Últimas indefectivações

terça-feira, 9 de junho de 2015

Virar a página?

"Jesus é um óptimo treinador e foi um funcionário que prestou, grandes serviços do Benfica. Com ele, o Glorioso, voltou a ser um clube ganhador com uma ideia de jogo coerente com os desafios do campeonato. Na minha visão do Benfica, no momento em que Jesus terminou o seu vínculo, seria esta a mensagem que deveria ter sido repetida. Independentemente do clube pelo qual assinou.
A aqui começam os equívocos da situação em que o Benfica se encontra.
Se a direcção pensava que era altura de virar a página e traçar um novo rumo, devia ter tomado as decisões planeadas e contratar Rui Vitória. Ora parece que o que está a influenciar a escolha do treinador não é uma indefinição estratégica, mas o facto de Jesus ter saído para o Sporting. Um clube como o Benfica não se deixa condicionar pelas opções dos outros clubes. É um erro que, aliás, nos pode fazer recuar a um período em que estávamos mais preocupados com o que os nossos rivais faziam do que em organizar autonomamente uma estrutura vencedora.
Depois a sempitema aposta na formação. Há, a este propósito, um outro equívoco. Nos últimos anos, o Benfica formou uma mão-cheia de jogadores (David Luiz, Di Maria, Matic, Markovic, André Gomes) que chegaram com pouco cartel e saíram valorizados. Será que, com a excepção de Bernardo Silva, houve algum jovem subaproveitado?
A questão não é saber se se vai apostar na formação, mas, sim, que ideia de jogo um novo treinador pode trazer. Virar de página implica continuarmos a ser capazes de exibir o carrossel atacante nos jogos em casa e, ao mesmo tempo, termos um sistema alternativo que permita controlar um jogo em posse organizada (a principal insuficiência de Jesus).
Contratar um novo treinador devia depender mais de uma opção em torno do modelo de jogo desejável e menos do que fazem os nossos rivais ou do papel que os jovens talentos devem ter."

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!