Últimas indefectivações

terça-feira, 28 de maio de 2019

O incansável Januário Barreto

"Jogador, presidente do Clube, médico e activista republicano: Januário Barreto ficou conhecido pelos vários talentos e altruísmo

No final do século XIX, havia um desporto que estava a contagiar as camadas populares de Belém: o futebol! Entre os jovens que ficaram rendidos às brincadeiras com a bola estava Januário Barreto, um nome que perduraria na história da modalidade e do Sport Lisboa e Benfica.
Januário Barreto, natural da Covilhã e órfão de pai, era aluno da Casa Pia de Lisboa, 'onde revelou desde logo uma superior capacidade intellectual e uma notável applicação', e reza a história que, com um outro colega, introduziu o futebol nesta instituição. Poucos anos depois, ingressou na famosa equipa de 1897 que venceu o invencível conjunto inglês, o Carcavellos Club.
Este brilhante aluno formou-se em Medicina, tornando-se conhecido pelo 'seu tacto medico e pelo carinho com que tratava os doentes, sem exceptuar os das casas mais pobres, a quem se consagrava com tamanho interesse como se lhe retribuíssem generosamente os serviços. Era no Bairro Alto, sobretudo, que elle mais exercia essa clínica gratuita, toda abnegação e humanitarismo'.
Fiel aos seus valores colaborou na Associação do Bem, fundada por ex-alunos da Casa Pia de Lisboa, entre os quais Cosme Damião. Esta tinha o objectivo humanitário de ajudar antigos alunos desta instituição que estivessem a passar por dificuldades.
Januário Barreto, nas 'horas vagas da sua profissão, dedicou-se ao «sport»'. Integrou a equipa de futebol da Associação do Bem e, depois a do Sport Lisboa, tornando-se no primeiro presidente eleito do Clube, em 1906. Foi, também, presidente da Liga Portugueza de Foot-ball, precursora da Associação de Futebol de Lisboa.
Activista republicano, 'tendo prestado relevantes serviços ao partido republicano e que era um dos mais prestimosos membros', não chegaria a ver a implantação da República. A sua morte prematura, a 23 de Junho de 1910, com apenas 33 anos, chocou o país, deixando a viúva a Dr. Carolina Beatriz Ângelo, 'uma médica como elle egualmente ilustre, e que fôra sua condiscípula', e que ficaria célebre por ter sido a primeira mulher a votar em Portugal.
Pode conhecer mais sobre esta figura incontornável da história do Clube na área 28 - Homens do Leme do Museu Benfica - Cosme Damião."

Lídia Jorge, in O Benfica

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!