Últimas indefectivações

sábado, 19 de março de 2016

Os exemplos de Figo e CR7

"Bastaram 1808 minutos de Renato Sanches na primeira equipa do Benfica para convencer Fernando Santos a abrir-lhe a porta da Selecção Nacional. O talento do jovem jogador do Benfica salta à vista, mas quiçá, de forma ainda mais gritante, percebe-se um potencial extraordinário, ainda por explorar. Renato impôs-se no conjunto de Rui Vitória com a naturalidade dos predestinados e em menos de nada os companheiros cederam-lhe, com toda a naturalidade, as rédeas do jogo, a marcação dos tempos, a oscilação dos ritmos da equipa.
Renato Sanches tem tudo para cumprir uma carreira de sucesso ao mais alto nível do futebol mundial. Precisa, apenas, de saber orientar-se perante as tentações, focar-se no essencial do seu trabalho, ter o profissionalismo de Luís Figo e o espírito workaholic de Cristiano Ronaldo. O resto, já Deus lhe deu. Não é difícil prever um futuro fora de Portugal para o jogador que deu os primeiros pontapés no Bairro da Quinta Grande. Essa inevitabilidade da Liga portuguesa perder os melhores valores irá acentuar-se nos próximos anos e a ver vamos onde a criação de uma Liga europeia vai deixar-nos. 
Para já - e é isso que aqui se regista - Fernando Santos ficará para sempre ligado à carreira de Renato Sanches, ao conceder-lhe a primeira chamada à turma das quinas. O Bulo tem o futuro na mão (e nos pés). Oxalá também tenha cabeça..."

José Manuel Delgado, in A Bola

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!