Últimas indefectivações

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Apito desavergonhado

"Eles bem podem andar de artifício jurídico em artifício jurídico, que o conteúdo das escutas ao processo 'Apito Dourado' permanecerá inalterado. Eles bem podem utilizar excertos de e-mails, obtidos sabe-se lá como, e deturpá-los a seu bel-prazer, que nunca conseguirão fazer esquecer o que se passou no futebol português ao longo de décadas e muito menos poderão alguma vez criar a ideia de que os seus esquemas são agora utilizados por outros.
Chega até a ser cómico, sem ter graça alguma, vê-los a acusarem outros de usarem os seus esquemas que, de artifício jurídico em artifício jurídico, afinal nunca foram os seus.
Passados anos, resta apenas um castigado: as empresas de telecomunicações. Nem consigo imaginar os seus prejuízos por aquele gente, aquele gente desavergonhada, despudorada e vigarista, ter restringido o teor das suas chamadas telefónicas. E, já agora, o que pensar sobre a inexistência de qualquer reacção dos patetas alegres? Ai, ai, pobres de espírito... Tanto lhes faz quem ganhará, desde que não seja o Benfica...
Entretanto a vida prossegue e lá continuamos a trabalhar norteados pelo desejo do penta. Não gosto de ver o Benfica perder nem a feijões, e muito menos de o ver goleado, mas o pessimismo desmesurado que detectei em alguns benfiquistas após a derrota frente ao Young Boys parece-me absurdo. E mais ainda atribuir às vendas de Ederson, Lindelof, e Nélson Semedo o estatuto de principal causa da derrocada da nossa equipa no passado sábado. A exibição da nossa equipa esteve longe de ser brilhante, mas enquanto houve pernas também não preocupou. E o mais relevante é que não teria nada que preocupar ou entusiasmar... é pré-época!"

João Tomaz, in O Benfica

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!