Últimas indefectivações

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Enormes e eternos

"Não acredito em vitórias morais, mas detesto derrotas imorais. Na passada quarta-feira o Benfica, aumentou o seu prestígio, ao ser afastado da Liga dos Campeões daquela forma. A eliminação de quarta-feira foi imoral e deu moral. Sem centrais, com duas arbitragens inclinadas, com uma personalidade invejável, foi um grande Benfica Europeu aquele que caiu em Londres. Caiu amparado por 3000 adeptos que durante 94 minutos calaram Stamford Bridge. Há clubes que têm nos seus adeptos das suas páginas mais míticas, as suas marcas distintivas, acontece por exemplo com Celtic e Liverpool. O que se passou entre os adeptos e o Benfica na passada quarta-feira aproxima-se em muito desse patamar de excelência. Também por isso há que ter orgulho.
Há razões para os adeptos terem orgulho na equipa e há razões para a equipa ter orgulho nos adeptos. A equipa que deixou pelo caminho aqueles que este ano serão campeão Inglês e campeão russo, respectivamente, merecia estar nas quatro melhores da Europa. Ainda assim o Benfica teve uma excelente participação na Liga dos Campeões. Temos de volta m Benfica consistentemente forte na Europa.
Verdade é que a justiça tarda mas não falta, para o ano o Benfica estará na Liga dos Campeões e o Chelsea não. Podem anotar. Há condições para manter a vontade e a qualidade de jogo e vencer os seis jogos que faltam. Com seis vitórias teremos seguramente um título e muito provavelmente dois.
Ganhar ao Sporting na segunda-feira e conquistar em Coimbra o troféu na sábado seguinte são decisivos para uma época do tamanho das nossas ambições e da nossa história. Sem erros dos árbitros já éramos campeões, se não houver mais erros ainda o seremos. A parte que depende de nos é estarmos focados no nosso jogo, sem outros factores e acreditar que haja correcção e honestidade."

Sílvio Cervan, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!