Últimas indefectivações

domingo, 28 de agosto de 2016

Os sinais da Europa e a nossa Liga

"Importa fazer tudo para que o futebol português na Liga dos Campeões não fique representado apenas pelo campeão nacional.

1. Hoje, Lisboa vive o primeiro confronto entre grandes desta época desportiva. E com sinais que alguns jogadores estarão a despedir-se e outros a serem apresentados no arranque ou no intervalo de um jogo entre clubes que marcam legitimamente presença na fase de grupos da Liga dos Campeões.

Nesta terceira jornada não há jogos amanhã, ou seja, não há jogos à segunda-feira. Em razão do arranque do primeiro período da época para os jogos oficiais e particulares das selecções nacionais. E, aqui, com as novidades de João Cancelo e André Silva na convocatória do convicto seleccionador Fernando Santos, a par da recuperação dos nomes de Luís Neto e Bernardo Silva. E com a sugestiva e atractiva cidade do Porto a merecer um jogo da Selecção e o momento efectivo da condecoração dos campeões europeus pelo Presidente da República. E com a nota, bem pessoal, que, aqui, nesta prova, estiveram todas - repito todas! - as selecções europeias qualificadas para o Europeu de França e todas elas com os seus melhores atletas! É um gesto de reconhecimento ao Porto, às suas gentes, ao seu amor ao desporto e, em particular, ao futebol. E merece um sincero aplauso o professor Marcelo Rebelo de Sousa - que hoje inicia uma nova visita à martirizada ilha da Madeira e, em especial, à sempre hospitaleira cidade do Funchal! - e também o doutor Fernando Gomes!
E a partir do Porto, mas em concreto da Suíça, arranca o novo sonho do futebol português: marcar presença no Mundial da Rússia. Com a consciência assumida que somos os campeões da Europa! E com Ronaldo a ser reconhecido, com toda a justiça e mais uma vez, o melhor jogador da Europa para a UEFA! E com números esmagadores face a Bale e a Griezmann. E como disse Charles de Gaulle: «a glória só chega àqueles que com ela sonharam!»


2. Na quinta e na sexta-feira passadas ficámos a saber os grandes confrontos da Liga dos Campeões e da Liga Europa. E Lisboa e Porto vão receber de Setembro a Dezembro milhares de adeptos - que são, aqui, velhos turistas! - de grandes marcas da Europa do futebol. O Porto, e o Estádio do Dragão, receberão um dos estreantes absolutos - a par do russo Rostov - desta edição da Liga dos Campeões: o campeão inglês em título o Leicester! E a 22 de Novembro Lisboa recebe, decerto com a devida pompa e a certa circunstância, o campeão europeu em título, o Real de Madrid. E Cristiano Ronaldo regressa, com aplauso geral, a Alvalade. Mas Lisboa acolherá, com a hospitalidade de sempre, alemães e turcos, ucranianos e polacos, italianos e espanhóis. E o Porto, para além dos ingleses que globalizaram o seu néctar, receberá, com a sua fidalguia, belgas e dinamarqueses e, com eles, a paixão singular do futebol! E Braga, e seu dinâmico município, e o seu Sporting bem liderado por António Salvador, acolherá o seu antigo treinador, Paulo Fonseca, e o seu ucraniano Sakhtar, mais os belgas do Gent e os turcos do Konyaspor. O futebol é, também, um meio de diferentes fluxos turísticos. Como a Madeira, e o seu Estádio da Choupana, ontem perceberam com milhares de benfiquistas a subirem, com fervor, e no meio de perturbantes cinzas, ao topo da cidade do Funchal! E muitos dos adeptos fiéis regressam depois com a Família. Com a Querida Família! E Portugal - Lisboa e Porto, Douro e Algarve, Minho e Alentejo, Madeira e Açores - é, cada vez mais, um destino que está na onda. Alguns andam preocupados com esta onda. Mas basta perguntar a um surfista se não aproveita uma boa onda. Como na praia de Ribeira de Ilhas, ali bem colada à singular e vetusta Ericeira. Tão bem retratada já em 1876 por Ramalho Ortigão no bonito livro As Praias de Portugal. Que vale a pena ler nestes dias finais de Agosto. Vale mesmo! Para regressarmos, nós mesmos, à Granja e a Espinho, à Costa Nova e à Figueira da Foz! Agora com a água bem menos fria!

3. As grandes potências do futebol exigem mudanças nas principais competições europeias de clubes. As quatro grandes ligas querem ficar com cinquenta por cento dos trinta e dois clubes que marcam presença na fase de grupos da Liga dos Campeões. Espanha, Inglaterra, Alemanha e Itália querem que os seus quatro primeiros tenham lugar certo na fase de grupos. Ou seja que o Roma esteja na Liga dos Campeões e não na Liga Europa e que não seja sujeito como aconteceu nesta semana a uma justa eliminação pelo Futebol Clube do Porto.
Importa que o futebol português não ignore os sinais que chegam da Europa do futebol. Os grandes querem ser maiores. Parece um Euro de primeira e um outro de segunda! E os quatro clubes portugueses que resistem na Europa do futebol são fundamentais para o futuro próximo do nosso futebol. Importa lutar pelo quinto lugar no ranking da UEFA. E os nossos adversários são França e a Rússia. Que têm melhores resultados nas duas últimas épocas! É que se olharmos para o quadro que apresentamos o futebol português está em grande na Europa nos últimos três anos. Benfica, Porto e, também, Sporting, lá estão. A par dos nomes habituais da Alemanha e de Espanha, da Juventus, do Arsenal, do PSG, do Lyon, do CSKA de Moscovo e do Manchester City. E se olharmos para Estados relevantes da Europa, apenas encontramos, em regra, um representante. Da Turquia, à Bulgária, da Polónia à Escócia, da Bélgica à Holanda, da Ucrânia à Grécia, da Suíça à Croácia. Sem esquecermos a Dinamarca! Importa fazer tudo para que o nosso futebol não fique reduzido ao nosso campeão. Tudo mesmo! Já que como escreveu Jean Giraudoux, «a bola não admite truques, só efeitos sublimes!».
(...)"

Fernando Seara, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!