Últimas indefectivações

sábado, 21 de dezembro de 2019

O tal jogo que não se devia realizar

"Neste sábado joga-se o último conjunto de peripécias numa Taça da Liga que nunca interessou ao Benfica e que muito menos teve o seu respeito. Com o empate nas Beiras, há que depender de vimaranenses, confiando que a sua competência seja igual á nossa: espera-se um ponto ganho pelo Covilhã no D. Afonso Henriques e a vitória por mais de dois golos para os encarnados, cenário mais fácil de se conjugar e que qualifica a equipa lisboeta, sendo para isso preciso doses cavalares de prepotência a Norte e uma exibição de gala dos suplentes, a Sul.
O Vitória recebe-nos e o Bonfim vai inundar com a Elsa, a rapariguinha que trazendo a água e as ventanias, vai chafurdando a cidade nesta semana. Depois de provocar estragos nas ruas, patrocina ainda jogo já de si desinteressante, que com o combo horas (20h)-condições da infraestrutura vitoriana (apenas uma bancada coberta) vai provocar uma enchente de… nada. As previsões, cheias de optimismo, são péssimas.
Mas bem, há que tentar valorizar o que há de bom num embate entre dois activistas do bom futebol. Julio Velázquez tem introduzindo, de forma desenrascada, as suas ideias românticas no plantel dos sadinos e tirado rendimento de peças nucleares do reactor: Hildeberto está em grande forma, Artur Jorge consolidou as suas perfomances e Ghilas recuperou a confiança – e a barriga, que ainda assim não invalida que mantenha os índices técnicos que o levaram ao FC Porto. Apesar de eliminados, os sadinos querem desejar um feliz Natal á sua falange de apoio com uma vitória simbólica.
Na Luz, Lage manteve o onze na quarta-feira e espera-se que rode agora – isto se a lógica imperar e o treinador mantiver a coerência de planos passados, algo que já o próprio reconheceu em conferência de imprensa: «Vamos manter a coerência daquilo que são as competições que temos pela frente. Nesta temos sido coerentes e vamos olhar para o momento. Não é por jogo, por ciclos serem exigentes, porque todos os ciclos são sempre exigentes, sempre com muitos jogos, quer de clube e seleção. Não vamos mudar nada na nossa forma de pensar e encarar esta competição. Isso não implica que não tenhamos respeito pela competição. Temos intenção de fazer o nosso melhor» . 
Assim sendo, Jota, Seferovic e De Tomás deverão ter oportunidade, Jardel idem e Florentino deve voltar ao seu posto depois deste interregno misterioso até se perceber que Gabriel e Taarabt são o melhor miolo desde Enzo e Matic. O luso-angolano perdeu espaço nas opções do técnico e deverá acumular minutos.
Esta passeata á chuva será a última no ano civil de 2019, antecipando-se ás férias que duram depois até ao dia 4 de Janeiro, data da ida a Guimarães e ocasião a contar para a Primeira Liga."

Sem comentários:

Publicar um comentário

A opinião de um glorioso indefectível é sempre muito bem vinda.
Junte a sua voz à nossa. Pelo Benfica! Sempre!