Últimas indefectivações

sábado, 19 de julho de 2014

Manipulação

"Acredito que alguns benfiquistas andem com certo medo e pudor de olhar para as capas dos jornais. A proliferação de parangonas desfavoráveis ao Benfica, sem fontes ou com fontes inquinadas, segue a par da mais despudorada propaganda e da mais subserviente louvaminha a favor de outros emblemas. Não tem nada que saber: nesta fase do campeonato, os Vermelhos são dados como fora da corrida enquanto verdes e azuis-e-brancos envergam as faixas de campeões da treta, prefabricados sem entrar em campo. O que vale ao Benfica é que os directores de jornais ainda não decidem títulos.
Perguntarão os leitores: mas não há regras? Claro que há. Mas a existência formal de regras não significa nada sem o sentido da honra e o dever da ética. E na triste face em que o nosso País vive, a mais elementar das regras é a sobrevivência, para o que haverá que agradar ao patrão, obedecer ao capataz.
A crer na generalidade das parangonas, o Benfica já teria vendido a pataco todo o plantel, a equipa B, os juniores, começando já a despachar os sub-14. Claro que, em sentido contrário, outros emblemas já teriam recebido paletes de enormes reforços, contentores de grandes descobertas, caravanas de sorridentes promessas. Para esta época, ao pseudo jornalismo e ao alegado scouting só lhes falta vender o jardim-escola da Luz e entregar as faixas na pré-temporada aos campeões da propaganda. O Benfiquista comum, como qualquer ser humano, está sujeito à manipulação e à desinformação, quase sem uma contra-partida para tanto lixo tóxico. Nesse contexto, bem-haja ao Eduardo Salvio, o jogador profissional atento às interrogações e angústias dos adeptos. «As expectativas para esta época são boas», teve Salvio o cuidado de transmitir e foi o único a fazê-lo."

João Paulo Guerra, in O Benfica

Medo

"A infância é o país da inocência mas também dos medos. Aqueles medos com os quais somos obrigados a viver. Tentei desde cedo erradicar o medo da minha vida. Ou melhor, o medo existe mas há algo que nos leva para além dele porque é assim que se mede a existência dos homens.
Alexandre O'Neill falou do medo assim:
«O medo vai ter tudo
quase tudo
e cada um por seu caminho
havemos todos de chegar
quase todos
a ratos
Sim
a ratos».
O jornalismo em Portugal tornou-se há muito o País do medo. Por um lado, há um medo que eu compreendo. «O medo do desemprego é uma forma de fascismo».
Por isso, uns acomodam-se, calam-se, obedecem. Outros simplesmente não questionam. E muitos alheiam-se.
É a vida-vidinha.
Depois há o medo que não entendo. Directores de jornais e de televisões, chefes, editores, colunistas pagos a peso de ouro. A esses, o desemprego não atinge. Fica bem longe das suas portas e, no entanto, também viram a cara para o lado, também ignoram, repetem discursos redondos versando as mesmas não-opiniões, encolhem-se perante poderes fátuos e até grotescos.
É assim na política, na economia, no futebol.
Era aqui que eu queria chegar. Conheço Paulo Bento há muitos anos. Antes de uma final da Taça que disputou pelo Estrela Amadora; no início da sua vida no Benfica numa digressão ao Brasil. Muitos anos.
Tem as suas culpas neste Mundial mazombo da Selecção Nacional? Há-de ter.
No tempo em que trabalhei na Federação Portuguesa de Futebol, o presidente aparecia nos momentos necessários, havia um vice-presidente e um director-desportivo. Agora, olho  o que vejo: um presidente a tempo inteiro com a equipa, três vices-presidentes em seu redor, um director-desportivo e mais e mais.
Continuo à espera que se questione a pirâmide a partir do topo, em vez de prodigalizarem sentenças bacocas sobre como uma selecção deve ir a sufrágio a cada Campeonato do Mundo.
Fale-se. Opine-se. Pergunte-se. Mas que se saiba porque uma estrutura tão cheia de dirigentes não soube, afinal, prever, controlar, dominar os acontecimentos e assumir as suas responsabilidades.
Para já, tudo me faz recordar o poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade:
«Que século, meu Deus!, exclamaram os ratos. E começaram a roer o edifício»."

Afonso de Melo, in O Benfica

Brasil 2014, notas finais

"Uma esplendorosa fase de grupos prometia mais, ainda assim, assistimos a um excelente Mundial. Tivemos muitos e bons golos, grandes defesas, quebra de recordes, incerteza, emoção, e um campeão justo. Messi não conseguiu ser Maradona, e, mesmo conquistando o prémio para o melhor jogador do torneio, esteve longe do brilhantismo evidenciado noutras alturas ao serviço do seu clube. Faltou esse toque de Midas para que a Argentina dos 'nossos' Enzo Pérez e Garay se sagrasse campeã. Fazendo jus à velha máxima do futebol, no fim ganharem os alemães. E ganharam bem. Entre todas as selecções, a 'Mannschaft' foi a mais compacta, a mais empolgante, a mais refinada, e, sobretudo, a mais eficaz.
Juntamente com a detentora do título Espanha (precocemente afastada), o Brasil de Scolari foi quem mais desiludiu. Realizou um campeonato regular até às meias-finais, mas aí claudicou por completo, entrando para a história pela porta errada. É fácil criticar o antigo seleccionador nacional, e, por cá, muitos têm aproveitado a ocasião para ajustar velhas contas. Talvez seja justo lembrar neste momento que, com ele ao leme, a nossa selecção conseguiu os melhores resultados de sempre, e que, antes ainda, o mesmo técnico havia já sido campeão do mundo pelo seu país. Também me recordo de, com ele, Portugal vencer a Rússia pelos mesmos 7-1 que agora lhe acertaram em cheio. Não gosto de injustiças, nem de gente com memória curta, e ainda menos de lavagens de roupa suja - nas quais a comunicação social portuguesa é fértil.
Por falar em Portugal, talvez seja altura (agora sim) de avaliar a prestação do conjunto de Paulo Bento, os 0-4 diante de campeã Alemanha parecem-nos hoje francamente mais aceitáveis. E o empate com os Estados Unidos terá sido, também, face a tudo o que se viu, um resultado normal. Podemos pois classificar a participação portuguesa dentro de parâmetros que ficam longe de corresponder à imagem negra que os media - sempre ávidos de sangue - procuraram passar ao longo destas semanas."

Luís Fialho, in O Benfica

Diz-se por aí... (política de avestruz)

"Diz-se por aí que este Mundial não provocou grandes tumultos no mercado de transferências este ano. A agitação nos mercados nacionais começou muito antes deste Mundial, agora acompanhado de um novo factor perturbante: a maquilhagem contabilística. Jogadores são adquiridos ao preço da chuva, mas com cláusulas de rescisão de vários milhões de euros. Clubes com passivos extraordinários continuam com aquisições de luxo e iniciativas mediáticas que, existisse um tribunal de contas para o Futebol, nunca veriam a luz do dia. Não podemos esquecer que reestruturações financeiras, fundos que dividem o valor dos jogadores em 25%, 30% ou 50%, empréstimos extraordinários, nada disto diminui verdadeiramente os passivos fora de controle ou o valor da divida financeira. Continua a política de gastar mais do que se tem e de contratar mesmo quando todos os indicadores aconselham prudência. Uma vez mais opta-se pela política de avestruz, de ignorar os dados. A factura, quando vier, a alguém será entregue.
O mercado do Futebol em Portugal e em muitos países europeus está dominado por estratégias de maquilhagem e irresponsabilidade impressionante. Clubes com passivos monumentais como o Sporting, anunciam contratações com valores de milhares de Euros mas apõem-lhes cláusulas de rescisão de 60 milhões. É o espectáculo a alimentar-se de si próprio. Não estivéssemos a falar de uma gigantesca estrutura económica e de um dos mais importantes e dinâmicas sectores económicas e de consumo, teria até uma certa graça ver os protagonistas genialmente inventivos que povoam o futebol português. Mas, tal como aconteceu recentemente nas contas da República, também nas contas do Futebol a factura há-de vir, seca e impiedosa a exigir o pagamento da conta. E é nesse dia que os vários clubes inventivos da nossa praça vão lamentar não ter tido um presidente como Luís Filipe Vieira."

André Ventura, in O Benfica

Benfica para além do óbvio

"Na contabilidade desta pré-época contabilizámos quantos futebolistas da equipa principal ficam e quantos saem. Especulámos sobre o assunto e alternámos entre o apocalipse e a descontração. Tendemos a esquecer que acabámos de fazer uma época de excelência e o que passou parece ter deixado de entrar na contabilidade.
No entanto, nesta contabilidade do que foi a época desportiva do Benfica importa ir um pouco além do óbvio. Importa perceber que há Benfica para além do excelente ‘triplete’ do futebol e que o nosso emblema triunfa num conjunto de actividades que têm tanto de eclético como de estruturantes em termos de formação e garantia de alicerces para o futuro.
Há poucos dias tivemos dois atletas medalhados nos Europeus de Canoagem. A medalha de ouro de João Ribeiro e o bronze de Teresa Portela terão obrigatoriamente de ser motivo de orgulho e realce. Terão obrigatoriamente de entrar no ‘deve e haver’ do sentir benfiquista.
No atletismo, a hegemonia de conseguirmos excelentes resultados (títulos!) na formação (juvenis, juniores e sub-23) deve significar mais do que uma nota de rodapé nas conversas entre benfiquistas. Diga-se que, na formação, o nosso Benfica obteve 28 títulos: 12 no atletismo; 5 no Hóquei em Patins; 4 no Futsal; 3 no Basquetebol; 3 no Voleibol; 1 no Andebol.
Cada um destes títulos tem o nosso nome, o nosso símbolo, o esforço de muitos atletas, treinadores e dirigentes. Cada um destes títulos é sinal de esperança num futuro eclético de um Benfica que, sendo na essência futebol, é muito mais do que apenas futebol. Cada um destes títulos deve, obrigatoriamente, entrar na contabilidade de uma época brilhante e que mais brilho tem se soubermos ver o Benfica para além do óbvio."

Pedro F. Ferreira, in O Benfica

Perguntas que não consigo responder

"Há vai ser um dia difícil para mim. Vou cortar o cabelo ao sr. António, e na cadeira do distinto barbeiro e ilustre benfiquista vou tentar responder a perguntas sobre as quais não faço a mais pálida ideia. Como muitos adeptos, o António imagina que qualquer dirigente do Benfica sabe quem entra, quem sai, porque entra ou porque sai. Vou tentar partir para o contra ataque mal chegue à barbearia/cabeleireiro:
- Que raio de adepto é o António que deixa vender os jogadores todos!!!
Mesmo antes da primeira resposta atiro logo a segunda a matar:

- Depois venham dizer mal do Jorge Jesus. Que pode fazer ele sem jogadores!!!
Enquanto tiro o casaco e me sento na cadeira para o corte disparo a terceira:

- O melhor era levar três do Estoril logo para ver se mudamos isto!!!
Depois tudo vai mudar, tenho que perceber que o António tem a tesoura e a navalha na mão, convém não abusar da sorte. Pensei e já tenho uma resposta que me parece válida para 90% das perguntas do António.
- Que quer amigo, é preciso pagar as contas, senão o clube acaba. Quer que isso aconteça?
Mesmo antes de Jorge Jesus entrar em campo com o seu primeiro onze de difícil solução, já eu tenho que estar preparado para responder a perguntas sobre as quais não imagino as respostas nem por aproximação.
Se mesmo assim a fúria do adepto estiver exaltada vou tentar apaziguar com um lacónico.
- Vai ver que os outros rivais também vão ter que vender muita coisa.
Mas o desporto tem estas coisas, o clube que ganhou tudo, e teve uma das mais espantosas épocas, é neste defeso uma amontoado de interrogações. Resta aos adeptos a alegria que logo à noite a bola já rola, e as nossas camisolas são fantásticas. Agora tem Jorge Jesus a palavra e isso é um activo importante para quem, como eu, acredita muito no seu valor."

Sílvio Cervan, in A Bola

sexta-feira, 18 de julho de 2014

1.º treino, público, da época...

Benfica 1 - 0 Estoril
Talisca

Com o cancelamento do Torneio na Suíça, tivemos quase 2 semanas sem poder ver o 'novo' Benfica... enquanto isso, a histeria 'loira' nas redes sociais Benfiquistas ia crescendo!!! E com todos os treinos à porta fechada, a ansiedade foi crescendo ainda mais...!!! Hoje, finalmente, tivemos a oportunidade de assistir ao vivo... após vários meses, a um jogo do Benfica. E depois de tantas notícias, depois de tantas anedotas, afinal, o Benfica ainda tem equipa de Futebol...!!!

O jogo foi o ideal para a adaptação dos novos jogadores: arbitragem má, agressividade máxima por parte do adversário (sempre impune...), e até um relvado cheio de remendos e buracos...!!!
Aquilo que desperta mais interesse nesta altura, são as novidades, e posso afirmar, que fiquei agradavelmente surpreendido!!! O jogo foi de fraca qualidade, além do tal relvado difícil, grande parte destes jogadores não se conheciam à duas semanas, e alguns ainda estão em fase de adaptação a novas posições ou a novas movimentações... e assim, os passes errados, sucederam-se...
Além das ausência dos Mundialistas (Enzo, Maxi, Amorim, Almeida), temos os lesionados da época anterior (Fejsa, Sulejmani, Sìlvio)... a juntar a estes 7 (!!!), a pré-época já fez algumas mazelas (Luisão, Lisandro, Djavan, Pizzi...), por outros motivos, ou por lesão, o Nelson Oliveira, o Vítor Andrade (A ou B?!), o Dawidowivz (A ou B?!), o Fariña, o Cavaleiro, e o Steven também não foram opções. O Djuricic a confirmar-se as noticias de ontem estará de saída. Em sentido contrário, faltará pelo menos contratar um guarda-redes e um médio-centro... Resumindo, o Benfica que se apresentou hoje perante o Estoril, está bastante longe, daquele que deverá ser o Benfica a 1 de Setembro!!!
Antes da analise individual, dizer que o Estoril, é praticamente o mesmo do ano passado, só falta o Evandro e o treinador... Uma equipa já formada, e que já tinha feito jogos particulares nesta pré-época.

Gostei bastante do César e do Benito. Em relação ao César, pelos vídeos que vi, já tinha expectativas altas, parece-me um jogador muito forte fisicamente (rápido, alto e forte...), tinha dúvidas na adaptação ao sistema táctico, totalmente novo para o César, e neste primeiro teste, pareceu-me bem... Não nos podemos esquecer que o César estava a jogar no Brasil, antes de começar o Mundial, portanto esta primeira impressão positiva, é à condição!!! Já não seria o primeiro jogador com ritmo, a enganar o pessoal na pré-época!!!
Admito que a contratação do Benito, me deixou muito desconfiado... e talvez por isso, tenha ficado agradavelmente surpreendido. Agressivo, forte no um para um defensivo, bem a subir, joga simples, centra bem... ainda teve algumas falhas de posicionamento, às vezes 'fechou' demasiado no meio, mas é preferível 'fechar' demasiado no meio, do que abrir espaços entre o Central e o Lateral!!!
O Talisca marcou o golo, e tem tudo para ser adorado pelo 3.º anel, é daqueles jogadores que o toque na bola não engana, mas... não fiquei convencido que temos aqui um '8' !!! Pode ser que com o tempo, evolua, e apreenda a decidir melhor, mas neste momento parece-me muito mais um 2.º ponta-de-lança... aliás o golo que marcou, foi uma movimentação de 2.º ponta-de-lança... Também se notou que ainda não se adaptou à bola, já que falhou quase todas as marcações de bolas paradas (cantos, livres laterais...)!!!
O Derley não marcou o golo que prometeu, mas esteve bem... gostei da forma como jogou de 'costas' para a baliza, combinando bem com os colegas, as movimentações dentro da área não enganam... Naquela jogada individual, devia ter rematado, em vez de tentar passar a bola ao Jara!!!
O Candeias não teve sorte!!! Defensivamente, foi importante a fechar o flanco, mas ofensivamente quando podia ter recebido a bola com espaço, os passes foram quase sempre demasiado compridos...!!! A rever...
O Luís Filipe tem tudo para ser o mal amado do 3.º anel!!! Mas para sermos justos, não nos podemos esquecer, que o Luís Filipe não jogava desde Novembro!!! Mostrou raça, força, bom pé direito, mas não parece ser muito rápido... também tem que perceber que não pode subir em todos os ataques da equipa!!! Arrisca-se a ser comparado com o Cortez, mas pessoalmente mesmo não tendo ficado impressionado, parecem-me muito injustas essas comparações, até porque o Luís Filipe pareceu-me ser um jogador com 'cabeça'...
Hoje também tivemos o regresso de 2 ex-emprestados: o Ola John mostrou que quer mesmo ficar...!!! Se o Ola jogar sempre com esta atitude, terá uma grande carreira, mesmo com alguns erros na decisão, fez um bom jogo...; o Jara foi um mártir!!! Fartou-se de levar porrada, é verdade, que como ele muitas vezes não passa a bola, acaba por se pôr a jeito, mas... Se fosse eu a decidir, ficava no plantel, pode ser o substituto do Rodrigo (o Talisca também esse potencial!!!), é um bocado fução, mas luta, marca golos, e sabe assistir...
A grande surpresa do onze foi a presença do João Teixeira no 11... e o puto, jogou muito!!! O ano passado, na equipa B, teve uma 2.ª fase da época, muito boa, pessoalmente acho que joga melhor como '8', mas hoje jogou a Trinco ('6'), no início do jogo teve um perda de bola perigosa, mas depois demonstrou sempre segurança, e ainda teve tempo de fazer excelentes 'aberturas'... a defender o Talisca ajudou pouco, mas com muita garra, conseguiu fechar o meio-campo...

Como é normal nestes jogos, na 2.ª parte houve muitas substituições, só o Jardel, o César e o Benito fizeram os 90 minutos, mas curiosamente, com os 'titulares' no 2.º tempo o Benfica jogou pior!!! Até acaba por ser normal, já que nesta altura, são os jogadores 'novos' a quererem se mostrar ao treinador!!!
Nota para as entradas de alguns jovens. O melhor foi o Rúben Pinto, o Bernardo teve poucos minutos, mas mostrou pouco, e o Cancelo voltou a demonstrar falta de 'cabeça' para ser lateral do Benfica.

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Karma is a b... enfiquista

"Chego à Zeca Diabo às 16h30 em ponto, hora combinada na roulotte do costume para encontrar os amigos indefectíveis. No espaço de um quarto de hora rebentam uns cinco petardos nas imediações e os nervos ficam definitivamente em franja - não propriamente pelo estardalhaço, mas porque hoje, dia do jogo do título, já acordei tenso.
Depois do tenebroso mês de Maio de 2013, todos ansiamos pela incrível ressurreição do 'Glorioso' de Jesus em pleno domingo de Páscoa. E, por essas e por outras, começo a depositar cada vez mais fé no karma:
a) penso em indivíduos como Kelvin e Danilo que - a destempo e a despropósito - assumiram ter torcido pelo Chelsea na final da Liga Europa;
b) penso nas 'bojardas' praticamente diárias de Bruno Carvalho, como aquela de 'nos terem retirado o que é nosso por direito'... por direito, Sr. Presidente? Isso é algum resquício do sangue azul? Se consideram que títulos são vossos por direito, para quê competir, praticar desporto?
c) penso nas lendas que perdemos esta época, Eusébio e Coluna; no trauma com que começamos a temporada; na catadupa de lesões; na venda daquele que era então o nosso maior craque, Matic;
d) penso no clássico de há quatro dias, quando demos a volta a uma eliminatória jogando 67 minutos com menos um jogador e com o golo da glória marcado de forma magistral por um miúdo dispensado do adversário aos 14 anos e, precisamente, pelo actual treinador do FCP. Perfeito.
E concluo:
1) a arte imita a vida - e nem o melhor produzido blockbuster de Hollywood poderia bater a verdade e os factos desta semana vitoriosa;
2) está na altura de o karma, qual boomerang, inverter as fatalidades do destino e trazer-nos, finalmente, o merecido happy-end.
Mas falta o quase. O golpe de asa. Cumprirmo-nos. E começa a partida, oportunidades umas atrás das outras, um grande calafrio de permeio. Bancadas repletas. Dois portugueses no 11 titular. Novo infortúnio de Salvio. Mil desculpas às famílias circundantes pelas hãa, vá, palavras novas que, inadvertidamente, introduzi aos mais jovens membros das ditas. Perco cigarros, a calma, a compostura. E de repente Lima mete duas batatinhas. Nos três minutos decorridos entre um e outro golo, confesso sem pudor, caíram-me lágrimas de felicidade pura. Pensei no único dia em que consegui vir à 'Catedral' com o meu pai; lembrei-me de quando me deixaram ir ao relvado com o meu irmão e uma bola - cinco minutos de toques e correria, sem palavras, como se fossemos miúdos de novo; recordei o dia em que vi o Benfica jogar pela primeira vez, na antiga Luz, 18 anos/caloiro de Direito/recém-aterrado na capital vindo dos Açores.
Já podemos respirar então, devolver o coração ao seu ritmo quotidiano, e até discutir quem será eleito o melhor jogador desta liga: Luisão? Rodrigo? Enzo Pérez? Gaitán? Com uma arma apontada à cabeça, escolheria o último. Porque finalmente cumpriu-se em todo o seu esplendor. O karma funciona, a chama é imensa, o campeão voltou.

Taça da Liga
Bela partida de futebol perante um adversário valoroso, também ele em luta pela História, com quem discutiremos nada mais nada menos que três troféus (na Supertaça já decerto não orientado pelo excelente Nuno Espírito Santo). Foi bonito ver a festa dos nossos, no final, alegria sincera e volta ao relvado. Não menosprezamos títulos nem desrespeitamos competições. Continuem lá, outras, a contar Supertaças.

Liga Europa
Perdê-la sem perder um único jogo. Somos grandes até na sina, na desdita, no fado. Tiraram-nos demasiados Matic's para este jogo: ao Markovic, nem a defesa espontânea do adversário (Vucinic) serviu para a UEFA tirar as palas dos olhos. E depois Sulejmani despachado com requintes de malvadez e um árbitro pérfido: um, dois, três penalties não assinalados? Deve ser um novo recorde em finais europeias, e com patrocínio Moulinex. Paciência. Grande orgulho nos Manéis. E para o ano nos aguardem. Um abraço aos meus amigos, entre eles sportinguistas e um portista, com quem sofri nesta final, algures na Madeira em trabalho. Para os antis, aqueles que celebraram a vitória do Sevilha, só uma notinha de rodapé: quem pontapeia os que estão no chão nunca andará de pé.

Taça de Portugal
Domingo, último dia da época. Tínhamos que ser dignos, e fomos. Parece que se chama 'triplete' este feito: pela primeira vez um clube nacional junta no seu museu campeonato, Taça de Portugal e da Liga. Que Rio Ave na segunda parte! Que lindo o Jamor cheio de famílias em dia de sol. Escrevam: Jan Oblak será o melhor guarda-redes do mundo. E agora venha o Mundial para nos distrair dos medos do defeso: as notícias sobre craques em debandada, angústias quando ao treinador, atoardas dos rivais. Salvé 'King' Eusébio, Sr. Coluna, mister Jesus, presidente Vieira, capitão Luisão, plantel para a História. Repito-me, com orgulho a incendiar o peito: o campeão voltou."

Luís Filipe Borges, in Mística

Não serão Manéis a mais?

"Comungo as angústias de muitos benfiquistas dispostos a interrogarem-se perante o desmantelamento da equipa que ganhou três competições nacionais e foi finalista europeu.

EVITE-SE a melancolia a qualquer custo.
Nem ouso escrever os nomes dos jogadores que eram do Benfica em 2013/2014 e que não vão ser jogadores do Benfica em 2014/2015.
E, por ignorância da matéria, não ouso escrever o nome dos seus substitutos diariamente confirmados ou desconfirmados ou presos por detalhes, tal como a imprensa pouco caridosa nos vem dando conta. 
Comungo as mesmas dúvidas e angústias de muitos benfiquistas dispostos a interrogarem-se perante a voracidade do desmantelamento da equipa que ganhou três competições nacionais e foi finalista indecentemente vencida de uma competição europeia:
- Não serão Manéis a mais? – eis a questão.
Sou por natureza pessimista. O que me tem valido grande alegrias, diga-se de passagem, como as do ano passado, em todo o seu esplendor.
Tal como em Maio, nos dias que antecederam a final da Liga Europa, me era claro que sem Enzo, sem Salvio e sem Markovic, dificilmente o Benfica venceria o Sevilha, imagine-se o que me é claro neste meio de Julho sabendo que é sem… e sem… e sem… e sem… e sem… e sem… e sem… e sem… e sem… que o Benfica parte para a defesa dos seus títulos tão brilhantemente arrecadados.
E Jorge Jesus? O treinador vai cumprir o seu último ano do contrato com o Benfica contando com tarefa de produzir Manéis em catadupa e em força e em velocidade porque o tempo urge e a época oficial está quase à porta. O que poderemos exigir ao nosso treinador neste ano em que a sina de vender mais se assemelha a uma ditadura do que a uma sina propriamente dita?
Antonio Conte, que venceu três campeonatos de seguida para os milionários da Juventus, bateu esta semana com a porta porque não lhe deram os jogadores que pretendia para assaltar o quarto título e o regresso em grande à Europa. Privilégios de clubes ricos.
Os privilégios dos clubes pobres são os Manéis. Cá estaremos para os apoiar, a todos. E não, não há nenhuma conspiração contra o Benfica. Ou melhor, há, sempre houve, é o privilégio dos clubes grandes. O resto são loas.

A Alemanha é campeã do mundo de futebol e nem se discute. Foi a melhor equipa. Parabéns a Joachim Low, a Pep Guardiola e ao Bayern de Munique, os grandes responsáveis pelo sucesso germânico no Brasil. 
No jogo da final, tal como muita boa gente, estava do lado da Argentina. Fez-lhe muita falta Angel Di Maria, o único argentino capaz de esticar o jogo visto que Messi passou de tal modo ao lado deste Mundial que, para não ficar triste e cabisbaixo, a organização até lhe outorgou o prémio humanitário do melhor jogador mais agoniado do evento.
Enzo Pérez entrou neste Mundial na fase decisiva a valer. Esteve muito bem o jogador ou o ex-jogador do Benfica, como melhor entenderem ou preferirem. Foi titular na final do Maracanã e quando foi substituído a Argentina perdeu o fio à meada.
Teria sido bonito ver Enzo Pérez campeão do mundo enquanto jogador do Benfica. Mesmo que esteja de partida, como se adivinha, seria um campeão do mundo do Benfica a vender, já nessa qualidade, a quem der mais ou menos pelo seu passe.
Se os argentinos choram a ausência de Di Maria imaginem o que nós não choraremos a ausência de Enzo Pérez.
Raios partam a vida dos clubes periféricos e pobrezinhos!

A Holanda brilhou no Brasil. É uma excelente notícia para o Manchester United. Louis Van Gaal vai entrar em Old Trafford como um senhor. Coisa que Moyes não conseguiu nem de perto nem de longe.

PERDOE-SE-ME a interrupção dos temas futebolísticos. Mas é urgente saudar um dos maiores acontecimentos desportivos do mundo. A Volta a França em bicicleta.
Que espectáculo diário nos oferece a RTP 2. Temos um pequeno batalhão de ciclistas portugueses no Tour distribuídos por várias equipas. Temos um campeão do mundo, Rui Costa que tem na sua equipa, a Lampre, outro valoroso português, Nelson Oliveira. Ambos têm nomes de jogadores do Benfica, perdoe-se-me a interrupção do tema ciclístico.
Mas foi Tiago Machado o português de quem mais se falou nos primeiros dias do Tour porque o ciclista de Famalicão chegou a ocupar o terceiro lugar da classificação geral por um dia. Depois, no dia seguinte, sofreu uma queda grave e a organização da prova chegou a noticiar a sua desistência para, minutos passados, noticiar a sua não-desistência.
Tiago Machado é de boa cepa. Foi ele o vencedor, em Junho, da Volta à Eslovénia. No primeiro lugar do pódio, de amarelo vestido e com coroa de louros, Machado mostrou-se muito feliz por ter ganho na Eslovénia, país de Jan Oblak, a quem aproveitou para cumprimentar à distância e para pedir quer não se fosse embora do Benfica.
Tiago Machado não é boa cepa. É de excelente cepa.

VISTO de cá, o desastre do Brasil no seu Mundial atenuou e de que maneira o impacto da pífia prestação da selecção portuguesa, tão pífia que nem sequer se pode alcandorar ao estatuto de desastre.
Foi o que foi, apenas isso. Uma derrota copiosa face aos futuros campeões do mundo (mas os brasileiros conseguiu fazer muito pior), um empate sortudo face aos EUA (bem melhor, apesar de tudo, do que a derrota sofrida face aos EUA no Mundial de 2002) e uma vitória triste sobre o Gana.
Paulo Bento continuará a ser o seleccionador nacional. Não rolaram cabeças, para quê? De modo mais ou menos desassombrado, alguns vieram explicar a mediocridade da presença portuguesa no Brasil pelo facto de a selecção de Paulo Bento ser, segundo eles, a selecção de Jorge Mendes, o super-empresário que é nosso compatriota.
A culpa, portanto, nem sequer foi do Paulo Bento, foi antes do Jorge Mendes. O que, francamente, me parece ser um grande disparate.
A muitos dos que, abusivamente, se viraram contra Jorge Mendes por ter tomado conta de selecção e de a ter levado a lado nenhum, ouvem-se agora loas a Jorge Mendes por ter feito as pazes com o FC Porto e estar a trabalhar com afinco para levar os ex-campeões nacionais de regresso ao galarim nacional e internacional.
É de presumir que num caso e no outro se trate da mesma pessoa, do mesmo Jorge Mendes.
Ou seja, o Mendes que deu cabo da selecção é o Mendes que vai dar cabo do Benfica.

O Benfica, seja lá o Benfica que for, arranca a sua época oficial no próximo dia 10 de Agosto com a decisão da Supertaça. O adversário é o Rio Ave, outra vez.
Respeitinho pelo Rio Ave é o que se exige. Seria muito bom começar a temporada a vencer.
Até porque a Supertaça é a Taça da Liga do FC Porto.
Explicando-me melhor. O FC Porto tem sido o grande açambarcador do troféu desde a sua criação que coincidiu com o crescimento dos nortenhos como potentado nacional. Sem a Supertaça dificilmente o FC Porto estaria perto da discussão com o Benfica pelo número de troféus oficiais conquistados.
O que não é, de todo, razão para desprezar a importância e o significado da dita Supertaça. Tomem nota: 10 de Agosto, está a chegar um dia muito importante para a época de 2014/2015. Sobre isto não há volta a dar.

LAZAR MARKOVIC, que nos encantou a todos durante a última época, a sua primeira e última época na Luz, foi-se também embora. Agora é jogador do Liverpool. Que sorte a deles. Refiro-me aos adeptos de Anfield Road.
O sérvio foi-se embora mas com elevação. Disse à chegada a Liverpool que se não fosse o Benfica certamente que não estaria ali.
Passa-se o mesmo comigo. Se não fosse o Benfica certamente que não estaria aqui."

Leonor Pinhão, in A Bola

Código de ética desportiva

"Há dias, foi apresentado publicamente o Código de Ética Desportiva. Um facto que deveria ter merecido mais ênfase na comunicação social,
Um trabalho de excelência, impulsionado pelo Coordenador do Plano Nacional de Ética no Desporto (PNED) José Carlos Lima, que merece ser lido, reflectido e praticado, como exemplo de ética intensiva e geracionalmente reprodutiva.
A ética desportiva não difere, no essencial, da ética individual e colectiva. Mas, num contexto cada vez mais importante do desporto nas suas diversas componentes e nos seus directos ou indirectos participantes, deve-se saudar, com esperança, um código de conduta ética e deontológica de todos os seus intervenientes.
A ética não se estrutura na dicotomia legal/ilegal, mas radica na consciência. O conjunto do que é moralmente aceitável (o legítimo) é mais restrito do que é juridicamente aceitável (o legal). Nem tudo o que a lei permite se nos deve impor, e há coisas que a lei não impõe mas que nos podem e devem impor.
Como há tempos aqui escrevi, na (falta de) ética desportiva, onde há adversários, vêem-se inimigos. Onde deveria haver competição dura mas leal, há batota e amoralidade. Onde se deveria saber ganhar e perder, há atitudes inconsequentes e perniciosas. Onde deveria haver valores e princípios, há interesses nem sempre legitimados.
Dizia Raymond Aron que «a ética da convicção e a ética da responsabilidade não são contraditórias. Completam-se uma à outra e constituem no seu conjunto a expressão do homem autêntico». Acrescento: onde não há lugar para essa proclamada terceira categoria ética dos actos indiferentes entre o bem e o mal."

Bagão Félix, in A Bola

quarta-feira, 16 de julho de 2014

A cor do dinheiro

"Ainda falta a quase eternidade de um mês e meio para o maldito defeso terminar. A festa faz-se nos media com novos jogadores que ninguém conhece e de todas as nacionalidades, com excepção de esquimós e aborígenes. No ar esvoaçam cláusulas de rescisão sem nexo e sem aderência à realidade. No dia 31 de Agosto (curiosamente, dia de um Benfica-Sporting) pode haver aeronaves à espera na Portela para dar tempo a abutres esfomeados de levarem a carne e deixarem a carcaça.
Este tipo de defesos é triplamente obsceno: termina depois de as competições começarem, permite trocas depois dos sorteios efectuados, exprime o primado da cleptocracia tornada oficial e suficientemente branqueada por essa Europa do futebol cada vez mais desigual.
A dificuldade em manter os melhores é cada vez maior, mesmo com a UEFA a falar, com cinismo insuportável, de fair-play financeiro. É o tempo em que meia-dúzia de treinadores europeus disputam, entre si, as iguarias financiadas sabe-se lá como, cavando a clivagem com a horda do resto europeu. Quase me apetece dizer que assim até eu treinava...
Pelo meio, há rios e afluentes monetários. Intermediação à farta. Compensações à vista. Fundos de jogadores que os tornam divisíveis como se tratasse de uma peça de talho. Sempre com o pensamento no paradoxo do regresso ao futuro...
Compra-se por 10, estabelece-se a famosa cláusula de rescisão por 10 vezes 1000. Proclama-se urbi et orbi que só se vende pela cláusula de rescisão que, afinal, não é ou quando é tem direito a desconto ou saque.
Definitivamente, a cor do dinheiro tudo envolve e tudo faz engolir. Não acreditem nos beijos nas camisolas."

Bagão Félix, in A Bola

Derley

Finalmente, a apresentação do Derley... este 'atraso', já estava a criar 'ondas'!!!
É uma das contratações que eu tenho mais fé. Podemos ter aqui um jogador, que pode ter um impacto no Benfica, idêntico ao do Lima...!!! São jogadores diferentes (ofensivamente), mas na maneira como 'defendem' são parecidos... Os ex-colegas do Derley no Marítimo, confirmam isso mesmo: '...o Derley era o nosso primeiro defesa...'!!!
Marcou 16 golos na sua estreia em Portugal, no Marítimo, uma equipa que o ano passado, teve pouco volume ofensivo... Pode não ser um nome sonante, mas conhece o futebol português, já sabe aquilo que o Jesus exige dos avançados, e o facto de ter tido um trajecto por Clubes 'pequenos' demonstra ambição, e crença...


PS1: Foi hoje confirmada a saída do Oblak para o Atlético de Madrid, por €16 milhões. Depois da novela do ano passado, o Oblak voltou a não comportar-se bem com o Clube que lhe pagava os ordenados, e que acreditou nele quando ele ainda tinha 16 anos... Não tenho acesso a informações 'confidenciais', mas tudo isto pareceu-me mais um esquema do amigo Jorge Mendes!!!
As qualidades do jogador são inegáveis, mas este é daqueles que desejo, nunca voltar...
Todos tem o direito de procurar o melhor financeiramente para eles, e para as suas famílias, mas existem muitas formas de o fazerem... e o Benfica até não paga nada mal, tenho a certeza que nenhum jogador do plantel principal do Benfica ganha o ordenado mínimo!!! Durante muitas décadas os jogadores foram 'escravos' dos Clubes, mas hoje em dia, a situação inverteu-se... Os contratos só são para cumprir quando os Clubes não querem os jogadores, porque quando o jogador quer sair, ninguém os consegue parar...!!!
Na história do Benfica temos vários jogadores que estão umbilicalmente ligados ao Clube, hoje em dia são poucos os jogadores que se preocupam com esse tipo legado, azar o deles...

PS2: Sobre os abutres que pairam por aí... que como é óbvio, se fossem eles a decidir, tudo se passaria de maneira diferente, deixo uma curiosa citação do nosso ex-dirigente Gaspar Ramos (que ultimamente tantas vezes discordo...!!!): «O Benfica está a fazer aquilo que é necessário fazer»!!!

PS3: A equipa B do Benfica, efectuou um jogo treino com a equipa principal do Vitória de Setúbal no Seixal. O jogo foi à porta fechada, acabou 1-1, com o golo do Benfica a ser marcado pelo miúdo Austríaco Kevin Friesenbiclher... mas estranhamente, nem o 11 inicial do Benfica se sabe!!!

SOS: atacar... na formação

"Pouco, ou nada, adianta prosseguir na discussão de se Paulo Bento deveria retirar-se enquanto seleccionador nacional ou se, pelo contrário, é correcto mantê-lo nessa missão (sim, no actual e próximo estado do futebol português, trata-se mesmo de missão, bem mais do que de cargo/função...).
O que adianta - dramática urgência! - é pôr mãos à obra (já tarde, mas desastroso mesmo seria nunca...) de reorganizar a sério o nosso futebol e de dar ao seu topo, Selecção Nacional, perspectivas de futuro que se sobreponham ao actual escuro horizonte. Responsabilidade colectiva - e o que se passa na Liga de Clubes é apogeu de... irresponsabilidade! -, mas estando a Federação obrigada a traçar e dirigir/coordenar a linha condutora. Os anos de vacas gordas, levando a passividade (era Madaíl/Scolari), acabaram. Regresso das equipas B, na II Liga, foi importante passo. Mas é urgente fazer muitíssimo mais na formação de futebolistas e nas condições para muito superior aproveitamento. Até a UEFA impõe, nos plantéis para Champions e Liga Europa, números de futebolistas formados localmente... Quando é que, em Portugal, se assume urgência de mais apertar a malha? Já para não falar de pôr limite a futebolistas estrangeiros não comunitários (nada inédito em potências do futebol europeu).
SOS: a Selecção precisa de ser renovada. Salta pertinente pergunta; com quem? Dois ou três nomes e... deserto. Veremos o que o Benfica fará com os melhores vindos dos seus BB... Veremos se o Sporting não irá regredir na aposta nos seus meninos... Veremos quando é que o FC Porto conseguirá sair de nicles no aproveitamento da sua formação...
Paulo Bento lançou muitos miúdos no Sporting (exemplos de topo: João Moutinho, Rui Patrício, Miguel Veloso). Mas, a nível de Selecção para o próximo Europeu (a partir já de Setembro...), onde existe consistente matéria-prima para renovar?"

Santos Neves, in A Bola

Vermelho!

"Quase aposto que a maior parte das pessoas desaprovariam o comportamento dum polícia no seguinte cenário: pelas sete e meia da manhã, o agente apanha um carteirista com a mão na massa a roubar a reforma de uma senhora; dirige-se ao homem e com o dedo em riste diz-lhe: «eu vim bem o que o cavalheiro fez e olhe que isso dá prisão, aviso-o já. Fique a saber que se voltar a apanhá-lo vou ter de detê-lo. Vá lá, devolva à senhora o dinheiro e porte-se bem o resto do dia». Depois de deixar o turno, diria ao colega que o acompanhava: «viste, não estragámos o dia com aquela detenção logo ao início da manhã e depois até correu tudo bem».
Se não digo «todas as pessoas desaprovariam o comportamento do polícia» é porque presumo que muitos árbitros de topo o aplaudissem. Não que mo tenham dito, mas pelo que demonstram actuando de forma complacente para com os futebolistas que tantas vezes deviam ser expulsos e safam-se com um dedo em riste ou um cartão amarelo por algo que se fizessem aos 88 minutos os mandaria mais cedo para o duche.
Escrevo estas linhas tendo por pretexto o Mundial e o inacreditável perdão de expulsão a Thiago Silva, do Brasil, por derrubar um holandês que seguia isolado aos dois minutos do jogo de atribuição do terceiro lugar.
Se eu fosse jogador da Holanda garanto que muito me teria zangado: queria lá eu saber de o jogo ser bonito... Só queria que as regras fossem cumpridas e, se um adversário fez infracção que vale expulsão, jogar com 11 contra 10 durante 88 m. Sim, da mesma forma que quero que o carteirista seja detido se apanhado (basta uma vez) em flagrante.
De uma vez por todas, senhores árbitros: os jogos de futebol não são património da humanidade nem os jogadores espécies em vias de extinção. A estúpida mania de não expulsar nos instantes iniciais de um jogo só porque se está precisamente nos instantes iniciais de um jogo é apenas uma estúpida mania.
E um jogo de futebol - mesmo daqueles a que milhões de pessoas gostam de assistir - é sobretudo um confronto entre 22 homens. Só respeitar as regras é respeitá-los a todos."

Nuno Perestrelo, in A Bola

10

terça-feira, 15 de julho de 2014

A Pantera Negra e a Seta Loura...

"Eusébio e Di Stéfano: houve sempre uma profunda ligação entre os dois. Para Eusébio, Di Stéfano (que era Stéfano di Stéfano, assim mesmo, a dobrar) foi o melhor jogador de todos os tempos. Correrão agora lado a lado na planície da eterna saudade.

STÉFANO a dobrar. Stéfano duas vezes. Vejam: Alfredo Stéfano di Stéfano Llaulhé. Para Eusébio, o nosso Eusébio, o melhor jogador de todos os tempos.
Nascido no Barrio de Las Barracas, em Buenos Aires, em 1926, foi por muitos considerado como o melhor jogador de sempre. Dificilmente na história do jogo alguém combinou de forma tão perfeita a técnica, o talento e a capacidade de comendo e organização da equipa em seu redor.
Começou no River Plate, onde era conhecido por «El Alemán», graças ao seu cabelo louro, passou pelo Huracán e regressou ao River Plate para formar uma terrível dupla de ataque com Adolfo Pedernera numa linha ofensiva chamada «La Maquina».
E foi com Pedernera jogou também no Milionários de Bogotá, na Colômbia, antes de se transferir para Espanha num negócio confuso que opôs os dois rivais, Real Madrid e Barcelona.
A Federação Espanhola tomou uma decisão salomónica: jogaria um ano no Real e outro no Barcelona - os catalães não se mostraram convencidos e venderam a sua parte do passe de Di Stéfano ao Real Madrid: no primeiro Real Madrid-Barcelona., Di Stéfano marcaria três golos numa vitória de 5-0. Miguel Nuñoz, seu companheiro de clube e depois treinador, diria dele: «A grandeza de Di Stéfano é que, com ele na equipa, temos dois jogadores para cada posição».
Com o Real Madrid venceu as cinco primeiras Taças dos Campeões, marcando golos em todas as finais.
Chamaram-lhe, então, «La Saeta Rubia» (a Seta Loira); naturalizou-se espanhol e jogou na selecção de Espanha, depois de ter sido «internacional» pela Argentina. Acabaria a carreira no Español de Barcelona antes de se tornar treinador e ainda venceu a Taça das Taças ao comando do Valência.
Eusébio sempre nutriu por Di Stéfano uma infinita admiração. É famosa a sua fotografia após a vitória na Taça dos Campeões com a mão enfiada nos calções, de tronco nu, guardando a preciosa camisola que Di Stéfano acabara de lhe dar no final do encontro que opôs o Benfica ao Real Madrid, disputado em Amesterdão e que o Benfica venceu por 5-3.
Sobre Di Stéfano dizia Eusébio: «Para mim, não há comparações. Di Stéfano é o jogador mais completo de todos os tempos. Depois, ponho Pelé, Puskas, Sivori, Greaves, Rivera, Law, Mazzolla, Altafini e Amarildo. São estes os grandes avançados do Mundo. Também sei que Schiaffino foi grande, mas só o conheci de nome. Águas era, igualmente, terrível. Dos defesas, escolho Trapattoni, que me marcou na final de Londres, com o Milan, e McKay, do Tottenham. Mas admiro particularmente Trapattoni, porque é correcto e preciso. Eusébio? Eusébio, por modéstia, fica em último lugar da lista dos avançados»."

Afonso de Melo, in O Benfica

Obrigado Lazar, e boa sorte...

Foi hoje confirmada a transferência do Markovic para o Liverpool (não foi para o Chelsea... clube que muitos garantiam que ele pertencia!!!). Depois do Garay, esta é a segunda 'venda' do Benfica, neste defeso... se somarmos as 'vendas' em Janeiro do Rodrigo e do André Gomes, além do fim do empréstimo do Siqueira, este é o 4.º titular a não continuar. Sendo que o Markovic só foi titular indiscutível o ano passado, devido à grave lesão do Salvio, logo no início da temporada anterior.
O Lazar teve momentos de enorme brilhantismo, é um jogador com enorme potencial, e aparentemente é também um excelente companheiro... A tal lesão do Salvio, apressou a sua integração, durante a época evoluiu enormemente no aspecto defensivo... Ofensivamente não foi tão regular: grandes golos ao Sporting e ao Guimarães, mas em vários jogos acabou por não 'aparecer'... De todas as 'anunciadas' saídas, esta é aquele que menos me preocupa, com o Salvio saudável, ficamos muito bem servidos... considero o Toto, um jogador mais completo... essencialmente melhor adaptado à posição de ala direito, no esquema do Jesus.
Nestes últimos dias o Markovic acabou também por marcar a diferença, na maneira como se comportou com o Benfica... saiu pela clausula de rescisão, 12,5 milhões de euros por 50% do passe, mas sem faltas de comparência!!!

Além da já pré-anunciada saída do Oblak, espero que mais ninguém seja vendido (dos titulares)... Com o Nico e o Salvio, as alas estarão seguras, e ainda temos o Candeias e o Pizzi como opções... A contratação de um guarda-redes é obrigatória, parece que se está a negociar um dos guarda-redes que se evidenciou no Mundial, algo que me deixa apreensivo!!! Do Mundial, parece que também pode vir um Central e um Médio-centro!!! Como já referi anteriormente, mesmo com o Enzo no plantel, é no meio-campo que temos menos opções, tanto a '6' como a '8'... os recorrentes problemas de lesões com o Fejsa e o Amorim, não me deixam descansado!!! A opção Guilavogui é do meu agrado (melhor que o Casemiro...), mas precisamos também de um '8'... a não ser que o Talisca seja bem adaptado à posição!!! O Dawidowicz parecia ser uma das opções, mas as notícias de hoje (suposto problema burocrático!!!), deixam-me apreensivo...

PS: Nos últimos dias também foi confirmado a venda do Mitrovic para o Friburgo. Foi uma boa opção, o sérvio tem qualidades, mas não é Central para o Benfica.

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Para não esquecer...

O que fica do Mundial...

Terminou o Mundial... para a história ficará a vitória dos Alemães, e a vergonha Brasileira, o resto só os 'especialistas' recordarão!!!
Ao contrário da generalidade das crónicas não creio que este tenha sido um Mundial especialmente bem jogado. Houve golos, é verdade; houve algumas surpresas, é verdade; mas o facto dos guarda-redes terem sido os principais protagonistas em vários jogos, só reforça a minha ideia: defendeu-se muito mal...!!! Muito por culpa do défice físico de várias selecções... o relativo sucesso da Argentina acaba por ser a excepção que confirma a regra: a selecção que resolveu jogar num 'catenacio', acabou por chegar à final, mesmo jogando relativamente 'pouco'!!!
A Alemanha mereceu o título, foi de longe o colectivo mais forte, e mais equilibrado (defesa/ataque), mesmo sem jogadores foras-de-série (Litbarski, Hassler, Matthaus, Beckenbauer...), foram os melhores. O facto da selecção ser construída em cima de dois clubes: Bayern e Borrusia... Com vários jogadores, que se conhecem das selecções jovens Alemãs, criou nesta equipa rotinas, que mais nenhuma tem... Também sou daqueles que pensa existir claramente nesta selecção mérito do Guardiola, e por tudo aquilo que mudou no estilo de jogo do Bayern (mesmo sem ter ganho a Champions)!!! Juntando a isto, o facto do Campeonato Alemão ter ficado decidido muito cedo (em Março!!!) e nenhuma das equipas Alemãs ter chegado às Finais da UEFA, acabou por proporcionar uma melhor preparação física... Em circunstâncias normais a disciplina, e capacidade física germânica já faz a diferença, neste Campeonato do Mundo - na minha opinião - nivelado por baixo, acabou por ser decisivo. E nem o 'anti-jogo' do Sabella o conseguiu parar...!!!

Nos últimos dias em Portugal tem sido uma correria, para ver quem pisa mais no Scolari !!! Não perdoam o homem não lhes ter feito os favores, quando por cá andou... Os problemas da selecção Brasileira vão muito para além do Felipão... Se pensarem que deixando tudo na mesma, mas somente mudando de treinador, tudo se resolve, então o Brasil vai continuar longe dos títulos Mundiais... O Scolari tacticamente nunca foi um 'génio', é essencialmente um motivador, tal como outros treinadores bem do agrado da crítica, mas desta vez isso não foi suficiente... e até acabou por funcionar ao contrário: houve claramente um excesso de ansiedade na equipa...
Outro mártir em Portugal neste momento, é o David Luiz...!!! O David é um grande jogador, mas no jogo com Alemanha, tentou ser Central, Trinco, Organizador de Jogo, Extremo, e Ponta-de-lança tudo ao mesmo tempo...!!! Enquadrado noutra equipa, com outro ambiente, e com outro treinador, o David vai continuar a ser um dos melhores... este tipo de caça às bruxas é desprezível, mas há quem goste... normalmente têm memória curta. Ao mesmo tempo que tentam diminuir o David, nem uma palavra sobre as 'estrondosas' exibições do Hulk...
Em sentido contrário o Sabella fica na história como um treinador que levou a Argentina à Final do Mundial, e teve 'azar' ao perder no prolongamento!!! A forma como não conseguiu retirar produção ofensiva de uma equipa repleta de opções, a forma como teimosamente não colocou o Enzo na seu lugar... a forma como inclusive deixou de fora por opção várias jogadores que podiam dar outra produção ofensiva à equipa, ninguém se vai lembrar... Nem dos muitos minutos onde a Argentina jogou com 4 defesas, sendo que os 2 laterais raramente passavam do meio-campo, e ainda com 2 Trincos fixos (e às vezes com 3 !!!)... Imagine-se o Bento ou o Scolari a fazerem algo parecido!!!

Sobre o grupo de veraneantes portugueses que foram ao Brasil... nem vale a pena perder muito tempo!!! Quem não perceber que além dos erros - e foram muitos: da FPF, e do treinador... -, que o problema da falta de opções é muito mais profundo do que pode parecer, e que ao insistirem na narrativa de que temos o 'melhor do mundo', só prejudica o sucesso da selecção, ao não perceberem isto, só estão a contribuir para o naufrágio total!!!

As arbitragens foram uma miséria, o critério largo que apareceu na 2.ª jornada da fase de grupos foi vergonhoso... só serviu para disfarçar a incompetência reinante!!! Infelizmente a Inglaterra não foi seriamente prejudicada pela arbitragem, sendo assim, não acredito que o International Board altere seja o que for, nos próximos 4 anos!!!
O castigo ao Suarez, é mais um episódio da velha história da FIFA em embirrar com um jogador famoso, mas rebelde, para passar uma imagem de zelo, que a FIFA não tem... Já o fizeram no passado com outros, e estão a 'queimar' o Suarez na fogueira, agora. Com o lobby pró-Barça a funcionar, pode ser que esta fúria justiceira acalme, mas será difícil... Num Campeonato onde tivemos jogadores a lesionar gravemente adversários, como foi o caso do Matuidi, e a não ser castigado, este zelo da FIFA cheira sempre a podre!!!
A escolha dos horários dos jogos (e de alguns locais) com total desrespeito pela defesa dos jogadores, e do jogo, só prova mais uma vez que a FIFA, não defende o Futebol... aliás, a actual FIFA é um dos grandes problemas do Futebol...!!!

A eleição do Messi como o melhor da Copa, é uma vergonha... infelizmente, não me surpreende. Os tais membros da Comissão Técnica da FIFA ( os tais que votaram...), andaram a viajar no Brasil, 'à pala' da FIFA, em grandes Hotéis, com grandes jantaradas, provavelmente com muitas putas, mas esqueceram-se de ver os jogos!!! Tudo normal...!!! Quem viu este Mundial, e não considera o Robben como o melhor jogador da prova, não percebe nada de Futebol...

GUARDA-REDES:
O NEUR terá sido o melhor, mas foram muitos os que se destacaram: Navas (Cr), Ocha (Mex), Howard (Eua), Dominguez (Equ), Bravo (Chi), Cillessen (Hol), Ospina (Col), Begovic (Bih), M'Bolhi (Alg), Courtois (Bel), Romero... Deste lote enorme, alguns deles até podem não ser grandes 'goleiros', mas estiverem em evidência, isso é indesmentível. Avaliar as exibições do Romero, do Navas ou do Ochoa por exemplo e não ter em conta a qualidade nas saídas aos cruzamentos, e a quantidade de bolas que eles agarram (ou largam) é um erro... Outros como o Sirigu, ou o Lloris, ou o Muslera tiveram menos protagonismo, mas foram muito competentes.

DEFESAS-CENTRAIS:
Escolho a dupla Alemã: BOATENG, HUMMELS. Podia escolher o Garay, mas o 'ex-nosso' El Negro acabou por ter o trabalho 'facilitado'!!! A forma como a Argentina defendeu, com 2 laterais que praticamente não subiam, e dois Trincos que filtraram o jogo, deixava poucas bolas para os Centrais resolver... enquanto a Alemanha apostou numa linha defensiva alta (com o Neur como 'libero'!!!), o que torna o trabalho dos Centrais muito mais difícil... Também gostei do Vlaar (Hol), do Kompany (Bel), do Zapata (Col), do Gonzalez (Cr), do Erazo (Equ), do Guaga (Equ), do Shar (Sui), do Manolas (Gre), e do Sokratis (Gre).

DEFESA-DIREITO
Isto parece a selecção alemã, mas aqui volto a escolher um germânico: o LAHN. Começou como Trinco mas depois voltou à sua posição natural. A verdade é que este Mundial confirmou alguma crise nas laterais, já que foram muitas as selecções que acabaram por adaptar Centrais às faixas laterais... Pessoalmente, e tendo em conta o equilíbrio entre saber atacar, e saber defender, o Lahn foi o melhor. Como tivemos várias selecções a optar por jogar com 3 centrais, pode não ser justo avaliar os melhores laterais do Mundial, mas também gostei do Damian (Ita), do Isla (Chi), do Zuniga (Col), do Aurier (Civ), do Torosidis (Gre), do Uchida (Jap), e do Johnson (Eua).

DEFESA-ESQUERDO
Neste lado ainda foram menos os laterais-esquerdos de raiz a destacarem-se!!! Para mim o melhor foi o HOLEBAS (Gre) (só neste Mundial descobri que se escreve com H !!!!), o Blind (Hol) esteve bem, mas é uma adaptação. A escolha é tão difícil, que tenho que destacar o Rojo (Arg) (!!!), ainda o Armero (Col), o Evra (Fra), o Nagatomo (Jap), e o Layun (Mex),

MEIO-CAMPO
Aqui a escolha é difícil, mas opto pelo MASCHERANO e o KROOS (apesar do jogo da Final menos conseguido!!!). Tanto o Schweinsteiger como o Khedira podiam ser os escolhidos mas só há lugar para dois!!! Destaco também o Witsel (Bel), o Fellaini (Bel). O Besic (Bih) foi uma das surpresas do Mundial... E também Noboa (Equ), o Henderson (Ing), o Pogba (Fra), o Matuidi (Fra), o Vasquez (Mex), o Herrera (Mex), o Beckerman (Eua), Bradley (Eua), o Rios (Uru), o Inler (Sui), o Pjanic (Bih), o Modric (Cro) e ainda o Classie (Hol), que nos últimos dois jogos entrou bem na Holanda.

ALAS
A partir daqui nota-se uma escassez de soluções!!! Cada vez temos menos jogadores dribladores... Os desequilibradores parece que estão proibidos de jogar!!! Pessoalmente, só 3 jogadores merecem uma referência especial nestas posições: Robben (Hol), Di Maria (Arg) e Cuadrado (Col)...!!! Para a equipa ideal escolho os dois primeiros, ROBBEN e DI MARIA, porque o Colombiano perdeu algum gás com o decorrer da competição... O Angel teve azar com a lesão, senão podia ter lutado pelo 'titulo' de melhor do Mundial com o Robben. Vou encaixar o Neymar aqui: foi o melhor Brasileiro (também não era difícil), decidiu sozinho alguns jogos (por exemplo o jogo com os Camarões), mas também podia ter feito mais... Uma palavra ainda para o De Bruyne (Bel) que jogou um pouco mais recuado, mas esteve bem (melhor que o Hazard por exemplo!!!) Ainda o Mertens (Bel), o Aranguiz (Chi) - jogador que não é bem ala, mas... -, o Gervinho (Civ), o Perisic (Cro) - uma das surpresas... -, o Campbell (Cr), e o Sterling (Ing).

10
Já praticamente não existem verdadeiros '10', mas... O melhor acabou por ser o JAMES RODRIGUEZ, acabou por aproveitar um bom momento da equipa, e com os melhores pontas-de-lança Colombianos no banco (Jackson e Bacca... além do ausente Falcao!!! O Teo Gutierrez não me convenceu...), acabou por ser James o 'goleador'!!! Agora, apesar de ter sido o melhor marcador da Copa, e de ter jogado bem, também considero algo exagerado alguns dos elogios... no passado tivemos goleadores em Mundiais, que pouco fizeram nos Clubes!!! E como disse na introdução, defendeu-se mal neste Mundial... Estou na expectativa para verificar se o James vai ser capaz de reproduzir tudo isto na Europa...!!! Os valores de transferência que se falam são completamente absurdos!!! (para 'alargar' a categoria vou colocar aqui alguns 2.ºs pontas-de-lança...) Destaco ainda: o Alexis (Chi), o Sneijder (Hol), o Sturridge (Ing), o Ozil (Ale) - que é obrigado a jogar noutras posições... -, o Gotze (Ale) - pelo golo na Final -, o Honda (Jap), e o Shaqiri (Sui) que é um jogador que por acaso não gosto muito, mas... O Messi, marcou alguns golos decisivos, mas fez um Mundial fraco, sim, fraco...!!! Teve uma equipa, montada com um sistema super-defensivo que o levou até à Final, que ele não mereceu...

PONTAS-DE-LANÇA
O melhor acabou por seu um adaptado o MULLER, que pode jogar em várias posições, mas é a marcar golos que se destaca. Não gosto de várias atitudes do Muller, mas reconheço-lhe valor, e num Mundial onde os avançados estiveram longe do golo, este Alemão latino nos protestos, acabou por ser o melhor!!! A grande surpresa pessoal deste Mundial, acabou por ser o Ener Valência que confesso desconhecia!!! Já tinha lido o nome dele na imprensa, mas nunca o tinha visto jogar... grande jogador. O Dzeko (Bih), e o Mandzukic (Cro), tiveram pouco 'jogo' para se mostrarem... O Origi (Bel) acabou por ser uma das grandes surpresas deste Mundial... o veterano Cahil (Aus) marcou um dos golos da Copa, o Benzema (Fra) foi o melhor Francês, o Van Persie começou muito bem, mas foi perdendo embalagem, gostei do Emenike (Nig), o Cavani (Uru) sacrificou-se em prol da equipa mas ficou longe do golo, e o Suarez (Uru) acabou por ser decisivo no jogo com os Ingleses, mas depois...

Resumindo, aqui fica o meu 11 do Mundial;
Neur; Lahn, Boateng, Hummels, Holebas; Macherano, Kroos; Di Maria, Robben, James; Muller.

Tiago 'Gigante' Machado...

Hoje, foi um dia de enorme sofrimento, para um dos nossos. Este Benfiquista - dos pés à cabeça -, depois de ontem ter subido surpreendentemente ao 3.º lugar no Tour de France - após uma fuga -, na sua estreia do Tour, caiu hoje violentamente no alcatrão de França. Ainda não tínhamos chegado a meio da etapa - uma das mais duras da edição deste ano do Tour -, numa recta (!!!) caiu... através do TV foi visível as dores do Tiago, já a tentar recuperar... Logo a seguir, o grande favorito à vitória final, Alberto Contador, também caiu, e a atenção da realização da televisão ficou centrada no Espanhol. Pouco depois foi anunciado no rádio Tour o abandono do Tiago!!! Alguns minutos depois, a organização rectificou (!!!), afinal do Tiago tinha voltado para cima da bicicleta... quem conhece o Tiago, ou pelo menos acompanha a carreira do Tiago, sabe que só uma situação extremamente grave, poderia levar o Tiago à desistência!!! Enquanto a etapa decorreu pouco mais de soube...
Numa etapa com muita montanha, e muita chuva, quando poucos acreditavam, lá apareceu o Tiago junto da linha de meta!!! Fora do tempo limite, mas a cortar a meta!!! A primeira informação foi que o Tiago tinha sido desclassificado por ter chegado fora do controle... Mas felizmente, a organização Francesa teve a sensibilidade suficiente para perceber o que se tinha passado, e rectificou a decisão... e assim o Tiago Machado está autorizado a continuar em prova!!!
Amanhã é dia de descanso, espero que o Tiago aproveite para recuperar... com tantas feridas no corpo, não será fácil adormecer esta noite... Com a força que todos reconhecem ao Tiago, e se as feridas sararem, tenho a certeza que ainda vamos ver o Tiago em fuga, à procura de uma vitória de etapa!!!
Força Tiago...

PS: Já que estou no tema, uma palavra para o Rui Costa: o Rui não nasceu Benfiquista (ao contrário do Tiago), mas representou o Benfica. E assim obrigou-me a acompanhar mais de perto a sua carreira.
O Rui hoje, perdeu algum tempo no final, tal como acredito que vai voltar a perder noutras etapas que terminem a subir, principalmente com montanhas de 1.ª categoria, ou categoria Especial. O Rui é um bom trepador, na baixa e média montanha, mas na alta (altíssima) montanha não consegue acompanhar os melhores (neste momento da sua carreira). Eu compreendo que o sonho do Rui, como ciclista, seja lutar por um lugar na Geral do Tour de France, mas muito sinceramente, analisando friamente as suas características, o Rui é um corredor de 'fugas'... é a sua principal especialidade. O ano passado venceu duas etapas, nessa forma. Nas três corridas de 3 semanas, creio que é um erro o Rui apontar para a Geral. Com a idade pode ser que o Rui fique melhor nas grandes montanhas, mas não creio... O Rui ainda é relativamente novo, terá muitos anos de ciclismo pela frente, aceito que neste momento esteja a testar os seus limites na luta pela Geral, mas mais tarde ou mais cedo, o próprio Rui vai ter que fazer uma auto-avaliação, e redefinir os seus objectivos... só terá a ganhar.
Neste Tour, se o Rui limitar as perdas, pode ser que no último contra-relógio consiga ultrapassar alguns dos trepadores (principalmente os Franceses)... Se nenhum acidente acontecer até final, o Top-10 estará garantido, e com um grande contra-relógio, o Top-5 é possível... mas acho que é um desperdício o Rui andar-se a poupar para a Geral, quando podia estar a repetir o festival que o ano passado deu nas Fugas...!!!
Força Rui...

Sueca & Futsal !!!

Este ano, além do Campeonato de Sueca, tivemos também um Campeonato de Futsal entre as Casas do Benfica... mais um grande dia de Benfiquismo passado na Catedral...!!!

Ouro & Bronze (vezes três) !!!

Grande dia para a Canoagem Portuguesa, com 6 medalhas nos Campeonatos Europeus, disputados em Brandeburgo na Alemanha, com 6 medalhas no total.
A medalha de Ouro da dupla João Ribeiro/Emanuel Silva no K2 500m, foi o ponto alto... Muitos parabéns para o nosso João Ribeiro, confirmando mais uma vez estar à altura...
Mas a Teresa Portela também esteve em grande nos Campeonatos com duas medalhas de Bronze, no K1 200m, e no K1 500m... confirmando que a aposta no K1 é justa...
Depois de tanta polémica com a Teresa Portela e o Fernando Pimenta o ano passado, porque ambos queriam apostar no K1, parece que até tinham razão!!!
Mas ainda tivemos mais uma medalha de Bronze, novamente o João Ribeiro, desta vez no K4 1000m (com Fernando Pimenta, Emanuel Silva, e David Fernandes)...
A Joana Vasconcelos não conseguiu chegar às medalhas, mas esteve em duas Finais: 9.º lugar no K4 500m (com Beatriz Gomes, Francisca Laia, e a Helena Rodrigues) a  e 8.º lugar no K2 200m (com a Beatriz Gomes). Com as medalhas nas outras embarcações, estes parecem resultados fracos, mas não são...
Peca por tardio, mas parece que finalmente Portugal está a afirmar-se no quadro das medalhas nos grandes Campeonatos de Canoagem, o potencial é enorme, e só a também enorme desorganização que existiu na modalidade durante vários anos, fez com que este tipo de resultados fosse raro...

Aqui fica o Bronze dos rapazes no K4 1000m:

PS: Parabéns também para o Hélder Silva (C1 200m) e para o Fernando Pimenta (K1 5000m) que também conseguiram medalhas de Bronze.

Campeões Nacionais sub-23

Mais um fim-de-semana de absoluto domínio da nossa secção de Atletismo, desta vez, no Campeonato Nacional de sub-23 ao Ar Livre, em Masculinos e em Femininos, realizado em Braga no Estádio 1.º de Maio.
Não foi uma prova perfeita, tivemos algumas desqualificações, desistências e não participámos em algumas provas (além de alguns atletas terem 'faltado' a esta prova... por exemplo a Teresa Carvalho), mesmo assim os rapazes acabaram com uma vantagem gigantesca, e as meninas tiveram um 1.º dia que acabou quase tudo empatado, mas no 2.º dia não deram hipóteses...

Masculinos:
1.º - Benfica - 177 pontos
2.ª - Sporitng - 76 pontos

100m - 1.º - André Costa - 10,48s
110m barreiras - 1.º - André Costa - 14,54s
200m - Dst - João Djibo - DST
400m - 3.º - Ricardo Pereira - 48,77s
400m barreiras - 2.º - André de Sá - 54,53s
800m - 6.º - Pedro Santos - 1.54,49min
1500m - 3.º - João Cruz - 3.57,05min
3000m Obstáculos - 1.º - Miguel Borges - 9.14,92min
5000m - 1.º - Rui Pinto - 14.21,32min
10Km Marcha - 5.º - Pedro Santos - 49.04,77min
4x100m - Dsq. - Tiago Santos, André Luz, João Gonçalves, Brandon Silvestre - DSQ
4x400m - 3.º - André de Sá, Pedro Santos, Fernando Anselmo, José Tavares - 3.22,75min
Comprimento - 4.º - Tiago Pereira - 7,13m
Triplo - 1.º - Tiago Pereira - 15,37m
Altura - 1.º - Paulo Conceição - 2,14m
Vara - 1.º - Ícaro Miranda - 4,80m
Peso - 1.º - Tsanko Arnaudov - 17,82m
Dardo - 1.º - Tiago Aperta - 66,06m
Disco - 1.º - Tsanko Arnaudov - 46,32m
Martelo - Não participámos

Femininos:
1.º - Benfica - 145 pontos
2.º - Sporting - 109 pontos

100m - 4.ª - Adriana Alves - 12,26s
100m barreiras - 4.ª - Rafaela Vitorino - 15,19s
200m - 4.ª - Cátia Santos - 25,18s
400m - 5.ª - Neuza Reis - 57,49s
400m barreiras - 2.ª - Neuza Reis - 64,36s
800m - 1.ª - Marta Pen - 2.06,89min
1500m - 1.ª - Marta Pen - 4.19,37min
3000m - 1.ª - Susana Godinho - 9.45,56min
3000m Obstáculos - 3.ª - Jessica Matos - 10.51,80min
10Km Marcha - Não participámos
4x100m - 2.ª - Adriana Alves, Cátia Santos, Sandra Moreira, Milclenia Francisco - 48,65s
4x400m - 1.ª - Rafaela Vitorino, Milclenia Francisco, Cátia Santos, Marta Pen - 4.07,18min
Comprimento - 4.ª - Khrystyna Resler - 5,30m
Triplo - 6.ª - Sandra Moreira - 11,19m
Altura - 6.ª - Nádia Sena - 1,57m
Vara - 1.ª - Filipa Choon - 3,45m
Peso - Não participámos
Dardo - 2.ª - Lara Clochet - 39,12m
Disco - 4.ª - Jorgina da Costa - 37,02m
Martelo - 1.ª - Jorgina da Costa - 55,98m

PS: Em Ávila, Espanha, vários atletas do Benfica participaram num Meeting, com o destaque a ir todinho para o Diogo Ferreira, que conseguiu bater o seu recorde pessoal na Vara com 5,65m... Grande salto, ainda tentou o recorde nacional, mas não deu... fica para a próxima.