Últimas indefectivações

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Quando os golos não alegram os respectivos marcadores

"É verdade que os golos são a festa do futebol. Mas, de vez a vez, há quem inscreva o seu nome na lista dos marcadores e, ao invés de correr para festejar, sinta uma vontade enorme de... desaparecer. É assim que muitos futebolistas descrevem o momento em que, ao procurarem ajudar o sector recuado, mais não fazem do que colocar a bola na sua própria baliza. Foi isso que sucedeu com Bruno Gomes na última jornada da Liga. Pior: a infelicidade do dianteiro do Aves acabou por ditar a derrota da formação comandada por José Mota no Bessa (1-0), diante do Boavista. Foi a quinta vez esta temporada que se registou um autogolo. Se a média se mantiver assim até ao final da prova, é provável que se chegue aos 25 da época 2016/17, a que mais ‘golos errados’ totalizou nos últimos anos.
Por razões óbvias, são os defesas os jogadores mais expostos aos autogolos. Estão perto da sua baliza e, claro, tudo fazem para evitar os golos alheios. De tempos em tempos, nessa ânsia de resolver o problema, acabam por ser os responsáveis pelo toque fatal. Mas, não se pense que são só os defesas (ou os guarda-redes, quase sempre na sequência de ressaltos com a bola a vir do poste ou da trave) a cair na ‘armadilha’. Bruno Gomes é avançado e foi só o último, entre nós, a estar no local errado... no momento errado. Esta época, curiosamente, o brasileiro foi o segundo ponta-de-lança a assinar um autogolo, sucedendo ao compatriota Vinícius (Rio Ave). Os restantes foram da autoria de Manafá e Jadson (Portimonense) e Helton Leite (Boavista). Olhando para o sucedido nas últimas cinco temporadas, conclui-se que Estoril, Nacional e V. Guimarães (7 golos) foram as equipas que mais beneficiaram de autogolos, enquanto Tondela, V. Setúbal e Moreirense (8) foram os mais prejudicados com ‘tiros’ no alvo errado.

Sabia que... 
Feirense-Belenenses teve o resultado mais esperado?
As duas equipas entraram em campo depois de três jornadas sem marcar. E, claro, fizeram jus à sua tradicional falta de eficácia e terminaram a partida... a zero! Nesta altura os dois clubes azuis possuem o pior ataque da prova (4 golos).

Pela terceira vez se registou o mesmo número de remates na ronda?
Tal como nas jornadas 1 e 2, também na 7 tivemos 214 ‘disparos’.

Há um novo líder no ranking de pontapés de canto?
O Santa Clara, com 50, saltou para a liderança desta especialidade, deixando FC Porto (49) e Benfica (48) nas posições seguintes.

A 7.ª jornada conheceu um novo máximo de faltas e de foras-de-jogo?
Foram assinaladas 302 infrações, mais uma do que na ronda 2, enquanto ocorreram 31 situações de ‘offside’ (mais uma do que na ronda inaugural).

Apenas cinco equipas marcaram durante a 1.ª parte?
Setúbal, Guimarães, Braga, Rio Ave e o Portimonense"

1 comentário:

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!