Últimas indefectivações

domingo, 16 de outubro de 2016

Ciclo de Outubro

"Em 2018 podem suscitar-se cenários bem complexos para o universo dos exclusivos direitos televisivos em Portugal.

1. Os principais clubes portugueses, após a pausa das selecções e esta eliminatória da Taça de Portugal - nada fácil, como o Benfica bem percebeu no Estoril face ao 1.º de Dezembro e graças ao graúdo Luisão... - vão iniciar o ciclo de Outubro das competições europeias e da Liga portuguesa. Ciclo bem complexo e ciclo, digo eu, determinante para os clubes portugueses envolvidos na Liga dos Campeões e, o Sporting de Braga, na Liga Europa.
Na Liga dos Campeões e no espaço de duas semanas o Benfica defronta o Dínamo de Kiev na Ucrânia e na Luz. O Sporting recebe o Dortmund em Alvalade e vai à Alemanha. E o Futebol Clube do Porto tem de ultrapassar o Brugge, primeiro fora e depois no Dragão. E no que respeita ao Benfica, e depois da prolongada viagem a Kiev, regressa à Liga nacional com uma visita ao Restelo, agora com nova e portuguesa liderança e, no fim de semana seguinte, tem uma deslocação bem difícil a Paços de Ferreira. E logo no arranque de Novembro recebe o Dínamo e vai ao Dragão. Tudo antes de uma nova e curta pausa para novo confronto das selecções e também, na sequência do calendário interno - que protege, é bom assumir, as equipas portuguesas na Europa! - antes da quarta eliminatória da Taça de Portugal marcada para o fim de semana de 20 de Novembro. Ou seja antes do ciclo decisivo e que só termina na décima quinta jornada da nossa Liga, a vinte e um de Dezembro. Em que o Benfica recebe o Rio Ave, o Futebol Clube do Porto o Marítimo e o Sporting visita o Restelo! Neste ciclo de Outubro o fundamental é conquistar o maior número de pontos. Diria que muito bom seria ganhar todos os jogos. Mas assumo que é importante, na Liga dos Campeões, os nossos emblemas conquistarem, neste duplo confronto, pelo menos quatro pontos. Seria uma tripla alegria. Uma alegria para o futuro próximo nesta competição. Uma alegria para a tesouraria dos três clubes, ou seja, das três sociedades anónimas desportivas. E uma alegria intensa para o conjunto do futebol português em razão dos pontos que seriam conquistados para o ranking da UEFA. Onde os pontos igualmente alcançados pelo Sporting de Braga também serão bem relevantes. E num tempo em que o nosso actual sétimo lugar no ranking da UEFA não antecipa boas notícias para o futebol português daqui a duas épocas... E, logo, na época em que se iniciam, em tese, os novos contratos televisivos. Alguns dos quais, com maior ou menor subtileza, já determinaram antecipação ou revisão de receitas para alguns dos grandes e europeus clubes portugueses. O que suscita cenários bem complexos em 2018 para o universo dos exclusivos direitos televisivos em Portugal, para os operadores seus titulares e, assumo-o, para os amantes subscritores do futebol em Portugal. E talvez o programa de um próximo Governo - ou ainda deste... - se tenha que preocupar, seriamente, com os consumidores do futebol... em Portugal. E quem avisa... vosso amigo é. De verdade!

2. Neste Domingo temos o futebol de todos a encher muitos estádios - pequenos e médios - de Portugal. Famalicão, 1.º de Dezembro e Gafanha encheram os cofres com as transmissões televisivas dos seus jogos. E, hoje, a Académica, e a sua tesouraria, sorriem um pouco, com a transmissão do seu confronto com o Belenenses. Mas nesta tarde teremos um intenso confronto de vizinhos, o Vizela-Moreirense. Teremos também o Arouca a visitar Massamá-Monte Abraão para defrontar o Real. Teremos um Torreense-Académico de Viseu. Teremos festa em Santa Iria, clube do distrital de Lisboa, com a visita do Vitória de Guimarães. Teremos um confronto entre duas margens operárias do Tejo, um Oriental-Barreirense. Termos nas Caldas o Estoril. Em Estarreja o Nacional. Na Sertã o Tondela. E na Figueira da Foz a Marítimo reencontra o Naval. E todos os pequenos sonham com o acesso à quarta eliminatória. Meio caminho para no próximo sorteio lhes sair, em verdadeira sorte, um dos grandes do futebol português. E, logo, os milhares de uma transmissão televisiva que, em muitos casos, vale o orçamento de uma época. Como ocorreu, na noite da passada sexta-feira, com o 1.º de Dezembro. Que bem pode agradecer a imensa simpatia do Benfica e do seu Presidente Luís Filipe Vieira. Como escreveu Francis Bacon «a amizade duplica as alegrias e divide as tristezas»! Duplica mesmo!

3. A Federação Portuguesa de Futebol, na dinâmica e serena liderança de Fernando Gomes, e no exercício de 2015/16, apresentou um saldo positivo de três milhões de euros. Os milhões da selecção A pagam todas as outras selecções. E o doutor Fernando Gomes, com a sua sagacidade de economista, sabe investir e bem! Agarra o futuro com o dinheiro do presente. Sabe como Gandhi que «o futuro dependerá daquilo que fazemos no presente»! Se outros, em outros momentos bem próximos, aprendessem com ele acredito que alguns presentes seriam bem... diferentes. Mesmo diferentes!

4. Morreu o engenheiro José Lello. Foi ministro do Desporto e foi meu colega no Parlamento. Era um amante do desporto, e em particular do futebol e um assumido adepto do Boavista. Escreveu neste jornal muitas crónicas, algumas delas deliciosas. Não esqueço o seu sorriso em algumas segundas-feiras em razão de certos resultados da jornada do fim de semana anterior... Não esqueço, meu caro engenheiro! E não esqueço a imensa ternura do seu forte abraço sempre que nos reencontrávamos. Aqui apresento sentidas condolências a sua querida família.

5. Luís Filipe Vieira é, naturalmente, candidato único à presidência do Benfica. Ele é o exemplo concreto da tridimensionalidade do poder. O poder, o poder efectivo, é autoridade, influência, e claramente, poder. E ele sabe assumir, como o Marquês de Maricá já assumia no século dezanove, que «o poder repartido por muitos não é eficaz em nenhum»!"

Fernando Seara, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!