Últimas indefectivações

quinta-feira, 19 de setembro de 2019

O dinheiro conta

"E se não fosse necessário disputar a fase de grupos da Champions? Escrito assim, pode soar estranho. Afinal a competição que hoje se inicia gera enorme atenção e é vista como muito disputada. Acontece que talvez não o seja.
Recuo à temporada passada. Terminada a fase de grupo fiz um exercício simples: com base nos valores de mercado de cada equipa, tal como calculados pelo Transfermarkt, reordenei as classificações de cada grupo. Reerdenei, mas, com alguma surpresa, constatei que, em todos os grupos, sem excepção, as duas equipas primeiras classificadas eram invariavelmente as com mais valor. Ou seja, o dinheiro fora determinante para passar aos oitavos-de-final. Aliás, só em três dois oito grupos é que ocorrera uma mudança de posição entre 1.º e 2.º classificados, com a equipa com mais valor de mercado e ficarem em 2.º.
Agora, antes do início da competição, repeti o exercício. Há, desde logo, um aspecto que salta à vista: há desigualdades brutais mesmo nas equipas de elite. Entre as 32 que disputam a fase de grupos, temos seis com valores de mercado superiores ou a rondar os mil milhões de euros (sintomaticamente, metade deles da Premier League) e 11 com valor inferior a 200 milhões. Tal como sucedeu no ano passado, o grupo mais equilibrado tem uma equipa portuguesa. Tendo em conta este exercício, se o padrão se repetir, o destino do Benfica pode estar traçado rumo à Liga Europa. Porém, considerando a diferença de valor entre 2.º e 3.º, é também o Benfica - juntamente com o Inter, Ajax e Shakhtar - a equipa que, realisticamente, tem maiores possibilidades de superar as suas circunstâncias de partida.
O aspecto mais relevante deste exercício vai, contudo, bem para além das perspectivas que, hoje, se abrem ao Benfica. Fica um retrato pessimista do futebol europeu. Um desporto em que o dinheiro conta mesmo e em que as possibilidades de vitória estão, crescentemente, circunscritas a um grupo reduzido de clubes. Se nada for feito, longe ficará a memoria de uma competição mais igualitária e com vencedores potenciais provenientes de muitos países europeus.

Classificação Expectável por Valor de Mercado
Grupo A
Real Madrid - 1190 M€
PSG - 1060 M€
Galatasaray - 136 M€
Brugge - 108 M€

Grupo B
Tottenham - 984 M€
Bayern Munique - 867 M€
Olympiakos - 83 M€
Estrela Vermelha - 58 M€

Grupo C
Manchester City - 1280 M€
Atalanta - 252 M€
Shakhtar - 137 M€
Dínamo Zagreb - 73 M€

Grupo D
Atlético Madrid - 873 M€
Juventus - 864 M€
Bayer Leverkusen - 413 M€
Lokomotiv Moscovo - 135 M€

Grupo E
Liverpool - 1070 M€
Nápoles - 626 M€
Genk - 118 M€
Salzburgo - 95 M€

Grupo F
Barcelona - 1180 M€
Borussia Dortmund - 634 M€
Inter Milão - 536 M€
Slavia Praga - 37 M€

Grupo G
Leipzig - 521 M€
Lyon - 340 M€
Benfica - 311 M€
Zenit - 208 M€

Grupo H
Chelsea - 807 M€
Valencia - 496 M€
Ajax - 352 M€
Lille - 180 M€"

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!