de Pinto da Costa., membro do Conselho Superior do FC Porto, foi galardoado com o Dragão de Ouro para Sócio do Ano da época 2012/13.
À data Presidente do Conselho de Arbitragem...
Pára tudo!! Já retomamos o raciocínio...
Perdão pela repetição. "Conselheiro de Pinto da Costa, membro Superior do FC Porto, Dragão de Ouro" foi Presidente do Conselho de Arbitragem?
F*da-se!
Mas prosseguimos...
À data Presidente do Conselho de Arbitragem, Lourenço Pinto foi apanhado nas escutas do apito dourado a pedir a Pinto da Costa bilhetes para o jogo com o Manchester, para oferecer a um Juiz que estava com o processo de regulação paternal da filha do jogador Deco.
A Associação que dirige tem, cronicamente, o quadro de árbitros de primeira categoria com mais nomeações para os jogos disputados por Benfica e Porto.
Culpa do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol? Não são as Associações Distritais decisivas para a eleição do Presidente do C.A.? Não é a Associação de Lourenço Pinto, perdão de Futebol do Porto, a maior do país em termos de afiliados? Sim, são. Sim, é.

Câmara Municipal do Porto
Presidente
Rui Moreira
Distinguido pelo Futebol Clube do Porto como Sócio do ano em 2010, O presidente da Câmara Municipal do Porto justificou a entrega da Medalha de Ouro da cidade, o mais alto galardão do município, a Pinto da Costa como um ato de justiça. Na verdade, a justiça tem falhado com o presidente do Porto...
Sua excelência agraciou em 2009 a apresentação da obra literária "o caso Calabote", da autoria de João Queiroz, filho do Jornalista e Presidente do CNID, Manuel Queiroz, perante uma plateia de ávidos leitores convocados para a Livraria Bertrand.
Na sua liderança, o erário público patrocina o canal de televisão oficial do Futebol Clube do Porto, através de contratos “encapotados” com a sociedade FCP Media S.A.
Fica conhecido para sempre pelo seu momento Santana Lopes, abandonando o Trio de Ataque a propósito das escutas do Apito Dourado. As verdades doem. E ainda vão doer mais.

Câmara Municipal de Gaia
Presidente (1997-2013)
Luís Filipe Menezes
Expoente máximo da afectação de recursos públicos em benefício de um clube de futebol, a PortoGaia, fundação criada em 1999 para construir e gerir o centro de estágios do Futebol Clube do Porto, obteve uma das piores avaliações no censo efectuado pelo Governo em 2012. 84,4% das suas receitas provêm de dinheiros públicos.
Já em 2004, um relatório da Inspecção-Geral de Finanças, com base numa fiscalização à Câmara de Gaia, concluía que a autarquia pagou a totalidade dos custos do centro de treinos: 16 milhões de euros.
O FC Porto teria assegurado o direito de superfície dos terrenos por 50 anos e apenas paga uma renda mensal de 500 euros pelo centro de estágio. Para que os portistas conseguissem ressarcir todo o investimento da autarquia tinham de estar no centro de treinos durante... 2666 anos. Sim, dois mil e seiscentos e sessenta e seis anos, mas o contrato é de apenas 50 anos (ou seja, 300 mil euros de renda, no total).

Olivedesportos / Controlinveste
Joaquim Oliveira
Empresário
Durante cerca de 3 décadas, Joaquim Oliveira assumiu-se como o principal financiador dos clubes, através do monopólio sobre os direitos de transmissão televisiva e publicidade estática.
Terá sido esta posição dominante, suficiente para manietar os clubes e suas Associações Distritais, nas eleições para os órgãos que gerem o futebol português? Foi o seu irmão, António Oliveira, que o afirmou: "é o poder da Olivedesportos, que decide até quem são os presidentes da Liga e da Federação. O presidente da Federação é colocado por um lóbi fortíssimo que existe em Portugal. O presidente da Liga é colocado por interesses do lóbi que domina o futebol em Portugal. [Esse lóbi é] a Olivedesportos, obviamente”.
Uma coisa é certa, os irmãos controlam 14,02% da SAD Portista. Sem nunca assumir preferência clubística, Oliveira funda a Olivedesportos em 1984, qual amuleto para Pinto da Costa, pela primeira vez campeão nacional, enquanto presidente do Futebol Clube do Porto, na época 1984/85.
Desde aí, o sucesso de ambos tem andado de mãos dadas.

CNID - Associação dos Jornalistas de Desporto
Manuel Queiroz
Presidente
O falso isento que tudo analisa com lentes azuis e brancas, é pai de João Queiroz, que assina regularmente a newsletter Dragões Diário. João Queiroz foi ainda o autor do livro "o caso Calabote", apresentado no lançamento pelo Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira.
Manuel Queiroz, fundador do jornal “o Jogo”, fez comentários a jogos de futebol na TSF e na Rádio Renascença e colabora com a TVI e com a RTP-N, assumindo-se como neutro no que toca a preferência clubística. Está bem, abelha.

IPDJ
Augusto Baganha
Presidente (2015-2018)
Baganha foi um antigo jogador de basquetebol do clube de Alvalade e antigo coordenador de modalidades do clube, como o andebol, o ciclismo, o hóquei em patins, entre outras. Em 2017 apoiou a candidatura de Bruno de Carvalho na recandidatura à presidência do Sporting, fazendo inclusive parte da Comissão de Honra do presidente eleito.
Sob a sua liderança inicia-se o desfile de tentativas de interdição do Estádio do Sport Lisboa e Benfica.

SPDE / Hope Hospitalidade Porto Eventos
Eduardo Silva
Empresário
Gerente da SPDE, chefe da segurança do Futebol Clube do Porto e principal arguido do Processo Fénix, relacionado com a utilização ilegal de seguranças privados.
Na "Operação Fénix", Pinto da Costa foi acusado de sete crimes de exercício ilícito da actividade de segurança privada, por alegadamente ter contratado estes serviços à SPDE, sem que a empresa dispusesse do alvará necessário para o efeito.
Segundo a acusação, Pinto da Costa terá requisitado segurança pessoal para si, familiares próximos e também para Lourenço Pinto, presidente da Associação de Futebol do Porto.
Ainda no âmbito deste processo, Paulo Óscar, Procurador da República, terá sido identificado por uma testemunha, acusado e posteriormente condenado por abuso de poder, ao beneficiar Eduardo Silva e o Futebol Clube do Porto.
Eduardo Silva é também o sócio-gerente da empresa Hope, cuja única actividade conhecida é a selecção das "meninas Liga NOS", que acompanham os jogadores durante a entrada em campo nas competições organizadas pela Liga de Clubes.
Estará Pedro Proença também sob "protecção"?
É este o desenho das Instituições e dos homens que as lideram. Um desenho colorido em tons de azul, verde e branco. São estes os centros de decisão que regem o Futebol Português.

Como não nos ficamos por palavras, deixamos a claro o organograma que representa o verdadeiro Sistema do Desporto Português."

Polvo das Antas, in Facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!