Últimas indefectivações

segunda-feira, 23 de maio de 2022

Conselho de Disciplina, um dos tentáculos do polvo


"A agenda mediática desportiva tem sido marcada, nos últimos dias, pela lamentável parcialidade de um órgão federativo que se pretende idóneo e imparcial, mas que, devido aos interesses e poderes instalados, apenas serve de veículo tendencioso que visa proteger o FC Porto e Sporting e atacar desavergonhadamente o Benfica.
Os dirigentes do FC Porto, assim como os seus adeptos, nomeadamente a sua claque legalizada - da qual fazem parte vários elementos que usufruem do apoio da Federação Portuguesa de Futebol através da sua claque não oficial -, gozam de um sentimento e prática de impunidade por responsabilidade direta do Governo e de quem devia tutelar o futebol português, mas que opta por assobiar para o lado perante a constante coação despudorada desta corja.

Numa semana que ficou marcada pelo assassinato de um adepto por parte de elementos desta pandilha digna de organização criminosa da Sicília, o Conselho de Disciplina decide castigar o Benfica e o seu presidente por este ter dito “basta” após o jogo com o Gil Vicente, na Luz, considerando que tal palavra poderia incitar ao ódio.
Contado ninguém acredita, contudo estamos a falar de Portugal e deste órgão de decisão, onde tudo é possível.
Rui Costa, cansado de ver o Benfica altamente prejudicado dentro de campo, decidiu - e bem – falar. "Hora de dizer basta", disse o presidente do Benfica. O Conselho de Disciplina, sem demoras nem vergonhas, imediatamente tentou impor a “lei da mordaça”, colocando um processo contra o Benfica e o seu presidente após denúncia da APAF. E quem é o presidente da Mesa de Assembleia Geral da APAF? Artur Soares Dias. O mesmo que não viu um penálti a favor do Benfica na final da Taça da Liga, nos minutos finais, e não viu uma entrada para vermelho de Matheus. Premiado pelo roubo nesse jogo, foi nomeado para o jogo seguinte do Benfica como árbitro principal. Novo roubo, impedindo o Benfica de ganhar e anulando de forma escandalosa um golo limpo. Como não gostou das críticas, fez “queixinhas” à Federação.

Passados 3 meses desta simples frase, o processo disciplinar instaurado ao presidente do Benfica resultou numa multa de 1150 euros e foi movido por "eventual comportamento incorreto violador de deveres gerais". Diz o Conselho de Disciplina que a palavra se enquadra numa "aproximação perigosa, ainda que sub-repticiamente, de um incitamento a comportamentos violentos por parte dos adeptos".
A dualidade de critérios deste órgão fica bem evidente ao analisarmos o histórico de decisões.
Em fevereiro de 2021, Pinto da Costa, numa declaração na sala de imprensa após o Braga-FC Porto, da Taça de Portugal, repetiu por diversas vezes a palavra "basta". Dias depois, surgem tarjas com a palavra “basta” no estádio do Dragão, com os adeptos do clube azul e branco incentivados e apoiados pela campanha oficial do FC Porto com recurso à palavra. Na altura, assistiu-se a um silêncio ensurdecedor de todas as entidades desportivas.
Processo disciplinar? Nenhum!

Em janeiro deste ano, o diretor de comunicação do Sporting, Miguel Braga, criticou duramente a arbitragem no Sporting-SC Braga (1-2).
Processo disciplinar? Nenhum!
Basta, dizemos nós!
Ao longo das últimas épocas, sob a égide deste Conselho de Disciplina, têm-se sucedido as decisões totalmente arbitrárias, desproporcionais e sem igualdade de tratamento. Sempre em prejuízo de um, sempre em benefício de outro. Parte do trabalho do órgão é a aplicação do regulamento disciplinar das competições que, sendo infringido, pode resultar em sanções como multas pecuniárias ou punições mais severas. Os leitores poderão dizer que as multas acabam por ser irrelevantes ou que para os clubes são migalhas que não fazem falta alguma, etc. Poderíamos aceitar essa argumentação se a aplicação das multas fosse igual para situações iguais, o que não está a acontecer.
Em relação aos processos disciplinares, é igualmente vergonhoso verificar a disparidade de determinados casos:
Francisco J. Marques / FC Porto - Processo Disciplinar na sequência de uma notícia publicada no jornal “Record”, em que “o arguido agiu na inobservância de outros deveres”.
Veredicto: Absolvido.

Sport Lisboa e Benfica - Processo Disciplinar por “lesão da honra e da reputação dos órgãos da estrutura desportiva e dos seus membros”, na sequência de uma notícia publicada no jornal "Record".
Veredicto: Culpado e multa de 22.950€.
Sport Lisboa e Benfica - Processo Disciplinar a Luís Bernardo por declarações publicadas na comunicação social.
Veredicto: Culpado, multa de 5.738€ e sanção de 45 dias de suspensão.
FC Porto - Permitiu que a sua claque oficial mostrasse uma tarja colossal que ocupava toda uma bancada do estádio do Dragão, que indiciava que determinados árbitros, dirigentes e juízes eram corruptos.
Veredicto: "Pesadíssima” multa de 1150€.
Benfica – Ofensas de alguns adeptos presentes no Estádio da Luz ao guarda-redes da equipa do FC Porto.
Veredicto: 8.800€ + 510€ de multa.
Sport Lisboa e Benfica - Julgado por agir na “inobservância dos seus deveres” em relação a distúrbios provocados pelos seus adeptos.
Veredicto: Condenado a interdição do recinto desportivo em 4 jogos e multa de 28.688€.
Dezembro de 2017 - Pizzi é agredido por um adepto no Estádio do Dragão. Esta situação enquadra-se no ponto 2 do Artigo 181º do Conselho de Disciplina da FPF, que por sua vez tem como moldura penal o que está definido no ponto 1 do Artigo 179º, onde é dito que caso semelhantes são punidos com a sanção de realização de jogos à porta fechada a fixar entre o mínimo de um e o máximo de dois jogos e, acessoriamente, com a sanção de multa de montante a fixar entre 5.100 e 15.300 euros.
Veredicto: 2869€. Esta decisão foi sustentada na altura com o argumento de que se tratou de uma agressão que não causou uma lesão de especial gravidade. Sem comentários.

Tiago Martins - Depois de ter feito uma arbitragem no mínimo “habilidosa” no jogo entre Benfica e Vitória de Setúbal, apanhou uma moeda de 5 cêntimos do relvado do estádio da Luz e mentiu no relatório tendo dito que tinha sido atingido pela mesma e ficado com um hematoma no peito. Sim, leram bem.
Veredicto: 3188 euros de multa aplicada ao Sport Lisboa e Benfica.
Francisco J Marques - Formalmente condenado pelo Tribunal Judicial da Comarca do Porto pelo crime de divulgação de correspondência privada. O Regulamento da Disciplinar da FPF, no artigo 57, prevê para este tipo de situações, em que se “utilize ou divulgue informação privilegiada suscetível de prejudicar a integridade de jogo oficial ou da competição”, a possibilidade de exclusão de uma a três épocas do clube prevaricador. Transitada em julgado que esteja a decisão, o procedimento disciplinar contra a Porto SAD pode ser iniciado, seja pelo Benfica, seja pelo CD da FPF.
Veredicto: Absolvido.
FC Porto - Reiteradas manifestações de regionalismo bacoco e da luta contra o “centralismo”, comportamento selvático repetente dos seus dirigentes (Rui Cerqueira), de assistentes de recinto desportivos a insultar e agredir jogadores, de bonecos insuflados "enforcados" em viadutos, da estranha predileção pelo arremesso de bolas de golfe, de pedras lançadas sobre carros e autocarros em autoestradas, de roubos de bilhetes em Tondela, de insultos a adversários durante festejos, da coação e intimidação a árbitros no Centro de Alto Rendimento da Maia, etc., etc., etc.?
Veredicto: Absolvidos.
E o cúmulo do despudor deste órgão. O polémico acórdão no caso Benfica B - FC Porto B, em que o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol castigou Nuno Miguel Pereira Vicente, fisioterapeuta do FC Porto, com 357 euros de multa pela agressão, considerando, então, que o pontapé não tinha tido força suficiente para causar lesões graves e Nélson Veríssimo? Mais tarde, aplicaram 2.040€ e expulsão ao adjunto do Benfica, Marco Pimenta, por ter dito “isto não é falta”.
Pois nós dizemos: BASTA!
Basta desta palhaçada!
Basta deste órgão manietado e parcial!
Basta de gozarem com o Sport Lisboa e Benfica!

𝗕𝗔𝗦𝗧𝗔! 𝗧𝗢𝗠𝗔́𝗠𝗢𝗦 𝗔 𝗟𝗜𝗕𝗘𝗥𝗗𝗔𝗗𝗘 𝗗𝗘 𝗖𝗥𝗜𝗔𝗥 𝗨𝗠𝗔 𝗣𝗘𝗧𝗜𝗖̧𝗔̃𝗢 𝗤𝗨𝗘 𝗜𝗥𝗔́ 𝗠𝗨𝗗𝗔𝗥 𝗧𝗢𝗗𝗢 𝗢 𝗙𝗨𝗧𝗘𝗕𝗢𝗟 𝗣𝗢𝗥𝗧𝗨𝗚𝗨𝗘̂𝗦! 𝗠𝗢𝗦𝗧𝗥𝗘𝗠 𝗔 𝗩𝗢𝗦𝗦𝗔 𝗙𝗢𝗥𝗖̧𝗔 𝗘 𝗔𝗦𝗦𝗜𝗡𝗘𝗠 𝗔 𝗠𝗘𝗦𝗠𝗔! ✅


6 comentários:

  1. Sem árbitros estrangeiros não há verdade desportiva.
    Basta de lamúrias e de pedidos!
    Exigência é o que se impõe!

    ResponderEliminar
  2. Exatamente !!
    Mudanças a todos os níveis e de cima a baixo

    ResponderEliminar
  3. Quando não se ganha a culpa é dos árbitros apenas e só. Quando se podia fazer história com o penta e sabotaram a época ao venderem e não irem buscar ninguém a culpa foi de que?! Isto não é o Benfica qu eu i conheci!

    ResponderEliminar
  4. Passado é passado!
    lamúrias sobre o passado, são como lamúrias sobre o presente, e também não (te) acrescentam!
    Que fizeste tu na altura ?
    Não olhes para o SLB a fazer por ti, olha para ti a fazer pelo SLB.
    Estou farto de ler R. C. faz, R. C. faz!
    E tu que fizeste ou estás a fazer ?
    Já subescreveste a petição ?
    Já denunciaste à PGR os crimes da corrupção de contumil ?

    ResponderEliminar
  5. Atenção que a petição não está fácil de subescrever!!!!
    Já tive três conversas nesse sentido.
    falam em dinheiro e ...
    Que se passa?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. INFILTRADO. É facílimo de assinar. Falam de dinheiro diz o adepto corrupto ou do CASHBALL. Pocilga com ele

      Eliminar

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!